SlideShare uma empresa Scribd logo
Cálculo da Demanda Elétrica
Carlos Eduardo do Vale Melo
http://carlosvmelo.wordpress.com
@carlosvmelo
ELETRICISTA PREDIAL
• Projetar uma instalação elétrica de uma
edificação consiste em:
Quantificar e determinar os tipos e localizar os
pontos de utilização de energia elétrica;
· Dimensionar, definir o tipo e caminhamento
dos condutores e condutos;
· Dimensionar, definir o tipo e a localização
dos dispositivos de proteção.
ELETRICISTA PREDIAL
• Fornecimento de energia elétrica em tensão
secundária de distribuição:
 Potência instalada ≤ 75kW
 Tensão padronizada 380/220V urbano e
440/220V rural
ELETRICISTA PREDIAL
• Definição:
Unidade consumidora: qualquer residência,
apartamento, escritório, loja, sala,
dependência comercial, depósito, indústria,
galpão, etc.,
individualizado pela respectiva medição;
ELETRICISTA PREDIAL
• Definições:
Ponto de entrega de energia: É o ponto de
conexão do sistema elétrico público com as
instalações de utilização de energia elétrica do
consumidor;
Entrada de serviço de energia elétrica: Conjunto
de equipamentos, condutores e acessórios
instalados desde o ponto de derivação da rede de
energia elétrica pública até a medição;
ELETRICISTA PREDIAL
• Definições:
 Potência instalada: É a soma das potências nominais dos
aparelhos, equipamentos e dispositivos a serem
utilizados na instalação consumidora. Inclui tomadas
(previsão de cargas de eletrodomésticos, TV, som,
etc.),lâmpadas, chuveiros elétricos, aparelhos de ar-
condicionado, motores, etc.;
 Aterramento: Ligação à terra, por intermédio de
condutor elétrico, de todas as partes metálicas não
energizadas, do neutro da rede de distribuição da
concessionária e do neutro da instalação elétrica da
unidade consumidora.
ELETRICISTA PREDIAL
• Normas técnicas a serem consultadas na
elaboração de um projeto elétrico:
• ABNT (NBR 5410/2008, NBR 5419
aterramento);
• Normas da concessionária elétrica local
• Normas específicas aplicáveis
ELETRICISTA PREDIAL
• Partes componentes de um projeto elétrico:
Plantas;
Esquemas (unifilares e outros que se façam
necessários);
Detalhes de montagem, quando necessários;
Memorial descritivo;
Memória de cálculo (dimensionamento de
condutores, condutos e proteções);
ART.
ELETRICISTA PREDIAL
• Condutores Elétricos:
Fio elétrico: seção circular única (Cu, Al),
recoberta por isolamento termoplástico
(vermelho, azul, preto, branco, amarelo,
verde, preto)
Cabo elétrico: várias seções circulares
trançadas.
ELETRICISTA PREDIAL
• CLASSIFICAÇÃO DOS TIPOS DE TENSÃO SECUNDÁRIA:
 Limites de fornecimento: Unidades consumidoras com
potência instalada ≤ 75kW;
 Tensão padronizada: Nas redes de distribuição
secundária, as tensões padronizadas são de 380/220V
(urbana) e 440/220V (rural);
 Classificação dos tipos de fornecimento: Em função da
potência instalada declarada, o fornecimento de
energia elétrica à unidade consumidora será feita de
acordo com a classificação a seguir:
ELETRICISTA PREDIAL
• Tipo A (monofásico):
 fornecimento a 2 fios (fase e neutro)220V
potência instalada máxima = 15kW
não pode incluir motor mono > 3CV (HP)
nem máquina de solda a transformador
ELETRICISTA PREDIAL
• Tipo B (bifásico):
 fornecimento a 3 fios (2 fases e neutro)
380/220V urbana e 440/220V rural
potência instalada entre 15 e 22kW (urbana) e
até 25kW (rural)
não pode incluir motor mono >3CV (HP)
@ 220V ou > 7.5 CV @ 440V nem máquina de
solda a transformador
ELETRICISTA PREDIAL
• Tipo C (trifásico):
• fornecimento a 4 fios (3 fases e neutro)
380/220V;
• potência instalada entre 22 e 75kW
• não pode incluir motor mono >3CV (HP)
• @ 220V ou motor tri > 25CV (HP) @ 380V
• nem máquina de solda a transformador
ELETRICISTA PREDIAL
• Observação:
• As unidades consumidoras que não se
enquadrarem nos tipos A, B, ou C serão
atendidas em tensão primária de distribuição
ELETRICISTA PREDIAL
• PREVISÃO DE CARGAS DA INSTALAÇÃO ELÉTRICA:
 Cada aparelho ou dispositivo elétrico (lâmpadas,
aparelhos de aquecimento d’água, eletrodomésticos,
motores para máquinas diversas, etc.) solicita da rede
uma determinada potência. O objetivo da previsão de
cargas é a determinação de todos os pontos de
utilização de energia elétrica (pontos de consumo ou
cargas) que farão parte da instalação. Nesta etapa são
definidas a potência, a quantidade e a localização de
todos os pontos de consumo de energia elétrica da
instalação.
ELETRICISTA PREDIAL
• Previsão de cargas:
 Os equipamentos de utilização de uma instalação podem ser
alimentado diretamente (elevadores, motores), através de
tomadas de corrente de uso especifico (TUEs) ou através de
tomadas de corrente de uso não específico (tomadas de uso
geral, TUGs);
 A carga a considerar para um equipamento de utilização é a
sua potência nominal absorvida, dada pelo fabricante ou
calculada a partir de V x I x fator de potência (quando for o
caso – motores) – nos casos em que for dada a potência
nominal fornecida pelo equipamento (potência de saída), e
não a absorvida, devem ser considerados o rendimento e o
fator de potência.
ELETRICISTA PREDIAL
• Iluminação:
Critérios para a determinação da quantidade
mínima de pontos de luz:
 > 1 ponto de luz no teto para cada recinto,
comandado por interruptor de parede;
arandelas no banheiro devem ter distância
mínima de 60cm do boxe
ELETRICISTA PREDIAL
• Critérios de Iluminação:
 Critérios para a determinação da potência mínima de
iluminação:
 Para recintos com área < 6m2, atribuir um mínimo de
100W;
 Para recintos com área > 6m2, atribuir um mínimo de
100W para os primeiros 6m2, acrescidos de 60W para
cada aumento de 4m2 inteiros;
• A norma NBR-5413 – Iluminação de Interiores, define
critérios de nível de iluminamento de acordo com a
utilização do recinto.
ELETRICISTA PREDIAL
• Tomadas:
 Critérios para a determinação da quantidade mínima de TUGs:
 Recintos com área < 6m2 – no mínimo 1 tomada
 Recintos com área > 6m2 – no mínimo 1 tomada para cada 5m ou
fração de perímetro, espaçadas tão uniformemente quanto possível.
 Cozinhas e copas – 1 tomada para cada 3,5m ou fração de perímetro,
independente da área; acima de bancadas com largura >
 30cm prever no mínimo 1 tomada
 Banheiros – no mínimo 1 tomada junto ao lavatório, a uma distância
mínima de 60cm do boxe, independentemente da área
 Subsolos, varandas, garagens, sótãos – no mínimo 1 tomada,
independentemente da área.
ELETRICISTA PREDIAL
• Critérios para a determinação da potência
mínima de TUGs:
Banheiros, cozinhas, copas, áreas de serviço,
lavanderias e assemelhados – atribuir 600W por
tomada, para as 3 primeiras tomadas e 100W
para cada uma das demais;
Subsolos, varandas, garagens, sótãos – atribuir
1000W
Demais recintos – atribuir 100W por tomada
ELETRICISTA PREDIAL
• Critérios para a determinação da quantidade
mínima de TUEs:
A quantidade de TUEs é estabelecida de
acordo com o número de aparelhos de
utilização, devendo ser instaladas a no
máximo 1.5m do local previsto para o
equipamento a ser alimentado
ELETRICISTA PREDIAL
• Critérios para a determinação da potência de
