SlideShare uma empresa Scribd logo
Educação e Novas
Tecnologias:
um (re)pensar
AUTORAS: GLÁUCIA DA SILVA BRITTO
IVONÉLIA DA PURIFICAÇÃO
APRESENTAÇÃO: BRUNA, MARY E LISIANE
DISCIPLINA: PROFESSOR, ESCOLA E NOVAS TECNOLOGIAS
PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO - PPGE
Sobre o livro
“Com o objetivo de investigar as relações entre tecnologia e
educação, este livro focaliza o processo histórico da inclusão das
novas tecnologias da informação e da comunicação (ntic) no
contexto educacional brasileiro e mundial. A partir dessa
perspectiva, as autoras discutem a necessidade de redefinição das
práticas pedagógicas escolares numa época em que professores e
alunos podem dispor de computadores e do acesso à internet.”
(contracapa, 2011, 3ª edição)
SOCIEDADE
CONHECIMENTO
O que é ciência?
Ciência é a modalidade de saber constituída por um conjunto de
aquisições intelectuais que têm por finalidade propor uma
explicação racional e objetiva da realidade.
(BRITO e PURIFICAÇÃO, 2006, p. 18)
Quem produz ciência?
Modernidade
Ciência e Tecnologia
O que é Tecnologia?
Conjunto de conhecimentos especializados, com princípio científicos
que se aplicam a um determinado ramo de atividade, modificando,
melhorando aprimorando “os produtos” oriundos do processo de
interação dos seres humanos com a natureza e destes entre si.
(BRITO e PURIFICAÇÃO, 2006, p. 19)
Tecnologia e Educação
Organização didática das tecnologias:
- Físicas
- Organizadoras
- Simbólicas
Formação de professores e Tecnologias:
caminhos possíveis
Repelir
Apropriar-se da técnica e
transformar a vida em uma
corrida atrás do novo
Apropriar-se dos processos,
desenvolvendo habilidades
que permitam o controle das
tecnologias e seus efeitos
Formação de professores: dimensões
- Dimensão econômico-laboral
- Dimensão sociocultural
- Dimensão político-governamental
É importante a percepção de que “[...] os artefatos tecnológicos não
são neutros, estão a serviço de quem tomas decisões sobre qual
tecnologia tem que desenvolver.”
(BRITO e PURIFICAÇÃO, 2006, p. 19)
Inovações tecnológicas
Inovar não é somente fazer coisas diferentes, mas também
fazer as mesmas coisas de forma diferente.
(KLEIN, 2011, p. 26)
Inovações tecnológicas e formação
de professores
Não há ensino de qualidade, nem reforma
educativa, nem inovação pedagógica, sem
uma adequada formação de professores.
(NÓVOA)
Tecnologias Educacionais
Tudo o que utilizo em
sala de aula é tecnologia
educacional?
Quais as velhas e as novas tecnologias na
escola?
... mesmo as tecnologias consideradas menos atuais são igualmente
fundamentais para o bom desenvolvimento educacional.
Independentemente de o professor atuar em uma escola com maior ou
menor número de tecnologias, o alcance de cada uma delas está
relacionado, em geral, ao seu domínio pelo professor e pelo aluno e a
criatividade para inovar em suas formas de utilização.
Cinema e sala de aula combinam? Isso é
recente?
Pfromm Netto (1998) relata que Adalberto Maria Ribeiro datou
1910 a utilização pioneira do cinema a serviço do ensino no Brasil,
com o nascimento da filmadoteca do Museu Nacional do Rio de
Janeiro.
EM 1936, foi criado o Instituto Nacional do Cinema Educativo- INCE
que deu início aos planos de produção , distribuição e divulgação do
sistema educativo no nosso país.
O professor tem que primeiro assistir ao filme que irá utilizar com seus
alunos para, em seguida, planejar as estratégias de desenvolvimento da
aula, de motivação e, principalmente, deixar seus alunos assistirem ao
filme.
(BRITO e PURIFICAÇÃO, 2011)
E a televisão?
Do que os alunos veem não entendem muito; nem sempre se
divertem, mas compartilham com milhares de pessoas informações
sonoras e visuais, que ganham sentido, transformando -se em
aprendizagens significativas, incorporadas à realidade cotidiana.
Professor Televisão
Não pode ignorar a relação da televisão com formação de seus
alunos, reconhecendo estas relações e integrando-as em suas aulas;
Deve-se questionar: “Como o mundo contemporâneo chega a cada
aluno?”
“Qual a qualidade dos programas que eles têm acesso?”
Por meio de que programações eles se instrumentalizam para atuar
no espaço social em que estão integrados?
O professor tem de se conscientizar de que,
na contemporaneidade, educar implica
necessariamente “educar para assistir
criticamente à televisão”.
Você sabe quantas rádios AM e FM
existem na sua cidade?
O rádio na escola pode ser usado para desenvolver uma
atitude que possibilite aos alunos uma escuta crítica e
reflexiva.
Os autores Thiagarajan e Pasigna, citados por
Leite (2003) dividem as tecnologias na escola em
dois grandes grupos:
Cartaz, álbum
seriado,
flanelógrafo, mural,
quadro giz...
Independentes
Retroprojetor ,
televisão,
videocassete,
gravador,
computador, rádio...
Dependentes
As tecnologias dependentes podem ser caracterizadas como
mediáticas, isto é, são mais do que simples suportes.
Interferem no modo de sentir, pensar, agir, nos relacionarmos
socialmente e adquirir conhecimentos.
Essas tecnologias criaram uma nova cultura e um novo modelo de
sociedade.
História do Computador
Como eram os primeiros computadores?
Será que a comunidade consegue ficar sem computador?
Por que e para que conhecer a história do computador?
História da informática na Educação
Simão Neto (2002) descreve esses movimentos como ondas, entre as
quais destaca:
῀primeira onda: software Logo e programação;
῀segunda onda: informática básica;
῀terceira onda: software educativo;
῀quarta onda: internet;
῀quinta onda: aprendizagem colaborativa;
῀sexta onda: o que será?
Algumas questões se fazem presentes:.
Que cidadão
está sendo
formado
neste mundo
tecnológico?
.
Qual o papel
da escola
nesse
processo?
.
Qual o papel
que o
professor
deve
desempenhar
neste
momento?
Que caminho você acredita ser necessário à
formação do professor para a utilização do
computador na sala de aula?
Pode-se dizer que há uma grande distância entre discurso e
os resultados que deles advêm.
Nos cursos de formação, na maioria das vezes, destacam a
instrumentalização do professor para o uso do computador,
deixando de lado questões importantes: PORQUE, QUANDO
e COMO utilizar os computadores na escola?
Moura (2002) refletindo sobre os cursos de formação aponta
essa contradição entre discurso e prática.
A autora aponta falhas de três ordens nos cursos que
pretendem preparar os professores para o uso do
computador nas escolas: falha de propósito, de método e de
