SlideShare uma empresa Scribd logo
VIII CBSAF, Belém (PA) 21 a 25 .11.
               2011.

       Simpósio 2.1. Sistemas
 agroflorestais e geração de renda:
    perspectivas para arranjos
agroflorestais baseados em cultivos
 âncora (Coordenador: A. Homma,
         Embrapa Oriental).
Os sistemas agroflorestais como
agentes capitalizadores no meio
             rural.

     Jean C.L. Dubois, REBRAF
   jcldubois28@yahoo.com.br
Objetivos do desenvolvimento
              agroflorestal
 segurança alimentar e nutricional tomando
 em conta as vantagens e desvantagens de
 comprar no mercado
Maximizar a geração de renda em regime de
 produção sustentada
Produção “limpa” (orgânica; agroecológica)
Biodiversidade interna (resiliência)
Biodiversidade externa (revalorização dos
 paisagens rurais)
Evolução gradativa da renda no decorrer
  do tempo: o processo de capitalização
• Roça c/ ssp de ciclo curto + mudas de café
  e/ou cacau, de bananeiras, paricá-grande
  (+freijó ): renda baixa
• >> renda bananeiras (frutas in natura; chips )
  : renda já maior
• >>> renda café/cacau: renda muito maior
• >>>> comercialização da madeira:
  consolidação do processo de capitalizaçaõ
Seqüência dinámica porém baixo nível de
  biodiversidade interna (fotos JDubois)
      Taungya Teca em Estrema, AC
Taungya Teca em Estrema, AC
Falta biodiversidade interna !
        (foto JDubois)
Como escolher as espécies âncora ? 1
Verificar as perspectivas efetivas de
 comercialização: mercado local, regional,
 nacional, internacional (o caso “Ginkgo” viz
 TECA!) > Algumas maxigeradores de renda:
 teca, mangostão, macadamia, nogueiras,
 aveleiro, noz-pecã, abricó-do-Pará, .....
Estudo de mercados com apoios externos
 (governamentais e não governamentais)
Como escolher as espécies âncora ? 2
Tomar em conta as preferências do agricultor:
 árvores nativas ≠ exóticas/ árvores gerando
 madeiras ≠ PFNM (araucária, castanheira-do-
 Pará, cumarú, jenipapo...
Escolher spp bem conhecidas (desenvolvi-
 mento, relações sinecológicas, cultura,
 manejo)
Tomar em conta a força de competição das
 spp âncora ( copas, raizes, podas,
 rebaixamneto ). Caso: jabuticabeira !
Como escolher as espécies âncora ? 3

Tomar em conta a perecibilidade do produto
 e a distância até o ponto de venda.
Tomar em conta perspectivas de beneficia-
 mento, considerando viabilidade social (
 beneficiamento caseira, via associação ou
 cooperativa), viabilidade financeira.
Exemplos: beneficiamentos diversos da
 castanha-do-Pará, das bananas, da pimenta-
 do-reino, das frutas em gera, do gengibre.
Muitos SAFs praticados hoje têm
    baixíssimo nível de biodiversidade
• EXEMPLOS:
 Schizolobium amazonicum / cacau (Pará).
Na Bahia: Cravo / cardamomo & seringueira /
  cardamomo
Em Rondônia: freijó / cacau
No Acre: Castanheira-do-Pará / cupuaçu /
  pupunha
 etc --- !!!!!
Como evitar o uso de agrotóxico
            com aumento da renda !
 Cultura orgânica ou agroecológica e/ou SAFs
  com altos níveis de biodiversidade interna.
 Usar espécies ou cultivares “resistentes”. Ver
  “biofábricas” ou outros serviços públicos for-
  necendo ou vendendo mudas ou propágulos de
  cultivares resistentes ( i.a. para café, cacau,
  bananeiras ... ). Bananais plurivarietais.
 Efeitos da sombra sobre incidência de doenças
  (cfr. Shigatokas)
Integração Lavoura Pecuária Floresta 1

• A ILPF é uma estratégia de produção que
  integra as atividades agrícolas, pecuárias e
  florestais, numa mesma área: a produção
  madeireira ocupa o terreno de forma
  contínua; pastagem e cultivos agrícolas de
  ciclo curto ocorrem na mesma área, de forma
  cíclica em intervalos não sempre regulares.
    www.ilpf.com.br/artigos/integracao.pdf
Integração Lavoura Pecuária Floresta 2
        Foto Eng. Flo. J.L.Stape, ESALQ
Integração Lavoura Pecuária Floresta 3

