SlideShare uma empresa Scribd logo
Educação musical, métodos ativos. Dalcroze, Kodaly, Orff, Willems e Suzuki
Educação musical é o ensino da música
de maneira formal, fazendo que um
individuo entenda este processo através
de uma linguagem própria, usando
elementos como ritmo,
intensidade, timbre, músicas folclóricas,
leitura musical, prática instrumental,
entre outros, através de atividades

apropriadas para cada idade.
Educação musical é a educação que oportuniza
ao indivíduo o acesso à música enquanto
arte, linguagem e conhecimento. A educação
musical, assim como a educação geral é plena do
indivíduo, acontece assistematicamente na
sociedade, por meio principalmente, da
industria cultural e do folclore, e
sistematicamente na escola ou em outras
instituições de ensino.
Fonte: Wikipédia
Educação musical, métodos ativos. Dalcroze, Kodaly, Orff, Willems e Suzuki
Os Referenciais Curriculares nacionais da
Educação Infantil, os
Parâmetros Curriculares Nacionais da Educação
Fundamental e as
Diretrizes Curriculares Nacionais do Ensino
Médio orientam o
desenvolvimento do ensino da música, no
âmbito do ensino da Arte, a
partir de três eixos: fazer, apreciar e
contextualizar.
O primeiro desses três eixos, o
fazer, representa o espaço de aprendizagem
em que o estudante “manipula” os elementos
que compõe a expressão musical.
Dessa forma é dado aos alunos a experiência
da comunicação e expressão sonora desde os
primeiros contatos com a música.
O segundo eixo, O apreciar, corresponde ao
conteúdo básico dos Elementos Formais
(apreciação, percepção e decifração)
Segundo o PCN/1997, a apreciação
corresponde à “experiência de fruir formas
artísticas, utilizando informações e
qualidades perceptivas e imaginativas para
estabelecer um contato, uma conversa em
que as formas signifiquem coisas diferentes
para casa pessoa”.
Por fim, o terceiro desses eixos:
Contextualizar, situa a música como “produto
cultural histórico”, dando aos estudantes
ferramentas para que eles entendam que as
sonoridades estão relacionadas às respectivas
culturas porque delas fazem parte. Que cada
cultura é marcada por diferenças e suas
músicas também revelam diferenças entre si,
que devem ser consideradas no momento do
fazer e do apreciar.
Métodos ativos
 São caracterizados pela experiência direta do

aluno, a partir da vivência de diversos
elementos musicais .
 Nessa perspectiva, o aluno participa
ativamente dos processos musicais
desenvolvidos em sala de aula, processos
esses que oportunizam o contato com várias
dimensões do fazer musical.
Os precursores do método ativo
 Jean-Jacques Rousseau: (1712-1778)

Filósofo suíço. Primeiro pensador a
apresentar um esquema pedagógico para a
Educação Musical, precursor no uso dos
saberes sobre psicologia e o
desenvolvimento cognitivo para tramar os
currículos das escolas.
Precursores do método ativo
 Johann Heinrich Pestalozzi: (1746-1827)

Educador e pedagogo suíço que trouxe para
sua proposta de sala de aula um
investimento na prática, na experimentação
de cunho afetivo. É a primeira proposta de
“pedagogia experimental” registrada na
história.
Os precursores do método ativo
 Friedrich Fröbel (ou Froebel): (1782-1827)

