SlideShare uma empresa Scribd logo
História – 7º ano
Professora Carla Freitas
Antes do Homem...




                           Continente
                            Africano
Plesiadapis   Proconsul
58 a 55 MA    20 a 17 MA    O Berço da
                           Humanidade
Ao longo de milénios o ser humano evoluiu e transformou-se.
  A este lento processo de evolução chama-se Hominização.
 Os primeiros hominídeos viveram na Pré-História - período
  anterior à invenção da escrita.
 O primeiro período da Pré-História é o Paleolítico – período da
  pedra antiga ou lascada
Os primeiros Hominídeos pré postura bípede
                     Sahelantropus tchadensis (Chade - 2001)
                     •6 a 7 milhões de anos
                     •320 a 380 cc.
                     •Dentição com semelhanças ao homem



  Orrorin tugenensis (Baringo - 2000)
  •6 milhões de anos (aproximadamente)
  •Dentição e maxilar com semelhanças ao homem




                           Ardipithecus ramidus e Ardipithecus
                           ramidus kadabba (Etiópia - 1994)
                           •4.4. a 4.5 milhões de anos (aproximadamente)
                           •Provavelmente mais ligado à evolução dos primatas do
                           que à dos homens
Australopitecos
Australopitecos Anamensis   Localização     Quénia


                            Datação         3,9 a 4,2 M.a.


                            Peso            entre 46 e 55
                                            Kg.

                            Crânio          desconhecido


                            Paleontologia   descoberta em 1994
                                            por Meave Leakey, 21
                                            fósseis no total
Australopitecos
Australopitecos afarensis   Localização     África


                            Datação         3.9 a 2.9 M.a.


                            Peso            entre 30 e 40
                                            Kg.

                            Crânio          380 a 480cm³


                            Paleontologia   Lucy, descoberta
                                            em 1974 por Tom
                                            Gray na Etiópia
Australopitecos
Australopitecos africanus   Localização     África


                            Datação         2 a 3 M.a.


                            Peso            Cerca de 40
                                            Kg

                            Crânio          Cerca de
                                            440cm³

                            Paleontologia   Criança de 6 anos
                                            descoberta por
                                            Raymond Dart, na
                                            Tanzânia
Australopitecos
Australopitecos aethiopicus   Localização     África


                              Datação         2,8 a 2,2 M.a.


                              Peso            desconhecido.


                              Crânio          Cerca de 410
                                              cm³

                              Paleontologia   Descoberto em
                                              1924, na Tanzânia
Australopitecos
Australopitecos boisei   Localização     África


                         Datação         2,6 a 1,2 M.a.


                         Peso            45 – 68 kg.


                         Crânio          Entre 500 and
                                         550 cm³

                         Paleontologia   Descoberto por
                                         Mary Leakey em
                                         1959 , na Tanzânia
Australopitecos
Australopitecos robustos   Localização     África


                           Datação         2 a 1.2 M.a.


                           Peso            Cerca de 54 kg


                           Crânio          entre 410 e
                                           530 cm³

                           Paleontologia   Descoberto em
                                           1949, na África do
                                           Sul
Australopitecos
Australopitecos   Localização     África
     garhi

                  Datação         2,5-2,6 M.a.


                  Peso            desconhecido.


                  Crânio          Cerca de 450
                                  cm³

                  Paleontologia   descoberto em
                                  1999, por Berhane
                                  Asfaw e Tim White,
                                  na Etiópia
Homo habilis
         Apesar de pertencer ao género
       Homo esta espécie era bastante
       diferente de nós, os seus braços
       eram bastante longos, o seu crânio
       muito menor e assemelhava-se a um
       australopitecos.
         O seu nome habilis provem da sua
       habilidade para o manuseio e criação
       de utensílios de osso e pedra.
       Embora       muitos    cientistas  o
       considerem o antepassado directo do
       homem, esta opinião não é
       consensual.
Homo habilis
Características   Localização     Sul e Leste de
                                  África
                  Datação         2,4 a 1,6 M.a.

                  Peso            30 a 40 kg

                  Altura          +/- 1 metro
                  Crânio          Cerca de 510
                                  cm³ a 750 cm³

                  Alimentação     Omnívora

                  Paleontologia   descoberto na
                                  Suazilândia em
                                  1964 por Louis
                                  Leakey
Homo rudolfensis
Homo rudolfensis


                     O Homo rudolfensis e o Homo
                   habilis coexistiram há cerca de 2
                   milhões de anos atrás.
                     Não se sabe ao certo qual das duas
                   surgiu primeiro, no entanto há
                   cientistas que defendem que o Homo
                   rudolfensis é uma variação do Homo
                   habilis.
Homo rudolfensis
Características   Localização     África

                  Datação         2,4 a 1,8 M.a.

                  Peso            desconhecido

                  Altura          controversa

                  Crânio          600-800 cm³

                  Alimentação     Omnívora

                  Paleontologia   descoberto por
                                  Bernard Ngeneo
                                  em 1972
Homo ergaster

          Ergaster deriva do grego ergaster
       que significa trabalhador.
          Este nome é-lhe atribuído devido
       ao facto de terem sido encontrados
       machados e facas perto dos seus
       fósseis.
          Alguns cientistas defendem que
       esta espécie já domina o fogo.
          Foram os primeiros a dominar um
       sistema           complexo       de
       linguagem, juntamente com o Homo
       erectus.
Homo ergaster
Características   Localização     África do Sul

                  Datação         1,9 a 1,4 M.a.