• Em junho de 2011, 195 propriedades rurais
  (de grandes a pequenas) praticavam a ILPF
       www.cnpgl.embrapa.br/nova/silpf .....
• Spp âncoras empregadas no Brasil em ILPF:
  maoirmente eucaliptos; em menor escala:
  teca, bracatinga, Acacia mangium.
     www.cnpms.embrapa.br/grao/2_edicao/
• Perspectivas com híbridos de choupos !
ILPF – 4: um exmplo de fonte informativa
Como buscar informação sobre espécies
                âncora ?
 Utilizar janelas de pesquisa online.
Serviços de informação online da EMBRAPA.
 www.embrapa.br/publicacoes/catalogo &
 www.infoteca.cnptia.embrapa.br
Livros refrentes a àrvores e palmeiras da flora
 brasileira.
Banco de dados do ICRAF:
 www.worldagroforestry >>> entrar
 “AFDbases”
Biodiversidade e densidade da ocupação
              lucrativa do espaço
Biodiversidade interna e resiliência financeira

Maximizar a ocupação econòmica do espaço:
  Cogúmelos em SAFs:O caso shiitake/
   shimeji.
  As palmeiras ornamentais de sub-bosque.
  Baunilha, orquídeas epifitas ou humícolas.
Qualidade do produto e da embalagem

O “café-gourmet” è 4 vezes mais caro que o
 café regular. Ver projetos (apoio ONG Ipê)
 “Floresta com Café” e “Café-gourmet” em
 Pontal de Paranapanema, SP.
Madeira de teca sem nós è pelo menos 20%
 mais cara que madeira de teca com nós.
Custo e capacidade sedutora das
 embalagens.
Não esqueça de medir a pegada
    ecológica do teu SAF !
SUGESTÕES NA ÁREA DE POLÍTICAS PÚBLICAS

• Os dispositivos legais autorizam explorar madeiras
  nativas em SAFs mas os tramites administrativos
  são complicados o que favorece o plantio de
  madeiras exóticas. Os SAfs adequadamente
  biodiversificados e adensados podem diminuir a
  erosão genética e/ou a extinção de espécies
  madeireiras nativas.
• Capacitar extensionistas no que se refere ao
  desempenho financeiro dos SAFs (escolha
  dasespécies âncora; manejo do SAF,
  beneficiamento, comercialização).
Equivalência nomes populares >>
               >>nomes científicos -1-
•   Abricó-do-Pará: Mammea maeric
•   Avelleiro: Corylus avellana
•   Araucaria, pinheiro-do-Paraná: Araucaria angustifolia
•   Baunilha: Vanilla planifolia
•   Castanhas exóticas: Castanea sativa, C. vesca
•   Castanheira-do-Pará: Bertholettia excelsa
•   Cravo (da Índia): Syzygium aromaticum
•   Cumarú: Dipteryx odorata
•   Freijó: Cordia goeldiana, C. alliodora
•   Ginkgo, árvore-avenca: Ginkgo biloba
•   Jabuticabeira: Plinia trunciflora
Equivalência nomes populares >>
        >>nomes científicos -2-
• Jenipapo: genipa americana
• Macadamia: Macadamia integrifolia & M. tetraphylla
• Mangostão: Garcinia mangostanamia integrifolia, M.
  tretraphylla
• Nogueira da Europa: Juglans regia
• Noz-pecã: Carya illinooensis
• Parica-grande: Schizolobium amazonicum
• Pimenta-do-reina: Piper nigrum
• Shiitake: Lentinula edodes
• Shimeji: Pleurotus ostreatus
Muito obrigado
jclduboid28@yahoo.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

ABC Criação de abelhas
ABC Criação de abelhasABC Criação de abelhas
ABC Criação de abelhas
Lenildo Araujo
 
Livro criacao abelhas sem ferrao inpa Gislene almeida
Livro criacao abelhas sem ferrao inpa Gislene almeidaLivro criacao abelhas sem ferrao inpa Gislene almeida
Livro criacao abelhas sem ferrao inpa Gislene almeida
Daniela Said
 
Clipping cnc 16112015
Clipping cnc 16112015Clipping cnc 16112015
Clipping cnc 16112015
Paulo André Colucci Kawasaki
 
Abelhas nativas da amazônia e populações tradicionais manual de meliponicul...
Abelhas nativas da amazônia e populações tradicionais   manual de meliponicul...Abelhas nativas da amazônia e populações tradicionais   manual de meliponicul...
Abelhas nativas da amazônia e populações tradicionais manual de meliponicul...
Weslei Ferreira Cruzeiro
 
Palestra sebrae o desafio do agronegócio de hortaliças-maio 2010_
 Palestra sebrae o desafio do agronegócio de hortaliças-maio 2010_ Palestra sebrae o desafio do agronegócio de hortaliças-maio 2010_
Palestra sebrae o desafio do agronegócio de hortaliças-maio 2010_
agro_SEBRAE
 
5 producao-de-mudas-de-plantas-nativa-do-cerrado
5 producao-de-mudas-de-plantas-nativa-do-cerrado5 producao-de-mudas-de-plantas-nativa-do-cerrado
5 producao-de-mudas-de-plantas-nativa-do-cerrado
Bruno Rodrigues
 
ABC Como produzir melancia
ABC Como produzir melanciaABC Como produzir melancia
ABC Como produzir melancia
Lenildo Araujo
 
