SlideShare uma empresa Scribd logo
* Aula 94 – Estrutura da Aliança e de um Centro Espírita. Como abrir um Centro Espírita
* Aula 95 – Nova frente de trabalho
*
Objetivo:
• Conforme normas da Aliança a expansão se faz
necessária.
• Melhor é multiplicar os Centros em pequenos
núcleos espalhados por todas as regiões para
melhor cobertura.
• A experiência vivida em Casa Espírita
proporciona o entendimento da multiplicação e
expansão.
• A proposta do programa da Aliança é a vivência
do espiritismo no seu aspecto religioso.
• Impedir “inchaços” – acotovelamentos –
evitando interferências entre trabalhadores,
ocorrendo os “rachas” improdutivos.
Reflexão:
A necessidade de
levar ao semelhante
a proposta
da escola iniciática,
estruturando
espaços físicos
para
que se multiplique
o plano divino
de redenção
do ser encarnado e
desencarnado.
Objetivo:
• Mostrar aos alunos que os tempos são
chegados e aqueles que conhecem o
Evangelho de Jesus devem levá-lo a quem
ainda não o conhece.
• Tentando se basear no exemplo de Paulo de
Tarso.
• “Fé sem obras é morta” ( Thiago 2:17 ).
• A Aliança Espírita Evangélica não deseja
formar só teóricos em religião, apáticos,
elitistas, carreiristas, mas, sim, discípulos
praticantes dos ensinamentos de Jesus Cristo.
Reflexão
Fortalecidos
pelo
aprendizado
de si,
o ser recebe
o convite
ao trabalho
É um convite a se tornar
consciente de seu destino
através de um processo de
Iniciação Espiritual e de
Reforma Íntima
A Escola é um programa que
traz conhecimentos, vivencias,
orientações, serviços ao
próximo e autoconhecimento.
Traz também
um programa de
disciplina interior
dos sentimentos
e pensamentos
para uma vida
mais lúcida e feliz.
*
Programa da Aliança Espírita Evangélica
A Escola de Aprendizes do Evangelho visa
reunir um grupo de pessoas que estejam
interessados em se melhorar intimamente,
descobrindo novos valores em si mesmos.
O grupo assim constituído caminha para a
descoberta da essência da vida, das razões
das coisas e passa a buscar respostas às suas
dúvidas.
O grupo começa a sentir necessidade de se
socorrer mutuamente e o espírito de
fraternidade passa a reinar entre as pessoas,
que a principio não se conhecendo, tornam
unidas pelo mesmo ideal, passando a auxiliar
as pessoas da sociedade.
Todo o conhecimento armaze-
nado, que forma a
personalidade humana, é re-
pensado, a fim de que cada
um possa descobrir a verdade
e o motivo pelo qual está
vivendo aqui na Terra.
Desta forma, há na EAE um
lugar para você que busca o
seu auto conhecimento
Questionados, todos têm e
oportunidade de analisar sua
própria conduta e começar a
reestruturar-se, assimilando
novos conhecimentos e
novos entendimentos da vida.
O que é: Aliança Espírita Evangélica?
AAliança é um ideal de vivência espírita
consubstanciado em um programa de
trabalho e fraternização que visa promover o
Espiritismo no seu aspecto Religioso e torná-
lo efetivo na comunidade de seus adeptos.
A base da religião é a evangelização das
pessoas sendo o: "amai-vos uns aos outros" a
sustentação para o aprimoramento dos
sentimentos.
Propugnar pela criação e funcionamento de
Grupos Integrados, de Escola de Aprendizes
do Evangelho, de Cursos de Médiuns e
Assistência Espiritual nos termos
estabelecidos em 1940 pelo Plano
Espiritual Superior, em caráter gratuito,
aberto e livre de quaisquer restrições ou
discriminações inclusive religiosas.
O que vem a ser a
Escola de Aprendizes
do Evangelho?
Foi criada em 6 de maio de
1950, na Federação Espírita
do Estado de São Paulo para
se disponibilizar aos Espíritas
meios de realização no campo
da Reforma íntima. É um
sistema de iniciação espiritual,
com base no Evangelho, em
graus sucessivos de
aproveitamento, em caráter
público e, em conseqüência,
permite a inscrição a todos
aqueles que se julgarem
aptos à semelhante esforço.
Qual a finalidade da Escola de Aprendizes
do Evangelho?
Preparam e purificam os espíritos para
ingresso em vidas mais perfeitas, na
comunhão diária com Deus, despertando a
consciência íntima para que vibre em
sintonia com os planos espirituais mais
elevados.
Não é um curso comum de preparação
material, mas a oportunidade que o
aprendiz tem para adestrar suas forças,
sem temor e represálias, terçar armas
contra si mesmo e provar a si próprio
que está combatendo por decisão
própria sem engodos ou forçamentos,
visando seu próprio engrandecimento
espiritual.
Escola de Aprendizes do Evangelho
Toda a prioridade é dada ao
Espiritismo Religioso, sem
menosprezo dos demais
setores doutrinários, com as
realizações individuais
rigorosamente fixadas na
“Reforma Íntima” consciente,
fundamento principal da
espiritualização dirigida e
aceita.
O ensino teórico abordando
somente matéria ajustável a
esse fundamento principal,
reduzindo ao mínimo o esforço
intelectual dá-se maior rigor à
exação no cumprimento das
realizações espirituais
propriamente ditas.
Na primeira etapa, o aprendiz é concitado a:
Edificar-se no estudo aprofundado do Evangelho e na sua
exemplificação;
A eliminar vícios e defeitos que possuam;
A organizar um quadro-programa de defeitos morais e se
empenhar por extinguí-los (ou ao menos atenuá-los, num
esforço gradativo e continuado);
A realizar um trabalho constante, sincero e definitivo de
purificação de corpo e do espírito;
A manterem-se unidos fraternalmente dedicando-se a
auxiliar aos necessitados;
A conservarem-se em sintonia com os Espíritos Superiores;
A esforçarem-se nessa fraternidade de aprendizes até que
por esforços próprios (atos e méritos) se transformem em
autênticos discípulos de Jesus, em espírito e verdade.
Após a preparação de 2 anos e meio o servidor tem vastas
condições de elaborar seu próprio programa, nos limites de sua
vontade e possibilidade, como arautos vivos e fieis do Divino
Mestre, na vivência dos ensinamentos e dos testemunhos.
Escola de Aprendizes do Evangelho
Conclusão
O programa da Aliança
Espírita Evangélica visa
formar trabalhadores
espiritualizados, libertos
da cegueira e do
fanatismo científico ou
religioso, aptos,
portanto, a difundirem,
em espírito e verdade,
os esclarecimentos
herdados e a
orientação espiritual
redentora dos que
habitam este
predestinado País, o
nosso imenso Brasil.
*
funcionamento
Eae   94 - estrutura da aliança
Dinâmica de um Grupo Espírita
integrado `a Aliança
Todo o C.E. que busca o ideal da
Aliança, adota seus programas:
– E.A.E.;
– C.Médiuns;
– Assistência Espiritual;
– Curso Básico de Espiritismo;
– Caravanas de Evangelização;
– Mocidade Espírita;
– Evangelização Infantil;
– Obras Assistenciais;
– Curso de Passes;
– Curso de Expositores;
– Curso de Entrevistadores;
– Reciclagens periódicas;
– Etc...
Programa
da EAE
e seus
instrumentos
de ensino
e de
vivencias
entrada
*
06 Velho Testamento (Hebreus e Moisés)
35 Vida de Jesus (e Sermão da Montanha)
13 Vida e Atos dos Apóstolos
08 Quem somos nós
18 Ciências / Filosofia / Religião
08 Gênese da Alma e Estudo das Formas
10 Conduta Espírita – Cristã
20 Reforma Intima – Testes – Exames
14 Livro dos Espíritos – Periodo Probatório
118 Aulas da E.A.E
26 Férias / feriados / confraternizações
Eae   94 - estrutura da aliança
*1.GRAVE HORA PRESENTE
* Profundas modificações na Terra;
* Necessidade de preparo às
tormentas;
* Exige formação segura na fé;
2.TRANSIÇÃO: (expiação >
regeneração)
* Prenuncio de sofrimentos e
inquietações;
* Necessidade núcleos espíritas
seguros;
* Para manter viva as verdades
eternas;
* E resistir aos cataclimas e
confusões.
3.URGE FORMAR TRABALHADORES
* Legião de servidores de boa
vontade;
* Prontos para agir no momento
oportuno;
* Instrumentos conscientes,
humildes e disciplinados;
* Obedientes aos dirigentes
espirituais do Planeta.
*
4.ESFORÇO COLETIVO
* Esforço individual não basta;
* Grupos fortes na fé;
* Com espírito de renuncia e
* Apoiados pelo Plano Superior;
* Para peitar as necessidades humanas
* E inspirar confiança e segurança...
* Aos desesperados das convulsões
planetária.
5.OBJETIVO DA FEESP EM 1950
* Edificar-se no estudo Evangélico;
* Exemplificar sua aplicação diária;
* Eliminar vícios e defeitos morais;
* Organizar quadro de melhoria intima e
* Se empenhar em aplicá-lo diariamente;
* Purificando o corpo e o espírito;
* Mantendo-se unidos fraternalmente;
* Auxiliando aos necessitados;
* Estar prontos e dispostos a servir a
Deus;
*
6.AO PARTICIPAR DA E.A.E:
* O aluno toma conhecimento de que:
* Disciplina
* Trabalho
* Dever
* Sociabilidade
* Respeito
* Amizade
* Responsabilidade
* Assiduidade...
... serão sempre solicitado a ele.
7.A E.A.E. VISA CONDUZIR A:
* Praticar a Moral Espírita-Cristã;
* Compreender a finalidade da
existência humana
* A avançar na senda da perfeição;
* A coibir maus pensamentos e
sentimentos;
* Tornar-se uma verdadeiro Espírita-
Cristão.
*
7.DURAÇÃO: 3 anos (apuração do aproveitamento)
* Presença e assiduidade;
* Testes e auto-avaliações periódicas;
* Caderno de Temas para R.I.;
* Temas relacionados com as aulas;
* Experiências intimas vivenciais;
* Oportunidade de expor seu crescimº;
* Apoio mútuo pela similaridade;
* Desembaraço e versatilidade;
* Trabalhos assistenciais ao próximo;
* Estimulo à compaixão e caridade;
* Vivencia da empatia;
* Notar os infortúnios ocultos;
* Visita a hospitais, creches abrigos...
* Participação em preces, vibrações etc.
* Exames Espirituais periódicos;
* Caderneta Pessoal para auto
conhecimento;
* Trabalhos em entrevistas, passes,
vibrações, expositores, dirigentes,
facilitadores, médiuns, evangelizadores...
*
*
8.RECURSOS DISPONÍVEIS
* Dirigente e Secretária preparados
para vivenciar com alunos a
fraternidade construtiva;
* Fórum de estudos e discussões;
* Ambiente acolhedor e elevado;
* Nivelamento entre todos;
* Respeito as dificuldades e
diferenças;
* Ênfase à R.I. sem desculpismo;
* Criação de atmosfera acolhedora e
isenta de ameaças;
* Ensino ministrado por vários
expositores com vivencias e
exemplificações;
9.CONHEÇA-TE A TI MESMO
* Prática da abnegação;
* Resistir ao arrastamº do mal;
* Combater a natureza inferior.
A E.A.E. não é um
curso comum de
preparação física.
É uma oportunidade
de adestrar forças
superiores, sem temor
ou represálias, para
lutar contra si mesmo
(e não contra ninguém
fora de si) e provar a si
próprio, que combate
suas imperfeições por
decisão própria sem
engodos ou
forçamentos, visando
seu engrandecimento
espiritual
10. APROVEITAMENTO (ver pontos)
• Aprendiz: preparação individual
• Servidor: trabalho ao próximo e
testemunho;
• Discípulo: perseverança (FDJ)
A Aliança Espírita Evangélica foi criada
para efetivar com segurança,
sinceridade e desprendimento a tarefa
de evangelizar e espiritualizar seus
alunos pela Reforma Íntima para se
tornarem futuros Discípulos de Jesus
integrados na FDJ.
Visa formar trabalhadores
espiritualizados aptos a difundirem, pelo
exemplo, o espírito da verdade, os
esclarecimentos herdados e as
orientações espirituais redentoras.
*
Vivência do Espiritismo Religioso – Cap. 1 e 9 a 11 Ed. Aliança
O Consolador – Emmanuel/Chico Xavier Perg. 402 a 411 FEB
Paulo de Tarso - Huberto Rohden Ed. Alvorada
Vivência do Espiritismo Religioso Ed. Aliança
Paulo e Estevão – Emmanuel/Chico Parte II Cap. 4 a 6 FEB
Iniciação Espírita Pág. 232 Ed. Aliança

