SlideShare uma empresa Scribd logo
FORMATIVA
Português – 12º ano – Turma A
2ª Ficha – 1º Período (novembro de 2011)


                                    Questões de tipologia de Grupo I/ A

Ex. 1: Leia atentamente o seguinte poema:
XXII
Como quem num dia de verão abre a porta de casa
E espreita para o calor dos campos com a cara toda,                Quando o verão nos passa pela cara
Às vezes de repente, bate-me a natureza de chapa                   A mão leve e quente de sua brisa,
Na cara dos meus sentidos,                                         Só tenho que sentir agrado porque é brisa
E eu fico confuso, perturbado, querendo perceber                   Ou que sentir desagrado porque é quente,
Não sei bem como nem o quê…                                        E de qualquer maneira que eu o sinta,
                                                                   Assim, porque assim o sinto, é que é senti-lo...
Mas quem me mandou a mim querer perceber?
Quem me disse que havia que perceber?                              Alberto Caeiro, O guardador de rebanhos

Apresente, de forma bem estruturada, as suas respostas ao questionário que se segue.
    1. Releia os primeiros quatro versos. Caracterize a perceção que o “eu” tem da “Natureza”.

    2. Descreva o estado de espírito do “eu” tal como é expresso nos versos 5 e 6.


    3. Explicite a relevância das perguntas que constituem a segunda estrofe.

   4. “Quando o verão nos passa pela cara/ A mão leve e quente de sua brisa,” (vv. 9-10).
Refira dois dos valores expressivos da personificação presente nos versos transcritos.

    5. Comente o sentido do último verso enquanto conclusão do poema.

Ex. 2: Leia atentamente o seguinte poema:
Segue o teu destino,                              Vê de longe a vida.
Rega as tuas plantas,                             Nunca a interrogues.
Ama as tuas rosas.                                Ela nada pode
O resto é a sombra                                Dizer-te. A resposta
De árvores alheias.                               Está além dos deuses.

A realidade                                       Mas serenamente
Sempre é mais ou menos                            Imita o Olimpo
Do que nós queremos.                              No teu coração.
Só nós somos sempre                               Os deuses são deuses
Iguais a nós-próprios.                            Porque não se pensam.

Suave é viver só.
Grande e nobre é sempre
Viver simplesmente.
Deixa a dor nas aras                                      Ricardo Reis
Como ex-voto aos deuses.

Apresente, de forma bem estruturada, as suas respostas ao questionário que se segue.



                                                                                                    ANO LECTIVO 2011-2012
PÁGINA - 2




   1. Indique três regras da arte de viver, justificando com expressões do poema.

   2. Mostre em que medida se diferencia a realidade daquilo que somos.


   3. Para Ricardo Reis a apatia (a indiferença) é o ideal ético, é o comportamento que convém
      seguir na vida. Escolha a expressão que melhor exprime essa apatia, justificando a sua
      escolha.


                              Questões de tipologia de Grupo I/ B

Ex. 1:
“O ato poético por excelência, diz Pessoa, resulta de um processo de despersonalização de emoções e
sentimentos, não necessariamente coincidentes com os do artista, implicando, no mais alto grau, o
desdobramento do autor em várias personalidades poéticas.”
                   Maria Teresa Schiappa de Azevedo, “Em torno do poeta fingidor” in Os rostos de Pessoa, Coimbra

Num texto de oitenta a cento e trinta palavras, exponha a sua perspetiva de leitura, a partir da
análise da afirmação acima.

Ex. 2:


                                           Partindo do estudo da obra pessoana, apresenta a tua
                                           leitura da imagem ao lado, num texto de oitenta a cento e
                                           trinta palavras.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Autopsicografia e Isto
Autopsicografia e IstoAutopsicografia e Isto
Autopsicografia e Isto
Paula Oliveira Cruz
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 85-86
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 85-86Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 85-86
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 85-86
luisprista
 
Fernando Pessoa
Fernando PessoaFernando Pessoa
Fernando Pessoa
Naisha Br
 
Análise de textos poéticos
Análise de textos poéticosAnálise de textos poéticos
Análise de textos poéticos
José Alexandre Dos Santos
 
Carta sobre a génese de «mensagem»
Carta sobre a génese de «mensagem»Carta sobre a génese de «mensagem»
Carta sobre a génese de «mensagem»
António Fraga
 
