SlideShare uma empresa Scribd logo
ASSISTÊNCIA TÉCNICA
E EXTENSÃO RURAL
IMPACTO SOBRE O USO
ADEQUADO DE
AGROTÓXICOS NO
BRASIL
•ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO
RURAL – HISTÓRICO, SITUAÇÃO ATUAL E
PERSPECTIVAS
•USO DE AGROTÓXICOS – QUAIS SÃO OS
PROBLEMAS?
•ASSISTÊNCIA TÉCNICA E ORIENTAÇÃO
SOBRE UTILIZAÇÃO DE AGROTÓXICOS
•DESAFIOS
ACAR
Minas Gerais
1948
ABCAR
1956
ABCAR
vinculada ao
Ministério da
Agricultura
1969
EMBRATER
SIBRATER
1974
ATER no
MDA
2003
Extinção da
EMBRATER
1990
Lei Geral
de ATER
2010
1025 escritórios
municipais
Presente em 4056
municípios
Presente 5359
municípios
ANATER
2013
Definição de
ATER:
“Serviço de educação
não formal, de caráter
continuado, no meio rural,
que promove processos de
gestão, produção,
beneficiamento e
comercialização das
atividades e dos serviços
agropecuários e não
agropecuários, inclusive das
atividades agroextrativistas,
florestais e artesanais.”
(Lei nº 12.188/2010)
Extensão Rural Pública:
• Abrange os 27 Estados;
• 5.359 municípios
(96% do País);
• 15,7 mil extensionistas e
mais de 9 mil administrativos;
• 2,3 milhões de beneficiários
(53% dos agricultores
familiares do País);
• 2 milhões de agricultores
familiares não recebem
assistência técnica.
Assistência Técnica e Extensão Rural no Brasil
Sistema Público de
Assistência Técnica e Extensão Rural
• Tipos de Entidades Estaduais:
- exclusivamente de Ater
(“Emateres”);
- fusão com instituição de
pesquisa agropecuária;
- fusão com instituição de
desenvolvimento rural
(ex.: abastecimento, defesa
sanitária e armazenagem).
Situação da Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) no Brasil
• Atendimento de 862.000 agricultores via contrato de prestação de serviços* (2013):
– Serviços já contratados pelo MDA : 459.000
– Serviços em contratação pelo MDA nos próximos 4 meses (vigência de 2 a 3 anos): 343.000
– Ceplac/MAPA: 60.000
• Estrutura atual de ATER
– Entidades de ATER credenciadas no MDA/INCRA: 690
– Entidades estaduais: 27
– Municípios que possuem estrutura própria de ATER: 1.042
• Estimativa de técnicos de ATER envolvidos:
– Técnicos nas EMATERs: 15.745
– Técnicos sistema privado (empresas e ONGs): 7.000
– Técnicos no sistema cooperativista: 7.000
– Sistema S – SENAR SEBRAE
– Outros técnicos**
* Convênios e contratos vigentes - com recurso do Governo Federal
**Empresas de planejamento, de revenda de insumos, tradings e integradoras
2,3 milhões de
agricultores
com algum
contato com
serviços de
Ater
Aumentar o
número de
pequenos e
médios
agricultores
com ATER e
qualificar o
serviço
Atuação da ANATER
Assistência técnica ao produtor rural em todas
as etapas da produção.
Atuação integrada com a Embrapa para a
transferência de tecnologia.
Foco
Promover a
apropriação de
tecnologias pelos
produtores, com
aumentos de
produtividade e
renda
Agricultura familiar – 4.360.000
1.308.000 - sem renda agropecuária
3.052.000 – com renda agropecuária
Médio Produtor Rural – 516.800
Público Prioritário da ANATER
Atribuições da ANATER
Credenciar entidades
públicas e privadas
Contratar e
disponibilizar
serviçosQualificar os
profissionais
Acreditar as entidades
quanto a qualidade do
serviço prestado
Monitorar e avaliar
resultados
Transferir
tecnologia e
inovação
Poder Público Federal e ANATER
ANATER
MPA
MAPA MDA
MMA
Orçamento
Prioridade,
público,
abrangência
Entidades
Públicas
Entidades
Privadas
Sem fins
lucrativos
Cooperativas Empresas
Próximos passos para implantar a ANATER
•Nomeação da Diretoria, do Conselho de
Administração e do Conselho Fiscal
•Contrato de Gestão com o Executivo Federal
•Estatuto
•Regulamentos: licitação, contratos e convênios
•Regulamento de credenciamento e acreditação de
entidades prestadoras de serviços
PERSPECTIVAS PARA ATER NO BRASIL
• Ampliação de beneficiários – inclusão dos médios produtores
• Qualificação dos serviços de ATER – com “acreditação” – avaliação de desempenho
• Investimentos fortes em capacitação de técnicos
• Integração da Extensão Rural com a Pesquisa Agropecuária
• Incorporar tecnologias de informação e comunicação (TICs)
• Coordenação dos diversos prestadores de serviço de ATER
•Ampliação de recursos da União (????)
•ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO
RURAL – HISTÓRICO, SITUAÇÃO ATUAL E
PERSPECTIVAS
•USO DE AGROTÓXICOS – QUAIS SÃO OS
PROBLEMAS?
•ASSISTÊNCIA TÉCNICA E ORIENTAÇÃO
SOBRE UTILIZAÇÃO DE AGROTÓXICOS
•DESAFIOS
Enfisa 2015 - Assistência Técnica e Extensão Rural - impacto sobre o uso adequado de agrotóxicos no Brasil
UTILIZAÇÃO DE AGROTÓXICOS
1.396.069 Estabelecimentos utilizaram agrotóxicos
785.397 (56,3%) - Declararam que não receberam orientação técnica
316.174 (22,6%) - Ocasionalmente receberam orientação técnica
294.498 (21,1%) - Receberam regularmente orientação técnica
296.697 (21,3%) - não utilizaram nenhum tipo de EPI
27%
Do total de
estabelecimentos
Censo Agropecuário 2006 - IBGE
PROGRAMA DE ANÁLISE DE RESÍDUOS DE AGROTÓXICOS EM
ALIMENTOS (PARA)
ANVISA – MINISTÉRIO DA SAÚDE
Iniciado em 2001
Até 2012 foram mais de 20.000 amostras analisadas em 22 alimentos de
origem vegetal
Plano Nacional de Controle de Resíduos e Contaminantes
MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO
Desde 1999 para produtos de origem animal
Em 2013 – 13.770 análises – carnes (bovina, suína, aves, avestruz e
equina) – leite- ovos – mel e pescados
Desde 2008 para produtos vegetais
Em 2013/2014 – 570 amostras analisadas
Porque o Brasil possui dois programas
nacionais de monitoramento?
O que tem sido feito com base nos
resultados dos programas de
monitoramento?
RAMA: Estrutura do Programa
Coleta de Amostra
PARA
Coleta de Amostra
RAMA
RASTREAMENTO
19
RAMA: Painel de Monitoramento
 Converge TODAs as informações do status Conforme ou
Inconforme dos Fornecedores e dos Produtos amostrados,
criando um bechmark entre Estaduais, Supermercados,
Fornecedores e Produtos;
 Organiza o Fluxo de Informação para respostas a Planos de
Ação quando ocorre Inconformidades;
 Permite o compartilhamento dos resultados, evidenciando os
bons fornecedores para o Mercado Varejista (no quesito
resíduos de Agrotóxico).
20
Detalhamento da Origem (Produtor), Fornecedor, Varejo,
Produto e status da Resposta ao Plano de Ação (quando
necessário)
RAMA: Painel de Monitoramento
21
USO DE AGROTÓXICOS
•ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO
RURAL – HISTÓRICO, SITUAÇÃO ATUAL E
PERSPECTIVAS
•USO DE AGROTÓXICOS – QUAIS SÃO OS
PROBLEMAS?
•ASSISTÊNCIA TÉCNICA E ORIENTAÇÃO
SOBRE UTILIZAÇÃO DE AGROTÓXICOS
•DESAFIOS
BOAS PRÁTICAS AGROPECUÁRIAS – BPA
PRODUÇÃO INTEGRADA MORANGO
ATIBAIA SP
EMBRAPA – CATI – SEBRAE -
ASSOCIAÇÃO DE PRODUTORES
Enfisa 2015 - Assistência Técnica e Extensão Rural - impacto sobre o uso adequado de agrotóxicos no Brasil
Enfisa 2015 - Assistência Técnica e Extensão Rural - impacto sobre o uso adequado de agrotóxicos no Brasil
Enfisa 2015 - Assistência Técnica e Extensão Rural - impacto sobre o uso adequado de agrotóxicos no Brasil
