SlideShare uma empresa Scribd logo
Convergência TO Tecnologia das Operações e
TI Tecnologia da Informação nas Usinas
FATO
MAI/24 Convergência TO Tecnologia das Operações e TI Tecnologia da Informação nas Usinas - Márcio Venturelli 2
Ainda que o tema não seja novo,
os problemas continuam os
mesmos, a dificuldade de conectar
física e logicamente os sistemas de
dados oriundos das operações
produtivas e controle operacional
das usinas, chamadas de TO
Tecnologia da Operação, e das
informações gerenciais e
administrativas, chamadas de TI
Tecnologia da Informação.
POR QUE
MAI/24 Convergência TO Tecnologia das Operações e TI Tecnologia da Informação nas Usinas - Márcio Venturelli 3
Isso ocorre por diversos motivos, a cultura é
o principal deles, uma vez que toda esta
necessidade gera uma pressão entre
formações diferentes, gerações diferentes e
interesses diversos. O avanço tecnológico da
TI com as facilidades de atualização de
sistemas, sem contar com verbas cada vez
mais provisionadas e estruturadas a partir
de programas de governança, do outro lado,
a automação dos processos cada vez mais
gerando mais dados, mas sem conectividade
com a área de gestão, a despeito de cada
vez mais, os ativos fornecerem cada vez
mais informações em tempo real, em
protocolos cada vez mais aderentes a TI.
IMPACTO
MAI/24 Convergência TO Tecnologia das Operações e TI Tecnologia da Informação nas Usinas - Márcio Venturelli 4
Essa separação ou divisão, limita os
sistemas de gestão de tomada de
decisões da usina a compartilharem
dados, os sistemas analíticos precisam
correlacionar dados na linha do tempo,
desta forma, ainda continuaremos ter
relatórios baseado em operações, muitos
baseados em planilhas e relatórios
baseado em administração, indicando o
passado, perdendo a oportunidade de
cruzar informações, encurtando
processos e automatizando sistemas a
partir de dados, inclusive baseado em
tendencias futuras do processo.
DESAFIO
MAI/24 Convergência TO Tecnologia das Operações e TI Tecnologia da Informação nas Usinas - Márcio Venturelli 5
Como unir pessoas e departamentos de
TO e TI sem alterar os procedimentos de
segurança e limitar a automação a
simples controle operacional? A questão
toda é quem é o dono do dado?
Responder isso não é fácil, todos os
interesses e preocupações são legítimas,
e a evolução é quem pressiona a
mudança, sendo assim, é preciso mudar,
sem isso, os ganhos a partir do uso de
dados ficam comprometidos, perceba
como são seus relatórios para tomada de
decisões, se são dados abrangentes de
impacto ou setoriais e locais.
SOLUÇÕES
MAI/24 Convergência TO Tecnologia das Operações e TI Tecnologia da Informação nas Usinas - Márcio Venturelli 6
Unir os times e os departamentos, de
preferencia em um só local, monte uma
liderança compartilhada, com experiencias
dos dois lados, de TI e TO, redesenhe o
plano de governança baseado nesta duas
áreas, engaje a equipe de forma a não
haver uma separação, talvez mude a
terminologia para área de TIO, permita que
os técnicos trabalhem fazendo as mesmas
funções, o de automação fazendo TI e ao
contrário, treine estas pessoas para funções
correlacionadas, tenha uma nova geração
dentro do time, trabalhando com o time
mais experiente, verá que não há
paradigmas neste novo time, e todos
aprendem e evoluem.
FAZER
MAI/24 Convergência TO Tecnologia das Operações e TI Tecnologia da Informação nas Usinas - Márcio Venturelli 7
Tenha um plano de fusão da TO com TI,
desenhado técnica e
administrativamente por todo o time
responsável, engaje, tenha apoio da alta
gestão, inicie aos poucos a convergência
e vá medindo, crie indicadores, incentive
o único time a trabalhar a área como um
todo, faça todos entenderem a
governança única, a cibersegurança e as
questões de atualização, acredite e colha
os resultados de um sistema único de
dados em toda usina, defina metas e
incentive.
CONCLUSÃO
MAI/24 Convergência TO Tecnologia das Operações e TI Tecnologia da Informação nas Usinas - Márcio Venturelli 8
A fusão da TO e TI, além das
outras áreas na usina, é
fundamental em tempos de
gestão de dados digital, a
inteligência dos sistemas está
ligada diretamente aos dados
verticais e horizontais, ingeridos e
processados em tempo real, além
de técnicos trabalhando de forma
livre na convergência de todas as
áreas da cadeia de valor da usina.
AUTOR
MAI/24 Convergência TO Tecnologia das Operações e TI Tecnologia da Informação nas Usinas - Márcio Venturelli 9
Márcio Venturelli trabalha há 30 anos no mercado de Automação Industrial,
desenvolveu sua carreira ao longo do tempo com foco em Inovação e Novas
Tecnologias, especializou-se em Digitalização e Indústria 4.0, atualmente é
Coordenador Técnico do Instituto SENAI de Tecnologia e Professor de Automação
Industrial, como foco em Transformação Digital.
Trabalhou em diversos projetos e implantação de sistemas de controle e
automação industrial, no Brasil e no exterior, além de ser professor de graduação e
pós-graduação nas áreas de automação e gestão industrial e desenvolve pesquisa
aplicada nas áreas da Indústria 4.0.
Graduado em Ciência da Computação com especialização em Controle e
Automação Industrial, possui pós-graduação Ciência de Dados, Gestão Industrial e
Tecnologia do Petróleo e Gás e MBA em Estratégica de Negócios.
Foi membro do Comitê de Convergência de TO-TI do IBP Instituto Brasileiro do
Petróleo, diretor de tecnologia da PI PROFIBUS International e diretor de
tecnologia da ISA Sociedade Internacional de Automação, coordenador do comitê
setorial do CEISE Br - Centro das Indústrias de Bioenergia.
venturelli.tia@gmail.com

