SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 39
Estratégias Didáticas no
Ensino de Ciências e Biologia,
Física e Química com
Dispositivos Móveis
Marcos Barros
www.marcosbarros.com.br
???
• Como as escolas responderão para as crianças
que trazem seus próprios dispositivos móveis
de comunicação multimídia?
• Como as escolas gerenciarão a tensão entre as
redes informais de aprendizagem com a
aprendizagem nas instituições formais?
• Que estratégias didáticas com dispositivos
móveis são apropriadas para as escolas e
apresentam um bom custo benefício?
Estratégia Didática
Estratégia
• A palavra estratégia
apresenta uma
conotação militar e se
origina do grego,
STRATEGIA, que
significa ofício de
general, relacionado a
pensar
estrategicamente uma
batalha com o objetivo
de vencer o inimigo .
• É definido por La Torre
(2008) como um
conjunto de
procedimentos
adaptativos pelos quais
organizamos
sequencialmente a
ação com o objetivo de
obter as metas
previstas .
Estratégia Didática
• Salinas, Pérez e Benito (2008, p.26) definem
estratégia didática como um conjunto de
procedimentos, que apoiados nas adequadas
técnicas de ensino, tem por objetivo alcançar
objetivos previstos, ou desenvolver os
processos de ensino-aprendizagem nas
melhores condições.
Estratégias Didáticas:
proposições
• Propor estratégias didáticas que desafiem ou possibilitem o
desenvolvimento das operações mentais.
• Os processos pedagógicos devem ser pensados de maneira que
as operações de pensamento sejam despertadas, exercitadas,
construídas e flexibilizadas, através de rupturas, mobilizações,
construções e sínteses.
• Os professores deverão se comportar como verdadeiros
estrategistas no sentido de estudar, selecionar, organizar, propor
as melhores ferramentas que permitam que os alunos se
apropriem mais facilmente do conhecimento.
• As estratégias devem ser criadas sempre para atender objetivos
específicos para os sujeitos envolvidos (alunos e professores), no
processo de ensino aprendizagem.
Componentes da
Estratégia Didática
• Consideração teórica ou perspectiva do conjunto
do processo;
• Finalidade ou meta desejada;
• Sequência adaptativa;
• Realidade contextual;
• Agentes ou processos envolvidos;
• Finalidade e eficácia. (LA TORRE, 2010)
Trabalho Docente
• Anastasiou e Alves (2006) afirmam que o
trabalho docente não se restringe ao
conteúdo, mas, sobretudo ao processo que
envolve um conjunto de pessoas na
construção de saberes. Não se pode pensar
que os conteúdos são possíveis de serem
transmitidos de forma idêntica. Cada um
revela sua particularidade, exigindo uma forma
própria de apresentação.
Dispositivos Móveis
Dispositivos Móveis
Utilização
Funcionalidades 1
• Câmera (capturar vídeo e
imagem, realidade
aumentada, leitor de QR)
• Leitor de documentos
(eBook, PDF)
• Geolocalização (GPS,
mapeamento, geo-
fencing)
• Sensores internos e
externos (acelerômetros,
barômetros, compasso,
giroscópio).
• Media Player/Playback
(imagem, vídeo, áudio,
podcast)
• Microfone (gravação de
voz, podcast)
• Notificação (alerta, som,
vibração)
• Pesquisa
Funcionalidades 2
• Comunicação de curto
alcance (Bluetooth, Wi-fi)
• Mensagem de texto
(SMS, MMS)
• Interação Touchscreen
• Comunicação de voz
(telefone)
• Relógio
• Microprojeção
• Apps
• Conectividade com
Internet
• Portabilidade/Mobilidade
/Ubiquidade
• Memória
• Periféricos In e Output
• Cloud
Aprendizagem Móvel
•Consiste na utilização de dispositivos
tecnológicos móveis no processo de
ensino aprendizagem, a partir de
múltiplas interações e do contexto
em que os aprendentes estão
inseridos, em todo tempo e em todo
lugar.
Aprendizagem Móvel
• A aprendizagem móvel é um forte aliado para a
formação de professores de ciências visto que
permite um acesso mais fácil às informações,
possibilitando um maior compartilhamento de
inovações e serviços.
• Os professores devem utilizar diferentes
abordagens metodológicas, focando sempre a
participação dos alunos e o uso de recursos
tecnológicos. Esses dispositivos podem ampliar as
possibilidades de pesquisa e favorecer o diálogo
entre os pares.
Contexto Atual
Modelo Prático para
Elaboração e Análise de
Estratégias Didáticas
EIXOS
PRESSOPOSTOS
OBSERVAÇÕES
ORGANIZAÇÃO
Base teórica do Modelo Prático para Construção e
Análise de Estratégias Didáticas com dispositivos
móveis
Algumas
Experiências
www.marcosbarros.com.br
•Obrigado!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ciências naturais no quarto ciclo
Ciências naturais no quarto cicloCiências naturais no quarto ciclo
Ciências naturais no quarto ciclo
pibidbio
 
