SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 11
Baixar para ler offline
PROCESSOS SOCIAIS
TEMA
III
Processos de relação interpessoal
• https://www.youtube.com/watch?v=8QR-vc13MME
TEMA
IIi
–
Processos
sociais
Processos de relação interpessoal
• Podemos pensar as interações com os outros em termos positivos (atração)
ou negativos (agressão).
• Na base destas relações, positivas ou negativas, encontram-se três
fenómenos muito estudados na psicologia social:
• Estereótipo.
• Preconceito.
• Discriminação.
TEMA
III
–
Processos
sociais
Processos de relação interpessoal
“O risco de Thiago ser assassinado é quase 3
vezes maior que o de outras crianças.
Só que Thiago não sabe disso.
Nem desconfia que não vai chegar aos 18 anos.
Só sabe que as pessoas olham para ele de um
jeito diferente.
Ou desviam o olhar quando ele passa.
Mas porquê justamente o Thiago?
Porque é que ele não tem os mesmos direitos
que as outras crianças?
A resposta é simples.
Porque ele não tem a mesma cor de pele do
menino desta foto.”
Campanha da Unicef contemplada com o troféu Leão de
Bronze, na categoria Outdoor, no festival de Cannes
TEMA
III
–
Processos
sociais
Processos de relação interpessoal
O que é um estereótipo?
• É uma categoria favorável ou desfavorável que é partilhada por um grupo
social ou cultural e que se refere a características pessoais, especialmente a
traços de personalidade ou a comportamentos.
• É um esquema cognitivo simplificador que apressa as perceções e
julgamentos sobre o outro.
Exemplo: Estereótipos de género como “os homens são infiéis” e “as
mulheres são conflituosas”.
TEMA
III
–
Processos
sociais
Processos de relação interpessoal
ESTEREÓTIPOS DE PAPÉIS DE GÉNERO
Crenças a propósito das atividades
consideradas apropriadas para cada um
dos géneros.
ESTEREÓTIPOS DE TRAÇOS DE GÉNERO
Generalizações relativas a características
psicológicas que diferencialmente se
atribuem a homens e a mulheres.
TEMA
III
–
Processos
sociais
Processos de relação interpessoal
O que é um preconceito?
• É uma atitude negativa que predispõe para agir desfavoravelmente em
relação a uma pessoa com base na sua pertença a uma determinada
categoria.
• É uma atitude que compreende uma componente afetiva (que pode ir da
leve ansiedade ao ódio), uma componente cognitiva (que envolve crenças
sobre os indivíduos ou grupos, incluindo estereótipos) e uma componente
comportamental (por exemplo, a predisposição para reações negativas em
relação a indivíduos ou grupos, como a discriminação e a violência).
• .
Exemplo: racismo.
TEMA
III
–
Processos
sociais
Processos de relação interpessoal
Como adquirimos preconceitos?
Psicólogos estado-unidenses
conhecidos pelo seu trabalho na
década de 1940 em defesa dos
direitos civis e na sinalização do
impacto da segregação nas
escolas públicas.
Desenvolveram uma situação
experimental conhecida como
teste da boneca.
MAMIE CLARK (1917-1983)
KENNETH CLARK (1914-2005)
TEMA
III
–
Processos
sociais
Processos de relação interpessoal
Como adquirimos preconceitos?
Como aprendem as crianças a ser racistas? A
esta interrogação Kenneth e Mamie Clark
reponderam: internalizando e repetindo as
condutas racistas daqueles que as cercam.
Com uma situação experimental, conhecida
como teste da boneca, os Clark mostraram as
consequências da internalização do racismo.
TEMA
III
–
Processos
sociais
Processos de relação interpessoal
O que é a discriminação?
• É o tratamento diferencial concedido a uma dada pessoa ou grupo.
• Trata-se, frequentemente, da manifestação comportamental do
preconceito.
• Envolve tratamento desfavorável, hostil e ofensivo.
Exemplo: Discriminação racial.
PROCESSOS SOCIAIS
TEMA
III
Processos de relação interpessoal

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a estereótipo, preconceito e discriminação.pptx

Curso de Capacitacao em Bullying
Curso de Capacitacao em BullyingCurso de Capacitacao em Bullying
Curso de Capacitacao em BullyingGrupo Treinar
 
Webcast Interativo sobre como se Capacitar em Bullying
Webcast Interativo sobre como se Capacitar em BullyingWebcast Interativo sobre como se Capacitar em Bullying
Webcast Interativo sobre como se Capacitar em BullyingGrupo Treinar
 
Atps de Antropologia Aplicada ao Serviço Social
Atps de Antropologia Aplicada ao Serviço SocialAtps de Antropologia Aplicada ao Serviço Social
Atps de Antropologia Aplicada ao Serviço SocialSonara Fernanda Araujo
 
Pilares da sexualidade encontro com professores mediadores 2013
Pilares da sexualidade   encontro com professores mediadores 2013Pilares da sexualidade   encontro com professores mediadores 2013
Pilares da sexualidade encontro com professores mediadores 2013Fernanda Rezende Pedroza
 