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/PoéticoFernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Alexandra Canané
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 82
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 82Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 82
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 82
luisprista
 
Viajar! Perder Países! Fernando Pessoa
Viajar! Perder Países! Fernando PessoaViajar! Perder Países! Fernando Pessoa
Viajar! Perder Países! Fernando Pessoa
Maria Rebelo
 
AntóNio GedeãO (ExposiçãO Pelo 9 º Ano De 2006 2007)
AntóNio GedeãO (ExposiçãO Pelo 9 º Ano De 2006 2007)AntóNio GedeãO (ExposiçãO Pelo 9 º Ano De 2006 2007)
AntóNio GedeãO (ExposiçãO Pelo 9 º Ano De 2006 2007)
luisprista
 
ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 44
ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 44ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 44
ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 44
luisprista
 
Farrapos de poesia e som com f.pessoa
Farrapos de poesia e som com f.pessoaFarrapos de poesia e som com f.pessoa
Farrapos de poesia e som com f.pessoa
archibald29
 
Análise do poema Nao sei quantas almas tenho
Análise do poema Nao sei quantas almas tenhoAnálise do poema Nao sei quantas almas tenho
Análise do poema Nao sei quantas almas tenho
Ricardo Santos
 
A métrica e a rima
A métrica e a rimaA métrica e a rima
A métrica e a rima
Isabel DA COSTA
 
A caeiro mestre heterónimos
A caeiro   mestre heterónimosA caeiro   mestre heterónimos
A caeiro mestre heterónimos
lenaeira
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 75-76
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 75-76Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 75-76
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 75-76
luisprista
 
Análise de poemas
Análise de poemasAnálise de poemas
Análise de poemas
Ana Clara San
 
Fernando pessoa poemas fundamentais
Fernando pessoa poemas fundamentaisFernando pessoa poemas fundamentais
Fernando pessoa poemas fundamentais
Adalberto Diogo
 
13557335 teste-pessoa
13557335 teste-pessoa13557335 teste-pessoa
13557335 teste-pessoa
filipa silva
 
Contextualização fernando pessoa
Contextualização fernando pessoaContextualização fernando pessoa
Contextualização fernando pessoa
Ana Isabel Acciaioli
 
Fernando pessoa poema
Fernando pessoa   poemaFernando pessoa   poema
Fernando pessoa poema
Elvis Alexandrino
 

Mais procurados (20)

Autopsicografia e Isto
Autopsicografia e IstoAutopsicografia e Isto
Autopsicografia e Isto
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 85-86
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 85-86Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 85-86
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 85-86
 
Fernando Pessoa
Fernando PessoaFernando Pessoa
Fernando Pessoa
 
Análise de textos poéticos
Análise de textos poéticosAnálise de textos poéticos
Análise de textos poéticos
 
Carta sobre a génese de «mensagem»
Carta sobre a génese de «mensagem»Carta sobre a génese de «mensagem»
Carta sobre a génese de «mensagem»
 
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/PoéticoFernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 82
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 82Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 82
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 82
 
Viajar! Perder Países! Fernando Pessoa
Viajar! Perder Países! Fernando PessoaViajar! Perder Países! Fernando Pessoa
Viajar! Perder Países! Fernando Pessoa
 
AntóNio GedeãO (ExposiçãO Pelo 9 º Ano De 2006 2007)
AntóNio GedeãO (ExposiçãO Pelo 9 º Ano De 2006 2007)AntóNio GedeãO (ExposiçãO Pelo 9 º Ano De 2006 2007)
AntóNio GedeãO (ExposiçãO Pelo 9 º Ano De 2006 2007)
 
ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 44
ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 44ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 44
ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 44
 
Farrapos de poesia e som com f.pessoa
Farrapos de poesia e som com f.pessoaFarrapos de poesia e som com f.pessoa
Farrapos de poesia e som com f.pessoa
 
Análise do poema Nao sei quantas almas tenho
Análise do poema Nao sei quantas almas tenhoAnálise do poema Nao sei quantas almas tenho
Análise do poema Nao sei quantas almas tenho
 
A métrica e a rima
A métrica e a rimaA métrica e a rima
A métrica e a rima
 
A caeiro mestre heterónimos
A caeiro   mestre heterónimosA caeiro   mestre heterónimos
A caeiro mestre heterónimos
 