TUEs:
Atribuir para cada TUE a potência nominal do
equipamento a ser alimentado
TODAS AS TOMADAS DEVERÃO ESTAR
ATERRADAS!
ELETRICISTA PREDIAL
• Previsão de cargas especiais:
Em edifícios será muitas vezes necessário fazer a
previsão de diversas cargas especiais que
atendem aos seus sistemas de utilidades, como
motores de elevadores, bombas de recalque
d’água, bombas para drenagem de águas pluviais
e esgotos, bombas para combate a incêndios,
sistemas de aquecimento central, etc. Estas
cargas são normalmente de uso comum, sendo
denominadas cargas de condomínio.
ELETRICISTA PREDIAL
• Cargas especiais:
• A determinação da potência destas cargas depende de cada caso
específico, sendo normalmente definida pelos fornecedores dos
sistemas. Como exemplos típicos podemos citar:
 Elevadores: 2 motores trifásicos de 7.5CV
 Bombas de recalque d’água: 2 motores trifásicos de 3CV (um
é reserva)
 Bombas de drenagem de águas pluviais: 2 motores de 1CV
(um é reserva)
 Bombas para sistema de combate a incêndio: 2 motores de
5CV (um é reserva)
 Portão de garagem: 1 motor de 0.5CV
ELETRICISTA PREDIAL
• Tomadas:
Para a previsão de TUGs em áreas comerciais e de escritórios,
pode-se adotar o seguinte critério:
 Escritórios comerciais ou análogos com área < 40m2 – 1
tomada para cada 3m ou fração de perímetro; ou 1 tomada
para cada 4m2 ou fração de área (adotar o que resultar no
maior número)
ELETRICISTA PREDIAL
Escritórios comerciais ou análogos com área >
40m2 – 10 tomadas para os primeiros 40m2 e
1 tomada para cada 10m2, ou fração, da área
restante.
 Em lojas – 1 tomada para cada 30m2 ou
fração de área, não computadas as tomadas
destinadas a vitrines e à demonstração de
aparelhos . A potência das TUGs em
escritórios deverá ser de 200W
ELETRICISTA PREDIAL
• DEMANDA DE ENERGIA DE UMA INSTALAÇÃO
ELÉTRICA:
Observando o funcionamento de uma instalação
elétrica residencial, comercial ou industrial, pode-
se constatar que a potência elétrica consumida é
variável a cada instante. Isto ocorre porque nem
todas as cargas instaladas estão todas em
funcionamento simultâneo. A potência total
solicitada pela instalação da rede a cada instante
será, portanto, função das cargas em operação e
da potência elétrica absorvida por cada uma
delas a cada instante (comentar refrigerador e
motores em geral).
ELETRICISTA PREDIAL
• Demanda Elétrica:
Por isso, para realizar o dimensionamento dos
condutores elétricos que alimentam os
quadros de distribuição, os quadros terminais
e seus respectivos dispositivos de proteção,
não seria razoável nem tecnica nem
economicamente a consideração da demanda
como sendo a soma de todas as potências
instaladas.
ELETRICISTA PREDIAL
• Definição:
Carga ou Potência Instalada : É a soma de
todas as potências nominais de todos os
aparelhos elétricos pertencentes a uma
instalação ou sistema.
Demanda: É a potência elétrica realmente
absorvida em um determinado instante por
um aparelho ou por um sistema.
ELETRICISTA PREDIAL
• Definição:
• Demanda : É a potência elétrica
realmente absorvida em um
determinado instante por um aparelho
ou por um sistema.
• Demanda Média de um Consumidor ou
Sistema : É a potência elétrica média
absorvida durante um intervalo de
tempo determinado (15min, 30min)
ELETRICISTA PREDIAL
• Demanda Máxima:
Demanda Máxima de um Consumidor ou
Sistema
É a maior de todas as demandas ocorridas em
um período de tempo determinado;
representa a maior média de todas as
demandas verificadas em um dado período (1
dia, 1 semana, 1 mês, 1 ano)
ELETRICISTA PREDIAL
• Potência de Demanda.
Potência de Alimentação, Potência de
Demanda ou Provável Demanda:
É a demanda máxima da instalação. Este é o
valor que será utilizado para o
dimensionamento dos condutores
alimentadores e dos respectivos dispositivos
de proteção; será utilizado também para
classificar o tipo de consumidor e seu padrão
de atendimento pela concessionária local.
ELETRICISTA PREDIAL
• FATOR DE DEMANDA:
É a razão entre a Demanda Máxima e a
Potência Instalada:
 FD = D máx / P inst
ELETRICISTA PREDIAL
• Exemplo do cálculo de demanda de um apartamento
típico com as seguintes cargas:
 10 lâmpadas incandescentes de 100W 1000W
 5 lâmpadas incandescentes de 60W 300W
 1 TV de 100W
 1 aparelho de som de 60W
 1 refrigerador de 300W
 1 ferro elétrico de 1000W
 1 lava-roupa de 600W
 1 chuveiro elétrico de 3700W
TOTAL 7060W
Maior demanda possível = 7060W
ELETRICISTA PREDIAL
• Maior demanda possível = 7060W
• Admitindo que as maiores solicitações sejam:
• Demanda diurna
Lâmpadas 200W
Aparelho de som 60W
Refrigerador 300W
Chuveiro elétrico 3700W
Lava-roupa 600W
TOTAL 4860W
ELETRICISTA PREDIAL
• Demanda noturna
 Lâmpadas 800W
 TV 100W
 Refrigerador 300W
 Chuveiro elétrico 3700W
 Ferro elétrico 1000W
 TOTAL 5900W
 Fatores de demanda
 Diurno -> Fd = 4860 / 7060 = 0,69 ou 69%
 Noturno -> Fd = 5900 / 7060 = 0,84 ou 84%
ELETRICISTA PREDIAL
Os valores de demanda são influenciados por
diversos fatores, dentre os quais a natureza da
instalação (residencial, comercial, industrial,
mista), o número de consumidores, a estação do
ano, a região geográfica, a hora do dia, etc.
NOTA: A demanda deverá sempre ser expressa
em termos de potência absorvida da rede
(normalmente expressa em VA ou kVA). Deve-se
estar sempre atento ao FATOR DE POTÊNCIA das
cargas, observando a relação entre potência
aparente (VA) e potência ativa (W).
ELETRICISTA PREDIAL
• Critérios para a determinação do fator
de demanda para residências
individuais
• Provável demanda -> PD = g . P1 + P2
• PD = provável demanda = potência de
alimentação (em kW)
• g = fator de demanda (tabelado)
• P1 = soma das potências nominais de iluminação
e TUGs (em kW)
• P2 = soma das TUEs (em kW)
ELETRICISTA PREDIAL
• Tabela de fatores de demanda:
• Tabela de fatores de demanda (g)
• P1(kW) fator de demanda (g)
• 0 a 1 0.88
• 1 a 2 0.75
• 2 a 3 0.66
• 3 a 4 0.59
• 4 a 5 0.52
• 5 a 6 0.45
• 6 a 7 0.40
• 7 a 8 0.35
• 8 a 9 0.31
• 9 a 10 0.27
• > 10 0.24
ELETRICISTA PREDIAL
• Exercício: Calcular a provável demanda de um
apartamento com as seguintes:
cargas instaladas
 Iluminação = 2800W
 TUGs = 3700W
 TUEs = 16200W
Solução:
P1 = ILUM + TUG = 2800 + 3700 = 6500W
g = 0.40
P2 = TUE = 16200W
PD = 0.40 x 6.5 + 16.2 = 18.8kW -> Pinst = 2800 + 3700 + 16200 = 22700W
DEMANDA TOTAL DE UM EDIFÍCIO DE USO COLETIVO
Em edifícios coletivos o cálculo de demanda, que resulta no
dimensionamento
ELETRICISTA PREDIAL
Demanda de um Edifício com Unidades
Consumidoras Residenciais e Comerciais
Em casos de edifícios que possuam unidades
residenciais e comerciais o procedimento é o
mesmo utilizado no caso de edifícios residenciais
puros, acrescido da parcela referente à demanda
das unidades comerciais.
A demanda total do edifício pode ser
determinada por:
Dedif = 1.20 x (Daptos + Dcondom +Dun.comerc)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Projeto de instalação elétrica residencial
Projeto de instalação elétrica residencialProjeto de instalação elétrica residencial
Projeto de instalação elétrica residencial
Luiz Avelar
 