Educador e pedagogo alemão. Também da
escola de Pestalozzi de ensino. É
considerado o pai do jardim de infância.
Cada um dos autores apresentado desenvolveu
propostas para o ensino da música no seu
país, sendo que tais propostas foram aplicadas em
outros contextos.
Émile Jaques-Dalcroze
Suíça, 1865-1950
Apresentou uma proposta de educação
musical que relaciona a música ao movimento
corporal. Para o desenvolvimento dessa
perspectiva, Dalcroze propôs diversos
caminhos metodológicos com o objetivo de
estimular “o desenvolvimento global da
pessoa na física, intelectual e social.
Ritmo, solfejo e improvisação fazem parte das
proposições de Dalcroze para o
desenvolvimento musical de crianças, jovens
e adultos.
Edgard Willems
Suíça, 1890-1978
Willems desenvolveu uma proposta de ensino
de música para todas as crianças a partir de 3
anos de idade. Para ele, “a escuta é a base da
musicalidade” e o estudo da audição foi uma
dos pontos fundamentais abordados em sua
proposta. A busca por bases psicológicas para
a educação musical marcou a trajetória de
Willems como educador musical. Em seus
estudos procurou estabelecer relações entre
som e a natureza humana a partir dos
aspectos: sensorial, afetivo e mental.
Zoltán Kodály
Hungria, 1882-1967
Idealizou e desenvolveu uma proposta de
educação musical que é dirigida para todas as
pessoas. A prática vocal em grupo, o
treinamento auditivo e o solfejo são atividades
centrais para esta metodologia. A música
folclórica húngara foi pesquisada e integrada ao
método, que pode ser aplicado a diferentes
experiências culturais em educação musical. A
experiência musical antes da
teoria, criatividade, movimentos
corporais, desenvolvimento intelectual e
emocional, são elementos que também
pertencem à abordagem proposta por Kodály.
Carl Orff
Alemanha, 1895-1982
Orff é autor de uma proposta que combina
musica e dança, trabalhando com o ritmo
da fala, atividades vocais e instrumentais
em grupo, com forte enfoque na
improvisação e na criação musical. O
instrumental Orff, que é um conjunto de
instrumentos idealizados por ele
composto por flautas, instrumentos de
percussão de afinação definida e
indefinida. A experiência de tocar em
grupo coloca as crianças em contato direto
com o fazer musical.
Shinichi Suzuki
Japão, 1898-1998
Isso mesmo!!!
Ele viveu 100 anos
Suzuki baseou sua proposta pedagógica na
aquisição da linguagem materna pelas crianças.
Traçando um paralelo entre aprender uma língua e
aprender um instrumento musical. Assim, as
crianças aprendem a língua a partir da escuta e que
poderiam aprender música da mesma
forma, baseado no processo de
imitação, desenvolvendo a habilidade da
memória, o estímulo à execução “de ouvido” e a
educação do talento, são elementos fundamentais d
método Suzuki, que também enfatiza a realização
musical em grupo e a participação da família no
processo de aprendizagem da criança.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

MÚSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL
MÚSICA NA EDUCAÇÃO INFANTILMÚSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL
MÚSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL
Cmei Cecilia Meireles
 
A importância da música no desenvolvimento infantil final
A importância da música no desenvolvimento infantil   finalA importância da música no desenvolvimento infantil   final
A importância da música no desenvolvimento infantil final
ellendenisedutra
 
Apresentação educação musical.pps
Apresentação educação musical.ppsApresentação educação musical.pps
Apresentação educação musical.pps
Imprensa-semec
 
Projeto Música na Escola. Musicart.
Projeto Música na Escola. Musicart. Projeto Música na Escola. Musicart.
Projeto Música na Escola. Musicart.
Seduc MT
 
Projeto música na escola, desafios no ensino fundamnetal, dessotti, wolffenbü...
Projeto música na escola, desafios no ensino fundamnetal, dessotti, wolffenbü...Projeto música na escola, desafios no ensino fundamnetal, dessotti, wolffenbü...
Projeto música na escola, desafios no ensino fundamnetal, dessotti, wolffenbü...
pibiduergsmontenegro
 
Kodaly FNB
Kodaly   FNBKodaly   FNB
dalcroze
dalcrozedalcroze
dalcroze
Marcos Maciel
 
Apostila Jogos e Brincadeiras
Apostila Jogos e BrincadeirasApostila Jogos e Brincadeiras
Apostila Jogos e Brincadeiras
Natália das Luzes
 
Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2
Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2
Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2
Henrique Antunes
 
Slides Musicalização
Slides MusicalizaçãoSlides Musicalização
Slides Musicalização
ntm.pedagogico
 
A música na educação infantil
A música na educação infantilA música na educação infantil
A música na educação infantil
jaqueegervasio
 
