SlideShare uma empresa Scribd logo
FERMENTAÇÃO
ALCOOLICA NA
PRODUÇÃO DE PÃO
BRENDA, DANILLO, EDMUNDO,
EDUARDO E LUCAS
INTRODUÇÃO
 Foi proposto aos alunos a elaboração ou adequação de
um procedimento, de qualquer experimento relacionado
com o conteúdo visto em sala: A fermentação
 O tema escolhido por este grupo foi a Fermentação
Alcoólica do Pão, foi realizado um estudo da atuação das
leveduras e sua importância nesse processo, através da
fermentação do pão submetida a diferentes condições
físico-químicas.
 O presente trabalho abordará desde os estudos e
experimento realizados até os resultados obtidos.
FUNDAMENTOS TEÓRICOS
O que é Fermentação ?
Um processo anaeróbio de transformação de uma substância
em outra, produzida a partir de microorganismos, tais como bactérias
e fungos, chamados nestes casos de fermentos.
Fermentação Alcoolica ?
A fermentação alcoólica é um processo biológico no
qual açúcares como a glicose, frutose e sacarose são convertidos em
energia celular com produção de etanol e dióxido de carbono como
resíduos metabólicos. Como este processo pode ser realizado sem a
presença de oxigênio é considerado um processo anaeróbico.
Leveduras
As leveduras são fungos unicelulares,
ou seja, formados somente por uma
única célula. Devido a esta
característica elas crescem e se
reproduzem mais rapidamente. Esta
categoria de fungos não é visível a
olho nu, sendo visualizados apenas
com auxílio de um microscópio. São
bem maiores do que a maioria
das bactérias existentes e foram
visualizadas pela primeira vez em
1680, por Antony van Leewenhoeck.
FUNDAMENTOS TEÓRICOS
Produção de Pão
FUNDAMENTOS TEÓRICOS
 Os ingredientes fundamentais do pão são a farinha de trigo , a água
e a levedura de padeiro.
 A farinha de trigo é constituída por vários compostos , porém os mais
relevantes são : o amido e as proteínas.
 O amido ( 70% da farinha) é constituído por cadeias de glucose. As
cadeias podem ser ramificadas ou então lineares. Estas formam uma
estrutura semi-cristalina resistente denominada de grânulo , que pode
ter várias dimensões. Porém , existem na farinha enzimas que
aceleram a quebra de ligações entre os açúcares que constituem as
cadeias do amido, produzindo açúcares livres.
FUNDAMENTOS TEÓRICOS
Durante o processo de amassar , as proteínas que se encontravam
originalmente enroladas desenrolam-se , pois a energia mecânica introduzida
no processo de amassar provoca a quebra de algumas ligações químicas.
Deste modo , as cadeias desenroladas estabelecem novas ligações , formando
uma espécie de rede plástica , elástica e muito coesa denominada glúten.
Produção de Pão
 A água é necessária , pois é nesta que os compostos solúveis se
vão dissolver.
 A levedura Saccharomyces cerevisiae é o microrganismo
envolvido na produção do pão. As células desta levedura
consomem os açúcares livres provenientes do amido e vão
produzir álcool etílico e o dióxido de carbono ( e outros
compostos) , sendo que estes conferem sabor e aroma ao pão.
Esta levedura , em ambientes anaeróbios , irá realizar a
fermentação alcoólica. A massa vai crescer , podendo ficar com
mais do dobro do seu tamanho.
FUNDAMENTOS TEÓRICOS
Parte experimental
Objetivos
Materiais, Aparelhagem e Reagentes
 Observar a ocorrência da Fermentação Alcoólica, bem como a influência da
temperatura na atividade das leveduras na produção de pão e verificar o papel
do fermento no crescimento da massa do mesmo, comparando o crescimento da
massa preparada com outras submetidas a diferentes propriedades físico-
químicas.
 Quatro béqueres de 1L.
 Quatro béqueres de 250 ml.
 Quatro béqueres de 100 ml.
 Quatro béqueres de 50 ml.
 400 g de farinha.
 Folha de alumínio.
 15 g de fermento de padeiro
(levedura).
 Estufa regulada para 30 graus
Celsius.
 Marcador para vidro.
 Quatro bastões de vidro
 3 vidros relógio
 Água
 Açúcar
Procedimento
Parte experimental
Identificação
dos Béqueres
A,B, C e D
Pesagem (Farinha,
Fermento, Açúcar
e água)
Adição de
Ingredientes
(Béquer D sem
Fermento)
Adição
Simultânea
Mistura por
5 minutos
Béqueres
cobertos com
papel alumínio
A e D na
estufa (30°c)
B (geladeira) e
C (temperatura
ambiente)
Alterações
registradas após
20, 40 e 60 minutos
Béquer Conteúdo do Béquer
A, B e C Farinha, Levedura (Fermento), Açúcar e Água.
D Farinha, Açúcar e Água.
Parte experimental
RESULTADOS E DISCUSSÕES
Registro dos resultados
 Ao fim do experimento, após o repouso de uma hora em diferentes
condições de temperatura, os resultados foram registrados.
Béquer
Altura Inicial
08:48 h
Após 20 minutos
09:08 h
Após 40 minutos
09:28 h
Após 60 minutos
( 1 hora )
09:48 h
A 2 cm + 4 cm + 4 cm - 2 cm
B 2 cm + 2 cm + 2 cm + 1 cm
C 2 cm + 2,5 cm + 3 cm + 1 cm
D 2 cm - - -
RESULTADOS E DISCUSSÕES
Registro dos resultados
Béquer Altura Final Altura Máxima
A 8 cm 10 cm
B 7 cm 7 cm
C 8,5 cm 8,5 cm
D 2 cm 2 cm
RESULTADOS E DISCUSSÕES
Discussão dos resultados
Qual o produto desejado na
fermentação do pão?
De que forma ocorre a fermentação
na produção de pão?
RESULTADOS E DISCUSSÕES
Discussão dos resultados
Qual foi o recipiente (béquer) com levedura que menos cresceu? E o
que mais cresceu? O que foi possível concluir?
A C D
RESULTADOS E DISCUSSÕES
ATVIDADE(%)
TEMPERATURA (°C)
Curva da variação da atividade da levedura de
acordo com a temperatura
RESULTADOS E DISCUSSÕES
Discussão dos resultados
O béquer B foi
colocado na
geladeira, por
que motivo ele
cresceu?
RESULTADOS E DISCUSSÕES
Discussão dos resultados
Por que razão o béquer sem leveduras
(D) não apresenta crescimento da
massa?
Por que razão os béqueres A, B e C
apresentam bolhas de ar? Porque o
mesmo não se verifica no béquer D?
Conclusão
Com a realização desta
atividade laboratorial
podemos confirmar que as
leveduras responsáveis pela
produção do pão possuem
temperaturas ideais que
condicionam a sua
atividade.
O objetivo do experimento
foi atingido com êxito. A
fermentação alcoólica foi
observada.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Processos fonológicos
Processos fonológicosProcessos fonológicos
Processos fonológicos
Sílvia Faim
 
