SlideShare uma empresa Scribd logo
O conselheiro é a
própria alma do Clube
 Participa ativamente das reuniões de diretoria,
 Participa da elaboração do planejamento anual
para o Clube,
 Trás idéias e sugestões para todas as
atividades do Clube,
 Visita os seus desbravadores,
 Ajuda nas Classes de Desbravadores,
 Planeja e dirige os acampamentos da unidade e
muito mais.
IMPORTANTE: O conselheiro é o amigo preferido
dos desbravadores, é um jovem em quem os
menores podem confiar e um exemplo a ser
seguido.
DESCRIÇÃO DA FUNÇÃO
 Supervisionar desenvolvimento espiritual,
disciplinar, relacionamento em grupo e familiar dos
membrosde sua unidade;
 Trabalhar em prol do crescimento, organização e
fortalecimento da sua unidade;
 Fazer parte do Clube de Líderes, participar dos
cursos de capacitação e treinamento;
 Assinar cartões de Classes Progressivas (espaço
destinado a trabalho em Unidade);
 Ajudar os Desbravadores de sua unidade com
dificuldade de acompanhar o calendário
pedagógico anual, auxiliando os Instrutores para
cumprimento do Planejamento anual;
 Estimular e apoiar os desbravadores no
cumprimento do Voto, Lei e Alvo;
 Disciplinar os Desbravadores;
 Orientar e supervisionar tarefas do Capitão(ã) e
Secretário(a);
 Observar hierarquia da Organização
O QUE É SER
CONSELHEIRO?
 É um cristão, que tem a tarefa de criar um
ambiente de aprendizagem para a sua unidade
levando em conta um programa espiritual e
recreativo de tal modo que os desbravadores se
sintam animados a continuar e avançar até
chegarem a liderança da igreja.
 O conselheiro é o líder de uma unidade de 6 a 8
desbravadores, deve ser cristão batizado e
dedicado ao serviço com amor e sua postura
inspira o coração e mente juvenil a dedicar-se
ao aprendizado físico e espiritual.
Quais as qualidades e
exemplo do conselheiro?
SISTEMA DE UNIDADE
O principal objetivo do Sistema de Unidade é
dar responsabilidade real a todos quanto seja
possível. Isto faz com que cada juvenil sinta que
tem, pessoalmente, alguma função, pelo bem da
unidade e a leva a ver sua participação definida
para o bem do Clube. Através do Sistema de
Unidade os Desbravadores aprendem que tem
uma considerável participação em tudo em que
seu Clube faz. O Sistema de Unidade é uma
característica essencial do treinamento do
desbravador. O sucesso é absolutamente seguro
desde que ele seja convenientemente aplicado. E
não pode ser de outro modo. Atribuindo-se
responsabilidade a um indivíduo, obtêm-se uma
avaliação do desenvolvimento do seu caráter. A
indicação de um Capitão como dirigente
responsável por uma unidade, é um passo para
prepará-lo para substituir o Conselheiro.
IMPORTANTE: Portanto, hierarquicamente falando,
existe um grau de submissão em relação a
autoridade dos diretores associados e diretor do
Clube. Submissão não significa um sim senhor e
não senhor. Um clima de diálogo e compreensão é
altamente desejável e uma diretoria que não fez
um curso ou não leu nada sobre relações
humanas, sempre encontrará espaço para
divergências. Carinho, interesse pelos meninos e
compreensão exata do papel que cada um ocupa
no Clube levará a diretoria a um nível de
convivência muito bom.
PSICOLOGIA INFANTIL
Antes de lidarmos com crianças torna-se
necessário saber o mínimo sobre elas.
Muitos conselheiros assumem funções sem
antes receberem qualquer treinamento. Mal
se diz o que se espera dele e ele vai
esbarrando aqui e ali tentando fazer o seu
melhor e muitas das vezes fracassa e com
ele morre toda a esperança de alguns pais
de verem seus filhos indo bem no Clube.
Saber um pouco da personalidade das
crianças é fundamental para o bom
desempenho do conselheiro.
O QUE É UM MENINO?
O QUE É UM MENINA?
CRIANÇAS
PRÉ-ADOLESCÊNCIA
ADOLESCÊNCIA
MENOR
DISCIPLINA
Disciplina Equilibrada:
 Estabelecer regras, regulamentos e um sistema de
pontos.
 Informar os Desbravadores sobre as regras, suas
expectativas, e métodos de verificação do cumprimento destas
regras.
 “As regras devem ser poucas, e bem consideradas;
e uma vez feitas, cumpre que sejam executadas. O que quer
que se verifique impossível de se mudar, a mente aprende a
reconhecer, e a isso adaptar-se.” - Educação, p. 290.
 Apresentar um culto de admoestação sobre a
disciplina, explicando o Voto e a Lei.
 Aplicar e treinar a disciplina regular e
diligentemente.
 Aconselhar o jovem culpado antes de tomar uma
atitude disciplinar, e orar com ele .
 Quando todos entendem, geralmente cooperam.
Formas Apropriadas e Desapropriadas de
Ministrar a Disciplina:
 A forma errada é dominar através da força. Uma
pessoa dominada vai desenvolver desconfiança,
uma atitude evasiva e ódio pela autoridade;
 A forma correta de ministrar a disciplina é
inspirar a ação correta e ordeira através do
amor, bondade e disciplina. Ganhar a confiança
do jovem. Demonstrar-lhe que o ama e espera a
cooperação e lealdade dele. Esta é a forma
correta de disciplinar, que desenvolve a
confiança, concordância, cooperação e amor.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sistema De Unidades
Sistema De UnidadesSistema De Unidades
Sistema De Unidades
Clube de Lideres Online
 