Projeto musicalização
Projeto musicalizaçãoProjeto musicalização
Projeto musicalização
Marialuzinetecar
 
Projeto musical slide
Projeto musical slideProjeto musical slide
Projeto musical slide
martajeronimo
 
Musicalização Infantil
Musicalização InfantilMusicalização Infantil
Musicalização Infantil
Karina Silva Dias
 
Música na educação infantil (2)
Música na educação infantil (2)Música na educação infantil (2)
Música na educação infantil (2)
Roseli Angulo
 
Projeto nos passos da dança 6º, 7º, 8º e 9º ano cest
Projeto nos passos da dança   6º, 7º, 8º e 9º ano  cestProjeto nos passos da dança   6º, 7º, 8º e 9º ano  cest
Projeto nos passos da dança 6º, 7º, 8º e 9º ano cest
SimoneHelenDrumond
 
Projeto música
Projeto músicaProjeto música
Danças brasileiras
Danças brasileirasDanças brasileiras
Danças brasileiras
VALDIR CONCEICAO
 
"Para uma educação sonora - 100 exercícios de audição e produção sonora" de M...
"Para uma educação sonora - 100 exercícios de audição e produção sonora" de M..."Para uma educação sonora - 100 exercícios de audição e produção sonora" de M...
"Para uma educação sonora - 100 exercícios de audição e produção sonora" de M...
CarlosEdMusical
 
Jogos E Brincadeiras Musicais
Jogos E Brincadeiras MusicaisJogos E Brincadeiras Musicais
Jogos E Brincadeiras Musicais
Kristiane Munique Costa e Costa
 

Mais procurados (20)

MÚSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL
MÚSICA NA EDUCAÇÃO INFANTILMÚSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL
MÚSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL
 
A importância da música no desenvolvimento infantil final
A importância da música no desenvolvimento infantil   finalA importância da música no desenvolvimento infantil   final
A importância da música no desenvolvimento infantil final
 
Apresentação educação musical.pps
Apresentação educação musical.ppsApresentação educação musical.pps
Apresentação educação musical.pps
 
Projeto Música na Escola. Musicart.
Projeto Música na Escola. Musicart. Projeto Música na Escola. Musicart.
Projeto Música na Escola. Musicart.
 
Projeto música na escola, desafios no ensino fundamnetal, dessotti, wolffenbü...
Projeto música na escola, desafios no ensino fundamnetal, dessotti, wolffenbü...Projeto música na escola, desafios no ensino fundamnetal, dessotti, wolffenbü...
Projeto música na escola, desafios no ensino fundamnetal, dessotti, wolffenbü...
 
Kodaly FNB
Kodaly   FNBKodaly   FNB
Kodaly FNB
 
dalcroze
dalcrozedalcroze
dalcroze
 
Apostila Jogos e Brincadeiras
Apostila Jogos e BrincadeirasApostila Jogos e Brincadeiras
Apostila Jogos e Brincadeiras
 
Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2
Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2
Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2
 
Slides Musicalização
Slides MusicalizaçãoSlides Musicalização
Slides Musicalização
 
A música na educação infantil
A música na educação infantilA música na educação infantil
A música na educação infantil
 
Projeto musicalização
Projeto musicalizaçãoProjeto musicalização
Projeto musicalização
 
Projeto musical slide
Projeto musical slideProjeto musical slide
Projeto musical slide
 
Musicalização Infantil
Musicalização InfantilMusicalização Infantil
Musicalização Infantil
 
Música na educação infantil (2)
Música na educação infantil (2)Música na educação infantil (2)
Música na educação infantil (2)
 
Projeto nos passos da dança 6º, 7º, 8º e 9º ano cest
Projeto nos passos da dança   6º, 7º, 8º e 9º ano  cestProjeto nos passos da dança   6º, 7º, 8º e 9º ano  cest
Projeto nos passos da dança 6º, 7º, 8º e 9º ano cest
 
Projeto música
Projeto músicaProjeto música
Projeto música
 
Danças brasileiras
Danças brasileirasDanças brasileiras
Danças brasileiras
 
"Para uma educação sonora - 100 exercícios de audição e produção sonora" de M...
"Para uma educação sonora - 100 exercícios de audição e produção sonora" de M..."Para uma educação sonora - 100 exercícios de audição e produção sonora" de M...
"Para uma educação sonora - 100 exercícios de audição e produção sonora" de M...
 