Metodologia cientifica
Metodologia cientificaMetodologia cientifica
Metodologia cientifica
jaddy xavier
 
Sistema cardiovascular
Sistema cardiovascularSistema cardiovascular
Sistema cardiovascular
César Milani
 
1. zabala. prática educativa prof. iara
1. zabala. prática educativa prof. iara1. zabala. prática educativa prof. iara
1. zabala. prática educativa prof. iara
Claudia Andrade
 
Pesquisa Qualitativa: Uma Introdução. Profa. Rilva
Pesquisa Qualitativa: Uma Introdução. Profa. RilvaPesquisa Qualitativa: Uma Introdução. Profa. Rilva
Pesquisa Qualitativa: Uma Introdução. Profa. Rilva
Rilva Lopes de Sousa Muñoz
 
Como Elaborar Um Projeto De Pesquisa
Como Elaborar Um Projeto De PesquisaComo Elaborar Um Projeto De Pesquisa
Como Elaborar Um Projeto De Pesquisa
mauricio aquino
 

Mais procurados (20)

Ciências naturais no quarto ciclo
Ciências naturais no quarto cicloCiências naturais no quarto ciclo
Ciências naturais no quarto ciclo
 
JOGOS DIDÁTICOS NO ENSINO DE BIOLOGIA: CONTRIBUIÇÕES DO JOGO “MUNDO DOS PARAS...
JOGOS DIDÁTICOS NO ENSINO DE BIOLOGIA: CONTRIBUIÇÕES DO JOGO “MUNDO DOS PARAS...JOGOS DIDÁTICOS NO ENSINO DE BIOLOGIA: CONTRIBUIÇÕES DO JOGO “MUNDO DOS PARAS...
JOGOS DIDÁTICOS NO ENSINO DE BIOLOGIA: CONTRIBUIÇÕES DO JOGO “MUNDO DOS PARAS...
 
Conhecendo a didática
Conhecendo a didáticaConhecendo a didática
Conhecendo a didática
 
Metodologia cientifica
Metodologia cientificaMetodologia cientifica
Metodologia cientifica
 
Metodologia científica
Metodologia científicaMetodologia científica
Metodologia científica
 
Aula 1 metodologia científica
Aula 1   metodologia científicaAula 1   metodologia científica
Aula 1 metodologia científica
 
Sistema cardiovascular
Sistema cardiovascularSistema cardiovascular
Sistema cardiovascular
 
Metodologia e tecnicas de ensino
Metodologia e tecnicas de ensinoMetodologia e tecnicas de ensino
Metodologia e tecnicas de ensino
 
MPEMC AULA 9: Ciências na BNCC
MPEMC AULA 9: Ciências na BNCCMPEMC AULA 9: Ciências na BNCC
MPEMC AULA 9: Ciências na BNCC
 
