SlideShare uma empresa Scribd logo
Período interbíblico
Homens Fundamentais
50º. Estudo – 1º. intro (NT) – 28/04/2017
Objetivo do período intertestamentário
O período Inter bíblico [Intertestamentário] (também
chamado de silêncio profético) é um período de
aproximadamente 400 anos, entre o antigo e o novo
testamento, abrangendo desde o relato do livro de
Malaquias e os relatos do livro do evangelho de Mateus.
Antigo Testamento Novo Testamento
Fim do antigo testamento
Fim do Antigo Testamento
Deus cuida de nós em cada detalhe
Antigo Testamento Novo Testamento
Introduçao
É um período de silêncio, mas Deus não deixa de agir
Não levanta profetas
Deus está no controle
Vário Impérios tomaram conta
Daniel 02:27-45
Antigo Testamento Novo Testamento
Período Principais Fatos Livros
Intertestamentário
Domínio Persa - 538-331 AC
Silêncio Profético
Domínio Grego - 331-167 AC
Independência = 167- 63 AC
Domínio Romano = 63 a Jesus Cristo
Painel Histórico
Período Babilonico
O império babilônico fominou israel entre os anos de 605 a 538 a.C,
foram instrumento de Deus para curar (corrigir) Israel da idolatria.
Sonho de Nabucodonosor
Daniel Revelou
Qual o sonho e revelação
Babilonico – cabeça de ouro
Persa – Peito de prata
Grego – cintura de vronze
Romanos – pes e barro
Período Babilonico
Daniel 05:25-28 – Inscriçao na parede
Cumpre a palavra em jeremias 29:10-14
Deus levanta os persas para libertar o povo de israel
Período
Intertestamentário
Período Persa 538-331 AC
Período de liberdade
Permitiu o retorno à terra
Governo do Sinédrio
Painel Histórico
Dominam o mundo entre
538-331 a.c
Painel Histórico
O livro de ester
Retrata a história do rei assuero (Xerxes
I) retratado no filme 300 de esparta.
Painel Histórico
O livro de ester
Retrata a história do rei assuero (Xerxes
I) retratado no filme 300 de esparta.
Painel Histórico
O Sinédrio é mencionado pela
primeira vez, ainda com o nome de
gerousia ( conselho dos anciãos)
e depois com o nome de sinédrio.
De acordo com uma antiga tradição, tinha setenta e um
membros, herdeiros, segundo se supunha, das tarefas
desempenhadas pelos setenta anciãos que ajudavam a
Moisés na administração da justiça, além do proprio
Moisés. Desenvolveu-se, integrando representantes da
nobreza sacerdotal e das famílias mais notáveis,
possivelmente durante o período persa.
O que é um Gerousia ou sinédrio?
O que é um Sinédrio?
O que é um Sinédrio?
O Sinédrio (Sanhedrim) era a Corte Suprema da lei judaica, com a missão de administrar justiça,
interpretando e aplicando a Torá (Pentateuco ou Lei de Moisés), tanto oral como escrita. Exercia,
simultaneamente, a representação do povo judeu perante a autoridade romana.
Gerousia = sinédrio
Período
Intertestamentário
Período Persa
Período Grego
331-167 AC
Alexandre Magno
Consideração com os judeus
Divisão (4 partes)
Ptolomeus e Selêucidas
Painel Histórico
Período Grego, depois de aproximadamente 200 anos de reinado
persa Alexandre Magno (o Grande), substituiu seu pai Filipe da
Macedônia que havia iniciado a unificarão da Grécia,
Painel Histórico
Aos poucos e depois de derrotar os persas, Alexandre assumiu o
controle de toda Ásia Menor. Seu reinado também foi breve, mas
suficiente para imprimir a cultura helênica (grega) em toda a
região conquistada (Oriente Próximo e Europa). (Aluno de
Aristóteles)
Painel Histórico
sinagoga
Os Babilônios destruíram o Templo e deportaram a população como
escravos para a Babilônia. O Povo de Deus, não tem mais terra e nem
Templo. Surge nesta época a Sinagoga, o culto passa a centralizar-se
surgindo à figura do Rabino, geralmente um fariseu conhecedor da Lei
Judaica. Este hábito já teve seu início na Babilônia onde o povo judeu não
possuía mais seu Templo.
Assim a Sinagoga passa ocupar lugar central na religião Judaica sendo
um ponto de encontro dos judeus para as orações e para a leitura das
Sagradas Escrituras. Na época de Jesus existia.
Com todas essas crises e mudanças políticas, a
Judeia foi profundamente atingida. Ela era peça
importante para os ptolomeus e os selêucidas pelo
fato de estar situada no meio dessas disputas. Os
reis selêucidas foram grandes incentivadores da
cultura grega, de modo que ela marcou o povo judeu
e sua cultura. (aramaico, hebraico e grego)
Painel Histórico
Aos poucos e depois de derrotar os persas, Alexandre assumiu o
controle de toda Ásia Menor. Seu reinado também foi breve, mas
suficiente para imprimir a cultura helênica (grega) em toda a
região conquistada (Oriente Próximo e Europa).
Painel Histórico
Alexandre morreu com 33 anos de idade, em 323 AC, e seu império ficou
fragmentado e começaram as disputas políticas entre seus principais
generais, porque ele não tinha filhos.
Antígono – Recebeu a asia
Seleuco – Babilonia e a síria
Lisimaco – o helesponto
Cassandro – macedônia
Ptlomeu – egito
Painel Histórico
Durante o reinado de ptlomeu houve paz, foram construídas as
sinagogas e foi escrita a septuaginta. (tradução para o grego)
Com a scençao dos selêucidas (tomaram israel) 198 a 166 houve grande
perseguição aos judeus. O pior foi Antioco epifanio.
Tomos os vasos consagrados, candelabros e a mesa dos paes da
propriaçao, proibiu judeus de fazer sacrifícios, proibiu a
circunsicação, mandou queimar os livros, não poupava quem encontrava
com livros e construiu um altar e sacrificava porcos todos os dias no
templo.
Painel Histórico
Período
Intertestamentário
Período Persa
Período Grego
Período de Independência
167- 63 AC
Período dos Macabeus
Restauração de Israel
Painel Histórico
Painel Histórico
167 AC – início da revolta dos Macabeus
Os judeus conseguiram vencer os exércitos helênicos (gregos) e estabelecer um
reino judaico independente na região entre 142 a.C.- 63 a.C.
