SlideShare uma empresa Scribd logo
Segurança e Higiene no Trabalho
OBJETIVOS GERAIS
• Identificar os perigos
existentes num espaço
confinado.
• Conhecer os cuidados a ter antes de entrar num espaço
confinado.
• Compreender a necessidade da implementação de sistemas
de prevenção para laboração em espaços confinados.
• Saber avaliar os riscos em espaços confinados
DEFINIÇÕES
• «Espaço confinado» É um local suficientemente grande e
de tal forma configurado que um trabalhador possa entrar
com o corpo e desenvolver um trabalho definido. Possui
entradas ou saídas restritas ou limitadas.
Não é projectado para utilização ou ocupação contínua
Exemplos:
Tanques, depósitos abertos e
fechados, silos, poços, contentores,
caldeiras, condutas de ventilação,
depósitos, túneis, galerias, fornos,
etc
«Atmosfera Perigosa» É a atmosfera que pode expor os
trabalhadores ao risco:
• De morte,
• De incapacidade,
• Restrições na capacidade de auto – resgate (que significa
escapar sem ajuda, de um espaço confinado ),
• Dano ou doença grave causada por uma ou várias causas
DEFINIÇÕES
«Autorização de entrada»
• É o documento escrito fornecido pelo
empregador / Dono de obra, para autorizar a
entrada e controlá-la, no espaço confinado e
que contenha informações especificadas para
Entrada.
«Trabalhador autorizado»
• É o trabalhador que é autorizado a entrar num
espaço confinado permitido.
DEFINIÇÕES
«Emergência»
• É qualquer ocorrência (incluindo qualquer falha
nos equipamentos de controle e monitorização
de riscos) ou evento interno ou externo, que
ocorram num espaço confinado, que possam
causar perigo aos trabalhadores.
«Vigia»
É o indivíduo localizado fora de um ou mais “espaços
confinados autorizados” que controla os trabalhadores
autorizados e que realiza todos os deveres de um vigia definido
no programa de espaço confinado autorizado.
ESPAÇO CONFINADO
«Espaço confinado» É
um local suficientemente
grande e de tal forma
configurado que um
trabalhador possa entrar
com o corpo e desenvolver
um trabalho definido.
Possui entradas ou saídas
restritas ou limitadas.
CONDIÇÕES DE VENTILAÇÃO
As condições de ventilação
são igualmente
desfavoráveis, o que pode
originar doenças ou lesões,
uma vez que não se podem
desenvolver determinadas
atividades em continuo.
Os espaços confinados podem ser classificados de
acordo com as suas características geométricas:
• Espaços abertos - tuneis, galerias subterraneas, etc...;
• Espaços fechados - cisternas, silos, reactores, fornos,
camaras de visita, etc...
CLASSIFICAÇÃO DAS ZONAS
De acordo com os riscos potenciais, podem ser
classificados em três categorias:
• 1ª categoria
• 2ª categoria
• 3ª categoria
Classificação dos espaços confinados
De acordo com os riscos potenciais, os espaços confinados podem
ser classificados em três categorias:
• 1.ª categoria: implica perigo de vida: é necessária autorização
escrita de entrada e plano de trabalho desenhado especificamente
para o efeito;
• 2.ª categoria: com perigo potencial de lesão: é necessária a
utilização de método de trabalho seguro para se obter autorização
de entrada sem protecção respiratória;
• 3.ª categoria: com perigos normais potenciados pela instalação.
Com base na experiência e inspeções, importa que seja
assegurado um método de trabalho seguro, sem necessidade de
autorização de trabalho.
1ª categoria – implica perigo de vida: é necessária
autorização de entrada escrita e plano de trabalho
desenhado especificamente para o efeito;
2ª categoria – com perigo potencial de lesão: é necessária a
utilização de método de trabalho seguro para se obter
autorização de entrada sem proteção respiratória;
3ª categoria – com perigos normais potenciados
pela instalação. Com base na experiencia e
inspeções, importa que seja assegurado um método de
trabalho seguro, sem necessidade de autorização
de trabalho.
Características dos espaços
confinados
Principais características dos espaços confinados
Classes Concentração
de oxigénio
Inflamabilidade Toxicidade
A < 16 %
≥20 % do limite inferior de
explosão
Nível perigoso
para a vida
B
16,1 % a 19,4
%
entre 10 % a 19 % do limite
inferior de explosividade
Superior ao nível
de contaminação
C
19,5 % a 21,4
%
< 10 % do limite inferior de
explosividade
Inferior ao nível de
contaminação
As situações correspondentes às classes A e B devem envolver vigia para prestar
assistência ao operador que entra no espaço confinado
TIPOS DE CONTAMINANTES
Tipos de contaminantes presentes
Contaminante Tipo Consequências
Físicos
Ruído por amplificação da ressonância
dos equipamentos em espaços com
reduzidas dimensões
Surdez
Stress térmico» devido à presença de
temperaturas e humidade elevadas
Deficiência
