SlideShare uma empresa Scribd logo
CRISE NA GRÉCIA
Entenda melhor a crise na GréciaA crise financeira da Grécia, país de apenas 11 milhões de habitantes, pode ter profundas implicações para a economia mundial e a União Europeia.Há temores de que um agravamento da crise leve a um eventual calote da dívida grega e que países como Portugal, Itália, Espanha e Irlanda acabem entrando pelo mesmo caminho.Investidores observam com preocupação os cenários previstos por especialistas, como o de vários países sendo forçados a cortar drasticamente os seus gastos públicos e elevando taxas de juros para poder pagar suas dívidas, ou o de países deixando a chamada zona do euro e provocando uma dissolução da União Europeia.Outro temor é com as perdas dos bancos que emprestaram dinheiro a esses países, perdas que podem levar a uma nova crise de crédito.Esses temores se intensificaram no dia 23 de abril, quando a Grécia pediu formalmente ajuda financeira à União Europeia e ao Fundo Monetário Internacional para tirar o país de sua crise de débito.O país está pedindo até 45 bilhões de euros em empréstimos de emergência aos países da zona do euro e ao FMI neste ano, mas existe a preocupação de o acordo não ser fechado e se vai ser necessária mais ajuda.
Para honras seus compromissos, a Grécia deve receber, ao longo de três anos, um pacote de cerca de 110 bilhões de euros (aproximadamente US$ 143 bilhões), que inclui a participação de países da zona do euro e do FMI.Entretanto, para conseguir esse empréstimo, o governo grego precisará cortar gastos e aumentar impostos - medidas previstas em um pacote de austeridade aprovado pelo parlamento do país.
Por que a Grécia está nessa situação?A Grécia gastou bem mais do que podia na última década, pedindo empréstimos pesados e deixando sua economia refém da crescente dívida.Nesse período, os gastos públicos foram às alturas e os salários do funcionalismo praticamente dobraram. Enquanto os cofres públicos eram esvaziados pelo gastos a receita era atingida pela alta evasão de impostos, prática generalizada no país.A Grécia estava completamente despreparada quando chegou a crise global de crédito.O deficit no orçamento, ou seja, a diferença entre o que o país gasta e o que arrecada, foi, em 2009, de 13,6% do PIB, um dos índices mais altos da Europa e quatro vezes acima do tamanho permitido pelas regras da chamada zona do euro.Sua dívida está em torno de 300 bilhões de euros (o equivalente a US$ 400 bilhões ou R$ 700 bilhões). e parte desse montante - cerca de US$ 12,5 bi - vence no dia 19 de maio.
Por que a situação causa tanta preocupação fora da Grécia?Todo mundo na zona do euro - e qualquer um que negocie com a zona do euro - é afetado por causa do impacto da crise grega sobre a moeda comum europeia.Teme-se que os problemas da Grécia nos mercados financeiros internacionais provoquem um efeito dominó, derrubando outros membros da zona do euro cujas economias estão enfraquecidas, como Portugal, Irlanda, Itália e Espanha. Todos eles enfrentam desafios para reequilibrar suas contas.Em março passado, a agência de classificação de risco Fitch rebaixou a classificação de Portugal de AA para AA-.Questões sobre o alto nível das dívidas na Europa foram levantadas em vários países.
Ajuda;Depois de a crise ameaçar atingir outros países da Europa, o Fundo Monetário Internacional (FMI) e da União Europeiao ofereceram à Grécia um pacote de ajuda 110 bilhões de euros (cerca de US$ 146 bilhões).O governo se comprometeu a adotar medidas em contrapartida à ajuda. Entre as ações estão o congelamento de salários dos servidores públicos até 2013, o aumento de impostos, o corte no planos de aposentadoria, o fim de vários benefícios e a flexibilização das leis trabalhistas.
O que a Grécia está fazendo quanto a isso?A Grécia apresentou planos para cortar seu deficit para 8,7% em 2010, e para menos de 3% até 2012.Para alcançar isso, o Parlamento grego aprovou um pacote de medidas de austeridade para economizar 4,8 bilhões de euros.O governo quer congelar os salários do setor público e aumentar os impostos, e ainda anunciou o aumento do preço da gasolina.O governo ainda pretende aumentar a idade para a aposentadoria em uma tentativa de economizar dinheiro no sistema de pensões, já sobrecarregado.
