SlideShare uma empresa Scribd logo
Agrupamento de Escolas da Quinta do Conde
                         ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DA QUINTA DO CONDE
                   CURSO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS – NÍVEL SECUNDÁRIO
                                                  2011/2012
                           SOCIEDADE, TECNOLOGIA E CIÊNCIA
                                                                                Curso EFA – Nível Secundário
                                                                                          Início em Setembro 2011


                  Área de Competência – Sociedade, Tecnologia e Ciência (STC)
Núcleo gerador 1: Equipamentos – Princípios de funcionamento
Temas: Aspectos do raciocínio matemático fundamentais para a utilização e gestão de equipamentos e sistemas
técnicos
Recursos/materiais: Computador, Recursos Multimédia, BE/CRE, Internet.
Formadores: César Barros/João Novais



                                          Maria João Ramos Nº9
                                    Ficha de Trabalho n.º 2

1. Indique algumas causas gerais de falhas (ou avarias) dos equipamentos. Como as
   poderá reduzir?

          Existe três tipos de falhas (infantis, acidentais e por envelhecimento ou desgaste)
   que ocorrem nos componentes e sistemas reparáveis, mesmo que estes sejam objeto
   de todos os cuidados de armazenamento, manutenção e exploração.
   As falhas infantis, estão associadas a problemas de fabrico e de deficiente controlo de
   qualidade.
          As falhas acidentais são provocadas por fenómenos aleatórios e não são
   possíveis de eliminar qualquer que seja o tipo de manutenção utilizado.
          Finalmente as falha provocadas por desgaste, degradação ou envelhecimento
   podem ser reduzidos (ou mesmo eliminadas) através da manutenção adequada.
          As técnicas da fiabilidade permitem atuar sobre os três tipos de falhas (ou
   avarias). Sobre as falhas infantis observando a sua distribuição e definindo, por
   exemplo, o tempo e o tipo de ensaios. Relativamente às falhas por desgaste o estudo da
   sua distribuição estatística permite definir a melhor periodicidade para a realização das
   intervenções de manutenção. No que se refere às falhas acidentais a aplicação das
   técnicas da fiabilidade possibilita a redução da probabilidade da sua ocorrência.

         As falhas ou avarias dos equipamentos podem ser reduzidas com uma boa
   manutenção. Um equipamento com elevada manutenção, mesmo que avarie, pode ser
   rapidamente reparado e colocado ao serviço, contribuindo para o aumento da
   disponibilidade.
Agrupamento de Escolas da Quinta do Conde
                     ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DA QUINTA DO CONDE
                 CURSO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS – NÍVEL SECUNDÁRIO
                                          2011/2012
                       SOCIEDADE, TECNOLOGIA E CIÊNCIA
                                                                   Curso EFA – Nível Secundário
                                                                              Início em Setembro 2011



2. Considere   a curva de mortalidade (ou curva em banheira), de um equipamento e
   caracterize cada uma das zonas principais do gráfico. Em que período da vida de um
   equipamento é constante a taxa de avarias?

   O ciclo de vida de um equipamento mostra que a taxa de falhas varia com o decorrer do
   tempo, um gráfico que mostra a evolução de um determinado equipamento no período
   de vida útil é conhecido por curva em forma de banheira, é constituído por três zonas
   principais. A zona, de mortalidade infantil, onde a taxa de falhas é decrescente, uma
   segunda zona de vida útil, onde a taxa de falhas é constante e uma zona de
   envelhecimento, onde a taxa de falhas é crescente.



3. Identifiquealgumas causas para a ocorrência de uma elevada taxa de avarias no
   período de “mortalidade infantil” do equipamento. Como as minimizaria?

   Na zona de mortalidade infantil as falhas ocorrem na fase inicial de atividade do
   equipamento e são provocadas por componentes defeituosos, por montagens
   deficientes, insuficiente número de ensaios ou deficiente controlo de qualidade.

   Por isso uma boa qualidade dos componentes e um bom controlo de qualidade iria
   minimizar a “mortalidade infantil”.




4. Enuncie algumas causas para a ocorrência de uma elevada taxa de avarias no período
   de “envelhecimento” do equipamento. Como as minimizaria?

   O “envelhecimento” do equipamento acontece após um determinado número de horas
   de funcionamento o equipamento entra na zona de envelhecimento onde os
   componentes e peças começam a sofrer os efeitos do desgaste. Nesta fase é essencial
   a adequada substituição de peças e de componentes que assim provoca a redução da
   taxa de avarias.
Agrupamento de Escolas da Quinta do Conde
                    ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DA QUINTA DO CONDE
                CURSO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS – NÍVEL SECUNDÁRIO
                                         2011/2012
                      SOCIEDADE, TECNOLOGIA E CIÊNCIA
                                                                  Curso EFA – Nível Secundário
                                                                             Início em Setembro 2011



5. Considere   um equipamento cuja fiabilidade (R), no período de vida útil é dada pela
   expressão R            . Nesse período a sua probabilidade de avaria (F) é dada por
              . Para uma missão de 50 horas e um MTBF de 100 horas, calcular: a) A
   fiabilidade b) A probabilidade de avaria.


   a)

        A fiabilidade é de 0,6

   b)

        A probabilidade de avaria é de 0,4.

