SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 2
Baixar para ler offline
Olá, aluno(a)! Está com dificuldade ou sem tempo para elaborar
essa atividade? Iremos te ajudar!
Entre em contato
(63) 99129-5554
ATIVIDADE 1 – TEOL - ESPIRITUALIDADE CRISTÃ -
51/2024
Leia com atenção o trecho a seguir:
“O homem interior antepõe o cuidado de si a todos os outros cuidados, e quem se ocupa
de si com diligência facilmente deixa de falar dos outros. Nunca serás homem espiritual e
devoto, se não calares dos outros, atendendo a ti próprio com especial cuidado. Se de ti
só e de Deus cuidares, pouco te moverá o que se passa por fora. Onde estás, quando
não estás contigo? E, depois de tudo percorrido, que ganhaste se esqueceste a ti
mesmo? Se queres ter paz e verdadeiro sossego, é preciso que tudo mais dispenses, e a
ti só tenhas diante dos olhos” (KEMPIS, 2014, p. 66)
Fonte: KEMPIS, T. de. Imitação de Cristo: com reflexões e orações de São Francisco de
Sales. Petrópolis: Vozes, 2014
O livro de Tomás de Kempis, Imitação de Cristo, é um clássico da literatura universal
sobre espiritualidade. Ele surgiu no século XV, na Alemanha, e serviu como guia
devocional de muitos cristãos desde então, orientando momentos de oração e de exame
interior. Muitos o têm tratado como um manual de moral cristã, porém ele serve como um
roteiro para quem está em busca de uma experiência mais íntima de espiritualidade
A experiência de espiritualidade é subjetiva, o que quer dizer que ela é pessoal e íntima.
Consiste basicamente em realizar uma jornada interior tendo em vista empreender uma
experiência profunda de relacionamento com Deus.
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser realizada nesses
tempos pós- modernos.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser realizada nesses tempos pós- modernos.

Oficina NEP 2012
Oficina NEP 2012Oficina NEP 2012
Oficina NEP 2012igmateus
 
EBJ - Encontro 04/11/2012
EBJ - Encontro 04/11/2012EBJ - Encontro 04/11/2012
EBJ - Encontro 04/11/2012EBJ IPBCP
 
Trabalhador Espírita, vamos Trabalhar?
Trabalhador Espírita, vamos Trabalhar?Trabalhador Espírita, vamos Trabalhar?
Trabalhador Espírita, vamos Trabalhar?igmateus
 
Como ser um bom Cristão
Como ser um bom CristãoComo ser um bom Cristão
Como ser um bom CristãoLuiz Felipe
 
Aulas 108 e 109 Escola de Aprendizes do Evangelho
Aulas 108 e 109 Escola de Aprendizes do EvangelhoAulas 108 e 109 Escola de Aprendizes do Evangelho
Aulas 108 e 109 Escola de Aprendizes do Evangelholiliancostadias
 
O saber ouvir apresentação
O saber ouvir   apresentaçãoO saber ouvir   apresentação
O saber ouvir apresentaçãoPastor W. Costa
 
Uma Questão Existencial (S01E01)
Uma Questão Existencial (S01E01)Uma Questão Existencial (S01E01)
Uma Questão Existencial (S01E01)Daniel Faria Jr.
 
Não Tenha Pressa: Sete Lições para Jovens Terapeutas
Não Tenha Pressa: Sete Lições para Jovens TerapeutasNão Tenha Pressa: Sete Lições para Jovens Terapeutas
Não Tenha Pressa: Sete Lições para Jovens TerapeutasUniversité de Montréal
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 16 - A quem obedeces?
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 16 - A quem obedeces?Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 16 - A quem obedeces?
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 16 - A quem obedeces?Ricardo Azevedo
 
Introdução à filosofia
Introdução à filosofiaIntrodução à filosofia
Introdução à filosofiaCAvancar
 