Enfisa 2015 - Assistência Técnica e Extensão Rural - impacto sobre o uso adequado de agrotóxicos no Brasil
Enfisa 2015 - Assistência Técnica e Extensão Rural - impacto sobre o uso adequado de agrotóxicos no Brasil
Enfisa 2015 - Assistência Técnica e Extensão Rural - impacto sobre o uso adequado de agrotóxicos no Brasil
CONCURSO DE BOAS PRÁTICAS
AGROPECUÁRIAS
PIPIRIPAU - DF
EMATER DF – SEC DE AGRICULTURA –
VIGILÂNCIA SANITÁRIA - ASSOCIAÇÃO
DE PRODUTORES
Enfisa 2015 - Assistência Técnica e Extensão Rural - impacto sobre o uso adequado de agrotóxicos no Brasil
Enfisa 2015 - Assistência Técnica e Extensão Rural - impacto sobre o uso adequado de agrotóxicos no Brasil
Enfisa 2015 - Assistência Técnica e Extensão Rural - impacto sobre o uso adequado de agrotóxicos no Brasil
Enfisa 2015 - Assistência Técnica e Extensão Rural - impacto sobre o uso adequado de agrotóxicos no Brasil
ITENS AVALIADOS
% PESO RESULTADO
ORGANIZAÇÃO E LIMPEZA DA PROPRIEDADE 83% 9,5 7,9
USO DE AGROTÓXICOS 85% 15,9 13,5
COLHEITA E CLASSIFICAÇÃO 100% 7,9 7,9
ASPECTOS SOCIAIS (LEGISLAÇÃO
TRABALHISTA) 100% 7,9 7,9
ASPECTOS AGRONÔMICOS 80% 7,9 6,3
ÁGUA PARA CONSUMO 50% 4,8 2,4
HABITAÇÃO 83% 4,8 4,0
INSTALAÇÕES E ABRIGOS PARA ANIMAIS
DOMÉSTICOS 50% 1,6 0,8
MÁQUINAS EQUIPAMENTO E UTENSÍLIOS 100% 4,8 4,8
SANITÁRIO / VESTIÁRIO 100% 3,2 3,2
ASPECTOS AMBIENTAIS 100% 6,3 6,3
PRÁTICAS CONSERVACIONISTAS 83% 9,5 7,9
HIGIENE DE UTENSÍLIOS E EQUIPAMENTOS 0% 3,2 0,0
INFRA-ESTRUTURA DA PROPRIEDADE 100% 6,3 6,3
IRRIGAÇÃO 100% 4,8 4,8
MEDIDAS SANITÁRIAS 100% 1,6 1,6
CONFORMIDADE : 85,7 %
Enfisa 2015 - Assistência Técnica e Extensão Rural - impacto sobre o uso adequado de agrotóxicos no Brasil
Enfisa 2015 - Assistência Técnica e Extensão Rural - impacto sobre o uso adequado de agrotóxicos no Brasil
Enfisa 2015 - Assistência Técnica e Extensão Rural - impacto sobre o uso adequado de agrotóxicos no Brasil
Enfisa 2015 - Assistência Técnica e Extensão Rural - impacto sobre o uso adequado de agrotóxicos no Brasil
Enfisa 2015 - Assistência Técnica e Extensão Rural - impacto sobre o uso adequado de agrotóxicos no Brasil
Enfisa 2015 - Assistência Técnica e Extensão Rural - impacto sobre o uso adequado de agrotóxicos no Brasil
Enfisa 2015 - Assistência Técnica e Extensão Rural - impacto sobre o uso adequado de agrotóxicos no Brasil
ITENS AVALIADOS
% PESO RESULTADO
ORGANIZAÇÃO E LIMPEZA DA PROPRIEDADE 83% 9,5 7,9
USO DE AGROTÓXICOS 90% 15,9 14,3
COLHEITA E CLASSIFICAÇÃO 100% 7,9 7,9
ASPECTOS SOCIAIS (LEGISLAÇÃO
TRABALHISTA) 90% 7,9 7,1
ASPECTOS AGRONÔMICOS 60% 7,9 4,8
ÁGUA PARA CONSUMO 100% 4,8 4,8
HABITAÇÃO 100% 4,8 4,8
INSTALAÇÕES E ABRIGOS PARA ANIMAIS
DOMÉSTICOS 100% 1,6 1,6
MÁQUINAS EQUIPAMENTO E UTENSÍLIOS 83% 4,8 4,0
SANITÁRIO / VESTIÁRIO 100% 3,2 3,2
ASPECTOS AMBIENTAIS 75% 6,3 4,8
PRÁTICAS CONSERVACIONISTAS 100% 9,5 9,5
HIGIENE DE UTENSÍLIOS E EQUIPAMENTOS 100% 3,2 3,2
INFRA-ESTRUTURA DA PROPRIEDADE 100% 6,3 6,3
IRRIGAÇÃO 75% 4,8 3,6
MEDIDAS SANITÁRIAS 75% 1,6 1,2
CONFORMIDADE : 88,9 %
ITENS AVALIADOS
% PESO RESULTADO
ORGANIZAÇÃO E LIMPEZA DA PROPRIEDADE 100% 9,5 9,5
USO DE AGROTÓXICOS 95% 15,9 15,1
COLHEITA E CLASSIFICAÇÃO 100% 7,9 7,9
ASPECTOS SOCIAIS (LEGISLAÇÃO
TRABALHISTA) 90% 7,9 7,1
ASPECTOS AGRONÔMICOS 80% 7,9 6,3
ÁGUA PARA CONSUMO 100% 4,8 4,8
HABITAÇÃO 83% 4,8 4,0
INSTALAÇÕES E ABRIGOS PARA ANIMAIS
DOMÉSTICOS 100% 1,6 1,6
MÁQUINAS EQUIPAMENTO E UTENSÍLIOS 100% 4,8 4,8
SANITÁRIO / VESTIÁRIO 100% 3,2 3,2
ASPECTOS AMBIENTAIS 100% 6,3 6,3
PRÁTICAS CONSERVACIONISTAS 92% 9,5 8,7
HIGIENE DE UTENSÍLIOS E EQUIPAMENTOS 75% 3,2 2,4
INFRA-ESTRUTURA DA PROPRIEDADE 100% 6,3 6,3
IRRIGAÇÃO 100% 4,8 4,8
MEDIDAS SANITÁRIAS 100% 1,6 1,6
CONFORMIDADE : 94,4 %
PRODUÇÃO INTEGRADA DO CAFÉ
MG
UFV – UFLA - EPAMIG – EMATER MG -
COOPERATIVAS
Norma Técnica Específica da Produção
Integrada do Café
Composta de:
• Áreas temáticas;
• Caderno de Campo;
• Caderno de Pós-colheita;
• Grade de Agrotóxicos;
• Lista de Verificação de Auditoria;
• Ementa dos cursos para Auditor e RT.
Fungicida Inseticida Acaricida Herbicida Nematicida
(%)
33,00 50,00 50,00 66,00 100,00
Racionalização do uso de agrotóxicos na cafeicultura
Fonte: L. Zambolim, 2009.
PRODUÇÃO COM INTRODUÇÃO DE CONTROLE
BIOLÓGICO
PROVINCIA DE CORRIENTES - ARGENTINA
DIREÇÃO DE PRODUÇÃO VEGETAL
“Pacote” para controle biológico - Pimentão
Insetos incluídos:
 Orius Insidiosus: (2,5/m2). Pedrador de
trips, ovos e ninfas de mosca branca.
Amblyseius californicus: Predador de ovos
de mosca blanca, ovos e ninfas de trips,
acaro branco.
Amblyseius swirskii:(4botellas /ha.). Predador
de trips e mosca blanca
Assistência técnica
Protocolo de manejo
Control de plagas y enfermedades método Biocontrol
Productos Bio Aplicaciones Grales Totales
Tracer 1 o 2 2
Vertimec 2 + 2 de focos 4
Belt 3 + 1 de focos 4
Dipel 8 8
Oranis equivalente a 2 2
Neemazal 0,5 focos 0,5
Otros (chinche) 1,5 1,5
Insecticidas 22
Funguicidas 8 a 10 10
Foliares-estimulante 10 10
Ministerio de Producción
Trabajo y Turismo
Control de plagas y enfermedades método convencional
Productos Aplicaciones Grales Totales
Traser 7 7
Dicarsol 1 1
Vertimec 6 6
Decis forte 4 4
Clorpirifos 2 2
Karate 1 1
Confidor Fumigado 6 6
Confidor x riego 3
Lanate 3 3
Lupara 2 2
Padan 3 3
Sanmite-endosulfan 3 3
Insecticidas 38
Funguicidas 14
Foliares-estimulantes 14
Ministerio de Producción
Trabajo y Turismo
Paraguay, Uruguay, Brasil
Ministerio de Producción
Trabajo y Turismo
Propuesta de Comercialización Otros Mercados
•ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO
RURAL – HISTÓRICO, SITUAÇÃO ATUAL E
PERSPECTIVAS
•USO DE AGROTÓXICOS – QUAIS SÃO OS
PROBLEMAS?
•ASSISTÊNCIA TÉCNICA E ORIENTAÇÃO
SOBRE UTILIZAÇÃO DE AGROTÓXICOS
•DESAFIOS e CONCLUSÕES
• RESÍDUOS DE AGROTÓXICOS EM ALIMENTOS (ACIMA DO LMR OU
I.A. NÃO AUTORIZADO) – PRINCIPAL PROBLEMA RELACIONADO AOS
AGROTÓXICOS PERCEBIDO PELA POPULAÇÃO EM GERAL
•ASSUMINDO QUE A UTILIZAÇÃO INADEQUADA É A PRINCIPAL
CAUSA DE NÃO CONFORMIDADES NOS PROGRAMAS DE
MONITORAMENTO
• EDUCAÇÃO E ASSISTÊNCIA TÉCNICA QUALIFICADA CONTRIBUEM
PARA PRODUÇÃO DE ALIMENTOS SEGUROS
• ADOÇÃO DE BPA RESULTA NA PRODUÇÃO DE ALIMENTOS SEGUROS
• AMPLIAÇÃO DA ASSISTÊNCIA TÉCNICA QUALIFICADA
• MASSIFICAÇÃO DA ADOÇÃO DE BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS (BPA)
PRINCIPAIS DESAFIOS PARA PRODUÇÃO DE ALIMENTOS SEGUROS
• NECESSIDADE DE MAIOR DISPONIBILIDADE PARA O PRODUTOR DE
INSUMOS BIOLÓGICOS, PRODUTOS PARA MIP E PARA CONTROLE
BIOLÓGICO
• RECONHECIMENTO PELO MERCADO INTERNO (ATACADO E VAREJO)
DOS PRODUTOS PRODUZIDOS SOB BPA (CERTIFICADOS), ASSIM
COMO JÁ OCORRE COM A PRODUÇÃO ORGÂNICA
• FORMAÇÃO, CAPACITAÇÃO E PESQUISA
• CARREIRAS DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DE SAÚDE
• ESTUDANTES
• AGRICULTORES
• PROFISSIONAIS DO SETOR ATACADISTA E VAREJISTA
• UNIVERSIDADES E INSTITUTOS DE PESQUISA
• SETOR DE PRODUÇÃO E COMÉRCIO DE INSUMOS AGRÍCOLAS
José Guilherme Tollstadius Leal
Secretário de Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural do
Distrito Federal
e-mail: jose.leal@agricultura.df.gov.br
Fone: (61) 3052 6302

