SlideShare uma empresa Scribd logo
Professor Marco Antonio
GERADOR ELÉTRICO: é todo aparelho que transforma uma modalidade de energia
qualquer em energia elétrica.
Exemplos:
 Geradores químicos: baterias e pilhas
 Geradores mecânicos: geradores de usinas hidroelétricas, gerador do automóvel.
 Geradores solares: células foto elétricas.
Observe que no interior do gerador o sentido da corrente elétrica é do polo
NEGATIVO para o POSITIVO.
Símbolo:
 A e B são os terminais do gerador.
 A Barra maior é o polo positivo (+).
 A Barra menor é o polo negativo (–).
 E(ou ε) é a força eletromotriz (fem). Podemos dizer que E é a ddp total do
gerador.
 r é a resistência interna do gerador.
 i é a corrente fornecida pelo gerador.
 U é a ddp fornecida pelo gerador.
Representação e elementos de um gerador
Equação do gerador:
onde E = força eletromotriz (V)
r = resistência interna (Ω)
É a equação que determina a ddp (U) fornecida por um gerador.
Observação: A corrente convencional parte sempre do polo positivo do gerador. A
corrente só circula no gerador quando estiver ligado a um circuito externo fechado.
Caso contrário, o circuito é aberto e a corrente é nula.
Observações:
- A corrente de curto-circuito (icc) ocorre quando os terminais do gerador são ligados
por um fio de resistência desprezível.
- Neste caso, a corrente elétrica correspondente é máxima, provocando um
aquecimento do gerador.
Curva Característica:
Onde:
Pelo princípio da conservação da energia, a Energia total é igual à soma da Energia
Dissipada com a Energia utilizada, ou seja:
Balanço energético no Gerador:
onde:
Potência Total:
Potência Útil:
Potência Dissipada:
Balanço energético no Gerador:
Rendimento:
O rendimento do gerador é a medida de sua eficiência e é representado por um
número adimensional (geralmente expresso em porcentagem).
LEI DE OHM–POUILLET
É usada para determinar a corrente fornecida i por um gerador.
APLICAÇÕES
R.77- Um gerador de força eletromotriz 120 V e resistência interna 2Ω
ligado a um circuito externo, gera a potência elétrica de 600 W. Determine:
a) a intensidade da corrente elétrica que atravessa o gerador;
b) a potência elétrica lançada no circuito externo e a potência elétrica
dissipada internamente.
R.78- Um gerador, de fem E e resistência interna r, fornece energia a uma
lâmpada L. A ddp nos terminais do gerador é 100 V e a corrente elétrica que
o atravessa vale 1 A. Sendo o rendimento do gerador 80%, calcule E e r.
R.79- Quando uma bateria está em circuito aberto, um voltímetro ideal
ligado aos seus terminais marca 12 V. Quando a bateria está fornecendo
energia a um resistor R, estabelece no circuito uma corrente 1 A e o
voltímetro registra 10 V nos terminais da bateria. Determine a fem E e a
resistência interna r da bateria.
APLICAÇÕES
R.80- Uma pilha de lanterna tem fem igual a 1,5 V. Calcule a energia que a
pilha gera para cada 1 C de carga elétrica que a atravessa.
R.81- Uma bateria de automóvel tem fem 12 V e resistência interna 0,5Ω.
Determine a máxima intensidade de corrente elétrica que se pode obter
dessa bateria.
R.82- No circuito elétrico esquematizado ao lado, o gerador tem fem E =
18V e resistência interna r = 1,5Ω. O amperímetro A e o voltímetro V são
ideais.
a) Estando a chave Ch na posição 1, qual
seria a leitura do amperímetro?
b) Com a chave Ch na posição 2, qual
seria a leitura do voltímetro?
APLICAÇÕES
R.83- A curva característica de um gerador é representada no gráfico a
seguir:
Calcule:
a) a fem E e a resistência interna r desse
gerador;
b) a ddp nos terminais do gerador quando
a intensidade da corrente elétrica que o
atravessa é 5 A;
c) a potência que o gerador lança no
circuito externo nas condições do item b.
APLICAÇÕES
R.84- Um resistor de 2Ω é ligado aos terminais de uma pilha de fem 1,5 V e
resistência interna 0,5Ω. Determine:
a) a intensidade de corrente elétrica que se estabelece no circuito;
b) a energia elétrica dissipada no resistor em 1 minuto.
R.85- Um gerador de fem 9 V e
resistência interna 1Ω está ligado
aos resistores de resistências R1
= R2 = 2 Ω e R3 = 4 Ω, conforme
a figura ao lado. Qual é a ddp no
resistor de resistência R3?
APLICAÇÕES
R.86- No circuito da figura abaixo, com a chave Ch na posição 1, o
amperímetro ideal (A) indica 0,75 A. Passada a chave Ch para a posição 2,
o amperímetro passa a indicar 0,60 A. Determine a fem E e a resistência
interna r da bateria.
APLICAÇÕES
R.87- No circuito abaixo, a potência
dissipada na resistência interna do
gerador é 15 W. Calcule o valor da
resistência elétrica R.
R.88- O ponto B do circuito
representado abaixo está ligado à
terra (VB=0). Determine os
potenciais elétricos dos pontos A e
C.
APLICAÇÕES
R.89- A indicação do amperímetro
ideal A no circuito da figura a seguir é
5 A. Calcule a resistência interna r do
gerador.
R.90- No circuito representado na
figura a seguir, a bateria tem fem
E=6V e resistência interna
desprezível. Calcule a intensidade
de corrente elétrica que passa pelo
fio AB de resistência nula.
APLICAÇÕES
R.91- Liga-se o gerador de fem E= 1,5V e resistência interna r = 0,2Ω à
associação de resistores em paralelo da figura a seguir. A indicação do
voltímetro V (ideal) é 0,5 volt e a potência dissipada em R1 é 1 W. Calcule
os valores das resistências elétricas dos resistores R1 e R2.
Estudo dos Geradores (2017)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aulas de matematica financeira (juros simples)
Aulas de matematica financeira (juros simples)Aulas de matematica financeira (juros simples)
Aulas de matematica financeira (juros simples)
Adriano Bruni
 
