SlideShare uma empresa Scribd logo
SEMINÁRIO
SOBRE
MAGNETISMOMAGNETISMO
&&
PassesPasses
Curso magnetismo2013-modif
Importância de desenvolver a Fé, a
Esperança e a Boa Vontade.
O Magnetismo e a Fé
Raciocinada
“A fé necessita de uma base, base que é a inteligência
perfeita daquilo em que e deve crer. E, para crer, não basta
ver, é preciso, sobretudo, compreender. (...)”
“A fé raciocinada, por se apoiar nos fatos e na lógica,
nenhuma obscuridade deixa. A criatura então crê, porque
tem certeza, e ninguém tem certeza senão porque
compreendeu.”
E. S.E. Cap. XIX, it. 7, p. 342-343. Condição da fé inabalável.
“(...) que o magnetizador fique ciente que obterá tanto
mais curas quanto maior for a confiança em seu
poder e mais sincero for o seu amor por seu
paciente.”
Durville, H. Teorias e Procedimentos do Magnetismo, p. 30
A Fé Raciocinada e o Amor
Estudar:
Orientações de estudos ao
passista
Fluidos;
Campos vitais;
Magnetismo;
Mediunidade (especificamente, influência espiritual);
Anatomia e fisiologia – se possível;
Melo, J. Manual do Passista. Curando pelo Amor e pelo
Magnetismo, p. 20
Perispírito;
Leituras complementares:
Orientações de estudos ao
passista
Revista Espírita – Allan Kardec;
Série Nosso Lar – André Luiz;
O Passe: seu estudo, suas técnicas, sua prática –
Jacb Melo;
Autores Clássicos e espirituais: Mesmer, Du Potet,
Delanne, Léon Denis, Ernesto Bozzano, Emmanuel,
Bezerra de Menezes, Joanna de Ângelis, etc.;
Magnetismo Espiritual - Michaelus;
“O Magnetismo é uma das maiores provas do poder
da fé posta em ação. É pela fé que ele cura e produz
esses fenômenos singulares, qualificados outrora de
milagres.”
E. S.E. Cap. XIX, it. 12, p. 348. A fé humana e a divina.
O Magnetismo e a Fé
Raciocinada
“(...) ação recíproca que (todos) os corpos (da
Natureza) exercem ou podem exercer uns sobre os
outros.”
Durville, H. Teorias e Procedimentos do Magnetismo, p. 23
Conceito
“(...) uma ação consciente e deliberada de
transmissão de fluidos, de um possuidor para um
carente, por meio de uma técnica, ainda que esta seja
a mais simples.”
Melo, J. Manual do Passista. Curando pelo Amor e pelo
Magnetismo, p. 17
Conceito
Tipos de Magnetismos
Cap. XIV, it. 33
O fluido se origina do próprio magnetizador.
Magnetismo Propriamente
Dito ou Humano
Passe Magnético
Atua diretamente, sem intermediário, em um
encarnado com a finalidade de:
Magnetismo Espiritual
Curar ou acalmar um sofrimento;
Provocar o sono sonambúlico espontâneo;
Exercer sobre o indivíduo uma influência física ou
moral qualquer.
Passe Espiritual
Magnetismo Espiritual combinado com o Humano;
Magnetismo Misto
O magnetizador humano serve de intermediário dos
fluidos dos Espíritos;
O fluido espiritual supre qualidade do fluido humano;
“o concurso dos Espíritos é amiúde espontâneo,
porém, as mais das vezes, provocado por um apelo
do magnetizador”.
Passe Misto
Curso magnetismo2013-modif
“(...) não atende apenas a impulsos psíquicos e
mentais ou espirituais; por ser bastante físico, atende
de igual forma a comandos magnéticos, tanto por
repercussão fisiológica quanto por emanações de
fluidos vitais.”
Melo, J. Manual do passista. Curando pelo Amor e pelo
Magnetismo, p. 19
O mundo dos fluidos
Ponto de vista moral – adquirem características
relacionadas aos sentimentos positivos ou
negativos:
Qualidade dos fluidos
Ódio, inveja, ciúme, orgulho, egoísmo, violência,
hipocrisia; bondade, benevolência, amor,
caridade, doçura, etc.
Ponto de vista físico:
Qualidade dos fluidos
Excitantes, calmantes, penetrantes,
adstringentes, irritantes, dulcificantes,
suporíficos, narcóticos, tóxicos, reparadores,
expulsivos, como força de transmissão,
propulsão ou repulsão, etc.
Cap. XIV, it. 17
Perispírito
Envoltório do Espírito – Função de Contenção;
Pontos principais
Intermediário entre a vida corpórea e a vida espiritual
– Função de Intercâmbio;
Responsável pela “Atmosfera Fluídica” ou Psicosfera;
Um dos principais produtos do Fluido Cósmico
Universal;
Intermediário entre o corpo físico e o Espírito –
Função de Ligação;
Absorve os fluidos – deletérios ou benéficos – pelos
seus poros;
Pontos principais
Capacidade de refletir o pensamento – espécie de
fotografia do pensamento;
Seus fluidos servem de veículo do pensamento dos
encarnados e desencarnados;
Formação – elementos extremamente variáveis em
tessitura e sutileza;
Pontos principais
Possui zonas de altíssimas e baixas frequências.
Campo fluídico multifuncional;
Estruturalmente, pode-se ressaltar, pelo menos, dois
grandes campos:
Campo Mental – unido ao Espírito;
Campo Vital – unido ao corpo.
Plasticidade – relação com a modelagem;
Algumas propriedades
Densidade – determina o peso e a luminosidade;
Porosidade – “espaços intermoleculares”;
Luminosidade – princípio luminoso do Espírito;
Penetrabilidade – não há obstáculos materiais;
Ponderabilidade – peso determinado pela mente;
Expansibilidade – relação com:
Algumas propriedades
Sensibilidade Magnética – captação de magnetismo
humano e espiritual (psicomagnetismo); conjugação
de energias psíquicas ou espirituais e vitais;
Dupla vista – conjugação com a
penetrabilidade e a luminosidade.
Ampliação do campo de sensibilidade e
percepção;
Curso magnetismo2013-modif
Considerar: Corpo x Campo; e
A síntese da tríade
3 propriedades: ligação, intercâmbio e morfologia
Campo Vital
Há o trânsito de energias:
Espírito  Corpo físico (ações físico-orgânicas)
Campo de baixa frequência;
“é por ele que os fluidos e as matérias mais densas
são, por assim dizer, trabalhadas” p. 49;
Campo Vital
Localizam-se dois campos principais:
Princípio Vital:
• De mais alta frequência;
• Campo de atuação do Espírito;
• Espécie de “interruptor vital”;
• Quando ativado: “faz circular todos os fluidos
vitais”, gerando a vida orgânica;
Sistema sob a ação do
espírito ou do Espírito
<== Sistema inorgânico
(ex.: uma semente)
Campo Vital
Duplo etéreo ou etérico:
• De mais baixa frequência;
• Filtro das emanações físicas para os campos
de mais altas frequências do perispírito.
Campo Vital
“É no campo vital onde se dá a usinagem dos
fluidos magnéticos, que são os elementos
primordiais do passe, em especial do
magnetismo” p. 50
!!!
A velaA vela –– fluido universalfluido universal
Luz, calor, sombra, irradiação...Luz, calor, sombra, irradiação... –– fluido cósmicofluido cósmico
Centros Vitais
“encontram-se nas confluências do perispírito com o
corpo físico” p. 52
Localização: “regiões muito específicas no
perispírito, com estreita correlação com determinadas
regiões orgânicas” p. 51
Não se trata de camadas
e sim de zonas mais sutis
Campo Vital como
geralmente é
visualizado
Campo Vital como é percebido
pela ação fluídica
(raramente visualizado)
Considerar: distância equivalente; e
sensação temporal e espacial alterada.
Centros
Vitais
recebendo
fluidos de
duas mãos
(Visão de
topo
acima e
lateral
abaixo)
Na decomposição das forças fluídicas, as componentes
centrípetas (que promovem a absorção dos fluidos) e as
centrífugas (que induzem à exteriorização dos mesmos) são
responsáveis por um sem-número de ações e reações magnéticas.
Visão de topo de um Campo Vital,
seu sentido de giro e a decomposição
dos movimentos
Exemplo de circulação e captação fluídica
por um centro (campo) vital
Coronário
Frontal
Laríngeo
Genésico
Esplênico
Cardíaco
Gástrico
Página 97 do livro
O PASSE
Página 178 do livro
MANUAL DO PASSISTA
Recebe os estímulos do Espírito e
comanda os demais centros.
Dele emanam as energias de
sustentação do sistema nervoso.
Corresponde, em termos de
glândulas, à epífise ou pineal.
Na mediunidade, propicia a sintonia,
a aproximação e o contato com os
Espíritos (especialmente os Superiores)
No magnetismo, percebe e capta os
fluidos espirituais e sutiliza os
fluidos anímicos quando emitidos
para o Mundo Espiritual.
O centro coronário é o de mais
alta freqüência e é considerado
o centro da sabedoriacentro da sabedoria
Relaciona-se com os processos da
inteligência ligados à Palavra, à
Cultura, à Arte e ao Saber.
Administra o SNC.
Tem relação direta com a glândula
pituitária ou hipófise (e estreita
relação com a pineal ou epífise).
Na mediunidade, responde pelas
vidência, audiência e intuição, e atua
na exteriorização de fluidos
ectoplásmicos (orifícios superiores)
No magnetismo, destaca-se nos
processos hipnóticos, sonambúlicos
e de regressão de memória.
Também de alta freqüência, o
centro frontal é conhecido
como o centro da intuição
Correspondendo-se com as
glândulas tireóide e paratireóide,
preside os fenômenos vocais,
inclusive às atividades do timo.
Exerce significativo papel de
filtragem dos fluidos anímicos
