SlideShare uma empresa Scribd logo
Equilíbrio Químico
Profa. Karen
1
Conceito de equilíbrio
Um equilíbrio químico é a situação em que a
proporção entre as quantidades de reagentes e
produtos em uma reação química se mantém
constante ao longo do tempo.
2
Teoricamente, toda a reação química ocorre
nos dois sentidos:
Reagentes  produtos e
Produtos  reagentes
Contudo, em certas reações, como a de
combustão, virtualmente 100% dos reagentes são
convertidos em produtos, e não se observa o
contrário ocorrer (ou pelo menos não em escala
mensurável); tais reações são chamadas de
irreversíveis.
3
Há também uma série de reações nas quais logo
que certa quantidade de produto(s) é formada, este(s)
torna(m) a dar origem ao(s) reagente(s); essas reações
possuem o nome de reversíveis.
O conceito de equilíbrio químico praticamente
restringe-se às reações reversíveis.
4
5
Reversibilidade de reações químicas
Um exemplo de reação reversível é a da produção da
amônia (NH3), a partir do gás hidrogênio (H2) e do gás
nitrogênio (N2) — que faz parte do Processo de Haber:
N2(g) + 3H2(g) 2NH3(g)
Note-se que a seta dupla ( ) significa que a reação ocorre
nos dois sentidos, e que o subscrito (g) indica que a
substância se encontra na fase gasosa.
6
• Considere o N2O4 congelado e incolor. À temperatura
ambiente, ele se decompõe em NO2 marrom:
N2O4(g)  2NO2(g).
• Em um determinado momento, a cor pára de se alterar e
temos a mistura de N2O4 e NO2.
• Equilíbrio químico é o ponto em que as concentrações
de todas as espécies são constantes.
7
Para um sistema qualquer representado por:
A + B C + D
A rapidez varia a partir do inicio da reação até atingir
a situação de equlibrio. O gráfico a seguir mostra
essa variação.
V1
V2
8
9
Considerando-se as variações de reagentes e produtos,
temos:
10
Deve-se salientar que quando uma reação
atinge o equilíbrio ela não para. Ela continua se
processando, porém tanto a reação direta como a
inversa ocorrem à mesma velocidade, e desse jeito a
proporção entre os reagentes e os produtos não
variam .
Por outras palavras, estamos na presença de
um equilíbrio dinâmico.
11
• No equilíbrio, tanto de N2O4 reage para formar NO2
quanto de NO2 reage para formar outra vez N2O4:
• A seta dupla significa que o processo é dinâmico.
• Considere
Reação direta: A  B Velocidade = k[A]
Reação inversa: B  A Velocidade = k[B]
• No equilíbrio VA = VB = k[A] = k[B].
N2O4(g) 2NO2(g)
12
• Para um equilíbrio escrevemos:
• À medida que a reação progride
– [A] e [B] diminuem para uma constante,
– [C] e [D] aumentam de zero para uma constante.
– Quando [A], [B] e [C], [D] são constantes, o equilíbrio
é alcançado.
– k[A] diminui para uma constante,
– k[B] aumenta de zero para uma constante.
– Quando k[A] = k[B], o equilíbrio é alcançado.
A + B C + D
13
Equilíbrio Homogêneo e Heterogêneo
Quando todas as substâncias envolvidas no
equilíbrio se encontram no mesmo estado físico diz-se
que temos um equilíbrio homogêneo, que é o caso de
todos os equilíbrios apresentados aqui até então.
N2(g) + 3H2(g) 2NH3(g)
14
Analogamente, os equilíbrios onde estão envolvidas
mais de uma fase são chamados de equilíbrios
heterogêneos, como o seguinte:
Ni(s) + 4CO(g) Ni(CO)4(g)
Note-se que o subscrito (s) significa que a espécie se
encontra no estado sólido. Equilíbrios heterogêneos, como
este, frequentemente apresentam ao menos um sólido ou
um líquido.
15
Considere o gráfico abaixo:
a) Qual variável o eixo das ordenadas representa, considerando-se
que o sistema atinge o equilibrio a partir de determinado
tempo? Justifique.
b) Indique no gráfico, o momento em que a reação entra em
equlíbrio.
c) Escreva uma equação genérica que possa ser representada pelo
gráfico, identificando os reagentes e os produtos pelas
respectivas cores das curvas.
16
Quando uma reação química exotérmica atinge o equilíbrio,
são válidas todas as afirmativas abaixo, exceto:
a) As velocidades da reação nos sentidos direto e inverso se
igualam.
b) A energia de ativação é a mesma nos sentidos direto e inverso.
c) A reação ocorre com liberação de calor.
d) As concentrações de reagentes e produtos permanecem
inalteradas.
e) A reação inversa é endotérmica
17
Represente, por meio de gráfico, a rapidez da
reação direta e da reação inversa até atingir o
estado de equilíbrio para a reação:
2 SO2 (g) + O2 (g) 2 SO3 (g)
↔
18
(v1 e v2 são as velocidades das reações direta e inversa)
Quando se estabelece o equilíbrio químico é possível afirmar
que:
a) [N2] = [H2].
b) [NH3] = constante.
c) [N2] = [NH3].
d) v2 > v1.
e) v1 > v2 .
Considere a reação entre nitrogênio e hidrogênio:
19
Constantes de equilíbrio
As constantes de equilíbrio, representadas por K,
são determinadas a partir de dados experimentais . Por
conta da análise de uma grande quantidade de dados,
chegou-se a uma expressão genérica para todos os
equilíbrios:
K = [produtos]/[reagentes]
20
Constantes de equilíbrio (Kc)
As constantes de equilíbrio determinadas com
base nas concentrações em mol/L, são representadas
por Kc.
21
22
Portanto,
Onde:
23
24
25
26
• Para uma reação geral
a expressão dA constante de equilíbrio para tudo em
solução é
onde Keq é A constante de equilíbrio.
aA + bB cC + dD
   