Física vetores
Física  vetoresFísica  vetores
Física vetores
Adrianne Mendonça
 
Potência Elétrica-Exercícios
Potência Elétrica-ExercíciosPotência Elétrica-Exercícios
Potência Elétrica-Exercícios
jucimarpeixoto
 
Aula de Física Aplicada - Conceitos de eletrodinâmica
Aula de Física Aplicada - Conceitos de eletrodinâmicaAula de Física Aplicada - Conceitos de eletrodinâmica
Aula de Física Aplicada - Conceitos de eletrodinâmica
debvieir
 
Impulso e Quantidade de Movimento
Impulso e Quantidade de MovimentoImpulso e Quantidade de Movimento
Impulso e Quantidade de Movimento
Marco Antonio Sanches
 
Prismas
PrismasPrismas
Campo elétrico
Campo elétricoCampo elétrico
Campo elétrico
fisicaatual
 
Aula 4 vetores
Aula 4  vetoresAula 4  vetores
Aula 4 vetores
Montenegro Física
 
11 fluxo magnetico
11  fluxo magnetico11  fluxo magnetico
11 fluxo magnetico
daniela pinto
 
Aula 11 associação de resistores
Aula 11   associação de resistoresAula 11   associação de resistores
Aula 11 associação de resistores
Montenegro Física
 
Energia sistemas conservativo e dissipativo
Energia sistemas conservativo e dissipativoEnergia sistemas conservativo e dissipativo
Energia sistemas conservativo e dissipativo
Jamilly Andrade
 
Corrente elétrica
Corrente elétricaCorrente elétrica
Corrente elétrica
Marco Antonio Sanches
 
Vetores
VetoresVetores
Vetores
Miky Mine
 
Equação exponencial
Equação exponencialEquação exponencial
Equação exponencial
Péricles Penuel
 
Associação de resistores
Associação de resistoresAssociação de resistores
Associação de resistores
FÍSICA PROFESSOR TELMO
 
Óptica Geométrica - Princípios Fundamentais
Óptica Geométrica - Princípios FundamentaisÓptica Geométrica - Princípios Fundamentais
Óptica Geométrica - Princípios Fundamentais
Marco Antonio Sanches
 
Relações métricas na circunferência
Relações métricas na circunferênciaRelações métricas na circunferência
Relações métricas na circunferência
Rodrigo Carvalho
 
Matematica Juros Simples
Matematica Juros SimplesMatematica Juros Simples
Matematica Juros Simples
RASC EAD
 
Princípios da Óptica Geométrica
Princípios da Óptica GeométricaPrincípios da Óptica Geométrica
Princípios da Óptica Geométrica
laizdiniz
 
Análise combinatória
Análise combinatóriaAnálise combinatória
Análise combinatória
betencourt
 