circulatória
Mal-estar
Fadiga térmica
Químicos
Inalação de gases toxicos Intoxicação
Inconsciência
Fraca concentração de oxigénio Asfixia
Presença de substâncias inflamáveis Incêndio
Explosão
Principais riscos dos espaços
confinados fechados
• Existência de uma atmosfera
potencialmente perigosa
(inflamável, tóxica, explosiva,
deficitária na concentração de
oxigénio).
• Essas atmosferas são criadas
por gases provenientes da
decomposição de matéria
orgânica ou por volatilização de
resíduos de substâncias
químicas que aí tenham sido
armazenadas ou manipuladas;
Principais riscos dos espaços
confinados fechados
• Intoxicação por gases, vapores e
poeiras existentes, ou criadas durante
a intervenção;
• Concentração deficitária de oxigénio
na atmosfera.
• Acessos problemáticos e evacuação
difícil em caso de emergência
Principais riscos dos espaços confinados fechados
• Explosão e incêndio na sequência da existência ou
criação de atmosferas explosivas ou inflamáveis
Equipamentos de Proteção coletiva
Destacam-se as seguintes medidas de proteção colectiva:
• Evitar, quando possível, a concepção de caixas de visita
em espaços facilmente inundáveis;
• Projectar estes espaços com dimensões que permitam:
▫ Fácil movimentação na subida e descida;
▫ Protecção contra eventual queda;
▫ Rápido e fácil resgate por um só vigia;
• A escada de mão dentro do espaço confinado não pode
ter comprimento maior que 6 m;
• A escada fixa (tipo marinheiro), com mais de 6 m de
altura, deve ser provida de guarda corpos;
• Andaimes com guarda corpos e rodapés
Ventilação do espaço confinado
• Deve garantir-se a ventilação forçada, permanente (podem
ser formados gases perigosos durante a realização do
trabalho);
• Monitorizar a concentração de oxigénio (deverá ser superior
a 17 %) e de outros gases perigosos que se possam formar
sempre que se encontrem pessoas no interior do espaço.
• Efectuar testes (detecção de gases tóxicos e inflamáveis e de
insuficiência de oxigénio), à medida que vão sendo retiradas
as tampas;
• Efectuar o controlo da atmosfera através de explosivímetros
1 — Se estiverem presentes trabalhadores de várias
empresas no mesmo local de trabalho, cada empregador é responsável pelas
actividades que estejam sob o seu controlo.
2 — Sem prejuízo da responsabilidade individual de
cada empregador, prevista no regime aplicável em matéria de segurança, higiene e
saúde no trabalho, o empregador responsável pelo local de trabalho coordenará a
aplicação das medidas relativas à segurança e saúde dos trabalhadores.
1 — O empregador deve proporcionar aos trabalhadores que prestam
serviço em áreas onde se possam formar atmosferas explosivas uma
formação adequada à protecção contra explosões.
2 — O empregador deve assegurar a informação e a consulta dos
trabalhadores e dos seus e presentantes para a segurança, higiene e
saúde no trabalho sobre a aplicação das medidas de proteção e
prevenção
Riscos decorrentes da envolvente:
• queda de materiais e objectos;
comunicação intempestiva com outras instalações
(invasão de líquidos, areias, cimento, etc.).
Riscos decorrentes das características próprias:
Acessos (esforços excessivos na abertura de tampas, golpes nas
superfícies de acesso, etc.);
Configuração (quedas ao mesmo nível, pancadas, etc.);
Conteúdo (afogamento por submersão, contacto com
substancias perigosas);
• Equipamentos instalados (electrocução, contactos
térmicos, etc.);
• Contaminantes biológicos (transmissão de doenças por
via respiratória ou digestiva, infeção de feridas, etc.).
Riscos devidos ao trabalho realizado
• Riscos de acidentes – quedas dos trabalhadores, quedas
de objectos, pancadas, choques com objectos, etc...
• Riscos de doenças profissionais – exposição a
contaminantes químicos e biológicos, ruido, radiações,
etc...
• Riscos de acidentes ou doenças profissionais por fadiga
física – pressões posturais, movimentação de cargas,
esforços excessivos.
Riscos por exposição a atmosferas perigosas
• Atmosfera perigosa por insuficiência de oxigénio;
• Incendio ou explosão por concentração de gases ou
vapores inflamáveis;
• Intoxicação por inalação de um contaminante.
Medidas de prevenção
Em todos os locais confinados devera existir um documento de
procedimentos de trabalho, que contenha informação sobre:
• A autorização e proibição de entrada a quem não detenha
documento comprovativo.
• Os riscos e medidas preventivas a tomar das condições e
requisitos do espaço.
Somente pessoal devidamente identificado devera
estar autorizado a trabalhar nestes espaços, devido
a natureza do trabalho, e aos perigos dai inerentes.
Medidas de prevenção
• Controlo de entradas através
de autorizações de trabalho;
