SlideShare uma empresa Scribd logo
Subsídio para Lição 3: Não terás outros deuses
Prof. Eduardo Braz*

O Primeiro Mandamento
O primeiro mandamento é: "Não terás outros
deuses além de mim" (Êx 20.3).
“o fim deste mandamento é que Deus quer ser o único a ter a preeminência
em seu povo e nele exercer seu direito em plena medida. Para que isso
aconteça, ordena que estejam longe de nós a impiedade e toda e qualquer
superstição, em virtude da qual ou se diminui ou se obscurece a glória de
sua divindade. E, pela mesma razão, prescreve que o cultuemos e o
adoremos com o verdadeiro zelo da piedade. E a própria simplicidade das
palavras soa quase que isto, porquanto não podemos ter Deus sem que, ao
mesmo tempo, abracemos as coisas que lhe são próprias. Portanto, o fato
de proibir que tenhamos deuses estranhos, com isto significa que não
devemos transferir para outrem o que lhe é exclusivo”. João Calvino
Para Calvino o primeiro mandamento apresenta quatro pontos
principais: Adoração, Confiança, Invocação e Ação de Graças.
“Chamo adoração a veneração e o culto que qualquer um de
nós lhe rende, quando se lhe submete à grandeza. Por isso,
não improcedentemente, incluo à adoração a submissão de
nossa consciência à sua lei. Confiança é a segurança de nele
descansar, em virtude do reconhecimento de seus
predicados, quando, atribuindo-lhe toda sabedoria, justiça,
poder, verdade, bondade, reconhecemos que somos bem-
aventurados somente em sua comunhão. Invocação é o
recurso de nossa mente à sua fidelidade e assistência, como
ao sustentáculo único, sempre que alguma necessidade
insiste. Ação de graças é a gratidão com que se lhe atribui o
louvor de todo bem”.

Neste primeiro mandamento são apresentadas
algumas exigências, dentre elas:
• Conhecer Deus como o único e verdadeiro Deus e reconhecê-lo como nosso
Deus, e, por isto adorá-lo e glorificá-lo como tal (1 Cr 28.9; Dt 26.17; Is 43.10;
Sl 95.6-7; Sl 29.2; Sl 63.6)
• Pensar e meditar nÊle, nos lembrando dÊle, apreciando, honrando,
adorando, desejando, e temendo-o (Ec. 12.1; Is 45.23).
• Devemos crer nÊle, confiando, esperando, deleitando-nos e regozijando-nos
nÊle (Dt 6.5; Sl 73.25; Is 8.13; Is 26.4; Sl 130.7; Sl 37.4).
• Precisamos ter zelo por Ele; invocá-lo, dando-Lhe todo louvor e
agradecimentos, prestando-Lhe toda a obediência e submissão (Êx 14.31;
Rm 12.11; Fp 4.6).
• É nossa obrigação ter cuidado de agradá-Lo em tudo, inclusive nos
entristecendo quando Ele é ofendido em qualquer coisa (Jr 7.23; Tg 4.7; 1 Jo
3.22).
• Devemos fazer isto para andarmos humildemente com Ele (Jr 31.18; Mq 6.8).
Como todo mandamento
observamos que alguns pecados são
proibidos no primeiro mandamento,
dentre eles:
O ateísmo: negar ou não crer em Deus (Sl 14.1; Ef 2.12).
A idolatria: ter ou adorar mais do que a Deus, ou qualquer outro juntamente com o
verdadeiro Deus ou em lugar dÊle (Jr 2.27-28; Is 40.18).
Não tê-lo e não confessá-lo como Deus, e nosso Deus (Sl 81.11).
A omissão ou negligência de qualquer coisa devida a Ele, exigida neste mandamento
(Is 43.22-23; Jr 4.22; Sl 50.21).
A ignorância, o esquecimento, as más concepções, as falsas opiniões, os pensamentos
indignos e ímpios quanto a Ele (Os 4.1-6; Jr 2.32; At 17.23,29).
O pesquisar audaz e curioso dos seus segredos (Dt 29.29);
Toda a impiedade, todo o ódio contra Deus, egoísmo, espírito interesseiro e toda a
aplicação desordenada e imoderada do nosso entendimento, vontade ou afetos e
outras coisas e o desvio destes de Deus, em tudo ou em parte (Tt 1.16; Hb 12.16; Rm
1.30; 2 Tm 3.2; Fl 2.21).
A vã credulidade, a incredulidade, a heresia, as crenças errôneas, a desconfiança, o
desespero (1 Jo 2.15-16; 4.1; Hb 3.12; Gl 5.20).
A resistência obstinada e a insensibilidade sob os juízos de Deus (At 26.9).
A dureza de coração (Sl 78.22; Gn 4.13; Jr 5.3).
A soberba (Rm 2.5; Jr 13.15).
A presunção (Sf 1.12; Mt 4.7; Rm 3.8).
A segurança carnal (Jr 17.5; Ap 3.1,16).
O tentar a Deus (2 Tm 3.4).
O uso de meios ilícitos, a confiança nos lícitos; os deleites e gozos carnais (Is 1.4-5;
Os 4.12).
Um zelo corrupto, cego e indiscreto (Cl 2.18; Rm 1.25).
O esfriamento e o amortecimento nas coisas de Deus (At 5.3).
O alienar-nos e apostatar-nos de Deus (Dt 32.15).
O orar ou prestar qualquer culto religioso a santos, anjos ou qualquer outra
criatura (Lv 20.6).
Todos os pactos com o diabo; o consultar com ele e dar ouvidos às suas sugestões
(Mt 4.10).
Fazer dos homes senhores da nossa fé e consciência (At 5.29).
O fazer pouco caso e desprezar a Deus e aos mandamentos (Dn 5.23).
O resistir e entristecer o seu Espírito (At 7.51; Ef 4.30).
Acusá-lo estultamente dos males com que Ele nos aflige, e o atribuir o louvor de
qualquer bem que somos, temos ou podemos fazer à fortuna, aos ídolos, a nós
mesmos, ou a qualquer outra criatura (Lc 12.19; Dt 8.17; Hc 1.16).