6. Na sua condição de consumidor, elabore de modo resumido e fundamentado uma carta
   de reclamação relativamente a um produto que tenha adquirido. Para além da
   identificação do remetente, destinatário, etc., faça uma descrição e uma exposição clara
   do que pretende.
Agrupamento de Escolas da Quinta do Conde
                    ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DA QUINTA DO CONDE
               CURSO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS – NÍVEL SECUNDÁRIO
                                        2011/2012
                     SOCIEDADE, TECNOLOGIA E CIÊNCIA
                                                                 Curso EFA – Nível Secundário
                                                                            Início em Setembro 2011



Maria João Ramos

Rua Das Tristezas n.º 45

9000 Lisboa

Tel. 291-356 938

                                           Eletrodomésticos, Lda. Avenida das Virtudes

                                                     N.º 100 9000 Lisboa Tel. 291-687 867

Assunto: Compra de Frigorífico Com Defeito

Examos. Senhores,

No dia 12 de Novembro de 1999, adquiri no V. estabelecimento comercial denominado
Eletrodomésticos Lda., localizado à Avenida das Virtudes, n.º 100, um frigorífico
conforme fatura n.º 1111111, que junto fotocópia.

Todavia, 2 meses após a compra, verifiquei que o frigorífico não estava a funcionar
nas devidas condições, pois não congelava os alimentos.

Deste modo, venho pela presente carta, denunciar o defeito mencionado, solicitando
que V. Exas. se dignem mandar repará-lo/substituí-lo no prazo de 10 dias, dado que
ainda mantenho o interesse no referido eletrodoméstico, ou Solicitar a V. Ex.º a
redução do preço do bem em causa, ou resolver o contrato celebrado com V. Ex.ª.
Mais informo que procederei à devolução do eletrodoméstico, mediante a restituição
do montante pago.

Entretanto, aguardarei, durante o prazo acima mencionado, uma resposta de V. Exas.,
após que de imediato, farei uso dos mecanismos legais disponíveis para o efeito.

Com os melhores cumprimentos,

Lisboa,27 de Janeiro de 2000



Assinatura

Maria João Ramos

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

STC7
STC7STC7
Direitos e deveres laborais
Direitos e deveres laboraisDireitos e deveres laborais
Direitos e deveres laborais
cattonia
 
CP 1 Fich. Trab. n.º 1 - Liberdade e Responsabilidade Pessoal (1).pdf
CP 1 Fich. Trab. n.º 1 - Liberdade e Responsabilidade Pessoal (1).pdfCP 1 Fich. Trab. n.º 1 - Liberdade e Responsabilidade Pessoal (1).pdf
CP 1 Fich. Trab. n.º 1 - Liberdade e Responsabilidade Pessoal (1).pdf
arodatos81
 
STC5
STC5STC5
Ficha nº 4 STC 1
Ficha nº 4 STC 1Ficha nº 4 STC 1
Ficha nº 4 STC 1
poesiarte
 
Processos Identitários
Processos IdentitáriosProcessos Identitários
Processos Identitários
arturferreira007
 
STC NG5 DR4 Conceição
STC NG5 DR4 ConceiçãoSTC NG5 DR4 Conceição
STC NG5 DR4 Conceição
Alberto Casaca
 
Stc ng3 dr3[1](1
Stc ng3 dr3[1](1Stc ng3 dr3[1](1
Stc ng3 dr3[1](1
Maria
 
Reflexão - STC-7
Reflexão - STC-7 Reflexão - STC-7
Reflexão - STC-7
Sizes & Patterns
 
Resumo STC
Resumo STCResumo STC
Resumo STC
Luis Pedro
 
S.T.C 7 - Ciência e Controvérsias Públicas
S.T.C 7 - Ciência e Controvérsias Públicas S.T.C 7 - Ciência e Controvérsias Públicas
S.T.C 7 - Ciência e Controvérsias Públicas
I.Braz Slideshares
 
Países desenvolvidos vs países em desenvolvimento
Países desenvolvidos vs países em desenvolvimentoPaíses desenvolvidos vs países em desenvolvimento
Países desenvolvidos vs países em desenvolvimento
lidia76
 
Frei Luís de Sousa
Frei Luís de Sousa  Frei Luís de Sousa
Frei Luís de Sousa
CatarinaNeivas
 