A IMPORTÂNCIA DO AUTOCONHECIMENTO PARA O CRESCIMENTO PESSOAL
A IMPORTÂNCIA DO AUTOCONHECIMENTO PARA O CRESCIMENTO PESSOALA IMPORTÂNCIA DO AUTOCONHECIMENTO PARA O CRESCIMENTO PESSOAL
A IMPORTÂNCIA DO AUTOCONHECIMENTO PARA O CRESCIMENTO PESSOALVictor Nóbrega
 
Aula-1-Abrindo-as-portas-da-Logoterapia.-compressed.pdf
Aula-1-Abrindo-as-portas-da-Logoterapia.-compressed.pdfAula-1-Abrindo-as-portas-da-Logoterapia.-compressed.pdf
Aula-1-Abrindo-as-portas-da-Logoterapia.-compressed.pdfKevinFontelles2
 
O Compromisso com a Evangelização
O Compromisso com a EvangelizaçãoO Compromisso com a Evangelização
O Compromisso com a Evangelizaçãoigmateus
 
Jesus, O LíDer Por ExcelêNcia
Jesus, O LíDer Por ExcelêNciaJesus, O LíDer Por ExcelêNcia
Jesus, O LíDer Por ExcelêNciaSergio Menezes
 
2013 3 tri lição 11 - uma vida cristã equilibrada
2013 3 tri lição 11 - uma vida cristã equilibrada2013 3 tri lição 11 - uma vida cristã equilibrada
2013 3 tri lição 11 - uma vida cristã equilibradaNatalino das Neves Neves
 

Semelhante a Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser realizada nesses tempos pós- modernos. (20)

Oficina NEP 2012
Oficina NEP 2012Oficina NEP 2012
Oficina NEP 2012
 
EBJ - Encontro 04/11/2012
EBJ - Encontro 04/11/2012EBJ - Encontro 04/11/2012
EBJ - Encontro 04/11/2012
 
Trabalhador Espírita, vamos Trabalhar?
Trabalhador Espírita, vamos Trabalhar?Trabalhador Espírita, vamos Trabalhar?
Trabalhador Espírita, vamos Trabalhar?
 
Como ser um bom Cristão
Como ser um bom CristãoComo ser um bom Cristão
Como ser um bom Cristão
 
Aulas 108 e 109 Escola de Aprendizes do Evangelho
Aulas 108 e 109 Escola de Aprendizes do EvangelhoAulas 108 e 109 Escola de Aprendizes do Evangelho
Aulas 108 e 109 Escola de Aprendizes do Evangelho
 
O saber ouvir apresentação
O saber ouvir   apresentaçãoO saber ouvir   apresentação
O saber ouvir apresentação
 
Uma Questão Existencial (S01E01)
Uma Questão Existencial (S01E01)Uma Questão Existencial (S01E01)
Uma Questão Existencial (S01E01)
 
Estudando André Luiz 1- Cap 1.
Estudando André Luiz 1- Cap 1.Estudando André Luiz 1- Cap 1.
Estudando André Luiz 1- Cap 1.
 
Não Tenha Pressa: Sete Lições para Jovens Terapeutas
Não Tenha Pressa: Sete Lições para Jovens TerapeutasNão Tenha Pressa: Sete Lições para Jovens Terapeutas
Não Tenha Pressa: Sete Lições para Jovens Terapeutas
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 16 - A quem obedeces?
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 16 - A quem obedeces?Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 16 - A quem obedeces?
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 16 - A quem obedeces?
 
Introdução à filosofia
Introdução à filosofiaIntrodução à filosofia
Introdução à filosofia
 
5 a restituição da liberdade 1
5 a restituição da liberdade 15 a restituição da liberdade 1
5 a restituição da liberdade 1
 
A IMPORTÂNCIA DO AUTOCONHECIMENTO PARA O CRESCIMENTO PESSOAL
A IMPORTÂNCIA DO AUTOCONHECIMENTO PARA O CRESCIMENTO PESSOALA IMPORTÂNCIA DO AUTOCONHECIMENTO PARA O CRESCIMENTO PESSOAL
A IMPORTÂNCIA DO AUTOCONHECIMENTO PARA O CRESCIMENTO PESSOAL
 
