SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 40
Sustentabilidade em Energia ElétricaSustentabilidade em Energia Elétrica
para Hotelaria.para Hotelaria.
CONOTEL 2015CONOTEL 2015
Eng. Gerson Sampaio FilhoEng. Gerson Sampaio Filho
Água: solicitar por e-mail paraÁgua: solicitar por e-mail para
sampaio@teknergia.com.brsampaio@teknergia.com.br
Análise de viabilidade econômica dos sistemas
de aproveitamento de água de chuva
ItensItens Reservatório de 5,0 m³Reservatório de 5,0 m³ Reservatório de 2,5 m³Reservatório de 2,5 m³
Custo do materialCusto do material R$ 1.500,00R$ 1.500,00 R$ 1.000,00R$ 1.000,00
Mão de obraMão de obra R$ 600,00R$ 600,00 R$ 400,00R$ 400,00
Custo TotalCusto Total R$ 2.100,00R$ 2.100,00 R$ 1.400,00R$ 1.400,00
Economia de águaEconomia de água
gerada pelo sistemagerada pelo sistema
R$ 338,94 / anoR$ 338,94 / ano R$ 182,70 / anoR$ 182,70 / ano
Custo deCusto de
manutençãomanutenção
R$ 100,00 / anoR$ 100,00 / ano R$ 100,00 / anoR$ 100,00 / ano
Taxa de jurosTaxa de juros 10% aa.10% aa. 10% aa.10% aa.
Vida útil do projetoVida útil do projeto 20 anos20 anos 20 anos20 anos
Período dePeríodo de
retorno calculadoretorno calculado
8 anos e 9 meses8 anos e 9 meses 12 anos e 4 meses12 anos e 4 meses
O que recomendamos:
• A SOLUÇÃO É MUDAR DE ATITUDE.
• CRITIQUE:
• SUA CONTA DE ENERGIA.
• MEDIÇÃO DA CONCESSIONÁRIA.
• SUA INSTALAÇÃO.
• SEUS MÉTODOS E PROCESSOS.
Todos os dias TOMAMOS INICIATIVAS que
mudam o mundo.
Apoiando ONGs ajudamos a salvar vidas;
Participando da discussão política, contribuímos
para o progresso e a geração de empregos;
Podemos fazer a sustentabilidade e
melhora da sociedade.
Com contribuições de grande alcance
cultural e econômico, você pode fazer
acontecer o intercâmbio de opiniões e
conhecimento.
 MALUF DECLARA :: PERTO DO PT SOU UM
TROMBADINHA !!!
 GOVERNO TROCA RACIONAMENTO POR APAGÃO.
 QUALIDADE DE ENERGIA CAIU NOS ÚLTIMOS 8 ANOS.
 AGENDA DA REVISÃO CONSTITUCIONAL.
 ROMBO DO SETOR ELÉTRICO CHEGA A 120 BILHÕES.
 NÃO EXISTEM SOLUÇÕES SIMPLES PARA PROBLEMAS
ESTRUTURAIS COMPLICADOS.
Notícias do dia!Notícias do dia!
• 1 BRASIL 274
• 2 Dinamarca 222
• 3 Japão (70MW solar) 214
• 4 Holanda 167
• 5 Alemanha 167
• 6 Áustria 136
• 7 Portugal 134
• 8 Itália 134
• 9 Bélgica 132
média valores com impostos R$/MWh
Comparação internacional deComparação internacional de
tarifas, com impostostarifas, com impostos
média valores com impostos R$/MWh
24 Grécia 83
26 US 81
27 Rep. Tcheca 81
28 Rep. Eslovaca 73
29 Nova Zelândia 71
30 Austrália 62
31 Canadá 60
Comparação internacional deComparação internacional de
tarifas, com impostostarifas, com impostos
Do faturamento sobre energia elétrica:
52% total de tributos, compostos de :
32% de tributos diretos.
8% de outros encargos setoriais.
15,2% de custos operacionais.
CONCLUSÃO:
Urge corrigir esta distorção para evitar aumento
continuo de tarifas para os próximos anos.
A Loucura TributáriaA Loucura Tributária
1. IRPJ: Imposto de Renda
2. CSLL: Contribuição Social Lucro Líquido
3. ICMS: Circulação Mercadorias Serviços
4. ISS: Imposto sobre Serviços
5. PIS/Pasep: Programa de Integração
Social e Programa de Formação do
Patrimônio do Servidor Público
TributosTributos
6. Cofins: Fin. da Seguridade Social
7. ITR: Imposto Territorial Rural
8. IPVA: Prop. de Veículos Automotores
9. IPTU: Propriedade Territorial Urbana
10. INSS: Contribuição ao INSS
11. FGTS: Fundo de Garantia por Tempo de
Serviço.
12. Outros Encargos Sociais: SAT, Salário
Educação, Sistema “S”
TributosTributos
13.CCC: Conta de Consumo de Combustível
14.CDE: Desenvolvimento Energético
15.CFURH: Compens. Financ. Rec. Hídricos
16.ESS: Encargos de Serviços do Sistema
17.EER: Encargo de Energia de Reserva
18.TFSEE: Tx Fisc. Serviços de E. Elétrica
19. RGR: Reserva Global de Reversão
20.Outros Enc Set. UBP,P&D , CCEE,ONS.
Encargos SetoriaisEncargos Setoriais
ProescoProesco
 Financia obras (incluindo estudos) e equipamentos
 Financiado: Cliente ou ESCO
 Custo: TJLP + 1,5% BNDES + 1% Banco + até 3% Risco
 Participação: Até 70% do investimento
 Prazo: até 6 anos com carência até 2 anos
 Garantias: Direitos creditórios (contrato de performance)
O PROESCO é uma linha de crédito do BNDES específica para
projetos de eficiência energética, com ênfase no apoio às
Empresas de Serviços de Conservação de Energia (ESCO).
ALIMENTAÇÃO, TRANSFORMAÇÃO E DISTRIBUIÇÃOALIMENTAÇÃO, TRANSFORMAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO
Localização das subestações;
Dados caracteristicos dos trafos;
Levantamento das grandezas elétricas dos trafos
(carregamento, tensões e corrente por fase);
Estado de conservação e manutenção do ambiente e
equipamentos;
Aterramento da Subestação;
Temperaturas no interior e fora das Cabines;
Varredura por termovisor dos quadros de distribuição;
Possibilidade de alteração nos níveis de tensão;
Medição de corrente;
• Cabo Oxidado 1,5 kW • Barramento 2,25 kW
Análise TermográficaAnálise Termográfica
 Separação da conta em áreas de controle.
Cobrança de conta de setores e empresas
terceirizadas
Medições e Metas de consumo em todos os painéis,
Substituição do gás refrigerante R22.
Termografia e redução de perdas e fugas com
reformas.
Sensores e automação de ramais,
Treinamento operacional.
Substituição de motores de bombas.
Substituição de lampadas, uso de LED’s.
AçõesAções
Portfólio
 Correção das perdas nas linhas
Controle de demanda
Geração local
Cogeração (vapor + eletricidade)
Recuperação de perdas (calor)
Utilização da alta tensão para alimentar
equipamento mais importante
Correção do fator de potência
Aumento da tensão secundária
Cursos e treinamentos permanentes
AçõesAções
Simplicidade e Economia
Finalidade
Trata-se de uma solução simples que consiste na troca do fluído
refrigerante atual, sem adaptações e modificações, por um fluído natural
de última geração, que além de ser 100% ecológico possui altíssimo
nível de pureza e baixa compressão, entre outras propriedades que
proporcionam um melhor desempenho do sistema, reduzindo os custos
com manutenção e consumo de energia.
Certificação de EdificaçõesCertificação de Edificações
No início de 2007 foi publicada a
regulamentação brasileira para a
etiquetagem energética de edifícios
Luz Solar ZenitalLuz Solar Zenital
O sistema que conduz a luz natural até sua área de trabalho através de dutos
tubulares de alta reflexão com diâmetros de 25, 37, 53 e 65 cm.
O sistema é composto por:
• Cúpula transparente em material resistente a ação do tempo, com filtro de
Infravermelho e ultra-violeta.
• Dispositivo interno com micro-espelhos de Fresnel, que desvia a luz natural
difusa externa para um sistema de tubos espelhados, com transmissão de 92 a
98% , conduzindo a luz para o interior do ambiente em distancias de até 18
metros, atravessando tetos , lajes e e fôrros , mesmo com curvas.
• Luminária difusora que recebe a luz e transmite ao ambiente com alto grau de
distribuição, apresentada em diversos modelos dependendo do tipo de
aplicação.
• Dutos Condutores. O diâmetro do tubo varia conforme a geometria do
percurso, a distância entre teto e ponto a iluminar e área a iluminar.
• GERADORES EOLICOS , DUAS
TECNOLOGIAS:
• 1-POTENCIA DE 1 A 80 KW ,
AMORTIZÁVEIS EM 36 A 42 MESES.
FORTE APELO DE MARKETING E DE
SUSTENTABILIDADE.
• 2- ALTAS POTÊNCIAS , PARA
PROJETOS E VENDA EM LEILÕES.
Energia EólicaEnergia Eólica
• TRAZ FORTE APELO MERCADOLÓGICO E
DE SUSTENTABILIDADE.
• HOJE É GERAÇÃO DISTRIBUIDA
COMPETITIVA.
• 4 FÁBRICAS EM IMPLANTAÇÃO NO BRASIL.
Energia Solar FotovoltaicaEnergia Solar Fotovoltaica
• Laudo Técnico: Parecer do Perito ou Auditor.
• Relatório Técnico/Avaliações: É a
exposição, análises de perícias ou auditorias.
• Prontuário das Instalações Elétricas:
Arquivo c/ plantas civis, elétricas e mecânicas;
quadros e painéis elétricos.PPP - Perfil
Profissiográfico Previdenciário; PCMSO -
Programa de Controle Médico de Saúde
Ocupacional, PPRA - Plano de Prevenção.
• Certificado das Instalações Elétricas: pela
NR-10, elaborado por peritos habilitados ,
equipamentos, ferramentais, EPI’s e EPC’s.
Cogeração no Mundo
0 5 10 15 20 25 30 35 40
Holanda
Dinamarca
Finlandia
Alemanha
China
Polônia
Média Europeia
EUA
Inglaterra
Australia
Japão
França
% Matriz Energética
CogeraçãoCogeração
Gerenciamento de Projetos
Gestão Estratégica de Energia
Conservação e Eficiência Energética
Laudo Técnico para Recuperação de ICMS
Projetos, Instalação e Manutenção Elétrica
Inspeção Técnica em Instalações
Sistema de Proteção de Descargas Atmosférica
Cursos e Treinamentos
Clientes AtendidosClientes Atendidos
teknergia@teknergia.com.brteknergia@teknergia.com.br
www.teknergia.com.brwww.teknergia.com.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Plano de Projeto - GREENSOLAR
Plano de Projeto - GREENSOLARPlano de Projeto - GREENSOLAR
Plano de Projeto - GREENSOLAR
Robson Josué Molgaro
 
