SlideShare uma empresa Scribd logo
Ensino das Ciências




   Ensino experimental em ciências no pré escolar e
                                        no 1º ciclo
Porquê o ensino das ciências?


                  Deverá o ensino das ciências ter em
                  conta:
     Que
características   Porque surge
  deve ter?
                                 a actividade científica?
                    Como se
                   desenvolve
Actividade científica


                    Desenvolve-se



               Explorando
                              Como?



Observando   Experimentando   Reflectindo   Comunicando
Aluno


             Ensino
               e
          aprendizagem
          das ciências
Ciência                  Sociedade
A importância da educação em ciências




     • Responder e alimentar a curiosidade dos
       alunos, fomentando um sentimento de
       interesse, entusiasmo e admiração pela
       ciência. (Martins, 2002; Pereira, 2002)

     • Adquirir hábitos de trabalho organizado e
       sistematizado
Estratégias a desenvolver


      • Aceitar e incentivar a expressão de ideias e de
        dúvidas


      • Incentivar os alunos para a colaboração, a
        discussão, a realização de trabalhos de grupo


      • Encorajar os alunos para a utilização de fontes
        diversificadas de informação
Estratégias a desenvolver


      • Estimular a confiança dos alunos



      • Orientar os alunos


      • Encorajar os alunos para a auto-análise, a
        reflexão e a procura dos outros para a resolução
        dos seus próprios problemas
Ensino Experimental
Tipos de actividades
“…. se é fundamental investirmos muito mais na
    componente prática do ensino, também é muito
importante questionarmo-nos sobre o modo com deverão
        ser conduzidas as actividades práticas.”



                                               A que
                Em que
                                           metodologias
             ambientes de       Como
    Que                                          e
             aprendizagem    deverão ser
estratégias?                               instrumentos
                deverão     conduzidas ?
                                              deverão
               decorrer?
                                              ocorrer?
Tipos de actividades




    Trabalho Prático     Trabalho
                       Laboratorial




       Trabalho        Trabalho de
     Experimental        Campo
Trabalho prático



Toda e qualquer actividade em que a aluna ou o aluno
se envolve activamente nos seus diversos domínios:
cognitivo, afectivo e psicomotor.



(Hodson, 1988; citado por Dourado, 2001)
Trabalho laboratorial


Conjunto de actividades que decorrem no laboratório
ou numa sala de aula, em que, estão criadas as
condições de segurança para que os alunos
manipulem material laboratorial.



(Valadares, 2005)
Trabalho de campo



Conjunto de actividades realizadas ao ar livre.



(Leite, 2001)
Trabalho experimental



Aplica-se às actividades que envolvem controlo e
manipulação de variáveis.



(Leite, 2001)
Tipos de actividades

Relação entre os três tipos de actividades


                    TP
                    (1)


                    TP
                    TL     TP-TE
                    TE     (3)
         TP-TL
                    (4)
         (2)
Tipos de actividades



  Zona 1    • Trabalho prático


            • Trabalho prático – laboratorial
  Zona 2
              que não é do tipo experimental

            • Trabalho prático experimental
  Zona 3
              que não é do tipo laboratorial

            • Trabalho prático – laboratorial
  Zona 4
              – experimental
Trabalho experimental e laboratorial
Investigação




Definição


• Todas as tarefas, procedimentos e metodologias
  que têm como intenção dar resposta a uma
  questão problema
Investigação


Tipos de compreensão



     conceptual


                       Competências
                         cognitivas


     processual
Investigação


Passos fundamentais


   Clarificação da questão – problema:

  • O que é que queremos saber?


   Planificação da questão – problema:

  • Como é que vamos fazer para encontrar
    uma resposta?
Investigação


Clarificar em relação à questão problema



 O que vamos mudar:        O que vamos medir:

• Variável independente   • Variável dependente
  do estudo                 escolhida
Investigação


Clarificar em relação à questão problema


                            O que pensamos que
  O que vamos manter:          vai acontecer e
                                   porquê:
 • Variáveis              • Elaboração de
   independentes a          previsões e sua
   manter controladas       justificação
Investigação




   Execução da experiência:


  • O que vamos fazer, que cuidados devemos
    ter?