                  Peso            60 a 70 kg

                  Altura          +/- 1.9 m

                  Crânio          700 - 850 cm³

                  Alimentação     Omnívora

                  Paleontologia   Descoberto em
                                  1984, por
                                  Kamoya Kimeu
                                  no Quénia
Homo erectus
        O Homo erectus foi o primeiro
       hominídeo a deixar a África, existem
       evidencias da sua presença, para
       além     desse     continente,     na
       Europa, Vietnam e China.
         O Homo erectus evidencia-se pelo
       domínio do fogo e pela habilidade de
       comunicação com os outros da
       mesma espécie.
         Viviam     essencialmente       em
       cavernas e faziam ferramentas de
       osso, madeira e pedra.
Homo erectus
Características   Localização     Africa, Europa,
                                  Indonesia,
                                  Vietnam e China
                  Datação         1,8M.a 300 Mil
                                  anos
                  Peso            +/- 60 kg
                  Altura          +/- 1. 8 m
                  Crânio          850 - 1100 cm³
                  Alimentação     Omnívora

                  Paleontologia   Descoberto por
                                  Eugéne Dubois,
                                  na região central
                                  de Java
Homo heidelbergensis
             O Homo heidelbergensis é um
           antepassado directo do Homo
           neanderthalensis, no entanto, hoje
           sabe-se que não é um antepassado
           directo do Homo sapiens sapiens.
             A sua tecnologia já era bastante
           desenvolvida     e    contava   com
           machados, lanças e utensílios de
           caça, visto não haver vegetação
           devido ao gelo.
             Dominavam o fogo, pois existem
           evidencias de fogueiras.
Homo heidelbergensis
Características   Localização     Africa, Europa

                  Datação         600 - 400 Mil
                                  anos
                  Peso            +/- 100 kg
                                  (masculinos)
                  Altura          +/- 1,8 m
                  Crânio          1100-1400 cm³
                  Alimentação     Carnívora

                  Paleontologia   Descoberto em
                                  1907 em Mauer
Homo sapiens nenderthalensis
                 Os      Neandertais       comiam
              essencialmente carne, não se sabe
              ao certo porque foram extintos
              pensa-se que tenha sido devido ao
              frio ou devido a confrontos com
              outras espécies.
                 Eram caçadores natos e formavam
              equipas para isso.
                 O seu queixo e testa eram
              diminutos, ao contrário da cavidade
              craniana que era maior do que a dos
              sapiens sapiens. No entanto não
              eram tão inteligentes.
                 Esta espécie era muito hábil na
              construção      de   ferramentas  e
              enterrava os mortos.
Homo sapiens nenderthalensis
   Características   Localização     Europa, Oeste da
                                     Ásia,

                     Datação         300 a 29 Mil anos

                     Peso            +/- 80 kg

                     Altura          1. 65 m

                     Crânio          1200 e 1700 cm³

                     Alimentação     Omnívora

                     Paleontologia   Descoberto por
                                     Engis, Belgium
                                     em 1829
Homo sapiens sapiens
   Cro-Magnon
            Cro-Magnon foram os primeiros
          Homo sapiens sapiens.
            Usavam          pendentes        e
          colares, pensa-se que tenham a ver
          com rituais de morte para os
          elementos da comunidade que
          morriam.
            A sua única diferença para os
          Humanos actuais era a sua robustez
          e a caixa craniana um pouco maior.
            Tinham os seus próprios abrigos e
          utilizavam produtos químicos para
          pintar, tendo criado o primeiro
          calendário.
Homo sapiens sapiens
       Cro-Magnon
Características   Localização     Africa, Europa,
                                  Asia
                  Datação         40 – 10 Mil anos

                  Peso            60 - 70 kg

                  Altura          +/- 1. 7 m

                  Crânio          1350 cm³

                  Alimentação     Omnívora

                  Paleontologia   Descoberto por
                                  Louis Lartet, 1868
Homo sapiens sapiens
            Pensa-se que o Homo sapiens
          surgiu há 200 Mil anos no Este de
          África.
            Esta espécie caracteriza-se por um
          comportamento       social     muito
          desenvolvido    e    pela    extrema
          capacidade de invenção e criação de
          objectos.
            Destacam-se      também        pela
          simbologia e pela constante criação
          de arte.
Homo sapiens sapiens
Características   Localização     Todo o mundo

                  Datação         Surgiu há 150 mil
                                  anos
                  Peso            +/- 86 kg
                  Altura          +/- 1. 7 m
                  Crânio          1400 cm³
                  Alimentação     Omnívora

                  Paleontologia      -
Arvore genealógica dos Homínideos
Modificações Físicas

Aumento do tamanho do cérebro




                                Esqueleto – Bipedia

  Pele
Modificações Físicas



Maxilar e dentição               Formato da mão e polegar oponente




              Desenvolvimento da garganta
Conquistas
O fogo




Fabricava-se friccionando dois pedaços de madeira ou batendo duas pedras.

Provocou importantes transformações na vida do Homem:
   melhor alimentação (cozinhar);
   defesa e protecção de animais ferozes;
   iluminação das cavernas;
   protecção do frio;
   endurecer as pontas de seta;
   contribuiu para estreitar laços e solidariedade (desenvolvimento da fala).
Os Utensílios
Utilidade      dos      primeiros
utensílios:   caça;   defesa     e
preparação de alimentos.

Técnica de fabrico de utensílios –
lascagem. Efectuava-se batendo
uma pedra contra a outra,
tentando aguçá-la, à medida que
se iam tirando lascas.