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Convergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético

Artigo sig
Artigo sigArtigo sig
Aplicação da governança em ti nas micro empresas
Aplicação da governança em ti nas micro empresasAplicação da governança em ti nas micro empresas
Aplicação da governança em ti nas micro empresas
Guilherme
 
MJV Trends - Tendências em TI 2020
MJV Trends - Tendências em TI 2020MJV Trends - Tendências em TI 2020
MJV Trends - Tendências em TI 2020
MJV Technology & Innovation Brasil
 
Why Cisco for Manufacturing
Why Cisco for ManufacturingWhy Cisco for Manufacturing
Why Cisco for Manufacturing
Rodrigo Leme
 
Trabalho informatica
Trabalho informaticaTrabalho informatica
Trabalho informatica
Alex Santana
 
E-Book TI E-Consulting Corp. 2010
 E-Book TI E-Consulting Corp. 2010 E-Book TI E-Consulting Corp. 2010
E-Book TI E-Consulting Corp. 2010
E-Consulting Corp.
 
E-Book TI Corporativa DOM Strategy Partners 2010
 E-Book TI Corporativa DOM Strategy Partners 2010 E-Book TI Corporativa DOM Strategy Partners 2010
E-Book TI Corporativa DOM Strategy Partners 2010
DOM Strategy Partners
 
tecnologia da informação nas estratégias.pdf
tecnologia da informação nas estratégias.pdftecnologia da informação nas estratégias.pdf
tecnologia da informação nas estratégias.pdf
dataprovider
 
Tecnologia da informação nas mes os impactos organizacionais nos cfcs
Tecnologia da informação nas mes   os impactos organizacionais nos cfcsTecnologia da informação nas mes   os impactos organizacionais nos cfcs
Tecnologia da informação nas mes os impactos organizacionais nos cfcs
Carlos Eduardo
 