quando em direção aos fluidos e
campos espirituais
Na mediunidade, atua na exteriori-
zação de ectoplasma e marca
presença na psicofonia.
No magnetismo é o centro usinador
por excelência dos sopradores.
Ainda de alta freqüência, o
centro laríngeo é centro da
criatividade ou da vontade
O centro cardíaco é de freqüência
mediana (intermediária) e é consi-
derado como o centro do sentimento
Relaciona-se com os sistemas
circulatório e nervoso
parassimpático, correspondendo-
se ainda com o timo.
No campo mediúnico, assimila e
transmite campos emocionais.
No magnético, usina fluidos sutis e
dota os fluidos espirituais de “cola
psíquica”; e represa os fluidos
densos e volumosos vindos do
circuito “centros vitais inferiores
para os superiores”.
O centro gástrico é de freqüência
baixa e é o centro vital por excelência,
também conhecido como solar ou
centro de cura
Normalmente é a mais ativa usina
de fluidos vitais do magnetizador.
Corresponde-se diretamente com
as adrenais e o pâncreas.
Na atividade mediúnica, fornece
energias de atração a Espíritos
sofredores e de densa vibração.
No magnético, usina a maior
quantidade de fluido vital que o
organismo normalmente produz
para a auto-manutenção, doação e
exteriorização.
Também de baixa freqüência, o
centro esplênico
é o centro do equilíbrio
É igualmente grande usinador de
fluidos vitais. Reforça o gástrico.
Refere-se diretamente ao baço, mas
atua sobre o fígado, pâncreas e rins.
No terreno mediúnico, opera doação
fluídica a Espíritos fragilizados ou com
graves descontinuidades perispirituais.
No magnético, usina muitos fluidos
vitais para recomposição orgânica,
especialmente quando referente a
reconstituição de órgãos, ossos, etc.
Essencial na terapia antidepressiva.Essencial na terapia antidepressiva.
De baixíssima freqüência, o
centro genésico é o
centro procriador
Corresponde-se com as gônadas.
É o templo modelador de formas e
estímulos.
No campo mediúnico também
libera fluidos de vigorosa atração
magnética.
No magnético, é grande usinador
de fluidos densos (elabora densos
campos fluídicos que, quando bem
canalizados, podem propiciar
vigorosos potenciais energéticos no
campo do amor e da criatividade).
Exerce e/ou recebe força
magnética sobre a ação
espiritual, especialmente nas
em que os comunicantes são
Espíritos inferiores ou
sofredores.
Guarda alguma relação com
o centro laríngeo.
No magnetismo, capta
fluidos para tratamentos
esqueléticos, do SNC e da
medula.
De mediana freqüência, o
centro umeral é o centro da
atração magnética
De freqüência semelhante ao
genésico, o centro básico é o
centro da preservação
Responsável pelo circuito de
refluxo dos fluidos da base para
o alto.
Localiza-se na base da coluna
vertebral, na região coccígea.
Relaciona-se com o genésico,
mas sua primordial função é de
propiciar o retorno dos fluidos;
se congestionado gera graves
prejuízos físicos e perispirituais.
Imagens de “nadisnadis”
(retiradas da internet)
REGRASDO
MAGNETISMO
1ª - Entrar em relação magnética
2ª - O sentido da aplicação
Relações com distância e velocidadeRelações com distância e velocidade
Perto (< ou = 25cm) = ativante
Longe (> 25cm) = calmante
Lento (> ou = 3s/corpo) = concentrador
Rápido (< 3s/corpo) = dispersivo
Relação Fluídica
Uma das fases mais importantes do passe (espiritual,
misto ou magnético);
Diversidade de campos fluídicos dos passistas e dos
pacientes – gera variação de simpatia, empatia e
antipatia fluídica;
Objetivo primordial: ocorrência de trocas fluídicas
harmoniosas e sem embaraço entre os campos
fluídicos do passista e do paciente;
Relação Fluídica
Fatores de facilitação
Especificamente para o passista:
• Exercício da boa vontade;
• Vibração positiva;
• Envolvimento fraterno;
• Pureza de sentimentos;
Passista e paciente:
• Oração sincera;
• Fortalecimento da fé;
• Participação das atividades de reflexão
evangélica ou de mensagens de elevado teor
vibratório.
Relação Fluídica
Há uma busca por um Campo de Referência,
este servindo como norte principal no
tratamento inteiro.
Curso magnetismo2013-modif
Sentido das mãos na
aplicação correta do
magnetismo
O outro sentido será trazer
as mãos para cima do
próprio corpo, de tal modo
a afastá-las do paciente.
Sentido correto da aplicação do magnetismo
(ao longo de uma região e circular)
Sentido correto da aplicação do magnetismo
(ao longo de uma região)
paciente deitadopaciente deitado
Curso magnetismo2013-modif
ASTÉCNICAS
O TATO MAGNÉTICOO TATO MAGNÉTICO
AS IMPOSIÇÕESAS IMPOSIÇÕES
OS LONGITUDINAISOS LONGITUDINAIS
OS TRANSVERSAISOS TRANSVERSAIS (simples e cruzados)
OS CIRCULARESOS CIRCULARES (simples e aflorações)
OS SOPROSOS SOPROS (frio e quente)
outras: OS PERPENDICULARESOS PERPENDICULARES
A CONJUGAÇÃO DE TÉCNICASA CONJUGAÇÃO DE TÉCNICAS
Tato Magnético
Tato Magnético
Capacidade natural da maioria dos seres humanos;
Pode ser desenvolvida, ampliada e apurada – estudo,
atenção e prática;
Algumas vantagens:
Precisão diagnóstica – locais de desarmonia;
Propicia avaliação da extensão da desarmonia e o
nível de desarranjos transmitidos a outros centros
e/ou órgãos;
Tato Magnético
Não descarta a intuição e a assistência espiritual;
Não é um método ligado à mediunidade;
Contribui com a adição de novas informações,
perfeitamente verificáveis;
Aplicação mais objetiva da terapêutica fluídica;
Oferece condições melhores de diagnóstico pós-
passe do paciente.
!!!
Tato Magnético
Não se contrapõe a nenhum outro método de
diagnose – intuição, vidência, audiência,
sonambulismo, etc.
“É comum o paciente acusar problemas em
determinado órgão (sintomas) e o tato-magnético
localizar outro ponto (causa real) que não aquele” p.
97.
Imposições
Imposições
Imposições
Imposições
“técnica essencialmente concentradora de fluidos” p.
104
Não há movimentos;
Focalização da(s) mão(s) no ponto de aplicação;
Observações práticas:
Combinação com dispersivos localizados -
aceleração da absorção fluídica e impedimento
de impregnações fluídicas desarmonizadas no
passista.
Passe Longitudinal
Passe Longitudinal Conjugado
Passe Longitudinal
Feito com movimento;
Relação com a velocidade e a distância:
Lento e próximo: concentrador de ativante;
Lento e distante: concentrador de calmante.
Como Dispersivos: distribuição e introjeção de
fluidos;
Versatilidade: atende a praticamente todos os
casos de fluidificação.
Passe Transversal
Essencialmente dispersivo;
Requer rapidez e vigor;
Dispersão muito intensa – maior efetividade na ação.
Passe Transversal Cruzado
Amplia o poder dispersivo.
Passe Perpendicular
Passe Perpendicular
Finalidade Dispersiva: mais comum; com poder mais
consistente; e aplicação com velocidade muito rápida
Finalidade Concentradora: menos comum; com poder
mais consistente; e aplicação com velocidade muito
lenta
OUTROS
ASSUNTOSCola psíquicaCola psíquica
O passe coletivoO passe coletivo
Fadiga fluídicaFadiga fluídica
Água fluidificadaÁgua fluidificada
IrradiaçãoIrradiação
Auto-passeAuto-passe
E-mail de Jacob Melo
jacobmelo@gmail.com
www.jacobmelo.webs.com
Editora Vida & Saber Ltda
vidaesaber@gmail.com
Jacob MeloJacob Melo
DEUS
LE:1 G-II:1/8
criação
LE:38/80/81 G-VI:15
Princípio Inteligente
Universal (PIU) ou
Princípio Espiritual (PE)
LE:23 G-XI:1/2/6/7
Princípio Inteligente
(PI) LE:606 (589/597/597a)
ESPÍRITO
LE:76/77/82/592
Princípio Vital
(PV) (Ativado)
LE:64a/65 G-XI:5
Princípio Material ou
Fluido Universal (FU)
LE:22a/27a G-XIV:5
Fluido Cósmico (FC)
LE:33/94 G-VI:17 e XIV:2/3
Fluido Vital
(FV)
LE:45/146a
G-VI:18 e X:17
Matéria e
Energia
(Passivas)
LE:29a33
Matéria/Energia passivas
+ FV + PVs “inativos”
LE:67a/44/46 G-X:18
Matéria/Energia passivas
+ FV + PVs “ativados”
= VIDAVIDA
LE:49/61/62/63/67/140
G-II:24/25
LE:79/536b
LE:27
LE:606a
LE:540
LE:604a
LE:607
LE:607a
LE:78
LE:86
LE:25
LE:71
LE:86
LE:25
LE:71
LE:135a
LE:136a
LE:196a
G-XI:13
LE:71/86
LE:27
LE:64
LE:60
LE:67
DEUS
LE:1 G-II:1/8
criação
LE:38/80/81 G-VI:15
Princípio Inteligente
Universal (PIU) ou
Princípio Espiritual (PE)
LE:23 G-XI:1/2/6/7
Princípio Inteligente
(PI) LE:606 (589/597/597a)
ESPÍRITO
LE:76/77/82/592
Princípio Vital
(PV) (Ativado)
LE:64a/65 G-XI:5
Princípio Material ou
Fluido Universal (FU)
LE:22a/27a G-XIV:5
Fluido Cósmico (FC)
LE:33/94 G-VI:17 e XIV:2/3
Fluido Vital
(FV)
LE:45/146a
G-VI:18 e X:17
Matéria e
Energia
(Passivas)
LE:29a33
Matéria/Energia passivas
+ FV + PVs “inativos”
LE:67a/44/46 G-X:18
Matéria/Energia passivas
+ FV + PVs “ativados”
= VIDAVIDA
LE:49/61/62/63/67/140
G-II:24/25
LE:79/536b
LE:27
LE:606a
LE:540
LE:604a
LE:607
LE:607a
LE:78
LE:86
LE:25
LE:71
LE:86
LE:25
LE:71
LE:135a
LE:136a
LE:196a
G-XI:13
LE:71/86
LE:27
LE:64
LE:60
LE:67