   Registo de dados e obtenção de resultados:


  • Como organizar os dados obtidos na
    experiência e o que é que eles querem
    dizer?
Investigação



   Conclusão:

  • Qual é a resposta à questão problema e
    quais são os limites da sua validade?


   Elaboração de novas questões:

  • A partir das conclusões obtidas, que novas
    questões sou capaz de colocar?
  • Comunicação dos resultados e da
    conclusão
Ensino das ciências

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Agua
AguaAgua
Brochuras – Porquê
Brochuras – PorquêBrochuras – Porquê
Brochuras – Porquê
Cinda Simoes
 
Agua actividades
Agua actividadesAgua actividades
Agua actividades
Joana_Vilela
 
Ficheiro _experiências
Ficheiro _experiênciasFicheiro _experiências
Ficheiro _experiências
Joana_Vilela
 
Planificacao setembro
Planificacao setembroPlanificacao setembro
Planificacao setembro
SalaAmarela Enxara Do Bispo
 
Experiencias com a água
Experiencias com a águaExperiencias com a água
Experiencias com a água
Fatima Duarte
 
Experiência com água - Dissolve (registo)
Experiência com água - Dissolve (registo)Experiência com água - Dissolve (registo)
Experiência com água - Dissolve (registo)
Andreia Silva
 
Registo atividade experimental flutua
Registo atividade experimental flutuaRegisto atividade experimental flutua
Registo atividade experimental flutua
Albertina Pereira
 
Registo de observação
Registo de observaçãoRegisto de observação
Registo de observação
escjosebotelho
 
Fichas atividades
Fichas atividadesFichas atividades
Fichas atividades
Mgj645
 
Experiencias 1ano
Experiencias 1anoExperiencias 1ano
Experiencias 1ano
Lia Moura
 
Manual de atividades práticas
Manual de atividades práticasManual de atividades práticas
Manual de atividades práticas
Jéssica Rodrigues'
 
Ciências experimentais no 1º ciclo 2012 2013
Ciências experimentais no 1º ciclo 2012 2013Ciências experimentais no 1º ciclo 2012 2013
Ciências experimentais no 1º ciclo 2012 2013
Maria José Ramalho
 
Avaliação de Ciência Helena Andrade
Avaliação de Ciência Helena AndradeAvaliação de Ciência Helena Andrade
Avaliação de Ciência Helena Andrade
Angela Maria
 
Avaliação de ciências 4ºbim 2º ano
Avaliação de ciências 4ºbim 2º anoAvaliação de ciências 4ºbim 2º ano
Avaliação de ciências 4ºbim 2º ano
Dayenne Sousa Alencar
 
Avaliação de ciências
Avaliação de ciênciasAvaliação de ciências
Avaliação de ciências
lyzandra de camargo
 
110 atividades de ciências 1ª e 2ª séries
110 atividades de ciências   1ª e 2ª séries110 atividades de ciências   1ª e 2ª séries
110 atividades de ciências 1ª e 2ª séries
silvanapinto2013
 

Destaque (17)

Agua
AguaAgua
Agua
 
Brochuras – Porquê
Brochuras – PorquêBrochuras – Porquê
Brochuras – Porquê
 
Agua actividades
Agua actividadesAgua actividades
Agua actividades
 
Ficheiro _experiências
Ficheiro _experiênciasFicheiro _experiências
Ficheiro _experiências
 
Planificacao setembro
Planificacao setembroPlanificacao setembro
Planificacao setembro
 
Experiencias com a água
Experiencias com a águaExperiencias com a água
Experiencias com a água
 
Experiência com água - Dissolve (registo)
Experiência com água - Dissolve (registo)Experiência com água - Dissolve (registo)
Experiência com água - Dissolve (registo)
 
Registo atividade experimental flutua
Registo atividade experimental flutuaRegisto atividade experimental flutua
Registo atividade experimental flutua
 
