SlideShare uma empresa Scribd logo
FISIOLOGIA 
PULMONAR 
MECANISMOS DA RESPIRAÇÃO 
JOSÉ ALEXANDRE PIRES DE ALMEIDA
Sistema Respiratório
Sistema Respiratório 
 Tem por finalidade primária a oxigenação 
sanguínea viabilizando a produção de energia 
 Equilíbrio Ácido-Básico 
 Fonação
Pulmão
Vias Aéreas
Ramificação Brônquica
Estrutura Alveolar (ventilação 
colateral)
Zonas de Condução 
Respiratória
Espaço Morto Anatômico, Espaço Morto 
Fisiológico e Shunt Pulmonar
Fluxo Aéreo
MÚSCULOS DA 
RESPIRAÇÃO 
1. INSPIRAÇÃO 
2. EXPIRAÇÃO
INSPIRAÇÃO 
 Principal músculo: 
Diafragma 
 CONTRAÇÃO: 
 Impulsiona as 
estruturas 
abdominais para 
baixo e para frente. 
 Aumenta a 
dimensão da 
cavidade torácica 
verticalmente.
INSPIRAÇÃO - MOVIMENTOS 
VOLUME CORRENTE = Elevação 
de 1cm 
INSPIRAÇÃO FORÇADA = 10 cm
INSPIRAÇÃO 
 Músculos 
intercostais 
externos. 
 Conectam as costelas 
adjacentes. 
 Inclina as costelas para 
baixo e para frente. 
 Ao contrair-se as costelas 
são empurradas para cima 
e para os lados 
Aumenta o diâmetro ântero-posterior e lateral do tórax.
INSPIRAÇÃO - MOVIMENTOS 
Ocorre aumento dos diâmetros ântero-posterior, crânio-caudal 
e látero-lateral
INSPIRAÇÃO - MOVIMENTOS
INSPIRAÇÃO – Músculos 
Acessórios 
 Músculos escalenos: 
 Elevam as duas primeiras costelas. 
 Músculos esternocleidomastóideos: 
 Elevam o esterno. 
 Músculos da Asa do nariz.
EXPIRAÇÃO 
 A fase expiratória é realizada pelo relaxamento muscular e recolhimento 
elástico passivo pulmonar. 
 A pressão intrapleural torna-se menos negativa e é parcialmente 
transmitida aos alvéolos. 
 A pressão atmosférica é convencionada como ZERO. Na fase inspiratória 
a pressão alveolar torna-se negativa e na expiratória torna-se positiva. 
 Essa mudança nas pressões alveolares dera o fluxo inspiratório e 
expiratório conforme a lei de Poiseuille.
EXPIRAÇÃO 
 Músculos mais importantes -> Os da parede abdominal: 
 Reto abdominal. 
 Oblíquos internos e externos. 
 Transverso abdominal. 
Quando se contraem a 
pressão intra-abdominal 
aumenta. 
O diafragma é empurrado 
para cima. 
Também são forçados 
durante a tosse, vômito e 
defecação
EXPIRAÇÃO 
 Músculos intercostais internos: 
 Auxiliam na expiração ativa puxando as 
costelas para baixo e para dentro – Reduz o 
vol. do Tórax.
Fisiologia pulmonar
Volumes e Capacidades 
Pulmonares
Volumes Pulmonares 
 VC – Volume de ar inspirado ou expirado em cada 
respiração normal 
 VRE – Volume de ar que pode ser expirado de maneira 
forçada, após uma expiração normal 
 VR – Volume de ar que permanece nos pulmões, 
mesmo após uma expiração forçada 
 VRI – Volume de ar que pode ser inspirado além do VC 
normal
Capacidades Pulmonares 
 Capacidades Pulmonares são as somas dos volumes 
pulmonares. 
 Capacidade Inspiratória: VC + VRI 
 Capacidade Vital: VC + VRI + VRE 
 Capacidade Funcional Residual: VRE + VR 
 Capacidade Pulmonar Total: CV + VR
PROPRIEDADES ELÁSTICAS DO 
PULMÃO 
1. COMPLACÊNCIA 
2. CURVA PRESSÃO-VOLUME
Forças Elásticas 
Na posição de 
repouso do 
complexo tóraco-pulmonar 
observa-se 
pressão intrapleural 
negativa. 
O gradeado Costal 
exerce uma força de 
expansão e o pulmão, 
ao contrário, imprime 
uma força para se 
retrair. 
Em condições normais, a pressão intrapleural sempre será negativa.
Causas de Redução da 
Complacência 
1. Fibrose Pulmonar 
2. Edema Pulmonar 
3. Atelectasias 
4. Hipertensão Pulmonar Venosa 
 Nessas situações para uma mesma variação 
de volume é necessária uma grande 
variação de pressão.
Causas de Aumento da 
Complacência 
1. Enfisema Pulmonar 
2. Envelhecimento pulmonar 
3. Exacerbação de asma (mecanismo 
desconhecido)
Tensão Superficial e Lei de 
Laplace
Tensão Superficial e Lei de 
Laplace 
11 
22 
33
Tensão Superficial e Lei de 
Laplace 
 1 = Surfactante 
 2 = Tensão Superficial (água) 
 3 = Propriedade elástica dos alvéolos 
.
Tensão Superficial e Lei de 
Laplace
Tensão Superficial e Lei de 
Laplace
Tensão Superficial e Lei de 
Laplace
Tensão Superficial e Lei de 
Laplace 
Conforme a lei de Laplace, as pequenas bolhas descarregam todo o seu conteúdo 
nas bolhas maiores uma vez que, o raio da esfera menor imprime uma grande 
pressão interna. 
No caso dos alvéolos, os menores evacuariam seu conteúdo nos maiores, mas ao 
contrário, eles são extremamente estáveis!!! Como isso ocorre??? 
Graças ao surfactante pulmonar, que diminui acentuadamente a tensão superficial 
dos alvéolos com raios menores em comparação com os de maior raio