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Luiz carlos nasser
Luiz carlos nasserLuiz carlos nasser
Luiz carlos nasser
Boas Práticas Agrícolas
 
Raivaemherbivorossituacaonoestadodesaopaulofadil
RaivaemherbivorossituacaonoestadodesaopaulofadilRaivaemherbivorossituacaonoestadodesaopaulofadil
Raivaemherbivorossituacaonoestadodesaopaulofadil
Vinicius Ramos
 
Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Programas do Governo do Es...
Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Programas do Governo do Es...Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Programas do Governo do Es...
Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Programas do Governo do Es...
cbsaf
 
Programa Alimento sem risco
Programa Alimento sem riscoPrograma Alimento sem risco
Programa Alimento sem risco
Ministério Público de Santa Catarina
 
Carlos alexandre oliveira gomes
Carlos alexandre oliveira gomesCarlos alexandre oliveira gomes
Carlos alexandre oliveira gomes
Boas Práticas Agrícolas
 
II WSF, São Paulo - Aldo Malavasi - Organização de sistemas de defesa sanitár...
II WSF, São Paulo - Aldo Malavasi - Organização de sistemas de defesa sanitár...II WSF, São Paulo - Aldo Malavasi - Organização de sistemas de defesa sanitár...
II WSF, São Paulo - Aldo Malavasi - Organização de sistemas de defesa sanitár...
Oxya Agro e Biociências
 
Tatiane nascimento
Tatiane nascimentoTatiane nascimento
Tatiane nascimento
Boas Práticas Agrícolas
 
Dra. Gisele Grilli - Situação atual da Produção Integrada de Frutas e Hortali...
Dra. Gisele Grilli - Situação atual da Produção Integrada de Frutas e Hortali...Dra. Gisele Grilli - Situação atual da Produção Integrada de Frutas e Hortali...
Dra. Gisele Grilli - Situação atual da Produção Integrada de Frutas e Hortali...
Oxya Agro e Biociências
 
Marcus Vinicius Etapas para a Certificação do Café: Produção Integrada Agrop...
Marcus Vinicius Etapas para a Certificação do Café:  Produção Integrada Agrop...Marcus Vinicius Etapas para a Certificação do Café:  Produção Integrada Agrop...
Marcus Vinicius Etapas para a Certificação do Café: Produção Integrada Agrop...
Revista Cafeicultura
 
BPA Sérgio Gonzaga
BPA Sérgio GonzagaBPA Sérgio Gonzaga
BPA Sérgio Gonzaga
agencialarue
 
TCC MBA BOAS PRÁTICAS NO TRANSPORTE DE ALIMENTOS
TCC MBA BOAS PRÁTICAS NO TRANSPORTE DE ALIMENTOSTCC MBA BOAS PRÁTICAS NO TRANSPORTE DE ALIMENTOS
TCC MBA BOAS PRÁTICAS NO TRANSPORTE DE ALIMENTOS
Julia Ramalho
 
Apresentação de propostas para reduzir impacto do uso de agrotóxicos realizad...
Apresentação de propostas para reduzir impacto do uso de agrotóxicos realizad...Apresentação de propostas para reduzir impacto do uso de agrotóxicos realizad...
Apresentação de propostas para reduzir impacto do uso de agrotóxicos realizad...
Ministério Público de Santa Catarina
 
Júlio britto a
Júlio britto aJúlio britto a
Júlio britto a
Boas Práticas Agrícolas
 
III WSF, Campinas – Ériko Tadashi Sedoguchi - Medidas legislativas federais p...
III WSF, Campinas – Ériko Tadashi Sedoguchi - Medidas legislativas federais p...III WSF, Campinas – Ériko Tadashi Sedoguchi - Medidas legislativas federais p...
III WSF, Campinas – Ériko Tadashi Sedoguchi - Medidas legislativas federais p...
Oxya Agro e Biociências
 
Manual carnes mapa
Manual carnes mapaManual carnes mapa
Manual carnes mapa
Alexandra Mamede
 
Estimativa de custos de produção de hortaliças
Estimativa de custos de produção de hortaliçasEstimativa de custos de produção de hortaliças
Estimativa de custos de produção de hortaliças
Nirlene Junqueira Vilela
 

Mais procurados (16)

Luiz carlos nasser
Luiz carlos nasserLuiz carlos nasser
Luiz carlos nasser
 
Raivaemherbivorossituacaonoestadodesaopaulofadil
RaivaemherbivorossituacaonoestadodesaopaulofadilRaivaemherbivorossituacaonoestadodesaopaulofadil
Raivaemherbivorossituacaonoestadodesaopaulofadil
 
Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Programas do Governo do Es...
Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Programas do Governo do Es...Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Programas do Governo do Es...
Dia 2 - Expansão do Açaí e seu potencial em SAFs - Programas do Governo do Es...
 
Programa Alimento sem risco
Programa Alimento sem riscoPrograma Alimento sem risco
Programa Alimento sem risco
 
Carlos alexandre oliveira gomes
Carlos alexandre oliveira gomesCarlos alexandre oliveira gomes
Carlos alexandre oliveira gomes
 
II WSF, São Paulo - Aldo Malavasi - Organização de sistemas de defesa sanitár...
II WSF, São Paulo - Aldo Malavasi - Organização de sistemas de defesa sanitár...II WSF, São Paulo - Aldo Malavasi - Organização de sistemas de defesa sanitár...
II WSF, São Paulo - Aldo Malavasi - Organização de sistemas de defesa sanitár...
 
Tatiane nascimento
Tatiane nascimentoTatiane nascimento
Tatiane nascimento
 
Dra. Gisele Grilli - Situação atual da Produção Integrada de Frutas e Hortali...
Dra. Gisele Grilli - Situação atual da Produção Integrada de Frutas e Hortali...Dra. Gisele Grilli - Situação atual da Produção Integrada de Frutas e Hortali...
Dra. Gisele Grilli - Situação atual da Produção Integrada de Frutas e Hortali...
 
Marcus Vinicius Etapas para a Certificação do Café: Produção Integrada Agrop...
Marcus Vinicius Etapas para a Certificação do Café:  Produção Integrada Agrop...Marcus Vinicius Etapas para a Certificação do Café:  Produção Integrada Agrop...
Marcus Vinicius Etapas para a Certificação do Café: Produção Integrada Agrop...
 
BPA Sérgio Gonzaga
BPA Sérgio GonzagaBPA Sérgio Gonzaga
BPA Sérgio Gonzaga
 
TCC MBA BOAS PRÁTICAS NO TRANSPORTE DE ALIMENTOS
TCC MBA BOAS PRÁTICAS NO TRANSPORTE DE ALIMENTOSTCC MBA BOAS PRÁTICAS NO TRANSPORTE DE ALIMENTOS
TCC MBA BOAS PRÁTICAS NO TRANSPORTE DE ALIMENTOS
 
Apresentação de propostas para reduzir impacto do uso de agrotóxicos realizad...
Apresentação de propostas para reduzir impacto do uso de agrotóxicos realizad...Apresentação de propostas para reduzir impacto do uso de agrotóxicos realizad...
Apresentação de propostas para reduzir impacto do uso de agrotóxicos realizad...
 
Júlio britto a
Júlio britto aJúlio britto a
Júlio britto a
 
III WSF, Campinas – Ériko Tadashi Sedoguchi - Medidas legislativas federais p...
III WSF, Campinas – Ériko Tadashi Sedoguchi - Medidas legislativas federais p...III WSF, Campinas – Ériko Tadashi Sedoguchi - Medidas legislativas federais p...
III WSF, Campinas – Ériko Tadashi Sedoguchi - Medidas legislativas federais p...
 
