SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 16
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
ATENÇÃO ÀS
MULHERES
DIU DE COBRE NAS MATERNIDADES
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
DIU DE COBRE NAS MATERNIDADES
É importante garantirmos o acesso a recursos para o
planejamento reprodutivo em todos os cenários de assistência
à mulher, inclusive nas maternidades.
A oferta de DIU de cobre nas maternidades visa reduzir a
gravidez não planejada e melhorar o acesso a esse método
contraceptivo.
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
DIU DE COBRE NAS MATERNIDADES
Objetivo desta apresentação
Divulgar as evidências científicas sobre a inserção do DIU no
pós parto e no pós aborto imediato.
DIU DE COBRE NAS MATERNIDADES
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
Introdução
• A gravidez não planejada no Brasil é elevada: 55 %
• A gravidez não planejada de adolescentes é muito preocupante: 66 % (Leal, 2014)
• A taxa de prevalência de contraceptivos entre mulheres de 15 a 49 anos, qualquer método,
é de 80% (UNPA, 2012)
• O DIU é um método conhecido pelas mulheres (87,4%), mas pouco utilizado (1,5%) (PNDS, 2008)
DIU DE COBRE NAS MATERNIDADES
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
Características deste método contraceptivo:
• Efetivo: falha semelhante ao método cirúrgico
• Seguro: poucos efeitos colaterais
• Não precisa de lembrança diária, mensal
• Ação prolongada: anos
• Reversível: fertilidade retorna após retirada
Fonte: ACOG, 2017
Prevalência de uso do DIU
País Percentual de uso
Brasil 2%
Argentina 7,5%
Bolívia 8,4%
Paraguai 12%
Chile 19%
Cuba 24%
EUA 8,9%
Fonte: United Nations - Population Division, 2017
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
DIU DE COBRE NAS MATERNIDADES
Desafios:
• Pelo menos 50 % das mulheres, particularmente as vulneráveis,
incluindo as adolescentes, não retornam à consulta puerperal, em
especial para o planejamento familiar.
• Ainda existem muitas barreiras ao acesso ao DIU de cobre na atenção
básica.
• Há oferta de DIU de cobre nas unidades básicas de saúde e maternidade?
• Há profissionais treinados para a inserção de DIU de cobre?
• Existem fluxos e protocolos para a inserção de DIU de cobre nos serviços de
saúde?
• Inserção de DIU de cobre: o acesso é fácil ou burocrático?
Fonte: Gonzaga et al., 2017
DIU DE COBRE NAS MATERNIDADES
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
Desafios a serem enfrentados para aumentar a utilização de DIU entre as mulheres
Profissionais Mulheres
• Atualização profissional (médico e enfermeira) para inserção do
DIU
• Romper com a cultura da pílula
• Reconhecimento da necessidade de assistência ao planejamento
reprodutivo no período da gestação, parto e abortamento, em
especial com informações qualificadas sobre a possibilidade de
inserção do DIU no pós parto e pós aborto imediatos
• Pouco conhecimento sobre o DIU de cobre e
consequente exclusão do método da lista de
métodos possíveis
• Esclarecimentos frágeis sobre os mitos
relacionados ao DIU nos Grupos educativos e
orientação individual
Mitos a serem superados
• Exclusão das adolescentes e das nulíparas como público-alvo
(alegando risco de provocar infertilidade)
• Estabelecimento de critérios equivocados para a inserção
(somente se a mulher estiver menstruada Condicionamento da
inserção à realização de ultrassom ou exame papanicolau
• DIU é abortivo – mito que ainda persiste entre
parcela da população
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
DIU DE COBRE NAS MATERNIDADES
Quem pode utilizar?
Quase todas as mulheres no pós-parto (normal ou cesárea) e no pós
aborto podem receber a inserção do DIU de cobre.
Fonte: WHO, 2015
A contraindicação está relacionada somente a quadros de
risco infeccioso e de hemorragia
DIU DE COBRE NAS MATERNIDADES
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
DIU pós-aborto
• Seguro e efetivo
Efetividade alta e risco perfuração rara
• Taxa de Expulsão em 6 meses:
inserção imediata= 4,4 % X ambulatorial= 1,7 %
• Gravidez em 6 meses:
inserção imediata= 0,7% X ambulatorial= 5,5%
Fonte: Okusanya, 2014
DIU DE COBRE NAS MATERNIDADES
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
DIU no pós parto normal (taxas de expulsão)
• Inserção imediata (até 10 minutos da dequitação): 9 % de expulsão em 6 meses
