SlideShare uma empresa Scribd logo
1	
UNIVERSIDADE DE SOROCABA
PRÓ-REITORIA ACADÊMICA
PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO
EM COMUNICAÇÃO E CULTURA
Ensaio sobre O Caçado sabendo Caçar (Edgar Morin)
Ensaio escrito originalmente em 2013 sobre o texto “O Caçado Sabendo Caçar” contido na
obra “O Enigma do Homem” (Zahar Editores, 1979), de Edgar Morin, acerca dos processos
evolutivos do ser humano. Aborda aspectos culturais, sociais e intelectuais.
_________________________
A visão de Morin sobre a evolução humana preenche muitas
lacunas no que diz respeito à maneira com que nós nos adaptamos a este
mundo quando ainda éramos hominídeos. Se o homem é produto do
meio, então conseguimos atingir um estágio onde, apesar dos pesares,
sobrevivemos muito bem. O hominídeo com o polegar opositor e os pés
plantados no chão é o começo da aventura para sua libertação. E, apesar
do fato de que ficar em pé significa deixar vulnerável partes vitais, como
os órgãos sexuais e o pescoço, esta posição permitiu inovações, como a
liberação do sistema vocal.
Estar em pé também significa que a caixa craniana sofre menos
pressão. O corpo se prepara para uma evolução que levará a diversos
caminhos. Entre eles, a aurora do pensamento mágico. Isso não
acontece, porém, antes dos hominídeos começarem a enterrar seus
mortos — com seus objetos de valor –, o que incita que os hominídeos
começam a se preocupar com a morte e, sobretudo, o que vem depois
dela.
Esta multidimensão a qual o ser humano está exposto — genética,
ecologia, expansão da caixa craniana e interação social — é o que
realmente molda o caminho de sua evolução enquanto espécie. E em
2	
meio a todos estes elementos está a práxis, quer dizer, os afazeres e o
cotidiano deste hominídeo. Ainda nesta fase, resume-se a caçar e a se
proteger, pois o ócio que resultará na admiração e conjectura virá com a
agricultura de subsistência. Mas vale lembrar também que o conjunto de
interferências ao qual o hominídeo é submetido pode ajudar a construir
o pensamento religioso.
Um outro instrumento que torna-se crucial para esta
“preparação” do hominídeo em se tornar homo sapiens é o fogo. Com a
dominação deste elemento natural, alguns dos principais hábitos se
modificam. Deixar de ficar em estado de alerta significa um sono mais
profundo, que também habilita a sonhar. Cozinhar a caça é também um
fator de extrema importância, já que permite moldar o sistema
mastigatório e digestivo, fazendo com que sejamos, ainda que de uma
estrutura mais frágil, mais ágil e versátil.
Agora o hominídeo está pronto para atuar na área em que vive e
começar a tirar suas conclusões. Os mais jovens estão aprendendo com
os mais velhos. As fêmeas têm um papel definido de proteção da prole.
Todos estes elementos por onde o hominídeo perambula é o que dá o
início ao sentido de cultura. Como tudo na natureza, algo mais simples
gera algo mais complexo, e não o contrário. Desta forma, a cultura é
transformada em infraestrutura da sociedade uma vez que ela se
retroalimenta e se modifica tornando-se mais complexa.
O learning, atribuído por Morin, é o sistema pelo qual as
sociedades aprendem sobre si próprias e determinando os limites de sua
própria cultura. Este mesmo sistema pode ser utilizado por diferentes
grupos ou tribos para que haja um intercâmbio de culturas e
conhecimento. Assim, elas aprendem diferentes valores e podem
repensar alguns aspectos de suas culturas e adicionar novos elementos.
Sendo a caça o instrumento socializador do homem, a
3	
comunicação surge como um recurso bastante eficaz. E neste momento
em que alertar e apontar é vital, sobretudo quando os hominídeos estão
embrenhados em mata alta, mais uma vez todas as variáveis
proporcionam que comecem a surgir linguagens. Em um primeiro
momento tratava-se de um repertório limitado, quase que somente para
chamar uns aos outros — que Morin batiza de call system –, mas mais
tarde evolui para idiomas mais complexos.
O sistema vocal e os músculos da cabeça passam a ser
movimentados de maneira a criar sons mais complexos. Percebe-se mais
tarde, já com idiomas e sociedades mais estruturadas que o poder do
debate proporcionado pela linguagem é o que vai ramificar elementos
das culturas. Daí podemos concluir por que há ramificações de uma
mesma religião. Com a linguagem, o homem passa a deter mais controle
sobre suas atividades diárias, o que também contribui para a
fundamentação da cultura.
A caça também permite que outro senso se desenvolva: a
solidariedade. Esta noção “socialista” de que todos têm direito a uma
parte igual ajuda a unir os grupos porque todos acabam entendo que há
uma recompensa pelo trabalho desenvolvido independentemente do
grau de participação. Mas não apenas a recompensa: há também a
certeza de que todos estão protegidos contra qualquer ação externa que
possa desequilibrar aquele status quo. Isto implica também em uma
cumplicidade maior com o grupo, tornando-o cada vez mais coeso.
Quando transportamos isso para a solidariedade religiosa, percebemos o
mesmo padrão: a recompensa, o status quo, o grupo coeso. Percebe-se,
portanto, que por este viés o altruísmo é utópico, principalmente pela
“fraternidade viril” que Morin descreve.
Esta camaradagem que está arraigada no relacionamento
masculino por conta do histórico de “aventuras” e divisão da caça acaba
4	
por criar um machismo exatamente também pelo homem ter o papel de
provedor enquanto a mulher se ocupa com atividades ditas de “menor
importância”. O interessante é que as instituições religiosas sequestram
este mesmo modelo social e colocam a figura feminina como inferior
enquanto o homem é o senhor de tudo, prostrando-se somente diante da
figura de seu deus.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 01 introdução a anatomia - posição, planos, cortes e divisões do corpo...
Aula 01   introdução a anatomia - posição, planos, cortes e divisões do corpo...Aula 01   introdução a anatomia - posição, planos, cortes e divisões do corpo...
Aula 01 introdução a anatomia - posição, planos, cortes e divisões do corpo...
Hamilton Nobrega
 
