SlideShare uma empresa Scribd logo
Antropologia da Imagem<br />A matança do porco<br />Educação e Comunicação Multimédia <br />Pós-Laboral<br />Discente: João Maia e Carmo<br />Docente: Tânia Prates<br />2º Semestre <br />2009/2010<br />Indice<br /> <br />Introdução<br />O exercício proposto tem como objectivo a análise de duas imagem. Apesar de serem de épocas diferentes, o propósito é o mesmo, a matança do porco. O olhar refletido sobre a simbologia do acto da matança remete-nos para um ambiente de gestos, sons e cheiros típicos de um mundo rural, hoje quase desaparecido.<br />1104904146551.1- A matança do porco em 1961<br />Em 1961 a matança do porco era uma tradição e um procedimento familiar. Efectuava-se uma vez por ano e tinha como objectivo proporcionar alimento ás famílias.<br />Esta fotografia de família a preto e branco simboliza um dos procedimentos da matança do porco que é chamado de “sangramento”. <br />A imagem é um retrato fiel da vida do campo daquela época, em que a matança do porco era um componente importante para uma alimentação melhor. Normalmente eram os familiares que realizavam a matança. Foi tirada por um amador ou familiar.<br />Nesta imagem não houve preparação prévia, e analisando a cara dos homens partimos do pressuposto que o porco já se encontrava morto, pois estão já descontraídos e não a fazer força para segurá-lo.<br />Pelas roupas dos intervenientes posso afirmar que este acto foi realizado no Inverno. Os homens têm roupas simples, ligadas à agricultura, usando boina ou boina à Inglesa. Um dos homens tem um chapéu, representa uma pessoa mais abastada. As mulheres usam saias cumpridas e um avental branco como sinal de limpeza.<br />A mulher mais jovem mexe o sangue com uma colher de pau para não coalhar, dentro de um alguidar de barro.<br />O porco está deitado em cima de “trapeça de madeira” quem tem quatro pernas.<br />O poço caiado de branco com as roldanas e o balde de ferro, ao lado existe um pau que tem por nome “latada”, é uma armação em madeira para as cepas se enrolarem a medida que vão crescendo.<br />O “cabanão” junto á casa servia para os familiares e amigos da matança desmancharem o porco, prepararem as carnes e efectuarem algumas refeições. O balde de ferro junto à “trapeça”, podia conter água quente, pois muitas pessoas juntavam ao sangue para não coalhar.<br />247655480051.2 – A matança do porco em 2010<br />Na manhã de 24 de Abril de 2010, às 8:00h,foi morto um porco na casa da família Parreira<br />O senhor de chapéu verde o chamado “matador“ espetou a longa faca nas goelas do porco atingindo-lhe o coração. <br />Os cinco homens seguram o porco, cada um com uma função específica. Um aperta o focinho do porco com um cordel fino para este não respirar, enrolando-a na referida “cabeçalha”. Outro, segura o pescoço do porco de modo que o sangue escorra para um “alguidar “vermelho colocado por debaixo da “trepaça”. Outros seguram as patas e o rabo para o animal não se mexer, este esforço é bem visível no rosto dos homens. O homem de camisa azul observa os outros, e está atento a alguma ocorrência, pois alguns porcos na ânsia da morte e num rasgo de energia conseguem fugir. <br />O olho do porco ainda está aberto, significa que está vivo e com uma das patas ensaguentadas oscila em espasmos violentos na sua luta derradeira contra a morte, enquanto o sangue jorra.<br />A mulher tem a cara cheia de sangue, provavelmente quando o “matador” espetou a faca no porco este oscilou e o sangue esguichou. A mulher mexe o sangue com uma colher de pau para não coalhar.<br />Pela ruralidade da imagem podemos dizer que foi tirada no quintal da família Parreira. Á direita da imagem a capoeira das galinhas, e em frente o “rodeio dos porcos”, pintados de branco contendo algum musgo devido à humidade existente. Por fim carrinho de mãos em ferro encontra-se junto ao porco, para no fim de morto ser transportado e musgado.<br />Conclusão<br />Educar o olhar é muito mais do que um simples gesto de análise de uma imagem. Educar o olhar é ensinar a mente a ver para além do comum. <br />As imagens são ricas de propósitos, apesar de estáticas, emanam sentimentos únicos.<br />A matança do porco é também um ritual familiar, neste caso tratando-se de imagens recolhidas no Baixo Ribatejo tem particularidades próprias que tornam este acontecimento distinto de modo como é praticado em outras Regiões do País.<br />animal como que pressente o seu fim. É um fim em que quase tudo tem uma finalidade, um propósito, em que quase tudo é aproveitado... O matador espeta a longa faca nas goelas do bicho, atingindo-lhe o coração, de modo que o sangue escorra para um alguidar colocado por debaixo do estrado. Sangue este que será para o sarrabulho e para as chouriças-de-sangue.<br />
Escola superior de educação de santarém
Escola superior de educação de santarém
Escola superior de educação de santarém
Escola superior de educação de santarém
Escola superior de educação de santarém
Escola superior de educação de santarém
Escola superior de educação de santarém