17.ago ouro i 16.00_424_aeselpa
17.ago ouro i 16.00_424_aeselpa17.ago ouro i 16.00_424_aeselpa
17.ago ouro i 16.00_424_aeselpa
itgfiles
 

Mais procurados (20)

Cartilha solar
Cartilha solarCartilha solar
Cartilha solar
 
Sistemas de geração e cogeração da CHP Brasil
Sistemas de geração e cogeração da CHP BrasilSistemas de geração e cogeração da CHP Brasil
Sistemas de geração e cogeração da CHP Brasil
 
Sistemas de Medição Inteligente
Sistemas de Medição InteligenteSistemas de Medição Inteligente
Sistemas de Medição Inteligente
 
Stark Haus Construções Inteligentes
Stark Haus Construções InteligentesStark Haus Construções Inteligentes
Stark Haus Construções Inteligentes
 
ApresentaçãO Premiar Encontro Aes Eletropaulo
ApresentaçãO Premiar   Encontro Aes EletropauloApresentaçãO Premiar   Encontro Aes Eletropaulo
ApresentaçãO Premiar Encontro Aes Eletropaulo
 
Plano de Projeto - GREENSOLAR
Plano de Projeto - GREENSOLARPlano de Projeto - GREENSOLAR
Plano de Projeto - GREENSOLAR
 
Análise da viabilidade técnico-econômica da utilização de bio-óleo na geração...
Análise da viabilidade técnico-econômica da utilização de bio-óleo na geração...Análise da viabilidade técnico-econômica da utilização de bio-óleo na geração...
Análise da viabilidade técnico-econômica da utilização de bio-óleo na geração...
 
Iniciativas Européias para Fomento da Eficiência Energética
Iniciativas Européias para Fomento da Eficiência EnergéticaIniciativas Européias para Fomento da Eficiência Energética
Iniciativas Européias para Fomento da Eficiência Energética
 
Projeto 3E - Transformação do mercado de eficiência energética em edifícios p...
Projeto 3E - Transformação do mercado de eficiência energética em edifícios p...Projeto 3E - Transformação do mercado de eficiência energética em edifícios p...
Projeto 3E - Transformação do mercado de eficiência energética em edifícios p...
 