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ventilação Mecânica Básica
Ventilação Mecânica Básica Ventilação Mecânica Básica
Ventilação Mecânica Básica
Mariana Artuni Rossi
 
Fisiologia respiratória 2013
Fisiologia respiratória 2013Fisiologia respiratória 2013
Fisiologia respiratória 2013
Grupo Ivan Ervilha
 
Aula 04 de fisiologia ventilação-perfusão
Aula 04 de fisiologia   ventilação-perfusãoAula 04 de fisiologia   ventilação-perfusão
Aula 04 de fisiologia ventilação-perfusão
Flávia Salame
 
Anatomia do sistema respiratório
Anatomia do sistema respiratórioAnatomia do sistema respiratório
Anatomia do sistema respiratório
Flávia Salame
 
Cinesioterapia respiratória e espirometria de incentivo
Cinesioterapia respiratória e espirometria de incentivoCinesioterapia respiratória e espirometria de incentivo
Cinesioterapia respiratória e espirometria de incentivo
Mayara Rodrigues
 
Aula x mecânica respiratória
Aula x  mecânica respiratóriaAula x  mecânica respiratória
Aula x mecânica respiratória
fernando
 
Fisioterapia no paciente crítico
Fisioterapia no paciente críticoFisioterapia no paciente crítico
Fisioterapia no paciente crítico
Fábio Falcão
 
Ventilação Mecânica Não Invasiva
Ventilação Mecânica Não InvasivaVentilação Mecânica Não Invasiva
Ventilação Mecânica Não Invasiva
Fábio Falcão
 
A Fisiologia Do Sistema RespiratóRio
A Fisiologia Do Sistema RespiratóRioA Fisiologia Do Sistema RespiratóRio
A Fisiologia Do Sistema RespiratóRio
Secretaria Municipal da Cidade do Rio de Janeiro
 
Raio x pós graduação
Raio   x pós graduaçãoRaio   x pós graduação
Raio x pós graduação
Iapes Ensino
 
Aula 07 fisiologia - mecanismos da respiração
Aula 07  fisiologia - mecanismos da respiraçãoAula 07  fisiologia - mecanismos da respiração
Aula 07 fisiologia - mecanismos da respiração
Flávia Salame
 
Reflexos
ReflexosReflexos
Reflexos
pauloalambert
 
Exame físico do sist. respiratório
Exame físico do sist. respiratórioExame físico do sist. respiratório
Exame físico do sist. respiratório
resenfe2013
 
Propedêutica pulmonar
Propedêutica pulmonarPropedêutica pulmonar
Propedêutica pulmonar
dapab
 
Propedêutica torácica
Propedêutica torácicaPropedêutica torácica
Propedêutica torácica
pauloalambert
 
Semioliga - Aula Sistema Respiratório (Básica)
Semioliga - Aula Sistema Respiratório (Básica)Semioliga - Aula Sistema Respiratório (Básica)
Semioliga - Aula Sistema Respiratório (Básica)
Gustavo Oliveira
 