Jogos E Brincadeiras Musicais
Jogos E Brincadeiras MusicaisJogos E Brincadeiras Musicais
Jogos E Brincadeiras Musicais
 

Destaque

Trabalho kodaly
Trabalho kodalyTrabalho kodaly
Trabalho kodaly
MAYKON89
 
Propostas dos educadores musicais da primeira e segunda gerações e suas apli...
Propostas dos educadores musicais da primeira e segunda gerações  e suas apli...Propostas dos educadores musicais da primeira e segunda gerações  e suas apli...
Propostas dos educadores musicais da primeira e segunda gerações e suas apli...
Rita Dias
 
Zoltan kodaly
Zoltan kodalyZoltan kodaly
Zoltan kodaly
Marcia Ro
 
Como fazer uma carta de motivação
Como fazer uma carta de motivaçãoComo fazer uma carta de motivação
Como fazer uma carta de motivação
Ângela Santos
 
Carta de Apresentação
Carta de ApresentaçãoCarta de Apresentação
Carta de Apresentação
Andre Luis Diniz dos Santos
 
Método kodaly
Método kodalyMétodo kodaly
Método kodaly
abullejos
 

Destaque (6)

Trabalho kodaly
Trabalho kodalyTrabalho kodaly
Trabalho kodaly
 
Propostas dos educadores musicais da primeira e segunda gerações e suas apli...
Propostas dos educadores musicais da primeira e segunda gerações  e suas apli...Propostas dos educadores musicais da primeira e segunda gerações  e suas apli...
Propostas dos educadores musicais da primeira e segunda gerações e suas apli...
 
Zoltan kodaly
Zoltan kodalyZoltan kodaly
Zoltan kodaly
 
Como fazer uma carta de motivação
Como fazer uma carta de motivaçãoComo fazer uma carta de motivação
Como fazer uma carta de motivação
 
Carta de Apresentação
Carta de ApresentaçãoCarta de Apresentação
Carta de Apresentação
 
Método kodaly
Método kodalyMétodo kodaly
Método kodaly
 

Semelhante a Educação musical, métodos ativos. Dalcroze, Kodaly, Orff, Willems e Suzuki

A importancia da musica
A importancia da musicaA importancia da musica
A importancia da musica
Fabiana Mourão
 
Maria claudionora
Maria claudionoraMaria claudionora
Maria claudionora
Fernando Pissuto
 
Musicalização Infantil no CEI
Musicalização Infantil no CEIMusicalização Infantil no CEI
Musicalização Infantil no CEI
Karina Silva Dias
 
Educação musical e pne
Educação musical e pneEducação musical e pne
Educação musical e pne
Patricia Bampi
 
Apresentação da Disciplina de Música
Apresentação da Disciplina de MúsicaApresentação da Disciplina de Música
Apresentação da Disciplina de Música
Paulo1976
 
oensinocoletivodeinstrumentosmusicaisppp2-141102171739-conversion-gate02.pdf
oensinocoletivodeinstrumentosmusicaisppp2-141102171739-conversion-gate02.pdfoensinocoletivodeinstrumentosmusicaisppp2-141102171739-conversion-gate02.pdf
oensinocoletivodeinstrumentosmusicaisppp2-141102171739-conversion-gate02.pdf
William Wanderley
 
Artigo o papel do ensino de musica na esducacao infantil finalizado
Artigo   o papel do ensino de musica na esducacao infantil finalizadoArtigo   o papel do ensino de musica na esducacao infantil finalizado
Artigo o papel do ensino de musica na esducacao infantil finalizado
AlanWillianLeonioSil
 
O ensino coletivo de instrumentos musicais - História
O ensino coletivo de instrumentos musicais - HistóriaO ensino coletivo de instrumentos musicais - História
O ensino coletivo de instrumentos musicais - História
César A. Martín
 
