SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 8
Baixar para ler offline
PRODUÇÃO TEXTUAL
INTERDISCIPLINAR
EM GRUPO - PTG
PRODUÇÃO TEXTUAL
INTERDISCIPLINAR
EM GRUPO - PTG
ENCOMENDE CONOSCO ESTE PORTFÓLIO
WHATSAPP (91)988309316
E-mail: portfoliouniversitario@gmail.com
https://www.flashuniversitario.com.br/
PRODUÇÃO TEXTUAL
INTERDISCIPLINAR
EM GRUPO - PTG
Objetivos da
Aprendizagem:
A produção textual é um procedimento metodológico de ensino
aprendizagem que tem por objetivos:
• Instigar os alunos, apoiados nas informações presentes
na BNCC sobre a área da linguagem como ferramenta
norteadora, para o planejamento de atividades
diferenciadas.
• Relacionar teoria e prática, a fim de proporcionar
embasamento para atuação em atividades
extracurriculares.
• Desenvolver os estudos independentes, sistemáticos e o
autoaprendizado.
• Favorecer a aprendizagem.
• Promover a aplicação da teoria e conceitos para a
solução de problemas práticos relativos à profissão.
Prezados alunos,
Sejam bem-vindos a este semestre!
A proposta de Produção Textual Interdisciplinar em Grupo (PTG) terá como temática
“Hemodiálise”. Escolhemos esta temática para possibilitar a aprendizagem interdisciplinar dos
conteúdos desenvolvidos nas disciplinas desse semestre.
Inicialmente, é importante que você realize a leitura atenta da situação descrita para, na
sequência, seguir as orientações apresentadas em cada uma das etapas subsequentes de modo a
organizar suas ideias para a conclusão, com qualidade, deste trabalho.
Leitura e interpretação da SGA
Na Produção Textual em Grupo (PTG) vocês deverão, num primeiro momento, conhecer a
Situação Geradora de Aprendizagem (SGA) “Cistite não tratada adequadamente pode evoluir para
pielonefrite".
Num segundo momento, vocês deverão se envolver com a Situação Geradora de
Aprendizagem (SGA), inserindo-se nesse contexto para realizar as tarefas previstas. Para realizar
essas tarefas, sigam as orientações fornecidas nesse material e em fundamentações teóricas diversas
(livros das disciplinas, teleaulas, web aulas e outros materiais complementares, sejam estes indicados
pelos professores ou pesquisados por vocês).
PRODUÇÃO TEXTUAL
INTERDISCIPLINAR
EM GRUPO - PTG
Situação Geradora de Aprendizagem (SGA)
Situação-problema: Cuidados de enfermagem ao paciente renal crônico.
J.S.T, 65 anos, motorista de ônibus, procura Ambulatório de Especialidades com queixa de edema em
membros inferiores há sete meses, acompanhado de fadiga, perda ponderal de oito quilos nos
últimos sete meses e parestesias nos membros inferiores, há aproximadamente 30 dias. O paciente
revela ser hipertenso há 25 anos, fazendo uso irregular de losartana 50mg, além de diabetes mellitus
tipo 2 diagnosticado há dez anos, em uso de insulina NPH e lispro, sem controle adequado, além de
história de nefrolitíase há um ano. Refere ser tabagista, 1 maço/dia, há quarenta anos. Nega etilismo
e uso de substâncias psicoativas. Histórico familiar: pai, diabético e hipertenso, faleceu aos 56 anos
em decorrência de Infarto Agudo do Miocárdio (IAM); mãe, ainda viva e com 87 anos, também com
histórico de nefrolitíase. No exame físico geral, o paciente apresentava-se em REG, hidratado,
anictérico e acianótico. Mucosas hipocoradas e hidratadas. Altura: 1,80 metros. Peso: 74 kg. IMC:
22,8 kg/m². Circunferência abdominal: 78 cm. PA MSD: 150×95 mmHg. PA MSE: 145×90 mmHg. FC:
105bpm. FR: 24ipm. Temperatura: 36,8 ºC. Exame físico - Cardíaco: 2 bulhas rítmicas hiperfonéticas
em dois tempos. Respiratório: Murmúrios vesiculares pulmonares (som alveolar bem distribuído por
todo o pulmão), ausência de ruídos adventícios. Abdome: semigloboso, sem dor à palpação ou
visceromegalias. Vascular: presença de edema bilateral em MMII (2+/4+), de consistência mole e sem
sinais flogísticos (calor, rubor ou dor). Foram solicitados os seguintes exames: hemograma; glicemia
em jejum; proteinúria e clearance de creatinina na urina de 24 horas; níveis séricos de sódio, potássio,
creatinina, ureia, cálcio e fósforo; radiografia simples de tórax em PA e perfil, entre outros.
Hemograma revelou eritropenia (3,6 milhões/mm³) e anemia (Hb = 9,5 g/dL; hematócrito = 30%). A
