SlideShare uma empresa Scribd logo
Noções de Administração
Aplicada à Enfermagem II
Professora Jhordana
‘‘Somos assistenciais por essência
mais somos gestores por excelência’’
Sócrates, filósofo grego que viveu de 470
a.C. a 399 a. C., disse que: “sobre qualquer
coisa que um homem possa dirigir, se souber
do que precisa e se for capaz de provê-lo, ele
será um bom presidente, quer tenha a direção
de um coro, de uma família, de uma cidade ou
de um exército”. Em uma linguagem mais
moderna, pode-se dizer que, para se chegar
ao sucesso em qualquer projeto é preciso
saber o que se quer alcançar e obter meios
para atingir os objetivos.
Administração: uma visão geral
A administração está presente em toda a história da
humanidade. Até mesmo as sociedades mais antigas
possuíam formas de administração para distribuir tarefas,
decidir sobre os melhores locais para viver, distribuir víveres,
etc.
Alguns povos deixaram registros da existência de um forte
sistema administrativo, como os egípcios, que, 4000 anos
a.C., tiveram dirigentes capazes de planejar e guiar os
esforços de milhares de trabalhadores na construção de
obras monumentais como as pirâmides, que perduram até
hoje.
Os conhecimentos antigos sobre os princípios
administrativos foram traduzidos em normas e princípios de
organização pública e utilizados na gestão de importantes
cidades de suas épocas. Através dos séculos, de modo lento
e gradual, as experiências administrativas dessas cidades
foram sendo absorvidos pela Igreja Católica e pelas
organizações militares que, dessa forma, obtiveram grande
êxito na administração de seus empreendimentos.
Em nossa vida pessoal, administramos conflitos,
interesses, carreira profissional, educação de filhos, compra
de bens e tantas outras ações que exigem planejamento e
organização. Empresários administram seus negócios
considerando inúmeros fatores, que incluem compra e venda
de materiais, contratação de pessoas, decisão sobre
investimentos, abertura de capital, diversificação de atividade
etc.
Na enfermagem, planejam-se os meios para oferecer os
melhores cuidados aos pacientes, a distribuição de tarefas
entre enfermeiros, técnicos e auxiliares, a escala de plantão
etc.
Assim, como se vê, as ações inerentes à administração
são as mesmas em qualquer âmbito. O que mudou, no
decorrer dos séculos, foram as formas de administrar. Na
Idade Média, por exemplo, a produção de qualquer bem era
feita de modo artesanal, com cada pessoa se
responsabilizando por todas as etapas do processo de
produção de um objeto, inteiramente feito à mão.
A partir do século XVIII, com a invenção da máquina a
vapor, uma nova concepção de trabalho modificou
completamente o processo de produção. Iniciava-se a Era
Industrial, que começou na Inglaterra de 1760 e se estendeu
por todo o mundo civilizado. As pequenas oficinas caseiras,
geridas por pessoas da mesma família, perderam a vez para
as primeiras fábricas.
As máquinas começaram a substituir os homens,
agilizando e barateando a produção. Ao mesmo tempo, uma
grande massa de homens, mulheres e até crianças
submetia-se a duras jornadas de até 18 horas de trabalho
em fábricas (inicialmente de tecelagem), sem direitos
trabalhistas ou qualquer outro benefício. Eram os primeiros
operários assalariados, cuja rotina de trabalho consistia em
repetir mecanicamente a mesma operação, em um processo
decorrente do que se convencionou chamar de divisão de
trabalho.
No início da Era Industrial, o sistema de produção
funcionava empiricamente, sem nenhuma base científica, e
isso gerava desperdício, perda de tempo, cansaço e
acidentes de trabalho. Era imperativo buscar formas mais
eficientes de administrar.
Foi o que fizeram os engenheiros Frederick Taylor
(1856 – 1915) e Henri Fayol (1841 – 1925), o
primeiro inglês e o segundo francês, ao
apresentarem as primeiras teorias administrativas.
Em 1916, Fayol definiu as funções básicas da
administração, que são planejar, organizar,
dirigir/coordenar, controlar/avaliar.
Conceito de Administração
● ORIGEM:
Latim ad= direção, gerência
minister = subordinação, obediência
● DEFINIÇÃO:
É o ato de trabalhar com e através de pessoas para realizar os
objetivos tanto da organização quanto de seus membros.
É o ato de gerenciar pessoas e recursos a fim de alcançar
objetivos definidos.
A Administração, com suas concepções, é considerada
uma das principais chaves para solução da maioria dos
problemas que afligem atualmente o mundo moderno.