Ng4, 5, 6, 7
Ng4, 5, 6, 7Ng4, 5, 6, 7
Ng4, 5, 6, 7
escola
 
Equipamentos E Sistemas TéCnicos Stc
Equipamentos E Sistemas TéCnicos StcEquipamentos E Sistemas TéCnicos Stc
Equipamentos E Sistemas TéCnicos Stc
paulanapalma
 
Efa STC
Efa STCEfa STC
Efa STC
ticstc
 
S.T.C. 7 - O Universo
S.T.C. 7 - O UniversoS.T.C. 7 - O Universo
S.T.C. 7 - O Universo
I.Braz Slideshares
 
Relatório dissecação do coração de porco
Relatório dissecação do coração de porcoRelatório dissecação do coração de porco
Relatório dissecação do coração de porco
Maria Freitas
 
CP 4
CP 4CP 4
Reflexão - STC-6
Reflexão - STC-6Reflexão - STC-6
Reflexão - STC-6
Sizes & Patterns
 

Mais procurados (20)

STC7
STC7STC7
STC7
 
Direitos e deveres laborais
Direitos e deveres laboraisDireitos e deveres laborais
Direitos e deveres laborais
 
CP 1 Fich. Trab. n.º 1 - Liberdade e Responsabilidade Pessoal (1).pdf
CP 1 Fich. Trab. n.º 1 - Liberdade e Responsabilidade Pessoal (1).pdfCP 1 Fich. Trab. n.º 1 - Liberdade e Responsabilidade Pessoal (1).pdf
CP 1 Fich. Trab. n.º 1 - Liberdade e Responsabilidade Pessoal (1).pdf
 
STC5
STC5STC5
STC5
 
Ficha nº 4 STC 1
Ficha nº 4 STC 1Ficha nº 4 STC 1
Ficha nº 4 STC 1
 
Processos Identitários
Processos IdentitáriosProcessos Identitários
Processos Identitários
 
STC NG5 DR4 Conceição
STC NG5 DR4 ConceiçãoSTC NG5 DR4 Conceição
STC NG5 DR4 Conceição
 
Stc ng3 dr3[1](1
Stc ng3 dr3[1](1Stc ng3 dr3[1](1
Stc ng3 dr3[1](1
 
Reflexão - STC-7
Reflexão - STC-7 Reflexão - STC-7
Reflexão - STC-7
 
Resumo STC
Resumo STCResumo STC
Resumo STC
 
S.T.C 7 - Ciência e Controvérsias Públicas
S.T.C 7 - Ciência e Controvérsias Públicas S.T.C 7 - Ciência e Controvérsias Públicas
S.T.C 7 - Ciência e Controvérsias Públicas
 
Países desenvolvidos vs países em desenvolvimento
Países desenvolvidos vs países em desenvolvimentoPaíses desenvolvidos vs países em desenvolvimento
Países desenvolvidos vs países em desenvolvimento
 
Frei Luís de Sousa
Frei Luís de Sousa  Frei Luís de Sousa
Frei Luís de Sousa
 
Ng4, 5, 6, 7
Ng4, 5, 6, 7Ng4, 5, 6, 7
Ng4, 5, 6, 7
 
Equipamentos E Sistemas TéCnicos Stc
Equipamentos E Sistemas TéCnicos StcEquipamentos E Sistemas TéCnicos Stc
Equipamentos E Sistemas TéCnicos Stc
 
Efa STC
Efa STCEfa STC
Efa STC
 
S.T.C. 7 - O Universo
S.T.C. 7 - O UniversoS.T.C. 7 - O Universo
S.T.C. 7 - O Universo
 
Relatório dissecação do coração de porco
Relatório dissecação do coração de porcoRelatório dissecação do coração de porco
Relatório dissecação do coração de porco
 
CP 4
CP 4CP 4
CP 4
 
Reflexão - STC-6
Reflexão - STC-6Reflexão - STC-6
Reflexão - STC-6
 

Destaque

Ficha efa stc 2012
Ficha efa stc 2012Ficha efa stc 2012
Ficha efa stc 2012
jps77
 
Ficha nº2 STC 1
Ficha nº2 STC 1 Ficha nº2 STC 1
Ficha nº2 STC 1
poesiarte
 
Stc7 dr1 fundamentos_dna_josé simões
Stc7 dr1 fundamentos_dna_josé simõesStc7 dr1 fundamentos_dna_josé simões
Stc7 dr1 fundamentos_dna_josé simões
Jose Simoes
 
Guião stc7 e clc7 dr3(proposta)
Guião stc7 e  clc7 dr3(proposta)Guião stc7 e  clc7 dr3(proposta)
Guião stc7 e clc7 dr3(proposta)
Belmira Lourenço
 