Ferramentas Úteis
Breve Catecismo de Westminster
Catecismo Maior de Westminster
Confissão de Fé de Westminster
Catecismo de Heidelberg
As Institutas de João Calvino
Revista e Livro do trimestre
Bíblias (ARA, ARC, NVI)
Dicionário de língua portuguesa
Dicionário teológico
(84) 9834.6937 e 8780.5376
pauloeduardobg@gmail.com
pauloeduardobg@outlook.com
facebook.com/pauloeduardo.bgoncalves
instagran: eduardo_brazz
Igreja Evangélica Assembleia de Deus no RN
Natal, Setor 22 - Cong. Monte Sião
Rua Indomar s/n, Planalto
Escola Bíblica Dominical
8hs 30min – Classes de Adultos e Infantis
10hs – Classes de Adolescentes, Jovens e Discipulados
*Eduardo Braz

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

5º módulo 2ª aula
5º módulo   2ª aula5º módulo   2ª aula
5º módulo 2ª aula
Joel Silva
 
A boa noticia que vem do ceu rm 1 1 17
A boa noticia que vem do ceu rm 1 1 17A boa noticia que vem do ceu rm 1 1 17
A boa noticia que vem do ceu rm 1 1 17
Decio Da Costa Costa
 
Lição 11
Lição 11Lição 11
Lição 11
Joao DA Silva
 
3º módulo 2ª aula
3º módulo   2ª aula3º módulo   2ª aula
3º módulo 2ª aula
Joel Silva
 
Lição 1 - O Deus todo poderoso se revelou
Lição 1 - O Deus todo poderoso se revelouLição 1 - O Deus todo poderoso se revelou
Lição 1 - O Deus todo poderoso se revelou
Erberson Pinheiro
 
Lição 12
Lição 12Lição 12
Lição 12
Joao DA Silva
 
Livro ebook-resumo-dos-10-mandamentos
Livro ebook-resumo-dos-10-mandamentosLivro ebook-resumo-dos-10-mandamentos
Livro ebook-resumo-dos-10-mandamentos
Wellington Amaro de Souza
 
Resumo dos 10 mandamentos - John Gill
Resumo dos 10 mandamentos - John GillResumo dos 10 mandamentos - John Gill
Resumo dos 10 mandamentos - John Gill
Pr. Régerson Molitor
 
Deus (teontologia)
Deus (teontologia)Deus (teontologia)
Deus (teontologia)
Rovanildo Vieira Soares
 
A Certeza da Salvação
A Certeza da SalvaçãoA Certeza da Salvação
A Certeza da Salvação
RJBITENCOURT
 