Eficiência Energética em Plantas Industriais
Eficiência Energética em Plantas IndustriaisEficiência Energética em Plantas Industriais
Eficiência Energética em Plantas Industriais
 
Chillers e Sistemas de Água Gelada - Ainda a Solução mais efeiciente para HVAC
Chillers e Sistemas de Água Gelada - Ainda a Solução mais efeiciente para HVACChillers e Sistemas de Água Gelada - Ainda a Solução mais efeiciente para HVAC
Chillers e Sistemas de Água Gelada - Ainda a Solução mais efeiciente para HVAC
 
Eficiencia energetica apresentação
Eficiencia energetica apresentaçãoEficiencia energetica apresentação
Eficiencia energetica apresentação
 
Delcio cidades solares
Delcio cidades solaresDelcio cidades solares
Delcio cidades solares
 
SUSTENTABILIDADE – UMA MISSÃO DE TODOS
SUSTENTABILIDADE – UMA MISSÃO DE TODOSSUSTENTABILIDADE – UMA MISSÃO DE TODOS
SUSTENTABILIDADE – UMA MISSÃO DE TODOS
 
Institucional Master Solar
Institucional Master SolarInstitucional Master Solar
Institucional Master Solar
 
Heliotek informa 23
Heliotek informa 23Heliotek informa 23
Heliotek informa 23
 
17.ago ouro i 16.00_424_aeselpa
17.ago ouro i 16.00_424_aeselpa17.ago ouro i 16.00_424_aeselpa
17.ago ouro i 16.00_424_aeselpa
 
Case CICE
Case CICECase CICE
Case CICE
 
biogás produzido a partir de vinhaça- estudo técnico e normativo
biogás produzido a partir de vinhaça- estudo técnico e normativobiogás produzido a partir de vinhaça- estudo técnico e normativo
biogás produzido a partir de vinhaça- estudo técnico e normativo
 
Conheça mais sobre construções rápidas de usinas fotovoltaicas
Conheça mais sobre construções rápidas de usinas fotovoltaicasConheça mais sobre construções rápidas de usinas fotovoltaicas
Conheça mais sobre construções rápidas de usinas fotovoltaicas
 

Destaque

Destaque (12)

RESUME
RESUMERESUME
RESUME
 
Каждому "свой " вид спорта - работа ученицы 5 «А» класса МБОУ Школы № 70 Си...
 Каждому "свой " вид спорта -  работа ученицы 5 «А» класса МБОУ Школы № 70 Си... Каждому "свой " вид спорта -  работа ученицы 5 «А» класса МБОУ Школы № 70 Си...
Каждому "свой " вид спорта - работа ученицы 5 «А» класса МБОУ Школы № 70 Си...
 
P&G
P&GP&G
P&G
 
Presentation ECN
Presentation ECNPresentation ECN
Presentation ECN
 
Official Campus Eye Slide Deck
Official Campus Eye Slide DeckOfficial Campus Eye Slide Deck
Official Campus Eye Slide Deck
 
Bo si do bo --- http://xuongmayquanaokn.com/
Bo si do bo --- http://xuongmayquanaokn.com/Bo si do bo --- http://xuongmayquanaokn.com/
Bo si do bo --- http://xuongmayquanaokn.com/
 
BlueBRIDGE: Cloud infrastructure serving aquafarms and supporting models
BlueBRIDGE: Cloud infrastructure serving aquafarms and supporting modelsBlueBRIDGE: Cloud infrastructure serving aquafarms and supporting models
BlueBRIDGE: Cloud infrastructure serving aquafarms and supporting models
 
Mysql clone-tables
Mysql clone-tablesMysql clone-tables
Mysql clone-tables
 
Virtual Research Environments supporting tailor-made data management service...
Virtual Research Environments supporting tailor-made data management service...Virtual Research Environments supporting tailor-made data management service...
Virtual Research Environments supporting tailor-made data management service...
 
MED101 Introduction to Amazon CloudFront - AWS re: Invent 2012
MED101 Introduction to Amazon CloudFront - AWS re: Invent 2012MED101 Introduction to Amazon CloudFront - AWS re: Invent 2012
MED101 Introduction to Amazon CloudFront - AWS re: Invent 2012
 
Gubendran Lakshmanan
Gubendran LakshmananGubendran Lakshmanan
Gubendran Lakshmanan
 
funditpresFINAL
funditpresFINALfunditpresFINAL
funditpresFINAL
 

Semelhante a CONOTEL - Congresso Nacional de Hotéis

Apresentacao biocity junho 2013
Apresentacao biocity junho 2013Apresentacao biocity junho 2013
Apresentacao biocity junho 2013
Biocity Consulting
 
Brochura Solexor Tecnologias Solares
Brochura Solexor Tecnologias SolaresBrochura Solexor Tecnologias Solares
Brochura Solexor Tecnologias Solares
Lester Izaac
 
