SlideShare uma empresa Scribd logo
Ana Saldanha responde aos alunos do 8º ano da SP do LI (2009-2010) A propósito de Uma Questão de Cor…
SOBRE A OBRA
1.Porque é que escolheu como tema o racismo? Por que razão o tema e a moral do seu livro estão relacionados com o racismo?  (RT+lisi+tomtoms78+ eduardinho+vicky+falar verdade na vida) Escolhi o tema do racismo porque o problema da discriminação, racial ou outra, me parece muito importante.
2. Qual era a sua intenção ao escrever este livro? (RT+lisi) Tentei divertir e fazer pensar os meus leitores.
3. Inspirou-se num facto vivido quando escreveu o livro? Inspirou-se em acontecimentos vividos por amigos ou por si mesma para escrever a história? O que a inspirou a escrever uma história sobre o racismo? Inspirou-se numa experiência pessoal? (clarinha+green day+danu+youpi+eeeup2001+slb+japlli+alimacak+lolo+latoss78) Não me inspirei num só acontecimento, mas em várias situações que fui presenciando ou que me contaram. Inspirou-me também a autobiografia de Nelson Mandela ( A Long Walk to Freedom  –  Longo Caminho para a Liberdade ), que traduzi antes de escrever  Uma Questão de Cor .
4. Identifica-se um pouco com Nina? A história desta jovem é autobiográfica?  (clarinha+caro) Um pouco, sim, mas não lhe chamaria uma história autobiográfica.
5. A Nina, de que fala na história, é uma personagem fictícia ou existe realmente? (alimacak) É fictícia, mas «rouba» características a várias pessoas que conheço - e também a mim própria.
6. A Nina gosta muito dos jogos de computador. Também gosta deste tipo de tecnologia?  (clarinha) É raro eu jogar jogos de cartas no computador. Mas uso-o para vários outros fins. Por exemplo, para escrever os meus livros, obter informações, contactar amigos (e leitores) e ouvir a Rádio  Four , uma estação de rádio inglesa.
7. Daniel é um grande fã de Mandela. Porquê ter escolhido este homem?  (clarinha) Nelson Mandela é um grande herói do nosso tempo, admirado mundialmente. O Daniel anda a ler a sua autobiografia.
8. Onde encontrou o nome das personagens da história? São amigos seus?  (vicky) Nina é o nome de uma amiga. Mais tarde, a minha sobrinha Joana deu esse nome à sua gata. Os nomes das outras personagens foram escolhidos ao acaso.
9. Escreveu este livro para fazer passar através dele a moral de que não se deve ser racista?  (caro) Não. Só quis dar a minha opinião de que quem é racista sofre de estupidez terminal.
10. Por que é que no seu livro  Uma Questão de Cor  as personagens centrais são jovens? (latoss78+falar verdade na vida) De uma maneira geral, todas as personagens dos meus livros são adolescentes. Uma razão prática é o facto de escrever para gente nova (para que toda a gente possa ler o que escrevo, sem excluir ninguém). Mas também acredito que somos todos adolescentes até ao fim da vida. O Vítor Salema podia ter cinquenta anos e a avó da Nina dezasseis...
11. Conhece alguém que já tenha sido discriminado por causa da cor da pele? (lolo) Se olhar à minha volta, vejo todos os dias sinais de discriminação. Por exemplo, nas universidades portuguesas praticamente não há alunos de etnia cigana. A discriminação em Portugal é bastante subtil, não do tipo explícito da que existia na África do Sul.
12. Por que razão Daniel mudou de escola?  (eeeup2001) O que achas? Deixei essa questão em aberto de propósito. Talvez ele tenha sido vítima de  bullying , talvez fosse um aluno indisciplinado que a direcção da escola decidiu expulsar. Podes decidir tu.
13. O exemplo de um rapaz mestiço numa escola frequentada por uma maioria branca ajudou-a a abordar o tema? De que forma? Por que é que escolheu que o Daniel fosse mestiço e não preto?  (RT+ green day) Não me baseei em nenhum caso concreto, mas o facto de o Daniel ser de etnia mista torna a discriminação de que é alvo ainda mais bizarra, se possível, principalmente numa sociedade como a portuguesa em que a «pureza racial» (que conceito mais esquisito!) não é uma preocupação dominante.
14. Por que é que o Daniel é tão discriminado no livro? Não será exagero?  (tomtoms78) Não, não é exagero. Na sociedade portuguesa, como existe o mito de que não somos racistas, muita gente se sente autorizada a agredir verbalmente (e às vezes de outras formas também) aquelas pessoas que lhes parecem diferentes, desvios à «norma».
15. Há alguma razão especial para que Daniel seja de Moçambique e não de outro país africano? (green day) Não, o Daniel não é de origem moçambicana. A mãe é da África do Sul, o pai de Portugal e ambos se conheceram em Moçambique.
16. Porquê escolher este princípio para o livro? A Nina a jogar no computador?  (eduardinho) Como o computador organiza a estrutura do livro, pareceu-me apropriado que a história começasse por ele.
17. Não vejo a relação entre o racismo e os computadores. Pode explicar-ma?  (japlli) Não existe qualquer relação.
18. Como é que foi escrever  Uma Questão de Cor ?  (tomtoms78) Foi interessante criar personagens e situações divertidas e, ao mesmo tempo, transmitir uma mensagem importante.
19. Foi difícil criar as personagens em  Uma Questão de Cor ?  (GS) Algumas mais do que outras. O Vítor foi dos mais fáceis, assim como a mãe da Nina. Gostei de criar a personagem da avó e a relação entre ela e a neta.
20. Por é que escolheu este título Uma Questão de Cor para o seu livro?  (eduardinho) Queria aludir ao tema do livro sem revelar imediatamente qual era.
21. Sente que há semelhanças entre si e algum personagem de  Uma Questão de Cor ?  (danu) Há semelhanças com todas, mesmo com as menos simpáticas ou menos admiráveis. Fui eu quem as inventei e nelas todas está um pedacinho de mim.
SOBRE A ESCRITORA
22. Com que idade começou a escrever? Porquê?  (vicky+alimacak) Tarde, já tinha quase trinta anos. Tinha receio de não ser capaz e não queria pôr-me à prova.
23. De onde lhe surgiu essa paixão para escrever livros?  (tomtoms78) Da minha paixão pela leitura, principalmente. Queria (e continuo a querer) fazer aos outros aquilo que os escritores me faziam (e fazem) a mim enquanto leitora.
24. Dedicou-se desde cedo à literatura ou teve outra profissão?  (alimacak) Fui professora. A partir de certa altura, ensinava, escrevia e traduzia. Agora, há dez anos que me dedico apenas a escrever livros e, ocasionalmente, a traduzir outros livros.
25. Sempre quis ser escritora ou, quando era mais nova, sonhou ter outra profissão?  (danu) Quando eu era pequena, toda a gente dizia que eu ia ser advogada. Gostava de defender causas perdidas... Mas eu sempre quis ser professora e escrever, viver no meio dos livros.
26. Qual é o seu objectivo ao escrever histórias juvenis? Gosta de escrever para crianças?  (latoss78+eeeup2001) Que toda a gente leia o que escrevo. Não quero excluir ninguém.
27. Está neste momento a preparar algum livro novo?  (slb+japlli) Vários ao mesmo tempo. Um deles já me acompanha há alguns anos.
28. Já escreveu outros livros que falam sobre discriminação?  (slb) Já. Em  Cinco Tempos, Quatro Intervalos , a protagonista, a Dulce, é uma menina gorda a quem os colegas marginalizam e a quem chamam baleia.
29. Quando escreve livros, tenta sempre fazer passar uma moral relacionada com o racismo?  (caro) Não. Não escrevo livros para ensinar bons princípios. Esse efeito é uma consequência das minhas convicções, não é a minha intenção principal.
30. Como é a vida de Ana Saldanha nos tempos livres?  (GS) Adoro ler, ir ao cinema, estar com os amigos e andar de bicicleta. Quando vivia no campo, na Irlanda do Norte, dava grandes passeios de bicicleta. Agora, no centro do Porto, é mais difícil.
31. Como é que Ana Saldanha se sentiu depois de terminar  Uma Questão de Cor ?  (GS) Senti o que sinto quando acabo a maior parte dos meus livros: fiquei satisfeita por ter cumprido mais ou menos o objectivo que tinha proposto a mim própria.
32. A partir de que idade se começou a interessar pelo problema do racismo? Porquê?  (youpi) A discriminação em geral sempre me interessou (e indignou). O racismo, especificamente, tornou-se um tema mais presente quando comecei a conviver com pessoas de outras culturas.
33. Já lhe aconteceu estar face a uma situação racista? Defendeu a pessoa vítima desse racismo?  (youpi) Até agora, só assisti a manifestações mesquinhas de racismo, principalmente através de palavras insultuosas ditas por pessoas ignorantes. Reajo sempre, por vezes com os mesmos resultados que a Nina tem quando, no autocarro, defende os direitos dos estudantes angolanos.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ziraldo A Fábula das Três Cores
Ziraldo   A  Fábula das Três CoresZiraldo   A  Fábula das Três Cores
Ziraldo A Fábula das Três Cores
Nádia Rabelo
 