Manual de especialidades com resposta
Manual de especialidades com respostaManual de especialidades com resposta
Manual de especialidades com resposta
Ismael Rosa
 
Ideais dos desbravadores
Ideais dos desbravadoresIdeais dos desbravadores
Ideais dos desbravadores
Ismael Rosa
 
Prova de lenço (DESBRAVADORES)
Prova de lenço (DESBRAVADORES)Prova de lenço (DESBRAVADORES)
Prova de lenço (DESBRAVADORES)
titosbraga
 
Manual de nós e amarras
Manual de nós e amarrasManual de nós e amarras
Manual de nós e amarras
Ismael Rosa
 
O Professor Da Ebd, Seu Papel E Desafios
O Professor Da Ebd, Seu Papel E DesafiosO Professor Da Ebd, Seu Papel E Desafios
O Professor Da Ebd, Seu Papel E Desafios
Silas Duarte Jr
 
Download - Cerimonial de Abertura
Download - Cerimonial de AberturaDownload - Cerimonial de Abertura
Download - Cerimonial de Abertura
APaC Elo 2
 
028 cerimônia modelo admissão lenço e classes
028 cerimônia modelo   admissão lenço e classes028 cerimônia modelo   admissão lenço e classes
028 cerimônia modelo admissão lenço e classes
vilsongremista
 
Célula nota 10
Célula nota 10Célula nota 10
Célula nota 10
Rodrigo Costa
 
1º encontro Quem sou eu?
1º encontro   Quem sou eu?1º encontro   Quem sou eu?
1º encontro Quem sou eu?
Juliana Cristina M. Muniz
 
Treinamento para professores da EBD.
Treinamento para professores da EBD.Treinamento para professores da EBD.
Treinamento para professores da EBD.
Abdias Barreto
 
Sistema De Unidade
Sistema De UnidadeSistema De Unidade
Sistema De Unidade
Clube de Lideres Online
 
Ministração encontro com deus midia-rasb
Ministração encontro com deus  midia-rasbMinistração encontro com deus  midia-rasb
Ministração encontro com deus midia-rasb
R.A. DA SILVA BECKMA-ME
 
100+brincadeiras
100+brincadeiras100+brincadeiras
100+brincadeiras
Evandro Felipe
 
Regulamento Uniforme Desbravadores
Regulamento Uniforme DesbravadoresRegulamento Uniforme Desbravadores
Regulamento Uniforme Desbravadores
Jeferson Jlcaruso Contabilidade
 