   b
a
d
c
eq
K
B
A
D
C

A constante de equilíbrio
27
Escreva a expressão da constante de equilíbrio para as
equações abaixos:
a) 2NO (g) + Cl2 (g) ↔ 2NOCl (g)
b) Fe(s) + Cu2+ (aq) ↔ Fe2+ (aq) + Cu (s)
c) CO2 (g) + Ca(OH)2 (aq) ↔ CaCO3 (s) + H2O (l)
28
Para os gases, também se pode escrever a
expressão da lei de equilíbrio químico, K, em termos
de pressões parciais. Para o equilíbrio:
Constantes de equilíbrio e pressões
parciais (Kp)
29
Para expressar a lei de equilíbrio em termos das
pressões parciais, basta que apenas uma das
espécies do equilíbrio esteja no estado gasoso.
Escreva a expressão da constante de equlíbrio Kp
para as seguintes reações:
a) H2 (g) + I2 (g) ↔ 2HI (g)
b) CaCO3 (s) ↔ CaO (s) + CO2 (g)
30
Ordem de grandeza das constantes de equilíbrio
• A constante de equilíbrio, K, é a razão entre produtos e
reagentes.
• Conseqüentemente, quanto maior for K, mais produtos
estarão presentes no equilíbrio.
• De modo inverso, quanto menor for K, mais reagentes
estarão presentes no equilíbrio.
A constante de equilíbrio
31
Ordem de grandeza das constantes de equilíbrio
• Se K >> 1, então os produtos predominam no equilíbrio e o
equilíbrio encontra-se à direita.
• Se K << 1, então os reagentes predominam no equilíbrio e o
equilíbrio encontra-se à esquerda.
A constante de equilíbrio
32
O sentido da equação química e Keq
• Um equilíbrio pode ser abordado a partir de qualquer
sentido.
• Sentido direto:
• temos:
N2O4(g) 2NO2(g)
46
.
6
4
2
2
O
N
2
NO


P
P
Keq
A constante de equilíbrio
33
O sentido da equação química e Keq
• No sentido inverso:
46
.
6
1
155
.
0
2
NO
O
N
2
4
2 