• Inserção precoce (entre 10 minutos e 48 h): 24 % de expulsão
• Inserção ambulatorial: 4 % de expulsão
Fonte: Ahuja,2014
DIU DE COBRE NAS MATERNIDADES
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
DIU na cesárea
Inserção imediata na cesárea = 10,6 % taxa de expulsão em 6 meses
Fonte: Çelen, 2011
DIU DE COBRE NAS MATERNIDADES
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
Importância da inserção na maternidade
• Está motivada para evitar nova gravidez
• Tem certeza de não estar grávida
• Estratégia para prevenção da gravidez não planejada
• Não consegue retornar em consulta no puerpério
Fonte: Lopez, 2015
DIU DE COBRE NAS MATERNIDADES
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
Lista de verificação
O que precisamos fazer para garantir que o DIU de cobre seja ofertado e inserido nas
maternidades?
Utilizar metodologias ativas para implementar o uso do DIU pós parto e pós aborto
Incorporar a equipe multiprofissional na divulgação desta oferta
Apoiar e capacitar as enfermeiras para inserção do DIU
DIU DE COBRE NAS MATERNIDADES
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
Recomendações
• A inserção regular do DIU de cobre no pós-parto e no pós-aborto é uma excelente
estratégia para reduzir a gravidez não planejada e melhorar os indicadores de
mortalidade materna e infantil
• Existem evidências científicas de que os gestores e profissionais devem implementar
esta ação
• Os serviços podem utilizar a lista de verificação para superar as barreiras de acesso a
este método nas maternidades
Fonte: Çelen, 2011
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
DIU DE COBRE NAS MATERNIDADES
Referências bibliográficas
• Leal, Maria do Carmo; Pereira, Ana Paula Esteves; Domingues, Rosa Maria Soares Madeira; Filha, Mariza Miranda Theme; Dias, Marcos Augusto Bastos;Nakamura-Pereira,
Marcos; Bastos, Maria Helena; Gama, Silvana Granado Nogueira da. Intervenções obstétricas durante o trabalho de parto e parto em mulheres brasileiras de risco habitual.
Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz. Cad Saude Publica; 30(supl.1): S17-S32, 08/2014. tab
• ONU. Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA). Por escolha não por acaso: planejamento familiar, direitos humanos e desenvolvimento, SWOP 2012.
• BRASIL.Ministério da Saúde. PNDS 2006 Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde da Criança e da Mulher, Relatório. 2008. Brasília.
• ACOG. Practice Bulletin No. 186 Summary: Long-Acting Reversible Contraception: Implants and Intrauterine Devices. Obstetrics & Gynecology 2017; 130(5): 1173–1175.
• GONZAGA, Vanderléa Aparecida Silva et al . Barreiras organizacionais para disponibilização e inserção do dispositivo intrauterino nos serviços de atenção básica à saúde. Rev.
esc. enferm. USP, São Paulo , v. 51, e03270, 2017.
• WHO - World Health Organization. Medical eligibility criteria for contraceptive use. 5ª ed. 2015
• ONU. Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA). MUNDOS DISTANTES Saúde e direitos reprodutivos em uma era de desigualdade. SWOP, 2017.
• Okusanya, Babasola O; Oduwole, Olabisi; Effa, Emmanuel E. Immediate post abortal insertion of intrauterine devices. Cochrane Database Syst Rev; (7): CD001777, 2014 Jul 28.
• Ahuja R, Rahtore A. Continuation rates of postpartum intrauterine contraceptive device (IUCD) insertion: randomised trial of post placental versus immediate postpartum
insertion (conference abstract). BJOG: An. International Journal of Obstetrics and Gynaecology 2014;121. (Suppl s2):1–2.
• Çelen Ş, Sucak A, Yıldız Y, Danışman N. Immediate postplacental insertion of an intrauterine contraceptive device during cesarean section. Contraception. 2011. Sep;84(3):240-3.
doi: 10.1016/j.contraception.2011.01.006. Epub 2011 Feb 21. PubMed PMID: 21843687.
• Lopez LM, Bernholc A, Hubacher D, Stuart G, Van Vliet HA. Immediate postpartum insertion of intrauterine device for contraception. Cochrane Database Syst Rev. 2015 Jun
26;(6):CD003036. doi: 10.1002/14651858.CD003036.pub3. Review. PubMed PMID: 26115018.
ATENÇÃO ÀS
MULHERES
portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
Material de 19 de março de 2018
Disponível em: portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br
Eixo: Atenção às Mulheres
Aprofunde seus conhecimentos acessando artigos disponíveis na biblioteca do Portal.
DIU DE COBRE NAS MATERNIDADES

