SlideShare uma empresa Scribd logo
AULA 10 - ESPÍRITOS - SEXO, PARENTESCO E SEMELHANÇAS FÍSICAS E MORAIS
Recepção:
Música p harmonização e vários livros espíritas infantis p serem manuseados até a chegada de todos
Cantar a música www.cefak.org.br/index.php/meimei-musicas.html
Prece Inicial:
Prece espontânea feita pela educadora ou pelo aluno que quiser
Plano de Aula:
Contar a historia da Galinha Afetuosa
· Levar o educando compreender os passos necessários para a formação da família, as etapas do
relacionamento afetivo: amizade, namoro e casamento;
· Propiciar ao evangelizando a compreensão dos papéis e funções de cada um na família: pai, mãe e
filhos (deveres e direitos, de cada um), e a importância da vivência cristã no lar (formação e aperfeiçoamento
de valores e sentimentos cristãos – amor, respeito, alegria, gratidão entre outros), despertando a noção de
responsabilidade nos relacionamentos afetivos dentro e fora da família.
Perguntar:
Todos nós pedimos para nascer?
Pedimos para reencarnar na família que temos?
O que mais pedimos? O corpo, os amigos. Escolhemos a nossa família, ela é a família ideal para nossa
evolução.
Escolhemos só as coisas boas? Não, escolhemos o necessário para nossa evolução. Também
escolhemos situações que vão nos auxiliar a evoluir, que podem ser boas ou não (nosso corpo físico, situação
financeira, doenças).
Lembrar que nem todas as pessoas tiveram condições de escolher, muitas vezes são os amigos
espirituais que escolhem as melhores condições para nossa reencarnação, aquelas que irão nos oportunizar a
evolução espiritual.
Sempre temos um bom relacionamento com os membros de nossa família? Nem sempre. Alguém que
brigou com uma pessoa, ficou de mal, pode pedir para reencontrar aquele Espírito em outra vida a fim de
fazer as pazes. Se magoou, traiu a confiança de alguém nos negócios, no casamento, causou mal a alguém,
depois do desencarne, no Mundo Espiritual se dá conta que errou e pede uma nova oportunidade para se
reconciliar.
Por bondade de Deus não lembramos o que aconteceu, mas Deus nos dá uma nova oportunidade com
os mesmos Espíritos (em outros corpos). Se temos dificuldades com alguém pode ser que tenhamos tido
dificuldades em outra existência. Mas também pode ser que não, que seja apenas má vontade nossa nesta
existência.
Como você acha que iniciou a sua família?Mostrando gravuras da criação, dois de cada espécie, também do
homem e da mulher para a formação da família, falar dos primeiros relacionamentos como: amizade,
namoro, casamento.
Falar sobre a importância da família, lembrar que muitas crianças estão em orfanatos por não terem família.
Devemos valorizar a nossa família, respeitando nossos pais, avós, irmãos, as pessoas que cuidam de nós e as
demais pessoas que fazem parte dela.
Nem sempre a nossa família é formada por pai, mãe, avós, pois pode haver aqueles que já
desencarnaram e várias outras situações.
Devemos nos lembrar que família são aquelas pessoas que convivem conosco. Podemos morar apenas
com o pai ou com a mãe ou com nossos avós, ou com outra pessoa como uma tia, mas mesmo assim estamos
em família.
Devemos agradecer ao Mestre Jesus pela família que temos e pedir forças para que saibamos agir com
amor e respeito com nossos familiares, para contribuirmos com a felicidade do nosso lar.
Aproveitar a oportunidade e falar da situação em que uma família adota uma criança: não possuem laços
corporais (sanguíneos), porém, como nada acontece por acaso, eles poderão ter laços espirituais, podendo ser
uma oportunidade de apertar os laços de afeto que já os unem ou de desenvolver bons sentimentos em família
(aprender a se amar e se respeitar mutuamente).
Lembrar que herdamos de nossos pais a semelhança física, os olhos, o nariz, o jeito de falar, mas não as
virtudes, as qualidades. Ex.: calma, humildade, bom humor.
Ex.: pais caridosos podem ter filhos de natureza má e vice-versa. Filhos pacientes e bem humorados
podem ter pais tristes e impacientes.
Nós escolhemos a família que desejamos reencarnar para conviver com certas pessoas, aprender