Ficha Sociedade Tecnologia e Ciencia
Ficha Sociedade Tecnologia e CienciaFicha Sociedade Tecnologia e Ciencia
Ficha Sociedade Tecnologia e Ciencia
miguelefa
 
Stc Rvcc
Stc RvccStc Rvcc
Stc Rvcc
cris80
 
ReflexãO Dr1 Stc Marco
ReflexãO Dr1 Stc MarcoReflexãO Dr1 Stc Marco
ReflexãO Dr1 Stc Marco
mega
 
Ciência e controvérsias públicas
Ciência e controvérsias públicasCiência e controvérsias públicas
Ciência e controvérsias públicas
Jose Coelho
 
STC NG4 Gestao Economia
STC NG4 Gestao EconomiaSTC NG4 Gestao Economia
STC NG4 Gestao Economia
Alberto Casaca
 
ApresentaçãO Final Referencial Stc Clc
ApresentaçãO Final Referencial Stc  ClcApresentaçãO Final Referencial Stc  Clc
ApresentaçãO Final Referencial Stc Clc
Pedro Félix
 
Ng7 Dr2
Ng7 Dr2Ng7 Dr2
Ng7 Dr2
nebur69
 
Refexao - STC Marco Dr1 Tic
Refexao - STC Marco Dr1 TicRefexao - STC Marco Dr1 Tic
Refexao - STC Marco Dr1 Tic
mega
 
ApresentaçãO Final Referencial Stc Clc Nov
ApresentaçãO Final Referencial Stc  Clc NovApresentaçãO Final Referencial Stc  Clc Nov
ApresentaçãO Final Referencial Stc Clc Nov
Pedro Félix
 
O que é o adn
O que é o adnO que é o adn
O que é o adn
stcnsaidjv
 
Equipamentos e Sistemas Técnicos dr2
Equipamentos e Sistemas Técnicos dr2Equipamentos e Sistemas Técnicos dr2
Equipamentos e Sistemas Técnicos dr2
Vitor Pereira
 
Stc 7 o universo
Stc 7 o universoStc 7 o universo
Stc 7 o universo
makogmz
 
Ng 7 Dr1 Tecnologia Marco STC
Ng 7 Dr1 Tecnologia Marco STCNg 7 Dr1 Tecnologia Marco STC
Ng 7 Dr1 Tecnologia Marco STC
mega
 
Stc 6 reflexão_silvia_fernandes
Stc 6 reflexão_silvia_fernandesStc 6 reflexão_silvia_fernandes
Stc 6 reflexão_silvia_fernandes
SILVIA G. FERNANDES
 
Proposta de trabalho ficha nº2
Proposta de trabalho ficha nº2Proposta de trabalho ficha nº2
Proposta de trabalho ficha nº2
turmab
 
8 ficha efa stc2_3[1]_luis_moura_r[1]
8 ficha efa stc2_3[1]_luis_moura_r[1]8 ficha efa stc2_3[1]_luis_moura_r[1]
8 ficha efa stc2_3[1]_luis_moura_r[1]
luismoura1957
 

Destaque (20)

Ficha efa stc 2012
Ficha efa stc 2012Ficha efa stc 2012
Ficha efa stc 2012
 
Ficha nº2 STC 1
Ficha nº2 STC 1 Ficha nº2 STC 1
Ficha nº2 STC 1
 
Stc7 dr1 fundamentos_dna_josé simões
Stc7 dr1 fundamentos_dna_josé simõesStc7 dr1 fundamentos_dna_josé simões
Stc7 dr1 fundamentos_dna_josé simões
 
Guião stc7 e clc7 dr3(proposta)
Guião stc7 e  clc7 dr3(proposta)Guião stc7 e  clc7 dr3(proposta)
Guião stc7 e clc7 dr3(proposta)
 
Ficha Sociedade Tecnologia e Ciencia
Ficha Sociedade Tecnologia e CienciaFicha Sociedade Tecnologia e Ciencia
Ficha Sociedade Tecnologia e Ciencia
 
Stc Rvcc
Stc RvccStc Rvcc
Stc Rvcc
 
ReflexãO Dr1 Stc Marco
ReflexãO Dr1 Stc MarcoReflexãO Dr1 Stc Marco
ReflexãO Dr1 Stc Marco
 
Ciência e controvérsias públicas
Ciência e controvérsias públicasCiência e controvérsias públicas
Ciência e controvérsias públicas
 
STC NG4 Gestao Economia
STC NG4 Gestao EconomiaSTC NG4 Gestao Economia
STC NG4 Gestao Economia
 
ApresentaçãO Final Referencial Stc Clc
ApresentaçãO Final Referencial Stc  ClcApresentaçãO Final Referencial Stc  Clc
ApresentaçãO Final Referencial Stc Clc
 
