SlideShare uma empresa Scribd logo
Critérios de Seleção de Gestores Paulo Ricardo Di Blasi Consultor Financeiro habilitado pela CVM Professor Universitário (21) 8200-6716 [email_address] [email_address]
Entendendo Melhor o Papel do Gestor A Indústria de Gestão de Recursos no Brasil Legislação Questionário Credenciamento Índice
Entendendo Melhor o Papel do Gestor A Indústria de Gestão de Recursos no Brasil Legislação Questionário Credenciamento Índice
 
 
Comunhão de recursos sob a forma de condomínio onde os cotistas têm o mesmo interesse e objetivos ao investir no mercado financeiro e de capitais. Entendendo Melhor o Papel do Gestor Fundo de Investimento Condomínio = Fonte: www.anbid.com.br
Fundo de Investimento Fundo que compra ativos diretamente no mercado financeiro e de capitais para compor sua carteira; Podem ter até 20% de sua carteira em cotas de outros fundos respeitando o limite de 10% do PL por fundo. Fundo de Investimento em Cotas Fundo que compra cotas de outro(s) Fundos de Investimento; Devem ter no mínimo 95% de seu patrimônio investido em cotas de fundos de investimento. Fundo de Investimento Abertos e Fechados ABERTOS : Os cotistas podem solicitar o resgate de suas cotas a qualquer tempo; FECHADOS : As cotas somente são resgatadas ao término do prazo de duração do fundo. Fonte: www.anbid.com.br Entendendo Melhor o Papel do Gestor
Responsável pelo  funcionamento do  fundo. Controla todos os prestadores de  serviço, e defende os  interesses dos cotistas Responsável pela compra e venda dos ativos do fundo (gestão) segundo política de investimento estabelecida em  regulamento Responsável pela “ guarda” dos ativos do fundo. Responde pelos dados e envio de informações dos fundos para os gestores e administradores Responsável pela venda das cotas do fundo. Pode ser o próprio administrador ou terceiros  contratados por ele ADMINISTRADOR GESTOR CUSTODIANTE DISTRIBUIDOR Este é você! Aquele que aplica no fundo de investimento COTISTA Fonte: www.anbid.com.br Entendendo Melhor o Papel do Gestor Quem presta serviço aos Fundos de Investimento?
Regulamento Documento que estabelece as regras de funcionamento e operacionalização de um fundo de investimento, segundo legislação vigente estabelecida pela CVM; Só podem ser alterados por decisão de uma Assembléia Geral de Cotistas. Prospecto Documento que contém as informações relevantes para o investidor relativas à política de investimento dos fundos de investimento e os riscos envolvidos. Termo de Adesão Ao investir em qualquer Fundo de Investimento os cotistas assinam um Termo de Adesão confirmando que: - Recebeu o Regulamento e o Prospecto do fundo; - Tomou ciência dos riscos envolvidos e da política de investimento.  Entendendo Melhor o Papel do Gestor Documentos Fonte: www.anbid.com.br
Patrimônio Líquido Soma algébrica dos valores de mercado dos ativos da carteira no encerramento do dia, mais os valores a receber, menos as despesas. Valor da Cota É um valor mobiliário expresso em Reais (R$) calculada dividindo-se o Patrimônio Líquido pela quantidade de cotas emitidas. Um único valor para cada dia útil. Entendendo Melhor o Papel do Gestor Características dos Fundos Fonte: www.anbid.com.br
Taxa de Administração Percentual do PL do Fundo pago pelos cotistas de um fundo à todos os prestadores de serviço; Calculada por dia útil e deduzida do valor da cota. Taxa de Performance Percentual cobrado do cotista quando a rentabilidade do fundo supera a de um indicador de referência; Nem todos os fundos cobram taxa de performance. Entendendo Melhor o Papel do Gestor Custos Fonte: www.anbid.com.br
Cota de Abertura Reflete os preços dos ativos da carteira dia anterior. Conhece o valor da cota determinado para negociação no início do dia. Apenas alguns tipos de fundo podem utilizá-la: curto prazo, referenciados e renda fixa.  Cota de Fechamento O valor da cota em um dia é determinado apenas ao final das negociações com o mercado e após o fechamento do fundo para movimentações, refletindo portanto, os preços do mesmo dia. Não se conhece o valor da cota determinado para negociação no início do dia. Data de Cotização e Data de Pagamento As regras de movimentação são previstas em regulamento e dependem dos ativos que compõem o fundo: - Fundos DI tendem a aceitar movimentações em D+0; - Fundos de Ações em geral cotizam em D+1 e liquidam em D+4.  Fonte: www.anbid.com.br Fonte: www.anbid.com.br Aplicações e Resgates Entendendo Melhor o Papel do Gestor
Entendendo Melhor o Papel do Gestor A Indústria de Gestão de Recursos no Brasil Legislação Questionário Credenciamento Índice
 