significação.
... neste início de século há um longo caminho para que os
cursos de formação inicial e continuada dos professores
saiam da instrumentalização e entrem no campo da reflexão
sobre a tecnologia da educação. (BRITO e PURIFICAÇÃO, 2011)
Tecnologias Educacionais: utilizamos na
escola? Em que momentos?
• Normalmente o aluno é um sujeito
passivo, ficando a disposição das
condições criadas pelo professor, que, de
modo geral, não o tira dessa passividade.
Utilização didática
da televisão e do
vídeo
• Os alunos dominam o computador, com
frequência, mais que o professor. E isso
começa a exigir uma mudança de postura
do professor no aspecto da interação com
os alunos, sendo necessária para o bom
andamento do seu trabalho pedagógico.
Computador
como tecnologia
Educacional
Histórico da introdução da informática
nas escolas brasileiras
Perspectiva Instrucional
• O computador é o objeto
de estudo
• “O aluno usa o computador
para adquirir conceitos
computacionais...”
Perspectiva Construcionista
• O computador é utilizado
como recurso
• Ao utilizar o computador os
alunos podem representar
suas ideias, resolver
problemas, criar soluções,
desenvolver algo.
Uso dos computadores no Ensino
Fundamental
“pensamento maquinal”
“relações humanas superficiais”
(SETZEL, 1984)
“aceleração do desenvolvimento
cognitivo e intelectual, raciocínio
lógico e formal, capacidade de
pensar com rigor e de modo
sistemático.” (CHAVES, 1987)
Laboratório de informática nas escolas
Apesar das escolas estarem “computadorizadas”, não foi o suficiente
para integrar, satisfatoriamente, à avanços nas práticas de ensino e
nem avanços em termos de novas metodologias.
As autoras deixam um alerta para a necessidade de inovação das práticas
pedagógicas, e por tanto, da busca por mudanças significativas nos projetos
pedagógicos das escolas, pensando na realidade da sociedade tecnológica e em
que cidadão elas querem ajudar a formar. Elas percebem a necessidade de
possibilitar a comunidade escolar o desenvolvimento de habilidades que
permitam o controle das tecnologias e de seus efeitos, disponibilizando
computadores, notebook, netbook, tablet e outros recursos, de modo integrado
ao cotidiano da escola, ao dia-a-dia da sala de aula integrando-se à ação
pedagógica do professor.
Software EducacionalTutoriais
• realiza funções de avaliação
quantitativa (diagnóstico
inicial, contínuo e final)
• Apresenta variáveis como,
tempo de resposta,
quantidade de tentativas p/
obter a resposta correta,
etc.
TutoresInteligentes
• o enfoque da
aprendizagem centra-se
na descoberta e/ou na
explicação.
• cabendo ao aluno optar
pelas formas de uso, entre
os conteúdos e os
problemas.
Software EducacionalSimuladores
• trabalham a noção de
modelo e processo.
• Permite que os alunos
experimentem e testem
possibilidade que seriam
inviáveis numa situação
real, facilitando a
compreensão.
JogosEducativos
• exploram o sentido lúdico,
trabalham com aspectos
estruturais, lógicos e
simbólicos.
Além de Linguagens de Programação que podem ser utilizados em
situações de aprendizagem, como a programação LOGO, que
permite a conexão de figuras geométricas concretas a termos
abstratos;
Bem como Ferramentas de uso genérico, como processadores de
texto, planilha e bancos de dados, auxiliando a organizar, processar,
armazenar, analisar e transmitir informação.
Os diferentes recursos se adequam a diferentes temas e/ou áreas de
conhecimento, tornando-se úteis e contextualizados às situações de
aprendizagem.
Software interativo
Estruturado na forma de hipertexto, não linear, dinâmico, com visão
sistêmica aberta dos conteúdos, abordando-os de forma relacional e
integrada ao mundo “real” do indivíduo, dando sentido àquele
conhecimento apreendido e dando a possibilidade do usuário agir de
forma criativa frente as situações propostas pelo programa.
(AIRES e ERN, 2011)
É possível utilizar a internet em sala de aula?
• “Rede interconectada por milhares de
diferentes tipos de rede, que se
comunicam por meio de uma linguagem
em comum (protocolo) e um conjunto de
ferramentas que viabiliza a comunicação
e a obtenção de informações.”
Internet
Algumas escolas possuem websites e utilizam
softwares educacionais disponíveis na rede.
Classificações de websites
• Institucionais
• Midiáticos
• Aplicativos
• Banco de dados
• Comunitários ou de relacionamento
• Portais
forma
Classificações de websites
• Abertos
• Restritos
• Por cadastro
• Fechados
• Mistos
acesso
Internet na sala de aula e conceito de
pesquisa
textos Incitar discussões
imagens
Busca de
informações
sons
Levantar
hipóteses
Como levar os alunos a realizarem
pesquisa na internet e não cópia?
Desenvolvimento da Internet (BRANCO, 2010, p.31)
WEB 1.0 WEB 2.0
Usuário é consumidor de informação Usuário produz conteúdo, altera
informações
Produção de páginas por especialista
(domínio pago)
Produção de páginas acessíveis a quem
quiser criar (blogs – domínio gratuito)
Criado por programas específicos,
software proprietário
Programas livres, que agem
diretamente nas páginas
Produção individual Produção conjunta, colaborativa
(wikis)
Biblioteca Britannica On-line Wikipédia
“ A internet veio para mexer com os paradigmas
educacionais, em que não cabem mais arbitrariedade de
opiniões, linearidade de pensamento, um único caminho a
trilhar. (...) as informações chegam sob diferentes óticas, e
cabe ao insubstituível professor a análise junto com seu
aluno de um descortinar de ‘verdades’ e ‘possibilidades’”
(BRITO e PURIFICAÇÃO, 2011, p.115)
Considerações
“Uma boa utilização do
computador na escola pode
propiciar a criação de novas
formas de relação pedagógica,
de novas formas de pensar o
currículo e, portanto, pode
também conduzir a mudanças
no ambiente escolar.”
“O uso do computador na
Educação tem um potencial
enorme, que não está
diretamente relacionado à
presença da máquina, mas, sim,
do professor que firmou um
compromisso com a pesquisa,
com a elaboração própria, com o
desenvolvimento da crítica e da
criatividade, superando a cópia, o
mero ensino e a mera
aprendizagem.”
Tecnologias aplicadas à educação = novas
maneiras de ter acesso ao conhecimento e
produzi-lo na escola de hoje.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A atuação do pedagogo em espaços não escolares
A atuação do pedagogo em espaços não escolaresA atuação do pedagogo em espaços não escolares
A atuação do pedagogo em espaços não escolares
Elizangela Quintela Miranda Costa
 