Tipos de utensílios: seixos
quebrados, raspadores, bifaces,
pontas de seta, agulhas, lanças,
arpões.
                                      Silex
Os Utensílios


                                         Raspador
Seixo talhado          Bifaces




                       Arpões em osso
 Pontas de seta                                     Agulha
 e pontas de                                          em
 lança                                  lâmina       osso
Os Utensílios




                                 Objectos de adorno



                     Propulsor
Arco e flecha
A caça em grupo
As Sociedades Recoletoras
Economia - Recoletora
Baseada em actividades que não implicam produção de
alimentos, como a caça, a pesca e a recolecção,

•Recolhiam frutos, raizes, folhas, etc.
•Afastavam os predadores e ficavam com os restos das suas
presas
•Caçavam individualmente pequenos animais, recorrendo a
armadilhas ou em grupo animais de grande porte
•Pescavam nos rios e nos mares recorrendo a lanças, arpões e
redes (?)
As Sociedades Recoletoras
Modo de Vida - Nomadismo
Mudam constantemente de sítio porque:
Acabavam as plantas de que se alimentavam
Seguiam as migrações dos animais de que se alimentavam

Caça em grupo
Leva ao desenvolvimento de:
Instrumentos, como o propulsor, o arco e a flecha
Da inteligência, para poderem caçar animais maiores e mais
rápidos
Da linguagem, para poderem trabalhar em equipa
As Sociedades Recolectoras
Melhoria das condições de vida
Alimentação mais variada e abundante
Maior domínio da natureza
Utilização de peles e ossos para aquecimento e tendas
Maior capacidade de sobrevivência

Divisão de Tarefas por Sexos e Idade
Mulheres – recolecção, preparação de alimentos, tratamento
de peles e cuidar das crianças
Homens – caça, pesca, fogo, utensílios
Crianças – acompanham as mulheres
Mais velhos – chefiam o grupo, feiticeiros/curandeiros

      Aumento da população e das áreas
                habitadas
As novas áreas habitadas
Religião


Vénus de Willendorf                                   Ritos Mágicos




          Ritos funerários              Bisonte, gruta de La Madeleine
Religião
• Ligada ao culto de elementos naturais (como o
  sol, a lua e os animais) e à explicação de
  fenómenos como o parto (culto da deusa-
  mãe), desenvolvendo crenças religiosas.
• Domínio das forças da Natureza através de
  ritos mágicos como danças, gestos e sacrifícios
  de animais
• Crença na vida depois da morte, com a prática
  de ritos funerários (enterro de mortos com
  adornos, flores e comida).
Arte Paleolítica - Arte Móvel



  Dama de Brassempouy         Vénus de Laussel        Dama de Sireuil




Cabeça de Cavalo, gruta   Utensílios decorados   Cavalo, Gruta de Vogelherd.
de La madeleine
Arte Paleolítica – Pintura Rupestre



  Altamira, Espanha                        Caverna de Gargas, França
                         Chauvet, França




  Trois Fréres, França   Lascaux, França       Pech-Merle, França
Arte Paleolítica – Gravuras rupestres



   Mazouco, Portugal                        Gruta La Gréze, França




                       Escoural, Portugal



   Foz Côa, Portugal                            Foz Côa, Portugal
Arte Paleolítica
Arte Móvel – pequenos objectos que se podem transportar
• Sobretudo representações da deusa-mãe, de animais e
  utensilios decorados
• Feita em pedra, osso, haste/corno, dentes
• Possivelmente para dar sorte na caça (animais) e no parto
  (vénus) e como símbolos de poder

Arte Rupestre – Pinturas e gravuras em cavernas, abrigos e
rochedos junto a rios (arte parietal)
• Representam cenas de caça, mãos, animais, grafismos
• Utilizam tintas feitas de plantas, sangue, carvão, pintando
  com os dedos ou fibras animais e vegetais, à luz do fogo
• Dar sorte na caça, cerimónias religiosas, poder sobre a
  natureza.
Será que a evolução do homem já
terminou?...

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O Antigo Egipto
O Antigo EgiptoO Antigo Egipto
O Antigo Egipto
cattonia
 
A civilização egípcia
A civilização egípciaA civilização egípcia
A civilização egípcia
Vítor Santos
 
PRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOS
PRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOSPRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOS
PRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOS
carlosbidu
 
4 mesopotamia
4 mesopotamia4 mesopotamia
4 mesopotamia
Lucas Cechinel
 
Arte no paleolítico
Arte no paleolíticoArte no paleolítico
Arte no paleolítico
Rainha Maga
 
Paleolítico e Neolítico
Paleolítico e NeolíticoPaleolítico e Neolítico
Paleolítico e Neolítico
Carlos Vieira
 
O Antigo Egipto
O Antigo EgiptoO Antigo Egipto
O Antigo Egipto
CPH
 
A pólis de atenas
A pólis de atenasA pólis de atenas
A pólis de atenas
Ana Barreiros
 
26 - Renascimento
26 - Renascimento26 - Renascimento
26 - Renascimento
Carla Freitas
 
Módulo 3 contexto histórico regular
Módulo 3   contexto histórico regularMódulo 3   contexto histórico regular
Módulo 3 contexto histórico regular
Carla Freitas
 
A Democracia Em Atenas
A Democracia Em  AtenasA Democracia Em  Atenas
A Democracia Em Atenas
Sílvia Mendonça
 
Revolução neolítica
Revolução neolíticaRevolução neolítica
Revolução neolítica
Carlos Pinheiro
 
Democracia ateniense
Democracia atenienseDemocracia ateniense
Democracia ateniense
Ewerton Anacleto de Souza
 
Antiguidade Oriental
Antiguidade OrientalAntiguidade Oriental
Antiguidade Oriental
José Augusto Fiorin
 
A vida humana no paleolítico
A vida humana no paleolíticoA vida humana no paleolítico
A vida humana no paleolítico
Douglas Barraqui
 