Definição de regras básicas sobre:
• Definição de regras básicas sobre:
 medição e avaliação da perigosidade da atmosfera;
 verificação do espaço confinado;
 imobilização das maquinas;
 isolamento;
 proteção dentro do espaço;
 procedimentos de resgate
 Medição e avaliação da perigosidade da atmosfera;
 verificação do espaço confinado
• Necessitamos de entrar num determinado espaço
confinado, e com o auxilio do detetor de gases, vamos
avaliar a atmosfera no interior do espaço.
• Colocamos o detetor de gases dentro do espaço
confinado e no visor surgem “valores”
Exemplos de equipamento de medição
• Sinalização;
• Isolamento da comunicação com outros espaços;
• Eliminação, antes do acesso, dos resíduos perigosos;
• Proteção das bocas de entrada;
• Seleção de equipamentos com possibilidade de
contaminação e riscos possíveis ambos reduzidos;
• Não introdução fontes de ignição em ambientes
explosivos;
• Entivações para evitar a deslocação de terras ou outros
materiais;
• Quando aplicável, instalação de sistemas de proteção
anti quedas;
• Proteção individual respiratória;
• Planificação da emergência;
• Formação;
• Vigilância da saúde.
• Locais e postos de trabalho
Alem das medidas de prevenção descritas, os trabalhos
em espaços confinados devem sempre seguir as regras
de segurança aplicadas aos locais e espaços de trabalho.
Assim, e fundamental:
• privilegiar-se a ventilação natural;
• os locais de trabalho fechados devem possuir um
volume suficiente de ar puro (caudal medio de 30 a 50
m3 por hora e por trabalhador), em função dos
métodos de trabalho e das condições físicas;
• os equipamentos mecânicos de ventilação devem
garantir um funcionamento eficaz e, em caso de avaria,
possuir mecanismo de deteção dessas mesmas avarias;
• Os trabalhadores não podem ser expostos a correntes
de ar nocivas, devendo ser rapidamente eliminada a
poluição do ar respirável;
• O nível de concentração das substancias nocivas não
pode ultrapassar os limites definidos em legislação
especifica, devendo a sua captação ser efetuada,
sempre que possível, no seu ponto de formação;
• As instalações de ar condicionado ou de ventilação
mecânica devem assegurar que e efetuado o controlo da
velocidade do ar, a limpeza das condutas e a renovação
periódica do ar nos espaços de trabalho.
Trabalhos com fogo em espaços confinados
• Factor essencial a considerar nos trabalhos em espaços
confinados e a utilização de métodos, como a
soldadura, que possam produzir faíscas e/ou levar ao
surgimento de fogo.
Dai que trabalhos com fogo são absolutamente proibidos
nas seguintes situações:
Se após um exame cuidadoso
pelo responsável pela
segurança e/ou equipa de
intervenção da empresa ainda
subsistem duvidas
consideráveis quanto a
possibilidade de executar
trabalhos com chama aberta
ou outros que produzam
faíscas ou partículas quentes,
colocando em perigo pessoas,
património ou o meio
ambiente;
• Em áreas com tectos e / ou
isolamentos combustíveis,
sobretudo quando executados
diretamente por debaixo dos
mesmos;
• Em espaços onde se
manipulam ou utilizam
materiais facilmente
inflamáveis;
• Em todas as áreas com perigo
de explosão.
• Nos processos de fabrico com
operações com fogo, as
medidas de segurança
adotadas para os postos de
trabalho devem ser verificadas
regularmente:
▫ separação com cortinas
protetoras;
▫ instalação de dispositivos de
extinção de incendio
prontos a funcionar;
▫ manutenção da proibição de
armazenar líquidos
combustíveis e similares;
• A combustão incandescente em espaços vazios
ocultos, por exemplo por baixo de pisos falsos, em
tectos falsos, em condutas para instalação de cabos ou
por detrás de revestimentos de paredes pode propagar-
se durante um período de tempo longo e provocar um
incendio aberto em locais afastados;
• Durante a utilização de gás acetileno, os
respectivos cilindros devem manter-se verticais, ou, na
pior das hipóteses, com as válvulas numa posição pelo
menos 40 cm mais elevada que a base do cilindro, para
evitar derrame do solvente contido nas mesmas. A
utilização de cilindros de gás na posição horizontal só e
admissível quando se trata de cilindros a prova de
derrame, com anel de cor vermelha no respectivo
gargalo.
• O melhor método de
transporte de cilindros de gás
para queima são os carros para
cilindros a prova de queda,
que transportam também um
extintor de incendio;
Os espaços onde se efetuam trabalhos de
soldadura tem que se ser bem ventilados;
• Nas situações de trabalho prolongado em espaços
pequenos sem renovação de ar suficiente há que
proceder a extração dos vapores e gases resultantes da
operação, sempre que não se utilizam mascaras de
respiração;
FIM