Lição 13
Lição 13Lição 13
Lição 13
Joao DA Silva
 
Atributos de deus
Atributos de deusAtributos de deus
Atributos de deus
ugleybson
 
Doutrina sal da terra.
Doutrina  sal da terra.Doutrina  sal da terra.
Doutrina sal da terra.
Joel Silva
 
estudo biblico
estudo biblicoestudo biblico
estudo biblico
valmarques
 
O homem, a imagem e semelhança de Deus (2)
O homem, a imagem e semelhança de Deus (2)O homem, a imagem e semelhança de Deus (2)
O homem, a imagem e semelhança de Deus (2)
Rovanildo Vieira Soares
 
A justiça divina
A justiça divinaA justiça divina
A justiça divina
Erberson Pinheiro
 
CURSO BIBLICO A Doutrina da Salvação Aula 4 Regeneração
CURSO BIBLICO A Doutrina da Salvação Aula 4 RegeneraçãoCURSO BIBLICO A Doutrina da Salvação Aula 4 Regeneração
CURSO BIBLICO A Doutrina da Salvação Aula 4 Regeneração
Dr. Paulo Lis
 
Lição 01 - O Deus Todo-Poderoso se revelou
Lição 01 - O Deus Todo-Poderoso se revelouLição 01 - O Deus Todo-Poderoso se revelou
Lição 01 - O Deus Todo-Poderoso se revelou
Éder Tomé
 
Lição 05
Lição 05Lição 05
Lição 05
Joao DA Silva
 
4º módulo 1ª aula
4º módulo   1ª aula4º módulo   1ª aula
4º módulo 1ª aula
Joel Silva
 

Mais procurados (20)

5º módulo 2ª aula
5º módulo   2ª aula5º módulo   2ª aula
5º módulo 2ª aula
 
A boa noticia que vem do ceu rm 1 1 17
A boa noticia que vem do ceu rm 1 1 17A boa noticia que vem do ceu rm 1 1 17
A boa noticia que vem do ceu rm 1 1 17
 
Lição 11
Lição 11Lição 11
Lição 11
 
3º módulo 2ª aula
3º módulo   2ª aula3º módulo   2ª aula
3º módulo 2ª aula
 
Lição 1 - O Deus todo poderoso se revelou
Lição 1 - O Deus todo poderoso se revelouLição 1 - O Deus todo poderoso se revelou
Lição 1 - O Deus todo poderoso se revelou
 
Lição 12
Lição 12Lição 12
Lição 12
 
Livro ebook-resumo-dos-10-mandamentos
Livro ebook-resumo-dos-10-mandamentosLivro ebook-resumo-dos-10-mandamentos
Livro ebook-resumo-dos-10-mandamentos
 
Resumo dos 10 mandamentos - John Gill
Resumo dos 10 mandamentos - John GillResumo dos 10 mandamentos - John Gill
Resumo dos 10 mandamentos - John Gill
 
Deus (teontologia)
Deus (teontologia)Deus (teontologia)
Deus (teontologia)
 
A Certeza da Salvação
A Certeza da SalvaçãoA Certeza da Salvação
A Certeza da Salvação
 
Lição 13
Lição 13Lição 13
Lição 13
 
Atributos de deus
Atributos de deusAtributos de deus
Atributos de deus
 
Doutrina sal da terra.
Doutrina  sal da terra.Doutrina  sal da terra.
Doutrina sal da terra.
 
estudo biblico
estudo biblicoestudo biblico
estudo biblico
 
O homem, a imagem e semelhança de Deus (2)
O homem, a imagem e semelhança de Deus (2)O homem, a imagem e semelhança de Deus (2)
O homem, a imagem e semelhança de Deus (2)
 
A justiça divina
A justiça divinaA justiça divina
A justiça divina
 
CURSO BIBLICO A Doutrina da Salvação Aula 4 Regeneração
CURSO BIBLICO A Doutrina da Salvação Aula 4 RegeneraçãoCURSO BIBLICO A Doutrina da Salvação Aula 4 Regeneração
CURSO BIBLICO A Doutrina da Salvação Aula 4 Regeneração
 
Lição 01 - O Deus Todo-Poderoso se revelou
Lição 01 - O Deus Todo-Poderoso se revelouLição 01 - O Deus Todo-Poderoso se revelou
Lição 01 - O Deus Todo-Poderoso se revelou
 
