SlideShare uma empresa Scribd logo
REPÚBLICA DOS
GENERAIS
www.portaldovestibulando.com
“Anos de Chumbo” (1964-1985)
 O período que vai de 1964 a 1985 foi marcado com a
presença dos militares na política brasileira.
 O golpe militar de 31 de março de 1964 deu início ao
regime >> Saída de João Goulart da presidência.
 Teve apoio de militares e líderes civis.
 Assumiu o governo Marechal Castelo Branco.
 Justificativa do golpe militar: “havia uma ameaça
comunista no país.” www.portaldovestibulando.com
Governos Militares
Castelo Branco
Costa e Silva Médici
Geisel Figueiredo
www.portaldovestibulando.com
Golpe Militar de 1964
Avenida Presidente Vargas, no centro do Rio de Janeiro,
ocupada pelos tanques no golpe de 31 de março de 1964.
www.portaldovestibulando.com
Golpe Militar de 1964
 Desencadeada pelo governo dos Estados Unidos;
 Apoio aos golpistas de 1964 em caso de resistência de João
Goulart;
 Força militar da Frota do Caribe, liderada por um porta-aviões
Operação Brother Sam
“O que é bom para os Estados
Unidos é bom para o Brasil”
(Juracy Magalhães – Ministro das Relações Exteriores).
Lincoln
Gordon www.portaldovestibulando.com
Marechal Castelo Branco (1964-1967)
 Eleito de forma indireta por meio da votação da Câmara.
 Instituição do PAEG (Plano de Ação Econômica do Governo):
• Corte de gastos.
• Criação do FGTS (Fundo de garantia por tempo de serviço)
• Extinção da Lei de Remessas de Lucros.
• Apoio dos EUA.
• Renegociação dívida externa e novos empréstimos
• Adoção da doutrina de Segurança Nacional (compromisso de
combater o comunismo).
www.portaldovestibulando.com
 PERSEGUIÇÕES: CGT; UNE; Ligas
Camponesas.
EXÍLIO E PRISÕES: João Goulart e Leonel
Brizola tiveram que se exilar no Uruguai, e outros
líderes foram presos.
Arthur Costa e Silva: general que se autonomeou
ministro da Guerra juntamente com a “linha dura”
passou a pressionar Castelo Branco, exigindo
punições aos “inimigos da Revolução”.
Criação de serviços secretos de espionagem: 1964 -
SNI (Serviço Nacional de Informações)(Serviço Nacional de Informações)
Marechal Castelo Branco (1964-1967)
www.portaldovestibulando.com
Repressão: Medidas Legais
 Cassação de mandatos.
 Eleições indiretas para presidente da República.
 Suspensão da estabilidade dos servidores públicos por 6
meses.
 Aprovação dos projetos do governo por “decurso de
prazo”.
 Instalação de Estado de sítio.
Ato Institucional N.º 1 (1964)
Marechal Castelo Branco (1964-1967)
www.portaldovestibulando.com
Ato Institucional N.º 2 (1965)
Extinção dos partidos políticos Bipartidarismo
 ARENA – Governo (situação).
 MDB – Oposição.
www.portaldovestibulando.com
Ato Institucional N.º 3 (1966)
 Eleições indiretas para governadores de Estado.
 Escolha dos prefeitos das capitais pelos
governadores.
Ato Institucional N.º 4 (1967)
 Convocação do débil Congresso Nacional para
ratificar a Constituição de 1967.
www.portaldovestibulando.com
Os Grandes Festivais (1965-68)
A Coroação da MPB
Chico, Nara, Jair e Vandré (na
tela): grandes vencedores do
festival da Record de 1966.
Festivais: resposta a política
repressora.
www.portaldovestibulando.com
Os Grandes Festivais
Elis Regina interpretando “Arrastão”.
Edu Lobo, em 1965, vence o
Primeiro Festival da MPB
da extinta TV Excelsior:
vence com Arrastão, em
parceria com Vinícius de
Moraes. A música foi
interpretada por Elis
Regina.
www.portaldovestibulando.com
Os Grandes
Festivais
Em 1967 - a Lei de Segurança
Nacional, crimes previstos:
> “guerra psicológica“ – eram
enquadrados aqueles que
discordassem publicamente do
governo.
> Compositores e intérpretes não
se intimidaram....
Caetano Veloso canta "Alegria,
Alegria" no III Festival de MPB.
Arquivo Rede Record (1967).
Clique
para
ouvir a
música
Caetano propõe uma
caminhada “contra o vento”, ou
seja, contra a ordem imposta
das coisas. Além disso, “sem
lenço e sem documentos”
conota uma crítica à norma que
proibia as pessoas de saírem às
ruas sem portar documentos.
www.portaldovestibulando.com
Os Grandes Festivais
“Caminhando e cantando...”.
Geraldo Vandré foi o maior
ícone da era dos festivais.
Em 1968, a canção “Pra não
dizer que não falei de flores”,
virou hino da resistência a
ditadura e serviu de justificativa
para os militares decretarem o
Ato Institucional Nº 5.
www.portaldovestibulando.com
Governo Costa e Silva (1967-1969)
Assume o país com dificuldade econômica (inflação)
I PND: preparar a infraestrutura para o
desenvolvimento do Brasil nas décadas seguintes:
transportes e telecomunicações Crescimento de
oposição: manifestos, passeatas (CEM MIL) e
greves.
Os protestos: morte do estudante Edson Luís no
restaurante Calabouço-RJ
No meio artístico muitos se declararam contra a
ditadura. Artistas como: Chico Buarque, Caetano
Veloso e Gilberto Gil cantavam músicas de protesto.
www.portaldovestibulando.com
Frente Ampla (1966)
 Retomada do poder pelos civis.
 Reformas econômicas e sociais.
 Anistia geral.
 Restabelecimento das eleições diretas em todos os níveis.
 Reforma agrária ampla.
Carlos Lacerda Juscelino - JK João Goulart - Jango
www.portaldovestibulando.com
O estopim para Implantação do A. I. Nº 5
O Congresso Nacional se negou a retirar a imunidade
parlamentar do deputado Marcio Moreira Alves.
Deputado Márcio Moreira Alves
“Todos reconhecem ou dizem reconhecer que a
maioria das forças armadas não compactua com
a cúpula militarista que perpetra violências e
mantém este país sob regime de opressão. Creio
ter chegado... o grande momento da união pela
democracia. Este é também o momento do boicote.
As mães brasileiras já se manifestaram. Todas
as classes sociais clamam por este repúdio à
polícia. No entanto, isto não basta. É preciso
que se estabeleça... o boicote ao militarismo”.
www.portaldovestibulando.com
Ato Institucional N.º 5 (1968) – Golpe sobre Golpe
 Cassação de mandatos.
 Recesso em qualquer das casas legislativas.
 Confisco de bens.
 Intervenção federal nos Estados e Municípios.
 Suspensão da garantia de habeas-corpus.
 Recesso parlamentar.
www.portaldovestibulando.com
Período conhecido como “Anos de Chumbo”.
Uso da TV para divulgar os projetos do governo ao
povo.
Crescimento espetacular da economia – “Milagre
Econômico”
Investimentos em diversas áreas, inclusive na civil, com
construção de moradias
Inúmeras empresas multinacionais se instalaram no
Brasil,
Contudo o povo sofria duras repressões e torturas.
Governo Médici (1969-1974)
www.portaldovestibulando.com
Torturas da Ditadura Militar
Pau-de-Arara
Choque Elétrico
www.portaldovestibulando.com
Torturas da Ditadura Militar
Pimentinha
Afogamento
www.portaldovestibulando.com
Torturas da Ditadura Militar
Cadeira do Dragão
Geladeira
www.portaldovestibulando.com
Torturas da Ditadura Militar
Palmatória
Produtos Químicos
www.portaldovestibulando.com
Governo Médici – Órgãos da Repressão
Operação Bandeirante (OBAN) – julho de 1969.
DOI-CODI - Destacamento de Operações de
Informações - Centro de Operações de Defesa
Interna - setembro 1970.
• DOI - responsável pelas ações práticas de busca,
apreensão e interrogatório de suspeitos
• CODI - análise de informações, a coordenação dos
diversos órgãos militares e o planejamento
estratégico do combate aos grupos de esquerda
Comando de Caça aos Comunistas (CCC) - 1963.
www.portaldovestibulando.com
Testemunha da História: Militares no Poder
Com Boris Casoy. Brasil, 2001. Rede Record.
Clique para
iniciar o filme
www.portaldovestibulando.com
Governo Médici (1969-1974)