Como essas medidas foram recebidas na Grécia?De maneira nem um pouco positiva. Houve uma série de protestos no país, alguns violentos. Várias greves atingiram escolas e hospitais e praticamente paralisaram o transporte público.Muitos servidores públicos acreditam que a crise foi criada por forças externas, como especuladores internacionais e banqueiros da Europa central.Os dois maiores sindicatos do país classificaram as medidas de austeridade como "anti-populares" e "bárbaras".
Crise na grécia
O que acontece agora?A União Europeia afirmou que a primeira parcela do pacote de empréstimo será paga antes do dia 19 de maio - data que vence parte da dívida grega. No total, cerca de 30 bilhões de euros (R$ 70 bi).Em teoria, os fundos do pacote de ajuda da UE e do FMI e o pagamento de parte da dívida deveria proporcionar uma queda nos custos de empréstimo do governo e o euro deveria voltar a se fortalecer, depois de ter sofrido queda nas últimas semanas por causa do medo de a Grécia não conseguir pagar suas dívidas.
A Grécia poderia simplesmente abandonar o euro?Operadores de câmbio já demonstraram medo de que alguns países com grandes déficits no orçamento - como a Grécia, Espanha e Portugal - possam se sentir tentados a abandonar o euro.Ao deixar a moeda comum, o país poderia permitir a desvalorização de sua moeda e, assim, melhorar sua competitividade.Mas isso também causaria grandes rupturas nos mercados financeiros, provocando o medo entre os investidores de que outros países adotassem a mesma estratégia, potencialmente levando ao fim da união monetária.Mas a União Europeia já demonstrou que quer manter a zona do euro unida e descartou a ideia de que países iriam abandonar a moeda.
Como a situação da Grécia se compara a de outros países?A Grécia não é o único país da zona do euro a violar a regra que afirma que o deficit orçamentário não deve ultrapassar 3% do PIB do país.Na Grã-Bretanha, que não está na zona do euro, esse deficit chega a 13% do PIB. Na Espanha ele chega a 11,2%, na Irlanda a 14,3% e na Itália a 5,3%.
Crise na Grécia faz bolsa de NY ter maiores perdas desde 2009O índice Dow Jones chegou a operar em queda de mais de 9% ao longo do dia e fechou o pregão em queda de 3,2%. A Nasdaq também encerrou o dia no negativo, com perda de 3,44%.A mesma tendência foi seguida mais cedo nas bolsas europeias. Em Londres, o índice FTSE 100 fechou o dia em baixa de 1,52%, enquanto na França o CAC 40 registrou perdas de 2,20%. Na Alemanha, a baixa foi menos acentuada e o DAX encerrou em -0,84%.No Brasil, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) acumulou perdas de mais 6% durante o dia, mas se recuperou ao fim do pregão e encerrou esta quinta-feira em baixa de 2,31%.
Segundo o editor de negócios da BBC Robert Preston, o pânico no mercado foi precipitado por um “medo dos efeitos da crise na Grécia e em outros países europeus no sistema financeiro global”.Analistas afirmam que as quedas refletem as incertezas do mercado sobre a capacidade da Grécia de pagar suas dívidas e também de que a crise grega possa se espalhar para outros países europeus, como Portugal e Espanha – que também tiveram a classificação de suas dívidas rebaixadas.Os líderes europeus esperavam que o anúncio do pacote de 110 bilhões de euros prometido pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) e pelos países da zona do euro pudesse restaurar a confiança dos investidores.
2010;O objetivo para este ano é reduzir o défice público em 40 %.O Banco da Grécia anunciou que o défice orçamental do estado foi de 11.450 milhões de euros no primeiro trimestre deste ano, tendo o ministro das Finanças concluído que, com esta redução, o défice orçamental representava no primeiro semestre 4,9 por cento do PIB.
Alunos:    Carla Taís                 Fabiana                 Júlia G.                 Larissa L.                 Matheus                 ThaísThallis                  Wesley