 
A Indústria de Gestão de Recursos no Brasil possui o seguinte perfil: 355 gestores; Patrimônio Líquido: R$ 1.428.161.000.000.000 A Indústria de Gestão de Recursos no Brasil Abril - 2010 Outros:  Câmbio e Dívida Externa, Participações, Off-Shore Fonte: www.anbid.com.br Multimercados  23% Renda Fixa 27% Referenciado DI  13% Curto Prazo 4% FIDC  5% Previdência  10% Ações 12%
A Indústria de Gestão de Recursos no Brasil possui o seguinte perfil: Os 12 maiores gestores concentram 88% do PL da indústria; Os recursos estão distribuídos nos segmentos: 44% dos recursos geridos pelos 12 maiores gestores estão aplicados em produtos de   BAIXO VALOR AGREGADO Fonte: www.anbid.com.br A Indústria de Gestão de Recursos no Brasil Abril - 2010 SEGMENTO %PL Curto Prazo 4% Referenciado DI 13% Renda Fixa 27% Multimercados 23% Ações 12% Previdência 10% FIDC 5% Total: 44% Outros 6%
A Indústria de Gestão de Recursos no Brasil possui o seguinte perfil: Incluindo mais gestores na nossa análise, vemos que: Os 30 maiores gestores concentram 96% do PL da indústria; Este grupo se divide em: 4 gestores independentes +  26 gestores bancários Gestor Independente:  aquele que não está ligado a uma instituição financeira e cuja atividade principal é a gestão de recursos de terceiros; Gestor Bancário:  aquele que ligado a uma instituição financeira. (4% PL grupo) (96% PL grupo) Fonte: www.anbid.com.br A Indústria de Gestão de Recursos no Brasil Abril - 2010
Entendendo Melhor o Papel do Gestor A Indústria de Gestão de Recursos no Brasil Legislação Estudo Casey, Quirk & Associates Índice
Ponto a ser destacado: Art. 15 “Na administração de carteira de valores mobiliários deve ser assegurada a completa segregação das demais atividades exercidas pela pessoa jurídica, devendo ser adotados procedimentos operacionais, dentre outros, objetivando: I – a segregação física de instalações entre áreas responsáveis por diferentes atividades prestadas relativas ao mercado de capitais, ou definição clara e precisa de práticas que assegurem o bom uso de instalações, equipamentos e arquivos comuns a mais de um setor da empresa; II – a preservação de informações confidenciais por todos os seus administradores, colaboradores e funcionários, proibindo a transferência de tais informações a pessoas não habilitadas ou que possam vir a utilizá-las indevidamente, em processo de decisão de investimento, próprio ou de terceiros;” Art. 17  “A pessoa natural ou jurídica, no exercício da atividade de administração de carteira de valores mobiliários. É diretamente responsável, civil e administrativamente, pelos prejuízos resultantes de seus atos dolosos ou culposos e pelos que infringirem normas legais, regulamentares ou estatutárias, sem prejuízo de eventual responsabilidade penal e da responsabilidade subsidiária da pessoa jurídica de direito privado que a contratou ou a supervisionou de modo inadequado.” Legislação Instrução CVM nº 306, de 5 de Maio de 1999* * Com alterações introduzidas pelas Instruções CVM n os  364/02, 448/07 e 450/07. Fonte: www.cvm.gov.br
Pontos a serem destacados: Art. 13  “Os cotistas responderão por eventual patrimônio líquido negativo do fundo, sem prejuízo da responsabilidade do administrador e do gestor, se houver, em caso de inobservância da política de investimento ou dos limites de concentração previstos no regulamento e nesta Instrução.” Art. 79  “Sempre que o material de divulgação apresentar informações referentes à rentabilidade ocorrida em períodos anteriores, deve ser incluída advertência, com destaque, de que: I – a rentabilidade obtida no passado não representa garantia de resultados futuros; e  II – os investimentos em fundos não são garantidos pelo administrador ou por qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, pelo fundo garantidor de crédito.” Legislação Instrução CVM nº 409, de 18 de Agosto de 2004* * Com alterações introduzidas pelas Instruções CVM n os  411/04, 413/04, 450/07, 456/07 e 465/08. Fonte: www.cvm.gov.br
Entendendo Melhor o Papel do Gestor A Indústria de Gestão de Recursos no Brasil Legislação Questionário Credenciamento Índice
Questionário Credenciamento Critérios Qualitativos Credibilidade da Instituição junto ao mercado financeiro Solidez da Instituição Experiência na gestão de recursos de clientes institucionais Qualidade da equipe e turnover Qualidade do atendimento na área de relacionamento   Critérios Quantitativos: Desempenho (risco/retorno) dos produtos enquadrados na legislação vigente Desempenho do gestor nos momentos de crise Critérios na Seleção dos Gestores
Questionário Credenciamento Informar a data de constituição da instituição. Informar o capital social da instituição. É ligada a grupo nacional ou estrangeiro, ou a algum governo estadual? Qual? Relacionar os Acionistas da Empresa e suas participações no capital da instituição.  Relacionar as filiais e/ou escritório de representação ou distribuição da Instituição no território nacional.  Informar Razão Social, endereço, CNPJ,  home page e e-mail  da empresa responsável pela administração e gestão de recursos de terceiros.  Há quanto tempo a Instituição administra recursos de terceiros no país As funções de gestão, administração, custódia e auditoria são segregadas, atendendo aos princípios de "chinese wall"? Quais as instituições responsáveis por cada uma delas? Caso as atividades de gestão, administração e compliance sejam efetuadas pela própria  instituição, descrever como funciona cada uma delas, quais suas atribuições, qual o nível de independência e como se interagem. Faça uma síntese de como funciona tal política de segregação dentro da Instituição. INFORMAÇÕES INSTITUCIONAIS - SOLIDEZ PATRIMONIAL
Questionário Credenciamento DESEMPENHO DE GESTÃO  Informar o montante de recursos de terceiros administrados, discriminando por tipo de cliente e por tipo de produto em data base a ser informada Relacionar os principais clientes institucionais por volume de recursos administrados. Não é necessário mencionar o volume aplicado de cada cliente. Relacionar os principais Fundos de Investimento administrados por esta instituição, que julguem adequados para Previdência Pública, bem como seus respectivos patrimônios, o benchmark e a qualificação/premiações dadas por Empresa de qualificação de fundos e classificação de risco "rating", mencionando a agência e o nível de risco de cada fundo. Relacionar por ordem decrescente de rentabilidade, o histórico dos fundos acima mencionados indicando a rentabilidade obtida nos últimos 12 meses, a volatilidade ou  tracking error  em relação ao IBX (para renda variável )  nos últimos 12 meses, a taxa de administração e taxa de performance, quando houver. I – retorno: variação percentual do valor da cota do fundo de investimento nos 12 (doze) meses anteriores, líquida de taxa de administração e demais despesas; II – volatilidade: desvio padrão da variação mensal da cota do fundo de investimento, nos 12 (doze) meses anteriores; III –  tracking error : Remeter o regulamento destes fundos.
Questionário Credenciamento PROCESSO DECISÓRIO DE INVESTIMENTOS  Descrever o modelo de decisão adotado. Descrever os modelos matemáticos praticados no processo de alocação de investimentos. Descrever a filosofia de investimentos para a gestão de portfólios. Qual é a política de risco de crédito? Esta política é compartilhada com o Investidor? De que forma? Quais são os critérios de marcação a mercado dos ativos e derivativos e quem os define?
Questionário Credenciamento CURRÍCULO DOS GESTORES E RESPONSÁVEIS PELA GESTÃO Descrever de forma sucinta a formação profissional de cada gestor/administrador de carteira e do back-office, dos responsáveis pelo desenvolvimento e aplicação de modelos matemáticos, contendo, por ordem cronológica as informações mais relevantes sobre o os objetivos alcançados pela gestão.
Questionário Credenciamento CONFORMIDADE E ANÁLISE DE RISCO  Descrever detalhadamente e individualizada os mecanismos e os modelos aplicados. Informar se os mecanismos e modelos foram submetidos à auditoria e se os mesmos foram certificados por alguma instituição. Anexar cópias dos certificados, se for o caso. Informar a periodicidade do processo de auditoria a que estão submetidos os mecanismos e os modelos aplicados. O que é baixo risco de crédito na visão desta instituição?
Questionário Credenciamento FUNÇÕES TERCEIRIZADAS  Descrever de forma sucinta o currículo dos responsáveis (pessoa física ou jurídica) pelas funções terceirizadas.
Questionário Credenciamento SERVIÇOS  Quais os serviços de informações são prestados aos clientes institucionais? Com que periodicidade tais informações são encaminhadas? Qual o meio de comunicação utilizado? A instituição promove algum curso ou presta algum, serviço de orientação e informação aos clientes institucionais, referente aos mecanismos e instrumentos disponíveis no mercado financeiro e que são utilizados como ferramentas pelo gestor do fundo?  Qual a periodicidade das informações referentes aos fundos enviados aos investidores? Quais são essas informações e sob qual forma são encaminhadas?  Que tipo de serviços adicionais são oferecidos aos clientes de fundo de investimentos? Que tipos de relatórios são emitidos? Se possível, a Instituição poderia encaminhar alguns modelos de tais relatórios?  No entendimento da Instituição, em que aspecto se diferencia de seus concorrentes, destacando-se na gestão de recursos de terceiros?
Questionário Credenciamento DECLARAÇÃO  Declaração acerca da veracidade das informações fornecidas.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