Ng7 Dr2
Ng7 Dr2Ng7 Dr2
Ng7 Dr2
 
Refexao - STC Marco Dr1 Tic
Refexao - STC Marco Dr1 TicRefexao - STC Marco Dr1 Tic
Refexao - STC Marco Dr1 Tic
 
ApresentaçãO Final Referencial Stc Clc Nov
ApresentaçãO Final Referencial Stc  Clc NovApresentaçãO Final Referencial Stc  Clc Nov
ApresentaçãO Final Referencial Stc Clc Nov
 
O que é o adn
O que é o adnO que é o adn
O que é o adn
 
Equipamentos e Sistemas Técnicos dr2
Equipamentos e Sistemas Técnicos dr2Equipamentos e Sistemas Técnicos dr2
Equipamentos e Sistemas Técnicos dr2
 
Stc 7 o universo
Stc 7 o universoStc 7 o universo
Stc 7 o universo
 
Ng 7 Dr1 Tecnologia Marco STC
Ng 7 Dr1 Tecnologia Marco STCNg 7 Dr1 Tecnologia Marco STC
Ng 7 Dr1 Tecnologia Marco STC
 
Stc 6 reflexão_silvia_fernandes
Stc 6 reflexão_silvia_fernandesStc 6 reflexão_silvia_fernandes
Stc 6 reflexão_silvia_fernandes
 
Proposta de trabalho ficha nº2
Proposta de trabalho ficha nº2Proposta de trabalho ficha nº2
Proposta de trabalho ficha nº2
 
8 ficha efa stc2_3[1]_luis_moura_r[1]
8 ficha efa stc2_3[1]_luis_moura_r[1]8 ficha efa stc2_3[1]_luis_moura_r[1]
8 ficha efa stc2_3[1]_luis_moura_r[1]
 

Semelhante a ficha elaborada na disciplina de STC

9 ficha_efa_stc1_2_2012_maria_joão_r.docx_
 9 ficha_efa_stc1_2_2012_maria_joão_r.docx_ 9 ficha_efa_stc1_2_2012_maria_joão_r.docx_
9 ficha_efa_stc1_2_2012_maria_joão_r.docx_
mariajoao500
 
Ficha STC
Ficha STCFicha STC
Ficha STC
iuriri
 
Ficha efa stc1_2_2012_equipamentos luis moura
Ficha efa stc1_2_2012_equipamentos luis mouraFicha efa stc1_2_2012_equipamentos luis moura
Ficha efa stc1_2_2012_equipamentos luis moura
luismoura1957
 
Ficha efa stc1_2_2012
Ficha efa stc1_2_2012Ficha efa stc1_2_2012
Ficha efa stc1_2_2012
jps77
 
Stc1 ficha nº 2
Stc1 ficha nº 2Stc1 ficha nº 2
Stc1 ficha nº 2
poesiarte
 
12 ficha efa_stc1_2_2012_ovidio_r (1)
12 ficha efa_stc1_2_2012_ovidio_r (1)12 ficha efa_stc1_2_2012_ovidio_r (1)
12 ficha efa_stc1_2_2012_ovidio_r (1)
OvidioMauricio
 
Ficha efa stc1_4
Ficha efa stc1_4Ficha efa stc1_4
Ficha efa stc1_4
pintas45
 
Ficha EFA STC1 nº4
Ficha EFA STC1 nº4Ficha EFA STC1 nº4
Ficha EFA STC1 nº4
Secundario16
 
Ficha efa stc1_4[1] moura
Ficha efa stc1_4[1] mouraFicha efa stc1_4[1] moura
Ficha efa stc1_4[1] moura
luismoura1957
 
Relatório de estágio projeto salobo
Relatório de estágio   projeto saloboRelatório de estágio   projeto salobo
Relatório de estágio projeto salobo
Mércia Regina da Silva
 
Corrosao tratamento de_superficies
Corrosao tratamento de_superficiesCorrosao tratamento de_superficies
Corrosao tratamento de_superficies
Ademilson Nogueira
 
apostila corro.pdf
apostila corro.pdfapostila corro.pdf
apostila corro.pdf
ricadaCruzAraujo
 
9 ficha efa_stc1_3_2012_maria joao_r corrigido
9 ficha efa_stc1_3_2012_maria joao_r corrigido9 ficha efa_stc1_3_2012_maria joao_r corrigido
9 ficha efa_stc1_3_2012_maria joao_r corrigido
mariajoao500
 
Ficha 3
Ficha 3Ficha 3
Ficha 3
luisduarte89
 
ANÁLISE DE RISCOS.pdf
ANÁLISE DE RISCOS.pdfANÁLISE DE RISCOS.pdf
ANÁLISE DE RISCOS.pdf
ALINESOARESFONSECA
 
Ficha efa stc_4
Ficha efa stc_4Ficha efa stc_4
Ficha efa stc_4
efasecundario17
 
ManualSeg.BoasPráticas_EPH.pdf
ManualSeg.BoasPráticas_EPH.pdfManualSeg.BoasPráticas_EPH.pdf
ManualSeg.BoasPráticas_EPH.pdf
Rúben Viana
 
