SlideShare uma empresa Scribd logo
1938
Ciência Rural, Santa Maria, v.38, n.7, p.1938-1942, out, 2008
                                                            Costa et al.
ISSN 0103-8478




    Mastite por leveduras em bovinos leiteiros do Sul do Estado de Minas Gerais, Brasil




          Mastitis caused by yeasts in dairy herds in the South of the Minas Gerais State, Brazil




                        Geraldo Márcio da CostaI* Nivaldo da SilvaII Carlos Augusto RosaIII
                         Henrique César Pereira de FigueiredoI Ulisses de Pádua PereiraI



RESUMO                                                                        INTRODUÇÃO
             O objetivo deste trabalho foi estudar a freqüência
de infecções intramamárias ocasionadas por leveduras a partir                            A mastite bovina, sob o ponto de vista
de amostras de leite (n=1710) coletadas em 40 rebanhos                        econômico, é a doença mais relevante de bovinos
leiteiros do Estado de Minas Gerais. Cinqüenta e seis estirpes                leiteiros em todos os continentes, afetando
de leveduras do gênero Candida e uma linhagem de
Trichosporon loubieri foram isoladas. Candida albicans foi a
                                                                              drasticamente a produção e a qualidade do leite e
espécie dominante (28,1% das cepas), seguida por Candida                      derivados (PYÕRÃLÃ, 2002). Diversos
parapsilosis (19,3%), Candida catenulata (14,0%), Candida                     microrganismos, representados principalmente por
glabrata (14,0%) e Candida tropicalis (8,8%). Infecções mistas                bactérias, vírus, algas e fungos, estão envolvidos na
foram detectadas em 29,8% das vacas levedura-positivas.
Amostras positivas para leveduras foram predominantemente                     mastite, tornando sua etiologia e epidemiologia
obtidas (84%) de vacas com mastite subclínica. A baixa taxa                   complexas.
de isolamento de leveduras sugere que estes microrganismos                               Entre os agentes considerados ambientais,
não são relevantes para mastite bovina na região estudada.
                                                                              leveduras têm sido relacionadas como patógenos
Palavras-chave: mastite bovina, mastite leveduras, Candida                    emergentes em função das mudanças verificadas nos
                sp, Brasil.                                                   sistemas de produção de leite e nos programas de
                                                                              controle da mastite bovina, na última década. Diversas
ABSTRACT
                                                                              espécies dos gêneros Cryptococcus, Rhodotorula,
             The objective of this study was to report the                    Trichosporon e Candida têm sido isoladas de leite
frequency of intramammary infections by yeasts, in Minas                      obtido de animais acometidos pela mastite, sendo as
Gerais State, from milk samples (n = 1710) collected in 40                    espécies do último geralmente as mais freqüentes
dairy herds. Fifty six yeast strains of the genus Candida and
one strain of Trichosporon loubieri were isolated. Candida                    (KRUKOWSKI et al., 2000; SANTOS & MARIN, 2005).
albicans was the dominant species (28.1% of the strains),                                Os dados disponíveis na literatura sobre a
followed by Candida parapsilosis (19.3%), Candida catenulata                  freqüência de infecções intramamárias (IIM)
(14.0%), Candida glabrata (14.0%), Candida tropicalis
(8.8%). Mixed infections were detected in 29.8% of yeast-positive
                                                                              provocadas por leveduras apresentam grandes
cows. The yeast infection was more frequent (84%) in cows                     variações, encontrando-se índices variáveis entre 0,1%
with subclinical mastitis. The low rate of isolation of yeasts                e 17,3%, sendo também muito variáveis as taxas de
suggests that these microorganisms are not relevant to bovine
                                                                              infecções mistas envolvendo estes agentes, em alguns
mastitis in the studied region.
                                                                              casos com valores superiores a 50% (FARNSWORTH
Key words: bovine mastitis, yeast mastitis, Candida sp, Brazil.               & SORENSEN, 1972; COSTA et al., 1993; AALBAEK et
    I
      Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal de Lavras (UFLA), Lavras, MG, Brasil. E-mail: gmcosta@ufla.br.
      *Autor para correspondência.
    II
       Escola de Veterinária, Universidade Federal de Minas Gerais (EV/UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil.
    III
       Instituto de Ciências Biológicas (ICB), UFMG, Belo Horizonte, MG, Brasil.

                                            Recebido para publicação 05.09.07 Aprovado em 12.03.08   Ciência Rural, v.38, n.7, out, 2008.
Mastite por leveduras em bovinos leiteiros do Sul do Estado de Minas Gerais, Brasil.                 1939

al., 1994; MORETTI et al., 1998; WILSON et al., 1997;              descartados e foram coletados cerca de 10mL de leite
SANTOS & MARIN, 2005).                                             em tubos de ensaio esterilizados. Os espécimes foram
            Leveduras são microrganismos isolados                  acondicionados em caixa de isopor com gelo e
facilmente a partir de equipamentos de ordenha, epitélio           prontamente remetidos ao laboratório.
de tetos dos animais e do ambiente da sala de ordenha                          Além da coleta de amostras de leite para a
(KELLER et al., 2000; SANTOS & MARIN, 2005). Altas                 análise microbiológica, foram avaliadas as medidas
taxas de isolamento destes microrganismos e elevados               gerais de prevenção e controle da mastite, incluindo
percentuais de amostras com crescimento misto                      higiene ambiental, higiene da ordenha, forma de
sugerem falhas no momento de coleta de amostras                    tratamento dos casos clínicos e medicamentos
destinadas a análises microbiológicas. Outro fato que              utilizados. Os dados obtidos foram registrados em
pode justificar a presença do microrganismo no interior            fichas individuais para cada rebanho e posteriormente
da glândula mamária são as falhas por ocasião da                   correlacionados com os resultados microbiológicos.
medicação de animais clinicamente acometidos, o que,                           As amostras de leite foram incubadas a 37°C
ocasionalmente, tem sido relacionado como fator                    por 8-12 horas. Depois foi realizada semeadura das
determinante de surtos de grandes proporções                       mesmas em Sabouraud Dextrose Agar (Oxoid, USA),
(MORETTI et al., 1998; CRAWSHAW et al., 2005).                     contendo 0,4g/L de cloranfenicol (Sigma, USA).
            O presente trabalho teve por objetivos                 Paralelamente, as amostras foram semeadas em ágar
estudar o envolvimento de leveduras na etiologia da                Sangue (Blood Agar Base-Oxoid, USA), contendo 10%
mastite em rebanhos leiteiros da região Sul do Estado              de sangue de carneiro para o isolamento de bactérias.
de Minas Gerais, identificando os gêneros e as espécies            Ambos os meios foram incubados a 37°C por 24-96
predominantes, a participação destes agentes nas                   horas, verificando-se a presença de crescimento
formas clínica e subclínica da doença e a ocorrência de            microbiano diariamente.
infecções mistas.                                                              As leveduras foram caracterizadas
                                                                   fenotipicamente segundo YARROW (1998), sendo a
MATERIAL E MÉTODOS                                                 identificação realizada de acordo com chaves descritas
                                                                   por KURTZMAN & FELL (1998). Microrganismos das
           Foram selecionados para o estudo 40                     famílias Staphylococcaceae e Streptococcaceae foram
rebanhos leiteiros localizados na região Sul de Minas              identificados de acordo com HOLT et al. (1994) e
Gerais, pertencentes aos municípios de Boa Esperança,              QUINN et al. (1994). Bactérias gram-negativas oxidase
Bom Sucesso, Carrancas, Cordislândia, Cruzília, Ijací,             negativas foram identificadas utilizando-se os kits
Ingaí, Itumirim, Itutinga, Jesuânia, Lavras, Nazareno,             BACTRAY® I e II (Laborclin, Brasil), enquanto as
Nepomuceno, Oliveira, Perdões, Ribeirão Vermelho,                  oxidase-positivas foram identificadas utilizando-se o
Santa Rita do Sapucaí, Santana da Vargem, Santo                    kit API 20NE (Biomerieux, França). Os demais agentes
Antônio do Amparo e Três Corações. Foi estabelecido                bacterianos foram identificados de acordo com QUINN
que os rebanhos utilizados no estudo deveriam                      et al. (1994). Amostras que apresentaram crescimento
empregar a ordenha mecânica e ter, pelo menos, 30                  de três ou mais microrganismos diferentes nos meios
animais em lactação. Foi amostrado um número mínimo                utilizados para o cultivo foram descartadas, pois tal
de 15 animais de cada uma das propriedades.                        fato é indicativo de contaminação, segundo BRITO et
           Nos estabelecimentos selecionados para o                al. (1999).
estudo, 2.560 vacas lactantes foram submetidas ao                              As freqüências de agentes isolados a partir
teste Tamis (prova da caneca de fundo escuro) e ao                 de amostras obtidas de animais acometidos pela forma
California Mastitis Test (CMT) visando o diagnóstico               clínica ou subclínica da mastite e os índices de infecção
da mastite clínica e subclínica, segundo VEIGA (1998).             mista envolvendo leveduras foram analisadas por meio
Foram coletadas assepticamente 1.710 amostras de leite             do Teste do Qui-quadrado, empregando-se o Programa
de 1.291 animais acometidos pela mastite, sendo 263                Epi-Info (CDC–WHO, version 6.04b,1997).
oriundas de casos clínicos e as demais de casos
subclínicos.                                                       RESULTADOS E DISCUSSÃO
           As amostras foram coletadas imediatamente
antes da ordenha. Os tetos amostrados foram                                   Entre as 1.710 amostras analisadas, 125 não
previamente lavados com água corrente e submetidos                 apresentaram crescimento de microrganismos e 15 foram
à assepsia, empregando-se solução de iodo a 0,5%,                  descartadas devido a indícios de contaminação
por 30 segundos. Estes foram enxugados com papel                   (crescimento de mais que dois agentes diferentes).
toalha, sendo que os três primeiros jatos foram                    Leveduras apresentaram pouca expressão na etiologia

                                                                                      Ciência Rural, v.38, n.7, out, 2008.
1940                                                           Costa et al.