Mais procurados (20)

Aulas de matematica financeira (juros simples)
Aulas de matematica financeira (juros simples)Aulas de matematica financeira (juros simples)
Aulas de matematica financeira (juros simples)
 
Física vetores
Física  vetoresFísica  vetores
Física vetores
 
Potência Elétrica-Exercícios
Potência Elétrica-ExercíciosPotência Elétrica-Exercícios
Potência Elétrica-Exercícios
 
Aula de Física Aplicada - Conceitos de eletrodinâmica
Aula de Física Aplicada - Conceitos de eletrodinâmicaAula de Física Aplicada - Conceitos de eletrodinâmica
Aula de Física Aplicada - Conceitos de eletrodinâmica
 
Impulso e Quantidade de Movimento
Impulso e Quantidade de MovimentoImpulso e Quantidade de Movimento
Impulso e Quantidade de Movimento
 
Prismas
PrismasPrismas
Prismas
 
Campo elétrico
Campo elétricoCampo elétrico
Campo elétrico
 
Aula 4 vetores
Aula 4  vetoresAula 4  vetores
Aula 4 vetores
 
11 fluxo magnetico
11  fluxo magnetico11  fluxo magnetico
11 fluxo magnetico
 
Aula 11 associação de resistores
Aula 11   associação de resistoresAula 11   associação de resistores
Aula 11 associação de resistores
 
Energia sistemas conservativo e dissipativo
Energia sistemas conservativo e dissipativoEnergia sistemas conservativo e dissipativo
Energia sistemas conservativo e dissipativo
 
Corrente elétrica
Corrente elétricaCorrente elétrica
Corrente elétrica
 
Vetores
VetoresVetores
Vetores
 
Equação exponencial
Equação exponencialEquação exponencial
Equação exponencial
 
Associação de resistores
Associação de resistoresAssociação de resistores
Associação de resistores
 
Óptica Geométrica - Princípios Fundamentais
Óptica Geométrica - Princípios FundamentaisÓptica Geométrica - Princípios Fundamentais
Óptica Geométrica - Princípios Fundamentais
 
Relações métricas na circunferência
Relações métricas na circunferênciaRelações métricas na circunferência
Relações métricas na circunferência
 
Matematica Juros Simples
Matematica Juros SimplesMatematica Juros Simples
Matematica Juros Simples
 
Princípios da Óptica Geométrica
Princípios da Óptica GeométricaPrincípios da Óptica Geométrica
Princípios da Óptica Geométrica
 
Análise combinatória
Análise combinatóriaAnálise combinatória
Análise combinatória
 

Semelhante a Estudo dos Geradores (2017)

Estudo dos geradores
Estudo dos geradoresEstudo dos geradores
Estudo dos geradores
Marco Antonio Sanches
 
CIRCUITOS ELÉTRICOS.pptx
CIRCUITOS ELÉTRICOS.pptxCIRCUITOS ELÉTRICOS.pptx
CIRCUITOS ELÉTRICOS.pptx
CamillyMarcato1
 
Eletrodinâmica 5 componentes elétricos
Eletrodinâmica 5    componentes elétricosEletrodinâmica 5    componentes elétricos
Eletrodinâmica 5 componentes elétricos
Gilberto Rocha
 
Física – eletricidade geradores e receptores 01 – 2013
Física – eletricidade geradores e receptores 01 – 2013Física – eletricidade geradores e receptores 01 – 2013
Física – eletricidade geradores e receptores 01 – 2013
Jakson Raphael Pereira Barbosa
 
Lista 20 eletrodinamica 3
Lista 20 eletrodinamica 3Lista 20 eletrodinamica 3
Lista 20 eletrodinamica 3
rodrigoateneu
 
_eletrodinmica.ppt
_eletrodinmica.ppt_eletrodinmica.ppt
_eletrodinmica.ppt
RonaldoAlves153492
 
Eletrodinmica. Corrente elétrica, Corrente Contínua, Corrente Alternada
Eletrodinmica. Corrente elétrica, Corrente Contínua,  Corrente AlternadaEletrodinmica. Corrente elétrica, Corrente Contínua,  Corrente Alternada
Eletrodinmica. Corrente elétrica, Corrente Contínua, Corrente Alternada
PanteraNegra21
 
_eletrodinmica.ppt
_eletrodinmica.ppt_eletrodinmica.ppt
_eletrodinmica.ppt
ElizeuCalandriniNett
 