Manual do-eletricista-residencial
Manual do-eletricista-residencialManual do-eletricista-residencial
Manual do-eletricista-residencial
allan
 
Instalacoes eletricas 1
Instalacoes eletricas 1Instalacoes eletricas 1
Instalacoes eletricas 1
Eduardo Teixeira
 
Eletricidade predial simbologiav2
Eletricidade predial simbologiav2Eletricidade predial simbologiav2
Eletricidade predial simbologiav2
Carlos Melo
 
Apostila de comandos elétricos (senai sp)
Apostila de comandos elétricos (senai   sp)Apostila de comandos elétricos (senai   sp)
Apostila de comandos elétricos (senai sp)
Antonio Carlos
 
Instalações elétricas comerciais
Instalações elétricas comerciaisInstalações elétricas comerciais
Instalações elétricas comerciais
Anderson Rodrigues
 
Instalaã§ãµes elã©tricas simbologia (diagramas unifilares)
Instalaã§ãµes elã©tricas   simbologia (diagramas unifilares)Instalaã§ãµes elã©tricas   simbologia (diagramas unifilares)
Instalaã§ãµes elã©tricas simbologia (diagramas unifilares)
Aldair Edmilson Mendes
 
Dicas instalações elétricas prediais - residenciais
Dicas   instalações elétricas prediais - residenciaisDicas   instalações elétricas prediais - residenciais
Dicas instalações elétricas prediais - residenciais
Fermi Xalegre
 
Projetos elétricos residenciais - Completo
Projetos elétricos residenciais  - CompletoProjetos elétricos residenciais  - Completo
Projetos elétricos residenciais - Completo
Sala da Elétrica
 
Estruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio beco
Estruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio becoEstruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio beco
Estruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio beco
Jonatas Ramos
 
Apostila predial 2
Apostila predial 2Apostila predial 2
Apostila predial 2
Anderson Silva
 
Como fazer um orçamento de instalações elétricas por everton moraes
Como fazer um orçamento de instalações elétricas por everton moraesComo fazer um orçamento de instalações elétricas por everton moraes
Como fazer um orçamento de instalações elétricas por everton moraes
Sala da Elétrica
 
Lição 01 - INSTALAÇÕES ELÉTRICAS
Lição 01 - INSTALAÇÕES ELÉTRICASLição 01 - INSTALAÇÕES ELÉTRICAS
Lição 01 - INSTALAÇÕES ELÉTRICAS
Filiphe Amorim
 
Projeto instalações predial sapres projeto instalacoes. pdf
Projeto  instalações predial sapres projeto instalacoes. pdfProjeto  instalações predial sapres projeto instalacoes. pdf
Projeto instalações predial sapres projeto instalacoes. pdf
Ma Dos Anjos Pacheco
 
Projeto exemplo - instalação elétrica residencial e predial
Projeto exemplo - instalação elétrica residencial e predialProjeto exemplo - instalação elétrica residencial e predial
Projeto exemplo - instalação elétrica residencial e predial
RICARDO TAMIETTI
 
Redes e Subestação de Energia Iª PARTE
Redes e Subestação de Energia Iª PARTERedes e Subestação de Energia Iª PARTE
Redes e Subestação de Energia Iª PARTE
Adão manuel Gonga
 
Instalações prediais 2015 carlos eduardov3
Instalações prediais 2015 carlos eduardov3Instalações prediais 2015 carlos eduardov3
Instalações prediais 2015 carlos eduardov3
Carlos Melo
 
Manual Prysmian ( Instalações Elétricas )
Manual Prysmian ( Instalações Elétricas )Manual Prysmian ( Instalações Elétricas )
Manual Prysmian ( Instalações Elétricas )
Ricardo Akerman
 
Curso LIDE - Leitura e Interpretação de Diagramas Elétricos
Curso LIDE - Leitura e Interpretação de Diagramas ElétricosCurso LIDE - Leitura e Interpretação de Diagramas Elétricos
Curso LIDE - Leitura e Interpretação de Diagramas Elétricos
Sala da Elétrica
 
Simbologia ELETRICA.doc
Simbologia ELETRICA.docSimbologia ELETRICA.doc
Simbologia ELETRICA.doc
JooPedroVilela4
 

Mais procurados (20)

Projeto de instalação elétrica residencial
Projeto de instalação elétrica residencialProjeto de instalação elétrica residencial
Projeto de instalação elétrica residencial
 
Manual do-eletricista-residencial
Manual do-eletricista-residencialManual do-eletricista-residencial
Manual do-eletricista-residencial
 
Instalacoes eletricas 1
Instalacoes eletricas 1Instalacoes eletricas 1
Instalacoes eletricas 1
 
Eletricidade predial simbologiav2
Eletricidade predial simbologiav2Eletricidade predial simbologiav2
Eletricidade predial simbologiav2
 
Apostila de comandos elétricos (senai sp)
Apostila de comandos elétricos (senai   sp)Apostila de comandos elétricos (senai   sp)
Apostila de comandos elétricos (senai sp)
 
Instalações elétricas comerciais
Instalações elétricas comerciaisInstalações elétricas comerciais
Instalações elétricas comerciais
 
Instalaã§ãµes elã©tricas simbologia (diagramas unifilares)
Instalaã§ãµes elã©tricas   simbologia (diagramas unifilares)Instalaã§ãµes elã©tricas   simbologia (diagramas unifilares)
Instalaã§ãµes elã©tricas simbologia (diagramas unifilares)
 
Dicas instalações elétricas prediais - residenciais
Dicas   instalações elétricas prediais - residenciaisDicas   instalações elétricas prediais - residenciais
Dicas instalações elétricas prediais - residenciais
 
Projetos elétricos residenciais - Completo
Projetos elétricos residenciais  - CompletoProjetos elétricos residenciais  - Completo
Projetos elétricos residenciais - Completo
 
Estruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio beco
Estruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio becoEstruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio beco
Estruturas de sustentação dos alimentadores n1 n2-n3-n4 e meio beco
 
Apostila predial 2
Apostila predial 2Apostila predial 2
Apostila predial 2
 
Como fazer um orçamento de instalações elétricas por everton moraes
Como fazer um orçamento de instalações elétricas por everton moraesComo fazer um orçamento de instalações elétricas por everton moraes
Como fazer um orçamento de instalações elétricas por everton moraes
 
Lição 01 - INSTALAÇÕES ELÉTRICAS
Lição 01 - INSTALAÇÕES ELÉTRICASLição 01 - INSTALAÇÕES ELÉTRICAS
Lição 01 - INSTALAÇÕES ELÉTRICAS
 
Projeto instalações predial sapres projeto instalacoes. pdf
Projeto  instalações predial sapres projeto instalacoes. pdfProjeto  instalações predial sapres projeto instalacoes. pdf
Projeto instalações predial sapres projeto instalacoes. pdf
 
Projeto exemplo - instalação elétrica residencial e predial
Projeto exemplo - instalação elétrica residencial e predialProjeto exemplo - instalação elétrica residencial e predial
Projeto exemplo - instalação elétrica residencial e predial
 
Redes e Subestação de Energia Iª PARTE
Redes e Subestação de Energia Iª PARTERedes e Subestação de Energia Iª PARTE
Redes e Subestação de Energia Iª PARTE
 
Instalações prediais 2015 carlos eduardov3
Instalações prediais 2015 carlos eduardov3Instalações prediais 2015 carlos eduardov3
Instalações prediais 2015 carlos eduardov3
 
Manual Prysmian ( Instalações Elétricas )
Manual Prysmian ( Instalações Elétricas )Manual Prysmian ( Instalações Elétricas )
Manual Prysmian ( Instalações Elétricas )
 