Empresa digital
Empresa digitalEmpresa digital
Empresa digital
Éder Britto
 
Gestão da Informação V41n3a05
Gestão da Informação V41n3a05Gestão da Informação V41n3a05
Gestão da Informação V41n3a05
André Sant'Anna Vasques
 
TI para o CxO
TI para o CxOTI para o CxO
TI para o CxO
PMO Fast Track
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
Alex Santana
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
Alex Santana
 
Aula001 - Introdução ao Framework COBIT.pdf
Aula001 - Introdução ao Framework COBIT.pdfAula001 - Introdução ao Framework COBIT.pdf
Aula001 - Introdução ao Framework COBIT.pdf
Santos Riviera
 
EAD Pernambuco -Técnico em Administração -Tecnologia da Informação
EAD Pernambuco -Técnico em Administração -Tecnologia da Informação EAD Pernambuco -Técnico em Administração -Tecnologia da Informação
EAD Pernambuco -Técnico em Administração -Tecnologia da Informação
Universidade de Pernambuco
 
2006 R producao
2006 R producao2006 R producao
2006 R producao
Newton Narciso Pereira
 
Principais desafios, objetivos e benefícios da integração entre a ta e a ti
Principais desafios, objetivos e benefícios da integração entre a ta e a tiPrincipais desafios, objetivos e benefícios da integração entre a ta e a ti
Principais desafios, objetivos e benefícios da integração entre a ta e a ti
Mezasoft
 
ProIndústria 2018 - dia 24 - H201 - A01
ProIndústria 2018 - dia 24 - H201 - A01ProIndústria 2018 - dia 24 - H201 - A01
ProIndústria 2018 - dia 24 - H201 - A01
Evandro Gama (Prof. Dr.)
 
E-Book TI Como Enabler da Competitividade E-Consulting Corp. 2010
 E-Book TI Como Enabler da Competitividade E-Consulting Corp.  2010 E-Book TI Como Enabler da Competitividade E-Consulting Corp.  2010
E-Book TI Como Enabler da Competitividade E-Consulting Corp. 2010
E-Consulting Corp.
 

Semelhante a Convergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético (20)

Artigo sig
Artigo sigArtigo sig
Artigo sig
 
Aplicação da governança em ti nas micro empresas
Aplicação da governança em ti nas micro empresasAplicação da governança em ti nas micro empresas
Aplicação da governança em ti nas micro empresas
 
MJV Trends - Tendências em TI 2020
MJV Trends - Tendências em TI 2020MJV Trends - Tendências em TI 2020
MJV Trends - Tendências em TI 2020
 
Why Cisco for Manufacturing
Why Cisco for ManufacturingWhy Cisco for Manufacturing
Why Cisco for Manufacturing
 
Trabalho informatica
Trabalho informaticaTrabalho informatica
Trabalho informatica
 
E-Book TI E-Consulting Corp. 2010
 E-Book TI E-Consulting Corp. 2010 E-Book TI E-Consulting Corp. 2010
E-Book TI E-Consulting Corp. 2010
 
E-Book TI Corporativa DOM Strategy Partners 2010
 E-Book TI Corporativa DOM Strategy Partners 2010 E-Book TI Corporativa DOM Strategy Partners 2010
E-Book TI Corporativa DOM Strategy Partners 2010
 
tecnologia da informação nas estratégias.pdf
tecnologia da informação nas estratégias.pdftecnologia da informação nas estratégias.pdf
tecnologia da informação nas estratégias.pdf
 
Tecnologia da informação nas mes os impactos organizacionais nos cfcs
Tecnologia da informação nas mes   os impactos organizacionais nos cfcsTecnologia da informação nas mes   os impactos organizacionais nos cfcs
Tecnologia da informação nas mes os impactos organizacionais nos cfcs
 
Empresa digital
Empresa digitalEmpresa digital
Empresa digital
 
Gestão da Informação V41n3a05
Gestão da Informação V41n3a05Gestão da Informação V41n3a05
Gestão da Informação V41n3a05
 