Aula M1 (14 e 15 anos) (26/07/12) - Amor
Aula M1 (14 e 15 anos) (26/07/12) - AmorAula M1 (14 e 15 anos) (26/07/12) - Amor
Aula M1 (14 e 15 anos) (26/07/12) - Amor
 
Aula-1-Abrindo-as-portas-da-Logoterapia.-compressed.pdf
Aula-1-Abrindo-as-portas-da-Logoterapia.-compressed.pdfAula-1-Abrindo-as-portas-da-Logoterapia.-compressed.pdf
Aula-1-Abrindo-as-portas-da-Logoterapia.-compressed.pdf
 
Jornal Cáritas abril 2013
Jornal Cáritas abril 2013Jornal Cáritas abril 2013
Jornal Cáritas abril 2013
 
Palestra vivência do evangelho
Palestra vivência do evangelhoPalestra vivência do evangelho
Palestra vivência do evangelho
 
O Compromisso com a Evangelização
O Compromisso com a EvangelizaçãoO Compromisso com a Evangelização
O Compromisso com a Evangelização
 
Jesus, O LíDer Por ExcelêNcia
Jesus, O LíDer Por ExcelêNciaJesus, O LíDer Por ExcelêNcia
Jesus, O LíDer Por ExcelêNcia
 
2013 3 tri lição 11 - uma vida cristã equilibrada
2013 3 tri lição 11 - uma vida cristã equilibrada2013 3 tri lição 11 - uma vida cristã equilibrada
2013 3 tri lição 11 - uma vida cristã equilibrada
 

Mais de azulassessoriaacadem3

3. Como será feita a apresentação do conteúdo destas abordagens? Serão debate...
3. Como será feita a apresentação do conteúdo destas abordagens? Serão debate...3. Como será feita a apresentação do conteúdo destas abordagens? Serão debate...
3. Como será feita a apresentação do conteúdo destas abordagens? Serão debate...azulassessoriaacadem3
 
Parte 2 Analisando a figura a seguir, discorra sobre os tipos de estratégia p...
Parte 2 Analisando a figura a seguir, discorra sobre os tipos de estratégia p...Parte 2 Analisando a figura a seguir, discorra sobre os tipos de estratégia p...
Parte 2 Analisando a figura a seguir, discorra sobre os tipos de estratégia p...azulassessoriaacadem3
 
Parte 2 Analisando a figura a seguir, discorra sobre os tipos de estratégia p...
Parte 2 Analisando a figura a seguir, discorra sobre os tipos de estratégia p...Parte 2 Analisando a figura a seguir, discorra sobre os tipos de estratégia p...
Parte 2 Analisando a figura a seguir, discorra sobre os tipos de estratégia p...azulassessoriaacadem3
 
Atividade da ETAPA 3: A Descoberta da Projeção Isométrica Agora, você está di...
Atividade da ETAPA 3: A Descoberta da Projeção Isométrica Agora, você está di...Atividade da ETAPA 3: A Descoberta da Projeção Isométrica Agora, você está di...
Atividade da ETAPA 3: A Descoberta da Projeção Isométrica Agora, você está di...azulassessoriaacadem3
 
Atividade da ETAPA 3: A Descoberta da Projeção Isométrica Agora, você está d...
Atividade da ETAPA 3: A Descoberta da Projeção Isométrica  Agora, você está d...Atividade da ETAPA 3: A Descoberta da Projeção Isométrica  Agora, você está d...
Atividade da ETAPA 3: A Descoberta da Projeção Isométrica Agora, você está d...azulassessoriaacadem3
 
Atividade da ETAPA 3: A Descoberta da Projeção Isométrica Agora, você está d...
Atividade da ETAPA 3: A Descoberta da Projeção Isométrica  Agora, você está d...Atividade da ETAPA 3: A Descoberta da Projeção Isométrica  Agora, você está d...
Atividade da ETAPA 3: A Descoberta da Projeção Isométrica Agora, você está d...azulassessoriaacadem3
 