P
P
Keq
2NO2(g) N2O4(g)
A constante de equilíbrio
34
Outras maneiras de manipular as
equações químicas e os valores de Keq
• A reação
tem
o qual é o quadrado da constante de equilíbrio para
2N2O4(g) 4NO2(g)
2
O
N
4
NO
4
2
2
P
P
Keq 
N2O4(g) 2NO2(g)
A constante de equilíbrio
35
Outras maneiras de se trabalhar as equações
químicas e os valores de Keq
• A constante de equilíbrio para o sentido inverso é o
inverso daquela para o sentido direto.
N2O4 (g)  2NO2(g)
Direto: Kc = (PNO2 )2/ (PN2O4)= 6,46 (a 100oC)
Inverso: Kc= (PN2O4 )/(PNO2 )2= 1/6,46 = 0,155 (a 100oC)
A constante de equilíbrio
36
• Quando uma reação é multiplicada por um número, a
constante de equilíbrio é elevada àquela potência.
N2O4 (g)  2NO2(g)
Kc = (PNO2 )2/ (PN2O4)= 6,46 (a 100oC)
2N2O4 (g)  4NO2(g)
Kc = (PNO2 )4/ (PN2O4)2= (6,46)2 = 41,7 (a 100oC)
37
Constante para a soma de reações
Se uma reação química pode ser expressa pela
soma de duas ou mais reações (ou etapas individuais),
então:
Kc da reação global será a multiplicação das constantes de
cada uma das reações individuais.
38
39
40
41
Em determinadas condições de T e P, existe 0,5 mol/L de
N2O4 em equilíbrio com 2 mol/L de NO2, segundo a
equação: N2O4 (g)  2NO2 (g). Qual o valor da
constante (Kc ) desse equilíbrio nessas condições e
indique o sentido da reação.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a EQILÍBRIO QUÍMICO.ppt

Equilibrio Químico
Equilibrio QuímicoEquilibrio Químico
Equilibrio Químico
ursomaiaalfa
 
Equilíbrio químico pós gra
Equilíbrio químico pós graEquilíbrio químico pós gra
Equilíbrio químico pós gra
Carlos Kramer
 
Equilíbrio químico
Equilíbrio químicoEquilíbrio químico
Equilíbrio químico
Carlos Kramer
 
Apostila equilibrio quimico e ionico
Apostila equilibrio quimico e ionicoApostila equilibrio quimico e ionico
Apostila equilibrio quimico e ionico
Anderson Lino
 
Equilíbrio Químico
Equilíbrio QuímicoEquilíbrio Químico
Equilíbrio Químico
Bio Sem Limites
 
_02-.ppt
_02-.ppt_02-.ppt
Equilibrio Químico - Conteúdo completo
Equilibrio Químico - Conteúdo completoEquilibrio Químico - Conteúdo completo
Equilibrio Químico - Conteúdo completo
Rosbergue Lúcio
 
Equilíbrio Químico
Equilíbrio QuímicoEquilíbrio Químico
Equilíbrio Químico
Vinny Silva
 
Aula 2 equilíbrio químico
Aula 2  equilíbrio químicoAula 2  equilíbrio químico
Aula 2 equilíbrio químico
Adrianne Mendonça
 
Equilibrio Químico Agrária.pdf Conceitos
Equilibrio Químico Agrária.pdf ConceitosEquilibrio Químico Agrária.pdf Conceitos
Equilibrio Químico Agrária.pdf Conceitos
LuciliaPereira15
 
Lista de exercícios 2C/D
Lista de exercícios 2C/DLista de exercícios 2C/D
Lista de exercícios 2C/D
Professora Analynne Almeida
 
Teoria do Equilibrio
Teoria do EquilibrioTeoria do Equilibrio
Teoria do Equilibrio
Cursos Profissionalizantes
 
Equilibrio químico cjc
Equilibrio químico cjcEquilibrio químico cjc
Equilibrio químico cjc
Jesrayne Nascimento
 
Extensão de reações.pdf
Extensão de reações.pdfExtensão de reações.pdf
Extensão de reações.pdf
SlviaNunes10
 
Equilibrio1.daniela
Equilibrio1.danielaEquilibrio1.daniela
Equilibrio1.daniela
Luiz Fernando Prado
 
Aula equilíbrio químico com s tampão curso power point
Aula equilíbrio químico com s tampão curso power pointAula equilíbrio químico com s tampão curso power point
Aula equilíbrio químico com s tampão curso power point
Taylon Aguiar
 
aula_8___equilibrio_quimico.educação_2003.ppt
aula_8___equilibrio_quimico.educação_2003.pptaula_8___equilibrio_quimico.educação_2003.ppt
aula_8___equilibrio_quimico.educação_2003.ppt
PauloLopes420972
 
Equilíbrio químico
Equilíbrio químicoEquilíbrio químico
Equilíbrio químico
Fernando Lucas
 
Sandrogreco EquilíBrio QuíMico
Sandrogreco EquilíBrio QuíMicoSandrogreco EquilíBrio QuíMico
Sandrogreco EquilíBrio QuíMico
Profª Cristiana Passinato
 
Equilíbrio Químico e Iônico
Equilíbrio Químico e IônicoEquilíbrio Químico e Iônico
Equilíbrio Químico e Iônico
Carlos Priante
 