Actividade laboratorial produção de pão
Actividade laboratorial produção de pãoActividade laboratorial produção de pão
Actividade laboratorial produção de pão
Bioworld12
 
Modalidade do verbo
Modalidade do verboModalidade do verbo
Modalidade do verbo
Ana Martins
 
O dia em que eu nasci, morra e pereça
O dia em que eu nasci, morra e pereçaO dia em que eu nasci, morra e pereça
O dia em que eu nasci, morra e pereça
Helena Coutinho
 
Resumo Genética | Biologia 12º Ano
Resumo Genética | Biologia 12º AnoResumo Genética | Biologia 12º Ano
Resumo Genética | Biologia 12º Ano
Instituto Superior Técnico, UTL
 
Extração do ADN / DNA do kiwi - Relatório biologia 11º
Extração do ADN / DNA do kiwi - Relatório biologia 11ºExtração do ADN / DNA do kiwi - Relatório biologia 11º
Extração do ADN / DNA do kiwi - Relatório biologia 11º
Francisco Palaio
 
Relatório biologia 10ºano - membrana celular
Relatório biologia 10ºano - membrana celularRelatório biologia 10ºano - membrana celular
Relatório biologia 10ºano - membrana celular
AMLDRP
 
Reprodução Assexuada
Reprodução AssexuadaReprodução Assexuada
Reprodução Assexuada
Catir
 
Actividade laboratorial Biologia 12º ano
Actividade laboratorial Biologia 12º anoActividade laboratorial Biologia 12º ano
Actividade laboratorial Biologia 12º ano
Cátia Teixeira
 
Biologia 11 ciclos de vida
Biologia 11   ciclos de vidaBiologia 11   ciclos de vida
Biologia 11 ciclos de vida
Nuno Correia
 
Resumos Biologia Geologia (BIOLOGIA) 11º Ano
Resumos Biologia Geologia (BIOLOGIA) 11º AnoResumos Biologia Geologia (BIOLOGIA) 11º Ano
Resumos Biologia Geologia (BIOLOGIA) 11º Ano
Vitor Perfeito
 
Os Maias - personagens
Os Maias - personagensOs Maias - personagens
Os Maias - personagens
António Fernandes
 
"Mar Português" - Mensagem
"Mar Português" - Mensagem"Mar Português" - Mensagem
"Mar Português" - Mensagem
Iga Almeida
 
Relatório extração dna
Relatório extração dnaRelatório extração dna
Relatório extração dna
margaridabt
 
Resumos Biologia e Geologia (Biologia) 10º Ano
Resumos Biologia e Geologia (Biologia) 10º AnoResumos Biologia e Geologia (Biologia) 10º Ano
Resumos Biologia e Geologia (Biologia) 10º Ano
Vitor Perfeito
 
Como fazer uma apresentação oral?
Como fazer uma apresentação oral?Como fazer uma apresentação oral?
Como fazer uma apresentação oral?
becastanheiradepera
 
Cap v repreensões particular
Cap v repreensões particularCap v repreensões particular
Cap v repreensões particular
Helena Coutinho
 
A sátira e a crítica social no Memorial do Convento
A sátira e a crítica social no Memorial do ConventoA sátira e a crítica social no Memorial do Convento
A sátira e a crítica social no Memorial do Convento
Joana Filipa Rodrigues
 
