SlideShare uma empresa Scribd logo
Será o egoísmo
defensável?
Haverá razões fortes que sustentem
esta posição eticamente?
Qual o princípio que defendem os
egoístas?



“CADA UM DEVE
FAZER O QUE É
MELHOR PARA SI”
Que argumentos têm a favor desta
posição?




Na realidade o que é
comum a todos nós é
cada um agir para
defender os seus
interesses.
Fundamentam-se no
egoísmo psicológico.
Que se entende por egoísmo
psicológico?


É a constatação de que
se fazemos o Bem é
para que nos possam
fazer o Bem em troca.
De que somos todos
egoístas. Somos
naturalmente assim.
Para justificar o egoísmo
psicológico:


A história do Anel de
Giges que Platão conta
na República. O pastor
Giges, quando tem
poder de ser invisível
acaba por agir de acordo
com os seus interesses e
é indiferente às normas
morais.
Objecções ao egoísmo ético



1. É ARBITRÁRIO
(Nenhuma razão
sustenta que o ego é
preferível e mais
importante que os
outros)
2ª Objecção


Teríamos um mundo
Sado-masoquista onde
certas acções terríveis
poderiam ser
justificadas.
Conclusão


O egoísmo ético não é defensável, embora
possa existir, não o podemos defender
eticamente.

Mais conteúdo relacionado

Destaque

História da arte
História da arteHistória da arte
História da arte
Helena Serrão
 
A experiência e a atitude estética2
A experiência e a atitude estética2A experiência e a atitude estética2
A experiência e a atitude estética2
Helena Serrão
 
Popper
PopperPopper
Como conhecemos nós
Como conhecemos nósComo conhecemos nós
Como conhecemos nós
Helena Serrão
 
Senso comum e conhecimento científico
Senso comum e conhecimento científicoSenso comum e conhecimento científico
Senso comum e conhecimento científico
Helena Serrão
 
Estoicismo e epicurismo
Estoicismo e epicurismoEstoicismo e epicurismo
Estoicismo e epicurismo
Helena Serrão
 

Destaque (6)

História da arte
História da arteHistória da arte
História da arte
 
A experiência e a atitude estética2
A experiência e a atitude estética2A experiência e a atitude estética2
A experiência e a atitude estética2
 
Popper
PopperPopper
Popper
 
Como conhecemos nós
Como conhecemos nósComo conhecemos nós
Como conhecemos nós
 
Senso comum e conhecimento científico
Senso comum e conhecimento científicoSenso comum e conhecimento científico
Senso comum e conhecimento científico
 
Estoicismo e epicurismo
Estoicismo e epicurismoEstoicismo e epicurismo
Estoicismo e epicurismo
 

Semelhante a Egoismo 110319054800-phpapp02

Objetivos Filosofia
Objetivos FilosofiaObjetivos Filosofia
Objetivos Filosofia
Maria Freitas
 
Ativ2 sandra
Ativ2 sandraAtiv2 sandra
Ativ2 sandra
sandrafran
 
Ativ2 sandra
Ativ2 sandraAtiv2 sandra
Ativ2 sandra
sandrafran
 
Vídeo 1 ética direitos humanos cidadania
Vídeo 1 ética direitos humanos cidadania Vídeo 1 ética direitos humanos cidadania
Vídeo 1 ética direitos humanos cidadania
Israel serique
 
Síntese da obra "Ética para um jovem"
Síntese da obra "Ética para um jovem"Síntese da obra "Ética para um jovem"
Síntese da obra "Ética para um jovem"
Helena Serrão
 
ÉTICA E AÇÃO MORAL - 3 ANO
ÉTICA  E AÇÃO MORAL - 3 ANOÉTICA  E AÇÃO MORAL - 3 ANO
ÉTICA E AÇÃO MORAL - 3 ANO
Diego Bian Filo Moreira
 