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos
Clair Bianchini
 
Aula 2 - Deus – lili
Aula 2 - Deus – liliAula 2 - Deus – lili
Aula 2 - Deus – lili
Roseli Lemes
 
Trabalhadores Da úLtima Hora
Trabalhadores Da úLtima HoraTrabalhadores Da úLtima Hora
Trabalhadores Da úLtima Hora
Sergio Menezes
 
Palestra Espírita - Bem e mal sofrer
Palestra Espírita - Bem e mal sofrerPalestra Espírita - Bem e mal sofrer
Palestra Espírita - Bem e mal sofrer
Divulgador do Espiritismo
 
Princípios Básicos do Espiritismo
Princípios Básicos do EspiritismoPrincípios Básicos do Espiritismo
Princípios Básicos do Espiritismo
paikachambi
 
O consolador prometido - n. 6
O consolador prometido - n. 6O consolador prometido - n. 6
O consolador prometido - n. 6
Graça Maciel
 
O Deus de cada um de nós
O Deus de cada um de nósO Deus de cada um de nós
O Deus de cada um de nós
Ricardo Azevedo
 
Capítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deus
Capítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deusCapítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deus
Capítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deus
Eduardo Ottonelli Pithan
 
As curas de jesus
As curas de jesusAs curas de jesus
As curas de jesus
Lisete B.
 