6 e artigo_bullying
6 e artigo_bullying6 e artigo_bullying
6 e artigo_bullyingjanybf
 
Oficina sexualidade ot
Oficina sexualidade otOficina sexualidade ot
Oficina sexualidade otgeorgerlanio
 
TAT teoria_aplicação_correção.ppt
TAT teoria_aplicação_correção.pptTAT teoria_aplicação_correção.ppt
TAT teoria_aplicação_correção.pptRaianadaEthos
 
Bater como forma de educar - causas e consequências
Bater como forma de educar - causas e consequências Bater como forma de educar - causas e consequências
Bater como forma de educar - causas e consequências Proama Projeto Amamentar
 
Rede de enfrentamentos as drogas e a violência: o papel do professor retirado
Rede de enfrentamentos as drogas e a violência: o papel do professor retiradoRede de enfrentamentos as drogas e a violência: o papel do professor retirado
Rede de enfrentamentos as drogas e a violência: o papel do professor retiradoNathally Dantas
 
Bullying: intolerância ao diferente
Bullying: intolerância ao diferenteBullying: intolerância ao diferente
Bullying: intolerância ao diferentegepef
 
Sociologia mecanismos de sustentacao dos grupos sociais
Sociologia   mecanismos de sustentacao dos grupos sociaisSociologia   mecanismos de sustentacao dos grupos sociais
Sociologia mecanismos de sustentacao dos grupos sociaisGustavo Soares
 
21026 - COL. PRIMEIROS PASSOS - N. 039 - O QUE É PSICOLOGIA SOCIAL - O-que-é-...
21026 - COL. PRIMEIROS PASSOS - N. 039 - O QUE É PSICOLOGIA SOCIAL - O-que-é-...21026 - COL. PRIMEIROS PASSOS - N. 039 - O QUE É PSICOLOGIA SOCIAL - O-que-é-...
21026 - COL. PRIMEIROS PASSOS - N. 039 - O QUE É PSICOLOGIA SOCIAL - O-que-é-...JoseGarcia821360
 

Semelhante a estereótipo, preconceito e discriminação.pptx (20)

Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Curso de Capacitacao em Bullying
Curso de Capacitacao em BullyingCurso de Capacitacao em Bullying
Curso de Capacitacao em Bullying
 
Webcast Interativo sobre como se Capacitar em Bullying
Webcast Interativo sobre como se Capacitar em BullyingWebcast Interativo sobre como se Capacitar em Bullying
Webcast Interativo sobre como se Capacitar em Bullying
 
Violência na escola
Violência na escolaViolência na escola
Violência na escola
 
Atps de Antropologia Aplicada ao Serviço Social
Atps de Antropologia Aplicada ao Serviço SocialAtps de Antropologia Aplicada ao Serviço Social
Atps de Antropologia Aplicada ao Serviço Social
 
4. Bullying: lidando com o mal século
4. Bullying: lidando com o mal século4. Bullying: lidando com o mal século
4. Bullying: lidando com o mal século
 
Pilares da sexualidade encontro com professores mediadores 2013
Pilares da sexualidade   encontro com professores mediadores 2013Pilares da sexualidade   encontro com professores mediadores 2013
Pilares da sexualidade encontro com professores mediadores 2013
 
6 e artigo_bullying
6 e artigo_bullying6 e artigo_bullying
6 e artigo_bullying
 
Oficina sexualidade ot
Oficina sexualidade otOficina sexualidade ot
Oficina sexualidade ot
 
Bullying no ambiente escolar
Bullying no ambiente escolarBullying no ambiente escolar
Bullying no ambiente escolar
 
TAT teoria_aplicação_correção.ppt
TAT teoria_aplicação_correção.pptTAT teoria_aplicação_correção.ppt
TAT teoria_aplicação_correção.ppt
 
A violência causa e efeito na família
A violência causa e efeito na famíliaA violência causa e efeito na família
A violência causa e efeito na família
 
Círculos de paz
Círculos de pazCírculos de paz
Círculos de paz
 
Bater como forma de educar - causas e consequências
Bater como forma de educar - causas e consequências Bater como forma de educar - causas e consequências
Bater como forma de educar - causas e consequências
 
Rede de enfrentamentos as drogas e a violência: o papel do professor retirado
Rede de enfrentamentos as drogas e a violência: o papel do professor retiradoRede de enfrentamentos as drogas e a violência: o papel do professor retirado
Rede de enfrentamentos as drogas e a violência: o papel do professor retirado
 
Bullying: intolerância ao diferente
Bullying: intolerância ao diferenteBullying: intolerância ao diferente
Bullying: intolerância ao diferente
 
Bullying
BullyingBullying
Bullying
 
Sociologia mecanismos de sustentacao dos grupos sociais
Sociologia   mecanismos de sustentacao dos grupos sociaisSociologia   mecanismos de sustentacao dos grupos sociais
Sociologia mecanismos de sustentacao dos grupos sociais
 
21026 - COL. PRIMEIROS PASSOS - N. 039 - O QUE É PSICOLOGIA SOCIAL - O-que-é-...
21026 - COL. PRIMEIROS PASSOS - N. 039 - O QUE É PSICOLOGIA SOCIAL - O-que-é-...21026 - COL. PRIMEIROS PASSOS - N. 039 - O QUE É PSICOLOGIA SOCIAL - O-que-é-...
21026 - COL. PRIMEIROS PASSOS - N. 039 - O QUE É PSICOLOGIA SOCIAL - O-que-é-...
 