A Grécia Antiga
A Grécia AntigaA Grécia Antiga
A Grécia Antiga
Davi Gonçalves Valério
 
A Civilização Romana
A Civilização RomanaA Civilização Romana
A Civilização Romana
cattonia
 
Aula 10 renascimento e humanismo
Aula 10   renascimento e humanismoAula 10   renascimento e humanismo
Aula 10 renascimento e humanismo
Profdaltonjunior
 
Pré história
Pré históriaPré história
Pré história
harlissoncarvalho
 
Pré-História
Pré-HistóriaPré-História
Pré-História
eiprofessor
 

Mais procurados (20)

O Antigo Egipto
O Antigo EgiptoO Antigo Egipto
O Antigo Egipto
 
A civilização egípcia
A civilização egípciaA civilização egípcia
A civilização egípcia
 
PRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOS
PRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOSPRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOS
PRÉ-HISTÓRIA SLIDES COMPLETOS
 
4 mesopotamia
4 mesopotamia4 mesopotamia
4 mesopotamia
 
Arte no paleolítico
Arte no paleolíticoArte no paleolítico
Arte no paleolítico
 
Paleolítico e Neolítico
Paleolítico e NeolíticoPaleolítico e Neolítico
Paleolítico e Neolítico
 
O Antigo Egipto
O Antigo EgiptoO Antigo Egipto
O Antigo Egipto
 
A pólis de atenas
A pólis de atenasA pólis de atenas
A pólis de atenas
 
26 - Renascimento
26 - Renascimento26 - Renascimento
26 - Renascimento
 
Módulo 3 contexto histórico regular
Módulo 3   contexto histórico regularMódulo 3   contexto histórico regular
Módulo 3 contexto histórico regular
 
A Democracia Em Atenas
A Democracia Em  AtenasA Democracia Em  Atenas
A Democracia Em Atenas
 
Revolução neolítica
Revolução neolíticaRevolução neolítica
Revolução neolítica
 
Democracia ateniense
Democracia atenienseDemocracia ateniense
Democracia ateniense
 
Antiguidade Oriental
Antiguidade OrientalAntiguidade Oriental
Antiguidade Oriental
 
A vida humana no paleolítico
A vida humana no paleolíticoA vida humana no paleolítico
A vida humana no paleolítico
 
A Grécia Antiga
A Grécia AntigaA Grécia Antiga
A Grécia Antiga
 
A Civilização Romana
A Civilização RomanaA Civilização Romana
A Civilização Romana
 
Aula 10 renascimento e humanismo
Aula 10   renascimento e humanismoAula 10   renascimento e humanismo
Aula 10 renascimento e humanismo
 
Pré história
Pré históriaPré história
Pré história
 
Pré-História
Pré-HistóriaPré-História
Pré-História
 

Semelhante a Evolução do homem e sociedades recolectoras

Teoria da evolução - Hominedeos.pptx
Teoria da evolução - Hominedeos.pptxTeoria da evolução - Hominedeos.pptx
Teoria da evolução - Hominedeos.pptx
JulianaMorgado9
 
A EvoluçãO Humana
A EvoluçãO HumanaA EvoluçãO Humana
A EvoluçãO Humana
JDL
 
02 evolução do homem
02   evolução do homem02   evolução do homem
02 evolução do homem
Carla Freitas
 
Pre-história
Pre-históriaPre-história
Pre-história
Paulo Alexandre
 
Pre historia
Pre historiaPre historia
Evolução humana
Evolução humanaEvolução humana
Evolução humana
' Paan
 
Pré História - 6º Ano
Pré História - 6º AnoPré História - 6º Ano
Pré História - 6º Ano
Patrícia Costa Grigório
 
Processo Hominização
Processo HominizaçãoProcesso Hominização
Processo Hominização
Biblioteca AEFC Francisco Cabrita
 
Processo de hominização
Processo de hominização Processo de hominização
Processo de hominização
Maria Isabel Sousa
 
Processo Hominização
Processo HominizaçãoProcesso Hominização
Processo Hominização
Biblioteca AEFC Francisco Cabrita
 
6454529 evolucao-humana
6454529 evolucao-humana6454529 evolucao-humana
6454529 evolucao-humana
Veludio
 
Evolução humana
Evolução humanaEvolução humana
Evolução humana
Sahra Rodrigues
 
Pré-História
Pré-HistóriaPré-História
Pré-História
Paulo Alexandre
 
Daniel surgimentos dos seres humanos professora rosimeire
Daniel  surgimentos  dos    seres    humanos     professora   rosimeireDaniel  surgimentos  dos    seres    humanos     professora   rosimeire
Daniel surgimentos dos seres humanos professora rosimeire
NeticiaMatos
 
Pré história
Pré históriaPré história
Pré história
Kerol Brombal
 
EvoluçãO Humana
EvoluçãO HumanaEvoluçãO Humana
EvoluçãO Humana
dantasmestre
 
Evoluohumana 090817204951-phpapp02
Evoluohumana 090817204951-phpapp02Evoluohumana 090817204951-phpapp02
Evoluohumana 090817204951-phpapp02
Marcia Moreira
 
Evolução da Humanidade - Genêro Homo.pptx
Evolução da Humanidade - Genêro Homo.pptxEvolução da Humanidade - Genêro Homo.pptx
Evolução da Humanidade - Genêro Homo.pptx
LauraCristina514830
 
Pré história
Pré históriaPré história
Pré história
Kerol Brombal
 
Pré história e história
Pré história e históriaPré história e história
Pré história e história
Acessa Esterina
 

Semelhante a Evolução do homem e sociedades recolectoras (20)