investigação laboratorial inicial revelou insuficiência renal aguda com creatinina sérica de 3,56 mg/dL
(TFGe: 15 ml/min/1,73 m2), uréia de 118 mg/dL, acidose metabólica (bicarbonato 17 mEq/L) e
hipercalemia (potássio 6,0 mEq/L). Devido piora progressiva de função renal e surgimento de
sintomas urêmicos, o paciente foi internado para início de hemodiálise por cateter Shilley® em veia
jugular direita.
PRODUÇÃO TEXTUAL
INTERDISCIPLINAR
EM GRUPO - PTG
Agora, é com vocês!
Após a leitura da SGA acima, você e sua equipe deverão analisar os conceitos centrais
relacionados ao tema e responder os desafios apresentados a seguir:
Desafio 1: Enfermagem na Saúde do Adulto
A Insuficiência Renal Aguda (IRA) também conhecida como Lesão Renal Aguda (LRA) é uma das
complicações mais significativas em pacientes criticamente doentes, contribuindo para mais da
metade dos óbitos, aumentando o tempo de internação hospitalar e está associada à necessidade de
terapia renal substitutiva. Considerando a SGA, elabore um texto que contenha as seguintes
abordagens: Explique sobre a IRA e sua fisiopatologia. Associe as principais causas de IRA com as
comorbidades presentes no paciente em estudo. Determine as manifestações clínicas e os achados
diagnósticos para a IRA. Explique sobre o manejo de enfermagem nessas situações.
Desafio 2: Terapia Medicamentosa
Existem vários medicamentos que são considerados tóxicos para os rins e que podem levar à
insuficiência renal aguda, esses medicamentos são conhecidos como nefrotóxicos. Eles são
responsáveis por cerca de um terço das falências renais agudas adquiridas em ambientes
hospitalares, assim como por um número ainda incalculável de disfunções renais que ocorrem em
pacientes submetidos a tratamentos ambulatoriais. Por isso, é de extrema importância o enfermeiro
conhecer as especificidades das classes medicamentosas. Diante desse contexto, exemplifique três
tipos de medicamentos que são considerados nefrotóxicos e explique com o que essa toxicidade está
relacionada.
Desafio 3: Fundamentos Técnicos de Enfermagem
Para a realização da hemodiálise a inserção do um cateter venoso central (CVC) de duplo lúmen em
veia jugular, femoral ou subclávia, se faz necessário, até a confecção e maturação da fístula
arteriovenosa (FAV), em situações de cronicidade. Embora seja um acesso temporário, o CVC
imprime risco de complicações, sendo a mais relevante a infecção no sítio de inserção ou sistêmica,
devido à quebra da integridade cutânea e tissular, com manipulação frequente. Neste contexto, a
PRODUÇÃO TEXTUAL
INTERDISCIPLINAR
EM GRUPO - PTG
equipe de enfermagem tem papel fundamental na prevenção de agravos, os quais correspondem ao
aumento das taxas de morbimortalidade em pacientes submetidos ao tratamento hemodialítico.
Dito isso, explique como deve ser realizado o curativo em CVC, além de citar alguns cuidados de
prevenção de infecção de corrente sanguínea associado ao uso de cateter.
Desafio 4: Didática aplicada à enfermagem
Uma das dimensões do trabalho do enfermeiro é o ENSINO. Em todos os aspectos do nosso trabalho
enquanto enfermeiros trabalhamos com a educação, podendo ser a educação em saúde, educação
permanente e educação continuada. O espaço entre educação e o mundo do trabalho em saúde
precisa, portanto, ser ampliado em formas e possibilidades como um dos caminhos para repensar e
reconstruir a prática assistencial em saúde. É preciso ousar, experimentar novas ideias, novas formas
de enfocar problemas, como condição inquestionável para essa reconstrução. Um dos problemas
identificados na nossa SGA foi a Insuficiência Renal Aguda. É importante que o enfermeiro enquanto
educador realize treinamentos com sua equipe para que ela realize um cuidado de enfermagem com
qualidade e atenção. Diante desse contexto, conceitue o que é plano de aula e descreva a sua
finalidade. E agora, você enquanto enfermeiro(a) responsável por uma unidade de internação, irá
desenvolver um plano de aula que será utilizado para conduzir um treinamento que você realizará
junto a sua equipe sobre a Insuficiência Renal Aguda, contendo pontos importantes no ensino para
que sua equipe preste uma assistência de qualidade para esse público.
REFERÊNCIAS SUGERIDAS