Registo de observação
Registo de observaçãoRegisto de observação
Registo de observação
 
Fichas atividades
Fichas atividadesFichas atividades
Fichas atividades
 
Experiencias 1ano
Experiencias 1anoExperiencias 1ano
Experiencias 1ano
 
Manual de atividades práticas
Manual de atividades práticasManual de atividades práticas
Manual de atividades práticas
 
Ciências experimentais no 1º ciclo 2012 2013
Ciências experimentais no 1º ciclo 2012 2013Ciências experimentais no 1º ciclo 2012 2013
Ciências experimentais no 1º ciclo 2012 2013
 
Avaliação de Ciência Helena Andrade
Avaliação de Ciência Helena AndradeAvaliação de Ciência Helena Andrade
Avaliação de Ciência Helena Andrade
 
Avaliação de ciências 4ºbim 2º ano
Avaliação de ciências 4ºbim 2º anoAvaliação de ciências 4ºbim 2º ano
Avaliação de ciências 4ºbim 2º ano
 
Avaliação de ciências
Avaliação de ciênciasAvaliação de ciências
Avaliação de ciências
 
110 atividades de ciências 1ª e 2ª séries
110 atividades de ciências   1ª e 2ª séries110 atividades de ciências   1ª e 2ª séries
110 atividades de ciências 1ª e 2ª séries
 

Semelhante a Ensino das ciências

PLANO DE AULA.pptx
PLANO DE AULA.pptxPLANO DE AULA.pptx
PLANO DE AULA.pptx
CezarGonalves4
 
PLANO DE AULA.pptx
PLANO DE AULA.pptxPLANO DE AULA.pptx
PLANO DE AULA.pptx
MarcosqAntonio
 
PLANO DE AULA.pptx
PLANO DE AULA.pptxPLANO DE AULA.pptx
PLANO DE AULA.pptx
Cláudio Rennó
 
U4
U4U4
Didatica i u4
Didatica i u4Didatica i u4
Didatica i u4
Cida Cerqueira
 
Formacao De Competencias em Ambiente Virtual
Formacao De Competencias em  Ambiente VirtualFormacao De Competencias em  Ambiente Virtual
Formacao De Competencias em Ambiente Virtual
Teobaldo Rivas
 
Para prova 2
Para prova 2Para prova 2
APRESENTAÇÃO DO PAPER SEMINARIO INTERDISCIPLINAR.pptx
APRESENTAÇÃO DO PAPER SEMINARIO INTERDISCIPLINAR.pptxAPRESENTAÇÃO DO PAPER SEMINARIO INTERDISCIPLINAR.pptx
APRESENTAÇÃO DO PAPER SEMINARIO INTERDISCIPLINAR.pptx
GermirDias1
 
Orientar a atenção dos alunos através de um modelo de movimento ocular pode e...
Orientar a atenção dos alunos através de um modelo de movimento ocular pode e...Orientar a atenção dos alunos através de um modelo de movimento ocular pode e...
Orientar a atenção dos alunos através de um modelo de movimento ocular pode e...
Paulo Correia
 
Apresentação ensino experimental
Apresentação ensino experimentalApresentação ensino experimental
Apresentação ensino experimental
João Sousa
 
Apresentação metacognição proposta 2
Apresentação metacognição   proposta 2Apresentação metacognição   proposta 2
Apresentação metacognição proposta 2
ramalhorolim
 
Desenhos de Investigação
Desenhos de InvestigaçãoDesenhos de Investigação
Desenhos de Investigação
soniatsilva
 
Pesquisa + AçãO = Desenvolvimento Profissional
Pesquisa + AçãO = Desenvolvimento ProfissionalPesquisa + AçãO = Desenvolvimento Profissional
Pesquisa + AçãO = Desenvolvimento Profissional
Eliane Oliveira
 
O conhecimento Científico.pptx
O conhecimento Científico.pptxO conhecimento Científico.pptx
O conhecimento Científico.pptx
TixaAlmeida
 
Apresentação p as Campo Bom
Apresentação p as Campo BomApresentação p as Campo Bom
Apresentação p as Campo Bom
Nadie Christina Machado-Spence
 