Circuitos eletricos 01
Circuitos eletricos 01Circuitos eletricos 01
Circuitos eletricos 01
Adriano Silva
 
Lista 7 geradores e receptores
Lista 7   geradores e receptoresLista 7   geradores e receptores
Lista 7 geradores e receptores
Gustavo Mendonça
 
Geradores dc
Geradores dcGeradores dc
Geradores dc
Ademir Santos
 
eletricidade CIRCUITO ELETRICO leis-de-kirchoff.ppt
eletricidade CIRCUITO ELETRICO leis-de-kirchoff.ppteletricidade CIRCUITO ELETRICO leis-de-kirchoff.ppt
eletricidade CIRCUITO ELETRICO leis-de-kirchoff.ppt
JoaoJose53
 
Circuitos eletricos 01
Circuitos eletricos 01Circuitos eletricos 01
Circuitos eletricos 01
Adriano Silva
 
Circuitos eletricos 01
Circuitos eletricos 01Circuitos eletricos 01
Circuitos eletricos 01
Adriano Silva
 
Circuitos eletricos 01
Circuitos eletricos 01Circuitos eletricos 01
Circuitos eletricos 01
Adriano Silva
 
Ty
TyTy
Simulado Eletrodinâmica - Geradores e Receptores
Simulado Eletrodinâmica - Geradores e ReceptoresSimulado Eletrodinâmica - Geradores e Receptores
Simulado Eletrodinâmica - Geradores e Receptores
Marco Antonio Sanches
 
Emissor comum (polarizacao)
Emissor comum (polarizacao)Emissor comum (polarizacao)
Emissor comum (polarizacao)
Jociane Franzoni De Lima Buriola
 
IPP UFSC Nocoes basicas de circuitos eletricos.pdf
IPP UFSC Nocoes basicas de circuitos eletricos.pdfIPP UFSC Nocoes basicas de circuitos eletricos.pdf
IPP UFSC Nocoes basicas de circuitos eletricos.pdf
MussageVirgilioSaide
 
Exercicios diodo-e-retificadores-v (1)
Exercicios diodo-e-retificadores-v (1)Exercicios diodo-e-retificadores-v (1)
Exercicios diodo-e-retificadores-v (1)
Ivanir Silva
 

Semelhante a Estudo dos Geradores (2017) (20)

Estudo dos geradores
Estudo dos geradoresEstudo dos geradores
Estudo dos geradores
 
CIRCUITOS ELÉTRICOS.pptx
CIRCUITOS ELÉTRICOS.pptxCIRCUITOS ELÉTRICOS.pptx
CIRCUITOS ELÉTRICOS.pptx
 
Eletrodinâmica 5 componentes elétricos
Eletrodinâmica 5    componentes elétricosEletrodinâmica 5    componentes elétricos
Eletrodinâmica 5 componentes elétricos
 
Física – eletricidade geradores e receptores 01 – 2013
Física – eletricidade geradores e receptores 01 – 2013Física – eletricidade geradores e receptores 01 – 2013
Física – eletricidade geradores e receptores 01 – 2013
 
Lista 20 eletrodinamica 3
Lista 20 eletrodinamica 3Lista 20 eletrodinamica 3
Lista 20 eletrodinamica 3
 
_eletrodinmica.ppt
_eletrodinmica.ppt_eletrodinmica.ppt
_eletrodinmica.ppt
 
Eletrodinmica. Corrente elétrica, Corrente Contínua, Corrente Alternada
Eletrodinmica. Corrente elétrica, Corrente Contínua,  Corrente AlternadaEletrodinmica. Corrente elétrica, Corrente Contínua,  Corrente Alternada
Eletrodinmica. Corrente elétrica, Corrente Contínua, Corrente Alternada
 
_eletrodinmica.ppt
_eletrodinmica.ppt_eletrodinmica.ppt
_eletrodinmica.ppt
 
Circuitos eletricos 01
Circuitos eletricos 01Circuitos eletricos 01
Circuitos eletricos 01
 
Lista 7 geradores e receptores
Lista 7   geradores e receptoresLista 7   geradores e receptores
Lista 7 geradores e receptores
 
Geradores dc
Geradores dcGeradores dc
Geradores dc
 
eletricidade CIRCUITO ELETRICO leis-de-kirchoff.ppt
eletricidade CIRCUITO ELETRICO leis-de-kirchoff.ppteletricidade CIRCUITO ELETRICO leis-de-kirchoff.ppt
eletricidade CIRCUITO ELETRICO leis-de-kirchoff.ppt
 