Epifanio ( o dos porcos) ficou sabendo que os judeus venceram seus generais e
declarou que merecia aquele castigo e depois de dizer estas palavras morreu.
Depois disso os judeus foram dominados pelos romanos. Durante este período de 142-
63 a.C., a família dos macabeus estabeleceu-se no poder e iniciou uma nova dinastia
real e sacerdotal, dominando tanto o poder secular como o religioso.
Painel Histórico
Isto provocou uma série de crises e divisões dentro da sociedade israelita da época,
visto que pela suas origens os Macabeus (também conhecidos pelo nome de família
como Asmoneus) não eram da linhagem de Davi, não podendo assim ocupar o trono de
Israel, e também não eram da linhagem sacerdotal araônica.
Nesta época surgem os saduceus e os fariseus (os originais) não aqueles que Jesus
condena (raça de víboras)
Painel Histórico
Os saduceus - eram aristocratas. Eles tinham a tendência de ser ricos e de ocupar
cargos poderosos, incluindo o cargo de primeiro sacerdote e de sumo sacerdote. Eles
também ocupavam a maioria dos 70 lugares do conselho regente chamado de Sinédrio.
Eles trabalhavam muito duro para manter a paz através de sempre seguir as decisões
de Roma (Israel nesta época estava sob o controle romano)
os saduceus eram conservadores na área de doutrina consideravam apenas a Palavra
Escrita como sendo de Deus. Os saduceus trabalhavam arduamente para preservar a
autoridade da Palavra escrita de Deus, especialmente os livros de Moisés (Gênesis até
Deuteronômio).
Painel Histórico
Quem eram os Fariseus:
A origem deste movimento tem como ponto de partida a classe trabalhadora. O
surgimento deles provem dos “piedosos” que pertenciam a luta armada de Judas
Macabeu.
Eles provinham, na época de Jesus das camadas sociais dos artesãos, pequenos
comerciantes e gente pertencente à classe média. Na Judeia eles faziam a política
dos sacerdotes de Jerusalém e das classes ricas de Jerusalém. Aparentemente se
apresentavam como partido das massas populares e contra a aristocracia. O povo
sem alternativa os respeitavam, pois possuíam peso político sem exercerem o poder.
Período
Intertestamentário
Período Persa
Período Grego
Período de Independência
Período Romano
63 ao tempo de Cristo
Derrota dos Macabeus e
destruição do templo
Antipator é designa-do governador
da Judéia
Painel Histórico
Painel Histórico
Derrota dos Macabeus
e
destruição do templo
Fases políticas da Palestina
no NT
Herodes, o grande
Período do nasci-mento de Jesus
Governava as cinco províncias da
Palestina
Reconstruiu o templo
Painel Histórico
O Império Romano
• Roma passou por três fases:
• Monarquia;
• República;
• Império.
O Império Romano
• Roma passou por três fases:
• Monarquia;
• República;
• Império.
• Na Monarquia, o rei governava até a morte e exercia o comando militar,
conduzia as cerimônias religiosas e determinava punições. Porém seu poder era
controlado pelo Senado.
• Este, por sua vez, liderado pelos patrícios, ganhou força a ponto de
estabelecer um novo governo, a República, ou seja, o governo regido pelo
interesse comum.
O Império Romano
• Roma passou por três fases:
• Monarquia;
• República;
• Império.
• Na Monarquia, o rei governava até a morte e exercia o comando militar,
conduzia as cerimônias religiosas e determinava punições. Porém seu poder era
controlado pelo Senado.
• Este, por sua vez, liderado pelos patrícios, ganhou força a ponto de
estabelecer um novo governo, a República, ou seja, o governo regido pelo
interesse comum.
O Império Romano
• Na Monarquia, o rei governava até a morte e exercia
o comando militar, conduzia as cerimônias
religiosas e determinava punições. Porém seu poder
era controlado pelo Senado.
• Durante a República acontece os conflitos entre patrícios e plebeus,
pois ambos queriam mais poderes. Também o território romano se
expandi, especialmente com as guerras contra Cartago, as chamadas
Guerras Púnicas.
• Porém este expansionismo trouxe profundos efeitos sobre a
sociedade romana, dentre eles a formação de latifúndios e o processo de
êxodo rural, ou seja, a saída do campo para a cidade.
• Tudo isto e mais alguns fatores ocasionaram uma crise na República
que culminou, tempos depois, no início do Império.
O Império Romano
• Em Roma, a principal característica do período imperial foi a concentração
do poder nas mãos do imperador. Ele estava acima de todas as instituições
políticas, inclusive do Senado.
• Dividimos a fase imperial romana em: Alto Império e Baixo Império. Durante o
Alto Império, no governo de Otávio, primeiro imperador, Roma atingiu o ápice do
seu desenvolvimento. Foi neste período também, que, na província romana da
Judéia, nasceu Jesus Cristo, responsável por importantes mudanças no cenário
final do Império Romano. Jesus Cristo foi crucificado no governo de Tibério, o
segundo imperador.
O Império Romano
O Império Romano
• Visando proteger as fronteiras a leste do
império, foi reconstruída a cidade de Bizâncio, na
parte oriental do Império Romano, com o novo
nome de Constantinopla (atualmente Istambul,
Turquia).
•
O Império Romano
Introdução
Fatores que favoreceram ao Ministério de Jesus
Língua e cultura globalizadas (gregos).
Grande número de estradas, facilitando o deslocamento das
pessoas e a difusão das idéias novas (romanos).
Dispersão dos judeus e estabelecimento de várias sinagogas no
mundo da época.
Anseio de liberdade dos judeus por causa da opressão romana.
Então pessoal, este é o nosso estudo visando uma aproximação
com o novo testamento.
Não há textos bíblicos, (desta época) apenas fatos históricos
que confirmam as profecias (Daniel, jeremias, isaías) e nos
apresentam o cenário onde está inserida a comunidade judaica
nos dias do novo testamento.
Período interbíblico
INTRODUÇÃO AO NOVO TESTAMENTO