CHEEVER, Kerry H.; HINKLE, Janice L. Brunner e Suddarth: tratado de enfermagem médico-
cirúrgica, volumes 1 e 2. 14. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2020. [Minha Biblioteca]
FERREIRA, V. S. Didática. Porto Alegre: SAGAH, 2018. (Minha Biblioteca) Disponível:
http://bit.ly/3a0Wwr3. Acesso: 22 jan. 21.
PRODUÇÃO TEXTUAL
INTERDISCIPLINAR
EM GRUPO - PTG
GOMES, M. L. S et al. Avaliação das práticas de curativo de cateter venoso central de curta
permanência. Rev. enferm. UERJ, Rio de Janeiro, 2017. Disponível em: https://bit.ly/30Nxtr0.
Acesso em: 20 dez. 2021.
HOSPITAL DAS CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE. Cateteres para hemodiálise: orientações para
pacientes e familiares. Disponível em: https://bit.ly/3yIGttQ. Acesso em: 20 dez. 2021.
HOSPITAL DE CLÍNICAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO. Curativo do cateter
duplo lúmen de hemodiálise. Uberaba, 2021. Disponível em: https://bit.ly/32evIUf. Acesso em: 20
dez. 2021.
MELLO, P.A.; et al. Nefrotoxicidade e alterações de exames laboratoriais por fármacos: revisão da
literatura. Revista de Medicina USP.v.2, n. 100, p. 152-61, mar-abr. 2021. Disponível em:
https://www.revistas.usp.br/revistadc/article/view/180902 Acesso: 22 dez 2021.
OLIVEIRA, L. D. R. Didática Aplicada à Enfermagem. Londrina: Editora e Distribuidora Educacional
S.A., 2017.
PELLICO, Linda Honan. Enfermagem Médico-Cirúrgica. 1. Ed, Rio de Janeiro: Guanabara Koogan,
2015. [Minha Biblioteca]
THOMAZ, Marcia Cristina Aparecida. Enfermagem na saúde do adulto. Londrina: Editora e
Distribuidora Educacional S.A., 2017. [Biblioteca Virtual 3.0]
NORMAS PARA ELABORAÇÃO E ENTREGA DA PRODUÇÃO TEXTUAL
1. O trabalho será realizado em grupos, de 02 a 07 alunos, no máximo.
2. A formação dos grupos é de responsabilidade dos alunos; no entanto, solicitamos que sigam
as orientações do Tutor Presencial, responsável por cadastrar os grupos no sistema.
3. Importante: somente o líder do grupo conseguirá cadastrar o trabalho finalizado no sistema,
o que deverá ser feito na pasta específica (“atividades interdisciplinares”), obedecendo ao
PRODUÇÃO TEXTUAL
INTERDISCIPLINAR
EM GRUPO - PTG
prazo limite de postagem, conforme disposto no cronograma do curso. Não existe
prorrogação para a postagem da atividade.
4. O trabalho final deve conter, depois de pronto, capa e folha de rosto padrão da Universidade,
sendo organizado no que tange à sua apresentação visual (tipos e tamanhos de fontes,
alinhamento do texto, espaçamentos, adentramento de parágrafos, apresentação correta de
citações e referências, entre outros elementos importantes), conforme modelo disponível no
AVA.
5. A produção textual é um trabalho original e, portanto, não poderá haver trabalhos idênticos
aos de outros alunos ou com reprodução de materiais extraídos da internet. Os trabalhos
plagiados serão invalidados, sendo os alunos reprovados na atividade. Lembre-se de que a
prática do plágio constitui crime, com pena prevista em lei (Lei n.º 9.610), e deve ser evitada
no âmbito acadêmico.
6. Importante: O trabalho deve ser enviado em formato Word. Não serão aceitos, sob nenhuma
hipótese, trabalhos enviados em PDF.
A seguir, apresentamos a vocês alguns dos critérios avaliativos que nortearão a análise do
Tutor a Distância para atribuir o conceito à produção textual:
• Normalização correta do trabalho, em respeito às normas da ABNT, com atendimento ao
número de páginas solicitadas.
• Apresentação de estrutura condizente com a proposta apresentada (com introdução,
desenvolvimento e conclusão).
• Uso de linguagem acadêmica adequada, com clareza e correção, atendendo à norma
padrão.
• Atendimento à proposta, contemplando todos os itens solicitados, com objetividade,
criatividade, originalidade e autenticidade.
• Fundamentação teórica do trabalho, com as devidas referências dos autores
eventualmente citados.
PRODUÇÃO TEXTUAL
INTERDISCIPLINAR
EM GRUPO - PTG
Lembre-se de que seu Tutor a Distância está à disposição para lhes atender em suas dúvidas
e, também, para repassar orientações sempre que vocês precisarem. Aproveite esta oportunidade
para realizar um trabalho com a qualidade acadêmica de nível universitário.
Bom trabalho a todos!
Equipe de professores

