SlideShare uma empresa Scribd logo
AAmméérriiccaa LLaattiinnaa:: 
História e Conflito 
PPrrooffª IIssaabbeell AAgguuiiaarr
DITADURAS NA AMÉRICA LATINA
AA AAmméérriiccaa LLaattiinnaa 
A América Latina compreende 
todos os países do continente 
americano que falam espanhol, 
português ou francês, bem como 
outros idiomas derivados do latim. 
Compreende a quase totalidade da 
América do Sul. 
A América Latina engloba 20 países: 
Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, 
Colômbia, Costa Rica, Cuba, Equador, 
El Salvador, Guatemala, Haiti, Honduras 
, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, 
Peru, República Dominicana, Uruguai e 
Venezuela. Ainda na América Latina 
existem mais 11 territórios que não são 
independentes e portanto não podem ser 
considerados países.
América LLaattiinnaa:: CCrreesscciimmeennttoo?? 
 Nas décadas de 60 e 70, os países latino-americanos 
procuraram libertar-se da sua 
extrema dependência face aos produtos 
manufaturados estrangeiros. 
 Encetaram, então, uma política industrial 
protecionista com vista à substituição das 
importações. 
 Orientado pelo Estado, este fomento dos 
setores industriais realizou-se com 
recurso a avultados empréstimos 
contraídos junto dos organismos 
financeiros internacionais.
AAmméérriiccaa LLaattiinnaa:: IInnvveessttiimmeennttoo 
 Os investimentos, devido à sua dimensão, 
assim como, a alguns problemas de má 
gestão levaram a uma situação caótica a 
nível econômico: a dificuldade em pagar. 
Os anos 80 e a crise mundial dificultaram 
ainda mais a situação. 
 Em 1982 o México declarou-se 
insolvente(sem condições de quitar 
dívidas). A consequência foi a rigidez por 
parte dos novos prazos e novas 
condições dos credores. Os países 
endividados iniciaram um processo duro 
de redução das despesas, fins de 
subsídios e outros mecanismos que 
levaram muitas vezes à revolta popular.
Com Dilma, economia do país cresce no 
menor ritmo desde Collor
Collor, Sarney, Lula, Dilma e FHC
SALVADOR ALLEND 
• Salvador Allende Gossens 
foi um médico e 
político marxista chileno. 
• Fundador do Partido 
Socialista, governou seu país de 
1970 a 1973, quando foi deposto por 
um golpe de estado liderado por seu chefe 
das Forças Armadas, Augusto Pinochet
COMO FOI O GOV ALLEND? 
• De família rica 
• Médico 
• Socialista 
• Enfrentou oposição dos EUA em seu governo 
• Participou da fundação do Partido Socialista chileno em 1933 
• Elegeu-se deputado em 1937 
• Foi Ministro da Saúde – 1939-1942 
• Secretário geral do partido socialista 1943 
• Eleito senador 1945 
• Concorreu a presidência da república chilena 4 vezes ( 1952-1958-1964) 
• Eleito em 1970 pela coalisão Unidade Popular 
• Nacionalizou minas de cobre 
• Fez reforma agrária 
• Doação de terras a cooperativas de camponeses 
• Aumentou os salários 
• A economia enfraqueceu 
• Descontentamento da classe média, alta e países vizinhos(que viviam 
ditaduras de direita) 
• Pinochet deu golpe militar 
• Allend apareceu morto ( suicídio?) – 11 de setembro de 1973
AAmméérriiccaa LLaattiinnaa:: CChhiillee -- 
PPiinnoocchheett 
 Em 1973, Pinochet torna-se 
comandante-chefe do 
Exército chileno. 
 Embora tivesse declarado 
fidelidade ao presidente 
eleito de esquerda 
Salvador Allende, o 
general Pinochet, até 
então considerado um 
general leal e apolítico, 
chefiou a junta militar que 
tomou o poder através de 
um golpe militar.
AAmméérriiccaa LLaattiinnaa:: PPiinnoocchheett 
 Já em 1978 assistiu-se a 
um dos anos mais críticos 
para o Governo de 
Pinochet, com os EUA a 
condenar veementemente 
a politica autoritária e 
opressora dos direitos 
civis chilenos. 
 O regime militar chileno 
comandado pelo governo 
de Pinochet permitiu o 
livre ingresso de capital 
estrangeiro no país e um 
importante processo de 
liberalização econômico 
do país, o que possibilitou 
um considerável avanço 
econômico durante a 
década de 70.
AAmméérriiccaa LLaattiinnaa:: PPiinnoocchheett 
 Este esforço de apoio ao "mercado livre" e à 
desregulamentação da economia teve como 
grande impulsionador um grupo de economistas 
da Universidade de Chicago, que tinham como 
grande mentor o famoso economista norte-americano 
Milton Friedman, sendo, então, 
denominados por Chicago Boys. 
 Dado o enorme sucesso das politicas 
implementadas, os seus apoiantes lhe deram o 
título de "O milagre chileno" para caracterizar o 
período vivido. 
 Contudo, a crise econômica de 1981 e as suas 
avultadas complicações, com elevadas taxas de 
desemprego e uma balança comercial deficitária, 
proporcionaram uma crescente onda de 
contestação contra o regime de Pinochet.
Ditaduras na america latina
AAmméérriiccaa LLaattiinnaa:: PPiinnoocchheett 
 Augusto Pinochet governou o país com mão de ferro por 17 anos 
 perdeu o controle quase absoluto que detinha sobre as instituições 
chilenas 
 detinha a imunidade (por ser senador vitalício), passando a temer 
eventuais investigações e processos judiciais movidos pelos seus 
adversários políticos, ora transformados pela nova situação de 
perseguidos em perseguidores. 
 Ao todo, o ex-presidente chileno enfrentou uma dezena de processos 
judiciais, sendo que para cada um deles os juízes tiveram que obter 
o levantamento da imunidade de que gozava Pinochet graças à sua 
condição de ex-chefe de Estado, além de terem de provar as suas 
condições de saúde para poder enfrentar os processos.
O FIM DE PINOCHET 
• O general Augusto Pinochet 
Governou o Chile de 1973-1990. 
Morreu em 2010 aos 91 anos 
• Os chilenos saíram as ruas para 
Festejar. 
• Muitas vítimas do regime 
Pinochet abriram garrafas de 
champagne. 
Em 17 anos de governo, Pinochet 
Foi responsável por mais de 2 mil 
assassinatos e desaparecimentos 
27,5 mil pessoas torturadas 
Fonte: relatórios oficiais
AAmméérriiccaa LLaattiinnaa:: OOEEAA 
 