Curso LIDE - Leitura e Interpretação de Diagramas Elétricos
Curso LIDE - Leitura e Interpretação de Diagramas ElétricosCurso LIDE - Leitura e Interpretação de Diagramas Elétricos
Curso LIDE - Leitura e Interpretação de Diagramas Elétricos
 
Simbologia ELETRICA.doc
Simbologia ELETRICA.docSimbologia ELETRICA.doc
Simbologia ELETRICA.doc
 

Destaque

Memorial de calculo de carga instalada e demanda
Memorial de calculo de carga instalada e demandaMemorial de calculo de carga instalada e demanda
Memorial de calculo de carga instalada e demanda
Paulo H Bueno
 
Cálculo de demanda para medição de cliente em baixa tensão
Cálculo de demanda para medição de cliente em baixa tensãoCálculo de demanda para medição de cliente em baixa tensão
Cálculo de demanda para medição de cliente em baixa tensão
Gustavo Brito Beltrame
 
Dimensionamento de instalação elétrica pela demanda de consumo
Dimensionamento de instalação elétrica pela demanda de consumoDimensionamento de instalação elétrica pela demanda de consumo
Dimensionamento de instalação elétrica pela demanda de consumo
Bruno Borges
 
Anexo ix manutenção_predial
Anexo ix manutenção_predialAnexo ix manutenção_predial
Anexo ix manutenção_predial
Torcida Apaixonaça
 
Cálculo de luminárias para antas
Cálculo de luminárias para antasCálculo de luminárias para antas
Cálculo de luminárias para antas
Carlos Elson Cunha
 
memorial calculo iluminacao projetores
memorial calculo iluminacao projetoresmemorial calculo iluminacao projetores
memorial calculo iluminacao projetores
ptharsocastro
 
Apresentação sobre a minha casa ecológica francisco fonseca
Apresentação sobre a minha casa ecológica  francisco fonsecaApresentação sobre a minha casa ecológica  francisco fonseca
Apresentação sobre a minha casa ecológica francisco fonseca
xikofonseca
 
Manutenção Predial _ Romero Engenharia
Manutenção Predial  _ Romero EngenhariaManutenção Predial  _ Romero Engenharia
Manutenção Predial _ Romero Engenharia
Romero Engenharia
 
Especificações tecnica instalações eletricas e adequações da engenharias
Especificações tecnica  instalações eletricas e adequações  da engenhariasEspecificações tecnica  instalações eletricas e adequações  da engenharias
Especificações tecnica instalações eletricas e adequações da engenharias
Erika Moraes
 
Quadro de previsão de cargas
Quadro de previsão de cargasQuadro de previsão de cargas
Quadro de previsão de cargas
Paisdaniel
 
Eletricista instalador predial 2004
Eletricista instalador predial 2004Eletricista instalador predial 2004
Eletricista instalador predial 2004
19489
 
Instalações elétricas industriais_slides_parte_i
Instalações elétricas industriais_slides_parte_iInstalações elétricas industriais_slides_parte_i
Instalações elétricas industriais_slides_parte_i
Jeziel Rodrigues
 
Instalacoes eletricas prediais_19_03_2013
Instalacoes eletricas prediais_19_03_2013Instalacoes eletricas prediais_19_03_2013
Instalacoes eletricas prediais_19_03_2013
Adão Alves
 
Aula 2 componentes sistema predial de esgoto
Aula 2   componentes sistema predial de esgotoAula 2   componentes sistema predial de esgoto
Aula 2 componentes sistema predial de esgoto
Claudio Santos
 
Eletricistainstaladorpredial 121103175549-phpapp01-131229183128-phpapp02
Eletricistainstaladorpredial 121103175549-phpapp01-131229183128-phpapp02Eletricistainstaladorpredial 121103175549-phpapp01-131229183128-phpapp02
Eletricistainstaladorpredial 121103175549-phpapp01-131229183128-phpapp02
Marcos Roberto
 
E cap 3- previsão de cargas da instalação elétrica
E cap 3- previsão de cargas da instalação elétricaE cap 3- previsão de cargas da instalação elétrica
E cap 3- previsão de cargas da instalação elétrica
André Felipe
 
Instalações elétricas industriais_slides_parte_ii
Instalações elétricas industriais_slides_parte_iiInstalações elétricas industriais_slides_parte_ii
Instalações elétricas industriais_slides_parte_ii
Jeziel Rodrigues
 
Eletricista instalador predial
Eletricista instalador predialEletricista instalador predial
Eletricista instalador predial
alessandro oliveira
 
Eletricidade - Eletricista Instalador Residencial, Predial e Industrial
Eletricidade  - Eletricista Instalador Residencial, Predial e IndustrialEletricidade  - Eletricista Instalador Residencial, Predial e Industrial
Eletricidade - Eletricista Instalador Residencial, Predial e Industrial
ibratep
 
Como calcular o consumo em kva ,watts e amperes
Como calcular o consumo em kva ,watts e amperesComo calcular o consumo em kva ,watts e amperes
Como calcular o consumo em kva ,watts e amperes
Marcelo Fabiano
 

Destaque (20)

Memorial de calculo de carga instalada e demanda
Memorial de calculo de carga instalada e demandaMemorial de calculo de carga instalada e demanda
Memorial de calculo de carga instalada e demanda
 
Cálculo de demanda para medição de cliente em baixa tensão
Cálculo de demanda para medição de cliente em baixa tensãoCálculo de demanda para medição de cliente em baixa tensão
Cálculo de demanda para medição de cliente em baixa tensão
 
Dimensionamento de instalação elétrica pela demanda de consumo
Dimensionamento de instalação elétrica pela demanda de consumoDimensionamento de instalação elétrica pela demanda de consumo
Dimensionamento de instalação elétrica pela demanda de consumo
 
Anexo ix manutenção_predial
Anexo ix manutenção_predialAnexo ix manutenção_predial
Anexo ix manutenção_predial
 
Cálculo de luminárias para antas
Cálculo de luminárias para antasCálculo de luminárias para antas
Cálculo de luminárias para antas
 
memorial calculo iluminacao projetores
memorial calculo iluminacao projetoresmemorial calculo iluminacao projetores
memorial calculo iluminacao projetores
 
Apresentação sobre a minha casa ecológica francisco fonseca
Apresentação sobre a minha casa ecológica  francisco fonsecaApresentação sobre a minha casa ecológica  francisco fonseca
Apresentação sobre a minha casa ecológica francisco fonseca
 
Manutenção Predial _ Romero Engenharia
Manutenção Predial  _ Romero EngenhariaManutenção Predial  _ Romero Engenharia
Manutenção Predial _ Romero Engenharia
 
Especificações tecnica instalações eletricas e adequações da engenharias
Especificações tecnica  instalações eletricas e adequações  da engenhariasEspecificações tecnica  instalações eletricas e adequações  da engenharias
Especificações tecnica instalações eletricas e adequações da engenharias
 
Quadro de previsão de cargas
Quadro de previsão de cargasQuadro de previsão de cargas
Quadro de previsão de cargas
 
Eletricista instalador predial 2004
Eletricista instalador predial 2004Eletricista instalador predial 2004
Eletricista instalador predial 2004
 
Instalações elétricas industriais_slides_parte_i
Instalações elétricas industriais_slides_parte_iInstalações elétricas industriais_slides_parte_i
Instalações elétricas industriais_slides_parte_i
 
Instalacoes eletricas prediais_19_03_2013
Instalacoes eletricas prediais_19_03_2013Instalacoes eletricas prediais_19_03_2013
Instalacoes eletricas prediais_19_03_2013
 
Aula 2 componentes sistema predial de esgoto
Aula 2   componentes sistema predial de esgotoAula 2   componentes sistema predial de esgoto
Aula 2 componentes sistema predial de esgoto
 
Eletricistainstaladorpredial 121103175549-phpapp01-131229183128-phpapp02
Eletricistainstaladorpredial 121103175549-phpapp01-131229183128-phpapp02Eletricistainstaladorpredial 121103175549-phpapp01-131229183128-phpapp02
Eletricistainstaladorpredial 121103175549-phpapp01-131229183128-phpapp02
 