determinadas coisas. Reencarnamos para evoluir. A convivência pode gerar laços de afeto. Um dia faremos
parte de uma grande família espiritual. Lembram da semana passada que falamos da Família Universal?
Salientar que o nosso grande desafio está em amarmos os nossos inimigos e aquelas pessoas que não
simpatizamos. Isso exige esforço e perseverança de nossa parte. Podemos começar a desenvolver o amor,
respeitando, tratando bem; desejando somente o bem a quem não gostamos.
Explicar que, apesar das brigas e discórdias no ambiente familiar, “os que encarnam numa família,
sobretudo como parentes próximos, são, na maioria das vezes, Espíritos simpáticos, ligados por anteriores
relações de amizade e afeto”. Lembrando que é na família que desenvolvemos nossas potencialidades de
sentimentos, como: - respeito alegria gratidão de uns para com os outros enfim o Amor ensinado por Jesus,
“Meus irmãos são todos os que fazem a vontade de MEU PAI que estás no céu”.
Contar a historia: Porco-Espinho.
(Levar dois porcos espinhos feito de batatas e palitos, para as crianças terem ideia de como é esse animal)
O PORCO ESPINHO
Durante a era glacial, há milhares de anos atrás, muitos animais sobreviviam apesar das intempéries.
Uma lenda muito antiga fala que durante este período, a era glacial, o frio era tão intenso que os bichos não
conseguiam sobreviver e morriam aos montes.
Os Porcos Espinhos, quando viram e perceberam a situação, resolveram se juntar em grupos, assim se
agasalhavam e protegiam-se mutuamente, mas o espinho de cada um feria o companheiro mais próximo,
justamente os que forneciam mais calor, aqueles que estavam mais perto; e por isto tornaram a se afastar uns
dos outros, voltando a morrer congelados.
Precisavam fazer uma escolha:
 desaparecer da face da terra ou
 aceitar o espinho dos semelhantes.
Com sabedoria, decidiram voltar a ficar juntos.
Aprenderam a conviver com as feridas que uma relação muito próxima podia causar – já que o mais
importante era o calor do outro.E terminaram sobrevivendo.
APLICAÇÃO
O animal, Porco Espinho, descobriu aquilo que muitos já sabem também:
Aqueles que mais nos ferem são aqueles que mais próximos estão de nós.
Somente juntos poderemos sobreviver.
A sobrevivência importa em aceitarmos os espinhos que nos ferem.
Sem a presença daqueles que as vezes nos ferem, não teremos o calor que nos mantêm vivos;
Só existe relacionamento quando entendemos que precisamos suportar nosso semelhante.
O calor que emana de cada um de nós nos manterá vivos, apesar da dor.
"O melhor relacionamento não é aquele que une pessoas perfeitas, mas aquele onde cada um aprende a
conviver com os defeitos do outro e consegue admirar suas qualidades".
Amando e respeitando mutuamente.
Apesar de nossas diferenças, com o amor de Cristo que nos une, essas diferenças serão vencidas pelo
“aceitar o outro como ele é” e respeitar o nosso próximo. Somos diferentes em muitas coisas: somos
desiguais até na impressão digital e no DNA, mas temos uma coisa tremenda em comum: O AMOR DE
DEUS.
Atividade:
Colar os ovinhos na apostila e decora-los com purpurina, glitter e colori-los.
Prepara a galinha e o pintinho, pintando-os e colando peninhas, coloca-los em varetas, criando fantoches de
vareta para que as crianças, representem o encontro da mamãe com seu filhotinho.
Alfabeto em libras:
Dando continuidade ao nosso projeto de inclusão do ano passado, as crianças aprendem , olhando o alfabeto
(conforme modelo) colado na parede, como é a letra M na linguagem dos surdos e mudos.
Lembrancinha:
Levar batatas bolinha e palitos quebrá-los ao meio pedindo que os educandos, com cuidado, espetem a parte
pontuda na batatinha, fazendo um porco espinho.
Se sobrar tempo fazer a galinha com a luva de dentista
Prece final:
Prece espontânea feita pela educadora ou pelo aluno que quiser.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A familia proclamação ao mundo
A familia   proclamação ao mundoA familia   proclamação ao mundo
A familia proclamação ao mundo
Solange Dal'Evedove
 