A Organização dos Estados 
Americanos (OEA) aproxima as 
nações do Hemisfério Ocidental 
com vistas a fortalecer 
mutuamente os Valores 
Democráticos, defender 
interesses comuns e debater um 
grande número de temas 
regionais e mundiais. A OEA é o 
principal Fórum Multilateral do 
Hemisfério para o fortalecimento 
da Democracia, bem como para 
a Promoção dos Direitos 
Humanos e para a discussão de 
problemas comuns, tais como: 
Pobreza, Terrorismo, Drogas e 
Corrupção. A OEA possui um 
papel central no cumprimento 
dos mandatos estabelecidos 
pelos líderes do hemisfério, por 
meio da Cúpula das Américas.
NICARÁGUA SANDINISTA 
NICARÁGUA – CAPITAL : MANÁGUA
Daniel Ortega e Augusto Sandino: dois nomes das 
lutas sociais estabelecidas na Nicarágua
 EM 1978 APÓS UMA GUERRA CIVIL E A 
MORTE DO JORNALISTA PEDRO CHAMORRO 
(CONTRA A DITADURA) 
 A FRENTE SANDINISTA TOMA CONTA DO 
PAÍS E DOMINA O PALÁCIO NACIONAL DE 
MANÁGUA - CAPITAL DO PAÍS 
 DANIEL ORTEGA CHEGA AO PODER - 
SANDINISTA 
 APROXIMARAM-SE DOS SOCIALISTA 
 ISSO INCOMODOU OS CAPITALISTAS 
 1981 – SURGE UMA AÇÃO CONTRA-REVOLUCIONÁRIA
 A OPOSIÇÃO AOS SANDINISTAS – OS 
CONTRAS – TIVERAM APOIO DOS EUA E 
DOS CATÓLICOS 
 ANOS DE 1980 – CRISE NA NICARÁGUA 
 1990 – SANDINISTAS PERDEM ELEIÇÃO 
 É ELEITO VIOLETA CHAMORRO – OPOSIÇÃO 
 OS PROBLEMAS PERMANECEM 
 EM 2007 DANIEL ORTEGA VOLTA AO PODER 
COM APOIO DOS EUA
DANIEL ORTEGAS 
HOJE, O LÍDER 
DA REVOLUÇÃO 
DE 1979 ENFRENTA 
ATRASO 
TECNOLÓGICO, 
INFLAÇÃO, 
DESEMPREGO E 
DÍVIDA EXTERNA 
NA NICARÁGUA
DITADURA NA ARGENTINA 1966-1973 
 GOLPE DE ESTADO MILITAR 
 UM DOS GOV. MAIS AUTORITÁRIO DA AMÉRICA 
LATINA NO SEC. XX 
 CONTEXTO:GUERRA FRIA 
 DISCURSO: COMBATER OS MALES DO COMUNISMO 
 O PRESID. ARTUR ILLIA DEPOSTO – 1966 
 7 ANOS DE DITADURA E ATROCIDADES 
 ENTRA EM VIGOR: ESTATURO DA REVOLUÇÃO 
ARGENTINA – LEGALIZANDO O GOLPE 
 INTUITO: PERMANECER NO PODER PARA SANAR OS 
PROBLEMAS DA ARGENTINA 
 NOVA CONSTITUIÇÃO
NOVA CONSTITUIÇÃO 
PROIBIÇÃO DE PARTIDOS 
POLÍTICOS 
PROIBIÇÃO DE DIREITOS 
CIVIS,SOCIAIS E POLÍTICOS 
ESTADO DE SÍTIO
GENERAIS ARGENTINOS 
General 
Juan Carlos Onganía 
JUNHO 1966 - JUNHO 1970
General Roberto Marcelo Levingston 
JUNHO 1970 – MARÇO 1971
general Alejandro Agustín Lanusse. 
Março 1971 – maio 1973
O governo dos generais 
 Juan Carlos Onganía governou de 1966 a 1970 e entregou 
o poder debilitado por conta de protestos. 
 Em seu lugar, a Junta de Comandantes em Chefe das 
forças armadas assumiram o governo do país e decidiram 
pela indicação do general Roberto Marcelo Levingston 
para a presidência. 
 Levingston era um desconhecido militar e governou a 
Argentina até 1971 pela incapacidade de controlar a 
situação política, econômica e social do país. 
 Em seu lugar entrou o homem forte da ditadura, o general 
Alejandro Augustín Lanusse. Este governou entre 1971 e 
1973, sua gestão que foi empenhada em obras de infra-estrutura 
nacional era vista com desgosto da população.
PERÓN NÃO SE ELEGE 
 As crescentes manifestações populares causaram as eleições 
para novo presidente na Argentina em 1973. 
 A população queria Perón no governo do país, mas o candidato 
do povo foi barrado pelo então presidente militar que alterou as 
leis eleitorais da constituição de forma que barrasse sua 
candidatura. 
 Impossibilitado de ser eleito, Perón e o povo passaram a defender 
a candidatura de Hector José Cámpora, que saiu vitorioso no 
pleito.
 O período da Ditadura Militar na Argentina foi cruel e sangrento, a 
estimativa é de que aproximadamente 30 mil argentinos foram 
sequestrados pelos militares. 
 Os opositores que conseguiam se salvar fugiam do país, o que 
representa aproximadamente 2,5 milhões de argentinos. 
 Os militares alegam que mataram “apenas” oito mil civis, sendo 
que métodos tenebrosos de torturas e assassinatos foram 
utilizados pelos representantes do poder. 
 O governo autoritário deixou marcas na Argentina mesmo após a 
ditadura, com a democracia poucos presidentes conseguiram 
concluir seus mandatos por causa da grande instabilidade 
econômica e social.
Ditaduras na america latina
AGORA É COM VOCÊ! 
PESQUISE SOBRE O EVENTO: “ AS MÃES DA PRAÇA DE MAIOR” 
QUE OCORREU NA ARGENTINA
Mães da Praça de Maio 
 são mulheres que se reúnem na Praça de Maio, Buenos 
Aires, para exigirem notícias de seus 
filhos desaparecidos durante a ditadura 
militar na Argentina (1976-1983) 
 Alguns pais, considerados subversivos, tiveram seus filhos 
retirados de sua guarda e colocados para 
a adoção durante os cinco anos de ditadura. 
 Quando acabou a ditadura, muitos filhos estavam sob 
guarda de famílias de militares 
 Ainda hoje, todas as quintas-feiras, as mães realizam 
manifestações na Praça de Maio, em frente à Casa 
Rosada, buscando manter o desaparecimento de seus 
filhos vivo na memória de todos os argentinos.
Ditaduras na america latina
DITADURA NO PERU 
General Juan Velasco Alvarado - 1968 - 1975
CARACTERÍSTICAS 
Discurso nacionalista e imperialista 
Reforma agrária 
Deu condições para aumentar o 
consumo no país favorecendo a 
burguesia nacional e internacional. 
Eliminou oligarquias 
Mudou o poder para a burguesia 
Sindicalização 
Poder do Estado na economia
FIM DO PERUANISMO 
INFLAÇÃO 
CRISE FINANCEIRA 
Repressão interna 
Interesses do FMI 
Crise 
Desemprego e miséria
SENDERO LUMINOSO - 1980 
Grupo de guerrilha peruano criado 
durante os anos 60 
Ideias maoístas 
Formado por intelectuais 
Líder: Abimael Guzmán prof ڍ de 
Filosofia na Universidade de 
Ayacucho 
Sendero Luminoso = caminho 
iluminado
Abimael Guzmán 
O nome completo da facção é 
Partido Comunista do Peru – 
Sendero Luminoso (PCP-SL).
Objetivos 
Acabar com as instituições 
capitalistas e burguesas do Peru 
por meio de uma revolução 
comunista liderada pelos 
camponeses - os filhos dos 
camponeses e índios 
Ao lado das FARC, Forças Armadas 
Revolucionárias da Colômbia, o 
Sendero Luminoso é considerado 
um dos maiores grupos de guerrilha 
organizado da América do Sul.
PESQUISA 
FARC, Forças Armadas 
Revolucionárias da Colômbia
Movimento Revolucionário Tupac 
Amaru (1984)
CARACTERÍSTICAS 
 Tupac Amaru foi o último líder indígena 
do império Inca no moderno Peru 
Movimento Terrorista 
Grupo guerrilheiro de esquerda 
Baseado em outros grupos 
revolucionários da América Latina 
Atualmente o movimento está 
apagado -