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 13 saúde da mulher - diagnóstico gestacional
Aula 13   saúde da mulher - diagnóstico gestacionalAula 13   saúde da mulher - diagnóstico gestacional
Aula 13 saúde da mulher - diagnóstico gestacional
hervora araujo
 
AULA 14 - Contextualização Histórica da Saúde da Criança e do Adolescente no ...
AULA 14 - Contextualização Histórica da Saúde da Criança e do Adolescente no ...AULA 14 - Contextualização Histórica da Saúde da Criança e do Adolescente no ...
AULA 14 - Contextualização Histórica da Saúde da Criança e do Adolescente no ...
AlefySantos2
 

Mais procurados (20)

Saude da mulher
Saude da mulherSaude da mulher
Saude da mulher
 
AULA 08 - CÂNCER DE COLO DE ÚTERO E MAMA.pptx
AULA 08 - CÂNCER DE COLO DE ÚTERO E MAMA.pptxAULA 08 - CÂNCER DE COLO DE ÚTERO E MAMA.pptx
AULA 08 - CÂNCER DE COLO DE ÚTERO E MAMA.pptx
 
Aula 13 saúde da mulher - diagnóstico gestacional
Aula 13   saúde da mulher - diagnóstico gestacionalAula 13   saúde da mulher - diagnóstico gestacional
Aula 13 saúde da mulher - diagnóstico gestacional
 
AULA 14 - Contextualização Histórica da Saúde da Criança e do Adolescente no ...
AULA 14 - Contextualização Histórica da Saúde da Criança e do Adolescente no ...AULA 14 - Contextualização Histórica da Saúde da Criança e do Adolescente no ...
AULA 14 - Contextualização Histórica da Saúde da Criança e do Adolescente no ...
 
Contato Pele a Pele na Cesárea
Contato Pele a Pele na CesáreaContato Pele a Pele na Cesárea
Contato Pele a Pele na Cesárea
 
Parto Vaginal Após Cesariana (PVAC – VBAC)
Parto Vaginal Após Cesariana (PVAC – VBAC)Parto Vaginal Após Cesariana (PVAC – VBAC)
Parto Vaginal Após Cesariana (PVAC – VBAC)
 
preparação parto
preparação partopreparação parto
preparação parto
 
Aleitamento Materno Exclusivo até os Seis Meses: o Papel dos Profissionais de...
Aleitamento Materno Exclusivo até os Seis Meses: o Papel dos Profissionais de...Aleitamento Materno Exclusivo até os Seis Meses: o Papel dos Profissionais de...
Aleitamento Materno Exclusivo até os Seis Meses: o Papel dos Profissionais de...
 
AssistêNcia Ao Parto
AssistêNcia Ao PartoAssistêNcia Ao Parto
AssistêNcia Ao Parto
 
Rede cegonha 24022011
Rede cegonha 24022011Rede cegonha 24022011
Rede cegonha 24022011
 
Atenção às Mulheres com HIV no Parto e Puerpério
Atenção às Mulheres com HIV no Parto e PuerpérioAtenção às Mulheres com HIV no Parto e Puerpério
Atenção às Mulheres com HIV no Parto e Puerpério
 
Câncer de mama
Câncer de mamaCâncer de mama
Câncer de mama
 
A Dor no Parto: significados e manejo
A Dor no Parto: significados e manejoA Dor no Parto: significados e manejo
A Dor no Parto: significados e manejo
 
AULA Câncer do colo do útero.pptx
AULA Câncer do colo do útero.pptxAULA Câncer do colo do útero.pptx
AULA Câncer do colo do útero.pptx
 
Atenção Integral a Crianças com Agravos Prevalentes na Infância e com Doenças...
Atenção Integral a Crianças com Agravos Prevalentes na Infância e com Doenças...Atenção Integral a Crianças com Agravos Prevalentes na Infância e com Doenças...
Atenção Integral a Crianças com Agravos Prevalentes na Infância e com Doenças...
 