ABC Caupi feijão do sertão
ABC Caupi feijão do sertãoABC Caupi feijão do sertão
ABC Caupi feijão do sertão
Lenildo Araujo
 
Abelhas sem-ferrao
Abelhas sem-ferraoAbelhas sem-ferrao
Abelhas sem-ferrao
Lenildo Araujo
 
PANORAMA DA CULTURA DA ACEROLA NO ESTADO DE SÃO PAULO
PANORAMA DA CULTURA DA ACEROLA NO ESTADO DE SÃO PAULOPANORAMA DA CULTURA DA ACEROLA NO ESTADO DE SÃO PAULO
PANORAMA DA CULTURA DA ACEROLA NO ESTADO DE SÃO PAULO
Rural Pecuária
 
Série meliponicultura nº 03
Série meliponicultura   nº 03Série meliponicultura   nº 03
Série meliponicultura nº 03
Weslei Ferreira Cruzeiro
 
ABC Como Garantir Água na Seca
ABC Como Garantir Água na SecaABC Como Garantir Água na Seca
ABC Como Garantir Água na Seca
Lenildo Araujo
 
Cartilha alternativas agricultura familiar
Cartilha alternativas agricultura familiarCartilha alternativas agricultura familiar
Cartilha alternativas agricultura familiar
Polpas
 
Hortas: 500 perguntas, 500 respostas
Hortas: 500 perguntas, 500 respostasHortas: 500 perguntas, 500 respostas
Hortas: 500 perguntas, 500 respostas
Portal Canal Rural
 
ABC Como plantar caju
ABC Como plantar cajuABC Como plantar caju
ABC Como plantar caju
Lenildo Araujo
 
Série meliponicultura nº 02
Série meliponicultura   nº 02Série meliponicultura   nº 02
Série meliponicultura nº 02
Weslei Ferreira Cruzeiro
 
Antonio Celso Villari - A.B.E.L.H.A
Antonio Celso Villari - A.B.E.L.H.AAntonio Celso Villari - A.B.E.L.H.A
Antonio Celso Villari - A.B.E.L.H.A
ApiculturaeAgricultura
 
Cultivo da Mandioca na Região Centro-Sul do Brasil
Cultivo da Mandioca na Região Centro-Sul do BrasilCultivo da Mandioca na Região Centro-Sul do Brasil
Cultivo da Mandioca na Região Centro-Sul do Brasil
joseagro18
 

Mais procurados (18)

ABC Criação de abelhas
ABC Criação de abelhasABC Criação de abelhas
ABC Criação de abelhas
 
Livro criacao abelhas sem ferrao inpa Gislene almeida
Livro criacao abelhas sem ferrao inpa Gislene almeidaLivro criacao abelhas sem ferrao inpa Gislene almeida
Livro criacao abelhas sem ferrao inpa Gislene almeida
 
Clipping cnc 16112015
Clipping cnc 16112015Clipping cnc 16112015
Clipping cnc 16112015
 
Abelhas nativas da amazônia e populações tradicionais manual de meliponicul...
Abelhas nativas da amazônia e populações tradicionais   manual de meliponicul...Abelhas nativas da amazônia e populações tradicionais   manual de meliponicul...
Abelhas nativas da amazônia e populações tradicionais manual de meliponicul...
 
Palestra sebrae o desafio do agronegócio de hortaliças-maio 2010_
 Palestra sebrae o desafio do agronegócio de hortaliças-maio 2010_ Palestra sebrae o desafio do agronegócio de hortaliças-maio 2010_
Palestra sebrae o desafio do agronegócio de hortaliças-maio 2010_
 
5 producao-de-mudas-de-plantas-nativa-do-cerrado
5 producao-de-mudas-de-plantas-nativa-do-cerrado5 producao-de-mudas-de-plantas-nativa-do-cerrado
5 producao-de-mudas-de-plantas-nativa-do-cerrado
 
ABC Como produzir melancia
ABC Como produzir melanciaABC Como produzir melancia
ABC Como produzir melancia
 
ABC Caupi feijão do sertão
ABC Caupi feijão do sertãoABC Caupi feijão do sertão
ABC Caupi feijão do sertão
 
Abelhas sem-ferrao
Abelhas sem-ferraoAbelhas sem-ferrao
Abelhas sem-ferrao
 
PANORAMA DA CULTURA DA ACEROLA NO ESTADO DE SÃO PAULO
PANORAMA DA CULTURA DA ACEROLA NO ESTADO DE SÃO PAULOPANORAMA DA CULTURA DA ACEROLA NO ESTADO DE SÃO PAULO
PANORAMA DA CULTURA DA ACEROLA NO ESTADO DE SÃO PAULO
 
Série meliponicultura nº 03
Série meliponicultura   nº 03Série meliponicultura   nº 03
Série meliponicultura nº 03
 
