SlideShare uma empresa Scribd logo
DESENVOLVIMENTO DE UM JOGO DIGITAL PARA O ENSINO DE QUÍMICA NO
ENSINO MÉDIO: EXPLORANDO A QUÍMICA DO COTIDIANO A PARTIR DA
PERSPECTIVA VIGOTSKIANA
Jonathan Silva do Nascimento
Graduado em Licenciatura em Ciências Naturais/Física
Universidade Federal do Maranhão – UFMA (Campus III-Bacabal)
Thiago Rodrigues dos Reis
Graduando em Licenciatura em Ciências Naturais/Biologia
Bolsista PET/ Ciências Naturais - Bacabal
Universidade Federal do Maranhão – UFMA (Campus III-Bacabal)
Hawbertt Rocha Costa
Doutor em Educação para a Ciência
Universidade Federal do Maranhão – UFMA (Campus III-Bacabal)
RESUMO:
Este trabalho objetiva dissertar sobre, a importância da utilização de jogos digitais educacionais no meio escolar e os
processos de desenvolvimento de um jogo digital intitulado “Planeta Química: uma aventura no cotidiano”. Será
abordado os aspectos e processos envolvidos no seu desenvolvimento, apresentando como foram contemplados os
elementos essenciais da teoria dos jogos e também o caráter pedagógico direcionado à elementos da teoria construtivista
de Vigotski em uma perspectiva sociocultural. O jogo proposto, visa disponibilizar um objeto de ensino e aprendizagem
em favor do desenvolvimento cognitivo dos alunos. A partir das possíveis propostas de aplicação e estudo, estaremos
apresentando possibilidades de ensino e aprendizado e ao mesmo tempo propondo novas abordagens em aulas que
possibilitem mais vezes a utilização de recursos digitais como os jogos digitais.
Palavras-chave: Ensino de Química. Jogo Digital para o Ensino. Teoria de Vigotiski.
INTRODUÇÃO
As tecnologias estão cada vez mais presentes no dia a dia das pessoas, com isso, parece
evidente a necessidade de que os profissionais da educação estejam preparados para as mudanças
trazidas por essa expansão tecnológica que está cada vez mais acessível.
Porém, é comum observarmos que o ensino de ciências no ensino médio das escolas da rede
pública não têm acompanhado os avanços ocorrido. Situações como esta representam problemas
tanto para professores quanto para alunos, que faz com que a prática de ensino, normalmente
tradicional, fique monótona e desinteressante, condizendo com o que Papert (1998) declara à revista
Game Developer magazine: “a razão pela qual a maioria das crianças não gostam da escola não é
que o trabalho seja muito difícil, mas é pelo fato de ser absolutamente chato”.
Atualmente muito se fala em utilização das tecnologias digitais para tornar os processos de
ensino mais atrativo e significativo. Muitos teóricos defendem a utilização de jogos no contexto
educacional, trazendo com a utilização deste recurso a busca por uma melhor qualidade em suas
Trabalho de conclusão de curso apresentado em 2015
(83) 3322.3222
contato@fipedbrasil.com.br
www.fipedbrasil.com.b
r
práticas pedagógicas e reconhecem a importância do jogo como um estimulo para o
desenvolvimento social, emocional e intelectual dos alunos (TEZANI, 2006).
A partir destes pressupostos e desafios, apresenta-se neste trabalho o processo de
desenvolvimento do jogo digital “Planeta Química: uma aventura no cotidiano”. O referido jogo,
foi elaborado visando contribuir com o processo de ensino e aprendizagem para professores e
alunos do ensino médio, inicialmente para o estudo de ácidos e bases. Desenvolvido por meio de
um software editor de jogos, de código aberto e de fácil utilização, o Construct2®
.
Com o desenvolvimento deste trabalho, objetiva-se propor uma nova abordagem de ensino
em detrimento aos métodos tradicionais, agregando fatores como: conhecimentos, habilidades e
diversão alinhados à realidade do ensino. Além disso, leva em consideração elementos da teoria
construtivista de Vigotski em uma perspectiva sociocultural como principal referência.
O JOGO NO CONTEXTO EDUCACIONAL
Considerando que o fator emocional e motivacional é a base para a realização de qualquer
tarefa, os benefícios trazidos pelo ato de jogar é um dos principais fatores que nos induz à utilização
dos jogos digitais no ensino, ainda mais quando nos referimos aos jovens “nativos digitais” que
estão constantemente submersos no meio tecnológico em seu cotidiano.
Conforme relatam Frosi e Schlemmer (2010), as teorias que incentivam o uso das
Tecnologias Digitais têm ajudado profissionais da educação a compreender que o ensino deve
ocorrer em um processo gradativo que se consolida a partir de interações, sejam por meio: físico,
virtual e/ou social.
Grando (1995, p. 95) destaca que a inserção de jogos, no contexto educacional implica em
diversas vantagens como por exemplo:
 Fixação de conceitos já aprendidos de uma forma motivadora para o aluno;
 Introdução e desenvolvimento de conceitos de difícil compreensão;
 Desenvolvimento de estratégias de resolução de problemas (desafio dos jogos);
 Significação para conceitos aparentemente incompreensíveis;
 O jogo requer participação ativa do aluno na construção do seu próprio conhecimento;
 O jogo favorece a socialização entre alunos e a conscientização do trabalho em equipe.
Apesar de todos os pontos positivos e do crescente interesse em tornar comum o uso de
jogos digitais no ensino, o setor educacional enfrenta problemas muito comuns que oferecem
resistência ao uso de games no ensino. Entende-se que tal resistência pode ser representada por
professores que não possuem domínio básico das tecnologias ou pelos mais conservadores que
Trabalho de conclusão de curso apresentado em 2015
(83) 3322.3222
contato@fipedbrasil.com.br
www.fipedbrasil.com.b
r
preferem uma didática tradicional, também resistem ao uso dos jogos os que desconsideram o seu
uso como uma ferramenta de enriquecimento no processo de ensino.
Segundo Costa, Goncalves e Yonezawa (2013), com relação à fundamentação de jogos
didáticos para o ensino de química, as contribuições de Vigotski se fazem importante para o uso de
jogos didáticos, pois tais concepções permitem entender que os jogos lúdicos valorizam o
desenvolvimento cognitivo e a aprendizagem de conceitos reais de forma prazerosa, sejam eles
científicos ou espontâneos. Os jogos mediados na sala de aula além de estimular a interação social,
fazem com que o aprendizado se dê por reflexos nos limites da chamada “Zona de
Desenvolvimento Imediato” dos alunos, ou seja, as funções cognitivas que ainda não
amadureceram, mas estão em processo de maturação.
Costa, Goncalves e Yonezawa (2013), citam que Vigotski defendia a ideia de que o
desenvolvimento intelectual e as experiências interpessoais e culturais das crianças podem ser
favorecido por meio dos jogos lúdicos, pois a partir destes as crianças conseguem abstrair o objeto
do significado, formar novos conceitos e aprender naturalmente de forma descontraída.
O presente trabalho reforça todas essas ideias e acredita na possibilidade de sucesso dos
jogos no ensino, pois as etapas de desenvolvimento cognitivo podem ser alcançadas de forma mais
dinâmica, proveitosa e marcante na vida dos estudantes do que métodos puramente tradicionais.
O JOGO “PLANETA QUÍMICA: UMAAVENTURA NO COTIDIANO”
O planejamento do jogo “Planeta Química”, procurou contemplar, na fase inicial, uma
temática que comumente é abordada no primeiro ano do ensino médio, isto é, conceitos de ácidos e
bases com foco em Ciência, Tecnologia e Sociedade (CTS). Tendo como objetivo de continuar com
fases em outras temáticas com a mesma perspectiva.
Antes de desenvolver o jogo e no intuito de conhecer preliminarmente o público alvo, foi
aplicado um questionário semiestruturado aos alunos de uma escola pública de ensino médio da
cidade de Bacabal-MA. A ideia foi apenas adquirir uma noção a respeito das necessidades de
aprendizagem e o grau de aceitação e interesse daqueles alunos em estudar química por meio de
jogos digitais, além de identificar quais os estilos de jogos lhes chamavam mais atenção e quais os
fatores que os faziam jogar e querer continuar jogando. Sendo assim, o planejamento não esteve
embasado apenas na teoria e procurou conhecer, mesmo que preliminarmente, o contexto ao qual o
