SlideShare uma empresa Scribd logo
Instituto Federal de
Educação, Ciência e Tecnologia
de Pernambuco.




Processos Infecciosos e Parasitários.



Alba Luciene*
                                        Epidemiologia
Carlos Henrique**                       e Saúde
Mabel Ramalho*
Manuelly Almeida*
                                        Pública.
Ramonna Caroline*
Rejane Nunes*
Thúlio Bezerra*

Acadêmicos de Enfermagem*
Professor da Disciplina – PIP.**
Epidemiologia
 Podeser vagamente definida como
 estudo das doenças, entretanto, enfoca
 aspectos diferentes das doenças.

 Frequência,
           distribuição e determinantes
 das doenças nas populações humanas.
Terminologia Epidemiológica
   Doenças transmissíveis e contagiosas:

   Doença infecciosa é causada por patógeno

   Doença transmissível: é definida como a
    doença transmitida de pessoa para pessoa –
    essa transmissibilidade é específica - .

   Doença contagiosa: é definida como a
    doença transmissível que é facilmente
    transmitida de uma pessoa para outra.
Terminologia Epidemiológica
   Doenças Zoonóticas: as doenças infecciosas
    que o ser humano adquire de fontes animais.

   Incidência e taxa de morbidade: são
    definidas como o número de novos casos
    desta doença, numa população definida
    num dado período. A taxa de
    morbidade, geralmente, usa as constantes
    mil, 10 mil ou 100 mil habitantes.
prevalência
 De tempo: é o número de casos da
  doença existente numa dada
  população, durante um período
  específico.
 Pontual: é o número de casos da doença
  numa dada população em um momento
  específico do tempo.
Terminologia Epidemiológica
   Mortalidade : é a razão do número de
    pessoas que morreram, com determinada
    doença, num período.

   Doenças Esporádicas: é aquela que ocorre
    apenas ocasionalmente (esporadicamente)
    numa população de determinada área
    geográfica. Por exemplo, nos EUA: botulismo,
    cólera, peste bubônica...
Doenças Endêmicas
  São aquelas que estão sempre presentes
  numa população em determinada área
  geográfica. O número de casos pode
  flutuar ao longo do tempo, mas a
  doença nunca desaparece por
  completo.
 As doenças infecciosas endêmicas nos
  EUA: gonorreia, sífilis, catapora,
  caxumba...
Doenças epidêmicas
é  definida como o número de casos
  maior que o normal de uma doença,
  numa região específica, ocorrendo
  normalmente num período de tempo
  relativamente curto.
 Vírus Ebola causou várias epidemias de
  febre hemorrágica na África ( Sudão e
  Zaire em 1976[...], Uganda em 2000.
Doenças Pandêmicas
 Doenças  Pandêmicas: é a que ocorre em
  proporções epidêmicas em vários países
  simultaneamente – às vezes
  mundialmente.
 HIV/AIDS, Tuberculose (pandemia atual),
  Malária.
Interações entre patógenos,
hospedeiros e o meio
ambiente
Fatores relacionados a
ocorrência de uma doença
infecciosa
  Fatores relacionados as patógenos:
 A virulência do patógeno
 Existência de uma via para o patógeno
  penetrar no organismo
 Quantidade de organismos que penetra
  no corpo
Fatores relacionados aos hospedeiros:
 Estado de saúde
 Estado nutricional
 Outros fatores relacionados a
  susceptibilidade do hospedeiro
Fatores relacionados ao meio ambiente:
 Fatores físicos como localização geográfica,
  clima, calor, frio, umidade e estação do ano.
 Disponibilidade de reservatórios apropriados,
  hospedeiros intermediários e vetores.
 Condições sanitárias e de moradia,
  eliminação adequada de objetos
 Disponibilidade de água potável.
Ciclo de Infecção
  Existem seis componentes no processo
  das doenças infecciosas.
 Primeiro, é necessário um patógeno;
 2. Uma fonte do patógeno, é o
  reservatório;
 3. Uma ponte de saída ( por onde o
  patógeno escapa do reservatório);
 4. Um modo de transmissão (uma
  maneira do patógeno se deslocar para
  outra pessoa), por exemplo aperto de
  mãos – caso da gripe.
 5. Uma porta de entrada (um meio pelo
  qual o patógeno penetra no indivíduo
  sadio);
 6. Um hospedeiro susceptível.
Reservatórios de infecção