Milagre Brasileiro (1969-1972)
• Proposta do ministro Delfim
Neto.
• Consistia em concentrar a
renda, formando um “bolo
econômico”, a ser
posteriormente dividido.
• O “bolo” cresceu, porém a
massa trabalhadora não
participou de sua divisão.
O “bolo” que a camadas baixas não provaram.
www.portaldovestibulando.com
Milagre Brasileiro (1969-1972)
USP
 Crescimento anual de
10% a 12%.
 Facilidades de crédito
(bens de consumo
duráveis).
 Arrocho salarial.
 Investimentos externos
(favorecimento do
governo).
Grandes empréstimos.
www.portaldovestibulando.com
Manifestações Contra o Governo MédiciManifestações Contra o Governo Médici
www.portaldovestibulando.com
Resposta da Esquerda ao Governo Médici
Aliança Libertadora Nacional (ALN) - Movimento Nacional
Revolucionário (MNR) – Partido Operário Comunista (POC) – Ação
Popular (AP) – Avante! – Movimento de Libertação Popular
(Molipo) - PCB – PCB do B – Movimento Revolucionário Oito de
Outubro (MR-8)
Marighela – ALN
“Inimigo número 1”
Capitão Carlos Lamarca – VAR PALMARES
Vanguarda Armada Revolucionária Palmares
Resposta da Esquerda ao Governo Médici
Operação Registro (1970)
Capitão Carlos Lamarca – VAR
PALMARES
Vanguarda Armada Revolucionária
Palmares
 Município de Cajati, Vale do
Ribeira, a 200 quilômetros de
São Paulo
 Maior mobilização da história do
II Exército = 2954 homens.
 Infantaria e paraquedistas das
forças especiais, Policia Militar e
Rodoviária de São Paulo e do
Dops e Marinha
 Objetivo: capturar 9 integrantes
da organização VPR
 Comandados por Lamarca >
instalou dois centros de
treinamento de guerrilha na área.
www.portaldovestibulando.com
Embaixador
Charles Elbrick
ficou 4 dias em
cativeiro.
Resposta da Esquerda ao Governo Médici
Assaltos a bancos.
Sequestros de diplomatas.
Prisioneiros
libertados em
troca do
embaixador
norte-
americano.
Filme: O Que é Isso Companheiro?
Direção de Bruno Barreto. Brasil, 1997.
Clique para
iniciar o filme
Filme: O Que é Isso Companheiro?
Direção de Bruno Barreto. Brasil, 1997.
Clique para
iniciar o filme
Resposta da Esquerda ao Governo Médici
Luta Armada Guerrilhas
Guerrilha do Araguaia (1967-1974)
 O movimento foi organizado pelo PC
do B.
 Pretendiam implantar o socialismo
no Brasil, iniciando o movimento
pelo campo.
 Localizava-se às margens do rio
Araguaia, próximo às cidades de
Marabá no Pará e de Xambioá
(região denominada como Bico do
Papagaio).
 Participaram cerca de 80
guerrilheiros.
www.portaldovestibulando.com
Resposta do Governo Médici
Repressão Governamental
www.portaldovestibulando.com
Resposta do Governo Médici
Assassinato de Marighela – São Paulo – 1969
Carlos Lamarca assassinado – Interior da
Bahia - 1971
Governo Médici
Os direitos fundamentais do cidadão estavam
suspensos. Qualquer um podia ser preso e exilado
se fosse desejo do governo.
Exílio
Político
Governo Médici
O governo gastava milhões com
propagandas destinadas à melhoria
da própria imagem junto ao povo.
USP
E a Rede Globo, principal aliada da Ditadura Militar, sempre
lembrando ao povo miserável que "está tudo bem".
Propaganda
Governo Médici
Propaganda
Valorização de conquistas esportivas:
futebol e automobilismo (sucesso do
governo).
Governo Médici
Obras Faraônicas
Transamazônica foi
inaugurada em 30/07/1972.Ponte Rio-Niterói – inaugurada em 4/3/74.
Assassinato do jornalista
Vladimir Herzog e do
operário Manoel Filho.
Governo Geisel (1974–1979)
Ações Repressivas
A viúva Clarice, com o filho, e a foto
do suicídio forjado: União foi
condenada pelo crime em 1978.
• Alteração do Código Eleitoral. Os candidatos só poderiam
fazer campanha no horário de TV, mostrando
exclusivamente suas fotos, seus currículos e suas
plataformas.
Lei Falcão (1976)
Governo Geisel
Governo Geisel
 Estava incluída a Lei
Falcão.
 Um terço dos
senadores não seria
mais eleito, mas
indicado pelo
Governo Federal.
Esses senadores
passariam a ser
chamados de
“senadores
biônicos”.
Pacote de Abril (1977)
Guerra Fria: Anos de 1970
Período de Distensão
Os EUA e a URSS
decidiram, então, realizar
acordos para evitar uma
catástrofe mundial. Nesta
época, vários tratados foram
assinados entre os dois
lados.
Salt 1 (1972): EUA - URSS
Salt 2 (1979): Prorrogação
Carter e Brejnev (1979)
Nixon e Brejnev (1972)
Governo Geisel
 Criação da Nuclebras – A
assinatura do Acordo Nuclear
Brasil-Alemanha. Parceria em um
projeto de transferência completa
de tecnologia nuclear.
- 1975 - Acordo
nuclear com a
Alemanha
- 8 usinas nucleares
(apenas uma
realmente começou
a funcionar –
ANGRA I (Praia de
Itaorna – Angra dos
Reis – RJ – inicio
construção: 1972 –
Operar: 1982).
- Pressão - EUA, como
também do Reino
Unido, Canadá,
França e União
Soviética.
Governo Geisel
 Em termos políticos, a escolha do general
Ernesto Geisel significava mais uma vitória
dos grupos moderados, que pensavam em
devolver o poder aos civis gradualmente.
 Em 1978, o governo Geisel decretou o fim
do Ato Institucional N.º 5.
Abertura Lenta e Gradual
Governo João Baptista Figueiredo
(1979–1985)
 Anistia geral concedida em 1979 aos condenados por crime
político. Exceto para envolvidos com luta armada e atos
terroristas.
 Retorno de exilados políticos : Brizola, Mestrinho, Prestes,
Miguel Arraes...
Abertura Política
Governo João Baptista Figueiredo
• Extinção do bipartidarismo. Retorno do
pluripartidarismo.
 Restabelecimento das eleições diretas para
governadores dos Estados, em 1980.
 1982: Eleições diretas para governador (vitória de
candidatos oposicionistas em 10 estados, incluindo SP, RJ e
MG).
PDS
(Antiga ARENA)
Ditadura militar   anos de chumbo (1964-1985)
Governo João Baptista Figueiredo
 Grupos conservadores que
não aceitavam as medidas
redemocratizantes de
Figueiredo.
 Atentado ao Riocentro,
local onde cerca de 20 mil
pessoas assistiam a um
show musical
comemorativo ao dia 1º
maio de 1981.
 Sargento Guilherme
Pereira e Capitão Machado
Atentado do Riocentro: duas
bombas explodem durante um
show do Dia do Trabalho.
Terrorismo de Direita
Diretas Já!
Abril de 1984 > No vale do Anhangabaú, no Centro de
São Paulo, 1 milhão 300 mil pessoas (1 milhão e 500 mil,
segundo a Polícia Militar)
1983 – Emenda
Dante de
Oliveira:
Eleições diretas
Ditadura militar   anos de chumbo (1964-1985)
 25 de abril de 1984 >
necessário mais de 2/3
de aprovação dos
deputados
 298: a favor >
precisava: 320 votos a
favor.
Sucessão Presidencial - 1985
Situação: Paulo Maluf (PDS, antiga ARENA).
Oposição: Aliança Democrática, apresentando seus
candidatos:
 Presidente da República: Tancredo Neves.
 Vice-presidente: José Sarney.
XPaulo Maluf Tancredo Neves
IDÉIAS DE TANCREDO:
 Sobre a democracia: “Não há Pátria onde falta
democracia”.
 Sobre a justiça social: “Enquanto houver, neste país, um
só homem sem trabalho, sem pão, sem teto e sem letras,
toda a prosperidade será falsa”.
Tancredo procurava sintetizar as características da
nova era que poderia se abrir com o fim da ditadura.
Tancredo Neves
(15/11/84 – 21/04/85)
Eleições Presidenciais - 1985
Em 15 de janeiro, os membros do Colégio Eleitoral
deram 480 votos a Tancredo Neves e apenas 180 a
Paulo Maluf.
Colégio Eleitoral
Tancredo Neves
• Tancredo Neves: Vence, mas não assume
(15/11/1984)
• 14/03/1985: internação e sete cirurgias
• 21/04/1985: Falecimento
Ditadura militar   anos de chumbo (1964-1985)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ditadura Militar (1964-1985)
Ditadura Militar (1964-1985)Ditadura Militar (1964-1985)
Ditadura Militar (1964-1985)
Edenilson Morais
 
A ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasilA ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasil
Fatima Freitas
 
Governo Collor
Governo Collor Governo Collor
Governo Collor
Valéria Shoujofan
 
SLIDES – O TENENTISMO BRASILEIRO E A COLUNA PRESTES.
SLIDES – O TENENTISMO BRASILEIRO E A COLUNA PRESTES.SLIDES – O TENENTISMO BRASILEIRO E A COLUNA PRESTES.
SLIDES – O TENENTISMO BRASILEIRO E A COLUNA PRESTES.
Tissiane Gomes
 
Nova República
Nova RepúblicaNova República
Nova República
Elaine Bogo Pavani
 
O coronelismo
O coronelismoO coronelismo
O coronelismo
João Pedro Haidar
 
O governo João Goulart (1961-1964)
O governo João Goulart (1961-1964)O governo João Goulart (1961-1964)
O governo João Goulart (1961-1964)
Edenilson Morais
 
Janio quadros e joão goulart
Janio quadros e joão goulartJanio quadros e joão goulart
Janio quadros e joão goulart
harlissoncarvalho
 
Governo José Sarney
Governo José SarneyGoverno José Sarney
Governo José Sarney
Valéria Shoujofan
 
Imperialismo do século XIX
Imperialismo do século XIXImperialismo do século XIX
Imperialismo do século XIX
Rodrigo Luiz
 
República Populista (1946-1964)
República Populista (1946-1964)República Populista (1946-1964)
República Populista (1946-1964)
Edenilson Morais
 
Ditadura Militar
Ditadura MilitarDitadura Militar
Ditadura Militar
guest12728e
 
3º ano - Revolução Russa 1917
3º ano - Revolução Russa 19173º ano - Revolução Russa 1917
3º ano - Revolução Russa 1917
Daniel Alves Bronstrup
 
História 9º ano slide Guerra Fria
História   9º ano slide Guerra FriaHistória   9º ano slide Guerra Fria
História 9º ano slide Guerra Fria
Janaína Bindá
 
A Ditadura Militar No Brasil
A Ditadura Militar No BrasilA Ditadura Militar No Brasil
A Ditadura Militar No Brasil
brunourbino
 