A MúSica No Contexto Da Arte E EducaçãO
A MúSica No Contexto Da Arte E EducaçãOA MúSica No Contexto Da Arte E EducaçãO
A MúSica No Contexto Da Arte E EducaçãO
HOME
 
METODOLOGIA-BASICA-NO-ENSINO-DA-MUSICA.pdf
METODOLOGIA-BASICA-NO-ENSINO-DA-MUSICA.pdfMETODOLOGIA-BASICA-NO-ENSINO-DA-MUSICA.pdf
METODOLOGIA-BASICA-NO-ENSINO-DA-MUSICA.pdf
WagnerAbreu21
 
EducaçãO Musical X Musicoterapia Http
EducaçãO Musical X Musicoterapia HttpEducaçãO Musical X Musicoterapia Http
EducaçãO Musical X Musicoterapia Http
HOME
 
A música que ouvimos BOM ARTIGO MUSICA.pdf
A música que ouvimos BOM ARTIGO MUSICA.pdfA música que ouvimos BOM ARTIGO MUSICA.pdf
A música que ouvimos BOM ARTIGO MUSICA.pdf
EmmanuelSalathiel
 
Anny alessandra
Anny alessandraAnny alessandra
Anny alessandra
Fernando Pissuto
 
Projeto(2)
 Projeto(2) Projeto(2)
Projeto(2)
Silva Ceiça
 
Aline ana suelen_viviany
Aline ana suelen_vivianyAline ana suelen_viviany
Aline ana suelen_viviany
Fernando Pissuto
 
Paynter e schafer
Paynter e schaferPaynter e schafer
Paynter e schafer
Ghadyego Carraro
 
321908848-A-Teoria-Espiral-de-Swanwick.docx
321908848-A-Teoria-Espiral-de-Swanwick.docx321908848-A-Teoria-Espiral-de-Swanwick.docx
321908848-A-Teoria-Espiral-de-Swanwick.docx
Alexandre Araujo
 
Jos wuytack
Jos wuytackJos wuytack
Jos wuytack
Nyebson Pereira
 
Eixo2 caroline avila_relato_resumo
Eixo2 caroline avila_relato_resumoEixo2 caroline avila_relato_resumo
Eixo2 caroline avila_relato_resumo
Josiane Jäger
 
A música em sala de aula
A música em sala de aulaA música em sala de aula
A música em sala de aula
Francisco Carlos Palosque
 

Semelhante a Educação musical, métodos ativos. Dalcroze, Kodaly, Orff, Willems e Suzuki (20)

A importancia da musica
A importancia da musicaA importancia da musica
A importancia da musica
 
Maria claudionora
Maria claudionoraMaria claudionora
Maria claudionora
 
Musicalização Infantil no CEI
Musicalização Infantil no CEIMusicalização Infantil no CEI
Musicalização Infantil no CEI
 
Educação musical e pne
Educação musical e pneEducação musical e pne
Educação musical e pne
 
Apresentação da Disciplina de Música
Apresentação da Disciplina de MúsicaApresentação da Disciplina de Música
Apresentação da Disciplina de Música
 
oensinocoletivodeinstrumentosmusicaisppp2-141102171739-conversion-gate02.pdf
oensinocoletivodeinstrumentosmusicaisppp2-141102171739-conversion-gate02.pdfoensinocoletivodeinstrumentosmusicaisppp2-141102171739-conversion-gate02.pdf
oensinocoletivodeinstrumentosmusicaisppp2-141102171739-conversion-gate02.pdf
 
Artigo o papel do ensino de musica na esducacao infantil finalizado
Artigo   o papel do ensino de musica na esducacao infantil finalizadoArtigo   o papel do ensino de musica na esducacao infantil finalizado
Artigo o papel do ensino de musica na esducacao infantil finalizado
 
O ensino coletivo de instrumentos musicais - História
O ensino coletivo de instrumentos musicais - HistóriaO ensino coletivo de instrumentos musicais - História
O ensino coletivo de instrumentos musicais - História
 