FICFIM ASK II - Fevereiro 2013
FICFIM ASK II - Fevereiro 2013FICFIM ASK II - Fevereiro 2013
FICFIM ASK II - Fevereiro 2013
ASK Gestora de Recursos Ltda
 
FIC FIM ASK II CREDITO PRIVADO
FIC FIM ASK II CREDITO PRIVADOFIC FIM ASK II CREDITO PRIVADO
FIC FIM ASK II CREDITO PRIVADO
ASK Gestora de Recursos Ltda
 
FICFIM ASK II - Janeiro 2013
FICFIM ASK II - Janeiro 2013FICFIM ASK II - Janeiro 2013
FICFIM ASK II - Janeiro 2013
ASK Gestora de Recursos Ltda
 
Apresentação sicredi - problemas
Apresentação sicredi - problemasApresentação sicredi - problemas
Apresentação sicredi - problemas
coop10203040
 
Fontes de financiamento de curto prazo
Fontes de financiamento de curto prazoFontes de financiamento de curto prazo
Fontes de financiamento de curto prazo
Universidade Pedagogica
 
Aula dra. elídie palma bifano 20-10-14
Aula dra. elídie palma bifano   20-10-14Aula dra. elídie palma bifano   20-10-14
Aula dra. elídie palma bifano 20-10-14
Fernanda Moreira
 
Cap 4 fontes de financiamento
Cap 4   fontes de financiamentoCap 4   fontes de financiamento
Cap 4 fontes de financiamento
FEARP/USP
 
Microsoft word cartilha - bolsa.doc - adriana
Microsoft word   cartilha - bolsa.doc - adrianaMicrosoft word   cartilha - bolsa.doc - adriana
Microsoft word cartilha - bolsa.doc - adriana
marcello_mhc
 
Apresentação SET Investimentos
Apresentação SET InvestimentosApresentação SET Investimentos
Apresentação SET Investimentos
setinvestimentos
 
Factoring
FactoringFactoring
Factoring
Sergio Grisa
 
Como funciona o curso investidor de sucesso do marcello víeira
Como funciona o curso investidor de sucesso do marcello víeiraComo funciona o curso investidor de sucesso do marcello víeira
Como funciona o curso investidor de sucesso do marcello víeira
Cássio Dos Santos
 
Aula 2 estrutura de capital - soc. ações. - mercados financeiros
Aula 2   estrutura de capital - soc. ações. - mercados financeirosAula 2   estrutura de capital - soc. ações. - mercados financeiros
Aula 2 estrutura de capital - soc. ações. - mercados financeiros
LuRamosLino
 
Aula 2.1
Aula 2.1Aula 2.1
Gestao financeira apresentaçao
Gestao financeira apresentaçaoGestao financeira apresentaçao
Gestao financeira apresentaçao
Nuno Tasso de Figueiredo
 
Contabilidade Avançada - Avaliação de Investimento em Participações Societari...
Contabilidade Avançada - Avaliação de Investimento em Participações Societari...Contabilidade Avançada - Avaliação de Investimento em Participações Societari...
Contabilidade Avançada - Avaliação de Investimento em Participações Societari...
Marcos Teixeira
 
O que você precisa saber para investir em Renda Variável !
O que você precisa saber para investir em Renda Variável ! O que você precisa saber para investir em Renda Variável !
O que você precisa saber para investir em Renda Variável !
Lucarris
 
Economia para executivos - Aula 6
Economia para executivos - Aula 6Economia para executivos - Aula 6
Economia para executivos - Aula 6
Hugo Eduardo Meza Pinto
 
Estruturas de Proxy Voting_10abr2007
Estruturas de Proxy Voting_10abr2007Estruturas de Proxy Voting_10abr2007
Estruturas de Proxy Voting_10abr2007
Valter Faria
 
Administração finaceira e orçamentária estrutura de capital
Administração finaceira e orçamentária  estrutura de capitalAdministração finaceira e orçamentária  estrutura de capital
Administração finaceira e orçamentária estrutura de capital
Luciana Roncarati
 
Triade do dinheiro onde investir seu dinheiro
Triade do dinheiro   onde investir seu dinheiroTriade do dinheiro   onde investir seu dinheiro
Triade do dinheiro onde investir seu dinheiro
Bruno Camargo
 

Mais procurados (20)

FICFIM ASK II - Fevereiro 2013
FICFIM ASK II - Fevereiro 2013FICFIM ASK II - Fevereiro 2013
FICFIM ASK II - Fevereiro 2013
 
FIC FIM ASK II CREDITO PRIVADO
FIC FIM ASK II CREDITO PRIVADOFIC FIM ASK II CREDITO PRIVADO
FIC FIM ASK II CREDITO PRIVADO
 
FICFIM ASK II - Janeiro 2013
FICFIM ASK II - Janeiro 2013FICFIM ASK II - Janeiro 2013
FICFIM ASK II - Janeiro 2013
 
Apresentação sicredi - problemas
Apresentação sicredi - problemasApresentação sicredi - problemas
Apresentação sicredi - problemas
 
Fontes de financiamento de curto prazo
Fontes de financiamento de curto prazoFontes de financiamento de curto prazo
Fontes de financiamento de curto prazo
 
Aula dra. elídie palma bifano 20-10-14
Aula dra. elídie palma bifano   20-10-14Aula dra. elídie palma bifano   20-10-14
Aula dra. elídie palma bifano 20-10-14
 
Cap 4 fontes de financiamento
Cap 4   fontes de financiamentoCap 4   fontes de financiamento
Cap 4 fontes de financiamento
 
Microsoft word cartilha - bolsa.doc - adriana
Microsoft word   cartilha - bolsa.doc - adrianaMicrosoft word   cartilha - bolsa.doc - adriana
Microsoft word cartilha - bolsa.doc - adriana
 
Apresentação SET Investimentos
Apresentação SET InvestimentosApresentação SET Investimentos
Apresentação SET Investimentos
 
Factoring
FactoringFactoring
Factoring
 
Como funciona o curso investidor de sucesso do marcello víeira
Como funciona o curso investidor de sucesso do marcello víeiraComo funciona o curso investidor de sucesso do marcello víeira
Como funciona o curso investidor de sucesso do marcello víeira
 
Aula 2 estrutura de capital - soc. ações. - mercados financeiros
Aula 2   estrutura de capital - soc. ações. - mercados financeirosAula 2   estrutura de capital - soc. ações. - mercados financeiros
Aula 2 estrutura de capital - soc. ações. - mercados financeiros
 
Aula 2.1
Aula 2.1Aula 2.1
Aula 2.1
 
Gestao financeira apresentaçao
Gestao financeira apresentaçaoGestao financeira apresentaçao
Gestao financeira apresentaçao
 
Contabilidade Avançada - Avaliação de Investimento em Participações Societari...
Contabilidade Avançada - Avaliação de Investimento em Participações Societari...Contabilidade Avançada - Avaliação de Investimento em Participações Societari...
Contabilidade Avançada - Avaliação de Investimento em Participações Societari...
 