Soluções em eficiência energética.
Soluções em eficiência energética.Soluções em eficiência energética.
Soluções em eficiência energética.
abihoestepr
 
ApresentaçãO Dr AntóNio Joyce
ApresentaçãO Dr AntóNio JoyceApresentaçãO Dr AntóNio Joyce
ApresentaçãO Dr AntóNio Joyce
cideias
 
m2cE apresentação 12março2014
m2cE apresentação 12março2014m2cE apresentação 12março2014
m2cE apresentação 12março2014
claudiaasousa
 
Alexandre Fernandes - ADENE
Alexandre Fernandes - ADENEAlexandre Fernandes - ADENE
Alexandre Fernandes - ADENE
ken.nunes
 
03 APA ICS Alexandre Fernandes ADENE 17 02 09.ppt
03 APA ICS Alexandre Fernandes ADENE 17 02 09.ppt03 APA ICS Alexandre Fernandes ADENE 17 02 09.ppt
03 APA ICS Alexandre Fernandes ADENE 17 02 09.ppt
ken.nunes
 
RNAE_SeminarioESCO_Guimaraes_14Fev2011_ADENE_AlexandreFernandes_ECOAP.pdf
RNAE_SeminarioESCO_Guimaraes_14Fev2011_ADENE_AlexandreFernandes_ECOAP.pdfRNAE_SeminarioESCO_Guimaraes_14Fev2011_ADENE_AlexandreFernandes_ECOAP.pdf
RNAE_SeminarioESCO_Guimaraes_14Fev2011_ADENE_AlexandreFernandes_ECOAP.pdf
JosAzevedo64
 

Semelhante a CONOTEL - Congresso Nacional de Hotéis (20)

Workshop EE 2014 - 06. Rubens Bruncek - Eficiência Energética em Sistemas E...
Workshop EE 2014 - 06. Rubens Bruncek - Eficiência Energética em Sistemas E...Workshop EE 2014 - 06. Rubens Bruncek - Eficiência Energética em Sistemas E...
Workshop EE 2014 - 06. Rubens Bruncek - Eficiência Energética em Sistemas E...
 
Apresentacao biocity junho 2013
Apresentacao biocity junho 2013Apresentacao biocity junho 2013
Apresentacao biocity junho 2013
 
Painel 3 – Desempenho Energético Operacional em Edificações
Painel 3 – Desempenho Energético Operacional em EdificaçõesPainel 3 – Desempenho Energético Operacional em Edificações
Painel 3 – Desempenho Energético Operacional em Edificações
 
Brochura Solexor Tecnologias Solares
Brochura Solexor Tecnologias SolaresBrochura Solexor Tecnologias Solares
Brochura Solexor Tecnologias Solares
 
ANÁLISE DE TRANSFORMADORES DE DISTRIBUIÇÃO VISANDO REDUÇÃO DE PERDAS NO SISTE...
ANÁLISE DE TRANSFORMADORES DE DISTRIBUIÇÃO VISANDO REDUÇÃO DE PERDAS NO SISTE...ANÁLISE DE TRANSFORMADORES DE DISTRIBUIÇÃO VISANDO REDUÇÃO DE PERDAS NO SISTE...
ANÁLISE DE TRANSFORMADORES DE DISTRIBUIÇÃO VISANDO REDUÇÃO DE PERDAS NO SISTE...
 
Catálogo De Eficiência Energética Vivapower Gas Natural Fenosa (Jul.2012)
Catálogo De Eficiência Energética Vivapower Gas Natural Fenosa (Jul.2012)Catálogo De Eficiência Energética Vivapower Gas Natural Fenosa (Jul.2012)
Catálogo De Eficiência Energética Vivapower Gas Natural Fenosa (Jul.2012)
 
Alberto Tavares - ADENE
Alberto Tavares - ADENEAlberto Tavares - ADENE
Alberto Tavares - ADENE
 
Soluções em eficiência energética.
Soluções em eficiência energética.Soluções em eficiência energética.
Soluções em eficiência energética.
 