Semelhante a EQILÍBRIO QUÍMICO.ppt (20)

Equilibrio Químico
Equilibrio QuímicoEquilibrio Químico
Equilibrio Químico
 
Equilíbrio químico pós gra
Equilíbrio químico pós graEquilíbrio químico pós gra
Equilíbrio químico pós gra
 
Equilíbrio químico
Equilíbrio químicoEquilíbrio químico
Equilíbrio químico
 
Apostila equilibrio quimico e ionico
Apostila equilibrio quimico e ionicoApostila equilibrio quimico e ionico
Apostila equilibrio quimico e ionico
 
Equilíbrio Químico
Equilíbrio QuímicoEquilíbrio Químico
Equilíbrio Químico
 
_02-.ppt
_02-.ppt_02-.ppt
_02-.ppt
 
Equilibrio Químico - Conteúdo completo
Equilibrio Químico - Conteúdo completoEquilibrio Químico - Conteúdo completo
Equilibrio Químico - Conteúdo completo
 
Equilíbrio Químico
Equilíbrio QuímicoEquilíbrio Químico
Equilíbrio Químico
 
Aula 2 equilíbrio químico
Aula 2  equilíbrio químicoAula 2  equilíbrio químico
Aula 2 equilíbrio químico
 
Equilibrio Químico Agrária.pdf Conceitos
Equilibrio Químico Agrária.pdf ConceitosEquilibrio Químico Agrária.pdf Conceitos
Equilibrio Químico Agrária.pdf Conceitos
 
Lista de exercícios 2C/D
Lista de exercícios 2C/DLista de exercícios 2C/D
Lista de exercícios 2C/D
 
Teoria do Equilibrio
Teoria do EquilibrioTeoria do Equilibrio
Teoria do Equilibrio
 
Equilibrio químico cjc
Equilibrio químico cjcEquilibrio químico cjc
Equilibrio químico cjc
 
Extensão de reações.pdf
Extensão de reações.pdfExtensão de reações.pdf
Extensão de reações.pdf
 
Equilibrio1.daniela
Equilibrio1.danielaEquilibrio1.daniela
Equilibrio1.daniela
 
Aula equilíbrio químico com s tampão curso power point
Aula equilíbrio químico com s tampão curso power pointAula equilíbrio químico com s tampão curso power point
Aula equilíbrio químico com s tampão curso power point
 
aula_8___equilibrio_quimico.educação_2003.ppt
aula_8___equilibrio_quimico.educação_2003.pptaula_8___equilibrio_quimico.educação_2003.ppt
aula_8___equilibrio_quimico.educação_2003.ppt
 
Equilíbrio químico
Equilíbrio químicoEquilíbrio químico
Equilíbrio químico
 
Sandrogreco EquilíBrio QuíMico
Sandrogreco EquilíBrio QuíMicoSandrogreco EquilíBrio QuíMico
Sandrogreco EquilíBrio QuíMico
 
Equilíbrio Químico e Iônico
Equilíbrio Químico e IônicoEquilíbrio Químico e Iônico
Equilíbrio Químico e Iônico
 

Último

Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
felipescherner
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdfAtividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
sesiomzezao
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
edusegtrab
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 

Último (20)

Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docxreconquista sobre a guerra de ibérica.docx
reconquista sobre a guerra de ibérica.docx
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdfAtividade Análise literária O GUARANI.pdf
Atividade Análise literária O GUARANI.pdf
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 