TI para o CxO
TI para o CxOTI para o CxO
TI para o CxO
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 
Aula001 - Introdução ao Framework COBIT.pdf
Aula001 - Introdução ao Framework COBIT.pdfAula001 - Introdução ao Framework COBIT.pdf
Aula001 - Introdução ao Framework COBIT.pdf
 
EAD Pernambuco -Técnico em Administração -Tecnologia da Informação
EAD Pernambuco -Técnico em Administração -Tecnologia da Informação EAD Pernambuco -Técnico em Administração -Tecnologia da Informação
EAD Pernambuco -Técnico em Administração -Tecnologia da Informação
 
2006 R producao
2006 R producao2006 R producao
2006 R producao
 
Principais desafios, objetivos e benefícios da integração entre a ta e a ti
Principais desafios, objetivos e benefícios da integração entre a ta e a tiPrincipais desafios, objetivos e benefícios da integração entre a ta e a ti
Principais desafios, objetivos e benefícios da integração entre a ta e a ti
 
ProIndústria 2018 - dia 24 - H201 - A01
ProIndústria 2018 - dia 24 - H201 - A01ProIndústria 2018 - dia 24 - H201 - A01
ProIndústria 2018 - dia 24 - H201 - A01
 
E-Book TI Como Enabler da Competitividade E-Consulting Corp. 2010
 E-Book TI Como Enabler da Competitividade E-Consulting Corp.  2010 E-Book TI Como Enabler da Competitividade E-Consulting Corp.  2010
E-Book TI Como Enabler da Competitividade E-Consulting Corp. 2010
 

Mais de Marcio Venturelli

EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIAEAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
Marcio Venturelli
 
USINA 4.0 – A QUARTA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL NO SETOR SUCROENERGÉTICO
USINA 4.0 – A QUARTA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL NO SETOR SUCROENERGÉTICOUSINA 4.0 – A QUARTA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL NO SETOR SUCROENERGÉTICO
USINA 4.0 – A QUARTA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL NO SETOR SUCROENERGÉTICO
Marcio Venturelli
 
Global Lighthouse Network - 2023
Global Lighthouse Network - 2023Global Lighthouse Network - 2023
Global Lighthouse Network - 2023
Marcio Venturelli
 
Global Lighthouse Network - 2022
Global Lighthouse Network - 2022Global Lighthouse Network - 2022
Global Lighthouse Network - 2022
Marcio Venturelli
 
Global Lighthouse Network - 2021
Global Lighthouse Network - 2021Global Lighthouse Network - 2021
Global Lighthouse Network - 2021
Marcio Venturelli
 
Global Lighthouse Network - 2020
Global Lighthouse Network - 2020Global Lighthouse Network - 2020
Global Lighthouse Network - 2020
Marcio Venturelli
 
Global Lighthouse Network - 2019
Global Lighthouse Network - 2019Global Lighthouse Network - 2019
Global Lighthouse Network - 2019
Marcio Venturelli
 
GAP ANALYSIS DA ISO 50001 NAS USINAS
GAP ANALYSIS DA ISO 50001 NAS USINASGAP ANALYSIS DA ISO 50001 NAS USINAS
GAP ANALYSIS DA ISO 50001 NAS USINAS
Marcio Venturelli
 
APLICAÇÕES DA IA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL NAS USINAS
APLICAÇÕES DA IA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL NAS USINASAPLICAÇÕES DA IA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL NAS USINAS
APLICAÇÕES DA IA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL NAS USINAS
Marcio Venturelli
 
A IMPORTÂNCIA DO CONHECIMENTO DE CIÊNCIA DE DADOS PARA GESTORES DE USINAS
A IMPORTÂNCIA DO CONHECIMENTO DE CIÊNCIA DE DADOS PARA GESTORES DE USINASA IMPORTÂNCIA DO CONHECIMENTO DE CIÊNCIA DE DADOS PARA GESTORES DE USINAS
A IMPORTÂNCIA DO CONHECIMENTO DE CIÊNCIA DE DADOS PARA GESTORES DE USINAS
Marcio Venturelli
 