ETAPA 3: A Importância da Perspectiva no Desenho Técnico No desenho téc...
ETAPA 3: A Importância da Perspectiva no Desenho Técnico       No desenho téc...ETAPA 3: A Importância da Perspectiva no Desenho Técnico       No desenho téc...
ETAPA 3: A Importância da Perspectiva no Desenho Técnico No desenho téc...azulassessoriaacadem3
 
ETAPA 3: A Importância da Perspectiva no Desenho Técnico No desenho téc...
ETAPA 3: A Importância da Perspectiva no Desenho Técnico       No desenho téc...ETAPA 3: A Importância da Perspectiva no Desenho Técnico       No desenho téc...
ETAPA 3: A Importância da Perspectiva no Desenho Técnico No desenho téc...azulassessoriaacadem3
 
Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...
Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...
Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...azulassessoriaacadem3
 
Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...
Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...
Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...azulassessoriaacadem3
 
ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico A projeção...
ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico       A projeção...ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico       A projeção...
ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico A projeção...azulassessoriaacadem3
 
ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico A projeção...
ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico       A projeção...ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico       A projeção...
ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico A projeção...azulassessoriaacadem3
 
Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...
Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...
Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...azulassessoriaacadem3
 
Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...
Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...
Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...azulassessoriaacadem3
 
ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...
ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...
ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...azulassessoriaacadem3
 
ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...
ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...
ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...azulassessoriaacadem3
 
PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:
PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:
PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:azulassessoriaacadem3
 
PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:
PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:
PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:azulassessoriaacadem3
 
4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...
4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...
4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...azulassessoriaacadem3
 
4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...
4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...
4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...azulassessoriaacadem3
 

Mais de azulassessoriaacadem3 (20)

3. Como será feita a apresentação do conteúdo destas abordagens? Serão debate...
3. Como será feita a apresentação do conteúdo destas abordagens? Serão debate...3. Como será feita a apresentação do conteúdo destas abordagens? Serão debate...
3. Como será feita a apresentação do conteúdo destas abordagens? Serão debate...
 
Parte 2 Analisando a figura a seguir, discorra sobre os tipos de estratégia p...
Parte 2 Analisando a figura a seguir, discorra sobre os tipos de estratégia p...Parte 2 Analisando a figura a seguir, discorra sobre os tipos de estratégia p...
Parte 2 Analisando a figura a seguir, discorra sobre os tipos de estratégia p...
 
Parte 2 Analisando a figura a seguir, discorra sobre os tipos de estratégia p...
Parte 2 Analisando a figura a seguir, discorra sobre os tipos de estratégia p...Parte 2 Analisando a figura a seguir, discorra sobre os tipos de estratégia p...
Parte 2 Analisando a figura a seguir, discorra sobre os tipos de estratégia p...
 
Atividade da ETAPA 3: A Descoberta da Projeção Isométrica Agora, você está di...
Atividade da ETAPA 3: A Descoberta da Projeção Isométrica Agora, você está di...Atividade da ETAPA 3: A Descoberta da Projeção Isométrica Agora, você está di...
Atividade da ETAPA 3: A Descoberta da Projeção Isométrica Agora, você está di...
 
Atividade da ETAPA 3: A Descoberta da Projeção Isométrica Agora, você está d...
Atividade da ETAPA 3: A Descoberta da Projeção Isométrica  Agora, você está d...Atividade da ETAPA 3: A Descoberta da Projeção Isométrica  Agora, você está d...
Atividade da ETAPA 3: A Descoberta da Projeção Isométrica Agora, você está d...
 
Atividade da ETAPA 3: A Descoberta da Projeção Isométrica Agora, você está d...
Atividade da ETAPA 3: A Descoberta da Projeção Isométrica  Agora, você está d...Atividade da ETAPA 3: A Descoberta da Projeção Isométrica  Agora, você está d...
Atividade da ETAPA 3: A Descoberta da Projeção Isométrica Agora, você está d...
 