Curso Básico de Espiritismo aula inaugural
Curso Básico de Espiritismo aula inauguralCurso Básico de Espiritismo aula inaugural
Curso Básico de Espiritismo aula inaugural
Roseli Lemes
 
Pedi e obtereis - O poder transformador da prece
Pedi e obtereis  - O poder transformador da prece Pedi e obtereis  - O poder transformador da prece
Pedi e obtereis - O poder transformador da prece
grupodepaisceb
 
Eae aula 1 - inaugural - eae
Eae   aula 1 - inaugural - eaeEae   aula 1 - inaugural - eae
Eae aula 1 - inaugural - eae
Roberto Rossignatti
 
Evangelho Capítulo XXIV - Não por a candeia debaixo do alqueire
Evangelho Capítulo XXIV - Não por a candeia debaixo do alqueireEvangelho Capítulo XXIV - Não por a candeia debaixo do alqueire
Evangelho Capítulo XXIV - Não por a candeia debaixo do alqueire
grupodepaisceb
 
Eae 108 - o cristão no meio religioso e profano
Eae   108 - o cristão no meio religioso e profanoEae   108 - o cristão no meio religioso e profano
Eae 108 - o cristão no meio religioso e profano
Norberto Scavone Augusto
 
Palestra Espírita - Missão dos espíritas
Palestra Espírita - Missão dos espíritasPalestra Espírita - Missão dos espíritas
Palestra Espírita - Missão dos espíritas
Divulgador do Espiritismo
 
Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados purosPalestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Tiburcio Santos
 
Aula 97 evolução anímica ii
Aula 97  evolução anímica iiAula 97  evolução anímica ii
Aula 97 evolução anímica ii
Denise Tofoli
 
Jugo leve
Jugo leveJugo leve
Jugo leve
Fatoze
 
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismoCapítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
Eduardo Ottonelli Pithan
 
Estudos do evangelho "Dai a Cesar o que é de Cesar"
Estudos do evangelho "Dai a Cesar o que é de Cesar"Estudos do evangelho "Dai a Cesar o que é de Cesar"
Estudos do evangelho "Dai a Cesar o que é de Cesar"
Leonardo Pereira
 

Mais procurados (20)

Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos Bem-aventurados os aflitos
Bem-aventurados os aflitos
 
Aula 2 - Deus – lili
Aula 2 - Deus – liliAula 2 - Deus – lili
Aula 2 - Deus – lili
 
Trabalhadores Da úLtima Hora
Trabalhadores Da úLtima HoraTrabalhadores Da úLtima Hora
Trabalhadores Da úLtima Hora
 
Palestra Espírita - Bem e mal sofrer
Palestra Espírita - Bem e mal sofrerPalestra Espírita - Bem e mal sofrer
Palestra Espírita - Bem e mal sofrer
 
Princípios Básicos do Espiritismo
Princípios Básicos do EspiritismoPrincípios Básicos do Espiritismo
Princípios Básicos do Espiritismo
 
O consolador prometido - n. 6
O consolador prometido - n. 6O consolador prometido - n. 6
O consolador prometido - n. 6
 
O Deus de cada um de nós
O Deus de cada um de nósO Deus de cada um de nós
O Deus de cada um de nós
 
Capítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deus
Capítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deusCapítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deus
Capítulo 4 ese ninguém pode ver o reino de deus
 
As curas de jesus
As curas de jesusAs curas de jesus
As curas de jesus
 
Curso Básico de Espiritismo aula inaugural
Curso Básico de Espiritismo aula inauguralCurso Básico de Espiritismo aula inaugural
Curso Básico de Espiritismo aula inaugural
 
Pedi e obtereis - O poder transformador da prece
Pedi e obtereis  - O poder transformador da prece Pedi e obtereis  - O poder transformador da prece
Pedi e obtereis - O poder transformador da prece
 
Eae aula 1 - inaugural - eae
Eae   aula 1 - inaugural - eaeEae   aula 1 - inaugural - eae
Eae aula 1 - inaugural - eae
 
Evangelho Capítulo XXIV - Não por a candeia debaixo do alqueire
Evangelho Capítulo XXIV - Não por a candeia debaixo do alqueireEvangelho Capítulo XXIV - Não por a candeia debaixo do alqueire
Evangelho Capítulo XXIV - Não por a candeia debaixo do alqueire
 
Eae 108 - o cristão no meio religioso e profano
Eae   108 - o cristão no meio religioso e profanoEae   108 - o cristão no meio religioso e profano
Eae 108 - o cristão no meio religioso e profano
 
Palestra Espírita - Missão dos espíritas
Palestra Espírita - Missão dos espíritasPalestra Espírita - Missão dos espíritas
Palestra Espírita - Missão dos espíritas
 
Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados purosPalestra ESE cap 8 bem aventurados puros
Palestra ESE cap 8 bem aventurados puros
 
Aula 97 evolução anímica ii
Aula 97  evolução anímica iiAula 97  evolução anímica ii
Aula 97 evolução anímica ii
 
Jugo leve
Jugo leveJugo leve
Jugo leve
 
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismoCapítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
Capítulo 6 do evangelho segundo o espiritismo
 
Estudos do evangelho "Dai a Cesar o que é de Cesar"
Estudos do evangelho "Dai a Cesar o que é de Cesar"Estudos do evangelho "Dai a Cesar o que é de Cesar"
Estudos do evangelho "Dai a Cesar o que é de Cesar"
 

Destaque

CERIMÔNIA DE PASSAGEM GRAU DE SERVIDOR
CERIMÔNIA DE PASSAGEM GRAU DE SERVIDORCERIMÔNIA DE PASSAGEM GRAU DE SERVIDOR
CERIMÔNIA DE PASSAGEM GRAU DE SERVIDOR
Alex Silva
 
REFERENCIA PARA OS ALUNDOS - EAE 2 - OS 7 DIAS DA CRIAÇÃO
REFERENCIA PARA OS ALUNDOS - EAE 2 - OS 7 DIAS DA CRIAÇÃOREFERENCIA PARA OS ALUNDOS - EAE 2 - OS 7 DIAS DA CRIAÇÃO
REFERENCIA PARA OS ALUNDOS - EAE 2 - OS 7 DIAS DA CRIAÇÃO
Norberto Scavone Augusto
 
Eae 68 - vícios e defeitos - roteiro da aula
Eae   68 - vícios e defeitos - roteiro da aulaEae   68 - vícios e defeitos - roteiro da aula
Eae 68 - vícios e defeitos - roteiro da aula
Norberto Scavone Augusto
 
Eae 91 normas da vida espiritual
Eae   91 normas da vida espiritualEae   91 normas da vida espiritual
Eae 91 normas da vida espiritual
Norberto Scavone Augusto
 
Exemplo - Caderneta Pessoal - Escola de Aprendizes do Evangelho
Exemplo - Caderneta Pessoal - Escola de Aprendizes do EvangelhoExemplo - Caderneta Pessoal - Escola de Aprendizes do Evangelho
Exemplo - Caderneta Pessoal - Escola de Aprendizes do Evangelho
Flávio Darin Buongermino
 
Um olhar sobre o mundo espiritual parte ii
Um olhar sobre o mundo espiritual   parte iiUm olhar sobre o mundo espiritual   parte ii
Um olhar sobre o mundo espiritual parte ii
Sônia Marques
 