Aula 03 - Funções psíquicas
Aula 03 - Funções psíquicasAula 03 - Funções psíquicas
Aula 03 - Funções psíquicas
Lampsi
 
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
Alinebrauna Brauna
 
Anatomia humana
Anatomia humanaAnatomia humana
Anatomia humana
Stephany Strombeck
 
Gravidez parto e nascimento
Gravidez parto e nascimentoGravidez parto e nascimento
Gravidez parto e nascimento
Letícia Spina Tapia
 
Modelo bioecológico do desenvolvimento de Bronfenbrenner
Modelo bioecológico do desenvolvimento de BronfenbrennerModelo bioecológico do desenvolvimento de Bronfenbrenner
Modelo bioecológico do desenvolvimento de Bronfenbrenner
Thiago de Almeida
 
Cap 12 estudo da bacia - rezende 11ª ed.
Cap 12   estudo da bacia - rezende 11ª ed.Cap 12   estudo da bacia - rezende 11ª ed.
Cap 12 estudo da bacia - rezende 11ª ed.
Shirley Kellen Ferreira
 
Sistema Genital Feminino
Sistema Genital FemininoSistema Genital Feminino
Sistema Genital Feminino
Marcia Regina
 
Articulações e seus movimentos
Articulações e seus movimentosArticulações e seus movimentos
Articulações e seus movimentos
Jose Roberto Coccki
 
SLIDES SAUDE MENTAL 27-05.pptx
SLIDES SAUDE MENTAL 27-05.pptxSLIDES SAUDE MENTAL 27-05.pptx
SLIDES SAUDE MENTAL 27-05.pptx
JessicaAvelar3
 
Aula 09 sistema digestório - anatomia e fisiologia
Aula 09   sistema digestório - anatomia e fisiologiaAula 09   sistema digestório - anatomia e fisiologia
Aula 09 sistema digestório - anatomia e fisiologia
Hamilton Nobrega
 
Aleitamento Materno
Aleitamento Materno Aleitamento Materno
Aleitamento Materno
blogped1
 
Aula 1 introdução a anatomia humana
Aula 1  introdução a anatomia humanaAula 1  introdução a anatomia humana
Aula 1 introdução a anatomia humana
digaomedina
 
SEXUALIDADE E GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA
SEXUALIDADE E GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIASEXUALIDADE E GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA
SEXUALIDADE E GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA
Jose Camara
 
Aula01 Introducao ao Estudo de Anatomia
Aula01 Introducao ao Estudo de AnatomiaAula01 Introducao ao Estudo de Anatomia
Aula01 Introducao ao Estudo de Anatomia
Leonardo Delgado
 
Olho e Visão
Olho e VisãoOlho e Visão
Olho e Visão
Yan Soares da Silvaa
 
VI.1 Sistema ósseo
VI.1 Sistema ósseoVI.1 Sistema ósseo
VI.1 Sistema ósseo
Rebeca Vale
 
Cartilha GRAVIDEZ na ADOLESCÊNCIA e PRIMEIRA INFÂNCIA
Cartilha GRAVIDEZ na ADOLESCÊNCIA e PRIMEIRA INFÂNCIACartilha GRAVIDEZ na ADOLESCÊNCIA e PRIMEIRA INFÂNCIA
Cartilha GRAVIDEZ na ADOLESCÊNCIA e PRIMEIRA INFÂNCIA
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Puericultura
PuericulturaPuericultura
Puericultura
Rodrigo Abreu
 
04 Sistema Muscular
04   Sistema Muscular04   Sistema Muscular
04 Sistema Muscular
Maxsuell Lopes
 

Mais procurados (20)

Aula 01 introdução a anatomia - posição, planos, cortes e divisões do corpo...
Aula 01   introdução a anatomia - posição, planos, cortes e divisões do corpo...Aula 01   introdução a anatomia - posição, planos, cortes e divisões do corpo...
Aula 01 introdução a anatomia - posição, planos, cortes e divisões do corpo...
 
Aula 03 - Funções psíquicas
Aula 03 - Funções psíquicasAula 03 - Funções psíquicas
Aula 03 - Funções psíquicas
 
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
Slides sexualidade na adolescência (palestra infanto)
 
Anatomia humana
Anatomia humanaAnatomia humana
Anatomia humana
 
Gravidez parto e nascimento
Gravidez parto e nascimentoGravidez parto e nascimento
Gravidez parto e nascimento
 
Modelo bioecológico do desenvolvimento de Bronfenbrenner
Modelo bioecológico do desenvolvimento de BronfenbrennerModelo bioecológico do desenvolvimento de Bronfenbrenner
Modelo bioecológico do desenvolvimento de Bronfenbrenner
 
Cap 12 estudo da bacia - rezende 11ª ed.
Cap 12   estudo da bacia - rezende 11ª ed.Cap 12   estudo da bacia - rezende 11ª ed.
Cap 12 estudo da bacia - rezende 11ª ed.
 