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Estudo_HF_50_Int_novo_testamento (1).pdf

Evangelhos sinóticos aula 2
Evangelhos sinóticos aula 2Evangelhos sinóticos aula 2
Evangelhos sinóticos aula 2
Moisés Sampaio
 
aula_1_evangelhos.pptx
aula_1_evangelhos.pptxaula_1_evangelhos.pptx
aula_1_evangelhos.pptx
AMILTON gomes Gomes
 
Religioes mundiais aula 3
Religioes mundiais aula 3Religioes mundiais aula 3
Religioes mundiais aula 3
Keiler Vasconcelos
 
As Seitas Judaicas e o Sin+®drio nos tempos de Jesus.pptx
As Seitas Judaicas e o Sin+®drio nos tempos de Jesus.pptxAs Seitas Judaicas e o Sin+®drio nos tempos de Jesus.pptx
As Seitas Judaicas e o Sin+®drio nos tempos de Jesus.pptx
bpclaudio11
 
JUDAÍSMO
JUDAÍSMOJUDAÍSMO
JUDAÍSMO
Enerliz
 
Os 400 anos do periudo interbiblico
Os 400 anos do periudo interbiblicoOs 400 anos do periudo interbiblico
Os 400 anos do periudo interbiblico
Waldecy Jose da Silva
 
Teologia do novo testamento
Teologia do novo testamentoTeologia do novo testamento
Roma antiga arlete
Roma antiga arleteRoma antiga arlete
Roma antiga arlete
Raimund M Souza
 
Roma antiga Cristianismo Reino Franco e Império Bizantino
Roma antiga Cristianismo Reino Franco e Império Bizantino Roma antiga Cristianismo Reino Franco e Império Bizantino
Roma antiga Cristianismo Reino Franco e Império Bizantino
Raimund M Souza
 
2ªaula
2ªaula2ªaula
2ªaula
2ªaula2ªaula
2ªaula
2ªaula2ªaula
2ªaula
2ªaula2ªaula
Hebreus
HebreusHebreus
NTI-_EVANGELHOS_E_ATOS[1].pdf
NTI-_EVANGELHOS_E_ATOS[1].pdfNTI-_EVANGELHOS_E_ATOS[1].pdf
NTI-_EVANGELHOS_E_ATOS[1].pdf
ErlandsonBarbosa
 
CULTURA BÍBLICA (AULA 05 - MÉDIO CETADEB)
CULTURA BÍBLICA (AULA 05 - MÉDIO CETADEB) CULTURA BÍBLICA (AULA 05 - MÉDIO CETADEB)
CULTURA BÍBLICA (AULA 05 - MÉDIO CETADEB)
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
Georgia Motta
 