Teoria da evolução - Hominedeos.pptx
Teoria da evolução - Hominedeos.pptxTeoria da evolução - Hominedeos.pptx
Teoria da evolução - Hominedeos.pptx
 
A EvoluçãO Humana
A EvoluçãO HumanaA EvoluçãO Humana
A EvoluçãO Humana
 
02 evolução do homem
02   evolução do homem02   evolução do homem
02 evolução do homem
 
Pre-história
Pre-históriaPre-história
Pre-história
 
Pre historia
Pre historiaPre historia
Pre historia
 
Evolução humana
Evolução humanaEvolução humana
Evolução humana
 
Pré História - 6º Ano
Pré História - 6º AnoPré História - 6º Ano
Pré História - 6º Ano
 
Processo Hominização
Processo HominizaçãoProcesso Hominização
Processo Hominização
 
Processo de hominização
Processo de hominização Processo de hominização
Processo de hominização
 
Processo Hominização
Processo HominizaçãoProcesso Hominização
Processo Hominização
 
6454529 evolucao-humana
6454529 evolucao-humana6454529 evolucao-humana
6454529 evolucao-humana
 
Evolução humana
Evolução humanaEvolução humana
Evolução humana
 
Pré-História
Pré-HistóriaPré-História
Pré-História
 
Daniel surgimentos dos seres humanos professora rosimeire
Daniel  surgimentos  dos    seres    humanos     professora   rosimeireDaniel  surgimentos  dos    seres    humanos     professora   rosimeire
Daniel surgimentos dos seres humanos professora rosimeire
 
Pré história
Pré históriaPré história
Pré história
 
EvoluçãO Humana
EvoluçãO HumanaEvoluçãO Humana
EvoluçãO Humana
 
Evoluohumana 090817204951-phpapp02
Evoluohumana 090817204951-phpapp02Evoluohumana 090817204951-phpapp02
Evoluohumana 090817204951-phpapp02
 
Evolução da Humanidade - Genêro Homo.pptx
Evolução da Humanidade - Genêro Homo.pptxEvolução da Humanidade - Genêro Homo.pptx
Evolução da Humanidade - Genêro Homo.pptx
 
Pré história
Pré históriaPré história
Pré história
 
Pré história e história
Pré história e históriaPré história e história
Pré história e história
 

Mais de Carla Freitas

11 ha m6 u1
11 ha m6 u111 ha m6 u1
11 ha m6 u1
Carla Freitas
 
11 Ha M5 u3
11 Ha M5 u311 Ha M5 u3
11 Ha M5 u3
Carla Freitas
 
11 Ha M5 u5 1
11 Ha M5 u5 111 Ha M5 u5 1
11 Ha M5 u5 1
Carla Freitas
 
Módulo 8 - Romantismo
Módulo 8 - RomantismoMódulo 8 - Romantismo
Módulo 8 - Romantismo
Carla Freitas
 
Módulo 8 - Arte em Portugal nos finais do século XIX
Módulo 8 - Arte em Portugal nos finais do século XIXMódulo 8 - Arte em Portugal nos finais do século XIX
Módulo 8 - Arte em Portugal nos finais do século XIX
Carla Freitas
 
Módulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismo
Módulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismoMódulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismo
Módulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismo
Carla Freitas
 
Módulo 8 - Naturalismo e Realismo
Módulo 8 - Naturalismo e RealismoMódulo 8 - Naturalismo e Realismo
Módulo 8 - Naturalismo e Realismo
Carla Freitas
 
11 ha m5 u4
11 ha m5 u411 ha m5 u4
11 ha m5 u4
Carla Freitas
 
11 ha m5 u2
11 ha m5 u211 ha m5 u2
11 ha m5 u2
Carla Freitas
 
11 ha m4 u3 3
11 ha m4 u3 311 ha m4 u3 3
11 ha m4 u3 3
Carla Freitas
 
11 ha m5 u1
11 ha m5 u111 ha m5 u1
11 ha m5 u1
Carla Freitas
 
11 ha m4 u4 3
11 ha m4 u4 311 ha m4 u4 3
11 ha m4 u4 3
Carla Freitas
 
11 ha m4 u4 2
11 ha m4 u4 211 ha m4 u4 2
11 ha m4 u4 2
Carla Freitas
 
11 ha m4 u4 1
11 ha m4 u4 111 ha m4 u4 1
11 ha m4 u4 1
Carla Freitas
 
11 ha m4 u3 2
11 ha m4 u3 211 ha m4 u3 2
11 ha m4 u3 2
Carla Freitas
 
11 ha m4 u3 1
11 ha m4 u3 111 ha m4 u3 1
11 ha m4 u3 1
Carla Freitas
 
11 ha m4 u2 2
11 ha m4 u2 211 ha m4 u2 2
11 ha m4 u2 2
Carla Freitas
 
11 ha m4 u2 1
11 ha m4 u2 111 ha m4 u2 1
11 ha m4 u2 1
Carla Freitas
 
11 ha m4 u1
11 ha m4 u111 ha m4 u1
11 ha m4 u1
Carla Freitas
 
11 ha m4 u2 3
11 ha m4 u2 311 ha m4 u2 3
11 ha m4 u2 3
Carla Freitas
 

Mais de Carla Freitas (20)

11 ha m6 u1
11 ha m6 u111 ha m6 u1
11 ha m6 u1
 
11 Ha M5 u3
11 Ha M5 u311 Ha M5 u3
11 Ha M5 u3
 
11 Ha M5 u5 1
11 Ha M5 u5 111 Ha M5 u5 1
11 Ha M5 u5 1
 
Módulo 8 - Romantismo
Módulo 8 - RomantismoMódulo 8 - Romantismo
Módulo 8 - Romantismo
 
