SlideShare uma empresa Scribd logo
Determinismo biológico
Os antropólogos constatam a partir de seus
 estudos de que as diferenças genéticas
 não são determinantes das diferenças
 culturais


    Felix Keesing: “não existe correlação
    significativa entre a distribuição dos
    caracteres genéticos e a distribuição dos
    comportamentos culturais”
Reunião UNESCO -1950


“Os dados científicos não confirmam a teoria segundo a
  qual as diferenças genéticas hereditárias constituíriam
  um fator de importância primordial entre as causas das
  diferenças que se manifestam entre as culturas (…)
  essas diferenças se explicam antes de tudo pela
  história cultural de cada grupo. Os fatores que tiveram
  um papel prependerante na evolução do homem são
  sua faculdade de aprender e sua plasticidade”.
“... não foi provada a validade da tese segundo a qual os
   grupos humanos diferen uns dos outros pelos traços
   psicologicamente inatos, quer se trate de inteligência
   ou temperamento. As pesquisas científicas revelam
   que o nível das aptidões mentais é quase o mesmo em
   todos os grupos étnicos”.
A espécie humana se diferencia através do
 dimorfismo sexual, mas é falso que as
 diferenças de comportamento existentes
 entre pessoas de sexos diferentes sejam
 determinadas biologicamente.


Atividades atribuidas às mulheres em uma
 cultura podem ser atribuídas aos homens
 em outra
O comportamento dos indivíduos depende de
 um aprendizado, de um processo que
 chamamos de endoculturação.


Um menino e uma menina agem
 diferentemente não em função de seus
 hormônios, mas em decorrência de uma
 educação diferenciada.
Determinismo geográfico

Considera que as diferenças do ambiente
   físico condicionam a diversidade cultural.


    Estas teorias foram desenvolvidas
    principalmente por geógrafos no final do
    Século XIX e no início do Século XX e
    ganharam uma grande popularidade.
Desde a Antigüidade, foram comuns as tentativas de
   explicar as diferenças de comportamento entre
   os homens, a partir das variações dos
   ambientes físicos:


    Marcus V. Pollio, arquiteto romano, S.I A.C.:
“Os povos do sul têm uma intelegiência aguda,
    devido à raridade da atmosfera e ao calor;
    enquanto os das nações do Norte, tendo se
    desenvolvido numa atmosfera densa e esfriados
    pelos vapores dos ares carregados, têm uma
    inteligência preguiçosa”.
Jean Bodin, filósofo francês do século XVI:


Teoria de que os povos do norte têm como líquido
  dominante da vida o fleuma, enquanto os do sul
  são dominados pela bilis negra.


Em decorrência disto, os nórdicos são fieis, leais aos
 governantes, cruéis e pouco interessados
 sexualmente; enquanto os do sul são maliciosos,
 engenhosos, abertos, orientados para as ciências.
Hungtington: Civilization and climate, 1915:
formula uma relação entre latitude e centros de
  civilização, considerando o clima como fator
  importante na dinâmica do progresso.
A partir de 1920, antropólogos como Boas, Wissler e
  Kroeber, entre outros, refutaram este tipo de
  determinismo e demonstraram que existe uma
  limitação na influência geográfica sobre os fatores
  culturais.


É possível existir uma grande diversidade cultural
  localizada em um mesmo tipo de ambiente
  físico.
Exemplos:
Lapões e Esquimos: ambiente geográfico
 semelhante: calota polar norte; flora e fauna
 semelhante
Lapões: norte da Europa
Casas: tendas de peles de rena
Criadores de rena
Esquimós: norte de América
Casas formadas de blocos de neve
Vivem da caça de mamíferos
A aparente pobreza glacial não impede que os
  esquimós tenham uma desenvolvida arte de
  esculturas em pedra-sabão e nem que resolvam os
  seus conflitos com uma sofisticada competição de
  canções entre os competidores
Índios do sudoeste norte-americano


    Grupo Pueblo: aldeões, economia agrícola
    baseada no milho


    Os Navajo: antes coleta de castanha e caça;
    atualmente pastoreadores de ovinos
Parque Nacional do Xingu


    Kamayurá, Kalapalo, Trumai, Waurá: se dedicam à
    pesca e caça de aves

    Kayabi: preferem os mamíferos de grande porte,
    como a anta, o veado, o caitutu etc.
Os três exemplos mostram que não é possível
 admitir a idéia do determinismo geográfico.