A família proclamação ao mundo
A família   proclamação ao mundoA família   proclamação ao mundo
A família proclamação ao mundo
Gil Antunes
 
Dia da família
Dia da famíliaDia da família
Dia da família
Helio Cruz
 
15 o tempo e a familia
15   o tempo e a familia15   o tempo e a familia
15 o tempo e a familia
PIB Penha
 
A comunicação na família
A comunicação na famíliaA comunicação na família
A comunicação na família
Noimix
 
Honrai a vosso pai e a vossa
Honrai a vosso pai e a vossaHonrai a vosso pai e a vossa
Honrai a vosso pai e a vossa
Crisley Carolina Souza e Silva
 
Dia da família
Dia da famíliaDia da família
Dia da família
Helio Cruz
 
Palestra AdolescêNcia E FamíLia
Palestra   AdolescêNcia E FamíLiaPalestra   AdolescêNcia E FamíLia
Palestra AdolescêNcia E FamíLia
ccespirita
 
Semana da Família - Oração
Semana da Família - OraçãoSemana da Família - Oração
Semana da Família - Oração
Paróquia Pardilhó
 
19 revisao e avaliacao do curso
19   revisao e avaliacao do curso19   revisao e avaliacao do curso
19 revisao e avaliacao do curso
PIB Penha
 
Livro dos Espiritos 206 Evangelho Cap14 item 9
Livro dos Espiritos 206 Evangelho Cap14 item 9Livro dos Espiritos 206 Evangelho Cap14 item 9
Livro dos Espiritos 206 Evangelho Cap14 item 9
Patricia Farias
 
Sos Família
Sos FamíliaSos Família
6 inimigos da familia, influencias internas
6   inimigos da familia, influencias internas6   inimigos da familia, influencias internas
6 inimigos da familia, influencias internas
PIB Penha
 
Honrarás pai e mãe
Honrarás pai e mãeHonrarás pai e mãe
Honrarás pai e mãe
Moisés Sampaio
 
Familia
FamiliaFamilia
O Lar Adventista - Estudo 07
O Lar Adventista - Estudo 07O Lar Adventista - Estudo 07
O Lar Adventista - Estudo 07
Pr. Delmar Fonseca
 
Honrar Pai e Mãe
Honrar Pai e MãeHonrar Pai e Mãe
Setor pos matrimonio 2015
Setor pos matrimonio  2015Setor pos matrimonio  2015
Setor pos matrimonio 2015
nivaldo araujo
 
LIÇÃO 7 - HONRARÁS PAI E MÃE
LIÇÃO 7 - HONRARÁS PAI E MÃELIÇÃO 7 - HONRARÁS PAI E MÃE
LIÇÃO 7 - HONRARÁS PAI E MÃE
Natalino das Neves Neves
 
55911659 a-responsabilidade-dos-pais-na-educacao-dos-filhos
55911659 a-responsabilidade-dos-pais-na-educacao-dos-filhos55911659 a-responsabilidade-dos-pais-na-educacao-dos-filhos
55911659 a-responsabilidade-dos-pais-na-educacao-dos-filhos
Fernanda Cherobini
 

Mais procurados (20)

A familia proclamação ao mundo
A familia   proclamação ao mundoA familia   proclamação ao mundo
A familia proclamação ao mundo
 
A família proclamação ao mundo
A família   proclamação ao mundoA família   proclamação ao mundo
A família proclamação ao mundo
 
Dia da família
Dia da famíliaDia da família
Dia da família
 
15 o tempo e a familia
15   o tempo e a familia15   o tempo e a familia
15 o tempo e a familia
 
A comunicação na família
A comunicação na famíliaA comunicação na família
A comunicação na família
 
Honrai a vosso pai e a vossa
Honrai a vosso pai e a vossaHonrai a vosso pai e a vossa
Honrai a vosso pai e a vossa
 
Dia da família
Dia da famíliaDia da família
Dia da família
 
Palestra AdolescêNcia E FamíLia
Palestra   AdolescêNcia E FamíLiaPalestra   AdolescêNcia E FamíLia
Palestra AdolescêNcia E FamíLia
 
Semana da Família - Oração
Semana da Família - OraçãoSemana da Família - Oração
Semana da Família - Oração
 
19 revisao e avaliacao do curso
19   revisao e avaliacao do curso19   revisao e avaliacao do curso
19 revisao e avaliacao do curso
 
Livro dos Espiritos 206 Evangelho Cap14 item 9
Livro dos Espiritos 206 Evangelho Cap14 item 9Livro dos Espiritos 206 Evangelho Cap14 item 9
Livro dos Espiritos 206 Evangelho Cap14 item 9
 
Sos Família
Sos FamíliaSos Família
Sos Família
 
6 inimigos da familia, influencias internas
6   inimigos da familia, influencias internas6   inimigos da familia, influencias internas
6 inimigos da familia, influencias internas
 
Honrarás pai e mãe
Honrarás pai e mãeHonrarás pai e mãe
Honrarás pai e mãe
 
Familia
FamiliaFamilia
Familia
 
O Lar Adventista - Estudo 07
O Lar Adventista - Estudo 07O Lar Adventista - Estudo 07
O Lar Adventista - Estudo 07
 
Honrar Pai e Mãe
Honrar Pai e MãeHonrar Pai e Mãe
Honrar Pai e Mãe
 
Setor pos matrimonio 2015
Setor pos matrimonio  2015Setor pos matrimonio  2015
Setor pos matrimonio 2015
 
LIÇÃO 7 - HONRARÁS PAI E MÃE
LIÇÃO 7 - HONRARÁS PAI E MÃELIÇÃO 7 - HONRARÁS PAI E MÃE
LIÇÃO 7 - HONRARÁS PAI E MÃE
 
55911659 a-responsabilidade-dos-pais-na-educacao-dos-filhos
55911659 a-responsabilidade-dos-pais-na-educacao-dos-filhos55911659 a-responsabilidade-dos-pais-na-educacao-dos-filhos
55911659 a-responsabilidade-dos-pais-na-educacao-dos-filhos
 