DAS USINAS SUCROENERGÉTICAS PARA O SETOR DE BIORREFINARIAS - O FUTURO DO SETOR
DAS USINAS SUCROENERGÉTICAS PARA O SETOR DE BIORREFINARIAS - O FUTURO DO SETORDAS USINAS SUCROENERGÉTICAS PARA O SETOR DE BIORREFINARIAS - O FUTURO DO SETOR
DAS USINAS SUCROENERGÉTICAS PARA O SETOR DE BIORREFINARIAS - O FUTURO DO SETOR
Marcio Venturelli
 
COMO FAZER A TRANSFORMAÇÃO DIGITAL NO SETOR SUCROENERGÉTICO
COMO FAZER A TRANSFORMAÇÃO DIGITAL NO SETOR SUCROENERGÉTICOCOMO FAZER A TRANSFORMAÇÃO DIGITAL NO SETOR SUCROENERGÉTICO
COMO FAZER A TRANSFORMAÇÃO DIGITAL NO SETOR SUCROENERGÉTICO
Marcio Venturelli
 
Automação de Biorrefinarias de Etanol de Segunda Geração E2G
Automação de Biorrefinarias de Etanol de Segunda Geração E2GAutomação de Biorrefinarias de Etanol de Segunda Geração E2G
Automação de Biorrefinarias de Etanol de Segunda Geração E2G
Marcio Venturelli
 
Usina 4.0 - A Quarta Revolução Industrial no Setor Sucroenergético
Usina 4.0 - A Quarta Revolução Industrial no Setor SucroenergéticoUsina 4.0 - A Quarta Revolução Industrial no Setor Sucroenergético
Usina 4.0 - A Quarta Revolução Industrial no Setor Sucroenergético
Marcio Venturelli
 
Ficção Científica no Campo e na Indústria
Ficção Científica no Campo e na IndústriaFicção Científica no Campo e na Indústria
Ficção Científica no Campo e na Indústria
Marcio Venturelli
 
Modelos de Processo para Adaptação Indústria 4.0
Modelos de Processo para Adaptação Indústria 4.0Modelos de Processo para Adaptação Indústria 4.0
Modelos de Processo para Adaptação Indústria 4.0
Marcio Venturelli
 
SOLUÇÕES PARA A INDÚSTRIA 4.0
SOLUÇÕES PARA A INDÚSTRIA 4.0SOLUÇÕES PARA A INDÚSTRIA 4.0
SOLUÇÕES PARA A INDÚSTRIA 4.0
Marcio Venturelli
 

Mais de Marcio Venturelli (17)

EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIAEAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
 
USINA 4.0 – A QUARTA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL NO SETOR SUCROENERGÉTICO
USINA 4.0 – A QUARTA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL NO SETOR SUCROENERGÉTICOUSINA 4.0 – A QUARTA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL NO SETOR SUCROENERGÉTICO
USINA 4.0 – A QUARTA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL NO SETOR SUCROENERGÉTICO
 
Global Lighthouse Network - 2023
Global Lighthouse Network - 2023Global Lighthouse Network - 2023
Global Lighthouse Network - 2023
 
Global Lighthouse Network - 2022
Global Lighthouse Network - 2022Global Lighthouse Network - 2022
Global Lighthouse Network - 2022
 
Global Lighthouse Network - 2021
Global Lighthouse Network - 2021Global Lighthouse Network - 2021
Global Lighthouse Network - 2021
 
Global Lighthouse Network - 2020
Global Lighthouse Network - 2020Global Lighthouse Network - 2020
Global Lighthouse Network - 2020
 
Global Lighthouse Network - 2019
Global Lighthouse Network - 2019Global Lighthouse Network - 2019
Global Lighthouse Network - 2019
 