Projecto plano prevenção e emergeência
Projecto   plano prevenção e emergeênciaProjecto   plano prevenção e emergeência
Projecto plano prevenção e emergeência
Fernando Pereira
 
Guia estagio 2011.2
Guia estagio 2011.2Guia estagio 2011.2
Guia estagio 2011.2
Alessandra Azevedo
 
Material hotelaria
Material hotelariaMaterial hotelaria
Material hotelaria
Nutricionista Cláudia Gomes
 

Semelhante a ficha elaborada na disciplina de STC (20)

9 ficha_efa_stc1_2_2012_maria_joão_r.docx_
 9 ficha_efa_stc1_2_2012_maria_joão_r.docx_ 9 ficha_efa_stc1_2_2012_maria_joão_r.docx_
9 ficha_efa_stc1_2_2012_maria_joão_r.docx_
 
Ficha STC
Ficha STCFicha STC
Ficha STC
 
Ficha efa stc1_2_2012_equipamentos luis moura
Ficha efa stc1_2_2012_equipamentos luis mouraFicha efa stc1_2_2012_equipamentos luis moura
Ficha efa stc1_2_2012_equipamentos luis moura
 
Ficha efa stc1_2_2012
Ficha efa stc1_2_2012Ficha efa stc1_2_2012
Ficha efa stc1_2_2012
 
Stc1 ficha nº 2
Stc1 ficha nº 2Stc1 ficha nº 2
Stc1 ficha nº 2
 
12 ficha efa_stc1_2_2012_ovidio_r (1)
12 ficha efa_stc1_2_2012_ovidio_r (1)12 ficha efa_stc1_2_2012_ovidio_r (1)
12 ficha efa_stc1_2_2012_ovidio_r (1)
 
Ficha efa stc1_4
Ficha efa stc1_4Ficha efa stc1_4
Ficha efa stc1_4
 
Ficha EFA STC1 nº4
Ficha EFA STC1 nº4Ficha EFA STC1 nº4
Ficha EFA STC1 nº4
 
Ficha efa stc1_4[1] moura
Ficha efa stc1_4[1] mouraFicha efa stc1_4[1] moura
Ficha efa stc1_4[1] moura
 
Relatório de estágio projeto salobo
Relatório de estágio   projeto saloboRelatório de estágio   projeto salobo
Relatório de estágio projeto salobo
 
Corrosao tratamento de_superficies
Corrosao tratamento de_superficiesCorrosao tratamento de_superficies
Corrosao tratamento de_superficies
 
apostila corro.pdf
apostila corro.pdfapostila corro.pdf
apostila corro.pdf
 
9 ficha efa_stc1_3_2012_maria joao_r corrigido
9 ficha efa_stc1_3_2012_maria joao_r corrigido9 ficha efa_stc1_3_2012_maria joao_r corrigido
9 ficha efa_stc1_3_2012_maria joao_r corrigido
 
Ficha 3
Ficha 3Ficha 3
Ficha 3
 
ANÁLISE DE RISCOS.pdf
ANÁLISE DE RISCOS.pdfANÁLISE DE RISCOS.pdf
ANÁLISE DE RISCOS.pdf
 
Ficha efa stc_4
Ficha efa stc_4Ficha efa stc_4
Ficha efa stc_4
 
ManualSeg.BoasPráticas_EPH.pdf
ManualSeg.BoasPráticas_EPH.pdfManualSeg.BoasPráticas_EPH.pdf
ManualSeg.BoasPráticas_EPH.pdf
 
Projecto plano prevenção e emergeência
Projecto   plano prevenção e emergeênciaProjecto   plano prevenção e emergeência
Projecto plano prevenção e emergeência
 
Guia estagio 2011.2
Guia estagio 2011.2Guia estagio 2011.2
Guia estagio 2011.2
 
Material hotelaria
Material hotelariaMaterial hotelaria
Material hotelaria
 

Mais de mariajoao500

Coco chanel
Coco chanelCoco chanel
Coco chanel
mariajoao500
 
Manual de utilização da Panela Mágica
Manual de utilização da Panela MágicaManual de utilização da Panela Mágica
Manual de utilização da Panela Mágica
mariajoao500
 
Clc 1. equipamentos
Clc 1. equipamentosClc 1. equipamentos
Clc 1. equipamentos
mariajoao500
 
Fluxos migratórios
Fluxos migratórios Fluxos migratórios
Fluxos migratórios
mariajoao500
 
Máquina de Lavar Roupa
 Máquina de Lavar Roupa Máquina de Lavar Roupa
Máquina de Lavar Roupa
mariajoao500
 