A MúSica No Contexto Da Arte E EducaçãO
A MúSica No Contexto Da Arte E EducaçãOA MúSica No Contexto Da Arte E EducaçãO
A MúSica No Contexto Da Arte E EducaçãO
 
METODOLOGIA-BASICA-NO-ENSINO-DA-MUSICA.pdf
METODOLOGIA-BASICA-NO-ENSINO-DA-MUSICA.pdfMETODOLOGIA-BASICA-NO-ENSINO-DA-MUSICA.pdf
METODOLOGIA-BASICA-NO-ENSINO-DA-MUSICA.pdf
 
EducaçãO Musical X Musicoterapia Http
EducaçãO Musical X Musicoterapia HttpEducaçãO Musical X Musicoterapia Http
EducaçãO Musical X Musicoterapia Http
 
A música que ouvimos BOM ARTIGO MUSICA.pdf
A música que ouvimos BOM ARTIGO MUSICA.pdfA música que ouvimos BOM ARTIGO MUSICA.pdf
A música que ouvimos BOM ARTIGO MUSICA.pdf
 
Anny alessandra
Anny alessandraAnny alessandra
Anny alessandra
 
Projeto(2)
 Projeto(2) Projeto(2)
Projeto(2)
 
Aline ana suelen_viviany
Aline ana suelen_vivianyAline ana suelen_viviany
Aline ana suelen_viviany
 
Paynter e schafer
Paynter e schaferPaynter e schafer
Paynter e schafer
 
321908848-A-Teoria-Espiral-de-Swanwick.docx
321908848-A-Teoria-Espiral-de-Swanwick.docx321908848-A-Teoria-Espiral-de-Swanwick.docx
321908848-A-Teoria-Espiral-de-Swanwick.docx
 
Jos wuytack
Jos wuytackJos wuytack
Jos wuytack
 
Eixo2 caroline avila_relato_resumo
Eixo2 caroline avila_relato_resumoEixo2 caroline avila_relato_resumo
Eixo2 caroline avila_relato_resumo
 
A música em sala de aula
A música em sala de aulaA música em sala de aula
A música em sala de aula
 

Último

Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
FLAVIOROBERTOGOUVEA
 
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa CivilSeminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
EduardoLealSilva
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
marcos oliveira
 

Último (20)

Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptxSlides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
Slides Lição 2, CPAD, O Livro de Rute, 3Tr24.pptx
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
 
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa CivilSeminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptxA perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
A perspectiva colaborativa e as novas práticas de inclusão. (1).pptx
 