da mastite, tendo sido isoladas de 57 amostras                          determinando quadros patológicos graves em
distribuídas entre 17 (42,5%) entre os 40 rebanhos,                     pacientes imunossuprimidos (MARTY et al., 2003).
sendo verificadas taxas de isolamento que variaram de                              A freqüência média de isolamento de
zero a 25,5%, com uma freqüência média de 3,4% (Tabela 1).              leveduras obtida no presente estudo (3,4%) foi próxima
            A tabela 2 relaciona as espécies e a                        daquelas relatadas por FARNSWORTH & SORENSEN
freqüência de leveduras isoladas. A maioria das                         (1972) e KRUKOWSKI et al. (2006), com valores e 3,2 e
leveduras isoladas (56), representando 98,2% das                        4,3%, respectivamente. Contudo, a literatura registra
amostras, pertenceu ao gênero Candida. C. albicans,                     grande variação nos índices de infecções intramamárias
foi a espécie predominante, seguida por C.                              (IIM) ocasionados por leveduras, sendo citados valores
parapsilosis, C. catenulata e C. glabrata, e C.                         que oscilam entre 0,1% e 17,3% (WILSON et al., 1997;
tropicalis. As demais espécies pertencentes ao gênero                   SANTOS & MARIN, 2005).
Candida representaram 15,8% dos isolamentos. Os                                    Quanto à predominância de Candida entre
                                                                        as leveduras isoladas e à grande diversidade de
testes utilizados não permitiram a identificação da
                                                                        espécies identificadas, os resultados estão de acordo
espécie de duas amostras de Candida spp.
                                                                        com os obtidos por SANTOS & MARIN (2005) e
            Uma única amostra foi identificada como
                                                                        KRUKOWSKI et al. (2006), demonstrando não haver o
Trichosporon loubieri, perfazendo 1,8% dos
                                                                        envolvimento seletivo de nenhuma espécie do gênero
isolamentos, o que evidenciou a pouca relevância de
                                                                        nas IIM de bovinos.
microrganismos deste gênero na etiologia da mastite                                Os resultados se mostraram discrepantes
nos rebanhos estudados. Contudo, Trichosporon spp                       daqueles obtidos por COSTA et al. (1993), que
têm sido associado a IIM de bovinos, em alguns casos,                   verificaram elevado índice de envolvimento de fungos
predominando em relação às demais leveduras                             (25,4%) em IIM de bovinos procedentes de rebanhos
(MORETTI et al., 1998) e, em outros, determinando                       do Estado de São Paulo, sendo Cryptococcus o gênero
surtos de mastite clinica em bovinos leiteiros                          predominante. Também foram discrepantes em relação
(GONZALEZ et al., 2001). Além do envolvimento na                        aos resultados obtidos por SANTOS & MARIN (2005),
etiologia da mastite, a Trichosporon spp tem sido                       que, em outro trabalho realizado neste mesmo Estado,
relacionado como um patógeno emergente,                                 verificaram uma taxa elevada de isolamentos de
                                                                        leveduras (10,0%), embora Candida spp tenha sido o
Tabela 1 - Freqüências de infecções intramamárias ocasionadas           gênero predominante, representando 68,1% das
           por leveduras em rebanhos leiteiros do Sul de Minas          amostras isoladas.
           Gerais, Brasil, no período de 2004 a 2006
                                                                                   As diferenças observadas nas taxas de
                                                                        isolamento de leveduras e na participação dos
    Identificação   Amostras      Amostras      Amostras
    Rebanho1        Analisadas    Positivas    Positivas (%)
                                                                        diferentes agentes em relação à literatura podem estar
                                                                        relacionadas com a amostragem realizada, com o
    1                  65             2            3,1
                                                                        número de rebanhos trabalhados e com as diferentes
    2                  45             1            2,2
                                                                        condições da mastite neles vigentes e as estratégias
    4                  43             1            2,3
    6                  19             1            5,6
                                                                        empregadas para o controle da mesma, e com a forma
    8                  23             2            8,7                  de coleta das amostras para análise.
    9                  35             4            12,1                            Verificou-se a ocorrência de associações de
    10                 34             1            2,9                  leveduras com outros patógenos em 29,8% dos casos,
    11                 82             4            4,9                  sendo as associações com Corynebacterium bovis,
    15                 52             2            3,8                  Staphylococcus spp coagulase positivos (SCP),
    16                 61             2            3,3                  Staphylococcus spp coagulase negativos e
    17                 37             1            2,7                  Streptococcus agalactiae as mais freqüentes. Para os
    18                 24             1            4,2                  demais agentes isolados, a freqüência de infecções
    20                 106           27            25,5                 mistas (10,7%) foi bastante inferior à frequência
    22                 39             1            3,6                  observada para leveduras, sendo as diferenças
    23                 51             1            2,0
                                                                        observadas estatisticamente representativas (Qui-
    28                 45             4            8,9
                                                                        quadrado = 20,28 e P< 0,01). Elevados percentuais de
    35                 35             2            5,7
                                                                        infecções mistas envolvendo leveduras e bactérias
    Média2             -              -            3,4
                                                                        foram também relatados por COSTA et al. (1993),
1
-Somente rebanhos positivos.                                            MORETTI et al. (1998) e SANTOS & MARIN (2005),
2
-Média geral dos 40 rebanhos estudados.                                 com valores de 72,2%, 52,7% e 68,0%, respectivamente.

                                                                                        Ciência Rural, v.38, n.7, out, 2008.
Mastite por leveduras em bovinos leiteiros do Sul do Estado de Minas Gerais, Brasil.                 1941

Tabela 2 - Freqüência de leveduras isoladas a partir de 1.710                     Falhas na anti-sepsia e no tratamento
           amostras de leite procedentes de 40 rebanhos leiteiros
           do Sul de Minas Gerais, Brasil, no período de 2004 a
                                                                      intramamário repetitivo foram fatores desencadeantes
           2006                                                       de um surto de mastite em um dos rebanhos estudados
                                                                      (rebanho 20), no qual Candida spp foi isolada de 25,5%
                               Freqüência                             das amostras de leite analisadas. Diferentemente de
  Espécie                                       Freqüência %
                                absoluta                              diversos surtos de mastite de etiologia micótica
  Candida albicans                 16               28,1              relatados na literatura (ELAD et al., 1995;
  Candida parapsilosis             11               19,3              CRAWSHAW et al., 2005), neste não se observou o
  Candida catenulata               8                14,0              predomínio de nenhuma espécie em particular, tendo
  Candida glabrata                 8                14,0              sido isoladas C. albicans (33,3%), C. catenulata
  Candida tropicalis               5                8,8               (22,2%), C. glabrata (18,5%), C. parapsilosis (11,1%),
  Candida rugosa                   2                3,5               C. krusei (7,4%), C. tropicalis (3,7%) e Candida sp
  Candida krusei                   4                7,0               (3,7%). Neste rebanho, a maioria dos animais a partir
  Candida spp                      2                3,5
                                                                      dos quais as culturas positivas foram obtidas
  Trichosporon loubieri            1                1,8
                                                                      compunha um lote que tinha histórico de mastite clínica
  Total                            57               100,0
                                                                      e tratamento intramamário repetitivo recente.
                                                                                  Quanto à participação nos casos clínicos e
           Os resultados obtidos demonstraram que                     subclínicos de mastite, verificou-se o envolvimento de
infecções mistas são comuns quando do envolvimento                    leveduras predominantemente na forma subclínica da
de leveduras nas IIM de bovinos. Segundo KELLER et                    doença, com 84,2% dos isolados obtidos de animais
al.(2000) e SANTOS & MARIN (2005), leveduras são                      subclinicamente acometidos, valor muito próximo ao
agentes comumente encontrados em locais úmidos e                      obtido para os demais patógenos isolados (85,5%), com
ricos em matéria orgânica, sendo inclusive isolados do                Qui-quadrado X2= 0,07 e P=0,794. Não se verificou a
exterior de tetos de animais sadios e de equipamentos                 participação de nenhuma espécie em particular nos
de ordenha. Desse modo, altas taxas de isolamento                     casos subclínicos. Os resultados foram semelhantes
destes agentes em cultura mista poderiam ser                          aos descritos por FARNSWORTH & SORENSEN
indicativas de contaminação das amostras no momento                   (1972), que relataram que leveduras do gênero Candida
da colheita. Contudo, os índices de infecções mistas                  podem ser isoladas repetidas vezes de quartos com
verificados foram bastante confiáveis, uma vez que                    baixa CCS, existindo a tendência de as infecções serem
foram criteriosamente observados os princípios de                     subclínicas.
assepsia e de anti-sepsia por ocasião da coleta de                                Apenas nove (15,8%) entre os 57 isolados
amostras, o que pode ser constatado pelo pequeno                      de leveduras foram obtidos de animais clinicamente
número de amostras descartadas (0,9%) por                             acometidos. Não se observou o predomínio de
apresentarem contaminação.                                            nenhuma espécie em particular nestes casos, com
           Constatou-se neste estudo que animais                      exceção da espécie C. tropicalis, para a qual três dos
submetidos à terapia intramamária excessiva e repetitiva              cinco isolados foram associados a casos clínicos.
para mastite eram aqueles que normalmente apresentam                  Contudo, o número de isolados desta espécie foi muito
complicações clínicas caracterizadas pelo                             reduzido, inviabilizando análises fidedignas.
                                                                                  Um aspecto relevante nas mastites
envolvimento de leveduras, fato este já relatado por
                                                                      ocasionadas por leveduras é que existem poucos
COSTA et al. (1998) e MORETTI et al. (1998). Na maioria
                                                                      fármacos disponíveis no mercado para o tratamento
das propriedades estudadas, o tratamento de casos
                                                                      destes tipos de infecção, questão agravada pelo
clínicos de mastite era feito geralmente de forma
                                                                      fenômeno multiresistência (COUTINHO et al., 2007).
empírica, empregando-se vias e posologias
                                                                      Tal fato determina que a maioria destas infecções tenda
inadequadas, sem o conhecimento dos agentes                           à cronicidade, verificando-se a eliminação contínua do
envolvidos e de seus perfis de sensibilidade, além de                 agente por longos períodos (ELAD et al., 1995), o que,
se delegar tal tarefa a indivíduos pouco qualificados                 muitas vezes, implica na esterilização dos quartos
que desconheciam os princípios básicos de assepsia e                  infectados ou no descarte dos animais acometidos.
de anti-sepsia, necessários por ocasião da utilização
de medicação intramamária. Tais fatos podem estar                     CONCLUSÕES
associados à introdução acidental de microrganismos
na glândula mamária, justificando o elevado índice                               Leveduras apresentaram pouca expressão
observado de infecções mistas (29,8%).                                na etiologia da mastite nos rebanhos estudados, com

                                                                                         Ciência Rural, v.38, n.7, out, 2008.
1942                                                           Costa et al.


envolvimento predominantemente nos casos                                Veterinary Medical Association, v.218, n.2, p.238-42, 2001.
subclínicos. Candida foi o gênero predominante,                         HOLT, J.G. et al. Bergeys´s manual of determinative
                                                                        bacteriology. 9.ed. Baltimore, USA: Williams & Wilkins,
verificando-se grande variação quanto às espécies
                                                                        1994. 787p.
envolvidas e quanto às taxas de infecções entre os
diferentes rebanhos. Infecções mistas são comuns em                     KELLER, B. et al. Differentiation of yeasts in mastitis milk.
mastites ocasionadas por leveduras.                                     Mycoses, v.43, suppl.1, p.17-19, 2000.