O que você precisa saber para investir em Renda Variável !
O que você precisa saber para investir em Renda Variável ! O que você precisa saber para investir em Renda Variável !
O que você precisa saber para investir em Renda Variável !
 
Economia para executivos - Aula 6
Economia para executivos - Aula 6Economia para executivos - Aula 6
Economia para executivos - Aula 6
 
Estruturas de Proxy Voting_10abr2007
Estruturas de Proxy Voting_10abr2007Estruturas de Proxy Voting_10abr2007
Estruturas de Proxy Voting_10abr2007
 
Administração finaceira e orçamentária estrutura de capital
Administração finaceira e orçamentária  estrutura de capitalAdministração finaceira e orçamentária  estrutura de capital
Administração finaceira e orçamentária estrutura de capital
 
Triade do dinheiro onde investir seu dinheiro
Triade do dinheiro   onde investir seu dinheiroTriade do dinheiro   onde investir seu dinheiro
Triade do dinheiro onde investir seu dinheiro
 

Semelhante a 24º Encontro Regional | Criterios de Seleção de Gestores

Fundos de Investimento
Fundos de InvestimentoFundos de Investimento
Fundos de Investimento
Eduarda Guidarini
 
23º Encontro Regional | Politica de Investimentos Perante a Resolução 3790
23º Encontro Regional | Politica de Investimentos Perante a Resolução 379023º Encontro Regional | Politica de Investimentos Perante a Resolução 3790
23º Encontro Regional | Politica de Investimentos Perante a Resolução 3790
APEPREM
 
Banco Central - Apresentação Fintechs de Crédito - Cred-Tech Brasil & Conexão...
Banco Central - Apresentação Fintechs de Crédito - Cred-Tech Brasil & Conexão...Banco Central - Apresentação Fintechs de Crédito - Cred-Tech Brasil & Conexão...
Banco Central - Apresentação Fintechs de Crédito - Cred-Tech Brasil & Conexão...
Conexão Fintech
 
Cdb
CdbCdb
Leitura investimentos
Leitura investimentosLeitura investimentos
Leitura investimentos
Dione Sousa
 
Cetip Certifica
Cetip CertificaCetip Certifica
Cetip Certifica
leifmobility
 
Regulação e supervisão de fundos de investimento
Regulação e supervisão de fundos de investimentoRegulação e supervisão de fundos de investimento
Regulação e supervisão de fundos de investimento
APEPREM
 
III Encontro Temático - Financeiro | Orientações para Gestão de Investimentos
III Encontro Temático - Financeiro | Orientações para Gestão de InvestimentosIII Encontro Temático - Financeiro | Orientações para Gestão de Investimentos
III Encontro Temático - Financeiro | Orientações para Gestão de Investimentos
APEPREM
 
Multilatinas: internacionalização e inovação - relatório de conectividade da ...
Multilatinas: internacionalização e inovação - relatório de conectividade da ...Multilatinas: internacionalização e inovação - relatório de conectividade da ...
Multilatinas: internacionalização e inovação - relatório de conectividade da ...
FecomercioSP
 
Bmfbovespa
BmfbovespaBmfbovespa
Bmfbovespa
Daniele Barreto
 
Aula 05 conhecimentos bancarios - cef.text.marked
Aula 05   conhecimentos bancarios - cef.text.markedAula 05   conhecimentos bancarios - cef.text.marked
Aula 05 conhecimentos bancarios - cef.text.marked
Eurodance Lic
 
Finanças - Poupanças e Fundos
Finanças - Poupanças e FundosFinanças - Poupanças e Fundos
Finanças - Poupanças e Fundos
diogopublio
 
Curso de Formação em Tipologia Cooperativista Módulo II
Curso de Formação em Tipologia Cooperativista Módulo IICurso de Formação em Tipologia Cooperativista Módulo II
Curso de Formação em Tipologia Cooperativista Módulo II
ejaes
 
Fundos de dividendos
Fundos de dividendosFundos de dividendos
Fundos de dividendos
Grupo Shield
 
LIVRO CPA10 ANBIMA Atualização MARÇO/2017 - CPA 10 COMPLETO -
LIVRO CPA10 ANBIMA Atualização MARÇO/2017 - CPA 10 COMPLETO - LIVRO CPA10 ANBIMA Atualização MARÇO/2017 - CPA 10 COMPLETO -
LIVRO CPA10 ANBIMA Atualização MARÇO/2017 - CPA 10 COMPLETO -
Antonio Amorim
 
Curso CPA 10: Apostila 01 - Sistema Financeiro Nacional
Curso CPA 10: Apostila 01 - Sistema Financeiro NacionalCurso CPA 10: Apostila 01 - Sistema Financeiro Nacional
Curso CPA 10: Apostila 01 - Sistema Financeiro Nacional
Antonio Amorim
 
Comissão de valores mobiliários
Comissão de valores mobiliáriosComissão de valores mobiliários
Comissão de valores mobiliários
APEPREM
 
guia-de-fundos-imobiliarios-do-clubefii.pdf
guia-de-fundos-imobiliarios-do-clubefii.pdfguia-de-fundos-imobiliarios-do-clubefii.pdf
guia-de-fundos-imobiliarios-do-clubefii.pdf
WellingtonMartins95
 
Apostila Anbima CPA 10 - Módulo 2 - Ética, Regulamentação e Análise do Perfil...
Apostila Anbima CPA 10 - Módulo 2 - Ética, Regulamentação e Análise do Perfil...Apostila Anbima CPA 10 - Módulo 2 - Ética, Regulamentação e Análise do Perfil...
Apostila Anbima CPA 10 - Módulo 2 - Ética, Regulamentação e Análise do Perfil...
Antonio Amorim
 
APOSTILA CPA-10.pdf
APOSTILA CPA-10.pdfAPOSTILA CPA-10.pdf
APOSTILA CPA-10.pdf
RomrioAlcntara2
 

Semelhante a 24º Encontro Regional | Criterios de Seleção de Gestores (20)

Fundos de Investimento
Fundos de InvestimentoFundos de Investimento
Fundos de Investimento
 
23º Encontro Regional | Politica de Investimentos Perante a Resolução 3790
23º Encontro Regional | Politica de Investimentos Perante a Resolução 379023º Encontro Regional | Politica de Investimentos Perante a Resolução 3790
23º Encontro Regional | Politica de Investimentos Perante a Resolução 3790
 
Banco Central - Apresentação Fintechs de Crédito - Cred-Tech Brasil & Conexão...
Banco Central - Apresentação Fintechs de Crédito - Cred-Tech Brasil & Conexão...Banco Central - Apresentação Fintechs de Crédito - Cred-Tech Brasil & Conexão...
Banco Central - Apresentação Fintechs de Crédito - Cred-Tech Brasil & Conexão...
 