Manual carnes mapa
Manual carnes mapaManual carnes mapa
Manual carnes mapa
 
Estimativa de custos de produção de hortaliças
Estimativa de custos de produção de hortaliçasEstimativa de custos de produção de hortaliças
Estimativa de custos de produção de hortaliças
 

Destaque

Métodos de extensão rural
Métodos de extensão ruralMétodos de extensão rural
Métodos de extensão rural
fabio schwab
 
Extensão rural
Extensão ruralExtensão rural
Aula extensão rural planejamento
Aula extensão rural planejamentoAula extensão rural planejamento
Aula extensão rural planejamento
fabio schwab
 
Periódico Extensão Rural 2014-3
Periódico Extensão Rural 2014-3Periódico Extensão Rural 2014-3
Periódico Extensão Rural 2014-3
Ezequiel Redin
 
Art 04 controle bibliografico universal
Art 04 controle bibliografico universalArt 04 controle bibliografico universal
Art 04 controle bibliografico universal
Cintia Borges
 
Apoio às políticas e à participação social no desenvolvimento rural sustentáv...
Apoio às políticas e à participação social no desenvolvimento rural sustentáv...Apoio às políticas e à participação social no desenvolvimento rural sustentáv...
Apoio às políticas e à participação social no desenvolvimento rural sustentáv...
iicabrasil
 
Visita técnica da área de turismo
Visita técnica da área de turismoVisita técnica da área de turismo
Visita técnica da área de turismo
Clotildes Clere Alcântara
 
Informações sobre a Banana
Informações sobre a BananaInformações sobre a Banana
Informações sobre a Banana
Marcelo Paiva
 
Emater Goiás
Emater GoiásEmater Goiás
Emater Goiás
gepaaf
 
Visita técnica com demonstração
Visita técnica com demonstraçãoVisita técnica com demonstração
Visita técnica com demonstração
André Fontana Weber
 
Poblacion Rural
Poblacion RuralPoblacion Rural
Poblacion Rural
sara
 
Buenas Prácticas: Políticas Públicas de Transferencia de Tecnología en la Agr...
Buenas Prácticas: Políticas Públicas de Transferencia de Tecnología en la Agr...Buenas Prácticas: Políticas Públicas de Transferencia de Tecnología en la Agr...
Buenas Prácticas: Políticas Públicas de Transferencia de Tecnología en la Agr...
FAO
 
P.R.
P.R.P.R.
P.R.
sara
 
Desafios da Criação de Cursos de Agroecologia em Piedade - Neide Gutiyama
Desafios da Criação de Cursos de Agroecologia em Piedade - Neide GutiyamaDesafios da Criação de Cursos de Agroecologia em Piedade - Neide Gutiyama
Desafios da Criação de Cursos de Agroecologia em Piedade - Neide Gutiyama
Instituto-5elementos
 
Periódico Extensão Rural 2011-1
Periódico Extensão Rural 2011-1Periódico Extensão Rural 2011-1
Periódico Extensão Rural 2011-1
Ezequiel Redin
 
Seminário sobre Proteção da Agrobiodiversidade e Direito dos Agricultores: Pr...
Seminário sobre Proteção da Agrobiodiversidade e Direito dos Agricultores: Pr...Seminário sobre Proteção da Agrobiodiversidade e Direito dos Agricultores: Pr...
Seminário sobre Proteção da Agrobiodiversidade e Direito dos Agricultores: Pr...
iicabrasil
 
Assistencia tecnica limites,desafios e perspectivas
Assistencia tecnica limites,desafios e perspectivasAssistencia tecnica limites,desafios e perspectivas
Assistencia tecnica limites,desafios e perspectivas
Projeto Pirarucu-Gente - Dep. Engenharia de Pesca - UNIR
 
Dia 4 - SAFs na perspectiva da Agroecologia - As políticas publicas de promoç...
Dia 4 - SAFs na perspectiva da Agroecologia - As políticas publicas de promoç...Dia 4 - SAFs na perspectiva da Agroecologia - As políticas publicas de promoç...
Dia 4 - SAFs na perspectiva da Agroecologia - As políticas publicas de promoç...
cbsaf
 
Dia 4 - Simposio 1 - SAFs e suas contribuições à segurança alimentar e nutriç...
Dia 4 - Simposio 1 - SAFs e suas contribuições à segurança alimentar e nutriç...Dia 4 - Simposio 1 - SAFs e suas contribuições à segurança alimentar e nutriç...
Dia 4 - Simposio 1 - SAFs e suas contribuições à segurança alimentar e nutriç...
cbsaf
 
Tire Suas DúVidas Organicos X Agrotoxico
Tire Suas DúVidas Organicos X AgrotoxicoTire Suas DúVidas Organicos X Agrotoxico
Tire Suas DúVidas Organicos X Agrotoxico
Rota Orgânica
 

Destaque (20)

Métodos de extensão rural
Métodos de extensão ruralMétodos de extensão rural
Métodos de extensão rural
 
Extensão rural
Extensão ruralExtensão rural
Extensão rural
 
Aula extensão rural planejamento
Aula extensão rural planejamentoAula extensão rural planejamento
Aula extensão rural planejamento
 
Periódico Extensão Rural 2014-3
Periódico Extensão Rural 2014-3Periódico Extensão Rural 2014-3
Periódico Extensão Rural 2014-3
 
Art 04 controle bibliografico universal
Art 04 controle bibliografico universalArt 04 controle bibliografico universal
Art 04 controle bibliografico universal
 
Apoio às políticas e à participação social no desenvolvimento rural sustentáv...
Apoio às políticas e à participação social no desenvolvimento rural sustentáv...Apoio às políticas e à participação social no desenvolvimento rural sustentáv...
Apoio às políticas e à participação social no desenvolvimento rural sustentáv...
 
Visita técnica da área de turismo
Visita técnica da área de turismoVisita técnica da área de turismo
Visita técnica da área de turismo
 
Informações sobre a Banana
Informações sobre a BananaInformações sobre a Banana
Informações sobre a Banana
 
Emater Goiás
Emater GoiásEmater Goiás
Emater Goiás
 
Visita técnica com demonstração
Visita técnica com demonstraçãoVisita técnica com demonstração
Visita técnica com demonstração
 
Poblacion Rural
Poblacion RuralPoblacion Rural
Poblacion Rural
 
Buenas Prácticas: Políticas Públicas de Transferencia de Tecnología en la Agr...
Buenas Prácticas: Políticas Públicas de Transferencia de Tecnología en la Agr...Buenas Prácticas: Políticas Públicas de Transferencia de Tecnología en la Agr...
Buenas Prácticas: Políticas Públicas de Transferencia de Tecnología en la Agr...
 
P.R.
P.R.P.R.
P.R.
 
Desafios da Criação de Cursos de Agroecologia em Piedade - Neide Gutiyama
Desafios da Criação de Cursos de Agroecologia em Piedade - Neide GutiyamaDesafios da Criação de Cursos de Agroecologia em Piedade - Neide Gutiyama
Desafios da Criação de Cursos de Agroecologia em Piedade - Neide Gutiyama
 
Periódico Extensão Rural 2011-1
Periódico Extensão Rural 2011-1Periódico Extensão Rural 2011-1
Periódico Extensão Rural 2011-1
 
Seminário sobre Proteção da Agrobiodiversidade e Direito dos Agricultores: Pr...
Seminário sobre Proteção da Agrobiodiversidade e Direito dos Agricultores: Pr...Seminário sobre Proteção da Agrobiodiversidade e Direito dos Agricultores: Pr...
Seminário sobre Proteção da Agrobiodiversidade e Direito dos Agricultores: Pr...
 
Assistencia tecnica limites,desafios e perspectivas
Assistencia tecnica limites,desafios e perspectivasAssistencia tecnica limites,desafios e perspectivas
Assistencia tecnica limites,desafios e perspectivas
 
Dia 4 - SAFs na perspectiva da Agroecologia - As políticas publicas de promoç...
Dia 4 - SAFs na perspectiva da Agroecologia - As políticas publicas de promoç...Dia 4 - SAFs na perspectiva da Agroecologia - As políticas publicas de promoç...
Dia 4 - SAFs na perspectiva da Agroecologia - As políticas publicas de promoç...
 
Dia 4 - Simposio 1 - SAFs e suas contribuições à segurança alimentar e nutriç...
Dia 4 - Simposio 1 - SAFs e suas contribuições à segurança alimentar e nutriç...Dia 4 - Simposio 1 - SAFs e suas contribuições à segurança alimentar e nutriç...
Dia 4 - Simposio 1 - SAFs e suas contribuições à segurança alimentar e nutriç...
 