                                                                        KRUKOSWKI, H. et al. Survey of yeast mastitis in dairy herds
REFERÊNCIAS
                                                                        of small-type farms in the Lublin region, Poland.
AALBAEK, B. et al. Mycotic and algal bovine mastitis in                 Mycopathologia, v.150, p.5-7, 2000.
Denmark. APMIS, v.102, n.6, p.541-456, 1994.
                                                                        KRUKOSWKI, H. et al. Yeast and algae isolated from cows
BRITO, M.AV.P. et al. Padrão de infecção intramamária em                with mastitis in south eastern part of Poland. Poland Journal
rebanhos leiteiros: exame de todos os quartos mamários das              Veterinary Sciences, v.9, n.3, p.181-184, 2006.
vacas em lactação. Arquivo Brasileiro de Medicina
Veterinária e Zootecnia, v.51, n.2, p.129-135, 1999.                    KURTZMAN, C.P.; FELL, J.W. The yeasts, a taxonomic
                                                                        study. 4.ed. Amsterdam: Elsevier, 1998. 1055p.
COSTA, E.O. et al. Survey of bovine mycotic mastitis in dairy
herds in the State of São Paulo, Brazil. Mycopathologia,                MARTY, F.M. et al. Disseminated trichosporonosis caused by
v.124, n.1, p.13-17, 1993.                                              Trischosporon loubieri. Journal of Clinical Microbiology,
                                                                        v.41, n.11, p.5317-5320, 2003.
COSTA, E.O. et al. Infectious bovine mastitis caused by
environmental organisms. Journal of Veterinary Medicine,
                                                                        MORETTI, A. et al. Relationship between cell counts in bovine
Series B, v.45, p.65-71, 1998.
                                                                        milk and the presence of mastitis pathogens (yeasts and bacteria).
CRAWSHAW, W.M. et al. Outbreak of Candida rugosa mastitis               Journal of Veterinary Medicine, Series B, v.45, p.129-132,
in a dairy herd after intrammamary antibiotic treatment.                1998.
Veterinary Record, v.156, n.25, p.812-813, 2005.
                                                                        PYÕRÃLÃ, S.      New strategies to prevent mastitis.
COUTINHO, L.C.A. et al. Perfil de sensibilidade e resistência de        Reproduction in Domestic Animals, v.211, n.216, p.211-
isolados de Candida spp em vacas de leite procedentes do Estado         216, 2002.
do Pernambuco. In: ENCONTRO DE PESQUISADORES EM
MASTITES, 4., 2007, Botucatu/SP. Anais… Botucatu:                       QUINN, P.J. et al. Clinical veterinary microbiology.
Fundação de Medicina Veterinária e Zootecnia-Universidade               London: Wolfe, 1994. 648p.
Estadual de São Paulo, 2007. 118p. p.84.
                                                                        SANTOS, R.C.; MARIN, J.M. Isolation of Candida spp from
ELAD, D. et al. Feed contamination with Candida krusei as a
                                                                        mastitic bovine milk in Brazil. Mycopathologia, v.59, p.251-
probable source of mycotic mastitis in dairy cows. Journal
American Veterinary Medical Association, v.207, n.5,                    253, 2005.
p.620-622, 1995.
                                                                        WILSON, D.J. et al. Bovine mastitis pathogens in New York
EPI-INFO 6.04b–A word processing, database and                          and Pennsylvania: Prevalence and effects on somatic cell count
statistics program for public health. Center of Disease                 and milk production. Journal of Dairy Sciences, v.80,
Control & Prevention (CDC). Geneva, Switzerland: World                  p.2592-2598, 1997.
Health Organization, version 6.04b, 1997.
                                                                        YARROW, D. Methods for the isolation and identification of
FARNSWORTH, R.J.; SORENSEN, D.K. Prevalence and species                 yeasts. In: KURTZMAN, C.P.; FELL, J.W. The yeasts, a
distribuition of yeasts in mammary glands of dairy cows in              taxonomic study. Amsterdam: Elsevier, 1998. p.77-100.
Minnesota. Canadian Journal Comparative Medicine,
v.36, p.329-332, 1972.
                                                                        VEIGA, V.M.O. Diagnóstico da mastite bovina. Juiz de
GONZALEZ, R.N. et al. Outbreak of clinical mastitis caused              Fora: EMBRAPA-CNPGL-ADT, 1998. 24p. (Circular Técnica,
by Trichosporon beigelii in dairy herds. Journal American               51).




                                                                                            Ciência Rural, v.38, n.7, out, 2008.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

ResistêNcia Antimicrobiana De Coliformes
ResistêNcia Antimicrobiana De ColiformesResistêNcia Antimicrobiana De Coliformes
ResistêNcia Antimicrobiana De Coliformes
Biblioteca Virtual
 
Lignanas
LignanasLignanas
Capitulo 1 ok[1]
Capitulo 1 ok[1]Capitulo 1 ok[1]
Capitulo 1 ok[1]
BeefPoint
 
Mastite
MastiteMastite
Mastite
Fmodri3
 
Qual Seria A Fonte De Fungos Miceliais
Qual Seria A Fonte De Fungos MiceliaisQual Seria A Fonte De Fungos Miceliais
Qual Seria A Fonte De Fungos Miceliais
Biblioteca Virtual
 
Pós dipping milkpoint
Pós dipping milkpointPós dipping milkpoint
Pós dipping milkpoint
BeefPoint
 
Mastite vacas 3
Mastite vacas 3Mastite vacas 3
Mastite vacas 3
Fmodri3
 
10. ação antimicrobiana de plantas taníferas em bactérias anaerobias
10. ação antimicrobiana de plantas taníferas em bactérias anaerobias10. ação antimicrobiana de plantas taníferas em bactérias anaerobias
10. ação antimicrobiana de plantas taníferas em bactérias anaerobias
Thyele Rios
 
Documentos65+sanidade+nutricao+reproducao+falta+catalogar 000g4o78ppy02wx5ok0...
Documentos65+sanidade+nutricao+reproducao+falta+catalogar 000g4o78ppy02wx5ok0...Documentos65+sanidade+nutricao+reproducao+falta+catalogar 000g4o78ppy02wx5ok0...
Documentos65+sanidade+nutricao+reproducao+falta+catalogar 000g4o78ppy02wx5ok0...
Herbert Dos Anjos
 
Tratamento imunoterápico da pitiose eqüina
Tratamento imunoterápico da pitiose eqüinaTratamento imunoterápico da pitiose eqüina
Tratamento imunoterápico da pitiose eqüina
Amo meu cavalo
 
Apresentaçao XI encontro Med Vet UESC Tuberculose Bovina
Apresentaçao XI encontro Med Vet UESC Tuberculose BovinaApresentaçao XI encontro Med Vet UESC Tuberculose Bovina
Apresentaçao XI encontro Med Vet UESC Tuberculose Bovina
Fernando Alzamora
 
2009 brasil vigilancia saude zoonoses
2009 brasil vigilancia saude   zoonoses2009 brasil vigilancia saude   zoonoses
2009 brasil vigilancia saude zoonoses
Jhoy Alves Leite
 
Zoonoses bacterianas i
Zoonoses bacterianas iZoonoses bacterianas i
Zoonoses bacterianas i
Renata Fuverki
 
Caprinos x verminose
Caprinos x verminoseCaprinos x verminose
Caprinos x verminose
unipampagepa
 
AÇÃO MODULADORA DE EXTRATOS ETANÓLICOS DE PLANTAS MEDICINAIS SOBRE ANTIBIÓTIC...
AÇÃO MODULADORA DE EXTRATOS ETANÓLICOS DE PLANTAS MEDICINAIS SOBRE ANTIBIÓTIC...AÇÃO MODULADORA DE EXTRATOS ETANÓLICOS DE PLANTAS MEDICINAIS SOBRE ANTIBIÓTIC...
AÇÃO MODULADORA DE EXTRATOS ETANÓLICOS DE PLANTAS MEDICINAIS SOBRE ANTIBIÓTIC...
Profª. Zilka Nanes Lima - UEPB - Microbiologia e Imunologia
 
Artigo identificação bovicola caprae
Artigo identificação bovicola capraeArtigo identificação bovicola caprae
Artigo identificação bovicola caprae
gecoufba
 
Mastite bovina fisio ii
Mastite bovina fisio iiMastite bovina fisio ii
Mastite bovina fisio ii
Thalita Maciel de Melo
 
Artigo abmba v6_n1_2018_01
Artigo abmba v6_n1_2018_01Artigo abmba v6_n1_2018_01
Artigo abmba v6_n1_2018_01
Flávio Henrique Ferreira Barbosa
 
Avaliação da Eficiência de vermífugos comerciais e microrganismos probióticos...
Avaliação da Eficiência de vermífugos comerciais e microrganismos probióticos...Avaliação da Eficiência de vermífugos comerciais e microrganismos probióticos...
Avaliação da Eficiência de vermífugos comerciais e microrganismos probióticos...
Rural Pecuária
 