Plano de aula
Plano de aulaPlano de aula
Plano de aula
thayselm
 
Apresentação metacognição
Apresentação metacognição Apresentação metacognição
Apresentação metacognição
Marcia Morena Soave
 
Formação laboratório_julho 2013
Formação laboratório_julho 2013Formação laboratório_julho 2013
Formação laboratório_julho 2013
Ciências Semed
 
Técnicas ensino
Técnicas  ensinoTécnicas  ensino
Técnicas ensino
Quesia Matiello
 
Ensinar e Aprender, Uma questão de foco
Ensinar e Aprender, Uma questão de focoEnsinar e Aprender, Uma questão de foco
Ensinar e Aprender, Uma questão de foco
Francisco Restivo
 

Semelhante a Ensino das ciências (20)

PLANO DE AULA.pptx
PLANO DE AULA.pptxPLANO DE AULA.pptx
PLANO DE AULA.pptx
 
PLANO DE AULA.pptx
PLANO DE AULA.pptxPLANO DE AULA.pptx
PLANO DE AULA.pptx
 
PLANO DE AULA.pptx
PLANO DE AULA.pptxPLANO DE AULA.pptx
PLANO DE AULA.pptx
 
U4
U4U4
U4
 
Didatica i u4
Didatica i u4Didatica i u4
Didatica i u4
 
Formacao De Competencias em Ambiente Virtual
Formacao De Competencias em  Ambiente VirtualFormacao De Competencias em  Ambiente Virtual
Formacao De Competencias em Ambiente Virtual
 
Para prova 2
Para prova 2Para prova 2
Para prova 2
 
APRESENTAÇÃO DO PAPER SEMINARIO INTERDISCIPLINAR.pptx
APRESENTAÇÃO DO PAPER SEMINARIO INTERDISCIPLINAR.pptxAPRESENTAÇÃO DO PAPER SEMINARIO INTERDISCIPLINAR.pptx
APRESENTAÇÃO DO PAPER SEMINARIO INTERDISCIPLINAR.pptx
 
Orientar a atenção dos alunos através de um modelo de movimento ocular pode e...
Orientar a atenção dos alunos através de um modelo de movimento ocular pode e...Orientar a atenção dos alunos através de um modelo de movimento ocular pode e...
Orientar a atenção dos alunos através de um modelo de movimento ocular pode e...
 
Apresentação ensino experimental
Apresentação ensino experimentalApresentação ensino experimental
Apresentação ensino experimental
 
Apresentação metacognição proposta 2
Apresentação metacognição   proposta 2Apresentação metacognição   proposta 2
Apresentação metacognição proposta 2
 
Desenhos de Investigação
Desenhos de InvestigaçãoDesenhos de Investigação
Desenhos de Investigação
 
Pesquisa + AçãO = Desenvolvimento Profissional
Pesquisa + AçãO = Desenvolvimento ProfissionalPesquisa + AçãO = Desenvolvimento Profissional
Pesquisa + AçãO = Desenvolvimento Profissional
 
O conhecimento Científico.pptx
O conhecimento Científico.pptxO conhecimento Científico.pptx
O conhecimento Científico.pptx
 
Apresentação p as Campo Bom
Apresentação p as Campo BomApresentação p as Campo Bom
Apresentação p as Campo Bom
 
Plano de aula
Plano de aulaPlano de aula
Plano de aula
 
Apresentação metacognição
Apresentação metacognição Apresentação metacognição
Apresentação metacognição
 
Formação laboratório_julho 2013
Formação laboratório_julho 2013Formação laboratório_julho 2013
Formação laboratório_julho 2013
 
Técnicas ensino
Técnicas  ensinoTécnicas  ensino
Técnicas ensino
 
Ensinar e Aprender, Uma questão de foco
Ensinar e Aprender, Uma questão de focoEnsinar e Aprender, Uma questão de foco
Ensinar e Aprender, Uma questão de foco
 