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

O passe espirita
O passe espiritaO passe espirita
O passe espirita
carlos freire
 
Sintonia e pensamento
Sintonia e pensamentoSintonia e pensamento
Sintonia e pensamento
Ana Cláudia Leal Felgueiras
 
Concentração Aura e Irradiação
Concentração Aura e IrradiaçãoConcentração Aura e Irradiação
Concentração Aura e Irradiação
Graça Maciel
 
Primeiro Módulo - Aula 16 - Intervenção dos espiritos no mundo corporal
Primeiro Módulo - Aula 16 - Intervenção dos espiritos no mundo corporalPrimeiro Módulo - Aula 16 - Intervenção dos espiritos no mundo corporal
Primeiro Módulo - Aula 16 - Intervenção dos espiritos no mundo corporal
CeiClarencio
 
Qualificação e prática da mediunidade
Qualificação e prática da mediunidadeQualificação e prática da mediunidade
Qualificação e prática da mediunidade
Francisco José
 
Criação e evolução a luz do espiritismo!
Criação e evolução a luz do espiritismo!Criação e evolução a luz do espiritismo!
Criação e evolução a luz do espiritismo!
Leonardo Pereira
 
Transe mediúnico
Transe mediúnicoTranse mediúnico
Transe mediúnico
KATIA MARIA FARAH V DA SILVA
 
9 ciclo-iii-fenomenos de-emancipacao_da_alma
9 ciclo-iii-fenomenos de-emancipacao_da_alma9 ciclo-iii-fenomenos de-emancipacao_da_alma
9 ciclo-iii-fenomenos de-emancipacao_da_alma
Carlos Alberto Freire De Souza
 
A mediunidade através dos tempos - Espiritismo e mediunidade - Wilma Badan
A mediunidade através dos tempos - Espiritismo e mediunidade - Wilma BadanA mediunidade através dos tempos - Espiritismo e mediunidade - Wilma Badan
A mediunidade através dos tempos - Espiritismo e mediunidade - Wilma Badan
Wilma Badan C.G.
 
2013-02-01-O Magnetismo, Os Flúidos, O Perispírito- Aula 1. do Curso de Passe...
2013-02-01-O Magnetismo, Os Flúidos, O Perispírito- Aula 1. do Curso de Passe...2013-02-01-O Magnetismo, Os Flúidos, O Perispírito- Aula 1. do Curso de Passe...
2013-02-01-O Magnetismo, Os Flúidos, O Perispírito- Aula 1. do Curso de Passe...
Rosana De Rosa
 
Corpos e funcoes_do_perispirito-rosana_c
Corpos e funcoes_do_perispirito-rosana_cCorpos e funcoes_do_perispirito-rosana_c
Corpos e funcoes_do_perispirito-rosana_c
Grupo Espírita Mensageiros
 
Aula o perispirito
Aula o perispiritoAula o perispirito
Aula o perispirito
duadv
 
Livro dos Mediuns cap XXI_Da Identidade dos Espiritos
Livro dos Mediuns cap XXI_Da Identidade dos EspiritosLivro dos Mediuns cap XXI_Da Identidade dos Espiritos
Livro dos Mediuns cap XXI_Da Identidade dos Espiritos
Patricia Farias
 