Introdução ao Estudo do NT
Introdução ao Estudo do NTIntrodução ao Estudo do NT
Introdução ao Estudo do NT
Ricardo Gondim
 
(01) introdução bibliográfica
(01) introdução bibliográfica(01) introdução bibliográfica
(01) introdução bibliográfica
UNIÃO CRISTÃ
 
Apostila Panorama NT.pdf
Apostila Panorama NT.pdfApostila Panorama NT.pdf
Apostila Panorama NT.pdf
Priscila Puga
 

Semelhante a Estudo_HF_50_Int_novo_testamento (1).pdf (20)

Evangelhos sinóticos aula 2
Evangelhos sinóticos aula 2Evangelhos sinóticos aula 2
Evangelhos sinóticos aula 2
 
aula_1_evangelhos.pptx
aula_1_evangelhos.pptxaula_1_evangelhos.pptx
aula_1_evangelhos.pptx
 
Religioes mundiais aula 3
Religioes mundiais aula 3Religioes mundiais aula 3
Religioes mundiais aula 3
 
As Seitas Judaicas e o Sin+®drio nos tempos de Jesus.pptx
As Seitas Judaicas e o Sin+®drio nos tempos de Jesus.pptxAs Seitas Judaicas e o Sin+®drio nos tempos de Jesus.pptx
As Seitas Judaicas e o Sin+®drio nos tempos de Jesus.pptx
 
JUDAÍSMO
JUDAÍSMOJUDAÍSMO
JUDAÍSMO
 
Os 400 anos do periudo interbiblico
Os 400 anos do periudo interbiblicoOs 400 anos do periudo interbiblico
Os 400 anos do periudo interbiblico
 
Teologia do novo testamento
Teologia do novo testamentoTeologia do novo testamento
Teologia do novo testamento
 
Roma antiga arlete
Roma antiga arleteRoma antiga arlete
Roma antiga arlete
 
Roma antiga Cristianismo Reino Franco e Império Bizantino
Roma antiga Cristianismo Reino Franco e Império Bizantino Roma antiga Cristianismo Reino Franco e Império Bizantino
Roma antiga Cristianismo Reino Franco e Império Bizantino
 
2ªaula
2ªaula2ªaula
2ªaula
 
2ªaula
2ªaula2ªaula
2ªaula
 
2ªaula
2ªaula2ªaula
2ªaula
 
2ªaula
2ªaula2ªaula
2ªaula
 
Hebreus
HebreusHebreus
Hebreus
 
NTI-_EVANGELHOS_E_ATOS[1].pdf
NTI-_EVANGELHOS_E_ATOS[1].pdfNTI-_EVANGELHOS_E_ATOS[1].pdf
NTI-_EVANGELHOS_E_ATOS[1].pdf
 
CULTURA BÍBLICA (AULA 05 - MÉDIO CETADEB)
CULTURA BÍBLICA (AULA 05 - MÉDIO CETADEB) CULTURA BÍBLICA (AULA 05 - MÉDIO CETADEB)
CULTURA BÍBLICA (AULA 05 - MÉDIO CETADEB)
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
 
Introdução ao Estudo do NT
Introdução ao Estudo do NTIntrodução ao Estudo do NT
Introdução ao Estudo do NT
 
(01) introdução bibliográfica
(01) introdução bibliográfica(01) introdução bibliográfica
(01) introdução bibliográfica
 
Apostila Panorama NT.pdf
Apostila Panorama NT.pdfApostila Panorama NT.pdf
Apostila Panorama NT.pdf
 

Mais de Márcio Azevedo

Revista-Palavra-Viva-Profetas-Menores (1).pdf
Revista-Palavra-Viva-Profetas-Menores (1).pdfRevista-Palavra-Viva-Profetas-Menores (1).pdf
Revista-Palavra-Viva-Profetas-Menores (1).pdf
Márcio Azevedo
 
panorama-do-antigo-testamento.pptx
panorama-do-antigo-testamento.pptxpanorama-do-antigo-testamento.pptx
panorama-do-antigo-testamento.pptx
Márcio Azevedo
 
licao12-3t-2018-betel-180913120551.pdf
licao12-3t-2018-betel-180913120551.pdflicao12-3t-2018-betel-180913120551.pdf
licao12-3t-2018-betel-180913120551.pdf
Márcio Azevedo
 
ahistriadaigrejacrist-100803151123-phpapp01.pptx
ahistriadaigrejacrist-100803151123-phpapp01.pptxahistriadaigrejacrist-100803151123-phpapp01.pptx
ahistriadaigrejacrist-100803151123-phpapp01.pptx
Márcio Azevedo
 
panorama-do-antigo-testamento-dyogocris.pptx
panorama-do-antigo-testamento-dyogocris.pptxpanorama-do-antigo-testamento-dyogocris.pptx
panorama-do-antigo-testamento-dyogocris.pptx
Márcio Azevedo
 
panorama velho testamento o inico de tudo.pptx
panorama velho testamento o inico de tudo.pptxpanorama velho testamento o inico de tudo.pptx
panorama velho testamento o inico de tudo.pptx
Márcio Azevedo
 