É  qualquer lugar onde o patógeno pode
  se multiplicar ou meramente sobreviver
  até que seja transferido para um
  hospedeiro.
 Reservatórios vivos: Os seres humanos,
  animais domésticos, animais de fazenda,
  etc.
Portadores humanos
   Portadores passivos transportam o patógeno sem
    jamais terem desenvolvido a doença.
   Portador incubador é a pessoa capaz de transmitir
    o patógeno durante o período de incubação de
    determinada doença infecciosa.
   Portadores covalescentes abrigam e podem
    transmitir determinado patógeno enquanto se
    recuperam de doença infecciosa.
   Portadores ativos se recuperaram completamente
    da doença, mas continuam abrigando o
    patógeno indefinitivamente.
Artrópodos
 São os insetos como mosquitos, moscas,
 varejeiras, piolhos e pulgas, aracnídeos
 como ácaros e carrapatos. Quando
 envolvidos na transmissão de doenças
 infecciosas, estes artropódos são referidos
 como vetores.
Reservatórios não-vivos
 Ar
 Solo
 Poeira
 Alimento
 Água
 Leite
 fômites
Formas de transmissão
  As cinco principais formas pelas quais
  ocorre a transmissão dos patógenos são:
 o contato (direto ou indireto)
 Ar
 veicular
 vetores.
As doenças transmissíveis – doenças infecciosas que uma
    pessoa passa para outra – são normalmente transferidas
    das seguintes formas:
   Contato direto pela pele
   Contato direto entre as mucosas através de beijos ou
    relação sexual
   Indiretamente através do ar por gotículas de secreções
    respiratórias, geralmente produzidas como resultado de
    espirro ou tosse
   Indiretamente através da contaminação de alimento e
    água por material fecal
   Indiretamente por vetores artrópodos
   Indiretamente por fômites que se tornam contaminados
    por secreções respiratórias, sangue, urina, fezes, vômitos,
    ou exsudatos de pacientes hospitalizados.
   Indiretamente por transfusão de sangue e/ou seus
    derivados contaminados de uma pessoa doente ou por
    injeção parenteral (injeção direta na corrente sanguínea),
    usando-se seringas e agulhas não esterelizadas.
Agências de saúde pública
 Asagências de saúde pública de todos
 os níveis tentam, constantemente, evitar
 epidemias e identificar e eliminar
 qualquer uma que possa vir a ocorrer.
 Uma forma pela qual os profissionais de
 saúde participam deste amplo programa
 é através da notificação de casos de
 doenças transmissíveis às agências
 apropriadas.
Organização Mundial de
Saúde (OMS)
 Sua missão é promover cooperação
 técnica para a saúde entre as nações,
 realizar programas de controle e
 erradicação de doenças, melhorando a
 qualidade de vida humana.
Centros de Controle e
Prevenção de Doenças
(CDC)
 Assisteo estado e os departamentos
  locais de saúde na aplicação de todos
  os aspectos epidemiológicos.
Definições de termos
epidemiológicos relacionados
as doenças infecciosas
   Controle – campanhas ou programas que
    visam reduzir a incidência e/ou a prevalência
    de tal doença.
   Eliminação – a redução da transmissão de
    casos a um nível predeterminado muito
    baixo.
   Erradicação – o fato de não ocorrer mais
    nenhum outro caso da doença, em qualquer
    lugar e onde as medidas de controle
    contínuo são desnecessários.
Bioterrorismo e agente de
ataque biológico
   Microorganismos patogênicos chegam as vezes
    nas mãos de pessoas mentalmente
    desorientadas, que querem usá-los para provocar
    danos aos outros. Em tempos de guerra , essa
    utilização de microrganismos é chamada de
    armas biológicas e os microrganismos são
    referidos como agentes de ataque biológico.
    Existe a possibilidade de que membros de grupos
    terroristas ou radicais usem patógenos para
    provocar medo, caos, doença e morte. Estes são
    referidos como como agentes de bioterrorismo.
Abastecimento de água e
despejo de esgoto
   Dois tipos de poluição de água estão presentes
    em nossa sociedade:
   A química ocorre quando instalações industriais
    despejam produtos residuais em águas locais, sem
    pré-tratamento adequado, quando os pesticidas
    são usados indiscriminadamente e quando os
    produtos químicos são expelidos no ar e
    transportados para o solo através da chuva
    (chuva ácida).
   A biológica é constituída por produtos residuais
    de origem humana – material fecal e lixo – que
    possuem grande quantidade de patógenos
Fontes de contaminação da
água
Tratamento da água