Livro-Casa Amarela
Livro-Casa AmarelaLivro-Casa Amarela
Livro-Casa Amarela
Graça Sousa
 
Projeto 2015 Divisão de Leitura SME Duque de Caxias
Projeto 2015 Divisão de Leitura SME  Duque de CaxiasProjeto 2015 Divisão de Leitura SME  Duque de Caxias
Projeto 2015 Divisão de Leitura SME Duque de Caxias
Fabiana Esteves
 
Escola no tempo dos meus avós
Escola  no tempo dos meus avósEscola  no tempo dos meus avós
Escola no tempo dos meus avós
mundodecores
 
Bicho - Apostila TDAH para crianças
Bicho - Apostila TDAH para criançasBicho - Apostila TDAH para crianças
Bicho - Apostila TDAH para crianças
Marina Heitor
 
Projeto tirando o nó da garganta power point
Projeto tirando o nó da garganta power pointProjeto tirando o nó da garganta power point
Projeto tirando o nó da garganta power point
Rose Silva
 
Perfil bárbara gaspar jo1b
Perfil bárbara gaspar jo1bPerfil bárbara gaspar jo1b
Perfil bárbara gaspar jo1b
barbaravg
 
Memorial descritivo perim 20102013(2b) (1)
Memorial descritivo perim 20102013(2b) (1)Memorial descritivo perim 20102013(2b) (1)
Memorial descritivo perim 20102013(2b) (1)
Cida Perim
 