Exame físico do Tórax
Exame físico do TóraxExame físico do Tórax
Exame físico do Tórax
pauloalambert
 
Fisiologia cardiaca 2015
Fisiologia cardiaca 2015Fisiologia cardiaca 2015
Fisiologia cardiaca 2015
resenfe2013
 
AVALIAÇÃO FISIOTERAPÊUTICA EM UTI
AVALIAÇÃO FISIOTERAPÊUTICA EM UTIAVALIAÇÃO FISIOTERAPÊUTICA EM UTI
Reabilitação cardíaca
Reabilitação cardíacaReabilitação cardíaca
Reabilitação cardíaca
Universidade Norte do Paraná
 

Mais procurados (20)

Ventilação Mecânica Básica
Ventilação Mecânica Básica Ventilação Mecânica Básica
Ventilação Mecânica Básica
 
Fisiologia respiratória 2013
Fisiologia respiratória 2013Fisiologia respiratória 2013
Fisiologia respiratória 2013
 
Aula 04 de fisiologia ventilação-perfusão
Aula 04 de fisiologia   ventilação-perfusãoAula 04 de fisiologia   ventilação-perfusão
Aula 04 de fisiologia ventilação-perfusão
 
Anatomia do sistema respiratório
Anatomia do sistema respiratórioAnatomia do sistema respiratório
Anatomia do sistema respiratório
 
Cinesioterapia respiratória e espirometria de incentivo
Cinesioterapia respiratória e espirometria de incentivoCinesioterapia respiratória e espirometria de incentivo
Cinesioterapia respiratória e espirometria de incentivo
 
Aula x mecânica respiratória
Aula x  mecânica respiratóriaAula x  mecânica respiratória
Aula x mecânica respiratória
 
Fisioterapia no paciente crítico
Fisioterapia no paciente críticoFisioterapia no paciente crítico
Fisioterapia no paciente crítico
 
Ventilação Mecânica Não Invasiva
Ventilação Mecânica Não InvasivaVentilação Mecânica Não Invasiva
Ventilação Mecânica Não Invasiva
 
A Fisiologia Do Sistema RespiratóRio
A Fisiologia Do Sistema RespiratóRioA Fisiologia Do Sistema RespiratóRio
A Fisiologia Do Sistema RespiratóRio
 
Raio x pós graduação
Raio   x pós graduaçãoRaio   x pós graduação
Raio x pós graduação
 
Aula 07 fisiologia - mecanismos da respiração
Aula 07  fisiologia - mecanismos da respiraçãoAula 07  fisiologia - mecanismos da respiração
Aula 07 fisiologia - mecanismos da respiração
 
Reflexos
ReflexosReflexos
Reflexos
 
Exame físico do sist. respiratório
Exame físico do sist. respiratórioExame físico do sist. respiratório
Exame físico do sist. respiratório
 
Propedêutica pulmonar
Propedêutica pulmonarPropedêutica pulmonar
Propedêutica pulmonar
 
Propedêutica torácica
Propedêutica torácicaPropedêutica torácica
Propedêutica torácica
 
Semioliga - Aula Sistema Respiratório (Básica)
Semioliga - Aula Sistema Respiratório (Básica)Semioliga - Aula Sistema Respiratório (Básica)
Semioliga - Aula Sistema Respiratório (Básica)
 
Exame físico do Tórax
Exame físico do TóraxExame físico do Tórax
Exame físico do Tórax
 
Fisiologia cardiaca 2015
Fisiologia cardiaca 2015Fisiologia cardiaca 2015
Fisiologia cardiaca 2015
 
AVALIAÇÃO FISIOTERAPÊUTICA EM UTI
AVALIAÇÃO FISIOTERAPÊUTICA EM UTIAVALIAÇÃO FISIOTERAPÊUTICA EM UTI
AVALIAÇÃO FISIOTERAPÊUTICA EM UTI
 
Reabilitação cardíaca
Reabilitação cardíacaReabilitação cardíaca
Reabilitação cardíaca
 

Semelhante a Fisiologia pulmonar

Mecanismos da respiração
Mecanismos da respiraçãoMecanismos da respiração
Mecanismos da respiração
Flávia Salame
 
Fisiologia - Sistema Respiratório 2
Fisiologia - Sistema Respiratório 2Fisiologia - Sistema Respiratório 2
Fisiologia - Sistema Respiratório 2
Pedro Miguel
 
Anatomia e fisiologia do sr
Anatomia e fisiologia do srAnatomia e fisiologia do sr
Anatomia e fisiologia do sr
ticigomes2512
 