Lição 05
Lição 05Lição 05
Lição 05
 
4º módulo 1ª aula
4º módulo   1ª aula4º módulo   1ª aula
4º módulo 1ª aula
 

Semelhante a Deveres e proibições do primeiro mandamento

O segundo mandamento
O segundo mandamentoO segundo mandamento
O segundo mandamento
Eduardo Braz
 
Intercessão e batalha espiritual Débora.pdf
Intercessão e batalha espiritual Débora.pdfIntercessão e batalha espiritual Débora.pdf
Intercessão e batalha espiritual Débora.pdf
DenivalSouza1
 
Intercessão e batalha espiritual igreja escola base .pdf
Intercessão e batalha espiritual igreja escola base  .pdfIntercessão e batalha espiritual igreja escola base  .pdf
Intercessão e batalha espiritual igreja escola base .pdf
DenivalSouza1
 
Formação intercessão apóstila i
Formação intercessão apóstila iFormação intercessão apóstila i
Formação intercessão apóstila i
Tatiano Ribeiro Dos Santos
 
As obras da carne e do Espírito
As obras da carne e do EspíritoAs obras da carne e do Espírito
As obras da carne e do Espírito
Joselito Machado
 
Boletim cbg n°_30_27_jul_2014
Boletim cbg n°_30_27_jul_2014Boletim cbg n°_30_27_jul_2014
Boletim cbg n°_30_27_jul_2014
Silas Roberto Nogueira
 
7 mordomia
7   mordomia7   mordomia
Obediencia
ObedienciaObediencia
Obediencia
guest23190ea
 
Doutrina de deus
Doutrina de deusDoutrina de deus
Doutrina de deus
Gcom digital factory
 
Slide intercessão 22.pptx
Slide intercessão 22.pptxSlide intercessão 22.pptx
Slide intercessão 22.pptx
Fábio Alvarenga
 
Intimidade com Deus1
Intimidade com Deus1Intimidade com Deus1
Intimidade com Deus1
Elias Costa
 
O fruto do espirito santo
O fruto do espirito santoO fruto do espirito santo
O fruto do espirito santo
Minerva Souza
 
Intercessão
Intercessão Intercessão
Intercessão
Sandra Dias
 
Lição 4 - Não farás imagens de esculturas
Lição 4 - Não farás imagens de esculturasLição 4 - Não farás imagens de esculturas
Lição 4 - Não farás imagens de esculturas
Adriano Pascoa
 
Como remover os quatro espíritos que tentam destruir a igreja
Como remover os quatro espíritos que tentam destruir a igrejaComo remover os quatro espíritos que tentam destruir a igreja
Como remover os quatro espíritos que tentam destruir a igreja
Renize Lima
 
Curso de oração
Curso de oraçãoCurso de oração
Curso de oração
copydesign
 
Deveres e proibições do segundo mandamento
Deveres e proibições do segundo mandamentoDeveres e proibições do segundo mandamento
Deveres e proibições do segundo mandamento
Eduardo Braz
 
Vida de santidade (intercessão módulo ll capítulo lll)
Vida de santidade (intercessão módulo ll capítulo lll)Vida de santidade (intercessão módulo ll capítulo lll)
Vida de santidade (intercessão módulo ll capítulo lll)
Cassio Felipe
 
maturidade espiritual.pptx
maturidade espiritual.pptxmaturidade espiritual.pptx
maturidade espiritual.pptx
AprendaMsicaFcil
 
Aula 2-caráter-moldado-pelo-espírito-santo-
Aula 2-caráter-moldado-pelo-espírito-santo-Aula 2-caráter-moldado-pelo-espírito-santo-
Aula 2-caráter-moldado-pelo-espírito-santo-
mandycrux
 

Semelhante a Deveres e proibições do primeiro mandamento (20)

O segundo mandamento
O segundo mandamentoO segundo mandamento
O segundo mandamento
 
Intercessão e batalha espiritual Débora.pdf
Intercessão e batalha espiritual Débora.pdfIntercessão e batalha espiritual Débora.pdf
Intercessão e batalha espiritual Débora.pdf
 
Intercessão e batalha espiritual igreja escola base .pdf
Intercessão e batalha espiritual igreja escola base  .pdfIntercessão e batalha espiritual igreja escola base  .pdf
Intercessão e batalha espiritual igreja escola base .pdf
 
Formação intercessão apóstila i
Formação intercessão apóstila iFormação intercessão apóstila i
Formação intercessão apóstila i
 