Origem da escola aprendizes do evangelho
Origem da escola aprendizes do evangelhoOrigem da escola aprendizes do evangelho
Origem da escola aprendizes do evangelho
Darlene Cesar
 
A vida nas colônias espirituais palestra
A vida nas colônias espirituais palestraA vida nas colônias espirituais palestra
A vida nas colônias espirituais palestra
roclaso
 
Aula 2 - Umbral e Colônias Espirituais
Aula 2 -  Umbral e Colônias EspirituaisAula 2 -  Umbral e Colônias Espirituais
Aula 2 - Umbral e Colônias Espirituais
Breno Ortiz Tavares Costa
 
Aula 13 - EAE - Implantação do Caderno de Temas
Aula 13 - EAE - Implantação do Caderno de TemasAula 13 - EAE - Implantação do Caderno de Temas
Aula 13 - EAE - Implantação do Caderno de Temas
Flávio Darin Buongermino
 
Eae 97 - evolução animica-ii_fase_humana - rev_19_10_13
Eae   97 - evolução animica-ii_fase_humana - rev_19_10_13Eae   97 - evolução animica-ii_fase_humana - rev_19_10_13
Eae 97 - evolução animica-ii_fase_humana - rev_19_10_13
Norberto Scavone Augusto
 
Estudo junho reforma íntima www forumespirita net
Estudo junho  reforma íntima www forumespirita netEstudo junho  reforma íntima www forumespirita net
Estudo junho reforma íntima www forumespirita net
Fórum Espírita
 
Eae 96 - evolução animica i - até animal rev 03
Eae   96 - evolução animica i - até animal rev 03Eae   96 - evolução animica i - até animal rev 03
Eae 96 - evolução animica i - até animal rev 03
Norberto Scavone Augusto
 
Apresentando a caderneta do Idoso
Apresentando a caderneta do IdosoApresentando a caderneta do Idoso
Apresentando a caderneta do Idoso
Ana Hollanders
 
AULA 008 EAE DM - INTRODUÇÃO AO PROCESSO DE REFORMA ÍNTIMA
AULA 008 EAE DM - INTRODUÇÃO AO PROCESSO DE REFORMA ÍNTIMAAULA 008 EAE DM - INTRODUÇÃO AO PROCESSO DE REFORMA ÍNTIMA
AULA 008 EAE DM - INTRODUÇÃO AO PROCESSO DE REFORMA ÍNTIMA
Daniel de Melo
 
O que é escola de Aprendizes do Evangelho
O que é escola de Aprendizes do EvangelhoO que é escola de Aprendizes do Evangelho
O que é escola de Aprendizes do Evangelho
E.A.E
 
Capitulo xx os trabalhadores da última hora
Capitulo xx os trabalhadores da última horaCapitulo xx os trabalhadores da última hora
Capitulo xx os trabalhadores da última hora
caminhodaluz41
 
Aula M1 (27/01/2012) - Edgard Armond
Aula M1 (27/01/2012) - Edgard ArmondAula M1 (27/01/2012) - Edgard Armond
Aula M1 (27/01/2012) - Edgard Armond
Mocidade Espírita União Fraternal
 
Colonias espirituais
Colonias espirituais Colonias espirituais
Colonias espirituais
Oceander Veschi
 
Fluidos e perispirito-rosana_c
Fluidos e perispirito-rosana_cFluidos e perispirito-rosana_c
Fluidos e perispirito-rosana_c
carlos freire
 

Destaque (20)

CERIMÔNIA DE PASSAGEM GRAU DE SERVIDOR
CERIMÔNIA DE PASSAGEM GRAU DE SERVIDORCERIMÔNIA DE PASSAGEM GRAU DE SERVIDOR
CERIMÔNIA DE PASSAGEM GRAU DE SERVIDOR
 
REFERENCIA PARA OS ALUNDOS - EAE 2 - OS 7 DIAS DA CRIAÇÃO
REFERENCIA PARA OS ALUNDOS - EAE 2 - OS 7 DIAS DA CRIAÇÃOREFERENCIA PARA OS ALUNDOS - EAE 2 - OS 7 DIAS DA CRIAÇÃO
REFERENCIA PARA OS ALUNDOS - EAE 2 - OS 7 DIAS DA CRIAÇÃO
 
Eae 68 - vícios e defeitos - roteiro da aula
Eae   68 - vícios e defeitos - roteiro da aulaEae   68 - vícios e defeitos - roteiro da aula
Eae 68 - vícios e defeitos - roteiro da aula
 
Eae 91 normas da vida espiritual
Eae   91 normas da vida espiritualEae   91 normas da vida espiritual
Eae 91 normas da vida espiritual
 
Exemplo - Caderneta Pessoal - Escola de Aprendizes do Evangelho
Exemplo - Caderneta Pessoal - Escola de Aprendizes do EvangelhoExemplo - Caderneta Pessoal - Escola de Aprendizes do Evangelho
Exemplo - Caderneta Pessoal - Escola de Aprendizes do Evangelho
 
Um olhar sobre o mundo espiritual parte ii
Um olhar sobre o mundo espiritual   parte iiUm olhar sobre o mundo espiritual   parte ii
Um olhar sobre o mundo espiritual parte ii
 
Origem da escola aprendizes do evangelho
Origem da escola aprendizes do evangelhoOrigem da escola aprendizes do evangelho
Origem da escola aprendizes do evangelho
 
A vida nas colônias espirituais palestra
A vida nas colônias espirituais palestraA vida nas colônias espirituais palestra
A vida nas colônias espirituais palestra
 
Aula 2 - Umbral e Colônias Espirituais
Aula 2 -  Umbral e Colônias EspirituaisAula 2 -  Umbral e Colônias Espirituais
Aula 2 - Umbral e Colônias Espirituais
 
Aula 13 - EAE - Implantação do Caderno de Temas
Aula 13 - EAE - Implantação do Caderno de TemasAula 13 - EAE - Implantação do Caderno de Temas
Aula 13 - EAE - Implantação do Caderno de Temas
 
Eae 97 - evolução animica-ii_fase_humana - rev_19_10_13
Eae   97 - evolução animica-ii_fase_humana - rev_19_10_13Eae   97 - evolução animica-ii_fase_humana - rev_19_10_13
Eae 97 - evolução animica-ii_fase_humana - rev_19_10_13
 
Estudo junho reforma íntima www forumespirita net
Estudo junho  reforma íntima www forumespirita netEstudo junho  reforma íntima www forumespirita net
Estudo junho reforma íntima www forumespirita net
 
Eae 96 - evolução animica i - até animal rev 03
Eae   96 - evolução animica i - até animal rev 03Eae   96 - evolução animica i - até animal rev 03
Eae 96 - evolução animica i - até animal rev 03
 
Apresentando a caderneta do Idoso
Apresentando a caderneta do IdosoApresentando a caderneta do Idoso
Apresentando a caderneta do Idoso
 
AULA 008 EAE DM - INTRODUÇÃO AO PROCESSO DE REFORMA ÍNTIMA
AULA 008 EAE DM - INTRODUÇÃO AO PROCESSO DE REFORMA ÍNTIMAAULA 008 EAE DM - INTRODUÇÃO AO PROCESSO DE REFORMA ÍNTIMA
AULA 008 EAE DM - INTRODUÇÃO AO PROCESSO DE REFORMA ÍNTIMA
 