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a ENFERMAGEM 5.pdf

5260 16704-1-pb
5260 16704-1-pb5260 16704-1-pb
5260 16704-1-pbufmaitz
 
Capacitacao a distancia para atencao basica hipertensao enfermeiro
Capacitacao a distancia para atencao basica hipertensao enfermeiroCapacitacao a distancia para atencao basica hipertensao enfermeiro
Capacitacao a distancia para atencao basica hipertensao enfermeiromanoelramosdeoliveir1
 
CUIDADOS DE ENFERMAGEM EM PACIENTES DE NEUROPATIA AUTONÔMICA CARDIACA (NAC) D...
CUIDADOS DE ENFERMAGEM EM PACIENTES DE NEUROPATIA AUTONÔMICA CARDIACA (NAC) D...CUIDADOS DE ENFERMAGEM EM PACIENTES DE NEUROPATIA AUTONÔMICA CARDIACA (NAC) D...
CUIDADOS DE ENFERMAGEM EM PACIENTES DE NEUROPATIA AUTONÔMICA CARDIACA (NAC) D...Luana Silva Souza
 
Manual terapia nutricional
Manual terapia nutricionalManual terapia nutricional
Manual terapia nutricionalEduarda Emanuela
 
Anais do XIX Congresso Brasileiro de Oncologia Clínica 2015
Anais do XIX Congresso Brasileiro de Oncologia Clínica 2015Anais do XIX Congresso Brasileiro de Oncologia Clínica 2015
Anais do XIX Congresso Brasileiro de Oncologia Clínica 2015Francisco H C Felix
 
Capacitacao a distancia para atencao basica hipertensao aux den
Capacitacao a distancia para atencao basica hipertensao aux denCapacitacao a distancia para atencao basica hipertensao aux den
Capacitacao a distancia para atencao basica hipertensao aux denmanoelramosdeoliveir1
 
Bexiga Hiperativa (Evidência & Guia)
Bexiga Hiperativa (Evidência & Guia) Bexiga Hiperativa (Evidência & Guia)
Bexiga Hiperativa (Evidência & Guia) Mgfamiliar Net
 
A hipertensão arterial sistêmica o paciente hipertenso e a atuação fisioterap...
A hipertensão arterial sistêmica o paciente hipertenso e a atuação fisioterap...A hipertensão arterial sistêmica o paciente hipertenso e a atuação fisioterap...
A hipertensão arterial sistêmica o paciente hipertenso e a atuação fisioterap...HELENO FAVACHO
 
2012 necessidades de informação de candidatos ao transplante de fígado karina...
2012 necessidades de informação de candidatos ao transplante de fígado karina...2012 necessidades de informação de candidatos ao transplante de fígado karina...
2012 necessidades de informação de candidatos ao transplante de fígado karina...Nádia Elizabeth Barbosa Villas Bôas
 
Campanha sobrevivendo à sepse 2012 mais atualizado
Campanha sobrevivendo à sepse 2012   mais atualizadoCampanha sobrevivendo à sepse 2012   mais atualizado
Campanha sobrevivendo à sepse 2012 mais atualizadoDaniel Valente
 
Nutrição - Acidente Vascular Cerebral.pdf
Nutrição - Acidente Vascular Cerebral.pdfNutrição - Acidente Vascular Cerebral.pdf
Nutrição - Acidente Vascular Cerebral.pdfHELENO FAVACHO
 
Capacitacao a distancia para atencao basica hipertensao medico
Capacitacao a distancia para atencao basica hipertensao medicoCapacitacao a distancia para atencao basica hipertensao medico
Capacitacao a distancia para atencao basica hipertensao medicomanoelramosdeoliveir1
 
Sistematização da Assistência de Enfermagem
Sistematização da Assistência de EnfermagemSistematização da Assistência de Enfermagem
Sistematização da Assistência de EnfermagemWhevergton Santos
 
Revista julho vfinal
Revista julho vfinalRevista julho vfinal
Revista julho vfinalPaula Augusta
 

Semelhante a ENFERMAGEM 5.pdf (20)

5260 16704-1-pb
5260 16704-1-pb5260 16704-1-pb
5260 16704-1-pb
 
Capacitacao a distancia para atencao basica hipertensao enfermeiro
Capacitacao a distancia para atencao basica hipertensao enfermeiroCapacitacao a distancia para atencao basica hipertensao enfermeiro
Capacitacao a distancia para atencao basica hipertensao enfermeiro
 
CUIDADOS DE ENFERMAGEM EM PACIENTES DE NEUROPATIA AUTONÔMICA CARDIACA (NAC) D...
CUIDADOS DE ENFERMAGEM EM PACIENTES DE NEUROPATIA AUTONÔMICA CARDIACA (NAC) D...CUIDADOS DE ENFERMAGEM EM PACIENTES DE NEUROPATIA AUTONÔMICA CARDIACA (NAC) D...
CUIDADOS DE ENFERMAGEM EM PACIENTES DE NEUROPATIA AUTONÔMICA CARDIACA (NAC) D...
 