PANORAMA DA IGREJA E CRISTIANISMO.pptx
PANORAMA DA IGREJA E CRISTIANISMO.pptxPANORAMA DA IGREJA E CRISTIANISMO.pptx
PANORAMA DA IGREJA E CRISTIANISMO.pptx
Márcio Azevedo
 
29052014060457BIBLIA___CURSO_DE_FORMACAO_DOS_MINISTROS (1).PPT
29052014060457BIBLIA___CURSO_DE_FORMACAO_DOS_MINISTROS (1).PPT29052014060457BIBLIA___CURSO_DE_FORMACAO_DOS_MINISTROS (1).PPT
29052014060457BIBLIA___CURSO_DE_FORMACAO_DOS_MINISTROS (1).PPT
Márcio Azevedo
 
2.-INTRODUCAO-A-ESCATOLOGIA.pptx
2.-INTRODUCAO-A-ESCATOLOGIA.pptx2.-INTRODUCAO-A-ESCATOLOGIA.pptx
2.-INTRODUCAO-A-ESCATOLOGIA.pptx
Márcio Azevedo
 
29052014060457BIBLIA___CURSO_DE_FORMACAO_DOS_MINISTROS.PPT
29052014060457BIBLIA___CURSO_DE_FORMACAO_DOS_MINISTROS.PPT29052014060457BIBLIA___CURSO_DE_FORMACAO_DOS_MINISTROS.PPT
29052014060457BIBLIA___CURSO_DE_FORMACAO_DOS_MINISTROS.PPT
Márcio Azevedo
 
Financeiro e estoque ✨.pdf
Financeiro e estoque ✨.pdfFinanceiro e estoque ✨.pdf
Financeiro e estoque ✨.pdf
Márcio Azevedo
 
ECOLBAS_1.pptx
ECOLBAS_1.pptxECOLBAS_1.pptx
ECOLBAS_1.pptx
Márcio Azevedo
 
Como montar uma impermeabilização de estofados
Como montar uma impermeabilização de estofadosComo montar uma impermeabilização de estofados
Como montar uma impermeabilização de estofados
Márcio Azevedo
 

Mais de Márcio Azevedo (13)

Revista-Palavra-Viva-Profetas-Menores (1).pdf
Revista-Palavra-Viva-Profetas-Menores (1).pdfRevista-Palavra-Viva-Profetas-Menores (1).pdf
Revista-Palavra-Viva-Profetas-Menores (1).pdf
 
panorama-do-antigo-testamento.pptx
panorama-do-antigo-testamento.pptxpanorama-do-antigo-testamento.pptx
panorama-do-antigo-testamento.pptx
 
licao12-3t-2018-betel-180913120551.pdf
licao12-3t-2018-betel-180913120551.pdflicao12-3t-2018-betel-180913120551.pdf
licao12-3t-2018-betel-180913120551.pdf
 
ahistriadaigrejacrist-100803151123-phpapp01.pptx
ahistriadaigrejacrist-100803151123-phpapp01.pptxahistriadaigrejacrist-100803151123-phpapp01.pptx
ahistriadaigrejacrist-100803151123-phpapp01.pptx
 
panorama-do-antigo-testamento-dyogocris.pptx
panorama-do-antigo-testamento-dyogocris.pptxpanorama-do-antigo-testamento-dyogocris.pptx
panorama-do-antigo-testamento-dyogocris.pptx
 
panorama velho testamento o inico de tudo.pptx
panorama velho testamento o inico de tudo.pptxpanorama velho testamento o inico de tudo.pptx
panorama velho testamento o inico de tudo.pptx
 
PANORAMA DA IGREJA E CRISTIANISMO.pptx
PANORAMA DA IGREJA E CRISTIANISMO.pptxPANORAMA DA IGREJA E CRISTIANISMO.pptx
PANORAMA DA IGREJA E CRISTIANISMO.pptx
 
29052014060457BIBLIA___CURSO_DE_FORMACAO_DOS_MINISTROS (1).PPT
29052014060457BIBLIA___CURSO_DE_FORMACAO_DOS_MINISTROS (1).PPT29052014060457BIBLIA___CURSO_DE_FORMACAO_DOS_MINISTROS (1).PPT
29052014060457BIBLIA___CURSO_DE_FORMACAO_DOS_MINISTROS (1).PPT
 
2.-INTRODUCAO-A-ESCATOLOGIA.pptx
2.-INTRODUCAO-A-ESCATOLOGIA.pptx2.-INTRODUCAO-A-ESCATOLOGIA.pptx
2.-INTRODUCAO-A-ESCATOLOGIA.pptx
 