Mais conteúdo relacionado

Destaque

2014 12-16 굴포초 북부5차원융합인재교육연구회-요약기술활용 교사연수
2014 12-16 굴포초 북부5차원융합인재교육연구회-요약기술활용 교사연수2014 12-16 굴포초 북부5차원융합인재교육연구회-요약기술활용 교사연수
2014 12-16 굴포초 북부5차원융합인재교육연구회-요약기술활용 교사연수
동민 김
 
4개국어 쉽고 재밌게 배우기
4개국어 쉽고 재밌게 배우기4개국어 쉽고 재밌게 배우기
4개국어 쉽고 재밌게 배우기
Ben Kim
 
기업위기요소영역
기업위기요소영역기업위기요소영역
기업위기요소영역
James Chung
 
디지털 시대의 창의력 놀이(강병수, 학교 창의 교육 세미나)
디지털 시대의 창의력 놀이(강병수, 학교 창의 교육 세미나)디지털 시대의 창의력 놀이(강병수, 학교 창의 교육 세미나)
디지털 시대의 창의력 놀이(강병수, 학교 창의 교육 세미나)
brainerymakers
 
KAP 업종별기술세미나 11년 8월 #01
KAP 업종별기술세미나 11년 8월 #01KAP 업종별기술세미나 11년 8월 #01
KAP 업종별기술세미나 11년 8월 #01
chasarang
 
PR 제안서 샘플
PR 제안서 샘플PR 제안서 샘플
PR 제안서 샘플
Kim Jerry
 
KAP 업종별기술세미나 11년 8월 #02
KAP 업종별기술세미나 11년 8월 #02KAP 업종별기술세미나 11년 8월 #02
KAP 업종별기술세미나 11년 8월 #02
chasarang
 
보고서 쓸 때 문장 줄이기 연습
보고서 쓸 때 문장 줄이기 연습보고서 쓸 때 문장 줄이기 연습
보고서 쓸 때 문장 줄이기 연습
Sungchul CHOI
 
효과적인 홍보의 7가지 원칙 | 7 Principles for Effective PR
효과적인 홍보의 7가지 원칙 | 7 Principles for Effective PR효과적인 홍보의 7가지 원칙 | 7 Principles for Effective PR
효과적인 홍보의 7가지 원칙 | 7 Principles for Effective PRAgnes Choi
 
어떻게 하면 데이터 사이언티스트가 될 수 있나요?
어떻게 하면 데이터 사이언티스트가 될 수 있나요?어떻게 하면 데이터 사이언티스트가 될 수 있나요?
어떻게 하면 데이터 사이언티스트가 될 수 있나요?
Yongho Ha
 