Características poéticas de Ricardo Reis
Características poéticas de Ricardo ReisCaracterísticas poéticas de Ricardo Reis
Características poéticas de Ricardo Reis
Dina Baptista
 
Noite Fechada, de Cesário Verde
Noite Fechada, de Cesário VerdeNoite Fechada, de Cesário Verde
Noite Fechada, de Cesário Verde
Dina Baptista
 

Mais procurados (20)

Processos fonológicos
Processos fonológicosProcessos fonológicos
Processos fonológicos
 
Actividade laboratorial produção de pão
Actividade laboratorial produção de pãoActividade laboratorial produção de pão
Actividade laboratorial produção de pão
 
Modalidade do verbo
Modalidade do verboModalidade do verbo
Modalidade do verbo
 
O dia em que eu nasci, morra e pereça
O dia em que eu nasci, morra e pereçaO dia em que eu nasci, morra e pereça
O dia em que eu nasci, morra e pereça
 
Resumo Genética | Biologia 12º Ano
Resumo Genética | Biologia 12º AnoResumo Genética | Biologia 12º Ano
Resumo Genética | Biologia 12º Ano
 
Extração do ADN / DNA do kiwi - Relatório biologia 11º
Extração do ADN / DNA do kiwi - Relatório biologia 11ºExtração do ADN / DNA do kiwi - Relatório biologia 11º
Extração do ADN / DNA do kiwi - Relatório biologia 11º
 
Relatório biologia 10ºano - membrana celular
Relatório biologia 10ºano - membrana celularRelatório biologia 10ºano - membrana celular
Relatório biologia 10ºano - membrana celular
 
Reprodução Assexuada
Reprodução AssexuadaReprodução Assexuada
Reprodução Assexuada
 
Actividade laboratorial Biologia 12º ano
Actividade laboratorial Biologia 12º anoActividade laboratorial Biologia 12º ano
Actividade laboratorial Biologia 12º ano
 
Biologia 11 ciclos de vida
Biologia 11   ciclos de vidaBiologia 11   ciclos de vida
Biologia 11 ciclos de vida
 
Resumos Biologia Geologia (BIOLOGIA) 11º Ano
Resumos Biologia Geologia (BIOLOGIA) 11º AnoResumos Biologia Geologia (BIOLOGIA) 11º Ano
Resumos Biologia Geologia (BIOLOGIA) 11º Ano
 
Os Maias - personagens
Os Maias - personagensOs Maias - personagens
Os Maias - personagens
 
"Mar Português" - Mensagem
"Mar Português" - Mensagem"Mar Português" - Mensagem
"Mar Português" - Mensagem
 
Relatório extração dna
Relatório extração dnaRelatório extração dna
Relatório extração dna
 
Resumos Biologia e Geologia (Biologia) 10º Ano
Resumos Biologia e Geologia (Biologia) 10º AnoResumos Biologia e Geologia (Biologia) 10º Ano
Resumos Biologia e Geologia (Biologia) 10º Ano
 
Como fazer uma apresentação oral?
Como fazer uma apresentação oral?Como fazer uma apresentação oral?
Como fazer uma apresentação oral?
 
Cap v repreensões particular
Cap v repreensões particularCap v repreensões particular
Cap v repreensões particular
 
A sátira e a crítica social no Memorial do Convento
A sátira e a crítica social no Memorial do ConventoA sátira e a crítica social no Memorial do Convento
A sátira e a crítica social no Memorial do Convento
 
Características poéticas de Ricardo Reis
Características poéticas de Ricardo ReisCaracterísticas poéticas de Ricardo Reis
Características poéticas de Ricardo Reis
 
Noite Fechada, de Cesário Verde
Noite Fechada, de Cesário VerdeNoite Fechada, de Cesário Verde
Noite Fechada, de Cesário Verde
 

Destaque

Biotecnologia Fermentação alcoolica
Biotecnologia Fermentação alcoolicaBiotecnologia Fermentação alcoolica
Biotecnologia Fermentação alcoolica
Beatriz Mello
 
S Cerevisiae
S CerevisiaeS Cerevisiae
S Cerevisiae
Alexandra Gonçalves
 
Fermentação
FermentaçãoFermentação
Fermentação
Ana Catarina Moreira
 
Microrganismos
MicrorganismosMicrorganismos
Microrganismos
tiago.ufc
 
Fermentação
FermentaçãoFermentação
Fermentação
gil junior
 
BioGeo10-fermentacao
BioGeo10-fermentacaoBioGeo10-fermentacao
BioGeo10-fermentacao
Rita Rainho
 
Processos fermentativos
Processos fermentativosProcessos fermentativos
Processos fermentativos
wilso saggiori
 
Fermentação
FermentaçãoFermentação
Fermentação
Catir
 
Microrganismos e Fermentação
Microrganismos e FermentaçãoMicrorganismos e Fermentação
Microrganismos e Fermentação
Isabel Lopes
 
Panificação
PanificaçãoPanificação
Apostila panificacao
Apostila panificacaoApostila panificacao
Apostila panificacao
Manoel Enock M.Viana Viana
 
Aula 4 fermentação
Aula 4 fermentaçãoAula 4 fermentação
Aula 4 fermentação
Elaisa Oliveira Galan Cappi
 