● A História nos demonstra que a maioria dos
empreendimentos militares, sociais, políticos, econômicos
e religiosos, teve uma organização, não muito regular,
mas que retrata uma estrutura hierárquica, evidenciando
as funções de poder e de decisão, mostrando que
sempre houve necessidade de alguém dar ordens,
alguém ser chefe, e, portanto sempre houve
administração.
Administrar significa gerir negócios públicos ou
particulares.
A administração está relacionada com as formas de fazer
o trabalho melhor, mais fácil e mais bem-sucedido. É o
estabelecimento de um ambiente eficaz para as pessoas
trabalharem em grupos organizacionais formais.
A administração é uma ciência é uma arte para se
conseguir que todos os elementos ou as partes integrantes
de um sistema marchem interdependentes, porém
harmoniosamente relacionadas entre si, a fim de permitir que
os objetivos propostos sejam alcançados sem desperdícios
de esforços humanos e recursos materiais.
É uma ciência, na medida em que exige a posse de
conhecimentos de ciências exatas (matemática e economia)
e humanas (sociologia, psicologia e legislação). É uma arte,
pois utiliza conhecimentos organizados em grupos de
indivíduos, o que exige criatividade, espírito de iniciativa e,
às vezes, qualidades de ator.
Trata-se de uma área da atividade humana cuja finalidade
principal é estabelecer e manter um ambiente em que
pessoas, atuando em grupos organizados, possam trabalhar
eficientemente no sentido de alcançar as metas traçadas
pelos próprios grupos. Requer ainda, a manutenção de um
bom relacionamento dos grupos com os diversos aspectos
do ambiente, entre os quais vale citar: o ético, o social, o
religioso, o econômico é o técnico.
Todo sistema administrativo deve ser eficiente e efetivo.
O sistema é eficiente quando consegue, com os mesmos
esforços e os mesmos recursos, os melhores resultados; é
efetivo quando o produto alcançado corresponde ao
planejado e esperado.
A Administração pode tornar-se um instrumento valioso
para o sucesso dos empreendimentos se estiver afinada o
suficiente com todos os princípios, fórmulas, cálculos e
técnicas a ela inerentes, e também com a forma mais exata,
organizada e hábil de aplicá-los.
Uma boa administração pode conduzir uma
empresa medíocre e singular em uma organização modelo;
Em contrapartida, uma má administração pode
levar essa mesma empresa ao fracasso total.
● A escolha das pessoas
para ocupar cargos
administrativos é vital
para uma empresa, e
todas elas devem ter em
mente um objetivo
comum, do qual depende
o fato de caminharem no
mesmo sentido e de
assim colaborarem para
o êxito do
empreendimento.
Podemos dizer que Administração é uma ciência social,
porque está relacionada com pessoas, suas atitudes e
problemas com grupos que têm direito a dizer não, a duvidar,
a discordar. a combater e a sugerir .
HABILIDADES
DO
ADMINISTRADOR
● Para ocupar posições nas empresas, executar seus
papéis e buscar as melhores maneiras de Administrar, o
Administrador deve desenvolver e fazer uso de várias
habilidades. Alguns pesquisadores classificou-as em três
grandes habilidades: Técnicas, Humanas e Conceituais.
Habilidades técnicas
● Consiste em utilizar conhecimentos, métodos,
técnicas e equipamentos necessários para a
realização de suas tarefas específicas por meio da
experiência e educação. É muito importante para o
nível operacional”. São as habilidades ligadas à
execução do trabalho, e ao domínio do conhecimento
específico para executar seu trabalho.
Habilidade humana
● Consiste na capacidade e facilidade para trabalhar com o
ser humano, comunicar, compreender suas capacidades,
limitações, atitudes e liderar grupos de pessoas. São as
habilidades necessárias para um bom relacionamento.
Administradores com boas habilidades humanas se
desenvolvem bem em equipes e atuam de maneira
eficiente e eficaz como líderes.
CONCEITOS E EVOLUÇÃO HISTORICA DA ADMINISTRAÇÃO.pptx
Habilidade conceitual
● Habilidade conceitual: Consiste na capacidade de
compreender a complexidade da organização com um
todo e o ajustamento do comportamento de suas partes.
Essa habilidade permite que a pessoa se comporte de
acordo com os objetivos da organização total e não
apenas de acordo com os objetivos e as necessidades de
seu departamento ou grupo imediato.
Exercício
● Cinte um motivo do por que você acha que a administração é importante na
equipe de enfermagem.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a CONCEITOS E EVOLUÇÃO HISTORICA DA ADMINISTRAÇÃO.pptx