Ciência Equatorial - ISSN 2179-9563 - V1N2 2011
Ciência Equatorial - ISSN 2179-9563 - V1N2 2011Ciência Equatorial - ISSN 2179-9563 - V1N2 2011
Ciência Equatorial - ISSN 2179-9563 - V1N2 2011
Flávio Henrique Ferreira Barbosa
 

Mais procurados (20)

ResistêNcia Antimicrobiana De Coliformes
ResistêNcia Antimicrobiana De ColiformesResistêNcia Antimicrobiana De Coliformes
ResistêNcia Antimicrobiana De Coliformes
 
Lignanas
LignanasLignanas
Lignanas
 
Capitulo 1 ok[1]
Capitulo 1 ok[1]Capitulo 1 ok[1]
Capitulo 1 ok[1]
 
Mastite
MastiteMastite
Mastite
 
Qual Seria A Fonte De Fungos Miceliais
Qual Seria A Fonte De Fungos MiceliaisQual Seria A Fonte De Fungos Miceliais
Qual Seria A Fonte De Fungos Miceliais
 
Pós dipping milkpoint
Pós dipping milkpointPós dipping milkpoint
Pós dipping milkpoint
 
Mastite vacas 3
Mastite vacas 3Mastite vacas 3
Mastite vacas 3
 
10. ação antimicrobiana de plantas taníferas em bactérias anaerobias
10. ação antimicrobiana de plantas taníferas em bactérias anaerobias10. ação antimicrobiana de plantas taníferas em bactérias anaerobias
10. ação antimicrobiana de plantas taníferas em bactérias anaerobias
 
Documentos65+sanidade+nutricao+reproducao+falta+catalogar 000g4o78ppy02wx5ok0...
Documentos65+sanidade+nutricao+reproducao+falta+catalogar 000g4o78ppy02wx5ok0...Documentos65+sanidade+nutricao+reproducao+falta+catalogar 000g4o78ppy02wx5ok0...
Documentos65+sanidade+nutricao+reproducao+falta+catalogar 000g4o78ppy02wx5ok0...
 
Tratamento imunoterápico da pitiose eqüina
Tratamento imunoterápico da pitiose eqüinaTratamento imunoterápico da pitiose eqüina
Tratamento imunoterápico da pitiose eqüina
 
Apresentaçao XI encontro Med Vet UESC Tuberculose Bovina
Apresentaçao XI encontro Med Vet UESC Tuberculose BovinaApresentaçao XI encontro Med Vet UESC Tuberculose Bovina
Apresentaçao XI encontro Med Vet UESC Tuberculose Bovina
 
2009 brasil vigilancia saude zoonoses
2009 brasil vigilancia saude   zoonoses2009 brasil vigilancia saude   zoonoses
2009 brasil vigilancia saude zoonoses
 
Zoonoses bacterianas i
Zoonoses bacterianas iZoonoses bacterianas i
Zoonoses bacterianas i
 
Caprinos x verminose
Caprinos x verminoseCaprinos x verminose
Caprinos x verminose
 
AÇÃO MODULADORA DE EXTRATOS ETANÓLICOS DE PLANTAS MEDICINAIS SOBRE ANTIBIÓTIC...
AÇÃO MODULADORA DE EXTRATOS ETANÓLICOS DE PLANTAS MEDICINAIS SOBRE ANTIBIÓTIC...AÇÃO MODULADORA DE EXTRATOS ETANÓLICOS DE PLANTAS MEDICINAIS SOBRE ANTIBIÓTIC...
AÇÃO MODULADORA DE EXTRATOS ETANÓLICOS DE PLANTAS MEDICINAIS SOBRE ANTIBIÓTIC...
 
Artigo identificação bovicola caprae
Artigo identificação bovicola capraeArtigo identificação bovicola caprae
Artigo identificação bovicola caprae
 
Mastite bovina fisio ii
Mastite bovina fisio iiMastite bovina fisio ii
Mastite bovina fisio ii
 
Artigo abmba v6_n1_2018_01
Artigo abmba v6_n1_2018_01Artigo abmba v6_n1_2018_01
Artigo abmba v6_n1_2018_01
 
Avaliação da Eficiência de vermífugos comerciais e microrganismos probióticos...
Avaliação da Eficiência de vermífugos comerciais e microrganismos probióticos...Avaliação da Eficiência de vermífugos comerciais e microrganismos probióticos...
Avaliação da Eficiência de vermífugos comerciais e microrganismos probióticos...
 
Ciência Equatorial - ISSN 2179-9563 - V1N2 2011
Ciência Equatorial - ISSN 2179-9563 - V1N2 2011Ciência Equatorial - ISSN 2179-9563 - V1N2 2011
Ciência Equatorial - ISSN 2179-9563 - V1N2 2011
 

Destaque

Filippsen et al. 1999 prevalência da mastite bovina causada por prototheca...
Filippsen et al. 1999   prevalência da mastite bovina causada por  prototheca...Filippsen et al. 1999   prevalência da mastite bovina causada por  prototheca...
Filippsen et al. 1999 prevalência da mastite bovina causada por prototheca...
AgriPoint
 
Abiec: resultados das exportações de carne bovina no 1º semestre de 2011
Abiec: resultados das exportações de carne bovina no 1º semestre de 2011 Abiec: resultados das exportações de carne bovina no 1º semestre de 2011
Abiec: resultados das exportações de carne bovina no 1º semestre de 2011
BeefPoint
 
Imea - 2°Levantamento das intenções de confinamento em Mato Grosso
Imea - 2°Levantamento das intenções de confinamento em Mato GrossoImea - 2°Levantamento das intenções de confinamento em Mato Grosso
Imea - 2°Levantamento das intenções de confinamento em Mato Grosso
BeefPoint
 
A mais invejada da Amazônia
A mais invejada da AmazôniaA mais invejada da Amazônia
A mais invejada da Amazônia
BeefPoint
 
Marfrig - resultados do 2º trimestre de 2011
Marfrig - resultados do 2º trimestre de 2011Marfrig - resultados do 2º trimestre de 2011
Marfrig - resultados do 2º trimestre de 2011
BeefPoint
 
JBS - resultados do 2º trimestre de 2011
JBS - resultados do 2º trimestre de 2011JBS - resultados do 2º trimestre de 2011
JBS - resultados do 2º trimestre de 2011
BeefPoint
 
Minerva - Resultados do 2º trimestre de 2011
Minerva - Resultados do 2º trimestre de 2011Minerva - Resultados do 2º trimestre de 2011
Minerva - Resultados do 2º trimestre de 2011
BeefPoint
 
Doença Respiratória Bovina – Uma preocupação mundial
Doença Respiratória Bovina – Uma preocupação mundialDoença Respiratória Bovina – Uma preocupação mundial
Doença Respiratória Bovina – Uma preocupação mundial
BeefPoint
 
Relatório Top 50 Beef Point de Confinamentos 2010-2011
Relatório Top 50 Beef Point de Confinamentos 2010-2011Relatório Top 50 Beef Point de Confinamentos 2010-2011
Relatório Top 50 Beef Point de Confinamentos 2010-2011
BeefPoint
 

Destaque (9)

Filippsen et al. 1999 prevalência da mastite bovina causada por prototheca...
Filippsen et al. 1999   prevalência da mastite bovina causada por  prototheca...Filippsen et al. 1999   prevalência da mastite bovina causada por  prototheca...
Filippsen et al. 1999 prevalência da mastite bovina causada por prototheca...
 
Abiec: resultados das exportações de carne bovina no 1º semestre de 2011
Abiec: resultados das exportações de carne bovina no 1º semestre de 2011 Abiec: resultados das exportações de carne bovina no 1º semestre de 2011
Abiec: resultados das exportações de carne bovina no 1º semestre de 2011
 
Imea - 2°Levantamento das intenções de confinamento em Mato Grosso
Imea - 2°Levantamento das intenções de confinamento em Mato GrossoImea - 2°Levantamento das intenções de confinamento em Mato Grosso
Imea - 2°Levantamento das intenções de confinamento em Mato Grosso
 
A mais invejada da Amazônia
A mais invejada da AmazôniaA mais invejada da Amazônia
A mais invejada da Amazônia
 
Marfrig - resultados do 2º trimestre de 2011
Marfrig - resultados do 2º trimestre de 2011Marfrig - resultados do 2º trimestre de 2011
Marfrig - resultados do 2º trimestre de 2011
 
JBS - resultados do 2º trimestre de 2011
JBS - resultados do 2º trimestre de 2011JBS - resultados do 2º trimestre de 2011
JBS - resultados do 2º trimestre de 2011
 
Minerva - Resultados do 2º trimestre de 2011
Minerva - Resultados do 2º trimestre de 2011Minerva - Resultados do 2º trimestre de 2011
Minerva - Resultados do 2º trimestre de 2011
 
Doença Respiratória Bovina – Uma preocupação mundial
Doença Respiratória Bovina – Uma preocupação mundialDoença Respiratória Bovina – Uma preocupação mundial
Doença Respiratória Bovina – Uma preocupação mundial
 
Relatório Top 50 Beef Point de Confinamentos 2010-2011
Relatório Top 50 Beef Point de Confinamentos 2010-2011Relatório Top 50 Beef Point de Confinamentos 2010-2011
Relatório Top 50 Beef Point de Confinamentos 2010-2011
 

Semelhante a Costa et al. 2008 mastites por leveduras em bovinos leiteirod do sul do estado de minas gerais

Artigo bioterra v14_n2_08
Artigo bioterra v14_n2_08Artigo bioterra v14_n2_08
Artigo bioterra v14_n2_08
Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
7027 27183-1-pb
7027 27183-1-pb7027 27183-1-pb
7027 27183-1-pb
Igor Bulhões
 
17
1717
Qualidade MicrobiolóGica De Leite Humano
Qualidade MicrobiolóGica De Leite HumanoQualidade MicrobiolóGica De Leite Humano
Qualidade MicrobiolóGica De Leite Humano
Biblioteca Virtual
 