ENFERMAGEM 7.pdf
ENFERMAGEM 7.pdfENFERMAGEM 7.pdf
ENFERMAGEM 7.pdf
 
Manual terapia nutricional
Manual terapia nutricionalManual terapia nutricional
Manual terapia nutricional
 
Anais do XIX Congresso Brasileiro de Oncologia Clínica 2015
Anais do XIX Congresso Brasileiro de Oncologia Clínica 2015Anais do XIX Congresso Brasileiro de Oncologia Clínica 2015
Anais do XIX Congresso Brasileiro de Oncologia Clínica 2015
 
Capacitacao a distancia para atencao basica hipertensao aux den
Capacitacao a distancia para atencao basica hipertensao aux denCapacitacao a distancia para atencao basica hipertensao aux den
Capacitacao a distancia para atencao basica hipertensao aux den
 
19th Congress of the SPMI
19th Congress of the SPMI19th Congress of the SPMI
19th Congress of the SPMI
 
Bexiga Hiperativa (Evidência & Guia)
Bexiga Hiperativa (Evidência & Guia) Bexiga Hiperativa (Evidência & Guia)
Bexiga Hiperativa (Evidência & Guia)
 
Septic patient
Septic patientSeptic patient
Septic patient
 
A hipertensão arterial sistêmica o paciente hipertenso e a atuação fisioterap...
A hipertensão arterial sistêmica o paciente hipertenso e a atuação fisioterap...A hipertensão arterial sistêmica o paciente hipertenso e a atuação fisioterap...
A hipertensão arterial sistêmica o paciente hipertenso e a atuação fisioterap...
 
2012 necessidades de informação de candidatos ao transplante de fígado karina...
2012 necessidades de informação de candidatos ao transplante de fígado karina...2012 necessidades de informação de candidatos ao transplante de fígado karina...
2012 necessidades de informação de candidatos ao transplante de fígado karina...
 
Campanha sobrevivendo à sepse 2012 mais atualizado
Campanha sobrevivendo à sepse 2012   mais atualizadoCampanha sobrevivendo à sepse 2012   mais atualizado
Campanha sobrevivendo à sepse 2012 mais atualizado
 
Projeto TCC - Banner
Projeto TCC - BannerProjeto TCC - Banner
Projeto TCC - Banner
 
Nutrição - Acidente Vascular Cerebral.pdf
Nutrição - Acidente Vascular Cerebral.pdfNutrição - Acidente Vascular Cerebral.pdf
Nutrição - Acidente Vascular Cerebral.pdf
 
Capacitacao a distancia para atencao basica hipertensao medico
Capacitacao a distancia para atencao basica hipertensao medicoCapacitacao a distancia para atencao basica hipertensao medico
Capacitacao a distancia para atencao basica hipertensao medico
 
Residencia Uerj Donato
Residencia Uerj DonatoResidencia Uerj Donato
Residencia Uerj Donato
 
Residecnia uerj donato
Residecnia uerj donatoResidecnia uerj donato
Residecnia uerj donato
 
Sistematização da Assistência de Enfermagem
Sistematização da Assistência de EnfermagemSistematização da Assistência de Enfermagem
Sistematização da Assistência de Enfermagem
 
Revista julho vfinal
Revista julho vfinalRevista julho vfinal
Revista julho vfinal
 

Mais de ArlenoFavacho2

Mais de ArlenoFavacho2 (20)

ESTAGIO CONTABEIS.pdf
ESTAGIO CONTABEIS.pdfESTAGIO CONTABEIS.pdf
ESTAGIO CONTABEIS.pdf
 
Estágio em Nutrição e Saúde Coletiva.pdf
Estágio em Nutrição e Saúde Coletiva.pdfEstágio em Nutrição e Saúde Coletiva.pdf
Estágio em Nutrição e Saúde Coletiva.pdf
 
NUTRIÇÃO 7 E 8.pdf
NUTRIÇÃO 7 E 8.pdfNUTRIÇÃO 7 E 8.pdf
NUTRIÇÃO 7 E 8.pdf
 
Estágio em Alimentação Coletiva.pdf
Estágio em Alimentação Coletiva.pdfEstágio em Alimentação Coletiva.pdf
Estágio em Alimentação Coletiva.pdf
 
ENFERMAGEM 7 E 8.pdf
ENFERMAGEM 7 E 8.pdfENFERMAGEM 7 E 8.pdf
ENFERMAGEM 7 E 8.pdf
 
ENFERMAGEM 5 E 6.pdf
ENFERMAGEM 5 E 6.pdfENFERMAGEM 5 E 6.pdf
ENFERMAGEM 5 E 6.pdf
 
GESTAO PUBLICA 2.pdf
GESTAO PUBLICA 2.pdfGESTAO PUBLICA 2.pdf
GESTAO PUBLICA 2.pdf
 
PROJET TI.pdf
PROJET TI.pdfPROJET TI.pdf
PROJET TI.pdf
 
RH 2 E 3.pdf
RH 2 E 3.pdfRH 2 E 3.pdf
RH 2 E 3.pdf
 
PLANO DE ESTAGIO LICENCIATURAS.pdf
PLANO DE ESTAGIO LICENCIATURAS.pdfPLANO DE ESTAGIO LICENCIATURAS.pdf
PLANO DE ESTAGIO LICENCIATURAS.pdf
 
ESTAGIO DE CAMPO LICENCIATURAS.pdf
ESTAGIO DE CAMPO LICENCIATURAS.pdfESTAGIO DE CAMPO LICENCIATURAS.pdf
ESTAGIO DE CAMPO LICENCIATURAS.pdf
 