As obras da carne e do Espírito
As obras da carne e do EspíritoAs obras da carne e do Espírito
As obras da carne e do Espírito
 
Boletim cbg n°_30_27_jul_2014
Boletim cbg n°_30_27_jul_2014Boletim cbg n°_30_27_jul_2014
Boletim cbg n°_30_27_jul_2014
 
7 mordomia
7   mordomia7   mordomia
7 mordomia
 
Obediencia
ObedienciaObediencia
Obediencia
 
Doutrina de deus
Doutrina de deusDoutrina de deus
Doutrina de deus
 
Slide intercessão 22.pptx
Slide intercessão 22.pptxSlide intercessão 22.pptx
Slide intercessão 22.pptx
 
Intimidade com Deus1
Intimidade com Deus1Intimidade com Deus1
Intimidade com Deus1
 
O fruto do espirito santo
O fruto do espirito santoO fruto do espirito santo
O fruto do espirito santo
 
Intercessão
Intercessão Intercessão
Intercessão
 
Lição 4 - Não farás imagens de esculturas
Lição 4 - Não farás imagens de esculturasLição 4 - Não farás imagens de esculturas
Lição 4 - Não farás imagens de esculturas
 
Como remover os quatro espíritos que tentam destruir a igreja
Como remover os quatro espíritos que tentam destruir a igrejaComo remover os quatro espíritos que tentam destruir a igreja
Como remover os quatro espíritos que tentam destruir a igreja
 
Curso de oração
Curso de oraçãoCurso de oração
Curso de oração
 
Deveres e proibições do segundo mandamento
Deveres e proibições do segundo mandamentoDeveres e proibições do segundo mandamento
Deveres e proibições do segundo mandamento
 
Vida de santidade (intercessão módulo ll capítulo lll)
Vida de santidade (intercessão módulo ll capítulo lll)Vida de santidade (intercessão módulo ll capítulo lll)
Vida de santidade (intercessão módulo ll capítulo lll)
 
maturidade espiritual.pptx
maturidade espiritual.pptxmaturidade espiritual.pptx
maturidade espiritual.pptx
 
Aula 2-caráter-moldado-pelo-espírito-santo-
Aula 2-caráter-moldado-pelo-espírito-santo-Aula 2-caráter-moldado-pelo-espírito-santo-
Aula 2-caráter-moldado-pelo-espírito-santo-
 

Mais de Eduardo Braz

Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes
Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente EficazesOs 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes
Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes
Eduardo Braz
 
Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes - De dentro para fora
Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes - De dentro para foraOs 7 hábitos das pessoas altamente eficazes - De dentro para fora
Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes - De dentro para fora
Eduardo Braz
 
Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes - Visão Geral
Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes - Visão GeralOs 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes - Visão Geral
Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes - Visão Geral
Eduardo Braz
 
Comentários de joão Calvino sobre a lei
Comentários de joão Calvino sobre a leiComentários de joão Calvino sobre a lei
Comentários de joão Calvino sobre a lei
Eduardo Braz
 
A correta interpretação dos dez mandamentos
A correta interpretação dos dez mandamentosA correta interpretação dos dez mandamentos
A correta interpretação dos dez mandamentos
Eduardo Braz
 
A Lei Moral
A Lei MoralA Lei Moral
A Lei Moral
Eduardo Braz
 
Subsídio 1 que significa lei? O crente está sob a lei ou sob a graça?
Subsídio 1 que significa lei? O crente está sob a lei ou sob a graça?Subsídio 1 que significa lei? O crente está sob a lei ou sob a graça?
Subsídio 1 que significa lei? O crente está sob a lei ou sob a graça?
Eduardo Braz
 

Mais de Eduardo Braz (7)

Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes
Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente EficazesOs 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes
Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes
 
Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes - De dentro para fora
Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes - De dentro para foraOs 7 hábitos das pessoas altamente eficazes - De dentro para fora
Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes - De dentro para fora
 
Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes - Visão Geral
Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes - Visão GeralOs 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes - Visão Geral
Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes - Visão Geral
 
Comentários de joão Calvino sobre a lei
Comentários de joão Calvino sobre a leiComentários de joão Calvino sobre a lei
Comentários de joão Calvino sobre a lei
 
A correta interpretação dos dez mandamentos
A correta interpretação dos dez mandamentosA correta interpretação dos dez mandamentos
A correta interpretação dos dez mandamentos
 
A Lei Moral
A Lei MoralA Lei Moral
A Lei Moral
 
Subsídio 1 que significa lei? O crente está sob a lei ou sob a graça?
Subsídio 1 que significa lei? O crente está sob a lei ou sob a graça?Subsídio 1 que significa lei? O crente está sob a lei ou sob a graça?
Subsídio 1 que significa lei? O crente está sob a lei ou sob a graça?
 