 Filtração
 Sedimentação   ou assentamento]
 Coagulação ou floculação
 Filtração com areia
 cloração
Tratamento de esgoto
   Tratamento primário: fragmentos grandes são
    filtrados (engradamento)
   Fragmentos flutuantes triturados
   Material sólido se assenta no fundo no
    tanque primário
   Tratamento secundário:o liquido flutuante
    primario é filtrada
   Decantação
   Desinfecção
   Retorno aos rios ou aceano
A prevenção e controle de epidemias são um
    objetivo comunitário que nunca termina. Para
    serem efetivos, devem incluir medidas para:
   Aumentar a resistência do hospedeiro através do
    desenvolvimento e administração de vacinas que
    induzam imunidade ativa e a manutenção desta
    em pessoas susceptíveis.
   Assegurar que pessoas que tenham sido expostas
    a um patógeno estejam protegidas contra a
    doença.
   Segregar, isolar e tratar que aqueles que tenham
    contraído uma infecção contagiosa, para evitar
    a disseminação dos patógenos a outras pessoas.
   Identificar e controlar potenciais reservatórios e
    vetores de doenças infecciosas.
Obrigado !!!!!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

doenças
  doenças  doenças
Pandemias
PandemiasPandemias
Pandemias
Raimund M Souza
 
10 doenças de notificação compulsória
10  doenças de notificação compulsória10  doenças de notificação compulsória
10 doenças de notificação compulsória
danilo oliveira
 
Prevenção de doenças infecto contagiosas
Prevenção de doenças infecto contagiosasPrevenção de doenças infecto contagiosas
Prevenção de doenças infecto contagiosas
TAS2214
 
DoençAs Infecto Contagiosas Terminais Humanas
DoençAs Infecto Contagiosas Terminais HumanasDoençAs Infecto Contagiosas Terminais Humanas
DoençAs Infecto Contagiosas Terminais Humanas
CIVEC
 
Doenças infecto contagiosas
Doenças infecto contagiosasDoenças infecto contagiosas
Doenças infecto contagiosas
flavialoli
 
História acerca da infectologia
História acerca da infectologiaHistória acerca da infectologia
História acerca da infectologia
Naiiane Da Motta
 
Agentes infecciosos e automedicação
Agentes infecciosos e automedicaçãoAgentes infecciosos e automedicação
Agentes infecciosos e automedicação
Patrícia Prates
 
Cadeia de infecção e controle de infecção
Cadeia de infecção e controle de infecção Cadeia de infecção e controle de infecção
Cadeia de infecção e controle de infecção
Mariana Remiro
 
Aspectos epidemiológicos das doenças transmissiveis
Aspectos epidemiológicos das doenças transmissiveisAspectos epidemiológicos das doenças transmissiveis
Aspectos epidemiológicos das doenças transmissiveis
Maria Luiza
 
0515 Reservatório - Rose
0515 Reservatório - Rose0515 Reservatório - Rose
0515 Reservatório - Rose
laiscarlini
 
Doenças emergentes
Doenças emergentesDoenças emergentes
Doenças emergentes
Cintia da Cruz Silva
 
Doenças infecciosas e parasitarias relacionadas ao trabalho
Doenças infecciosas e parasitarias relacionadas ao trabalhoDoenças infecciosas e parasitarias relacionadas ao trabalho
Doenças infecciosas e parasitarias relacionadas ao trabalho
joselene beatriz
 
Epidemias do Século 21
Epidemias do Século 21Epidemias do Século 21
Epidemias do Século 21
Ivair Augusto Costa
 
Esquema conceitual de imunologia
Esquema conceitual de imunologiaEsquema conceitual de imunologia
Esquema conceitual de imunologia
Franciskelly
 
3ª Prevenç¦O E Controle
3ª  Prevenç¦O E Controle3ª  Prevenç¦O E Controle
3ª Prevenç¦O E Controle
Renato Moura
 
Epidemiologia
EpidemiologiaEpidemiologia
Epidemiologia
Tânia Mascarenhas
 
Trabalho de doenças ocupacionais 0010
Trabalho de doenças ocupacionais 0010Trabalho de doenças ocupacionais 0010
Trabalho de doenças ocupacionais 0010
prevencaonline
 
Epidemiologia das doenas infecciosas
Epidemiologia das doenas infecciosasEpidemiologia das doenas infecciosas
Epidemiologia das doenas infecciosas
Fernando Henrique
 
