SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 14
Baixar para ler offline
Testes Farmacogenéticos no auxílio à
remissão dos sintomas depressivos
Os antidepressivos estão entre os
medicamentos mais prescritos atualmente.
Entretanto, menos da metade, 45% dos
pacientes apresentam remissão dos
sintomas de depressão após uso de algum
medicamento antidepressivo.
A pouca aderência ao tratamento é devida, na maioria dos
casos, aos efeitos colaterais dos medicamentos e à falta de
evolução na remissão dos sintomas.
Isso acarreta um custo elevado para o paciente, que precisa
se submeter às trocas constantes de medicamentos e a
longos períodos de baixa produtividade profissional, além
da imensa carga psicológica devido às recorrentes falhas
terapêuticas ao longo do tratamento.
Nos últimos anos, uma significativa
quantidade de estudos tem sugerido que
grande parcela dos efeitos colaterais e baixa
eficácia se deve à grande variabilidade
individual na resposta da maioria das drogas
utilizadas na farmacoterapêutica atual.
A INFLUÊNCIA DA GENÉTICA
Um método eficiente para auxiliar na escolha do
medicamento apropriado para cada paciente é uma
excelente ferramenta para diminuir a resistência ao
tratamento, possibilitando a redução dos efeitos colaterais,
a contenção dos gastos durante o tratamento e um avanço
mais eficaz no combate nos sintomas depressivos.
A pesquisa farmacogenômica tem se focado nas relações
entre a variação individual que ocorre nos genes e os
medicamentos que afetam os resultados clínicos dos
tratamentos antidepressivos.
Entre os genes alvos, estão incluídos os que
afetam a farmacocinética (família dos citocromos
P450) e a farmacodinâmica (receptores e
transportadores) das drogas. Variações genéticas
nesses genes são apontados como responsáveis
pela grande diversidade de respostas às drogas
antidepressivas, nos resultados terapêuticos e na
toxicidade relatada durante o uso de alguns tipos
de medicamentos.
O avanço da ciência farmacogenômica ou
farmacogenética é rápido. Entretanto, a utilização de tais
conhecimentos ainda é reduzida nas decisões clínico-
terapêuticas, talvez devido aos custos, à novidade e a um
limitado preparo para interpretação dos resultados pela
classe clínica.
Contudo, o teste é realizado apenas uma vez e os
resultados têm mostrado a efetividade terapêutica
dirigida pelos testes farmacogenéticos, tanto no lado
clínico, tanto no socioeconômico.
Algoritmos foram desenvolvidos pela GnTech para aprimorar
as prescrições de medicamentos para o sistema nervoso central.
Os laudos farmacogenéticos são baseados na avaliação das variantes nos seguintes genes:
CYP1A2
(família do
citocromo P450)
CYP2D6
(família do
citocromo P450)
CYP2C19
(família do
citocromo P450)
CYP2C9
(família do
citocromo P450)
CYP3A4
(família do
citocromo P450)
CYP3A5
(família do
citocromo P450)
HTR2A
(gene receptor de
serotonina 2ª)
CYP2B6
(família do
citocromo P450)
HTR1A GRIK4 OPRM1 COMT ADRA2A FKBP5 ANKK1 DRD2 SLC6A4
(gene do transportador
de serotonina)
As citocromos P450 são enzimas que são
responsáveis pelo metabolismo da maioria dos
antidepressivos e antipsicóticos.
O transportador de serotonina e seu receptor
estão associados às diferentes respostas a
determinados medicamentos antidepressivos.
Com base no genótipo do paciente, as drogas são
classificadas em três categorias: “usar conforme a bula”
(categoria azul), “usar com atenção” (categoria amarela) e
“usar com cautela e atenção” (categoria laranja).
Desse modo, o laudo incorpora a informação genética com
o perfil farmacológico do paciente para os medicamentos,
os quais são marcados com 11 legendas resultantes da
relação da droga com o genótipo do paciente.
LAUDO DO TESTE FARMACOGENÉTICO
PARA O SISTEMA NERVOSO CENTRAL
Usar conforme a bula
*observar legendas
Usar com atenção
*observar legendas
Usar com cautela e atenção
*observar legendas
A figura ao lado apresenta apenas os
medicamentos antidepressivos e é destinada a
ilustrar e melhor exemplificar o modo como é
estabelecido o resultado do Teste
Farmacogenético para o Sistema Nervoso
Central.
Um laudo completo, realizado pela GnTech,
apresenta a relação da genotipagem dos genes
envolvidos na biotransformação, resposta e efeito
adverso das seguintes classes de medicamentos:
antidepressivos, antipsicóticos, ansiolítico/
anticonvulsivantes, analgésicos/ opioides,
Alzheimer, TDAH.
Dentre as classes de drogas apresentadas, existem uma
variedade de medicamentos testados que podem ser
encontrados no site da GnTech >> Dúvidas Frequentes.
Os testes farmacogenéticos são uma ferramenta auxiliar à
definição do tratamento terapêutico. Portanto, o médico
sempre deverá ser consultado. O profissional de saúde tem a
responsabilidade final pelas decisões de tratamento realizadas
em relação ao paciente, incluindo as decisões baseadas no
genótipo do paciente.
WINNER J, ALLEN, J., ALTAR, C. A., and MIHAJLOVIC, A. Genotype predicts health resource utilization of
outpatients with anxiety and depression in a staff model health maintenance organization. Translational
Psychiatry (2013) 3: e242.
HALL-FLAVIN DK, WINNER JG, ALLEN JD, et al..Using a pharmacogenomic algorithm to guide the treatment of
Depression. Transl Psychiatry 2012; 2:e172.
ALTAR AC, HORNBERGER J, SHEWADE A, CRUZ V, GARRISON J, and MRAZEK D. Clinical Validity of Cytochrome
P450 Metabolism and Serotonin Gene Variants in Psychiatric Pharmacotherapy. 2013. Artigo submetido.
BLACK JL, O’KANE DJ and MRAZEK DA. The impact of CYP allelic variation on antidepressant metabolism: a
review. Expert Opin. Drug Metab. Toxicol. (2007) 3 (1): 21-31.
REFERÊNCIAS
Escrito por:
Vinicius Coltro
Bacharel em Biologia – CRBio 110143/03-D
Editado por:
Nina Stober
Relações Públicas/Analista de Marketing - GnTech