O que é escola de Aprendizes do Evangelho
O que é escola de Aprendizes do EvangelhoO que é escola de Aprendizes do Evangelho
O que é escola de Aprendizes do Evangelho
 
Capitulo xx os trabalhadores da última hora
Capitulo xx os trabalhadores da última horaCapitulo xx os trabalhadores da última hora
Capitulo xx os trabalhadores da última hora
 
Aula M1 (27/01/2012) - Edgard Armond
Aula M1 (27/01/2012) - Edgard ArmondAula M1 (27/01/2012) - Edgard Armond
Aula M1 (27/01/2012) - Edgard Armond
 
Colonias espirituais
Colonias espirituais Colonias espirituais
Colonias espirituais
 
Fluidos e perispirito-rosana_c
Fluidos e perispirito-rosana_cFluidos e perispirito-rosana_c
Fluidos e perispirito-rosana_c
 

Semelhante a Eae 94 - estrutura da aliança

Eae 1 aula inaugural rev01
Eae 1   aula inaugural rev01Eae 1   aula inaugural rev01
Eae 1 aula inaugural rev01
Norberto Scavone Augusto
 
Fraternidades
FraternidadesFraternidades
Fraternidades
Percilia
 
Evangelizar comjesus 5encontrodeevangelizadores2011
Evangelizar comjesus 5encontrodeevangelizadores2011Evangelizar comjesus 5encontrodeevangelizadores2011
Evangelizar comjesus 5encontrodeevangelizadores2011
Alice Lirio
 
O_Centro_Espirita_e_o_estudo_da_mediunidade.ppt
O_Centro_Espirita_e_o_estudo_da_mediunidade.pptO_Centro_Espirita_e_o_estudo_da_mediunidade.ppt
O_Centro_Espirita_e_o_estudo_da_mediunidade.ppt
EduardoMadureira4
 
Manual escola de lideres
Manual escola de lideresManual escola de lideres
Manual escola de lideres
Roberto Wagner Fernandes
 
Implantação de Ciclo de Estudos
Implantação de Ciclo de EstudosImplantação de Ciclo de Estudos
Implantação de Ciclo de Estudos
Movimento da Fraternidade
 
Conhecendo o-espiritismo
Conhecendo o-espiritismoConhecendo o-espiritismo
Conhecendo o-espiritismo
Flavio Oliveira
 
10696 059 ss-booklet_red.pdf
10696 059 ss-booklet_red.pdf10696 059 ss-booklet_red.pdf
10696 059 ss-booklet_red.pdf
Célio Melo
 
Programa de mocidade espirita
Programa de mocidade espiritaPrograma de mocidade espirita
Programa de mocidade espirita
Gabriel105804
 
Conhecendo o Espiritismo (Adenauer Novaes).pdf
Conhecendo o Espiritismo (Adenauer Novaes).pdfConhecendo o Espiritismo (Adenauer Novaes).pdf
Conhecendo o Espiritismo (Adenauer Novaes).pdf
hailanachaves2
 
Curso de Formação de inicial de evageliz
Curso de Formação de inicial de evagelizCurso de Formação de inicial de evageliz
Curso de Formação de inicial de evageliz
caiomilhomem4
 
Encontro de Evangelizadores
Encontro de EvangelizadoresEncontro de Evangelizadores
Encontro de Evangelizadores
Cemei - Centro Educar Meimei
 
Xxv encontro educação do espirito - 01
Xxv encontro   educação do espirito - 01Xxv encontro   educação do espirito - 01
Xxv encontro educação do espirito - 01
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Xxv encontro educação do espirito - 01
Xxv encontro   educação do espirito - 01Xxv encontro   educação do espirito - 01
Xxv encontro educação do espirito - 01
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Xxv encontro educação do espirito
Xxv encontro   educação do espiritoXxv encontro   educação do espirito
Xxv encontro educação do espirito
Instituto de Psicobiofísica Rama Schain
 
Aula de 17. Modulo I. Ações de Apoio a Célula de Evangelismo. Parte I
Aula de 17. Modulo I. Ações de Apoio a Célula de Evangelismo. Parte IAula de 17. Modulo I. Ações de Apoio a Célula de Evangelismo. Parte I
Aula de 17. Modulo I. Ações de Apoio a Célula de Evangelismo. Parte I
Pastor Paulo Francisco
 
CURSO_DE_CAPACITACAO_DE_LIDERES_DE_CELUL.pdf
CURSO_DE_CAPACITACAO_DE_LIDERES_DE_CELUL.pdfCURSO_DE_CAPACITACAO_DE_LIDERES_DE_CELUL.pdf
CURSO_DE_CAPACITACAO_DE_LIDERES_DE_CELUL.pdf
Amilton24
 
Documento Informativo sobre o projeto Espaço de Educação Familial CEERJ
Documento Informativo sobre o projeto Espaço de Educação Familial CEERJDocumento Informativo sobre o projeto Espaço de Educação Familial CEERJ
Documento Informativo sobre o projeto Espaço de Educação Familial CEERJ
6º Conselho Espírita de Unificação
 
reforma_ntima.pdf
reforma_ntima.pdfreforma_ntima.pdf
reforma_ntima.pdf
denisetofanello1
 
O valor do acolhimento na casa espírita
O valor do acolhimento na casa espíritaO valor do acolhimento na casa espírita
O valor do acolhimento na casa espírita
Helio Cruz
 

Semelhante a Eae 94 - estrutura da aliança (20)

Eae 1 aula inaugural rev01
Eae 1   aula inaugural rev01Eae 1   aula inaugural rev01
Eae 1 aula inaugural rev01
 
Fraternidades
FraternidadesFraternidades
Fraternidades
 
Evangelizar comjesus 5encontrodeevangelizadores2011
Evangelizar comjesus 5encontrodeevangelizadores2011Evangelizar comjesus 5encontrodeevangelizadores2011
Evangelizar comjesus 5encontrodeevangelizadores2011
 
O_Centro_Espirita_e_o_estudo_da_mediunidade.ppt
O_Centro_Espirita_e_o_estudo_da_mediunidade.pptO_Centro_Espirita_e_o_estudo_da_mediunidade.ppt
O_Centro_Espirita_e_o_estudo_da_mediunidade.ppt
 
Manual escola de lideres
Manual escola de lideresManual escola de lideres
Manual escola de lideres
 
Implantação de Ciclo de Estudos
Implantação de Ciclo de EstudosImplantação de Ciclo de Estudos
Implantação de Ciclo de Estudos
 
Conhecendo o-espiritismo
Conhecendo o-espiritismoConhecendo o-espiritismo
Conhecendo o-espiritismo
 
10696 059 ss-booklet_red.pdf
10696 059 ss-booklet_red.pdf10696 059 ss-booklet_red.pdf
10696 059 ss-booklet_red.pdf
 
Programa de mocidade espirita
Programa de mocidade espiritaPrograma de mocidade espirita
Programa de mocidade espirita
 
Conhecendo o Espiritismo (Adenauer Novaes).pdf
Conhecendo o Espiritismo (Adenauer Novaes).pdfConhecendo o Espiritismo (Adenauer Novaes).pdf
Conhecendo o Espiritismo (Adenauer Novaes).pdf
 