Tempo sem tempo
Tempo sem tempoTempo sem tempo
Tempo sem tempo
mariajoao500
 
Saving tips final
Saving tips finalSaving tips final
Saving tips final
mariajoao500
 
Como criar um blog
Como criar um blog Como criar um blog
Como criar um blog
mariajoao500
 
Saving tips
Saving tips Saving tips
Saving tips
mariajoao500
 
Wall.E – Film Review
Wall.E – Film ReviewWall.E – Film Review
Wall.E – Film Review
mariajoao500
 
Wall.E – Film Review
 Wall.E – Film Review Wall.E – Film Review
Wall.E – Film Review
mariajoao500
 
Como fazer um trabalho escrito maria joão
Como fazer um trabalho escrito maria joãoComo fazer um trabalho escrito maria joão
Como fazer um trabalho escrito maria joão
mariajoao500
 
09 maria joao_etica_cp5
09 maria joao_etica_cp509 maria joao_etica_cp5
09 maria joao_etica_cp5
mariajoao500
 
A invenção da roda
A invenção da rodaA invenção da roda
A invenção da roda
mariajoao500
 

Mais de mariajoao500 (14)

Coco chanel
Coco chanelCoco chanel
Coco chanel
 
Manual de utilização da Panela Mágica
Manual de utilização da Panela MágicaManual de utilização da Panela Mágica
Manual de utilização da Panela Mágica
 
Clc 1. equipamentos
Clc 1. equipamentosClc 1. equipamentos
Clc 1. equipamentos
 
Fluxos migratórios
Fluxos migratórios Fluxos migratórios
Fluxos migratórios
 
Máquina de Lavar Roupa
 Máquina de Lavar Roupa Máquina de Lavar Roupa
Máquina de Lavar Roupa
 
Tempo sem tempo
Tempo sem tempoTempo sem tempo
Tempo sem tempo
 
Saving tips final
Saving tips finalSaving tips final
Saving tips final
 
Como criar um blog
Como criar um blog Como criar um blog
Como criar um blog
 
Saving tips
Saving tips Saving tips
Saving tips
 
Wall.E – Film Review
Wall.E – Film ReviewWall.E – Film Review
Wall.E – Film Review
 
Wall.E – Film Review
 Wall.E – Film Review Wall.E – Film Review
Wall.E – Film Review
 
Como fazer um trabalho escrito maria joão
Como fazer um trabalho escrito maria joãoComo fazer um trabalho escrito maria joão
Como fazer um trabalho escrito maria joão
 
09 maria joao_etica_cp5
09 maria joao_etica_cp509 maria joao_etica_cp5
09 maria joao_etica_cp5
 