9º ano história rafa - era vargas
9º ano   história   rafa  - era vargas9º ano   história   rafa  - era vargas
9º ano história rafa - era vargas
Rafael Noronha
 
3º ano - Era Vargas 1930-1945
3º ano  - Era Vargas 1930-19453º ano  - Era Vargas 1930-1945
3º ano - Era Vargas 1930-1945
Daniel Alves Bronstrup
 
O governo Fernando Collor (1990-1992)
O governo Fernando Collor (1990-1992)O governo Fernando Collor (1990-1992)
O governo Fernando Collor (1990-1992)
Edenilson Morais
 
3° ano República da Espada
3° ano   República da Espada3° ano   República da Espada
3° ano República da Espada
Daniel Alves Bronstrup
 
Ditadura militar brasileira 1964 1985
Ditadura militar brasileira 1964   1985Ditadura militar brasileira 1964   1985
Ditadura militar brasileira 1964 1985
Ócio do Ofício
 

Mais procurados (20)

Ditadura Militar (1964-1985)
Ditadura Militar (1964-1985)Ditadura Militar (1964-1985)
Ditadura Militar (1964-1985)
 
A ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasilA ditadura militar no brasil
A ditadura militar no brasil
 
Governo Collor
Governo Collor Governo Collor
Governo Collor
 
SLIDES – O TENENTISMO BRASILEIRO E A COLUNA PRESTES.
SLIDES – O TENENTISMO BRASILEIRO E A COLUNA PRESTES.SLIDES – O TENENTISMO BRASILEIRO E A COLUNA PRESTES.
SLIDES – O TENENTISMO BRASILEIRO E A COLUNA PRESTES.
 
Nova República
Nova RepúblicaNova República
Nova República
 
O coronelismo
O coronelismoO coronelismo
O coronelismo
 
O governo João Goulart (1961-1964)
O governo João Goulart (1961-1964)O governo João Goulart (1961-1964)
O governo João Goulart (1961-1964)
 
Janio quadros e joão goulart
Janio quadros e joão goulartJanio quadros e joão goulart
Janio quadros e joão goulart
 
Governo José Sarney
Governo José SarneyGoverno José Sarney
Governo José Sarney
 
Imperialismo do século XIX
Imperialismo do século XIXImperialismo do século XIX
Imperialismo do século XIX
 
República Populista (1946-1964)
República Populista (1946-1964)República Populista (1946-1964)
República Populista (1946-1964)
 
Ditadura Militar
Ditadura MilitarDitadura Militar
Ditadura Militar
 
3º ano - Revolução Russa 1917
3º ano - Revolução Russa 19173º ano - Revolução Russa 1917
3º ano - Revolução Russa 1917
 
História 9º ano slide Guerra Fria
História   9º ano slide Guerra FriaHistória   9º ano slide Guerra Fria
História 9º ano slide Guerra Fria
 
A Ditadura Militar No Brasil
A Ditadura Militar No BrasilA Ditadura Militar No Brasil
A Ditadura Militar No Brasil
 
9º ano história rafa - era vargas
9º ano   história   rafa  - era vargas9º ano   história   rafa  - era vargas
9º ano história rafa - era vargas
 
3º ano - Era Vargas 1930-1945
3º ano  - Era Vargas 1930-19453º ano  - Era Vargas 1930-1945
3º ano - Era Vargas 1930-1945
 
O governo Fernando Collor (1990-1992)
O governo Fernando Collor (1990-1992)O governo Fernando Collor (1990-1992)
O governo Fernando Collor (1990-1992)
 
3° ano República da Espada
3° ano   República da Espada3° ano   República da Espada
3° ano República da Espada
 
Ditadura militar brasileira 1964 1985
Ditadura militar brasileira 1964   1985Ditadura militar brasileira 1964   1985
Ditadura militar brasileira 1964 1985
 

Semelhante a Ditadura militar anos de chumbo (1964-1985)

Brasil ditadura militar 1964 a 1985 pdf
Brasil ditadura militar 1964 a 1985   pdfBrasil ditadura militar 1964 a 1985   pdf
Brasil ditadura militar 1964 a 1985 pdf
Celso Firmino História, Filosofia, Sociologia
 
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASILBRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
Diego Bian Filo Moreira
 
Aula ditadura militar
Aula ditadura militarAula ditadura militar
Aula ditadura militar
Cristiano Santana
 
Intervalo democrático
Intervalo democráticoIntervalo democrático
Intervalo democrático
historiamurialdo
 
A ditadura militar
A ditadura militarA ditadura militar
A ditadura militar
Gilmar Rodrigues
 
Ditadura militar no_brasil
Ditadura militar no_brasilDitadura militar no_brasil
Ditadura militar no_brasil
Itamar Silva
 
Ditadura militar e abertura politica
Ditadura militar e abertura politicaDitadura militar e abertura politica
Ditadura militar e abertura politica
Íris Ferreira
 
Ditadura
Ditadura Ditadura
Ditadura
felipe_paes
 
BRASIL - O GOLPE E A DITADURA MILITAR.pptx
BRASIL - O GOLPE E A DITADURA MILITAR.pptxBRASIL - O GOLPE E A DITADURA MILITAR.pptx
BRASIL - O GOLPE E A DITADURA MILITAR.pptx
juliocesardiasolivei
 
Período Militar (1964-1985)
Período Militar (1964-1985) Período Militar (1964-1985)
Período Militar (1964-1985)
Isaquel Silva
 
Brasil república ditadura militar
Brasil república   ditadura militarBrasil república   ditadura militar
Brasil república ditadura militar
Elizeu Andrade
 
Diretas jaf
Diretas jafDiretas jaf
Diretas jaf
Dante860560
 
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
Daniel Alves Bronstrup
 
3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil
Daniel Alves Bronstrup
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
Lú Carvalho
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
Lú Carvalho
 
O circuito de produção e o espaço industrial
O circuito de produção e  o espaço industrialO circuito de produção e  o espaço industrial
O circuito de produção e o espaço industrial
Gilberto Pires
 
Ditadura do brasil seminario
Ditadura do brasil   seminarioDitadura do brasil   seminario
Ditadura do brasil seminario
Moniky Manuela Neves Oliveira
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
Karina Reimberg
 
Ditadura Militar
Ditadura MilitarDitadura Militar
Ditadura Militar
edsonfgodoy
 

Semelhante a Ditadura militar anos de chumbo (1964-1985) (20)

Brasil ditadura militar 1964 a 1985 pdf
Brasil ditadura militar 1964 a 1985   pdfBrasil ditadura militar 1964 a 1985   pdf
Brasil ditadura militar 1964 a 1985 pdf
 