ApresentaçãO Dr AntóNio Joyce
ApresentaçãO Dr AntóNio JoyceApresentaçãO Dr AntóNio Joyce
ApresentaçãO Dr AntóNio Joyce
 
Apresentacao 2013 04-26
Apresentacao 2013 04-26Apresentacao 2013 04-26
Apresentacao 2013 04-26
 
m2cE apresentação 12março2014
m2cE apresentação 12março2014m2cE apresentação 12março2014
m2cE apresentação 12março2014
 
Paulo Libório - ADENE 21 Out 2010 Guarda
Paulo Libório - ADENE 21 Out 2010 GuardaPaulo Libório - ADENE 21 Out 2010 Guarda
Paulo Libório - ADENE 21 Out 2010 Guarda
 
Alexandre Fernandes - ADENE
Alexandre Fernandes - ADENEAlexandre Fernandes - ADENE
Alexandre Fernandes - ADENE
 
Procel (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica) e Eletrobrás
Procel (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica) e EletrobrásProcel (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica) e Eletrobrás
Procel (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica) e Eletrobrás
 
Biotera - Produção mais Limpa (p+l)
Biotera - Produção mais Limpa (p+l)Biotera - Produção mais Limpa (p+l)
Biotera - Produção mais Limpa (p+l)
 
03 APA ICS Alexandre Fernandes ADENE 17 02 09.ppt
03 APA ICS Alexandre Fernandes ADENE 17 02 09.ppt03 APA ICS Alexandre Fernandes ADENE 17 02 09.ppt
03 APA ICS Alexandre Fernandes ADENE 17 02 09.ppt
 
RNAE_SeminarioESCO_Guimaraes_14Fev2011_ADENE_AlexandreFernandes_ECOAP.pdf
RNAE_SeminarioESCO_Guimaraes_14Fev2011_ADENE_AlexandreFernandes_ECOAP.pdfRNAE_SeminarioESCO_Guimaraes_14Fev2011_ADENE_AlexandreFernandes_ECOAP.pdf
RNAE_SeminarioESCO_Guimaraes_14Fev2011_ADENE_AlexandreFernandes_ECOAP.pdf
 
Paulo Libório - ADENE 16 Nov 2010 Vila Real
Paulo Libório - ADENE 16 Nov 2010 Vila RealPaulo Libório - ADENE 16 Nov 2010 Vila Real
Paulo Libório - ADENE 16 Nov 2010 Vila Real
 
O planejamento numa nova era da energia
O planejamento numa nova era da energiaO planejamento numa nova era da energia
O planejamento numa nova era da energia
 
Palestra de Osvaldo Livio Soliano Pereira
Palestra de Osvaldo Livio Soliano PereiraPalestra de Osvaldo Livio Soliano Pereira
Palestra de Osvaldo Livio Soliano Pereira
 

Último

Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Dirceu Resende
 

Último (9)

COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASCOI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
 
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIAEAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
 
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPalestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
 
O futuro e o impacto da tecnologia nas salas de aulas
O futuro e o impacto da tecnologia  nas salas de aulasO futuro e o impacto da tecnologia  nas salas de aulas
O futuro e o impacto da tecnologia nas salas de aulas
 
Apostila e caderno de exercicios de WORD
Apostila e caderno de exercicios de  WORDApostila e caderno de exercicios de  WORD
Apostila e caderno de exercicios de WORD
 
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
 
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiEntrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
 
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdfFrom_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
 