Destaque

Sexualidade na escola 06-04-16
Sexualidade na escola 06-04-16Sexualidade na escola 06-04-16
Sexualidade na escola 06-04-16
flor Oliveira
 
Cartilha
CartilhaCartilha
Cartilha
Daniela Almeida
 
Anexo2
Anexo2Anexo2
Anexo2
Pelo Siro
 
Doenças que afetam o sistema genital masculino e feminino
Doenças que afetam o sistema genital masculino e femininoDoenças que afetam o sistema genital masculino e feminino
Doenças que afetam o sistema genital masculino e feminino
Danna Petri
 
Sistema Genital Masculino e Feminino - 1° ano do Ensino Médio
Sistema Genital Masculino e Feminino - 1° ano do Ensino MédioSistema Genital Masculino e Feminino - 1° ano do Ensino Médio
Sistema Genital Masculino e Feminino - 1° ano do Ensino Médio
Ronaldo Santana
 
Sistema reprodutor masculino
Sistema reprodutor masculinoSistema reprodutor masculino
Sistema reprodutor masculino
Fabiano Reis
 

Destaque (6)

Sexualidade na escola 06-04-16
Sexualidade na escola 06-04-16Sexualidade na escola 06-04-16
Sexualidade na escola 06-04-16
 
Cartilha
CartilhaCartilha
Cartilha
 
Anexo2
Anexo2Anexo2
Anexo2
 
Doenças que afetam o sistema genital masculino e feminino
Doenças que afetam o sistema genital masculino e femininoDoenças que afetam o sistema genital masculino e feminino
Doenças que afetam o sistema genital masculino e feminino
 
Sistema Genital Masculino e Feminino - 1° ano do Ensino Médio
Sistema Genital Masculino e Feminino - 1° ano do Ensino MédioSistema Genital Masculino e Feminino - 1° ano do Ensino Médio
Sistema Genital Masculino e Feminino - 1° ano do Ensino Médio
 
Sistema reprodutor masculino
Sistema reprodutor masculinoSistema reprodutor masculino
Sistema reprodutor masculino
 

Semelhante a EEI 10 - Aula 10 espíritos sexo, parentesco

Parentela Corporal E Espiritual2
Parentela Corporal E Espiritual2Parentela Corporal E Espiritual2
Parentela Corporal E Espiritual2
Grupo Espírita Cristão
 
Parentela corporal e espiritual[681]
Parentela corporal e espiritual[681]Parentela corporal e espiritual[681]
Parentela corporal e espiritual[681]
Helio Cruz
 
Objetivos da aula.pdf
Objetivos da aula.pdfObjetivos da aula.pdf
Objetivos da aula.pdf
Alice Lirio
 
Parentesco e Filiação
Parentesco e FiliaçãoParentesco e Filiação
Parentesco e Filiação
Associação Espirita Lagos
 
Boletim o PAE julho
Boletim o PAE julho Boletim o PAE julho
Boletim o PAE julho
O PAE PAE
 
Correio de luz 06 2016
Correio de luz 06 2016Correio de luz 06 2016
Correio de luz 06 2016
Ume Maria
 
A parentela corporal e espiritual
A parentela corporal e espiritualA parentela corporal e espiritual
A parentela corporal e espiritual
Helio Cruz
 
A familia
A familiaA familia
A familia
Lucia Carlessi
 
Estudo biblico esperanca-para-a-familia
Estudo biblico esperanca-para-a-familiaEstudo biblico esperanca-para-a-familia
Estudo biblico esperanca-para-a-familia
Damy Nilson
 
Aula porque nasci
Aula porque nasciAula porque nasci
Aula porque nasci
Mocidade Bezzerra de Menezes
 
EEI - Aula 7 a encarnação dos espíritos
EEI - Aula 7   a encarnação dos espíritosEEI - Aula 7   a encarnação dos espíritos
EEI - Aula 7 a encarnação dos espíritos
Fatoze
 
Nosso projeto Jesus na minha casa 2019.pdf
Nosso projeto Jesus na minha casa 2019.pdfNosso projeto Jesus na minha casa 2019.pdf
Nosso projeto Jesus na minha casa 2019.pdf
JooMarcosMendona
 
Edição n. 20 do CH Notícias - Fevereiro / 2017
Edição n. 20 do CH Notícias - Fevereiro / 2017Edição n. 20 do CH Notícias - Fevereiro / 2017
Edição n. 20 do CH Notícias - Fevereiro / 2017
CH Notícias - Casa dos Humildes - Recife
 