Rede Cegonha SP
Rede Cegonha SPRede Cegonha SP
Rede Cegonha SP
 
Promovendo a Segurança do Cuidado ao Recém-nascido de Risco
Promovendo a Segurança do Cuidado ao Recém-nascido de RiscoPromovendo a Segurança do Cuidado ao Recém-nascido de Risco
Promovendo a Segurança do Cuidado ao Recém-nascido de Risco
 
O Cuidado em Rede e a Prevenção da Morte Materna e Perinatal
O Cuidado em Rede e a Prevenção da Morte Materna e PerinatalO Cuidado em Rede e a Prevenção da Morte Materna e Perinatal
O Cuidado em Rede e a Prevenção da Morte Materna e Perinatal
 
Cuidado à Mulher em Trabalho de Parto: boas práticas no primeiro período
Cuidado à Mulher em Trabalho de Parto: boas práticas no primeiro períodoCuidado à Mulher em Trabalho de Parto: boas práticas no primeiro período
Cuidado à Mulher em Trabalho de Parto: boas práticas no primeiro período
 
Indução do Trabalho de Parto e Indicações de Cesárea
Indução do Trabalho de Parto e Indicações de CesáreaIndução do Trabalho de Parto e Indicações de Cesárea
Indução do Trabalho de Parto e Indicações de Cesárea
 

Semelhante a DIU de cobre nas maternidades

APRESENTAÇÃO JENNY KELLY E LETÍCIA TCC 2.pptx
APRESENTAÇÃO JENNY KELLY E LETÍCIA TCC 2.pptxAPRESENTAÇÃO JENNY KELLY E LETÍCIA TCC 2.pptx
APRESENTAÇÃO JENNY KELLY E LETÍCIA TCC 2.pptx
KellyMilhomem
 
APRESENTAÇÃO JENNY KELLY yo investigo.pptx
APRESENTAÇÃO JENNY KELLY yo investigo.pptxAPRESENTAÇÃO JENNY KELLY yo investigo.pptx
APRESENTAÇÃO JENNY KELLY yo investigo.pptx
KellyMilhomem
 
Local de Nascimento e Enf no SUS (1).pptx
Local de Nascimento e Enf no SUS (1).pptxLocal de Nascimento e Enf no SUS (1).pptx
Local de Nascimento e Enf no SUS (1).pptx
pamelacastro71
 

Semelhante a DIU de cobre nas maternidades (20)

Inserção do DIU de cobre: quando e como fazer?
Inserção do DIU de cobre: quando e como fazer?Inserção do DIU de cobre: quando e como fazer?
Inserção do DIU de cobre: quando e como fazer?
 
APRESENTAÇÃO JENNY KELLY E LETÍCIA TCC 2.pptx
APRESENTAÇÃO JENNY KELLY E LETÍCIA TCC 2.pptxAPRESENTAÇÃO JENNY KELLY E LETÍCIA TCC 2.pptx
APRESENTAÇÃO JENNY KELLY E LETÍCIA TCC 2.pptx
 
APRESENTAÇÃO JENNY KELLY yo investigo.pptx
APRESENTAÇÃO JENNY KELLY yo investigo.pptxAPRESENTAÇÃO JENNY KELLY yo investigo.pptx
APRESENTAÇÃO JENNY KELLY yo investigo.pptx
 
PESQUISA NASCER NO BRASIL
PESQUISA NASCER NO BRASILPESQUISA NASCER NO BRASIL
PESQUISA NASCER NO BRASIL
 
Parto e Puerpério Matutino.pdf
Parto e Puerpério Matutino.pdfParto e Puerpério Matutino.pdf
Parto e Puerpério Matutino.pdf
 
Cuidado ao Parto e Nascimento de Risco Habitual
Cuidado ao Parto e Nascimento de Risco HabitualCuidado ao Parto e Nascimento de Risco Habitual
Cuidado ao Parto e Nascimento de Risco Habitual
 
Assegurando condições mínimas às famílias para uma atenção adequada à primeir...
Assegurando condições mínimas às famílias para uma atenção adequada à primeir...Assegurando condições mínimas às famílias para uma atenção adequada à primeir...
Assegurando condições mínimas às famílias para uma atenção adequada à primeir...
 