A posição da antropologia moderna é que a
 “cultura age seletivamente”, e não
 casualmente, sobre seu meio ambiente.
As diferenças de comportamento entre os
 homens não podem ser explicadas através
 das diversidades somatológicas ou
 mesológicas.


Os determinismos geográficos e biológicos
 não explicam a diversidade dos seres
 humanos.
A cultura diversifica enormemente a
 humanidade, apesar de sua comprovada
 unidade biológica


    Confúcio: “A natureza dos homens é a
    mesma, são seus hábitos que os mantêm
    separados”.
A grande qualidade da espécie humana é
 romper com suas próprias limitações.


O ser humano difere dos outros
 animais por ser o único que possui
 cultura.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Cartografia completa
Cartografia completaCartografia completa
Cartografia completa
Artur Lara
 
Três formas de globalização allana
Três formas de globalização  allanaTrês formas de globalização  allana
Três formas de globalização allana
allananicacio
 
Movimentos da terra
Movimentos da terraMovimentos da terra
Movimentos da terra
NelciRealDias1
 
Modelos atômicos ( 9 ano)
Modelos atômicos ( 9 ano)Modelos atômicos ( 9 ano)
Modelos atômicos ( 9 ano)
Karol Maia
 
Separação de Misturas
Separação de MisturasSeparação de Misturas
Separação de Misturas
Cláudio Santos
 
Slides aquecimento global
Slides aquecimento global   Slides aquecimento global
Slides aquecimento global
JUCIANO PEREIRA DOS SANTOS
 
Projeções cartográficas
Projeções cartográficasProjeções cartográficas
Projeções cartográficas
João José Ferreira Tojal
 
Geografia conceitos básicos
Geografia conceitos básicosGeografia conceitos básicos
Geografia conceitos básicos
Ademir Aquino
 
Geologia
GeologiaGeologia
Geografia introdução
Geografia   introduçãoGeografia   introdução
Geografia introdução
Flávio Alexandre
 
O Universo
O UniversoO Universo
O Universo
Alline Sa
 
A biosfera
A biosferaA biosfera
A biosfera
Niepson Arruda
 
Projeçoes cartograficas
Projeçoes cartograficasProjeçoes cartograficas
Projeçoes cartograficas
Prof.Paulo/geografia
 
Formação dos continentes
Formação dos continentesFormação dos continentes
Formação dos continentes
Naira Delazari
 
A formação do terri´torio brasileiro
A formação do terri´torio brasileiroA formação do terri´torio brasileiro
A formação do terri´torio brasileiro
Antonio Reali
 
9 evolucionismo
9  evolucionismo9  evolucionismo
9 evolucionismo
margaridabt
 
Mecanismos de evolução biológica
Mecanismos de evolução biológicaMecanismos de evolução biológica
Mecanismos de evolução biológica
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Estrutura Geológica do Brasil
Estrutura Geológica do BrasilEstrutura Geológica do Brasil
Estrutura Geológica do Brasil
Marco Santos
 
Os movimentos da terra
Os movimentos da terraOs movimentos da terra
Os movimentos da terra
Professor
 
Origem e formação da terra
Origem e formação da terraOrigem e formação da terra
Origem e formação da terra
karolpoa
 

Mais procurados (20)

Cartografia completa
Cartografia completaCartografia completa
Cartografia completa
 
Três formas de globalização allana
Três formas de globalização  allanaTrês formas de globalização  allana
Três formas de globalização allana
 
Movimentos da terra
Movimentos da terraMovimentos da terra
Movimentos da terra
 
Modelos atômicos ( 9 ano)
Modelos atômicos ( 9 ano)Modelos atômicos ( 9 ano)
Modelos atômicos ( 9 ano)
 
Separação de Misturas
Separação de MisturasSeparação de Misturas
Separação de Misturas
 
Slides aquecimento global
Slides aquecimento global   Slides aquecimento global
Slides aquecimento global
 
Projeções cartográficas
Projeções cartográficasProjeções cartográficas
Projeções cartográficas
 
Geografia conceitos básicos
Geografia conceitos básicosGeografia conceitos básicos
Geografia conceitos básicos
 
Geologia
GeologiaGeologia
Geologia
 
Geografia introdução
Geografia   introduçãoGeografia   introdução
Geografia introdução
 