Conferência A FAMILIA:Constituição, Fundamentos, Responsabilidades
Conferência  A FAMILIA:Constituição, Fundamentos, ResponsabilidadesConferência  A FAMILIA:Constituição, Fundamentos, Responsabilidades
Conferência A FAMILIA:Constituição, Fundamentos, Responsabilidades
Arlete Laenzlinger
 
2010-03-Palestra-Honrai Vosso Pai e Vossa Mãe-Rosana De Rosa
2010-03-Palestra-Honrai Vosso Pai e Vossa Mãe-Rosana De Rosa2010-03-Palestra-Honrai Vosso Pai e Vossa Mãe-Rosana De Rosa
2010-03-Palestra-Honrai Vosso Pai e Vossa Mãe-Rosana De Rosa
Rosana De Rosa
 
Eae 107 O Cristão no lar
Eae 107 O Cristão no lar Eae 107 O Cristão no lar
Eae 107 O Cristão no lar
PatiSousa1
 
A vida em família
A vida em famíliaA vida em família
A vida em família
Helio Cruz
 
Laços familiares
Laços familiaresLaços familiares
Laços familiares
Andreia Garcia Carneiro
 
Família material e espiritual
Família material e espiritualFamília material e espiritual
Família material e espiritual
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Palestra Espírita Deveres dos pais
Palestra Espírita Deveres dos paisPalestra Espírita Deveres dos pais
Palestra Espírita Deveres dos pais
manumino
 

Semelhante a EEI 10 - Aula 10 espíritos sexo, parentesco (20)

Parentela Corporal E Espiritual2
Parentela Corporal E Espiritual2Parentela Corporal E Espiritual2
Parentela Corporal E Espiritual2
 
Parentela corporal e espiritual[681]
Parentela corporal e espiritual[681]Parentela corporal e espiritual[681]
Parentela corporal e espiritual[681]
 
Objetivos da aula.pdf
Objetivos da aula.pdfObjetivos da aula.pdf
Objetivos da aula.pdf
 
Parentesco e Filiação
Parentesco e FiliaçãoParentesco e Filiação
Parentesco e Filiação
 
Boletim o PAE julho
Boletim o PAE julho Boletim o PAE julho
Boletim o PAE julho
 
Correio de luz 06 2016
Correio de luz 06 2016Correio de luz 06 2016
Correio de luz 06 2016
 
A parentela corporal e espiritual
A parentela corporal e espiritualA parentela corporal e espiritual
A parentela corporal e espiritual
 
A familia
A familiaA familia
A familia
 
Estudo biblico esperanca-para-a-familia
Estudo biblico esperanca-para-a-familiaEstudo biblico esperanca-para-a-familia
Estudo biblico esperanca-para-a-familia
 
Aula porque nasci
Aula porque nasciAula porque nasci
Aula porque nasci
 
EEI - Aula 7 a encarnação dos espíritos
EEI - Aula 7   a encarnação dos espíritosEEI - Aula 7   a encarnação dos espíritos
EEI - Aula 7 a encarnação dos espíritos
 
Nosso projeto Jesus na minha casa 2019.pdf
Nosso projeto Jesus na minha casa 2019.pdfNosso projeto Jesus na minha casa 2019.pdf
Nosso projeto Jesus na minha casa 2019.pdf
 
Edição n. 20 do CH Notícias - Fevereiro / 2017
Edição n. 20 do CH Notícias - Fevereiro / 2017Edição n. 20 do CH Notícias - Fevereiro / 2017
Edição n. 20 do CH Notícias - Fevereiro / 2017
 
Conferência A FAMILIA:Constituição, Fundamentos, Responsabilidades
Conferência  A FAMILIA:Constituição, Fundamentos, ResponsabilidadesConferência  A FAMILIA:Constituição, Fundamentos, Responsabilidades
Conferência A FAMILIA:Constituição, Fundamentos, Responsabilidades
 
2010-03-Palestra-Honrai Vosso Pai e Vossa Mãe-Rosana De Rosa
2010-03-Palestra-Honrai Vosso Pai e Vossa Mãe-Rosana De Rosa2010-03-Palestra-Honrai Vosso Pai e Vossa Mãe-Rosana De Rosa
2010-03-Palestra-Honrai Vosso Pai e Vossa Mãe-Rosana De Rosa
 
Eae 107 O Cristão no lar
Eae 107 O Cristão no lar Eae 107 O Cristão no lar
Eae 107 O Cristão no lar
 
A vida em família
A vida em famíliaA vida em família
A vida em família
 
Laços familiares
Laços familiaresLaços familiares
Laços familiares
 
Família material e espiritual
Família material e espiritualFamília material e espiritual
Família material e espiritual
 
Palestra Espírita Deveres dos pais
Palestra Espírita Deveres dos paisPalestra Espírita Deveres dos pais
Palestra Espírita Deveres dos pais
 