Circuitos eletricos 01
Circuitos eletricos 01Circuitos eletricos 01
Circuitos eletricos 01
 
Circuitos eletricos 01
Circuitos eletricos 01Circuitos eletricos 01
Circuitos eletricos 01
 
Circuitos eletricos 01
Circuitos eletricos 01Circuitos eletricos 01
Circuitos eletricos 01
 
Ty
TyTy
Ty
 
Simulado Eletrodinâmica - Geradores e Receptores
Simulado Eletrodinâmica - Geradores e ReceptoresSimulado Eletrodinâmica - Geradores e Receptores
Simulado Eletrodinâmica - Geradores e Receptores
 
Emissor comum (polarizacao)
Emissor comum (polarizacao)Emissor comum (polarizacao)
Emissor comum (polarizacao)
 
IPP UFSC Nocoes basicas de circuitos eletricos.pdf
IPP UFSC Nocoes basicas de circuitos eletricos.pdfIPP UFSC Nocoes basicas de circuitos eletricos.pdf
IPP UFSC Nocoes basicas de circuitos eletricos.pdf
 
Exercicios diodo-e-retificadores-v (1)
Exercicios diodo-e-retificadores-v (1)Exercicios diodo-e-retificadores-v (1)
Exercicios diodo-e-retificadores-v (1)
 

Mais de Marco Antonio Sanches

Hidrostática (versão 2018)
Hidrostática (versão 2018)Hidrostática (versão 2018)
Hidrostática (versão 2018)
Marco Antonio Sanches
 
Refração da luz e espelhos planos (versão 2018)
Refração da luz e espelhos planos (versão 2018)Refração da luz e espelhos planos (versão 2018)
Refração da luz e espelhos planos (versão 2018)
Marco Antonio Sanches
 
Mecânica - Série ENEM
Mecânica - Série ENEMMecânica - Série ENEM
Mecânica - Série ENEM
Marco Antonio Sanches
 
Óptica geométrica (2017)
Óptica geométrica (2017)Óptica geométrica (2017)
Óptica geométrica (2017)
Marco Antonio Sanches
 
Termodinâmica (2017)
Termodinâmica (2017)Termodinâmica (2017)
Termodinâmica (2017)
Marco Antonio Sanches
 
Primeira Lei da Termodinâmica
Primeira Lei da TermodinâmicaPrimeira Lei da Termodinâmica
Primeira Lei da Termodinâmica
Marco Antonio Sanches
 
Associação de resistores
Associação de resistoresAssociação de resistores
Associação de resistores
Marco Antonio Sanches
 
Diagrama de fases
Diagrama de fasesDiagrama de fases
Diagrama de fases
Marco Antonio Sanches
 
Ondulatória
OndulatóriaOndulatória
Ondulatória
Marco Antonio Sanches
 
Mudança de fase (2017)
Mudança de fase (2017)Mudança de fase (2017)
Mudança de fase (2017)
Marco Antonio Sanches
 
Calorimetria (2017)
Calorimetria (2017)Calorimetria (2017)
Calorimetria (2017)
Marco Antonio Sanches
 
Óptica geométrica - Revisão 3º EM (2017)
Óptica geométrica - Revisão 3º EM (2017)Óptica geométrica - Revisão 3º EM (2017)
Óptica geométrica - Revisão 3º EM (2017)
Marco Antonio Sanches
 
Hidrostática - revisão 2º EM (2017)
Hidrostática - revisão 2º EM (2017)Hidrostática - revisão 2º EM (2017)
Hidrostática - revisão 2º EM (2017)
Marco Antonio Sanches
 
Eletromagnetismo
EletromagnetismoEletromagnetismo
Eletromagnetismo
Marco Antonio Sanches
 
Estudo dos gases
Estudo dos gasesEstudo dos gases
Estudo dos gases
Marco Antonio Sanches
 
Apostila eletrostática
Apostila eletrostáticaApostila eletrostática
Apostila eletrostática
Marco Antonio Sanches
 
Oficina App Inventor
Oficina App InventorOficina App Inventor
Oficina App Inventor
Marco Antonio Sanches
 
Termodinâmica
TermodinâmicaTermodinâmica
Termodinâmica
Marco Antonio Sanches
 
Mudança de fase
Mudança de faseMudança de fase
Mudança de fase
Marco Antonio Sanches
 
Óptica da visão - apostila
Óptica da visão - apostilaÓptica da visão - apostila
Óptica da visão - apostila
Marco Antonio Sanches
 