jogo destisna-se. Cabendo ser validado, após a sua finalização, por meio da aplicação nas escolas.
Trabalho de conclusão de curso apresentado em 2015
(83) 3322.3222
contato@fipedbrasil.com.br
www.fipedbrasil.com.b
r
A construção e programação do game foi elaborada a partir da versão gratuita do Construct
2®
, um software de código aberto com complexidade de utilização mediana. O Construct é um
excelente editor de jogos 2D em HTML5 criado e disponibilizado na web pela empresa Scirra Ltda.
A primeira fase do jogo é contemplada por: uma história própria, metas, objetivos e
elementos que permitem o ensino e aprendizado de conceitos sobre ácidos e bases. O Jogo também
permite estudos de vários conceitos como meio ambiente, saúde e sociedade, pois no cenário do
jogo é apresentado uma cidade com a presença de lixo e animais comuns ao ambiente sujo,
caracterizando o descuido do homem. Assim, é possível relacionar questões que envolvam
responsabilidade social e ambiental.
Para uma melhor representação do jogo, contemplando conteúdo científico, lúdico e
balanceados com os aspectos pedagógicos, foi levado em consideração alguns elementos dos jogos
apresentados por Costa, Goncalves e Yonezawa (2013): a) personagem; b) as regras; c) história ou
narrativa; d) metas e objetivos; e) desafios; f) interações do jogador; g) estratégias; h) feedback e
resultados. A Figura 1 refere-se a alguns desses elementos, pois apresenta a personagem se
contaminando com ácido sulfúrico da bateria de um carro e logo é apresentado uma mensagem
instrutiva do que aconteceu e o que acontecerá caso jogador/aluno não resolva o problema.
Figura 1: ilustração do personagem, metas, interação, algumas regras e o desafio.
Para que o jogo pudesse se enquadrar como um jogo atraente e em coerência com os
objetivos propostos direcionados à construção do conhecimento a partir das concepções de Vigotski,
também foi agregado ao jogo elementos citados no balanceamento proposto por Schell (2008): a)
imparcialidade, b) desafio vs. sucesso, c) escolhas significativas, d) habilidade vs. sorte, e)
cabeça/mãos, f) competição/cooperação, g) curto vs. longo, h) recompensas, i) punição, j) simples
vs. complexo, e k) imaginação/detalhe. Quando esses elementos de balanceamento são vivenciado
pelos alunos por meio do jogo, o processo didático possivelmente estará sendo realizados de forma
significativa, pois acreditamos que a capacidade de aprendizado, internalização e acesso ao que é
Trabalho de conclusão de curso apresentado em 2015
(83) 3322.3222
contato@fipedbrasil.com.br
www.fipedbrasil.com.b
r
armazenado na memória de cada pessoa se dá principalmente por situações que chamam a atenção,
que fazem refletir e interagir com os outros.
A compreensão educativa deste trabalho e sua utilização planejada em sala de aula,
propiciará aos alunos, a partir de seu conteúdo, posicionamento reflexivo sobre a importância do
estudo de conceitos científicos, históricos e filosóficos acerca dos ácidos e bases. Conceitos estes,
que muitas vezes são tidos como complexos no estudo da Química. Isto será possível, pois, todos os
aspectos do jogo foram desenvolvidos com o intuito de demonstrar a presença da Química no
cotidiano de forma contextual e simplificada, por meio de processos de interação mútua entre aluno,
professor, conteúdo e computador. Cremos que a proposta de ensino em questão, tem a capacidade
de fazer com que os jogadores se envolvam em situações-problemas que possam refletir na
realidade de forma espontânea e descontraída.
Compreende-se que o jogo, se utilizado anterior aos estudos teóricos, pode permitir ao
professor e aos alunos um ambiente motivador que estimulará estudos mais aprofundados na busca
de maior conhecimento dos conceitos discutidos e propostos nos desafios. Além do mais, a prática
do jogo possibilitará aos alunos melhor apropriação e preparo para compreender conceitos mais
complexos. Já a utilização do game, intercalado com o estudo da temática, poderá envolver mais os
alunos e estimular a curiosidade, além de aumentar a relação direta e dialogada entre os conceitos
trabalhados tradicionalmente a partir de uma metodologia mais dinâmica e com maior envolvimento
e entrega por parte dos alunos. Quanto ao uso após o ensino conceitual, o game também se torna
interessante para a consolidação do conhecimento e verificação do domínio dos alunos acerca dos
temas abordados, fazendo com que haja maior exercício da memória na associação de seus
conhecimentos prévios com os apresentados no jogo, além da possibilidade dos alunos terem à
disposição uma ferramenta de estudo que lhes permitem constante revisão, pois o aluno poderá
jogar por inúmeras vezes até chegar a compreensão conceitual e lógica por traz de cada desafio.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
Com o desenvolvimento do projeto, propomos aos profissionais da educação que
reconheçam os jogos digitais como parte integrante da cultura dos “nativos digitais”, tendo em vista
que é bastante cabível ensinar por meio deste atraente recurso didático. Porém, deve-se observar
que o desenvolvimento e aplicação de jogos educacionais não devem ser realizados de forma
aleatória, pois, é importante atentar às necessidades que tal recurso esteja agregado a uma proposta
Trabalho de conclusão de curso apresentado em 2015
(83) 3322.3222
contato@fipedbrasil.com.br
www.fipedbrasil.com.b
r
pedagógica que justifique a sua aplicação. A exemplo disto, planejamos o jogo “Planeta Química:
uma aventura no cotidiano” de forma crítica e mais didática possível, tendo sua concepção
pedagógica direcionada para as ideias de Vigotski em uma perspectiva sociocultural.
A preocupação esteve centrada no equilíbrio entre os fatores lúdicos e educativos, sem
deixar de lado questões que fazem do jogo algo atrativo e eficiente ao público alvo, que são os
professores e alunos. Com tal proposta, almeja-se que é possível ensinar química de forma lúdica e
estimular os estudantes no desejo de conhecer e aprofundar conhecimentos sobre o que é novo ou
considerado complexo. No caso de “Planeta Química” mais especificamente a fase 1, pode-se
aprender e ensinar conceitos de ácidos e bases, bem como a relação destes compostos com o
cotidiano de cada um, a importância do contexto histórico e filosófico dos cientistas que
contribuíram para a determinação e experimento de ácidos e bases entre outros temas desta
extensiva área do conhecimento.
Temos por grande desafio finalizar o jogo e apresenta-lo aos professores e alunos, de modo a
incentiva-los ao uso desse tipo de tecnologia, que não é habitual no contexto educacional, como
mediador e facilitador do ensino. Principalmente no ensino de Química, em que na maioria das
vezes os temas são tradados como complexos e de difícil entendimento, sobretudo pelo nível de
abstração que é exigido.
REFERÊNCIAS
COSTA, H. R.; GONCALVES, W. V; YONEZAWA, W. M.: Jogos digitais no ensino de química
em uma perspectiva Vigotskyana. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE RECURSOS DIGITAIS
NA EDUCAÇÃO, 2., São Paulo, 2013.
FROSI, F. O.; SCHLEMMER, E. Jogos digitais no contexto escolar: desafios e possibilidades para
a prática docente. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE JOGOS E ENTRETENIMENTO DIGITAL,
9., 2010, Florianópolis. Proceedings do SBGames. v. 1. p. 115-122, 2010.
GRANDO, Regina Celia: O Jogo e suas Possibilidades Metodológicas no Processo Ensino-
Aprendizagem da Matemática. 1995. 175 p. Campinas. Dissertação (Mestrado em educação),
Universidade Estadual de Campinas Faculdade de Educação, 1995.
PAPERT S. Does easy do it? children, games, and learning. Game Developer Magazine. Jun.1998.
SCHELL, J. The art of game design: A book of lenses. USA: Elsevier. 2008. p. 489
TEZANI T. C. R. O jogo e os processos de aprendizagem e desenvolvimento: aspectos cognitivos e
afetivos. Educação em Revista, São Paulo – SP, v. 7 n. 1/2. 2006.
Trabalho de conclusão de curso apresentado em 2015
(83) 3322.3222
contato@fipedbrasil.com.br
www.fipedbrasil.com.b
r