Ética e Moral - Filosofia
Ética e Moral - FilosofiaÉtica e Moral - Filosofia
Ética e Moral - Filosofia
Kely Cristina Metzker
 
Etica.pptx
Etica.pptxEtica.pptx
Etica.pptx
Fabio Nakabashi
 
Aula 3 principios eticos
Aula 3 principios eticosAula 3 principios eticos
Aula 3 principios eticos
Universidade Federal Fluminense
 
éTica por que e para quê
éTica por que e para quêéTica por que e para quê
éTica por que e para quê
Arlindo Picoli
 
Filosofia
FilosofiaFilosofia
Filosofia
Helena Serrão
 
Filosofia, comunicação e ética unip
Filosofia, comunicação e ética unipFilosofia, comunicação e ética unip
Filosofia, comunicação e ética unip
Arte de Lorena
 
Ética e Cidadania 2º semestre - mackenzie 2012
Ética e Cidadania   2º semestre - mackenzie 2012Ética e Cidadania   2º semestre - mackenzie 2012
Ética e Cidadania 2º semestre - mackenzie 2012
Fábio Peres
 
Resumo - minhas anotações curso de ética - Prof Clóvis
Resumo - minhas anotações curso de ética - Prof ClóvisResumo - minhas anotações curso de ética - Prof Clóvis
Resumo - minhas anotações curso de ética - Prof Clóvis
Ilton Marcos Soares Freitas
 
Filosofia: Quem precisa dela? - O Objetivismo de Ayn Rand
Filosofia: Quem precisa dela? - O Objetivismo de Ayn RandFilosofia: Quem precisa dela? - O Objetivismo de Ayn Rand
Filosofia: Quem precisa dela? - O Objetivismo de Ayn Rand
Breno Brito
 
éTica de kant e de stuart mill
éTica de kant e de stuart milléTica de kant e de stuart mill
éTica de kant e de stuart mill
Saul Marques da Silva
 
09 egoismo
09 egoismo09 egoismo
09 egoismo
09 egoismo09 egoismo
Fil kant
Fil kantFil kant
Fil kant
pmarisa10
 
Ética - Dalmo de Abreu Dallari
Ética - Dalmo de Abreu DallariÉtica - Dalmo de Abreu Dallari
Ética - Dalmo de Abreu Dallari
cheilon
 

Semelhante a Egoismo 110319054800-phpapp02 (20)

Objetivos Filosofia
Objetivos FilosofiaObjetivos Filosofia
Objetivos Filosofia
 
Ativ2 sandra
Ativ2 sandraAtiv2 sandra
Ativ2 sandra
 
Ativ2 sandra
Ativ2 sandraAtiv2 sandra
Ativ2 sandra
 
Vídeo 1 ética direitos humanos cidadania
Vídeo 1 ética direitos humanos cidadania Vídeo 1 ética direitos humanos cidadania
Vídeo 1 ética direitos humanos cidadania
 
Síntese da obra "Ética para um jovem"
Síntese da obra "Ética para um jovem"Síntese da obra "Ética para um jovem"
Síntese da obra "Ética para um jovem"
 
ÉTICA E AÇÃO MORAL - 3 ANO
ÉTICA  E AÇÃO MORAL - 3 ANOÉTICA  E AÇÃO MORAL - 3 ANO
ÉTICA E AÇÃO MORAL - 3 ANO
 
Ética e Moral - Filosofia
Ética e Moral - FilosofiaÉtica e Moral - Filosofia
Ética e Moral - Filosofia
 
Etica.pptx
Etica.pptxEtica.pptx
Etica.pptx
 
Aula 3 principios eticos
Aula 3 principios eticosAula 3 principios eticos
Aula 3 principios eticos
 
éTica por que e para quê
éTica por que e para quêéTica por que e para quê
éTica por que e para quê
 
Filosofia
FilosofiaFilosofia
Filosofia
 
Filosofia, comunicação e ética unip
Filosofia, comunicação e ética unipFilosofia, comunicação e ética unip
Filosofia, comunicação e ética unip
 