Estatuto dos desbravadores
Estatuto dos desbravadoresEstatuto dos desbravadores
Estatuto dos desbravadores
DesbravadoresPB
 
101 ideias para os desbravadores grupo contos desbravadores
101 ideias para os desbravadores   grupo contos desbravadores101 ideias para os desbravadores   grupo contos desbravadores
101 ideias para os desbravadores grupo contos desbravadores
Alex Breno
 
PLANO DE AULA PARA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL - EBD
PLANO DE AULA PARA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL - EBDPLANO DE AULA PARA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL - EBD
PLANO DE AULA PARA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL - EBD
Ednaldo Santos de Jesus
 
IDEAIS J.A
IDEAIS J.AIDEAIS J.A
IDEAIS J.A
emersonvieira33
 
Planejamento desbravadores
Planejamento desbravadoresPlanejamento desbravadores
Planejamento desbravadores
Gilson Barbosa
 

Mais procurados (20)

Sistema De Unidades
Sistema De UnidadesSistema De Unidades
Sistema De Unidades
 
Manual de especialidades com resposta
Manual de especialidades com respostaManual de especialidades com resposta
Manual de especialidades com resposta
 
Ideais dos desbravadores
Ideais dos desbravadoresIdeais dos desbravadores
Ideais dos desbravadores
 
Prova de lenço (DESBRAVADORES)
Prova de lenço (DESBRAVADORES)Prova de lenço (DESBRAVADORES)
Prova de lenço (DESBRAVADORES)
 
Manual de nós e amarras
Manual de nós e amarrasManual de nós e amarras
Manual de nós e amarras
 
O Professor Da Ebd, Seu Papel E Desafios
O Professor Da Ebd, Seu Papel E DesafiosO Professor Da Ebd, Seu Papel E Desafios
O Professor Da Ebd, Seu Papel E Desafios
 
Download - Cerimonial de Abertura
Download - Cerimonial de AberturaDownload - Cerimonial de Abertura
Download - Cerimonial de Abertura
 
028 cerimônia modelo admissão lenço e classes
028 cerimônia modelo   admissão lenço e classes028 cerimônia modelo   admissão lenço e classes
028 cerimônia modelo admissão lenço e classes
 
Célula nota 10
Célula nota 10Célula nota 10
Célula nota 10
 
1º encontro Quem sou eu?
1º encontro   Quem sou eu?1º encontro   Quem sou eu?
1º encontro Quem sou eu?
 
Treinamento para professores da EBD.
Treinamento para professores da EBD.Treinamento para professores da EBD.
Treinamento para professores da EBD.
 
Sistema De Unidade
Sistema De UnidadeSistema De Unidade
Sistema De Unidade
 
Ministração encontro com deus midia-rasb
Ministração encontro com deus  midia-rasbMinistração encontro com deus  midia-rasb
Ministração encontro com deus midia-rasb
 
100+brincadeiras
100+brincadeiras100+brincadeiras
100+brincadeiras
 
Regulamento Uniforme Desbravadores
Regulamento Uniforme DesbravadoresRegulamento Uniforme Desbravadores
Regulamento Uniforme Desbravadores
 
Estatuto dos desbravadores
Estatuto dos desbravadoresEstatuto dos desbravadores
Estatuto dos desbravadores
 
101 ideias para os desbravadores grupo contos desbravadores
101 ideias para os desbravadores   grupo contos desbravadores101 ideias para os desbravadores   grupo contos desbravadores
101 ideias para os desbravadores grupo contos desbravadores
 
PLANO DE AULA PARA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL - EBD
PLANO DE AULA PARA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL - EBDPLANO DE AULA PARA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL - EBD
PLANO DE AULA PARA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL - EBD
 
IDEAIS J.A
IDEAIS J.AIDEAIS J.A
IDEAIS J.A
 
Planejamento desbravadores
Planejamento desbravadoresPlanejamento desbravadores
Planejamento desbravadores
 