Você sabe respirar?
Você sabe respirar?Você sabe respirar?
Você sabe respirar?
annedecio
 
Monitoria de anatomia e fisiologia respiratória
Monitoria de anatomia e fisiologia respiratóriaMonitoria de anatomia e fisiologia respiratória
Monitoria de anatomia e fisiologia respiratória
Fisioterapeuta
 
Srespiratorio parte 2
Srespiratorio parte 2Srespiratorio parte 2
Fisiologia respiratória
 Fisiologia respiratória Fisiologia respiratória
Fisiologia respiratória
LdioBarbosa
 
Fisiologia humana
Fisiologia humana Fisiologia humana
Fisiologia humana
Rossana Martins
 
Sistema respiratório humano
Sistema respiratório humanoSistema respiratório humano
Sistema respiratório humano
Werner Mendoza Blanco
 
Biologia Curiosidades dos Sistemas.
Biologia Curiosidades dos Sistemas.Biologia Curiosidades dos Sistemas.
Biologia Curiosidades dos Sistemas.
Kassiane Moreira
 
Metodo inicial de flauta transv
Metodo inicial de flauta transvMetodo inicial de flauta transv
Metodo inicial de flauta transv
Saulo Gomes
 
Aula 05 fisiologia respiratoria mamiferos
Aula 05   fisiologia respiratoria  mamiferosAula 05   fisiologia respiratoria  mamiferos
Aula 05 fisiologia respiratoria mamiferos
Felipe Beijamini
 
FISIOLOGIA RESPIRATÓRIA - uma aula para aprender
FISIOLOGIA RESPIRATÓRIA - uma aula para aprenderFISIOLOGIA RESPIRATÓRIA - uma aula para aprender
FISIOLOGIA RESPIRATÓRIA - uma aula para aprender
deawlopes1
 
Como os seus pulmões trabalham
Como os seus pulmões trabalhamComo os seus pulmões trabalham
Como os seus pulmões trabalham
Régis Pinheiro Martins Bezerra
 
SISTEMA RESPIRATORIO
SISTEMA RESPIRATORIOSISTEMA RESPIRATORIO
SISTEMA RESPIRATORIO
Naahmatoss
 
Sistema respiratório_Lidiane
Sistema respiratório_LidianeSistema respiratório_Lidiane
Sistema respiratório_Lidiane
Marcia Regina
 
SISTEMA RESPIRATÓRIO ANATOMIA
SISTEMA RESPIRATÓRIO ANATOMIASISTEMA RESPIRATÓRIO ANATOMIA
SISTEMA RESPIRATÓRIO ANATOMIA
Naahmatoss
 
Trabalho anatomia sr
Trabalho anatomia srTrabalho anatomia sr
Trabalho anatomia sr
Naahmatoss
 
Semiologia 03 semiologia do aparelho respiratório aplicada
Semiologia 03   semiologia do aparelho respiratório aplicadaSemiologia 03   semiologia do aparelho respiratório aplicada
Semiologia 03 semiologia do aparelho respiratório aplicada
Jucie Vasconcelos
 
Introducao-a-Reanimacao-Cardiopulmonar.pptx
Introducao-a-Reanimacao-Cardiopulmonar.pptxIntroducao-a-Reanimacao-Cardiopulmonar.pptx
Introducao-a-Reanimacao-Cardiopulmonar.pptx
lvaroCosta22
 

Semelhante a Fisiologia pulmonar (20)

Mecanismos da respiração
Mecanismos da respiraçãoMecanismos da respiração
Mecanismos da respiração
 
Fisiologia - Sistema Respiratório 2
Fisiologia - Sistema Respiratório 2Fisiologia - Sistema Respiratório 2
Fisiologia - Sistema Respiratório 2
 
Anatomia e fisiologia do sr
Anatomia e fisiologia do srAnatomia e fisiologia do sr
Anatomia e fisiologia do sr
 
Você sabe respirar?
Você sabe respirar?Você sabe respirar?
Você sabe respirar?
 