Curso de Formação de inicial de evageliz
Curso de Formação de inicial de evagelizCurso de Formação de inicial de evageliz
Curso de Formação de inicial de evageliz
 
Encontro de Evangelizadores
Encontro de EvangelizadoresEncontro de Evangelizadores
Encontro de Evangelizadores
 
Xxv encontro educação do espirito - 01
Xxv encontro   educação do espirito - 01Xxv encontro   educação do espirito - 01
Xxv encontro educação do espirito - 01
 
Xxv encontro educação do espirito - 01
Xxv encontro   educação do espirito - 01Xxv encontro   educação do espirito - 01
Xxv encontro educação do espirito - 01
 
Xxv encontro educação do espirito
Xxv encontro   educação do espiritoXxv encontro   educação do espirito
Xxv encontro educação do espirito
 
Aula de 17. Modulo I. Ações de Apoio a Célula de Evangelismo. Parte I
Aula de 17. Modulo I. Ações de Apoio a Célula de Evangelismo. Parte IAula de 17. Modulo I. Ações de Apoio a Célula de Evangelismo. Parte I
Aula de 17. Modulo I. Ações de Apoio a Célula de Evangelismo. Parte I
 
CURSO_DE_CAPACITACAO_DE_LIDERES_DE_CELUL.pdf
CURSO_DE_CAPACITACAO_DE_LIDERES_DE_CELUL.pdfCURSO_DE_CAPACITACAO_DE_LIDERES_DE_CELUL.pdf
CURSO_DE_CAPACITACAO_DE_LIDERES_DE_CELUL.pdf
 
Documento Informativo sobre o projeto Espaço de Educação Familial CEERJ
Documento Informativo sobre o projeto Espaço de Educação Familial CEERJDocumento Informativo sobre o projeto Espaço de Educação Familial CEERJ
Documento Informativo sobre o projeto Espaço de Educação Familial CEERJ
 
reforma_ntima.pdf
reforma_ntima.pdfreforma_ntima.pdf
reforma_ntima.pdf
 
O valor do acolhimento na casa espírita
O valor do acolhimento na casa espíritaO valor do acolhimento na casa espírita
O valor do acolhimento na casa espírita
 

Mais de Norberto Scavone Augusto

Apostila psv
Apostila psvApostila psv
Eae 24 - vicios e defeitos - manipulacoes
Eae 24 - vicios e defeitos - manipulacoesEae 24 - vicios e defeitos - manipulacoes
Eae 24 - vicios e defeitos - manipulacoes
Norberto Scavone Augusto
 
A nova era - ramatis - dores e sofrimentos - 1a. parte
A nova era - ramatis - dores e sofrimentos - 1a. parteA nova era - ramatis - dores e sofrimentos - 1a. parte
A nova era - ramatis - dores e sofrimentos - 1a. parte
Norberto Scavone Augusto
 
12o. A missão do espiritismo
12o. A missão do espiritismo12o. A missão do espiritismo
12o. A missão do espiritismo
Norberto Scavone Augusto
 
Os mestres ramatís e kuthumi
Os mestres ramatís e kuthumiOs mestres ramatís e kuthumi
Os mestres ramatís e kuthumi
Norberto Scavone Augusto
 
Reencarnação & maria modesto
Reencarnação & maria modestoReencarnação & maria modesto
Reencarnação & maria modesto
Norberto Scavone Augusto
 
Reforma intima real
Reforma intima realReforma intima real
Reforma intima real
Norberto Scavone Augusto
 
O dever
O deverO dever
Ref anjos decaidos
Ref   anjos decaidosRef   anjos decaidos
Ref anjos decaidos
Norberto Scavone Augusto
 
PEREGRINOS NOVA ERA - Reunião 46a - 12 de maio 2016
PEREGRINOS NOVA ERA - Reunião 46a  - 12 de maio 2016PEREGRINOS NOVA ERA - Reunião 46a  - 12 de maio 2016
PEREGRINOS NOVA ERA - Reunião 46a - 12 de maio 2016
Norberto Scavone Augusto
 
Há muito tempo numa galáxia distante
Há muito tempo numa galáxia distanteHá muito tempo numa galáxia distante
Há muito tempo numa galáxia distante
Norberto Scavone Augusto
 
Emmanuel fala de ramatis em 5 de janeiro de 1954
Emmanuel fala de ramatis em 5 de janeiro de 1954Emmanuel fala de ramatis em 5 de janeiro de 1954
Emmanuel fala de ramatis em 5 de janeiro de 1954
Norberto Scavone Augusto
 
Relatos parte1final
Relatos parte1finalRelatos parte1final
Relatos parte1final
Norberto Scavone Augusto
 
Reunião 34ª 18-02-2016
Reunião 34ª   18-02-2016Reunião 34ª   18-02-2016
Reunião 34ª 18-02-2016
Norberto Scavone Augusto
 
Reunião 33ª 11-02-2016
Reunião 33ª   11-02-2016Reunião 33ª   11-02-2016
Reunião 33ª 11-02-2016
Norberto Scavone Augusto
 
Eae 74 ciencia e religião rev 02 mat didatico
Eae  74   ciencia e religião   rev 02   mat didaticoEae  74   ciencia e religião   rev 02   mat didatico
Eae 74 ciencia e religião rev 02 mat didatico
Norberto Scavone Augusto
 
Hipacia a annie_besant
Hipacia a annie_besantHipacia a annie_besant
Hipacia a annie_besant
Norberto Scavone Augusto
 
Mensagem de jesus história de um anjo
Mensagem de jesus  história de um anjoMensagem de jesus  história de um anjo
Mensagem de jesus história de um anjo
Norberto Scavone Augusto
 
Reunião 31ª 28-01-2016
Reunião 31ª   28-01-2016Reunião 31ª   28-01-2016
Reunião 31ª 28-01-2016
Norberto Scavone Augusto
 
Reunião 29ª 14-01-2016
Reunião 29ª   14-01-2016Reunião 29ª   14-01-2016
Reunião 29ª 14-01-2016
Norberto Scavone Augusto
 

Mais de Norberto Scavone Augusto (20)

Apostila psv
Apostila psvApostila psv
Apostila psv
 
Eae 24 - vicios e defeitos - manipulacoes
Eae 24 - vicios e defeitos - manipulacoesEae 24 - vicios e defeitos - manipulacoes
Eae 24 - vicios e defeitos - manipulacoes
 
A nova era - ramatis - dores e sofrimentos - 1a. parte
A nova era - ramatis - dores e sofrimentos - 1a. parteA nova era - ramatis - dores e sofrimentos - 1a. parte
A nova era - ramatis - dores e sofrimentos - 1a. parte
 
12o. A missão do espiritismo
12o. A missão do espiritismo12o. A missão do espiritismo
12o. A missão do espiritismo
 
Os mestres ramatís e kuthumi
Os mestres ramatís e kuthumiOs mestres ramatís e kuthumi
Os mestres ramatís e kuthumi
 
Reencarnação & maria modesto
Reencarnação & maria modestoReencarnação & maria modesto
Reencarnação & maria modesto
 