Sistema Genital Feminino
Sistema Genital FemininoSistema Genital Feminino
Sistema Genital Feminino
 
Articulações e seus movimentos
Articulações e seus movimentosArticulações e seus movimentos
Articulações e seus movimentos
 
SLIDES SAUDE MENTAL 27-05.pptx
SLIDES SAUDE MENTAL 27-05.pptxSLIDES SAUDE MENTAL 27-05.pptx
SLIDES SAUDE MENTAL 27-05.pptx
 
Aula 09 sistema digestório - anatomia e fisiologia
Aula 09   sistema digestório - anatomia e fisiologiaAula 09   sistema digestório - anatomia e fisiologia
Aula 09 sistema digestório - anatomia e fisiologia
 
Aleitamento Materno
Aleitamento Materno Aleitamento Materno
Aleitamento Materno
 
Aula 1 introdução a anatomia humana
Aula 1  introdução a anatomia humanaAula 1  introdução a anatomia humana
Aula 1 introdução a anatomia humana
 
SEXUALIDADE E GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA
SEXUALIDADE E GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIASEXUALIDADE E GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA
SEXUALIDADE E GRAVIDEZ NA ADOLESCÊNCIA
 
Aula01 Introducao ao Estudo de Anatomia
Aula01 Introducao ao Estudo de AnatomiaAula01 Introducao ao Estudo de Anatomia
Aula01 Introducao ao Estudo de Anatomia
 
Olho e Visão
Olho e VisãoOlho e Visão
Olho e Visão
 
VI.1 Sistema ósseo
VI.1 Sistema ósseoVI.1 Sistema ósseo
VI.1 Sistema ósseo
 
Cartilha GRAVIDEZ na ADOLESCÊNCIA e PRIMEIRA INFÂNCIA
Cartilha GRAVIDEZ na ADOLESCÊNCIA e PRIMEIRA INFÂNCIACartilha GRAVIDEZ na ADOLESCÊNCIA e PRIMEIRA INFÂNCIA
Cartilha GRAVIDEZ na ADOLESCÊNCIA e PRIMEIRA INFÂNCIA
 
Puericultura
PuericulturaPuericultura
Puericultura
 
04 Sistema Muscular
04   Sistema Muscular04   Sistema Muscular
04 Sistema Muscular
 

Destaque

Genealogia da internet (parte 3 - convergência e web 1.0 )
Genealogia da internet (parte 3 - convergência e web 1.0 )Genealogia da internet (parte 3 - convergência e web 1.0 )
Genealogia da internet (parte 3 - convergência e web 1.0 )
fabiomalini
 
Ensaio: os rótulos e as ‘verdades’ absolutas
Ensaio: os rótulos e as ‘verdades’ absolutasEnsaio: os rótulos e as ‘verdades’ absolutas
Ensaio: os rótulos e as ‘verdades’ absolutas
fcmatosbh
 
Genealogia da internet (a cultura p2p)
Genealogia da internet (a cultura p2p)Genealogia da internet (a cultura p2p)
Genealogia da internet (a cultura p2p)
fabiomalini
 
Fórum de Líderes - "Desafios e Tendências do Varejo"
Fórum de Líderes - "Desafios e Tendências do Varejo"Fórum de Líderes - "Desafios e Tendências do Varejo"
Fórum de Líderes - "Desafios e Tendências do Varejo"
beautyfair
 
Genealogia da internet
Genealogia da internetGenealogia da internet
Genealogia da internet
fabiomalini
 
#DataScience e Ação Coletiva. slide #ArenaNetMundial
#DataScience e Ação Coletiva. slide #ArenaNetMundial#DataScience e Ação Coletiva. slide #ArenaNetMundial
#DataScience e Ação Coletiva. slide #ArenaNetMundial
fabiomalini
 
As funções do administrador e a prática docente (ensaio)
As funções do administrador e a prática docente (ensaio)As funções do administrador e a prática docente (ensaio)
As funções do administrador e a prática docente (ensaio)
fcmatosbh
 
Congresso E-Commerce Brasil - Sistema tributário e os desafios para o e-commerce
Congresso E-Commerce Brasil - Sistema tributário e os desafios para o e-commerceCongresso E-Commerce Brasil - Sistema tributário e os desafios para o e-commerce
Congresso E-Commerce Brasil - Sistema tributário e os desafios para o e-commerce
E-Commerce Brasil
 
Analise de Redes Sociais
Analise de Redes SociaisAnalise de Redes Sociais
Analise de Redes Sociais
Wesley Pinheiro
 
Análises Automatizadas de tweets e posts: filtrando textos no twitter e no fa...
Análises Automatizadas de tweets e posts: filtrando textos no twitter e no fa...Análises Automatizadas de tweets e posts: filtrando textos no twitter e no fa...
Análises Automatizadas de tweets e posts: filtrando textos no twitter e no fa...
fabiomalini
 
Crítica e internet
Crítica e internetCrítica e internet
Crítica e internet
fabiomalini
 
Diferença dos protestos nas redes sociais: o #VemPraRua entre 2013 e 2015
Diferença dos protestos nas redes sociais: o #VemPraRua entre 2013 e 2015Diferença dos protestos nas redes sociais: o #VemPraRua entre 2013 e 2015
Diferença dos protestos nas redes sociais: o #VemPraRua entre 2013 e 2015
fabiomalini
 
Os próximos 20 anos do e-commerce no Brasil: regulamentação, inovação, mercad...
Os próximos 20 anos do e-commerce no Brasil: regulamentação, inovação, mercad...Os próximos 20 anos do e-commerce no Brasil: regulamentação, inovação, mercad...
Os próximos 20 anos do e-commerce no Brasil: regulamentação, inovação, mercad...
E-Commerce Brasil
 
Visões preliminares do #VemPraRua
Visões preliminares do #VemPraRua Visões preliminares do #VemPraRua
Visões preliminares do #VemPraRua
fabiomalini
 
Ejemplo de introducción de un ensayo
Ejemplo de introducción de un ensayoEjemplo de introducción de un ensayo
Ejemplo de introducción de un ensayo
Lilia G. Torres Fernández
 
Forum 2016 - Advanced Customer Aquisition – How to generate visitors without ...
Forum 2016 - Advanced Customer Aquisition – How to generate visitors without ...Forum 2016 - Advanced Customer Aquisition – How to generate visitors without ...
Forum 2016 - Advanced Customer Aquisition – How to generate visitors without ...
E-Commerce Brasil
 
Ensaio: Sua tese de doutorado (ou pesquisa) é política?
Ensaio: Sua tese de doutorado (ou pesquisa) é política?Ensaio: Sua tese de doutorado (ou pesquisa) é política?
Ensaio: Sua tese de doutorado (ou pesquisa) é política?
fcmatosbh
 