Mais de Marco Antonio Sanches (20)

Hidrostática (versão 2018)
Hidrostática (versão 2018)Hidrostática (versão 2018)
Hidrostática (versão 2018)
 
Refração da luz e espelhos planos (versão 2018)
Refração da luz e espelhos planos (versão 2018)Refração da luz e espelhos planos (versão 2018)
Refração da luz e espelhos planos (versão 2018)
 
Mecânica - Série ENEM
Mecânica - Série ENEMMecânica - Série ENEM
Mecânica - Série ENEM
 
Óptica geométrica (2017)
Óptica geométrica (2017)Óptica geométrica (2017)
Óptica geométrica (2017)
 
Termodinâmica (2017)
Termodinâmica (2017)Termodinâmica (2017)
Termodinâmica (2017)
 
Primeira Lei da Termodinâmica
Primeira Lei da TermodinâmicaPrimeira Lei da Termodinâmica
Primeira Lei da Termodinâmica
 
Associação de resistores
Associação de resistoresAssociação de resistores
Associação de resistores
 
Diagrama de fases
Diagrama de fasesDiagrama de fases
Diagrama de fases
 
Ondulatória
OndulatóriaOndulatória
Ondulatória
 
Mudança de fase (2017)
Mudança de fase (2017)Mudança de fase (2017)
Mudança de fase (2017)
 
Calorimetria (2017)
Calorimetria (2017)Calorimetria (2017)
Calorimetria (2017)
 
Óptica geométrica - Revisão 3º EM (2017)
Óptica geométrica - Revisão 3º EM (2017)Óptica geométrica - Revisão 3º EM (2017)
Óptica geométrica - Revisão 3º EM (2017)
 
Hidrostática - revisão 2º EM (2017)
Hidrostática - revisão 2º EM (2017)Hidrostática - revisão 2º EM (2017)
Hidrostática - revisão 2º EM (2017)
 
Eletromagnetismo
EletromagnetismoEletromagnetismo
Eletromagnetismo
 
Estudo dos gases
Estudo dos gasesEstudo dos gases
Estudo dos gases
 
Apostila eletrostática
Apostila eletrostáticaApostila eletrostática
Apostila eletrostática
 
Oficina App Inventor
Oficina App InventorOficina App Inventor
Oficina App Inventor
 
Termodinâmica
TermodinâmicaTermodinâmica
Termodinâmica
 
Mudança de fase
Mudança de faseMudança de fase
Mudança de fase
 
Óptica da visão - apostila
Óptica da visão - apostilaÓptica da visão - apostila
Óptica da visão - apostila
 

Último

Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdfquadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
marcos oliveira
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 

Último (20)

Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdfquadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
quadro de rotina semanal da coord.docx.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 

Estudo dos Geradores (2017)