Ética e Cidadania 2º semestre - mackenzie 2012
Ética e Cidadania   2º semestre - mackenzie 2012Ética e Cidadania   2º semestre - mackenzie 2012
Ética e Cidadania 2º semestre - mackenzie 2012
 
Resumo - minhas anotações curso de ética - Prof Clóvis
Resumo - minhas anotações curso de ética - Prof ClóvisResumo - minhas anotações curso de ética - Prof Clóvis
Resumo - minhas anotações curso de ética - Prof Clóvis
 
Filosofia: Quem precisa dela? - O Objetivismo de Ayn Rand
Filosofia: Quem precisa dela? - O Objetivismo de Ayn RandFilosofia: Quem precisa dela? - O Objetivismo de Ayn Rand
Filosofia: Quem precisa dela? - O Objetivismo de Ayn Rand
 
éTica de kant e de stuart mill
éTica de kant e de stuart milléTica de kant e de stuart mill
éTica de kant e de stuart mill
 
09 egoismo
09 egoismo09 egoismo
09 egoismo
 
09 egoismo
09 egoismo09 egoismo
09 egoismo
 
Fil kant
Fil kantFil kant
Fil kant
 
Ética - Dalmo de Abreu Dallari
Ética - Dalmo de Abreu DallariÉtica - Dalmo de Abreu Dallari
Ética - Dalmo de Abreu Dallari
 

Mais de Helena Serrão

Descartes provas da existência de Deus.pptx
Descartes provas da existência de Deus.pptxDescartes provas da existência de Deus.pptx
Descartes provas da existência de Deus.pptx
Helena Serrão
 
Ceticismo.pptx
Ceticismo.pptxCeticismo.pptx
Ceticismo.pptx
Helena Serrão
 
O discurso filosófico.pptx
O discurso filosófico.pptxO discurso filosófico.pptx
O discurso filosófico.pptx
Helena Serrão
 
A estrutura lógica do discurso.pptx
A estrutura lógica do discurso.pptxA estrutura lógica do discurso.pptx
A estrutura lógica do discurso.pptx
Helena Serrão
 
Críticas à Ética deontológica de Kant.pptx
Críticas à Ética deontológica de Kant.pptxCríticas à Ética deontológica de Kant.pptx
Críticas à Ética deontológica de Kant.pptx
Helena Serrão
 
Representações da pieta
Representações da pietaRepresentações da pieta
Representações da pieta
Helena Serrão
 
Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892
Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892
Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892
Helena Serrão
 
Descartes críticas
Descartes críticasDescartes críticas
Descartes críticas
Helena Serrão
 
Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)
Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)
Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)
Helena Serrão
 
David hume2
David hume2David hume2
David hume2
Helena Serrão
 
Revisoes hume e_descartes
Revisoes hume e_descartesRevisoes hume e_descartes
Revisoes hume e_descartes
Helena Serrão
 
Determinismo e liberdade_na_acao_humana
Determinismo e liberdade_na_acao_humanaDeterminismo e liberdade_na_acao_humana
Determinismo e liberdade_na_acao_humana
Helena Serrão
 
David hume2
David hume2David hume2
David hume2
Helena Serrão
 
Pp4
Pp4Pp4
Inteligencia artificial
Inteligencia artificialInteligencia artificial
Inteligencia artificial
Helena Serrão
 
Falcias 121204140007-phpapp01
Falcias 121204140007-phpapp01Falcias 121204140007-phpapp01
Falcias 121204140007-phpapp01
Helena Serrão
 
O que é a arte
O que é a arteO que é a arte
O que é a arte
Helena Serrão
 
Como vai o teu discernimento intelectual acerca da
Como vai o teu discernimento intelectual acerca daComo vai o teu discernimento intelectual acerca da
Como vai o teu discernimento intelectual acerca da
Helena Serrão
 