Fermentação e aditivos quimicos
Fermentação e aditivos quimicosFermentação e aditivos quimicos
Fermentação e aditivos quimicos
Álvaro José
 
Fermentação alcoólica
Fermentação alcoólicaFermentação alcoólica
Fermentação alcoólica
Rogério Zampieri
 
Receitas nestle paes
Receitas nestle paesReceitas nestle paes
Receitas nestle paes
Sonia Maria
 
Fermentação
FermentaçãoFermentação
Fermentação
POLLYANA MOURA
 
Fermentação - Receita de pão caseiro
Fermentação - Receita de pão caseiroFermentação - Receita de pão caseiro
Fermentação - Receita de pão caseiro
Morgana Souza Oliveira
 
A Biologia E Os Desafios De Actualidade
A Biologia E Os Desafios De ActualidadeA Biologia E Os Desafios De Actualidade
A Biologia E Os Desafios De Actualidade
Nuno Correia
 
Relatório da experiência de produção de iogurte
Relatório da experiência de produção de iogurteRelatório da experiência de produção de iogurte
Relatório da experiência de produção de iogurte
francisogam
 
Importance of yeast for alcoholic fermentation
Importance of yeast for alcoholic fermentation Importance of yeast for alcoholic fermentation
Importance of yeast for alcoholic fermentation
jakkaas
 

Destaque (20)

Biotecnologia Fermentação alcoolica
Biotecnologia Fermentação alcoolicaBiotecnologia Fermentação alcoolica
Biotecnologia Fermentação alcoolica
 
S Cerevisiae
S CerevisiaeS Cerevisiae
S Cerevisiae
 
Fermentação
FermentaçãoFermentação
Fermentação
 
Microrganismos
MicrorganismosMicrorganismos
Microrganismos
 
Fermentação
FermentaçãoFermentação
Fermentação
 
BioGeo10-fermentacao
BioGeo10-fermentacaoBioGeo10-fermentacao
BioGeo10-fermentacao
 
Processos fermentativos
Processos fermentativosProcessos fermentativos
Processos fermentativos
 
Fermentação
FermentaçãoFermentação
Fermentação
 
Microrganismos e Fermentação
Microrganismos e FermentaçãoMicrorganismos e Fermentação
Microrganismos e Fermentação
 
Panificação
PanificaçãoPanificação
Panificação
 
Apostila panificacao
Apostila panificacaoApostila panificacao
Apostila panificacao
 
Aula 4 fermentação
Aula 4 fermentaçãoAula 4 fermentação
Aula 4 fermentação
 
Fermentação e aditivos quimicos
Fermentação e aditivos quimicosFermentação e aditivos quimicos
Fermentação e aditivos quimicos
 
Fermentação alcoólica
Fermentação alcoólicaFermentação alcoólica
Fermentação alcoólica
 
Receitas nestle paes
Receitas nestle paesReceitas nestle paes
Receitas nestle paes
 
Fermentação
FermentaçãoFermentação
Fermentação
 
Fermentação - Receita de pão caseiro
Fermentação - Receita de pão caseiroFermentação - Receita de pão caseiro
Fermentação - Receita de pão caseiro
 
A Biologia E Os Desafios De Actualidade
A Biologia E Os Desafios De ActualidadeA Biologia E Os Desafios De Actualidade
A Biologia E Os Desafios De Actualidade
 
Relatório da experiência de produção de iogurte
Relatório da experiência de produção de iogurteRelatório da experiência de produção de iogurte
Relatório da experiência de produção de iogurte
 
Importance of yeast for alcoholic fermentation
Importance of yeast for alcoholic fermentation Importance of yeast for alcoholic fermentation
Importance of yeast for alcoholic fermentation
 

Semelhante a FERMENTAÇÃO ALCOÓLICA NA PRODUÇÃO DE PÃO

Produção de Cerveja
Produção de CervejaProdução de Cerveja
Produção de Cerveja
Lucas Wallace Sousa Alves
 
Fermentação alcoolica.pdf
Fermentação alcoolica.pdfFermentação alcoolica.pdf
Fermentação alcoolica.pdf
LorranAlmeida4
 
Fermentação alcoolica.pdf
Fermentação alcoolica.pdfFermentação alcoolica.pdf
Fermentação alcoolica.pdf
LorranAlmeida4
 
APOSTILA DE FERMENTAÇÃO ALCOÓLICA
APOSTILA DE FERMENTAÇÃO ALCOÓLICAAPOSTILA DE FERMENTAÇÃO ALCOÓLICA
APOSTILA DE FERMENTAÇÃO ALCOÓLICA
Helena Aragão De Sá Martins
 
(Q) tecnologia alimenticia
(Q) tecnologia alimenticia(Q) tecnologia alimenticia
(Q) tecnologia alimenticia
Agnaldo silva
 
5 poster ana margarida, bárbara, gabriela
5 poster ana margarida, bárbara, gabriela5 poster ana margarida, bárbara, gabriela
5 poster ana margarida, bárbara, gabriela
comonavida7bd
 
Roberto luis meneses
Roberto luis meneses Roberto luis meneses
Roberto luis meneses
roberto luis
 
Aula prática sistema difestório
Aula prática   sistema difestórioAula prática   sistema difestório
Aula prática sistema difestório
professoraludmila
 