Mulher e Polítca: reflexões sobre a participação da mulher na política
Mulher e Polítca: reflexões sobre a participação da mulher na políticaMulher e Polítca: reflexões sobre a participação da mulher na política
Mulher e Polítca: reflexões sobre a participação da mulher na política
fcmatosbh
 
Refinamento de campanhas com publicacoes de midias sociais
Refinamento de campanhas com publicacoes de midias sociaisRefinamento de campanhas com publicacoes de midias sociais
Refinamento de campanhas com publicacoes de midias sociais
Instituto Brasileiro de Pesquisa e Análise de Dados
 
Influenciadores
InfluenciadoresInfluenciadores

Destaque (20)

Genealogia da internet (parte 3 - convergência e web 1.0 )
Genealogia da internet (parte 3 - convergência e web 1.0 )Genealogia da internet (parte 3 - convergência e web 1.0 )
Genealogia da internet (parte 3 - convergência e web 1.0 )
 
Ensaio: os rótulos e as ‘verdades’ absolutas
Ensaio: os rótulos e as ‘verdades’ absolutasEnsaio: os rótulos e as ‘verdades’ absolutas
Ensaio: os rótulos e as ‘verdades’ absolutas
 
Genealogia da internet (a cultura p2p)
Genealogia da internet (a cultura p2p)Genealogia da internet (a cultura p2p)
Genealogia da internet (a cultura p2p)
 
Fórum de Líderes - "Desafios e Tendências do Varejo"
Fórum de Líderes - "Desafios e Tendências do Varejo"Fórum de Líderes - "Desafios e Tendências do Varejo"
Fórum de Líderes - "Desafios e Tendências do Varejo"
 
Genealogia da internet
Genealogia da internetGenealogia da internet
Genealogia da internet
 
#DataScience e Ação Coletiva. slide #ArenaNetMundial
#DataScience e Ação Coletiva. slide #ArenaNetMundial#DataScience e Ação Coletiva. slide #ArenaNetMundial
#DataScience e Ação Coletiva. slide #ArenaNetMundial
 
As funções do administrador e a prática docente (ensaio)
As funções do administrador e a prática docente (ensaio)As funções do administrador e a prática docente (ensaio)
As funções do administrador e a prática docente (ensaio)
 
Congresso E-Commerce Brasil - Sistema tributário e os desafios para o e-commerce
Congresso E-Commerce Brasil - Sistema tributário e os desafios para o e-commerceCongresso E-Commerce Brasil - Sistema tributário e os desafios para o e-commerce
Congresso E-Commerce Brasil - Sistema tributário e os desafios para o e-commerce
 
Analise de Redes Sociais
Analise de Redes SociaisAnalise de Redes Sociais
Analise de Redes Sociais
 
Análises Automatizadas de tweets e posts: filtrando textos no twitter e no fa...
Análises Automatizadas de tweets e posts: filtrando textos no twitter e no fa...Análises Automatizadas de tweets e posts: filtrando textos no twitter e no fa...
Análises Automatizadas de tweets e posts: filtrando textos no twitter e no fa...
 
Crítica e internet
Crítica e internetCrítica e internet
Crítica e internet
 
Diferença dos protestos nas redes sociais: o #VemPraRua entre 2013 e 2015
Diferença dos protestos nas redes sociais: o #VemPraRua entre 2013 e 2015Diferença dos protestos nas redes sociais: o #VemPraRua entre 2013 e 2015
Diferença dos protestos nas redes sociais: o #VemPraRua entre 2013 e 2015
 
Os próximos 20 anos do e-commerce no Brasil: regulamentação, inovação, mercad...
Os próximos 20 anos do e-commerce no Brasil: regulamentação, inovação, mercad...Os próximos 20 anos do e-commerce no Brasil: regulamentação, inovação, mercad...
Os próximos 20 anos do e-commerce no Brasil: regulamentação, inovação, mercad...
 
Visões preliminares do #VemPraRua
Visões preliminares do #VemPraRua Visões preliminares do #VemPraRua
Visões preliminares do #VemPraRua
 
Ejemplo de introducción de un ensayo
Ejemplo de introducción de un ensayoEjemplo de introducción de un ensayo
Ejemplo de introducción de un ensayo
 
Forum 2016 - Advanced Customer Aquisition – How to generate visitors without ...
Forum 2016 - Advanced Customer Aquisition – How to generate visitors without ...Forum 2016 - Advanced Customer Aquisition – How to generate visitors without ...
Forum 2016 - Advanced Customer Aquisition – How to generate visitors without ...
 
Ensaio: Sua tese de doutorado (ou pesquisa) é política?
Ensaio: Sua tese de doutorado (ou pesquisa) é política?Ensaio: Sua tese de doutorado (ou pesquisa) é política?
Ensaio: Sua tese de doutorado (ou pesquisa) é política?
 
Mulher e Polítca: reflexões sobre a participação da mulher na política
Mulher e Polítca: reflexões sobre a participação da mulher na políticaMulher e Polítca: reflexões sobre a participação da mulher na política
Mulher e Polítca: reflexões sobre a participação da mulher na política
 
Refinamento de campanhas com publicacoes de midias sociais
Refinamento de campanhas com publicacoes de midias sociaisRefinamento de campanhas com publicacoes de midias sociais
Refinamento de campanhas com publicacoes de midias sociais
 
Influenciadores
InfluenciadoresInfluenciadores
Influenciadores
 

Semelhante a Ensaio sobre O Caçado sabendo Caçar (Edgar Morin)

Cultura e sociedade
Cultura e sociedadeCultura e sociedade
Cultura e sociedade
Flávio Paz II
 
Cultura e sociedade
Cultura e sociedadeCultura e sociedade
Cultura
CulturaCultura
85827999-Homem-e-Sociedade-Unidade-I-Slides.pdf
85827999-Homem-e-Sociedade-Unidade-I-Slides.pdf85827999-Homem-e-Sociedade-Unidade-I-Slides.pdf
85827999-Homem-e-Sociedade-Unidade-I-Slides.pdf
FabioAbagabir1
 