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Avaliação Global da Farmacoterapia
Avaliação Global da FarmacoterapiaAvaliação Global da Farmacoterapia
Avaliação Global da FarmacoterapiaCassyano Correr
 
Alergia a medicamentos
Alergia a medicamentosAlergia a medicamentos
Alergia a medicamentosbalinsoares
 
Complexidade da farmacoterapia
Complexidade da farmacoterapiaComplexidade da farmacoterapia
Complexidade da farmacoterapiaCassyano Correr
 
Farmacologia interações e RAM
Farmacologia interações e RAMFarmacologia interações e RAM
Farmacologia interações e RAMLeonardo Souza
 
Biomedicina Plano De Aula4
Biomedicina Plano De Aula4Biomedicina Plano De Aula4
Biomedicina Plano De Aula4Caio Maximino
 
Farmacoterapia e interações medicamentosas na farmácia clínica
Farmacoterapia e interações medicamentosas na farmácia clínicaFarmacoterapia e interações medicamentosas na farmácia clínica
Farmacoterapia e interações medicamentosas na farmácia clínicafarmacoterapiacpg
 
Artigo 3 2 avd 2012.1 - sedativos bdz na odontologia
Artigo 3   2 avd 2012.1 - sedativos bdz na odontologiaArtigo 3   2 avd 2012.1 - sedativos bdz na odontologia
Artigo 3 2 avd 2012.1 - sedativos bdz na odontologiaLucas Almeida Sá
 

Mais procurados (10)

Avaliação Global da Farmacoterapia
Avaliação Global da FarmacoterapiaAvaliação Global da Farmacoterapia
Avaliação Global da Farmacoterapia
 
Interacoes medicamentosas
Interacoes medicamentosasInteracoes medicamentosas
Interacoes medicamentosas
 