O príncipe dos porquês - Amostra grátis das primeiras páginas do livro
O príncipe dos porquês - Amostra grátis das primeiras páginas do livroO príncipe dos porquês - Amostra grátis das primeiras páginas do livro
O príncipe dos porquês - Amostra grátis das primeiras páginas do livro
Letícia Tórgo
 
Grupo escolar
Grupo escolar Grupo escolar
Grupo escolar
JEFFERSON SANTOS
 
Grupo escolar
Grupo escolarGrupo escolar
Grupo escolar
Roberto Rabat Chame
 
Grupo escolar (hoje, ensino básico e fundamental).
Grupo escolar (hoje, ensino básico e fundamental).Grupo escolar (hoje, ensino básico e fundamental).
Grupo escolar (hoje, ensino básico e fundamental).
Natalino Henrique Medeiros
 
Grupo escolar
Grupo escolarGrupo escolar
Grupo escolar
arquimedesferreira
 
Grupo escolar
Grupo escolarGrupo escolar
Grupo escolar
Orlando Limeira
 

Mais procurados (15)

Ziraldo A Fábula das Três Cores
Ziraldo   A  Fábula das Três CoresZiraldo   A  Fábula das Três Cores
Ziraldo A Fábula das Três Cores
 
Livro-Casa Amarela
Livro-Casa AmarelaLivro-Casa Amarela
Livro-Casa Amarela
 
Projeto 2015 Divisão de Leitura SME Duque de Caxias
Projeto 2015 Divisão de Leitura SME  Duque de CaxiasProjeto 2015 Divisão de Leitura SME  Duque de Caxias
Projeto 2015 Divisão de Leitura SME Duque de Caxias
 
Escola no tempo dos meus avós
Escola  no tempo dos meus avósEscola  no tempo dos meus avós
Escola no tempo dos meus avós
 
Bicho - Apostila TDAH para crianças
Bicho - Apostila TDAH para criançasBicho - Apostila TDAH para crianças
Bicho - Apostila TDAH para crianças
 
Projeto tirando o nó da garganta power point
Projeto tirando o nó da garganta power pointProjeto tirando o nó da garganta power point
Projeto tirando o nó da garganta power point
 
Joao Preste Atencao
Joao Preste AtencaoJoao Preste Atencao
Joao Preste Atencao
 
Perfil bárbara gaspar jo1b
Perfil bárbara gaspar jo1bPerfil bárbara gaspar jo1b
Perfil bárbara gaspar jo1b
 
Memorial descritivo perim 20102013(2b) (1)
Memorial descritivo perim 20102013(2b) (1)Memorial descritivo perim 20102013(2b) (1)
Memorial descritivo perim 20102013(2b) (1)
 
O príncipe dos porquês - Amostra grátis das primeiras páginas do livro
O príncipe dos porquês - Amostra grátis das primeiras páginas do livroO príncipe dos porquês - Amostra grátis das primeiras páginas do livro
O príncipe dos porquês - Amostra grátis das primeiras páginas do livro
 
Grupo escolar
Grupo escolar Grupo escolar
Grupo escolar
 
Grupo escolar
Grupo escolarGrupo escolar
Grupo escolar
 
Grupo escolar (hoje, ensino básico e fundamental).
Grupo escolar (hoje, ensino básico e fundamental).Grupo escolar (hoje, ensino básico e fundamental).
Grupo escolar (hoje, ensino básico e fundamental).
 
Grupo escolar
Grupo escolarGrupo escolar
Grupo escolar
 
Grupo escolar
Grupo escolarGrupo escolar
Grupo escolar
 

Destaque

Yocania fotobiografia.ana.saldanha
Yocania fotobiografia.ana.saldanhaYocania fotobiografia.ana.saldanha
Yocania fotobiografia.ana.saldanha
Isabel Freitas
 
João pé descalço
João pé descalçoJoão pé descalço
João pé descalço
Karen Blixen
 
Mariana nunes
Mariana nunesMariana nunes
Mariana nunes
mariananunes1998
 
Uma Questão de Cor Exploração Textual
Uma Questão de Cor Exploração TextualUma Questão de Cor Exploração Textual
Uma Questão de Cor Exploração Textual
Isabel DA COSTA
 
Guião de leitura "Uma Questão de Cor", de Ana Saldanha (sem respostas)
Guião de leitura "Uma Questão de Cor", de Ana Saldanha (sem respostas)Guião de leitura "Uma Questão de Cor", de Ana Saldanha (sem respostas)
Guião de leitura "Uma Questão de Cor", de Ana Saldanha (sem respostas)
esodateliesbe
 
Uma Questão de Cor
Uma Questão de CorUma Questão de Cor
Uma Questão de Cor
Cherry_On_Top
 
Biobibliografia de ana saldanha
Biobibliografia de ana saldanhaBiobibliografia de ana saldanha
Biobibliografia de ana saldanha
Filomenagrilo
 
Uma questão de cor
Uma questão de corUma questão de cor
Uma questão de cor
mariananunes1998
 
Cinco dos _ ambientes de aprendizaje_roles,principios,tipos,concepciones__18...
Cinco dos  _ ambientes de aprendizaje_roles,principios,tipos,concepciones__18...Cinco dos  _ ambientes de aprendizaje_roles,principios,tipos,concepciones__18...
Cinco dos _ ambientes de aprendizaje_roles,principios,tipos,concepciones__18...
Karina Juarez
 