Roteiro 3 metodologia e critérios utilizados na codificação espírita
Roteiro 3   metodologia e critérios utilizados na codificação espíritaRoteiro 3   metodologia e critérios utilizados na codificação espírita
Roteiro 3 metodologia e critérios utilizados na codificação espírita
Bruno Cechinel Filho
 
Consolador prometido
Consolador prometidoConsolador prometido
Consolador prometido
Luciane Belchior
 
centros de força
centros de forçacentros de força
centros de força
carlos freire
 
Tomo complementar, Módulo 1, roteiro 4: os espíritos errantes
Tomo complementar, Módulo 1, roteiro 4: os espíritos errantesTomo complementar, Módulo 1, roteiro 4: os espíritos errantes
Tomo complementar, Módulo 1, roteiro 4: os espíritos errantes
Núcleo de Promoção Humana Vinha de Luz
 
Influência Moral do Médium e do Meio
Influência Moral do Médium e do MeioInfluência Moral do Médium e do Meio
Influência Moral do Médium e do Meio
igmateus
 
Perispirito: formação, propriedades e funções.
Perispirito: formação, propriedades e funções.Perispirito: formação, propriedades e funções.
Perispirito: formação, propriedades e funções.
Núcleo de Promoção Humana Vinha de Luz
 
Estudo sobre os chacras e as doenças
Estudo sobre os chacras e as doençasEstudo sobre os chacras e as doenças
Estudo sobre os chacras e as doenças
Edna Costa
 

Mais procurados (20)

O passe espirita
O passe espiritaO passe espirita
O passe espirita
 
Sintonia e pensamento
Sintonia e pensamentoSintonia e pensamento
Sintonia e pensamento
 
Concentração Aura e Irradiação
Concentração Aura e IrradiaçãoConcentração Aura e Irradiação
Concentração Aura e Irradiação
 
Primeiro Módulo - Aula 16 - Intervenção dos espiritos no mundo corporal
Primeiro Módulo - Aula 16 - Intervenção dos espiritos no mundo corporalPrimeiro Módulo - Aula 16 - Intervenção dos espiritos no mundo corporal
Primeiro Módulo - Aula 16 - Intervenção dos espiritos no mundo corporal
 
Qualificação e prática da mediunidade
Qualificação e prática da mediunidadeQualificação e prática da mediunidade
Qualificação e prática da mediunidade
 
Criação e evolução a luz do espiritismo!
Criação e evolução a luz do espiritismo!Criação e evolução a luz do espiritismo!
Criação e evolução a luz do espiritismo!
 
Transe mediúnico
Transe mediúnicoTranse mediúnico
Transe mediúnico
 
9 ciclo-iii-fenomenos de-emancipacao_da_alma
9 ciclo-iii-fenomenos de-emancipacao_da_alma9 ciclo-iii-fenomenos de-emancipacao_da_alma
9 ciclo-iii-fenomenos de-emancipacao_da_alma
 
A mediunidade através dos tempos - Espiritismo e mediunidade - Wilma Badan
A mediunidade através dos tempos - Espiritismo e mediunidade - Wilma BadanA mediunidade através dos tempos - Espiritismo e mediunidade - Wilma Badan
A mediunidade através dos tempos - Espiritismo e mediunidade - Wilma Badan
 
2013-02-01-O Magnetismo, Os Flúidos, O Perispírito- Aula 1. do Curso de Passe...
2013-02-01-O Magnetismo, Os Flúidos, O Perispírito- Aula 1. do Curso de Passe...2013-02-01-O Magnetismo, Os Flúidos, O Perispírito- Aula 1. do Curso de Passe...
2013-02-01-O Magnetismo, Os Flúidos, O Perispírito- Aula 1. do Curso de Passe...
 
Corpos e funcoes_do_perispirito-rosana_c
Corpos e funcoes_do_perispirito-rosana_cCorpos e funcoes_do_perispirito-rosana_c
Corpos e funcoes_do_perispirito-rosana_c
 
Aula o perispirito
Aula o perispiritoAula o perispirito
Aula o perispirito
 
Livro dos Mediuns cap XXI_Da Identidade dos Espiritos
Livro dos Mediuns cap XXI_Da Identidade dos EspiritosLivro dos Mediuns cap XXI_Da Identidade dos Espiritos
Livro dos Mediuns cap XXI_Da Identidade dos Espiritos
 
Roteiro 3 metodologia e critérios utilizados na codificação espírita
Roteiro 3   metodologia e critérios utilizados na codificação espíritaRoteiro 3   metodologia e critérios utilizados na codificação espírita
Roteiro 3 metodologia e critérios utilizados na codificação espírita
 
Consolador prometido
Consolador prometidoConsolador prometido
Consolador prometido
 
centros de força
centros de forçacentros de força
centros de força
 
Tomo complementar, Módulo 1, roteiro 4: os espíritos errantes
Tomo complementar, Módulo 1, roteiro 4: os espíritos errantesTomo complementar, Módulo 1, roteiro 4: os espíritos errantes
Tomo complementar, Módulo 1, roteiro 4: os espíritos errantes
 
Influência Moral do Médium e do Meio
Influência Moral do Médium e do MeioInfluência Moral do Médium e do Meio
Influência Moral do Médium e do Meio
 
Perispirito: formação, propriedades e funções.
Perispirito: formação, propriedades e funções.Perispirito: formação, propriedades e funções.
Perispirito: formação, propriedades e funções.
 
Estudo sobre os chacras e as doenças
Estudo sobre os chacras e as doençasEstudo sobre os chacras e as doenças
Estudo sobre os chacras e as doenças
 

Destaque

Magnetismo - Espiritísmo
Magnetismo - EspiritísmoMagnetismo - Espiritísmo
Magnetismo - Espiritísmo
Luan Góes Rocha de Lima
 
Curso de Passe - Módulo 1
Curso de Passe - Módulo 1Curso de Passe - Módulo 1
Curso de Passe - Módulo 1
Edna Costa
 
Magnetismo: conceito e aplicação
Magnetismo: conceito e aplicaçãoMagnetismo: conceito e aplicação
Magnetismo: conceito e aplicação
Núcleo de Promoção Humana Vinha de Luz
 
27 01 2017 a morte do animal de estimação
27 01 2017 a morte do animal de estimação27 01 2017 a morte do animal de estimação
27 01 2017 a morte do animal de estimação
Lar Irmã Zarabatana
 
Evangeliza - Chakras - Centros Vitais
Evangeliza - Chakras - Centros VitaisEvangeliza - Chakras - Centros Vitais
Evangeliza - Chakras - Centros Vitais
Antonino Silva
 
Magnetismo: introdução
Magnetismo: introduçãoMagnetismo: introdução
Magnetismo: introdução
Pedro Bittencourt
 
Roteiro para Assistência Espiritual nas Casas Espíritas
Roteiro para Assistência Espiritual nas Casas EspíritasRoteiro para Assistência Espiritual nas Casas Espíritas
Roteiro para Assistência Espiritual nas Casas Espíritas
Gevluz de Luz
 
Introdução ao Magnetismo
Introdução ao MagnetismoIntrodução ao Magnetismo
Introdução ao Magnetismo
Aryleudo De Oliveira
 
A prece e o pensamento construtivo
A prece e o pensamento construtivoA prece e o pensamento construtivo
A prece e o pensamento construtivo
Izabel Cristina Fonseca
 
Magnetismo 1
Magnetismo 1Magnetismo 1
Magnetismo 1
Eduardo Sousa Gomes
 
Da Vida Espírita
Da Vida EspíritaDa Vida Espírita
Da Vida Espírita
Sergio Menezes
 
O valor da amizade kssf
O valor da amizade  kssfO valor da amizade  kssf
O valor da amizade kssf
Clea Alves
 
A AçãO Da Amizade
A AçãO Da AmizadeA AçãO Da Amizade
A AçãO Da Amizade
Grupo Espírita Cristão
 