administracao.ppt
administracao.pptadministracao.ppt
administracao.ppt
ClaudiaGuginskiPiva
 
Teoria Geral da Administração - Introdução Mod 01
Teoria Geral da Administração - Introdução Mod 01Teoria Geral da Administração - Introdução Mod 01
Teoria Geral da Administração - Introdução Mod 01
Opengo,Espro,AllNet, Led Informática, Instituto Dom Bosco
 
Aula1
Aula1Aula1
Apostila introdução a administração de empresas 2012.1
Apostila introdução a administração de empresas 2012.1Apostila introdução a administração de empresas 2012.1
Apostila introdução a administração de empresas 2012.1
Agência Nacional de Saúde Suplementar - ANS
 
aulasintrodtga2017-1-170531004946.pptx
aulasintrodtga2017-1-170531004946.pptxaulasintrodtga2017-1-170531004946.pptx
aulasintrodtga2017-1-170531004946.pptx
JooMendes537360
 
Aadm
AadmAadm
curso completo Auxiliar administrativo
curso completo Auxiliar administrativocurso completo Auxiliar administrativo
curso completo Auxiliar administrativo
INTEC CURSOS PROFISSIONALIZANTES
 
Aula introdução a administração ea d processos gerenciais
Aula introdução a administração ea d processos gerenciaisAula introdução a administração ea d processos gerenciais
Aula introdução a administração ea d processos gerenciais
Niloar Bissani
 
Atps Teorias da Administração
Atps Teorias da Administração Atps Teorias da Administração
Atps Teorias da Administração
Adélio Castro
 
Administração geral, gestão, ambiente externo e escolas
Administração geral,   gestão, ambiente externo e escolasAdministração geral,   gestão, ambiente externo e escolas
Administração geral, gestão, ambiente externo e escolas
Henrique Ferreira
 
Trabalho paula
Trabalho paulaTrabalho paula
Trabalho paula
O Paixao
 
Administração de Recursos Humanos aula 01
Administração de Recursos Humanos aula 01Administração de Recursos Humanos aula 01
Administração de Recursos Humanos aula 01
Jairo Vinícius Souza
 
Noções de Administração Aplicadas a Radiologia
Noções de Administração Aplicadas a RadiologiaNoções de Administração Aplicadas a Radiologia
Noções de Administração Aplicadas a Radiologia
Hamilton Nobrega
 
Noções de Administração Aplicadas a Radiologia
Noções de Administração Aplicadas a RadiologiaNoções de Administração Aplicadas a Radiologia
Noções de Administração Aplicadas a Radiologia
Hamilton F Nobrega
 
Introdução à Teoria Geral da Administração
Introdução à Teoria Geral da AdministraçãoIntrodução à Teoria Geral da Administração
Introdução à Teoria Geral da Administração
Rubens Vinicius Conte
 
Auxiliar administrativo
Auxiliar administrativoAuxiliar administrativo
Auxiliar administrativo
Antonio Quirino
 