ABC Como Garantir Água na Seca
ABC Como Garantir Água na SecaABC Como Garantir Água na Seca
ABC Como Garantir Água na Seca
 
Cartilha alternativas agricultura familiar
Cartilha alternativas agricultura familiarCartilha alternativas agricultura familiar
Cartilha alternativas agricultura familiar
 
Hortas: 500 perguntas, 500 respostas
Hortas: 500 perguntas, 500 respostasHortas: 500 perguntas, 500 respostas
Hortas: 500 perguntas, 500 respostas
 
ABC Como plantar caju
ABC Como plantar cajuABC Como plantar caju
ABC Como plantar caju
 
Série meliponicultura nº 02
Série meliponicultura   nº 02Série meliponicultura   nº 02
Série meliponicultura nº 02
 
Antonio Celso Villari - A.B.E.L.H.A
Antonio Celso Villari - A.B.E.L.H.AAntonio Celso Villari - A.B.E.L.H.A
Antonio Celso Villari - A.B.E.L.H.A
 
Cultivo da Mandioca na Região Centro-Sul do Brasil
Cultivo da Mandioca na Região Centro-Sul do BrasilCultivo da Mandioca na Região Centro-Sul do Brasil
Cultivo da Mandioca na Região Centro-Sul do Brasil
 

Semelhante a Dia 2 - Simpósio 1 - SAFs e Geração de Renda - Os Sistemas Agroflorestais como agentes capitalizadores no meio rural

Aula rec.gen.melhoramento de plantas1
Aula rec.gen.melhoramento de plantas1Aula rec.gen.melhoramento de plantas1
Aula rec.gen.melhoramento de plantas1
Renato Ferraz de Arruda Veiga
 
Banco de germoplasma e o papel dos jb para a pesquisa e conservação1
Banco de germoplasma e o papel dos jb para a pesquisa e conservação1Banco de germoplasma e o papel dos jb para a pesquisa e conservação1
Banco de germoplasma e o papel dos jb para a pesquisa e conservação1
Renato Ferraz de Arruda Veiga
 
Banco de germoplasma e o papel dos jb para a pesquisa e conservação1
Banco de germoplasma e o papel dos jb para a pesquisa e conservação1Banco de germoplasma e o papel dos jb para a pesquisa e conservação1
Banco de germoplasma e o papel dos jb para a pesquisa e conservação1
Renato Ferraz de Arruda Veiga
 
Apresentação Setor e a Conservação da Mata Atlântica
Apresentação Setor e a Conservação da Mata AtlânticaApresentação Setor e a Conservação da Mata Atlântica
Apresentação Setor e a Conservação da Mata Atlântica
ReservadaBiosferadaM
 
Aula Pós IAC - Manejo de Recursos Genéticos de Plantas Perenes - Parte 2
Aula Pós IAC - Manejo de Recursos Genéticos de Plantas Perenes - Parte 2Aula Pós IAC - Manejo de Recursos Genéticos de Plantas Perenes - Parte 2
Aula Pós IAC - Manejo de Recursos Genéticos de Plantas Perenes - Parte 2
Renato Ferraz de Arruda Veiga
 
Cultura da Mandioca
Cultura da MandiocaCultura da Mandioca
Cultura da Mandioca
João Felix
 
Manejo, Propagação e Características das Florestas de Araucária
Manejo, Propagação e Características das Florestas de AraucáriaManejo, Propagação e Características das Florestas de Araucária
Manejo, Propagação e Características das Florestas de Araucária
Emero_Roger
 
Diálogos Sustentabilidade - Poços de Caldas - MG 2017
Diálogos Sustentabilidade - Poços de Caldas - MG 2017Diálogos Sustentabilidade - Poços de Caldas - MG 2017
Diálogos Sustentabilidade - Poços de Caldas - MG 2017
Renato Ferraz de Arruda Veiga
 
Aula de Manejo de Recursos Fitogenéticos Parte 2
Aula de Manejo de Recursos Fitogenéticos Parte 2Aula de Manejo de Recursos Fitogenéticos Parte 2
Aula de Manejo de Recursos Fitogenéticos Parte 2
Renato Ferraz de Arruda Veiga
 
Programa de melhoramento genético de antúrio
Programa de melhoramento genético de antúrioPrograma de melhoramento genético de antúrio
Programa de melhoramento genético de antúrio
Rural Pecuária
 
RESGATE DE CONHECIMENTOS TRADICIONAIS: PRODUÇÃO E CONSUMO DE PLANTAS NÃO CONV...
RESGATE DE CONHECIMENTOS TRADICIONAIS: PRODUÇÃO E CONSUMO DE PLANTAS NÃO CONV...RESGATE DE CONHECIMENTOS TRADICIONAIS: PRODUÇÃO E CONSUMO DE PLANTAS NÃO CONV...
RESGATE DE CONHECIMENTOS TRADICIONAIS: PRODUÇÃO E CONSUMO DE PLANTAS NÃO CONV...
Rural Pecuária
 