O Universo
O UniversoO Universo
O Universo
 
A biosfera
A biosferaA biosfera
A biosfera
 
Projeçoes cartograficas
Projeçoes cartograficasProjeçoes cartograficas
Projeçoes cartograficas
 
Formação dos continentes
Formação dos continentesFormação dos continentes
Formação dos continentes
 
A formação do terri´torio brasileiro
A formação do terri´torio brasileiroA formação do terri´torio brasileiro
A formação do terri´torio brasileiro
 
9 evolucionismo
9  evolucionismo9  evolucionismo
9 evolucionismo
 
Mecanismos de evolução biológica
Mecanismos de evolução biológicaMecanismos de evolução biológica
Mecanismos de evolução biológica
 
Estrutura Geológica do Brasil
Estrutura Geológica do BrasilEstrutura Geológica do Brasil
Estrutura Geológica do Brasil
 
Os movimentos da terra
Os movimentos da terraOs movimentos da terra
Os movimentos da terra
 
Origem e formação da terra
Origem e formação da terraOrigem e formação da terra
Origem e formação da terra
 

Semelhante a Determinismo biológico e geográfico (03/04/2012)

Cultura: um conceito antropológico
Cultura: um conceito antropológicoCultura: um conceito antropológico
Cultura: um conceito antropológico
Direito Nabuco
 
Etnocentrismo e outros conceitos.ppt
Etnocentrismo e outros conceitos.pptEtnocentrismo e outros conceitos.ppt
Etnocentrismo e outros conceitos.ppt
Rafael867106
 
Cap 6 cultura e transformação
Cap 6 cultura e transformaçãoCap 6 cultura e transformação
Cap 6 cultura e transformação
Joao Balbi
 
Cap 6 cultura e transformação
Cap 6 cultura e transformaçãoCap 6 cultura e transformação
Cap 6 cultura e transformação
Joao Balbi
 
O que é cultura
O que é culturaO que é cultura
O que é cultura
Thiago OLiveira da Silva
 
Cultura: um conceito antropologico - Parte 1
Cultura: um conceito antropologico - Parte 1Cultura: um conceito antropologico - Parte 1
Cultura: um conceito antropologico - Parte 1
Leonardo Santos
 
1 Resumo: cultura, um conceito antropológico (LARAIA)
1 Resumo: cultura, um conceito antropológico (LARAIA)1 Resumo: cultura, um conceito antropológico (LARAIA)
1 Resumo: cultura, um conceito antropológico (LARAIA)
Israel serique
 
Apresentação em Aula 1 Antropologia versão 97-2003.ppt
Apresentação em Aula 1 Antropologia versão 97-2003.pptApresentação em Aula 1 Antropologia versão 97-2003.ppt
Apresentação em Aula 1 Antropologia versão 97-2003.ppt
RafaelXavierChaves
 
Aula 19 - Identidade Cultural - padronização e diversidade
Aula 19 - Identidade Cultural - padronização e diversidadeAula 19 - Identidade Cultural - padronização e diversidade
Aula 19 - Identidade Cultural - padronização e diversidade
Claudio Henrique Ramos Sales
 
Aula 19 - Identidade Cultural - Padronização e diversidade
Aula 19 - Identidade Cultural - Padronização e diversidadeAula 19 - Identidade Cultural - Padronização e diversidade
Aula 19 - Identidade Cultural - Padronização e diversidade
Claudio Henrique Ramos Sales
 
África, berço da humanidade
África, berço da humanidadeÁfrica, berço da humanidade
África, berço da humanidade
CEJALaguna
 
temas de reflexao
temas de reflexaotemas de reflexao
temas de reflexao
ValSony
 
Antropologia e cultura tylor boas e malinowski
Antropologia e cultura tylor boas e malinowskiAntropologia e cultura tylor boas e malinowski
Antropologia e cultura tylor boas e malinowski
firminomaissociologiafilosofia2019
 
Antropologia e cultura tylor boas e malinowski
Antropologia e cultura tylor boas e malinowskiAntropologia e cultura tylor boas e malinowski
Antropologia e cultura tylor boas e malinowski
Celso Firmino Sociologia/Filosofia
 
FACELI - DIREITO - 2° período - Curso de Homem, cultura e sociedade - 02
FACELI - DIREITO - 2° período - Curso de Homem, cultura e sociedade - 02FACELI - DIREITO - 2° período - Curso de Homem, cultura e sociedade - 02
FACELI - DIREITO - 2° período - Curso de Homem, cultura e sociedade - 02
Jordano Santos Cerqueira
 