E cap 3- previsão de cargas da instalação elétrica
E cap 3- previsão de cargas da instalação elétricaE cap 3- previsão de cargas da instalação elétrica
E cap 3- previsão de cargas da instalação elétrica
 
Instalações elétricas industriais_slides_parte_ii
Instalações elétricas industriais_slides_parte_iiInstalações elétricas industriais_slides_parte_ii
Instalações elétricas industriais_slides_parte_ii
 
Eletricista instalador predial
Eletricista instalador predialEletricista instalador predial
Eletricista instalador predial
 
Eletricidade - Eletricista Instalador Residencial, Predial e Industrial
Eletricidade  - Eletricista Instalador Residencial, Predial e IndustrialEletricidade  - Eletricista Instalador Residencial, Predial e Industrial
Eletricidade - Eletricista Instalador Residencial, Predial e Industrial
 
Como calcular o consumo em kva ,watts e amperes
Como calcular o consumo em kva ,watts e amperesComo calcular o consumo em kva ,watts e amperes
Como calcular o consumo em kva ,watts e amperes
 

Semelhante a Eletricista predial previsão de carga-carlos eduardo

Manual instal eletricas_prova
Manual instal eletricas_provaManual instal eletricas_prova
Manual instal eletricas_prova
Pedro Cruz
 
nbr_14039_instalacoes_eletricas_media_tensao.pdf
nbr_14039_instalacoes_eletricas_media_tensao.pdfnbr_14039_instalacoes_eletricas_media_tensao.pdf
nbr_14039_instalacoes_eletricas_media_tensao.pdf
WendellCampos5
 
Nbr 14039 instalacoes_eletricas_media_tensao
Nbr 14039 instalacoes_eletricas_media_tensaoNbr 14039 instalacoes_eletricas_media_tensao
Nbr 14039 instalacoes_eletricas_media_tensao
SFQ Albuquerque
 
Nbr 14039 instalacoes_eletricas_media_tensao
Nbr 14039 instalacoes_eletricas_media_tensaoNbr 14039 instalacoes_eletricas_media_tensao
Nbr 14039 instalacoes_eletricas_media_tensao
Jonas Vasconcelos
 
Instalações elétricas residências, normas
Instalações elétricas residências, normasInstalações elétricas residências, normas
Instalações elétricas residências, normas
Devarley Cecatto
 
aula de calculo de potencias.pptx
aula de calculo de potencias.pptxaula de calculo de potencias.pptx
aula de calculo de potencias.pptx
DrZzLyXDBrown
 
DA - Unidade 14- INST ELETRICAS.pdf
DA - Unidade 14- INST ELETRICAS.pdfDA - Unidade 14- INST ELETRICAS.pdf
DA - Unidade 14- INST ELETRICAS.pdf
Universidade Federal do Rio Grande - FURG
 
Cálculo de demanda para medição de cliente em baixa tensão
Cálculo de demanda para medição de cliente em baixa tensãoCálculo de demanda para medição de cliente em baixa tensão
Cálculo de demanda para medição de cliente em baixa tensão
Eduardo Matos
 
Guia orientativo para elaboracao de projeto eletrico residencial
Guia orientativo para elaboracao de projeto eletrico residencialGuia orientativo para elaboracao de projeto eletrico residencial
Guia orientativo para elaboracao de projeto eletrico residencial
Ranieri Abrantes Sarmento
 
Aula 1 instalacoes
Aula 1 instalacoesAula 1 instalacoes
Aula 1 instalacoes
Willian Viller
 
Como orçar transformadores e autotransformadores para aplicações diversas de ...
Como orçar transformadores e autotransformadores para aplicações diversas de ...Como orçar transformadores e autotransformadores para aplicações diversas de ...
Como orçar transformadores e autotransformadores para aplicações diversas de ...
EVEC Engenharia e Comercio
 
Manual de instala__es_el_tricas_2_1
Manual de instala__es_el_tricas_2_1Manual de instala__es_el_tricas_2_1
Manual de instala__es_el_tricas_2_1
Ueslei Santos
 
DA - Unidade 14- INST ELETRICAS.pdf
DA - Unidade 14- INST ELETRICAS.pdfDA - Unidade 14- INST ELETRICAS.pdf
DA - Unidade 14- INST ELETRICAS.pdf
Universidade Federal do Rio Grande - FURG
 
Manual pirelli_Parte_2.pdf
Manual pirelli_Parte_2.pdfManual pirelli_Parte_2.pdf
Manual pirelli_Parte_2.pdf
Faculdades Santo Agostinho
 
INSTALA%C3%87%C3%95ES EL%C3%89TRICAS RESIDENCIAIS PARTE 2.pdf
INSTALA%C3%87%C3%95ES EL%C3%89TRICAS RESIDENCIAIS PARTE 2.pdfINSTALA%C3%87%C3%95ES EL%C3%89TRICAS RESIDENCIAIS PARTE 2.pdf
INSTALA%C3%87%C3%95ES EL%C3%89TRICAS RESIDENCIAIS PARTE 2.pdf
CristianoNardesPause1
 
Prismian
PrismianPrismian
Prismian
Eliana Godinho
 
Apostila instalações eletricas residenciais
Apostila   instalações eletricas residenciaisApostila   instalações eletricas residenciais
Apostila instalações eletricas residenciais
Jarbas Rossatto
 
projeto_residencial_1_v10_18_15641589994388_9731.pdf
projeto_residencial_1_v10_18_15641589994388_9731.pdfprojeto_residencial_1_v10_18_15641589994388_9731.pdf
projeto_residencial_1_v10_18_15641589994388_9731.pdf
JedersonPaulinoDaSil
 
Transformador para o padrão rural de energia (redutor de tensão de 254V para ...
Transformador para o padrão rural de energia (redutor de tensão de 254V para ...Transformador para o padrão rural de energia (redutor de tensão de 254V para ...
Transformador para o padrão rural de energia (redutor de tensão de 254V para ...
EVEC Engenharia e Comercio
 
Arthur besen soprano trabalho eletrotecnica
Arthur besen soprano   trabalho eletrotecnicaArthur besen soprano   trabalho eletrotecnica
Arthur besen soprano trabalho eletrotecnica
alessandro oliveira
 

Semelhante a Eletricista predial previsão de carga-carlos eduardo (20)

Manual instal eletricas_prova
Manual instal eletricas_provaManual instal eletricas_prova
Manual instal eletricas_prova
 
nbr_14039_instalacoes_eletricas_media_tensao.pdf
nbr_14039_instalacoes_eletricas_media_tensao.pdfnbr_14039_instalacoes_eletricas_media_tensao.pdf
nbr_14039_instalacoes_eletricas_media_tensao.pdf
 
Nbr 14039 instalacoes_eletricas_media_tensao
Nbr 14039 instalacoes_eletricas_media_tensaoNbr 14039 instalacoes_eletricas_media_tensao
Nbr 14039 instalacoes_eletricas_media_tensao
 
Nbr 14039 instalacoes_eletricas_media_tensao
Nbr 14039 instalacoes_eletricas_media_tensaoNbr 14039 instalacoes_eletricas_media_tensao
Nbr 14039 instalacoes_eletricas_media_tensao
 
Instalações elétricas residências, normas
Instalações elétricas residências, normasInstalações elétricas residências, normas
Instalações elétricas residências, normas
 
aula de calculo de potencias.pptx
aula de calculo de potencias.pptxaula de calculo de potencias.pptx
aula de calculo de potencias.pptx
 
DA - Unidade 14- INST ELETRICAS.pdf
DA - Unidade 14- INST ELETRICAS.pdfDA - Unidade 14- INST ELETRICAS.pdf
DA - Unidade 14- INST ELETRICAS.pdf
 
Cálculo de demanda para medição de cliente em baixa tensão
Cálculo de demanda para medição de cliente em baixa tensãoCálculo de demanda para medição de cliente em baixa tensão
Cálculo de demanda para medição de cliente em baixa tensão
 
Guia orientativo para elaboracao de projeto eletrico residencial
Guia orientativo para elaboracao de projeto eletrico residencialGuia orientativo para elaboracao de projeto eletrico residencial
Guia orientativo para elaboracao de projeto eletrico residencial
 
Aula 1 instalacoes
Aula 1 instalacoesAula 1 instalacoes
Aula 1 instalacoes
 
Como orçar transformadores e autotransformadores para aplicações diversas de ...
Como orçar transformadores e autotransformadores para aplicações diversas de ...Como orçar transformadores e autotransformadores para aplicações diversas de ...
Como orçar transformadores e autotransformadores para aplicações diversas de ...
 