Semelhante a Curso Conselheiro.pptx

Disciplina
DisciplinaDisciplina
Disciplina
DisciplinaDisciplina
Curso de conselheiro, Capelão e instrutor
Curso de conselheiro, Capelão e instrutorCurso de conselheiro, Capelão e instrutor
Curso de conselheiro, Capelão e instrutor
PriscilaRodrigus
 
campanha liderança
campanha   liderançacampanha   liderança
campanha liderança
Joanson Sousa
 
61842153 membros-em-lideres
61842153 membros-em-lideres61842153 membros-em-lideres
61842153 membros-em-lideres
Luiz Augusto
 
Sistema De Unidade
Sistema De UnidadeSistema De Unidade
Sistema De Unidade
Clube de Lideres Online
 
1. Desbravadores - Escola de educação completa _ED.pptx
1. Desbravadores - Escola de educação completa _ED.pptx1. Desbravadores - Escola de educação completa _ED.pptx
1. Desbravadores - Escola de educação completa _ED.pptx
André Phelps
 
LIDERANÇA.pdf
LIDERANÇA.pdfLIDERANÇA.pdf
LIDERANÇA.pdf
MarianaTakitane1
 
Sistema de unidades
Sistema de unidadesSistema de unidades
Sistema de unidades
Ismael Rosa
 
Conselheiros
ConselheirosConselheiros
Conselheiros
Ismael Rosa
 
10 princípios para liderar como nelson mandela
10 princípios para liderar como nelson mandela10 princípios para liderar como nelson mandela
10 princípios para liderar como nelson mandela
Patty Oliver
 
Seja um supervisor de celulas eficaz_6
Seja um supervisor de celulas eficaz_6Seja um supervisor de celulas eficaz_6
Seja um supervisor de celulas eficaz_6
🇮🇹 Maurizio Frasca
 
LIDERANÇA E MOTIVAÇÃO DE EQUIPES
LIDERANÇA E MOTIVAÇÃO DE EQUIPESLIDERANÇA E MOTIVAÇÃO DE EQUIPES
LIDERANÇA E MOTIVAÇÃO DE EQUIPES
Rutileia Feliciano
 
Curso Finanças Pessoais SUD.pdf
Curso Finanças Pessoais SUD.pdfCurso Finanças Pessoais SUD.pdf
Curso Finanças Pessoais SUD.pdf
NaiaraFreire3
 
Seja um supervisor de celulas eficaz_5
Seja um supervisor de celulas eficaz_5Seja um supervisor de celulas eficaz_5
Seja um supervisor de celulas eficaz_5
🇮🇹 Maurizio Frasca
 
A importância da liderança em nossa formação! demoley
A importância da liderança em nossa formação! demoleyA importância da liderança em nossa formação! demoley
A importância da liderança em nossa formação! demoley
Aderivaldo Cardoso
 
Liderança e motivação no ambiente de trabalho junho
Liderança e motivação no ambiente de trabalho    junhoLiderança e motivação no ambiente de trabalho    junho
Liderança e motivação no ambiente de trabalho junho
Yuri Moralles
 
Liderança cristã o lider e seus conflitos - Prof Abdias Barreto
Liderança cristã   o lider e seus conflitos - Prof Abdias BarretoLiderança cristã   o lider e seus conflitos - Prof Abdias Barreto
Liderança cristã o lider e seus conflitos - Prof Abdias Barreto
Abdias Barreto
 
Como tornar-se um lider
Como tornar-se um liderComo tornar-se um lider
Como tornar-se um lider
Alexsandro Rebello Bonatto
 
Como Tornar Se Um LíDer
Como Tornar Se Um LíDerComo Tornar Se Um LíDer
Como Tornar Se Um LíDer
Alexsandro Rebello Bonatto
 

Semelhante a Curso Conselheiro.pptx (20)