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Equívocos no Desenvolvimento e/ou aplicação de Objetos de Aprendizagem no ens...
Equívocos no Desenvolvimento e/ou aplicação de Objetos de Aprendizagem no ens...Equívocos no Desenvolvimento e/ou aplicação de Objetos de Aprendizagem no ens...
Equívocos no Desenvolvimento e/ou aplicação de Objetos de Aprendizagem no ens...
hawbertt
 
A LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO COMO FERRAMENTA METODOLÓGICA PARA O ENSINO DE CIÊNCIA...
A LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO COMO FERRAMENTA METODOLÓGICA PARA O ENSINO DE CIÊNCIA...A LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO COMO FERRAMENTA METODOLÓGICA PARA O ENSINO DE CIÊNCIA...
A LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO COMO FERRAMENTA METODOLÓGICA PARA O ENSINO DE CIÊNCIA...
hawbertt
 
Contextulização e Experimentação na revita Química Nova na Escola: uma anális...
Contextulização e Experimentação na revita Química Nova na Escola: uma anális...Contextulização e Experimentação na revita Química Nova na Escola: uma anális...
Contextulização e Experimentação na revita Química Nova na Escola: uma anális...
hawbertt
 
O EQUILÍBRIO ENTRE DESIGN DE GAMES E O DESIGN INSTRUCIONAL NO DESENVOLVIMENTO...
O EQUILÍBRIO ENTRE DESIGN DE GAMES E O DESIGN INSTRUCIONAL NO DESENVOLVIMENTO...O EQUILÍBRIO ENTRE DESIGN DE GAMES E O DESIGN INSTRUCIONAL NO DESENVOLVIMENTO...
O EQUILÍBRIO ENTRE DESIGN DE GAMES E O DESIGN INSTRUCIONAL NO DESENVOLVIMENTO...
hawbertt
 
Jogos digitais educacionais e educação científica
Jogos digitais educacionais e educação científicaJogos digitais educacionais e educação científica
Jogos digitais educacionais e educação científica
pedic
 
Artigo defesa tic patricia fernandes agudo
Artigo defesa tic patricia fernandes agudoArtigo defesa tic patricia fernandes agudo
Artigo defesa tic patricia fernandes agudo
equipetics
 
Texto do artigo 2494-1-10-20170925
Texto do artigo 2494-1-10-20170925Texto do artigo 2494-1-10-20170925
Texto do artigo 2494-1-10-20170925
Arlen Pinheriro Pinheiro
 
Artigo tic carmem 3 janeiro 2013
Artigo tic carmem 3 janeiro 2013Artigo tic carmem 3 janeiro 2013
Artigo tic carmem 3 janeiro 2013
equipetics
 
O computador na sociedade do conhecimento 1pref
O computador na sociedade do conhecimento   1prefO computador na sociedade do conhecimento   1pref
O computador na sociedade do conhecimento 1pref
Renata de Sousa
 
Três de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
Três de Maio - Nilda Clair de Souza BinnTrês de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
Três de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
CursoTICs
 
Tecnologias e Metodologias Ativas no Ensino de Química
Tecnologias e Metodologias Ativas no Ensino de QuímicaTecnologias e Metodologias Ativas no Ensino de Química
Tecnologias e Metodologias Ativas no Ensino de Química
Bruno Leite
 
A construção do conhecimento matemático, alicerçado e fundamentado por meio d...
A construção do conhecimento matemático, alicerçado e fundamentado por meio d...A construção do conhecimento matemático, alicerçado e fundamentado por meio d...
A construção do conhecimento matemático, alicerçado e fundamentado por meio d...
Denise Aparecida Bonfim
 
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso TuzzinTrês de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
CursoTICs
 
Três de Maio - Mercia Maria Vogel
Três de Maio - Mercia Maria VogelTrês de Maio - Mercia Maria Vogel
Três de Maio - Mercia Maria Vogel
CursoTICs
 
Três de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
Três de Maio - Terezinha Nilza ZawatskiTrês de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
Três de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
CursoTICs
 
Três de Maio - Solange Backes
Três de Maio - Solange BackesTrês de Maio - Solange Backes
Três de Maio - Solange Backes
CursoTICs
 
A utilização de jogos digitais na prática pedagógica inclusiva - PEDAGOGIA 6º...
A utilização de jogos digitais na prática pedagógica inclusiva - PEDAGOGIA 6º...A utilização de jogos digitais na prática pedagógica inclusiva - PEDAGOGIA 6º...
A utilização de jogos digitais na prática pedagógica inclusiva - PEDAGOGIA 6º...
HELENO FAVACHO
 
Es1 5 pre-projeto_intervenção_cláudia
Es1 5 pre-projeto_intervenção_cláudiaEs1 5 pre-projeto_intervenção_cláudia
Es1 5 pre-projeto_intervenção_cláudia
Cláudia Sousa Silva
 
Gioseli zorzan
Gioseli zorzanGioseli zorzan
Gioseli zorzan
equipetics
 
Três de Maio - Osmar Sipmann
Três de Maio - Osmar SipmannTrês de Maio - Osmar Sipmann
Três de Maio - Osmar Sipmann
CursoTICs
 

Mais procurados (20)

Equívocos no Desenvolvimento e/ou aplicação de Objetos de Aprendizagem no ens...
Equívocos no Desenvolvimento e/ou aplicação de Objetos de Aprendizagem no ens...Equívocos no Desenvolvimento e/ou aplicação de Objetos de Aprendizagem no ens...
Equívocos no Desenvolvimento e/ou aplicação de Objetos de Aprendizagem no ens...
 
A LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO COMO FERRAMENTA METODOLÓGICA PARA O ENSINO DE CIÊNCIA...
A LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO COMO FERRAMENTA METODOLÓGICA PARA O ENSINO DE CIÊNCIA...A LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO COMO FERRAMENTA METODOLÓGICA PARA O ENSINO DE CIÊNCIA...
A LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO COMO FERRAMENTA METODOLÓGICA PARA O ENSINO DE CIÊNCIA...
 
Contextulização e Experimentação na revita Química Nova na Escola: uma anális...
Contextulização e Experimentação na revita Química Nova na Escola: uma anális...Contextulização e Experimentação na revita Química Nova na Escola: uma anális...
Contextulização e Experimentação na revita Química Nova na Escola: uma anális...
 
O EQUILÍBRIO ENTRE DESIGN DE GAMES E O DESIGN INSTRUCIONAL NO DESENVOLVIMENTO...
O EQUILÍBRIO ENTRE DESIGN DE GAMES E O DESIGN INSTRUCIONAL NO DESENVOLVIMENTO...O EQUILÍBRIO ENTRE DESIGN DE GAMES E O DESIGN INSTRUCIONAL NO DESENVOLVIMENTO...
O EQUILÍBRIO ENTRE DESIGN DE GAMES E O DESIGN INSTRUCIONAL NO DESENVOLVIMENTO...
 
Jogos digitais educacionais e educação científica
Jogos digitais educacionais e educação científicaJogos digitais educacionais e educação científica
Jogos digitais educacionais e educação científica
 
Artigo defesa tic patricia fernandes agudo
Artigo defesa tic patricia fernandes agudoArtigo defesa tic patricia fernandes agudo
Artigo defesa tic patricia fernandes agudo
 
Texto do artigo 2494-1-10-20170925
Texto do artigo 2494-1-10-20170925Texto do artigo 2494-1-10-20170925
Texto do artigo 2494-1-10-20170925
 
Artigo tic carmem 3 janeiro 2013
Artigo tic carmem 3 janeiro 2013Artigo tic carmem 3 janeiro 2013
Artigo tic carmem 3 janeiro 2013
 
O computador na sociedade do conhecimento 1pref
O computador na sociedade do conhecimento   1prefO computador na sociedade do conhecimento   1pref
O computador na sociedade do conhecimento 1pref
 
Três de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
Três de Maio - Nilda Clair de Souza BinnTrês de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
Três de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
 
Tecnologias e Metodologias Ativas no Ensino de Química
Tecnologias e Metodologias Ativas no Ensino de QuímicaTecnologias e Metodologias Ativas no Ensino de Química
Tecnologias e Metodologias Ativas no Ensino de Química
 
A construção do conhecimento matemático, alicerçado e fundamentado por meio d...
A construção do conhecimento matemático, alicerçado e fundamentado por meio d...A construção do conhecimento matemático, alicerçado e fundamentado por meio d...
A construção do conhecimento matemático, alicerçado e fundamentado por meio d...
 