História das Ciências e Educação em Ciências
História das Ciências e Educação em CiênciasHistória das Ciências e Educação em Ciências
História das Ciências e Educação em Ciências
 
Plano de aula slides
Plano de aula slidesPlano de aula slides
Plano de aula slides
 
Modelos de organização curricular
Modelos de organização curricularModelos de organização curricular
Modelos de organização curricular
 
O que é plágio e medidas práticas para evitá-lo
O que é plágio e medidas práticas para evitá-loO que é plágio e medidas práticas para evitá-lo
O que é plágio e medidas práticas para evitá-lo
 
Aula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIA
Aula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIAAula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIA
Aula01:INTRODUÇÃO AO ESTUDO DE ANATOMIA
 
Inovações Pedagógicas no Ensino de Biologia
Inovações Pedagógicas no Ensino de BiologiaInovações Pedagógicas no Ensino de Biologia
Inovações Pedagógicas no Ensino de Biologia
 
Sistema endócrino
Sistema endócrinoSistema endócrino
Sistema endócrino
 
1. zabala. prática educativa prof. iara
1. zabala. prática educativa prof. iara1. zabala. prática educativa prof. iara
1. zabala. prática educativa prof. iara
 
Pesquisa Qualitativa: Uma Introdução. Profa. Rilva
Pesquisa Qualitativa: Uma Introdução. Profa. RilvaPesquisa Qualitativa: Uma Introdução. Profa. Rilva
Pesquisa Qualitativa: Uma Introdução. Profa. Rilva
 
Métodos e Técnicas de Pesquisa: O Estudo de Caso
Métodos e Técnicas de Pesquisa: O Estudo de CasoMétodos e Técnicas de Pesquisa: O Estudo de Caso
Métodos e Técnicas de Pesquisa: O Estudo de Caso
 
Como Elaborar Um Projeto De Pesquisa
Como Elaborar Um Projeto De PesquisaComo Elaborar Um Projeto De Pesquisa
Como Elaborar Um Projeto De Pesquisa
 

Destaque

OFICINA PEDAGÓGICA II “ESTRATÉGIAS DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM NO CURSO DE AD...
OFICINA PEDAGÓGICA II “ESTRATÉGIAS DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM NO CURSO DE AD...OFICINA PEDAGÓGICA II “ESTRATÉGIAS DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM NO CURSO DE AD...
OFICINA PEDAGÓGICA II “ESTRATÉGIAS DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM NO CURSO DE AD...
ANGRAD
 
A aprendizagem significativa e o ensino das ciências hoje
A aprendizagem significativa e o ensino das ciências hojeA aprendizagem significativa e o ensino das ciências hoje
A aprendizagem significativa e o ensino das ciências hoje
Evelyn Fernandes
 
Considerações importantes sobre ensinar e aprender ciências
Considerações importantes sobre ensinar e aprender ciênciasConsiderações importantes sobre ensinar e aprender ciências
Considerações importantes sobre ensinar e aprender ciências
Mirtes Campos
 
Estratégias Diferenciadas no Ensino
Estratégias Diferenciadas no EnsinoEstratégias Diferenciadas no Ensino
Estratégias Diferenciadas no Ensino
Vera Zacharias
 
Estratégias de ensino aprendizagem
Estratégias de ensino aprendizagemEstratégias de ensino aprendizagem
Estratégias de ensino aprendizagem
familiaestagio
 
Conteúdos de Ciências Naturais
Conteúdos de Ciências NaturaisConteúdos de Ciências Naturais
Conteúdos de Ciências Naturais
pibidbio
 
INSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
INSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃOINSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
INSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
Edlauva Santos
 