Saúde pública1
Saúde pública1Saúde pública1
Saúde pública1
Laís Araújo
 

Mais procurados (20)

doenças
  doenças  doenças
doenças
 
Pandemias
PandemiasPandemias
Pandemias
 
10 doenças de notificação compulsória
10  doenças de notificação compulsória10  doenças de notificação compulsória
10 doenças de notificação compulsória
 
Prevenção de doenças infecto contagiosas
Prevenção de doenças infecto contagiosasPrevenção de doenças infecto contagiosas
Prevenção de doenças infecto contagiosas
 
DoençAs Infecto Contagiosas Terminais Humanas
DoençAs Infecto Contagiosas Terminais HumanasDoençAs Infecto Contagiosas Terminais Humanas
DoençAs Infecto Contagiosas Terminais Humanas
 
Doenças infecto contagiosas
Doenças infecto contagiosasDoenças infecto contagiosas
Doenças infecto contagiosas
 
História acerca da infectologia
História acerca da infectologiaHistória acerca da infectologia
História acerca da infectologia
 
Agentes infecciosos e automedicação
Agentes infecciosos e automedicaçãoAgentes infecciosos e automedicação
Agentes infecciosos e automedicação
 
Cadeia de infecção e controle de infecção
Cadeia de infecção e controle de infecção Cadeia de infecção e controle de infecção
Cadeia de infecção e controle de infecção
 
Aspectos epidemiológicos das doenças transmissiveis
Aspectos epidemiológicos das doenças transmissiveisAspectos epidemiológicos das doenças transmissiveis
Aspectos epidemiológicos das doenças transmissiveis
 
0515 Reservatório - Rose
0515 Reservatório - Rose0515 Reservatório - Rose
0515 Reservatório - Rose
 
Doenças emergentes
Doenças emergentesDoenças emergentes
Doenças emergentes
 
Doenças infecciosas e parasitarias relacionadas ao trabalho
Doenças infecciosas e parasitarias relacionadas ao trabalhoDoenças infecciosas e parasitarias relacionadas ao trabalho
Doenças infecciosas e parasitarias relacionadas ao trabalho
 
Epidemias do Século 21
Epidemias do Século 21Epidemias do Século 21
Epidemias do Século 21
 
Esquema conceitual de imunologia
Esquema conceitual de imunologiaEsquema conceitual de imunologia
Esquema conceitual de imunologia
 
3ª Prevenç¦O E Controle
3ª  Prevenç¦O E Controle3ª  Prevenç¦O E Controle
3ª Prevenç¦O E Controle
 
Epidemiologia
EpidemiologiaEpidemiologia
Epidemiologia
 
Trabalho de doenças ocupacionais 0010
Trabalho de doenças ocupacionais 0010Trabalho de doenças ocupacionais 0010
Trabalho de doenças ocupacionais 0010
 
Epidemiologia das doenas infecciosas
Epidemiologia das doenas infecciosasEpidemiologia das doenas infecciosas
Epidemiologia das doenas infecciosas
 
Saúde pública1
Saúde pública1Saúde pública1
Saúde pública1
 

Semelhante a Epidemiol..

Epidemiologia e Saúde Pública
Epidemiologia e Saúde PúblicaEpidemiologia e Saúde Pública
Epidemiologia e Saúde Pública
brunna queiroz
 
Epidemiologia das Doenças aula 3
Epidemiologia das Doenças   aula 3Epidemiologia das Doenças   aula 3
Epidemiologia das Doenças aula 3
profsempre
 
A Transmissão de doenças infecciosas 06-03-24.pptx
A Transmissão de doenças infecciosas 06-03-24.pptxA Transmissão de doenças infecciosas 06-03-24.pptx
A Transmissão de doenças infecciosas 06-03-24.pptx
BethniaOliveira
 
epidemiologia-das-doenas-transmissveis.pptx
epidemiologia-das-doenas-transmissveis.pptxepidemiologia-das-doenas-transmissveis.pptx
epidemiologia-das-doenas-transmissveis.pptx
ThaisAndreadeOliveir
 
Doenças transmitidas por vetores.pptx
Doenças transmitidas por vetores.pptxDoenças transmitidas por vetores.pptx
Doenças transmitidas por vetores.pptx
LauraMarques72
 
Aula 14
Aula 14Aula 14
Principais causas de morte no mundo
Principais causas de morte no mundoPrincipais causas de morte no mundo
Principais causas de morte no mundo
Sofia Antunes
 