GAP ANALYSIS DA ISO 50001 NAS USINAS
GAP ANALYSIS DA ISO 50001 NAS USINASGAP ANALYSIS DA ISO 50001 NAS USINAS
GAP ANALYSIS DA ISO 50001 NAS USINAS
 
APLICAÇÕES DA IA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL NAS USINAS
APLICAÇÕES DA IA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL NAS USINASAPLICAÇÕES DA IA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL NAS USINAS
APLICAÇÕES DA IA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL NAS USINAS
 
A IMPORTÂNCIA DO CONHECIMENTO DE CIÊNCIA DE DADOS PARA GESTORES DE USINAS
A IMPORTÂNCIA DO CONHECIMENTO DE CIÊNCIA DE DADOS PARA GESTORES DE USINASA IMPORTÂNCIA DO CONHECIMENTO DE CIÊNCIA DE DADOS PARA GESTORES DE USINAS
A IMPORTÂNCIA DO CONHECIMENTO DE CIÊNCIA DE DADOS PARA GESTORES DE USINAS
 
DAS USINAS SUCROENERGÉTICAS PARA O SETOR DE BIORREFINARIAS - O FUTURO DO SETOR
DAS USINAS SUCROENERGÉTICAS PARA O SETOR DE BIORREFINARIAS - O FUTURO DO SETORDAS USINAS SUCROENERGÉTICAS PARA O SETOR DE BIORREFINARIAS - O FUTURO DO SETOR
DAS USINAS SUCROENERGÉTICAS PARA O SETOR DE BIORREFINARIAS - O FUTURO DO SETOR
 
COMO FAZER A TRANSFORMAÇÃO DIGITAL NO SETOR SUCROENERGÉTICO
COMO FAZER A TRANSFORMAÇÃO DIGITAL NO SETOR SUCROENERGÉTICOCOMO FAZER A TRANSFORMAÇÃO DIGITAL NO SETOR SUCROENERGÉTICO
COMO FAZER A TRANSFORMAÇÃO DIGITAL NO SETOR SUCROENERGÉTICO
 
Automação de Biorrefinarias de Etanol de Segunda Geração E2G
Automação de Biorrefinarias de Etanol de Segunda Geração E2GAutomação de Biorrefinarias de Etanol de Segunda Geração E2G
Automação de Biorrefinarias de Etanol de Segunda Geração E2G
 
Usina 4.0 - A Quarta Revolução Industrial no Setor Sucroenergético
Usina 4.0 - A Quarta Revolução Industrial no Setor SucroenergéticoUsina 4.0 - A Quarta Revolução Industrial no Setor Sucroenergético
Usina 4.0 - A Quarta Revolução Industrial no Setor Sucroenergético
 
Ficção Científica no Campo e na Indústria
Ficção Científica no Campo e na IndústriaFicção Científica no Campo e na Indústria
Ficção Científica no Campo e na Indústria
 
Modelos de Processo para Adaptação Indústria 4.0
Modelos de Processo para Adaptação Indústria 4.0Modelos de Processo para Adaptação Indústria 4.0
Modelos de Processo para Adaptação Indústria 4.0
 
SOLUÇÕES PARA A INDÚSTRIA 4.0
SOLUÇÕES PARA A INDÚSTRIA 4.0SOLUÇÕES PARA A INDÚSTRIA 4.0
SOLUÇÕES PARA A INDÚSTRIA 4.0
 

Último

Por que escolhi o Flutter - Campus Party Piauí.pdf
Por que escolhi o Flutter - Campus Party Piauí.pdfPor que escolhi o Flutter - Campus Party Piauí.pdf
Por que escolhi o Flutter - Campus Party Piauí.pdf
Ian Oliveira
 
PRATICANDO O SCRUM Scrum team, product owner
PRATICANDO O SCRUM Scrum team, product ownerPRATICANDO O SCRUM Scrum team, product owner
PRATICANDO O SCRUM Scrum team, product owner
anpproferick
 