Monitoria de anatomia e fisiologia respiratória
Monitoria de anatomia e fisiologia respiratóriaMonitoria de anatomia e fisiologia respiratória
Monitoria de anatomia e fisiologia respiratória
 
Srespiratorio parte 2
Srespiratorio parte 2Srespiratorio parte 2
Srespiratorio parte 2
 
Fisiologia respiratória
 Fisiologia respiratória Fisiologia respiratória
Fisiologia respiratória
 
Fisiologia humana
Fisiologia humana Fisiologia humana
Fisiologia humana
 
Sistema respiratório humano
Sistema respiratório humanoSistema respiratório humano
Sistema respiratório humano
 
Biologia Curiosidades dos Sistemas.
Biologia Curiosidades dos Sistemas.Biologia Curiosidades dos Sistemas.
Biologia Curiosidades dos Sistemas.
 
Metodo inicial de flauta transv
Metodo inicial de flauta transvMetodo inicial de flauta transv
Metodo inicial de flauta transv
 
Aula 05 fisiologia respiratoria mamiferos
Aula 05   fisiologia respiratoria  mamiferosAula 05   fisiologia respiratoria  mamiferos
Aula 05 fisiologia respiratoria mamiferos
 
FISIOLOGIA RESPIRATÓRIA - uma aula para aprender
FISIOLOGIA RESPIRATÓRIA - uma aula para aprenderFISIOLOGIA RESPIRATÓRIA - uma aula para aprender
FISIOLOGIA RESPIRATÓRIA - uma aula para aprender
 
Como os seus pulmões trabalham
Como os seus pulmões trabalhamComo os seus pulmões trabalham
Como os seus pulmões trabalham
 
SISTEMA RESPIRATORIO
SISTEMA RESPIRATORIOSISTEMA RESPIRATORIO
SISTEMA RESPIRATORIO
 
Sistema respiratório_Lidiane
Sistema respiratório_LidianeSistema respiratório_Lidiane
Sistema respiratório_Lidiane
 
SISTEMA RESPIRATÓRIO ANATOMIA
SISTEMA RESPIRATÓRIO ANATOMIASISTEMA RESPIRATÓRIO ANATOMIA
SISTEMA RESPIRATÓRIO ANATOMIA
 
Trabalho anatomia sr
Trabalho anatomia srTrabalho anatomia sr
Trabalho anatomia sr
 
Semiologia 03 semiologia do aparelho respiratório aplicada
Semiologia 03   semiologia do aparelho respiratório aplicadaSemiologia 03   semiologia do aparelho respiratório aplicada
Semiologia 03 semiologia do aparelho respiratório aplicada
 
Introducao-a-Reanimacao-Cardiopulmonar.pptx
Introducao-a-Reanimacao-Cardiopulmonar.pptxIntroducao-a-Reanimacao-Cardiopulmonar.pptx
Introducao-a-Reanimacao-Cardiopulmonar.pptx
 

Mais de José Alexandre Pires de Almeida

Exames laboratoriais parar Fisioterapeutas
Exames laboratoriais parar FisioterapeutasExames laboratoriais parar Fisioterapeutas
Exames laboratoriais parar Fisioterapeutas
José Alexandre Pires de Almeida
 
Pneumonia Associada à Ventilação Mecânica (PAVM)
Pneumonia Associada à Ventilação Mecânica (PAVM)Pneumonia Associada à Ventilação Mecânica (PAVM)
Pneumonia Associada à Ventilação Mecânica (PAVM)
José Alexandre Pires de Almeida
 
Assincronias Ventilatórias
Assincronias VentilatóriasAssincronias Ventilatórias
Assincronias Ventilatórias
José Alexandre Pires de Almeida
 
Desmame da Ventilação Mecânica
Desmame da Ventilação MecânicaDesmame da Ventilação Mecânica
Desmame da Ventilação Mecânica
José Alexandre Pires de Almeida
 
Palestra Novembro Azul - Câncer de Próstata
Palestra Novembro Azul - Câncer de PróstataPalestra Novembro Azul - Câncer de Próstata
Palestra Novembro Azul - Câncer de Próstata
José Alexandre Pires de Almeida
 
Modos Ventilatórios Avançados
Modos Ventilatórios AvançadosModos Ventilatórios Avançados
Modos Ventilatórios Avançados
José Alexandre Pires de Almeida
 
Radiologia do tórax
Radiologia do tóraxRadiologia do tórax
Radiologia do tórax
José Alexandre Pires de Almeida
 
Gasometria Arterial
Gasometria ArterialGasometria Arterial
Insuficiência Respiratória Aguda (IRpA) e Síndrome do Desconforto Respiratóri...
Insuficiência Respiratória Aguda (IRpA) e Síndrome do Desconforto Respiratóri...Insuficiência Respiratória Aguda (IRpA) e Síndrome do Desconforto Respiratóri...
Insuficiência Respiratória Aguda (IRpA) e Síndrome do Desconforto Respiratóri...
José Alexandre Pires de Almeida
 