ESTAGIO ENFERMAGEM II.pdf
ESTAGIO ENFERMAGEM II.pdfESTAGIO ENFERMAGEM II.pdf
ESTAGIO ENFERMAGEM II.pdf
 
ESTAGIO CONTABEIS.pdf
ESTAGIO CONTABEIS.pdfESTAGIO CONTABEIS.pdf
ESTAGIO CONTABEIS.pdf
 
ESTAGIO FARMACIA 80H.pdf
ESTAGIO FARMACIA 80H.pdfESTAGIO FARMACIA 80H.pdf
ESTAGIO FARMACIA 80H.pdf
 
TI 02.pdf
TI 02.pdfTI 02.pdf
TI 02.pdf
 
Fake News.pdf
Fake News.pdfFake News.pdf
Fake News.pdf
 
TI 03.pdf
TI 03.pdfTI 03.pdf
TI 03.pdf
 
PEDAGOGIA 4 E 5.pdf
PEDAGOGIA 4 E 5.pdfPEDAGOGIA 4 E 5.pdf
PEDAGOGIA 4 E 5.pdf
 
AREAS DA SAUDE.pdf
AREAS DA SAUDE.pdfAREAS DA SAUDE.pdf
AREAS DA SAUDE.pdf
 
EDF 8.pdf
EDF 8.pdfEDF 8.pdf
EDF 8.pdf
 

Último

6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptxErivaldoLima15
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfpaulafernandes540558
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024SamiraMiresVieiradeM
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxAULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxrenatacolbeich1
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdfDemetrio Ccesa Rayme
 

Último (20)

6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
6°ano Uso de pontuação e acentuação.pptx
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
PLANO ANUAL 1ª SÉRIE - Língua portuguesa 2024
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxAULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
 