A invenção da roda
A invenção da rodaA invenção da roda
A invenção da roda
 

ficha elaborada na disciplina de STC

  • 1. Agrupamento de Escolas da Quinta do Conde ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DA QUINTA DO CONDE CURSO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS – NÍVEL SECUNDÁRIO 2011/2012 SOCIEDADE, TECNOLOGIA E CIÊNCIA Curso EFA – Nível Secundário Início em Setembro 2011 Área de Competência – Sociedade, Tecnologia e Ciência (STC) Núcleo gerador 1: Equipamentos – Princípios de funcionamento Temas: Aspectos do raciocínio matemático fundamentais para a utilização e gestão de equipamentos e sistemas técnicos Recursos/materiais: Computador, Recursos Multimédia, BE/CRE, Internet. Formadores: César Barros/João Novais Maria João Ramos Nº9 Ficha de Trabalho n.º 2 1. Indique algumas causas gerais de falhas (ou avarias) dos equipamentos. Como as poderá reduzir? Existe três tipos de falhas (infantis, acidentais e por envelhecimento ou desgaste) que ocorrem nos componentes e sistemas reparáveis, mesmo que estes sejam objeto de todos os cuidados de armazenamento, manutenção e exploração. As falhas infantis, estão associadas a problemas de fabrico e de deficiente controlo de qualidade. As falhas acidentais são provocadas por fenómenos aleatórios e não são possíveis de eliminar qualquer que seja o tipo de manutenção utilizado. Finalmente as falha provocadas por desgaste, degradação ou envelhecimento podem ser reduzidos (ou mesmo eliminadas) através da manutenção adequada. As técnicas da fiabilidade permitem atuar sobre os três tipos de falhas (ou avarias). Sobre as falhas infantis observando a sua distribuição e definindo, por exemplo, o tempo e o tipo de ensaios. Relativamente às falhas por desgaste o estudo da sua distribuição estatística permite definir a melhor periodicidade para a realização das intervenções de manutenção. No que se refere às falhas acidentais a aplicação das técnicas da fiabilidade possibilita a redução da probabilidade da sua ocorrência. As falhas ou avarias dos equipamentos podem ser reduzidas com uma boa manutenção. Um equipamento com elevada manutenção, mesmo que avarie, pode ser rapidamente reparado e colocado ao serviço, contribuindo para o aumento da disponibilidade.
  • 2. Agrupamento de Escolas da Quinta do Conde ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DA QUINTA DO CONDE CURSO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS – NÍVEL SECUNDÁRIO 2011/2012 SOCIEDADE, TECNOLOGIA E CIÊNCIA Curso EFA – Nível Secundário Início em Setembro 2011 2. Considere a curva de mortalidade (ou curva em banheira), de um equipamento e caracterize cada uma das zonas principais do gráfico. Em que período da vida de um equipamento é constante a taxa de avarias? O ciclo de vida de um equipamento mostra que a taxa de falhas varia com o decorrer do tempo, um gráfico que mostra a evolução de um determinado equipamento no período de vida útil é conhecido por curva em forma de banheira, é constituído por três zonas principais. A zona, de mortalidade infantil, onde a taxa de falhas é decrescente, uma segunda zona de vida útil, onde a taxa de falhas é constante e uma zona de envelhecimento, onde a taxa de falhas é crescente. 3. Identifiquealgumas causas para a ocorrência de uma elevada taxa de avarias no período de “mortalidade infantil” do equipamento. Como as minimizaria? Na zona de mortalidade infantil as falhas ocorrem na fase inicial de atividade do equipamento e são provocadas por componentes defeituosos, por montagens deficientes, insuficiente número de ensaios ou deficiente controlo de qualidade. Por isso uma boa qualidade dos componentes e um bom controlo de qualidade iria minimizar a “mortalidade infantil”. 4. Enuncie algumas causas para a ocorrência de uma elevada taxa de avarias no período de “envelhecimento” do equipamento. Como as minimizaria? O “envelhecimento” do equipamento acontece após um determinado número de horas de funcionamento o equipamento entra na zona de envelhecimento onde os componentes e peças começam a sofrer os efeitos do desgaste. Nesta fase é essencial a adequada substituição de peças e de componentes que assim provoca a redução da taxa de avarias.
  • 3. Agrupamento de Escolas da Quinta do Conde ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DA QUINTA DO CONDE CURSO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS – NÍVEL SECUNDÁRIO 2011/2012 SOCIEDADE, TECNOLOGIA E CIÊNCIA Curso EFA – Nível Secundário Início em Setembro 2011 5. Considere um equipamento cuja fiabilidade (R), no período de vida útil é dada pela expressão R . Nesse período a sua probabilidade de avaria (F) é dada por . Para uma missão de 50 horas e um MTBF de 100 horas, calcular: a) A fiabilidade b) A probabilidade de avaria. a) A fiabilidade é de 0,6 b) A probabilidade de avaria é de 0,4. 6. Na sua condição de consumidor, elabore de modo resumido e fundamentado uma carta de reclamação relativamente a um produto que tenha adquirido. Para além da identificação do remetente, destinatário, etc., faça uma descrição e uma exposição clara do que pretende.
  • 4. Agrupamento de Escolas da Quinta do Conde ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DA QUINTA DO CONDE CURSO DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS – NÍVEL SECUNDÁRIO 2011/2012 SOCIEDADE, TECNOLOGIA E CIÊNCIA Curso EFA – Nível Secundário Início em Setembro 2011 Maria João Ramos Rua Das Tristezas n.º 45 9000 Lisboa Tel. 291-356 938 Eletrodomésticos, Lda. Avenida das Virtudes N.º 100 9000 Lisboa Tel. 291-687 867 Assunto: Compra de Frigorífico Com Defeito Examos. Senhores, No dia 12 de Novembro de 1999, adquiri no V. estabelecimento comercial denominado Eletrodomésticos Lda., localizado à Avenida das Virtudes, n.º 100, um frigorífico conforme fatura n.º 1111111, que junto fotocópia. Todavia, 2 meses após a compra, verifiquei que o frigorífico não estava a funcionar nas devidas condições, pois não congelava os alimentos. Deste modo, venho pela presente carta, denunciar o defeito mencionado, solicitando que V. Exas. se dignem mandar repará-lo/substituí-lo no prazo de 10 dias, dado que ainda mantenho o interesse no referido eletrodoméstico, ou Solicitar a V. Ex.º a redução do preço do bem em causa, ou resolver o contrato celebrado com V. Ex.ª. Mais informo que procederei à devolução do eletrodoméstico, mediante a restituição do montante pago. Entretanto, aguardarei, durante o prazo acima mencionado, uma resposta de V. Exas., após que de imediato, farei uso dos mecanismos legais disponíveis para o efeito. Com os melhores cumprimentos, Lisboa,27 de Janeiro de 2000 Assinatura Maria João Ramos