Ventilação Não Invasiva
Ventilação Não InvasivaVentilação Não Invasiva
Ventilação Não Invasiva
José Alexandre Pires de Almeida
 
Bases do Suporte Ventilatório Artificial nas Unidades de Tratamento Intensivo
Bases do Suporte Ventilatório Artificial nas Unidades de Tratamento IntensivoBases do Suporte Ventilatório Artificial nas Unidades de Tratamento Intensivo
Bases do Suporte Ventilatório Artificial nas Unidades de Tratamento Intensivo
José Alexandre Pires de Almeida
 
Ezpap® sistema de pressão positiva nas vias
Ezpap® sistema de pressão positiva nas viasEzpap® sistema de pressão positiva nas vias
Ezpap® sistema de pressão positiva nas vias
José Alexandre Pires de Almeida
 
Lesão Celular - Dr. José Alexandre P. de Almeida
Lesão Celular - Dr. José Alexandre P. de AlmeidaLesão Celular - Dr. José Alexandre P. de Almeida
Lesão Celular - Dr. José Alexandre P. de Almeida
José Alexandre Pires de Almeida
 
Distúrbios circulatórios - Dr. José Alexandre Pires de Almeida
Distúrbios circulatórios - Dr. José Alexandre Pires de AlmeidaDistúrbios circulatórios - Dr. José Alexandre Pires de Almeida
Distúrbios circulatórios - Dr. José Alexandre Pires de Almeida
José Alexandre Pires de Almeida
 
Oxigenoterapia - Dr. José Alexandre Pires de Almeida
Oxigenoterapia - Dr. José Alexandre Pires de AlmeidaOxigenoterapia - Dr. José Alexandre Pires de Almeida
Oxigenoterapia - Dr. José Alexandre Pires de Almeida
José Alexandre Pires de Almeida
 
Desempenho de Dois Modelos de Predição Prognóstica em Pacientes Críticos na U...
Desempenho de Dois Modelos de Predição Prognóstica em Pacientes Críticos na U...Desempenho de Dois Modelos de Predição Prognóstica em Pacientes Críticos na U...
Desempenho de Dois Modelos de Predição Prognóstica em Pacientes Críticos na U...
José Alexandre Pires de Almeida
 
Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo (SDRA) e a Fisioterapia (josé alex...
Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo (SDRA) e a Fisioterapia (josé alex...Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo (SDRA) e a Fisioterapia (josé alex...
Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo (SDRA) e a Fisioterapia (josé alex...
José Alexandre Pires de Almeida
 
Neurotoxoplasmose
NeurotoxoplasmoseNeurotoxoplasmose
EzPap - Sistema de Pressão Positiva nas Vias Aéreas
EzPap - Sistema de Pressão Positiva nas Vias AéreasEzPap - Sistema de Pressão Positiva nas Vias Aéreas
EzPap - Sistema de Pressão Positiva nas Vias Aéreas
José Alexandre Pires de Almeida
 
Controle neural da ventilação (josé alexandre pires de almeida)
Controle neural da ventilação (josé alexandre pires de almeida)Controle neural da ventilação (josé alexandre pires de almeida)
Controle neural da ventilação (josé alexandre pires de almeida)
José Alexandre Pires de Almeida
 

Mais de José Alexandre Pires de Almeida (20)

Exames laboratoriais parar Fisioterapeutas
Exames laboratoriais parar FisioterapeutasExames laboratoriais parar Fisioterapeutas
Exames laboratoriais parar Fisioterapeutas
 
Pneumonia Associada à Ventilação Mecânica (PAVM)
Pneumonia Associada à Ventilação Mecânica (PAVM)Pneumonia Associada à Ventilação Mecânica (PAVM)
Pneumonia Associada à Ventilação Mecânica (PAVM)
 
Assincronias Ventilatórias
Assincronias VentilatóriasAssincronias Ventilatórias
Assincronias Ventilatórias
 
Desmame da Ventilação Mecânica
Desmame da Ventilação MecânicaDesmame da Ventilação Mecânica
Desmame da Ventilação Mecânica
 
Palestra Novembro Azul - Câncer de Próstata
Palestra Novembro Azul - Câncer de PróstataPalestra Novembro Azul - Câncer de Próstata
Palestra Novembro Azul - Câncer de Próstata
 
Modos Ventilatórios Avançados
Modos Ventilatórios AvançadosModos Ventilatórios Avançados
Modos Ventilatórios Avançados
 