Mais de Fatoze

Evangelho animais 95
Evangelho animais 95Evangelho animais 95
Evangelho animais 95
Fatoze
 
Evangelho animais 94
Evangelho animais 94Evangelho animais 94
Evangelho animais 94
Fatoze
 
Evangelho animais 93
Evangelho animais 93Evangelho animais 93
Evangelho animais 93
Fatoze
 
Evangelho animais 92
Evangelho animais 92Evangelho animais 92
Evangelho animais 92
Fatoze
 
Evangelho animais 91
Evangelho animais 91Evangelho animais 91
Evangelho animais 91
Fatoze
 
Evangelho no lar com crianças (69)
Evangelho no lar com crianças (69)Evangelho no lar com crianças (69)
Evangelho no lar com crianças (69)
Fatoze
 
Evangelho no lar com crianças (68)
Evangelho no lar com crianças (68)Evangelho no lar com crianças (68)
Evangelho no lar com crianças (68)
Fatoze
 
Evangelho no lar com crianças (67)
Evangelho no lar com crianças (67)Evangelho no lar com crianças (67)
Evangelho no lar com crianças (67)
Fatoze
 
Evangelho no lar com crianças (66)
Evangelho no lar com crianças (66)Evangelho no lar com crianças (66)
Evangelho no lar com crianças (66)
Fatoze
 
68 oitava categoria - caso 14
68   oitava categoria - caso 1468   oitava categoria - caso 14
68 oitava categoria - caso 14
Fatoze
 
67 oitava categoria - caso 12 e caso 13
67   oitava categoria - caso 12 e caso 1367   oitava categoria - caso 12 e caso 13
67 oitava categoria - caso 12 e caso 13
Fatoze
 
66 oitava categoria - caso 10 e caso 11
66   oitava categoria - caso 10 e caso 1166   oitava categoria - caso 10 e caso 11
66 oitava categoria - caso 10 e caso 11
Fatoze
 
65 oitava categoria - caso 08 e caso 09
65   oitava categoria - caso 08 e caso 0965   oitava categoria - caso 08 e caso 09
65 oitava categoria - caso 08 e caso 09
Fatoze
 
Evangelho no lar com crianças (65)
Evangelho no lar com crianças (65)Evangelho no lar com crianças (65)
Evangelho no lar com crianças (65)
Fatoze
 
Evangelho no lar com crianças (64)
Evangelho no lar com crianças (64)Evangelho no lar com crianças (64)
Evangelho no lar com crianças (64)
Fatoze
 
Evangelho no lar com crianças (63)
Evangelho no lar com crianças (63)Evangelho no lar com crianças (63)
Evangelho no lar com crianças (63)
Fatoze
 
Evangelho animais 90
Evangelho animais 90Evangelho animais 90
Evangelho animais 90
Fatoze
 
Evangelho animais 89
Evangelho animais 89Evangelho animais 89
Evangelho animais 89
Fatoze
 
Evangelho animais 88
Evangelho animais 88Evangelho animais 88
Evangelho animais 88
Fatoze
 
Aula 15 irmaos
Aula 15   irmaosAula 15   irmaos
Aula 15 irmaos
Fatoze
 

Mais de Fatoze (20)

Evangelho animais 95
Evangelho animais 95Evangelho animais 95
Evangelho animais 95
 
Evangelho animais 94
Evangelho animais 94Evangelho animais 94
Evangelho animais 94
 
Evangelho animais 93
Evangelho animais 93Evangelho animais 93
Evangelho animais 93
 
Evangelho animais 92
Evangelho animais 92Evangelho animais 92
Evangelho animais 92
 
Evangelho animais 91
Evangelho animais 91Evangelho animais 91
Evangelho animais 91
 
Evangelho no lar com crianças (69)
Evangelho no lar com crianças (69)Evangelho no lar com crianças (69)
Evangelho no lar com crianças (69)
 
Evangelho no lar com crianças (68)
Evangelho no lar com crianças (68)Evangelho no lar com crianças (68)
Evangelho no lar com crianças (68)
 
Evangelho no lar com crianças (67)
Evangelho no lar com crianças (67)Evangelho no lar com crianças (67)
Evangelho no lar com crianças (67)
 
Evangelho no lar com crianças (66)
Evangelho no lar com crianças (66)Evangelho no lar com crianças (66)
Evangelho no lar com crianças (66)
 
68 oitava categoria - caso 14
68   oitava categoria - caso 1468   oitava categoria - caso 14
68 oitava categoria - caso 14
 
67 oitava categoria - caso 12 e caso 13
67   oitava categoria - caso 12 e caso 1367   oitava categoria - caso 12 e caso 13
67 oitava categoria - caso 12 e caso 13
 
66 oitava categoria - caso 10 e caso 11
66   oitava categoria - caso 10 e caso 1166   oitava categoria - caso 10 e caso 11
66 oitava categoria - caso 10 e caso 11
 