Resenha
ResenhaResenha
Resenha
franpani
 
Pedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomiaPedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomia
Soares Junior
 
Didática
DidáticaDidática
Didática
gadea
 
O PAPEL DO ALFABETIZADOR
O PAPEL DO ALFABETIZADORO PAPEL DO ALFABETIZADOR
O PAPEL DO ALFABETIZADOR
Marisa Seara
 
Educação, o que é?
Educação, o que é?Educação, o que é?
Educação, o que é?
Edson Guedes
 
Tendências ou concepções pedagógicas brasileiras
Tendências ou concepções pedagógicas brasileirasTendências ou concepções pedagógicas brasileiras
Tendências ou concepções pedagógicas brasileiras
CDIM Daniel
 
Sugestões de temas para o pré projeto
  Sugestões de temas para o pré projeto  Sugestões de temas para o pré projeto
Sugestões de temas para o pré projeto
Wellington Alves
 
Formação de professor
Formação de professorFormação de professor
Formação de professor
carmemlima
 
Educação e novas tecnologias slides
Educação e novas tecnologias slidesEducação e novas tecnologias slides
Educação e novas tecnologias slides
Ines Chaves Preza Freitas
 
Tendência crítico social dos conteúdos
Tendência crítico social dos conteúdosTendência crítico social dos conteúdos
Tendência crítico social dos conteúdos
Colégio Estadual Padre Fernando Gomes de Melo
 
Paulo freire
Paulo freire Paulo freire
Paulo freire
pibidsociais
 
Apostila do 1º ano 3º e 4º bimestre
Apostila do 1º ano   3º e 4º bimestreApostila do 1º ano   3º e 4º bimestre
Apostila do 1º ano 3º e 4º bimestre
Duzg
 
DEFECTOLOGIA: Rompendo com o aprisionamento biológico - Superando Limites
DEFECTOLOGIA: Rompendo com o aprisionamento biológico - Superando LimitesDEFECTOLOGIA: Rompendo com o aprisionamento biológico - Superando Limites
DEFECTOLOGIA: Rompendo com o aprisionamento biológico - Superando Limites
Ana Maria Louzada
 
Atps educação de jovens e adultos
Atps educação de jovens e adultosAtps educação de jovens e adultos
Atps educação de jovens e adultos
Débora Brichi
 
2. Freire. P. Pedagogia Autonomia. Paulo Deloroso
2. Freire. P. Pedagogia Autonomia. Paulo Deloroso2. Freire. P. Pedagogia Autonomia. Paulo Deloroso
2. Freire. P. Pedagogia Autonomia. Paulo Deloroso
Andrea Cortelazzi
 
"Tendências pedagógicas"
"Tendências pedagógicas""Tendências pedagógicas"
"Tendências pedagógicas"
Cléo Lima
 
Filosofia da Educação
Filosofia da Educação  Filosofia da Educação
Filosofia da Educação
unieubra
 
Slides gestão escolar
Slides gestão escolarSlides gestão escolar
Slides gestão escolar
Ricardo Jorge Araújo Sousa Peres
 
Pedagogia progressista libertadora
Pedagogia progressista libertadoraPedagogia progressista libertadora
Pedagogia progressista libertadora
Thales Rocha
 

Mais procurados (20)

A atuação do pedagogo em espaços não escolares
A atuação do pedagogo em espaços não escolaresA atuação do pedagogo em espaços não escolares
A atuação do pedagogo em espaços não escolares
 
Resenha
ResenhaResenha
Resenha
 
Pedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomiaPedagogia da autonomia
Pedagogia da autonomia
 
Didática
DidáticaDidática
Didática
 
O PAPEL DO ALFABETIZADOR
O PAPEL DO ALFABETIZADORO PAPEL DO ALFABETIZADOR
O PAPEL DO ALFABETIZADOR
 
Educação, o que é?
Educação, o que é?Educação, o que é?
Educação, o que é?
 
Tendências ou concepções pedagógicas brasileiras
Tendências ou concepções pedagógicas brasileirasTendências ou concepções pedagógicas brasileiras
Tendências ou concepções pedagógicas brasileiras
 
Sugestões de temas para o pré projeto
  Sugestões de temas para o pré projeto  Sugestões de temas para o pré projeto
Sugestões de temas para o pré projeto
 
Formação de professor
Formação de professorFormação de professor
Formação de professor
 
Educação e novas tecnologias slides
Educação e novas tecnologias slidesEducação e novas tecnologias slides
Educação e novas tecnologias slides
 
Tendência crítico social dos conteúdos
Tendência crítico social dos conteúdosTendência crítico social dos conteúdos
Tendência crítico social dos conteúdos
 
Paulo freire
Paulo freire Paulo freire
Paulo freire
 
Apostila do 1º ano 3º e 4º bimestre
Apostila do 1º ano   3º e 4º bimestreApostila do 1º ano   3º e 4º bimestre
Apostila do 1º ano 3º e 4º bimestre
 
DEFECTOLOGIA: Rompendo com o aprisionamento biológico - Superando Limites
DEFECTOLOGIA: Rompendo com o aprisionamento biológico - Superando LimitesDEFECTOLOGIA: Rompendo com o aprisionamento biológico - Superando Limites
DEFECTOLOGIA: Rompendo com o aprisionamento biológico - Superando Limites
 
Atps educação de jovens e adultos
Atps educação de jovens e adultosAtps educação de jovens e adultos
Atps educação de jovens e adultos
 