Sistema Imunitário I
Sistema Imunitário ISistema Imunitário I
Sistema Imunitário I
Artur Melo
 
Gripe SuíNa
Gripe SuíNaGripe SuíNa
Gripe SuíNa
Augusto Mello
 
Dssms Gripe SuíNa
Dssms   Gripe SuíNaDssms   Gripe SuíNa
Dssms Gripe SuíNa
Milene Cristina
 
Gripe Suina - Elaborado pela Petrobras
Gripe Suina - Elaborado pela PetrobrasGripe Suina - Elaborado pela Petrobras
Gripe Suina - Elaborado pela Petrobras
Padua Carobrez
 
Gripe SuíNa
Gripe SuíNaGripe SuíNa
Gripe SuíNa
izabelfonseca
 
Doenças causadas por parasitas - Doencas Infecto-Parasitarias.ppt
Doenças causadas por parasitas - Doencas Infecto-Parasitarias.pptDoenças causadas por parasitas - Doencas Infecto-Parasitarias.ppt
Doenças causadas por parasitas - Doencas Infecto-Parasitarias.ppt
ElizabethdeSouza11
 
Doencas infecto - parasitárias.infe_.ppt
Doencas infecto - parasitárias.infe_.pptDoencas infecto - parasitárias.infe_.ppt
Doencas infecto - parasitárias.infe_.ppt
KarinaSousa66
 
Doenças: Vírus, Bactérias e Vermes
Doenças: Vírus, Bactérias e VermesDoenças: Vírus, Bactérias e Vermes
Doenças: Vírus, Bactérias e Vermes
Carlos Priante
 
Febre Aftosa
Febre AftosaFebre Aftosa
Febre Aftosa
UFPEL
 
Epidemiologia
EpidemiologiaEpidemiologia
Epidemiologia
EspeditoNOGUEIRA
 
Definições em Epidemio.ppt
Definições em Epidemio.pptDefinições em Epidemio.ppt
Definições em Epidemio.ppt
ElaineCristinaFaria
 
Aula 1 tipos de epidemiologia
Aula 1 tipos de epidemiologiaAula 1 tipos de epidemiologia
Aula 1 tipos de epidemiologia
Ivaristo Americo
 
Microrganismo e doenças emergentes .pptx
Microrganismo e doenças emergentes .pptxMicrorganismo e doenças emergentes .pptx
Microrganismo e doenças emergentes .pptx
RicardoGabriel55
 

Semelhante a Epidemiol.. (20)

Epidemiologia e Saúde Pública
Epidemiologia e Saúde PúblicaEpidemiologia e Saúde Pública
Epidemiologia e Saúde Pública
 
Epidemiologia das Doenças aula 3
Epidemiologia das Doenças   aula 3Epidemiologia das Doenças   aula 3
Epidemiologia das Doenças aula 3
 
A Transmissão de doenças infecciosas 06-03-24.pptx
A Transmissão de doenças infecciosas 06-03-24.pptxA Transmissão de doenças infecciosas 06-03-24.pptx
A Transmissão de doenças infecciosas 06-03-24.pptx
 
epidemiologia-das-doenas-transmissveis.pptx
epidemiologia-das-doenas-transmissveis.pptxepidemiologia-das-doenas-transmissveis.pptx
epidemiologia-das-doenas-transmissveis.pptx
 
Doenças transmitidas por vetores.pptx
Doenças transmitidas por vetores.pptxDoenças transmitidas por vetores.pptx
Doenças transmitidas por vetores.pptx
 
Aula 14
Aula 14Aula 14
Aula 14
 
Principais causas de morte no mundo
Principais causas de morte no mundoPrincipais causas de morte no mundo
Principais causas de morte no mundo
 
Sistema Imunitário I
Sistema Imunitário ISistema Imunitário I
Sistema Imunitário I
 
Gripe SuíNa
Gripe SuíNaGripe SuíNa
Gripe SuíNa
 
Dssms Gripe SuíNa
Dssms   Gripe SuíNaDssms   Gripe SuíNa
Dssms Gripe SuíNa
 
Gripe Suina - Elaborado pela Petrobras
Gripe Suina - Elaborado pela PetrobrasGripe Suina - Elaborado pela Petrobras
Gripe Suina - Elaborado pela Petrobras
 