Ensaio - Vilém Flusser
Ensaio - Vilém FlusserEnsaio - Vilém Flusser
Ensaio - Vilém Flusser
Luiz Guilherme Leite Amaral
 
Ensinar a condição Humana - Edgar morin
Ensinar a condição Humana - Edgar morinEnsinar a condição Humana - Edgar morin
Ensinar a condição Humana - Edgar morin
Ândrea Carla
 
Amar e brincar - fundamentos esquecidos do humano - Humberto Maturana e Gerda...
Amar e brincar - fundamentos esquecidos do humano - Humberto Maturana e Gerda...Amar e brincar - fundamentos esquecidos do humano - Humberto Maturana e Gerda...
Amar e brincar - fundamentos esquecidos do humano - Humberto Maturana e Gerda...
Ateliê Giramundo
 
A evolução biológica e a cultura humana
A evolução biológica e a cultura humanaA evolução biológica e a cultura humana
A evolução biológica e a cultura humana
Iona Quintanilha
 
Ensinar a condição humana
Ensinar a condição humanaEnsinar a condição humana
Ensinar a condição humana
Wanderson Silva
 
Paleontopologia
PaleontopologiaPaleontopologia
Fichamento do livro_convite_a_filosofia
Fichamento do livro_convite_a_filosofiaFichamento do livro_convite_a_filosofia
Fichamento do livro_convite_a_filosofia
Márcia Quirino
 
O que é antropologia
O que é antropologiaO que é antropologia
O que é antropologia
Aldenei Barros
 
Antropologia cultura
Antropologia   culturaAntropologia   cultura
Antropologia cultura
Salomao Lucio Dos Santos
 
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptx
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptxO Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptx
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptx
BrincandocomAlicia
 
3ed jbu
3ed jbu3ed jbu
A condição humana
A condição humanaA condição humana
A condição humana
Canício Scherer
 
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptO Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
MARCELACARNEIROGOMES
 
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptO Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
Fábio Caires Correia
 
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptO Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
Israel615975
 
Comunicação, cultura e valores
Comunicação, cultura e valoresComunicação, cultura e valores
Comunicação, cultura e valores
graziela33
 

Semelhante a Ensaio sobre O Caçado sabendo Caçar (Edgar Morin) (20)

Cultura e sociedade
Cultura e sociedadeCultura e sociedade
Cultura e sociedade
 
Cultura e sociedade
Cultura e sociedadeCultura e sociedade
Cultura e sociedade
 
Cultura
CulturaCultura
Cultura
 
85827999-Homem-e-Sociedade-Unidade-I-Slides.pdf
85827999-Homem-e-Sociedade-Unidade-I-Slides.pdf85827999-Homem-e-Sociedade-Unidade-I-Slides.pdf
85827999-Homem-e-Sociedade-Unidade-I-Slides.pdf
 
Ensaio - Vilém Flusser
Ensaio - Vilém FlusserEnsaio - Vilém Flusser
Ensaio - Vilém Flusser
 
Ensinar a condição Humana - Edgar morin
Ensinar a condição Humana - Edgar morinEnsinar a condição Humana - Edgar morin
Ensinar a condição Humana - Edgar morin
 
Amar e brincar - fundamentos esquecidos do humano - Humberto Maturana e Gerda...
Amar e brincar - fundamentos esquecidos do humano - Humberto Maturana e Gerda...Amar e brincar - fundamentos esquecidos do humano - Humberto Maturana e Gerda...
Amar e brincar - fundamentos esquecidos do humano - Humberto Maturana e Gerda...
 
A evolução biológica e a cultura humana
A evolução biológica e a cultura humanaA evolução biológica e a cultura humana
A evolução biológica e a cultura humana
 
Ensinar a condição humana
Ensinar a condição humanaEnsinar a condição humana
Ensinar a condição humana
 
Paleontopologia
PaleontopologiaPaleontopologia
Paleontopologia
 
Fichamento do livro_convite_a_filosofia
Fichamento do livro_convite_a_filosofiaFichamento do livro_convite_a_filosofia
Fichamento do livro_convite_a_filosofia
 
O que é antropologia
O que é antropologiaO que é antropologia
O que é antropologia
 
Antropologia cultura
Antropologia   culturaAntropologia   cultura
Antropologia cultura
 
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptx
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptxO Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptx
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptx
 
3ed jbu
3ed jbu3ed jbu
3ed jbu
 
A condição humana
A condição humanaA condição humana
A condição humana
 
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptO Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
 
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptO Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
 
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.pptO Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
O Ser Humano e sua Dimensão Cultural.ppt
 
Comunicação, cultura e valores
Comunicação, cultura e valoresComunicação, cultura e valores
Comunicação, cultura e valores
 

Mais de Luiz Guilherme Leite Amaral

Escritos Mestrandos
Escritos MestrandosEscritos Mestrandos
Escritos Mestrandos
Luiz Guilherme Leite Amaral
 
Man's Search for Meaning (Book Report)
Man's Search for Meaning (Book Report)Man's Search for Meaning (Book Report)
Man's Search for Meaning (Book Report)
Luiz Guilherme Leite Amaral
 
Lattes Luiz Guilherme Leite Amaral
Lattes Luiz Guilherme Leite AmaralLattes Luiz Guilherme Leite Amaral
Lattes Luiz Guilherme Leite Amaral
Luiz Guilherme Leite Amaral
 
NAMI - Grupo de Pesquisa em Narrativas Midiáticas
NAMI - Grupo de Pesquisa em Narrativas MidiáticasNAMI - Grupo de Pesquisa em Narrativas Midiáticas
NAMI - Grupo de Pesquisa em Narrativas Midiáticas
Luiz Guilherme Leite Amaral
 