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso TuzzinTrês de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
 
Três de Maio - Mercia Maria Vogel
Três de Maio - Mercia Maria VogelTrês de Maio - Mercia Maria Vogel
Três de Maio - Mercia Maria Vogel
 
Três de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
Três de Maio - Terezinha Nilza ZawatskiTrês de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
Três de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
 
Três de Maio - Solange Backes
Três de Maio - Solange BackesTrês de Maio - Solange Backes
Três de Maio - Solange Backes
 
A utilização de jogos digitais na prática pedagógica inclusiva - PEDAGOGIA 6º...
A utilização de jogos digitais na prática pedagógica inclusiva - PEDAGOGIA 6º...A utilização de jogos digitais na prática pedagógica inclusiva - PEDAGOGIA 6º...
A utilização de jogos digitais na prática pedagógica inclusiva - PEDAGOGIA 6º...
 
Es1 5 pre-projeto_intervenção_cláudia
Es1 5 pre-projeto_intervenção_cláudiaEs1 5 pre-projeto_intervenção_cláudia
Es1 5 pre-projeto_intervenção_cláudia
 
Gioseli zorzan
Gioseli zorzanGioseli zorzan
Gioseli zorzan
 
Três de Maio - Osmar Sipmann
Três de Maio - Osmar SipmannTrês de Maio - Osmar Sipmann
Três de Maio - Osmar Sipmann
 

Semelhante a DESENVOLVIMENTO DE UM JOGO DIGITAL PARA O ENSINO DE QUÍMICA NO ENSINO MÉDIO: EXPLORANDO A QUÍMICA DO COTIDIANO A PARTIR DA PERSPECTIVA VIGOTSKIANA

Jogos digitais no ensino de química em uma perspectiva Vigotskiana
Jogos digitais no ensino de química em uma perspectiva VigotskianaJogos digitais no ensino de química em uma perspectiva Vigotskiana
Jogos digitais no ensino de química em uma perspectiva Vigotskiana
hawbertt
 
O USO DE JOGOS DE TABULEIRO E DAS MÍDIAS ELETRÔNICAS COMO FERRAMENTA DE PART...
O USO DE JOGOS DE TABULEIRO E DAS MÍDIAS ELETRÔNICAS COMO  FERRAMENTA DE PART...O USO DE JOGOS DE TABULEIRO E DAS MÍDIAS ELETRÔNICAS COMO  FERRAMENTA DE PART...
O USO DE JOGOS DE TABULEIRO E DAS MÍDIAS ELETRÔNICAS COMO FERRAMENTA DE PART...
jorge luiz dos santos de souza
 
Jogos didáticos no ensino de biologia
Jogos didáticos no ensino de biologiaJogos didáticos no ensino de biologia
Jogos didáticos no ensino de biologia
Marcelo Siqueira
 
70-Texto del artículo-7317-1-10-20211124.pdf
70-Texto del artículo-7317-1-10-20211124.pdf70-Texto del artículo-7317-1-10-20211124.pdf
70-Texto del artículo-7317-1-10-20211124.pdf
LeonardoLisboa23
 
Restinga Sêca - Vanessa Fantini
Restinga Sêca - Vanessa FantiniRestinga Sêca - Vanessa Fantini
Restinga Sêca - Vanessa Fantini
CursoTICs
 
Pre projeto
Pre projetoPre projeto
Pre projeto
Rafael Mota
 
DESENVOLVENDO JOGOS DIGITAIS NA ESCOLA
DESENVOLVENDO JOGOS DIGITAIS NA ESCOLADESENVOLVENDO JOGOS DIGITAIS NA ESCOLA
DESENVOLVENDO JOGOS DIGITAIS NA ESCOLA
Paulo Alexandre
 
A Gamificacao em Propostas das Educacao-Infantil.docx
A Gamificacao em Propostas das Educacao-Infantil.docxA Gamificacao em Propostas das Educacao-Infantil.docx
A Gamificacao em Propostas das Educacao-Infantil.docx
AlecsandroSilva7
 
A APLICAÇÃO DE JOGOS DIDÁTICOS E SUAS IMPLICAÇÕES NAS AULAS DE QUÍMICA
A APLICAÇÃO DE JOGOS DIDÁTICOS E SUAS IMPLICAÇÕES NAS AULAS DE QUÍMICAA APLICAÇÃO DE JOGOS DIDÁTICOS E SUAS IMPLICAÇÕES NAS AULAS DE QUÍMICA
A APLICAÇÃO DE JOGOS DIDÁTICOS E SUAS IMPLICAÇÕES NAS AULAS DE QUÍMICA
ProfessorPrincipiante
 
Gameficação Saúde.pdf
Gameficação Saúde.pdfGameficação Saúde.pdf
Gameficação Saúde.pdf
EmersonLeite20
 
A psicologia educacional_como_orientador
A psicologia educacional_como_orientadorA psicologia educacional_como_orientador
A psicologia educacional_como_orientador
Barbara de Freitas
 
gamificacao portfolio.doc
gamificacao portfolio.docgamificacao portfolio.doc
gamificacao portfolio.doc
PolianaMartins29
 
Kit saber-o-futuro final
Kit saber-o-futuro finalKit saber-o-futuro final
Kit saber-o-futuro final
Carlos Lima
 
4b rafael
4b rafael4b rafael
4b rafael
Mayara
 
Ariane fagundes braga
Ariane fagundes bragaAriane fagundes braga
Ariane fagundes braga
equipetics
 
Care marcia
Care marciaCare marcia
Care marcia
Fernando Pissuto
 
Projeto Jogos Digitais para Educação Infantil
Projeto Jogos Digitais para Educação Infantil Projeto Jogos Digitais para Educação Infantil
Projeto Jogos Digitais para Educação Infantil
cursoproinfosantarita20144
 
Modelo de apresentação de TCC jogos virtuais no ensino da matemática
Modelo de apresentação de TCC jogos virtuais no ensino da matemáticaModelo de apresentação de TCC jogos virtuais no ensino da matemática
Modelo de apresentação de TCC jogos virtuais no ensino da matemática
AndressaVitoria13
 
Monografia da Dissertação
Monografia da DissertaçãoMonografia da Dissertação
Monografia da Dissertação
Adriano Oliveira
 
Jogos virtuais no ensino
Jogos virtuais no ensinoJogos virtuais no ensino
Jogos virtuais no ensino
wil
 

Semelhante a DESENVOLVIMENTO DE UM JOGO DIGITAL PARA O ENSINO DE QUÍMICA NO ENSINO MÉDIO: EXPLORANDO A QUÍMICA DO COTIDIANO A PARTIR DA PERSPECTIVA VIGOTSKIANA (20)

Jogos digitais no ensino de química em uma perspectiva Vigotskiana
Jogos digitais no ensino de química em uma perspectiva VigotskianaJogos digitais no ensino de química em uma perspectiva Vigotskiana
Jogos digitais no ensino de química em uma perspectiva Vigotskiana
 
O USO DE JOGOS DE TABULEIRO E DAS MÍDIAS ELETRÔNICAS COMO FERRAMENTA DE PART...
O USO DE JOGOS DE TABULEIRO E DAS MÍDIAS ELETRÔNICAS COMO  FERRAMENTA DE PART...O USO DE JOGOS DE TABULEIRO E DAS MÍDIAS ELETRÔNICAS COMO  FERRAMENTA DE PART...
O USO DE JOGOS DE TABULEIRO E DAS MÍDIAS ELETRÔNICAS COMO FERRAMENTA DE PART...
 