Ana Saldanha "Para_maiores_de_dezasseis
Ana Saldanha "Para_maiores_de_dezasseisAna Saldanha "Para_maiores_de_dezasseis
Ana Saldanha "Para_maiores_de_dezasseis
letrasbriteiros
 
G. trabalho pesquisa
G. trabalho pesquisaG. trabalho pesquisa
G. trabalho pesquisa
luisa_pires
 
Escrito na parede
Escrito na paredeEscrito na parede
Escrito na parede
fantas45
 
O romance de rita r sofia pereira
O romance de rita r sofia pereiraO romance de rita r sofia pereira
O romance de rita r sofia pereira
manoel de oliveira
 
Os três reis do oriente
Os três reis do orienteOs três reis do oriente
Os três reis do oriente
Ana Arminda Moreira
 
O Romance de Rita R
O Romance de Rita RO Romance de Rita R
O Romance de Rita R
lilianamatias
 
Uma questão de cor
Uma questão de corUma questão de cor
Uma questão de cor
Diogo Reis
 
Apres. divers. cultural 12 13.ppt
Apres. divers. cultural 12 13.pptApres. divers. cultural 12 13.ppt
Apres. divers. cultural 12 13.ppt
Gina Espenica
 
Romance de Rita R
Romance de Rita RRomance de Rita R
Romance de Rita R
Luis Martins
 
Como Fazer Uma Apresentação Oral
Como Fazer Uma Apresentação OralComo Fazer Uma Apresentação Oral
Como Fazer Uma Apresentação Oral
José Alemão
 
Como fazer uma apresentação oral?
Como fazer uma apresentação oral?Como fazer uma apresentação oral?
Como fazer uma apresentação oral?
becastanheiradepera
 

Destaque (20)

Yocania fotobiografia.ana.saldanha
Yocania fotobiografia.ana.saldanhaYocania fotobiografia.ana.saldanha
Yocania fotobiografia.ana.saldanha
 
João pé descalço
João pé descalçoJoão pé descalço
João pé descalço
 
Mariana nunes
Mariana nunesMariana nunes
Mariana nunes
 
Uma Questão de Cor Exploração Textual
Uma Questão de Cor Exploração TextualUma Questão de Cor Exploração Textual
Uma Questão de Cor Exploração Textual
 
Guião de leitura "Uma Questão de Cor", de Ana Saldanha (sem respostas)
Guião de leitura "Uma Questão de Cor", de Ana Saldanha (sem respostas)Guião de leitura "Uma Questão de Cor", de Ana Saldanha (sem respostas)
Guião de leitura "Uma Questão de Cor", de Ana Saldanha (sem respostas)
 
Uma Questão de Cor
Uma Questão de CorUma Questão de Cor
Uma Questão de Cor
 
Biobibliografia de ana saldanha
Biobibliografia de ana saldanhaBiobibliografia de ana saldanha
Biobibliografia de ana saldanha
 
Uma questão de cor
Uma questão de corUma questão de cor
Uma questão de cor
 
Cinco dos _ ambientes de aprendizaje_roles,principios,tipos,concepciones__18...
Cinco dos  _ ambientes de aprendizaje_roles,principios,tipos,concepciones__18...Cinco dos  _ ambientes de aprendizaje_roles,principios,tipos,concepciones__18...
Cinco dos _ ambientes de aprendizaje_roles,principios,tipos,concepciones__18...
 
Ana Saldanha "Para_maiores_de_dezasseis
Ana Saldanha "Para_maiores_de_dezasseisAna Saldanha "Para_maiores_de_dezasseis
Ana Saldanha "Para_maiores_de_dezasseis
 
G. trabalho pesquisa
G. trabalho pesquisaG. trabalho pesquisa
G. trabalho pesquisa
 
Escrito na parede
Escrito na paredeEscrito na parede
Escrito na parede
 
O romance de rita r sofia pereira
O romance de rita r sofia pereiraO romance de rita r sofia pereira
O romance de rita r sofia pereira
 
Os três reis do oriente
Os três reis do orienteOs três reis do oriente
Os três reis do oriente
 
O Romance de Rita R
O Romance de Rita RO Romance de Rita R
O Romance de Rita R
 
Uma questão de cor
Uma questão de corUma questão de cor
Uma questão de cor
 
Apres. divers. cultural 12 13.ppt
Apres. divers. cultural 12 13.pptApres. divers. cultural 12 13.ppt
Apres. divers. cultural 12 13.ppt
 
Romance de Rita R
Romance de Rita RRomance de Rita R
Romance de Rita R
 
Como Fazer Uma Apresentação Oral
Como Fazer Uma Apresentação OralComo Fazer Uma Apresentação Oral
Como Fazer Uma Apresentação Oral
 
Como fazer uma apresentação oral?
Como fazer uma apresentação oral?Como fazer uma apresentação oral?
Como fazer uma apresentação oral?
 