  • 2. GERADOR ELÉTRICO: é todo aparelho que transforma uma modalidade de energia qualquer em energia elétrica. Exemplos:  Geradores químicos: baterias e pilhas  Geradores mecânicos: geradores de usinas hidroelétricas, gerador do automóvel.  Geradores solares: células foto elétricas.
  • 3. Observe que no interior do gerador o sentido da corrente elétrica é do polo NEGATIVO para o POSITIVO. Símbolo:
  • 4.  A e B são os terminais do gerador.  A Barra maior é o polo positivo (+).  A Barra menor é o polo negativo (–).  E(ou ε) é a força eletromotriz (fem). Podemos dizer que E é a ddp total do gerador.  r é a resistência interna do gerador.  i é a corrente fornecida pelo gerador.  U é a ddp fornecida pelo gerador. Representação e elementos de um gerador
  • 5. Equação do gerador: onde E = força eletromotriz (V) r = resistência interna (Ω) É a equação que determina a ddp (U) fornecida por um gerador. Observação: A corrente convencional parte sempre do polo positivo do gerador. A corrente só circula no gerador quando estiver ligado a um circuito externo fechado. Caso contrário, o circuito é aberto e a corrente é nula.
  • 6. Observações: - A corrente de curto-circuito (icc) ocorre quando os terminais do gerador são ligados por um fio de resistência desprezível. - Neste caso, a corrente elétrica correspondente é máxima, provocando um aquecimento do gerador. Curva Característica: Onde:
  • 7. Pelo princípio da conservação da energia, a Energia total é igual à soma da Energia Dissipada com a Energia utilizada, ou seja: Balanço energético no Gerador: onde: Potência Total: Potência Útil: Potência Dissipada:
  • 8. Balanço energético no Gerador: Rendimento: O rendimento do gerador é a medida de sua eficiência e é representado por um número adimensional (geralmente expresso em porcentagem).
  • 9. LEI DE OHM–POUILLET É usada para determinar a corrente fornecida i por um gerador.
  • 10. APLICAÇÕES R.77- Um gerador de força eletromotriz 120 V e resistência interna 2Ω ligado a um circuito externo, gera a potência elétrica de 600 W. Determine: a) a intensidade da corrente elétrica que atravessa o gerador; b) a potência elétrica lançada no circuito externo e a potência elétrica dissipada internamente. R.78- Um gerador, de fem E e resistência interna r, fornece energia a uma lâmpada L. A ddp nos terminais do gerador é 100 V e a corrente elétrica que o atravessa vale 1 A. Sendo o rendimento do gerador 80%, calcule E e r. R.79- Quando uma bateria está em circuito aberto, um voltímetro ideal ligado aos seus terminais marca 12 V. Quando a bateria está fornecendo energia a um resistor R, estabelece no circuito uma corrente 1 A e o voltímetro registra 10 V nos terminais da bateria. Determine a fem E e a resistência interna r da bateria.
  • 11. APLICAÇÕES R.80- Uma pilha de lanterna tem fem igual a 1,5 V. Calcule a energia que a pilha gera para cada 1 C de carga elétrica que a atravessa. R.81- Uma bateria de automóvel tem fem 12 V e resistência interna 0,5Ω. Determine a máxima intensidade de corrente elétrica que se pode obter dessa bateria. R.82- No circuito elétrico esquematizado ao lado, o gerador tem fem E = 18V e resistência interna r = 1,5Ω. O amperímetro A e o voltímetro V são ideais. a) Estando a chave Ch na posição 1, qual seria a leitura do amperímetro? b) Com a chave Ch na posição 2, qual seria a leitura do voltímetro?
  • 12. APLICAÇÕES R.83- A curva característica de um gerador é representada no gráfico a seguir: Calcule: a) a fem E e a resistência interna r desse gerador; b) a ddp nos terminais do gerador quando a intensidade da corrente elétrica que o atravessa é 5 A; c) a potência que o gerador lança no circuito externo nas condições do item b.
  • 13. APLICAÇÕES R.84- Um resistor de 2Ω é ligado aos terminais de uma pilha de fem 1,5 V e resistência interna 0,5Ω. Determine: a) a intensidade de corrente elétrica que se estabelece no circuito; b) a energia elétrica dissipada no resistor em 1 minuto. R.85- Um gerador de fem 9 V e resistência interna 1Ω está ligado aos resistores de resistências R1 = R2 = 2 Ω e R3 = 4 Ω, conforme a figura ao lado. Qual é a ddp no resistor de resistência R3?
  • 14. APLICAÇÕES R.86- No circuito da figura abaixo, com a chave Ch na posição 1, o amperímetro ideal (A) indica 0,75 A. Passada a chave Ch para a posição 2, o amperímetro passa a indicar 0,60 A. Determine a fem E e a resistência interna r da bateria.
  • 15. APLICAÇÕES R.87- No circuito abaixo, a potência dissipada na resistência interna do gerador é 15 W. Calcule o valor da resistência elétrica R. R.88- O ponto B do circuito representado abaixo está ligado à terra (VB=0). Determine os potenciais elétricos dos pontos A e C.
  • 16. APLICAÇÕES R.89- A indicação do amperímetro ideal A no circuito da figura a seguir é 5 A. Calcule a resistência interna r do gerador. R.90- No circuito representado na figura a seguir, a bateria tem fem E=6V e resistência interna desprezível. Calcule a intensidade de corrente elétrica que passa pelo fio AB de resistência nula.
  • 17. APLICAÇÕES R.91- Liga-se o gerador de fem E= 1,5V e resistência interna r = 0,2Ω à associação de resistores em paralelo da figura a seguir. A indicação do voltímetro V (ideal) é 0,5 volt e a potência dissipada em R1 é 1 W. Calcule os valores das resistências elétricas dos resistores R1 e R2.