Alergia a medicamentos
Alergia a medicamentosAlergia a medicamentos
Alergia a medicamentos
 
Complexidade da farmacoterapia
Complexidade da farmacoterapiaComplexidade da farmacoterapia
Complexidade da farmacoterapia
 
Reação
 Reação Reação
Reação
 
Ementa Biomedicina
Ementa BiomedicinaEmenta Biomedicina
Ementa Biomedicina
 
Farmacologia interações e RAM
Farmacologia interações e RAMFarmacologia interações e RAM
Farmacologia interações e RAM
 
Biomedicina Plano De Aula4
Biomedicina Plano De Aula4Biomedicina Plano De Aula4
Biomedicina Plano De Aula4
 
Farmacoterapia e interações medicamentosas na farmácia clínica
Farmacoterapia e interações medicamentosas na farmácia clínicaFarmacoterapia e interações medicamentosas na farmácia clínica
Farmacoterapia e interações medicamentosas na farmácia clínica
 
Artigo 3 2 avd 2012.1 - sedativos bdz na odontologia
Artigo 3   2 avd 2012.1 - sedativos bdz na odontologiaArtigo 3   2 avd 2012.1 - sedativos bdz na odontologia
Artigo 3 2 avd 2012.1 - sedativos bdz na odontologia
 

Semelhante a eBook - Teste farmacogenético no auxílio a remissão dos sintomas depressivos

E book - A validade clínica da farmacogenética: melhorar os resultados dos pa...
E book - A validade clínica da farmacogenética: melhorar os resultados dos pa...E book - A validade clínica da farmacogenética: melhorar os resultados dos pa...
E book - A validade clínica da farmacogenética: melhorar os resultados dos pa...GnTech
 
Tese ana c. melchiors
Tese ana c. melchiorsTese ana c. melchiors
Tese ana c. melchiorsLASCES UFPR
 
Interações medicamentosas em pediatria e neonatologia
Interações medicamentosas em pediatria e neonatologiaInterações medicamentosas em pediatria e neonatologia
Interações medicamentosas em pediatria e neonatologiaSandra Brassica
 
Stc ng3 dr3[1](1
Stc ng3 dr3[1](1Stc ng3 dr3[1](1
Stc ng3 dr3[1](1Maria
 
C:\Fakepath\Refractory OCD
C:\Fakepath\Refractory OCDC:\Fakepath\Refractory OCD
C:\Fakepath\Refractory OCDygoraf
 
C:\Fakepath\Refractory OCD
C:\Fakepath\Refractory OCDC:\Fakepath\Refractory OCD
C:\Fakepath\Refractory OCDygoraf
 
Evidências científicas de eficácia em farmacoterapia
Evidências científicas de eficácia em farmacoterapiaEvidências científicas de eficácia em farmacoterapia
Evidências científicas de eficácia em farmacoterapiaCaio Maximino
 
Dissertação patrícia r. gonçalves
Dissertação patrícia r. gonçalvesDissertação patrícia r. gonçalves
Dissertação patrícia r. gonçalvesLASCES UFPR
 
Análise de registros de medicamentos oncológicos. Desenhos e desfechos consid...
Análise de registros de medicamentos oncológicos. Desenhos e desfechos consid...Análise de registros de medicamentos oncológicos. Desenhos e desfechos consid...
Análise de registros de medicamentos oncológicos. Desenhos e desfechos consid...Oncoguia
 
FARMACOLOGIA E SISTEMAS FISIOLOGICOS HUMANO
FARMACOLOGIA E SISTEMAS FISIOLOGICOS HUMANOFARMACOLOGIA E SISTEMAS FISIOLOGICOS HUMANO
FARMACOLOGIA E SISTEMAS FISIOLOGICOS HUMANOArtthurPereira2
 
Farmacologia: tópicos iniciais. Absorção Distribuição Metabolismo e Excreção,...
Farmacologia: tópicos iniciais. Absorção Distribuição Metabolismo e Excreção,...Farmacologia: tópicos iniciais. Absorção Distribuição Metabolismo e Excreção,...
Farmacologia: tópicos iniciais. Absorção Distribuição Metabolismo e Excreção,...paulosa14
 