Semelhante a Entrevista a Ana Saldanha

Projeto integralizador menina bonita
Projeto integralizador menina bonitaProjeto integralizador menina bonita
Projeto integralizador menina bonita
Diulha Colombo
 
Projeto de leitura - proeti -
Projeto de leitura  - proeti -Projeto de leitura  - proeti -
Projeto de leitura - proeti -
Josiane Amaral
 
O pequeno livro das grandes emoções
O pequeno livro das grandes emoçõesO pequeno livro das grandes emoções
O pequeno livro das grandes emoções
Prof. Sonia Santana
 
António Lobo Antunes
António Lobo AntunesAntónio Lobo Antunes
António Lobo Antunes
Do outro lado da barricada
 
Heleny Galati
Heleny GalatiHeleny Galati
Heleny Galati
RaianeMorbis
 
Heleny galati
Heleny galatiHeleny galati
Heleny galati
RaianeMorbis
 
Heleny galati
Heleny galatiHeleny galati
Heleny galati
RaianeMorbis
 
Livros sobre consciência negra
Livros sobre consciência negraLivros sobre consciência negra
Livros sobre consciência negra
GRUPO ESCOTEIRO JOÃO OSCALINO
 
Matoso123
Matoso123Matoso123
Matoso123
mrvpimenta
 
Publica Madalena Matoso
Publica Madalena MatosoPublica Madalena Matoso
Publica Madalena Matoso
mrvpimenta
 
Perfil - JoBásico
Perfil - JoBásicoPerfil - JoBásico
Perfil - JoBásico
brendazacharias
 
Como comecei a escrever
Como comecei a escreverComo comecei a escrever
Como comecei a escrever
Luisa Cristina Rothe Mayer
 
Trabalho sobre romances
Trabalho sobre romancesTrabalho sobre romances
Trabalho sobre romances
Marcia Facelli
 
O pequeno livro das grandes emoções
O pequeno livro das grandes emoçõesO pequeno livro das grandes emoções
O pequeno livro das grandes emoções
eliasdemoch
 
Ficha de leitura 2
Ficha de leitura 2Ficha de leitura 2
Ficha de leitura 2
Nataly Silva
 
A verdade usa máscara
A verdade usa máscaraA verdade usa máscara
A verdade usa máscara
Antonio Altvater
 
Livro de história a traça escritora
Livro de história  a traça escritoraLivro de história  a traça escritora
Livro de história a traça escritora
Dionei Vieira
 
A traça escritora
A traça escritoraA traça escritora
A traça escritora
LuciaFrana4
 
A traça escritora
A traça escritoraA traça escritora
A traça escritora
Marisa Seara
 
Primeira ficha de leitura do livro ''O Diário de Zlata''
Primeira ficha de leitura do livro ''O Diário de Zlata'' Primeira ficha de leitura do livro ''O Diário de Zlata''
Primeira ficha de leitura do livro ''O Diário de Zlata''
Emy_Guarnierii
 

Semelhante a Entrevista a Ana Saldanha (20)

Projeto integralizador menina bonita
Projeto integralizador menina bonitaProjeto integralizador menina bonita
Projeto integralizador menina bonita
 
Projeto de leitura - proeti -
Projeto de leitura  - proeti -Projeto de leitura  - proeti -
Projeto de leitura - proeti -
 
O pequeno livro das grandes emoções
O pequeno livro das grandes emoçõesO pequeno livro das grandes emoções
O pequeno livro das grandes emoções
 
António Lobo Antunes
António Lobo AntunesAntónio Lobo Antunes
António Lobo Antunes
 
Heleny Galati
Heleny GalatiHeleny Galati
Heleny Galati
 
Heleny galati
Heleny galatiHeleny galati
Heleny galati
 
Heleny galati
Heleny galatiHeleny galati
Heleny galati
 
Livros sobre consciência negra
Livros sobre consciência negraLivros sobre consciência negra
Livros sobre consciência negra
 
Matoso123
Matoso123Matoso123
Matoso123
 
Publica Madalena Matoso
Publica Madalena MatosoPublica Madalena Matoso
Publica Madalena Matoso
 
Perfil - JoBásico
Perfil - JoBásicoPerfil - JoBásico
Perfil - JoBásico
 
Como comecei a escrever
Como comecei a escreverComo comecei a escrever
Como comecei a escrever
 
Trabalho sobre romances
Trabalho sobre romancesTrabalho sobre romances
Trabalho sobre romances
 
O pequeno livro das grandes emoções
O pequeno livro das grandes emoçõesO pequeno livro das grandes emoções
O pequeno livro das grandes emoções
 
Ficha de leitura 2
Ficha de leitura 2Ficha de leitura 2
Ficha de leitura 2
 
A verdade usa máscara
A verdade usa máscaraA verdade usa máscara
A verdade usa máscara
 
Livro de história a traça escritora
Livro de história  a traça escritoraLivro de história  a traça escritora
Livro de história a traça escritora
 
A traça escritora
A traça escritoraA traça escritora
A traça escritora
 
A traça escritora
A traça escritoraA traça escritora
A traça escritora
 
Primeira ficha de leitura do livro ''O Diário de Zlata''
Primeira ficha de leitura do livro ''O Diário de Zlata'' Primeira ficha de leitura do livro ''O Diário de Zlata''
Primeira ficha de leitura do livro ''O Diário de Zlata''
 

Mais de Isabel DA COSTA

LUANDA LISBOA PARAISO de Djaimilia Pereira de Almeida
LUANDA LISBOA PARAISO de Djaimilia Pereira de AlmeidaLUANDA LISBOA PARAISO de Djaimilia Pereira de Almeida
LUANDA LISBOA PARAISO de Djaimilia Pereira de Almeida
Isabel DA COSTA
 