Notas do Editor

  1. Forneça uma breve visão geral da apresentação. Descreva o foco principal da apresentação e por que ela é importante. Introduza cada um dos principais tópicos. Para fornecer um roteiro para o público, você pode repita este slide de Visão Geral por toda a apresentação, realçando o tópico específico que você discutirá em seguida.
  2. Forneça uma breve visão geral da apresentação. Descreva o foco principal da apresentação e por que ela é importante. Introduza cada um dos principais tópicos. Para fornecer um roteiro para o público, você pode repita este slide de Visão Geral por toda a apresentação, realçando o tópico específico que você discutirá em seguida.
  3. Forneça uma breve visão geral da apresentação. Descreva o foco principal da apresentação e por que ela é importante. Introduza cada um dos principais tópicos. Para fornecer um roteiro para o público, você pode repita este slide de Visão Geral por toda a apresentação, realçando o tópico específico que você discutirá em seguida.
  4. Forneça uma breve visão geral da apresentação. Descreva o foco principal da apresentação e por que ela é importante. Introduza cada um dos principais tópicos. Para fornecer um roteiro para o público, você pode repita este slide de Visão Geral por toda a apresentação, realçando o tópico específico que você discutirá em seguida.
  5. Forneça uma breve visão geral da apresentação. Descreva o foco principal da apresentação e por que ela é importante. Introduza cada um dos principais tópicos. Para fornecer um roteiro para o público, você pode repita este slide de Visão Geral por toda a apresentação, realçando o tópico específico que você discutirá em seguida.
  6. Forneça uma breve visão geral da apresentação. Descreva o foco principal da apresentação e por que ela é importante. Introduza cada um dos principais tópicos. Para fornecer um roteiro para o público, você pode repita este slide de Visão Geral por toda a apresentação, realçando o tópico específico que você discutirá em seguida.
  7. Forneça uma breve visão geral da apresentação. Descreva o foco principal da apresentação e por que ela é importante. Introduza cada um dos principais tópicos. Para fornecer um roteiro para o público, você pode repita este slide de Visão Geral por toda a apresentação, realçando o tópico específico que você discutirá em seguida.
  8. Forneça uma breve visão geral da apresentação. Descreva o foco principal da apresentação e por que ela é importante. Introduza cada um dos principais tópicos. Para fornecer um roteiro para o público, você pode repita este slide de Visão Geral por toda a apresentação, realçando o tópico específico que você discutirá em seguida.
  9. Forneça uma breve visão geral da apresentação. Descreva o foco principal da apresentação e por que ela é importante. Introduza cada um dos principais tópicos. Para fornecer um roteiro para o público, você pode repita este slide de Visão Geral por toda a apresentação, realçando o tópico específico que você discutirá em seguida.
  10. Forneça uma breve visão geral da apresentação. Descreva o foco principal da apresentação e por que ela é importante. Introduza cada um dos principais tópicos. Para fornecer um roteiro para o público, você pode repita este slide de Visão Geral por toda a apresentação, realçando o tópico específico que você discutirá em seguida.
  11. Forneça uma breve visão geral da apresentação. Descreva o foco principal da apresentação e por que ela é importante. Introduza cada um dos principais tópicos. Para fornecer um roteiro para o público, você pode repita este slide de Visão Geral por toda a apresentação, realçando o tópico específico que você discutirá em seguida.
  12. Forneça uma breve visão geral da apresentação. Descreva o foco principal da apresentação e por que ela é importante. Introduza cada um dos principais tópicos. Para fornecer um roteiro para o público, você pode repita este slide de Visão Geral por toda a apresentação, realçando o tópico específico que você discutirá em seguida.
  13. Forneça uma breve visão geral da apresentação. Descreva o foco principal da apresentação e por que ela é importante. Introduza cada um dos principais tópicos. Para fornecer um roteiro para o público, você pode repita este slide de Visão Geral por toda a apresentação, realçando o tópico específico que você discutirá em seguida.
  14. Forneça uma breve visão geral da apresentação. Descreva o foco principal da apresentação e por que ela é importante. Introduza cada um dos principais tópicos. Para fornecer um roteiro para o público, você pode repita este slide de Visão Geral por toda a apresentação, realçando o tópico específico que você discutirá em seguida.
  15. Forneça uma breve visão geral da apresentação. Descreva o foco principal da apresentação e por que ela é importante. Introduza cada um dos principais tópicos. Para fornecer um roteiro para o público, você pode repita este slide de Visão Geral por toda a apresentação, realçando o tópico específico que você discutirá em seguida.
  16. Forneça uma breve visão geral da apresentação. Descreva o foco principal da apresentação e por que ela é importante. Introduza cada um dos principais tópicos. Para fornecer um roteiro para o público, você pode repita este slide de Visão Geral por toda a apresentação, realçando o tópico específico que você discutirá em seguida.