Cie1g43
Cie1g43Cie1g43
Roteiro de estudos quimica 4
Roteiro de estudos quimica 4Roteiro de estudos quimica 4
Roteiro de estudos quimica 4
VALDOMIRO PEREIRA DE PEREIRA DE SOUZA JUNIOR
 
Cerveja
CervejaCerveja
Cerveja
Emidio Barros
 
Agentes de crescimento
Agentes de crescimentoAgentes de crescimento
Agentes de crescimento
Mariana Albuquerque
 
Relatório Leite
Relatório LeiteRelatório Leite
Relatório Leite
Beatriz Rodrigues
 
Cerveja
CervejaCerveja
Bio queijo
Bio queijoBio queijo
Bio queijo
HMSBeagle12a
 
Elaboração de Cookies
Elaboração de CookiesElaboração de Cookies
Elaboração de Cookies
Emidio Barros
 
Produto de Panificação - Cookies
Produto de Panificação - CookiesProduto de Panificação - Cookies
Produto de Panificação - Cookies
erika daron
 
PRODUÇÃO DE ÁLCOOL DA MANDIOCA E DA CANA
PRODUÇÃO DE ÁLCOOL DA MANDIOCA E DA CANA PRODUÇÃO DE ÁLCOOL DA MANDIOCA E DA CANA
PRODUÇÃO DE ÁLCOOL DA MANDIOCA E DA CANA
Lucas Wallace Sousa Alves
 
Fluxograma e análises físico-quimica 5.pptx
Fluxograma e análises físico-quimica 5.pptxFluxograma e análises físico-quimica 5.pptx
Fluxograma e análises físico-quimica 5.pptx
helidaleao
 
Relatório de Química Processo de Separação das Misturas 001
Relatório de Química Processo de Separação das Misturas 001Relatório de Química Processo de Separação das Misturas 001
Relatório de Química Processo de Separação das Misturas 001
Đean Moore
 

Semelhante a FERMENTAÇÃO ALCOÓLICA NA PRODUÇÃO DE PÃO (20)

Produção de Cerveja
Produção de CervejaProdução de Cerveja
Produção de Cerveja
 
Fermentação alcoolica.pdf
Fermentação alcoolica.pdfFermentação alcoolica.pdf
Fermentação alcoolica.pdf
 
Fermentação alcoolica.pdf
Fermentação alcoolica.pdfFermentação alcoolica.pdf
Fermentação alcoolica.pdf
 
APOSTILA DE FERMENTAÇÃO ALCOÓLICA
APOSTILA DE FERMENTAÇÃO ALCOÓLICAAPOSTILA DE FERMENTAÇÃO ALCOÓLICA
APOSTILA DE FERMENTAÇÃO ALCOÓLICA
 
(Q) tecnologia alimenticia
(Q) tecnologia alimenticia(Q) tecnologia alimenticia
(Q) tecnologia alimenticia
 
5 poster ana margarida, bárbara, gabriela
5 poster ana margarida, bárbara, gabriela5 poster ana margarida, bárbara, gabriela
5 poster ana margarida, bárbara, gabriela
 
Roberto luis meneses
Roberto luis meneses Roberto luis meneses
Roberto luis meneses
 
Aula prática sistema difestório
Aula prática   sistema difestórioAula prática   sistema difestório
Aula prática sistema difestório
 
Cie1g43
Cie1g43Cie1g43
Cie1g43
 
Roteiro de estudos quimica 4
Roteiro de estudos quimica 4Roteiro de estudos quimica 4
Roteiro de estudos quimica 4
 
Cerveja
CervejaCerveja
Cerveja
 
Agentes de crescimento
Agentes de crescimentoAgentes de crescimento
Agentes de crescimento
 
Relatório Leite
Relatório LeiteRelatório Leite
Relatório Leite
 
Cerveja
CervejaCerveja
Cerveja
 
Bio queijo
Bio queijoBio queijo
Bio queijo
 
Elaboração de Cookies
Elaboração de CookiesElaboração de Cookies
Elaboração de Cookies
 
Produto de Panificação - Cookies
Produto de Panificação - CookiesProduto de Panificação - Cookies
Produto de Panificação - Cookies
 
PRODUÇÃO DE ÁLCOOL DA MANDIOCA E DA CANA
PRODUÇÃO DE ÁLCOOL DA MANDIOCA E DA CANA PRODUÇÃO DE ÁLCOOL DA MANDIOCA E DA CANA
PRODUÇÃO DE ÁLCOOL DA MANDIOCA E DA CANA
 
Fluxograma e análises físico-quimica 5.pptx
Fluxograma e análises físico-quimica 5.pptxFluxograma e análises físico-quimica 5.pptx
Fluxograma e análises físico-quimica 5.pptx
 
Relatório de Química Processo de Separação das Misturas 001
Relatório de Química Processo de Separação das Misturas 001Relatório de Química Processo de Separação das Misturas 001
Relatório de Química Processo de Separação das Misturas 001
 

Mais de Danillo Rodrigues

A engenharia aplicada à saúde
A engenharia aplicada à saúdeA engenharia aplicada à saúde
A engenharia aplicada à saúde
Danillo Rodrigues
 
A engenharia aplicada a saúde
A engenharia aplicada a saúde A engenharia aplicada a saúde
A engenharia aplicada a saúde
Danillo Rodrigues
 