65 oitava categoria - caso 08 e caso 09
65   oitava categoria - caso 08 e caso 0965   oitava categoria - caso 08 e caso 09
65 oitava categoria - caso 08 e caso 09
 
Evangelho no lar com crianças (65)
Evangelho no lar com crianças (65)Evangelho no lar com crianças (65)
Evangelho no lar com crianças (65)
 
Evangelho no lar com crianças (64)
Evangelho no lar com crianças (64)Evangelho no lar com crianças (64)
Evangelho no lar com crianças (64)
 
Evangelho no lar com crianças (63)
Evangelho no lar com crianças (63)Evangelho no lar com crianças (63)
Evangelho no lar com crianças (63)
 
Evangelho animais 90
Evangelho animais 90Evangelho animais 90
Evangelho animais 90
 
Evangelho animais 89
Evangelho animais 89Evangelho animais 89
Evangelho animais 89
 
Evangelho animais 88
Evangelho animais 88Evangelho animais 88
Evangelho animais 88
 
Aula 15 irmaos
Aula 15   irmaosAula 15   irmaos
Aula 15 irmaos
 

Último

A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
GABRIELADIASDUTRA1
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
JaquelineSantosBasto
 
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
claudiovieira83
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
marcobueno2024
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
Oziete SS
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Elton Zanoni
 

Último (12)