EQILÍBRIO QUÍMICO.ppt

  • 2. Conceito de equilíbrio Um equilíbrio químico é a situação em que a proporção entre as quantidades de reagentes e produtos em uma reação química se mantém constante ao longo do tempo. 2
  • 3. Teoricamente, toda a reação química ocorre nos dois sentidos: Reagentes  produtos e Produtos  reagentes Contudo, em certas reações, como a de combustão, virtualmente 100% dos reagentes são convertidos em produtos, e não se observa o contrário ocorrer (ou pelo menos não em escala mensurável); tais reações são chamadas de irreversíveis. 3
  • 4. Há também uma série de reações nas quais logo que certa quantidade de produto(s) é formada, este(s) torna(m) a dar origem ao(s) reagente(s); essas reações possuem o nome de reversíveis. O conceito de equilíbrio químico praticamente restringe-se às reações reversíveis. 4
  • 5. 5
  • 6. Reversibilidade de reações químicas Um exemplo de reação reversível é a da produção da amônia (NH3), a partir do gás hidrogênio (H2) e do gás nitrogênio (N2) — que faz parte do Processo de Haber: N2(g) + 3H2(g) 2NH3(g) Note-se que a seta dupla ( ) significa que a reação ocorre nos dois sentidos, e que o subscrito (g) indica que a substância se encontra na fase gasosa. 6
  • 7. • Considere o N2O4 congelado e incolor. À temperatura ambiente, ele se decompõe em NO2 marrom: N2O4(g)  2NO2(g). • Em um determinado momento, a cor pára de se alterar e temos a mistura de N2O4 e NO2. • Equilíbrio químico é o ponto em que as concentrações de todas as espécies são constantes. 7
  • 8. Para um sistema qualquer representado por: A + B C + D A rapidez varia a partir do inicio da reação até atingir a situação de equlibrio. O gráfico a seguir mostra essa variação. V1 V2 8
  • 9. 9
  • 10. Considerando-se as variações de reagentes e produtos, temos: 10
  • 11. Deve-se salientar que quando uma reação atinge o equilíbrio ela não para. Ela continua se processando, porém tanto a reação direta como a inversa ocorrem à mesma velocidade, e desse jeito a proporção entre os reagentes e os produtos não variam . Por outras palavras, estamos na presença de um equilíbrio dinâmico. 11
  • 12. • No equilíbrio, tanto de N2O4 reage para formar NO2 quanto de NO2 reage para formar outra vez N2O4: • A seta dupla significa que o processo é dinâmico. • Considere Reação direta: A  B Velocidade = k[A] Reação inversa: B  A Velocidade = k[B] • No equilíbrio VA = VB = k[A] = k[B]. N2O4(g) 2NO2(g) 12
  • 13. • Para um equilíbrio escrevemos: • À medida que a reação progride – [A] e [B] diminuem para uma constante, – [C] e [D] aumentam de zero para uma constante. – Quando [A], [B] e [C], [D] são constantes, o equilíbrio é alcançado. – k[A] diminui para uma constante, – k[B] aumenta de zero para uma constante. – Quando k[A] = k[B], o equilíbrio é alcançado. A + B C + D 13
  • 14. Equilíbrio Homogêneo e Heterogêneo Quando todas as substâncias envolvidas no equilíbrio se encontram no mesmo estado físico diz-se que temos um equilíbrio homogêneo, que é o caso de todos os equilíbrios apresentados aqui até então. N2(g) + 3H2(g) 2NH3(g) 14
  • 15. Analogamente, os equilíbrios onde estão envolvidas mais de uma fase são chamados de equilíbrios heterogêneos, como o seguinte: Ni(s) + 4CO(g) Ni(CO)4(g) Note-se que o subscrito (s) significa que a espécie se encontra no estado sólido. Equilíbrios heterogêneos, como este, frequentemente apresentam ao menos um sólido ou um líquido. 15
  • 16. Considere o gráfico abaixo: a) Qual variável o eixo das ordenadas representa, considerando-se que o sistema atinge o equilibrio a partir de determinado tempo? Justifique. b) Indique no gráfico, o momento em que a reação entra em equlíbrio. c) Escreva uma equação genérica que possa ser representada pelo gráfico, identificando os reagentes e os produtos pelas respectivas cores das curvas. 16
  • 17. Quando uma reação química exotérmica atinge o equilíbrio, são válidas todas as afirmativas abaixo, exceto: a) As velocidades da reação nos sentidos direto e inverso se igualam. b) A energia de ativação é a mesma nos sentidos direto e inverso. c) A reação ocorre com liberação de calor. d) As concentrações de reagentes e produtos permanecem inalteradas. e) A reação inversa é endotérmica 17