Jogos didáticos no ensino de biologia
Jogos didáticos no ensino de biologiaJogos didáticos no ensino de biologia
Jogos didáticos no ensino de biologia
 
70-Texto del artículo-7317-1-10-20211124.pdf
70-Texto del artículo-7317-1-10-20211124.pdf70-Texto del artículo-7317-1-10-20211124.pdf
70-Texto del artículo-7317-1-10-20211124.pdf
 
Restinga Sêca - Vanessa Fantini
Restinga Sêca - Vanessa FantiniRestinga Sêca - Vanessa Fantini
Restinga Sêca - Vanessa Fantini
 
Pre projeto
Pre projetoPre projeto
Pre projeto
 
DESENVOLVENDO JOGOS DIGITAIS NA ESCOLA
DESENVOLVENDO JOGOS DIGITAIS NA ESCOLADESENVOLVENDO JOGOS DIGITAIS NA ESCOLA
DESENVOLVENDO JOGOS DIGITAIS NA ESCOLA
 
A Gamificacao em Propostas das Educacao-Infantil.docx
A Gamificacao em Propostas das Educacao-Infantil.docxA Gamificacao em Propostas das Educacao-Infantil.docx
A Gamificacao em Propostas das Educacao-Infantil.docx
 
A APLICAÇÃO DE JOGOS DIDÁTICOS E SUAS IMPLICAÇÕES NAS AULAS DE QUÍMICA
A APLICAÇÃO DE JOGOS DIDÁTICOS E SUAS IMPLICAÇÕES NAS AULAS DE QUÍMICAA APLICAÇÃO DE JOGOS DIDÁTICOS E SUAS IMPLICAÇÕES NAS AULAS DE QUÍMICA
A APLICAÇÃO DE JOGOS DIDÁTICOS E SUAS IMPLICAÇÕES NAS AULAS DE QUÍMICA
 
Gameficação Saúde.pdf
Gameficação Saúde.pdfGameficação Saúde.pdf
Gameficação Saúde.pdf
 
A psicologia educacional_como_orientador
A psicologia educacional_como_orientadorA psicologia educacional_como_orientador
A psicologia educacional_como_orientador
 
gamificacao portfolio.doc
gamificacao portfolio.docgamificacao portfolio.doc
gamificacao portfolio.doc
 
Kit saber-o-futuro final
Kit saber-o-futuro finalKit saber-o-futuro final
Kit saber-o-futuro final
 
4b rafael
4b rafael4b rafael
4b rafael
 
Ariane fagundes braga
Ariane fagundes bragaAriane fagundes braga
Ariane fagundes braga
 
Care marcia
Care marciaCare marcia
Care marcia
 
Projeto Jogos Digitais para Educação Infantil
Projeto Jogos Digitais para Educação Infantil Projeto Jogos Digitais para Educação Infantil
Projeto Jogos Digitais para Educação Infantil
 
Modelo de apresentação de TCC jogos virtuais no ensino da matemática
Modelo de apresentação de TCC jogos virtuais no ensino da matemáticaModelo de apresentação de TCC jogos virtuais no ensino da matemática
Modelo de apresentação de TCC jogos virtuais no ensino da matemática
 
Monografia da Dissertação
Monografia da DissertaçãoMonografia da Dissertação
Monografia da Dissertação
 
Jogos virtuais no ensino
Jogos virtuais no ensinoJogos virtuais no ensino
Jogos virtuais no ensino
 

Mais de hawbertt

GAMES COM CONTEÚDO VIOLENTO: POTENCIALIDADES PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS A PART...
GAMES COM CONTEÚDO VIOLENTO: POTENCIALIDADES PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS A PART...GAMES COM CONTEÚDO VIOLENTO: POTENCIALIDADES PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS A PART...
GAMES COM CONTEÚDO VIOLENTO: POTENCIALIDADES PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS A PART...
hawbertt
 
O SCRATCH COMO FERRAMENTA CULTURAL DE ENSINO PARA O ESTUDO DAS SOLUÇÕES QUÍMICAS
O SCRATCH COMO FERRAMENTA CULTURAL DE ENSINO PARA O ESTUDO DAS SOLUÇÕES QUÍMICASO SCRATCH COMO FERRAMENTA CULTURAL DE ENSINO PARA O ESTUDO DAS SOLUÇÕES QUÍMICAS
O SCRATCH COMO FERRAMENTA CULTURAL DE ENSINO PARA O ESTUDO DAS SOLUÇÕES QUÍMICAS
hawbertt
 
A INTRODUÇÃO DA INFORMÁTICA EDUCACIONAL NO BRASIL: IMPLICAÇÕES PARA O ENSINO ...
A INTRODUÇÃO DA INFORMÁTICA EDUCACIONAL NO BRASIL: IMPLICAÇÕES PARA O ENSINO ...A INTRODUÇÃO DA INFORMÁTICA EDUCACIONAL NO BRASIL: IMPLICAÇÕES PARA O ENSINO ...
A INTRODUÇÃO DA INFORMÁTICA EDUCACIONAL NO BRASIL: IMPLICAÇÕES PARA O ENSINO ...
hawbertt
 
Dinâmica Lúdica: Jogos pedagógicos para o Ensino de Química
Dinâmica Lúdica: Jogos pedagógicos para o Ensino de Química Dinâmica Lúdica: Jogos pedagógicos para o Ensino de Química
Dinâmica Lúdica: Jogos pedagógicos para o Ensino de Química
hawbertt
 
Abordagem temática no ensino da química ambiental, em uma perspectiva CTSA, n...
Abordagem temática no ensino da química ambiental, em uma perspectiva CTSA, n...Abordagem temática no ensino da química ambiental, em uma perspectiva CTSA, n...
Abordagem temática no ensino da química ambiental, em uma perspectiva CTSA, n...
hawbertt
 
O saneamento básico e resídios sólidos da cidade Bacabal - MA: uma abordagem ...
O saneamento básico e resídios sólidos da cidade Bacabal - MA: uma abordagem ...O saneamento básico e resídios sólidos da cidade Bacabal - MA: uma abordagem ...
O saneamento básico e resídios sólidos da cidade Bacabal - MA: uma abordagem ...
hawbertt
 
APRENDIZAGEM MÓVEL: UMA EXPERIÊNCIA NO CAMPO DO ELETROMAGNETISMO COM ALUNOS D...
APRENDIZAGEM MÓVEL: UMA EXPERIÊNCIA NO CAMPO DO ELETROMAGNETISMO COM ALUNOS D...APRENDIZAGEM MÓVEL: UMA EXPERIÊNCIA NO CAMPO DO ELETROMAGNETISMO COM ALUNOS D...
APRENDIZAGEM MÓVEL: UMA EXPERIÊNCIA NO CAMPO DO ELETROMAGNETISMO COM ALUNOS D...
hawbertt
 
O uso de tecnologias móveis no Ensino de Ciências: uma abordagem sobre poluiç...
O uso de tecnologias móveis no Ensino de Ciências: uma abordagem sobre poluiç...O uso de tecnologias móveis no Ensino de Ciências: uma abordagem sobre poluiç...
O uso de tecnologias móveis no Ensino de Ciências: uma abordagem sobre poluiç...
hawbertt
 
Problematizando a pedofilização de meninas em jogos on-line: uma discussão a ...
Problematizando a pedofilização de meninas em jogos on-line: uma discussão a ...Problematizando a pedofilização de meninas em jogos on-line: uma discussão a ...
Problematizando a pedofilização de meninas em jogos on-line: uma discussão a ...
hawbertt
 
DESENVOLVIMENTO DE UM OBJETO DE APRENDIZAGEM PARA O ENSINO DE ELETRÓLISE
DESENVOLVIMENTO DE UM OBJETO DE APRENDIZAGEM PARA O ENSINO DE ELETRÓLISEDESENVOLVIMENTO DE UM OBJETO DE APRENDIZAGEM PARA O ENSINO DE ELETRÓLISE
DESENVOLVIMENTO DE UM OBJETO DE APRENDIZAGEM PARA O ENSINO DE ELETRÓLISE
hawbertt
 