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a ESPAÇOS CONFINADOS.pptx

Espaco confinado1
Espaco confinado1Espaco confinado1
Espaco confinado1
Luiz Ironilton
 
Treinamento NR 33.pptx
Treinamento NR 33.pptxTreinamento NR 33.pptx
Treinamento NR 33.pptx
AdelmaSiles
 
espaco-tadeu.ppt
espaco-tadeu.pptespaco-tadeu.ppt
espaco-tadeu.ppt
ssuser22319e
 
APRESENTAÇÃO ESPAÇO CONFINADO.ppt
APRESENTAÇÃO ESPAÇO CONFINADO.pptAPRESENTAÇÃO ESPAÇO CONFINADO.ppt
APRESENTAÇÃO ESPAÇO CONFINADO.ppt
andrikazi
 
Espaço confinado
Espaço confinadoEspaço confinado
Espaço confinado
Maria Izabel Rebelo
 
Nr – 33
Nr – 33Nr – 33
Guia de orientações_para_espaços_confinados_-_versão_para_edição
Guia de orientações_para_espaços_confinados_-_versão_para_ediçãoGuia de orientações_para_espaços_confinados_-_versão_para_edição
Guia de orientações_para_espaços_confinados_-_versão_para_edição
Alexandre Macedo
 
Ebook nr 33 trabalhos em espaços confinados
Ebook nr 33 trabalhos em espaços confinados Ebook nr 33 trabalhos em espaços confinados
Ebook nr 33 trabalhos em espaços confinados
Robson Peixoto
 
NR 33 trabalhos em espacos confinados
NR 33 trabalhos em espacos confinadosNR 33 trabalhos em espacos confinados
NR 33 trabalhos em espacos confinados
Zanel EPIs de Raspa e Vaqueta
 
Apostila nr 33 - espaço confinado
Apostila   nr 33 - espaço confinadoApostila   nr 33 - espaço confinado
Apostila nr 33 - espaço confinado
WilliamsNascimento3
 
APOSTILA CURSO NR-33.pdf
APOSTILA CURSO NR-33.pdfAPOSTILA CURSO NR-33.pdf
APOSTILA CURSO NR-33.pdf
ssuser22319e
 
Atm.explos.esp..conf.
Atm.explos.esp..conf.Atm.explos.esp..conf.
Atm.explos.esp..conf.
Robson Peixoto
 
Espao confinado
Espao confinadoEspao confinado
Espao confinado
Marcio Guilherme Bispo
 
Espaço confinado NR-33
Espaço confinado NR-33Espaço confinado NR-33
Espaço confinado NR-33
Deoclides Neto
 
Espaço confinado
Espaço confinado Espaço confinado
Espaço confinado
EVALDO JUNIO SILVA DA GAMA
 
Espaço confinado somatick
Espaço confinado somatickEspaço confinado somatick
Espaço confinado somatick
EVALDO JUNIO SILVA DA GAMA
 
Identificação do espaço confinado
Identificação do espaço confinadoIdentificação do espaço confinado
Identificação do espaço confinado
Bruno Santana
 
treinamento-NR-33.pptx
treinamento-NR-33.pptxtreinamento-NR-33.pptx
treinamento-NR-33.pptx
LeopoldoMontarroyosM
 
Sessao tecnica-espacos-confinados
Sessao tecnica-espacos-confinadosSessao tecnica-espacos-confinados
Apresentaçao-NR-33.pdf
Apresentaçao-NR-33.pdfApresentaçao-NR-33.pdf
Apresentaçao-NR-33.pdf
ssuser22319e
 

Semelhante a ESPAÇOS CONFINADOS.pptx (20)