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Janio quadros e joão goulart
Janio quadros e joão goulartJanio quadros e joão goulart
Janio quadros e joão goulart
harlissoncarvalho
 
O Governo JK
O Governo JKO Governo JK
O Governo JK
liveofwarrior
 
Revoltas na República Velha
Revoltas na República VelhaRevoltas na República Velha
Revoltas na República Velha
Edenilson Morais
 
Redemocratização brasil
Redemocratização brasilRedemocratização brasil
Redemocratização brasil
Fabiana Tonsis
 
Descolonização africana
Descolonização africanaDescolonização africana
Descolonização africana
Camila Brito
 
Ditadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no BrasilDitadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no Brasil
Emanuel Leite
 
O golpe de 1964
O golpe de 1964O golpe de 1964
O golpe de 1964
Edenilson Morais
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
Fatima Freitas
 
A Redemocratização do Brasil
A Redemocratização do BrasilA Redemocratização do Brasil
A Redemocratização do Brasil
Alex Ferreira dos Santos
 
República Velha (1889-1930) - Primeira Parte
República Velha (1889-1930) - Primeira ParteRepública Velha (1889-1930) - Primeira Parte
República Velha (1889-1930) - Primeira Parte
Valéria Shoujofan
 
Período Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda GuerraPeríodo Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda Guerra
Douglas Barraqui
 
9º ano história rafa - era vargas
9º ano   história   rafa  - era vargas9º ano   história   rafa  - era vargas
9º ano história rafa - era vargas
Rafael Noronha
 
3° ano República da Espada
3° ano   República da Espada3° ano   República da Espada
3° ano República da Espada
Daniel Alves Bronstrup
 
Nova República
Nova RepúblicaNova República
Nova República
Elaine Bogo Pavani
 
O governo João Goulart (1961-1964)
O governo João Goulart (1961-1964)O governo João Goulart (1961-1964)
O governo João Goulart (1961-1964)
Edenilson Morais
 
O governo Jânio Quadros (1961)
O governo Jânio Quadros (1961)O governo Jânio Quadros (1961)
O governo Jânio Quadros (1961)
Edenilson Morais
 