2. Freire. P. Pedagogia Autonomia. Paulo Deloroso
2. Freire. P. Pedagogia Autonomia. Paulo Deloroso2. Freire. P. Pedagogia Autonomia. Paulo Deloroso
2. Freire. P. Pedagogia Autonomia. Paulo Deloroso
 
"Tendências pedagógicas"
"Tendências pedagógicas""Tendências pedagógicas"
"Tendências pedagógicas"
 
Filosofia da Educação
Filosofia da Educação  Filosofia da Educação
Filosofia da Educação
 
Slides gestão escolar
Slides gestão escolarSlides gestão escolar
Slides gestão escolar
 
Pedagogia progressista libertadora
Pedagogia progressista libertadoraPedagogia progressista libertadora
Pedagogia progressista libertadora
 

Destaque

Projetos de Cinema de Animação nas Escolas, em Artes e Tecnologias - III Cong...
Projetos de Cinema de Animação nas Escolas, em Artes e Tecnologias - III Cong...Projetos de Cinema de Animação nas Escolas, em Artes e Tecnologias - III Cong...
Projetos de Cinema de Animação nas Escolas, em Artes e Tecnologias - III Cong...
Jose Alberto Rodrigues
 
Um repensar das tecnologias
Um repensar das tecnologiasUm repensar das tecnologias
Um repensar das tecnologias
colegio Deus é amor
 
Tecnologias Educacionais e as Nova Tendências
Tecnologias Educacionais e as Nova TendênciasTecnologias Educacionais e as Nova Tendências
Tecnologias Educacionais e as Nova Tendências
Daniel Caixeta
 
Palestra novas tecnologias na educação
Palestra   novas tecnologias na educaçãoPalestra   novas tecnologias na educação
Palestra novas tecnologias na educação
Luciana Viter
 
As Novas Tecnologias E Educação
As Novas Tecnologias E EducaçãoAs Novas Tecnologias E Educação
As Novas Tecnologias E Educação
José Walter Santos Filho
 
Tecnologia na educação slide
Tecnologia na educação slideTecnologia na educação slide
Tecnologia na educação slide
suzanadubus
 
Tecnologias na Escola
Tecnologias na EscolaTecnologias na Escola
Tecnologias na Escola
Ana Paula Silva
 
Tecnologia na Educação
Tecnologia na EducaçãoTecnologia na Educação
Tecnologia na Educação
Norton Guimarães
 
Animação
AnimaçãoAnimação
Animação
Karyn XP
 
Btl carina silva e vanessa carvalho
Btl    carina silva e vanessa carvalhoBtl    carina silva e vanessa carvalho
Btl carina silva e vanessa carvalho
Karyn XP
 
Ensino Superior e novas tecnologias: caminhos e desafios
Ensino Superior e novas tecnologias: caminhos e desafiosEnsino Superior e novas tecnologias: caminhos e desafios
Ensino Superior e novas tecnologias: caminhos e desafios
Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior
 
A educação e as novas tecnologias
A educação e as novas tecnologiasA educação e as novas tecnologias
A educação e as novas tecnologias
JoilsonPinho
 
Meios auxiliares de Ensino
Meios auxiliares de EnsinoMeios auxiliares de Ensino
Meios auxiliares de Ensino
Adriano Cunha
 
Tecnologias dependentes e independentes
Tecnologias dependentes e independentesTecnologias dependentes e independentes
Tecnologias dependentes e independentes
Claudinéia da Silva
 
Educação e novas tecnologias: desafios de pesquisa
Educação e novas tecnologias: desafios de pesquisaEducação e novas tecnologias: desafios de pesquisa
Educação e novas tecnologias: desafios de pesquisa
Lucila Pesce
 
EDUCAÇÃO E NOVAS TECNOLOGIAS: O USO DO COMPUTADOR EM SALA DE AULA
EDUCAÇÃO E NOVAS TECNOLOGIAS: O USO DO COMPUTADOR EM SALA DE AULAEDUCAÇÃO E NOVAS TECNOLOGIAS: O USO DO COMPUTADOR EM SALA DE AULA
EDUCAÇÃO E NOVAS TECNOLOGIAS: O USO DO COMPUTADOR EM SALA DE AULA
Flávia OP Monteiro Silva
 
tecnologia educacional
tecnologia educacionaltecnologia educacional
tecnologia educacional
fabianansl
 
O uso das novas tecnologias da informação no ensino a distância
O uso das novas tecnologias da informação no ensino a distânciaO uso das novas tecnologias da informação no ensino a distância
O uso das novas tecnologias da informação no ensino a distância
tereza230600
 
Slide sobre tecnologia na educação
Slide sobre tecnologia na educaçãoSlide sobre tecnologia na educação
Slide sobre tecnologia na educação
auxiliadora974
 
Uso das novas tecnologias
Uso das novas tecnologiasUso das novas tecnologias
Uso das novas tecnologias
Computorandas
 

Destaque (20)

Projetos de Cinema de Animação nas Escolas, em Artes e Tecnologias - III Cong...
Projetos de Cinema de Animação nas Escolas, em Artes e Tecnologias - III Cong...Projetos de Cinema de Animação nas Escolas, em Artes e Tecnologias - III Cong...
Projetos de Cinema de Animação nas Escolas, em Artes e Tecnologias - III Cong...
 
Um repensar das tecnologias
Um repensar das tecnologiasUm repensar das tecnologias
Um repensar das tecnologias
 
Tecnologias Educacionais e as Nova Tendências
Tecnologias Educacionais e as Nova TendênciasTecnologias Educacionais e as Nova Tendências
Tecnologias Educacionais e as Nova Tendências
 
Palestra novas tecnologias na educação
Palestra   novas tecnologias na educaçãoPalestra   novas tecnologias na educação
Palestra novas tecnologias na educação
 
As Novas Tecnologias E Educação
As Novas Tecnologias E EducaçãoAs Novas Tecnologias E Educação
As Novas Tecnologias E Educação
 
Tecnologia na educação slide
Tecnologia na educação slideTecnologia na educação slide
Tecnologia na educação slide
 
Tecnologias na Escola
Tecnologias na EscolaTecnologias na Escola
Tecnologias na Escola
 
Tecnologia na Educação
Tecnologia na EducaçãoTecnologia na Educação
Tecnologia na Educação
 
Animação
AnimaçãoAnimação
Animação
 
Btl carina silva e vanessa carvalho
Btl    carina silva e vanessa carvalhoBtl    carina silva e vanessa carvalho
Btl carina silva e vanessa carvalho
 