Espaco confinado1
Espaco confinado1Espaco confinado1
Espaco confinado1
 
Treinamento NR 33.pptx
Treinamento NR 33.pptxTreinamento NR 33.pptx
Treinamento NR 33.pptx
 
espaco-tadeu.ppt
espaco-tadeu.pptespaco-tadeu.ppt
espaco-tadeu.ppt
 
APRESENTAÇÃO ESPAÇO CONFINADO.ppt
APRESENTAÇÃO ESPAÇO CONFINADO.pptAPRESENTAÇÃO ESPAÇO CONFINADO.ppt
APRESENTAÇÃO ESPAÇO CONFINADO.ppt
 
Espaço confinado
Espaço confinadoEspaço confinado
Espaço confinado
 
Nr – 33
Nr – 33Nr – 33
Nr – 33
 
Guia de orientações_para_espaços_confinados_-_versão_para_edição
Guia de orientações_para_espaços_confinados_-_versão_para_ediçãoGuia de orientações_para_espaços_confinados_-_versão_para_edição
Guia de orientações_para_espaços_confinados_-_versão_para_edição
 
Ebook nr 33 trabalhos em espaços confinados
Ebook nr 33 trabalhos em espaços confinados Ebook nr 33 trabalhos em espaços confinados
Ebook nr 33 trabalhos em espaços confinados
 
NR 33 trabalhos em espacos confinados
NR 33 trabalhos em espacos confinadosNR 33 trabalhos em espacos confinados
NR 33 trabalhos em espacos confinados
 
Apostila nr 33 - espaço confinado
Apostila   nr 33 - espaço confinadoApostila   nr 33 - espaço confinado
Apostila nr 33 - espaço confinado
 
APOSTILA CURSO NR-33.pdf
APOSTILA CURSO NR-33.pdfAPOSTILA CURSO NR-33.pdf
APOSTILA CURSO NR-33.pdf
 
Atm.explos.esp..conf.
Atm.explos.esp..conf.Atm.explos.esp..conf.
Atm.explos.esp..conf.
 
Espao confinado
Espao confinadoEspao confinado
Espao confinado
 
Espaço confinado NR-33
Espaço confinado NR-33Espaço confinado NR-33
Espaço confinado NR-33
 
Espaço confinado
Espaço confinado Espaço confinado
Espaço confinado
 
Espaço confinado somatick
Espaço confinado somatickEspaço confinado somatick
Espaço confinado somatick
 
Identificação do espaço confinado
Identificação do espaço confinadoIdentificação do espaço confinado
Identificação do espaço confinado
 
treinamento-NR-33.pptx
treinamento-NR-33.pptxtreinamento-NR-33.pptx
treinamento-NR-33.pptx
 
Sessao tecnica-espacos-confinados
Sessao tecnica-espacos-confinadosSessao tecnica-espacos-confinados
Sessao tecnica-espacos-confinados
 
Apresentaçao-NR-33.pdf
Apresentaçao-NR-33.pdfApresentaçao-NR-33.pdf
Apresentaçao-NR-33.pdf
 

Último

Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptxApresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Geagra UFG
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
representações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdf
representações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdfrepresentações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdf
representações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdf
EVERALDODEOLIVEIRA2
 
CAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUS
CAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUSCAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUS
CAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUS
ESCRIBA DE CRISTO
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 

Último (9)

Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptxApresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
Apresentação de Manejo do solo - Slides.pptx
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 
representações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdf
representações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdfrepresentações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdf
representações gráficas que apresentam dados climáticos climogramas .pdf
 
CAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUS
CAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUSCAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUS
CAMELOS E DROMEDÁRIOS, MARAVILHAS DE DEUS
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESPJornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
Jornada da Sustentabilidade - Encontro ESG - SETCESP
 