Capítulo 5 - Temas Contemporâneos da Antropologia
Capítulo 5 - Temas Contemporâneos da AntropologiaCapítulo 5 - Temas Contemporâneos da Antropologia
Capítulo 5 - Temas Contemporâneos da Antropologia
Marcos Antonio Grigorio de Figueiredo
 
sld_1 (1).pdf
sld_1 (1).pdfsld_1 (1).pdf
sld_1 (1).pdf
SammuelFabricio1
 
Culturaumconceitoantropologico 100909171811-phpapp01
Culturaumconceitoantropologico 100909171811-phpapp01Culturaumconceitoantropologico 100909171811-phpapp01
Culturaumconceitoantropologico 100909171811-phpapp01
Maria Das Merces Silva
 
Capítulo 1 - Evolucionismo e Diferença
Capítulo 1 - Evolucionismo e DiferençaCapítulo 1 - Evolucionismo e Diferença
Capítulo 1 - Evolucionismo e Diferença
Marcos Antonio Grigorio de Figueiredo
 
Antropologia e cultura tylor boas e malinowski 2020
Antropologia e cultura tylor boas e malinowski 2020Antropologia e cultura tylor boas e malinowski 2020
Antropologia e cultura tylor boas e malinowski 2020
firminomaissociologiafilosofia2019
 

Semelhante a Determinismo biológico e geográfico (03/04/2012) (20)

Cultura: um conceito antropológico
Cultura: um conceito antropológicoCultura: um conceito antropológico
Cultura: um conceito antropológico
 
Etnocentrismo e outros conceitos.ppt
Etnocentrismo e outros conceitos.pptEtnocentrismo e outros conceitos.ppt
Etnocentrismo e outros conceitos.ppt
 
Cap 6 cultura e transformação
Cap 6 cultura e transformaçãoCap 6 cultura e transformação
Cap 6 cultura e transformação
 
Cap 6 cultura e transformação
Cap 6 cultura e transformaçãoCap 6 cultura e transformação
Cap 6 cultura e transformação
 
O que é cultura
O que é culturaO que é cultura
O que é cultura
 
Cultura: um conceito antropologico - Parte 1
Cultura: um conceito antropologico - Parte 1Cultura: um conceito antropologico - Parte 1
Cultura: um conceito antropologico - Parte 1
 
1 Resumo: cultura, um conceito antropológico (LARAIA)
1 Resumo: cultura, um conceito antropológico (LARAIA)1 Resumo: cultura, um conceito antropológico (LARAIA)
1 Resumo: cultura, um conceito antropológico (LARAIA)
 
Apresentação em Aula 1 Antropologia versão 97-2003.ppt
Apresentação em Aula 1 Antropologia versão 97-2003.pptApresentação em Aula 1 Antropologia versão 97-2003.ppt
Apresentação em Aula 1 Antropologia versão 97-2003.ppt
 
Aula 19 - Identidade Cultural - padronização e diversidade
Aula 19 - Identidade Cultural - padronização e diversidadeAula 19 - Identidade Cultural - padronização e diversidade
Aula 19 - Identidade Cultural - padronização e diversidade
 
Aula 19 - Identidade Cultural - Padronização e diversidade
Aula 19 - Identidade Cultural - Padronização e diversidadeAula 19 - Identidade Cultural - Padronização e diversidade
Aula 19 - Identidade Cultural - Padronização e diversidade
 
África, berço da humanidade
África, berço da humanidadeÁfrica, berço da humanidade
África, berço da humanidade
 
temas de reflexao
temas de reflexaotemas de reflexao
temas de reflexao
 
Antropologia e cultura tylor boas e malinowski
Antropologia e cultura tylor boas e malinowskiAntropologia e cultura tylor boas e malinowski
Antropologia e cultura tylor boas e malinowski
 
Antropologia e cultura tylor boas e malinowski
Antropologia e cultura tylor boas e malinowskiAntropologia e cultura tylor boas e malinowski
Antropologia e cultura tylor boas e malinowski
 
FACELI - DIREITO - 2° período - Curso de Homem, cultura e sociedade - 02
FACELI - DIREITO - 2° período - Curso de Homem, cultura e sociedade - 02FACELI - DIREITO - 2° período - Curso de Homem, cultura e sociedade - 02
FACELI - DIREITO - 2° período - Curso de Homem, cultura e sociedade - 02
 