EBOOK CHILE - TERRITORIO(S), GÉNERO, TRABAJO y POLÍTICAS PÚBLICAS EN AMÉRICA...
EBOOK CHILE - TERRITORIO(S), GÉNERO, TRABAJO y  POLÍTICAS PÚBLICAS EN AMÉRICA...EBOOK CHILE - TERRITORIO(S), GÉNERO, TRABAJO y  POLÍTICAS PÚBLICAS EN AMÉRICA...
EBOOK CHILE - TERRITORIO(S), GÉNERO, TRABAJO y POLÍTICAS PÚBLICAS EN AMÉRICA...
Luiz Guilherme Leite Amaral
 
Azul da vaidade: o selo de verificação do Twitter
Azul da vaidade: o selo de verificação do TwitterAzul da vaidade: o selo de verificação do Twitter
Azul da vaidade: o selo de verificação do Twitter
Luiz Guilherme Leite Amaral
 
Ensaio sobre O mito e o Mundo Moderno (Joseph Campbell)
Ensaio sobre O mito e o Mundo Moderno (Joseph Campbell)Ensaio sobre O mito e o Mundo Moderno (Joseph Campbell)
Ensaio sobre O mito e o Mundo Moderno (Joseph Campbell)
Luiz Guilherme Leite Amaral
 
Ensaio sobre A Fundação e os Fundamentos das novas Cidades (Marshall Berman)
Ensaio sobre A Fundação e os Fundamentos das novas Cidades (Marshall Berman)Ensaio sobre A Fundação e os Fundamentos das novas Cidades (Marshall Berman)
Ensaio sobre A Fundação e os Fundamentos das novas Cidades (Marshall Berman)
Luiz Guilherme Leite Amaral
 
Fichamento - Ecologia da Comunicação - Vicente Romano
Fichamento - Ecologia da Comunicação - Vicente RomanoFichamento - Ecologia da Comunicação - Vicente Romano
Fichamento - Ecologia da Comunicação - Vicente Romano
Luiz Guilherme Leite Amaral
 
A Igreja Segundo o Dispositivo de Foucault
A Igreja Segundo o Dispositivo de FoucaultA Igreja Segundo o Dispositivo de Foucault
A Igreja Segundo o Dispositivo de Foucault
Luiz Guilherme Leite Amaral
 
Blue screen of death: A experiência comunicacional da Tela Azul do Windows
Blue screen of death: A experiência comunicacional da Tela Azul do WindowsBlue screen of death: A experiência comunicacional da Tela Azul do Windows
Blue screen of death: A experiência comunicacional da Tela Azul do Windows
Luiz Guilherme Leite Amaral
 
Interference of Religious Beliefs
Interference of Religious BeliefsInterference of Religious Beliefs
Interference of Religious Beliefs
Luiz Guilherme Leite Amaral
 
Religion as an Amalgam of Societies
Religion as an Amalgam of SocietiesReligion as an Amalgam of Societies
Religion as an Amalgam of Societies
Luiz Guilherme Leite Amaral
 
Descartes Bloom Dualism
Descartes Bloom DualismDescartes Bloom Dualism
Descartes Bloom Dualism
Luiz Guilherme Leite Amaral
 
Darwinism Today
Darwinism TodayDarwinism Today
Core Beliefs
Core BeliefsCore Beliefs
Fichamento - Roberta Brandalise
Fichamento - Roberta BrandaliseFichamento - Roberta Brandalise
Fichamento - Roberta Brandalise
Luiz Guilherme Leite Amaral
 
Fichamento - Lucien Sfez - A comunicação
Fichamento - Lucien Sfez - A comunicaçãoFichamento - Lucien Sfez - A comunicação
Fichamento - Lucien Sfez - A comunicação
Luiz Guilherme Leite Amaral
 
Fichamento: BECKER, Howard S. Métodos de Pesquisa em Ciências Sociais
Fichamento: BECKER, Howard S. Métodos de Pesquisa em Ciências SociaisFichamento: BECKER, Howard S. Métodos de Pesquisa em Ciências Sociais
Fichamento: BECKER, Howard S. Métodos de Pesquisa em Ciências Sociais
Luiz Guilherme Leite Amaral
 
Fichamento - Carla Ladeira Pimentel Águas
Fichamento - Carla Ladeira Pimentel ÁguasFichamento - Carla Ladeira Pimentel Águas
Fichamento - Carla Ladeira Pimentel Águas
Luiz Guilherme Leite Amaral
 

Mais de Luiz Guilherme Leite Amaral (20)

Escritos Mestrandos
Escritos MestrandosEscritos Mestrandos
Escritos Mestrandos
 
Man's Search for Meaning (Book Report)
Man's Search for Meaning (Book Report)Man's Search for Meaning (Book Report)
Man's Search for Meaning (Book Report)
 
Lattes Luiz Guilherme Leite Amaral
Lattes Luiz Guilherme Leite AmaralLattes Luiz Guilherme Leite Amaral
Lattes Luiz Guilherme Leite Amaral
 
NAMI - Grupo de Pesquisa em Narrativas Midiáticas
NAMI - Grupo de Pesquisa em Narrativas MidiáticasNAMI - Grupo de Pesquisa em Narrativas Midiáticas
NAMI - Grupo de Pesquisa em Narrativas Midiáticas
 
EBOOK CHILE - TERRITORIO(S), GÉNERO, TRABAJO y POLÍTICAS PÚBLICAS EN AMÉRICA...
EBOOK CHILE - TERRITORIO(S), GÉNERO, TRABAJO y  POLÍTICAS PÚBLICAS EN AMÉRICA...EBOOK CHILE - TERRITORIO(S), GÉNERO, TRABAJO y  POLÍTICAS PÚBLICAS EN AMÉRICA...
EBOOK CHILE - TERRITORIO(S), GÉNERO, TRABAJO y POLÍTICAS PÚBLICAS EN AMÉRICA...
 