29052014060457BIBLIA___CURSO_DE_FORMACAO_DOS_MINISTROS.PPT
29052014060457BIBLIA___CURSO_DE_FORMACAO_DOS_MINISTROS.PPT29052014060457BIBLIA___CURSO_DE_FORMACAO_DOS_MINISTROS.PPT
29052014060457BIBLIA___CURSO_DE_FORMACAO_DOS_MINISTROS.PPT
 
Financeiro e estoque ✨.pdf
Financeiro e estoque ✨.pdfFinanceiro e estoque ✨.pdf
Financeiro e estoque ✨.pdf
 
ECOLBAS_1.pptx
ECOLBAS_1.pptxECOLBAS_1.pptx
ECOLBAS_1.pptx
 
Como montar uma impermeabilização de estofados
Como montar uma impermeabilização de estofadosComo montar uma impermeabilização de estofados
Como montar uma impermeabilização de estofados
 

Último

Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
djincognito
 
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptxQUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
AntonioVieira539017
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
Suzy De Abreu Santana
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
wagnermorais28
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
sthefanydesr
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
enpfilosofiaufu
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptxForças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Danielle Fernandes Amaro dos Santos
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
AdrianoMontagna1
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
cmeioctaciliabetesch
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
TomasSousa7
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
Pastor Robson Colaço
 

Último (20)

Funções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prismaFunções e Progressões - Livro completo prisma
Funções e Progressões - Livro completo prisma
 
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptxQUIZ - HISTÓRIA  9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
QUIZ - HISTÓRIA 9º ANO - PRIMEIRA REPÚBLICA_ERA VARGAS.pptx
 
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinhaatividade 8º ano entrevista - com tirinha
atividade 8º ano entrevista - com tirinha
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números RacionaisPotenciação e Radiciação de Números Racionais
Potenciação e Radiciação de Números Racionais
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdfEgito antigo resumo - aula de história.pdf
Egito antigo resumo - aula de história.pdf
 
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, Betel, Ordenança para uma vida de santificação, 2Tr24.pptx
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdfCaderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
Caderno de Resumos XVIII ENPFil UFU, IX EPGFil UFU E VII EPFEM.pdf
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptxForças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
Forças e leis de Newton 2024 - parte 1.pptx
 
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...“A classe operária vai ao paraíso  os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
“A classe operária vai ao paraíso os modos de produzir e trabalhar ao longo ...
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdflivro ciclo da agua educação infantil.pdf
livro ciclo da agua educação infantil.pdf
 
Pintura Romana .pptx
Pintura Romana                     .pptxPintura Romana                     .pptx
Pintura Romana .pptx
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptxSlides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
Slides Lição 10, Central Gospel, A Batalha Do Armagedom, 1Tr24.pptx
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdfO que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
O que é um Ménage a Trois Contemporâneo .pdf
 