Disciplina
DisciplinaDisciplina
Disciplina
 
Disciplina
DisciplinaDisciplina
Disciplina
 
Curso de conselheiro, Capelão e instrutor
Curso de conselheiro, Capelão e instrutorCurso de conselheiro, Capelão e instrutor
Curso de conselheiro, Capelão e instrutor
 
campanha liderança
campanha   liderançacampanha   liderança
campanha liderança
 
61842153 membros-em-lideres
61842153 membros-em-lideres61842153 membros-em-lideres
61842153 membros-em-lideres
 
Sistema De Unidade
Sistema De UnidadeSistema De Unidade
Sistema De Unidade
 
1. Desbravadores - Escola de educação completa _ED.pptx
1. Desbravadores - Escola de educação completa _ED.pptx1. Desbravadores - Escola de educação completa _ED.pptx
1. Desbravadores - Escola de educação completa _ED.pptx
 
LIDERANÇA.pdf
LIDERANÇA.pdfLIDERANÇA.pdf
LIDERANÇA.pdf
 
Sistema de unidades
Sistema de unidadesSistema de unidades
Sistema de unidades
 
Conselheiros
ConselheirosConselheiros
Conselheiros
 
10 princípios para liderar como nelson mandela
10 princípios para liderar como nelson mandela10 princípios para liderar como nelson mandela
10 princípios para liderar como nelson mandela
 
Seja um supervisor de celulas eficaz_6
Seja um supervisor de celulas eficaz_6Seja um supervisor de celulas eficaz_6
Seja um supervisor de celulas eficaz_6
 
LIDERANÇA E MOTIVAÇÃO DE EQUIPES
LIDERANÇA E MOTIVAÇÃO DE EQUIPESLIDERANÇA E MOTIVAÇÃO DE EQUIPES
LIDERANÇA E MOTIVAÇÃO DE EQUIPES
 
Curso Finanças Pessoais SUD.pdf
Curso Finanças Pessoais SUD.pdfCurso Finanças Pessoais SUD.pdf
Curso Finanças Pessoais SUD.pdf
 
Seja um supervisor de celulas eficaz_5
Seja um supervisor de celulas eficaz_5Seja um supervisor de celulas eficaz_5
Seja um supervisor de celulas eficaz_5
 
A importância da liderança em nossa formação! demoley
A importância da liderança em nossa formação! demoleyA importância da liderança em nossa formação! demoley
A importância da liderança em nossa formação! demoley
 
Liderança e motivação no ambiente de trabalho junho
Liderança e motivação no ambiente de trabalho    junhoLiderança e motivação no ambiente de trabalho    junho
Liderança e motivação no ambiente de trabalho junho
 
Liderança cristã o lider e seus conflitos - Prof Abdias Barreto
Liderança cristã   o lider e seus conflitos - Prof Abdias BarretoLiderança cristã   o lider e seus conflitos - Prof Abdias Barreto
Liderança cristã o lider e seus conflitos - Prof Abdias Barreto
 
Como tornar-se um lider
Como tornar-se um liderComo tornar-se um lider
Como tornar-se um lider
 
Como Tornar Se Um LíDer
Como Tornar Se Um LíDerComo Tornar Se Um LíDer
Como Tornar Se Um LíDer
 

Mais de AlexandreJr7

Especialidade Biossegurança-doenças.pptx
Especialidade Biossegurança-doenças.pptxEspecialidade Biossegurança-doenças.pptx
Especialidade Biossegurança-doenças.pptx
AlexandreJr7
 
Tabagismo-power-point-bebida-drogas.pptx
Tabagismo-power-point-bebida-drogas.pptxTabagismo-power-point-bebida-drogas.pptx
Tabagismo-power-point-bebida-drogas.pptx
AlexandreJr7
 
Especialidade Amigo das Aves.pptx
Especialidade Amigo das Aves.pptxEspecialidade Amigo das Aves.pptx
Especialidade Amigo das Aves.pptx
AlexandreJr7
 
Especialidade de Lazer com Pipas.ppt
Especialidade de Lazer com Pipas.pptEspecialidade de Lazer com Pipas.ppt
Especialidade de Lazer com Pipas.ppt
AlexandreJr7
 
A única esperança de Amor.pptx
A única esperança de Amor.pptxA única esperança de Amor.pptx
A única esperança de Amor.pptx
AlexandreJr7
 