Stuart mill
Stuart millStuart mill
Stuart mill
Helena Serrão
 
Falácias2
Falácias2Falácias2
Falácias2
Helena Serrão
 

Mais de Helena Serrão (20)

Descartes provas da existência de Deus.pptx
Descartes provas da existência de Deus.pptxDescartes provas da existência de Deus.pptx
Descartes provas da existência de Deus.pptx
 
Ceticismo.pptx
Ceticismo.pptxCeticismo.pptx
Ceticismo.pptx
 
O discurso filosófico.pptx
O discurso filosófico.pptxO discurso filosófico.pptx
O discurso filosófico.pptx
 
A estrutura lógica do discurso.pptx
A estrutura lógica do discurso.pptxA estrutura lógica do discurso.pptx
A estrutura lógica do discurso.pptx
 
Críticas à Ética deontológica de Kant.pptx
Críticas à Ética deontológica de Kant.pptxCríticas à Ética deontológica de Kant.pptx
Críticas à Ética deontológica de Kant.pptx
 
Representações da pieta
Representações da pietaRepresentações da pieta
Representações da pieta
 
Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892
Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892
Oqueaarte 100529034553-phpapp01-150514210944-lva1-app6892
 
Descartes críticas
Descartes críticasDescartes críticas
Descartes críticas
 
Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)
Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)
Sensocomumeconhecimentocientfico 130405110837-phpapp02(1)
 
David hume2
David hume2David hume2
David hume2
 
Revisoes hume e_descartes
Revisoes hume e_descartesRevisoes hume e_descartes
Revisoes hume e_descartes
 
Determinismo e liberdade_na_acao_humana
Determinismo e liberdade_na_acao_humanaDeterminismo e liberdade_na_acao_humana
Determinismo e liberdade_na_acao_humana
 
David hume2
David hume2David hume2
David hume2
 
Pp4
Pp4Pp4
Pp4
 
Inteligencia artificial
Inteligencia artificialInteligencia artificial
Inteligencia artificial
 
Falcias 121204140007-phpapp01
Falcias 121204140007-phpapp01Falcias 121204140007-phpapp01
Falcias 121204140007-phpapp01
 
O que é a arte
O que é a arteO que é a arte
O que é a arte
 
Como vai o teu discernimento intelectual acerca da
Como vai o teu discernimento intelectual acerca daComo vai o teu discernimento intelectual acerca da
Como vai o teu discernimento intelectual acerca da
 
Stuart mill
Stuart millStuart mill
Stuart mill
 
Falácias2
Falácias2Falácias2
Falácias2
 

Egoismo 110319054800-phpapp02

  • 1. Será o egoísmo defensável? Haverá razões fortes que sustentem esta posição eticamente?
  • 2. Qual o princípio que defendem os egoístas?  “CADA UM DEVE FAZER O QUE É MELHOR PARA SI”
  • 3. Que argumentos têm a favor desta posição?   Na realidade o que é comum a todos nós é cada um agir para defender os seus interesses. Fundamentam-se no egoísmo psicológico.
  • 4. Que se entende por egoísmo psicológico?  É a constatação de que se fazemos o Bem é para que nos possam fazer o Bem em troca. De que somos todos egoístas. Somos naturalmente assim.
  • 5. Para justificar o egoísmo psicológico:  A história do Anel de Giges que Platão conta na República. O pastor Giges, quando tem poder de ser invisível acaba por agir de acordo com os seus interesses e é indiferente às normas morais.
  • 6. Objecções ao egoísmo ético   1. É ARBITRÁRIO (Nenhuma razão sustenta que o ego é preferível e mais importante que os outros)
  • 7. 2ª Objecção  Teríamos um mundo Sado-masoquista onde certas acções terríveis poderiam ser justificadas.
  • 8. Conclusão  O egoísmo ético não é defensável, embora possa existir, não o podemos defender eticamente.