Biologia
BiologiaBiologia
Biologia
escdpi
 
Efetividade da aprendizagem: estratégias, capacitação e desempenho docente e ...
Efetividade da aprendizagem: estratégias, capacitação e desempenho docente e ...Efetividade da aprendizagem: estratégias, capacitação e desempenho docente e ...
Efetividade da aprendizagem: estratégias, capacitação e desempenho docente e ...
ANGRAD
 
Ensino Aprendizagem
Ensino AprendizagemEnsino Aprendizagem
Ensino Aprendizagem
ceama
 
Inteligências múltiplas e estilos de aprendizagem
Inteligências múltiplas e estilos de aprendizagemInteligências múltiplas e estilos de aprendizagem
Inteligências múltiplas e estilos de aprendizagem
Élida Catarino
 

Destaque (20)

A.Ensino.Ciencias.Ppoint
A.Ensino.Ciencias.PpointA.Ensino.Ciencias.Ppoint
A.Ensino.Ciencias.Ppoint
 
OFICINA PEDAGÓGICA II “ESTRATÉGIAS DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM NO CURSO DE AD...
OFICINA PEDAGÓGICA II “ESTRATÉGIAS DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM NO CURSO DE AD...OFICINA PEDAGÓGICA II “ESTRATÉGIAS DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM NO CURSO DE AD...
OFICINA PEDAGÓGICA II “ESTRATÉGIAS DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM NO CURSO DE AD...
 
A aprendizagem significativa e o ensino das ciências hoje
A aprendizagem significativa e o ensino das ciências hojeA aprendizagem significativa e o ensino das ciências hoje
A aprendizagem significativa e o ensino das ciências hoje
 
Considerações importantes sobre ensinar e aprender ciências
Considerações importantes sobre ensinar e aprender ciênciasConsiderações importantes sobre ensinar e aprender ciências
Considerações importantes sobre ensinar e aprender ciências
 
Metodologia do ensino de ciências biológicas
Metodologia do ensino de ciências biológicasMetodologia do ensino de ciências biológicas
Metodologia do ensino de ciências biológicas
 
Estratégias Diferenciadas no Ensino
Estratégias Diferenciadas no EnsinoEstratégias Diferenciadas no Ensino
Estratégias Diferenciadas no Ensino
 
EstratéGias De Aprendizagem1
EstratéGias De Aprendizagem1EstratéGias De Aprendizagem1
EstratéGias De Aprendizagem1
 
Estratégias de ensino aprendizagem
Estratégias de ensino aprendizagemEstratégias de ensino aprendizagem
Estratégias de ensino aprendizagem
 
Conteúdos de Ciências Naturais
Conteúdos de Ciências NaturaisConteúdos de Ciências Naturais
Conteúdos de Ciências Naturais
 
INSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
INSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃOINSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
INSTRUMENTOS E CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
 
PAGINA 39
 PAGINA 39 PAGINA 39
PAGINA 39
 
QUADRO ÉTICA MORAL
QUADRO ÉTICA MORALQUADRO ÉTICA MORAL
QUADRO ÉTICA MORAL
 
Biologia
BiologiaBiologia
Biologia
 
Efetividade da aprendizagem: estratégias, capacitação e desempenho docente e ...
Efetividade da aprendizagem: estratégias, capacitação e desempenho docente e ...Efetividade da aprendizagem: estratégias, capacitação e desempenho docente e ...
Efetividade da aprendizagem: estratégias, capacitação e desempenho docente e ...
 
Ensino Aprendizagem
Ensino AprendizagemEnsino Aprendizagem
Ensino Aprendizagem
 
Minicurso pós: Manuseando um computador
Minicurso  pós: Manuseando um computadorMinicurso  pós: Manuseando um computador
Minicurso pós: Manuseando um computador
 
Inteligências múltiplas e estilos de aprendizagem
Inteligências múltiplas e estilos de aprendizagemInteligências múltiplas e estilos de aprendizagem
Inteligências múltiplas e estilos de aprendizagem
 