Tire Suas DúVidas Organicos X Agrotoxico
Tire Suas DúVidas Organicos X AgrotoxicoTire Suas DúVidas Organicos X Agrotoxico
Tire Suas DúVidas Organicos X Agrotoxico
 

Semelhante a Enfisa 2015 - Assistência Técnica e Extensão Rural - impacto sobre o uso adequado de agrotóxicos no Brasil

José Guilherme Tollstadius Leal - “Boas Práticas Agropecuárias no Brasil” - B...
José Guilherme Tollstadius Leal - “Boas Práticas Agropecuárias no Brasil” - B...José Guilherme Tollstadius Leal - “Boas Práticas Agropecuárias no Brasil” - B...
José Guilherme Tollstadius Leal - “Boas Práticas Agropecuárias no Brasil” - B...
PIFOZ
 
Rosilene Moura - “Histórico E Situação Atual Da Produção Integrada Da Cadeia ...
Rosilene Moura - “Histórico E Situação Atual Da Produção Integrada Da Cadeia ...Rosilene Moura - “Histórico E Situação Atual Da Produção Integrada Da Cadeia ...
Rosilene Moura - “Histórico E Situação Atual Da Produção Integrada Da Cadeia ...
PIFOZ
 
Apresentação Agro+ Produtor Rural MG
Apresentação Agro+ Produtor Rural MGApresentação Agro+ Produtor Rural MG
Apresentação Agro+ Produtor Rural MG
Ruan Coutinho
 
W9 Apresentação Agro+ Produtor Rural MG
W9 Apresentação Agro+ Produtor Rural MGW9 Apresentação Agro+ Produtor Rural MG
W9 Apresentação Agro+ Produtor Rural MG
equipeagroplus
 
Minas Pecuária
Minas PecuáriaMinas Pecuária
Minas Pecuária
Leonardo Gravina
 
Agência Nacional de Tecnologia e Assistência Técnica Rural
Agência Nacional de Tecnologia e Assistência Técnica RuralAgência Nacional de Tecnologia e Assistência Técnica Rural
Agência Nacional de Tecnologia e Assistência Técnica Rural
Palácio do Planalto
 
Guia de microbiologia
Guia de microbiologiaGuia de microbiologia
Guia de microbiologia
Jizreel Cristo
 
Responsabilidades do técnico na indústria de laticínios
Responsabilidades do técnico na indústria de laticíniosResponsabilidades do técnico na indústria de laticínios
Responsabilidades do técnico na indústria de laticínios
João Felix
 
Tatiane Nascimento - “Monitoramento, controle de agrotóxicos e segurança do a...
Tatiane Nascimento - “Monitoramento, controle de agrotóxicos e segurança do a...Tatiane Nascimento - “Monitoramento, controle de agrotóxicos e segurança do a...
Tatiane Nascimento - “Monitoramento, controle de agrotóxicos e segurança do a...
PIFOZ
 
Luiz Carlos Nasser - “Estado Da Arte Da Produção Integrada Agropecuária E Seg...
Luiz Carlos Nasser - “Estado Da Arte Da Produção Integrada Agropecuária E Seg...Luiz Carlos Nasser - “Estado Da Arte Da Produção Integrada Agropecuária E Seg...
Luiz Carlos Nasser - “Estado Da Arte Da Produção Integrada Agropecuária E Seg...
PIFOZ
 
Apresentação_ABIOVE_BernardoPires
Apresentação_ABIOVE_BernardoPiresApresentação_ABIOVE_BernardoPires
Apresentação_ABIOVE_BernardoPires
equipeagroplus
 
Orientações para construção de pequenas agroindustrias
Orientações para construção de pequenas agroindustriasOrientações para construção de pequenas agroindustrias
Orientações para construção de pequenas agroindustrias
Lenildo Araujo
 
SERVIÇO DE INSPEÇÃO MUNCIPAL
SERVIÇO DE INSPEÇÃO MUNCIPALSERVIÇO DE INSPEÇÃO MUNCIPAL
SERVIÇO DE INSPEÇÃO MUNCIPAL
Lenildo Araujo
 
Lições Aprendidas na Estrutura do Sistema de Vigilância e Prevenção de Pragas...
Lições Aprendidas na Estrutura do Sistema de Vigilância e Prevenção de Pragas...Lições Aprendidas na Estrutura do Sistema de Vigilância e Prevenção de Pragas...
Lições Aprendidas na Estrutura do Sistema de Vigilância e Prevenção de Pragas...
Oxya Agro e Biociências
 
Agrotoxicos em Hortaliças.ppt
Agrotoxicos em Hortaliças.pptAgrotoxicos em Hortaliças.ppt
Agrotoxicos em Hortaliças.ppt
jose dias de macedo junior
 
Os Desafios Socioambientais para o Agro Sustentável
Os Desafios Socioambientais para o Agro SustentávelOs Desafios Socioambientais para o Agro Sustentável
Os Desafios Socioambientais para o Agro Sustentável
AgriculturaSustentavel
 
aula 3.1 extensão.pptxoscosjcodsjcodjcdojcdojcodcj
aula 3.1 extensão.pptxoscosjcodsjcodjcdojcdojcodcjaula 3.1 extensão.pptxoscosjcodsjcodjcdojcdojcodcj
aula 3.1 extensão.pptxoscosjcodsjcodjcdojcdojcodcj
alanacp1
 
Tinoco
TinocoTinoco
V encuentro politica publica rs
V encuentro politica publica rsV encuentro politica publica rs
V encuentro politica publica rs
Pastizalesdelconosur
 
Júlio Britto - “Mesa Redonda: Registro, Pesquisa e Desenvolvimento de Bioins...
Júlio Britto  - “Mesa Redonda: Registro, Pesquisa e Desenvolvimento de Bioins...Júlio Britto  - “Mesa Redonda: Registro, Pesquisa e Desenvolvimento de Bioins...
Júlio Britto - “Mesa Redonda: Registro, Pesquisa e Desenvolvimento de Bioins...
PIFOZ
 

Semelhante a Enfisa 2015 - Assistência Técnica e Extensão Rural - impacto sobre o uso adequado de agrotóxicos no Brasil (20)

José Guilherme Tollstadius Leal - “Boas Práticas Agropecuárias no Brasil” - B...
José Guilherme Tollstadius Leal - “Boas Práticas Agropecuárias no Brasil” - B...José Guilherme Tollstadius Leal - “Boas Práticas Agropecuárias no Brasil” - B...
José Guilherme Tollstadius Leal - “Boas Práticas Agropecuárias no Brasil” - B...
 
Rosilene Moura - “Histórico E Situação Atual Da Produção Integrada Da Cadeia ...
Rosilene Moura - “Histórico E Situação Atual Da Produção Integrada Da Cadeia ...Rosilene Moura - “Histórico E Situação Atual Da Produção Integrada Da Cadeia ...
Rosilene Moura - “Histórico E Situação Atual Da Produção Integrada Da Cadeia ...
 
Apresentação Agro+ Produtor Rural MG
Apresentação Agro+ Produtor Rural MGApresentação Agro+ Produtor Rural MG
Apresentação Agro+ Produtor Rural MG
 
W9 Apresentação Agro+ Produtor Rural MG
W9 Apresentação Agro+ Produtor Rural MGW9 Apresentação Agro+ Produtor Rural MG
W9 Apresentação Agro+ Produtor Rural MG
 
Minas Pecuária
Minas PecuáriaMinas Pecuária
Minas Pecuária
 
Agência Nacional de Tecnologia e Assistência Técnica Rural
Agência Nacional de Tecnologia e Assistência Técnica RuralAgência Nacional de Tecnologia e Assistência Técnica Rural
Agência Nacional de Tecnologia e Assistência Técnica Rural
 
Guia de microbiologia
Guia de microbiologiaGuia de microbiologia
Guia de microbiologia
 
Responsabilidades do técnico na indústria de laticínios
Responsabilidades do técnico na indústria de laticíniosResponsabilidades do técnico na indústria de laticínios
Responsabilidades do técnico na indústria de laticínios
 
Tatiane Nascimento - “Monitoramento, controle de agrotóxicos e segurança do a...
Tatiane Nascimento - “Monitoramento, controle de agrotóxicos e segurança do a...Tatiane Nascimento - “Monitoramento, controle de agrotóxicos e segurança do a...
Tatiane Nascimento - “Monitoramento, controle de agrotóxicos e segurança do a...
 
Luiz Carlos Nasser - “Estado Da Arte Da Produção Integrada Agropecuária E Seg...
Luiz Carlos Nasser - “Estado Da Arte Da Produção Integrada Agropecuária E Seg...Luiz Carlos Nasser - “Estado Da Arte Da Produção Integrada Agropecuária E Seg...
Luiz Carlos Nasser - “Estado Da Arte Da Produção Integrada Agropecuária E Seg...
 
Apresentação_ABIOVE_BernardoPires
Apresentação_ABIOVE_BernardoPiresApresentação_ABIOVE_BernardoPires
Apresentação_ABIOVE_BernardoPires
 
Orientações para construção de pequenas agroindustrias
Orientações para construção de pequenas agroindustriasOrientações para construção de pequenas agroindustrias
Orientações para construção de pequenas agroindustrias
 
SERVIÇO DE INSPEÇÃO MUNCIPAL
SERVIÇO DE INSPEÇÃO MUNCIPALSERVIÇO DE INSPEÇÃO MUNCIPAL
SERVIÇO DE INSPEÇÃO MUNCIPAL
 
Lições Aprendidas na Estrutura do Sistema de Vigilância e Prevenção de Pragas...
Lições Aprendidas na Estrutura do Sistema de Vigilância e Prevenção de Pragas...Lições Aprendidas na Estrutura do Sistema de Vigilância e Prevenção de Pragas...
Lições Aprendidas na Estrutura do Sistema de Vigilância e Prevenção de Pragas...
 