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Trabalho sistema financeiro completo
Trabalho sistema financeiro completoTrabalho sistema financeiro completo
Trabalho sistema financeiro completo
ftrajano
 
Crise europeia
Crise europeiaCrise europeia
Crise europeia
Léo Miranda
 
I mil be_26_1_2012
I mil be_26_1_2012I mil be_26_1_2012
I mil be_26_1_2012
mpfcomunicacao
 
Crise econômica Européia
Crise econômica Européia Crise econômica Européia
Crise econômica Européia
Artur Lara
 
Dados economicos genari
Dados economicos genariDados economicos genari
Dados economicos genari
Lucas Barbosa Pelissari
 
9º ano reda cem - 9.20
9º ano   reda cem - 9.209º ano   reda cem - 9.20
9º ano reda cem - 9.20
MatheusMesquitaMelo
 
Gestão in
Gestão inGestão in
Gestão in
Jonatas Costa
 
Artigo: O Popular - Pinóquio e o déficit
Artigo: O Popular - Pinóquio e o déficitArtigo: O Popular - Pinóquio e o déficit
Artigo: O Popular - Pinóquio e o déficit
Marconi Ferreira Perillo Jr.
 
A Crise Econômica Nos EUA e na Europa
A Crise Econômica Nos EUA e na EuropaA Crise Econômica Nos EUA e na Europa
A Crise Econômica Nos EUA e na Europa
Isabela Mendonça
 
Crise europeia
Crise europeiaCrise europeia
Crise europeia
Isabel Cabral
 
As alteração na circulação de capitais após a integração de Portugal na União...
As alteração na circulação de capitais após a integração de Portugal na União...As alteração na circulação de capitais após a integração de Portugal na União...
As alteração na circulação de capitais após a integração de Portugal na União...
Pedro Tomé
 
Retrospectiva Prospectiva: O ex-prodígio reverte à média
Retrospectiva Prospectiva: O ex-prodígio reverte à médiaRetrospectiva Prospectiva: O ex-prodígio reverte à média
Retrospectiva Prospectiva: O ex-prodígio reverte à média
Banco Pine
 
Solução única de Cristina Casalinho
Solução única de Cristina CasalinhoSolução única de Cristina Casalinho
Solução única de Cristina Casalinho
pr_afsalbergaria
 
OCDE
OCDEOCDE
Á procura dos culpados da crise (draft) prof doutor Rui Teixeira Santos (2012)
 Á procura dos culpados da crise (draft) prof doutor Rui Teixeira Santos (2012) Á procura dos culpados da crise (draft) prof doutor Rui Teixeira Santos (2012)
Á procura dos culpados da crise (draft) prof doutor Rui Teixeira Santos (2012)
A. Rui Teixeira Santos
 
Crise econômica internacional: começou o segundo capítulo?
Crise econômica internacional: começou o segundo capítulo?Crise econômica internacional: começou o segundo capítulo?
Crise econômica internacional: começou o segundo capítulo?
Alessandro de Moura
 
Comunicado do-fmi-e-mais-uma-tranche-da-ajuda-financeira-a-portugal
Comunicado do-fmi-e-mais-uma-tranche-da-ajuda-financeira-a-portugalComunicado do-fmi-e-mais-uma-tranche-da-ajuda-financeira-a-portugal
Comunicado do-fmi-e-mais-uma-tranche-da-ajuda-financeira-a-portugal
Armin Caldas
 
A Restruturação da Dívida Publica é inevitável, artigo do Prof. Doutor Rui Te...
A Restruturação da Dívida Publica é inevitável, artigo do Prof. Doutor Rui Te...A Restruturação da Dívida Publica é inevitável, artigo do Prof. Doutor Rui Te...
A Restruturação da Dívida Publica é inevitável, artigo do Prof. Doutor Rui Te...
A. Rui Teixeira Santos
 
Paises desenvolvidos do norte ii (europa)
Paises desenvolvidos do norte ii (europa)Paises desenvolvidos do norte ii (europa)
Paises desenvolvidos do norte ii (europa)
Wander barreto
 
A crise no BES e o futuro incerto do BESA
A crise no BES e o futuro incerto do BESAA crise no BES e o futuro incerto do BESA
A crise no BES e o futuro incerto do BESA
Janísio Salomao
 

Mais procurados (20)

Trabalho sistema financeiro completo
Trabalho sistema financeiro completoTrabalho sistema financeiro completo
Trabalho sistema financeiro completo
 
Crise europeia
Crise europeiaCrise europeia
Crise europeia
 
I mil be_26_1_2012
I mil be_26_1_2012I mil be_26_1_2012
I mil be_26_1_2012
 
Crise econômica Européia
Crise econômica Européia Crise econômica Européia
Crise econômica Européia
 
Dados economicos genari
Dados economicos genariDados economicos genari
Dados economicos genari
 
9º ano reda cem - 9.20
9º ano   reda cem - 9.209º ano   reda cem - 9.20
9º ano reda cem - 9.20
 
Gestão in
Gestão inGestão in
Gestão in
 
Artigo: O Popular - Pinóquio e o déficit
Artigo: O Popular - Pinóquio e o déficitArtigo: O Popular - Pinóquio e o déficit
Artigo: O Popular - Pinóquio e o déficit
 
A Crise Econômica Nos EUA e na Europa
A Crise Econômica Nos EUA e na EuropaA Crise Econômica Nos EUA e na Europa
A Crise Econômica Nos EUA e na Europa
 
Crise europeia
Crise europeiaCrise europeia
Crise europeia
 
As alteração na circulação de capitais após a integração de Portugal na União...
As alteração na circulação de capitais após a integração de Portugal na União...As alteração na circulação de capitais após a integração de Portugal na União...
As alteração na circulação de capitais após a integração de Portugal na União...
 