Tecnologias da Embrapa 28-Abr_2014.ppt
Tecnologias da Embrapa 28-Abr_2014.pptTecnologias da Embrapa 28-Abr_2014.ppt
Tecnologias da Embrapa 28-Abr_2014.ppt
jeffersonbarros39
 
Tecnologias da Embrapa 28-Abr_2014.ppt
Tecnologias da Embrapa 28-Abr_2014.pptTecnologias da Embrapa 28-Abr_2014.ppt
Tecnologias da Embrapa 28-Abr_2014.ppt
MichellinePoncianoSi
 
Conservação e Preservação de plantas agrícolas
Conservação e Preservação de plantas agrícolas Conservação e Preservação de plantas agrícolas
Conservação e Preservação de plantas agrícolas
Renato Ferraz de Arruda Veiga
 
Aula manejorg 2_2019
Aula manejorg 2_2019Aula manejorg 2_2019
Aula manejorg 2_2019
Renato Ferraz de Arruda Veiga
 
Diversificação da produção na agricultura familiar em Santa Catarina: Cocada ...
Diversificação da produção na agricultura familiar em Santa Catarina: Cocada ...Diversificação da produção na agricultura familiar em Santa Catarina: Cocada ...
Diversificação da produção na agricultura familiar em Santa Catarina: Cocada ...
Priscila de Oliveira
 
POMAR AGROECOLÓGICO
POMAR AGROECOLÓGICOPOMAR AGROECOLÓGICO
POMAR AGROECOLÓGICO
Julião Medeiros
 
Polinização cajazeira
Polinização cajazeiraPolinização cajazeira
Polinização cajazeira
WandercleysonSilva2
 
Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...
Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...
Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...
Rural Pecuária
 
Frutas Do Cerrado 2
Frutas Do Cerrado 2Frutas Do Cerrado 2
Frutas Do Cerrado 2
Medusa Fabula
 

Semelhante a Dia 2 - Simpósio 1 - SAFs e Geração de Renda - Os Sistemas Agroflorestais como agentes capitalizadores no meio rural (20)

Aula rec.gen.melhoramento de plantas1
Aula rec.gen.melhoramento de plantas1Aula rec.gen.melhoramento de plantas1
Aula rec.gen.melhoramento de plantas1
 
Banco de germoplasma e o papel dos jb para a pesquisa e conservação1
Banco de germoplasma e o papel dos jb para a pesquisa e conservação1Banco de germoplasma e o papel dos jb para a pesquisa e conservação1
Banco de germoplasma e o papel dos jb para a pesquisa e conservação1
 
Banco de germoplasma e o papel dos jb para a pesquisa e conservação1
Banco de germoplasma e o papel dos jb para a pesquisa e conservação1Banco de germoplasma e o papel dos jb para a pesquisa e conservação1
Banco de germoplasma e o papel dos jb para a pesquisa e conservação1
 
Apresentação Setor e a Conservação da Mata Atlântica
Apresentação Setor e a Conservação da Mata AtlânticaApresentação Setor e a Conservação da Mata Atlântica
Apresentação Setor e a Conservação da Mata Atlântica
 
Aula Pós IAC - Manejo de Recursos Genéticos de Plantas Perenes - Parte 2
Aula Pós IAC - Manejo de Recursos Genéticos de Plantas Perenes - Parte 2Aula Pós IAC - Manejo de Recursos Genéticos de Plantas Perenes - Parte 2
Aula Pós IAC - Manejo de Recursos Genéticos de Plantas Perenes - Parte 2
 
Cultura da Mandioca
Cultura da MandiocaCultura da Mandioca
Cultura da Mandioca
 
Manejo, Propagação e Características das Florestas de Araucária
Manejo, Propagação e Características das Florestas de AraucáriaManejo, Propagação e Características das Florestas de Araucária
Manejo, Propagação e Características das Florestas de Araucária
 
Diálogos Sustentabilidade - Poços de Caldas - MG 2017
Diálogos Sustentabilidade - Poços de Caldas - MG 2017Diálogos Sustentabilidade - Poços de Caldas - MG 2017
Diálogos Sustentabilidade - Poços de Caldas - MG 2017
 
Aula de Manejo de Recursos Fitogenéticos Parte 2
Aula de Manejo de Recursos Fitogenéticos Parte 2Aula de Manejo de Recursos Fitogenéticos Parte 2
Aula de Manejo de Recursos Fitogenéticos Parte 2
 
Programa de melhoramento genético de antúrio
Programa de melhoramento genético de antúrioPrograma de melhoramento genético de antúrio
Programa de melhoramento genético de antúrio
 
RESGATE DE CONHECIMENTOS TRADICIONAIS: PRODUÇÃO E CONSUMO DE PLANTAS NÃO CONV...
RESGATE DE CONHECIMENTOS TRADICIONAIS: PRODUÇÃO E CONSUMO DE PLANTAS NÃO CONV...RESGATE DE CONHECIMENTOS TRADICIONAIS: PRODUÇÃO E CONSUMO DE PLANTAS NÃO CONV...
RESGATE DE CONHECIMENTOS TRADICIONAIS: PRODUÇÃO E CONSUMO DE PLANTAS NÃO CONV...
 