Teoria de redes de computadores redes .doc
Teoria de redes de computadores redes .docTeoria de redes de computadores redes .doc
Teoria de redes de computadores redes .doc
anpproferick
 
Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!
Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!
Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!
Annelise Gripp
 
Orientações para utilizar Drone no espaço Brasil
Orientações para utilizar Drone no espaço BrasilOrientações para utilizar Drone no espaço Brasil
Orientações para utilizar Drone no espaço Brasil
EliakimArajo2
 
Como fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptx
Como fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptxComo fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptx
Como fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptx
tnrlucas
 
Gestão de dados: sua importância e benefícios
Gestão de dados: sua importância e benefíciosGestão de dados: sua importância e benefícios
Gestão de dados: sua importância e benefícios
Rafael Santos
 

Último (7)

Por que escolhi o Flutter - Campus Party Piauí.pdf
Por que escolhi o Flutter - Campus Party Piauí.pdfPor que escolhi o Flutter - Campus Party Piauí.pdf
Por que escolhi o Flutter - Campus Party Piauí.pdf
 
PRATICANDO O SCRUM Scrum team, product owner
PRATICANDO O SCRUM Scrum team, product ownerPRATICANDO O SCRUM Scrum team, product owner
PRATICANDO O SCRUM Scrum team, product owner
 
Teoria de redes de computadores redes .doc
Teoria de redes de computadores redes .docTeoria de redes de computadores redes .doc
Teoria de redes de computadores redes .doc
 
Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!
Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!
Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!
 
Orientações para utilizar Drone no espaço Brasil
Orientações para utilizar Drone no espaço BrasilOrientações para utilizar Drone no espaço Brasil
Orientações para utilizar Drone no espaço Brasil
 
Como fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptx
Como fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptxComo fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptx
Como fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptx
 
Gestão de dados: sua importância e benefícios
Gestão de dados: sua importância e benefíciosGestão de dados: sua importância e benefícios
Gestão de dados: sua importância e benefícios
 