Módulo 8 - Arte em Portugal nos finais do século XIX
Módulo 8 - Arte em Portugal nos finais do século XIXMódulo 8 - Arte em Portugal nos finais do século XIX
Módulo 8 - Arte em Portugal nos finais do século XIX
 
Módulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismo
Módulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismoMódulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismo
Módulo 8 - Do impressionismo ao Pós-impressionismo
 
Módulo 8 - Naturalismo e Realismo
Módulo 8 - Naturalismo e RealismoMódulo 8 - Naturalismo e Realismo
Módulo 8 - Naturalismo e Realismo
 
11 ha m5 u4
11 ha m5 u411 ha m5 u4
11 ha m5 u4
 
11 ha m5 u2
11 ha m5 u211 ha m5 u2
11 ha m5 u2
 
11 ha m4 u3 3
11 ha m4 u3 311 ha m4 u3 3
11 ha m4 u3 3
 
11 ha m5 u1
11 ha m5 u111 ha m5 u1
11 ha m5 u1
 
11 ha m4 u4 3
11 ha m4 u4 311 ha m4 u4 3
11 ha m4 u4 3
 
11 ha m4 u4 2
11 ha m4 u4 211 ha m4 u4 2
11 ha m4 u4 2
 
11 ha m4 u4 1
11 ha m4 u4 111 ha m4 u4 1
11 ha m4 u4 1
 
11 ha m4 u3 2
11 ha m4 u3 211 ha m4 u3 2
11 ha m4 u3 2
 
11 ha m4 u3 1
11 ha m4 u3 111 ha m4 u3 1
11 ha m4 u3 1
 
11 ha m4 u2 2
11 ha m4 u2 211 ha m4 u2 2
11 ha m4 u2 2
 
11 ha m4 u2 1
11 ha m4 u2 111 ha m4 u2 1
11 ha m4 u2 1
 
11 ha m4 u1
11 ha m4 u111 ha m4 u1
11 ha m4 u1
 
11 ha m4 u2 3
11 ha m4 u2 311 ha m4 u2 3
11 ha m4 u2 3
 

Último

Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Mary Alvarenga
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
CarinaSoto12
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
Giovana Gomes da Silva
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
andressacastro36
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
RenanSilva991968
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
ReinaldoSouza57
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
profesfrancleite
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
1000a
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
jbellas2
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 mateasocialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
ILDISONRAFAELBARBOSA
 
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdfUFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
Manuais Formação
 

Último (20)

Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e ZCaça-palavras - ortografia  S, SS, X, C e Z
Caça-palavras - ortografia S, SS, X, C e Z
 
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdfthe_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
the_story_garden_5_SB_with_activities.pdf
 
0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática0002_matematica_6ano livro de matemática
0002_matematica_6ano livro de matemática
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdfiNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
iNTRODUÇÃO À Plantas terrestres e Plantas aquáticas. (1).pdf
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdfAPOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
APOSTILA DE TEXTOS CURTOS E INTERPRETAÇÃO.pdf
 
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptxA dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
A dinâmica da população mundial de acordo com as teorias populacionais.pptx
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do AssaréFamílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
Famílias Que Contribuíram Para O Crescimento Do Assaré
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdfPowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
PowerPoint Newton gostava de Ler - Saber em Gel.pdf
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slidesSócrates e os sofistas - apresentação de slides
Sócrates e os sofistas - apresentação de slides
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 mateasocialização faculdade uniasselvi 2024 matea
socialização faculdade uniasselvi 2024 matea
 
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdfUFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
UFCD_5420_Integração de sistemas de informação - conceitos_índice.pdf
 