Cdb
CdbCdb
Cdb
 
Leitura investimentos
Leitura investimentosLeitura investimentos
Leitura investimentos
 
Cetip Certifica
Cetip CertificaCetip Certifica
Cetip Certifica
 
Regulação e supervisão de fundos de investimento
Regulação e supervisão de fundos de investimentoRegulação e supervisão de fundos de investimento
Regulação e supervisão de fundos de investimento
 
III Encontro Temático - Financeiro | Orientações para Gestão de Investimentos
III Encontro Temático - Financeiro | Orientações para Gestão de InvestimentosIII Encontro Temático - Financeiro | Orientações para Gestão de Investimentos
III Encontro Temático - Financeiro | Orientações para Gestão de Investimentos
 
Multilatinas: internacionalização e inovação - relatório de conectividade da ...
Multilatinas: internacionalização e inovação - relatório de conectividade da ...Multilatinas: internacionalização e inovação - relatório de conectividade da ...
Multilatinas: internacionalização e inovação - relatório de conectividade da ...
 
Bmfbovespa
BmfbovespaBmfbovespa
Bmfbovespa
 
Aula 05 conhecimentos bancarios - cef.text.marked
Aula 05   conhecimentos bancarios - cef.text.markedAula 05   conhecimentos bancarios - cef.text.marked
Aula 05 conhecimentos bancarios - cef.text.marked
 
Finanças - Poupanças e Fundos
Finanças - Poupanças e FundosFinanças - Poupanças e Fundos
Finanças - Poupanças e Fundos
 
Curso de Formação em Tipologia Cooperativista Módulo II
Curso de Formação em Tipologia Cooperativista Módulo IICurso de Formação em Tipologia Cooperativista Módulo II
Curso de Formação em Tipologia Cooperativista Módulo II
 
Fundos de dividendos
Fundos de dividendosFundos de dividendos
Fundos de dividendos
 
LIVRO CPA10 ANBIMA Atualização MARÇO/2017 - CPA 10 COMPLETO -
LIVRO CPA10 ANBIMA Atualização MARÇO/2017 - CPA 10 COMPLETO - LIVRO CPA10 ANBIMA Atualização MARÇO/2017 - CPA 10 COMPLETO -
LIVRO CPA10 ANBIMA Atualização MARÇO/2017 - CPA 10 COMPLETO -
 
Curso CPA 10: Apostila 01 - Sistema Financeiro Nacional
Curso CPA 10: Apostila 01 - Sistema Financeiro NacionalCurso CPA 10: Apostila 01 - Sistema Financeiro Nacional
Curso CPA 10: Apostila 01 - Sistema Financeiro Nacional
 
Comissão de valores mobiliários
Comissão de valores mobiliáriosComissão de valores mobiliários
Comissão de valores mobiliários
 
guia-de-fundos-imobiliarios-do-clubefii.pdf
guia-de-fundos-imobiliarios-do-clubefii.pdfguia-de-fundos-imobiliarios-do-clubefii.pdf
guia-de-fundos-imobiliarios-do-clubefii.pdf
 
Apostila Anbima CPA 10 - Módulo 2 - Ética, Regulamentação e Análise do Perfil...
Apostila Anbima CPA 10 - Módulo 2 - Ética, Regulamentação e Análise do Perfil...Apostila Anbima CPA 10 - Módulo 2 - Ética, Regulamentação e Análise do Perfil...
Apostila Anbima CPA 10 - Módulo 2 - Ética, Regulamentação e Análise do Perfil...
 
APOSTILA CPA-10.pdf
APOSTILA CPA-10.pdfAPOSTILA CPA-10.pdf
APOSTILA CPA-10.pdf
 

Mais de APEPREM

Governança na gestão de recursos previdenciários
Governança na gestão de recursos previdenciáriosGovernança na gestão de recursos previdenciários
Governança na gestão de recursos previdenciários
APEPREM
 
Os Movimentos Sociais Atuais e suas repercussões na economia
Os Movimentos Sociais Atuais e suas repercussões na economiaOs Movimentos Sociais Atuais e suas repercussões na economia
Os Movimentos Sociais Atuais e suas repercussões na economia
APEPREM
 
O judiciário e as demandas dos regimes próprios de previdência
O judiciário e as demandas dos regimes próprios de previdênciaO judiciário e as demandas dos regimes próprios de previdência
O judiciário e as demandas dos regimes próprios de previdência
APEPREM
 
Aposentadoria especial
Aposentadoria especialAposentadoria especial
Aposentadoria especial
APEPREM
 
Implicações e desdobramentos decorrentes da alteração do regime jurídico...
Implicações e desdobramentos decorrentes da alteração do regime jurídico...Implicações e desdobramentos decorrentes da alteração do regime jurídico...
Implicações e desdobramentos decorrentes da alteração do regime jurídico...
APEPREM
 
Aspectos da concessão da aposentadoria do magistério
Aspectos da concessão da aposentadoria do magistérioAspectos da concessão da aposentadoria do magistério
Aspectos da concessão da aposentadoria do magistério
APEPREM
 
Natureza jurídica das contribuições devidas pelo ente federativo
Natureza jurídica das contribuições devidas pelo ente federativoNatureza jurídica das contribuições devidas pelo ente federativo
Natureza jurídica das contribuições devidas pelo ente federativo
APEPREM
 
Estratégias de investimentos perante o cenário econômico atual
Estratégias de investimentos perante o cenário econômico atualEstratégias de investimentos perante o cenário econômico atual
Estratégias de investimentos perante o cenário econômico atual
APEPREM
 
Estratégia funcef
Estratégia funcefEstratégia funcef
Estratégia funcef
APEPREM
 
Elaboração da política de investimentos e formação e regulamentação do comitê...
Elaboração da política de investimentos e formação e regulamentação do comitê...Elaboração da política de investimentos e formação e regulamentação do comitê...
Elaboração da política de investimentos e formação e regulamentação do comitê...
APEPREM
 
Complementação de aposentadorias e pensões a servidores submetidos ao regime ...
Complementação de aposentadorias e pensões a servidores submetidos ao regime ...Complementação de aposentadorias e pensões a servidores submetidos ao regime ...
Complementação de aposentadorias e pensões a servidores submetidos ao regime ...
APEPREM
 
As inovações legislativas para os rpps perspectivas futuras e suas implicações
As inovações legislativas para os rpps   perspectivas futuras e suas implicaçõesAs inovações legislativas para os rpps   perspectivas futuras e suas implicações
As inovações legislativas para os rpps perspectivas futuras e suas implicações
APEPREM
 
Portaria 170/12 do Ministro de Estado da Previdência Social-MPS
Portaria 170/12 do Ministro de Estado da Previdência Social-MPSPortaria 170/12 do Ministro de Estado da Previdência Social-MPS
Portaria 170/12 do Ministro de Estado da Previdência Social-MPS
APEPREM
 