Guia do encontro de 12 4-2019
Guia do encontro de 12 4-2019Guia do encontro de 12 4-2019
Guia do encontro de 12 4-2019
Isabel DA COSTA
 
Projeto Unesco 3e (avril 2019)
Projeto Unesco 3e (avril 2019)Projeto Unesco 3e (avril 2019)
Projeto Unesco 3e (avril 2019)
Isabel DA COSTA
 
Projeto Unesco - Turma do 10º ano (Secção Portugesa do LI)
Projeto Unesco - Turma do 10º ano (Secção Portugesa do LI)Projeto Unesco - Turma do 10º ano (Secção Portugesa do LI)
Projeto Unesco - Turma do 10º ano (Secção Portugesa do LI)
Isabel DA COSTA
 
Criação de peças à maneira de joana vasconcelos
Criação de peças à maneira de joana vasconcelosCriação de peças à maneira de joana vasconcelos
Criação de peças à maneira de joana vasconcelos
Isabel DA COSTA
 
4e avaliação de leituras
4e avaliação de leituras4e avaliação de leituras
4e avaliação de leituras
Isabel DA COSTA
 
6e avaliação de leituras
6e  avaliação de leituras6e  avaliação de leituras
6e avaliação de leituras
Isabel DA COSTA
 
Cm1 autoavaliação de leituras
Cm1 autoavaliação de leiturasCm1 autoavaliação de leituras
Cm1 autoavaliação de leituras
Isabel DA COSTA
 
5e avaliação de leituras
5e avaliação de leituras5e avaliação de leituras
5e avaliação de leituras
Isabel DA COSTA
 
Dama e o unicornio (turma de 7º ano)
Dama e o unicornio (turma de 7º ano)Dama e o unicornio (turma de 7º ano)
Dama e o unicornio (turma de 7º ano)
Isabel DA COSTA
 
Texto preferido o mundo ao contrário 6º ano
Texto preferido o mundo ao contrário 6º anoTexto preferido o mundo ao contrário 6º ano
Texto preferido o mundo ao contrário 6º ano
Isabel DA COSTA
 
Mandela texto preferido
Mandela   texto preferidoMandela   texto preferido
Mandela texto preferido
Isabel DA COSTA
 
A métrica e a rima
A métrica e a rimaA métrica e a rima
A métrica e a rima
Isabel DA COSTA
 
Retratos portugueses cm1 (2)
Retratos portugueses cm1 (2)Retratos portugueses cm1 (2)
Retratos portugueses cm1 (2)
Isabel DA COSTA
 
Qual a história preferida?
Qual a história preferida?Qual a história preferida?
Qual a história preferida?
Isabel DA COSTA
 
Entrada de diário
Entrada de diárioEntrada de diário
Entrada de diário
Isabel DA COSTA
 
O twinny na exposição índios xingu
O twinny na exposição índios xingu O twinny na exposição índios xingu
O twinny na exposição índios xingu
Isabel DA COSTA
 
O Twinny em Petrópolis
O Twinny em PetrópolisO Twinny em Petrópolis
O Twinny em Petrópolis
Isabel DA COSTA
 
Twinny em Parati
Twinny em ParatiTwinny em Parati
Twinny em Parati
Isabel DA COSTA
 
A turma de 4º ano apresenta-se
A turma de 4º ano apresenta-seA turma de 4º ano apresenta-se
A turma de 4º ano apresenta-se
Isabel DA COSTA
 

Mais de Isabel DA COSTA (20)

LUANDA LISBOA PARAISO de Djaimilia Pereira de Almeida
LUANDA LISBOA PARAISO de Djaimilia Pereira de AlmeidaLUANDA LISBOA PARAISO de Djaimilia Pereira de Almeida
LUANDA LISBOA PARAISO de Djaimilia Pereira de Almeida
 
Guia do encontro de 12 4-2019
Guia do encontro de 12 4-2019Guia do encontro de 12 4-2019
Guia do encontro de 12 4-2019
 
Projeto Unesco 3e (avril 2019)
Projeto Unesco 3e (avril 2019)Projeto Unesco 3e (avril 2019)
Projeto Unesco 3e (avril 2019)
 
Projeto Unesco - Turma do 10º ano (Secção Portugesa do LI)
Projeto Unesco - Turma do 10º ano (Secção Portugesa do LI)Projeto Unesco - Turma do 10º ano (Secção Portugesa do LI)
Projeto Unesco - Turma do 10º ano (Secção Portugesa do LI)
 
Criação de peças à maneira de joana vasconcelos
Criação de peças à maneira de joana vasconcelosCriação de peças à maneira de joana vasconcelos
Criação de peças à maneira de joana vasconcelos
 
4e avaliação de leituras
4e avaliação de leituras4e avaliação de leituras
4e avaliação de leituras
 
6e avaliação de leituras
6e  avaliação de leituras6e  avaliação de leituras
6e avaliação de leituras
 
Cm1 autoavaliação de leituras
Cm1 autoavaliação de leiturasCm1 autoavaliação de leituras
Cm1 autoavaliação de leituras
 
5e avaliação de leituras
5e avaliação de leituras5e avaliação de leituras
5e avaliação de leituras
 
Dama e o unicornio (turma de 7º ano)
Dama e o unicornio (turma de 7º ano)Dama e o unicornio (turma de 7º ano)
Dama e o unicornio (turma de 7º ano)
 
Texto preferido o mundo ao contrário 6º ano
Texto preferido o mundo ao contrário 6º anoTexto preferido o mundo ao contrário 6º ano
Texto preferido o mundo ao contrário 6º ano
 
Mandela texto preferido
Mandela   texto preferidoMandela   texto preferido
Mandela texto preferido
 
A métrica e a rima
A métrica e a rimaA métrica e a rima
A métrica e a rima
 
Retratos portugueses cm1 (2)
Retratos portugueses cm1 (2)Retratos portugueses cm1 (2)
Retratos portugueses cm1 (2)
 
Qual a história preferida?
Qual a história preferida?Qual a história preferida?
Qual a história preferida?
 