Capítulo 5 - Temas Contemporâneos da Antropologia
Capítulo 5 - Temas Contemporâneos da AntropologiaCapítulo 5 - Temas Contemporâneos da Antropologia
Capítulo 5 - Temas Contemporâneos da Antropologia
 
sld_1 (1).pdf
sld_1 (1).pdfsld_1 (1).pdf
sld_1 (1).pdf
 
Culturaumconceitoantropologico 100909171811-phpapp01
Culturaumconceitoantropologico 100909171811-phpapp01Culturaumconceitoantropologico 100909171811-phpapp01
Culturaumconceitoantropologico 100909171811-phpapp01
 
Capítulo 1 - Evolucionismo e Diferença
Capítulo 1 - Evolucionismo e DiferençaCapítulo 1 - Evolucionismo e Diferença
Capítulo 1 - Evolucionismo e Diferença
 
Antropologia e cultura tylor boas e malinowski 2020
Antropologia e cultura tylor boas e malinowski 2020Antropologia e cultura tylor boas e malinowski 2020
Antropologia e cultura tylor boas e malinowski 2020
 

Mais de ozgauche

Ppp mar
Ppp marPpp mar
Ppp mar
ozgauche
 
Apresentação2
Apresentação2Apresentação2
Apresentação2
ozgauche
 
Apresentação2
Apresentação2Apresentação2
Apresentação2
ozgauche
 
O que é IPHAN
O que é IPHANO que é IPHAN
O que é IPHAN
ozgauche
 
teste
testeteste
teste
ozgauche
 
Escola cultura e personalidade
Escola cultura e personalidadeEscola cultura e personalidade
Escola cultura e personalidade
ozgauche
 
Determinismo biológico e geográfico (03/04/2012)
Determinismo biológico e geográfico (03/04/2012)Determinismo biológico e geográfico (03/04/2012)
Determinismo biológico e geográfico (03/04/2012)
ozgauche
 
Antropologia e educação I - Aula 23/03/2012
Antropologia e educação I - Aula 23/03/2012Antropologia e educação I - Aula 23/03/2012
Antropologia e educação I - Aula 23/03/2012
ozgauche
 

Mais de ozgauche (8)

Ppp mar
Ppp marPpp mar
Ppp mar
 
Apresentação2
Apresentação2Apresentação2
Apresentação2
 
Apresentação2
Apresentação2Apresentação2
Apresentação2
 
O que é IPHAN
O que é IPHANO que é IPHAN
O que é IPHAN
 
teste
testeteste
teste
 
Escola cultura e personalidade
Escola cultura e personalidadeEscola cultura e personalidade
Escola cultura e personalidade
 
Determinismo biológico e geográfico (03/04/2012)
Determinismo biológico e geográfico (03/04/2012)Determinismo biológico e geográfico (03/04/2012)
Determinismo biológico e geográfico (03/04/2012)
 
Antropologia e educação I - Aula 23/03/2012
Antropologia e educação I - Aula 23/03/2012Antropologia e educação I - Aula 23/03/2012
Antropologia e educação I - Aula 23/03/2012
 

Último

Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Manejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhasManejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhas
Geagra UFG
 
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdfLEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LucliaMartins5
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
felipescherner
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docxPlano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
IsaiasJohaneSimango
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantililSEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
menesabi
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
FLAVIOROBERTOGOUVEA
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
mozalgebrista
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 

Último (20)

Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Manejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhasManejo de plantas daninhas
Manejo de plantas daninhas
 
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdfLEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
LEMBRANCINHA Para-MENSAGEM de -FERIAS.pdf
 
Guerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibéricaGuerra de reconquista da Península ibérica
Guerra de reconquista da Península ibérica
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docxPlano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantililSEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
SEQUÊNCIA NÃO ME TOCA, SEU BOBOCA, Violência sexual infantilil
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
Resolução do Exame de Biologia UEM - 2008.
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 

Determinismo biológico e geográfico (03/04/2012)