ENFERMAGEM 5.pdf

  • 1. PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR EM GRUPO - PTG PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR EM GRUPO - PTG ENCOMENDE CONOSCO ESTE PORTFÓLIO WHATSAPP (91)988309316 E-mail: portfoliouniversitario@gmail.com https://www.flashuniversitario.com.br/
  • 2. PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR EM GRUPO - PTG Objetivos da Aprendizagem: A produção textual é um procedimento metodológico de ensino aprendizagem que tem por objetivos: • Instigar os alunos, apoiados nas informações presentes na BNCC sobre a área da linguagem como ferramenta norteadora, para o planejamento de atividades diferenciadas. • Relacionar teoria e prática, a fim de proporcionar embasamento para atuação em atividades extracurriculares. • Desenvolver os estudos independentes, sistemáticos e o autoaprendizado. • Favorecer a aprendizagem. • Promover a aplicação da teoria e conceitos para a solução de problemas práticos relativos à profissão. Prezados alunos, Sejam bem-vindos a este semestre! A proposta de Produção Textual Interdisciplinar em Grupo (PTG) terá como temática “Hemodiálise”. Escolhemos esta temática para possibilitar a aprendizagem interdisciplinar dos conteúdos desenvolvidos nas disciplinas desse semestre. Inicialmente, é importante que você realize a leitura atenta da situação descrita para, na sequência, seguir as orientações apresentadas em cada uma das etapas subsequentes de modo a organizar suas ideias para a conclusão, com qualidade, deste trabalho. Leitura e interpretação da SGA Na Produção Textual em Grupo (PTG) vocês deverão, num primeiro momento, conhecer a Situação Geradora de Aprendizagem (SGA) “Cistite não tratada adequadamente pode evoluir para pielonefrite". Num segundo momento, vocês deverão se envolver com a Situação Geradora de Aprendizagem (SGA), inserindo-se nesse contexto para realizar as tarefas previstas. Para realizar essas tarefas, sigam as orientações fornecidas nesse material e em fundamentações teóricas diversas (livros das disciplinas, teleaulas, web aulas e outros materiais complementares, sejam estes indicados pelos professores ou pesquisados por vocês).
  • 3. PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR EM GRUPO - PTG Situação Geradora de Aprendizagem (SGA) Situação-problema: Cuidados de enfermagem ao paciente renal crônico. J.S.T, 65 anos, motorista de ônibus, procura Ambulatório de Especialidades com queixa de edema em membros inferiores há sete meses, acompanhado de fadiga, perda ponderal de oito quilos nos últimos sete meses e parestesias nos membros inferiores, há aproximadamente 30 dias. O paciente revela ser hipertenso há 25 anos, fazendo uso irregular de losartana 50mg, além de diabetes mellitus tipo 2 diagnosticado há dez anos, em uso de insulina NPH e lispro, sem controle adequado, além de história de nefrolitíase há um ano. Refere ser tabagista, 1 maço/dia, há quarenta anos. Nega etilismo e uso de substâncias psicoativas. Histórico familiar: pai, diabético e hipertenso, faleceu aos 56 anos em decorrência de Infarto Agudo do Miocárdio (IAM); mãe, ainda viva e com 87 anos, também com histórico de nefrolitíase. No exame físico geral, o paciente apresentava-se em REG, hidratado, anictérico e acianótico. Mucosas hipocoradas e hidratadas. Altura: 1,80 metros. Peso: 74 kg. IMC: 22,8 kg/m². Circunferência abdominal: 78 cm. PA MSD: 150×95 mmHg. PA MSE: 145×90 mmHg. FC: 105bpm. FR: 24ipm. Temperatura: 36,8 ºC. Exame físico - Cardíaco: 2 bulhas rítmicas hiperfonéticas em dois tempos. Respiratório: Murmúrios vesiculares pulmonares (som alveolar bem distribuído por todo o pulmão), ausência de ruídos adventícios. Abdome: semigloboso, sem dor à palpação ou visceromegalias. Vascular: presença de edema bilateral em MMII (2+/4+), de consistência mole e sem sinais flogísticos (calor, rubor ou dor). Foram solicitados os seguintes exames: hemograma; glicemia em jejum; proteinúria e clearance de creatinina na urina de 24 horas; níveis séricos de sódio, potássio, creatinina, ureia, cálcio e fósforo; radiografia simples de tórax em PA e perfil, entre outros. Hemograma revelou eritropenia (3,6 milhões/mm³) e anemia (Hb = 9,5 g/dL; hematócrito = 30%). A investigação laboratorial inicial revelou insuficiência renal aguda com creatinina sérica de 3,56 mg/dL (TFGe: 15 ml/min/1,73 m2), uréia de 118 mg/dL, acidose metabólica (bicarbonato 17 mEq/L) e hipercalemia (potássio 6,0 mEq/L). Devido piora progressiva de função renal e surgimento de sintomas urêmicos, o paciente foi internado para início de hemodiálise por cateter Shilley® em veia jugular direita.
  • 4. PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR EM GRUPO - PTG Agora, é com vocês! Após a leitura da SGA acima, você e sua equipe deverão analisar os conceitos centrais relacionados ao tema e responder os desafios apresentados a seguir: Desafio 1: Enfermagem na Saúde do Adulto A Insuficiência Renal Aguda (IRA) também conhecida como Lesão Renal Aguda (LRA) é uma das complicações mais significativas em pacientes criticamente doentes, contribuindo para mais da metade dos óbitos, aumentando o tempo de internação hospitalar e está associada à necessidade de terapia renal substitutiva. Considerando a SGA, elabore um texto que contenha as seguintes abordagens: Explique sobre a IRA e sua fisiopatologia. Associe as principais causas de IRA com as comorbidades presentes no paciente em estudo. Determine as manifestações clínicas e os achados diagnósticos para a IRA. Explique sobre o manejo de enfermagem nessas situações. Desafio 2: Terapia Medicamentosa Existem vários medicamentos que são considerados tóxicos para os rins e que podem levar à insuficiência renal aguda, esses medicamentos são conhecidos como nefrotóxicos. Eles são responsáveis por cerca de um terço das falências renais agudas adquiridas em ambientes hospitalares, assim como por um número ainda incalculável de disfunções renais que ocorrem em pacientes submetidos a tratamentos ambulatoriais. Por isso, é de extrema importância o enfermeiro conhecer as especificidades das classes medicamentosas. Diante desse contexto, exemplifique três tipos de medicamentos que são considerados nefrotóxicos e explique com o que essa toxicidade está relacionada. Desafio 3: Fundamentos Técnicos de Enfermagem Para a realização da hemodiálise a inserção do um cateter venoso central (CVC) de duplo lúmen em veia jugular, femoral ou subclávia, se faz necessário, até a confecção e maturação da fístula arteriovenosa (FAV), em situações de cronicidade. Embora seja um acesso temporário, o CVC imprime risco de complicações, sendo a mais relevante a infecção no sítio de inserção ou sistêmica, devido à quebra da integridade cutânea e tissular, com manipulação frequente. Neste contexto, a