Retrospectiva Prospectiva: O ex-prodígio reverte à média
Retrospectiva Prospectiva: O ex-prodígio reverte à médiaRetrospectiva Prospectiva: O ex-prodígio reverte à média
Retrospectiva Prospectiva: O ex-prodígio reverte à média
 
Solução única de Cristina Casalinho
Solução única de Cristina CasalinhoSolução única de Cristina Casalinho
Solução única de Cristina Casalinho
 
OCDE
OCDEOCDE
OCDE
 
Á procura dos culpados da crise (draft) prof doutor Rui Teixeira Santos (2012)
 Á procura dos culpados da crise (draft) prof doutor Rui Teixeira Santos (2012) Á procura dos culpados da crise (draft) prof doutor Rui Teixeira Santos (2012)
Á procura dos culpados da crise (draft) prof doutor Rui Teixeira Santos (2012)
 
Crise econômica internacional: começou o segundo capítulo?
Crise econômica internacional: começou o segundo capítulo?Crise econômica internacional: começou o segundo capítulo?
Crise econômica internacional: começou o segundo capítulo?
 
Comunicado do-fmi-e-mais-uma-tranche-da-ajuda-financeira-a-portugal
Comunicado do-fmi-e-mais-uma-tranche-da-ajuda-financeira-a-portugalComunicado do-fmi-e-mais-uma-tranche-da-ajuda-financeira-a-portugal
Comunicado do-fmi-e-mais-uma-tranche-da-ajuda-financeira-a-portugal
 
A Restruturação da Dívida Publica é inevitável, artigo do Prof. Doutor Rui Te...
A Restruturação da Dívida Publica é inevitável, artigo do Prof. Doutor Rui Te...A Restruturação da Dívida Publica é inevitável, artigo do Prof. Doutor Rui Te...
A Restruturação da Dívida Publica é inevitável, artigo do Prof. Doutor Rui Te...
 
Paises desenvolvidos do norte ii (europa)
Paises desenvolvidos do norte ii (europa)Paises desenvolvidos do norte ii (europa)
Paises desenvolvidos do norte ii (europa)
 
A crise no BES e o futuro incerto do BESA
A crise no BES e o futuro incerto do BESAA crise no BES e o futuro incerto do BESA
A crise no BES e o futuro incerto do BESA
 

Semelhante a Crise na grécia

A exceção portuguesa, Prof. Doutor Rui Teixeira Santos (2012)
A exceção portuguesa, Prof. Doutor Rui Teixeira Santos (2012)A exceção portuguesa, Prof. Doutor Rui Teixeira Santos (2012)
A exceção portuguesa, Prof. Doutor Rui Teixeira Santos (2012)
A. Rui Teixeira Santos
 
Crise na grécia
Crise na gréciaCrise na grécia
Crise na grécia
rafaapombal
 
Perdão da dívida não é solução
Perdão da dívida  não é solução Perdão da dívida  não é solução
Perdão da dívida não é solução
pr_afsalbergaria
 
Perdão da dívida não é solução
Perdão da dívida  não é solução Perdão da dívida  não é solução
Perdão da dívida não é solução
pr_afsalbergaria
 
Como surgiu a crise econômica mundial
Como surgiu a crise econômica mundialComo surgiu a crise econômica mundial
Como surgiu a crise econômica mundial
letieri11
 
As organizações formais mundiais (fmi) gabriel lourenço e ana simões
As organizações formais mundiais (fmi)   gabriel lourenço e ana simõesAs organizações formais mundiais (fmi)   gabriel lourenço e ana simões
As organizações formais mundiais (fmi) gabriel lourenço e ana simões
Gabriel Cristiano
 
184 portugal grecia2
184 portugal grecia2184 portugal grecia2
184 portugal grecia2
Hugo Mendes Domingos
 
Dívida soberana na EU (resumo)
Dívida soberana na EU (resumo)Dívida soberana na EU (resumo)
Dívida soberana na EU (resumo)
Aldo Medeiros
 
Capitalistas e estado, a mesma luta
Capitalistas e estado, a mesma lutaCapitalistas e estado, a mesma luta
Capitalistas e estado, a mesma luta
GRAZIA TANTA
 
A crise econômica na uniao europeia
A crise econômica na uniao europeiaA crise econômica na uniao europeia
A crise econômica na uniao europeia
Lamartine Biao Oberg
 