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASILBRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
BRASIL 07- DITADURA MILITAR NO BRASIL
 
Aula ditadura militar
Aula ditadura militarAula ditadura militar
Aula ditadura militar
 
Intervalo democrático
Intervalo democráticoIntervalo democrático
Intervalo democrático
 
A ditadura militar
A ditadura militarA ditadura militar
A ditadura militar
 
Ditadura militar no_brasil
Ditadura militar no_brasilDitadura militar no_brasil
Ditadura militar no_brasil
 
Ditadura militar e abertura politica
Ditadura militar e abertura politicaDitadura militar e abertura politica
Ditadura militar e abertura politica
 
Ditadura
Ditadura Ditadura
Ditadura
 
BRASIL - O GOLPE E A DITADURA MILITAR.pptx
BRASIL - O GOLPE E A DITADURA MILITAR.pptxBRASIL - O GOLPE E A DITADURA MILITAR.pptx
BRASIL - O GOLPE E A DITADURA MILITAR.pptx
 
Período Militar (1964-1985)
Período Militar (1964-1985) Período Militar (1964-1985)
Período Militar (1964-1985)
 
Brasil república ditadura militar
Brasil república   ditadura militarBrasil república   ditadura militar
Brasil república ditadura militar
 
Diretas jaf
Diretas jafDiretas jaf
Diretas jaf
 
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
3º ano - Ditadura Militar e República Nova.
 
3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil3ºano ditadura e democracia no brasil
3ºano ditadura e democracia no brasil
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
O circuito de produção e o espaço industrial
O circuito de produção e  o espaço industrialO circuito de produção e  o espaço industrial
O circuito de produção e o espaço industrial
 
Ditadura do brasil seminario
Ditadura do brasil   seminarioDitadura do brasil   seminario
Ditadura do brasil seminario
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
Ditadura Militar
Ditadura MilitarDitadura Militar
Ditadura Militar
 

Mais de Portal do Vestibulando

Idade Média - Feudalismo - Reino Franco
Idade Média - Feudalismo - Reino FrancoIdade Média - Feudalismo - Reino Franco
Idade Média - Feudalismo - Reino Franco
Portal do Vestibulando
 
Sociedades Pré-colombianas: Toltecas, Olmecas, Incas, Nazca, Maias, Astecas
Sociedades Pré-colombianas: Toltecas, Olmecas, Incas, Nazca, Maias, AstecasSociedades Pré-colombianas: Toltecas, Olmecas, Incas, Nazca, Maias, Astecas
Sociedades Pré-colombianas: Toltecas, Olmecas, Incas, Nazca, Maias, Astecas
Portal do Vestibulando
 
Independência dos EUA
Independência dos EUAIndependência dos EUA
Independência dos EUA
Portal do Vestibulando
 
07 revolução mexicana
07   revolução mexicana07   revolução mexicana
07 revolução mexicana
Portal do Vestibulando
 
Período entre guerras - crise de 1929 - nazifascismo
Período entre guerras - crise de 1929 - nazifascismoPeríodo entre guerras - crise de 1929 - nazifascismo
Período entre guerras - crise de 1929 - nazifascismo
Portal do Vestibulando
 
Guerra Fria - Atualizada
Guerra Fria - AtualizadaGuerra Fria - Atualizada
Guerra Fria - Atualizada
Portal do Vestibulando
 
Nova República
Nova RepúblicaNova República
Nova República
Portal do Vestibulando
 
Senhora
SenhoraSenhora
Brasil Pré-colonial - contexto histórico
Brasil Pré-colonial - contexto históricoBrasil Pré-colonial - contexto histórico
Brasil Pré-colonial - contexto histórico
Portal do Vestibulando
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Questão Palestina
Questão PalestinaQuestão Palestina
Questão Palestina
Portal do Vestibulando
 
Descolonização afro-asiática
Descolonização afro-asiáticaDescolonização afro-asiática
Descolonização afro-asiática
Portal do Vestibulando
 
África nos tempos de tráfico atlântico
África nos tempos de tráfico atlânticoÁfrica nos tempos de tráfico atlântico
África nos tempos de tráfico atlântico
Portal do Vestibulando
 
Brasil Pré-colonial - contexto histórico
Brasil Pré-colonial - contexto históricoBrasil Pré-colonial - contexto histórico
Brasil Pré-colonial - contexto histórico
Portal do Vestibulando
 
Brasil Colônia: revoltas nativistas e separatistas
Brasil Colônia: revoltas nativistas e separatistasBrasil Colônia: revoltas nativistas e separatistas
Brasil Colônia: revoltas nativistas e separatistas
Portal do Vestibulando
 
Brasil: Economia Colonial
Brasil: Economia ColonialBrasil: Economia Colonial
Brasil: Economia Colonial
Portal do Vestibulando
 
Brasil Pré-colonial - contexto histórico
Brasil Pré-colonial - contexto históricoBrasil Pré-colonial - contexto histórico
Brasil Pré-colonial - contexto histórico
Portal do Vestibulando
 
Cuca Vestibulares - Maratona PSC 1 - Manaus
Cuca Vestibulares - Maratona PSC 1 - ManausCuca Vestibulares - Maratona PSC 1 - Manaus
Cuca Vestibulares - Maratona PSC 1 - Manaus
Portal do Vestibulando
 
Religiões de matriz africana
Religiões de matriz africanaReligiões de matriz africana
Religiões de matriz africana
Portal do Vestibulando
 
Morfologia - Classes Gramaticais
Morfologia - Classes GramaticaisMorfologia - Classes Gramaticais
Morfologia - Classes Gramaticais
Portal do Vestibulando
 

Mais de Portal do Vestibulando (20)

Idade Média - Feudalismo - Reino Franco
Idade Média - Feudalismo - Reino FrancoIdade Média - Feudalismo - Reino Franco
Idade Média - Feudalismo - Reino Franco
 
Sociedades Pré-colombianas: Toltecas, Olmecas, Incas, Nazca, Maias, Astecas
Sociedades Pré-colombianas: Toltecas, Olmecas, Incas, Nazca, Maias, AstecasSociedades Pré-colombianas: Toltecas, Olmecas, Incas, Nazca, Maias, Astecas
Sociedades Pré-colombianas: Toltecas, Olmecas, Incas, Nazca, Maias, Astecas
 
Independência dos EUA
Independência dos EUAIndependência dos EUA
Independência dos EUA
 
07 revolução mexicana
07   revolução mexicana07   revolução mexicana
07 revolução mexicana
 