02pt06
02pt0602pt06
SLIDE TCCsssssssssssssssss ITALO ok.pptx
SLIDE TCCsssssssssssssssss ITALO ok.pptxSLIDE TCCsssssssssssssssss ITALO ok.pptx
SLIDE TCCsssssssssssssssss ITALO ok.pptx
JooHenriqueCarvallho
 
Artigo bioterra v15_n2_04
Artigo bioterra v15_n2_04Artigo bioterra v15_n2_04
Artigo bioterra v15_n2_04
Universidade Federal de Sergipe - UFS
 
Apresentação monografia
Apresentação monografiaApresentação monografia
Apresentação monografia
guest4f4d85f
 
2003 malária em santa catarina
2003 malária em santa catarina2003 malária em santa catarina
2003 malária em santa catarina
Faculdade de Medicina de Sao Jose do rio Preto
 
Artropodes capturados em ambiente hospitalar rj,br
Artropodes capturados em ambiente hospitalar   rj,brArtropodes capturados em ambiente hospitalar   rj,br
Artropodes capturados em ambiente hospitalar rj,br
Sid Siqueira
 
BactéRias Do GêNero Listeria Presentes Em Carne Bovina Nos MunicíPios De Nite...
BactéRias Do GêNero Listeria Presentes Em Carne Bovina Nos MunicíPios De Nite...BactéRias Do GêNero Listeria Presentes Em Carne Bovina Nos MunicíPios De Nite...
BactéRias Do GêNero Listeria Presentes Em Carne Bovina Nos MunicíPios De Nite...
Samira Mantilla
 
Manual de Zoonoses
Manual de ZoonosesManual de Zoonoses
Manual de Zoonoses
Sérgio Amaral
 
Universidade estadual do ceará – uece
Universidade estadual do ceará – ueceUniversidade estadual do ceará – uece
Universidade estadual do ceará – uece
dayrla
 
Universidade estadual do ceará – uece
Universidade estadual do ceará – ueceUniversidade estadual do ceará – uece
Universidade estadual do ceará – uece
dayrla
 
avaliação 3o serie bio 3o bi 2022.pdf
avaliação 3o serie bio 3o bi 2022.pdfavaliação 3o serie bio 3o bi 2022.pdf
avaliação 3o serie bio 3o bi 2022.pdf
RicardoEliasValeLima
 
ze
zeze
I WSF, Brasília - Douglas Lau - Monitoramento e diagnose do complexo Aceria ...
I WSF, Brasília -  Douglas Lau - Monitoramento e diagnose do complexo Aceria ...I WSF, Brasília -  Douglas Lau - Monitoramento e diagnose do complexo Aceria ...
I WSF, Brasília - Douglas Lau - Monitoramento e diagnose do complexo Aceria ...
Oxya Agro e Biociências
 
Dissertacao de mestrado
Dissertacao de mestradoDissertacao de mestrado
Dissertacao de mestrado
Samira Mantilla
 
Enfermidades de tilápias do nilo em tanques-rede
Enfermidades de tilápias do nilo em tanques-redeEnfermidades de tilápias do nilo em tanques-rede
Enfermidades de tilápias do nilo em tanques-rede
Rural Pecuária
 

Semelhante a Costa et al. 2008 mastites por leveduras em bovinos leiteirod do sul do estado de minas gerais (20)

Artigo bioterra v14_n2_08
Artigo bioterra v14_n2_08Artigo bioterra v14_n2_08
Artigo bioterra v14_n2_08
 
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
REVISTA DE BIOLOGIA E CIÊNCIAS DA TERRA ISSN 1519-5228 - Artigo_Bioterra_V25_...
 
7027 27183-1-pb
7027 27183-1-pb7027 27183-1-pb
7027 27183-1-pb
 
17
1717
17
 
Qualidade MicrobiolóGica De Leite Humano
Qualidade MicrobiolóGica De Leite HumanoQualidade MicrobiolóGica De Leite Humano
Qualidade MicrobiolóGica De Leite Humano
 
02pt06
02pt0602pt06
02pt06
 
SLIDE TCCsssssssssssssssss ITALO ok.pptx
SLIDE TCCsssssssssssssssss ITALO ok.pptxSLIDE TCCsssssssssssssssss ITALO ok.pptx
SLIDE TCCsssssssssssssssss ITALO ok.pptx
 
Artigo bioterra v15_n2_04
Artigo bioterra v15_n2_04Artigo bioterra v15_n2_04
Artigo bioterra v15_n2_04
 
Apresentação monografia
Apresentação monografiaApresentação monografia
Apresentação monografia
 
2003 malária em santa catarina
2003 malária em santa catarina2003 malária em santa catarina
2003 malária em santa catarina
 
Artropodes capturados em ambiente hospitalar rj,br
Artropodes capturados em ambiente hospitalar   rj,brArtropodes capturados em ambiente hospitalar   rj,br
Artropodes capturados em ambiente hospitalar rj,br
 
BactéRias Do GêNero Listeria Presentes Em Carne Bovina Nos MunicíPios De Nite...
BactéRias Do GêNero Listeria Presentes Em Carne Bovina Nos MunicíPios De Nite...BactéRias Do GêNero Listeria Presentes Em Carne Bovina Nos MunicíPios De Nite...
BactéRias Do GêNero Listeria Presentes Em Carne Bovina Nos MunicíPios De Nite...
 
Manual de Zoonoses
Manual de ZoonosesManual de Zoonoses
Manual de Zoonoses
 
Universidade estadual do ceará – uece
Universidade estadual do ceará – ueceUniversidade estadual do ceará – uece
Universidade estadual do ceará – uece
 
Universidade estadual do ceará – uece
Universidade estadual do ceará – ueceUniversidade estadual do ceará – uece
Universidade estadual do ceará – uece
 
avaliação 3o serie bio 3o bi 2022.pdf
avaliação 3o serie bio 3o bi 2022.pdfavaliação 3o serie bio 3o bi 2022.pdf
avaliação 3o serie bio 3o bi 2022.pdf
 
ze
zeze
ze
 
I WSF, Brasília - Douglas Lau - Monitoramento e diagnose do complexo Aceria ...
I WSF, Brasília -  Douglas Lau - Monitoramento e diagnose do complexo Aceria ...I WSF, Brasília -  Douglas Lau - Monitoramento e diagnose do complexo Aceria ...
I WSF, Brasília - Douglas Lau - Monitoramento e diagnose do complexo Aceria ...
 
Dissertacao de mestrado
Dissertacao de mestradoDissertacao de mestrado
Dissertacao de mestrado
 
Enfermidades de tilápias do nilo em tanques-rede
Enfermidades de tilápias do nilo em tanques-redeEnfermidades de tilápias do nilo em tanques-rede
Enfermidades de tilápias do nilo em tanques-rede
 

Mais de BeefPoint

CNA - VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO CRESCE 9,4% EM 2011
CNA - VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO CRESCE 9,4% EM 2011CNA - VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO CRESCE 9,4% EM 2011
CNA - VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO CRESCE 9,4% EM 2011
BeefPoint
 
BM&FBovespa - Ofício Circular sobre alterações no Indicador e nos Contratos F...
BM&FBovespa - Ofício Circular sobre alterações no Indicador e nos Contratos F...BM&FBovespa - Ofício Circular sobre alterações no Indicador e nos Contratos F...
BM&FBovespa - Ofício Circular sobre alterações no Indicador e nos Contratos F...
BeefPoint
 
Mataboi - Proposta aos credores do plano de recuperação judicial
Mataboi - Proposta aos credores do plano de recuperação judicialMataboi - Proposta aos credores do plano de recuperação judicial
Mataboi - Proposta aos credores do plano de recuperação judicial
BeefPoint
 
Mataboi Alimentos S.A. - Proposta aos credores do plano de recuperação judicial
Mataboi Alimentos S.A. - Proposta aos credores do plano de recuperação judicialMataboi Alimentos S.A. - Proposta aos credores do plano de recuperação judicial
Mataboi Alimentos S.A. - Proposta aos credores do plano de recuperação judicial
BeefPoint
 
CNA - A verdade sobre o desmatamento
CNA - A verdade sobre o desmatamentoCNA - A verdade sobre o desmatamento
CNA - A verdade sobre o desmatamento
BeefPoint
 
CNA - Cartilha da Contribuição Sindical Rural 2011
CNA - Cartilha da Contribuição Sindical Rural 2011CNA - Cartilha da Contribuição Sindical Rural 2011
CNA - Cartilha da Contribuição Sindical Rural 2011
BeefPoint
 
Marfrig Alimentos S.A. - Resultados do 1º trimestre de 2011
Marfrig Alimentos S.A. -  Resultados do 1º trimestre de 2011Marfrig Alimentos S.A. -  Resultados do 1º trimestre de 2011
Marfrig Alimentos S.A. - Resultados do 1º trimestre de 2011
BeefPoint
 
Zootecnistas
ZootecnistasZootecnistas
Zootecnistas
BeefPoint
 
Programação do I curso do EMBRAPA INVERNADA
Programação do I curso do EMBRAPA INVERNADAProgramação do I curso do EMBRAPA INVERNADA
Programação do I curso do EMBRAPA INVERNADA
BeefPoint
 
JBS - resultados do 1º trimestre de 2011
JBS - resultados do 1º trimestre de 2011JBS - resultados do 1º trimestre de 2011
JBS - resultados do 1º trimestre de 2011
BeefPoint
 
ICONE - O Novo Código Florestal e a proteção das APPs e da Reserva Legal
ICONE - O Novo Código Florestal e a proteção das APPs e da Reserva LegalICONE - O Novo Código Florestal e a proteção das APPs e da Reserva Legal
ICONE - O Novo Código Florestal e a proteção das APPs e da Reserva Legal
BeefPoint
 
Independência - Edital de Alienação Judicial de Unidades Produtivas Isoladas ...
Independência - Edital de Alienação Judicial de Unidades Produtivas Isoladas ...Independência - Edital de Alienação Judicial de Unidades Produtivas Isoladas ...
Independência - Edital de Alienação Judicial de Unidades Produtivas Isoladas ...
BeefPoint
 
1° levantamento das intenções de confinamento em mato grosso
1° levantamento das intenções de confinamento em mato grosso1° levantamento das intenções de confinamento em mato grosso
1° levantamento das intenções de confinamento em mato grosso
BeefPoint
 