Dissidências
DissidênciasDissidências
Retribuir O Mal Com O Bem
Retribuir O Mal Com O BemRetribuir O Mal Com O Bem
Retribuir O Mal Com O Bem
Grupo Espírita Cristão
 
A Eficácia da Prece
A Eficácia da PreceA Eficácia da Prece
A Eficácia da Prece
igmateus
 
Magnetismo aula 1
Magnetismo   aula 1Magnetismo   aula 1
Magnetismo aula 1
FilipeBCosta
 
Retribuir o Mal com o Bem
Retribuir o Mal com o BemRetribuir o Mal com o Bem
Retribuir o Mal com o Bem
igmateus
 
Fazer o bem e evitar o mal
Fazer o bem e evitar o malFazer o bem e evitar o mal
Fazer o bem e evitar o mal
Tomaz Soeiro
 
V dfilo cap10p_entre_bem_mal
V dfilo cap10p_entre_bem_malV dfilo cap10p_entre_bem_mal
V dfilo cap10p_entre_bem_mal
Leonardo Espíndola Espindola Moreira
 

Destaque (20)

Magnetismo - Espiritísmo
Magnetismo - EspiritísmoMagnetismo - Espiritísmo
Magnetismo - Espiritísmo
 
Curso de Passe - Módulo 1
Curso de Passe - Módulo 1Curso de Passe - Módulo 1
Curso de Passe - Módulo 1
 
Magnetismo: conceito e aplicação
Magnetismo: conceito e aplicaçãoMagnetismo: conceito e aplicação
Magnetismo: conceito e aplicação
 
27 01 2017 a morte do animal de estimação
27 01 2017 a morte do animal de estimação27 01 2017 a morte do animal de estimação
27 01 2017 a morte do animal de estimação
 
Evangeliza - Chakras - Centros Vitais
Evangeliza - Chakras - Centros VitaisEvangeliza - Chakras - Centros Vitais
Evangeliza - Chakras - Centros Vitais
 
Magnetismo: introdução
Magnetismo: introduçãoMagnetismo: introdução
Magnetismo: introdução
 
Roteiro para Assistência Espiritual nas Casas Espíritas
Roteiro para Assistência Espiritual nas Casas EspíritasRoteiro para Assistência Espiritual nas Casas Espíritas
Roteiro para Assistência Espiritual nas Casas Espíritas
 
Introdução ao Magnetismo
Introdução ao MagnetismoIntrodução ao Magnetismo
Introdução ao Magnetismo
 
A prece e o pensamento construtivo
A prece e o pensamento construtivoA prece e o pensamento construtivo
A prece e o pensamento construtivo
 
Magnetismo 1
Magnetismo 1Magnetismo 1
Magnetismo 1
 
Da Vida Espírita
Da Vida EspíritaDa Vida Espírita
Da Vida Espírita
 
O valor da amizade kssf
O valor da amizade  kssfO valor da amizade  kssf
O valor da amizade kssf
 
A AçãO Da Amizade
A AçãO Da AmizadeA AçãO Da Amizade
A AçãO Da Amizade
 
Dissidências
DissidênciasDissidências
Dissidências
 
Retribuir O Mal Com O Bem
Retribuir O Mal Com O BemRetribuir O Mal Com O Bem
Retribuir O Mal Com O Bem
 
A Eficácia da Prece
A Eficácia da PreceA Eficácia da Prece
A Eficácia da Prece
 
Magnetismo aula 1
Magnetismo   aula 1Magnetismo   aula 1
Magnetismo aula 1
 
Retribuir o Mal com o Bem
Retribuir o Mal com o BemRetribuir o Mal com o Bem
Retribuir o Mal com o Bem
 
Fazer o bem e evitar o mal
Fazer o bem e evitar o malFazer o bem e evitar o mal
Fazer o bem e evitar o mal
 
V dfilo cap10p_entre_bem_mal
V dfilo cap10p_entre_bem_malV dfilo cap10p_entre_bem_mal
V dfilo cap10p_entre_bem_mal
 

Semelhante a Curso magnetismo2013-modif

PENSAMENTO-E-MEDIUNIDADE-SEMINÁRIO-FEB-25-06-2016-ARISMAR.pdf
PENSAMENTO-E-MEDIUNIDADE-SEMINÁRIO-FEB-25-06-2016-ARISMAR.pdfPENSAMENTO-E-MEDIUNIDADE-SEMINÁRIO-FEB-25-06-2016-ARISMAR.pdf
PENSAMENTO-E-MEDIUNIDADE-SEMINÁRIO-FEB-25-06-2016-ARISMAR.pdf
CleversonRoberto2
 
10952062.ppt
10952062.ppt10952062.ppt
10952062.ppt
ssuser9b8021
 
Espiritismo e mediunidade 07
Espiritismo e mediunidade  07Espiritismo e mediunidade  07
Espiritismo e mediunidade 07
Leonardo Pereira
 
Espiritismo e mediunidade - 10 - conexões
Espiritismo e mediunidade -  10 - conexõesEspiritismo e mediunidade -  10 - conexões
Espiritismo e mediunidade - 10 - conexões
Leonardo Pereira
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Leonardo Pereira
 
Oficina de Passe na Casa Espírita.ppt
Oficina de Passe na Casa Espírita.pptOficina de Passe na Casa Espírita.ppt
Oficina de Passe na Casa Espírita.ppt
LuizEdmundoSilva1
 
Mediunidade _ Estudo para Mocidade
Mediunidade _ Estudo para MocidadeMediunidade _ Estudo para Mocidade
Mediunidade _ Estudo para Mocidade
Ana Cláudia Leal Felgueiras
 
O homem o Perispirito a Evolução
O homem o Perispirito a EvoluçãoO homem o Perispirito a Evolução
O homem o Perispirito a Evolução
Ceile Bernardo
 
Prática mediúnica - perispírito
Prática mediúnica - perispíritoPrática mediúnica - perispírito
Prática mediúnica - perispírito
FEEAK
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da MediunidadeEstudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Leonardo Pereira
 
8ª aula do papel dos mediuns nas comunicações espiritas - coem
8ª aula   do papel dos mediuns nas comunicações espiritas - coem8ª aula   do papel dos mediuns nas comunicações espiritas - coem
8ª aula do papel dos mediuns nas comunicações espiritas - coem
Wagner Quadros
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Leonardo Pereira
 
Apostila do III Módulo do Projeto Mediunidade sem tabu. - A Fisiologia da Com...
Apostila do III Módulo do Projeto Mediunidade sem tabu. - A Fisiologia da Com...Apostila do III Módulo do Projeto Mediunidade sem tabu. - A Fisiologia da Com...
Apostila do III Módulo do Projeto Mediunidade sem tabu. - A Fisiologia da Com...
6º Conselho Espírita de Unificação
 
Psicometria - Mocidade Espírita Chico Xavier
Psicometria - Mocidade Espírita Chico XavierPsicometria - Mocidade Espírita Chico Xavier
Psicometria - Mocidade Espírita Chico Xavier
Sergio Lima Dias Junior
 
Curso_MENTALISMO_Aula 2.pptx
Curso_MENTALISMO_Aula 2.pptxCurso_MENTALISMO_Aula 2.pptx
Curso_MENTALISMO_Aula 2.pptx
MarceloBorgesFigueir
 
Aula intervencao dos espiritos no mundo fisico
Aula   intervencao dos espiritos no mundo fisicoAula   intervencao dos espiritos no mundo fisico
Aula intervencao dos espiritos no mundo fisico
Ceile Bernardo
 
O Passe
O PasseO Passe
O Passe
paikachambi
 
01 o médium conceito e classif. mediunidade com jesus
01   o médium conceito e classif. mediunidade com jesus01   o médium conceito e classif. mediunidade com jesus
01 o médium conceito e classif. mediunidade com jesus
jcevadro
 