Período entre guerras - crise de 1929 - nazifascismo
Período entre guerras - crise de 1929 - nazifascismoPeríodo entre guerras - crise de 1929 - nazifascismo
Período entre guerras - crise de 1929 - nazifascismo
 
Guerra Fria - Atualizada
Guerra Fria - AtualizadaGuerra Fria - Atualizada
Guerra Fria - Atualizada
 
Nova República
Nova RepúblicaNova República
Nova República
 
Senhora
SenhoraSenhora
Senhora
 
Brasil Pré-colonial - contexto histórico
Brasil Pré-colonial - contexto históricoBrasil Pré-colonial - contexto histórico
Brasil Pré-colonial - contexto histórico
 
Absolutismo
AbsolutismoAbsolutismo
Absolutismo
 
Questão Palestina
Questão PalestinaQuestão Palestina
Questão Palestina
 
Descolonização afro-asiática
Descolonização afro-asiáticaDescolonização afro-asiática
Descolonização afro-asiática
 
África nos tempos de tráfico atlântico
África nos tempos de tráfico atlânticoÁfrica nos tempos de tráfico atlântico
África nos tempos de tráfico atlântico
 
Brasil Pré-colonial - contexto histórico
Brasil Pré-colonial - contexto históricoBrasil Pré-colonial - contexto histórico
Brasil Pré-colonial - contexto histórico
 
Brasil Colônia: revoltas nativistas e separatistas
Brasil Colônia: revoltas nativistas e separatistasBrasil Colônia: revoltas nativistas e separatistas
Brasil Colônia: revoltas nativistas e separatistas
 
Brasil: Economia Colonial
Brasil: Economia ColonialBrasil: Economia Colonial
Brasil: Economia Colonial
 
Brasil Pré-colonial - contexto histórico
Brasil Pré-colonial - contexto históricoBrasil Pré-colonial - contexto histórico
Brasil Pré-colonial - contexto histórico
 
Cuca Vestibulares - Maratona PSC 1 - Manaus
Cuca Vestibulares - Maratona PSC 1 - ManausCuca Vestibulares - Maratona PSC 1 - Manaus
Cuca Vestibulares - Maratona PSC 1 - Manaus
 
Religiões de matriz africana
Religiões de matriz africanaReligiões de matriz africana
Religiões de matriz africana
 
Morfologia - Classes Gramaticais
Morfologia - Classes GramaticaisMorfologia - Classes Gramaticais
Morfologia - Classes Gramaticais
 

Último

Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Mary Alvarenga
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
EsterGabriiela1
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
LeideLauraCenturionL
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 

Último (20)

Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.Atividade Dias dos Pais -  Meu Pai, Razão da Minha História.
Atividade Dias dos Pais - Meu Pai, Razão da Minha História.
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdfHistória das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
História das ideias pedagógicas no Brasil - Demerval Saviani.pdf
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdfAviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
Aviação de Asas Rotativas. Aos Rotores, o Sabre!.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 

Ditadura militar anos de chumbo (1964-1985)