Manual de instala__es_el_tricas_2_1
Manual de instala__es_el_tricas_2_1Manual de instala__es_el_tricas_2_1
Manual de instala__es_el_tricas_2_1
 
DA - Unidade 14- INST ELETRICAS.pdf
DA - Unidade 14- INST ELETRICAS.pdfDA - Unidade 14- INST ELETRICAS.pdf
DA - Unidade 14- INST ELETRICAS.pdf
 
Manual pirelli_Parte_2.pdf
Manual pirelli_Parte_2.pdfManual pirelli_Parte_2.pdf
Manual pirelli_Parte_2.pdf
 
INSTALA%C3%87%C3%95ES EL%C3%89TRICAS RESIDENCIAIS PARTE 2.pdf
INSTALA%C3%87%C3%95ES EL%C3%89TRICAS RESIDENCIAIS PARTE 2.pdfINSTALA%C3%87%C3%95ES EL%C3%89TRICAS RESIDENCIAIS PARTE 2.pdf
INSTALA%C3%87%C3%95ES EL%C3%89TRICAS RESIDENCIAIS PARTE 2.pdf
 
Prismian
PrismianPrismian
Prismian
 
Apostila instalações eletricas residenciais
Apostila   instalações eletricas residenciaisApostila   instalações eletricas residenciais
Apostila instalações eletricas residenciais
 
projeto_residencial_1_v10_18_15641589994388_9731.pdf
projeto_residencial_1_v10_18_15641589994388_9731.pdfprojeto_residencial_1_v10_18_15641589994388_9731.pdf
projeto_residencial_1_v10_18_15641589994388_9731.pdf
 
Transformador para o padrão rural de energia (redutor de tensão de 254V para ...
Transformador para o padrão rural de energia (redutor de tensão de 254V para ...Transformador para o padrão rural de energia (redutor de tensão de 254V para ...
Transformador para o padrão rural de energia (redutor de tensão de 254V para ...
 
Arthur besen soprano trabalho eletrotecnica
Arthur besen soprano   trabalho eletrotecnicaArthur besen soprano   trabalho eletrotecnica
Arthur besen soprano trabalho eletrotecnica
 

Mais de Carlos Melo

Treinamento 1
Treinamento 1Treinamento 1
Treinamento 1
Carlos Melo
 
Zener
ZenerZener
Gestão de projetos introduçao
Gestão de projetos introduçaoGestão de projetos introduçao
Gestão de projetos introduçao
Carlos Melo
 
Capacitancia
CapacitanciaCapacitancia
Capacitancia
Carlos Melo
 
Roteiro da aula prática de sexta à tarde
Roteiro da aula prática de sexta à tardeRoteiro da aula prática de sexta à tarde
Roteiro da aula prática de sexta à tarde
Carlos Melo
 
5a.aulacapacitor
5a.aulacapacitor5a.aulacapacitor
5a.aulacapacitor
Carlos Melo
 
Atividade final acionamentos
Atividade final   acionamentosAtividade final   acionamentos
Atividade final acionamentos
Carlos Melo
 
Questões clp-automação
Questões clp-automaçãoQuestões clp-automação
Questões clp-automação
Carlos Melo
 
Apresentação12
Apresentação12Apresentação12
Apresentação12
Carlos Melo
 
Pneumática
PneumáticaPneumática
Pneumática
Carlos Melo
 
Gestão da manutenção os 2
Gestão da manutenção os 2Gestão da manutenção os 2
Gestão da manutenção os 2
Carlos Melo
 
Gestão da manutenção os 1
Gestão da manutenção os 1Gestão da manutenção os 1
Gestão da manutenção os 1
Carlos Melo
 
Desenho técnico cap1
Desenho técnico   cap1Desenho técnico   cap1
Desenho técnico cap1
Carlos Melo
 
Eletrônica básica
Eletrônica básicaEletrônica básica
Eletrônica básica
Carlos Melo
 
Analise de circuito indutores
Analise de circuito   indutoresAnalise de circuito   indutores
Analise de circuito indutores
Carlos Melo
 
Notas ete jags - destec
Notas ete   jags - destecNotas ete   jags - destec
Notas ete jags - destec
Carlos Melo
 
Ucr3 fundamentos mecanica_sa1_suporte dosador_1_22_mai12
Ucr3 fundamentos mecanica_sa1_suporte dosador_1_22_mai12Ucr3 fundamentos mecanica_sa1_suporte dosador_1_22_mai12
Ucr3 fundamentos mecanica_sa1_suporte dosador_1_22_mai12
Carlos Melo
 
Recuperação descrição
Recuperação   descriçãoRecuperação   descrição
Recuperação descrição
Carlos Melo
 
Recuperação 1
Recuperação 1Recuperação 1
Recuperação 1
Carlos Melo
 
Ete projetos elétricos 2
Ete projetos elétricos 2Ete projetos elétricos 2
Ete projetos elétricos 2
Carlos Melo
 

Mais de Carlos Melo (20)

Treinamento 1
Treinamento 1Treinamento 1
Treinamento 1
 
Zener
ZenerZener
Zener
 
Gestão de projetos introduçao
Gestão de projetos introduçaoGestão de projetos introduçao
Gestão de projetos introduçao
 
Capacitancia
CapacitanciaCapacitancia
Capacitancia
 
Roteiro da aula prática de sexta à tarde
Roteiro da aula prática de sexta à tardeRoteiro da aula prática de sexta à tarde
Roteiro da aula prática de sexta à tarde
 
5a.aulacapacitor
5a.aulacapacitor5a.aulacapacitor
5a.aulacapacitor
 
Atividade final acionamentos
Atividade final   acionamentosAtividade final   acionamentos
Atividade final acionamentos
 
Questões clp-automação
Questões clp-automaçãoQuestões clp-automação
Questões clp-automação
 
Apresentação12
Apresentação12Apresentação12
Apresentação12
 
Pneumática
PneumáticaPneumática
Pneumática
 
Gestão da manutenção os 2
Gestão da manutenção os 2Gestão da manutenção os 2
Gestão da manutenção os 2
 
Gestão da manutenção os 1
Gestão da manutenção os 1Gestão da manutenção os 1
Gestão da manutenção os 1
 
Desenho técnico cap1
Desenho técnico   cap1Desenho técnico   cap1
Desenho técnico cap1
 
Eletrônica básica
Eletrônica básicaEletrônica básica
Eletrônica básica
 
Analise de circuito indutores
Analise de circuito   indutoresAnalise de circuito   indutores
Analise de circuito indutores
 
Notas ete jags - destec
Notas ete   jags - destecNotas ete   jags - destec
Notas ete jags - destec
 
Ucr3 fundamentos mecanica_sa1_suporte dosador_1_22_mai12
Ucr3 fundamentos mecanica_sa1_suporte dosador_1_22_mai12Ucr3 fundamentos mecanica_sa1_suporte dosador_1_22_mai12
Ucr3 fundamentos mecanica_sa1_suporte dosador_1_22_mai12
 
Recuperação descrição
Recuperação   descriçãoRecuperação   descrição
Recuperação descrição
 
Recuperação 1
Recuperação 1Recuperação 1
Recuperação 1
 
Ete projetos elétricos 2
Ete projetos elétricos 2Ete projetos elétricos 2
Ete projetos elétricos 2
 

Último

VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
mailabueno45
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptxA Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
tamirissousa11
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
CarolineSaback2
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptxVOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
VOCÊ CONHECE AS HISTÓRIAS DA BIBLÍA - EMOJIES.pptx
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptxA Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
A Priula sobre a primeira Guerra Mundial.pptx
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdfLivro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
Livro - Planejamento em Orientação Educacional - Heloísa Lück.pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 