Crise de 1929
Crise de 1929Crise de 1929
Crise de 1929
Fabiana Tonsis
 
República Oligárquica
República OligárquicaRepública Oligárquica
República Oligárquica
Portal do Vestibulando
 
O segundo governo vargas
O segundo governo vargasO segundo governo vargas
O segundo governo vargas
Edenilson Morais
 
Ditadura Militar (1964-1985)
Ditadura Militar (1964-1985)Ditadura Militar (1964-1985)
Ditadura Militar (1964-1985)
Edenilson Morais
 

Mais procurados (20)

Janio quadros e joão goulart
Janio quadros e joão goulartJanio quadros e joão goulart
Janio quadros e joão goulart
 
O Governo JK
O Governo JKO Governo JK
O Governo JK
 
Revoltas na República Velha
Revoltas na República VelhaRevoltas na República Velha
Revoltas na República Velha
 
Redemocratização brasil
Redemocratização brasilRedemocratização brasil
Redemocratização brasil
 
Descolonização africana
Descolonização africanaDescolonização africana
Descolonização africana
 
Ditadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no BrasilDitadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no Brasil
 
O golpe de 1964
O golpe de 1964O golpe de 1964
O golpe de 1964
 
Era vargas
Era vargasEra vargas
Era vargas
 
A Redemocratização do Brasil
A Redemocratização do BrasilA Redemocratização do Brasil
A Redemocratização do Brasil
 
República Velha (1889-1930) - Primeira Parte
República Velha (1889-1930) - Primeira ParteRepública Velha (1889-1930) - Primeira Parte
República Velha (1889-1930) - Primeira Parte
 
Período Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda GuerraPeríodo Entre Guerras e Segunda Guerra
Período Entre Guerras e Segunda Guerra
 
9º ano história rafa - era vargas
9º ano   história   rafa  - era vargas9º ano   história   rafa  - era vargas
9º ano história rafa - era vargas
 
3° ano República da Espada
3° ano   República da Espada3° ano   República da Espada
3° ano República da Espada
 
Nova República
Nova RepúblicaNova República
Nova República
 
O governo João Goulart (1961-1964)
O governo João Goulart (1961-1964)O governo João Goulart (1961-1964)
O governo João Goulart (1961-1964)
 
O governo Jânio Quadros (1961)
O governo Jânio Quadros (1961)O governo Jânio Quadros (1961)
O governo Jânio Quadros (1961)
 
Crise de 1929
Crise de 1929Crise de 1929
Crise de 1929
 
República Oligárquica
República OligárquicaRepública Oligárquica
República Oligárquica
 
O segundo governo vargas
O segundo governo vargasO segundo governo vargas
O segundo governo vargas
 
Ditadura Militar (1964-1985)
Ditadura Militar (1964-1985)Ditadura Militar (1964-1985)
Ditadura Militar (1964-1985)
 

Semelhante a Ditaduras na america latina

Trab. Historia
Trab. HistoriaTrab. Historia
Trab. Historia
Emerson Frusciante
 
América latina no século xx
América latina no século xxAmérica latina no século xx
América latina no século xx
harlissoncarvalho
 
América Latina
América LatinaAmérica Latina
América Latina
João Lima
 
Ditadura chilena e a redemocratização
Ditadura chilena e a redemocratizaçãoDitadura chilena e a redemocratização
Ditadura chilena e a redemocratização
soniawanderley
 
Apresentação ditadura e violencia na américa latina...
Apresentação ditadura e violencia na américa latina...Apresentação ditadura e violencia na américa latina...
Apresentação ditadura e violencia na américa latina...
Douglas Lima
 
Guerra Fria e as Ditaduras na América Latina
Guerra Fria e as Ditaduras na América LatinaGuerra Fria e as Ditaduras na América Latina
Guerra Fria e as Ditaduras na América Latina
eiprofessor
 
Correção de Exercício Objetivo América Latina no século XX - Copia.pptx
Correção de Exercício Objetivo América Latina no século XX - Copia.pptxCorreção de Exercício Objetivo América Latina no século XX - Copia.pptx
Correção de Exercício Objetivo América Latina no século XX - Copia.pptx
DEUSIMAR SANTANA DE ROSA
 
REVISÃO 3º ANO ENSINO MÉDIO
REVISÃO 3º ANO ENSINO MÉDIOREVISÃO 3º ANO ENSINO MÉDIO
REVISÃO 3º ANO ENSINO MÉDIO
Acrópole - História & Educação
 
Aula 25 o mundo contemporâneo
Aula 25   o mundo contemporâneoAula 25   o mundo contemporâneo
Aula 25 o mundo contemporâneo
Jonatas Carlos
 
Trabalho_história_materia.pptx
Trabalho_história_materia.pptxTrabalho_história_materia.pptx
Trabalho_história_materia.pptx
AnaPedrinho
 
As ditaduras militares na américa latina
As ditaduras militares na américa latinaAs ditaduras militares na américa latina
As ditaduras militares na américa latina
Wilton Moretto
 
Brasil república populista 1946 a 1964 - pdf
Brasil república populista   1946 a 1964 - pdfBrasil república populista   1946 a 1964 - pdf
Brasil república populista 1946 a 1964 - pdf
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
2013 independência da américa espanhola
2013 independência da américa espanhola2013 independência da américa espanhola
2013 independência da américa espanhola
MARIANO C7S
 
16
1616
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASILBRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
Diego Bian Filo Moreira
 
AMÉRICA LATINA_8 ano_cap.06.pptx
AMÉRICA LATINA_8 ano_cap.06.pptxAMÉRICA LATINA_8 ano_cap.06.pptx
AMÉRICA LATINA_8 ano_cap.06.pptx
ANDRESYPIMENTELCOSTA
 