Apresentação nft alliance 2010
Apresentação nft alliance 2010Apresentação nft alliance 2010
Apresentação nft alliance 2010
BeefPoint
 
Icone
IconeIcone
Icone
BeefPoint
 
Leilão paredão completo
Leilão paredão completoLeilão paredão completo
Leilão paredão completo
BeefPoint
 
Boletim Técnico - Pfizer
Boletim Técnico - PfizerBoletim Técnico - Pfizer
Boletim Técnico - PfizerBeefPoint
 
ICONE - “Agricultura, Conservação Ambiental e a reforma do Código Florestal”
ICONE - “Agricultura, Conservação Ambiental e a reforma do Código Florestal”ICONE - “Agricultura, Conservação Ambiental e a reforma do Código Florestal”
ICONE - “Agricultura, Conservação Ambiental e a reforma do Código Florestal”
BeefPoint
 
Boletim Técnico Pfizer
Boletim Técnico PfizerBoletim Técnico Pfizer
Boletim Técnico PfizerBeefPoint
 
Entendendo o Clarifede
Entendendo o ClarifedeEntendendo o Clarifede
Entendendo o Clarifede
BeefPoint
 

Mais de BeefPoint (20)

CNA - VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO CRESCE 9,4% EM 2011
CNA - VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO CRESCE 9,4% EM 2011CNA - VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO CRESCE 9,4% EM 2011
CNA - VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO CRESCE 9,4% EM 2011
 
BM&FBovespa - Ofício Circular sobre alterações no Indicador e nos Contratos F...
BM&FBovespa - Ofício Circular sobre alterações no Indicador e nos Contratos F...BM&FBovespa - Ofício Circular sobre alterações no Indicador e nos Contratos F...
BM&FBovespa - Ofício Circular sobre alterações no Indicador e nos Contratos F...
 
Mataboi - Proposta aos credores do plano de recuperação judicial
Mataboi - Proposta aos credores do plano de recuperação judicialMataboi - Proposta aos credores do plano de recuperação judicial
Mataboi - Proposta aos credores do plano de recuperação judicial
 
Mataboi Alimentos S.A. - Proposta aos credores do plano de recuperação judicial
Mataboi Alimentos S.A. - Proposta aos credores do plano de recuperação judicialMataboi Alimentos S.A. - Proposta aos credores do plano de recuperação judicial
Mataboi Alimentos S.A. - Proposta aos credores do plano de recuperação judicial
 
CNA - A verdade sobre o desmatamento
CNA - A verdade sobre o desmatamentoCNA - A verdade sobre o desmatamento
CNA - A verdade sobre o desmatamento
 
CNA - Cartilha da Contribuição Sindical Rural 2011
CNA - Cartilha da Contribuição Sindical Rural 2011CNA - Cartilha da Contribuição Sindical Rural 2011
CNA - Cartilha da Contribuição Sindical Rural 2011
 
Marfrig Alimentos S.A. - Resultados do 1º trimestre de 2011
Marfrig Alimentos S.A. -  Resultados do 1º trimestre de 2011Marfrig Alimentos S.A. -  Resultados do 1º trimestre de 2011
Marfrig Alimentos S.A. - Resultados do 1º trimestre de 2011
 
Zootecnistas
ZootecnistasZootecnistas
Zootecnistas
 
Programação do I curso do EMBRAPA INVERNADA
Programação do I curso do EMBRAPA INVERNADAProgramação do I curso do EMBRAPA INVERNADA
Programação do I curso do EMBRAPA INVERNADA
 
JBS - resultados do 1º trimestre de 2011
JBS - resultados do 1º trimestre de 2011JBS - resultados do 1º trimestre de 2011
JBS - resultados do 1º trimestre de 2011
 
ICONE - O Novo Código Florestal e a proteção das APPs e da Reserva Legal
ICONE - O Novo Código Florestal e a proteção das APPs e da Reserva LegalICONE - O Novo Código Florestal e a proteção das APPs e da Reserva Legal
ICONE - O Novo Código Florestal e a proteção das APPs e da Reserva Legal
 
Independência - Edital de Alienação Judicial de Unidades Produtivas Isoladas ...
Independência - Edital de Alienação Judicial de Unidades Produtivas Isoladas ...Independência - Edital de Alienação Judicial de Unidades Produtivas Isoladas ...
Independência - Edital de Alienação Judicial de Unidades Produtivas Isoladas ...
 
1° levantamento das intenções de confinamento em mato grosso
1° levantamento das intenções de confinamento em mato grosso1° levantamento das intenções de confinamento em mato grosso
1° levantamento das intenções de confinamento em mato grosso
 
Apresentação nft alliance 2010
Apresentação nft alliance 2010Apresentação nft alliance 2010
Apresentação nft alliance 2010
 
Icone
IconeIcone
Icone
 
Leilão paredão completo
Leilão paredão completoLeilão paredão completo
Leilão paredão completo
 
Boletim Técnico - Pfizer
Boletim Técnico - PfizerBoletim Técnico - Pfizer
Boletim Técnico - Pfizer
 
ICONE - “Agricultura, Conservação Ambiental e a reforma do Código Florestal”
ICONE - “Agricultura, Conservação Ambiental e a reforma do Código Florestal”ICONE - “Agricultura, Conservação Ambiental e a reforma do Código Florestal”
ICONE - “Agricultura, Conservação Ambiental e a reforma do Código Florestal”
 
Boletim Técnico Pfizer
Boletim Técnico PfizerBoletim Técnico Pfizer
Boletim Técnico Pfizer
 
Entendendo o Clarifede
Entendendo o ClarifedeEntendendo o Clarifede
Entendendo o Clarifede
 

Último

cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
TiagoLouro8
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
GracinhaSantos6
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
TathyLopes1
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
ConservoConstrues
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
JakiraCosta
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
MARCELARUBIAGAVA
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
geiseortiz1
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 

Último (20)

cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptxPsicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
Psicologia e Sociologia - Módulo 2 – Sociedade e indivíduo.pptx
 
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdfMAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
MAPAS MENTAIS Conhecimentos Pedagógicos - ATUALIZADO 2024 PROF. Fernanda.pdf
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
(44-ESTUDO - LUCAS) A ESPIRITUALIDADE EM CRISE NO VALE
 
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.Loteria - Adição,  subtração,  multiplicação e divisão.
Loteria - Adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdfConcurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
Concurso FEMAR Resultado Final Etapa1-EmpregoscomEtapaII.pdf
 
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptxDEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
DEUS CURA TODAS AS FERIDAS ESCONDIDAS DA NOSSA.pptx
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...formação - 2º ano São José da Tapera ...
formação - 2º ano São José da Tapera ...
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 

Costa et al. 2008 mastites por leveduras em bovinos leiteirod do sul do estado de minas gerais