Irradiação
IrradiaçãoIrradiação
Irradiação
Luciano Portilho
 
4 prticamedinica-perisprito-110324150330-phpapp02 (1)
4 prticamedinica-perisprito-110324150330-phpapp02 (1)4 prticamedinica-perisprito-110324150330-phpapp02 (1)
4 prticamedinica-perisprito-110324150330-phpapp02 (1)
Adriano Alves de Souza
 

Semelhante a Curso magnetismo2013-modif (20)

PENSAMENTO-E-MEDIUNIDADE-SEMINÁRIO-FEB-25-06-2016-ARISMAR.pdf
PENSAMENTO-E-MEDIUNIDADE-SEMINÁRIO-FEB-25-06-2016-ARISMAR.pdfPENSAMENTO-E-MEDIUNIDADE-SEMINÁRIO-FEB-25-06-2016-ARISMAR.pdf
PENSAMENTO-E-MEDIUNIDADE-SEMINÁRIO-FEB-25-06-2016-ARISMAR.pdf
 
10952062.ppt
10952062.ppt10952062.ppt
10952062.ppt
 
Espiritismo e mediunidade 07
Espiritismo e mediunidade  07Espiritismo e mediunidade  07
Espiritismo e mediunidade 07
 
Espiritismo e mediunidade - 10 - conexões
Espiritismo e mediunidade -  10 - conexõesEspiritismo e mediunidade -  10 - conexões
Espiritismo e mediunidade - 10 - conexões
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 
Oficina de Passe na Casa Espírita.ppt
Oficina de Passe na Casa Espírita.pptOficina de Passe na Casa Espírita.ppt
Oficina de Passe na Casa Espírita.ppt
 
Mediunidade _ Estudo para Mocidade
Mediunidade _ Estudo para MocidadeMediunidade _ Estudo para Mocidade
Mediunidade _ Estudo para Mocidade
 
O homem o Perispirito a Evolução
O homem o Perispirito a EvoluçãoO homem o Perispirito a Evolução
O homem o Perispirito a Evolução
 
Prática mediúnica - perispírito
Prática mediúnica - perispíritoPrática mediúnica - perispírito
Prática mediúnica - perispírito
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da MediunidadeEstudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 
8ª aula do papel dos mediuns nas comunicações espiritas - coem
8ª aula   do papel dos mediuns nas comunicações espiritas - coem8ª aula   do papel dos mediuns nas comunicações espiritas - coem
8ª aula do papel dos mediuns nas comunicações espiritas - coem
 
Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade Estudo Sistematizado da Mediunidade
Estudo Sistematizado da Mediunidade
 
Apostila do III Módulo do Projeto Mediunidade sem tabu. - A Fisiologia da Com...
Apostila do III Módulo do Projeto Mediunidade sem tabu. - A Fisiologia da Com...Apostila do III Módulo do Projeto Mediunidade sem tabu. - A Fisiologia da Com...
Apostila do III Módulo do Projeto Mediunidade sem tabu. - A Fisiologia da Com...
 
Psicometria - Mocidade Espírita Chico Xavier
Psicometria - Mocidade Espírita Chico XavierPsicometria - Mocidade Espírita Chico Xavier
Psicometria - Mocidade Espírita Chico Xavier
 
Curso_MENTALISMO_Aula 2.pptx
Curso_MENTALISMO_Aula 2.pptxCurso_MENTALISMO_Aula 2.pptx
Curso_MENTALISMO_Aula 2.pptx
 
Aula intervencao dos espiritos no mundo fisico
Aula   intervencao dos espiritos no mundo fisicoAula   intervencao dos espiritos no mundo fisico
Aula intervencao dos espiritos no mundo fisico
 
O Passe
O PasseO Passe
O Passe
 
01 o médium conceito e classif. mediunidade com jesus
01   o médium conceito e classif. mediunidade com jesus01   o médium conceito e classif. mediunidade com jesus
01 o médium conceito e classif. mediunidade com jesus
 
Irradiação
IrradiaçãoIrradiação
Irradiação
 
4 prticamedinica-perisprito-110324150330-phpapp02 (1)
4 prticamedinica-perisprito-110324150330-phpapp02 (1)4 prticamedinica-perisprito-110324150330-phpapp02 (1)
4 prticamedinica-perisprito-110324150330-phpapp02 (1)
 

Último

11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
marcusviniciussabino1
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
CleideTeles3
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 

Último (14)

11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdfA VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
A VIDA SEGUNDO O EVANGELHO - MICHAEL HORTON.pdf
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1Jardim de infância- A história de José 1
Jardim de infância- A história de José 1
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 