Tecnologias da Embrapa 28-Abr_2014.ppt
Tecnologias da Embrapa 28-Abr_2014.pptTecnologias da Embrapa 28-Abr_2014.ppt
Tecnologias da Embrapa 28-Abr_2014.ppt
 
Tecnologias da Embrapa 28-Abr_2014.ppt
Tecnologias da Embrapa 28-Abr_2014.pptTecnologias da Embrapa 28-Abr_2014.ppt
Tecnologias da Embrapa 28-Abr_2014.ppt
 
Conservação e Preservação de plantas agrícolas
Conservação e Preservação de plantas agrícolas Conservação e Preservação de plantas agrícolas
Conservação e Preservação de plantas agrícolas
 
Aula manejorg 2_2019
Aula manejorg 2_2019Aula manejorg 2_2019
Aula manejorg 2_2019
 
Diversificação da produção na agricultura familiar em Santa Catarina: Cocada ...
Diversificação da produção na agricultura familiar em Santa Catarina: Cocada ...Diversificação da produção na agricultura familiar em Santa Catarina: Cocada ...
Diversificação da produção na agricultura familiar em Santa Catarina: Cocada ...
 
POMAR AGROECOLÓGICO
POMAR AGROECOLÓGICOPOMAR AGROECOLÓGICO
POMAR AGROECOLÓGICO
 
Polinização cajazeira
Polinização cajazeiraPolinização cajazeira
Polinização cajazeira
 
Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...
Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...
Horticultura de baixo carbono e segurança hídrica no cultivo de bananeira agr...
 
Frutas Do Cerrado 2
Frutas Do Cerrado 2Frutas Do Cerrado 2
Frutas Do Cerrado 2
 

Mais de cbsaf

Cbsaf reduzido
Cbsaf reduzidoCbsaf reduzido
Cbsaf reduzido
cbsaf
 
22 metodoseproedimentosdelevantamentodecampopara
22 metodoseproedimentosdelevantamentodecampopara22 metodoseproedimentosdelevantamentodecampopara
22 metodoseproedimentosdelevantamentodecampopara
cbsaf
 
Paulo guilherme cabral mma
Paulo guilherme cabral mmaPaulo guilherme cabral mma
Paulo guilherme cabral mma
cbsaf
 
Paulo augusto lobato emater
Paulo augusto lobato ematerPaulo augusto lobato emater
Paulo augusto lobato emater
cbsaf
 
Sergio aparecido bb
Sergio aparecido bbSergio aparecido bb
Sergio aparecido bb
cbsaf
 
Joao luis guadagnin mda
Joao luis guadagnin mdaJoao luis guadagnin mda
Joao luis guadagnin mda
cbsaf
 
22iidamir
22iidamir22iidamir
22iidamir
cbsaf
 
22robertmiller
22robertmiller22robertmiller
22robertmiller
cbsaf
 
24zaresoares
24zaresoares24zaresoares
24zaresoares
cbsaf
 
24ricardoscoles
24ricardoscoles24ricardoscoles
24ricardoscoles
cbsaf
 
24marceloarcoverde
24marceloarcoverde24marceloarcoverde
24marceloarcoverde
cbsaf
 
24lucianarocha
24lucianarocha24lucianarocha
24lucianarocha
cbsaf
 
24jorgevivan
24jorgevivan24jorgevivan
24jorgevivan
cbsaf
 
24cleidetavares
24cleidetavares24cleidetavares
24cleidetavares
cbsaf
 
24casemiro
24casemiro24casemiro
24casemiro
cbsaf
 
24andregolcalves
24andregolcalves24andregolcalves
24andregolcalves
cbsaf
 
23leonardosorice
23leonardosorice23leonardosorice
23leonardosorice
cbsaf
 
Robert miller simposio 3.1
Robert miller simposio 3.1Robert miller simposio 3.1
Robert miller simposio 3.1
cbsaf
 
Helio umemura simposio 2.1
Helio umemura simposio 2.1Helio umemura simposio 2.1
Helio umemura simposio 2.1
cbsaf
 
Compressed cbsa fs-acai_silas_mochiutti
Compressed cbsa fs-acai_silas_mochiuttiCompressed cbsa fs-acai_silas_mochiutti
Compressed cbsa fs-acai_silas_mochiutti
cbsaf
 

Mais de cbsaf (20)

Cbsaf reduzido
Cbsaf reduzidoCbsaf reduzido
Cbsaf reduzido
 
22 metodoseproedimentosdelevantamentodecampopara
22 metodoseproedimentosdelevantamentodecampopara22 metodoseproedimentosdelevantamentodecampopara
22 metodoseproedimentosdelevantamentodecampopara
 