Rede cegonha ppt
Rede cegonha pptRede cegonha ppt
Rede cegonha ppt
 
Parto Espontâneo: por que esperar?
Parto Espontâneo: por que esperar?Parto Espontâneo: por que esperar?
Parto Espontâneo: por que esperar?
 
A Consulta Puerperal na Atenção Primária à Saúde
A Consulta Puerperal na Atenção Primária à SaúdeA Consulta Puerperal na Atenção Primária à Saúde
A Consulta Puerperal na Atenção Primária à Saúde
 
Promoção do Parto Normal na Saúde Suplementar
Promoção do Parto Normal na Saúde SuplementarPromoção do Parto Normal na Saúde Suplementar
Promoção do Parto Normal na Saúde Suplementar
 
Cesariana a pedido:desenvolvendo oferta de opções equivalentes
Cesariana a pedido:desenvolvendo oferta de opções equivalentesCesariana a pedido:desenvolvendo oferta de opções equivalentes
Cesariana a pedido:desenvolvendo oferta de opções equivalentes
 
PROCESSO DE TRABALHO EM CENTRO OBSTÉTRICO (CO)
PROCESSO DE TRABALHO EM CENTRO OBSTÉTRICO (CO)PROCESSO DE TRABALHO EM CENTRO OBSTÉTRICO (CO)
PROCESSO DE TRABALHO EM CENTRO OBSTÉTRICO (CO)
 
Gravidez parto e nascimento
Gravidez parto e nascimentoGravidez parto e nascimento
Gravidez parto e nascimento
 
Aleitamento materno e segurança alimentar
Aleitamento materno  e segurança alimentarAleitamento materno  e segurança alimentar
Aleitamento materno e segurança alimentar
 
Local de Nascimento e Enf no SUS (1).pptx
Local de Nascimento e Enf no SUS (1).pptxLocal de Nascimento e Enf no SUS (1).pptx
Local de Nascimento e Enf no SUS (1).pptx
 
Aula sobre parto seguro
Aula sobre parto seguroAula sobre parto seguro
Aula sobre parto seguro
 
Parto Seguro_0.pdf
Parto Seguro_0.pdfParto Seguro_0.pdf
Parto Seguro_0.pdf
 
Passado, Presente e Futuro das Tecnologias Reprodutivas no Brasil
Passado, Presente e Futuro das Tecnologias Reprodutivas no BrasilPassado, Presente e Futuro das Tecnologias Reprodutivas no Brasil
Passado, Presente e Futuro das Tecnologias Reprodutivas no Brasil
 
A epidemia do parto cesáreo
A epidemia do parto cesáreoA epidemia do parto cesáreo
A epidemia do parto cesáreo
 

Mais de Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)

Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 

Mais de Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz) (20)

Disbioses, Infecções Genitais e Infertilidade
Disbioses, Infecções Genitais e InfertilidadeDisbioses, Infecções Genitais e Infertilidade
Disbioses, Infecções Genitais e Infertilidade
 
Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em Pediatria
Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em PediatriaPrevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em Pediatria
Prevenção de Infecção de Sítio Cirúrgico em Pediatria
 
Ansiedade e Depressão no Climatério
Ansiedade e Depressão no ClimatérioAnsiedade e Depressão no Climatério
Ansiedade e Depressão no Climatério
 
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
Diabetes Mellitus na Gestação: estratégias de organização e hierarquização da...
 
Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?
Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?
Prevenção do Câncer de Colo: quando a colposcopia é indicada?
 
Desospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no Brasil
Desospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no BrasilDesospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no Brasil
Desospitalização de Crianças com CCC: panorama da atenção domiciliar no Brasil
 
O Pré-natal e a Promoção do Parto Normal
O Pré-natal e a Promoção do Parto NormalO Pré-natal e a Promoção do Parto Normal
O Pré-natal e a Promoção do Parto Normal
 
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
 
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
Diretriz Clínica Brasileira de Linha de Cuidado para Malformações Cirúrgicas:...
 
Diabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadas
Diabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadasDiabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadas
Diabetes Mellitus na Gestação: alterações metabólicas associadas
 
Luto Perinatal
Luto PerinatalLuto Perinatal
Luto Perinatal
 
Anafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e Manejo
Anafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e ManejoAnafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e Manejo
Anafilaxia na Infância: Apresentação Clínica e Manejo
 
Diabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e Puerpério
Diabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e PuerpérioDiabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e Puerpério
Diabetes Mellitus na Gestação: Cuidados no Parto e Puerpério
 
Retomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no Brasil
Retomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no BrasilRetomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no Brasil
Retomada da Cobertura Vacinal: Desafios e Perspectivas no Brasil
 
Cuidados com a Saúde Bucal na Gestação
Cuidados com a Saúde Bucal na GestaçãoCuidados com a Saúde Bucal na Gestação
Cuidados com a Saúde Bucal na Gestação
 
Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?
Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?
Hábitos Saudáveis e a Prevenção do Câncer de Mama: é possível?
 
Fibrose Cística: como diagnosticar?
Fibrose Cística: como diagnosticar?Fibrose Cística: como diagnosticar?
Fibrose Cística: como diagnosticar?
 
Osteogênese Imperfeita
Osteogênese ImperfeitaOsteogênese Imperfeita
Osteogênese Imperfeita
 
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natalDiabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
 
Desafios na Introdução Alimentar
Desafios na Introdução AlimentarDesafios na Introdução Alimentar
Desafios na Introdução Alimentar
 

Último

Metabolismo Celular, Respiração Celular aeróbia e anaeróbia.pdf
Metabolismo Celular, Respiração Celular aeróbia e anaeróbia.pdfMetabolismo Celular, Respiração Celular aeróbia e anaeróbia.pdf
Metabolismo Celular, Respiração Celular aeróbia e anaeróbia.pdf
MayaraStefanydaSilva1
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 

Último (8)

Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdfCrianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
 
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSÓRIAS - slide.pptx
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSÓRIAS - slide.pptxDOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSÓRIAS - slide.pptx
DOENÇAS DE NOTIFICAÇÕES COMPULSÓRIAS - slide.pptx
 
Tabela-pontos-de-corte-clinicos-BrCAST-12-abr-22.pdf
Tabela-pontos-de-corte-clinicos-BrCAST-12-abr-22.pdfTabela-pontos-de-corte-clinicos-BrCAST-12-abr-22.pdf
Tabela-pontos-de-corte-clinicos-BrCAST-12-abr-22.pdf
 
Metabolismo Celular, Respiração Celular aeróbia e anaeróbia.pdf
Metabolismo Celular, Respiração Celular aeróbia e anaeróbia.pdfMetabolismo Celular, Respiração Celular aeróbia e anaeróbia.pdf
Metabolismo Celular, Respiração Celular aeróbia e anaeróbia.pdf
 
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
 
AULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptx
AULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptxAULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptx
AULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptx
 
AULA - Fígado, vias biliares e pâncreas exócrino.pdf
AULA - Fígado, vias biliares e pâncreas exócrino.pdfAULA - Fígado, vias biliares e pâncreas exócrino.pdf
AULA - Fígado, vias biliares e pâncreas exócrino.pdf
 