Ensino das ciências

  • 1. Ensino das Ciências Ensino experimental em ciências no pré escolar e no 1º ciclo
  • 2. Porquê o ensino das ciências? Deverá o ensino das ciências ter em conta: Que características Porque surge deve ter? a actividade científica? Como se desenvolve
  • 3. Actividade científica Desenvolve-se Explorando Como? Observando Experimentando Reflectindo Comunicando
  • 4. Aluno Ensino e aprendizagem das ciências Ciência Sociedade
  • 5. A importância da educação em ciências • Responder e alimentar a curiosidade dos alunos, fomentando um sentimento de interesse, entusiasmo e admiração pela ciência. (Martins, 2002; Pereira, 2002) • Adquirir hábitos de trabalho organizado e sistematizado
  • 6. Estratégias a desenvolver • Aceitar e incentivar a expressão de ideias e de dúvidas • Incentivar os alunos para a colaboração, a discussão, a realização de trabalhos de grupo • Encorajar os alunos para a utilização de fontes diversificadas de informação
  • 7. Estratégias a desenvolver • Estimular a confiança dos alunos • Orientar os alunos • Encorajar os alunos para a auto-análise, a reflexão e a procura dos outros para a resolução dos seus próprios problemas
  • 10. “…. se é fundamental investirmos muito mais na componente prática do ensino, também é muito importante questionarmo-nos sobre o modo com deverão ser conduzidas as actividades práticas.” A que Em que metodologias ambientes de Como Que e aprendizagem deverão ser estratégias? instrumentos deverão conduzidas ? deverão decorrer? ocorrer?
  • 11. Tipos de actividades Trabalho Prático Trabalho Laboratorial Trabalho Trabalho de Experimental Campo
  • 12. Trabalho prático Toda e qualquer actividade em que a aluna ou o aluno se envolve activamente nos seus diversos domínios: cognitivo, afectivo e psicomotor. (Hodson, 1988; citado por Dourado, 2001)
  • 13. Trabalho laboratorial Conjunto de actividades que decorrem no laboratório ou numa sala de aula, em que, estão criadas as condições de segurança para que os alunos manipulem material laboratorial. (Valadares, 2005)
  • 14. Trabalho de campo Conjunto de actividades realizadas ao ar livre. (Leite, 2001)
  • 15. Trabalho experimental Aplica-se às actividades que envolvem controlo e manipulação de variáveis. (Leite, 2001)
  • 16. Tipos de actividades Relação entre os três tipos de actividades TP (1) TP TL TP-TE TE (3) TP-TL (4) (2)
  • 17. Tipos de actividades Zona 1 • Trabalho prático • Trabalho prático – laboratorial Zona 2 que não é do tipo experimental • Trabalho prático experimental Zona 3 que não é do tipo laboratorial • Trabalho prático – laboratorial Zona 4 – experimental
  • 18. Trabalho experimental e laboratorial
  • 19. Investigação Definição • Todas as tarefas, procedimentos e metodologias que têm como intenção dar resposta a uma questão problema
  • 20. Investigação Tipos de compreensão conceptual Competências cognitivas processual
  • 21. Investigação Passos fundamentais Clarificação da questão – problema: • O que é que queremos saber? Planificação da questão – problema: • Como é que vamos fazer para encontrar uma resposta?
  • 22. Investigação Clarificar em relação à questão problema O que vamos mudar: O que vamos medir: • Variável independente • Variável dependente do estudo escolhida
  • 23. Investigação Clarificar em relação à questão problema O que pensamos que O que vamos manter: vai acontecer e porquê: • Variáveis • Elaboração de independentes a previsões e sua manter controladas justificação
  • 24. Investigação Execução da experiência: • O que vamos fazer, que cuidados devemos ter? Registo de dados e obtenção de resultados: • Como organizar os dados obtidos na experiência e o que é que eles querem dizer?
  • 25. Investigação Conclusão: • Qual é a resposta à questão problema e quais são os limites da sua validade? Elaboração de novas questões: • A partir das conclusões obtidas, que novas questões sou capaz de colocar? • Comunicação dos resultados e da conclusão