Estudo_HF_50_Int_novo_testamento (1).pdf

  • 1. Período interbíblico Homens Fundamentais 50º. Estudo – 1º. intro (NT) – 28/04/2017
  • 2. Objetivo do período intertestamentário O período Inter bíblico [Intertestamentário] (também chamado de silêncio profético) é um período de aproximadamente 400 anos, entre o antigo e o novo testamento, abrangendo desde o relato do livro de Malaquias e os relatos do livro do evangelho de Mateus. Antigo Testamento Novo Testamento
  • 3. Fim do antigo testamento Fim do Antigo Testamento Deus cuida de nós em cada detalhe Antigo Testamento Novo Testamento
  • 4. Introduçao É um período de silêncio, mas Deus não deixa de agir Não levanta profetas Deus está no controle Vário Impérios tomaram conta Daniel 02:27-45 Antigo Testamento Novo Testamento
  • 5. Período Principais Fatos Livros Intertestamentário Domínio Persa - 538-331 AC Silêncio Profético Domínio Grego - 331-167 AC Independência = 167- 63 AC Domínio Romano = 63 a Jesus Cristo Painel Histórico
  • 6. Período Babilonico O império babilônico fominou israel entre os anos de 605 a 538 a.C, foram instrumento de Deus para curar (corrigir) Israel da idolatria. Sonho de Nabucodonosor Daniel Revelou Qual o sonho e revelação Babilonico – cabeça de ouro Persa – Peito de prata Grego – cintura de vronze Romanos – pes e barro
  • 7.
  • 8. Período Babilonico Daniel 05:25-28 – Inscriçao na parede Cumpre a palavra em jeremias 29:10-14 Deus levanta os persas para libertar o povo de israel
  • 9.
  • 10.
  • 11. Período Intertestamentário Período Persa 538-331 AC Período de liberdade Permitiu o retorno à terra Governo do Sinédrio Painel Histórico Dominam o mundo entre 538-331 a.c
  • 12. Painel Histórico O livro de ester Retrata a história do rei assuero (Xerxes I) retratado no filme 300 de esparta.
  • 13. Painel Histórico O livro de ester Retrata a história do rei assuero (Xerxes I) retratado no filme 300 de esparta.
  • 14. Painel Histórico O Sinédrio é mencionado pela primeira vez, ainda com o nome de gerousia ( conselho dos anciãos) e depois com o nome de sinédrio.
  • 15. De acordo com uma antiga tradição, tinha setenta e um membros, herdeiros, segundo se supunha, das tarefas desempenhadas pelos setenta anciãos que ajudavam a Moisés na administração da justiça, além do proprio Moisés. Desenvolveu-se, integrando representantes da nobreza sacerdotal e das famílias mais notáveis, possivelmente durante o período persa. O que é um Gerousia ou sinédrio?
  • 16. O que é um Sinédrio?
  • 17. O que é um Sinédrio? O Sinédrio (Sanhedrim) era a Corte Suprema da lei judaica, com a missão de administrar justiça, interpretando e aplicando a Torá (Pentateuco ou Lei de Moisés), tanto oral como escrita. Exercia, simultaneamente, a representação do povo judeu perante a autoridade romana.
  • 19. Período Intertestamentário Período Persa Período Grego 331-167 AC Alexandre Magno Consideração com os judeus Divisão (4 partes) Ptolomeus e Selêucidas Painel Histórico
  • 20. Período Grego, depois de aproximadamente 200 anos de reinado persa Alexandre Magno (o Grande), substituiu seu pai Filipe da Macedônia que havia iniciado a unificarão da Grécia, Painel Histórico
  • 21. Aos poucos e depois de derrotar os persas, Alexandre assumiu o controle de toda Ásia Menor. Seu reinado também foi breve, mas suficiente para imprimir a cultura helênica (grega) em toda a região conquistada (Oriente Próximo e Europa). (Aluno de Aristóteles) Painel Histórico
  • 22. sinagoga Os Babilônios destruíram o Templo e deportaram a população como escravos para a Babilônia. O Povo de Deus, não tem mais terra e nem Templo. Surge nesta época a Sinagoga, o culto passa a centralizar-se surgindo à figura do Rabino, geralmente um fariseu conhecedor da Lei Judaica. Este hábito já teve seu início na Babilônia onde o povo judeu não possuía mais seu Templo. Assim a Sinagoga passa ocupar lugar central na religião Judaica sendo um ponto de encontro dos judeus para as orações e para a leitura das Sagradas Escrituras. Na época de Jesus existia.
  • 23. Com todas essas crises e mudanças políticas, a Judeia foi profundamente atingida. Ela era peça importante para os ptolomeus e os selêucidas pelo fato de estar situada no meio dessas disputas. Os reis selêucidas foram grandes incentivadores da cultura grega, de modo que ela marcou o povo judeu e sua cultura. (aramaico, hebraico e grego) Painel Histórico
  • 24. Aos poucos e depois de derrotar os persas, Alexandre assumiu o controle de toda Ásia Menor. Seu reinado também foi breve, mas suficiente para imprimir a cultura helênica (grega) em toda a região conquistada (Oriente Próximo e Europa). Painel Histórico
  • 25. Alexandre morreu com 33 anos de idade, em 323 AC, e seu império ficou fragmentado e começaram as disputas políticas entre seus principais generais, porque ele não tinha filhos. Antígono – Recebeu a asia Seleuco – Babilonia e a síria Lisimaco – o helesponto Cassandro – macedônia Ptlomeu – egito Painel Histórico
  • 26. Durante o reinado de ptlomeu houve paz, foram construídas as sinagogas e foi escrita a septuaginta. (tradução para o grego) Com a scençao dos selêucidas (tomaram israel) 198 a 166 houve grande perseguição aos judeus. O pior foi Antioco epifanio. Tomos os vasos consagrados, candelabros e a mesa dos paes da propriaçao, proibiu judeus de fazer sacrifícios, proibiu a circunsicação, mandou queimar os livros, não poupava quem encontrava com livros e construiu um altar e sacrificava porcos todos os dias no templo. Painel Histórico
  • 27. Período Intertestamentário Período Persa Período Grego Período de Independência 167- 63 AC Período dos Macabeus Restauração de Israel Painel Histórico