Especialidade Mamíferos.pptx
Especialidade Mamíferos.pptxEspecialidade Mamíferos.pptx
Especialidade Mamíferos.pptx
AlexandreJr7
 

Mais de AlexandreJr7 (6)

Especialidade Biossegurança-doenças.pptx
Especialidade Biossegurança-doenças.pptxEspecialidade Biossegurança-doenças.pptx
Especialidade Biossegurança-doenças.pptx
 
Tabagismo-power-point-bebida-drogas.pptx
Tabagismo-power-point-bebida-drogas.pptxTabagismo-power-point-bebida-drogas.pptx
Tabagismo-power-point-bebida-drogas.pptx
 
Especialidade Amigo das Aves.pptx
Especialidade Amigo das Aves.pptxEspecialidade Amigo das Aves.pptx
Especialidade Amigo das Aves.pptx
 
Especialidade de Lazer com Pipas.ppt
Especialidade de Lazer com Pipas.pptEspecialidade de Lazer com Pipas.ppt
Especialidade de Lazer com Pipas.ppt
 
A única esperança de Amor.pptx
A única esperança de Amor.pptxA única esperança de Amor.pptx
A única esperança de Amor.pptx
 
Especialidade Mamíferos.pptx
Especialidade Mamíferos.pptxEspecialidade Mamíferos.pptx
Especialidade Mamíferos.pptx
 

Último

A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
GABRIELADIASDUTRA1
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
marcobueno2024
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Celso Napoleon
 
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Nilson Almeida
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
JaquelineSantosBasto
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
REFORMADOR PROTESTANTE
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Nilson Almeida
 
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
claudiovieira83
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Elton Zanoni
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Celso Napoleon
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
Oziete SS
 

Último (12)

A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livroA VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
A VOZ DO SILÊNCIO - Helena Blavatsky livro
 
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdfde volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
de volta as estrelas - Erich von Däniken.pdf
 
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptxLição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
Lição 12 - A Bendita Esperança: A Marca do Cristão.pptx
 
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdfJesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
Jesuítas Os Terroristas Secretos. Livro pdf pdf
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (2)
 
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptxLição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
Lição 13 Estudo Biblico para alimento da alma.pptx
 
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
O que está oculto na Maçonaria? Livro cristão.
 
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
Oração Ao Sagrado Coração De Jesus E Maria (3)
 
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdfA Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
A Abóbada Celeste No Rito Adonhiramita.pdf
 
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
Teresa Gerhardinger - corajosa mulher de fé e de visão mundial (1989)
 
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptxLição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
Lição 13 – A Cidade Celestial - CPAD.pptx
 
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.docORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
ORGANIZAÇÃO ABERTURA EBF 2024.pdf-1.doc
 