  • 2. “Anos de Chumbo” (1964-1985)  O período que vai de 1964 a 1985 foi marcado com a presença dos militares na política brasileira.  O golpe militar de 31 de março de 1964 deu início ao regime >> Saída de João Goulart da presidência.  Teve apoio de militares e líderes civis.  Assumiu o governo Marechal Castelo Branco.  Justificativa do golpe militar: “havia uma ameaça comunista no país.” www.portaldovestibulando.com
  • 3. Governos Militares Castelo Branco Costa e Silva Médici Geisel Figueiredo www.portaldovestibulando.com
  • 4. Golpe Militar de 1964 Avenida Presidente Vargas, no centro do Rio de Janeiro, ocupada pelos tanques no golpe de 31 de março de 1964. www.portaldovestibulando.com
  • 5. Golpe Militar de 1964  Desencadeada pelo governo dos Estados Unidos;  Apoio aos golpistas de 1964 em caso de resistência de João Goulart;  Força militar da Frota do Caribe, liderada por um porta-aviões Operação Brother Sam “O que é bom para os Estados Unidos é bom para o Brasil” (Juracy Magalhães – Ministro das Relações Exteriores). Lincoln Gordon www.portaldovestibulando.com
  • 6. Marechal Castelo Branco (1964-1967)  Eleito de forma indireta por meio da votação da Câmara.  Instituição do PAEG (Plano de Ação Econômica do Governo): • Corte de gastos. • Criação do FGTS (Fundo de garantia por tempo de serviço) • Extinção da Lei de Remessas de Lucros. • Apoio dos EUA. • Renegociação dívida externa e novos empréstimos • Adoção da doutrina de Segurança Nacional (compromisso de combater o comunismo). www.portaldovestibulando.com
  • 7.  PERSEGUIÇÕES: CGT; UNE; Ligas Camponesas. EXÍLIO E PRISÕES: João Goulart e Leonel Brizola tiveram que se exilar no Uruguai, e outros líderes foram presos. Arthur Costa e Silva: general que se autonomeou ministro da Guerra juntamente com a “linha dura” passou a pressionar Castelo Branco, exigindo punições aos “inimigos da Revolução”. Criação de serviços secretos de espionagem: 1964 - SNI (Serviço Nacional de Informações)(Serviço Nacional de Informações) Marechal Castelo Branco (1964-1967) www.portaldovestibulando.com
  • 8. Repressão: Medidas Legais  Cassação de mandatos.  Eleições indiretas para presidente da República.  Suspensão da estabilidade dos servidores públicos por 6 meses.  Aprovação dos projetos do governo por “decurso de prazo”.  Instalação de Estado de sítio. Ato Institucional N.º 1 (1964) Marechal Castelo Branco (1964-1967) www.portaldovestibulando.com
  • 9. Ato Institucional N.º 2 (1965) Extinção dos partidos políticos Bipartidarismo  ARENA – Governo (situação).  MDB – Oposição. www.portaldovestibulando.com
  • 10. Ato Institucional N.º 3 (1966)  Eleições indiretas para governadores de Estado.  Escolha dos prefeitos das capitais pelos governadores. Ato Institucional N.º 4 (1967)  Convocação do débil Congresso Nacional para ratificar a Constituição de 1967. www.portaldovestibulando.com
  • 11. Os Grandes Festivais (1965-68) A Coroação da MPB Chico, Nara, Jair e Vandré (na tela): grandes vencedores do festival da Record de 1966. Festivais: resposta a política repressora. www.portaldovestibulando.com
  • 12. Os Grandes Festivais Elis Regina interpretando “Arrastão”. Edu Lobo, em 1965, vence o Primeiro Festival da MPB da extinta TV Excelsior: vence com Arrastão, em parceria com Vinícius de Moraes. A música foi interpretada por Elis Regina. www.portaldovestibulando.com
  • 13. Os Grandes Festivais Em 1967 - a Lei de Segurança Nacional, crimes previstos: > “guerra psicológica“ – eram enquadrados aqueles que discordassem publicamente do governo. > Compositores e intérpretes não se intimidaram.... Caetano Veloso canta "Alegria, Alegria" no III Festival de MPB. Arquivo Rede Record (1967). Clique para ouvir a música Caetano propõe uma caminhada “contra o vento”, ou seja, contra a ordem imposta das coisas. Além disso, “sem lenço e sem documentos” conota uma crítica à norma que proibia as pessoas de saírem às ruas sem portar documentos. www.portaldovestibulando.com
  • 14. Os Grandes Festivais “Caminhando e cantando...”. Geraldo Vandré foi o maior ícone da era dos festivais. Em 1968, a canção “Pra não dizer que não falei de flores”, virou hino da resistência a ditadura e serviu de justificativa para os militares decretarem o Ato Institucional Nº 5. www.portaldovestibulando.com
  • 15. Governo Costa e Silva (1967-1969) Assume o país com dificuldade econômica (inflação) I PND: preparar a infraestrutura para o desenvolvimento do Brasil nas décadas seguintes: transportes e telecomunicações Crescimento de oposição: manifestos, passeatas (CEM MIL) e greves. Os protestos: morte do estudante Edson Luís no restaurante Calabouço-RJ No meio artístico muitos se declararam contra a ditadura. Artistas como: Chico Buarque, Caetano Veloso e Gilberto Gil cantavam músicas de protesto. www.portaldovestibulando.com
  • 16. Frente Ampla (1966)  Retomada do poder pelos civis.  Reformas econômicas e sociais.  Anistia geral.  Restabelecimento das eleições diretas em todos os níveis.  Reforma agrária ampla. Carlos Lacerda Juscelino - JK João Goulart - Jango www.portaldovestibulando.com
  • 17. O estopim para Implantação do A. I. Nº 5 O Congresso Nacional se negou a retirar a imunidade parlamentar do deputado Marcio Moreira Alves. Deputado Márcio Moreira Alves “Todos reconhecem ou dizem reconhecer que a maioria das forças armadas não compactua com a cúpula militarista que perpetra violências e mantém este país sob regime de opressão. Creio ter chegado... o grande momento da união pela democracia. Este é também o momento do boicote. As mães brasileiras já se manifestaram. Todas as classes sociais clamam por este repúdio à polícia. No entanto, isto não basta. É preciso que se estabeleça... o boicote ao militarismo”. www.portaldovestibulando.com
  • 18. Ato Institucional N.º 5 (1968) – Golpe sobre Golpe  Cassação de mandatos.  Recesso em qualquer das casas legislativas.  Confisco de bens.  Intervenção federal nos Estados e Municípios.  Suspensão da garantia de habeas-corpus.  Recesso parlamentar. www.portaldovestibulando.com
  • 19. Período conhecido como “Anos de Chumbo”. Uso da TV para divulgar os projetos do governo ao povo. Crescimento espetacular da economia – “Milagre Econômico” Investimentos em diversas áreas, inclusive na civil, com construção de moradias Inúmeras empresas multinacionais se instalaram no Brasil, Contudo o povo sofria duras repressões e torturas. Governo Médici (1969-1974) www.portaldovestibulando.com
  • 20. Torturas da Ditadura Militar Pau-de-Arara Choque Elétrico www.portaldovestibulando.com
  • 21. Torturas da Ditadura Militar Pimentinha Afogamento www.portaldovestibulando.com
  • 22. Torturas da Ditadura Militar Cadeira do Dragão Geladeira www.portaldovestibulando.com
  • 23. Torturas da Ditadura Militar Palmatória Produtos Químicos www.portaldovestibulando.com
  • 24. Governo Médici – Órgãos da Repressão Operação Bandeirante (OBAN) – julho de 1969. DOI-CODI - Destacamento de Operações de Informações - Centro de Operações de Defesa Interna - setembro 1970. • DOI - responsável pelas ações práticas de busca, apreensão e interrogatório de suspeitos • CODI - análise de informações, a coordenação dos diversos órgãos militares e o planejamento estratégico do combate aos grupos de esquerda Comando de Caça aos Comunistas (CCC) - 1963. www.portaldovestibulando.com
  • 25. Testemunha da História: Militares no Poder Com Boris Casoy. Brasil, 2001. Rede Record. Clique para iniciar o filme www.portaldovestibulando.com