JOGO DA MEMÓRIA EM QUÍMICA: UMA PROPOSTA PARA O ENSINO DE VIDRARIAS, MATERIAI...
JOGO DA MEMÓRIA EM QUÍMICA: UMA PROPOSTA PARA O ENSINO DE VIDRARIAS, MATERIAI...JOGO DA MEMÓRIA EM QUÍMICA: UMA PROPOSTA PARA O ENSINO DE VIDRARIAS, MATERIAI...
JOGO DA MEMÓRIA EM QUÍMICA: UMA PROPOSTA PARA O ENSINO DE VIDRARIAS, MATERIAI...
hawbertt
 
DESENVOLVIMENTO DE UM OBJETO DE APRENDIZAGEM PARA O ENSINO DE CINÉTICA QUÍMICA
DESENVOLVIMENTO DE UM OBJETO DE APRENDIZAGEM PARA O ENSINO DE CINÉTICA QUÍMICADESENVOLVIMENTO DE UM OBJETO DE APRENDIZAGEM PARA O ENSINO DE CINÉTICA QUÍMICA
DESENVOLVIMENTO DE UM OBJETO DE APRENDIZAGEM PARA O ENSINO DE CINÉTICA QUÍMICA
hawbertt
 
Jogos digitais educacionais e educação científica: reconhecendo perspectivas ...
Jogos digitais educacionais e educação científica: reconhecendo perspectivas ...Jogos digitais educacionais e educação científica: reconhecendo perspectivas ...
Jogos digitais educacionais e educação científica: reconhecendo perspectivas ...
hawbertt
 

Mais de hawbertt (13)

GAMES COM CONTEÚDO VIOLENTO: POTENCIALIDADES PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS A PART...
GAMES COM CONTEÚDO VIOLENTO: POTENCIALIDADES PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS A PART...GAMES COM CONTEÚDO VIOLENTO: POTENCIALIDADES PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS A PART...
GAMES COM CONTEÚDO VIOLENTO: POTENCIALIDADES PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS A PART...
 
O SCRATCH COMO FERRAMENTA CULTURAL DE ENSINO PARA O ESTUDO DAS SOLUÇÕES QUÍMICAS
O SCRATCH COMO FERRAMENTA CULTURAL DE ENSINO PARA O ESTUDO DAS SOLUÇÕES QUÍMICASO SCRATCH COMO FERRAMENTA CULTURAL DE ENSINO PARA O ESTUDO DAS SOLUÇÕES QUÍMICAS
O SCRATCH COMO FERRAMENTA CULTURAL DE ENSINO PARA O ESTUDO DAS SOLUÇÕES QUÍMICAS
 
A INTRODUÇÃO DA INFORMÁTICA EDUCACIONAL NO BRASIL: IMPLICAÇÕES PARA O ENSINO ...
A INTRODUÇÃO DA INFORMÁTICA EDUCACIONAL NO BRASIL: IMPLICAÇÕES PARA O ENSINO ...A INTRODUÇÃO DA INFORMÁTICA EDUCACIONAL NO BRASIL: IMPLICAÇÕES PARA O ENSINO ...
A INTRODUÇÃO DA INFORMÁTICA EDUCACIONAL NO BRASIL: IMPLICAÇÕES PARA O ENSINO ...
 
Dinâmica Lúdica: Jogos pedagógicos para o Ensino de Química
Dinâmica Lúdica: Jogos pedagógicos para o Ensino de Química Dinâmica Lúdica: Jogos pedagógicos para o Ensino de Química
Dinâmica Lúdica: Jogos pedagógicos para o Ensino de Química
 
Abordagem temática no ensino da química ambiental, em uma perspectiva CTSA, n...
Abordagem temática no ensino da química ambiental, em uma perspectiva CTSA, n...Abordagem temática no ensino da química ambiental, em uma perspectiva CTSA, n...
Abordagem temática no ensino da química ambiental, em uma perspectiva CTSA, n...
 
O saneamento básico e resídios sólidos da cidade Bacabal - MA: uma abordagem ...
O saneamento básico e resídios sólidos da cidade Bacabal - MA: uma abordagem ...O saneamento básico e resídios sólidos da cidade Bacabal - MA: uma abordagem ...
O saneamento básico e resídios sólidos da cidade Bacabal - MA: uma abordagem ...
 
APRENDIZAGEM MÓVEL: UMA EXPERIÊNCIA NO CAMPO DO ELETROMAGNETISMO COM ALUNOS D...
APRENDIZAGEM MÓVEL: UMA EXPERIÊNCIA NO CAMPO DO ELETROMAGNETISMO COM ALUNOS D...APRENDIZAGEM MÓVEL: UMA EXPERIÊNCIA NO CAMPO DO ELETROMAGNETISMO COM ALUNOS D...
APRENDIZAGEM MÓVEL: UMA EXPERIÊNCIA NO CAMPO DO ELETROMAGNETISMO COM ALUNOS D...
 
O uso de tecnologias móveis no Ensino de Ciências: uma abordagem sobre poluiç...
O uso de tecnologias móveis no Ensino de Ciências: uma abordagem sobre poluiç...O uso de tecnologias móveis no Ensino de Ciências: uma abordagem sobre poluiç...
O uso de tecnologias móveis no Ensino de Ciências: uma abordagem sobre poluiç...
 
Problematizando a pedofilização de meninas em jogos on-line: uma discussão a ...
Problematizando a pedofilização de meninas em jogos on-line: uma discussão a ...Problematizando a pedofilização de meninas em jogos on-line: uma discussão a ...
Problematizando a pedofilização de meninas em jogos on-line: uma discussão a ...
 
DESENVOLVIMENTO DE UM OBJETO DE APRENDIZAGEM PARA O ENSINO DE ELETRÓLISE
DESENVOLVIMENTO DE UM OBJETO DE APRENDIZAGEM PARA O ENSINO DE ELETRÓLISEDESENVOLVIMENTO DE UM OBJETO DE APRENDIZAGEM PARA O ENSINO DE ELETRÓLISE
DESENVOLVIMENTO DE UM OBJETO DE APRENDIZAGEM PARA O ENSINO DE ELETRÓLISE
 
JOGO DA MEMÓRIA EM QUÍMICA: UMA PROPOSTA PARA O ENSINO DE VIDRARIAS, MATERIAI...
JOGO DA MEMÓRIA EM QUÍMICA: UMA PROPOSTA PARA O ENSINO DE VIDRARIAS, MATERIAI...JOGO DA MEMÓRIA EM QUÍMICA: UMA PROPOSTA PARA O ENSINO DE VIDRARIAS, MATERIAI...
JOGO DA MEMÓRIA EM QUÍMICA: UMA PROPOSTA PARA O ENSINO DE VIDRARIAS, MATERIAI...
 
DESENVOLVIMENTO DE UM OBJETO DE APRENDIZAGEM PARA O ENSINO DE CINÉTICA QUÍMICA
DESENVOLVIMENTO DE UM OBJETO DE APRENDIZAGEM PARA O ENSINO DE CINÉTICA QUÍMICADESENVOLVIMENTO DE UM OBJETO DE APRENDIZAGEM PARA O ENSINO DE CINÉTICA QUÍMICA
DESENVOLVIMENTO DE UM OBJETO DE APRENDIZAGEM PARA O ENSINO DE CINÉTICA QUÍMICA
 
Jogos digitais educacionais e educação científica: reconhecendo perspectivas ...
Jogos digitais educacionais e educação científica: reconhecendo perspectivas ...Jogos digitais educacionais e educação científica: reconhecendo perspectivas ...
Jogos digitais educacionais e educação científica: reconhecendo perspectivas ...
 