스타트업은 데이터를 어떻게 바라봐야 할까? (개정판)
스타트업은 데이터를 어떻게 바라봐야 할까? (개정판)스타트업은 데이터를 어떻게 바라봐야 할까? (개정판)
스타트업은 데이터를 어떻게 바라봐야 할까? (개정판)
Yongho Ha
 
데이터는 차트가 아니라 돈이 되어야 한다.
데이터는 차트가 아니라 돈이 되어야 한다.데이터는 차트가 아니라 돈이 되어야 한다.
데이터는 차트가 아니라 돈이 되어야 한다.
Yongho Ha
 
IoT(사물인터넷) 제품 및 서비스 동향
IoT(사물인터넷) 제품 및 서비스 동향IoT(사물인터넷) 제품 및 서비스 동향
IoT(사물인터넷) 제품 및 서비스 동향
훈주 윤
 
[P.t barnum]이기는 홍보_성공하는_pr
[P.t barnum]이기는 홍보_성공하는_pr[P.t barnum]이기는 홍보_성공하는_pr
[P.t barnum]이기는 홍보_성공하는_prletspr
 
사례로 풀어보는 마케팅 전략[120517]
사례로 풀어보는 마케팅 전략[120517]사례로 풀어보는 마케팅 전략[120517]
사례로 풀어보는 마케팅 전략[120517]Hipertech Inc.
 

Destaque (15)

2014 12-16 굴포초 북부5차원융합인재교육연구회-요약기술활용 교사연수
2014 12-16 굴포초 북부5차원융합인재교육연구회-요약기술활용 교사연수2014 12-16 굴포초 북부5차원융합인재교육연구회-요약기술활용 교사연수
2014 12-16 굴포초 북부5차원융합인재교육연구회-요약기술활용 교사연수
 
4개국어 쉽고 재밌게 배우기
4개국어 쉽고 재밌게 배우기4개국어 쉽고 재밌게 배우기
4개국어 쉽고 재밌게 배우기
 
기업위기요소영역
기업위기요소영역기업위기요소영역
기업위기요소영역
 
디지털 시대의 창의력 놀이(강병수, 학교 창의 교육 세미나)
디지털 시대의 창의력 놀이(강병수, 학교 창의 교육 세미나)디지털 시대의 창의력 놀이(강병수, 학교 창의 교육 세미나)
디지털 시대의 창의력 놀이(강병수, 학교 창의 교육 세미나)
 
KAP 업종별기술세미나 11년 8월 #01
KAP 업종별기술세미나 11년 8월 #01KAP 업종별기술세미나 11년 8월 #01
KAP 업종별기술세미나 11년 8월 #01
 
PR 제안서 샘플
PR 제안서 샘플PR 제안서 샘플
PR 제안서 샘플
 
KAP 업종별기술세미나 11년 8월 #02
KAP 업종별기술세미나 11년 8월 #02KAP 업종별기술세미나 11년 8월 #02
KAP 업종별기술세미나 11년 8월 #02
 
보고서 쓸 때 문장 줄이기 연습
보고서 쓸 때 문장 줄이기 연습보고서 쓸 때 문장 줄이기 연습
보고서 쓸 때 문장 줄이기 연습
 
효과적인 홍보의 7가지 원칙 | 7 Principles for Effective PR
효과적인 홍보의 7가지 원칙 | 7 Principles for Effective PR효과적인 홍보의 7가지 원칙 | 7 Principles for Effective PR
효과적인 홍보의 7가지 원칙 | 7 Principles for Effective PR
 
어떻게 하면 데이터 사이언티스트가 될 수 있나요?
어떻게 하면 데이터 사이언티스트가 될 수 있나요?어떻게 하면 데이터 사이언티스트가 될 수 있나요?
어떻게 하면 데이터 사이언티스트가 될 수 있나요?
 