Convergência TO e TI nas Usinas - Setor Sucroenergético

  • 1. Convergência TO Tecnologia das Operações e TI Tecnologia da Informação nas Usinas
  • 2. FATO MAI/24 Convergência TO Tecnologia das Operações e TI Tecnologia da Informação nas Usinas - Márcio Venturelli 2 Ainda que o tema não seja novo, os problemas continuam os mesmos, a dificuldade de conectar física e logicamente os sistemas de dados oriundos das operações produtivas e controle operacional das usinas, chamadas de TO Tecnologia da Operação, e das informações gerenciais e administrativas, chamadas de TI Tecnologia da Informação.
  • 3. POR QUE MAI/24 Convergência TO Tecnologia das Operações e TI Tecnologia da Informação nas Usinas - Márcio Venturelli 3 Isso ocorre por diversos motivos, a cultura é o principal deles, uma vez que toda esta necessidade gera uma pressão entre formações diferentes, gerações diferentes e interesses diversos. O avanço tecnológico da TI com as facilidades de atualização de sistemas, sem contar com verbas cada vez mais provisionadas e estruturadas a partir de programas de governança, do outro lado, a automação dos processos cada vez mais gerando mais dados, mas sem conectividade com a área de gestão, a despeito de cada vez mais, os ativos fornecerem cada vez mais informações em tempo real, em protocolos cada vez mais aderentes a TI.
  • 4. IMPACTO MAI/24 Convergência TO Tecnologia das Operações e TI Tecnologia da Informação nas Usinas - Márcio Venturelli 4 Essa separação ou divisão, limita os sistemas de gestão de tomada de decisões da usina a compartilharem dados, os sistemas analíticos precisam correlacionar dados na linha do tempo, desta forma, ainda continuaremos ter relatórios baseado em operações, muitos baseados em planilhas e relatórios baseado em administração, indicando o passado, perdendo a oportunidade de cruzar informações, encurtando processos e automatizando sistemas a partir de dados, inclusive baseado em tendencias futuras do processo.
  • 5. DESAFIO MAI/24 Convergência TO Tecnologia das Operações e TI Tecnologia da Informação nas Usinas - Márcio Venturelli 5 Como unir pessoas e departamentos de TO e TI sem alterar os procedimentos de segurança e limitar a automação a simples controle operacional? A questão toda é quem é o dono do dado? Responder isso não é fácil, todos os interesses e preocupações são legítimas, e a evolução é quem pressiona a mudança, sendo assim, é preciso mudar, sem isso, os ganhos a partir do uso de dados ficam comprometidos, perceba como são seus relatórios para tomada de decisões, se são dados abrangentes de impacto ou setoriais e locais.
  • 6. SOLUÇÕES MAI/24 Convergência TO Tecnologia das Operações e TI Tecnologia da Informação nas Usinas - Márcio Venturelli 6 Unir os times e os departamentos, de preferencia em um só local, monte uma liderança compartilhada, com experiencias dos dois lados, de TI e TO, redesenhe o plano de governança baseado nesta duas áreas, engaje a equipe de forma a não haver uma separação, talvez mude a terminologia para área de TIO, permita que os técnicos trabalhem fazendo as mesmas funções, o de automação fazendo TI e ao contrário, treine estas pessoas para funções correlacionadas, tenha uma nova geração dentro do time, trabalhando com o time mais experiente, verá que não há paradigmas neste novo time, e todos aprendem e evoluem.
  • 7. FAZER MAI/24 Convergência TO Tecnologia das Operações e TI Tecnologia da Informação nas Usinas - Márcio Venturelli 7 Tenha um plano de fusão da TO com TI, desenhado técnica e administrativamente por todo o time responsável, engaje, tenha apoio da alta gestão, inicie aos poucos a convergência e vá medindo, crie indicadores, incentive o único time a trabalhar a área como um todo, faça todos entenderem a governança única, a cibersegurança e as questões de atualização, acredite e colha os resultados de um sistema único de dados em toda usina, defina metas e incentive.
  • 8. CONCLUSÃO MAI/24 Convergência TO Tecnologia das Operações e TI Tecnologia da Informação nas Usinas - Márcio Venturelli 8 A fusão da TO e TI, além das outras áreas na usina, é fundamental em tempos de gestão de dados digital, a inteligência dos sistemas está ligada diretamente aos dados verticais e horizontais, ingeridos e processados em tempo real, além de técnicos trabalhando de forma livre na convergência de todas as áreas da cadeia de valor da usina.
  • 9. AUTOR MAI/24 Convergência TO Tecnologia das Operações e TI Tecnologia da Informação nas Usinas - Márcio Venturelli 9 Márcio Venturelli trabalha há 30 anos no mercado de Automação Industrial, desenvolveu sua carreira ao longo do tempo com foco em Inovação e Novas Tecnologias, especializou-se em Digitalização e Indústria 4.0, atualmente é Coordenador Técnico do Instituto SENAI de Tecnologia e Professor de Automação Industrial, como foco em Transformação Digital. Trabalhou em diversos projetos e implantação de sistemas de controle e automação industrial, no Brasil e no exterior, além de ser professor de graduação e pós-graduação nas áreas de automação e gestão industrial e desenvolve pesquisa aplicada nas áreas da Indústria 4.0. Graduado em Ciência da Computação com especialização em Controle e Automação Industrial, possui pós-graduação Ciência de Dados, Gestão Industrial e Tecnologia do Petróleo e Gás e MBA em Estratégica de Negócios. Foi membro do Comitê de Convergência de TO-TI do IBP Instituto Brasileiro do Petróleo, diretor de tecnologia da PI PROFIBUS International e diretor de tecnologia da ISA Sociedade Internacional de Automação, coordenador do comitê setorial do CEISE Br - Centro das Indústrias de Bioenergia. venturelli.tia@gmail.com