SPPS - Secretaria de Políticas de Previdência Social
SPPS - Secretaria de Políticas de Previdência SocialSPPS - Secretaria de Políticas de Previdência Social
SPPS - Secretaria de Políticas de Previdência Social
APEPREM
 
A importância dos Regimes Próprios de Previdência Social para os Municípios -...
A importância dos Regimes Próprios de Previdência Social para os Municípios -...A importância dos Regimes Próprios de Previdência Social para os Municípios -...
A importância dos Regimes Próprios de Previdência Social para os Municípios -...
APEPREM
 
Atualidades dos benefícios previdenciários
Atualidades dos benefícios previdenciáriosAtualidades dos benefícios previdenciários
Atualidades dos benefícios previdenciários
APEPREM
 
Desafios para os RPPS - Delubio Gomes
Desafios para os RPPS - Delubio GomesDesafios para os RPPS - Delubio Gomes
Desafios para os RPPS - Delubio Gomes
APEPREM
 
Benefícios Previdenciários - Dra. Magadar Briguet
Benefícios Previdenciários - Dra. Magadar BriguetBenefícios Previdenciários - Dra. Magadar Briguet
Benefícios Previdenciários - Dra. Magadar Briguet
APEPREM
 
Alterações da Lei 9717 - Otoni Guimarães
Alterações da Lei 9717 - Otoni GuimarãesAlterações da Lei 9717 - Otoni Guimarães
Alterações da Lei 9717 - Otoni Guimarães
APEPREM
 
Portaria MPS 519 - Prof. Paulo Di Blasi
Portaria MPS 519 - Prof. Paulo Di BlasiPortaria MPS 519 - Prof. Paulo Di Blasi
Portaria MPS 519 - Prof. Paulo Di Blasi
APEPREM
 

Mais de APEPREM (20)

Governança na gestão de recursos previdenciários
Governança na gestão de recursos previdenciáriosGovernança na gestão de recursos previdenciários
Governança na gestão de recursos previdenciários
 
Os Movimentos Sociais Atuais e suas repercussões na economia
Os Movimentos Sociais Atuais e suas repercussões na economiaOs Movimentos Sociais Atuais e suas repercussões na economia
Os Movimentos Sociais Atuais e suas repercussões na economia
 
O judiciário e as demandas dos regimes próprios de previdência
O judiciário e as demandas dos regimes próprios de previdênciaO judiciário e as demandas dos regimes próprios de previdência
O judiciário e as demandas dos regimes próprios de previdência
 
Aposentadoria especial
Aposentadoria especialAposentadoria especial
Aposentadoria especial
 
Implicações e desdobramentos decorrentes da alteração do regime jurídico...
Implicações e desdobramentos decorrentes da alteração do regime jurídico...Implicações e desdobramentos decorrentes da alteração do regime jurídico...
Implicações e desdobramentos decorrentes da alteração do regime jurídico...
 
Aspectos da concessão da aposentadoria do magistério
Aspectos da concessão da aposentadoria do magistérioAspectos da concessão da aposentadoria do magistério
Aspectos da concessão da aposentadoria do magistério
 
Natureza jurídica das contribuições devidas pelo ente federativo
Natureza jurídica das contribuições devidas pelo ente federativoNatureza jurídica das contribuições devidas pelo ente federativo
Natureza jurídica das contribuições devidas pelo ente federativo
 
Estratégias de investimentos perante o cenário econômico atual
Estratégias de investimentos perante o cenário econômico atualEstratégias de investimentos perante o cenário econômico atual
Estratégias de investimentos perante o cenário econômico atual
 
Estratégia funcef
Estratégia funcefEstratégia funcef
Estratégia funcef
 
Elaboração da política de investimentos e formação e regulamentação do comitê...
Elaboração da política de investimentos e formação e regulamentação do comitê...Elaboração da política de investimentos e formação e regulamentação do comitê...
Elaboração da política de investimentos e formação e regulamentação do comitê...
 
Complementação de aposentadorias e pensões a servidores submetidos ao regime ...
Complementação de aposentadorias e pensões a servidores submetidos ao regime ...Complementação de aposentadorias e pensões a servidores submetidos ao regime ...
Complementação de aposentadorias e pensões a servidores submetidos ao regime ...
 
As inovações legislativas para os rpps perspectivas futuras e suas implicações
As inovações legislativas para os rpps   perspectivas futuras e suas implicaçõesAs inovações legislativas para os rpps   perspectivas futuras e suas implicações
As inovações legislativas para os rpps perspectivas futuras e suas implicações
 
Portaria 170/12 do Ministro de Estado da Previdência Social-MPS
Portaria 170/12 do Ministro de Estado da Previdência Social-MPSPortaria 170/12 do Ministro de Estado da Previdência Social-MPS
Portaria 170/12 do Ministro de Estado da Previdência Social-MPS
 
SPPS - Secretaria de Políticas de Previdência Social
SPPS - Secretaria de Políticas de Previdência SocialSPPS - Secretaria de Políticas de Previdência Social
SPPS - Secretaria de Políticas de Previdência Social
 
A importância dos Regimes Próprios de Previdência Social para os Municípios -...
A importância dos Regimes Próprios de Previdência Social para os Municípios -...A importância dos Regimes Próprios de Previdência Social para os Municípios -...
A importância dos Regimes Próprios de Previdência Social para os Municípios -...
 
Atualidades dos benefícios previdenciários
Atualidades dos benefícios previdenciáriosAtualidades dos benefícios previdenciários
Atualidades dos benefícios previdenciários
 
Desafios para os RPPS - Delubio Gomes
Desafios para os RPPS - Delubio GomesDesafios para os RPPS - Delubio Gomes
Desafios para os RPPS - Delubio Gomes
 
Benefícios Previdenciários - Dra. Magadar Briguet
Benefícios Previdenciários - Dra. Magadar BriguetBenefícios Previdenciários - Dra. Magadar Briguet
Benefícios Previdenciários - Dra. Magadar Briguet
 
Alterações da Lei 9717 - Otoni Guimarães
Alterações da Lei 9717 - Otoni GuimarãesAlterações da Lei 9717 - Otoni Guimarães
Alterações da Lei 9717 - Otoni Guimarães
 
Portaria MPS 519 - Prof. Paulo Di Blasi
Portaria MPS 519 - Prof. Paulo Di BlasiPortaria MPS 519 - Prof. Paulo Di Blasi
Portaria MPS 519 - Prof. Paulo Di Blasi
 