Gripe SuíNa
Gripe SuíNaGripe SuíNa
Gripe SuíNa
 
Doenças causadas por parasitas - Doencas Infecto-Parasitarias.ppt
Doenças causadas por parasitas - Doencas Infecto-Parasitarias.pptDoenças causadas por parasitas - Doencas Infecto-Parasitarias.ppt
Doenças causadas por parasitas - Doencas Infecto-Parasitarias.ppt
 
Doencas infecto - parasitárias.infe_.ppt
Doencas infecto - parasitárias.infe_.pptDoencas infecto - parasitárias.infe_.ppt
Doencas infecto - parasitárias.infe_.ppt
 
Doenças: Vírus, Bactérias e Vermes
Doenças: Vírus, Bactérias e VermesDoenças: Vírus, Bactérias e Vermes
Doenças: Vírus, Bactérias e Vermes
 
Febre Aftosa
Febre AftosaFebre Aftosa
Febre Aftosa
 
Epidemiologia
EpidemiologiaEpidemiologia
Epidemiologia
 
Definições em Epidemio.ppt
Definições em Epidemio.pptDefinições em Epidemio.ppt
Definições em Epidemio.ppt
 
Aula 1 tipos de epidemiologia
Aula 1 tipos de epidemiologiaAula 1 tipos de epidemiologia
Aula 1 tipos de epidemiologia
 
Microrganismo e doenças emergentes .pptx
Microrganismo e doenças emergentes .pptxMicrorganismo e doenças emergentes .pptx
Microrganismo e doenças emergentes .pptx
 

Mais de Thúlio Bezerra

Schistosoma mansoni e esquistossomíase o parasito questões
Schistosoma mansoni e esquistossomíase o parasito questõesSchistosoma mansoni e esquistossomíase o parasito questões
Schistosoma mansoni e esquistossomíase o parasito questões
Thúlio Bezerra
 
Resumo do scistosoma masoni e esquistossomíase o parasito
Resumo do scistosoma masoni e esquistossomíase o parasitoResumo do scistosoma masoni e esquistossomíase o parasito
Resumo do scistosoma masoni e esquistossomíase o parasito
Thúlio Bezerra
 
Schistosoma mansoni e esquistissomíase o parasito
Schistosoma mansoni  e esquistissomíase o parasitoSchistosoma mansoni  e esquistissomíase o parasito
Schistosoma mansoni e esquistissomíase o parasito
Thúlio Bezerra
 
Questionario da doença
Questionario da doençaQuestionario da doença
Questionario da doença
Thúlio Bezerra
 
Schistosoma mansoni e esquistossomíase
Schistosoma mansoni e esquistossomíaseSchistosoma mansoni e esquistossomíase
Schistosoma mansoni e esquistossomíase
Thúlio Bezerra
 
Epidemiol..
Epidemiol..Epidemiol..
Epidemiol..
Thúlio Bezerra
 

Mais de Thúlio Bezerra (6)

Schistosoma mansoni e esquistossomíase o parasito questões
Schistosoma mansoni e esquistossomíase o parasito questõesSchistosoma mansoni e esquistossomíase o parasito questões
Schistosoma mansoni e esquistossomíase o parasito questões
 
Resumo do scistosoma masoni e esquistossomíase o parasito
Resumo do scistosoma masoni e esquistossomíase o parasitoResumo do scistosoma masoni e esquistossomíase o parasito
Resumo do scistosoma masoni e esquistossomíase o parasito
 
Schistosoma mansoni e esquistissomíase o parasito
Schistosoma mansoni  e esquistissomíase o parasitoSchistosoma mansoni  e esquistissomíase o parasito
Schistosoma mansoni e esquistissomíase o parasito
 
Questionario da doença
Questionario da doençaQuestionario da doença
Questionario da doença
 
Schistosoma mansoni e esquistossomíase
Schistosoma mansoni e esquistossomíaseSchistosoma mansoni e esquistossomíase
Schistosoma mansoni e esquistossomíase
 
Epidemiol..
Epidemiol..Epidemiol..
Epidemiol..
 

Epidemiol..