Paulo guilherme cabral mma
Paulo guilherme cabral mmaPaulo guilherme cabral mma
Paulo guilherme cabral mma
 
Paulo augusto lobato emater
Paulo augusto lobato ematerPaulo augusto lobato emater
Paulo augusto lobato emater
 
Sergio aparecido bb
Sergio aparecido bbSergio aparecido bb
Sergio aparecido bb
 
Joao luis guadagnin mda
Joao luis guadagnin mdaJoao luis guadagnin mda
Joao luis guadagnin mda
 
22iidamir
22iidamir22iidamir
22iidamir
 
22robertmiller
22robertmiller22robertmiller
22robertmiller
 
24zaresoares
24zaresoares24zaresoares
24zaresoares
 
24ricardoscoles
24ricardoscoles24ricardoscoles
24ricardoscoles
 
24marceloarcoverde
24marceloarcoverde24marceloarcoverde
24marceloarcoverde
 
24lucianarocha
24lucianarocha24lucianarocha
24lucianarocha
 
24jorgevivan
24jorgevivan24jorgevivan
24jorgevivan
 
24cleidetavares
24cleidetavares24cleidetavares
24cleidetavares
 
24casemiro
24casemiro24casemiro
24casemiro
 
24andregolcalves
24andregolcalves24andregolcalves
24andregolcalves
 
23leonardosorice
23leonardosorice23leonardosorice
23leonardosorice
 
Robert miller simposio 3.1
Robert miller simposio 3.1Robert miller simposio 3.1
Robert miller simposio 3.1
 
Helio umemura simposio 2.1
Helio umemura simposio 2.1Helio umemura simposio 2.1
Helio umemura simposio 2.1
 
Compressed cbsa fs-acai_silas_mochiutti
Compressed cbsa fs-acai_silas_mochiuttiCompressed cbsa fs-acai_silas_mochiutti
Compressed cbsa fs-acai_silas_mochiutti
 

Dia 2 - Simpósio 1 - SAFs e Geração de Renda - Os Sistemas Agroflorestais como agentes capitalizadores no meio rural