Ensino Superior e novas tecnologias: caminhos e desafios
Ensino Superior e novas tecnologias: caminhos e desafiosEnsino Superior e novas tecnologias: caminhos e desafios
Ensino Superior e novas tecnologias: caminhos e desafios
 
A educação e as novas tecnologias
A educação e as novas tecnologiasA educação e as novas tecnologias
A educação e as novas tecnologias
 
Meios auxiliares de Ensino
Meios auxiliares de EnsinoMeios auxiliares de Ensino
Meios auxiliares de Ensino
 
Tecnologias dependentes e independentes
Tecnologias dependentes e independentesTecnologias dependentes e independentes
Tecnologias dependentes e independentes
 
Educação e novas tecnologias: desafios de pesquisa
Educação e novas tecnologias: desafios de pesquisaEducação e novas tecnologias: desafios de pesquisa
Educação e novas tecnologias: desafios de pesquisa
 
EDUCAÇÃO E NOVAS TECNOLOGIAS: O USO DO COMPUTADOR EM SALA DE AULA
EDUCAÇÃO E NOVAS TECNOLOGIAS: O USO DO COMPUTADOR EM SALA DE AULAEDUCAÇÃO E NOVAS TECNOLOGIAS: O USO DO COMPUTADOR EM SALA DE AULA
EDUCAÇÃO E NOVAS TECNOLOGIAS: O USO DO COMPUTADOR EM SALA DE AULA
 
tecnologia educacional
tecnologia educacionaltecnologia educacional
tecnologia educacional
 
O uso das novas tecnologias da informação no ensino a distância
O uso das novas tecnologias da informação no ensino a distânciaO uso das novas tecnologias da informação no ensino a distância
O uso das novas tecnologias da informação no ensino a distância
 
Slide sobre tecnologia na educação
Slide sobre tecnologia na educaçãoSlide sobre tecnologia na educação
Slide sobre tecnologia na educação
 
Uso das novas tecnologias
Uso das novas tecnologiasUso das novas tecnologias
Uso das novas tecnologias
 

Semelhante a Educacao e novas_tecnologias_um repensar

Internet na educação: novas tecnologias e velha pedagogia?
Internet na educação: novas tecnologias e velha pedagogia?Internet na educação: novas tecnologias e velha pedagogia?
Internet na educação: novas tecnologias e velha pedagogia?
Katia Tavares
 
Santana do Livramento - Maribel Pires da Rosa
Santana do Livramento - Maribel Pires da RosaSantana do Livramento - Maribel Pires da Rosa
Santana do Livramento - Maribel Pires da Rosa
CursoTICs
 
Puc apresentacao preprojeto puc aprendendo a aprender
Puc apresentacao preprojeto puc aprendendo a aprenderPuc apresentacao preprojeto puc aprendendo a aprender
Puc apresentacao preprojeto puc aprendendo a aprender
Gisele Boucherville
 
As tecnologias da informação e comunicação e a prática docente
As tecnologias da informação e comunicação e a prática docenteAs tecnologias da informação e comunicação e a prática docente
As tecnologias da informação e comunicação e a prática docente
Zeneide Cordeiro
 
Texto exemplo
Texto exemploTexto exemplo
Texto exemplo
231511
 
Uso das novas tecnologias
Uso das novas tecnologiasUso das novas tecnologias
Uso das novas tecnologias
eadntics
 
As inovações tecnológicas e os sistemas educacionais: os impactos, limites, d...
As inovações tecnológicas e os sistemas educacionais: os impactos, limites, d...As inovações tecnológicas e os sistemas educacionais: os impactos, limites, d...
As inovações tecnológicas e os sistemas educacionais: os impactos, limites, d...
Mauricio Maulaz
 
Gestão Estratégica na Adoção de Tecnologias Educacionais
Gestão Estratégica na Adoção de Tecnologias EducacionaisGestão Estratégica na Adoção de Tecnologias Educacionais
Gestão Estratégica na Adoção de Tecnologias Educacionais
Leonardo Pimenta
 
Artigo certo como é o contato com a tecnologia dos professores na escola
Artigo certo   como é o contato com a tecnologia dos professores na escolaArtigo certo   como é o contato com a tecnologia dos professores na escola
Artigo certo como é o contato com a tecnologia dos professores na escola
Lizandra Servino Barroso
 
Apres Sancho
Apres SanchoApres Sancho
Apres Sancho
Egui Branco
 
Agudo - Leonila Nilse Kesseler
Agudo - Leonila Nilse KesselerAgudo - Leonila Nilse Kesseler
Agudo - Leonila Nilse Kesseler
CursoTICs
 
Pa Bere 2003
Pa   Bere   2003Pa   Bere   2003
Pa Bere 2003
guestd8f029
 
Prescepção do professor acerca do uso das mídias e da tecnologia na prática p...
Prescepção do professor acerca do uso das mídias e da tecnologia na prática p...Prescepção do professor acerca do uso das mídias e da tecnologia na prática p...
Prescepção do professor acerca do uso das mídias e da tecnologia na prática p...
Jéssica Rodrigues'
 
Tecnologia
TecnologiaTecnologia
Tecnologia
Renan3709
 
M I D I A S E T E C N O L O G I A S N A E S C O L A
M I D I A S  E  T E C N O L O G I A S  N A  E S C O L AM I D I A S  E  T E C N O L O G I A S  N A  E S C O L A
M I D I A S E T E C N O L O G I A S N A E S C O L A
cefaprotga
 
Santana do Livramento - Maria Francisca Ilha Hardem Neves
Santana do Livramento - Maria Francisca Ilha Hardem NevesSantana do Livramento - Maria Francisca Ilha Hardem Neves
Santana do Livramento - Maria Francisca Ilha Hardem Neves
CursoTICs
 
Texto preliminar eliana, alexsandra, humberto
Texto preliminar   eliana, alexsandra, humbertoTexto preliminar   eliana, alexsandra, humberto
Texto preliminar eliana, alexsandra, humberto
elianabraungorl
 
A construção do conhecimento na escola contemporânea por meio dos recursos te...
A construção do conhecimento na escola contemporânea por meio dos recursos te...A construção do conhecimento na escola contemporânea por meio dos recursos te...
A construção do conhecimento na escola contemporânea por meio dos recursos te...
aninhaw2
 