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
 

CONOTEL - Congresso Nacional de Hotéis

  • 1. Sustentabilidade em Energia ElétricaSustentabilidade em Energia Elétrica para Hotelaria.para Hotelaria. CONOTEL 2015CONOTEL 2015 Eng. Gerson Sampaio FilhoEng. Gerson Sampaio Filho Água: solicitar por e-mail paraÁgua: solicitar por e-mail para sampaio@teknergia.com.brsampaio@teknergia.com.br
  • 2. Análise de viabilidade econômica dos sistemas de aproveitamento de água de chuva ItensItens Reservatório de 5,0 m³Reservatório de 5,0 m³ Reservatório de 2,5 m³Reservatório de 2,5 m³ Custo do materialCusto do material R$ 1.500,00R$ 1.500,00 R$ 1.000,00R$ 1.000,00 Mão de obraMão de obra R$ 600,00R$ 600,00 R$ 400,00R$ 400,00 Custo TotalCusto Total R$ 2.100,00R$ 2.100,00 R$ 1.400,00R$ 1.400,00 Economia de águaEconomia de água gerada pelo sistemagerada pelo sistema R$ 338,94 / anoR$ 338,94 / ano R$ 182,70 / anoR$ 182,70 / ano Custo deCusto de manutençãomanutenção R$ 100,00 / anoR$ 100,00 / ano R$ 100,00 / anoR$ 100,00 / ano Taxa de jurosTaxa de juros 10% aa.10% aa. 10% aa.10% aa. Vida útil do projetoVida útil do projeto 20 anos20 anos 20 anos20 anos Período dePeríodo de retorno calculadoretorno calculado 8 anos e 9 meses8 anos e 9 meses 12 anos e 4 meses12 anos e 4 meses
  • 3.
  • 4. O que recomendamos: • A SOLUÇÃO É MUDAR DE ATITUDE. • CRITIQUE: • SUA CONTA DE ENERGIA. • MEDIÇÃO DA CONCESSIONÁRIA. • SUA INSTALAÇÃO. • SEUS MÉTODOS E PROCESSOS.
  • 5. Todos os dias TOMAMOS INICIATIVAS que mudam o mundo. Apoiando ONGs ajudamos a salvar vidas; Participando da discussão política, contribuímos para o progresso e a geração de empregos; Podemos fazer a sustentabilidade e melhora da sociedade. Com contribuições de grande alcance cultural e econômico, você pode fazer acontecer o intercâmbio de opiniões e conhecimento.
  • 6.  MALUF DECLARA :: PERTO DO PT SOU UM TROMBADINHA !!!  GOVERNO TROCA RACIONAMENTO POR APAGÃO.  QUALIDADE DE ENERGIA CAIU NOS ÚLTIMOS 8 ANOS.  AGENDA DA REVISÃO CONSTITUCIONAL.  ROMBO DO SETOR ELÉTRICO CHEGA A 120 BILHÕES.  NÃO EXISTEM SOLUÇÕES SIMPLES PARA PROBLEMAS ESTRUTURAIS COMPLICADOS. Notícias do dia!Notícias do dia!
  • 7. • 1 BRASIL 274 • 2 Dinamarca 222 • 3 Japão (70MW solar) 214 • 4 Holanda 167 • 5 Alemanha 167 • 6 Áustria 136 • 7 Portugal 134 • 8 Itália 134 • 9 Bélgica 132 média valores com impostos R$/MWh Comparação internacional deComparação internacional de tarifas, com impostostarifas, com impostos
  • 8. média valores com impostos R$/MWh 24 Grécia 83 26 US 81 27 Rep. Tcheca 81 28 Rep. Eslovaca 73 29 Nova Zelândia 71 30 Austrália 62 31 Canadá 60 Comparação internacional deComparação internacional de tarifas, com impostostarifas, com impostos
  • 9. Do faturamento sobre energia elétrica: 52% total de tributos, compostos de : 32% de tributos diretos. 8% de outros encargos setoriais. 15,2% de custos operacionais. CONCLUSÃO: Urge corrigir esta distorção para evitar aumento continuo de tarifas para os próximos anos. A Loucura TributáriaA Loucura Tributária
  • 10. 1. IRPJ: Imposto de Renda 2. CSLL: Contribuição Social Lucro Líquido 3. ICMS: Circulação Mercadorias Serviços 4. ISS: Imposto sobre Serviços 5. PIS/Pasep: Programa de Integração Social e Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público TributosTributos
  • 11. 6. Cofins: Fin. da Seguridade Social 7. ITR: Imposto Territorial Rural 8. IPVA: Prop. de Veículos Automotores 9. IPTU: Propriedade Territorial Urbana 10. INSS: Contribuição ao INSS 11. FGTS: Fundo de Garantia por Tempo de Serviço. 12. Outros Encargos Sociais: SAT, Salário Educação, Sistema “S” TributosTributos
  • 12. 13.CCC: Conta de Consumo de Combustível 14.CDE: Desenvolvimento Energético 15.CFURH: Compens. Financ. Rec. Hídricos 16.ESS: Encargos de Serviços do Sistema 17.EER: Encargo de Energia de Reserva 18.TFSEE: Tx Fisc. Serviços de E. Elétrica 19. RGR: Reserva Global de Reversão 20.Outros Enc Set. UBP,P&D , CCEE,ONS. Encargos SetoriaisEncargos Setoriais
  • 13.
  • 14. ProescoProesco  Financia obras (incluindo estudos) e equipamentos  Financiado: Cliente ou ESCO  Custo: TJLP + 1,5% BNDES + 1% Banco + até 3% Risco  Participação: Até 70% do investimento  Prazo: até 6 anos com carência até 2 anos  Garantias: Direitos creditórios (contrato de performance) O PROESCO é uma linha de crédito do BNDES específica para projetos de eficiência energética, com ênfase no apoio às Empresas de Serviços de Conservação de Energia (ESCO).