Dívida & deficit – estratégia de empobrecimento
Dívida & deficit – estratégia de empobrecimentoDívida & deficit – estratégia de empobrecimento
Dívida & deficit – estratégia de empobrecimento
GRAZIA TANTA
 
FMI
FMIFMI
Crise em potugal
Crise em potugalCrise em potugal
Crise em potugal
turma11ig
 
Crise em potugal
Crise em potugalCrise em potugal
Crise em potugal
turma11ig
 
Crise em potugal
Crise em potugalCrise em potugal
Crise em potugal
turma11ig
 
Europa - os devedores de uma dívida não pagável
Europa - os devedores de uma dívida não pagávelEuropa - os devedores de uma dívida não pagável
Europa - os devedores de uma dívida não pagável
GRAZIA TANTA
 
O exemplo da grécia rebelada contra o capital financeiro
O exemplo da grécia rebelada contra o capital financeiroO exemplo da grécia rebelada contra o capital financeiro
O exemplo da grécia rebelada contra o capital financeiro
Fernando Alcoforado
 
O sistema financeiro, o primeiro ditador global 2
O sistema financeiro, o primeiro ditador global   2O sistema financeiro, o primeiro ditador global   2
O sistema financeiro, o primeiro ditador global 2
GRAZIA TANTA
 
JFA24052013 a opção
JFA24052013 a opçãoJFA24052013 a opção
JFA24052013 a opção
pr_afsalbergaria
 
Capitalismo e a crise na europa
Capitalismo e a crise na europaCapitalismo e a crise na europa
Capitalismo e a crise na europa
vitor moraes ribeiro
 

Semelhante a Crise na grécia (20)

A exceção portuguesa, Prof. Doutor Rui Teixeira Santos (2012)
A exceção portuguesa, Prof. Doutor Rui Teixeira Santos (2012)A exceção portuguesa, Prof. Doutor Rui Teixeira Santos (2012)
A exceção portuguesa, Prof. Doutor Rui Teixeira Santos (2012)
 
Crise na grécia
Crise na gréciaCrise na grécia
Crise na grécia
 
Perdão da dívida não é solução
Perdão da dívida  não é solução Perdão da dívida  não é solução
Perdão da dívida não é solução
 
Perdão da dívida não é solução
Perdão da dívida  não é solução Perdão da dívida  não é solução
Perdão da dívida não é solução
 
Como surgiu a crise econômica mundial
Como surgiu a crise econômica mundialComo surgiu a crise econômica mundial
Como surgiu a crise econômica mundial
 
As organizações formais mundiais (fmi) gabriel lourenço e ana simões
As organizações formais mundiais (fmi)   gabriel lourenço e ana simõesAs organizações formais mundiais (fmi)   gabriel lourenço e ana simões
As organizações formais mundiais (fmi) gabriel lourenço e ana simões
 
184 portugal grecia2
184 portugal grecia2184 portugal grecia2
184 portugal grecia2
 
Dívida soberana na EU (resumo)
Dívida soberana na EU (resumo)Dívida soberana na EU (resumo)
Dívida soberana na EU (resumo)
 
Capitalistas e estado, a mesma luta
Capitalistas e estado, a mesma lutaCapitalistas e estado, a mesma luta
Capitalistas e estado, a mesma luta
 
A crise econômica na uniao europeia
A crise econômica na uniao europeiaA crise econômica na uniao europeia
A crise econômica na uniao europeia
 
Dívida & deficit – estratégia de empobrecimento
Dívida & deficit – estratégia de empobrecimentoDívida & deficit – estratégia de empobrecimento
Dívida & deficit – estratégia de empobrecimento
 
FMI
FMIFMI
FMI
 
Crise em potugal
Crise em potugalCrise em potugal
Crise em potugal
 
Crise em potugal
Crise em potugalCrise em potugal
Crise em potugal
 
Crise em potugal
Crise em potugalCrise em potugal
Crise em potugal
 
Europa - os devedores de uma dívida não pagável
Europa - os devedores de uma dívida não pagávelEuropa - os devedores de uma dívida não pagável
Europa - os devedores de uma dívida não pagável
 
O exemplo da grécia rebelada contra o capital financeiro
O exemplo da grécia rebelada contra o capital financeiroO exemplo da grécia rebelada contra o capital financeiro
O exemplo da grécia rebelada contra o capital financeiro
 
O sistema financeiro, o primeiro ditador global 2
O sistema financeiro, o primeiro ditador global   2O sistema financeiro, o primeiro ditador global   2
O sistema financeiro, o primeiro ditador global 2
 