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 75-76
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 75-76Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 75-76
Apresentação para décimo segundo ano de 2013 4, aula 75-76
 
Análise de poemas
Análise de poemasAnálise de poemas
Análise de poemas
 
Fernando pessoa poemas fundamentais
Fernando pessoa poemas fundamentaisFernando pessoa poemas fundamentais
Fernando pessoa poemas fundamentais
 
13557335 teste-pessoa
13557335 teste-pessoa13557335 teste-pessoa
13557335 teste-pessoa
 
Contextualização fernando pessoa
Contextualização fernando pessoaContextualização fernando pessoa
Contextualização fernando pessoa
 
Fernando pessoa poema
Fernando pessoa   poemaFernando pessoa   poema
Fernando pessoa poema
 

Destaque

Criterios de avaliaçao
Criterios de avaliaçaoCriterios de avaliaçao
Criterios de avaliaçao
Diogo Tavares
 
Planificaçao anual
Planificaçao anualPlanificaçao anual
Planificaçao anual
Diogo Tavares
 
Plano nacional de leitura
Plano nacional de leituraPlano nacional de leitura
Plano nacional de leitura
Diogo Tavares
 
ficha de leitura
ficha de leituraficha de leitura
ficha de leitura
Diogo Tavares
 
Ficha de leitura
Ficha de leituraFicha de leitura
Ficha de leitura
Diogo Tavares
 
Matriz teste intermédio
Matriz teste intermédioMatriz teste intermédio
Matriz teste intermédio
Diogo Tavares
 
Teste 1
Teste 1Teste 1
Teste 1
Diogo Tavares
 
Informação geral teste intermédio
Informação geral teste intermédioInformação geral teste intermédio
Informação geral teste intermédio
Diogo Tavares
 
PNL
PNLPNL
resumos
resumosresumos
resumos
Diogo Tavares
 
A conspiração
A conspiraçãoA conspiração
A conspiração
Diogo Tavares
 
Teste 1
Teste 1Teste 1
Teste 1
Diogo Tavares
 
Grelha avaliação apresentações orais
Grelha avaliação apresentações oraisGrelha avaliação apresentações orais
Grelha avaliação apresentações orais
Diogo Tavares
 
Memorial do Convento
Memorial do ConventoMemorial do Convento
Memorial do Convento
guest304ad9
 

Destaque (14)

Criterios de avaliaçao
Criterios de avaliaçaoCriterios de avaliaçao
Criterios de avaliaçao
 
Planificaçao anual
Planificaçao anualPlanificaçao anual
Planificaçao anual
 
Plano nacional de leitura
Plano nacional de leituraPlano nacional de leitura
Plano nacional de leitura
 
ficha de leitura
ficha de leituraficha de leitura
ficha de leitura
 
Ficha de leitura
Ficha de leituraFicha de leitura
Ficha de leitura
 
Matriz teste intermédio
Matriz teste intermédioMatriz teste intermédio
Matriz teste intermédio
 
Teste 1
Teste 1Teste 1
Teste 1
 
Informação geral teste intermédio
Informação geral teste intermédioInformação geral teste intermédio
Informação geral teste intermédio
 
PNL
PNLPNL
PNL
 
resumos
resumosresumos
resumos
 
A conspiração
A conspiraçãoA conspiração
A conspiração
 
Teste 1
Teste 1Teste 1
Teste 1
 
Grelha avaliação apresentações orais
Grelha avaliação apresentações oraisGrelha avaliação apresentações orais
Grelha avaliação apresentações orais
 
Memorial do Convento
Memorial do ConventoMemorial do Convento
Memorial do Convento
 

Semelhante a Ficha de avaliação formativa

Correcção ficha de avaliação formativa
Correcção ficha de avaliação formativaCorrecção ficha de avaliação formativa
Correcção ficha de avaliação formativa
Diogo Tavares
 
Aula 05 de linguagens e códigos e suas tecnologias
Aula 05 de linguagens e códigos e suas tecnologiasAula 05 de linguagens e códigos e suas tecnologias
Aula 05 de linguagens e códigos e suas tecnologias
Homero Alves de Lima
 
Parcial gramática e literatura
Parcial gramática e literaturaParcial gramática e literatura
Parcial gramática e literatura
Colégio Parthenon
 