Evolução do homem e sociedades recolectoras

  • 1. História – 7º ano Professora Carla Freitas
  • 2.
  • 3.
  • 4.
  • 5. Antes do Homem... Continente Africano Plesiadapis Proconsul 58 a 55 MA 20 a 17 MA O Berço da Humanidade
  • 6. Ao longo de milénios o ser humano evoluiu e transformou-se. A este lento processo de evolução chama-se Hominização.  Os primeiros hominídeos viveram na Pré-História - período anterior à invenção da escrita.  O primeiro período da Pré-História é o Paleolítico – período da pedra antiga ou lascada
  • 7. Os primeiros Hominídeos pré postura bípede Sahelantropus tchadensis (Chade - 2001) •6 a 7 milhões de anos •320 a 380 cc. •Dentição com semelhanças ao homem Orrorin tugenensis (Baringo - 2000) •6 milhões de anos (aproximadamente) •Dentição e maxilar com semelhanças ao homem Ardipithecus ramidus e Ardipithecus ramidus kadabba (Etiópia - 1994) •4.4. a 4.5 milhões de anos (aproximadamente) •Provavelmente mais ligado à evolução dos primatas do que à dos homens
  • 8. Australopitecos Australopitecos Anamensis Localização Quénia Datação 3,9 a 4,2 M.a. Peso entre 46 e 55 Kg. Crânio desconhecido Paleontologia descoberta em 1994 por Meave Leakey, 21 fósseis no total
  • 9. Australopitecos Australopitecos afarensis Localização África Datação 3.9 a 2.9 M.a. Peso entre 30 e 40 Kg. Crânio 380 a 480cm³ Paleontologia Lucy, descoberta em 1974 por Tom Gray na Etiópia
  • 10. Australopitecos Australopitecos africanus Localização África Datação 2 a 3 M.a. Peso Cerca de 40 Kg Crânio Cerca de 440cm³ Paleontologia Criança de 6 anos descoberta por Raymond Dart, na Tanzânia
  • 11. Australopitecos Australopitecos aethiopicus Localização África Datação 2,8 a 2,2 M.a. Peso desconhecido. Crânio Cerca de 410 cm³ Paleontologia Descoberto em 1924, na Tanzânia
  • 12. Australopitecos Australopitecos boisei Localização África Datação 2,6 a 1,2 M.a. Peso 45 – 68 kg. Crânio Entre 500 and 550 cm³ Paleontologia Descoberto por Mary Leakey em 1959 , na Tanzânia
  • 13. Australopitecos Australopitecos robustos Localização África Datação 2 a 1.2 M.a. Peso Cerca de 54 kg Crânio entre 410 e 530 cm³ Paleontologia Descoberto em 1949, na África do Sul
  • 14. Australopitecos Australopitecos Localização África garhi Datação 2,5-2,6 M.a. Peso desconhecido. Crânio Cerca de 450 cm³ Paleontologia descoberto em 1999, por Berhane Asfaw e Tim White, na Etiópia
  • 15. Homo habilis Apesar de pertencer ao género Homo esta espécie era bastante diferente de nós, os seus braços eram bastante longos, o seu crânio muito menor e assemelhava-se a um australopitecos. O seu nome habilis provem da sua habilidade para o manuseio e criação de utensílios de osso e pedra. Embora muitos cientistas o considerem o antepassado directo do homem, esta opinião não é consensual.
  • 16. Homo habilis Características Localização Sul e Leste de África Datação 2,4 a 1,6 M.a. Peso 30 a 40 kg Altura +/- 1 metro Crânio Cerca de 510 cm³ a 750 cm³ Alimentação Omnívora Paleontologia descoberto na Suazilândia em 1964 por Louis Leakey
  • 17. Homo rudolfensis Homo rudolfensis O Homo rudolfensis e o Homo habilis coexistiram há cerca de 2 milhões de anos atrás. Não se sabe ao certo qual das duas surgiu primeiro, no entanto há cientistas que defendem que o Homo rudolfensis é uma variação do Homo habilis.
  • 18. Homo rudolfensis Características Localização África Datação 2,4 a 1,8 M.a. Peso desconhecido Altura controversa Crânio 600-800 cm³ Alimentação Omnívora Paleontologia descoberto por Bernard Ngeneo em 1972
  • 19. Homo ergaster Ergaster deriva do grego ergaster que significa trabalhador. Este nome é-lhe atribuído devido ao facto de terem sido encontrados machados e facas perto dos seus fósseis. Alguns cientistas defendem que esta espécie já domina o fogo. Foram os primeiros a dominar um sistema complexo de linguagem, juntamente com o Homo erectus.
  • 20. Homo ergaster Características Localização África do Sul Datação 1,9 a 1,4 M.a. Peso 60 a 70 kg Altura +/- 1.9 m Crânio 700 - 850 cm³ Alimentação Omnívora Paleontologia Descoberto em 1984, por Kamoya Kimeu no Quénia
  • 21. Homo erectus O Homo erectus foi o primeiro hominídeo a deixar a África, existem evidencias da sua presença, para além desse continente, na Europa, Vietnam e China. O Homo erectus evidencia-se pelo domínio do fogo e pela habilidade de comunicação com os outros da mesma espécie. Viviam essencialmente em cavernas e faziam ferramentas de osso, madeira e pedra.
  • 22. Homo erectus Características Localização Africa, Europa, Indonesia, Vietnam e China Datação 1,8M.a 300 Mil anos Peso +/- 60 kg Altura +/- 1. 8 m Crânio 850 - 1100 cm³ Alimentação Omnívora Paleontologia Descoberto por Eugéne Dubois, na região central de Java
  • 23. Homo heidelbergensis O Homo heidelbergensis é um antepassado directo do Homo neanderthalensis, no entanto, hoje sabe-se que não é um antepassado directo do Homo sapiens sapiens. A sua tecnologia já era bastante desenvolvida e contava com machados, lanças e utensílios de caça, visto não haver vegetação devido ao gelo. Dominavam o fogo, pois existem evidencias de fogueiras.
  • 24. Homo heidelbergensis Características Localização Africa, Europa Datação 600 - 400 Mil anos Peso +/- 100 kg (masculinos) Altura +/- 1,8 m Crânio 1100-1400 cm³ Alimentação Carnívora Paleontologia Descoberto em 1907 em Mauer
  • 25. Homo sapiens nenderthalensis Os Neandertais comiam essencialmente carne, não se sabe ao certo porque foram extintos pensa-se que tenha sido devido ao frio ou devido a confrontos com outras espécies. Eram caçadores natos e formavam equipas para isso. O seu queixo e testa eram diminutos, ao contrário da cavidade craniana que era maior do que a dos sapiens sapiens. No entanto não eram tão inteligentes. Esta espécie era muito hábil na construção de ferramentas e enterrava os mortos.