JFA24052013 a opção
JFA24052013 a opçãoJFA24052013 a opção
JFA24052013 a opção
 
Capitalismo e a crise na europa
Capitalismo e a crise na europaCapitalismo e a crise na europa
Capitalismo e a crise na europa
 

Mais de Simone Morais

A Indústria no Brasil
A Indústria no BrasilA Indústria no Brasil
A Indústria no Brasil
Simone Morais
 
Região sul
Região sulRegião sul
Região sul
Simone Morais
 
Nordeste
NordesteNordeste
Nordeste
Simone Morais
 
Estudante
EstudanteEstudante
Estudante
Simone Morais
 
China
ChinaChina
Dengue
DengueDengue
Dengue
DengueDengue
Dengue
DengueDengue
Trabalho De Biologia Para Postar No Blog Dos Alunos Do 3º D
Trabalho De Biologia Para Postar No Blog Dos Alunos Do 3º DTrabalho De Biologia Para Postar No Blog Dos Alunos Do 3º D
Trabalho De Biologia Para Postar No Blog Dos Alunos Do 3º D
Simone Morais
 
Radioterapia
RadioterapiaRadioterapia
Radioterapia
Simone Morais
 
QUIZ DE HANDEBOL
QUIZ DE HANDEBOLQUIZ DE HANDEBOL
QUIZ DE HANDEBOL
Simone Morais
 
Santos Dumont
Santos DumontSantos Dumont
Santos Dumont
Simone Morais
 
Classe Dos AnfíBios
Classe Dos AnfíBiosClasse Dos AnfíBios
Classe Dos AnfíBios
Simone Morais
 
Trabalho De Historia
Trabalho De HistoriaTrabalho De Historia
Trabalho De Historia
Simone Morais
 
Trabalho Geografia Elber
Trabalho Geografia   ElberTrabalho Geografia   Elber
Trabalho Geografia Elber
Simone Morais
 
ConciêNcia Negra 2º máedio A
ConciêNcia Negra 2º máedio AConciêNcia Negra 2º máedio A
ConciêNcia Negra 2º máedio A
Simone Morais
 
Projeto: Minha Casa
Projeto: Minha CasaProjeto: Minha Casa
Projeto: Minha Casa
Simone Morais
 
Autoretrato_Simone_CostaRica
Autoretrato_Simone_CostaRicaAutoretrato_Simone_CostaRica
Autoretrato_Simone_CostaRica
Simone Morais
 

Mais de Simone Morais (18)

A Indústria no Brasil
A Indústria no BrasilA Indústria no Brasil
A Indústria no Brasil
 
Região sul
Região sulRegião sul
Região sul
 
Nordeste
NordesteNordeste
Nordeste
 
Estudante
EstudanteEstudante
Estudante
 
China
ChinaChina
China
 
Dengue
DengueDengue
Dengue
 
Dengue
DengueDengue
Dengue
 
Dengue
DengueDengue
Dengue
 
Trabalho De Biologia Para Postar No Blog Dos Alunos Do 3º D
Trabalho De Biologia Para Postar No Blog Dos Alunos Do 3º DTrabalho De Biologia Para Postar No Blog Dos Alunos Do 3º D
Trabalho De Biologia Para Postar No Blog Dos Alunos Do 3º D
 
Radioterapia
RadioterapiaRadioterapia
Radioterapia
 
QUIZ DE HANDEBOL
QUIZ DE HANDEBOLQUIZ DE HANDEBOL
QUIZ DE HANDEBOL
 
Santos Dumont
Santos DumontSantos Dumont
Santos Dumont
 
Classe Dos AnfíBios
Classe Dos AnfíBiosClasse Dos AnfíBios
Classe Dos AnfíBios
 
Trabalho De Historia
Trabalho De HistoriaTrabalho De Historia
Trabalho De Historia
 
Trabalho Geografia Elber
Trabalho Geografia   ElberTrabalho Geografia   Elber
Trabalho Geografia Elber
 
ConciêNcia Negra 2º máedio A
ConciêNcia Negra 2º máedio AConciêNcia Negra 2º máedio A
ConciêNcia Negra 2º máedio A
 
Projeto: Minha Casa
Projeto: Minha CasaProjeto: Minha Casa
Projeto: Minha Casa
 
Autoretrato_Simone_CostaRica
Autoretrato_Simone_CostaRicaAutoretrato_Simone_CostaRica
Autoretrato_Simone_CostaRica
 

Último

Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
ArapiracaNoticiasFat
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
Manuais Formação
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Falcão Brasil
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
Manuais Formação
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
Marcelo Botura
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
SheylaAlves6
 