Ensino de ciências: tendências e inovações com o uso de TIC
Ensino de ciências: tendências e inovações com o uso de TICEnsino de ciências: tendências e inovações com o uso de TIC
Ensino de ciências: tendências e inovações com o uso de TIC
 
Unifeb 2012 Química Inorgânica Industrial I - plano de ensino
Unifeb 2012   Química Inorgânica Industrial I - plano de ensinoUnifeb 2012   Química Inorgânica Industrial I - plano de ensino
Unifeb 2012 Química Inorgânica Industrial I - plano de ensino
 
Mecânica
MecânicaMecânica
Mecânica
 

Semelhante a Estratégias Didáticas no Ensino de Ciências e Biologia, Química e Física com Dispositivos Móveis

Robótica e educação inclusiva
Robótica e educação inclusivaRobótica e educação inclusiva
Robótica e educação inclusiva
Campus Party Brasil
 
Robótica e educação inclusiva
	Robótica e educação inclusiva	Robótica e educação inclusiva
Robótica e educação inclusiva
Campus Party Brasil
 
Projeto Aprendizagem
Projeto AprendizagemProjeto Aprendizagem
Projeto Aprendizagem
Rosecler
 

Semelhante a Estratégias Didáticas no Ensino de Ciências e Biologia, Química e Física com Dispositivos Móveis (20)

Teorias Didáticas para Mobile Learning
Teorias Didáticas para Mobile LearningTeorias Didáticas para Mobile Learning
Teorias Didáticas para Mobile Learning
 
EDUCAÇÃO 5.0: NOVOS DESIGNS, CENÁRIOS E METODOLOGIAS NO ENSINO DE CIÊNCIAS
EDUCAÇÃO 5.0: NOVOS DESIGNS, CENÁRIOS E  METODOLOGIAS NO ENSINO DE CIÊNCIASEDUCAÇÃO 5.0: NOVOS DESIGNS, CENÁRIOS E  METODOLOGIAS NO ENSINO DE CIÊNCIAS
EDUCAÇÃO 5.0: NOVOS DESIGNS, CENÁRIOS E METODOLOGIAS NO ENSINO DE CIÊNCIAS
 
Palestra Sesi Metodologias Ativas
Palestra Sesi Metodologias AtivasPalestra Sesi Metodologias Ativas
Palestra Sesi Metodologias Ativas
 
1305
13051305
1305
 
Robótica e educação inclusiva
Robótica e educação inclusivaRobótica e educação inclusiva
Robótica e educação inclusiva
 
Robótica e educação inclusiva
	Robótica e educação inclusiva	Robótica e educação inclusiva
Robótica e educação inclusiva
 
Sem ese viseu16_3_2013
Sem ese viseu16_3_2013Sem ese viseu16_3_2013
Sem ese viseu16_3_2013
 
WebcurriculoSPaulo2010
WebcurriculoSPaulo2010WebcurriculoSPaulo2010
WebcurriculoSPaulo2010
 
Como utilizar celulares e smartphones nas aulas de Ciências e Biologia, Físic...
Como utilizar celulares e smartphones nas aulas de Ciências e Biologia, Físic...Como utilizar celulares e smartphones nas aulas de Ciências e Biologia, Físic...
Como utilizar celulares e smartphones nas aulas de Ciências e Biologia, Físic...
 
Metas de Aprendizagem na área das TIC
Metas de Aprendizagem na área das TICMetas de Aprendizagem na área das TIC
Metas de Aprendizagem na área das TIC
 
Projeto Aprendizagem
Projeto AprendizagemProjeto Aprendizagem
Projeto Aprendizagem
 
A JORNADA DOS HÍBRIDOS_acompanhamento dos percursos de aprendizagem de ativid...
A JORNADA DOS HÍBRIDOS_acompanhamento dos percursos de aprendizagem de ativid...A JORNADA DOS HÍBRIDOS_acompanhamento dos percursos de aprendizagem de ativid...
A JORNADA DOS HÍBRIDOS_acompanhamento dos percursos de aprendizagem de ativid...
 