Entrada de diário
Entrada de diárioEntrada de diário
Entrada de diário
 
O twinny na exposição índios xingu
O twinny na exposição índios xingu O twinny na exposição índios xingu
O twinny na exposição índios xingu
 
O Twinny em Petrópolis
O Twinny em PetrópolisO Twinny em Petrópolis
O Twinny em Petrópolis
 
Twinny em Parati
Twinny em ParatiTwinny em Parati
Twinny em Parati
 
A turma de 4º ano apresenta-se
A turma de 4º ano apresenta-seA turma de 4º ano apresenta-se
A turma de 4º ano apresenta-se
 

Último

Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
EsterGabriiela1
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
Sandra Pratas
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_CARLA MORAIS_22_23
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 

Entrevista a Ana Saldanha

  • 1. Ana Saldanha responde aos alunos do 8º ano da SP do LI (2009-2010) A propósito de Uma Questão de Cor…
  • 3. 1.Porque é que escolheu como tema o racismo? Por que razão o tema e a moral do seu livro estão relacionados com o racismo? (RT+lisi+tomtoms78+ eduardinho+vicky+falar verdade na vida) Escolhi o tema do racismo porque o problema da discriminação, racial ou outra, me parece muito importante.
  • 4. 2. Qual era a sua intenção ao escrever este livro? (RT+lisi) Tentei divertir e fazer pensar os meus leitores.
  • 5. 3. Inspirou-se num facto vivido quando escreveu o livro? Inspirou-se em acontecimentos vividos por amigos ou por si mesma para escrever a história? O que a inspirou a escrever uma história sobre o racismo? Inspirou-se numa experiência pessoal? (clarinha+green day+danu+youpi+eeeup2001+slb+japlli+alimacak+lolo+latoss78) Não me inspirei num só acontecimento, mas em várias situações que fui presenciando ou que me contaram. Inspirou-me também a autobiografia de Nelson Mandela ( A Long Walk to Freedom – Longo Caminho para a Liberdade ), que traduzi antes de escrever Uma Questão de Cor .
  • 6. 4. Identifica-se um pouco com Nina? A história desta jovem é autobiográfica? (clarinha+caro) Um pouco, sim, mas não lhe chamaria uma história autobiográfica.
  • 7. 5. A Nina, de que fala na história, é uma personagem fictícia ou existe realmente? (alimacak) É fictícia, mas «rouba» características a várias pessoas que conheço - e também a mim própria.
  • 8. 6. A Nina gosta muito dos jogos de computador. Também gosta deste tipo de tecnologia? (clarinha) É raro eu jogar jogos de cartas no computador. Mas uso-o para vários outros fins. Por exemplo, para escrever os meus livros, obter informações, contactar amigos (e leitores) e ouvir a Rádio Four , uma estação de rádio inglesa.
  • 9. 7. Daniel é um grande fã de Mandela. Porquê ter escolhido este homem? (clarinha) Nelson Mandela é um grande herói do nosso tempo, admirado mundialmente. O Daniel anda a ler a sua autobiografia.
  • 10. 8. Onde encontrou o nome das personagens da história? São amigos seus? (vicky) Nina é o nome de uma amiga. Mais tarde, a minha sobrinha Joana deu esse nome à sua gata. Os nomes das outras personagens foram escolhidos ao acaso.
  • 11. 9. Escreveu este livro para fazer passar através dele a moral de que não se deve ser racista? (caro) Não. Só quis dar a minha opinião de que quem é racista sofre de estupidez terminal.
  • 12. 10. Por que é que no seu livro Uma Questão de Cor as personagens centrais são jovens? (latoss78+falar verdade na vida) De uma maneira geral, todas as personagens dos meus livros são adolescentes. Uma razão prática é o facto de escrever para gente nova (para que toda a gente possa ler o que escrevo, sem excluir ninguém). Mas também acredito que somos todos adolescentes até ao fim da vida. O Vítor Salema podia ter cinquenta anos e a avó da Nina dezasseis...
  • 13. 11. Conhece alguém que já tenha sido discriminado por causa da cor da pele? (lolo) Se olhar à minha volta, vejo todos os dias sinais de discriminação. Por exemplo, nas universidades portuguesas praticamente não há alunos de etnia cigana. A discriminação em Portugal é bastante subtil, não do tipo explícito da que existia na África do Sul.
  • 14. 12. Por que razão Daniel mudou de escola? (eeeup2001) O que achas? Deixei essa questão em aberto de propósito. Talvez ele tenha sido vítima de bullying , talvez fosse um aluno indisciplinado que a direcção da escola decidiu expulsar. Podes decidir tu.
  • 15. 13. O exemplo de um rapaz mestiço numa escola frequentada por uma maioria branca ajudou-a a abordar o tema? De que forma? Por que é que escolheu que o Daniel fosse mestiço e não preto? (RT+ green day) Não me baseei em nenhum caso concreto, mas o facto de o Daniel ser de etnia mista torna a discriminação de que é alvo ainda mais bizarra, se possível, principalmente numa sociedade como a portuguesa em que a «pureza racial» (que conceito mais esquisito!) não é uma preocupação dominante.