ESPAÇOS CONFINADOS.pptx

  • 1. Segurança e Higiene no Trabalho
  • 2. OBJETIVOS GERAIS • Identificar os perigos existentes num espaço confinado.
  • 3. • Conhecer os cuidados a ter antes de entrar num espaço confinado. • Compreender a necessidade da implementação de sistemas de prevenção para laboração em espaços confinados. • Saber avaliar os riscos em espaços confinados
  • 4. DEFINIÇÕES • «Espaço confinado» É um local suficientemente grande e de tal forma configurado que um trabalhador possa entrar com o corpo e desenvolver um trabalho definido. Possui entradas ou saídas restritas ou limitadas. Não é projectado para utilização ou ocupação contínua Exemplos: Tanques, depósitos abertos e fechados, silos, poços, contentores, caldeiras, condutas de ventilação, depósitos, túneis, galerias, fornos, etc
  • 5. «Atmosfera Perigosa» É a atmosfera que pode expor os trabalhadores ao risco: • De morte, • De incapacidade, • Restrições na capacidade de auto – resgate (que significa escapar sem ajuda, de um espaço confinado ), • Dano ou doença grave causada por uma ou várias causas
  • 6. DEFINIÇÕES «Autorização de entrada» • É o documento escrito fornecido pelo empregador / Dono de obra, para autorizar a entrada e controlá-la, no espaço confinado e que contenha informações especificadas para Entrada. «Trabalhador autorizado» • É o trabalhador que é autorizado a entrar num espaço confinado permitido.
  • 7. DEFINIÇÕES «Emergência» • É qualquer ocorrência (incluindo qualquer falha nos equipamentos de controle e monitorização de riscos) ou evento interno ou externo, que ocorram num espaço confinado, que possam causar perigo aos trabalhadores.
  • 8. «Vigia» É o indivíduo localizado fora de um ou mais “espaços confinados autorizados” que controla os trabalhadores autorizados e que realiza todos os deveres de um vigia definido no programa de espaço confinado autorizado.
  • 9. ESPAÇO CONFINADO «Espaço confinado» É um local suficientemente grande e de tal forma configurado que um trabalhador possa entrar com o corpo e desenvolver um trabalho definido. Possui entradas ou saídas restritas ou limitadas.
  • 10. CONDIÇÕES DE VENTILAÇÃO As condições de ventilação são igualmente desfavoráveis, o que pode originar doenças ou lesões, uma vez que não se podem desenvolver determinadas atividades em continuo.
  • 11. Os espaços confinados podem ser classificados de acordo com as suas características geométricas: • Espaços abertos - tuneis, galerias subterraneas, etc...; • Espaços fechados - cisternas, silos, reactores, fornos, camaras de visita, etc... CLASSIFICAÇÃO DAS ZONAS
  • 12.
  • 13. De acordo com os riscos potenciais, podem ser classificados em três categorias: • 1ª categoria • 2ª categoria • 3ª categoria
  • 14. Classificação dos espaços confinados De acordo com os riscos potenciais, os espaços confinados podem ser classificados em três categorias: • 1.ª categoria: implica perigo de vida: é necessária autorização escrita de entrada e plano de trabalho desenhado especificamente para o efeito; • 2.ª categoria: com perigo potencial de lesão: é necessária a utilização de método de trabalho seguro para se obter autorização de entrada sem protecção respiratória; • 3.ª categoria: com perigos normais potenciados pela instalação. Com base na experiência e inspeções, importa que seja assegurado um método de trabalho seguro, sem necessidade de autorização de trabalho.
  • 15. 1ª categoria – implica perigo de vida: é necessária autorização de entrada escrita e plano de trabalho desenhado especificamente para o efeito;
  • 16. 2ª categoria – com perigo potencial de lesão: é necessária a utilização de método de trabalho seguro para se obter autorização de entrada sem proteção respiratória;
  • 17. 3ª categoria – com perigos normais potenciados pela instalação. Com base na experiencia e inspeções, importa que seja assegurado um método de trabalho seguro, sem necessidade de autorização de trabalho.
  • 18. Características dos espaços confinados Principais características dos espaços confinados Classes Concentração de oxigénio Inflamabilidade Toxicidade A < 16 % ≥20 % do limite inferior de explosão Nível perigoso para a vida B 16,1 % a 19,4 % entre 10 % a 19 % do limite inferior de explosividade Superior ao nível de contaminação C 19,5 % a 21,4 % < 10 % do limite inferior de explosividade Inferior ao nível de contaminação As situações correspondentes às classes A e B devem envolver vigia para prestar assistência ao operador que entra no espaço confinado
  • 19. TIPOS DE CONTAMINANTES Tipos de contaminantes presentes Contaminante Tipo Consequências Físicos Ruído por amplificação da ressonância dos equipamentos em espaços com reduzidas dimensões Surdez Stress térmico» devido à presença de temperaturas e humidade elevadas Deficiência circulatória Mal-estar Fadiga térmica Químicos Inalação de gases toxicos Intoxicação Inconsciência Fraca concentração de oxigénio Asfixia Presença de substâncias inflamáveis Incêndio Explosão