  • 26. Governo Médici (1969-1974) Milagre Brasileiro (1969-1972) • Proposta do ministro Delfim Neto. • Consistia em concentrar a renda, formando um “bolo econômico”, a ser posteriormente dividido. • O “bolo” cresceu, porém a massa trabalhadora não participou de sua divisão. O “bolo” que a camadas baixas não provaram. www.portaldovestibulando.com
  • 27. Milagre Brasileiro (1969-1972) USP  Crescimento anual de 10% a 12%.  Facilidades de crédito (bens de consumo duráveis).  Arrocho salarial.  Investimentos externos (favorecimento do governo). Grandes empréstimos. www.portaldovestibulando.com
  • 28. Manifestações Contra o Governo MédiciManifestações Contra o Governo Médici www.portaldovestibulando.com
  • 29. Resposta da Esquerda ao Governo Médici Aliança Libertadora Nacional (ALN) - Movimento Nacional Revolucionário (MNR) – Partido Operário Comunista (POC) – Ação Popular (AP) – Avante! – Movimento de Libertação Popular (Molipo) - PCB – PCB do B – Movimento Revolucionário Oito de Outubro (MR-8) Marighela – ALN “Inimigo número 1” Capitão Carlos Lamarca – VAR PALMARES Vanguarda Armada Revolucionária Palmares
  • 30. Resposta da Esquerda ao Governo Médici Operação Registro (1970) Capitão Carlos Lamarca – VAR PALMARES Vanguarda Armada Revolucionária Palmares  Município de Cajati, Vale do Ribeira, a 200 quilômetros de São Paulo  Maior mobilização da história do II Exército = 2954 homens.  Infantaria e paraquedistas das forças especiais, Policia Militar e Rodoviária de São Paulo e do Dops e Marinha  Objetivo: capturar 9 integrantes da organização VPR  Comandados por Lamarca > instalou dois centros de treinamento de guerrilha na área. www.portaldovestibulando.com
  • 31. Embaixador Charles Elbrick ficou 4 dias em cativeiro. Resposta da Esquerda ao Governo Médici Assaltos a bancos. Sequestros de diplomatas. Prisioneiros libertados em troca do embaixador norte- americano.
  • 32. Filme: O Que é Isso Companheiro? Direção de Bruno Barreto. Brasil, 1997. Clique para iniciar o filme
  • 33. Filme: O Que é Isso Companheiro? Direção de Bruno Barreto. Brasil, 1997. Clique para iniciar o filme
  • 34. Resposta da Esquerda ao Governo Médici Luta Armada Guerrilhas Guerrilha do Araguaia (1967-1974)  O movimento foi organizado pelo PC do B.  Pretendiam implantar o socialismo no Brasil, iniciando o movimento pelo campo.  Localizava-se às margens do rio Araguaia, próximo às cidades de Marabá no Pará e de Xambioá (região denominada como Bico do Papagaio).  Participaram cerca de 80 guerrilheiros. www.portaldovestibulando.com
  • 35. Resposta do Governo Médici Repressão Governamental www.portaldovestibulando.com
  • 36. Resposta do Governo Médici Assassinato de Marighela – São Paulo – 1969 Carlos Lamarca assassinado – Interior da Bahia - 1971
  • 37. Governo Médici Os direitos fundamentais do cidadão estavam suspensos. Qualquer um podia ser preso e exilado se fosse desejo do governo. Exílio Político
  • 38. Governo Médici O governo gastava milhões com propagandas destinadas à melhoria da própria imagem junto ao povo. USP E a Rede Globo, principal aliada da Ditadura Militar, sempre lembrando ao povo miserável que "está tudo bem". Propaganda
  • 39. Governo Médici Propaganda Valorização de conquistas esportivas: futebol e automobilismo (sucesso do governo).
  • 40. Governo Médici Obras Faraônicas Transamazônica foi inaugurada em 30/07/1972.Ponte Rio-Niterói – inaugurada em 4/3/74.
  • 41. Assassinato do jornalista Vladimir Herzog e do operário Manoel Filho. Governo Geisel (1974–1979) Ações Repressivas A viúva Clarice, com o filho, e a foto do suicídio forjado: União foi condenada pelo crime em 1978.
  • 42. • Alteração do Código Eleitoral. Os candidatos só poderiam fazer campanha no horário de TV, mostrando exclusivamente suas fotos, seus currículos e suas plataformas. Lei Falcão (1976) Governo Geisel
  • 43. Governo Geisel  Estava incluída a Lei Falcão.  Um terço dos senadores não seria mais eleito, mas indicado pelo Governo Federal. Esses senadores passariam a ser chamados de “senadores biônicos”. Pacote de Abril (1977)
  • 44. Guerra Fria: Anos de 1970 Período de Distensão Os EUA e a URSS decidiram, então, realizar acordos para evitar uma catástrofe mundial. Nesta época, vários tratados foram assinados entre os dois lados. Salt 1 (1972): EUA - URSS Salt 2 (1979): Prorrogação Carter e Brejnev (1979) Nixon e Brejnev (1972)
  • 45. Governo Geisel  Criação da Nuclebras – A assinatura do Acordo Nuclear Brasil-Alemanha. Parceria em um projeto de transferência completa de tecnologia nuclear. - 1975 - Acordo nuclear com a Alemanha - 8 usinas nucleares (apenas uma realmente começou a funcionar – ANGRA I (Praia de Itaorna – Angra dos Reis – RJ – inicio construção: 1972 – Operar: 1982). - Pressão - EUA, como também do Reino Unido, Canadá, França e União Soviética.
  • 46. Governo Geisel  Em termos políticos, a escolha do general Ernesto Geisel significava mais uma vitória dos grupos moderados, que pensavam em devolver o poder aos civis gradualmente.  Em 1978, o governo Geisel decretou o fim do Ato Institucional N.º 5. Abertura Lenta e Gradual
  • 47. Governo João Baptista Figueiredo (1979–1985)  Anistia geral concedida em 1979 aos condenados por crime político. Exceto para envolvidos com luta armada e atos terroristas.  Retorno de exilados políticos : Brizola, Mestrinho, Prestes, Miguel Arraes... Abertura Política
  • 48. Governo João Baptista Figueiredo • Extinção do bipartidarismo. Retorno do pluripartidarismo.  Restabelecimento das eleições diretas para governadores dos Estados, em 1980.  1982: Eleições diretas para governador (vitória de candidatos oposicionistas em 10 estados, incluindo SP, RJ e MG). PDS (Antiga ARENA)
  • 50. Governo João Baptista Figueiredo  Grupos conservadores que não aceitavam as medidas redemocratizantes de Figueiredo.  Atentado ao Riocentro, local onde cerca de 20 mil pessoas assistiam a um show musical comemorativo ao dia 1º maio de 1981.  Sargento Guilherme Pereira e Capitão Machado Atentado do Riocentro: duas bombas explodem durante um show do Dia do Trabalho. Terrorismo de Direita
  • 51. Diretas Já! Abril de 1984 > No vale do Anhangabaú, no Centro de São Paulo, 1 milhão 300 mil pessoas (1 milhão e 500 mil, segundo a Polícia Militar) 1983 – Emenda Dante de Oliveira: Eleições diretas
  • 53.  25 de abril de 1984 > necessário mais de 2/3 de aprovação dos deputados  298: a favor > precisava: 320 votos a favor.
  • 54. Sucessão Presidencial - 1985 Situação: Paulo Maluf (PDS, antiga ARENA). Oposição: Aliança Democrática, apresentando seus candidatos:  Presidente da República: Tancredo Neves.  Vice-presidente: José Sarney. XPaulo Maluf Tancredo Neves
  • 55. IDÉIAS DE TANCREDO:  Sobre a democracia: “Não há Pátria onde falta democracia”.  Sobre a justiça social: “Enquanto houver, neste país, um só homem sem trabalho, sem pão, sem teto e sem letras, toda a prosperidade será falsa”. Tancredo procurava sintetizar as características da nova era que poderia se abrir com o fim da ditadura. Tancredo Neves (15/11/84 – 21/04/85)
  • 56. Eleições Presidenciais - 1985 Em 15 de janeiro, os membros do Colégio Eleitoral deram 480 votos a Tancredo Neves e apenas 180 a Paulo Maluf. Colégio Eleitoral
  • 57. Tancredo Neves • Tancredo Neves: Vence, mas não assume (15/11/1984) • 14/03/1985: internação e sete cirurgias • 21/04/1985: Falecimento