Último

10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
Nilson Almeida
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
SanturioTacararu
 
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃOgrabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
luartfelt
 
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.pptAngelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
mfixa3824
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
PIB Penha
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.pptA VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
FranciscoAudisio2
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
nadeclarice
 
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdfauxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
EzeirAlvesdaSilva
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
Marta Gomes
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
PIB Penha
 
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
OBrasilParaCristoRad
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
AntonioMugiba
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
PIB Penha
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
EdimarEdigesso
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.pptPALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
FranciscoAudisio2
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
AlexandreCarvalho858758
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
valneirocha
 

Último (20)

10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
 
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.pptEncontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
Encontro ECC - Sacramento Penitência.ppt
 
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃOgrabovoi apostila.pdf  FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
grabovoi apostila.pdf FORMA CORRETA DE UTILIZAÇÃO
 
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.pptAngelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
Angelologia - Estudo sobre a Doutrina dos Anjos.ppt
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.pptA VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
A VIVÊNCIA DO SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO slides.ppt
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptxBatismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
Batismo CELEBRANDO A NOSSA FÉ BATISMAL.pptx
 
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdfauxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
auxiliar- juvenis-1trimestre de 2024.pdf
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
 
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
3 - Plena Paz.ppt Harpa cristã assembleia
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.pptPALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
PALESTRA SACRAMENTO DO MATRIMÔNIO 09-09-2017 slides.ppt
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
 