  • 28. Painel Histórico 167 AC – início da revolta dos Macabeus Os judeus conseguiram vencer os exércitos helênicos (gregos) e estabelecer um reino judaico independente na região entre 142 a.C.- 63 a.C. Epifanio ( o dos porcos) ficou sabendo que os judeus venceram seus generais e declarou que merecia aquele castigo e depois de dizer estas palavras morreu. Depois disso os judeus foram dominados pelos romanos. Durante este período de 142- 63 a.C., a família dos macabeus estabeleceu-se no poder e iniciou uma nova dinastia real e sacerdotal, dominando tanto o poder secular como o religioso.
  • 29. Painel Histórico Isto provocou uma série de crises e divisões dentro da sociedade israelita da época, visto que pela suas origens os Macabeus (também conhecidos pelo nome de família como Asmoneus) não eram da linhagem de Davi, não podendo assim ocupar o trono de Israel, e também não eram da linhagem sacerdotal araônica. Nesta época surgem os saduceus e os fariseus (os originais) não aqueles que Jesus condena (raça de víboras)
  • 30. Painel Histórico Os saduceus - eram aristocratas. Eles tinham a tendência de ser ricos e de ocupar cargos poderosos, incluindo o cargo de primeiro sacerdote e de sumo sacerdote. Eles também ocupavam a maioria dos 70 lugares do conselho regente chamado de Sinédrio. Eles trabalhavam muito duro para manter a paz através de sempre seguir as decisões de Roma (Israel nesta época estava sob o controle romano) os saduceus eram conservadores na área de doutrina consideravam apenas a Palavra Escrita como sendo de Deus. Os saduceus trabalhavam arduamente para preservar a autoridade da Palavra escrita de Deus, especialmente os livros de Moisés (Gênesis até Deuteronômio).
  • 31. Painel Histórico Quem eram os Fariseus: A origem deste movimento tem como ponto de partida a classe trabalhadora. O surgimento deles provem dos “piedosos” que pertenciam a luta armada de Judas Macabeu. Eles provinham, na época de Jesus das camadas sociais dos artesãos, pequenos comerciantes e gente pertencente à classe média. Na Judeia eles faziam a política dos sacerdotes de Jerusalém e das classes ricas de Jerusalém. Aparentemente se apresentavam como partido das massas populares e contra a aristocracia. O povo sem alternativa os respeitavam, pois possuíam peso político sem exercerem o poder.
  • 32. Período Intertestamentário Período Persa Período Grego Período de Independência Período Romano 63 ao tempo de Cristo Derrota dos Macabeus e destruição do templo Antipator é designa-do governador da Judéia Painel Histórico
  • 33.
  • 34. Painel Histórico Derrota dos Macabeus e destruição do templo
  • 35. Fases políticas da Palestina no NT Herodes, o grande Período do nasci-mento de Jesus Governava as cinco províncias da Palestina Reconstruiu o templo Painel Histórico
  • 36. O Império Romano • Roma passou por três fases: • Monarquia; • República; • Império.
  • 37. O Império Romano • Roma passou por três fases: • Monarquia; • República; • Império. • Na Monarquia, o rei governava até a morte e exercia o comando militar, conduzia as cerimônias religiosas e determinava punições. Porém seu poder era controlado pelo Senado. • Este, por sua vez, liderado pelos patrícios, ganhou força a ponto de estabelecer um novo governo, a República, ou seja, o governo regido pelo interesse comum.
  • 38. O Império Romano • Roma passou por três fases: • Monarquia; • República; • Império. • Na Monarquia, o rei governava até a morte e exercia o comando militar, conduzia as cerimônias religiosas e determinava punições. Porém seu poder era controlado pelo Senado. • Este, por sua vez, liderado pelos patrícios, ganhou força a ponto de estabelecer um novo governo, a República, ou seja, o governo regido pelo interesse comum.
  • 39. O Império Romano • Na Monarquia, o rei governava até a morte e exercia o comando militar, conduzia as cerimônias religiosas e determinava punições. Porém seu poder era controlado pelo Senado.
  • 40. • Durante a República acontece os conflitos entre patrícios e plebeus, pois ambos queriam mais poderes. Também o território romano se expandi, especialmente com as guerras contra Cartago, as chamadas Guerras Púnicas. • Porém este expansionismo trouxe profundos efeitos sobre a sociedade romana, dentre eles a formação de latifúndios e o processo de êxodo rural, ou seja, a saída do campo para a cidade. • Tudo isto e mais alguns fatores ocasionaram uma crise na República que culminou, tempos depois, no início do Império. O Império Romano
  • 41. • Em Roma, a principal característica do período imperial foi a concentração do poder nas mãos do imperador. Ele estava acima de todas as instituições políticas, inclusive do Senado. • Dividimos a fase imperial romana em: Alto Império e Baixo Império. Durante o Alto Império, no governo de Otávio, primeiro imperador, Roma atingiu o ápice do seu desenvolvimento. Foi neste período também, que, na província romana da Judéia, nasceu Jesus Cristo, responsável por importantes mudanças no cenário final do Império Romano. Jesus Cristo foi crucificado no governo de Tibério, o segundo imperador. O Império Romano
  • 43. • Visando proteger as fronteiras a leste do império, foi reconstruída a cidade de Bizâncio, na parte oriental do Império Romano, com o novo nome de Constantinopla (atualmente Istambul, Turquia). • O Império Romano
  • 44.
  • 45. Introdução Fatores que favoreceram ao Ministério de Jesus Língua e cultura globalizadas (gregos). Grande número de estradas, facilitando o deslocamento das pessoas e a difusão das idéias novas (romanos). Dispersão dos judeus e estabelecimento de várias sinagogas no mundo da época. Anseio de liberdade dos judeus por causa da opressão romana.
  • 46. Então pessoal, este é o nosso estudo visando uma aproximação com o novo testamento. Não há textos bíblicos, (desta época) apenas fatos históricos que confirmam as profecias (Daniel, jeremias, isaías) e nos apresentam o cenário onde está inserida a comunidade judaica nos dias do novo testamento. Período interbíblico INTRODUÇÃO AO NOVO TESTAMENTO