Agrotoxicos em Hortaliças.ppt
Agrotoxicos em Hortaliças.pptAgrotoxicos em Hortaliças.ppt
Agrotoxicos em Hortaliças.ppt
 
Os Desafios Socioambientais para o Agro Sustentável
Os Desafios Socioambientais para o Agro SustentávelOs Desafios Socioambientais para o Agro Sustentável
Os Desafios Socioambientais para o Agro Sustentável
 
aula 3.1 extensão.pptxoscosjcodsjcodjcdojcdojcodcj
aula 3.1 extensão.pptxoscosjcodsjcodjcdojcdojcodcjaula 3.1 extensão.pptxoscosjcodsjcodjcdojcdojcodcj
aula 3.1 extensão.pptxoscosjcodsjcodjcdojcdojcodcj
 
Tinoco
TinocoTinoco
Tinoco
 
V encuentro politica publica rs
V encuentro politica publica rsV encuentro politica publica rs
V encuentro politica publica rs
 
Júlio Britto - “Mesa Redonda: Registro, Pesquisa e Desenvolvimento de Bioins...
Júlio Britto  - “Mesa Redonda: Registro, Pesquisa e Desenvolvimento de Bioins...Júlio Britto  - “Mesa Redonda: Registro, Pesquisa e Desenvolvimento de Bioins...
Júlio Britto - “Mesa Redonda: Registro, Pesquisa e Desenvolvimento de Bioins...
 

Mais de Oxya Agro e Biociências

Flyer eletrônico - simpdcana
Flyer eletrônico - simpdcanaFlyer eletrônico - simpdcana
Flyer eletrônico - simpdcana
Oxya Agro e Biociências
 
Segurança da informação - ISO 27001 - PRODESP
Segurança da informação - ISO 27001 - PRODESPSegurança da informação - ISO 27001 - PRODESP
Segurança da informação - ISO 27001 - PRODESP
Oxya Agro e Biociências
 
Apresentação do Projeto Colmeia Viva
Apresentação do Projeto Colmeia VivaApresentação do Projeto Colmeia Viva
Apresentação do Projeto Colmeia Viva
Oxya Agro e Biociências
 
Segurança no recebimento e guarda de documentos digitais
Segurança no recebimento e guarda de documentos digitaisSegurança no recebimento e guarda de documentos digitais
Segurança no recebimento e guarda de documentos digitais
Oxya Agro e Biociências
 
Sistema GEDAVE
Sistema GEDAVESistema GEDAVE
Sistema GEDAVE
Oxya Agro e Biociências
 
Apresentação de Resultados Harmonização da Fiscalização - SFAs
Apresentação de Resultados Harmonização da Fiscalização - SFAsApresentação de Resultados Harmonização da Fiscalização - SFAs
Apresentação de Resultados Harmonização da Fiscalização - SFAs
Oxya Agro e Biociências
 
Boas Práticas Regulatórias
Boas Práticas RegulatóriasBoas Práticas Regulatórias
Boas Práticas Regulatórias
Oxya Agro e Biociências
 
Boas Práticas Regulatórias: Análise de Impacto Regulatório
Boas Práticas Regulatórias: Análise de Impacto RegulatórioBoas Práticas Regulatórias: Análise de Impacto Regulatório
Boas Práticas Regulatórias: Análise de Impacto Regulatório
Oxya Agro e Biociências
 
Campanha contra defensivos agrícolas ilegais
Campanha contra defensivos agrícolas ilegaisCampanha contra defensivos agrícolas ilegais
Campanha contra defensivos agrícolas ilegais
Oxya Agro e Biociências
 
Impacto da adoção de tecnologias na agricultura brasileira
Impacto da adoção de tecnologias na agricultura brasileiraImpacto da adoção de tecnologias na agricultura brasileira
Impacto da adoção de tecnologias na agricultura brasileira
Oxya Agro e Biociências
 
Impacto econômico de pragas agrícolas no Brasil
Impacto econômico de pragas agrícolas no BrasilImpacto econômico de pragas agrícolas no Brasil
Impacto econômico de pragas agrícolas no Brasil
Oxya Agro e Biociências
 
Novas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos e afins
Novas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos e afinsNovas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos e afins
Novas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos e afins
Oxya Agro e Biociências
 
Novas Legislações e Procedimentos na área de Agrotóxicos
Novas Legislações e Procedimentos na área de AgrotóxicosNovas Legislações e Procedimentos na área de Agrotóxicos
Novas Legislações e Procedimentos na área de Agrotóxicos
Oxya Agro e Biociências
 
Novas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos
Novas legislações e procedimentos na área de agrotóxicosNovas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos
Novas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos
Oxya Agro e Biociências
 
Gestão e Inovação, para quê?
Gestão e Inovação, para quê?Gestão e Inovação, para quê?
Gestão e Inovação, para quê?
Oxya Agro e Biociências
 
Programa Estadual de Análise Fiscais de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos ...
Programa Estadual de Análise Fiscais de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos ...Programa Estadual de Análise Fiscais de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos ...
Programa Estadual de Análise Fiscais de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos ...
Oxya Agro e Biociências
 
Gestão de Defesa Animal e Vegetal - GEDAVE
Gestão de Defesa Animal e Vegetal - GEDAVEGestão de Defesa Animal e Vegetal - GEDAVE
Gestão de Defesa Animal e Vegetal - GEDAVE
Oxya Agro e Biociências
 
Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos no Brasil - Área A...
Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos no Brasil - Área A...Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos no Brasil - Área A...
Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos no Brasil - Área A...
Oxya Agro e Biociências
 
Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos na Anvisa
Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos na AnvisaSituação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos na Anvisa
Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos na Anvisa
Oxya Agro e Biociências
 
Sistema de Fiscalização do Comércio de Agrotóxicos no Estado de Rondônia - SI...
Sistema de Fiscalização do Comércio de Agrotóxicos no Estado de Rondônia - SI...Sistema de Fiscalização do Comércio de Agrotóxicos no Estado de Rondônia - SI...
Sistema de Fiscalização do Comércio de Agrotóxicos no Estado de Rondônia - SI...
Oxya Agro e Biociências
 

Mais de Oxya Agro e Biociências (20)

Flyer eletrônico - simpdcana
Flyer eletrônico - simpdcanaFlyer eletrônico - simpdcana
Flyer eletrônico - simpdcana
 
Segurança da informação - ISO 27001 - PRODESP
Segurança da informação - ISO 27001 - PRODESPSegurança da informação - ISO 27001 - PRODESP
Segurança da informação - ISO 27001 - PRODESP
 
Apresentação do Projeto Colmeia Viva
Apresentação do Projeto Colmeia VivaApresentação do Projeto Colmeia Viva
Apresentação do Projeto Colmeia Viva
 
Segurança no recebimento e guarda de documentos digitais
Segurança no recebimento e guarda de documentos digitaisSegurança no recebimento e guarda de documentos digitais
Segurança no recebimento e guarda de documentos digitais
 
Sistema GEDAVE
Sistema GEDAVESistema GEDAVE
Sistema GEDAVE
 
Apresentação de Resultados Harmonização da Fiscalização - SFAs
Apresentação de Resultados Harmonização da Fiscalização - SFAsApresentação de Resultados Harmonização da Fiscalização - SFAs
Apresentação de Resultados Harmonização da Fiscalização - SFAs
 
Boas Práticas Regulatórias
Boas Práticas RegulatóriasBoas Práticas Regulatórias
Boas Práticas Regulatórias
 
Boas Práticas Regulatórias: Análise de Impacto Regulatório
Boas Práticas Regulatórias: Análise de Impacto RegulatórioBoas Práticas Regulatórias: Análise de Impacto Regulatório
Boas Práticas Regulatórias: Análise de Impacto Regulatório
 
Campanha contra defensivos agrícolas ilegais
Campanha contra defensivos agrícolas ilegaisCampanha contra defensivos agrícolas ilegais
Campanha contra defensivos agrícolas ilegais
 
Impacto da adoção de tecnologias na agricultura brasileira
Impacto da adoção de tecnologias na agricultura brasileiraImpacto da adoção de tecnologias na agricultura brasileira
Impacto da adoção de tecnologias na agricultura brasileira
 
Impacto econômico de pragas agrícolas no Brasil
Impacto econômico de pragas agrícolas no BrasilImpacto econômico de pragas agrícolas no Brasil
Impacto econômico de pragas agrícolas no Brasil
 
Novas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos e afins
Novas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos e afinsNovas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos e afins
Novas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos e afins
 
Novas Legislações e Procedimentos na área de Agrotóxicos
Novas Legislações e Procedimentos na área de AgrotóxicosNovas Legislações e Procedimentos na área de Agrotóxicos
Novas Legislações e Procedimentos na área de Agrotóxicos
 
Novas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos
Novas legislações e procedimentos na área de agrotóxicosNovas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos
Novas legislações e procedimentos na área de agrotóxicos
 
Gestão e Inovação, para quê?
Gestão e Inovação, para quê?Gestão e Inovação, para quê?
Gestão e Inovação, para quê?
 
Programa Estadual de Análise Fiscais de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos ...
Programa Estadual de Análise Fiscais de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos ...Programa Estadual de Análise Fiscais de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos ...
Programa Estadual de Análise Fiscais de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos ...
 