Azul da vaidade: o selo de verificação do Twitter
Azul da vaidade: o selo de verificação do TwitterAzul da vaidade: o selo de verificação do Twitter
Azul da vaidade: o selo de verificação do Twitter
 
Ensaio sobre O mito e o Mundo Moderno (Joseph Campbell)
Ensaio sobre O mito e o Mundo Moderno (Joseph Campbell)Ensaio sobre O mito e o Mundo Moderno (Joseph Campbell)
Ensaio sobre O mito e o Mundo Moderno (Joseph Campbell)
 
Ensaio sobre A Fundação e os Fundamentos das novas Cidades (Marshall Berman)
Ensaio sobre A Fundação e os Fundamentos das novas Cidades (Marshall Berman)Ensaio sobre A Fundação e os Fundamentos das novas Cidades (Marshall Berman)
Ensaio sobre A Fundação e os Fundamentos das novas Cidades (Marshall Berman)
 
Fichamento - Ecologia da Comunicação - Vicente Romano
Fichamento - Ecologia da Comunicação - Vicente RomanoFichamento - Ecologia da Comunicação - Vicente Romano
Fichamento - Ecologia da Comunicação - Vicente Romano
 
A Igreja Segundo o Dispositivo de Foucault
A Igreja Segundo o Dispositivo de FoucaultA Igreja Segundo o Dispositivo de Foucault
A Igreja Segundo o Dispositivo de Foucault
 
Blue screen of death: A experiência comunicacional da Tela Azul do Windows
Blue screen of death: A experiência comunicacional da Tela Azul do WindowsBlue screen of death: A experiência comunicacional da Tela Azul do Windows
Blue screen of death: A experiência comunicacional da Tela Azul do Windows
 
Interference of Religious Beliefs
Interference of Religious BeliefsInterference of Religious Beliefs
Interference of Religious Beliefs
 
Religion as an Amalgam of Societies
Religion as an Amalgam of SocietiesReligion as an Amalgam of Societies
Religion as an Amalgam of Societies
 
Descartes Bloom Dualism
Descartes Bloom DualismDescartes Bloom Dualism
Descartes Bloom Dualism
 
Darwinism Today
Darwinism TodayDarwinism Today
Darwinism Today
 
Core Beliefs
Core BeliefsCore Beliefs
Core Beliefs
 
Fichamento - Roberta Brandalise
Fichamento - Roberta BrandaliseFichamento - Roberta Brandalise
Fichamento - Roberta Brandalise
 
Fichamento - Lucien Sfez - A comunicação
Fichamento - Lucien Sfez - A comunicaçãoFichamento - Lucien Sfez - A comunicação
Fichamento - Lucien Sfez - A comunicação
 
Fichamento: BECKER, Howard S. Métodos de Pesquisa em Ciências Sociais
Fichamento: BECKER, Howard S. Métodos de Pesquisa em Ciências SociaisFichamento: BECKER, Howard S. Métodos de Pesquisa em Ciências Sociais
Fichamento: BECKER, Howard S. Métodos de Pesquisa em Ciências Sociais
 
Fichamento - Carla Ladeira Pimentel Águas
Fichamento - Carla Ladeira Pimentel ÁguasFichamento - Carla Ladeira Pimentel Águas
Fichamento - Carla Ladeira Pimentel Águas
 

Último

A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
SheylaAlves6
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
ArapiracaNoticiasFat
 
Correio Aéreo Nacional (CAN) e Aviação de Transporte na FAB.pdf
Correio Aéreo Nacional (CAN) e Aviação de Transporte na FAB.pdfCorreio Aéreo Nacional (CAN) e Aviação de Transporte na FAB.pdf
Correio Aéreo Nacional (CAN) e Aviação de Transporte na FAB.pdf
Falcão Brasil
 
reforma trabalhista - direto e deveresss
reforma trabalhista - direto e deveresssreforma trabalhista - direto e deveresss
reforma trabalhista - direto e deveresss
adequacaocontabil
 
Qualidade do Ar interior nas escolas.pptx
Qualidade do Ar interior nas escolas.pptxQualidade do Ar interior nas escolas.pptx
Qualidade do Ar interior nas escolas.pptx
MariaJooSilva58
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Falcão Brasil
 
Construção Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdf
Construção Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdfConstrução Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdf
Construção Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
ESCOLAS LITERÁRIAS OU ESTILOS DE ÉPOCA- resumo
ESCOLAS LITERÁRIAS OU ESTILOS  DE ÉPOCA- resumoESCOLAS LITERÁRIAS OU ESTILOS  DE ÉPOCA- resumo
ESCOLAS LITERÁRIAS OU ESTILOS DE ÉPOCA- resumo
SolangeWaltre
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
Maria das Graças Machado Rodrigues
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
Desafios Contemporâneos para o Exército Brasileiro (EB).pdf
Desafios Contemporâneos para o Exército Brasileiro (EB).pdfDesafios Contemporâneos para o Exército Brasileiro (EB).pdf
Desafios Contemporâneos para o Exército Brasileiro (EB).pdf
Falcão Brasil
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
 
Correio Aéreo Nacional (CAN) e Aviação de Transporte na FAB.pdf
Correio Aéreo Nacional (CAN) e Aviação de Transporte na FAB.pdfCorreio Aéreo Nacional (CAN) e Aviação de Transporte na FAB.pdf
Correio Aéreo Nacional (CAN) e Aviação de Transporte na FAB.pdf
 
reforma trabalhista - direto e deveresss
reforma trabalhista - direto e deveresssreforma trabalhista - direto e deveresss
reforma trabalhista - direto e deveresss
 
Qualidade do Ar interior nas escolas.pptx
Qualidade do Ar interior nas escolas.pptxQualidade do Ar interior nas escolas.pptx
Qualidade do Ar interior nas escolas.pptx
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
 
Construção Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdf
Construção Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdfConstrução Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdf
Construção Aeronáutica no Brasil. Embraer.pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
ESCOLAS LITERÁRIAS OU ESTILOS DE ÉPOCA- resumo
ESCOLAS LITERÁRIAS OU ESTILOS  DE ÉPOCA- resumoESCOLAS LITERÁRIAS OU ESTILOS  DE ÉPOCA- resumo
ESCOLAS LITERÁRIAS OU ESTILOS DE ÉPOCA- resumo
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
Desafios Contemporâneos para o Exército Brasileiro (EB).pdf
Desafios Contemporâneos para o Exército Brasileiro (EB).pdfDesafios Contemporâneos para o Exército Brasileiro (EB).pdf
Desafios Contemporâneos para o Exército Brasileiro (EB).pdf
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 