24º Encontro Regional | Criterios de Seleção de Gestores

  • 1. Critérios de Seleção de Gestores Paulo Ricardo Di Blasi Consultor Financeiro habilitado pela CVM Professor Universitário (21) 8200-6716 [email_address] [email_address]
  • 2. Entendendo Melhor o Papel do Gestor A Indústria de Gestão de Recursos no Brasil Legislação Questionário Credenciamento Índice
  • 3. Entendendo Melhor o Papel do Gestor A Indústria de Gestão de Recursos no Brasil Legislação Questionário Credenciamento Índice
  • 4.  
  • 5.  
  • 6. Comunhão de recursos sob a forma de condomínio onde os cotistas têm o mesmo interesse e objetivos ao investir no mercado financeiro e de capitais. Entendendo Melhor o Papel do Gestor Fundo de Investimento Condomínio = Fonte: www.anbid.com.br
  • 7. Fundo de Investimento Fundo que compra ativos diretamente no mercado financeiro e de capitais para compor sua carteira; Podem ter até 20% de sua carteira em cotas de outros fundos respeitando o limite de 10% do PL por fundo. Fundo de Investimento em Cotas Fundo que compra cotas de outro(s) Fundos de Investimento; Devem ter no mínimo 95% de seu patrimônio investido em cotas de fundos de investimento. Fundo de Investimento Abertos e Fechados ABERTOS : Os cotistas podem solicitar o resgate de suas cotas a qualquer tempo; FECHADOS : As cotas somente são resgatadas ao término do prazo de duração do fundo. Fonte: www.anbid.com.br Entendendo Melhor o Papel do Gestor
  • 8. Responsável pelo funcionamento do fundo. Controla todos os prestadores de serviço, e defende os interesses dos cotistas Responsável pela compra e venda dos ativos do fundo (gestão) segundo política de investimento estabelecida em regulamento Responsável pela “ guarda” dos ativos do fundo. Responde pelos dados e envio de informações dos fundos para os gestores e administradores Responsável pela venda das cotas do fundo. Pode ser o próprio administrador ou terceiros contratados por ele ADMINISTRADOR GESTOR CUSTODIANTE DISTRIBUIDOR Este é você! Aquele que aplica no fundo de investimento COTISTA Fonte: www.anbid.com.br Entendendo Melhor o Papel do Gestor Quem presta serviço aos Fundos de Investimento?
  • 9. Regulamento Documento que estabelece as regras de funcionamento e operacionalização de um fundo de investimento, segundo legislação vigente estabelecida pela CVM; Só podem ser alterados por decisão de uma Assembléia Geral de Cotistas. Prospecto Documento que contém as informações relevantes para o investidor relativas à política de investimento dos fundos de investimento e os riscos envolvidos. Termo de Adesão Ao investir em qualquer Fundo de Investimento os cotistas assinam um Termo de Adesão confirmando que: - Recebeu o Regulamento e o Prospecto do fundo; - Tomou ciência dos riscos envolvidos e da política de investimento. Entendendo Melhor o Papel do Gestor Documentos Fonte: www.anbid.com.br
  • 10. Patrimônio Líquido Soma algébrica dos valores de mercado dos ativos da carteira no encerramento do dia, mais os valores a receber, menos as despesas. Valor da Cota É um valor mobiliário expresso em Reais (R$) calculada dividindo-se o Patrimônio Líquido pela quantidade de cotas emitidas. Um único valor para cada dia útil. Entendendo Melhor o Papel do Gestor Características dos Fundos Fonte: www.anbid.com.br
  • 11. Taxa de Administração Percentual do PL do Fundo pago pelos cotistas de um fundo à todos os prestadores de serviço; Calculada por dia útil e deduzida do valor da cota. Taxa de Performance Percentual cobrado do cotista quando a rentabilidade do fundo supera a de um indicador de referência; Nem todos os fundos cobram taxa de performance. Entendendo Melhor o Papel do Gestor Custos Fonte: www.anbid.com.br
  • 12. Cota de Abertura Reflete os preços dos ativos da carteira dia anterior. Conhece o valor da cota determinado para negociação no início do dia. Apenas alguns tipos de fundo podem utilizá-la: curto prazo, referenciados e renda fixa. Cota de Fechamento O valor da cota em um dia é determinado apenas ao final das negociações com o mercado e após o fechamento do fundo para movimentações, refletindo portanto, os preços do mesmo dia. Não se conhece o valor da cota determinado para negociação no início do dia. Data de Cotização e Data de Pagamento As regras de movimentação são previstas em regulamento e dependem dos ativos que compõem o fundo: - Fundos DI tendem a aceitar movimentações em D+0; - Fundos de Ações em geral cotizam em D+1 e liquidam em D+4. Fonte: www.anbid.com.br Fonte: www.anbid.com.br Aplicações e Resgates Entendendo Melhor o Papel do Gestor
  • 13. Entendendo Melhor o Papel do Gestor A Indústria de Gestão de Recursos no Brasil Legislação Questionário Credenciamento Índice
  • 14.  
  • 15.  
  • 16. A Indústria de Gestão de Recursos no Brasil possui o seguinte perfil: 355 gestores; Patrimônio Líquido: R$ 1.428.161.000.000.000 A Indústria de Gestão de Recursos no Brasil Abril - 2010 Outros: Câmbio e Dívida Externa, Participações, Off-Shore Fonte: www.anbid.com.br Multimercados 23% Renda Fixa 27% Referenciado DI 13% Curto Prazo 4% FIDC 5% Previdência 10% Ações 12%
  • 17. A Indústria de Gestão de Recursos no Brasil possui o seguinte perfil: Os 12 maiores gestores concentram 88% do PL da indústria; Os recursos estão distribuídos nos segmentos: 44% dos recursos geridos pelos 12 maiores gestores estão aplicados em produtos de BAIXO VALOR AGREGADO Fonte: www.anbid.com.br A Indústria de Gestão de Recursos no Brasil Abril - 2010 SEGMENTO %PL Curto Prazo 4% Referenciado DI 13% Renda Fixa 27% Multimercados 23% Ações 12% Previdência 10% FIDC 5% Total: 44% Outros 6%
  • 18. A Indústria de Gestão de Recursos no Brasil possui o seguinte perfil: Incluindo mais gestores na nossa análise, vemos que: Os 30 maiores gestores concentram 96% do PL da indústria; Este grupo se divide em: 4 gestores independentes + 26 gestores bancários Gestor Independente: aquele que não está ligado a uma instituição financeira e cuja atividade principal é a gestão de recursos de terceiros; Gestor Bancário: aquele que ligado a uma instituição financeira. (4% PL grupo) (96% PL grupo) Fonte: www.anbid.com.br A Indústria de Gestão de Recursos no Brasil Abril - 2010
  • 19. Entendendo Melhor o Papel do Gestor A Indústria de Gestão de Recursos no Brasil Legislação Estudo Casey, Quirk & Associates Índice
  • 20. Ponto a ser destacado: Art. 15 “Na administração de carteira de valores mobiliários deve ser assegurada a completa segregação das demais atividades exercidas pela pessoa jurídica, devendo ser adotados procedimentos operacionais, dentre outros, objetivando: I – a segregação física de instalações entre áreas responsáveis por diferentes atividades prestadas relativas ao mercado de capitais, ou definição clara e precisa de práticas que assegurem o bom uso de instalações, equipamentos e arquivos comuns a mais de um setor da empresa; II – a preservação de informações confidenciais por todos os seus administradores, colaboradores e funcionários, proibindo a transferência de tais informações a pessoas não habilitadas ou que possam vir a utilizá-las indevidamente, em processo de decisão de investimento, próprio ou de terceiros;” Art. 17 “A pessoa natural ou jurídica, no exercício da atividade de administração de carteira de valores mobiliários. É diretamente responsável, civil e administrativamente, pelos prejuízos resultantes de seus atos dolosos ou culposos e pelos que infringirem normas legais, regulamentares ou estatutárias, sem prejuízo de eventual responsabilidade penal e da responsabilidade subsidiária da pessoa jurídica de direito privado que a contratou ou a supervisionou de modo inadequado.” Legislação Instrução CVM nº 306, de 5 de Maio de 1999* * Com alterações introduzidas pelas Instruções CVM n os 364/02, 448/07 e 450/07. Fonte: www.cvm.gov.br