  • 1. 1938 Ciência Rural, Santa Maria, v.38, n.7, p.1938-1942, out, 2008 Costa et al. ISSN 0103-8478 Mastite por leveduras em bovinos leiteiros do Sul do Estado de Minas Gerais, Brasil Mastitis caused by yeasts in dairy herds in the South of the Minas Gerais State, Brazil Geraldo Márcio da CostaI* Nivaldo da SilvaII Carlos Augusto RosaIII Henrique César Pereira de FigueiredoI Ulisses de Pádua PereiraI RESUMO INTRODUÇÃO O objetivo deste trabalho foi estudar a freqüência de infecções intramamárias ocasionadas por leveduras a partir A mastite bovina, sob o ponto de vista de amostras de leite (n=1710) coletadas em 40 rebanhos econômico, é a doença mais relevante de bovinos leiteiros do Estado de Minas Gerais. Cinqüenta e seis estirpes leiteiros em todos os continentes, afetando de leveduras do gênero Candida e uma linhagem de Trichosporon loubieri foram isoladas. Candida albicans foi a drasticamente a produção e a qualidade do leite e espécie dominante (28,1% das cepas), seguida por Candida derivados (PYÕRÃLÃ, 2002). Diversos parapsilosis (19,3%), Candida catenulata (14,0%), Candida microrganismos, representados principalmente por glabrata (14,0%) e Candida tropicalis (8,8%). Infecções mistas bactérias, vírus, algas e fungos, estão envolvidos na foram detectadas em 29,8% das vacas levedura-positivas. Amostras positivas para leveduras foram predominantemente mastite, tornando sua etiologia e epidemiologia obtidas (84%) de vacas com mastite subclínica. A baixa taxa complexas. de isolamento de leveduras sugere que estes microrganismos Entre os agentes considerados ambientais, não são relevantes para mastite bovina na região estudada. leveduras têm sido relacionadas como patógenos Palavras-chave: mastite bovina, mastite leveduras, Candida emergentes em função das mudanças verificadas nos sp, Brasil. sistemas de produção de leite e nos programas de controle da mastite bovina, na última década. Diversas ABSTRACT espécies dos gêneros Cryptococcus, Rhodotorula, The objective of this study was to report the Trichosporon e Candida têm sido isoladas de leite frequency of intramammary infections by yeasts, in Minas obtido de animais acometidos pela mastite, sendo as Gerais State, from milk samples (n = 1710) collected in 40 espécies do último geralmente as mais freqüentes dairy herds. Fifty six yeast strains of the genus Candida and one strain of Trichosporon loubieri were isolated. Candida (KRUKOWSKI et al., 2000; SANTOS & MARIN, 2005). albicans was the dominant species (28.1% of the strains), Os dados disponíveis na literatura sobre a followed by Candida parapsilosis (19.3%), Candida catenulata freqüência de infecções intramamárias (IIM) (14.0%), Candida glabrata (14.0%), Candida tropicalis (8.8%). Mixed infections were detected in 29.8% of yeast-positive provocadas por leveduras apresentam grandes cows. The yeast infection was more frequent (84%) in cows variações, encontrando-se índices variáveis entre 0,1% with subclinical mastitis. The low rate of isolation of yeasts e 17,3%, sendo também muito variáveis as taxas de suggests that these microorganisms are not relevant to bovine infecções mistas envolvendo estes agentes, em alguns mastitis in the studied region. casos com valores superiores a 50% (FARNSWORTH Key words: bovine mastitis, yeast mastitis, Candida sp, Brazil. & SORENSEN, 1972; COSTA et al., 1993; AALBAEK et I Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal de Lavras (UFLA), Lavras, MG, Brasil. E-mail: gmcosta@ufla.br. *Autor para correspondência. II Escola de Veterinária, Universidade Federal de Minas Gerais (EV/UFMG), Belo Horizonte, MG, Brasil. III Instituto de Ciências Biológicas (ICB), UFMG, Belo Horizonte, MG, Brasil. Recebido para publicação 05.09.07 Aprovado em 12.03.08 Ciência Rural, v.38, n.7, out, 2008.
  • 2. Mastite por leveduras em bovinos leiteiros do Sul do Estado de Minas Gerais, Brasil. 1939 al., 1994; MORETTI et al., 1998; WILSON et al., 1997; descartados e foram coletados cerca de 10mL de leite SANTOS & MARIN, 2005). em tubos de ensaio esterilizados. Os espécimes foram Leveduras são microrganismos isolados acondicionados em caixa de isopor com gelo e facilmente a partir de equipamentos de ordenha, epitélio prontamente remetidos ao laboratório. de tetos dos animais e do ambiente da sala de ordenha Além da coleta de amostras de leite para a (KELLER et al., 2000; SANTOS & MARIN, 2005). Altas análise microbiológica, foram avaliadas as medidas taxas de isolamento destes microrganismos e elevados gerais de prevenção e controle da mastite, incluindo percentuais de amostras com crescimento misto higiene ambiental, higiene da ordenha, forma de sugerem falhas no momento de coleta de amostras tratamento dos casos clínicos e medicamentos destinadas a análises microbiológicas. Outro fato que utilizados. Os dados obtidos foram registrados em pode justificar a presença do microrganismo no interior fichas individuais para cada rebanho e posteriormente da glândula mamária são as falhas por ocasião da correlacionados com os resultados microbiológicos. medicação de animais clinicamente acometidos, o que, As amostras de leite foram incubadas a 37°C ocasionalmente, tem sido relacionado como fator por 8-12 horas. Depois foi realizada semeadura das determinante de surtos de grandes proporções mesmas em Sabouraud Dextrose Agar (Oxoid, USA), (MORETTI et al., 1998; CRAWSHAW et al., 2005). contendo 0,4g/L de cloranfenicol (Sigma, USA). O presente trabalho teve por objetivos Paralelamente, as amostras foram semeadas em ágar estudar o envolvimento de leveduras na etiologia da Sangue (Blood Agar Base-Oxoid, USA), contendo 10% mastite em rebanhos leiteiros da região Sul do Estado de sangue de carneiro para o isolamento de bactérias. de Minas Gerais, identificando os gêneros e as espécies Ambos os meios foram incubados a 37°C por 24-96 predominantes, a participação destes agentes nas horas, verificando-se a presença de crescimento formas clínica e subclínica da doença e a ocorrência de microbiano diariamente. infecções mistas. As leveduras foram caracterizadas fenotipicamente segundo YARROW (1998), sendo a MATERIAL E MÉTODOS identificação realizada de acordo com chaves descritas por KURTZMAN & FELL (1998). Microrganismos das Foram selecionados para o estudo 40 famílias Staphylococcaceae e Streptococcaceae foram rebanhos leiteiros localizados na região Sul de Minas identificados de acordo com HOLT et al. (1994) e Gerais, pertencentes aos municípios de Boa Esperança, QUINN et al. (1994). Bactérias gram-negativas oxidase Bom Sucesso, Carrancas, Cordislândia, Cruzília, Ijací, negativas foram identificadas utilizando-se os kits Ingaí, Itumirim, Itutinga, Jesuânia, Lavras, Nazareno, BACTRAY® I e II (Laborclin, Brasil), enquanto as Nepomuceno, Oliveira, Perdões, Ribeirão Vermelho, oxidase-positivas foram identificadas utilizando-se o Santa Rita do Sapucaí, Santana da Vargem, Santo kit API 20NE (Biomerieux, França). Os demais agentes Antônio do Amparo e Três Corações. Foi estabelecido bacterianos foram identificados de acordo com QUINN que os rebanhos utilizados no estudo deveriam et al. (1994). Amostras que apresentaram crescimento empregar a ordenha mecânica e ter, pelo menos, 30 de três ou mais microrganismos diferentes nos meios animais em lactação. Foi amostrado um número mínimo utilizados para o cultivo foram descartadas, pois tal de 15 animais de cada uma das propriedades. fato é indicativo de contaminação, segundo BRITO et Nos estabelecimentos selecionados para o al. (1999). estudo, 2.560 vacas lactantes foram submetidas ao As freqüências de agentes isolados a partir teste Tamis (prova da caneca de fundo escuro) e ao de amostras obtidas de animais acometidos pela forma California Mastitis Test (CMT) visando o diagnóstico clínica ou subclínica da mastite e os índices de infecção da mastite clínica e subclínica, segundo VEIGA (1998). mista envolvendo leveduras foram analisadas por meio Foram coletadas assepticamente 1.710 amostras de leite do Teste do Qui-quadrado, empregando-se o Programa de 1.291 animais acometidos pela mastite, sendo 263 Epi-Info (CDC–WHO, version 6.04b,1997). oriundas de casos clínicos e as demais de casos subclínicos. RESULTADOS E DISCUSSÃO As amostras foram coletadas imediatamente antes da ordenha. Os tetos amostrados foram Entre as 1.710 amostras analisadas, 125 não previamente lavados com água corrente e submetidos apresentaram crescimento de microrganismos e 15 foram à assepsia, empregando-se solução de iodo a 0,5%, descartadas devido a indícios de contaminação por 30 segundos. Estes foram enxugados com papel (crescimento de mais que dois agentes diferentes). toalha, sendo que os três primeiros jatos foram Leveduras apresentaram pouca expressão na etiologia Ciência Rural, v.38, n.7, out, 2008.
  • 3. 1940 Costa et al. da mastite, tendo sido isoladas de 57 amostras determinando quadros patológicos graves em distribuídas entre 17 (42,5%) entre os 40 rebanhos, pacientes imunossuprimidos (MARTY et al., 2003). sendo verificadas taxas de isolamento que variaram de A freqüência média de isolamento de zero a 25,5%, com uma freqüência média de 3,4% (Tabela 1). leveduras obtida no presente estudo (3,4%) foi próxima A tabela 2 relaciona as espécies e a daquelas relatadas por FARNSWORTH & SORENSEN freqüência de leveduras isoladas. A maioria das (1972) e KRUKOWSKI et al. (2006), com valores e 3,2 e leveduras isoladas (56), representando 98,2% das 4,3%, respectivamente. Contudo, a literatura registra amostras, pertenceu ao gênero Candida. C. albicans, grande variação nos índices de infecções intramamárias foi a espécie predominante, seguida por C. (IIM) ocasionados por leveduras, sendo citados valores parapsilosis, C. catenulata e C. glabrata, e C. que oscilam entre 0,1% e 17,3% (WILSON et al., 1997; tropicalis. As demais espécies pertencentes ao gênero SANTOS & MARIN, 2005). Candida representaram 15,8% dos isolamentos. Os Quanto à predominância de Candida entre as leveduras isoladas e à grande diversidade de testes utilizados não permitiram a identificação da espécies identificadas, os resultados estão de acordo espécie de duas amostras de Candida spp. com os obtidos por SANTOS & MARIN (2005) e Uma única amostra foi identificada como KRUKOWSKI et al. (2006), demonstrando não haver o Trichosporon loubieri, perfazendo 1,8% dos envolvimento seletivo de nenhuma espécie do gênero isolamentos, o que evidenciou a pouca relevância de nas IIM de bovinos. microrganismos deste gênero na etiologia da mastite Os resultados se mostraram discrepantes nos rebanhos estudados. Contudo, Trichosporon spp daqueles obtidos por COSTA et al. (1993), que têm sido associado a IIM de bovinos, em alguns casos, verificaram elevado índice de envolvimento de fungos predominando em relação às demais leveduras (25,4%) em IIM de bovinos procedentes de rebanhos (MORETTI et al., 1998) e, em outros, determinando do Estado de São Paulo, sendo Cryptococcus o gênero surtos de mastite clinica em bovinos leiteiros predominante. Também foram discrepantes em relação (GONZALEZ et al., 2001). Além do envolvimento na aos resultados obtidos por SANTOS & MARIN (2005), etiologia da mastite, a Trichosporon spp tem sido que, em outro trabalho realizado neste mesmo Estado, relacionado como um patógeno emergente, verificaram uma taxa elevada de isolamentos de leveduras (10,0%), embora Candida spp tenha sido o Tabela 1 - Freqüências de infecções intramamárias ocasionadas gênero predominante, representando 68,1% das por leveduras em rebanhos leiteiros do Sul de Minas amostras isoladas. Gerais, Brasil, no período de 2004 a 2006 As diferenças observadas nas taxas de isolamento de leveduras e na participação dos Identificação Amostras Amostras Amostras Rebanho1 Analisadas Positivas Positivas (%) diferentes agentes em relação à literatura podem estar relacionadas com a amostragem realizada, com o 1 65 2 3,1 número de rebanhos trabalhados e com as diferentes 2 45 1 2,2 condições da mastite neles vigentes e as estratégias 4 43 1 2,3 6 19 1 5,6 empregadas para o controle da mesma, e com a forma 8 23 2 8,7 de coleta das amostras para análise. 