DIU de cobre nas maternidades

  • 2. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br DIU DE COBRE NAS MATERNIDADES É importante garantirmos o acesso a recursos para o planejamento reprodutivo em todos os cenários de assistência à mulher, inclusive nas maternidades. A oferta de DIU de cobre nas maternidades visa reduzir a gravidez não planejada e melhorar o acesso a esse método contraceptivo.
  • 3. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br DIU DE COBRE NAS MATERNIDADES Objetivo desta apresentação Divulgar as evidências científicas sobre a inserção do DIU no pós parto e no pós aborto imediato.
  • 4. DIU DE COBRE NAS MATERNIDADES portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br Introdução • A gravidez não planejada no Brasil é elevada: 55 % • A gravidez não planejada de adolescentes é muito preocupante: 66 % (Leal, 2014) • A taxa de prevalência de contraceptivos entre mulheres de 15 a 49 anos, qualquer método, é de 80% (UNPA, 2012) • O DIU é um método conhecido pelas mulheres (87,4%), mas pouco utilizado (1,5%) (PNDS, 2008)
  • 5. DIU DE COBRE NAS MATERNIDADES portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br Características deste método contraceptivo: • Efetivo: falha semelhante ao método cirúrgico • Seguro: poucos efeitos colaterais • Não precisa de lembrança diária, mensal • Ação prolongada: anos • Reversível: fertilidade retorna após retirada Fonte: ACOG, 2017 Prevalência de uso do DIU País Percentual de uso Brasil 2% Argentina 7,5% Bolívia 8,4% Paraguai 12% Chile 19% Cuba 24% EUA 8,9% Fonte: United Nations - Population Division, 2017
  • 6. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br DIU DE COBRE NAS MATERNIDADES Desafios: • Pelo menos 50 % das mulheres, particularmente as vulneráveis, incluindo as adolescentes, não retornam à consulta puerperal, em especial para o planejamento familiar. • Ainda existem muitas barreiras ao acesso ao DIU de cobre na atenção básica. • Há oferta de DIU de cobre nas unidades básicas de saúde e maternidade? • Há profissionais treinados para a inserção de DIU de cobre? • Existem fluxos e protocolos para a inserção de DIU de cobre nos serviços de saúde? • Inserção de DIU de cobre: o acesso é fácil ou burocrático? Fonte: Gonzaga et al., 2017
  • 7. DIU DE COBRE NAS MATERNIDADES portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br Desafios a serem enfrentados para aumentar a utilização de DIU entre as mulheres Profissionais Mulheres • Atualização profissional (médico e enfermeira) para inserção do DIU • Romper com a cultura da pílula • Reconhecimento da necessidade de assistência ao planejamento reprodutivo no período da gestação, parto e abortamento, em especial com informações qualificadas sobre a possibilidade de inserção do DIU no pós parto e pós aborto imediatos • Pouco conhecimento sobre o DIU de cobre e consequente exclusão do método da lista de métodos possíveis • Esclarecimentos frágeis sobre os mitos relacionados ao DIU nos Grupos educativos e orientação individual Mitos a serem superados • Exclusão das adolescentes e das nulíparas como público-alvo (alegando risco de provocar infertilidade) • Estabelecimento de critérios equivocados para a inserção (somente se a mulher estiver menstruada Condicionamento da inserção à realização de ultrassom ou exame papanicolau • DIU é abortivo – mito que ainda persiste entre parcela da população
  • 8. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br DIU DE COBRE NAS MATERNIDADES Quem pode utilizar? Quase todas as mulheres no pós-parto (normal ou cesárea) e no pós aborto podem receber a inserção do DIU de cobre. Fonte: WHO, 2015 A contraindicação está relacionada somente a quadros de risco infeccioso e de hemorragia
  • 9. DIU DE COBRE NAS MATERNIDADES portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br DIU pós-aborto • Seguro e efetivo Efetividade alta e risco perfuração rara • Taxa de Expulsão em 6 meses: inserção imediata= 4,4 % X ambulatorial= 1,7 % • Gravidez em 6 meses: inserção imediata= 0,7% X ambulatorial= 5,5% Fonte: Okusanya, 2014
  • 10. DIU DE COBRE NAS MATERNIDADES portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br DIU no pós parto normal (taxas de expulsão) • Inserção imediata (até 10 minutos da dequitação): 9 % de expulsão em 6 meses • Inserção precoce (entre 10 minutos e 48 h): 24 % de expulsão • Inserção ambulatorial: 4 % de expulsão Fonte: Ahuja,2014