  • 21. Pontos a serem destacados: Art. 13 “Os cotistas responderão por eventual patrimônio líquido negativo do fundo, sem prejuízo da responsabilidade do administrador e do gestor, se houver, em caso de inobservância da política de investimento ou dos limites de concentração previstos no regulamento e nesta Instrução.” Art. 79 “Sempre que o material de divulgação apresentar informações referentes à rentabilidade ocorrida em períodos anteriores, deve ser incluída advertência, com destaque, de que: I – a rentabilidade obtida no passado não representa garantia de resultados futuros; e II – os investimentos em fundos não são garantidos pelo administrador ou por qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, pelo fundo garantidor de crédito.” Legislação Instrução CVM nº 409, de 18 de Agosto de 2004* * Com alterações introduzidas pelas Instruções CVM n os 411/04, 413/04, 450/07, 456/07 e 465/08. Fonte: www.cvm.gov.br
  • 22. Entendendo Melhor o Papel do Gestor A Indústria de Gestão de Recursos no Brasil Legislação Questionário Credenciamento Índice
  • 23. Questionário Credenciamento Critérios Qualitativos Credibilidade da Instituição junto ao mercado financeiro Solidez da Instituição Experiência na gestão de recursos de clientes institucionais Qualidade da equipe e turnover Qualidade do atendimento na área de relacionamento Critérios Quantitativos: Desempenho (risco/retorno) dos produtos enquadrados na legislação vigente Desempenho do gestor nos momentos de crise Critérios na Seleção dos Gestores
  • 24. Questionário Credenciamento Informar a data de constituição da instituição. Informar o capital social da instituição. É ligada a grupo nacional ou estrangeiro, ou a algum governo estadual? Qual? Relacionar os Acionistas da Empresa e suas participações no capital da instituição. Relacionar as filiais e/ou escritório de representação ou distribuição da Instituição no território nacional. Informar Razão Social, endereço, CNPJ, home page e e-mail da empresa responsável pela administração e gestão de recursos de terceiros. Há quanto tempo a Instituição administra recursos de terceiros no país As funções de gestão, administração, custódia e auditoria são segregadas, atendendo aos princípios de "chinese wall"? Quais as instituições responsáveis por cada uma delas? Caso as atividades de gestão, administração e compliance sejam efetuadas pela própria instituição, descrever como funciona cada uma delas, quais suas atribuições, qual o nível de independência e como se interagem. Faça uma síntese de como funciona tal política de segregação dentro da Instituição. INFORMAÇÕES INSTITUCIONAIS - SOLIDEZ PATRIMONIAL
  • 25. Questionário Credenciamento DESEMPENHO DE GESTÃO Informar o montante de recursos de terceiros administrados, discriminando por tipo de cliente e por tipo de produto em data base a ser informada Relacionar os principais clientes institucionais por volume de recursos administrados. Não é necessário mencionar o volume aplicado de cada cliente. Relacionar os principais Fundos de Investimento administrados por esta instituição, que julguem adequados para Previdência Pública, bem como seus respectivos patrimônios, o benchmark e a qualificação/premiações dadas por Empresa de qualificação de fundos e classificação de risco "rating", mencionando a agência e o nível de risco de cada fundo. Relacionar por ordem decrescente de rentabilidade, o histórico dos fundos acima mencionados indicando a rentabilidade obtida nos últimos 12 meses, a volatilidade ou tracking error em relação ao IBX (para renda variável ) nos últimos 12 meses, a taxa de administração e taxa de performance, quando houver. I – retorno: variação percentual do valor da cota do fundo de investimento nos 12 (doze) meses anteriores, líquida de taxa de administração e demais despesas; II – volatilidade: desvio padrão da variação mensal da cota do fundo de investimento, nos 12 (doze) meses anteriores; III – tracking error : Remeter o regulamento destes fundos.
  • 26. Questionário Credenciamento PROCESSO DECISÓRIO DE INVESTIMENTOS Descrever o modelo de decisão adotado. Descrever os modelos matemáticos praticados no processo de alocação de investimentos. Descrever a filosofia de investimentos para a gestão de portfólios. Qual é a política de risco de crédito? Esta política é compartilhada com o Investidor? De que forma? Quais são os critérios de marcação a mercado dos ativos e derivativos e quem os define?
  • 27. Questionário Credenciamento CURRÍCULO DOS GESTORES E RESPONSÁVEIS PELA GESTÃO Descrever de forma sucinta a formação profissional de cada gestor/administrador de carteira e do back-office, dos responsáveis pelo desenvolvimento e aplicação de modelos matemáticos, contendo, por ordem cronológica as informações mais relevantes sobre o os objetivos alcançados pela gestão.
  • 28. Questionário Credenciamento CONFORMIDADE E ANÁLISE DE RISCO Descrever detalhadamente e individualizada os mecanismos e os modelos aplicados. Informar se os mecanismos e modelos foram submetidos à auditoria e se os mesmos foram certificados por alguma instituição. Anexar cópias dos certificados, se for o caso. Informar a periodicidade do processo de auditoria a que estão submetidos os mecanismos e os modelos aplicados. O que é baixo risco de crédito na visão desta instituição?
  • 29. Questionário Credenciamento FUNÇÕES TERCEIRIZADAS Descrever de forma sucinta o currículo dos responsáveis (pessoa física ou jurídica) pelas funções terceirizadas.
  • 30. Questionário Credenciamento SERVIÇOS Quais os serviços de informações são prestados aos clientes institucionais? Com que periodicidade tais informações são encaminhadas? Qual o meio de comunicação utilizado? A instituição promove algum curso ou presta algum, serviço de orientação e informação aos clientes institucionais, referente aos mecanismos e instrumentos disponíveis no mercado financeiro e que são utilizados como ferramentas pelo gestor do fundo? Qual a periodicidade das informações referentes aos fundos enviados aos investidores? Quais são essas informações e sob qual forma são encaminhadas? Que tipo de serviços adicionais são oferecidos aos clientes de fundo de investimentos? Que tipos de relatórios são emitidos? Se possível, a Instituição poderia encaminhar alguns modelos de tais relatórios? No entendimento da Instituição, em que aspecto se diferencia de seus concorrentes, destacando-se na gestão de recursos de terceiros?
  • 31. Questionário Credenciamento DECLARAÇÃO Declaração acerca da veracidade das informações fornecidas.