Farmacologia ilustrada 5° ediçao.pdf
Farmacologia ilustrada 5° ediçao.pdfFarmacologia ilustrada 5° ediçao.pdf
Farmacologia ilustrada 5° ediçao.pdfMarciaRodrigues615662
 
Farmacoterapia baseada em evidências: Uma abordagem sobre os processos da far...
Farmacoterapia baseada em evidências: Uma abordagem sobre os processos da far...Farmacoterapia baseada em evidências: Uma abordagem sobre os processos da far...
Farmacoterapia baseada em evidências: Uma abordagem sobre os processos da far...Cassyano Correr
 
Eficácia da bupropiona no tratamento do TDAH.
Eficácia da bupropiona no tratamento do TDAH.Eficácia da bupropiona no tratamento do TDAH.
Eficácia da bupropiona no tratamento do TDAH.blogtdah
 
Tese cassyano j. correr
Tese cassyano j. correrTese cassyano j. correr
Tese cassyano j. correrLASCES UFPR
 

Semelhante a eBook - Teste farmacogenético no auxílio a remissão dos sintomas depressivos (20)

farmacogenetica
farmacogeneticafarmacogenetica
farmacogenetica
 
E book - A validade clínica da farmacogenética: melhorar os resultados dos pa...
E book - A validade clínica da farmacogenética: melhorar os resultados dos pa...E book - A validade clínica da farmacogenética: melhorar os resultados dos pa...
E book - A validade clínica da farmacogenética: melhorar os resultados dos pa...
 
Tese ana c. melchiors
Tese ana c. melchiorsTese ana c. melchiors
Tese ana c. melchiors
 
Interações medicamentosas em pediatria e neonatologia
Interações medicamentosas em pediatria e neonatologiaInterações medicamentosas em pediatria e neonatologia
Interações medicamentosas em pediatria e neonatologia
 
011
011011
011
 
Stc ng3 dr3[1](1
Stc ng3 dr3[1](1Stc ng3 dr3[1](1
Stc ng3 dr3[1](1
 
aula 1 - conceitos.pptx
aula 1 - conceitos.pptxaula 1 - conceitos.pptx
aula 1 - conceitos.pptx
 
Depressao 2001
Depressao 2001Depressao 2001
Depressao 2001
 
C:\Fakepath\Refractory OCD
C:\Fakepath\Refractory OCDC:\Fakepath\Refractory OCD
C:\Fakepath\Refractory OCD
 
C:\Fakepath\Refractory OCD
C:\Fakepath\Refractory OCDC:\Fakepath\Refractory OCD
C:\Fakepath\Refractory OCD
 
Evidências científicas de eficácia em farmacoterapia
Evidências científicas de eficácia em farmacoterapiaEvidências científicas de eficácia em farmacoterapia
Evidências científicas de eficácia em farmacoterapia
 
Dissertação patrícia r. gonçalves
Dissertação patrícia r. gonçalvesDissertação patrícia r. gonçalves
Dissertação patrícia r. gonçalves
 
Análise de registros de medicamentos oncológicos. Desenhos e desfechos consid...
Análise de registros de medicamentos oncológicos. Desenhos e desfechos consid...Análise de registros de medicamentos oncológicos. Desenhos e desfechos consid...
Análise de registros de medicamentos oncológicos. Desenhos e desfechos consid...
 
FARMACOLOGIA E SISTEMAS FISIOLOGICOS HUMANO
FARMACOLOGIA E SISTEMAS FISIOLOGICOS HUMANOFARMACOLOGIA E SISTEMAS FISIOLOGICOS HUMANO
FARMACOLOGIA E SISTEMAS FISIOLOGICOS HUMANO
 
Farmacologia: tópicos iniciais. Absorção Distribuição Metabolismo e Excreção,...
Farmacologia: tópicos iniciais. Absorção Distribuição Metabolismo e Excreção,...Farmacologia: tópicos iniciais. Absorção Distribuição Metabolismo e Excreção,...
Farmacologia: tópicos iniciais. Absorção Distribuição Metabolismo e Excreção,...
 