  • 20. Principais riscos dos espaços confinados fechados • Existência de uma atmosfera potencialmente perigosa (inflamável, tóxica, explosiva, deficitária na concentração de oxigénio). • Essas atmosferas são criadas por gases provenientes da decomposição de matéria orgânica ou por volatilização de resíduos de substâncias químicas que aí tenham sido armazenadas ou manipuladas;
  • 21. Principais riscos dos espaços confinados fechados • Intoxicação por gases, vapores e poeiras existentes, ou criadas durante a intervenção; • Concentração deficitária de oxigénio na atmosfera. • Acessos problemáticos e evacuação difícil em caso de emergência
  • 22. Principais riscos dos espaços confinados fechados • Explosão e incêndio na sequência da existência ou criação de atmosferas explosivas ou inflamáveis
  • 23. Equipamentos de Proteção coletiva Destacam-se as seguintes medidas de proteção colectiva: • Evitar, quando possível, a concepção de caixas de visita em espaços facilmente inundáveis; • Projectar estes espaços com dimensões que permitam: ▫ Fácil movimentação na subida e descida; ▫ Protecção contra eventual queda; ▫ Rápido e fácil resgate por um só vigia; • A escada de mão dentro do espaço confinado não pode ter comprimento maior que 6 m; • A escada fixa (tipo marinheiro), com mais de 6 m de altura, deve ser provida de guarda corpos; • Andaimes com guarda corpos e rodapés
  • 24. Ventilação do espaço confinado • Deve garantir-se a ventilação forçada, permanente (podem ser formados gases perigosos durante a realização do trabalho); • Monitorizar a concentração de oxigénio (deverá ser superior a 17 %) e de outros gases perigosos que se possam formar sempre que se encontrem pessoas no interior do espaço. • Efectuar testes (detecção de gases tóxicos e inflamáveis e de insuficiência de oxigénio), à medida que vão sendo retiradas as tampas; • Efectuar o controlo da atmosfera através de explosivímetros
  • 25. 1 — Se estiverem presentes trabalhadores de várias empresas no mesmo local de trabalho, cada empregador é responsável pelas actividades que estejam sob o seu controlo. 2 — Sem prejuízo da responsabilidade individual de cada empregador, prevista no regime aplicável em matéria de segurança, higiene e saúde no trabalho, o empregador responsável pelo local de trabalho coordenará a aplicação das medidas relativas à segurança e saúde dos trabalhadores.
  • 26. 1 — O empregador deve proporcionar aos trabalhadores que prestam serviço em áreas onde se possam formar atmosferas explosivas uma formação adequada à protecção contra explosões. 2 — O empregador deve assegurar a informação e a consulta dos trabalhadores e dos seus e presentantes para a segurança, higiene e saúde no trabalho sobre a aplicação das medidas de proteção e prevenção
  • 27. Riscos decorrentes da envolvente: • queda de materiais e objectos;
  • 28. comunicação intempestiva com outras instalações (invasão de líquidos, areias, cimento, etc.).
  • 29. Riscos decorrentes das características próprias: Acessos (esforços excessivos na abertura de tampas, golpes nas superfícies de acesso, etc.); Configuração (quedas ao mesmo nível, pancadas, etc.); Conteúdo (afogamento por submersão, contacto com substancias perigosas);
  • 30. • Equipamentos instalados (electrocução, contactos térmicos, etc.); • Contaminantes biológicos (transmissão de doenças por via respiratória ou digestiva, infeção de feridas, etc.).
  • 31. Riscos devidos ao trabalho realizado • Riscos de acidentes – quedas dos trabalhadores, quedas de objectos, pancadas, choques com objectos, etc... • Riscos de doenças profissionais – exposição a contaminantes químicos e biológicos, ruido, radiações, etc... • Riscos de acidentes ou doenças profissionais por fadiga física – pressões posturais, movimentação de cargas, esforços excessivos.
  • 32. Riscos por exposição a atmosferas perigosas • Atmosfera perigosa por insuficiência de oxigénio; • Incendio ou explosão por concentração de gases ou vapores inflamáveis; • Intoxicação por inalação de um contaminante.
  • 34. Em todos os locais confinados devera existir um documento de procedimentos de trabalho, que contenha informação sobre: • A autorização e proibição de entrada a quem não detenha documento comprovativo. • Os riscos e medidas preventivas a tomar das condições e requisitos do espaço. Somente pessoal devidamente identificado devera estar autorizado a trabalhar nestes espaços, devido a natureza do trabalho, e aos perigos dai inerentes.
  • 35. Medidas de prevenção • Controlo de entradas através de autorizações de trabalho;
  • 36. Definição de regras básicas sobre:
  • 37. • Definição de regras básicas sobre:  medição e avaliação da perigosidade da atmosfera;  verificação do espaço confinado;  imobilização das maquinas;  isolamento;  proteção dentro do espaço;  procedimentos de resgate
  • 38.  Medição e avaliação da perigosidade da atmosfera;  verificação do espaço confinado • Necessitamos de entrar num determinado espaço confinado, e com o auxilio do detetor de gases, vamos avaliar a atmosfera no interior do espaço. • Colocamos o detetor de gases dentro do espaço confinado e no visor surgem “valores”
  • 39. Exemplos de equipamento de medição
  • 41. • Isolamento da comunicação com outros espaços; • Eliminação, antes do acesso, dos resíduos perigosos; • Proteção das bocas de entrada; • Seleção de equipamentos com possibilidade de contaminação e riscos possíveis ambos reduzidos; • Não introdução fontes de ignição em ambientes explosivos;
  • 42. • Entivações para evitar a deslocação de terras ou outros materiais; • Quando aplicável, instalação de sistemas de proteção anti quedas; • Proteção individual respiratória; • Planificação da emergência; • Formação; • Vigilância da saúde.
  • 43. • Locais e postos de trabalho
  • 44. Alem das medidas de prevenção descritas, os trabalhos em espaços confinados devem sempre seguir as regras de segurança aplicadas aos locais e espaços de trabalho.
  • 45. Assim, e fundamental: • privilegiar-se a ventilação natural; • os locais de trabalho fechados devem possuir um volume suficiente de ar puro (caudal medio de 30 a 50 m3 por hora e por trabalhador), em função dos métodos de trabalho e das condições físicas; • os equipamentos mecânicos de ventilação devem garantir um funcionamento eficaz e, em caso de avaria, possuir mecanismo de deteção dessas mesmas avarias;
  • 46. • Os trabalhadores não podem ser expostos a correntes de ar nocivas, devendo ser rapidamente eliminada a poluição do ar respirável; • O nível de concentração das substancias nocivas não pode ultrapassar os limites definidos em legislação especifica, devendo a sua captação ser efetuada, sempre que possível, no seu ponto de formação;
  • 47. • As instalações de ar condicionado ou de ventilação mecânica devem assegurar que e efetuado o controlo da velocidade do ar, a limpeza das condutas e a renovação periódica do ar nos espaços de trabalho.
  • 48. Trabalhos com fogo em espaços confinados
  • 49. • Factor essencial a considerar nos trabalhos em espaços confinados e a utilização de métodos, como a soldadura, que possam produzir faíscas e/ou levar ao surgimento de fogo.
  • 50. Dai que trabalhos com fogo são absolutamente proibidos nas seguintes situações:
  • 51. Se após um exame cuidadoso pelo responsável pela segurança e/ou equipa de intervenção da empresa ainda subsistem duvidas consideráveis quanto a possibilidade de executar trabalhos com chama aberta ou outros que produzam faíscas ou partículas quentes, colocando em perigo pessoas, património ou o meio ambiente;
  • 52. • Em áreas com tectos e / ou isolamentos combustíveis, sobretudo quando executados diretamente por debaixo dos mesmos; • Em espaços onde se manipulam ou utilizam materiais facilmente inflamáveis; • Em todas as áreas com perigo de explosão.
  • 53. • Nos processos de fabrico com operações com fogo, as medidas de segurança adotadas para os postos de trabalho devem ser verificadas regularmente: ▫ separação com cortinas protetoras; ▫ instalação de dispositivos de extinção de incendio prontos a funcionar; ▫ manutenção da proibição de armazenar líquidos combustíveis e similares;
  • 54. • A combustão incandescente em espaços vazios ocultos, por exemplo por baixo de pisos falsos, em tectos falsos, em condutas para instalação de cabos ou por detrás de revestimentos de paredes pode propagar- se durante um período de tempo longo e provocar um incendio aberto em locais afastados;
  • 55. • Durante a utilização de gás acetileno, os respectivos cilindros devem manter-se verticais, ou, na pior das hipóteses, com as válvulas numa posição pelo menos 40 cm mais elevada que a base do cilindro, para evitar derrame do solvente contido nas mesmas. A utilização de cilindros de gás na posição horizontal só e admissível quando se trata de cilindros a prova de derrame, com anel de cor vermelha no respectivo gargalo.
  • 56. • O melhor método de transporte de cilindros de gás para queima são os carros para cilindros a prova de queda, que transportam também um extintor de incendio;
  • 57. Os espaços onde se efetuam trabalhos de soldadura tem que se ser bem ventilados;
  • 58. • Nas situações de trabalho prolongado em espaços pequenos sem renovação de ar suficiente há que proceder a extração dos vapores e gases resultantes da operação, sempre que não se utilizam mascaras de respiração;
  • 59. FIM