Curso magnetismo2013-modif

  • 3. Importância de desenvolver a Fé, a Esperança e a Boa Vontade.
  • 4. O Magnetismo e a Fé Raciocinada “A fé necessita de uma base, base que é a inteligência perfeita daquilo em que e deve crer. E, para crer, não basta ver, é preciso, sobretudo, compreender. (...)” “A fé raciocinada, por se apoiar nos fatos e na lógica, nenhuma obscuridade deixa. A criatura então crê, porque tem certeza, e ninguém tem certeza senão porque compreendeu.” E. S.E. Cap. XIX, it. 7, p. 342-343. Condição da fé inabalável.
  • 5. “(...) que o magnetizador fique ciente que obterá tanto mais curas quanto maior for a confiança em seu poder e mais sincero for o seu amor por seu paciente.” Durville, H. Teorias e Procedimentos do Magnetismo, p. 30 A Fé Raciocinada e o Amor
  • 6. Estudar: Orientações de estudos ao passista Fluidos; Campos vitais; Magnetismo; Mediunidade (especificamente, influência espiritual); Anatomia e fisiologia – se possível; Melo, J. Manual do Passista. Curando pelo Amor e pelo Magnetismo, p. 20 Perispírito;
  • 7. Leituras complementares: Orientações de estudos ao passista Revista Espírita – Allan Kardec; Série Nosso Lar – André Luiz; O Passe: seu estudo, suas técnicas, sua prática – Jacb Melo; Autores Clássicos e espirituais: Mesmer, Du Potet, Delanne, Léon Denis, Ernesto Bozzano, Emmanuel, Bezerra de Menezes, Joanna de Ângelis, etc.; Magnetismo Espiritual - Michaelus;
  • 8. “O Magnetismo é uma das maiores provas do poder da fé posta em ação. É pela fé que ele cura e produz esses fenômenos singulares, qualificados outrora de milagres.” E. S.E. Cap. XIX, it. 12, p. 348. A fé humana e a divina. O Magnetismo e a Fé Raciocinada
  • 9. “(...) ação recíproca que (todos) os corpos (da Natureza) exercem ou podem exercer uns sobre os outros.” Durville, H. Teorias e Procedimentos do Magnetismo, p. 23 Conceito
  • 10. “(...) uma ação consciente e deliberada de transmissão de fluidos, de um possuidor para um carente, por meio de uma técnica, ainda que esta seja a mais simples.” Melo, J. Manual do Passista. Curando pelo Amor e pelo Magnetismo, p. 17 Conceito
  • 12. O fluido se origina do próprio magnetizador. Magnetismo Propriamente Dito ou Humano
  • 14. Atua diretamente, sem intermediário, em um encarnado com a finalidade de: Magnetismo Espiritual Curar ou acalmar um sofrimento; Provocar o sono sonambúlico espontâneo; Exercer sobre o indivíduo uma influência física ou moral qualquer.
  • 16. Magnetismo Espiritual combinado com o Humano; Magnetismo Misto O magnetizador humano serve de intermediário dos fluidos dos Espíritos; O fluido espiritual supre qualidade do fluido humano; “o concurso dos Espíritos é amiúde espontâneo, porém, as mais das vezes, provocado por um apelo do magnetizador”.
  • 19. “(...) não atende apenas a impulsos psíquicos e mentais ou espirituais; por ser bastante físico, atende de igual forma a comandos magnéticos, tanto por repercussão fisiológica quanto por emanações de fluidos vitais.” Melo, J. Manual do passista. Curando pelo Amor e pelo Magnetismo, p. 19 O mundo dos fluidos
  • 20. Ponto de vista moral – adquirem características relacionadas aos sentimentos positivos ou negativos: Qualidade dos fluidos Ódio, inveja, ciúme, orgulho, egoísmo, violência, hipocrisia; bondade, benevolência, amor, caridade, doçura, etc.
  • 21. Ponto de vista físico: Qualidade dos fluidos Excitantes, calmantes, penetrantes, adstringentes, irritantes, dulcificantes, suporíficos, narcóticos, tóxicos, reparadores, expulsivos, como força de transmissão, propulsão ou repulsão, etc. Cap. XIV, it. 17
  • 23. Envoltório do Espírito – Função de Contenção; Pontos principais Intermediário entre a vida corpórea e a vida espiritual – Função de Intercâmbio; Responsável pela “Atmosfera Fluídica” ou Psicosfera; Um dos principais produtos do Fluido Cósmico Universal; Intermediário entre o corpo físico e o Espírito – Função de Ligação;
  • 24. Absorve os fluidos – deletérios ou benéficos – pelos seus poros; Pontos principais Capacidade de refletir o pensamento – espécie de fotografia do pensamento; Seus fluidos servem de veículo do pensamento dos encarnados e desencarnados;
  • 25. Formação – elementos extremamente variáveis em tessitura e sutileza; Pontos principais Possui zonas de altíssimas e baixas frequências. Campo fluídico multifuncional; Estruturalmente, pode-se ressaltar, pelo menos, dois grandes campos: Campo Mental – unido ao Espírito; Campo Vital – unido ao corpo.
  • 26. Plasticidade – relação com a modelagem; Algumas propriedades Densidade – determina o peso e a luminosidade; Porosidade – “espaços intermoleculares”; Luminosidade – princípio luminoso do Espírito; Penetrabilidade – não há obstáculos materiais; Ponderabilidade – peso determinado pela mente;
  • 27. Expansibilidade – relação com: Algumas propriedades Sensibilidade Magnética – captação de magnetismo humano e espiritual (psicomagnetismo); conjugação de energias psíquicas ou espirituais e vitais; Dupla vista – conjugação com a penetrabilidade e a luminosidade. Ampliação do campo de sensibilidade e percepção;
  • 29. Considerar: Corpo x Campo; e A síntese da tríade 3 propriedades: ligação, intercâmbio e morfologia
  • 30. Campo Vital Há o trânsito de energias: Espírito  Corpo físico (ações físico-orgânicas) Campo de baixa frequência; “é por ele que os fluidos e as matérias mais densas são, por assim dizer, trabalhadas” p. 49;
  • 31. Campo Vital Localizam-se dois campos principais: Princípio Vital: • De mais alta frequência; • Campo de atuação do Espírito; • Espécie de “interruptor vital”; • Quando ativado: “faz circular todos os fluidos vitais”, gerando a vida orgânica;
  • 32. Sistema sob a ação do espírito ou do Espírito <== Sistema inorgânico (ex.: uma semente)
  • 33. Campo Vital Duplo etéreo ou etérico: • De mais baixa frequência; • Filtro das emanações físicas para os campos de mais altas frequências do perispírito.
  • 34. Campo Vital “É no campo vital onde se dá a usinagem dos fluidos magnéticos, que são os elementos primordiais do passe, em especial do magnetismo” p. 50 !!!
  • 35. A velaA vela –– fluido universalfluido universal Luz, calor, sombra, irradiação...Luz, calor, sombra, irradiação... –– fluido cósmicofluido cósmico
  • 36. Centros Vitais “encontram-se nas confluências do perispírito com o corpo físico” p. 52 Localização: “regiões muito específicas no perispírito, com estreita correlação com determinadas regiões orgânicas” p. 51
  • 37. Não se trata de camadas e sim de zonas mais sutis Campo Vital como geralmente é visualizado Campo Vital como é percebido pela ação fluídica (raramente visualizado)
  • 38. Considerar: distância equivalente; e sensação temporal e espacial alterada. Centros Vitais recebendo fluidos de duas mãos (Visão de topo acima e lateral abaixo)
  • 39. Na decomposição das forças fluídicas, as componentes centrípetas (que promovem a absorção dos fluidos) e as centrífugas (que induzem à exteriorização dos mesmos) são responsáveis por um sem-número de ações e reações magnéticas. Visão de topo de um Campo Vital, seu sentido de giro e a decomposição dos movimentos
  • 40. Exemplo de circulação e captação fluídica por um centro (campo) vital
  • 41. Coronário Frontal Laríngeo Genésico Esplênico Cardíaco Gástrico Página 97 do livro O PASSE Página 178 do livro MANUAL DO PASSISTA
  • 42. Recebe os estímulos do Espírito e comanda os demais centros. Dele emanam as energias de sustentação do sistema nervoso. Corresponde, em termos de glândulas, à epífise ou pineal. Na mediunidade, propicia a sintonia, a aproximação e o contato com os Espíritos (especialmente os Superiores) No magnetismo, percebe e capta os fluidos espirituais e sutiliza os fluidos anímicos quando emitidos para o Mundo Espiritual. O centro coronário é o de mais alta freqüência e é considerado o centro da sabedoriacentro da sabedoria
  • 43. Relaciona-se com os processos da inteligência ligados à Palavra, à Cultura, à Arte e ao Saber. Administra o SNC. Tem relação direta com a glândula pituitária ou hipófise (e estreita relação com a pineal ou epífise). Na mediunidade, responde pelas vidência, audiência e intuição, e atua na exteriorização de fluidos ectoplásmicos (orifícios superiores) No magnetismo, destaca-se nos processos hipnóticos, sonambúlicos e de regressão de memória. Também de alta freqüência, o centro frontal é conhecido como o centro da intuição