Farmacologia ilustrada 5° ediçao.pdf
Farmacologia ilustrada 5° ediçao.pdfFarmacologia ilustrada 5° ediçao.pdf
Farmacologia ilustrada 5° ediçao.pdf
 
000820491
000820491000820491
000820491
 
Farmacoterapia baseada em evidências: Uma abordagem sobre os processos da far...
Farmacoterapia baseada em evidências: Uma abordagem sobre os processos da far...Farmacoterapia baseada em evidências: Uma abordagem sobre os processos da far...
Farmacoterapia baseada em evidências: Uma abordagem sobre os processos da far...
 
Eficácia da bupropiona no tratamento do TDAH.
Eficácia da bupropiona no tratamento do TDAH.Eficácia da bupropiona no tratamento do TDAH.
Eficácia da bupropiona no tratamento do TDAH.
 
Tese cassyano j. correr
Tese cassyano j. correrTese cassyano j. correr
Tese cassyano j. correr
 

Último

CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptx
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptxCONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptx
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptxWenderSantos21
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfGustavoWallaceAlvesd
 
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASAULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASArtthurPereira2
 
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdMedicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdClivyFache
 
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptPSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptAlberto205764
 
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptxENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptxcontatofelipearaujos
 
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdfManual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdfClivyFache
 
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASERTERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASERCarlaDaniela33
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgeryCarlos D A Bersot
 
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOeMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOMayaraDayube
 

Último (10)

CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptx
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptxCONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptx
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptx
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
 
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASAULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
 
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdMedicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
 
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptPSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
 
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptxENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
 
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdfManual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
 
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASERTERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
 
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOeMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
 