Curso Conselheiro.pptx

  • 1.
  • 2. O conselheiro é a própria alma do Clube
  • 3.  Participa ativamente das reuniões de diretoria,  Participa da elaboração do planejamento anual para o Clube,  Trás idéias e sugestões para todas as atividades do Clube,  Visita os seus desbravadores,  Ajuda nas Classes de Desbravadores,  Planeja e dirige os acampamentos da unidade e muito mais. IMPORTANTE: O conselheiro é o amigo preferido dos desbravadores, é um jovem em quem os menores podem confiar e um exemplo a ser seguido.
  • 4. DESCRIÇÃO DA FUNÇÃO  Supervisionar desenvolvimento espiritual, disciplinar, relacionamento em grupo e familiar dos membrosde sua unidade;  Trabalhar em prol do crescimento, organização e fortalecimento da sua unidade;  Fazer parte do Clube de Líderes, participar dos cursos de capacitação e treinamento;  Assinar cartões de Classes Progressivas (espaço destinado a trabalho em Unidade);  Ajudar os Desbravadores de sua unidade com dificuldade de acompanhar o calendário pedagógico anual, auxiliando os Instrutores para cumprimento do Planejamento anual;
  • 5.  Estimular e apoiar os desbravadores no cumprimento do Voto, Lei e Alvo;  Disciplinar os Desbravadores;  Orientar e supervisionar tarefas do Capitão(ã) e Secretário(a);  Observar hierarquia da Organização
  • 6. O QUE É SER CONSELHEIRO?
  • 7.  É um cristão, que tem a tarefa de criar um ambiente de aprendizagem para a sua unidade levando em conta um programa espiritual e recreativo de tal modo que os desbravadores se sintam animados a continuar e avançar até chegarem a liderança da igreja.  O conselheiro é o líder de uma unidade de 6 a 8 desbravadores, deve ser cristão batizado e dedicado ao serviço com amor e sua postura inspira o coração e mente juvenil a dedicar-se ao aprendizado físico e espiritual.
  • 8. Quais as qualidades e exemplo do conselheiro?
  • 10. O principal objetivo do Sistema de Unidade é dar responsabilidade real a todos quanto seja possível. Isto faz com que cada juvenil sinta que tem, pessoalmente, alguma função, pelo bem da unidade e a leva a ver sua participação definida para o bem do Clube. Através do Sistema de Unidade os Desbravadores aprendem que tem uma considerável participação em tudo em que seu Clube faz. O Sistema de Unidade é uma característica essencial do treinamento do desbravador. O sucesso é absolutamente seguro desde que ele seja convenientemente aplicado. E não pode ser de outro modo. Atribuindo-se responsabilidade a um indivíduo, obtêm-se uma avaliação do desenvolvimento do seu caráter. A indicação de um Capitão como dirigente responsável por uma unidade, é um passo para prepará-lo para substituir o Conselheiro.
  • 11. IMPORTANTE: Portanto, hierarquicamente falando, existe um grau de submissão em relação a autoridade dos diretores associados e diretor do Clube. Submissão não significa um sim senhor e não senhor. Um clima de diálogo e compreensão é altamente desejável e uma diretoria que não fez um curso ou não leu nada sobre relações humanas, sempre encontrará espaço para divergências. Carinho, interesse pelos meninos e compreensão exata do papel que cada um ocupa no Clube levará a diretoria a um nível de convivência muito bom.
  • 12. PSICOLOGIA INFANTIL Antes de lidarmos com crianças torna-se necessário saber o mínimo sobre elas. Muitos conselheiros assumem funções sem antes receberem qualquer treinamento. Mal se diz o que se espera dele e ele vai esbarrando aqui e ali tentando fazer o seu melhor e muitas das vezes fracassa e com ele morre toda a esperança de alguns pais de verem seus filhos indo bem no Clube. Saber um pouco da personalidade das crianças é fundamental para o bom desempenho do conselheiro.
  • 13. O QUE É UM MENINO?
  • 14. O QUE É UM MENINA?
  • 19. Disciplina Equilibrada:  Estabelecer regras, regulamentos e um sistema de pontos.  Informar os Desbravadores sobre as regras, suas expectativas, e métodos de verificação do cumprimento destas regras.  “As regras devem ser poucas, e bem consideradas; e uma vez feitas, cumpre que sejam executadas. O que quer que se verifique impossível de se mudar, a mente aprende a reconhecer, e a isso adaptar-se.” - Educação, p. 290.
  • 20.  Apresentar um culto de admoestação sobre a disciplina, explicando o Voto e a Lei.  Aplicar e treinar a disciplina regular e diligentemente.  Aconselhar o jovem culpado antes de tomar uma atitude disciplinar, e orar com ele .  Quando todos entendem, geralmente cooperam.
  • 21. Formas Apropriadas e Desapropriadas de Ministrar a Disciplina:  A forma errada é dominar através da força. Uma pessoa dominada vai desenvolver desconfiança, uma atitude evasiva e ódio pela autoridade;  A forma correta de ministrar a disciplina é inspirar a ação correta e ordeira através do amor, bondade e disciplina. Ganhar a confiança do jovem. Demonstrar-lhe que o ama e espera a cooperação e lealdade dele. Esta é a forma correta de disciplinar, que desenvolve a confiança, concordância, cooperação e amor.