Modelo de panfleto editável (DST's) Frente e verso. Dobrar ao meio
Modelo de panfleto editável (DST's) Frente e verso. Dobrar ao meioModelo de panfleto editável (DST's) Frente e verso. Dobrar ao meio
Modelo de panfleto editável (DST's) Frente e verso. Dobrar ao meio
Danillo Rodrigues
 
Plaquinhas para formatura
Plaquinhas para formaturaPlaquinhas para formatura
Plaquinhas para formatura
Danillo Rodrigues
 
TCC - ANÁLISE BROMATOLÓGICA E COMPARATIVA DE SALGADINHOS INDUSTRIALIZADOS
TCC - ANÁLISE BROMATOLÓGICA E COMPARATIVA DE SALGADINHOS INDUSTRIALIZADOSTCC - ANÁLISE BROMATOLÓGICA E COMPARATIVA DE SALGADINHOS INDUSTRIALIZADOS
TCC - ANÁLISE BROMATOLÓGICA E COMPARATIVA DE SALGADINHOS INDUSTRIALIZADOS
Danillo Rodrigues
 
MOLDURA INSTAGRAM - ALTA QUALIDADE
MOLDURA INSTAGRAM - ALTA QUALIDADEMOLDURA INSTAGRAM - ALTA QUALIDADE
MOLDURA INSTAGRAM - ALTA QUALIDADE
Danillo Rodrigues
 
Botulismo
BotulismoBotulismo
TRIGONOMETRIA - TEORIA, APLICAÇÕES E EXERCÍCIOS RESOLVIDOS PASSO A PASSO
TRIGONOMETRIA - TEORIA, APLICAÇÕES E EXERCÍCIOS RESOLVIDOS PASSO A PASSOTRIGONOMETRIA - TEORIA, APLICAÇÕES E EXERCÍCIOS RESOLVIDOS PASSO A PASSO
TRIGONOMETRIA - TEORIA, APLICAÇÕES E EXERCÍCIOS RESOLVIDOS PASSO A PASSO
Danillo Rodrigues
 
A evolução da mulher no cenário político
A evolução da mulher no cenário políticoA evolução da mulher no cenário político
A evolução da mulher no cenário político
Danillo Rodrigues
 
Augusto dos anjos - PRÉ MODERNISMO
Augusto dos anjos - PRÉ MODERNISMOAugusto dos anjos - PRÉ MODERNISMO
Augusto dos anjos - PRÉ MODERNISMO
Danillo Rodrigues
 
PALADAR - SENTIDOS
PALADAR - SENTIDOSPALADAR - SENTIDOS
PALADAR - SENTIDOS
Danillo Rodrigues
 
Amazônia - BIOMAS
Amazônia - BIOMASAmazônia - BIOMAS
Amazônia - BIOMAS
Danillo Rodrigues
 
APARTHEID
APARTHEID APARTHEID
APARTHEID
Danillo Rodrigues
 
A EVOLUÇÃO DA MULHER NO CENÁRIO POLÍTICO
A EVOLUÇÃO DA MULHER NO CENÁRIO POLÍTICOA EVOLUÇÃO DA MULHER NO CENÁRIO POLÍTICO
A EVOLUÇÃO DA MULHER NO CENÁRIO POLÍTICO
Danillo Rodrigues
 
Eritroblastose fetal - DOENÇA
Eritroblastose fetal - DOENÇAEritroblastose fetal - DOENÇA
Eritroblastose fetal - DOENÇA
Danillo Rodrigues
 
A crise do euro e o Brasil - INFLUÊNCIAS
A crise do euro e o Brasil - INFLUÊNCIASA crise do euro e o Brasil - INFLUÊNCIAS
A crise do euro e o Brasil - INFLUÊNCIAS
Danillo Rodrigues
 
DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA
DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA
DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA
Danillo Rodrigues
 
China
China China
Operações de separação - FILTRAÇÃO
Operações de separação - FILTRAÇÃOOperações de separação - FILTRAÇÃO
Operações de separação - FILTRAÇÃO
Danillo Rodrigues
 
GONÇALVES DIAS - ROMANTISMO (Vida, obra e características)
GONÇALVES DIAS - ROMANTISMO (Vida, obra e características)GONÇALVES DIAS - ROMANTISMO (Vida, obra e características)
GONÇALVES DIAS - ROMANTISMO (Vida, obra e características)
Danillo Rodrigues
 

Mais de Danillo Rodrigues (20)

A engenharia aplicada à saúde
A engenharia aplicada à saúdeA engenharia aplicada à saúde
A engenharia aplicada à saúde
 
A engenharia aplicada a saúde
A engenharia aplicada a saúde A engenharia aplicada a saúde
A engenharia aplicada a saúde
 
Modelo de panfleto editável (DST's) Frente e verso. Dobrar ao meio
Modelo de panfleto editável (DST's) Frente e verso. Dobrar ao meioModelo de panfleto editável (DST's) Frente e verso. Dobrar ao meio
Modelo de panfleto editável (DST's) Frente e verso. Dobrar ao meio
 
Plaquinhas para formatura
Plaquinhas para formaturaPlaquinhas para formatura
Plaquinhas para formatura
 