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdfPlano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Falcão Brasil
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Falcão Brasil
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
Falcão Brasil
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIALA GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
A GEOPOLÍTICA ATUAL E A INTEGRAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdfUFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
UFCD_5673_Segurança nos transportes_índice.pdf
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdfPortfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
Portfólio Estratégico da Marinha do Brasil (MB).pdf
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
28 - Agente de Endemias (40 mapas mentais) - Amostra.pdf
 
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdfPlano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
Plano Diretor da Tecnologia da Informação PDTIC 2020 a 2023.pdf
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsxOceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Oceano, Fonte de Vida e Beleza Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdfOrganograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
Organograma do Ministério da Defesa (MD).pdf
 
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdfA Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
A Industria Brasileira de Defesa - Situação Atual e Perspectivas de Evolução.pdf
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
Desafio matemático -  multiplicação e divisão.Desafio matemático -  multiplicação e divisão.
Desafio matemático - multiplicação e divisão.
 

Crise na grécia

  • 2. Entenda melhor a crise na GréciaA crise financeira da Grécia, país de apenas 11 milhões de habitantes, pode ter profundas implicações para a economia mundial e a União Europeia.Há temores de que um agravamento da crise leve a um eventual calote da dívida grega e que países como Portugal, Itália, Espanha e Irlanda acabem entrando pelo mesmo caminho.Investidores observam com preocupação os cenários previstos por especialistas, como o de vários países sendo forçados a cortar drasticamente os seus gastos públicos e elevando taxas de juros para poder pagar suas dívidas, ou o de países deixando a chamada zona do euro e provocando uma dissolução da União Europeia.Outro temor é com as perdas dos bancos que emprestaram dinheiro a esses países, perdas que podem levar a uma nova crise de crédito.Esses temores se intensificaram no dia 23 de abril, quando a Grécia pediu formalmente ajuda financeira à União Europeia e ao Fundo Monetário Internacional para tirar o país de sua crise de débito.O país está pedindo até 45 bilhões de euros em empréstimos de emergência aos países da zona do euro e ao FMI neste ano, mas existe a preocupação de o acordo não ser fechado e se vai ser necessária mais ajuda.
  • 3. Para honras seus compromissos, a Grécia deve receber, ao longo de três anos, um pacote de cerca de 110 bilhões de euros (aproximadamente US$ 143 bilhões), que inclui a participação de países da zona do euro e do FMI.Entretanto, para conseguir esse empréstimo, o governo grego precisará cortar gastos e aumentar impostos - medidas previstas em um pacote de austeridade aprovado pelo parlamento do país.
  • 4. Por que a Grécia está nessa situação?A Grécia gastou bem mais do que podia na última década, pedindo empréstimos pesados e deixando sua economia refém da crescente dívida.Nesse período, os gastos públicos foram às alturas e os salários do funcionalismo praticamente dobraram. Enquanto os cofres públicos eram esvaziados pelo gastos a receita era atingida pela alta evasão de impostos, prática generalizada no país.A Grécia estava completamente despreparada quando chegou a crise global de crédito.O deficit no orçamento, ou seja, a diferença entre o que o país gasta e o que arrecada, foi, em 2009, de 13,6% do PIB, um dos índices mais altos da Europa e quatro vezes acima do tamanho permitido pelas regras da chamada zona do euro.Sua dívida está em torno de 300 bilhões de euros (o equivalente a US$ 400 bilhões ou R$ 700 bilhões). e parte desse montante - cerca de US$ 12,5 bi - vence no dia 19 de maio.
  • 5. Por que a situação causa tanta preocupação fora da Grécia?Todo mundo na zona do euro - e qualquer um que negocie com a zona do euro - é afetado por causa do impacto da crise grega sobre a moeda comum europeia.Teme-se que os problemas da Grécia nos mercados financeiros internacionais provoquem um efeito dominó, derrubando outros membros da zona do euro cujas economias estão enfraquecidas, como Portugal, Irlanda, Itália e Espanha. Todos eles enfrentam desafios para reequilibrar suas contas.Em março passado, a agência de classificação de risco Fitch rebaixou a classificação de Portugal de AA para AA-.Questões sobre o alto nível das dívidas na Europa foram levantadas em vários países.