SINAPSE - A Methodology for Extraction of Knowledge Objects Based on Textual ...
SINAPSE - A Methodology for Extraction of Knowledge Objects Based on Textual ...SINAPSE - A Methodology for Extraction of Knowledge Objects Based on Textual ...
SINAPSE - A Methodology for Extraction of Knowledge Objects Based on Textual ...
 
Apresentação Lidiane
Apresentação Lidiane Apresentação Lidiane
Apresentação Lidiane
 
Apresentação Lidiane
Apresentação LidianeApresentação Lidiane
Apresentação Lidiane
 
Tecnologias Assistivas
Tecnologias AssistivasTecnologias Assistivas
Tecnologias Assistivas
 
Contributos para a integração das TIC na Educação Pré-Escolar
Contributos para a integração das TIC na Educação Pré-EscolarContributos para a integração das TIC na Educação Pré-Escolar
Contributos para a integração das TIC na Educação Pré-Escolar
 
242 - Contributos para a Integração das Tecnologias de Informação e Comunicaç...
242 - Contributos para a Integração das Tecnologias de Informação e Comunicaç...242 - Contributos para a Integração das Tecnologias de Informação e Comunicaç...
242 - Contributos para a Integração das Tecnologias de Informação e Comunicaç...
 
Semana de pedagogia mesa 2011
Semana de pedagogia mesa 2011Semana de pedagogia mesa 2011
Semana de pedagogia mesa 2011
 
Cedep literacias via dispositivos & info basica-30ago2014-v4
Cedep literacias via dispositivos & info basica-30ago2014-v4Cedep literacias via dispositivos & info basica-30ago2014-v4
Cedep literacias via dispositivos & info basica-30ago2014-v4
 

Mais de Universidade Federal de Pernambuco

Mais de Universidade Federal de Pernambuco (20)

Dia a Dia da Educação Remota: criatividade e interação
Dia a Dia da Educação Remota: criatividade e interaçãoDia a Dia da Educação Remota: criatividade e interação
Dia a Dia da Educação Remota: criatividade e interação
 
Educação 5.0
Educação 5.0Educação 5.0
Educação 5.0
 
Arte e Ensino
Arte e EnsinoArte e Ensino
Arte e Ensino
 
Metodologias ativas e Inovadoras
Metodologias ativas e InovadorasMetodologias ativas e Inovadoras
Metodologias ativas e Inovadoras
 
Aprendizagem Através do Encantamento
Aprendizagem Através do Encantamento Aprendizagem Através do Encantamento
Aprendizagem Através do Encantamento
 
Aprendizagem Através da Diversao
Aprendizagem Através da DiversaoAprendizagem Através da Diversao
Aprendizagem Através da Diversao
 
Tecnologias Digitais para Aprendizagem Cri-Ativa
Tecnologias Digitais para Aprendizagem Cri-AtivaTecnologias Digitais para Aprendizagem Cri-Ativa
Tecnologias Digitais para Aprendizagem Cri-Ativa
 
Metodologias Ativas
Metodologias AtivasMetodologias Ativas
Metodologias Ativas
 
Apresentação Colégio Imaculado Coração de Maria
Apresentação Colégio Imaculado Coração de MariaApresentação Colégio Imaculado Coração de Maria
Apresentação Colégio Imaculado Coração de Maria
 
Hub Educat UFPE
Hub Educat UFPEHub Educat UFPE
Hub Educat UFPE
 
Residência Docente em Ensino de Ciências
Residência Docente em Ensino de CiênciasResidência Docente em Ensino de Ciências
Residência Docente em Ensino de Ciências
 
Metodologias Ativas, Imersivas e Inovadoras
Metodologias Ativas, Imersivas e InovadorasMetodologias Ativas, Imersivas e Inovadoras
Metodologias Ativas, Imersivas e Inovadoras
 