América latina no séc xx
América latina no séc xxAmérica latina no séc xx
América latina no séc xx
Joyce Lourenço
 
Hist doc 9.4
Hist doc 9.4Hist doc 9.4
Hist doc 9.4
bleckmouth
 
Ditadura militar e direitos humanos
Ditadura militar e direitos humanosDitadura militar e direitos humanos
Ditadura militar e direitos humanos
dinicmax
 
Ditadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no BrasilDitadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no Brasil
João Gonçalves Macedo
 

Semelhante a Ditaduras na america latina (20)

Trab. Historia
Trab. HistoriaTrab. Historia
Trab. Historia
 
América latina no século xx
América latina no século xxAmérica latina no século xx
América latina no século xx
 
América Latina
América LatinaAmérica Latina
América Latina
 
Ditadura chilena e a redemocratização
Ditadura chilena e a redemocratizaçãoDitadura chilena e a redemocratização
Ditadura chilena e a redemocratização
 
Apresentação ditadura e violencia na américa latina...
Apresentação ditadura e violencia na américa latina...Apresentação ditadura e violencia na américa latina...
Apresentação ditadura e violencia na américa latina...
 
Guerra Fria e as Ditaduras na América Latina
Guerra Fria e as Ditaduras na América LatinaGuerra Fria e as Ditaduras na América Latina
Guerra Fria e as Ditaduras na América Latina
 
Correção de Exercício Objetivo América Latina no século XX - Copia.pptx
Correção de Exercício Objetivo América Latina no século XX - Copia.pptxCorreção de Exercício Objetivo América Latina no século XX - Copia.pptx
Correção de Exercício Objetivo América Latina no século XX - Copia.pptx
 
REVISÃO 3º ANO ENSINO MÉDIO
REVISÃO 3º ANO ENSINO MÉDIOREVISÃO 3º ANO ENSINO MÉDIO
REVISÃO 3º ANO ENSINO MÉDIO
 
Aula 25 o mundo contemporâneo
Aula 25   o mundo contemporâneoAula 25   o mundo contemporâneo
Aula 25 o mundo contemporâneo
 
Trabalho_história_materia.pptx
Trabalho_história_materia.pptxTrabalho_história_materia.pptx
Trabalho_história_materia.pptx
 
As ditaduras militares na américa latina
As ditaduras militares na américa latinaAs ditaduras militares na américa latina
As ditaduras militares na américa latina
 
Brasil república populista 1946 a 1964 - pdf
Brasil república populista   1946 a 1964 - pdfBrasil república populista   1946 a 1964 - pdf
Brasil república populista 1946 a 1964 - pdf
 
2013 independência da américa espanhola
2013 independência da américa espanhola2013 independência da américa espanhola
2013 independência da américa espanhola
 
16
1616
16
 
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASILBRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
 
AMÉRICA LATINA_8 ano_cap.06.pptx
AMÉRICA LATINA_8 ano_cap.06.pptxAMÉRICA LATINA_8 ano_cap.06.pptx
AMÉRICA LATINA_8 ano_cap.06.pptx
 
América latina no séc xx
América latina no séc xxAmérica latina no séc xx
América latina no séc xx
 
Hist doc 9.4
Hist doc 9.4Hist doc 9.4
Hist doc 9.4
 
Ditadura militar e direitos humanos
Ditadura militar e direitos humanosDitadura militar e direitos humanos
Ditadura militar e direitos humanos
 
Ditadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no BrasilDitadura Militar no Brasil
Ditadura Militar no Brasil
 

Mais de Isabel Aguiar

Astecas, Maias, Incas e Tupis
Astecas, Maias, Incas e TupisAstecas, Maias, Incas e Tupis
Astecas, Maias, Incas e Tupis
Isabel Aguiar
 
A GUERRA FRIA
A GUERRA FRIAA GUERRA FRIA
A GUERRA FRIA
Isabel Aguiar
 
Guerra Fria
Guerra FriaGuerra Fria
Guerra Fria
Isabel Aguiar
 
A marcha da colonização da América Portuguesa
A marcha da colonização da América PortuguesaA marcha da colonização da América Portuguesa
A marcha da colonização da América Portuguesa
Isabel Aguiar
 
EUA E EUROPA NO SÉCULO XIX
EUA E EUROPA NO SÉCULO  XIXEUA E EUROPA NO SÉCULO  XIX
EUA E EUROPA NO SÉCULO XIX
Isabel Aguiar
 
Eua séc XIX
Eua séc XIXEua séc XIX
Eua séc XIX
Isabel Aguiar
 
SEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAI
SEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAISEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAI
SEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAI
Isabel Aguiar
 
REGÊNCIA NO BRASIL
REGÊNCIA NO BRASILREGÊNCIA NO BRASIL
REGÊNCIA NO BRASIL
Isabel Aguiar
 
Quiz Historia
Quiz Historia Quiz Historia
Quiz Historia
Isabel Aguiar
 
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASILEMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
Isabel Aguiar
 
SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
SEGUNDA GUERRA MUNDIALSEGUNDA GUERRA MUNDIAL
SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
Isabel Aguiar
 
INDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLA
INDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLAINDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLA
INDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLA
Isabel Aguiar
 
Revolução Francesa e Era Napoleonica
Revolução Francesa e Era NapoleonicaRevolução Francesa e Era Napoleonica
Revolução Francesa e Era Napoleonica
Isabel Aguiar
 
INDEPENDÊNCIA DOS EUA
INDEPENDÊNCIA DOS EUAINDEPENDÊNCIA DOS EUA
INDEPENDÊNCIA DOS EUA
Isabel Aguiar
 
ILUMINISMO SÉCULO XVIII
ILUMINISMO SÉCULO XVIIIILUMINISMO SÉCULO XVIII
ILUMINISMO SÉCULO XVIII
Isabel Aguiar
 
Slide pre historia ester torres 6 ano
Slide pre historia ester torres 6 anoSlide pre historia ester torres 6 ano
Slide pre historia ester torres 6 ano
Isabel Aguiar
 