Gestão de Defesa Animal e Vegetal - GEDAVE
Gestão de Defesa Animal e Vegetal - GEDAVEGestão de Defesa Animal e Vegetal - GEDAVE
Gestão de Defesa Animal e Vegetal - GEDAVE
 
Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos no Brasil - Área A...
Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos no Brasil - Área A...Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos no Brasil - Área A...
Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos no Brasil - Área A...
 
Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos na Anvisa
Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos na AnvisaSituação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos na Anvisa
Situação atual dos processos de reavaliação de agrotóxicos na Anvisa
 
Sistema de Fiscalização do Comércio de Agrotóxicos no Estado de Rondônia - SI...
Sistema de Fiscalização do Comércio de Agrotóxicos no Estado de Rondônia - SI...Sistema de Fiscalização do Comércio de Agrotóxicos no Estado de Rondônia - SI...
Sistema de Fiscalização do Comércio de Agrotóxicos no Estado de Rondônia - SI...
 

Enfisa 2015 - Assistência Técnica e Extensão Rural - impacto sobre o uso adequado de agrotóxicos no Brasil

  • 1. ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL IMPACTO SOBRE O USO ADEQUADO DE AGROTÓXICOS NO BRASIL
  • 2. •ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL – HISTÓRICO, SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS •USO DE AGROTÓXICOS – QUAIS SÃO OS PROBLEMAS? •ASSISTÊNCIA TÉCNICA E ORIENTAÇÃO SOBRE UTILIZAÇÃO DE AGROTÓXICOS •DESAFIOS
  • 3. ACAR Minas Gerais 1948 ABCAR 1956 ABCAR vinculada ao Ministério da Agricultura 1969 EMBRATER SIBRATER 1974 ATER no MDA 2003 Extinção da EMBRATER 1990 Lei Geral de ATER 2010 1025 escritórios municipais Presente em 4056 municípios Presente 5359 municípios ANATER 2013
  • 4. Definição de ATER: “Serviço de educação não formal, de caráter continuado, no meio rural, que promove processos de gestão, produção, beneficiamento e comercialização das atividades e dos serviços agropecuários e não agropecuários, inclusive das atividades agroextrativistas, florestais e artesanais.” (Lei nº 12.188/2010)
  • 5. Extensão Rural Pública: • Abrange os 27 Estados; • 5.359 municípios (96% do País); • 15,7 mil extensionistas e mais de 9 mil administrativos; • 2,3 milhões de beneficiários (53% dos agricultores familiares do País); • 2 milhões de agricultores familiares não recebem assistência técnica.
  • 6. Assistência Técnica e Extensão Rural no Brasil
  • 7. Sistema Público de Assistência Técnica e Extensão Rural • Tipos de Entidades Estaduais: - exclusivamente de Ater (“Emateres”); - fusão com instituição de pesquisa agropecuária; - fusão com instituição de desenvolvimento rural (ex.: abastecimento, defesa sanitária e armazenagem).
  • 8. Situação da Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) no Brasil • Atendimento de 862.000 agricultores via contrato de prestação de serviços* (2013): – Serviços já contratados pelo MDA : 459.000 – Serviços em contratação pelo MDA nos próximos 4 meses (vigência de 2 a 3 anos): 343.000 – Ceplac/MAPA: 60.000 • Estrutura atual de ATER – Entidades de ATER credenciadas no MDA/INCRA: 690 – Entidades estaduais: 27 – Municípios que possuem estrutura própria de ATER: 1.042 • Estimativa de técnicos de ATER envolvidos: – Técnicos nas EMATERs: 15.745 – Técnicos sistema privado (empresas e ONGs): 7.000 – Técnicos no sistema cooperativista: 7.000 – Sistema S – SENAR SEBRAE – Outros técnicos** * Convênios e contratos vigentes - com recurso do Governo Federal **Empresas de planejamento, de revenda de insumos, tradings e integradoras 2,3 milhões de agricultores com algum contato com serviços de Ater
  • 9. Aumentar o número de pequenos e médios agricultores com ATER e qualificar o serviço Atuação da ANATER Assistência técnica ao produtor rural em todas as etapas da produção. Atuação integrada com a Embrapa para a transferência de tecnologia. Foco Promover a apropriação de tecnologias pelos produtores, com aumentos de produtividade e renda
  • 10. Agricultura familiar – 4.360.000 1.308.000 - sem renda agropecuária 3.052.000 – com renda agropecuária Médio Produtor Rural – 516.800 Público Prioritário da ANATER
  • 11. Atribuições da ANATER Credenciar entidades públicas e privadas Contratar e disponibilizar serviçosQualificar os profissionais Acreditar as entidades quanto a qualidade do serviço prestado Monitorar e avaliar resultados Transferir tecnologia e inovação
  • 12. Poder Público Federal e ANATER ANATER MPA MAPA MDA MMA Orçamento Prioridade, público, abrangência Entidades Públicas Entidades Privadas Sem fins lucrativos Cooperativas Empresas
  • 13. Próximos passos para implantar a ANATER •Nomeação da Diretoria, do Conselho de Administração e do Conselho Fiscal •Contrato de Gestão com o Executivo Federal •Estatuto •Regulamentos: licitação, contratos e convênios •Regulamento de credenciamento e acreditação de entidades prestadoras de serviços
  • 14. PERSPECTIVAS PARA ATER NO BRASIL • Ampliação de beneficiários – inclusão dos médios produtores • Qualificação dos serviços de ATER – com “acreditação” – avaliação de desempenho • Investimentos fortes em capacitação de técnicos • Integração da Extensão Rural com a Pesquisa Agropecuária • Incorporar tecnologias de informação e comunicação (TICs) • Coordenação dos diversos prestadores de serviço de ATER •Ampliação de recursos da União (????)
  • 15. •ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL – HISTÓRICO, SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS •USO DE AGROTÓXICOS – QUAIS SÃO OS PROBLEMAS? •ASSISTÊNCIA TÉCNICA E ORIENTAÇÃO SOBRE UTILIZAÇÃO DE AGROTÓXICOS •DESAFIOS
  • 17. UTILIZAÇÃO DE AGROTÓXICOS 1.396.069 Estabelecimentos utilizaram agrotóxicos 785.397 (56,3%) - Declararam que não receberam orientação técnica 316.174 (22,6%) - Ocasionalmente receberam orientação técnica 294.498 (21,1%) - Receberam regularmente orientação técnica 296.697 (21,3%) - não utilizaram nenhum tipo de EPI 27% Do total de estabelecimentos Censo Agropecuário 2006 - IBGE
  • 18. PROGRAMA DE ANÁLISE DE RESÍDUOS DE AGROTÓXICOS EM ALIMENTOS (PARA) ANVISA – MINISTÉRIO DA SAÚDE Iniciado em 2001 Até 2012 foram mais de 20.000 amostras analisadas em 22 alimentos de origem vegetal Plano Nacional de Controle de Resíduos e Contaminantes MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Desde 1999 para produtos de origem animal Em 2013 – 13.770 análises – carnes (bovina, suína, aves, avestruz e equina) – leite- ovos – mel e pescados Desde 2008 para produtos vegetais Em 2013/2014 – 570 amostras analisadas Porque o Brasil possui dois programas nacionais de monitoramento? O que tem sido feito com base nos resultados dos programas de monitoramento?