A IMPORTANCIA DA APRENDIZAGEM E A UTILIZAÇÃO DOS MEIOS TECNOLOGICOS NA FORMAÇ...
A IMPORTANCIA DA APRENDIZAGEM E A UTILIZAÇÃO DOS MEIOS TECNOLOGICOS NA FORMAÇ...A IMPORTANCIA DA APRENDIZAGEM E A UTILIZAÇÃO DOS MEIOS TECNOLOGICOS NA FORMAÇ...
A IMPORTANCIA DA APRENDIZAGEM E A UTILIZAÇÃO DOS MEIOS TECNOLOGICOS NA FORMAÇ...
cefaprodematupa
 
Três de Maio - Mercia Maria Vogel
Três de Maio - Mercia Maria VogelTrês de Maio - Mercia Maria Vogel
Três de Maio - Mercia Maria Vogel
CursoTICs
 

Semelhante a Educacao e novas_tecnologias_um repensar (20)

Internet na educação: novas tecnologias e velha pedagogia?
Internet na educação: novas tecnologias e velha pedagogia?Internet na educação: novas tecnologias e velha pedagogia?
Internet na educação: novas tecnologias e velha pedagogia?
 
Santana do Livramento - Maribel Pires da Rosa
Santana do Livramento - Maribel Pires da RosaSantana do Livramento - Maribel Pires da Rosa
Santana do Livramento - Maribel Pires da Rosa
 
Puc apresentacao preprojeto puc aprendendo a aprender
Puc apresentacao preprojeto puc aprendendo a aprenderPuc apresentacao preprojeto puc aprendendo a aprender
Puc apresentacao preprojeto puc aprendendo a aprender
 
As tecnologias da informação e comunicação e a prática docente
As tecnologias da informação e comunicação e a prática docenteAs tecnologias da informação e comunicação e a prática docente
As tecnologias da informação e comunicação e a prática docente
 
Texto exemplo
Texto exemploTexto exemplo
Texto exemplo
 
Uso das novas tecnologias
Uso das novas tecnologiasUso das novas tecnologias
Uso das novas tecnologias
 
As inovações tecnológicas e os sistemas educacionais: os impactos, limites, d...
As inovações tecnológicas e os sistemas educacionais: os impactos, limites, d...As inovações tecnológicas e os sistemas educacionais: os impactos, limites, d...
As inovações tecnológicas e os sistemas educacionais: os impactos, limites, d...
 
Gestão Estratégica na Adoção de Tecnologias Educacionais
Gestão Estratégica na Adoção de Tecnologias EducacionaisGestão Estratégica na Adoção de Tecnologias Educacionais
Gestão Estratégica na Adoção de Tecnologias Educacionais
 
Artigo certo como é o contato com a tecnologia dos professores na escola
Artigo certo   como é o contato com a tecnologia dos professores na escolaArtigo certo   como é o contato com a tecnologia dos professores na escola
Artigo certo como é o contato com a tecnologia dos professores na escola
 
Apres Sancho
Apres SanchoApres Sancho
Apres Sancho
 
Agudo - Leonila Nilse Kesseler
Agudo - Leonila Nilse KesselerAgudo - Leonila Nilse Kesseler
Agudo - Leonila Nilse Kesseler
 
Pa Bere 2003
Pa   Bere   2003Pa   Bere   2003
Pa Bere 2003
 
Prescepção do professor acerca do uso das mídias e da tecnologia na prática p...
Prescepção do professor acerca do uso das mídias e da tecnologia na prática p...Prescepção do professor acerca do uso das mídias e da tecnologia na prática p...
Prescepção do professor acerca do uso das mídias e da tecnologia na prática p...
 
Tecnologia
TecnologiaTecnologia
Tecnologia
 
M I D I A S E T E C N O L O G I A S N A E S C O L A
M I D I A S  E  T E C N O L O G I A S  N A  E S C O L AM I D I A S  E  T E C N O L O G I A S  N A  E S C O L A
M I D I A S E T E C N O L O G I A S N A E S C O L A
 
Santana do Livramento - Maria Francisca Ilha Hardem Neves
Santana do Livramento - Maria Francisca Ilha Hardem NevesSantana do Livramento - Maria Francisca Ilha Hardem Neves
Santana do Livramento - Maria Francisca Ilha Hardem Neves
 
Texto preliminar eliana, alexsandra, humberto
Texto preliminar   eliana, alexsandra, humbertoTexto preliminar   eliana, alexsandra, humberto
Texto preliminar eliana, alexsandra, humberto
 
A construção do conhecimento na escola contemporânea por meio dos recursos te...
A construção do conhecimento na escola contemporânea por meio dos recursos te...A construção do conhecimento na escola contemporânea por meio dos recursos te...
A construção do conhecimento na escola contemporânea por meio dos recursos te...
 
A IMPORTANCIA DA APRENDIZAGEM E A UTILIZAÇÃO DOS MEIOS TECNOLOGICOS NA FORMAÇ...
A IMPORTANCIA DA APRENDIZAGEM E A UTILIZAÇÃO DOS MEIOS TECNOLOGICOS NA FORMAÇ...A IMPORTANCIA DA APRENDIZAGEM E A UTILIZAÇÃO DOS MEIOS TECNOLOGICOS NA FORMAÇ...
A IMPORTANCIA DA APRENDIZAGEM E A UTILIZAÇÃO DOS MEIOS TECNOLOGICOS NA FORMAÇ...
 
Três de Maio - Mercia Maria Vogel
Três de Maio - Mercia Maria VogelTrês de Maio - Mercia Maria Vogel
Três de Maio - Mercia Maria Vogel
 

Último

Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
eaiprofpolly
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
Manuais Formação
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
AntnioManuelAgdoma
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
YeniferGarcia36
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
MateusTavares54
 

Último (20)

Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua PortuguesaD20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
D20 - Descritores SAEB de Língua Portuguesa
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdfUFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
UFCD_10145_Enquadramento do setor farmacêutico_indice.pdf
 
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
347018542-PAULINA-CHIZIANE-Balada-de-Amor-ao-Vento-pdf.pdf
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
000. Para rezar o terço - Junho - mês do Sagrado Coração de Jesús.pdf
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - AlfabetinhoAtividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
Atividades de Inglês e Espanhol para Imprimir - Alfabetinho
 