  • 1. VIII CBSAF, Belém (PA) 21 a 25 .11. 2011. Simpósio 2.1. Sistemas agroflorestais e geração de renda: perspectivas para arranjos agroflorestais baseados em cultivos âncora (Coordenador: A. Homma, Embrapa Oriental).
  • 2. Os sistemas agroflorestais como agentes capitalizadores no meio rural. Jean C.L. Dubois, REBRAF jcldubois28@yahoo.com.br
  • 3. Objetivos do desenvolvimento agroflorestal  segurança alimentar e nutricional tomando em conta as vantagens e desvantagens de comprar no mercado Maximizar a geração de renda em regime de produção sustentada Produção “limpa” (orgânica; agroecológica) Biodiversidade interna (resiliência) Biodiversidade externa (revalorização dos paisagens rurais)
  • 4. Evolução gradativa da renda no decorrer do tempo: o processo de capitalização • Roça c/ ssp de ciclo curto + mudas de café e/ou cacau, de bananeiras, paricá-grande (+freijó ): renda baixa • >> renda bananeiras (frutas in natura; chips ) : renda já maior • >>> renda café/cacau: renda muito maior • >>>> comercialização da madeira: consolidação do processo de capitalizaçaõ
  • 5. Seqüência dinámica porém baixo nível de biodiversidade interna (fotos JDubois) Taungya Teca em Estrema, AC
  • 6. Taungya Teca em Estrema, AC Falta biodiversidade interna ! (foto JDubois)
  • 7. Como escolher as espécies âncora ? 1 Verificar as perspectivas efetivas de comercialização: mercado local, regional, nacional, internacional (o caso “Ginkgo” viz TECA!) > Algumas maxigeradores de renda: teca, mangostão, macadamia, nogueiras, aveleiro, noz-pecã, abricó-do-Pará, ..... Estudo de mercados com apoios externos (governamentais e não governamentais)
  • 8. Como escolher as espécies âncora ? 2 Tomar em conta as preferências do agricultor: árvores nativas ≠ exóticas/ árvores gerando madeiras ≠ PFNM (araucária, castanheira-do- Pará, cumarú, jenipapo... Escolher spp bem conhecidas (desenvolvi- mento, relações sinecológicas, cultura, manejo) Tomar em conta a força de competição das spp âncora ( copas, raizes, podas, rebaixamneto ). Caso: jabuticabeira !
  • 9. Como escolher as espécies âncora ? 3 Tomar em conta a perecibilidade do produto e a distância até o ponto de venda. Tomar em conta perspectivas de beneficia- mento, considerando viabilidade social ( beneficiamento caseira, via associação ou cooperativa), viabilidade financeira. Exemplos: beneficiamentos diversos da castanha-do-Pará, das bananas, da pimenta- do-reino, das frutas em gera, do gengibre.
  • 10. Muitos SAFs praticados hoje têm baixíssimo nível de biodiversidade • EXEMPLOS:  Schizolobium amazonicum / cacau (Pará). Na Bahia: Cravo / cardamomo & seringueira / cardamomo Em Rondônia: freijó / cacau No Acre: Castanheira-do-Pará / cupuaçu / pupunha  etc --- !!!!!
  • 11. Como evitar o uso de agrotóxico com aumento da renda !  Cultura orgânica ou agroecológica e/ou SAFs com altos níveis de biodiversidade interna.  Usar espécies ou cultivares “resistentes”. Ver “biofábricas” ou outros serviços públicos for- necendo ou vendendo mudas ou propágulos de cultivares resistentes ( i.a. para café, cacau, bananeiras ... ). Bananais plurivarietais.  Efeitos da sombra sobre incidência de doenças (cfr. Shigatokas)
  • 12. Integração Lavoura Pecuária Floresta 1 • A ILPF é uma estratégia de produção que integra as atividades agrícolas, pecuárias e florestais, numa mesma área: a produção madeireira ocupa o terreno de forma contínua; pastagem e cultivos agrícolas de ciclo curto ocorrem na mesma área, de forma cíclica em intervalos não sempre regulares. www.ilpf.com.br/artigos/integracao.pdf
  • 13. Integração Lavoura Pecuária Floresta 2 Foto Eng. Flo. J.L.Stape, ESALQ
  • 14. Integração Lavoura Pecuária Floresta 3 • Em junho de 2011, 195 propriedades rurais (de grandes a pequenas) praticavam a ILPF www.cnpgl.embrapa.br/nova/silpf ..... • Spp âncoras empregadas no Brasil em ILPF: maoirmente eucaliptos; em menor escala: teca, bracatinga, Acacia mangium. www.cnpms.embrapa.br/grao/2_edicao/ • Perspectivas com híbridos de choupos !
  • 15. ILPF – 4: um exmplo de fonte informativa
  • 16. Como buscar informação sobre espécies âncora ?  Utilizar janelas de pesquisa online. Serviços de informação online da EMBRAPA. www.embrapa.br/publicacoes/catalogo & www.infoteca.cnptia.embrapa.br Livros refrentes a àrvores e palmeiras da flora brasileira. Banco de dados do ICRAF: www.worldagroforestry >>> entrar “AFDbases”
  • 17. Biodiversidade e densidade da ocupação lucrativa do espaço Biodiversidade interna e resiliência financeira Maximizar a ocupação econòmica do espaço: Cogúmelos em SAFs:O caso shiitake/ shimeji. As palmeiras ornamentais de sub-bosque. Baunilha, orquídeas epifitas ou humícolas.
  • 18. Qualidade do produto e da embalagem O “café-gourmet” è 4 vezes mais caro que o café regular. Ver projetos (apoio ONG Ipê) “Floresta com Café” e “Café-gourmet” em Pontal de Paranapanema, SP. Madeira de teca sem nós è pelo menos 20% mais cara que madeira de teca com nós. Custo e capacidade sedutora das embalagens.
  • 19. Não esqueça de medir a pegada ecológica do teu SAF !
  • 20. SUGESTÕES NA ÁREA DE POLÍTICAS PÚBLICAS • Os dispositivos legais autorizam explorar madeiras nativas em SAFs mas os tramites administrativos são complicados o que favorece o plantio de madeiras exóticas. Os SAfs adequadamente biodiversificados e adensados podem diminuir a erosão genética e/ou a extinção de espécies madeireiras nativas. • Capacitar extensionistas no que se refere ao desempenho financeiro dos SAFs (escolha dasespécies âncora; manejo do SAF, beneficiamento, comercialização).
  • 21. Equivalência nomes populares >> >>nomes científicos -1- • Abricó-do-Pará: Mammea maeric • Avelleiro: Corylus avellana • Araucaria, pinheiro-do-Paraná: Araucaria angustifolia • Baunilha: Vanilla planifolia • Castanhas exóticas: Castanea sativa, C. vesca • Castanheira-do-Pará: Bertholettia excelsa • Cravo (da Índia): Syzygium aromaticum • Cumarú: Dipteryx odorata • Freijó: Cordia goeldiana, C. alliodora • Ginkgo, árvore-avenca: Ginkgo biloba • Jabuticabeira: Plinia trunciflora
  • 22. Equivalência nomes populares >> >>nomes científicos -2- • Jenipapo: genipa americana • Macadamia: Macadamia integrifolia & M. tetraphylla • Mangostão: Garcinia mangostanamia integrifolia, M. tretraphylla • Nogueira da Europa: Juglans regia • Noz-pecã: Carya illinooensis • Parica-grande: Schizolobium amazonicum • Pimenta-do-reina: Piper nigrum • Shiitake: Lentinula edodes • Shimeji: Pleurotus ostreatus