Educação musical, métodos ativos. Dalcroze, Kodaly, Orff, Willems e Suzuki

  • 2. Educação musical é o ensino da música de maneira formal, fazendo que um individuo entenda este processo através de uma linguagem própria, usando elementos como ritmo, intensidade, timbre, músicas folclóricas, leitura musical, prática instrumental, entre outros, através de atividades apropriadas para cada idade.
  • 3. Educação musical é a educação que oportuniza ao indivíduo o acesso à música enquanto arte, linguagem e conhecimento. A educação musical, assim como a educação geral é plena do indivíduo, acontece assistematicamente na sociedade, por meio principalmente, da industria cultural e do folclore, e sistematicamente na escola ou em outras instituições de ensino. Fonte: Wikipédia
  • 5. Os Referenciais Curriculares nacionais da Educação Infantil, os Parâmetros Curriculares Nacionais da Educação Fundamental e as Diretrizes Curriculares Nacionais do Ensino Médio orientam o desenvolvimento do ensino da música, no âmbito do ensino da Arte, a partir de três eixos: fazer, apreciar e contextualizar.
  • 6. O primeiro desses três eixos, o fazer, representa o espaço de aprendizagem em que o estudante “manipula” os elementos que compõe a expressão musical. Dessa forma é dado aos alunos a experiência da comunicação e expressão sonora desde os primeiros contatos com a música.
  • 7. O segundo eixo, O apreciar, corresponde ao conteúdo básico dos Elementos Formais (apreciação, percepção e decifração) Segundo o PCN/1997, a apreciação corresponde à “experiência de fruir formas artísticas, utilizando informações e qualidades perceptivas e imaginativas para estabelecer um contato, uma conversa em que as formas signifiquem coisas diferentes para casa pessoa”.
  • 8. Por fim, o terceiro desses eixos: Contextualizar, situa a música como “produto cultural histórico”, dando aos estudantes ferramentas para que eles entendam que as sonoridades estão relacionadas às respectivas culturas porque delas fazem parte. Que cada cultura é marcada por diferenças e suas músicas também revelam diferenças entre si, que devem ser consideradas no momento do fazer e do apreciar.
  • 9. Métodos ativos  São caracterizados pela experiência direta do aluno, a partir da vivência de diversos elementos musicais .  Nessa perspectiva, o aluno participa ativamente dos processos musicais desenvolvidos em sala de aula, processos esses que oportunizam o contato com várias dimensões do fazer musical.
  • 10. Os precursores do método ativo  Jean-Jacques Rousseau: (1712-1778) Filósofo suíço. Primeiro pensador a apresentar um esquema pedagógico para a Educação Musical, precursor no uso dos saberes sobre psicologia e o desenvolvimento cognitivo para tramar os currículos das escolas.
  • 11. Precursores do método ativo  Johann Heinrich Pestalozzi: (1746-1827) Educador e pedagogo suíço que trouxe para sua proposta de sala de aula um investimento na prática, na experimentação de cunho afetivo. É a primeira proposta de “pedagogia experimental” registrada na história.
  • 12. Os precursores do método ativo  Friedrich Fröbel (ou Froebel): (1782-1827) Educador e pedagogo alemão. Também da escola de Pestalozzi de ensino. É considerado o pai do jardim de infância.
  • 13. Cada um dos autores apresentado desenvolveu propostas para o ensino da música no seu país, sendo que tais propostas foram aplicadas em outros contextos.
  • 15. Apresentou uma proposta de educação musical que relaciona a música ao movimento corporal. Para o desenvolvimento dessa perspectiva, Dalcroze propôs diversos caminhos metodológicos com o objetivo de estimular “o desenvolvimento global da pessoa na física, intelectual e social. Ritmo, solfejo e improvisação fazem parte das proposições de Dalcroze para o desenvolvimento musical de crianças, jovens e adultos.
  • 17. Willems desenvolveu uma proposta de ensino de música para todas as crianças a partir de 3 anos de idade. Para ele, “a escuta é a base da musicalidade” e o estudo da audição foi uma dos pontos fundamentais abordados em sua proposta. A busca por bases psicológicas para a educação musical marcou a trajetória de Willems como educador musical. Em seus estudos procurou estabelecer relações entre som e a natureza humana a partir dos aspectos: sensorial, afetivo e mental.
  • 19. Idealizou e desenvolveu uma proposta de educação musical que é dirigida para todas as pessoas. A prática vocal em grupo, o treinamento auditivo e o solfejo são atividades centrais para esta metodologia. A música folclórica húngara foi pesquisada e integrada ao método, que pode ser aplicado a diferentes experiências culturais em educação musical. A experiência musical antes da teoria, criatividade, movimentos corporais, desenvolvimento intelectual e emocional, são elementos que também pertencem à abordagem proposta por Kodály.
  • 21. Orff é autor de uma proposta que combina musica e dança, trabalhando com o ritmo da fala, atividades vocais e instrumentais em grupo, com forte enfoque na improvisação e na criação musical. O instrumental Orff, que é um conjunto de instrumentos idealizados por ele composto por flautas, instrumentos de percussão de afinação definida e indefinida. A experiência de tocar em grupo coloca as crianças em contato direto com o fazer musical.
  • 24. Suzuki baseou sua proposta pedagógica na aquisição da linguagem materna pelas crianças. Traçando um paralelo entre aprender uma língua e aprender um instrumento musical. Assim, as crianças aprendem a língua a partir da escuta e que poderiam aprender música da mesma forma, baseado no processo de imitação, desenvolvendo a habilidade da memória, o estímulo à execução “de ouvido” e a educação do talento, são elementos fundamentais d método Suzuki, que também enfatiza a realização musical em grupo e a participação da família no processo de aprendizagem da criança.