9 35 4 12,1 Verificou-se a ocorrência de associações de 10 34 1 2,9 leveduras com outros patógenos em 29,8% dos casos, 11 82 4 4,9 sendo as associações com Corynebacterium bovis, 15 52 2 3,8 Staphylococcus spp coagulase positivos (SCP), 16 61 2 3,3 Staphylococcus spp coagulase negativos e 17 37 1 2,7 Streptococcus agalactiae as mais freqüentes. Para os 18 24 1 4,2 demais agentes isolados, a freqüência de infecções 20 106 27 25,5 mistas (10,7%) foi bastante inferior à frequência 22 39 1 3,6 observada para leveduras, sendo as diferenças 23 51 1 2,0 observadas estatisticamente representativas (Qui- 28 45 4 8,9 quadrado = 20,28 e P< 0,01). Elevados percentuais de 35 35 2 5,7 infecções mistas envolvendo leveduras e bactérias Média2 - - 3,4 foram também relatados por COSTA et al. (1993), 1 -Somente rebanhos positivos. MORETTI et al. (1998) e SANTOS & MARIN (2005), 2 -Média geral dos 40 rebanhos estudados. com valores de 72,2%, 52,7% e 68,0%, respectivamente. Ciência Rural, v.38, n.7, out, 2008.
  • 4. Mastite por leveduras em bovinos leiteiros do Sul do Estado de Minas Gerais, Brasil. 1941 Tabela 2 - Freqüência de leveduras isoladas a partir de 1.710 Falhas na anti-sepsia e no tratamento amostras de leite procedentes de 40 rebanhos leiteiros do Sul de Minas Gerais, Brasil, no período de 2004 a intramamário repetitivo foram fatores desencadeantes 2006 de um surto de mastite em um dos rebanhos estudados (rebanho 20), no qual Candida spp foi isolada de 25,5% Freqüência das amostras de leite analisadas. Diferentemente de Espécie Freqüência % absoluta diversos surtos de mastite de etiologia micótica Candida albicans 16 28,1 relatados na literatura (ELAD et al., 1995; Candida parapsilosis 11 19,3 CRAWSHAW et al., 2005), neste não se observou o Candida catenulata 8 14,0 predomínio de nenhuma espécie em particular, tendo Candida glabrata 8 14,0 sido isoladas C. albicans (33,3%), C. catenulata Candida tropicalis 5 8,8 (22,2%), C. glabrata (18,5%), C. parapsilosis (11,1%), Candida rugosa 2 3,5 C. krusei (7,4%), C. tropicalis (3,7%) e Candida sp Candida krusei 4 7,0 (3,7%). Neste rebanho, a maioria dos animais a partir Candida spp 2 3,5 dos quais as culturas positivas foram obtidas Trichosporon loubieri 1 1,8 compunha um lote que tinha histórico de mastite clínica Total 57 100,0 e tratamento intramamário repetitivo recente. Quanto à participação nos casos clínicos e Os resultados obtidos demonstraram que subclínicos de mastite, verificou-se o envolvimento de infecções mistas são comuns quando do envolvimento leveduras predominantemente na forma subclínica da de leveduras nas IIM de bovinos. Segundo KELLER et doença, com 84,2% dos isolados obtidos de animais al.(2000) e SANTOS & MARIN (2005), leveduras são subclinicamente acometidos, valor muito próximo ao agentes comumente encontrados em locais úmidos e obtido para os demais patógenos isolados (85,5%), com ricos em matéria orgânica, sendo inclusive isolados do Qui-quadrado X2= 0,07 e P=0,794. Não se verificou a exterior de tetos de animais sadios e de equipamentos participação de nenhuma espécie em particular nos de ordenha. Desse modo, altas taxas de isolamento casos subclínicos. Os resultados foram semelhantes destes agentes em cultura mista poderiam ser aos descritos por FARNSWORTH & SORENSEN indicativas de contaminação das amostras no momento (1972), que relataram que leveduras do gênero Candida da colheita. Contudo, os índices de infecções mistas podem ser isoladas repetidas vezes de quartos com verificados foram bastante confiáveis, uma vez que baixa CCS, existindo a tendência de as infecções serem foram criteriosamente observados os princípios de subclínicas. assepsia e de anti-sepsia por ocasião da coleta de Apenas nove (15,8%) entre os 57 isolados amostras, o que pode ser constatado pelo pequeno de leveduras foram obtidos de animais clinicamente número de amostras descartadas (0,9%) por acometidos. Não se observou o predomínio de apresentarem contaminação. nenhuma espécie em particular nestes casos, com Constatou-se neste estudo que animais exceção da espécie C. tropicalis, para a qual três dos submetidos à terapia intramamária excessiva e repetitiva cinco isolados foram associados a casos clínicos. para mastite eram aqueles que normalmente apresentam Contudo, o número de isolados desta espécie foi muito complicações clínicas caracterizadas pelo reduzido, inviabilizando análises fidedignas. Um aspecto relevante nas mastites envolvimento de leveduras, fato este já relatado por ocasionadas por leveduras é que existem poucos COSTA et al. (1998) e MORETTI et al. (1998). Na maioria fármacos disponíveis no mercado para o tratamento das propriedades estudadas, o tratamento de casos destes tipos de infecção, questão agravada pelo clínicos de mastite era feito geralmente de forma fenômeno multiresistência (COUTINHO et al., 2007). empírica, empregando-se vias e posologias Tal fato determina que a maioria destas infecções tenda inadequadas, sem o conhecimento dos agentes à cronicidade, verificando-se a eliminação contínua do envolvidos e de seus perfis de sensibilidade, além de agente por longos períodos (ELAD et al., 1995), o que, se delegar tal tarefa a indivíduos pouco qualificados muitas vezes, implica na esterilização dos quartos que desconheciam os princípios básicos de assepsia e infectados ou no descarte dos animais acometidos. de anti-sepsia, necessários por ocasião da utilização de medicação intramamária. Tais fatos podem estar CONCLUSÕES associados à introdução acidental de microrganismos na glândula mamária, justificando o elevado índice Leveduras apresentaram pouca expressão observado de infecções mistas (29,8%). na etiologia da mastite nos rebanhos estudados, com Ciência Rural, v.38, n.7, out, 2008.
  • 5. 1942 Costa et al. envolvimento predominantemente nos casos Veterinary Medical Association, v.218, n.2, p.238-42, 2001. subclínicos. Candida foi o gênero predominante, HOLT, J.G. et al. Bergeys´s manual of determinative bacteriology. 9.ed. Baltimore, USA: Williams & Wilkins, verificando-se grande variação quanto às espécies 1994. 787p. envolvidas e quanto às taxas de infecções entre os diferentes rebanhos. Infecções mistas são comuns em KELLER, B. et al. Differentiation of yeasts in mastitis milk. mastites ocasionadas por leveduras. Mycoses, v.43, suppl.1, p.17-19, 2000. KRUKOSWKI, H. et al. Survey of yeast mastitis in dairy herds REFERÊNCIAS of small-type farms in the Lublin region, Poland. AALBAEK, B. et al. Mycotic and algal bovine mastitis in Mycopathologia, v.150, p.5-7, 2000. Denmark. APMIS, v.102, n.6, p.541-456, 1994. KRUKOSWKI, H. et al. Yeast and algae isolated from cows BRITO, M.AV.P. et al. Padrão de infecção intramamária em with mastitis in south eastern part of Poland. Poland Journal rebanhos leiteiros: exame de todos os quartos mamários das Veterinary Sciences, v.9, n.3, p.181-184, 2006. vacas em lactação. Arquivo Brasileiro de Medicina Veterinária e Zootecnia, v.51, n.2, p.129-135, 1999. KURTZMAN, C.P.; FELL, J.W. The yeasts, a taxonomic study. 4.ed. Amsterdam: Elsevier, 1998. 1055p. COSTA, E.O. et al. Survey of bovine mycotic mastitis in dairy herds in the State of São Paulo, Brazil. Mycopathologia, MARTY, F.M. et al. Disseminated trichosporonosis caused by v.124, n.1, p.13-17, 1993. Trischosporon loubieri. Journal of Clinical Microbiology, v.41, n.11, p.5317-5320, 2003. COSTA, E.O. et al. Infectious bovine mastitis caused by environmental organisms. Journal of Veterinary Medicine, MORETTI, A. et al. Relationship between cell counts in bovine Series B, v.45, p.65-71, 1998. milk and the presence of mastitis pathogens (yeasts and bacteria). CRAWSHAW, W.M. et al. Outbreak of Candida rugosa mastitis Journal of Veterinary Medicine, Series B, v.45, p.129-132, in a dairy herd after intrammamary antibiotic treatment. 1998. Veterinary Record, v.156, n.25, p.812-813, 2005. PYÕRÃLÃ, S. New strategies to prevent mastitis. COUTINHO, L.C.A. et al. Perfil de sensibilidade e resistência de Reproduction in Domestic Animals, v.211, n.216, p.211- isolados de Candida spp em vacas de leite procedentes do Estado 216, 2002. do Pernambuco. In: ENCONTRO DE PESQUISADORES EM MASTITES, 4., 2007, Botucatu/SP. Anais… Botucatu: QUINN, P.J. et al. Clinical veterinary microbiology. Fundação de Medicina Veterinária e Zootecnia-Universidade London: Wolfe, 1994. 648p. Estadual de São Paulo, 2007. 118p. p.84. SANTOS, R.C.; MARIN, J.M. Isolation of Candida spp from ELAD, D. et al. Feed contamination with Candida krusei as a mastitic bovine milk in Brazil. Mycopathologia, v.59, p.251- probable source of mycotic mastitis in dairy cows. Journal American Veterinary Medical Association, v.207, n.5, 253, 2005. p.620-622, 1995. WILSON, D.J. et al. Bovine mastitis pathogens in New York EPI-INFO 6.04b–A word processing, database and and Pennsylvania: Prevalence and effects on somatic cell count statistics program for public health. Center of Disease and milk production. Journal of Dairy Sciences, v.80, Control & Prevention (CDC). Geneva, Switzerland: World p.2592-2598, 1997. Health Organization, version 6.04b, 1997. YARROW, D. Methods for the isolation and identification of FARNSWORTH, R.J.; SORENSEN, D.K. Prevalence and species yeasts. In: KURTZMAN, C.P.; FELL, J.W. The yeasts, a distribuition of yeasts in mammary glands of dairy cows in taxonomic study. Amsterdam: Elsevier, 1998. p.77-100. Minnesota. Canadian Journal Comparative Medicine, v.36, p.329-332, 1972. VEIGA, V.M.O. Diagnóstico da mastite bovina. Juiz de GONZALEZ, R.N. et al. Outbreak of clinical mastitis caused Fora: EMBRAPA-CNPGL-ADT, 1998. 24p. (Circular Técnica, by Trichosporon beigelii in dairy herds. Journal American 51). Ciência Rural, v.38, n.7, out, 2008.