Educacao e novas_tecnologias_um repensar

  • 1. Educação e Novas Tecnologias: um (re)pensar AUTORAS: GLÁUCIA DA SILVA BRITTO IVONÉLIA DA PURIFICAÇÃO APRESENTAÇÃO: BRUNA, MARY E LISIANE DISCIPLINA: PROFESSOR, ESCOLA E NOVAS TECNOLOGIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO - PPGE
  • 2. Sobre o livro “Com o objetivo de investigar as relações entre tecnologia e educação, este livro focaliza o processo histórico da inclusão das novas tecnologias da informação e da comunicação (ntic) no contexto educacional brasileiro e mundial. A partir dessa perspectiva, as autoras discutem a necessidade de redefinição das práticas pedagógicas escolares numa época em que professores e alunos podem dispor de computadores e do acesso à internet.” (contracapa, 2011, 3ª edição)
  • 4. O que é ciência? Ciência é a modalidade de saber constituída por um conjunto de aquisições intelectuais que têm por finalidade propor uma explicação racional e objetiva da realidade. (BRITO e PURIFICAÇÃO, 2006, p. 18)
  • 8. O que é Tecnologia? Conjunto de conhecimentos especializados, com princípio científicos que se aplicam a um determinado ramo de atividade, modificando, melhorando aprimorando “os produtos” oriundos do processo de interação dos seres humanos com a natureza e destes entre si. (BRITO e PURIFICAÇÃO, 2006, p. 19)
  • 9. Tecnologia e Educação Organização didática das tecnologias: - Físicas - Organizadoras - Simbólicas
  • 10. Formação de professores e Tecnologias: caminhos possíveis Repelir Apropriar-se da técnica e transformar a vida em uma corrida atrás do novo Apropriar-se dos processos, desenvolvendo habilidades que permitam o controle das tecnologias e seus efeitos
  • 11. Formação de professores: dimensões - Dimensão econômico-laboral - Dimensão sociocultural - Dimensão político-governamental É importante a percepção de que “[...] os artefatos tecnológicos não são neutros, estão a serviço de quem tomas decisões sobre qual tecnologia tem que desenvolver.” (BRITO e PURIFICAÇÃO, 2006, p. 19)
  • 12. Inovações tecnológicas Inovar não é somente fazer coisas diferentes, mas também fazer as mesmas coisas de forma diferente. (KLEIN, 2011, p. 26)
  • 13. Inovações tecnológicas e formação de professores Não há ensino de qualidade, nem reforma educativa, nem inovação pedagógica, sem uma adequada formação de professores. (NÓVOA)
  • 14. Tecnologias Educacionais Tudo o que utilizo em sala de aula é tecnologia educacional?
  • 15. Quais as velhas e as novas tecnologias na escola? ... mesmo as tecnologias consideradas menos atuais são igualmente fundamentais para o bom desenvolvimento educacional. Independentemente de o professor atuar em uma escola com maior ou menor número de tecnologias, o alcance de cada uma delas está relacionado, em geral, ao seu domínio pelo professor e pelo aluno e a criatividade para inovar em suas formas de utilização.
  • 16. Cinema e sala de aula combinam? Isso é recente? Pfromm Netto (1998) relata que Adalberto Maria Ribeiro datou 1910 a utilização pioneira do cinema a serviço do ensino no Brasil, com o nascimento da filmadoteca do Museu Nacional do Rio de Janeiro. EM 1936, foi criado o Instituto Nacional do Cinema Educativo- INCE que deu início aos planos de produção , distribuição e divulgação do sistema educativo no nosso país.
  • 17. O professor tem que primeiro assistir ao filme que irá utilizar com seus alunos para, em seguida, planejar as estratégias de desenvolvimento da aula, de motivação e, principalmente, deixar seus alunos assistirem ao filme. (BRITO e PURIFICAÇÃO, 2011)
  • 18. E a televisão? Do que os alunos veem não entendem muito; nem sempre se divertem, mas compartilham com milhares de pessoas informações sonoras e visuais, que ganham sentido, transformando -se em aprendizagens significativas, incorporadas à realidade cotidiana.
  • 19. Professor Televisão Não pode ignorar a relação da televisão com formação de seus alunos, reconhecendo estas relações e integrando-as em suas aulas; Deve-se questionar: “Como o mundo contemporâneo chega a cada aluno?” “Qual a qualidade dos programas que eles têm acesso?” Por meio de que programações eles se instrumentalizam para atuar no espaço social em que estão integrados?
  • 20.
  • 21. O professor tem de se conscientizar de que, na contemporaneidade, educar implica necessariamente “educar para assistir criticamente à televisão”.
  • 22. Você sabe quantas rádios AM e FM existem na sua cidade? O rádio na escola pode ser usado para desenvolver uma atitude que possibilite aos alunos uma escuta crítica e reflexiva.
  • 23. Os autores Thiagarajan e Pasigna, citados por Leite (2003) dividem as tecnologias na escola em dois grandes grupos: Cartaz, álbum seriado, flanelógrafo, mural, quadro giz... Independentes Retroprojetor , televisão, videocassete, gravador, computador, rádio... Dependentes
  • 24. As tecnologias dependentes podem ser caracterizadas como mediáticas, isto é, são mais do que simples suportes. Interferem no modo de sentir, pensar, agir, nos relacionarmos socialmente e adquirir conhecimentos. Essas tecnologias criaram uma nova cultura e um novo modelo de sociedade.
  • 25. História do Computador Como eram os primeiros computadores? Será que a comunidade consegue ficar sem computador? Por que e para que conhecer a história do computador?
  • 26. História da informática na Educação Simão Neto (2002) descreve esses movimentos como ondas, entre as quais destaca: ῀primeira onda: software Logo e programação; ῀segunda onda: informática básica; ῀terceira onda: software educativo; ῀quarta onda: internet; ῀quinta onda: aprendizagem colaborativa; ῀sexta onda: o que será?
  • 27. Algumas questões se fazem presentes:. Que cidadão está sendo formado neste mundo tecnológico? . Qual o papel da escola nesse processo? . Qual o papel que o professor deve desempenhar neste momento?
  • 28. Que caminho você acredita ser necessário à formação do professor para a utilização do computador na sala de aula? Pode-se dizer que há uma grande distância entre discurso e os resultados que deles advêm. Nos cursos de formação, na maioria das vezes, destacam a instrumentalização do professor para o uso do computador, deixando de lado questões importantes: PORQUE, QUANDO e COMO utilizar os computadores na escola?
  • 29. Moura (2002) refletindo sobre os cursos de formação aponta essa contradição entre discurso e prática. A autora aponta falhas de três ordens nos cursos que pretendem preparar os professores para o uso do computador nas escolas: falha de propósito, de método e de significação.