  • 6. Ajuda;Depois de a crise ameaçar atingir outros países da Europa, o Fundo Monetário Internacional (FMI) e da União Europeiao ofereceram à Grécia um pacote de ajuda 110 bilhões de euros (cerca de US$ 146 bilhões).O governo se comprometeu a adotar medidas em contrapartida à ajuda. Entre as ações estão o congelamento de salários dos servidores públicos até 2013, o aumento de impostos, o corte no planos de aposentadoria, o fim de vários benefícios e a flexibilização das leis trabalhistas.
  • 7. O que a Grécia está fazendo quanto a isso?A Grécia apresentou planos para cortar seu deficit para 8,7% em 2010, e para menos de 3% até 2012.Para alcançar isso, o Parlamento grego aprovou um pacote de medidas de austeridade para economizar 4,8 bilhões de euros.O governo quer congelar os salários do setor público e aumentar os impostos, e ainda anunciou o aumento do preço da gasolina.O governo ainda pretende aumentar a idade para a aposentadoria em uma tentativa de economizar dinheiro no sistema de pensões, já sobrecarregado.
  • 8. Como essas medidas foram recebidas na Grécia?De maneira nem um pouco positiva. Houve uma série de protestos no país, alguns violentos. Várias greves atingiram escolas e hospitais e praticamente paralisaram o transporte público.Muitos servidores públicos acreditam que a crise foi criada por forças externas, como especuladores internacionais e banqueiros da Europa central.Os dois maiores sindicatos do país classificaram as medidas de austeridade como "anti-populares" e "bárbaras".
  • 10. O que acontece agora?A União Europeia afirmou que a primeira parcela do pacote de empréstimo será paga antes do dia 19 de maio - data que vence parte da dívida grega. No total, cerca de 30 bilhões de euros (R$ 70 bi).Em teoria, os fundos do pacote de ajuda da UE e do FMI e o pagamento de parte da dívida deveria proporcionar uma queda nos custos de empréstimo do governo e o euro deveria voltar a se fortalecer, depois de ter sofrido queda nas últimas semanas por causa do medo de a Grécia não conseguir pagar suas dívidas.
  • 11. A Grécia poderia simplesmente abandonar o euro?Operadores de câmbio já demonstraram medo de que alguns países com grandes déficits no orçamento - como a Grécia, Espanha e Portugal - possam se sentir tentados a abandonar o euro.Ao deixar a moeda comum, o país poderia permitir a desvalorização de sua moeda e, assim, melhorar sua competitividade.Mas isso também causaria grandes rupturas nos mercados financeiros, provocando o medo entre os investidores de que outros países adotassem a mesma estratégia, potencialmente levando ao fim da união monetária.Mas a União Europeia já demonstrou que quer manter a zona do euro unida e descartou a ideia de que países iriam abandonar a moeda.
  • 12. Como a situação da Grécia se compara a de outros países?A Grécia não é o único país da zona do euro a violar a regra que afirma que o deficit orçamentário não deve ultrapassar 3% do PIB do país.Na Grã-Bretanha, que não está na zona do euro, esse deficit chega a 13% do PIB. Na Espanha ele chega a 11,2%, na Irlanda a 14,3% e na Itália a 5,3%.
  • 13. Crise na Grécia faz bolsa de NY ter maiores perdas desde 2009O índice Dow Jones chegou a operar em queda de mais de 9% ao longo do dia e fechou o pregão em queda de 3,2%. A Nasdaq também encerrou o dia no negativo, com perda de 3,44%.A mesma tendência foi seguida mais cedo nas bolsas europeias. Em Londres, o índice FTSE 100 fechou o dia em baixa de 1,52%, enquanto na França o CAC 40 registrou perdas de 2,20%. Na Alemanha, a baixa foi menos acentuada e o DAX encerrou em -0,84%.No Brasil, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) acumulou perdas de mais 6% durante o dia, mas se recuperou ao fim do pregão e encerrou esta quinta-feira em baixa de 2,31%.
  • 14. Segundo o editor de negócios da BBC Robert Preston, o pânico no mercado foi precipitado por um “medo dos efeitos da crise na Grécia e em outros países europeus no sistema financeiro global”.Analistas afirmam que as quedas refletem as incertezas do mercado sobre a capacidade da Grécia de pagar suas dívidas e também de que a crise grega possa se espalhar para outros países europeus, como Portugal e Espanha – que também tiveram a classificação de suas dívidas rebaixadas.Os líderes europeus esperavam que o anúncio do pacote de 110 bilhões de euros prometido pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) e pelos países da zona do euro pudesse restaurar a confiança dos investidores.
  • 15. 2010;O objetivo para este ano é reduzir o défice público em 40 %.O Banco da Grécia anunciou que o défice orçamental do estado foi de 11.450 milhões de euros no primeiro trimestre deste ano, tendo o ministro das Finanças concluído que, com esta redução, o défice orçamental representava no primeiro semestre 4,9 por cento do PIB.
  • 16. Alunos: Carla Taís Fabiana Júlia G. Larissa L. Matheus ThaísThallis Wesley