A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
 
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
 

EEI 10 - Aula 10 espíritos sexo, parentesco

  • 1. AULA 10 - ESPÍRITOS - SEXO, PARENTESCO E SEMELHANÇAS FÍSICAS E MORAIS Recepção: Música p harmonização e vários livros espíritas infantis p serem manuseados até a chegada de todos Cantar a música www.cefak.org.br/index.php/meimei-musicas.html Prece Inicial: Prece espontânea feita pela educadora ou pelo aluno que quiser
  • 2. Plano de Aula: Contar a historia da Galinha Afetuosa · Levar o educando compreender os passos necessários para a formação da família, as etapas do relacionamento afetivo: amizade, namoro e casamento; · Propiciar ao evangelizando a compreensão dos papéis e funções de cada um na família: pai, mãe e filhos (deveres e direitos, de cada um), e a importância da vivência cristã no lar (formação e aperfeiçoamento de valores e sentimentos cristãos – amor, respeito, alegria, gratidão entre outros), despertando a noção de responsabilidade nos relacionamentos afetivos dentro e fora da família. Perguntar: Todos nós pedimos para nascer? Pedimos para reencarnar na família que temos? O que mais pedimos? O corpo, os amigos. Escolhemos a nossa família, ela é a família ideal para nossa evolução. Escolhemos só as coisas boas? Não, escolhemos o necessário para nossa evolução. Também
  • 3. escolhemos situações que vão nos auxiliar a evoluir, que podem ser boas ou não (nosso corpo físico, situação financeira, doenças). Lembrar que nem todas as pessoas tiveram condições de escolher, muitas vezes são os amigos espirituais que escolhem as melhores condições para nossa reencarnação, aquelas que irão nos oportunizar a evolução espiritual. Sempre temos um bom relacionamento com os membros de nossa família? Nem sempre. Alguém que brigou com uma pessoa, ficou de mal, pode pedir para reencontrar aquele Espírito em outra vida a fim de fazer as pazes. Se magoou, traiu a confiança de alguém nos negócios, no casamento, causou mal a alguém, depois do desencarne, no Mundo Espiritual se dá conta que errou e pede uma nova oportunidade para se reconciliar. Por bondade de Deus não lembramos o que aconteceu, mas Deus nos dá uma nova oportunidade com os mesmos Espíritos (em outros corpos). Se temos dificuldades com alguém pode ser que tenhamos tido dificuldades em outra existência. Mas também pode ser que não, que seja apenas má vontade nossa nesta existência. Como você acha que iniciou a sua família?Mostrando gravuras da criação, dois de cada espécie, também do homem e da mulher para a formação da família, falar dos primeiros relacionamentos como: amizade, namoro, casamento. Falar sobre a importância da família, lembrar que muitas crianças estão em orfanatos por não terem família. Devemos valorizar a nossa família, respeitando nossos pais, avós, irmãos, as pessoas que cuidam de nós e as demais pessoas que fazem parte dela. Nem sempre a nossa família é formada por pai, mãe, avós, pois pode haver aqueles que já desencarnaram e várias outras situações. Devemos nos lembrar que família são aquelas pessoas que convivem conosco. Podemos morar apenas com o pai ou com a mãe ou com nossos avós, ou com outra pessoa como uma tia, mas mesmo assim estamos em família. Devemos agradecer ao Mestre Jesus pela família que temos e pedir forças para que saibamos agir com amor e respeito com nossos familiares, para contribuirmos com a felicidade do nosso lar. Aproveitar a oportunidade e falar da situação em que uma família adota uma criança: não possuem laços corporais (sanguíneos), porém, como nada acontece por acaso, eles poderão ter laços espirituais, podendo ser uma oportunidade de apertar os laços de afeto que já os unem ou de desenvolver bons sentimentos em família (aprender a se amar e se respeitar mutuamente). Lembrar que herdamos de nossos pais a semelhança física, os olhos, o nariz, o jeito de falar, mas não as virtudes, as qualidades. Ex.: calma, humildade, bom humor. Ex.: pais caridosos podem ter filhos de natureza má e vice-versa. Filhos pacientes e bem humorados podem ter pais tristes e impacientes. Nós escolhemos a família que desejamos reencarnar para conviver com certas pessoas, aprender determinadas coisas. Reencarnamos para evoluir. A convivência pode gerar laços de afeto. Um dia faremos parte de uma grande família espiritual. Lembram da semana passada que falamos da Família Universal?
  • 4. Salientar que o nosso grande desafio está em amarmos os nossos inimigos e aquelas pessoas que não simpatizamos. Isso exige esforço e perseverança de nossa parte. Podemos começar a desenvolver o amor, respeitando, tratando bem; desejando somente o bem a quem não gostamos. Explicar que, apesar das brigas e discórdias no ambiente familiar, “os que encarnam numa família, sobretudo como parentes próximos, são, na maioria das vezes, Espíritos simpáticos, ligados por anteriores relações de amizade e afeto”. Lembrando que é na família que desenvolvemos nossas potencialidades de sentimentos, como: - respeito alegria gratidão de uns para com os outros enfim o Amor ensinado por Jesus, “Meus irmãos são todos os que fazem a vontade de MEU PAI que estás no céu”. Contar a historia: Porco-Espinho. (Levar dois porcos espinhos feito de batatas e palitos, para as crianças terem ideia de como é esse animal) O PORCO ESPINHO Durante a era glacial, há milhares de anos atrás, muitos animais sobreviviam apesar das intempéries. Uma lenda muito antiga fala que durante este período, a era glacial, o frio era tão intenso que os bichos não conseguiam sobreviver e morriam aos montes. Os Porcos Espinhos, quando viram e perceberam a situação, resolveram se juntar em grupos, assim se agasalhavam e protegiam-se mutuamente, mas o espinho de cada um feria o companheiro mais próximo, justamente os que forneciam mais calor, aqueles que estavam mais perto; e por isto tornaram a se afastar uns dos outros, voltando a morrer congelados. Precisavam fazer uma escolha:  desaparecer da face da terra ou  aceitar o espinho dos semelhantes. Com sabedoria, decidiram voltar a ficar juntos. Aprenderam a conviver com as feridas que uma relação muito próxima podia causar – já que o mais importante era o calor do outro.E terminaram sobrevivendo. APLICAÇÃO O animal, Porco Espinho, descobriu aquilo que muitos já sabem também: Aqueles que mais nos ferem são aqueles que mais próximos estão de nós. Somente juntos poderemos sobreviver. A sobrevivência importa em aceitarmos os espinhos que nos ferem. Sem a presença daqueles que as vezes nos ferem, não teremos o calor que nos mantêm vivos; Só existe relacionamento quando entendemos que precisamos suportar nosso semelhante. O calor que emana de cada um de nós nos manterá vivos, apesar da dor. "O melhor relacionamento não é aquele que une pessoas perfeitas, mas aquele onde cada um aprende a conviver com os defeitos do outro e consegue admirar suas qualidades". Amando e respeitando mutuamente. Apesar de nossas diferenças, com o amor de Cristo que nos une, essas diferenças serão vencidas pelo
  • 5. “aceitar o outro como ele é” e respeitar o nosso próximo. Somos diferentes em muitas coisas: somos desiguais até na impressão digital e no DNA, mas temos uma coisa tremenda em comum: O AMOR DE DEUS. Atividade: Colar os ovinhos na apostila e decora-los com purpurina, glitter e colori-los. Prepara a galinha e o pintinho, pintando-os e colando peninhas, coloca-los em varetas, criando fantoches de vareta para que as crianças, representem o encontro da mamãe com seu filhotinho.
  • 6.
  • 7. Alfabeto em libras: Dando continuidade ao nosso projeto de inclusão do ano passado, as crianças aprendem , olhando o alfabeto (conforme modelo) colado na parede, como é a letra M na linguagem dos surdos e mudos. Lembrancinha: Levar batatas bolinha e palitos quebrá-los ao meio pedindo que os educandos, com cuidado, espetem a parte pontuda na batatinha, fazendo um porco espinho. Se sobrar tempo fazer a galinha com a luva de dentista Prece final: Prece espontânea feita pela educadora ou pelo aluno que quiser.