  • 16. 14. Por que é que o Daniel é tão discriminado no livro? Não será exagero? (tomtoms78) Não, não é exagero. Na sociedade portuguesa, como existe o mito de que não somos racistas, muita gente se sente autorizada a agredir verbalmente (e às vezes de outras formas também) aquelas pessoas que lhes parecem diferentes, desvios à «norma».
  • 17. 15. Há alguma razão especial para que Daniel seja de Moçambique e não de outro país africano? (green day) Não, o Daniel não é de origem moçambicana. A mãe é da África do Sul, o pai de Portugal e ambos se conheceram em Moçambique.
  • 18. 16. Porquê escolher este princípio para o livro? A Nina a jogar no computador? (eduardinho) Como o computador organiza a estrutura do livro, pareceu-me apropriado que a história começasse por ele.
  • 19. 17. Não vejo a relação entre o racismo e os computadores. Pode explicar-ma? (japlli) Não existe qualquer relação.
  • 20. 18. Como é que foi escrever Uma Questão de Cor ? (tomtoms78) Foi interessante criar personagens e situações divertidas e, ao mesmo tempo, transmitir uma mensagem importante.
  • 21. 19. Foi difícil criar as personagens em Uma Questão de Cor ? (GS) Algumas mais do que outras. O Vítor foi dos mais fáceis, assim como a mãe da Nina. Gostei de criar a personagem da avó e a relação entre ela e a neta.
  • 22. 20. Por é que escolheu este título Uma Questão de Cor para o seu livro? (eduardinho) Queria aludir ao tema do livro sem revelar imediatamente qual era.
  • 23. 21. Sente que há semelhanças entre si e algum personagem de Uma Questão de Cor ? (danu) Há semelhanças com todas, mesmo com as menos simpáticas ou menos admiráveis. Fui eu quem as inventei e nelas todas está um pedacinho de mim.
  • 25. 22. Com que idade começou a escrever? Porquê? (vicky+alimacak) Tarde, já tinha quase trinta anos. Tinha receio de não ser capaz e não queria pôr-me à prova.
  • 26. 23. De onde lhe surgiu essa paixão para escrever livros? (tomtoms78) Da minha paixão pela leitura, principalmente. Queria (e continuo a querer) fazer aos outros aquilo que os escritores me faziam (e fazem) a mim enquanto leitora.
  • 27. 24. Dedicou-se desde cedo à literatura ou teve outra profissão? (alimacak) Fui professora. A partir de certa altura, ensinava, escrevia e traduzia. Agora, há dez anos que me dedico apenas a escrever livros e, ocasionalmente, a traduzir outros livros.
  • 28. 25. Sempre quis ser escritora ou, quando era mais nova, sonhou ter outra profissão? (danu) Quando eu era pequena, toda a gente dizia que eu ia ser advogada. Gostava de defender causas perdidas... Mas eu sempre quis ser professora e escrever, viver no meio dos livros.
  • 29. 26. Qual é o seu objectivo ao escrever histórias juvenis? Gosta de escrever para crianças? (latoss78+eeeup2001) Que toda a gente leia o que escrevo. Não quero excluir ninguém.
  • 30. 27. Está neste momento a preparar algum livro novo? (slb+japlli) Vários ao mesmo tempo. Um deles já me acompanha há alguns anos.
  • 31. 28. Já escreveu outros livros que falam sobre discriminação? (slb) Já. Em Cinco Tempos, Quatro Intervalos , a protagonista, a Dulce, é uma menina gorda a quem os colegas marginalizam e a quem chamam baleia.
  • 32. 29. Quando escreve livros, tenta sempre fazer passar uma moral relacionada com o racismo? (caro) Não. Não escrevo livros para ensinar bons princípios. Esse efeito é uma consequência das minhas convicções, não é a minha intenção principal.
  • 33. 30. Como é a vida de Ana Saldanha nos tempos livres? (GS) Adoro ler, ir ao cinema, estar com os amigos e andar de bicicleta. Quando vivia no campo, na Irlanda do Norte, dava grandes passeios de bicicleta. Agora, no centro do Porto, é mais difícil.
  • 34. 31. Como é que Ana Saldanha se sentiu depois de terminar Uma Questão de Cor ? (GS) Senti o que sinto quando acabo a maior parte dos meus livros: fiquei satisfeita por ter cumprido mais ou menos o objectivo que tinha proposto a mim própria.
  • 35. 32. A partir de que idade se começou a interessar pelo problema do racismo? Porquê? (youpi) A discriminação em geral sempre me interessou (e indignou). O racismo, especificamente, tornou-se um tema mais presente quando comecei a conviver com pessoas de outras culturas.
  • 36. 33. Já lhe aconteceu estar face a uma situação racista? Defendeu a pessoa vítima desse racismo? (youpi) Até agora, só assisti a manifestações mesquinhas de racismo, principalmente através de palavras insultuosas ditas por pessoas ignorantes. Reajo sempre, por vezes com os mesmos resultados que a Nina tem quando, no autocarro, defende os direitos dos estudantes angolanos.