TCC - ANÁLISE BROMATOLÓGICA E COMPARATIVA DE SALGADINHOS INDUSTRIALIZADOS
TCC - ANÁLISE BROMATOLÓGICA E COMPARATIVA DE SALGADINHOS INDUSTRIALIZADOSTCC - ANÁLISE BROMATOLÓGICA E COMPARATIVA DE SALGADINHOS INDUSTRIALIZADOS
TCC - ANÁLISE BROMATOLÓGICA E COMPARATIVA DE SALGADINHOS INDUSTRIALIZADOS
 
MOLDURA INSTAGRAM - ALTA QUALIDADE
MOLDURA INSTAGRAM - ALTA QUALIDADEMOLDURA INSTAGRAM - ALTA QUALIDADE
MOLDURA INSTAGRAM - ALTA QUALIDADE
 
Botulismo
BotulismoBotulismo
Botulismo
 
TRIGONOMETRIA - TEORIA, APLICAÇÕES E EXERCÍCIOS RESOLVIDOS PASSO A PASSO
TRIGONOMETRIA - TEORIA, APLICAÇÕES E EXERCÍCIOS RESOLVIDOS PASSO A PASSOTRIGONOMETRIA - TEORIA, APLICAÇÕES E EXERCÍCIOS RESOLVIDOS PASSO A PASSO
TRIGONOMETRIA - TEORIA, APLICAÇÕES E EXERCÍCIOS RESOLVIDOS PASSO A PASSO
 
A evolução da mulher no cenário político
A evolução da mulher no cenário políticoA evolução da mulher no cenário político
A evolução da mulher no cenário político
 
Augusto dos anjos - PRÉ MODERNISMO
Augusto dos anjos - PRÉ MODERNISMOAugusto dos anjos - PRÉ MODERNISMO
Augusto dos anjos - PRÉ MODERNISMO
 
PALADAR - SENTIDOS
PALADAR - SENTIDOSPALADAR - SENTIDOS
PALADAR - SENTIDOS
 
Amazônia - BIOMAS
Amazônia - BIOMASAmazônia - BIOMAS
Amazônia - BIOMAS
 
APARTHEID
APARTHEID APARTHEID
APARTHEID
 
A EVOLUÇÃO DA MULHER NO CENÁRIO POLÍTICO
A EVOLUÇÃO DA MULHER NO CENÁRIO POLÍTICOA EVOLUÇÃO DA MULHER NO CENÁRIO POLÍTICO
A EVOLUÇÃO DA MULHER NO CENÁRIO POLÍTICO
 
Eritroblastose fetal - DOENÇA
Eritroblastose fetal - DOENÇAEritroblastose fetal - DOENÇA
Eritroblastose fetal - DOENÇA
 
A crise do euro e o Brasil - INFLUÊNCIAS
A crise do euro e o Brasil - INFLUÊNCIASA crise do euro e o Brasil - INFLUÊNCIAS
A crise do euro e o Brasil - INFLUÊNCIAS
 
DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA
DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA
DOENÇA - Ancilostomose (amarelão) - BIOLOGIA
 
China
China China
China
 
Operações de separação - FILTRAÇÃO
Operações de separação - FILTRAÇÃOOperações de separação - FILTRAÇÃO
Operações de separação - FILTRAÇÃO
 
GONÇALVES DIAS - ROMANTISMO (Vida, obra e características)
GONÇALVES DIAS - ROMANTISMO (Vida, obra e características)GONÇALVES DIAS - ROMANTISMO (Vida, obra e características)
GONÇALVES DIAS - ROMANTISMO (Vida, obra e características)
 