Teoria da literatura
Teoria da literaturaTeoria da literatura
Teoria da literatura
Mário Júnior Silva
 
teoriadaliteratura-100703164724-phpapp01.pptx
teoriadaliteratura-100703164724-phpapp01.pptxteoriadaliteratura-100703164724-phpapp01.pptx
teoriadaliteratura-100703164724-phpapp01.pptx
MarluceBrum1
 
Generos literarios
Generos literariosGeneros literarios
Generos literarios
Ana Karina Silva
 
Exemplo sarau
Exemplo sarauExemplo sarau
Exemplo sarau
aevmartins
 
11. estudo da poesia
11. estudo da poesia11. estudo da poesia
11. estudo da poesia
ma.no.el.ne.ves
 
Eu, poetificando
Eu, poetificandoEu, poetificando
Eu, poetificando
elvandroburity
 
Pessoa ortónimo e heterónimos
Pessoa   ortónimo e heterónimosPessoa   ortónimo e heterónimos
Pessoa ortónimo e heterónimos
António Fraga
 
Poesia 12 aulas
Poesia 12 aulasPoesia 12 aulas
Poesia 12 aulas
Ana Isabel Acciaioli
 
Ofício de Poeta - Gênero Poesia
Ofício de Poeta - Gênero PoesiaOfício de Poeta - Gênero Poesia
Ofício de Poeta - Gênero Poesia
raikabarreto
 
Portugues vol6
Portugues vol6Portugues vol6
Portugues vol6
Blaunier Matheus
 
Poesia e heteronímia em fernando pessoa
Poesia e heteronímia em fernando pessoaPoesia e heteronímia em fernando pessoa
Poesia e heteronímia em fernando pessoa
ma.no.el.ne.ves
 
Slides
SlidesSlides
Slides
Lay Vieira
 
Lição 1 - 3 EM
Lição 1 - 3 EMLição 1 - 3 EM
Lição 1 - 3 EM
Brenda Tacchelli
 
Jornada em Retalhos
Jornada em RetalhosJornada em Retalhos
Jornada em Retalhos
elvandroburity
 
Interpretação 2014
Interpretação  2014Interpretação  2014
Interpretação 2014
paulomonteiropimpao
 
Trabalhos Da Semana Jgf 3 («Poeta é» E Outras Tarefas)
Trabalhos Da Semana Jgf 3 («Poeta é» E Outras Tarefas)Trabalhos Da Semana Jgf 3 («Poeta é» E Outras Tarefas)
Trabalhos Da Semana Jgf 3 («Poeta é» E Outras Tarefas)
luisprista
 
Augusto dos Anjos
Augusto dos AnjosAugusto dos Anjos
Augusto dos Anjos
Sarah Fernandes Mendonça
 

Semelhante a Ficha de avaliação formativa (20)

Correcção ficha de avaliação formativa
Correcção ficha de avaliação formativaCorrecção ficha de avaliação formativa
Correcção ficha de avaliação formativa
 
Aula 05 de linguagens e códigos e suas tecnologias
Aula 05 de linguagens e códigos e suas tecnologiasAula 05 de linguagens e códigos e suas tecnologias
Aula 05 de linguagens e códigos e suas tecnologias
 
Parcial gramática e literatura
Parcial gramática e literaturaParcial gramática e literatura
Parcial gramática e literatura
 
Teoria da literatura
Teoria da literaturaTeoria da literatura
Teoria da literatura
 
teoriadaliteratura-100703164724-phpapp01.pptx
teoriadaliteratura-100703164724-phpapp01.pptxteoriadaliteratura-100703164724-phpapp01.pptx
teoriadaliteratura-100703164724-phpapp01.pptx
 
Generos literarios
Generos literariosGeneros literarios
Generos literarios
 
Exemplo sarau
Exemplo sarauExemplo sarau
Exemplo sarau
 
11. estudo da poesia
11. estudo da poesia11. estudo da poesia
11. estudo da poesia
 
Eu, poetificando
Eu, poetificandoEu, poetificando
Eu, poetificando
 
Pessoa ortónimo e heterónimos
Pessoa   ortónimo e heterónimosPessoa   ortónimo e heterónimos
Pessoa ortónimo e heterónimos
 