Slide pedro 6 ano pre historia
Slide pedro 6 ano pre historiaSlide pedro 6 ano pre historia
Slide pedro 6 ano pre historia
Isabel Aguiar
 
AFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASILAFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASIL
Isabel Aguiar
 
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIALA SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
Isabel Aguiar
 
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
Isabel Aguiar
 

Mais de Isabel Aguiar (20)

Astecas, Maias, Incas e Tupis
Astecas, Maias, Incas e TupisAstecas, Maias, Incas e Tupis
Astecas, Maias, Incas e Tupis
 
A GUERRA FRIA
A GUERRA FRIAA GUERRA FRIA
A GUERRA FRIA
 
Guerra Fria
Guerra FriaGuerra Fria
Guerra Fria
 
A marcha da colonização da América Portuguesa
A marcha da colonização da América PortuguesaA marcha da colonização da América Portuguesa
A marcha da colonização da América Portuguesa
 
EUA E EUROPA NO SÉCULO XIX
EUA E EUROPA NO SÉCULO  XIXEUA E EUROPA NO SÉCULO  XIX
EUA E EUROPA NO SÉCULO XIX
 
Eua séc XIX
Eua séc XIXEua séc XIX
Eua séc XIX
 
SEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAI
SEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAISEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAI
SEGUNDO REINADO E GUERRA DO PARAGUAI
 
REGÊNCIA NO BRASIL
REGÊNCIA NO BRASILREGÊNCIA NO BRASIL
REGÊNCIA NO BRASIL
 
Quiz Historia
Quiz Historia Quiz Historia
Quiz Historia
 
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASILEMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
EMANCIPAÇÃO POLÍTICA DO BRASIL
 
SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
SEGUNDA GUERRA MUNDIALSEGUNDA GUERRA MUNDIAL
SEGUNDA GUERRA MUNDIAL
 
INDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLA
INDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLAINDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLA
INDEPENDÊNCIA DO HAITI E AMÉRICA ESPANHOLA
 
Revolução Francesa e Era Napoleonica
Revolução Francesa e Era NapoleonicaRevolução Francesa e Era Napoleonica
Revolução Francesa e Era Napoleonica
 
INDEPENDÊNCIA DOS EUA
INDEPENDÊNCIA DOS EUAINDEPENDÊNCIA DOS EUA
INDEPENDÊNCIA DOS EUA
 
ILUMINISMO SÉCULO XVIII
ILUMINISMO SÉCULO XVIIIILUMINISMO SÉCULO XVIII
ILUMINISMO SÉCULO XVIII
 
Slide pre historia ester torres 6 ano
Slide pre historia ester torres 6 anoSlide pre historia ester torres 6 ano
Slide pre historia ester torres 6 ano
 
Slide pedro 6 ano pre historia
Slide pedro 6 ano pre historiaSlide pedro 6 ano pre historia
Slide pedro 6 ano pre historia
 
AFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASILAFRICANOS NO BRASIL
AFRICANOS NO BRASIL
 
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIALA SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
A SOCIEDADE MINERADORA NO BRASIL COLONIAL
 
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
INDEPENDÊNCIAS NA AMÉRICA
 

Último

Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdfPlano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Falcão Brasil
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdfSistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Falcão Brasil
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdfPlano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
Plano Estratégico Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de ...
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdfSistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras - SISFRON.pdf
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 