  • 26. Homo sapiens nenderthalensis Características Localização Europa, Oeste da Ásia, Datação 300 a 29 Mil anos Peso +/- 80 kg Altura 1. 65 m Crânio 1200 e 1700 cm³ Alimentação Omnívora Paleontologia Descoberto por Engis, Belgium em 1829
  • 27. Homo sapiens sapiens Cro-Magnon Cro-Magnon foram os primeiros Homo sapiens sapiens. Usavam pendentes e colares, pensa-se que tenham a ver com rituais de morte para os elementos da comunidade que morriam. A sua única diferença para os Humanos actuais era a sua robustez e a caixa craniana um pouco maior. Tinham os seus próprios abrigos e utilizavam produtos químicos para pintar, tendo criado o primeiro calendário.
  • 28. Homo sapiens sapiens Cro-Magnon Características Localização Africa, Europa, Asia Datação 40 – 10 Mil anos Peso 60 - 70 kg Altura +/- 1. 7 m Crânio 1350 cm³ Alimentação Omnívora Paleontologia Descoberto por Louis Lartet, 1868
  • 29. Homo sapiens sapiens Pensa-se que o Homo sapiens surgiu há 200 Mil anos no Este de África. Esta espécie caracteriza-se por um comportamento social muito desenvolvido e pela extrema capacidade de invenção e criação de objectos. Destacam-se também pela simbologia e pela constante criação de arte.
  • 30. Homo sapiens sapiens Características Localização Todo o mundo Datação Surgiu há 150 mil anos Peso +/- 86 kg Altura +/- 1. 7 m Crânio 1400 cm³ Alimentação Omnívora Paleontologia -
  • 31. Arvore genealógica dos Homínideos
  • 32. Modificações Físicas Aumento do tamanho do cérebro Esqueleto – Bipedia Pele
  • 33. Modificações Físicas Maxilar e dentição Formato da mão e polegar oponente Desenvolvimento da garganta
  • 35. O fogo Fabricava-se friccionando dois pedaços de madeira ou batendo duas pedras. Provocou importantes transformações na vida do Homem:  melhor alimentação (cozinhar);  defesa e protecção de animais ferozes;  iluminação das cavernas;  protecção do frio;  endurecer as pontas de seta;  contribuiu para estreitar laços e solidariedade (desenvolvimento da fala).
  • 36. Os Utensílios Utilidade dos primeiros utensílios: caça; defesa e preparação de alimentos. Técnica de fabrico de utensílios – lascagem. Efectuava-se batendo uma pedra contra a outra, tentando aguçá-la, à medida que se iam tirando lascas. Tipos de utensílios: seixos quebrados, raspadores, bifaces, pontas de seta, agulhas, lanças, arpões. Silex
  • 37. Os Utensílios Raspador Seixo talhado Bifaces Arpões em osso Pontas de seta Agulha e pontas de em lança lâmina osso
  • 38. Os Utensílios Objectos de adorno Propulsor Arco e flecha
  • 39. A caça em grupo
  • 40.
  • 41. As Sociedades Recoletoras Economia - Recoletora Baseada em actividades que não implicam produção de alimentos, como a caça, a pesca e a recolecção, •Recolhiam frutos, raizes, folhas, etc. •Afastavam os predadores e ficavam com os restos das suas presas •Caçavam individualmente pequenos animais, recorrendo a armadilhas ou em grupo animais de grande porte •Pescavam nos rios e nos mares recorrendo a lanças, arpões e redes (?)
  • 42. As Sociedades Recoletoras Modo de Vida - Nomadismo Mudam constantemente de sítio porque: Acabavam as plantas de que se alimentavam Seguiam as migrações dos animais de que se alimentavam Caça em grupo Leva ao desenvolvimento de: Instrumentos, como o propulsor, o arco e a flecha Da inteligência, para poderem caçar animais maiores e mais rápidos Da linguagem, para poderem trabalhar em equipa
  • 43. As Sociedades Recolectoras Melhoria das condições de vida Alimentação mais variada e abundante Maior domínio da natureza Utilização de peles e ossos para aquecimento e tendas Maior capacidade de sobrevivência Divisão de Tarefas por Sexos e Idade Mulheres – recolecção, preparação de alimentos, tratamento de peles e cuidar das crianças Homens – caça, pesca, fogo, utensílios Crianças – acompanham as mulheres Mais velhos – chefiam o grupo, feiticeiros/curandeiros Aumento da população e das áreas habitadas
  • 44. As novas áreas habitadas
  • 45. Religião Vénus de Willendorf Ritos Mágicos Ritos funerários Bisonte, gruta de La Madeleine
  • 46. Religião • Ligada ao culto de elementos naturais (como o sol, a lua e os animais) e à explicação de fenómenos como o parto (culto da deusa- mãe), desenvolvendo crenças religiosas. • Domínio das forças da Natureza através de ritos mágicos como danças, gestos e sacrifícios de animais • Crença na vida depois da morte, com a prática de ritos funerários (enterro de mortos com adornos, flores e comida).
  • 47. Arte Paleolítica - Arte Móvel Dama de Brassempouy Vénus de Laussel Dama de Sireuil Cabeça de Cavalo, gruta Utensílios decorados Cavalo, Gruta de Vogelherd. de La madeleine
  • 48. Arte Paleolítica – Pintura Rupestre Altamira, Espanha Caverna de Gargas, França Chauvet, França Trois Fréres, França Lascaux, França Pech-Merle, França
  • 49. Arte Paleolítica – Gravuras rupestres Mazouco, Portugal Gruta La Gréze, França Escoural, Portugal Foz Côa, Portugal Foz Côa, Portugal
  • 50. Arte Paleolítica Arte Móvel – pequenos objectos que se podem transportar • Sobretudo representações da deusa-mãe, de animais e utensilios decorados • Feita em pedra, osso, haste/corno, dentes • Possivelmente para dar sorte na caça (animais) e no parto (vénus) e como símbolos de poder Arte Rupestre – Pinturas e gravuras em cavernas, abrigos e rochedos junto a rios (arte parietal) • Representam cenas de caça, mãos, animais, grafismos • Utilizam tintas feitas de plantas, sangue, carvão, pintando com os dedos ou fibras animais e vegetais, à luz do fogo • Dar sorte na caça, cerimónias religiosas, poder sobre a natureza.
  • 51. Será que a evolução do homem já terminou?...