EMPOWERMENT OF VULNERABLE WOMEN THROUGH EMOTIONAL
EMPOWERMENT OF VULNERABLE WOMEN THROUGH EMOTIONALEMPOWERMENT OF VULNERABLE WOMEN THROUGH EMOTIONAL
EMPOWERMENT OF VULNERABLE WOMEN THROUGH EMOTIONAL
 
Coreografias Institucionais no Mapeamento de Políticas Educativas em Cidades...
Coreografias Institucionais no Mapeamento de Políticas Educativas em Cidades...Coreografias Institucionais no Mapeamento de Políticas Educativas em Cidades...
Coreografias Institucionais no Mapeamento de Políticas Educativas em Cidades...
 
Educação 5.0 e as Metodologias Ativas e Inovadoras: encantando e engajando o ...
Educação 5.0 e as Metodologias Ativas e Inovadoras: encantando e engajando o ...Educação 5.0 e as Metodologias Ativas e Inovadoras: encantando e engajando o ...
Educação 5.0 e as Metodologias Ativas e Inovadoras: encantando e engajando o ...
 
Educação 5.0 e Metodologias Ativas e Inovadoras
Educação 5.0 e Metodologias Ativas e InovadorasEducação 5.0 e Metodologias Ativas e Inovadoras
Educação 5.0 e Metodologias Ativas e Inovadoras
 
Resiliência na Ambiência Escolar: Desafios no enfrentamento de um Contexto Ed...
Resiliência na Ambiência Escolar: Desafios no enfrentamento de um Contexto Ed...Resiliência na Ambiência Escolar: Desafios no enfrentamento de um Contexto Ed...
Resiliência na Ambiência Escolar: Desafios no enfrentamento de um Contexto Ed...
 
Engajamento Docente A Partir Das Habilidades Emocionais No Uso De Práticas At...
Engajamento Docente A Partir Das Habilidades Emocionais No Uso De Práticas At...Engajamento Docente A Partir Das Habilidades Emocionais No Uso De Práticas At...
Engajamento Docente A Partir Das Habilidades Emocionais No Uso De Práticas At...
 
Residencia Docente em Ensino de Ciências em Feira Nova
Residencia Docente em Ensino de Ciências em Feira NovaResidencia Docente em Ensino de Ciências em Feira Nova
Residencia Docente em Ensino de Ciências em Feira Nova
 
Cultura de Inovação em Escolas Integrais: novos Designs e Cenários para a Sal...
Cultura de Inovação em Escolas Integrais: novos Designs e Cenários para a Sal...Cultura de Inovação em Escolas Integrais: novos Designs e Cenários para a Sal...
Cultura de Inovação em Escolas Integrais: novos Designs e Cenários para a Sal...
 

Último

Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Pastor Robson Colaço
 

Último (20)

Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptxCONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptxMovimento Negro Unificado , slide completo.pptx
Movimento Negro Unificado , slide completo.pptx
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 

Estratégias Didáticas no Ensino de Ciências e Biologia, Química e Física com Dispositivos Móveis