Reforma intima real
Reforma intima realReforma intima real
Reforma intima real
 
O dever
O deverO dever
O dever
 
Ref anjos decaidos
Ref   anjos decaidosRef   anjos decaidos
Ref anjos decaidos
 
PEREGRINOS NOVA ERA - Reunião 46a - 12 de maio 2016
PEREGRINOS NOVA ERA - Reunião 46a  - 12 de maio 2016PEREGRINOS NOVA ERA - Reunião 46a  - 12 de maio 2016
PEREGRINOS NOVA ERA - Reunião 46a - 12 de maio 2016
 
Há muito tempo numa galáxia distante
Há muito tempo numa galáxia distanteHá muito tempo numa galáxia distante
Há muito tempo numa galáxia distante
 
Emmanuel fala de ramatis em 5 de janeiro de 1954
Emmanuel fala de ramatis em 5 de janeiro de 1954Emmanuel fala de ramatis em 5 de janeiro de 1954
Emmanuel fala de ramatis em 5 de janeiro de 1954
 
Relatos parte1final
Relatos parte1finalRelatos parte1final
Relatos parte1final
 
Reunião 34ª 18-02-2016
Reunião 34ª   18-02-2016Reunião 34ª   18-02-2016
Reunião 34ª 18-02-2016
 
Reunião 33ª 11-02-2016
Reunião 33ª   11-02-2016Reunião 33ª   11-02-2016
Reunião 33ª 11-02-2016
 
Eae 74 ciencia e religião rev 02 mat didatico
Eae  74   ciencia e religião   rev 02   mat didaticoEae  74   ciencia e religião   rev 02   mat didatico
Eae 74 ciencia e religião rev 02 mat didatico
 
Hipacia a annie_besant
Hipacia a annie_besantHipacia a annie_besant
Hipacia a annie_besant
 
Mensagem de jesus história de um anjo
Mensagem de jesus  história de um anjoMensagem de jesus  história de um anjo
Mensagem de jesus história de um anjo
 
Reunião 31ª 28-01-2016
Reunião 31ª   28-01-2016Reunião 31ª   28-01-2016
Reunião 31ª 28-01-2016
 
Reunião 29ª 14-01-2016
Reunião 29ª   14-01-2016Reunião 29ª   14-01-2016
Reunião 29ª 14-01-2016
 

Último

Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
CleideTeles3
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 

Último (15)

Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 

Eae 94 - estrutura da aliança

  • 1. * Aula 94 – Estrutura da Aliança e de um Centro Espírita. Como abrir um Centro Espírita * Aula 95 – Nova frente de trabalho *
  • 2. Objetivo: • Conforme normas da Aliança a expansão se faz necessária. • Melhor é multiplicar os Centros em pequenos núcleos espalhados por todas as regiões para melhor cobertura. • A experiência vivida em Casa Espírita proporciona o entendimento da multiplicação e expansão. • A proposta do programa da Aliança é a vivência do espiritismo no seu aspecto religioso. • Impedir “inchaços” – acotovelamentos – evitando interferências entre trabalhadores, ocorrendo os “rachas” improdutivos. Reflexão: A necessidade de levar ao semelhante a proposta da escola iniciática, estruturando espaços físicos para que se multiplique o plano divino de redenção do ser encarnado e desencarnado.
  • 3. Objetivo: • Mostrar aos alunos que os tempos são chegados e aqueles que conhecem o Evangelho de Jesus devem levá-lo a quem ainda não o conhece. • Tentando se basear no exemplo de Paulo de Tarso. • “Fé sem obras é morta” ( Thiago 2:17 ). • A Aliança Espírita Evangélica não deseja formar só teóricos em religião, apáticos, elitistas, carreiristas, mas, sim, discípulos praticantes dos ensinamentos de Jesus Cristo. Reflexão Fortalecidos pelo aprendizado de si, o ser recebe o convite ao trabalho
  • 4. É um convite a se tornar consciente de seu destino através de um processo de Iniciação Espiritual e de Reforma Íntima A Escola é um programa que traz conhecimentos, vivencias, orientações, serviços ao próximo e autoconhecimento. Traz também um programa de disciplina interior dos sentimentos e pensamentos para uma vida mais lúcida e feliz. *
  • 5. Programa da Aliança Espírita Evangélica A Escola de Aprendizes do Evangelho visa reunir um grupo de pessoas que estejam interessados em se melhorar intimamente, descobrindo novos valores em si mesmos. O grupo assim constituído caminha para a descoberta da essência da vida, das razões das coisas e passa a buscar respostas às suas dúvidas. O grupo começa a sentir necessidade de se socorrer mutuamente e o espírito de fraternidade passa a reinar entre as pessoas, que a principio não se conhecendo, tornam unidas pelo mesmo ideal, passando a auxiliar as pessoas da sociedade. Todo o conhecimento armaze- nado, que forma a personalidade humana, é re- pensado, a fim de que cada um possa descobrir a verdade e o motivo pelo qual está vivendo aqui na Terra. Desta forma, há na EAE um lugar para você que busca o seu auto conhecimento Questionados, todos têm e oportunidade de analisar sua própria conduta e começar a reestruturar-se, assimilando novos conhecimentos e novos entendimentos da vida.
  • 6. O que é: Aliança Espírita Evangélica? AAliança é um ideal de vivência espírita consubstanciado em um programa de trabalho e fraternização que visa promover o Espiritismo no seu aspecto Religioso e torná- lo efetivo na comunidade de seus adeptos. A base da religião é a evangelização das pessoas sendo o: "amai-vos uns aos outros" a sustentação para o aprimoramento dos sentimentos. Propugnar pela criação e funcionamento de Grupos Integrados, de Escola de Aprendizes do Evangelho, de Cursos de Médiuns e Assistência Espiritual nos termos estabelecidos em 1940 pelo Plano Espiritual Superior, em caráter gratuito, aberto e livre de quaisquer restrições ou discriminações inclusive religiosas. O que vem a ser a Escola de Aprendizes do Evangelho? Foi criada em 6 de maio de 1950, na Federação Espírita do Estado de São Paulo para se disponibilizar aos Espíritas meios de realização no campo da Reforma íntima. É um sistema de iniciação espiritual, com base no Evangelho, em graus sucessivos de aproveitamento, em caráter público e, em conseqüência, permite a inscrição a todos aqueles que se julgarem aptos à semelhante esforço.
  • 7. Qual a finalidade da Escola de Aprendizes do Evangelho? Preparam e purificam os espíritos para ingresso em vidas mais perfeitas, na comunhão diária com Deus, despertando a consciência íntima para que vibre em sintonia com os planos espirituais mais elevados. Não é um curso comum de preparação material, mas a oportunidade que o aprendiz tem para adestrar suas forças, sem temor e represálias, terçar armas contra si mesmo e provar a si próprio que está combatendo por decisão própria sem engodos ou forçamentos, visando seu próprio engrandecimento espiritual. Escola de Aprendizes do Evangelho Toda a prioridade é dada ao Espiritismo Religioso, sem menosprezo dos demais setores doutrinários, com as realizações individuais rigorosamente fixadas na “Reforma Íntima” consciente, fundamento principal da espiritualização dirigida e aceita. O ensino teórico abordando somente matéria ajustável a esse fundamento principal, reduzindo ao mínimo o esforço intelectual dá-se maior rigor à exação no cumprimento das realizações espirituais propriamente ditas.
  • 8. Na primeira etapa, o aprendiz é concitado a: Edificar-se no estudo aprofundado do Evangelho e na sua exemplificação; A eliminar vícios e defeitos que possuam; A organizar um quadro-programa de defeitos morais e se empenhar por extinguí-los (ou ao menos atenuá-los, num esforço gradativo e continuado); A realizar um trabalho constante, sincero e definitivo de purificação de corpo e do espírito; A manterem-se unidos fraternalmente dedicando-se a auxiliar aos necessitados; A conservarem-se em sintonia com os Espíritos Superiores; A esforçarem-se nessa fraternidade de aprendizes até que por esforços próprios (atos e méritos) se transformem em autênticos discípulos de Jesus, em espírito e verdade. Após a preparação de 2 anos e meio o servidor tem vastas condições de elaborar seu próprio programa, nos limites de sua vontade e possibilidade, como arautos vivos e fieis do Divino Mestre, na vivência dos ensinamentos e dos testemunhos. Escola de Aprendizes do Evangelho Conclusão O programa da Aliança Espírita Evangélica visa formar trabalhadores espiritualizados, libertos da cegueira e do fanatismo científico ou religioso, aptos, portanto, a difundirem, em espírito e verdade, os esclarecimentos herdados e a orientação espiritual redentora dos que habitam este predestinado País, o nosso imenso Brasil.
  • 9. *
  • 12. Dinâmica de um Grupo Espírita integrado `a Aliança Todo o C.E. que busca o ideal da Aliança, adota seus programas: – E.A.E.; – C.Médiuns; – Assistência Espiritual; – Curso Básico de Espiritismo; – Caravanas de Evangelização; – Mocidade Espírita; – Evangelização Infantil; – Obras Assistenciais; – Curso de Passes; – Curso de Expositores; – Curso de Entrevistadores; – Reciclagens periódicas; – Etc...
  • 13. Programa da EAE e seus instrumentos de ensino e de vivencias entrada
  • 14. * 06 Velho Testamento (Hebreus e Moisés) 35 Vida de Jesus (e Sermão da Montanha) 13 Vida e Atos dos Apóstolos 08 Quem somos nós 18 Ciências / Filosofia / Religião 08 Gênese da Alma e Estudo das Formas 10 Conduta Espírita – Cristã 20 Reforma Intima – Testes – Exames 14 Livro dos Espíritos – Periodo Probatório 118 Aulas da E.A.E 26 Férias / feriados / confraternizações
  • 16. *1.GRAVE HORA PRESENTE * Profundas modificações na Terra; * Necessidade de preparo às tormentas; * Exige formação segura na fé; 2.TRANSIÇÃO: (expiação > regeneração) * Prenuncio de sofrimentos e inquietações; * Necessidade núcleos espíritas seguros; * Para manter viva as verdades eternas; * E resistir aos cataclimas e confusões. 3.URGE FORMAR TRABALHADORES * Legião de servidores de boa vontade; * Prontos para agir no momento oportuno; * Instrumentos conscientes, humildes e disciplinados; * Obedientes aos dirigentes espirituais do Planeta.
  • 17. * 4.ESFORÇO COLETIVO * Esforço individual não basta; * Grupos fortes na fé; * Com espírito de renuncia e * Apoiados pelo Plano Superior; * Para peitar as necessidades humanas * E inspirar confiança e segurança... * Aos desesperados das convulsões planetária. 5.OBJETIVO DA FEESP EM 1950 * Edificar-se no estudo Evangélico; * Exemplificar sua aplicação diária; * Eliminar vícios e defeitos morais; * Organizar quadro de melhoria intima e * Se empenhar em aplicá-lo diariamente; * Purificando o corpo e o espírito; * Mantendo-se unidos fraternalmente; * Auxiliando aos necessitados; * Estar prontos e dispostos a servir a Deus;
  • 18. * 6.AO PARTICIPAR DA E.A.E: * O aluno toma conhecimento de que: * Disciplina * Trabalho * Dever * Sociabilidade * Respeito * Amizade * Responsabilidade * Assiduidade... ... serão sempre solicitado a ele. 7.A E.A.E. VISA CONDUZIR A: * Praticar a Moral Espírita-Cristã; * Compreender a finalidade da existência humana * A avançar na senda da perfeição; * A coibir maus pensamentos e sentimentos; * Tornar-se uma verdadeiro Espírita- Cristão.
  • 19. * 7.DURAÇÃO: 3 anos (apuração do aproveitamento) * Presença e assiduidade; * Testes e auto-avaliações periódicas; * Caderno de Temas para R.I.; * Temas relacionados com as aulas; * Experiências intimas vivenciais; * Oportunidade de expor seu crescimº; * Apoio mútuo pela similaridade; * Desembaraço e versatilidade; * Trabalhos assistenciais ao próximo; * Estimulo à compaixão e caridade; * Vivencia da empatia; * Notar os infortúnios ocultos; * Visita a hospitais, creches abrigos... * Participação em preces, vibrações etc. * Exames Espirituais periódicos; * Caderneta Pessoal para auto conhecimento; * Trabalhos em entrevistas, passes, vibrações, expositores, dirigentes, facilitadores, médiuns, evangelizadores...
  • 20. *
  • 21. * 8.RECURSOS DISPONÍVEIS * Dirigente e Secretária preparados para vivenciar com alunos a fraternidade construtiva; * Fórum de estudos e discussões; * Ambiente acolhedor e elevado; * Nivelamento entre todos; * Respeito as dificuldades e diferenças; * Ênfase à R.I. sem desculpismo; * Criação de atmosfera acolhedora e isenta de ameaças; * Ensino ministrado por vários expositores com vivencias e exemplificações; 9.CONHEÇA-TE A TI MESMO * Prática da abnegação; * Resistir ao arrastamº do mal; * Combater a natureza inferior. A E.A.E. não é um curso comum de preparação física. É uma oportunidade de adestrar forças superiores, sem temor ou represálias, para lutar contra si mesmo (e não contra ninguém fora de si) e provar a si próprio, que combate suas imperfeições por decisão própria sem engodos ou forçamentos, visando seu engrandecimento espiritual
  • 22. 10. APROVEITAMENTO (ver pontos) • Aprendiz: preparação individual • Servidor: trabalho ao próximo e testemunho; • Discípulo: perseverança (FDJ) A Aliança Espírita Evangélica foi criada para efetivar com segurança, sinceridade e desprendimento a tarefa de evangelizar e espiritualizar seus alunos pela Reforma Íntima para se tornarem futuros Discípulos de Jesus integrados na FDJ. Visa formar trabalhadores espiritualizados aptos a difundirem, pelo exemplo, o espírito da verdade, os esclarecimentos herdados e as orientações espirituais redentoras.
  • 23. *
  • 24. Vivência do Espiritismo Religioso – Cap. 1 e 9 a 11 Ed. Aliança O Consolador – Emmanuel/Chico Xavier Perg. 402 a 411 FEB Paulo de Tarso - Huberto Rohden Ed. Alvorada Vivência do Espiritismo Religioso Ed. Aliança Paulo e Estevão – Emmanuel/Chico Parte II Cap. 4 a 6 FEB Iniciação Espírita Pág. 232 Ed. Aliança