  • 1. Determinismo biológico Os antropólogos constatam a partir de seus estudos de que as diferenças genéticas não são determinantes das diferenças culturais  Felix Keesing: “não existe correlação significativa entre a distribuição dos caracteres genéticos e a distribuição dos comportamentos culturais”
  • 2. Reunião UNESCO -1950 “Os dados científicos não confirmam a teoria segundo a qual as diferenças genéticas hereditárias constituíriam um fator de importância primordial entre as causas das diferenças que se manifestam entre as culturas (…) essas diferenças se explicam antes de tudo pela história cultural de cada grupo. Os fatores que tiveram um papel prependerante na evolução do homem são sua faculdade de aprender e sua plasticidade”. “... não foi provada a validade da tese segundo a qual os grupos humanos diferen uns dos outros pelos traços psicologicamente inatos, quer se trate de inteligência ou temperamento. As pesquisas científicas revelam que o nível das aptidões mentais é quase o mesmo em todos os grupos étnicos”.
  • 3. A espécie humana se diferencia através do dimorfismo sexual, mas é falso que as diferenças de comportamento existentes entre pessoas de sexos diferentes sejam determinadas biologicamente. Atividades atribuidas às mulheres em uma cultura podem ser atribuídas aos homens em outra
  • 4. O comportamento dos indivíduos depende de um aprendizado, de um processo que chamamos de endoculturação. Um menino e uma menina agem diferentemente não em função de seus hormônios, mas em decorrência de uma educação diferenciada.
  • 5. Determinismo geográfico Considera que as diferenças do ambiente físico condicionam a diversidade cultural.  Estas teorias foram desenvolvidas principalmente por geógrafos no final do Século XIX e no início do Século XX e ganharam uma grande popularidade.
  • 6. Desde a Antigüidade, foram comuns as tentativas de explicar as diferenças de comportamento entre os homens, a partir das variações dos ambientes físicos:  Marcus V. Pollio, arquiteto romano, S.I A.C.: “Os povos do sul têm uma intelegiência aguda, devido à raridade da atmosfera e ao calor; enquanto os das nações do Norte, tendo se desenvolvido numa atmosfera densa e esfriados pelos vapores dos ares carregados, têm uma inteligência preguiçosa”.
  • 7. Jean Bodin, filósofo francês do século XVI: Teoria de que os povos do norte têm como líquido dominante da vida o fleuma, enquanto os do sul são dominados pela bilis negra. Em decorrência disto, os nórdicos são fieis, leais aos governantes, cruéis e pouco interessados sexualmente; enquanto os do sul são maliciosos, engenhosos, abertos, orientados para as ciências.
  • 8. Hungtington: Civilization and climate, 1915: formula uma relação entre latitude e centros de civilização, considerando o clima como fator importante na dinâmica do progresso. A partir de 1920, antropólogos como Boas, Wissler e Kroeber, entre outros, refutaram este tipo de determinismo e demonstraram que existe uma limitação na influência geográfica sobre os fatores culturais. É possível existir uma grande diversidade cultural localizada em um mesmo tipo de ambiente físico.
  • 9. Exemplos: Lapões e Esquimos: ambiente geográfico semelhante: calota polar norte; flora e fauna semelhante
  • 10. Lapões: norte da Europa Casas: tendas de peles de rena Criadores de rena
  • 11. Esquimós: norte de América Casas formadas de blocos de neve Vivem da caça de mamíferos
  • 12. A aparente pobreza glacial não impede que os esquimós tenham uma desenvolvida arte de esculturas em pedra-sabão e nem que resolvam os seus conflitos com uma sofisticada competição de canções entre os competidores
  • 13. Índios do sudoeste norte-americano  Grupo Pueblo: aldeões, economia agrícola baseada no milho  Os Navajo: antes coleta de castanha e caça; atualmente pastoreadores de ovinos
  • 14. Parque Nacional do Xingu  Kamayurá, Kalapalo, Trumai, Waurá: se dedicam à pesca e caça de aves
  • 15. Kayabi: preferem os mamíferos de grande porte, como a anta, o veado, o caitutu etc.
  • 16. Os três exemplos mostram que não é possível admitir a idéia do determinismo geográfico. A posição da antropologia moderna é que a “cultura age seletivamente”, e não casualmente, sobre seu meio ambiente.
  • 17. As diferenças de comportamento entre os homens não podem ser explicadas através das diversidades somatológicas ou mesológicas. Os determinismos geográficos e biológicos não explicam a diversidade dos seres humanos.
  • 18. A cultura diversifica enormemente a humanidade, apesar de sua comprovada unidade biológica  Confúcio: “A natureza dos homens é a mesma, são seus hábitos que os mantêm separados”.
  • 19. A grande qualidade da espécie humana é romper com suas próprias limitações. O ser humano difere dos outros animais por ser o único que possui cultura.