Ensaio sobre O Caçado sabendo Caçar (Edgar Morin)

  • 1. 1 UNIVERSIDADE DE SOROCABA PRÓ-REITORIA ACADÊMICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMUNICAÇÃO E CULTURA Ensaio sobre O Caçado sabendo Caçar (Edgar Morin) Ensaio escrito originalmente em 2013 sobre o texto “O Caçado Sabendo Caçar” contido na obra “O Enigma do Homem” (Zahar Editores, 1979), de Edgar Morin, acerca dos processos evolutivos do ser humano. Aborda aspectos culturais, sociais e intelectuais. _________________________ A visão de Morin sobre a evolução humana preenche muitas lacunas no que diz respeito à maneira com que nós nos adaptamos a este mundo quando ainda éramos hominídeos. Se o homem é produto do meio, então conseguimos atingir um estágio onde, apesar dos pesares, sobrevivemos muito bem. O hominídeo com o polegar opositor e os pés plantados no chão é o começo da aventura para sua libertação. E, apesar do fato de que ficar em pé significa deixar vulnerável partes vitais, como os órgãos sexuais e o pescoço, esta posição permitiu inovações, como a liberação do sistema vocal. Estar em pé também significa que a caixa craniana sofre menos pressão. O corpo se prepara para uma evolução que levará a diversos caminhos. Entre eles, a aurora do pensamento mágico. Isso não acontece, porém, antes dos hominídeos começarem a enterrar seus mortos — com seus objetos de valor –, o que incita que os hominídeos começam a se preocupar com a morte e, sobretudo, o que vem depois dela. Esta multidimensão a qual o ser humano está exposto — genética, ecologia, expansão da caixa craniana e interação social — é o que realmente molda o caminho de sua evolução enquanto espécie. E em
  • 2. 2 meio a todos estes elementos está a práxis, quer dizer, os afazeres e o cotidiano deste hominídeo. Ainda nesta fase, resume-se a caçar e a se proteger, pois o ócio que resultará na admiração e conjectura virá com a agricultura de subsistência. Mas vale lembrar também que o conjunto de interferências ao qual o hominídeo é submetido pode ajudar a construir o pensamento religioso. Um outro instrumento que torna-se crucial para esta “preparação” do hominídeo em se tornar homo sapiens é o fogo. Com a dominação deste elemento natural, alguns dos principais hábitos se modificam. Deixar de ficar em estado de alerta significa um sono mais profundo, que também habilita a sonhar. Cozinhar a caça é também um fator de extrema importância, já que permite moldar o sistema mastigatório e digestivo, fazendo com que sejamos, ainda que de uma estrutura mais frágil, mais ágil e versátil. Agora o hominídeo está pronto para atuar na área em que vive e começar a tirar suas conclusões. Os mais jovens estão aprendendo com os mais velhos. As fêmeas têm um papel definido de proteção da prole. Todos estes elementos por onde o hominídeo perambula é o que dá o início ao sentido de cultura. Como tudo na natureza, algo mais simples gera algo mais complexo, e não o contrário. Desta forma, a cultura é transformada em infraestrutura da sociedade uma vez que ela se retroalimenta e se modifica tornando-se mais complexa. O learning, atribuído por Morin, é o sistema pelo qual as sociedades aprendem sobre si próprias e determinando os limites de sua própria cultura. Este mesmo sistema pode ser utilizado por diferentes grupos ou tribos para que haja um intercâmbio de culturas e conhecimento. Assim, elas aprendem diferentes valores e podem repensar alguns aspectos de suas culturas e adicionar novos elementos. Sendo a caça o instrumento socializador do homem, a
  • 3. 3 comunicação surge como um recurso bastante eficaz. E neste momento em que alertar e apontar é vital, sobretudo quando os hominídeos estão embrenhados em mata alta, mais uma vez todas as variáveis proporcionam que comecem a surgir linguagens. Em um primeiro momento tratava-se de um repertório limitado, quase que somente para chamar uns aos outros — que Morin batiza de call system –, mas mais tarde evolui para idiomas mais complexos. O sistema vocal e os músculos da cabeça passam a ser movimentados de maneira a criar sons mais complexos. Percebe-se mais tarde, já com idiomas e sociedades mais estruturadas que o poder do debate proporcionado pela linguagem é o que vai ramificar elementos das culturas. Daí podemos concluir por que há ramificações de uma mesma religião. Com a linguagem, o homem passa a deter mais controle sobre suas atividades diárias, o que também contribui para a fundamentação da cultura. A caça também permite que outro senso se desenvolva: a solidariedade. Esta noção “socialista” de que todos têm direito a uma parte igual ajuda a unir os grupos porque todos acabam entendo que há uma recompensa pelo trabalho desenvolvido independentemente do grau de participação. Mas não apenas a recompensa: há também a certeza de que todos estão protegidos contra qualquer ação externa que possa desequilibrar aquele status quo. Isto implica também em uma cumplicidade maior com o grupo, tornando-o cada vez mais coeso. Quando transportamos isso para a solidariedade religiosa, percebemos o mesmo padrão: a recompensa, o status quo, o grupo coeso. Percebe-se, portanto, que por este viés o altruísmo é utópico, principalmente pela “fraternidade viril” que Morin descreve. Esta camaradagem que está arraigada no relacionamento masculino por conta do histórico de “aventuras” e divisão da caça acaba
  • 4. 4 por criar um machismo exatamente também pelo homem ter o papel de provedor enquanto a mulher se ocupa com atividades ditas de “menor importância”. O interessante é que as instituições religiosas sequestram este mesmo modelo social e colocam a figura feminina como inferior enquanto o homem é o senhor de tudo, prostrando-se somente diante da figura de seu deus.