Eletricista predial previsão de carga-carlos eduardo

  • 1. Cálculo da Demanda Elétrica Carlos Eduardo do Vale Melo http://carlosvmelo.wordpress.com @carlosvmelo
  • 2. ELETRICISTA PREDIAL • Projetar uma instalação elétrica de uma edificação consiste em: Quantificar e determinar os tipos e localizar os pontos de utilização de energia elétrica; · Dimensionar, definir o tipo e caminhamento dos condutores e condutos; · Dimensionar, definir o tipo e a localização dos dispositivos de proteção.
  • 3. ELETRICISTA PREDIAL • Fornecimento de energia elétrica em tensão secundária de distribuição:  Potência instalada ≤ 75kW  Tensão padronizada 380/220V urbano e 440/220V rural
  • 4. ELETRICISTA PREDIAL • Definição: Unidade consumidora: qualquer residência, apartamento, escritório, loja, sala, dependência comercial, depósito, indústria, galpão, etc., individualizado pela respectiva medição;
  • 5. ELETRICISTA PREDIAL • Definições: Ponto de entrega de energia: É o ponto de conexão do sistema elétrico público com as instalações de utilização de energia elétrica do consumidor; Entrada de serviço de energia elétrica: Conjunto de equipamentos, condutores e acessórios instalados desde o ponto de derivação da rede de energia elétrica pública até a medição;
  • 6. ELETRICISTA PREDIAL • Definições:  Potência instalada: É a soma das potências nominais dos aparelhos, equipamentos e dispositivos a serem utilizados na instalação consumidora. Inclui tomadas (previsão de cargas de eletrodomésticos, TV, som, etc.),lâmpadas, chuveiros elétricos, aparelhos de ar- condicionado, motores, etc.;  Aterramento: Ligação à terra, por intermédio de condutor elétrico, de todas as partes metálicas não energizadas, do neutro da rede de distribuição da concessionária e do neutro da instalação elétrica da unidade consumidora.
  • 7. ELETRICISTA PREDIAL • Normas técnicas a serem consultadas na elaboração de um projeto elétrico: • ABNT (NBR 5410/2008, NBR 5419 aterramento); • Normas da concessionária elétrica local • Normas específicas aplicáveis
  • 8. ELETRICISTA PREDIAL • Partes componentes de um projeto elétrico: Plantas; Esquemas (unifilares e outros que se façam necessários); Detalhes de montagem, quando necessários; Memorial descritivo; Memória de cálculo (dimensionamento de condutores, condutos e proteções); ART.
  • 9. ELETRICISTA PREDIAL • Condutores Elétricos: Fio elétrico: seção circular única (Cu, Al), recoberta por isolamento termoplástico (vermelho, azul, preto, branco, amarelo, verde, preto) Cabo elétrico: várias seções circulares trançadas.
  • 10. ELETRICISTA PREDIAL • CLASSIFICAÇÃO DOS TIPOS DE TENSÃO SECUNDÁRIA:  Limites de fornecimento: Unidades consumidoras com potência instalada ≤ 75kW;  Tensão padronizada: Nas redes de distribuição secundária, as tensões padronizadas são de 380/220V (urbana) e 440/220V (rural);  Classificação dos tipos de fornecimento: Em função da potência instalada declarada, o fornecimento de energia elétrica à unidade consumidora será feita de acordo com a classificação a seguir:
  • 11. ELETRICISTA PREDIAL • Tipo A (monofásico):  fornecimento a 2 fios (fase e neutro)220V potência instalada máxima = 15kW não pode incluir motor mono > 3CV (HP) nem máquina de solda a transformador
  • 12. ELETRICISTA PREDIAL • Tipo B (bifásico):  fornecimento a 3 fios (2 fases e neutro) 380/220V urbana e 440/220V rural potência instalada entre 15 e 22kW (urbana) e até 25kW (rural) não pode incluir motor mono >3CV (HP) @ 220V ou > 7.5 CV @ 440V nem máquina de solda a transformador
  • 13. ELETRICISTA PREDIAL • Tipo C (trifásico): • fornecimento a 4 fios (3 fases e neutro) 380/220V; • potência instalada entre 22 e 75kW • não pode incluir motor mono >3CV (HP) • @ 220V ou motor tri > 25CV (HP) @ 380V • nem máquina de solda a transformador
  • 14. ELETRICISTA PREDIAL • Observação: • As unidades consumidoras que não se enquadrarem nos tipos A, B, ou C serão atendidas em tensão primária de distribuição
  • 15. ELETRICISTA PREDIAL • PREVISÃO DE CARGAS DA INSTALAÇÃO ELÉTRICA:  Cada aparelho ou dispositivo elétrico (lâmpadas, aparelhos de aquecimento d’água, eletrodomésticos, motores para máquinas diversas, etc.) solicita da rede uma determinada potência. O objetivo da previsão de cargas é a determinação de todos os pontos de utilização de energia elétrica (pontos de consumo ou cargas) que farão parte da instalação. Nesta etapa são definidas a potência, a quantidade e a localização de todos os pontos de consumo de energia elétrica da instalação.
  • 16. ELETRICISTA PREDIAL • Previsão de cargas:  Os equipamentos de utilização de uma instalação podem ser alimentado diretamente (elevadores, motores), através de tomadas de corrente de uso especifico (TUEs) ou através de tomadas de corrente de uso não específico (tomadas de uso geral, TUGs);  A carga a considerar para um equipamento de utilização é a sua potência nominal absorvida, dada pelo fabricante ou calculada a partir de V x I x fator de potência (quando for o caso – motores) – nos casos em que for dada a potência nominal fornecida pelo equipamento (potência de saída), e não a absorvida, devem ser considerados o rendimento e o fator de potência.
  • 17. ELETRICISTA PREDIAL • Iluminação: Critérios para a determinação da quantidade mínima de pontos de luz:  > 1 ponto de luz no teto para cada recinto, comandado por interruptor de parede; arandelas no banheiro devem ter distância mínima de 60cm do boxe
  • 18. ELETRICISTA PREDIAL • Critérios de Iluminação:  Critérios para a determinação da potência mínima de iluminação:  Para recintos com área < 6m2, atribuir um mínimo de 100W;  Para recintos com área > 6m2, atribuir um mínimo de 100W para os primeiros 6m2, acrescidos de 60W para cada aumento de 4m2 inteiros; • A norma NBR-5413 – Iluminação de Interiores, define critérios de nível de iluminamento de acordo com a utilização do recinto.
  • 19. ELETRICISTA PREDIAL • Tomadas:  Critérios para a determinação da quantidade mínima de TUGs:  Recintos com área < 6m2 – no mínimo 1 tomada  Recintos com área > 6m2 – no mínimo 1 tomada para cada 5m ou fração de perímetro, espaçadas tão uniformemente quanto possível.  Cozinhas e copas – 1 tomada para cada 3,5m ou fração de perímetro, independente da área; acima de bancadas com largura >  30cm prever no mínimo 1 tomada  Banheiros – no mínimo 1 tomada junto ao lavatório, a uma distância mínima de 60cm do boxe, independentemente da área  Subsolos, varandas, garagens, sótãos – no mínimo 1 tomada, independentemente da área.
  • 20. ELETRICISTA PREDIAL • Critérios para a determinação da potência mínima de TUGs: Banheiros, cozinhas, copas, áreas de serviço, lavanderias e assemelhados – atribuir 600W por tomada, para as 3 primeiras tomadas e 100W para cada uma das demais; Subsolos, varandas, garagens, sótãos – atribuir 1000W Demais recintos – atribuir 100W por tomada
  • 21. ELETRICISTA PREDIAL • Critérios para a determinação da quantidade mínima de TUEs: A quantidade de TUEs é estabelecida de acordo com o número de aparelhos de utilização, devendo ser instaladas a no máximo 1.5m do local previsto para o equipamento a ser alimentado