FERMENTAÇÃO ALCOÓLICA NA PRODUÇÃO DE PÃO

  • 1. FERMENTAÇÃO ALCOOLICA NA PRODUÇÃO DE PÃO BRENDA, DANILLO, EDMUNDO, EDUARDO E LUCAS
  • 2. INTRODUÇÃO  Foi proposto aos alunos a elaboração ou adequação de um procedimento, de qualquer experimento relacionado com o conteúdo visto em sala: A fermentação  O tema escolhido por este grupo foi a Fermentação Alcoólica do Pão, foi realizado um estudo da atuação das leveduras e sua importância nesse processo, através da fermentação do pão submetida a diferentes condições físico-químicas.  O presente trabalho abordará desde os estudos e experimento realizados até os resultados obtidos.
  • 3. FUNDAMENTOS TEÓRICOS O que é Fermentação ? Um processo anaeróbio de transformação de uma substância em outra, produzida a partir de microorganismos, tais como bactérias e fungos, chamados nestes casos de fermentos. Fermentação Alcoolica ? A fermentação alcoólica é um processo biológico no qual açúcares como a glicose, frutose e sacarose são convertidos em energia celular com produção de etanol e dióxido de carbono como resíduos metabólicos. Como este processo pode ser realizado sem a presença de oxigênio é considerado um processo anaeróbico.
  • 4.
  • 5. Leveduras As leveduras são fungos unicelulares, ou seja, formados somente por uma única célula. Devido a esta característica elas crescem e se reproduzem mais rapidamente. Esta categoria de fungos não é visível a olho nu, sendo visualizados apenas com auxílio de um microscópio. São bem maiores do que a maioria das bactérias existentes e foram visualizadas pela primeira vez em 1680, por Antony van Leewenhoeck. FUNDAMENTOS TEÓRICOS
  • 6.
  • 7. Produção de Pão FUNDAMENTOS TEÓRICOS  Os ingredientes fundamentais do pão são a farinha de trigo , a água e a levedura de padeiro.  A farinha de trigo é constituída por vários compostos , porém os mais relevantes são : o amido e as proteínas.  O amido ( 70% da farinha) é constituído por cadeias de glucose. As cadeias podem ser ramificadas ou então lineares. Estas formam uma estrutura semi-cristalina resistente denominada de grânulo , que pode ter várias dimensões. Porém , existem na farinha enzimas que aceleram a quebra de ligações entre os açúcares que constituem as cadeias do amido, produzindo açúcares livres.
  • 8. FUNDAMENTOS TEÓRICOS Durante o processo de amassar , as proteínas que se encontravam originalmente enroladas desenrolam-se , pois a energia mecânica introduzida no processo de amassar provoca a quebra de algumas ligações químicas. Deste modo , as cadeias desenroladas estabelecem novas ligações , formando uma espécie de rede plástica , elástica e muito coesa denominada glúten.
  • 9. Produção de Pão  A água é necessária , pois é nesta que os compostos solúveis se vão dissolver.  A levedura Saccharomyces cerevisiae é o microrganismo envolvido na produção do pão. As células desta levedura consomem os açúcares livres provenientes do amido e vão produzir álcool etílico e o dióxido de carbono ( e outros compostos) , sendo que estes conferem sabor e aroma ao pão. Esta levedura , em ambientes anaeróbios , irá realizar a fermentação alcoólica. A massa vai crescer , podendo ficar com mais do dobro do seu tamanho. FUNDAMENTOS TEÓRICOS
  • 10. Parte experimental Objetivos Materiais, Aparelhagem e Reagentes  Observar a ocorrência da Fermentação Alcoólica, bem como a influência da temperatura na atividade das leveduras na produção de pão e verificar o papel do fermento no crescimento da massa do mesmo, comparando o crescimento da massa preparada com outras submetidas a diferentes propriedades físico- químicas.  Quatro béqueres de 1L.  Quatro béqueres de 250 ml.  Quatro béqueres de 100 ml.  Quatro béqueres de 50 ml.  400 g de farinha.  Folha de alumínio.  15 g de fermento de padeiro (levedura).  Estufa regulada para 30 graus Celsius.  Marcador para vidro.  Quatro bastões de vidro  3 vidros relógio  Água  Açúcar
  • 11. Procedimento Parte experimental Identificação dos Béqueres A,B, C e D Pesagem (Farinha, Fermento, Açúcar e água) Adição de Ingredientes (Béquer D sem Fermento) Adição Simultânea Mistura por 5 minutos Béqueres cobertos com papel alumínio A e D na estufa (30°c) B (geladeira) e C (temperatura ambiente) Alterações registradas após 20, 40 e 60 minutos
  • 12. Béquer Conteúdo do Béquer A, B e C Farinha, Levedura (Fermento), Açúcar e Água. D Farinha, Açúcar e Água. Parte experimental
  • 13. RESULTADOS E DISCUSSÕES Registro dos resultados  Ao fim do experimento, após o repouso de uma hora em diferentes condições de temperatura, os resultados foram registrados. Béquer Altura Inicial 08:48 h Após 20 minutos 09:08 h Após 40 minutos 09:28 h Após 60 minutos ( 1 hora ) 09:48 h A 2 cm + 4 cm + 4 cm - 2 cm B 2 cm + 2 cm + 2 cm + 1 cm C 2 cm + 2,5 cm + 3 cm + 1 cm D 2 cm - - -
  • 14. RESULTADOS E DISCUSSÕES Registro dos resultados Béquer Altura Final Altura Máxima A 8 cm 10 cm B 7 cm 7 cm C 8,5 cm 8,5 cm D 2 cm 2 cm
  • 15. RESULTADOS E DISCUSSÕES Discussão dos resultados Qual o produto desejado na fermentação do pão? De que forma ocorre a fermentação na produção de pão?
  • 16. RESULTADOS E DISCUSSÕES Discussão dos resultados Qual foi o recipiente (béquer) com levedura que menos cresceu? E o que mais cresceu? O que foi possível concluir? A C D
  • 17. RESULTADOS E DISCUSSÕES ATVIDADE(%) TEMPERATURA (°C) Curva da variação da atividade da levedura de acordo com a temperatura
  • 18. RESULTADOS E DISCUSSÕES Discussão dos resultados O béquer B foi colocado na geladeira, por que motivo ele cresceu?
  • 19. RESULTADOS E DISCUSSÕES Discussão dos resultados Por que razão o béquer sem leveduras (D) não apresenta crescimento da massa? Por que razão os béqueres A, B e C apresentam bolhas de ar? Porque o mesmo não se verifica no béquer D?
  • 20. Conclusão Com a realização desta atividade laboratorial podemos confirmar que as leveduras responsáveis pela produção do pão possuem temperaturas ideais que condicionam a sua atividade. O objetivo do experimento foi atingido com êxito. A fermentação alcoólica foi observada.