스타트업은 데이터를 어떻게 바라봐야 할까? (개정판)
스타트업은 데이터를 어떻게 바라봐야 할까? (개정판)스타트업은 데이터를 어떻게 바라봐야 할까? (개정판)
스타트업은 데이터를 어떻게 바라봐야 할까? (개정판)
 
데이터는 차트가 아니라 돈이 되어야 한다.
데이터는 차트가 아니라 돈이 되어야 한다.데이터는 차트가 아니라 돈이 되어야 한다.
데이터는 차트가 아니라 돈이 되어야 한다.
 
IoT(사물인터넷) 제품 및 서비스 동향
IoT(사물인터넷) 제품 및 서비스 동향IoT(사물인터넷) 제품 및 서비스 동향
IoT(사물인터넷) 제품 및 서비스 동향
 
[P.t barnum]이기는 홍보_성공하는_pr
[P.t barnum]이기는 홍보_성공하는_pr[P.t barnum]이기는 홍보_성공하는_pr
[P.t barnum]이기는 홍보_성공하는_pr
 
사례로 풀어보는 마케팅 전략[120517]
사례로 풀어보는 마케팅 전략[120517]사례로 풀어보는 마케팅 전략[120517]
사례로 풀어보는 마케팅 전략[120517]
 

Mais de Tânia Prates

Comunicado nº 12
Comunicado nº 12Comunicado nº 12
Comunicado nº 12
Tânia Prates
 
Joana vasconcelos
Joana vasconcelosJoana vasconcelos
Joana vasconcelos
Tânia Prates
 
Nomes para exercicio do exel
Nomes para exercicio do exelNomes para exercicio do exel
Nomes para exercicio do exel
Tânia Prates
 
Exercicio de word
Exercicio de wordExercicio de word
Exercicio de word
Tânia Prates
 
Apresentação museu municipal de coruchee
Apresentação  museu municipal de corucheeApresentação  museu municipal de coruchee
Apresentação museu municipal de coruchee
Tânia Prates
 
Média de visitantes
Média de visitantesMédia de visitantes
Média de visitantes
Tânia Prates
 
Grelha de guiao
Grelha de guiaoGrelha de guiao
Grelha de guiao
Tânia Prates
 
Curriculum da tânia
Curriculum da tâniaCurriculum da tânia
Curriculum da tânia
Tânia Prates
 

Mais de Tânia Prates (8)

Comunicado nº 12
Comunicado nº 12Comunicado nº 12
Comunicado nº 12
 
Joana vasconcelos
Joana vasconcelosJoana vasconcelos
Joana vasconcelos
 
Nomes para exercicio do exel
Nomes para exercicio do exelNomes para exercicio do exel
Nomes para exercicio do exel
 
Exercicio de word
Exercicio de wordExercicio de word
Exercicio de word
 
Apresentação museu municipal de coruchee
Apresentação  museu municipal de corucheeApresentação  museu municipal de coruchee
Apresentação museu municipal de coruchee
 