  • 1. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco. Processos Infecciosos e Parasitários. Alba Luciene* Epidemiologia Carlos Henrique** e Saúde Mabel Ramalho* Manuelly Almeida* Pública. Ramonna Caroline* Rejane Nunes* Thúlio Bezerra* Acadêmicos de Enfermagem* Professor da Disciplina – PIP.**
  • 2. Epidemiologia  Podeser vagamente definida como estudo das doenças, entretanto, enfoca aspectos diferentes das doenças.  Frequência, distribuição e determinantes das doenças nas populações humanas.
  • 3. Terminologia Epidemiológica  Doenças transmissíveis e contagiosas:  Doença infecciosa é causada por patógeno  Doença transmissível: é definida como a doença transmitida de pessoa para pessoa – essa transmissibilidade é específica - .  Doença contagiosa: é definida como a doença transmissível que é facilmente transmitida de uma pessoa para outra.
  • 4.
  • 5. Terminologia Epidemiológica  Doenças Zoonóticas: as doenças infecciosas que o ser humano adquire de fontes animais.  Incidência e taxa de morbidade: são definidas como o número de novos casos desta doença, numa população definida num dado período. A taxa de morbidade, geralmente, usa as constantes mil, 10 mil ou 100 mil habitantes.
  • 6. prevalência  De tempo: é o número de casos da doença existente numa dada população, durante um período específico.  Pontual: é o número de casos da doença numa dada população em um momento específico do tempo.
  • 7. Terminologia Epidemiológica  Mortalidade : é a razão do número de pessoas que morreram, com determinada doença, num período.  Doenças Esporádicas: é aquela que ocorre apenas ocasionalmente (esporadicamente) numa população de determinada área geográfica. Por exemplo, nos EUA: botulismo, cólera, peste bubônica...
  • 8. Doenças Endêmicas São aquelas que estão sempre presentes numa população em determinada área geográfica. O número de casos pode flutuar ao longo do tempo, mas a doença nunca desaparece por completo.  As doenças infecciosas endêmicas nos EUA: gonorreia, sífilis, catapora, caxumba...
  • 9. Doenças epidêmicas é definida como o número de casos maior que o normal de uma doença, numa região específica, ocorrendo normalmente num período de tempo relativamente curto.  Vírus Ebola causou várias epidemias de febre hemorrágica na África ( Sudão e Zaire em 1976[...], Uganda em 2000.
  • 10. Doenças Pandêmicas  Doenças Pandêmicas: é a que ocorre em proporções epidêmicas em vários países simultaneamente – às vezes mundialmente.  HIV/AIDS, Tuberculose (pandemia atual), Malária.
  • 12. Fatores relacionados a ocorrência de uma doença infecciosa Fatores relacionados as patógenos:  A virulência do patógeno  Existência de uma via para o patógeno penetrar no organismo  Quantidade de organismos que penetra no corpo
  • 13. Fatores relacionados aos hospedeiros:  Estado de saúde  Estado nutricional  Outros fatores relacionados a susceptibilidade do hospedeiro Fatores relacionados ao meio ambiente:  Fatores físicos como localização geográfica, clima, calor, frio, umidade e estação do ano.  Disponibilidade de reservatórios apropriados, hospedeiros intermediários e vetores.  Condições sanitárias e de moradia, eliminação adequada de objetos  Disponibilidade de água potável.
  • 14. Ciclo de Infecção Existem seis componentes no processo das doenças infecciosas.  Primeiro, é necessário um patógeno;  2. Uma fonte do patógeno, é o reservatório;  3. Uma ponte de saída ( por onde o patógeno escapa do reservatório);
  • 15.  4. Um modo de transmissão (uma maneira do patógeno se deslocar para outra pessoa), por exemplo aperto de mãos – caso da gripe.  5. Uma porta de entrada (um meio pelo qual o patógeno penetra no indivíduo sadio);  6. Um hospedeiro susceptível.
  • 16.
  • 17. Reservatórios de infecção É qualquer lugar onde o patógeno pode se multiplicar ou meramente sobreviver até que seja transferido para um hospedeiro.  Reservatórios vivos: Os seres humanos, animais domésticos, animais de fazenda, etc.
  • 18. Portadores humanos  Portadores passivos transportam o patógeno sem jamais terem desenvolvido a doença.  Portador incubador é a pessoa capaz de transmitir o patógeno durante o período de incubação de determinada doença infecciosa.  Portadores covalescentes abrigam e podem transmitir determinado patógeno enquanto se recuperam de doença infecciosa.  Portadores ativos se recuperaram completamente da doença, mas continuam abrigando o patógeno indefinitivamente.