Último

Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Os Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Os Profetas do Velho Testamento: CronologiaOs Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Os Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Renato Henriques
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
marcos oliveira
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
EsterGabriiela1
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 

Último (20)

Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Os Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Os Profetas do Velho Testamento: CronologiaOs Profetas do Velho Testamento: Cronologia
Os Profetas do Velho Testamento: Cronologia
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdfTrabalho Colaborativo na educação especial.pdf
Trabalho Colaborativo na educação especial.pdf
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
EBBOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_PAULA FRANCISCO_22_23
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 

DESENVOLVIMENTO DE UM JOGO DIGITAL PARA O ENSINO DE QUÍMICA NO ENSINO MÉDIO: EXPLORANDO A QUÍMICA DO COTIDIANO A PARTIR DA PERSPECTIVA VIGOTSKIANA

  • 1. DESENVOLVIMENTO DE UM JOGO DIGITAL PARA O ENSINO DE QUÍMICA NO ENSINO MÉDIO: EXPLORANDO A QUÍMICA DO COTIDIANO A PARTIR DA PERSPECTIVA VIGOTSKIANA Jonathan Silva do Nascimento Graduado em Licenciatura em Ciências Naturais/Física Universidade Federal do Maranhão – UFMA (Campus III-Bacabal) Thiago Rodrigues dos Reis Graduando em Licenciatura em Ciências Naturais/Biologia Bolsista PET/ Ciências Naturais - Bacabal Universidade Federal do Maranhão – UFMA (Campus III-Bacabal) Hawbertt Rocha Costa Doutor em Educação para a Ciência Universidade Federal do Maranhão – UFMA (Campus III-Bacabal) RESUMO: Este trabalho objetiva dissertar sobre, a importância da utilização de jogos digitais educacionais no meio escolar e os processos de desenvolvimento de um jogo digital intitulado “Planeta Química: uma aventura no cotidiano”. Será abordado os aspectos e processos envolvidos no seu desenvolvimento, apresentando como foram contemplados os elementos essenciais da teoria dos jogos e também o caráter pedagógico direcionado à elementos da teoria construtivista de Vigotski em uma perspectiva sociocultural. O jogo proposto, visa disponibilizar um objeto de ensino e aprendizagem em favor do desenvolvimento cognitivo dos alunos. A partir das possíveis propostas de aplicação e estudo, estaremos apresentando possibilidades de ensino e aprendizado e ao mesmo tempo propondo novas abordagens em aulas que possibilitem mais vezes a utilização de recursos digitais como os jogos digitais. Palavras-chave: Ensino de Química. Jogo Digital para o Ensino. Teoria de Vigotiski. INTRODUÇÃO As tecnologias estão cada vez mais presentes no dia a dia das pessoas, com isso, parece evidente a necessidade de que os profissionais da educação estejam preparados para as mudanças trazidas por essa expansão tecnológica que está cada vez mais acessível. Porém, é comum observarmos que o ensino de ciências no ensino médio das escolas da rede pública não têm acompanhado os avanços ocorrido. Situações como esta representam problemas tanto para professores quanto para alunos, que faz com que a prática de ensino, normalmente tradicional, fique monótona e desinteressante, condizendo com o que Papert (1998) declara à revista Game Developer magazine: “a razão pela qual a maioria das crianças não gostam da escola não é que o trabalho seja muito difícil, mas é pelo fato de ser absolutamente chato”. Atualmente muito se fala em utilização das tecnologias digitais para tornar os processos de ensino mais atrativo e significativo. Muitos teóricos defendem a utilização de jogos no contexto educacional, trazendo com a utilização deste recurso a busca por uma melhor qualidade em suas Trabalho de conclusão de curso apresentado em 2015 (83) 3322.3222 contato@fipedbrasil.com.br www.fipedbrasil.com.b r
  • 2. práticas pedagógicas e reconhecem a importância do jogo como um estimulo para o desenvolvimento social, emocional e intelectual dos alunos (TEZANI, 2006). A partir destes pressupostos e desafios, apresenta-se neste trabalho o processo de desenvolvimento do jogo digital “Planeta Química: uma aventura no cotidiano”. O referido jogo, foi elaborado visando contribuir com o processo de ensino e aprendizagem para professores e alunos do ensino médio, inicialmente para o estudo de ácidos e bases. Desenvolvido por meio de um software editor de jogos, de código aberto e de fácil utilização, o Construct2® . Com o desenvolvimento deste trabalho, objetiva-se propor uma nova abordagem de ensino em detrimento aos métodos tradicionais, agregando fatores como: conhecimentos, habilidades e diversão alinhados à realidade do ensino. Além disso, leva em consideração elementos da teoria construtivista de Vigotski em uma perspectiva sociocultural como principal referência. O JOGO NO CONTEXTO EDUCACIONAL Considerando que o fator emocional e motivacional é a base para a realização de qualquer tarefa, os benefícios trazidos pelo ato de jogar é um dos principais fatores que nos induz à utilização dos jogos digitais no ensino, ainda mais quando nos referimos aos jovens “nativos digitais” que estão constantemente submersos no meio tecnológico em seu cotidiano. Conforme relatam Frosi e Schlemmer (2010), as teorias que incentivam o uso das Tecnologias Digitais têm ajudado profissionais da educação a compreender que o ensino deve ocorrer em um processo gradativo que se consolida a partir de interações, sejam por meio: físico, virtual e/ou social. Grando (1995, p. 95) destaca que a inserção de jogos, no contexto educacional implica em diversas vantagens como por exemplo:  Fixação de conceitos já aprendidos de uma forma motivadora para o aluno;  Introdução e desenvolvimento de conceitos de difícil compreensão;  Desenvolvimento de estratégias de resolução de problemas (desafio dos jogos);  Significação para conceitos aparentemente incompreensíveis;  O jogo requer participação ativa do aluno na construção do seu próprio conhecimento;  O jogo favorece a socialização entre alunos e a conscientização do trabalho em equipe. Apesar de todos os pontos positivos e do crescente interesse em tornar comum o uso de jogos digitais no ensino, o setor educacional enfrenta problemas muito comuns que oferecem resistência ao uso de games no ensino. Entende-se que tal resistência pode ser representada por professores que não possuem domínio básico das tecnologias ou pelos mais conservadores que Trabalho de conclusão de curso apresentado em 2015 (83) 3322.3222 contato@fipedbrasil.com.br www.fipedbrasil.com.b r
  • 3. preferem uma didática tradicional, também resistem ao uso dos jogos os que desconsideram o seu uso como uma ferramenta de enriquecimento no processo de ensino. Segundo Costa, Goncalves e Yonezawa (2013), com relação à fundamentação de jogos didáticos para o ensino de química, as contribuições de Vigotski se fazem importante para o uso de jogos didáticos, pois tais concepções permitem entender que os jogos lúdicos valorizam o desenvolvimento cognitivo e a aprendizagem de conceitos reais de forma prazerosa, sejam eles científicos ou espontâneos. Os jogos mediados na sala de aula além de estimular a interação social, fazem com que o aprendizado se dê por reflexos nos limites da chamada “Zona de Desenvolvimento Imediato” dos alunos, ou seja, as funções cognitivas que ainda não amadureceram, mas estão em processo de maturação. Costa, Goncalves e Yonezawa (2013), citam que Vigotski defendia a ideia de que o desenvolvimento intelectual e as experiências interpessoais e culturais das crianças podem ser favorecido por meio dos jogos lúdicos, pois a partir destes as crianças conseguem abstrair o objeto do significado, formar novos conceitos e aprender naturalmente de forma descontraída. O presente trabalho reforça todas essas ideias e acredita na possibilidade de sucesso dos jogos no ensino, pois as etapas de desenvolvimento cognitivo podem ser alcançadas de forma mais dinâmica, proveitosa e marcante na vida dos estudantes do que métodos puramente tradicionais. O JOGO “PLANETA QUÍMICA: UMAAVENTURA NO COTIDIANO” O planejamento do jogo “Planeta Química”, procurou contemplar, na fase inicial, uma temática que comumente é abordada no primeiro ano do ensino médio, isto é, conceitos de ácidos e bases com foco em Ciência, Tecnologia e Sociedade (CTS). Tendo como objetivo de continuar com fases em outras temáticas com a mesma perspectiva. Antes de desenvolver o jogo e no intuito de conhecer preliminarmente o público alvo, foi aplicado um questionário semiestruturado aos alunos de uma escola pública de ensino médio da cidade de Bacabal-MA. A ideia foi apenas adquirir uma noção a respeito das necessidades de aprendizagem e o grau de aceitação e interesse daqueles alunos em estudar química por meio de jogos digitais, além de identificar quais os estilos de jogos lhes chamavam mais atenção e quais os fatores que os faziam jogar e querer continuar jogando. Sendo assim, o planejamento não esteve embasado apenas na teoria e procurou conhecer, mesmo que preliminarmente, o contexto ao qual o jogo destisna-se. Cabendo ser validado, após a sua finalização, por meio da aplicação nas escolas. Trabalho de conclusão de curso apresentado em 2015 (83) 3322.3222 contato@fipedbrasil.com.br www.fipedbrasil.com.b r