Ditaduras na america latina

  • 1. AAmméérriiccaa LLaattiinnaa:: História e Conflito PPrrooffª IIssaabbeell AAgguuiiaarr
  • 3. AA AAmméérriiccaa LLaattiinnaa A América Latina compreende todos os países do continente americano que falam espanhol, português ou francês, bem como outros idiomas derivados do latim. Compreende a quase totalidade da América do Sul. A América Latina engloba 20 países: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Equador, El Salvador, Guatemala, Haiti, Honduras , México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, República Dominicana, Uruguai e Venezuela. Ainda na América Latina existem mais 11 territórios que não são independentes e portanto não podem ser considerados países.
  • 4. América LLaattiinnaa:: CCrreesscciimmeennttoo??  Nas décadas de 60 e 70, os países latino-americanos procuraram libertar-se da sua extrema dependência face aos produtos manufaturados estrangeiros.  Encetaram, então, uma política industrial protecionista com vista à substituição das importações.  Orientado pelo Estado, este fomento dos setores industriais realizou-se com recurso a avultados empréstimos contraídos junto dos organismos financeiros internacionais.
  • 5. AAmméérriiccaa LLaattiinnaa:: IInnvveessttiimmeennttoo  Os investimentos, devido à sua dimensão, assim como, a alguns problemas de má gestão levaram a uma situação caótica a nível econômico: a dificuldade em pagar. Os anos 80 e a crise mundial dificultaram ainda mais a situação.  Em 1982 o México declarou-se insolvente(sem condições de quitar dívidas). A consequência foi a rigidez por parte dos novos prazos e novas condições dos credores. Os países endividados iniciaram um processo duro de redução das despesas, fins de subsídios e outros mecanismos que levaram muitas vezes à revolta popular.
  • 6. Com Dilma, economia do país cresce no menor ritmo desde Collor
  • 7. Collor, Sarney, Lula, Dilma e FHC
  • 8. SALVADOR ALLEND • Salvador Allende Gossens foi um médico e político marxista chileno. • Fundador do Partido Socialista, governou seu país de 1970 a 1973, quando foi deposto por um golpe de estado liderado por seu chefe das Forças Armadas, Augusto Pinochet
  • 9. COMO FOI O GOV ALLEND? • De família rica • Médico • Socialista • Enfrentou oposição dos EUA em seu governo • Participou da fundação do Partido Socialista chileno em 1933 • Elegeu-se deputado em 1937 • Foi Ministro da Saúde – 1939-1942 • Secretário geral do partido socialista 1943 • Eleito senador 1945 • Concorreu a presidência da república chilena 4 vezes ( 1952-1958-1964) • Eleito em 1970 pela coalisão Unidade Popular • Nacionalizou minas de cobre • Fez reforma agrária • Doação de terras a cooperativas de camponeses • Aumentou os salários • A economia enfraqueceu • Descontentamento da classe média, alta e países vizinhos(que viviam ditaduras de direita) • Pinochet deu golpe militar • Allend apareceu morto ( suicídio?) – 11 de setembro de 1973
  • 10. AAmméérriiccaa LLaattiinnaa:: CChhiillee -- PPiinnoocchheett  Em 1973, Pinochet torna-se comandante-chefe do Exército chileno.  Embora tivesse declarado fidelidade ao presidente eleito de esquerda Salvador Allende, o general Pinochet, até então considerado um general leal e apolítico, chefiou a junta militar que tomou o poder através de um golpe militar.
  • 11. AAmméérriiccaa LLaattiinnaa:: PPiinnoocchheett  Já em 1978 assistiu-se a um dos anos mais críticos para o Governo de Pinochet, com os EUA a condenar veementemente a politica autoritária e opressora dos direitos civis chilenos.  O regime militar chileno comandado pelo governo de Pinochet permitiu o livre ingresso de capital estrangeiro no país e um importante processo de liberalização econômico do país, o que possibilitou um considerável avanço econômico durante a década de 70.
  • 12. AAmméérriiccaa LLaattiinnaa:: PPiinnoocchheett  Este esforço de apoio ao "mercado livre" e à desregulamentação da economia teve como grande impulsionador um grupo de economistas da Universidade de Chicago, que tinham como grande mentor o famoso economista norte-americano Milton Friedman, sendo, então, denominados por Chicago Boys.  Dado o enorme sucesso das politicas implementadas, os seus apoiantes lhe deram o título de "O milagre chileno" para caracterizar o período vivido.  Contudo, a crise econômica de 1981 e as suas avultadas complicações, com elevadas taxas de desemprego e uma balança comercial deficitária, proporcionaram uma crescente onda de contestação contra o regime de Pinochet.
  • 14. AAmméérriiccaa LLaattiinnaa:: PPiinnoocchheett  Augusto Pinochet governou o país com mão de ferro por 17 anos  perdeu o controle quase absoluto que detinha sobre as instituições chilenas  detinha a imunidade (por ser senador vitalício), passando a temer eventuais investigações e processos judiciais movidos pelos seus adversários políticos, ora transformados pela nova situação de perseguidos em perseguidores.  Ao todo, o ex-presidente chileno enfrentou uma dezena de processos judiciais, sendo que para cada um deles os juízes tiveram que obter o levantamento da imunidade de que gozava Pinochet graças à sua condição de ex-chefe de Estado, além de terem de provar as suas condições de saúde para poder enfrentar os processos.
  • 15. O FIM DE PINOCHET • O general Augusto Pinochet Governou o Chile de 1973-1990. Morreu em 2010 aos 91 anos • Os chilenos saíram as ruas para Festejar. • Muitas vítimas do regime Pinochet abriram garrafas de champagne. Em 17 anos de governo, Pinochet Foi responsável por mais de 2 mil assassinatos e desaparecimentos 27,5 mil pessoas torturadas Fonte: relatórios oficiais
  • 16. AAmméérriiccaa LLaattiinnaa:: OOEEAA  A Organização dos Estados Americanos (OEA) aproxima as nações do Hemisfério Ocidental com vistas a fortalecer mutuamente os Valores Democráticos, defender interesses comuns e debater um grande número de temas regionais e mundiais. A OEA é o principal Fórum Multilateral do Hemisfério para o fortalecimento da Democracia, bem como para a Promoção dos Direitos Humanos e para a discussão de problemas comuns, tais como: Pobreza, Terrorismo, Drogas e Corrupção. A OEA possui um papel central no cumprimento dos mandatos estabelecidos pelos líderes do hemisfério, por meio da Cúpula das Américas.