  • 22. ELETRICISTA PREDIAL • Critérios para a determinação da potência de TUEs: Atribuir para cada TUE a potência nominal do equipamento a ser alimentado TODAS AS TOMADAS DEVERÃO ESTAR ATERRADAS!
  • 23. ELETRICISTA PREDIAL • Previsão de cargas especiais: Em edifícios será muitas vezes necessário fazer a previsão de diversas cargas especiais que atendem aos seus sistemas de utilidades, como motores de elevadores, bombas de recalque d’água, bombas para drenagem de águas pluviais e esgotos, bombas para combate a incêndios, sistemas de aquecimento central, etc. Estas cargas são normalmente de uso comum, sendo denominadas cargas de condomínio.
  • 24. ELETRICISTA PREDIAL • Cargas especiais: • A determinação da potência destas cargas depende de cada caso específico, sendo normalmente definida pelos fornecedores dos sistemas. Como exemplos típicos podemos citar:  Elevadores: 2 motores trifásicos de 7.5CV  Bombas de recalque d’água: 2 motores trifásicos de 3CV (um é reserva)  Bombas de drenagem de águas pluviais: 2 motores de 1CV (um é reserva)  Bombas para sistema de combate a incêndio: 2 motores de 5CV (um é reserva)  Portão de garagem: 1 motor de 0.5CV
  • 25. ELETRICISTA PREDIAL • Tomadas: Para a previsão de TUGs em áreas comerciais e de escritórios, pode-se adotar o seguinte critério:  Escritórios comerciais ou análogos com área < 40m2 – 1 tomada para cada 3m ou fração de perímetro; ou 1 tomada para cada 4m2 ou fração de área (adotar o que resultar no maior número)
  • 26. ELETRICISTA PREDIAL Escritórios comerciais ou análogos com área > 40m2 – 10 tomadas para os primeiros 40m2 e 1 tomada para cada 10m2, ou fração, da área restante.  Em lojas – 1 tomada para cada 30m2 ou fração de área, não computadas as tomadas destinadas a vitrines e à demonstração de aparelhos . A potência das TUGs em escritórios deverá ser de 200W
  • 27. ELETRICISTA PREDIAL • DEMANDA DE ENERGIA DE UMA INSTALAÇÃO ELÉTRICA: Observando o funcionamento de uma instalação elétrica residencial, comercial ou industrial, pode- se constatar que a potência elétrica consumida é variável a cada instante. Isto ocorre porque nem todas as cargas instaladas estão todas em funcionamento simultâneo. A potência total solicitada pela instalação da rede a cada instante será, portanto, função das cargas em operação e da potência elétrica absorvida por cada uma delas a cada instante (comentar refrigerador e motores em geral).
  • 28. ELETRICISTA PREDIAL • Demanda Elétrica: Por isso, para realizar o dimensionamento dos condutores elétricos que alimentam os quadros de distribuição, os quadros terminais e seus respectivos dispositivos de proteção, não seria razoável nem tecnica nem economicamente a consideração da demanda como sendo a soma de todas as potências instaladas.
  • 29. ELETRICISTA PREDIAL • Definição: Carga ou Potência Instalada : É a soma de todas as potências nominais de todos os aparelhos elétricos pertencentes a uma instalação ou sistema. Demanda: É a potência elétrica realmente absorvida em um determinado instante por um aparelho ou por um sistema.
  • 30. ELETRICISTA PREDIAL • Definição: • Demanda : É a potência elétrica realmente absorvida em um determinado instante por um aparelho ou por um sistema. • Demanda Média de um Consumidor ou Sistema : É a potência elétrica média absorvida durante um intervalo de tempo determinado (15min, 30min)
  • 31. ELETRICISTA PREDIAL • Demanda Máxima: Demanda Máxima de um Consumidor ou Sistema É a maior de todas as demandas ocorridas em um período de tempo determinado; representa a maior média de todas as demandas verificadas em um dado período (1 dia, 1 semana, 1 mês, 1 ano)
  • 32. ELETRICISTA PREDIAL • Potência de Demanda. Potência de Alimentação, Potência de Demanda ou Provável Demanda: É a demanda máxima da instalação. Este é o valor que será utilizado para o dimensionamento dos condutores alimentadores e dos respectivos dispositivos de proteção; será utilizado também para classificar o tipo de consumidor e seu padrão de atendimento pela concessionária local.
  • 33. ELETRICISTA PREDIAL • FATOR DE DEMANDA: É a razão entre a Demanda Máxima e a Potência Instalada:  FD = D máx / P inst
  • 34. ELETRICISTA PREDIAL • Exemplo do cálculo de demanda de um apartamento típico com as seguintes cargas:  10 lâmpadas incandescentes de 100W 1000W  5 lâmpadas incandescentes de 60W 300W  1 TV de 100W  1 aparelho de som de 60W  1 refrigerador de 300W  1 ferro elétrico de 1000W  1 lava-roupa de 600W  1 chuveiro elétrico de 3700W TOTAL 7060W Maior demanda possível = 7060W
  • 35. ELETRICISTA PREDIAL • Maior demanda possível = 7060W • Admitindo que as maiores solicitações sejam: • Demanda diurna Lâmpadas 200W Aparelho de som 60W Refrigerador 300W Chuveiro elétrico 3700W Lava-roupa 600W TOTAL 4860W
  • 36. ELETRICISTA PREDIAL • Demanda noturna  Lâmpadas 800W  TV 100W  Refrigerador 300W  Chuveiro elétrico 3700W  Ferro elétrico 1000W  TOTAL 5900W  Fatores de demanda  Diurno -> Fd = 4860 / 7060 = 0,69 ou 69%  Noturno -> Fd = 5900 / 7060 = 0,84 ou 84%
  • 37. ELETRICISTA PREDIAL Os valores de demanda são influenciados por diversos fatores, dentre os quais a natureza da instalação (residencial, comercial, industrial, mista), o número de consumidores, a estação do ano, a região geográfica, a hora do dia, etc. NOTA: A demanda deverá sempre ser expressa em termos de potência absorvida da rede (normalmente expressa em VA ou kVA). Deve-se estar sempre atento ao FATOR DE POTÊNCIA das cargas, observando a relação entre potência aparente (VA) e potência ativa (W).
  • 38. ELETRICISTA PREDIAL • Critérios para a determinação do fator de demanda para residências individuais • Provável demanda -> PD = g . P1 + P2 • PD = provável demanda = potência de alimentação (em kW) • g = fator de demanda (tabelado) • P1 = soma das potências nominais de iluminação e TUGs (em kW) • P2 = soma das TUEs (em kW)
  • 39. ELETRICISTA PREDIAL • Tabela de fatores de demanda: • Tabela de fatores de demanda (g) • P1(kW) fator de demanda (g) • 0 a 1 0.88 • 1 a 2 0.75 • 2 a 3 0.66 • 3 a 4 0.59 • 4 a 5 0.52 • 5 a 6 0.45 • 6 a 7 0.40 • 7 a 8 0.35 • 8 a 9 0.31 • 9 a 10 0.27 • > 10 0.24
  • 40. ELETRICISTA PREDIAL • Exercício: Calcular a provável demanda de um apartamento com as seguintes: cargas instaladas  Iluminação = 2800W  TUGs = 3700W  TUEs = 16200W Solução: P1 = ILUM + TUG = 2800 + 3700 = 6500W g = 0.40 P2 = TUE = 16200W PD = 0.40 x 6.5 + 16.2 = 18.8kW -> Pinst = 2800 + 3700 + 16200 = 22700W DEMANDA TOTAL DE UM EDIFÍCIO DE USO COLETIVO Em edifícios coletivos o cálculo de demanda, que resulta no dimensionamento
  • 41. ELETRICISTA PREDIAL Demanda de um Edifício com Unidades Consumidoras Residenciais e Comerciais Em casos de edifícios que possuam unidades residenciais e comerciais o procedimento é o mesmo utilizado no caso de edifícios residenciais puros, acrescido da parcela referente à demanda das unidades comerciais. A demanda total do edifício pode ser determinada por: Dedif = 1.20 x (Daptos + Dcondom +Dun.comerc)