  • 30. ... neste início de século há um longo caminho para que os cursos de formação inicial e continuada dos professores saiam da instrumentalização e entrem no campo da reflexão sobre a tecnologia da educação. (BRITO e PURIFICAÇÃO, 2011)
  • 31. Tecnologias Educacionais: utilizamos na escola? Em que momentos? • Normalmente o aluno é um sujeito passivo, ficando a disposição das condições criadas pelo professor, que, de modo geral, não o tira dessa passividade. Utilização didática da televisão e do vídeo • Os alunos dominam o computador, com frequência, mais que o professor. E isso começa a exigir uma mudança de postura do professor no aspecto da interação com os alunos, sendo necessária para o bom andamento do seu trabalho pedagógico. Computador como tecnologia Educacional
  • 32. Histórico da introdução da informática nas escolas brasileiras Perspectiva Instrucional • O computador é o objeto de estudo • “O aluno usa o computador para adquirir conceitos computacionais...” Perspectiva Construcionista • O computador é utilizado como recurso • Ao utilizar o computador os alunos podem representar suas ideias, resolver problemas, criar soluções, desenvolver algo.
  • 33. Uso dos computadores no Ensino Fundamental “pensamento maquinal” “relações humanas superficiais” (SETZEL, 1984) “aceleração do desenvolvimento cognitivo e intelectual, raciocínio lógico e formal, capacidade de pensar com rigor e de modo sistemático.” (CHAVES, 1987)
  • 34. Laboratório de informática nas escolas Apesar das escolas estarem “computadorizadas”, não foi o suficiente para integrar, satisfatoriamente, à avanços nas práticas de ensino e nem avanços em termos de novas metodologias.
  • 35. As autoras deixam um alerta para a necessidade de inovação das práticas pedagógicas, e por tanto, da busca por mudanças significativas nos projetos pedagógicos das escolas, pensando na realidade da sociedade tecnológica e em que cidadão elas querem ajudar a formar. Elas percebem a necessidade de possibilitar a comunidade escolar o desenvolvimento de habilidades que permitam o controle das tecnologias e de seus efeitos, disponibilizando computadores, notebook, netbook, tablet e outros recursos, de modo integrado ao cotidiano da escola, ao dia-a-dia da sala de aula integrando-se à ação pedagógica do professor.
  • 36. Software EducacionalTutoriais • realiza funções de avaliação quantitativa (diagnóstico inicial, contínuo e final) • Apresenta variáveis como, tempo de resposta, quantidade de tentativas p/ obter a resposta correta, etc. TutoresInteligentes • o enfoque da aprendizagem centra-se na descoberta e/ou na explicação. • cabendo ao aluno optar pelas formas de uso, entre os conteúdos e os problemas.
  • 37. Software EducacionalSimuladores • trabalham a noção de modelo e processo. • Permite que os alunos experimentem e testem possibilidade que seriam inviáveis numa situação real, facilitando a compreensão. JogosEducativos • exploram o sentido lúdico, trabalham com aspectos estruturais, lógicos e simbólicos.
  • 38. Além de Linguagens de Programação que podem ser utilizados em situações de aprendizagem, como a programação LOGO, que permite a conexão de figuras geométricas concretas a termos abstratos; Bem como Ferramentas de uso genérico, como processadores de texto, planilha e bancos de dados, auxiliando a organizar, processar, armazenar, analisar e transmitir informação. Os diferentes recursos se adequam a diferentes temas e/ou áreas de conhecimento, tornando-se úteis e contextualizados às situações de aprendizagem.
  • 39. Software interativo Estruturado na forma de hipertexto, não linear, dinâmico, com visão sistêmica aberta dos conteúdos, abordando-os de forma relacional e integrada ao mundo “real” do indivíduo, dando sentido àquele conhecimento apreendido e dando a possibilidade do usuário agir de forma criativa frente as situações propostas pelo programa. (AIRES e ERN, 2011)
  • 40. É possível utilizar a internet em sala de aula? • “Rede interconectada por milhares de diferentes tipos de rede, que se comunicam por meio de uma linguagem em comum (protocolo) e um conjunto de ferramentas que viabiliza a comunicação e a obtenção de informações.” Internet Algumas escolas possuem websites e utilizam softwares educacionais disponíveis na rede.
  • 41. Classificações de websites • Institucionais • Midiáticos • Aplicativos • Banco de dados • Comunitários ou de relacionamento • Portais forma
  • 42. Classificações de websites • Abertos • Restritos • Por cadastro • Fechados • Mistos acesso
  • 43. Internet na sala de aula e conceito de pesquisa textos Incitar discussões imagens Busca de informações sons Levantar hipóteses
  • 44. Como levar os alunos a realizarem pesquisa na internet e não cópia?
  • 45. Desenvolvimento da Internet (BRANCO, 2010, p.31) WEB 1.0 WEB 2.0 Usuário é consumidor de informação Usuário produz conteúdo, altera informações Produção de páginas por especialista (domínio pago) Produção de páginas acessíveis a quem quiser criar (blogs – domínio gratuito) Criado por programas específicos, software proprietário Programas livres, que agem diretamente nas páginas Produção individual Produção conjunta, colaborativa (wikis) Biblioteca Britannica On-line Wikipédia
  • 46. “ A internet veio para mexer com os paradigmas educacionais, em que não cabem mais arbitrariedade de opiniões, linearidade de pensamento, um único caminho a trilhar. (...) as informações chegam sob diferentes óticas, e cabe ao insubstituível professor a análise junto com seu aluno de um descortinar de ‘verdades’ e ‘possibilidades’” (BRITO e PURIFICAÇÃO, 2011, p.115)
  • 47. Considerações “Uma boa utilização do computador na escola pode propiciar a criação de novas formas de relação pedagógica, de novas formas de pensar o currículo e, portanto, pode também conduzir a mudanças no ambiente escolar.” “O uso do computador na Educação tem um potencial enorme, que não está diretamente relacionado à presença da máquina, mas, sim, do professor que firmou um compromisso com a pesquisa, com a elaboração própria, com o desenvolvimento da crítica e da criatividade, superando a cópia, o mero ensino e a mera aprendizagem.”
  • 48. Tecnologias aplicadas à educação = novas maneiras de ter acesso ao conhecimento e produzi-lo na escola de hoje.