  • 17. NICARÁGUA SANDINISTA NICARÁGUA – CAPITAL : MANÁGUA
  • 18. Daniel Ortega e Augusto Sandino: dois nomes das lutas sociais estabelecidas na Nicarágua
  • 19.  EM 1978 APÓS UMA GUERRA CIVIL E A MORTE DO JORNALISTA PEDRO CHAMORRO (CONTRA A DITADURA)  A FRENTE SANDINISTA TOMA CONTA DO PAÍS E DOMINA O PALÁCIO NACIONAL DE MANÁGUA - CAPITAL DO PAÍS  DANIEL ORTEGA CHEGA AO PODER - SANDINISTA  APROXIMARAM-SE DOS SOCIALISTA  ISSO INCOMODOU OS CAPITALISTAS  1981 – SURGE UMA AÇÃO CONTRA-REVOLUCIONÁRIA
  • 20.  A OPOSIÇÃO AOS SANDINISTAS – OS CONTRAS – TIVERAM APOIO DOS EUA E DOS CATÓLICOS  ANOS DE 1980 – CRISE NA NICARÁGUA  1990 – SANDINISTAS PERDEM ELEIÇÃO  É ELEITO VIOLETA CHAMORRO – OPOSIÇÃO  OS PROBLEMAS PERMANECEM  EM 2007 DANIEL ORTEGA VOLTA AO PODER COM APOIO DOS EUA
  • 21. DANIEL ORTEGAS HOJE, O LÍDER DA REVOLUÇÃO DE 1979 ENFRENTA ATRASO TECNOLÓGICO, INFLAÇÃO, DESEMPREGO E DÍVIDA EXTERNA NA NICARÁGUA
  • 22. DITADURA NA ARGENTINA 1966-1973  GOLPE DE ESTADO MILITAR  UM DOS GOV. MAIS AUTORITÁRIO DA AMÉRICA LATINA NO SEC. XX  CONTEXTO:GUERRA FRIA  DISCURSO: COMBATER OS MALES DO COMUNISMO  O PRESID. ARTUR ILLIA DEPOSTO – 1966  7 ANOS DE DITADURA E ATROCIDADES  ENTRA EM VIGOR: ESTATURO DA REVOLUÇÃO ARGENTINA – LEGALIZANDO O GOLPE  INTUITO: PERMANECER NO PODER PARA SANAR OS PROBLEMAS DA ARGENTINA  NOVA CONSTITUIÇÃO
  • 23. NOVA CONSTITUIÇÃO PROIBIÇÃO DE PARTIDOS POLÍTICOS PROIBIÇÃO DE DIREITOS CIVIS,SOCIAIS E POLÍTICOS ESTADO DE SÍTIO
  • 24. GENERAIS ARGENTINOS General Juan Carlos Onganía JUNHO 1966 - JUNHO 1970
  • 25. General Roberto Marcelo Levingston JUNHO 1970 – MARÇO 1971
  • 26. general Alejandro Agustín Lanusse. Março 1971 – maio 1973
  • 27. O governo dos generais  Juan Carlos Onganía governou de 1966 a 1970 e entregou o poder debilitado por conta de protestos.  Em seu lugar, a Junta de Comandantes em Chefe das forças armadas assumiram o governo do país e decidiram pela indicação do general Roberto Marcelo Levingston para a presidência.  Levingston era um desconhecido militar e governou a Argentina até 1971 pela incapacidade de controlar a situação política, econômica e social do país.  Em seu lugar entrou o homem forte da ditadura, o general Alejandro Augustín Lanusse. Este governou entre 1971 e 1973, sua gestão que foi empenhada em obras de infra-estrutura nacional era vista com desgosto da população.
  • 28. PERÓN NÃO SE ELEGE  As crescentes manifestações populares causaram as eleições para novo presidente na Argentina em 1973.  A população queria Perón no governo do país, mas o candidato do povo foi barrado pelo então presidente militar que alterou as leis eleitorais da constituição de forma que barrasse sua candidatura.  Impossibilitado de ser eleito, Perón e o povo passaram a defender a candidatura de Hector José Cámpora, que saiu vitorioso no pleito.
  • 29.  O período da Ditadura Militar na Argentina foi cruel e sangrento, a estimativa é de que aproximadamente 30 mil argentinos foram sequestrados pelos militares.  Os opositores que conseguiam se salvar fugiam do país, o que representa aproximadamente 2,5 milhões de argentinos.  Os militares alegam que mataram “apenas” oito mil civis, sendo que métodos tenebrosos de torturas e assassinatos foram utilizados pelos representantes do poder.  O governo autoritário deixou marcas na Argentina mesmo após a ditadura, com a democracia poucos presidentes conseguiram concluir seus mandatos por causa da grande instabilidade econômica e social.
  • 31. AGORA É COM VOCÊ! PESQUISE SOBRE O EVENTO: “ AS MÃES DA PRAÇA DE MAIOR” QUE OCORREU NA ARGENTINA
  • 32. Mães da Praça de Maio  são mulheres que se reúnem na Praça de Maio, Buenos Aires, para exigirem notícias de seus filhos desaparecidos durante a ditadura militar na Argentina (1976-1983)  Alguns pais, considerados subversivos, tiveram seus filhos retirados de sua guarda e colocados para a adoção durante os cinco anos de ditadura.  Quando acabou a ditadura, muitos filhos estavam sob guarda de famílias de militares  Ainda hoje, todas as quintas-feiras, as mães realizam manifestações na Praça de Maio, em frente à Casa Rosada, buscando manter o desaparecimento de seus filhos vivo na memória de todos os argentinos.
  • 34. DITADURA NO PERU General Juan Velasco Alvarado - 1968 - 1975
  • 35. CARACTERÍSTICAS Discurso nacionalista e imperialista Reforma agrária Deu condições para aumentar o consumo no país favorecendo a burguesia nacional e internacional. Eliminou oligarquias Mudou o poder para a burguesia Sindicalização Poder do Estado na economia
  • 36. FIM DO PERUANISMO INFLAÇÃO CRISE FINANCEIRA Repressão interna Interesses do FMI Crise Desemprego e miséria
  • 37. SENDERO LUMINOSO - 1980 Grupo de guerrilha peruano criado durante os anos 60 Ideias maoístas Formado por intelectuais Líder: Abimael Guzmán prof ڍ de Filosofia na Universidade de Ayacucho Sendero Luminoso = caminho iluminado
  • 38. Abimael Guzmán O nome completo da facção é Partido Comunista do Peru – Sendero Luminoso (PCP-SL).
  • 39. Objetivos Acabar com as instituições capitalistas e burguesas do Peru por meio de uma revolução comunista liderada pelos camponeses - os filhos dos camponeses e índios Ao lado das FARC, Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, o Sendero Luminoso é considerado um dos maiores grupos de guerrilha organizado da América do Sul.
  • 40. PESQUISA FARC, Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia
  • 42. CARACTERÍSTICAS  Tupac Amaru foi o último líder indígena do império Inca no moderno Peru Movimento Terrorista Grupo guerrilheiro de esquerda Baseado em outros grupos revolucionários da América Latina Atualmente o movimento está apagado -