  • 44. Correspondendo-se com as glândulas tireóide e paratireóide, preside os fenômenos vocais, inclusive às atividades do timo. Exerce significativo papel de filtragem dos fluidos anímicos quando em direção aos fluidos e campos espirituais Na mediunidade, atua na exteriori- zação de ectoplasma e marca presença na psicofonia. No magnetismo é o centro usinador por excelência dos sopradores. Ainda de alta freqüência, o centro laríngeo é centro da criatividade ou da vontade
  • 45. O centro cardíaco é de freqüência mediana (intermediária) e é consi- derado como o centro do sentimento Relaciona-se com os sistemas circulatório e nervoso parassimpático, correspondendo- se ainda com o timo. No campo mediúnico, assimila e transmite campos emocionais. No magnético, usina fluidos sutis e dota os fluidos espirituais de “cola psíquica”; e represa os fluidos densos e volumosos vindos do circuito “centros vitais inferiores para os superiores”.
  • 46. O centro gástrico é de freqüência baixa e é o centro vital por excelência, também conhecido como solar ou centro de cura Normalmente é a mais ativa usina de fluidos vitais do magnetizador. Corresponde-se diretamente com as adrenais e o pâncreas. Na atividade mediúnica, fornece energias de atração a Espíritos sofredores e de densa vibração. No magnético, usina a maior quantidade de fluido vital que o organismo normalmente produz para a auto-manutenção, doação e exteriorização.
  • 47. Também de baixa freqüência, o centro esplênico é o centro do equilíbrio É igualmente grande usinador de fluidos vitais. Reforça o gástrico. Refere-se diretamente ao baço, mas atua sobre o fígado, pâncreas e rins. No terreno mediúnico, opera doação fluídica a Espíritos fragilizados ou com graves descontinuidades perispirituais. No magnético, usina muitos fluidos vitais para recomposição orgânica, especialmente quando referente a reconstituição de órgãos, ossos, etc. Essencial na terapia antidepressiva.Essencial na terapia antidepressiva.
  • 48. De baixíssima freqüência, o centro genésico é o centro procriador Corresponde-se com as gônadas. É o templo modelador de formas e estímulos. No campo mediúnico também libera fluidos de vigorosa atração magnética. No magnético, é grande usinador de fluidos densos (elabora densos campos fluídicos que, quando bem canalizados, podem propiciar vigorosos potenciais energéticos no campo do amor e da criatividade).
  • 49. Exerce e/ou recebe força magnética sobre a ação espiritual, especialmente nas em que os comunicantes são Espíritos inferiores ou sofredores. Guarda alguma relação com o centro laríngeo. No magnetismo, capta fluidos para tratamentos esqueléticos, do SNC e da medula. De mediana freqüência, o centro umeral é o centro da atração magnética
  • 50. De freqüência semelhante ao genésico, o centro básico é o centro da preservação Responsável pelo circuito de refluxo dos fluidos da base para o alto. Localiza-se na base da coluna vertebral, na região coccígea. Relaciona-se com o genésico, mas sua primordial função é de propiciar o retorno dos fluidos; se congestionado gera graves prejuízos físicos e perispirituais.
  • 52. REGRASDO MAGNETISMO 1ª - Entrar em relação magnética 2ª - O sentido da aplicação Relações com distância e velocidadeRelações com distância e velocidade Perto (< ou = 25cm) = ativante Longe (> 25cm) = calmante Lento (> ou = 3s/corpo) = concentrador Rápido (< 3s/corpo) = dispersivo
  • 53. Relação Fluídica Uma das fases mais importantes do passe (espiritual, misto ou magnético); Diversidade de campos fluídicos dos passistas e dos pacientes – gera variação de simpatia, empatia e antipatia fluídica; Objetivo primordial: ocorrência de trocas fluídicas harmoniosas e sem embaraço entre os campos fluídicos do passista e do paciente;
  • 54. Relação Fluídica Fatores de facilitação Especificamente para o passista: • Exercício da boa vontade; • Vibração positiva; • Envolvimento fraterno; • Pureza de sentimentos; Passista e paciente: • Oração sincera; • Fortalecimento da fé; • Participação das atividades de reflexão evangélica ou de mensagens de elevado teor vibratório.
  • 55. Relação Fluídica Há uma busca por um Campo de Referência, este servindo como norte principal no tratamento inteiro.
  • 57. Sentido das mãos na aplicação correta do magnetismo O outro sentido será trazer as mãos para cima do próprio corpo, de tal modo a afastá-las do paciente.
  • 58. Sentido correto da aplicação do magnetismo (ao longo de uma região e circular)
  • 59. Sentido correto da aplicação do magnetismo (ao longo de uma região) paciente deitadopaciente deitado
  • 61. ASTÉCNICAS O TATO MAGNÉTICOO TATO MAGNÉTICO AS IMPOSIÇÕESAS IMPOSIÇÕES OS LONGITUDINAISOS LONGITUDINAIS OS TRANSVERSAISOS TRANSVERSAIS (simples e cruzados) OS CIRCULARESOS CIRCULARES (simples e aflorações) OS SOPROSOS SOPROS (frio e quente) outras: OS PERPENDICULARESOS PERPENDICULARES A CONJUGAÇÃO DE TÉCNICASA CONJUGAÇÃO DE TÉCNICAS
  • 63. Tato Magnético Capacidade natural da maioria dos seres humanos; Pode ser desenvolvida, ampliada e apurada – estudo, atenção e prática; Algumas vantagens: Precisão diagnóstica – locais de desarmonia; Propicia avaliação da extensão da desarmonia e o nível de desarranjos transmitidos a outros centros e/ou órgãos;
  • 64. Tato Magnético Não descarta a intuição e a assistência espiritual; Não é um método ligado à mediunidade; Contribui com a adição de novas informações, perfeitamente verificáveis; Aplicação mais objetiva da terapêutica fluídica; Oferece condições melhores de diagnóstico pós- passe do paciente.
  • 65. !!! Tato Magnético Não se contrapõe a nenhum outro método de diagnose – intuição, vidência, audiência, sonambulismo, etc. “É comum o paciente acusar problemas em determinado órgão (sintomas) e o tato-magnético localizar outro ponto (causa real) que não aquele” p. 97.
  • 69. Imposições “técnica essencialmente concentradora de fluidos” p. 104 Não há movimentos; Focalização da(s) mão(s) no ponto de aplicação; Observações práticas: Combinação com dispersivos localizados - aceleração da absorção fluídica e impedimento de impregnações fluídicas desarmonizadas no passista.
  • 72. Passe Longitudinal Feito com movimento; Relação com a velocidade e a distância: Lento e próximo: concentrador de ativante; Lento e distante: concentrador de calmante. Como Dispersivos: distribuição e introjeção de fluidos; Versatilidade: atende a praticamente todos os casos de fluidificação.
  • 73. Passe Transversal Essencialmente dispersivo; Requer rapidez e vigor; Dispersão muito intensa – maior efetividade na ação.
  • 74. Passe Transversal Cruzado Amplia o poder dispersivo.
  • 76. Passe Perpendicular Finalidade Dispersiva: mais comum; com poder mais consistente; e aplicação com velocidade muito rápida Finalidade Concentradora: menos comum; com poder mais consistente; e aplicação com velocidade muito lenta
  • 77. OUTROS ASSUNTOSCola psíquicaCola psíquica O passe coletivoO passe coletivo Fadiga fluídicaFadiga fluídica Água fluidificadaÁgua fluidificada IrradiaçãoIrradiação Auto-passeAuto-passe
  • 78. E-mail de Jacob Melo jacobmelo@gmail.com www.jacobmelo.webs.com Editora Vida & Saber Ltda vidaesaber@gmail.com
  • 80. DEUS LE:1 G-II:1/8 criação LE:38/80/81 G-VI:15 Princípio Inteligente Universal (PIU) ou Princípio Espiritual (PE) LE:23 G-XI:1/2/6/7 Princípio Inteligente (PI) LE:606 (589/597/597a) ESPÍRITO LE:76/77/82/592 Princípio Vital (PV) (Ativado) LE:64a/65 G-XI:5 Princípio Material ou Fluido Universal (FU) LE:22a/27a G-XIV:5 Fluido Cósmico (FC) LE:33/94 G-VI:17 e XIV:2/3 Fluido Vital (FV) LE:45/146a G-VI:18 e X:17 Matéria e Energia (Passivas) LE:29a33 Matéria/Energia passivas + FV + PVs “inativos” LE:67a/44/46 G-X:18 Matéria/Energia passivas + FV + PVs “ativados” = VIDAVIDA LE:49/61/62/63/67/140 G-II:24/25 LE:79/536b LE:27 LE:606a LE:540 LE:604a LE:607 LE:607a LE:78 LE:86 LE:25 LE:71 LE:86 LE:25 LE:71 LE:135a LE:136a LE:196a G-XI:13 LE:71/86 LE:27 LE:64 LE:60 LE:67
  • 81. DEUS LE:1 G-II:1/8 criação LE:38/80/81 G-VI:15 Princípio Inteligente Universal (PIU) ou Princípio Espiritual (PE) LE:23 G-XI:1/2/6/7 Princípio Inteligente (PI) LE:606 (589/597/597a) ESPÍRITO LE:76/77/82/592 Princípio Vital (PV) (Ativado) LE:64a/65 G-XI:5 Princípio Material ou Fluido Universal (FU) LE:22a/27a G-XIV:5 Fluido Cósmico (FC) LE:33/94 G-VI:17 e XIV:2/3 Fluido Vital (FV) LE:45/146a G-VI:18 e X:17 Matéria e Energia (Passivas) LE:29a33 Matéria/Energia passivas + FV + PVs “inativos” LE:67a/44/46 G-X:18 Matéria/Energia passivas + FV + PVs “ativados” = VIDAVIDA LE:49/61/62/63/67/140 G-II:24/25 LE:79/536b LE:27 LE:606a LE:540 LE:604a LE:607 LE:607a LE:78 LE:86 LE:25 LE:71 LE:86 LE:25 LE:71 LE:135a LE:136a LE:196a G-XI:13 LE:71/86 LE:27 LE:64 LE:60 LE:67