  • 4. A construção e programação do game foi elaborada a partir da versão gratuita do Construct 2® , um software de código aberto com complexidade de utilização mediana. O Construct é um excelente editor de jogos 2D em HTML5 criado e disponibilizado na web pela empresa Scirra Ltda. A primeira fase do jogo é contemplada por: uma história própria, metas, objetivos e elementos que permitem o ensino e aprendizado de conceitos sobre ácidos e bases. O Jogo também permite estudos de vários conceitos como meio ambiente, saúde e sociedade, pois no cenário do jogo é apresentado uma cidade com a presença de lixo e animais comuns ao ambiente sujo, caracterizando o descuido do homem. Assim, é possível relacionar questões que envolvam responsabilidade social e ambiental. Para uma melhor representação do jogo, contemplando conteúdo científico, lúdico e balanceados com os aspectos pedagógicos, foi levado em consideração alguns elementos dos jogos apresentados por Costa, Goncalves e Yonezawa (2013): a) personagem; b) as regras; c) história ou narrativa; d) metas e objetivos; e) desafios; f) interações do jogador; g) estratégias; h) feedback e resultados. A Figura 1 refere-se a alguns desses elementos, pois apresenta a personagem se contaminando com ácido sulfúrico da bateria de um carro e logo é apresentado uma mensagem instrutiva do que aconteceu e o que acontecerá caso jogador/aluno não resolva o problema. Figura 1: ilustração do personagem, metas, interação, algumas regras e o desafio. Para que o jogo pudesse se enquadrar como um jogo atraente e em coerência com os objetivos propostos direcionados à construção do conhecimento a partir das concepções de Vigotski, também foi agregado ao jogo elementos citados no balanceamento proposto por Schell (2008): a) imparcialidade, b) desafio vs. sucesso, c) escolhas significativas, d) habilidade vs. sorte, e) cabeça/mãos, f) competição/cooperação, g) curto vs. longo, h) recompensas, i) punição, j) simples vs. complexo, e k) imaginação/detalhe. Quando esses elementos de balanceamento são vivenciado pelos alunos por meio do jogo, o processo didático possivelmente estará sendo realizados de forma significativa, pois acreditamos que a capacidade de aprendizado, internalização e acesso ao que é Trabalho de conclusão de curso apresentado em 2015 (83) 3322.3222 contato@fipedbrasil.com.br www.fipedbrasil.com.b r
  • 5. armazenado na memória de cada pessoa se dá principalmente por situações que chamam a atenção, que fazem refletir e interagir com os outros. A compreensão educativa deste trabalho e sua utilização planejada em sala de aula, propiciará aos alunos, a partir de seu conteúdo, posicionamento reflexivo sobre a importância do estudo de conceitos científicos, históricos e filosóficos acerca dos ácidos e bases. Conceitos estes, que muitas vezes são tidos como complexos no estudo da Química. Isto será possível, pois, todos os aspectos do jogo foram desenvolvidos com o intuito de demonstrar a presença da Química no cotidiano de forma contextual e simplificada, por meio de processos de interação mútua entre aluno, professor, conteúdo e computador. Cremos que a proposta de ensino em questão, tem a capacidade de fazer com que os jogadores se envolvam em situações-problemas que possam refletir na realidade de forma espontânea e descontraída. Compreende-se que o jogo, se utilizado anterior aos estudos teóricos, pode permitir ao professor e aos alunos um ambiente motivador que estimulará estudos mais aprofundados na busca de maior conhecimento dos conceitos discutidos e propostos nos desafios. Além do mais, a prática do jogo possibilitará aos alunos melhor apropriação e preparo para compreender conceitos mais complexos. Já a utilização do game, intercalado com o estudo da temática, poderá envolver mais os alunos e estimular a curiosidade, além de aumentar a relação direta e dialogada entre os conceitos trabalhados tradicionalmente a partir de uma metodologia mais dinâmica e com maior envolvimento e entrega por parte dos alunos. Quanto ao uso após o ensino conceitual, o game também se torna interessante para a consolidação do conhecimento e verificação do domínio dos alunos acerca dos temas abordados, fazendo com que haja maior exercício da memória na associação de seus conhecimentos prévios com os apresentados no jogo, além da possibilidade dos alunos terem à disposição uma ferramenta de estudo que lhes permitem constante revisão, pois o aluno poderá jogar por inúmeras vezes até chegar a compreensão conceitual e lógica por traz de cada desafio. CONSIDERAÇÕES FINAIS Com o desenvolvimento do projeto, propomos aos profissionais da educação que reconheçam os jogos digitais como parte integrante da cultura dos “nativos digitais”, tendo em vista que é bastante cabível ensinar por meio deste atraente recurso didático. Porém, deve-se observar que o desenvolvimento e aplicação de jogos educacionais não devem ser realizados de forma aleatória, pois, é importante atentar às necessidades que tal recurso esteja agregado a uma proposta Trabalho de conclusão de curso apresentado em 2015 (83) 3322.3222 contato@fipedbrasil.com.br www.fipedbrasil.com.b r
  • 6. pedagógica que justifique a sua aplicação. A exemplo disto, planejamos o jogo “Planeta Química: uma aventura no cotidiano” de forma crítica e mais didática possível, tendo sua concepção pedagógica direcionada para as ideias de Vigotski em uma perspectiva sociocultural. A preocupação esteve centrada no equilíbrio entre os fatores lúdicos e educativos, sem deixar de lado questões que fazem do jogo algo atrativo e eficiente ao público alvo, que são os professores e alunos. Com tal proposta, almeja-se que é possível ensinar química de forma lúdica e estimular os estudantes no desejo de conhecer e aprofundar conhecimentos sobre o que é novo ou considerado complexo. No caso de “Planeta Química” mais especificamente a fase 1, pode-se aprender e ensinar conceitos de ácidos e bases, bem como a relação destes compostos com o cotidiano de cada um, a importância do contexto histórico e filosófico dos cientistas que contribuíram para a determinação e experimento de ácidos e bases entre outros temas desta extensiva área do conhecimento. Temos por grande desafio finalizar o jogo e apresenta-lo aos professores e alunos, de modo a incentiva-los ao uso desse tipo de tecnologia, que não é habitual no contexto educacional, como mediador e facilitador do ensino. Principalmente no ensino de Química, em que na maioria das vezes os temas são tradados como complexos e de difícil entendimento, sobretudo pelo nível de abstração que é exigido. REFERÊNCIAS COSTA, H. R.; GONCALVES, W. V; YONEZAWA, W. M.: Jogos digitais no ensino de química em uma perspectiva Vigotskyana. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE RECURSOS DIGITAIS NA EDUCAÇÃO, 2., São Paulo, 2013. FROSI, F. O.; SCHLEMMER, E. Jogos digitais no contexto escolar: desafios e possibilidades para a prática docente. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE JOGOS E ENTRETENIMENTO DIGITAL, 9., 2010, Florianópolis. Proceedings do SBGames. v. 1. p. 115-122, 2010. GRANDO, Regina Celia: O Jogo e suas Possibilidades Metodológicas no Processo Ensino- Aprendizagem da Matemática. 1995. 175 p. Campinas. Dissertação (Mestrado em educação), Universidade Estadual de Campinas Faculdade de Educação, 1995. PAPERT S. Does easy do it? children, games, and learning. Game Developer Magazine. Jun.1998. SCHELL, J. The art of game design: A book of lenses. USA: Elsevier. 2008. p. 489 TEZANI T. C. R. O jogo e os processos de aprendizagem e desenvolvimento: aspectos cognitivos e afetivos. Educação em Revista, São Paulo – SP, v. 7 n. 1/2. 2006. Trabalho de conclusão de curso apresentado em 2015 (83) 3322.3222 contato@fipedbrasil.com.br www.fipedbrasil.com.b r