Deveres e proibições do primeiro mandamento

  • 1. Subsídio para Lição 3: Não terás outros deuses Prof. Eduardo Braz*
  • 2.  O Primeiro Mandamento O primeiro mandamento é: "Não terás outros deuses além de mim" (Êx 20.3). “o fim deste mandamento é que Deus quer ser o único a ter a preeminência em seu povo e nele exercer seu direito em plena medida. Para que isso aconteça, ordena que estejam longe de nós a impiedade e toda e qualquer superstição, em virtude da qual ou se diminui ou se obscurece a glória de sua divindade. E, pela mesma razão, prescreve que o cultuemos e o adoremos com o verdadeiro zelo da piedade. E a própria simplicidade das palavras soa quase que isto, porquanto não podemos ter Deus sem que, ao mesmo tempo, abracemos as coisas que lhe são próprias. Portanto, o fato de proibir que tenhamos deuses estranhos, com isto significa que não devemos transferir para outrem o que lhe é exclusivo”. João Calvino
  • 3. Para Calvino o primeiro mandamento apresenta quatro pontos principais: Adoração, Confiança, Invocação e Ação de Graças. “Chamo adoração a veneração e o culto que qualquer um de nós lhe rende, quando se lhe submete à grandeza. Por isso, não improcedentemente, incluo à adoração a submissão de nossa consciência à sua lei. Confiança é a segurança de nele descansar, em virtude do reconhecimento de seus predicados, quando, atribuindo-lhe toda sabedoria, justiça, poder, verdade, bondade, reconhecemos que somos bem- aventurados somente em sua comunhão. Invocação é o recurso de nossa mente à sua fidelidade e assistência, como ao sustentáculo único, sempre que alguma necessidade insiste. Ação de graças é a gratidão com que se lhe atribui o louvor de todo bem”.
  • 4.  Neste primeiro mandamento são apresentadas algumas exigências, dentre elas: • Conhecer Deus como o único e verdadeiro Deus e reconhecê-lo como nosso Deus, e, por isto adorá-lo e glorificá-lo como tal (1 Cr 28.9; Dt 26.17; Is 43.10; Sl 95.6-7; Sl 29.2; Sl 63.6) • Pensar e meditar nÊle, nos lembrando dÊle, apreciando, honrando, adorando, desejando, e temendo-o (Ec. 12.1; Is 45.23). • Devemos crer nÊle, confiando, esperando, deleitando-nos e regozijando-nos nÊle (Dt 6.5; Sl 73.25; Is 8.13; Is 26.4; Sl 130.7; Sl 37.4). • Precisamos ter zelo por Ele; invocá-lo, dando-Lhe todo louvor e agradecimentos, prestando-Lhe toda a obediência e submissão (Êx 14.31; Rm 12.11; Fp 4.6). • É nossa obrigação ter cuidado de agradá-Lo em tudo, inclusive nos entristecendo quando Ele é ofendido em qualquer coisa (Jr 7.23; Tg 4.7; 1 Jo 3.22). • Devemos fazer isto para andarmos humildemente com Ele (Jr 31.18; Mq 6.8).
  • 5. Como todo mandamento observamos que alguns pecados são proibidos no primeiro mandamento, dentre eles:
  • 6. O ateísmo: negar ou não crer em Deus (Sl 14.1; Ef 2.12). A idolatria: ter ou adorar mais do que a Deus, ou qualquer outro juntamente com o verdadeiro Deus ou em lugar dÊle (Jr 2.27-28; Is 40.18). Não tê-lo e não confessá-lo como Deus, e nosso Deus (Sl 81.11). A omissão ou negligência de qualquer coisa devida a Ele, exigida neste mandamento (Is 43.22-23; Jr 4.22; Sl 50.21). A ignorância, o esquecimento, as más concepções, as falsas opiniões, os pensamentos indignos e ímpios quanto a Ele (Os 4.1-6; Jr 2.32; At 17.23,29). O pesquisar audaz e curioso dos seus segredos (Dt 29.29); Toda a impiedade, todo o ódio contra Deus, egoísmo, espírito interesseiro e toda a aplicação desordenada e imoderada do nosso entendimento, vontade ou afetos e outras coisas e o desvio destes de Deus, em tudo ou em parte (Tt 1.16; Hb 12.16; Rm 1.30; 2 Tm 3.2; Fl 2.21). A vã credulidade, a incredulidade, a heresia, as crenças errôneas, a desconfiança, o desespero (1 Jo 2.15-16; 4.1; Hb 3.12; Gl 5.20).
  • 7. A resistência obstinada e a insensibilidade sob os juízos de Deus (At 26.9). A dureza de coração (Sl 78.22; Gn 4.13; Jr 5.3). A soberba (Rm 2.5; Jr 13.15). A presunção (Sf 1.12; Mt 4.7; Rm 3.8). A segurança carnal (Jr 17.5; Ap 3.1,16). O tentar a Deus (2 Tm 3.4). O uso de meios ilícitos, a confiança nos lícitos; os deleites e gozos carnais (Is 1.4-5; Os 4.12). Um zelo corrupto, cego e indiscreto (Cl 2.18; Rm 1.25). O esfriamento e o amortecimento nas coisas de Deus (At 5.3). O alienar-nos e apostatar-nos de Deus (Dt 32.15). O orar ou prestar qualquer culto religioso a santos, anjos ou qualquer outra criatura (Lv 20.6).
  • 8. Todos os pactos com o diabo; o consultar com ele e dar ouvidos às suas sugestões (Mt 4.10). Fazer dos homes senhores da nossa fé e consciência (At 5.29). O fazer pouco caso e desprezar a Deus e aos mandamentos (Dn 5.23). O resistir e entristecer o seu Espírito (At 7.51; Ef 4.30). Acusá-lo estultamente dos males com que Ele nos aflige, e o atribuir o louvor de qualquer bem que somos, temos ou podemos fazer à fortuna, aos ídolos, a nós mesmos, ou a qualquer outra criatura (Lc 12.19; Dt 8.17; Hc 1.16).
  • 9.  Ferramentas Úteis Breve Catecismo de Westminster Catecismo Maior de Westminster Confissão de Fé de Westminster Catecismo de Heidelberg As Institutas de João Calvino Revista e Livro do trimestre Bíblias (ARA, ARC, NVI) Dicionário de língua portuguesa Dicionário teológico
  • 10. (84) 9834.6937 e 8780.5376 pauloeduardobg@gmail.com pauloeduardobg@outlook.com facebook.com/pauloeduardo.bgoncalves instagran: eduardo_brazz Igreja Evangélica Assembleia de Deus no RN Natal, Setor 22 - Cong. Monte Sião Rua Indomar s/n, Planalto Escola Bíblica Dominical 8hs 30min – Classes de Adultos e Infantis 10hs – Classes de Adolescentes, Jovens e Discipulados *Eduardo Braz