  • 19. Artrópodos  São os insetos como mosquitos, moscas, varejeiras, piolhos e pulgas, aracnídeos como ácaros e carrapatos. Quando envolvidos na transmissão de doenças infecciosas, estes artropódos são referidos como vetores.
  • 20.
  • 21. Reservatórios não-vivos  Ar  Solo  Poeira  Alimento  Água  Leite  fômites
  • 22. Formas de transmissão As cinco principais formas pelas quais ocorre a transmissão dos patógenos são:  o contato (direto ou indireto)  Ar  veicular  vetores.
  • 23. As doenças transmissíveis – doenças infecciosas que uma pessoa passa para outra – são normalmente transferidas das seguintes formas:  Contato direto pela pele  Contato direto entre as mucosas através de beijos ou relação sexual  Indiretamente através do ar por gotículas de secreções respiratórias, geralmente produzidas como resultado de espirro ou tosse  Indiretamente através da contaminação de alimento e água por material fecal  Indiretamente por vetores artrópodos  Indiretamente por fômites que se tornam contaminados por secreções respiratórias, sangue, urina, fezes, vômitos, ou exsudatos de pacientes hospitalizados.  Indiretamente por transfusão de sangue e/ou seus derivados contaminados de uma pessoa doente ou por injeção parenteral (injeção direta na corrente sanguínea), usando-se seringas e agulhas não esterelizadas.
  • 24.
  • 25. Agências de saúde pública  Asagências de saúde pública de todos os níveis tentam, constantemente, evitar epidemias e identificar e eliminar qualquer uma que possa vir a ocorrer. Uma forma pela qual os profissionais de saúde participam deste amplo programa é através da notificação de casos de doenças transmissíveis às agências apropriadas.
  • 26. Organização Mundial de Saúde (OMS)  Sua missão é promover cooperação técnica para a saúde entre as nações, realizar programas de controle e erradicação de doenças, melhorando a qualidade de vida humana.
  • 27. Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC)  Assisteo estado e os departamentos locais de saúde na aplicação de todos os aspectos epidemiológicos.
  • 28. Definições de termos epidemiológicos relacionados as doenças infecciosas  Controle – campanhas ou programas que visam reduzir a incidência e/ou a prevalência de tal doença.  Eliminação – a redução da transmissão de casos a um nível predeterminado muito baixo.  Erradicação – o fato de não ocorrer mais nenhum outro caso da doença, em qualquer lugar e onde as medidas de controle contínuo são desnecessários.
  • 29. Bioterrorismo e agente de ataque biológico  Microorganismos patogênicos chegam as vezes nas mãos de pessoas mentalmente desorientadas, que querem usá-los para provocar danos aos outros. Em tempos de guerra , essa utilização de microrganismos é chamada de armas biológicas e os microrganismos são referidos como agentes de ataque biológico. Existe a possibilidade de que membros de grupos terroristas ou radicais usem patógenos para provocar medo, caos, doença e morte. Estes são referidos como como agentes de bioterrorismo.
  • 30.
  • 31. Abastecimento de água e despejo de esgoto  Dois tipos de poluição de água estão presentes em nossa sociedade:  A química ocorre quando instalações industriais despejam produtos residuais em águas locais, sem pré-tratamento adequado, quando os pesticidas são usados indiscriminadamente e quando os produtos químicos são expelidos no ar e transportados para o solo através da chuva (chuva ácida).  A biológica é constituída por produtos residuais de origem humana – material fecal e lixo – que possuem grande quantidade de patógenos
  • 33.
  • 34. Tratamento da água  Filtração  Sedimentação ou assentamento]  Coagulação ou floculação  Filtração com areia  cloração
  • 35.
  • 36. Tratamento de esgoto  Tratamento primário: fragmentos grandes são filtrados (engradamento)  Fragmentos flutuantes triturados  Material sólido se assenta no fundo no tanque primário  Tratamento secundário:o liquido flutuante primario é filtrada  Decantação  Desinfecção  Retorno aos rios ou aceano
  • 37. A prevenção e controle de epidemias são um objetivo comunitário que nunca termina. Para serem efetivos, devem incluir medidas para:  Aumentar a resistência do hospedeiro através do desenvolvimento e administração de vacinas que induzam imunidade ativa e a manutenção desta em pessoas susceptíveis.  Assegurar que pessoas que tenham sido expostas a um patógeno estejam protegidas contra a doença.  Segregar, isolar e tratar que aqueles que tenham contraído uma infecção contagiosa, para evitar a disseminação dos patógenos a outras pessoas.  Identificar e controlar potenciais reservatórios e vetores de doenças infecciosas.