  • 19. RAMA: Estrutura do Programa Coleta de Amostra PARA Coleta de Amostra RAMA RASTREAMENTO 19
  • 20. RAMA: Painel de Monitoramento  Converge TODAs as informações do status Conforme ou Inconforme dos Fornecedores e dos Produtos amostrados, criando um bechmark entre Estaduais, Supermercados, Fornecedores e Produtos;  Organiza o Fluxo de Informação para respostas a Planos de Ação quando ocorre Inconformidades;  Permite o compartilhamento dos resultados, evidenciando os bons fornecedores para o Mercado Varejista (no quesito resíduos de Agrotóxico). 20
  • 21. Detalhamento da Origem (Produtor), Fornecedor, Varejo, Produto e status da Resposta ao Plano de Ação (quando necessário) RAMA: Painel de Monitoramento 21
  • 23. •ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL – HISTÓRICO, SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS •USO DE AGROTÓXICOS – QUAIS SÃO OS PROBLEMAS? •ASSISTÊNCIA TÉCNICA E ORIENTAÇÃO SOBRE UTILIZAÇÃO DE AGROTÓXICOS •DESAFIOS
  • 24. BOAS PRÁTICAS AGROPECUÁRIAS – BPA PRODUÇÃO INTEGRADA MORANGO ATIBAIA SP EMBRAPA – CATI – SEBRAE - ASSOCIAÇÃO DE PRODUTORES
  • 31. CONCURSO DE BOAS PRÁTICAS AGROPECUÁRIAS PIPIRIPAU - DF EMATER DF – SEC DE AGRICULTURA – VIGILÂNCIA SANITÁRIA - ASSOCIAÇÃO DE PRODUTORES
  • 36. ITENS AVALIADOS % PESO RESULTADO ORGANIZAÇÃO E LIMPEZA DA PROPRIEDADE 83% 9,5 7,9 USO DE AGROTÓXICOS 85% 15,9 13,5 COLHEITA E CLASSIFICAÇÃO 100% 7,9 7,9 ASPECTOS SOCIAIS (LEGISLAÇÃO TRABALHISTA) 100% 7,9 7,9 ASPECTOS AGRONÔMICOS 80% 7,9 6,3 ÁGUA PARA CONSUMO 50% 4,8 2,4 HABITAÇÃO 83% 4,8 4,0 INSTALAÇÕES E ABRIGOS PARA ANIMAIS DOMÉSTICOS 50% 1,6 0,8 MÁQUINAS EQUIPAMENTO E UTENSÍLIOS 100% 4,8 4,8 SANITÁRIO / VESTIÁRIO 100% 3,2 3,2 ASPECTOS AMBIENTAIS 100% 6,3 6,3 PRÁTICAS CONSERVACIONISTAS 83% 9,5 7,9 HIGIENE DE UTENSÍLIOS E EQUIPAMENTOS 0% 3,2 0,0 INFRA-ESTRUTURA DA PROPRIEDADE 100% 6,3 6,3 IRRIGAÇÃO 100% 4,8 4,8 MEDIDAS SANITÁRIAS 100% 1,6 1,6 CONFORMIDADE : 85,7 %
  • 44. ITENS AVALIADOS % PESO RESULTADO ORGANIZAÇÃO E LIMPEZA DA PROPRIEDADE 83% 9,5 7,9 USO DE AGROTÓXICOS 90% 15,9 14,3 COLHEITA E CLASSIFICAÇÃO 100% 7,9 7,9 ASPECTOS SOCIAIS (LEGISLAÇÃO TRABALHISTA) 90% 7,9 7,1 ASPECTOS AGRONÔMICOS 60% 7,9 4,8 ÁGUA PARA CONSUMO 100% 4,8 4,8 HABITAÇÃO 100% 4,8 4,8 INSTALAÇÕES E ABRIGOS PARA ANIMAIS DOMÉSTICOS 100% 1,6 1,6 MÁQUINAS EQUIPAMENTO E UTENSÍLIOS 83% 4,8 4,0 SANITÁRIO / VESTIÁRIO 100% 3,2 3,2 ASPECTOS AMBIENTAIS 75% 6,3 4,8 PRÁTICAS CONSERVACIONISTAS 100% 9,5 9,5 HIGIENE DE UTENSÍLIOS E EQUIPAMENTOS 100% 3,2 3,2 INFRA-ESTRUTURA DA PROPRIEDADE 100% 6,3 6,3 IRRIGAÇÃO 75% 4,8 3,6 MEDIDAS SANITÁRIAS 75% 1,6 1,2 CONFORMIDADE : 88,9 %
  • 45. ITENS AVALIADOS % PESO RESULTADO ORGANIZAÇÃO E LIMPEZA DA PROPRIEDADE 100% 9,5 9,5 USO DE AGROTÓXICOS 95% 15,9 15,1 COLHEITA E CLASSIFICAÇÃO 100% 7,9 7,9 ASPECTOS SOCIAIS (LEGISLAÇÃO TRABALHISTA) 90% 7,9 7,1 ASPECTOS AGRONÔMICOS 80% 7,9 6,3 ÁGUA PARA CONSUMO 100% 4,8 4,8 HABITAÇÃO 83% 4,8 4,0 INSTALAÇÕES E ABRIGOS PARA ANIMAIS DOMÉSTICOS 100% 1,6 1,6 MÁQUINAS EQUIPAMENTO E UTENSÍLIOS 100% 4,8 4,8 SANITÁRIO / VESTIÁRIO 100% 3,2 3,2 ASPECTOS AMBIENTAIS 100% 6,3 6,3 PRÁTICAS CONSERVACIONISTAS 92% 9,5 8,7 HIGIENE DE UTENSÍLIOS E EQUIPAMENTOS 75% 3,2 2,4 INFRA-ESTRUTURA DA PROPRIEDADE 100% 6,3 6,3 IRRIGAÇÃO 100% 4,8 4,8 MEDIDAS SANITÁRIAS 100% 1,6 1,6 CONFORMIDADE : 94,4 %
  • 46. PRODUÇÃO INTEGRADA DO CAFÉ MG UFV – UFLA - EPAMIG – EMATER MG - COOPERATIVAS
  • 47. Norma Técnica Específica da Produção Integrada do Café Composta de: • Áreas temáticas; • Caderno de Campo; • Caderno de Pós-colheita; • Grade de Agrotóxicos; • Lista de Verificação de Auditoria; • Ementa dos cursos para Auditor e RT.
  • 48. Fungicida Inseticida Acaricida Herbicida Nematicida (%) 33,00 50,00 50,00 66,00 100,00 Racionalização do uso de agrotóxicos na cafeicultura Fonte: L. Zambolim, 2009.
  • 49. PRODUÇÃO COM INTRODUÇÃO DE CONTROLE BIOLÓGICO PROVINCIA DE CORRIENTES - ARGENTINA DIREÇÃO DE PRODUÇÃO VEGETAL
  • 50. “Pacote” para controle biológico - Pimentão Insetos incluídos:  Orius Insidiosus: (2,5/m2). Pedrador de trips, ovos e ninfas de mosca branca. Amblyseius californicus: Predador de ovos de mosca blanca, ovos e ninfas de trips, acaro branco. Amblyseius swirskii:(4botellas /ha.). Predador de trips e mosca blanca Assistência técnica Protocolo de manejo
  • 51. Control de plagas y enfermedades método Biocontrol Productos Bio Aplicaciones Grales Totales Tracer 1 o 2 2 Vertimec 2 + 2 de focos 4 Belt 3 + 1 de focos 4 Dipel 8 8 Oranis equivalente a 2 2 Neemazal 0,5 focos 0,5 Otros (chinche) 1,5 1,5 Insecticidas 22 Funguicidas 8 a 10 10 Foliares-estimulante 10 10 Ministerio de Producción Trabajo y Turismo
  • 52. Control de plagas y enfermedades método convencional Productos Aplicaciones Grales Totales Traser 7 7 Dicarsol 1 1 Vertimec 6 6 Decis forte 4 4 Clorpirifos 2 2 Karate 1 1 Confidor Fumigado 6 6 Confidor x riego 3 Lanate 3 3 Lupara 2 2 Padan 3 3 Sanmite-endosulfan 3 3 Insecticidas 38 Funguicidas 14 Foliares-estimulantes 14 Ministerio de Producción Trabajo y Turismo
  • 53. Paraguay, Uruguay, Brasil Ministerio de Producción Trabajo y Turismo Propuesta de Comercialización Otros Mercados
  • 54. •ASSISTÊNCIA TÉCNICA E EXTENSÃO RURAL – HISTÓRICO, SITUAÇÃO ATUAL E PERSPECTIVAS •USO DE AGROTÓXICOS – QUAIS SÃO OS PROBLEMAS? •ASSISTÊNCIA TÉCNICA E ORIENTAÇÃO SOBRE UTILIZAÇÃO DE AGROTÓXICOS •DESAFIOS e CONCLUSÕES
  • 55. • RESÍDUOS DE AGROTÓXICOS EM ALIMENTOS (ACIMA DO LMR OU I.A. NÃO AUTORIZADO) – PRINCIPAL PROBLEMA RELACIONADO AOS AGROTÓXICOS PERCEBIDO PELA POPULAÇÃO EM GERAL •ASSUMINDO QUE A UTILIZAÇÃO INADEQUADA É A PRINCIPAL CAUSA DE NÃO CONFORMIDADES NOS PROGRAMAS DE MONITORAMENTO • EDUCAÇÃO E ASSISTÊNCIA TÉCNICA QUALIFICADA CONTRIBUEM PARA PRODUÇÃO DE ALIMENTOS SEGUROS • ADOÇÃO DE BPA RESULTA NA PRODUÇÃO DE ALIMENTOS SEGUROS • AMPLIAÇÃO DA ASSISTÊNCIA TÉCNICA QUALIFICADA • MASSIFICAÇÃO DA ADOÇÃO DE BOAS PRÁTICAS AGRÍCOLAS (BPA) PRINCIPAIS DESAFIOS PARA PRODUÇÃO DE ALIMENTOS SEGUROS
  • 56. • NECESSIDADE DE MAIOR DISPONIBILIDADE PARA O PRODUTOR DE INSUMOS BIOLÓGICOS, PRODUTOS PARA MIP E PARA CONTROLE BIOLÓGICO • RECONHECIMENTO PELO MERCADO INTERNO (ATACADO E VAREJO) DOS PRODUTOS PRODUZIDOS SOB BPA (CERTIFICADOS), ASSIM COMO JÁ OCORRE COM A PRODUÇÃO ORGÂNICA • FORMAÇÃO, CAPACITAÇÃO E PESQUISA • CARREIRAS DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DE SAÚDE • ESTUDANTES • AGRICULTORES • PROFISSIONAIS DO SETOR ATACADISTA E VAREJISTA • UNIVERSIDADES E INSTITUTOS DE PESQUISA • SETOR DE PRODUÇÃO E COMÉRCIO DE INSUMOS AGRÍCOLAS
  • 57. José Guilherme Tollstadius Leal Secretário de Agricultura, Abastecimento e Desenvolvimento Rural do Distrito Federal e-mail: jose.leal@agricultura.df.gov.br Fone: (61) 3052 6302