Poesia 12 aulas
Poesia 12 aulasPoesia 12 aulas
Poesia 12 aulas
 
Ofício de Poeta - Gênero Poesia
Ofício de Poeta - Gênero PoesiaOfício de Poeta - Gênero Poesia
Ofício de Poeta - Gênero Poesia
 
Portugues vol6
Portugues vol6Portugues vol6
Portugues vol6
 
Poesia e heteronímia em fernando pessoa
Poesia e heteronímia em fernando pessoaPoesia e heteronímia em fernando pessoa
Poesia e heteronímia em fernando pessoa
 
Slides
SlidesSlides
Slides
 
Lição 1 - 3 EM
Lição 1 - 3 EMLição 1 - 3 EM
Lição 1 - 3 EM
 
Jornada em Retalhos
Jornada em RetalhosJornada em Retalhos
Jornada em Retalhos
 
Interpretação 2014
Interpretação  2014Interpretação  2014
Interpretação 2014
 
Trabalhos Da Semana Jgf 3 («Poeta é» E Outras Tarefas)
Trabalhos Da Semana Jgf 3 («Poeta é» E Outras Tarefas)Trabalhos Da Semana Jgf 3 («Poeta é» E Outras Tarefas)
Trabalhos Da Semana Jgf 3 («Poeta é» E Outras Tarefas)
 
Augusto dos Anjos
Augusto dos AnjosAugusto dos Anjos
Augusto dos Anjos
 

Mais de Diogo Tavares

Matriz teste nº 2
Matriz teste nº 2Matriz teste nº 2
Matriz teste nº 2
Diogo Tavares
 
Matriz teste nº1
Matriz teste nº1Matriz teste nº1
Matriz teste nº1
Diogo Tavares
 
Ficha de trabalho, analise poema
Ficha de trabalho, analise poemaFicha de trabalho, analise poema
Ficha de trabalho, analise poema
Diogo Tavares
 
Ficha de trabalho orientação poema
Ficha de trabalho orientação poemaFicha de trabalho orientação poema
Ficha de trabalho orientação poema
Diogo Tavares
 
Versificação
VersificaçãoVersificação
Versificação
Diogo Tavares
 
Plano nacional de leitura
Plano nacional de leituraPlano nacional de leitura
Plano nacional de leitura
Diogo Tavares
 
Planificaçao anual
Planificaçao anualPlanificaçao anual
Planificaçao anual
Diogo Tavares
 
Matriz teste intermédio
Matriz teste intermédioMatriz teste intermédio
Matriz teste intermédio
Diogo Tavares
 
Matriz teste 2
Matriz teste 2Matriz teste 2
Matriz teste 2
Diogo Tavares
 
Matriz teste 1
Matriz teste 1Matriz teste 1
Matriz teste 1
Diogo Tavares
 
Informação geral teste intermédio
Informação geral teste intermédioInformação geral teste intermédio
Informação geral teste intermédio
Diogo Tavares
 
Grelha avaliação apresentações orais
Grelha avaliação apresentações oraisGrelha avaliação apresentações orais
Grelha avaliação apresentações orais
Diogo Tavares
 
Ficha de trabalho, analise poema
Ficha de trabalho, analise poemaFicha de trabalho, analise poema
Ficha de trabalho, analise poema
Diogo Tavares
 
Ficha de trabalho orientação poema
Ficha de trabalho orientação poemaFicha de trabalho orientação poema
Ficha de trabalho orientação poema
Diogo Tavares
 
Ficha de leitura
Ficha de leituraFicha de leitura
Ficha de leitura
Diogo Tavares
 

Mais de Diogo Tavares (15)

Matriz teste nº 2
Matriz teste nº 2Matriz teste nº 2
Matriz teste nº 2
 
Matriz teste nº1
Matriz teste nº1Matriz teste nº1
Matriz teste nº1
 
Ficha de trabalho, analise poema
Ficha de trabalho, analise poemaFicha de trabalho, analise poema
Ficha de trabalho, analise poema
 
Ficha de trabalho orientação poema
Ficha de trabalho orientação poemaFicha de trabalho orientação poema
Ficha de trabalho orientação poema
 
Versificação
VersificaçãoVersificação
Versificação
 
Plano nacional de leitura
Plano nacional de leituraPlano nacional de leitura
Plano nacional de leitura
 
Planificaçao anual
Planificaçao anualPlanificaçao anual
Planificaçao anual
 
Matriz teste intermédio
Matriz teste intermédioMatriz teste intermédio
Matriz teste intermédio
 