  • 5. PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR EM GRUPO - PTG equipe de enfermagem tem papel fundamental na prevenção de agravos, os quais correspondem ao aumento das taxas de morbimortalidade em pacientes submetidos ao tratamento hemodialítico. Dito isso, explique como deve ser realizado o curativo em CVC, além de citar alguns cuidados de prevenção de infecção de corrente sanguínea associado ao uso de cateter. Desafio 4: Didática aplicada à enfermagem Uma das dimensões do trabalho do enfermeiro é o ENSINO. Em todos os aspectos do nosso trabalho enquanto enfermeiros trabalhamos com a educação, podendo ser a educação em saúde, educação permanente e educação continuada. O espaço entre educação e o mundo do trabalho em saúde precisa, portanto, ser ampliado em formas e possibilidades como um dos caminhos para repensar e reconstruir a prática assistencial em saúde. É preciso ousar, experimentar novas ideias, novas formas de enfocar problemas, como condição inquestionável para essa reconstrução. Um dos problemas identificados na nossa SGA foi a Insuficiência Renal Aguda. É importante que o enfermeiro enquanto educador realize treinamentos com sua equipe para que ela realize um cuidado de enfermagem com qualidade e atenção. Diante desse contexto, conceitue o que é plano de aula e descreva a sua finalidade. E agora, você enquanto enfermeiro(a) responsável por uma unidade de internação, irá desenvolver um plano de aula que será utilizado para conduzir um treinamento que você realizará junto a sua equipe sobre a Insuficiência Renal Aguda, contendo pontos importantes no ensino para que sua equipe preste uma assistência de qualidade para esse público. REFERÊNCIAS SUGERIDAS CHEEVER, Kerry H.; HINKLE, Janice L. Brunner e Suddarth: tratado de enfermagem médico- cirúrgica, volumes 1 e 2. 14. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2020. [Minha Biblioteca] FERREIRA, V. S. Didática. Porto Alegre: SAGAH, 2018. (Minha Biblioteca) Disponível: http://bit.ly/3a0Wwr3. Acesso: 22 jan. 21.
  • 6. PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR EM GRUPO - PTG GOMES, M. L. S et al. Avaliação das práticas de curativo de cateter venoso central de curta permanência. Rev. enferm. UERJ, Rio de Janeiro, 2017. Disponível em: https://bit.ly/30Nxtr0. Acesso em: 20 dez. 2021. HOSPITAL DAS CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE. Cateteres para hemodiálise: orientações para pacientes e familiares. Disponível em: https://bit.ly/3yIGttQ. Acesso em: 20 dez. 2021. HOSPITAL DE CLÍNICAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO. Curativo do cateter duplo lúmen de hemodiálise. Uberaba, 2021. Disponível em: https://bit.ly/32evIUf. Acesso em: 20 dez. 2021. MELLO, P.A.; et al. Nefrotoxicidade e alterações de exames laboratoriais por fármacos: revisão da literatura. Revista de Medicina USP.v.2, n. 100, p. 152-61, mar-abr. 2021. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revistadc/article/view/180902 Acesso: 22 dez 2021. OLIVEIRA, L. D. R. Didática Aplicada à Enfermagem. Londrina: Editora e Distribuidora Educacional S.A., 2017. PELLICO, Linda Honan. Enfermagem Médico-Cirúrgica. 1. Ed, Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2015. [Minha Biblioteca] THOMAZ, Marcia Cristina Aparecida. Enfermagem na saúde do adulto. Londrina: Editora e Distribuidora Educacional S.A., 2017. [Biblioteca Virtual 3.0] NORMAS PARA ELABORAÇÃO E ENTREGA DA PRODUÇÃO TEXTUAL 1. O trabalho será realizado em grupos, de 02 a 07 alunos, no máximo. 2. A formação dos grupos é de responsabilidade dos alunos; no entanto, solicitamos que sigam as orientações do Tutor Presencial, responsável por cadastrar os grupos no sistema. 3. Importante: somente o líder do grupo conseguirá cadastrar o trabalho finalizado no sistema, o que deverá ser feito na pasta específica (“atividades interdisciplinares”), obedecendo ao
  • 7. PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR EM GRUPO - PTG prazo limite de postagem, conforme disposto no cronograma do curso. Não existe prorrogação para a postagem da atividade. 4. O trabalho final deve conter, depois de pronto, capa e folha de rosto padrão da Universidade, sendo organizado no que tange à sua apresentação visual (tipos e tamanhos de fontes, alinhamento do texto, espaçamentos, adentramento de parágrafos, apresentação correta de citações e referências, entre outros elementos importantes), conforme modelo disponível no AVA. 5. A produção textual é um trabalho original e, portanto, não poderá haver trabalhos idênticos aos de outros alunos ou com reprodução de materiais extraídos da internet. Os trabalhos plagiados serão invalidados, sendo os alunos reprovados na atividade. Lembre-se de que a prática do plágio constitui crime, com pena prevista em lei (Lei n.º 9.610), e deve ser evitada no âmbito acadêmico. 6. Importante: O trabalho deve ser enviado em formato Word. Não serão aceitos, sob nenhuma hipótese, trabalhos enviados em PDF. A seguir, apresentamos a vocês alguns dos critérios avaliativos que nortearão a análise do Tutor a Distância para atribuir o conceito à produção textual: • Normalização correta do trabalho, em respeito às normas da ABNT, com atendimento ao número de páginas solicitadas. • Apresentação de estrutura condizente com a proposta apresentada (com introdução, desenvolvimento e conclusão). • Uso de linguagem acadêmica adequada, com clareza e correção, atendendo à norma padrão. • Atendimento à proposta, contemplando todos os itens solicitados, com objetividade, criatividade, originalidade e autenticidade. • Fundamentação teórica do trabalho, com as devidas referências dos autores eventualmente citados.
  • 8. PRODUÇÃO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR EM GRUPO - PTG Lembre-se de que seu Tutor a Distância está à disposição para lhes atender em suas dúvidas e, também, para repassar orientações sempre que vocês precisarem. Aproveite esta oportunidade para realizar um trabalho com a qualidade acadêmica de nível universitário. Bom trabalho a todos! Equipe de professores