  • 1. Estratégias Didáticas no Ensino de Ciências e Biologia, Física e Química com Dispositivos Móveis Marcos Barros www.marcosbarros.com.br
  • 2. ??? • Como as escolas responderão para as crianças que trazem seus próprios dispositivos móveis de comunicação multimídia? • Como as escolas gerenciarão a tensão entre as redes informais de aprendizagem com a aprendizagem nas instituições formais? • Que estratégias didáticas com dispositivos móveis são apropriadas para as escolas e apresentam um bom custo benefício?
  • 4. Estratégia • A palavra estratégia apresenta uma conotação militar e se origina do grego, STRATEGIA, que significa ofício de general, relacionado a pensar estrategicamente uma batalha com o objetivo de vencer o inimigo . • É definido por La Torre (2008) como um conjunto de procedimentos adaptativos pelos quais organizamos sequencialmente a ação com o objetivo de obter as metas previstas .
  • 5. Estratégia Didática • Salinas, Pérez e Benito (2008, p.26) definem estratégia didática como um conjunto de procedimentos, que apoiados nas adequadas técnicas de ensino, tem por objetivo alcançar objetivos previstos, ou desenvolver os processos de ensino-aprendizagem nas melhores condições.
  • 6. Estratégias Didáticas: proposições • Propor estratégias didáticas que desafiem ou possibilitem o desenvolvimento das operações mentais. • Os processos pedagógicos devem ser pensados de maneira que as operações de pensamento sejam despertadas, exercitadas, construídas e flexibilizadas, através de rupturas, mobilizações, construções e sínteses. • Os professores deverão se comportar como verdadeiros estrategistas no sentido de estudar, selecionar, organizar, propor as melhores ferramentas que permitam que os alunos se apropriem mais facilmente do conhecimento. • As estratégias devem ser criadas sempre para atender objetivos específicos para os sujeitos envolvidos (alunos e professores), no processo de ensino aprendizagem.
  • 7. Componentes da Estratégia Didática • Consideração teórica ou perspectiva do conjunto do processo; • Finalidade ou meta desejada; • Sequência adaptativa; • Realidade contextual; • Agentes ou processos envolvidos; • Finalidade e eficácia. (LA TORRE, 2010)
  • 8. Trabalho Docente • Anastasiou e Alves (2006) afirmam que o trabalho docente não se restringe ao conteúdo, mas, sobretudo ao processo que envolve um conjunto de pessoas na construção de saberes. Não se pode pensar que os conteúdos são possíveis de serem transmitidos de forma idêntica. Cada um revela sua particularidade, exigindo uma forma própria de apresentação.
  • 10.
  • 13. Funcionalidades 1 • Câmera (capturar vídeo e imagem, realidade aumentada, leitor de QR) • Leitor de documentos (eBook, PDF) • Geolocalização (GPS, mapeamento, geo- fencing) • Sensores internos e externos (acelerômetros, barômetros, compasso, giroscópio). • Media Player/Playback (imagem, vídeo, áudio, podcast) • Microfone (gravação de voz, podcast) • Notificação (alerta, som, vibração) • Pesquisa
  • 14. Funcionalidades 2 • Comunicação de curto alcance (Bluetooth, Wi-fi) • Mensagem de texto (SMS, MMS) • Interação Touchscreen • Comunicação de voz (telefone) • Relógio • Microprojeção • Apps • Conectividade com Internet • Portabilidade/Mobilidade /Ubiquidade • Memória • Periféricos In e Output • Cloud
  • 15.
  • 16. Aprendizagem Móvel •Consiste na utilização de dispositivos tecnológicos móveis no processo de ensino aprendizagem, a partir de múltiplas interações e do contexto em que os aprendentes estão inseridos, em todo tempo e em todo lugar.
  • 17. Aprendizagem Móvel • A aprendizagem móvel é um forte aliado para a formação de professores de ciências visto que permite um acesso mais fácil às informações, possibilitando um maior compartilhamento de inovações e serviços. • Os professores devem utilizar diferentes abordagens metodológicas, focando sempre a participação dos alunos e o uso de recursos tecnológicos. Esses dispositivos podem ampliar as possibilidades de pesquisa e favorecer o diálogo entre os pares.
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 22.
  • 23.
  • 24.
  • 25.
  • 26.
  • 27.
  • 28.
  • 29.
  • 30. Modelo Prático para Elaboração e Análise de Estratégias Didáticas EIXOS PRESSOPOSTOS OBSERVAÇÕES ORGANIZAÇÃO
  • 31. Base teórica do Modelo Prático para Construção e Análise de Estratégias Didáticas com dispositivos móveis
  • 32.
  • 33.
  • 34.
  • 35.
  • 37.
  • 38.