eBook - Teste farmacogenético no auxílio a remissão dos sintomas depressivos

  • 1. Testes Farmacogenéticos no auxílio à remissão dos sintomas depressivos
  • 2. Os antidepressivos estão entre os medicamentos mais prescritos atualmente. Entretanto, menos da metade, 45% dos pacientes apresentam remissão dos sintomas de depressão após uso de algum medicamento antidepressivo.
  • 3. A pouca aderência ao tratamento é devida, na maioria dos casos, aos efeitos colaterais dos medicamentos e à falta de evolução na remissão dos sintomas. Isso acarreta um custo elevado para o paciente, que precisa se submeter às trocas constantes de medicamentos e a longos períodos de baixa produtividade profissional, além da imensa carga psicológica devido às recorrentes falhas terapêuticas ao longo do tratamento.
  • 4. Nos últimos anos, uma significativa quantidade de estudos tem sugerido que grande parcela dos efeitos colaterais e baixa eficácia se deve à grande variabilidade individual na resposta da maioria das drogas utilizadas na farmacoterapêutica atual. A INFLUÊNCIA DA GENÉTICA
  • 5. Um método eficiente para auxiliar na escolha do medicamento apropriado para cada paciente é uma excelente ferramenta para diminuir a resistência ao tratamento, possibilitando a redução dos efeitos colaterais, a contenção dos gastos durante o tratamento e um avanço mais eficaz no combate nos sintomas depressivos. A pesquisa farmacogenômica tem se focado nas relações entre a variação individual que ocorre nos genes e os medicamentos que afetam os resultados clínicos dos tratamentos antidepressivos.
  • 6. Entre os genes alvos, estão incluídos os que afetam a farmacocinética (família dos citocromos P450) e a farmacodinâmica (receptores e transportadores) das drogas. Variações genéticas nesses genes são apontados como responsáveis pela grande diversidade de respostas às drogas antidepressivas, nos resultados terapêuticos e na toxicidade relatada durante o uso de alguns tipos de medicamentos.
  • 7. O avanço da ciência farmacogenômica ou farmacogenética é rápido. Entretanto, a utilização de tais conhecimentos ainda é reduzida nas decisões clínico- terapêuticas, talvez devido aos custos, à novidade e a um limitado preparo para interpretação dos resultados pela classe clínica. Contudo, o teste é realizado apenas uma vez e os resultados têm mostrado a efetividade terapêutica dirigida pelos testes farmacogenéticos, tanto no lado clínico, tanto no socioeconômico.
  • 8. Algoritmos foram desenvolvidos pela GnTech para aprimorar as prescrições de medicamentos para o sistema nervoso central. Os laudos farmacogenéticos são baseados na avaliação das variantes nos seguintes genes: CYP1A2 (família do citocromo P450) CYP2D6 (família do citocromo P450) CYP2C19 (família do citocromo P450) CYP2C9 (família do citocromo P450) CYP3A4 (família do citocromo P450) CYP3A5 (família do citocromo P450) HTR2A (gene receptor de serotonina 2ª) CYP2B6 (família do citocromo P450) HTR1A GRIK4 OPRM1 COMT ADRA2A FKBP5 ANKK1 DRD2 SLC6A4 (gene do transportador de serotonina)
  • 9. As citocromos P450 são enzimas que são responsáveis pelo metabolismo da maioria dos antidepressivos e antipsicóticos. O transportador de serotonina e seu receptor estão associados às diferentes respostas a determinados medicamentos antidepressivos.
  • 10. Com base no genótipo do paciente, as drogas são classificadas em três categorias: “usar conforme a bula” (categoria azul), “usar com atenção” (categoria amarela) e “usar com cautela e atenção” (categoria laranja). Desse modo, o laudo incorpora a informação genética com o perfil farmacológico do paciente para os medicamentos, os quais são marcados com 11 legendas resultantes da relação da droga com o genótipo do paciente. LAUDO DO TESTE FARMACOGENÉTICO PARA O SISTEMA NERVOSO CENTRAL Usar conforme a bula *observar legendas Usar com atenção *observar legendas Usar com cautela e atenção *observar legendas
  • 11. A figura ao lado apresenta apenas os medicamentos antidepressivos e é destinada a ilustrar e melhor exemplificar o modo como é estabelecido o resultado do Teste Farmacogenético para o Sistema Nervoso Central. Um laudo completo, realizado pela GnTech, apresenta a relação da genotipagem dos genes envolvidos na biotransformação, resposta e efeito adverso das seguintes classes de medicamentos: antidepressivos, antipsicóticos, ansiolítico/ anticonvulsivantes, analgésicos/ opioides, Alzheimer, TDAH.
  • 12. Dentre as classes de drogas apresentadas, existem uma variedade de medicamentos testados que podem ser encontrados no site da GnTech >> Dúvidas Frequentes. Os testes farmacogenéticos são uma ferramenta auxiliar à definição do tratamento terapêutico. Portanto, o médico sempre deverá ser consultado. O profissional de saúde tem a responsabilidade final pelas decisões de tratamento realizadas em relação ao paciente, incluindo as decisões baseadas no genótipo do paciente.
  • 13. WINNER J, ALLEN, J., ALTAR, C. A., and MIHAJLOVIC, A. Genotype predicts health resource utilization of outpatients with anxiety and depression in a staff model health maintenance organization. Translational Psychiatry (2013) 3: e242. HALL-FLAVIN DK, WINNER JG, ALLEN JD, et al..Using a pharmacogenomic algorithm to guide the treatment of Depression. Transl Psychiatry 2012; 2:e172. ALTAR AC, HORNBERGER J, SHEWADE A, CRUZ V, GARRISON J, and MRAZEK D. Clinical Validity of Cytochrome P450 Metabolism and Serotonin Gene Variants in Psychiatric Pharmacotherapy. 2013. Artigo submetido. BLACK JL, O’KANE DJ and MRAZEK DA. The impact of CYP allelic variation on antidepressant metabolism: a review. Expert Opin. Drug Metab. Toxicol. (2007) 3 (1): 21-31. REFERÊNCIAS
  • 14. Escrito por: Vinicius Coltro Bacharel em Biologia – CRBio 110143/03-D Editado por: Nina Stober Relações Públicas/Analista de Marketing - GnTech