Radiologia do tórax
Radiologia do tóraxRadiologia do tórax
Radiologia do tórax
 
Gasometria Arterial
Gasometria ArterialGasometria Arterial
Gasometria Arterial
 
Insuficiência Respiratória Aguda (IRpA) e Síndrome do Desconforto Respiratóri...
Insuficiência Respiratória Aguda (IRpA) e Síndrome do Desconforto Respiratóri...Insuficiência Respiratória Aguda (IRpA) e Síndrome do Desconforto Respiratóri...
Insuficiência Respiratória Aguda (IRpA) e Síndrome do Desconforto Respiratóri...
 
Ventilação Não Invasiva
Ventilação Não InvasivaVentilação Não Invasiva
Ventilação Não Invasiva
 
Bases do Suporte Ventilatório Artificial nas Unidades de Tratamento Intensivo
Bases do Suporte Ventilatório Artificial nas Unidades de Tratamento IntensivoBases do Suporte Ventilatório Artificial nas Unidades de Tratamento Intensivo
Bases do Suporte Ventilatório Artificial nas Unidades de Tratamento Intensivo
 
Ezpap® sistema de pressão positiva nas vias
Ezpap® sistema de pressão positiva nas viasEzpap® sistema de pressão positiva nas vias
Ezpap® sistema de pressão positiva nas vias
 
Lesão Celular - Dr. José Alexandre P. de Almeida
Lesão Celular - Dr. José Alexandre P. de AlmeidaLesão Celular - Dr. José Alexandre P. de Almeida
Lesão Celular - Dr. José Alexandre P. de Almeida
 
Distúrbios circulatórios - Dr. José Alexandre Pires de Almeida
Distúrbios circulatórios - Dr. José Alexandre Pires de AlmeidaDistúrbios circulatórios - Dr. José Alexandre Pires de Almeida
Distúrbios circulatórios - Dr. José Alexandre Pires de Almeida
 
Oxigenoterapia - Dr. José Alexandre Pires de Almeida
Oxigenoterapia - Dr. José Alexandre Pires de AlmeidaOxigenoterapia - Dr. José Alexandre Pires de Almeida
Oxigenoterapia - Dr. José Alexandre Pires de Almeida
 
Desempenho de Dois Modelos de Predição Prognóstica em Pacientes Críticos na U...
Desempenho de Dois Modelos de Predição Prognóstica em Pacientes Críticos na U...Desempenho de Dois Modelos de Predição Prognóstica em Pacientes Críticos na U...
Desempenho de Dois Modelos de Predição Prognóstica em Pacientes Críticos na U...
 
Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo (SDRA) e a Fisioterapia (josé alex...
Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo (SDRA) e a Fisioterapia (josé alex...Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo (SDRA) e a Fisioterapia (josé alex...
Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo (SDRA) e a Fisioterapia (josé alex...
 
Neurotoxoplasmose
NeurotoxoplasmoseNeurotoxoplasmose
Neurotoxoplasmose
 
EzPap - Sistema de Pressão Positiva nas Vias Aéreas
EzPap - Sistema de Pressão Positiva nas Vias AéreasEzPap - Sistema de Pressão Positiva nas Vias Aéreas
EzPap - Sistema de Pressão Positiva nas Vias Aéreas
 
Controle neural da ventilação (josé alexandre pires de almeida)
Controle neural da ventilação (josé alexandre pires de almeida)Controle neural da ventilação (josé alexandre pires de almeida)
Controle neural da ventilação (josé alexandre pires de almeida)
 