  • 18. Represente, por meio de gráfico, a rapidez da reação direta e da reação inversa até atingir o estado de equilíbrio para a reação: 2 SO2 (g) + O2 (g) 2 SO3 (g) ↔ 18
  • 19. (v1 e v2 são as velocidades das reações direta e inversa) Quando se estabelece o equilíbrio químico é possível afirmar que: a) [N2] = [H2]. b) [NH3] = constante. c) [N2] = [NH3]. d) v2 > v1. e) v1 > v2 . Considere a reação entre nitrogênio e hidrogênio: 19
  • 20. Constantes de equilíbrio As constantes de equilíbrio, representadas por K, são determinadas a partir de dados experimentais . Por conta da análise de uma grande quantidade de dados, chegou-se a uma expressão genérica para todos os equilíbrios: K = [produtos]/[reagentes] 20
  • 21. Constantes de equilíbrio (Kc) As constantes de equilíbrio determinadas com base nas concentrações em mol/L, são representadas por Kc. 21
  • 22. 22
  • 24. 24
  • 25. 25
  • 26. 26
  • 27. • Para uma reação geral a expressão dA constante de equilíbrio para tudo em solução é onde Keq é A constante de equilíbrio. aA + bB cC + dD        b a d c eq K B A D C  A constante de equilíbrio 27
  • 28. Escreva a expressão da constante de equilíbrio para as equações abaixos: a) 2NO (g) + Cl2 (g) ↔ 2NOCl (g) b) Fe(s) + Cu2+ (aq) ↔ Fe2+ (aq) + Cu (s) c) CO2 (g) + Ca(OH)2 (aq) ↔ CaCO3 (s) + H2O (l) 28
  • 29. Para os gases, também se pode escrever a expressão da lei de equilíbrio químico, K, em termos de pressões parciais. Para o equilíbrio: Constantes de equilíbrio e pressões parciais (Kp) 29
  • 30. Para expressar a lei de equilíbrio em termos das pressões parciais, basta que apenas uma das espécies do equilíbrio esteja no estado gasoso. Escreva a expressão da constante de equlíbrio Kp para as seguintes reações: a) H2 (g) + I2 (g) ↔ 2HI (g) b) CaCO3 (s) ↔ CaO (s) + CO2 (g) 30
  • 31. Ordem de grandeza das constantes de equilíbrio • A constante de equilíbrio, K, é a razão entre produtos e reagentes. • Conseqüentemente, quanto maior for K, mais produtos estarão presentes no equilíbrio. • De modo inverso, quanto menor for K, mais reagentes estarão presentes no equilíbrio. A constante de equilíbrio 31
  • 32. Ordem de grandeza das constantes de equilíbrio • Se K >> 1, então os produtos predominam no equilíbrio e o equilíbrio encontra-se à direita. • Se K << 1, então os reagentes predominam no equilíbrio e o equilíbrio encontra-se à esquerda. A constante de equilíbrio 32
  • 33. O sentido da equação química e Keq • Um equilíbrio pode ser abordado a partir de qualquer sentido. • Sentido direto: • temos: N2O4(g) 2NO2(g) 46 . 6 4 2 2 O N 2 NO   P P Keq A constante de equilíbrio 33
  • 34. O sentido da equação química e Keq • No sentido inverso: 46 . 6 1 155 . 0 2 NO O N 2 4 2    P P Keq 2NO2(g) N2O4(g) A constante de equilíbrio 34
  • 35. Outras maneiras de manipular as equações químicas e os valores de Keq • A reação tem o qual é o quadrado da constante de equilíbrio para 2N2O4(g) 4NO2(g) 2 O N 4 NO 4 2 2 P P Keq  N2O4(g) 2NO2(g) A constante de equilíbrio 35
  • 36. Outras maneiras de se trabalhar as equações químicas e os valores de Keq • A constante de equilíbrio para o sentido inverso é o inverso daquela para o sentido direto. N2O4 (g)  2NO2(g) Direto: Kc = (PNO2 )2/ (PN2O4)= 6,46 (a 100oC) Inverso: Kc= (PN2O4 )/(PNO2 )2= 1/6,46 = 0,155 (a 100oC) A constante de equilíbrio 36
  • 37. • Quando uma reação é multiplicada por um número, a constante de equilíbrio é elevada àquela potência. N2O4 (g)  2NO2(g) Kc = (PNO2 )2/ (PN2O4)= 6,46 (a 100oC) 2N2O4 (g)  4NO2(g) Kc = (PNO2 )4/ (PN2O4)2= (6,46)2 = 41,7 (a 100oC) 37
  • 38. Constante para a soma de reações Se uma reação química pode ser expressa pela soma de duas ou mais reações (ou etapas individuais), então: Kc da reação global será a multiplicação das constantes de cada uma das reações individuais. 38
  • 39. 39
  • 40. 40
  • 41. 41 Em determinadas condições de T e P, existe 0,5 mol/L de N2O4 em equilíbrio com 2 mol/L de NO2, segundo a equação: N2O4 (g)  2NO2 (g). Qual o valor da constante (Kc ) desse equilíbrio nessas condições e indique o sentido da reação.