ETAPA 3: A Importância da Perspectiva no Desenho Técnico No desenho téc...
ETAPA 3: A Importância da Perspectiva no Desenho Técnico       No desenho téc...ETAPA 3: A Importância da Perspectiva no Desenho Técnico       No desenho téc...
ETAPA 3: A Importância da Perspectiva no Desenho Técnico No desenho téc...
 
ETAPA 3: A Importância da Perspectiva no Desenho Técnico No desenho téc...
ETAPA 3: A Importância da Perspectiva no Desenho Técnico       No desenho téc...ETAPA 3: A Importância da Perspectiva no Desenho Técnico       No desenho téc...
ETAPA 3: A Importância da Perspectiva no Desenho Técnico No desenho téc...
 
Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...
Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...
Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...
 
Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...
Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...
Agora, você enfrentará um novo desafio. Receberá vistas isométricas de peças ...
 
ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico A projeção...
ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico       A projeção...ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico       A projeção...
ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico A projeção...
 
ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico A projeção...
ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico       A projeção...ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico       A projeção...
ETAPA 2: A Precisão da Projeção Ortogonal no Desenho Técnico A projeção...
 
Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...
Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...
Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...
 
Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...
Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...
Quando estamos trabalhando em um departamento de projetos, é de suma importân...
 
ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...
ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...
ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...
 
ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...
ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...
ETAPA 1: Iniciando no Desenho Técnico O desenho técnico serve como uma lingua...
 
PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:
PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:
PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:
 
PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:
PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:
PARTE 1: estruture o balanço patrimonial da empresa, usando o seguinte modelo:
 
4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...
4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...
4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...
 
4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...
4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...
4. Disserte sobre como o Senhor Jesus Cristo enxerga conflitos na igreja e qu...
 

Último

A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesMary Alvarenga
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADOactivIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADOcarolinacespedes23
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniCassio Meira Jr.
 
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)Mary Alvarenga
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
Regência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfRegência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfmirandadudu08
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.keislayyovera123
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxfabiolalopesmartins1
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 

Último (20)

A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADOactivIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
 
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
Regência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdfRegência Nominal e Verbal português .pdf
Regência Nominal e Verbal português .pdf
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.Época Realista y la obra de Madame Bovary.
Época Realista y la obra de Madame Bovary.
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 

Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser realizada nesses tempos pós- modernos.

  • 1. Olá, aluno(a)! Está com dificuldade ou sem tempo para elaborar essa atividade? Iremos te ajudar! Entre em contato (63) 99129-5554 ATIVIDADE 1 – TEOL - ESPIRITUALIDADE CRISTÃ - 51/2024 Leia com atenção o trecho a seguir: “O homem interior antepõe o cuidado de si a todos os outros cuidados, e quem se ocupa de si com diligência facilmente deixa de falar dos outros. Nunca serás homem espiritual e devoto, se não calares dos outros, atendendo a ti próprio com especial cuidado. Se de ti só e de Deus cuidares, pouco te moverá o que se passa por fora. Onde estás, quando não estás contigo? E, depois de tudo percorrido, que ganhaste se esqueceste a ti mesmo? Se queres ter paz e verdadeiro sossego, é preciso que tudo mais dispenses, e a ti só tenhas diante dos olhos” (KEMPIS, 2014, p. 66) Fonte: KEMPIS, T. de. Imitação de Cristo: com reflexões e orações de São Francisco de Sales. Petrópolis: Vozes, 2014 O livro de Tomás de Kempis, Imitação de Cristo, é um clássico da literatura universal sobre espiritualidade. Ele surgiu no século XV, na Alemanha, e serviu como guia devocional de muitos cristãos desde então, orientando momentos de oração e de exame interior. Muitos o têm tratado como um manual de moral cristã, porém ele serve como um roteiro para quem está em busca de uma experiência mais íntima de espiritualidade
  • 2. A experiência de espiritualidade é subjetiva, o que quer dizer que ela é pessoal e íntima. Consiste basicamente em realizar uma jornada interior tendo em vista empreender uma experiência profunda de relacionamento com Deus. Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser realizada nesses tempos pós- modernos.