  • 15. ALIMENTAÇÃO, TRANSFORMAÇÃO E DISTRIBUIÇÃOALIMENTAÇÃO, TRANSFORMAÇÃO E DISTRIBUIÇÃO Localização das subestações; Dados caracteristicos dos trafos; Levantamento das grandezas elétricas dos trafos (carregamento, tensões e corrente por fase); Estado de conservação e manutenção do ambiente e equipamentos; Aterramento da Subestação; Temperaturas no interior e fora das Cabines; Varredura por termovisor dos quadros de distribuição; Possibilidade de alteração nos níveis de tensão; Medição de corrente;
  • 16. • Cabo Oxidado 1,5 kW • Barramento 2,25 kW Análise TermográficaAnálise Termográfica
  • 17.  Separação da conta em áreas de controle. Cobrança de conta de setores e empresas terceirizadas Medições e Metas de consumo em todos os painéis, Substituição do gás refrigerante R22. Termografia e redução de perdas e fugas com reformas. Sensores e automação de ramais, Treinamento operacional. Substituição de motores de bombas. Substituição de lampadas, uso de LED’s. AçõesAções
  • 19.  Correção das perdas nas linhas Controle de demanda Geração local Cogeração (vapor + eletricidade) Recuperação de perdas (calor) Utilização da alta tensão para alimentar equipamento mais importante Correção do fator de potência Aumento da tensão secundária Cursos e treinamentos permanentes AçõesAções
  • 20. Simplicidade e Economia Finalidade Trata-se de uma solução simples que consiste na troca do fluído refrigerante atual, sem adaptações e modificações, por um fluído natural de última geração, que além de ser 100% ecológico possui altíssimo nível de pureza e baixa compressão, entre outras propriedades que proporcionam um melhor desempenho do sistema, reduzindo os custos com manutenção e consumo de energia.
  • 21. Certificação de EdificaçõesCertificação de Edificações No início de 2007 foi publicada a regulamentação brasileira para a etiquetagem energética de edifícios
  • 22. Luz Solar ZenitalLuz Solar Zenital O sistema que conduz a luz natural até sua área de trabalho através de dutos tubulares de alta reflexão com diâmetros de 25, 37, 53 e 65 cm. O sistema é composto por: • Cúpula transparente em material resistente a ação do tempo, com filtro de Infravermelho e ultra-violeta. • Dispositivo interno com micro-espelhos de Fresnel, que desvia a luz natural difusa externa para um sistema de tubos espelhados, com transmissão de 92 a 98% , conduzindo a luz para o interior do ambiente em distancias de até 18 metros, atravessando tetos , lajes e e fôrros , mesmo com curvas. • Luminária difusora que recebe a luz e transmite ao ambiente com alto grau de distribuição, apresentada em diversos modelos dependendo do tipo de aplicação. • Dutos Condutores. O diâmetro do tubo varia conforme a geometria do percurso, a distância entre teto e ponto a iluminar e área a iluminar.
  • 23.
  • 24.
  • 25.
  • 26. • GERADORES EOLICOS , DUAS TECNOLOGIAS: • 1-POTENCIA DE 1 A 80 KW , AMORTIZÁVEIS EM 36 A 42 MESES. FORTE APELO DE MARKETING E DE SUSTENTABILIDADE. • 2- ALTAS POTÊNCIAS , PARA PROJETOS E VENDA EM LEILÕES. Energia EólicaEnergia Eólica
  • 27.
  • 28.
  • 29. • TRAZ FORTE APELO MERCADOLÓGICO E DE SUSTENTABILIDADE. • HOJE É GERAÇÃO DISTRIBUIDA COMPETITIVA. • 4 FÁBRICAS EM IMPLANTAÇÃO NO BRASIL. Energia Solar FotovoltaicaEnergia Solar Fotovoltaica
  • 30.
  • 31. • Laudo Técnico: Parecer do Perito ou Auditor. • Relatório Técnico/Avaliações: É a exposição, análises de perícias ou auditorias. • Prontuário das Instalações Elétricas: Arquivo c/ plantas civis, elétricas e mecânicas; quadros e painéis elétricos.PPP - Perfil Profissiográfico Previdenciário; PCMSO - Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional, PPRA - Plano de Prevenção. • Certificado das Instalações Elétricas: pela NR-10, elaborado por peritos habilitados , equipamentos, ferramentais, EPI’s e EPC’s.
  • 32.
  • 33.
  • 34.
  • 35. Cogeração no Mundo 0 5 10 15 20 25 30 35 40 Holanda Dinamarca Finlandia Alemanha China Polônia Média Europeia EUA Inglaterra Australia Japão França % Matriz Energética CogeraçãoCogeração
  • 36.
  • 37.
  • 38. Gerenciamento de Projetos Gestão Estratégica de Energia Conservação e Eficiência Energética Laudo Técnico para Recuperação de ICMS Projetos, Instalação e Manutenção Elétrica Inspeção Técnica em Instalações Sistema de Proteção de Descargas Atmosférica Cursos e Treinamentos