1º aula inclusão , o que é
1º aula  inclusão , o que é1º aula  inclusão , o que é
1º aula inclusão , o que é
 

estereótipo, preconceito e discriminação.pptx

  • 3. TEMA IIi – Processos sociais Processos de relação interpessoal • Podemos pensar as interações com os outros em termos positivos (atração) ou negativos (agressão). • Na base destas relações, positivas ou negativas, encontram-se três fenómenos muito estudados na psicologia social: • Estereótipo. • Preconceito. • Discriminação.
  • 4. TEMA III – Processos sociais Processos de relação interpessoal “O risco de Thiago ser assassinado é quase 3 vezes maior que o de outras crianças. Só que Thiago não sabe disso. Nem desconfia que não vai chegar aos 18 anos. Só sabe que as pessoas olham para ele de um jeito diferente. Ou desviam o olhar quando ele passa. Mas porquê justamente o Thiago? Porque é que ele não tem os mesmos direitos que as outras crianças? A resposta é simples. Porque ele não tem a mesma cor de pele do menino desta foto.” Campanha da Unicef contemplada com o troféu Leão de Bronze, na categoria Outdoor, no festival de Cannes
  • 5. TEMA III – Processos sociais Processos de relação interpessoal O que é um estereótipo? • É uma categoria favorável ou desfavorável que é partilhada por um grupo social ou cultural e que se refere a características pessoais, especialmente a traços de personalidade ou a comportamentos. • É um esquema cognitivo simplificador que apressa as perceções e julgamentos sobre o outro. Exemplo: Estereótipos de género como “os homens são infiéis” e “as mulheres são conflituosas”.
  • 6. TEMA III – Processos sociais Processos de relação interpessoal ESTEREÓTIPOS DE PAPÉIS DE GÉNERO Crenças a propósito das atividades consideradas apropriadas para cada um dos géneros. ESTEREÓTIPOS DE TRAÇOS DE GÉNERO Generalizações relativas a características psicológicas que diferencialmente se atribuem a homens e a mulheres.
  • 7. TEMA III – Processos sociais Processos de relação interpessoal O que é um preconceito? • É uma atitude negativa que predispõe para agir desfavoravelmente em relação a uma pessoa com base na sua pertença a uma determinada categoria. • É uma atitude que compreende uma componente afetiva (que pode ir da leve ansiedade ao ódio), uma componente cognitiva (que envolve crenças sobre os indivíduos ou grupos, incluindo estereótipos) e uma componente comportamental (por exemplo, a predisposição para reações negativas em relação a indivíduos ou grupos, como a discriminação e a violência). • . Exemplo: racismo.
  • 8. TEMA III – Processos sociais Processos de relação interpessoal Como adquirimos preconceitos? Psicólogos estado-unidenses conhecidos pelo seu trabalho na década de 1940 em defesa dos direitos civis e na sinalização do impacto da segregação nas escolas públicas. Desenvolveram uma situação experimental conhecida como teste da boneca. MAMIE CLARK (1917-1983) KENNETH CLARK (1914-2005)
  • 9. TEMA III – Processos sociais Processos de relação interpessoal Como adquirimos preconceitos? Como aprendem as crianças a ser racistas? A esta interrogação Kenneth e Mamie Clark reponderam: internalizando e repetindo as condutas racistas daqueles que as cercam. Com uma situação experimental, conhecida como teste da boneca, os Clark mostraram as consequências da internalização do racismo.
  • 10. TEMA III – Processos sociais Processos de relação interpessoal O que é a discriminação? • É o tratamento diferencial concedido a uma dada pessoa ou grupo. • Trata-se, frequentemente, da manifestação comportamental do preconceito. • Envolve tratamento desfavorável, hostil e ofensivo. Exemplo: Discriminação racial.
  • 11. PROCESSOS SOCIAIS TEMA III Processos de relação interpessoal

Notas do Editor

  1. Que processos de relação entre os indivíduos e os grupos marcam as interações com os outros?
  2. Que processos de relação entre os indivíduos e os grupos marcam as interações com os outros?
  3. O que se entende por estereótipo? Consegues apresentar um exemplo de estereótipo?
  4. O que se entende por estereótipo de papéis de género? O que se entende por estereótipo de traços de género?
  5. O que são preconceitos? Que componentes estão compreendidas nos preconceitos? Consegues apontar um exemplo de preconceito?
  6. Quem foram Kenneth e Mamie Clark?
  7. Como adquirimos preconceitos? Como aprendem as crianças a ser racistas?
  8. O que é a discriminação? Consegues apresentar um exemplo de discriminação?
  9. Que processos de relação entre os indivíduos e os grupos marcam as interações com os outros?