  • 11. DIU DE COBRE NAS MATERNIDADES portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br DIU na cesárea Inserção imediata na cesárea = 10,6 % taxa de expulsão em 6 meses Fonte: Çelen, 2011
  • 12. DIU DE COBRE NAS MATERNIDADES portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br Importância da inserção na maternidade • Está motivada para evitar nova gravidez • Tem certeza de não estar grávida • Estratégia para prevenção da gravidez não planejada • Não consegue retornar em consulta no puerpério Fonte: Lopez, 2015
  • 13. DIU DE COBRE NAS MATERNIDADES portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br Lista de verificação O que precisamos fazer para garantir que o DIU de cobre seja ofertado e inserido nas maternidades? Utilizar metodologias ativas para implementar o uso do DIU pós parto e pós aborto Incorporar a equipe multiprofissional na divulgação desta oferta Apoiar e capacitar as enfermeiras para inserção do DIU
  • 14. DIU DE COBRE NAS MATERNIDADES portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br Recomendações • A inserção regular do DIU de cobre no pós-parto e no pós-aborto é uma excelente estratégia para reduzir a gravidez não planejada e melhorar os indicadores de mortalidade materna e infantil • Existem evidências científicas de que os gestores e profissionais devem implementar esta ação • Os serviços podem utilizar a lista de verificação para superar as barreiras de acesso a este método nas maternidades Fonte: Çelen, 2011
  • 15. portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br DIU DE COBRE NAS MATERNIDADES Referências bibliográficas • Leal, Maria do Carmo; Pereira, Ana Paula Esteves; Domingues, Rosa Maria Soares Madeira; Filha, Mariza Miranda Theme; Dias, Marcos Augusto Bastos;Nakamura-Pereira, Marcos; Bastos, Maria Helena; Gama, Silvana Granado Nogueira da. Intervenções obstétricas durante o trabalho de parto e parto em mulheres brasileiras de risco habitual. Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz. Cad Saude Publica; 30(supl.1): S17-S32, 08/2014. tab • ONU. Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA). Por escolha não por acaso: planejamento familiar, direitos humanos e desenvolvimento, SWOP 2012. • BRASIL.Ministério da Saúde. PNDS 2006 Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde da Criança e da Mulher, Relatório. 2008. Brasília. • ACOG. Practice Bulletin No. 186 Summary: Long-Acting Reversible Contraception: Implants and Intrauterine Devices. Obstetrics & Gynecology 2017; 130(5): 1173–1175. • GONZAGA, Vanderléa Aparecida Silva et al . Barreiras organizacionais para disponibilização e inserção do dispositivo intrauterino nos serviços de atenção básica à saúde. Rev. esc. enferm. USP, São Paulo , v. 51, e03270, 2017. • WHO - World Health Organization. Medical eligibility criteria for contraceptive use. 5ª ed. 2015 • ONU. Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA). MUNDOS DISTANTES Saúde e direitos reprodutivos em uma era de desigualdade. SWOP, 2017. • Okusanya, Babasola O; Oduwole, Olabisi; Effa, Emmanuel E. Immediate post abortal insertion of intrauterine devices. Cochrane Database Syst Rev; (7): CD001777, 2014 Jul 28. • Ahuja R, Rahtore A. Continuation rates of postpartum intrauterine contraceptive device (IUCD) insertion: randomised trial of post placental versus immediate postpartum insertion (conference abstract). BJOG: An. International Journal of Obstetrics and Gynaecology 2014;121. (Suppl s2):1–2. • Çelen Ş, Sucak A, Yıldız Y, Danışman N. Immediate postplacental insertion of an intrauterine contraceptive device during cesarean section. Contraception. 2011. Sep;84(3):240-3. doi: 10.1016/j.contraception.2011.01.006. Epub 2011 Feb 21. PubMed PMID: 21843687. • Lopez LM, Bernholc A, Hubacher D, Stuart G, Van Vliet HA. Immediate postpartum insertion of intrauterine device for contraception. Cochrane Database Syst Rev. 2015 Jun 26;(6):CD003036. doi: 10.1002/14651858.CD003036.pub3. Review. PubMed PMID: 26115018.
  • 16. ATENÇÃO ÀS MULHERES portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br Material de 19 de março de 2018 Disponível em: portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br Eixo: Atenção às Mulheres Aprofunde seus conhecimentos acessando artigos disponíveis na biblioteca do Portal. DIU DE COBRE NAS MATERNIDADES