Matriz teste 2
Matriz teste 2Matriz teste 2
Matriz teste 2
 
Matriz teste 1
Matriz teste 1Matriz teste 1
Matriz teste 1
 
Informação geral teste intermédio
Informação geral teste intermédioInformação geral teste intermédio
Informação geral teste intermédio
 
Grelha avaliação apresentações orais
Grelha avaliação apresentações oraisGrelha avaliação apresentações orais
Grelha avaliação apresentações orais
 
Ficha de trabalho, analise poema
Ficha de trabalho, analise poemaFicha de trabalho, analise poema
Ficha de trabalho, analise poema
 
Ficha de trabalho orientação poema
Ficha de trabalho orientação poemaFicha de trabalho orientação poema
Ficha de trabalho orientação poema
 
Ficha de leitura
Ficha de leituraFicha de leitura
Ficha de leitura
 

Ficha de avaliação formativa

  • 1. FORMATIVA Português – 12º ano – Turma A 2ª Ficha – 1º Período (novembro de 2011) Questões de tipologia de Grupo I/ A Ex. 1: Leia atentamente o seguinte poema: XXII Como quem num dia de verão abre a porta de casa E espreita para o calor dos campos com a cara toda, Quando o verão nos passa pela cara Às vezes de repente, bate-me a natureza de chapa A mão leve e quente de sua brisa, Na cara dos meus sentidos, Só tenho que sentir agrado porque é brisa E eu fico confuso, perturbado, querendo perceber Ou que sentir desagrado porque é quente, Não sei bem como nem o quê… E de qualquer maneira que eu o sinta, Assim, porque assim o sinto, é que é senti-lo... Mas quem me mandou a mim querer perceber? Quem me disse que havia que perceber? Alberto Caeiro, O guardador de rebanhos Apresente, de forma bem estruturada, as suas respostas ao questionário que se segue. 1. Releia os primeiros quatro versos. Caracterize a perceção que o “eu” tem da “Natureza”. 2. Descreva o estado de espírito do “eu” tal como é expresso nos versos 5 e 6. 3. Explicite a relevância das perguntas que constituem a segunda estrofe. 4. “Quando o verão nos passa pela cara/ A mão leve e quente de sua brisa,” (vv. 9-10). Refira dois dos valores expressivos da personificação presente nos versos transcritos. 5. Comente o sentido do último verso enquanto conclusão do poema. Ex. 2: Leia atentamente o seguinte poema: Segue o teu destino, Vê de longe a vida. Rega as tuas plantas, Nunca a interrogues. Ama as tuas rosas. Ela nada pode O resto é a sombra Dizer-te. A resposta De árvores alheias. Está além dos deuses. A realidade Mas serenamente Sempre é mais ou menos Imita o Olimpo Do que nós queremos. No teu coração. Só nós somos sempre Os deuses são deuses Iguais a nós-próprios. Porque não se pensam. Suave é viver só. Grande e nobre é sempre Viver simplesmente. Deixa a dor nas aras Ricardo Reis Como ex-voto aos deuses. Apresente, de forma bem estruturada, as suas respostas ao questionário que se segue. ANO LECTIVO 2011-2012
  • 2. PÁGINA - 2 1. Indique três regras da arte de viver, justificando com expressões do poema. 2. Mostre em que medida se diferencia a realidade daquilo que somos. 3. Para Ricardo Reis a apatia (a indiferença) é o ideal ético, é o comportamento que convém seguir na vida. Escolha a expressão que melhor exprime essa apatia, justificando a sua escolha. Questões de tipologia de Grupo I/ B Ex. 1: “O ato poético por excelência, diz Pessoa, resulta de um processo de despersonalização de emoções e sentimentos, não necessariamente coincidentes com os do artista, implicando, no mais alto grau, o desdobramento do autor em várias personalidades poéticas.” Maria Teresa Schiappa de Azevedo, “Em torno do poeta fingidor” in Os rostos de Pessoa, Coimbra Num texto de oitenta a cento e trinta palavras, exponha a sua perspetiva de leitura, a partir da análise da afirmação acima. Ex. 2: Partindo do estudo da obra pessoana, apresenta a tua leitura da imagem ao lado, num texto de oitenta a cento e trinta palavras.