Fisiologia pulmonar

  • 1. FISIOLOGIA PULMONAR MECANISMOS DA RESPIRAÇÃO JOSÉ ALEXANDRE PIRES DE ALMEIDA
  • 3. Sistema Respiratório  Tem por finalidade primária a oxigenação sanguínea viabilizando a produção de energia  Equilíbrio Ácido-Básico  Fonação
  • 8. Zonas de Condução Respiratória
  • 9. Espaço Morto Anatômico, Espaço Morto Fisiológico e Shunt Pulmonar
  • 11. MÚSCULOS DA RESPIRAÇÃO 1. INSPIRAÇÃO 2. EXPIRAÇÃO
  • 12. INSPIRAÇÃO  Principal músculo: Diafragma  CONTRAÇÃO:  Impulsiona as estruturas abdominais para baixo e para frente.  Aumenta a dimensão da cavidade torácica verticalmente.
  • 13. INSPIRAÇÃO - MOVIMENTOS VOLUME CORRENTE = Elevação de 1cm INSPIRAÇÃO FORÇADA = 10 cm
  • 14. INSPIRAÇÃO  Músculos intercostais externos.  Conectam as costelas adjacentes.  Inclina as costelas para baixo e para frente.  Ao contrair-se as costelas são empurradas para cima e para os lados Aumenta o diâmetro ântero-posterior e lateral do tórax.
  • 15. INSPIRAÇÃO - MOVIMENTOS Ocorre aumento dos diâmetros ântero-posterior, crânio-caudal e látero-lateral
  • 17. INSPIRAÇÃO – Músculos Acessórios  Músculos escalenos:  Elevam as duas primeiras costelas.  Músculos esternocleidomastóideos:  Elevam o esterno.  Músculos da Asa do nariz.
  • 18. EXPIRAÇÃO  A fase expiratória é realizada pelo relaxamento muscular e recolhimento elástico passivo pulmonar.  A pressão intrapleural torna-se menos negativa e é parcialmente transmitida aos alvéolos.  A pressão atmosférica é convencionada como ZERO. Na fase inspiratória a pressão alveolar torna-se negativa e na expiratória torna-se positiva.  Essa mudança nas pressões alveolares dera o fluxo inspiratório e expiratório conforme a lei de Poiseuille.
  • 19. EXPIRAÇÃO  Músculos mais importantes -> Os da parede abdominal:  Reto abdominal.  Oblíquos internos e externos.  Transverso abdominal. Quando se contraem a pressão intra-abdominal aumenta. O diafragma é empurrado para cima. Também são forçados durante a tosse, vômito e defecação
  • 20. EXPIRAÇÃO  Músculos intercostais internos:  Auxiliam na expiração ativa puxando as costelas para baixo e para dentro – Reduz o vol. do Tórax.
  • 22. Volumes e Capacidades Pulmonares
  • 23. Volumes Pulmonares  VC – Volume de ar inspirado ou expirado em cada respiração normal  VRE – Volume de ar que pode ser expirado de maneira forçada, após uma expiração normal  VR – Volume de ar que permanece nos pulmões, mesmo após uma expiração forçada  VRI – Volume de ar que pode ser inspirado além do VC normal
  • 24. Capacidades Pulmonares  Capacidades Pulmonares são as somas dos volumes pulmonares.  Capacidade Inspiratória: VC + VRI  Capacidade Vital: VC + VRI + VRE  Capacidade Funcional Residual: VRE + VR  Capacidade Pulmonar Total: CV + VR
  • 25. PROPRIEDADES ELÁSTICAS DO PULMÃO 1. COMPLACÊNCIA 2. CURVA PRESSÃO-VOLUME
  • 26. Forças Elásticas Na posição de repouso do complexo tóraco-pulmonar observa-se pressão intrapleural negativa. O gradeado Costal exerce uma força de expansão e o pulmão, ao contrário, imprime uma força para se retrair. Em condições normais, a pressão intrapleural sempre será negativa.
  • 27. Causas de Redução da Complacência 1. Fibrose Pulmonar 2. Edema Pulmonar 3. Atelectasias 4. Hipertensão Pulmonar Venosa  Nessas situações para uma mesma variação de volume é necessária uma grande variação de pressão.
  • 28. Causas de Aumento da Complacência 1. Enfisema Pulmonar 2. Envelhecimento pulmonar 3. Exacerbação de asma (mecanismo desconhecido)
  • 29. Tensão Superficial e Lei de Laplace
  • 30. Tensão Superficial e Lei de Laplace 11 22 33
  • 31. Tensão Superficial e Lei de Laplace  1 = Surfactante  2 = Tensão Superficial (água)  3 = Propriedade elástica dos alvéolos .
  • 32. Tensão Superficial e Lei de Laplace
  • 33. Tensão Superficial e Lei de Laplace
  • 34. Tensão Superficial e Lei de Laplace
  • 35. Tensão Superficial e Lei de Laplace Conforme a lei de Laplace, as pequenas bolhas descarregam todo o seu conteúdo nas bolhas maiores uma vez que, o raio da esfera menor imprime uma grande pressão interna. No caso dos alvéolos, os menores evacuariam seu conteúdo nos maiores, mas ao contrário, eles são extremamente estáveis!!! Como isso ocorre??? Graças ao surfactante pulmonar, que diminui acentuadamente a tensão superficial dos alvéolos com raios menores em comparação com os de maior raio