Média de visitantes
Média de visitantesMédia de visitantes
Média de visitantes
 
Grelha de guiao
Grelha de guiaoGrelha de guiao
Grelha de guiao
 
Curriculum da tânia
Curriculum da tâniaCurriculum da tânia
Curriculum da tânia
 

Escola superior de educação de santarém

  • 1. Antropologia da Imagem<br />A matança do porco<br />Educação e Comunicação Multimédia <br />Pós-Laboral<br />Discente: João Maia e Carmo<br />Docente: Tânia Prates<br />2º Semestre <br />2009/2010<br />Indice<br /> <br />Introdução<br />O exercício proposto tem como objectivo a análise de duas imagem. Apesar de serem de épocas diferentes, o propósito é o mesmo, a matança do porco. O olhar refletido sobre a simbologia do acto da matança remete-nos para um ambiente de gestos, sons e cheiros típicos de um mundo rural, hoje quase desaparecido.<br />1104904146551.1- A matança do porco em 1961<br />Em 1961 a matança do porco era uma tradição e um procedimento familiar. Efectuava-se uma vez por ano e tinha como objectivo proporcionar alimento ás famílias.<br />Esta fotografia de família a preto e branco simboliza um dos procedimentos da matança do porco que é chamado de “sangramento”. <br />A imagem é um retrato fiel da vida do campo daquela época, em que a matança do porco era um componente importante para uma alimentação melhor. Normalmente eram os familiares que realizavam a matança. Foi tirada por um amador ou familiar.<br />Nesta imagem não houve preparação prévia, e analisando a cara dos homens partimos do pressuposto que o porco já se encontrava morto, pois estão já descontraídos e não a fazer força para segurá-lo.<br />Pelas roupas dos intervenientes posso afirmar que este acto foi realizado no Inverno. Os homens têm roupas simples, ligadas à agricultura, usando boina ou boina à Inglesa. Um dos homens tem um chapéu, representa uma pessoa mais abastada. As mulheres usam saias cumpridas e um avental branco como sinal de limpeza.<br />A mulher mais jovem mexe o sangue com uma colher de pau para não coalhar, dentro de um alguidar de barro.<br />O porco está deitado em cima de “trapeça de madeira” quem tem quatro pernas.<br />O poço caiado de branco com as roldanas e o balde de ferro, ao lado existe um pau que tem por nome “latada”, é uma armação em madeira para as cepas se enrolarem a medida que vão crescendo.<br />O “cabanão” junto á casa servia para os familiares e amigos da matança desmancharem o porco, prepararem as carnes e efectuarem algumas refeições. O balde de ferro junto à “trapeça”, podia conter água quente, pois muitas pessoas juntavam ao sangue para não coalhar.<br />247655480051.2 – A matança do porco em 2010<br />Na manhã de 24 de Abril de 2010, às 8:00h,foi morto um porco na casa da família Parreira<br />O senhor de chapéu verde o chamado “matador“ espetou a longa faca nas goelas do porco atingindo-lhe o coração. <br />Os cinco homens seguram o porco, cada um com uma função específica. Um aperta o focinho do porco com um cordel fino para este não respirar, enrolando-a na referida “cabeçalha”. Outro, segura o pescoço do porco de modo que o sangue escorra para um “alguidar “vermelho colocado por debaixo da “trepaça”. Outros seguram as patas e o rabo para o animal não se mexer, este esforço é bem visível no rosto dos homens. O homem de camisa azul observa os outros, e está atento a alguma ocorrência, pois alguns porcos na ânsia da morte e num rasgo de energia conseguem fugir. <br />O olho do porco ainda está aberto, significa que está vivo e com uma das patas ensaguentadas oscila em espasmos violentos na sua luta derradeira contra a morte, enquanto o sangue jorra.<br />A mulher tem a cara cheia de sangue, provavelmente quando o “matador” espetou a faca no porco este oscilou e o sangue esguichou. A mulher mexe o sangue com uma colher de pau para não coalhar.<br />Pela ruralidade da imagem podemos dizer que foi tirada no quintal da família Parreira. Á direita da imagem a capoeira das galinhas, e em frente o “rodeio dos porcos”, pintados de branco contendo algum musgo devido à humidade existente. Por fim carrinho de mãos em ferro encontra-se junto ao porco, para no fim de morto ser transportado e musgado.<br />Conclusão<br />Educar o olhar é muito mais do que um simples gesto de análise de uma imagem. Educar o olhar é ensinar a mente a ver para além do comum. <br />As imagens são ricas de propósitos, apesar de estáticas, emanam sentimentos únicos.<br />A matança do porco é também um ritual familiar, neste caso tratando-se de imagens recolhidas no Baixo Ribatejo tem particularidades próprias que tornam este acontecimento distinto de modo como é praticado em outras Regiões do País.<br />animal como que pressente o seu fim. É um fim em que quase tudo tem uma finalidade, um propósito, em que quase tudo é aproveitado... O matador espeta a longa faca nas goelas do bicho, atingindo-lhe o coração, de modo que o sangue escorra para um alguidar colocado por debaixo do estrado. Sangue este que será para o sarrabulho e para as chouriças-de-sangue.<br />