Novas Abordagens na decada de 90 - TQM.pdf
Novas Abordagens na decada de 90 - TQM.pdfNovas Abordagens na decada de 90 - TQM.pdf
Novas Abordagens na decada de 90 - TQM.pdf
PedroLuis216164
 
Módulo IV Aula 1
Módulo IV Aula 1Módulo IV Aula 1
Módulo IV Aula 1
CETUR
 
Aula 1 fundamentos de adm
Aula 1 fundamentos de admAula 1 fundamentos de adm
Aula 1 fundamentos de adm
Edi Mary Monteiro
 
Aula 01 impressa introdução a administração
Aula 01 impressa  introdução a administraçãoAula 01 impressa  introdução a administração
Aula 01 impressa introdução a administração
Leonardo Bueno Teixeira
 

Semelhante a CONCEITOS E EVOLUÇÃO HISTORICA DA ADMINISTRAÇÃO.pptx (20)

administracao.ppt
administracao.pptadministracao.ppt
administracao.ppt
 
Teoria Geral da Administração - Introdução Mod 01
Teoria Geral da Administração - Introdução Mod 01Teoria Geral da Administração - Introdução Mod 01
Teoria Geral da Administração - Introdução Mod 01
 
Aula1
Aula1Aula1
Aula1
 
Apostila introdução a administração de empresas 2012.1
Apostila introdução a administração de empresas 2012.1Apostila introdução a administração de empresas 2012.1
Apostila introdução a administração de empresas 2012.1
 
aulasintrodtga2017-1-170531004946.pptx
aulasintrodtga2017-1-170531004946.pptxaulasintrodtga2017-1-170531004946.pptx
aulasintrodtga2017-1-170531004946.pptx
 
Aadm
AadmAadm
Aadm
 
curso completo Auxiliar administrativo
curso completo Auxiliar administrativocurso completo Auxiliar administrativo
curso completo Auxiliar administrativo
 
Aula introdução a administração ea d processos gerenciais
Aula introdução a administração ea d processos gerenciaisAula introdução a administração ea d processos gerenciais
Aula introdução a administração ea d processos gerenciais
 
Atps Teorias da Administração
Atps Teorias da Administração Atps Teorias da Administração
Atps Teorias da Administração
 
Administração geral, gestão, ambiente externo e escolas
Administração geral,   gestão, ambiente externo e escolasAdministração geral,   gestão, ambiente externo e escolas
Administração geral, gestão, ambiente externo e escolas
 
Trabalho paula
Trabalho paulaTrabalho paula
Trabalho paula
 
Administração de Recursos Humanos aula 01
Administração de Recursos Humanos aula 01Administração de Recursos Humanos aula 01
Administração de Recursos Humanos aula 01
 
Noções de Administração Aplicadas a Radiologia
Noções de Administração Aplicadas a RadiologiaNoções de Administração Aplicadas a Radiologia
Noções de Administração Aplicadas a Radiologia
 
Noções de Administração Aplicadas a Radiologia
Noções de Administração Aplicadas a RadiologiaNoções de Administração Aplicadas a Radiologia
Noções de Administração Aplicadas a Radiologia
 
Introdução à Teoria Geral da Administração
Introdução à Teoria Geral da AdministraçãoIntrodução à Teoria Geral da Administração
Introdução à Teoria Geral da Administração
 
Auxiliar administrativo
Auxiliar administrativoAuxiliar administrativo
Auxiliar administrativo
 
Novas Abordagens na decada de 90 - TQM.pdf
Novas Abordagens na decada de 90 - TQM.pdfNovas Abordagens na decada de 90 - TQM.pdf
Novas Abordagens na decada de 90 - TQM.pdf
 
Módulo IV Aula 1
Módulo IV Aula 1Módulo IV Aula 1
Módulo IV Aula 1
 
Aula 1 fundamentos de adm
Aula 1 fundamentos de admAula 1 fundamentos de adm
Aula 1 fundamentos de adm
 
Aula 01 impressa introdução a administração
Aula 01 impressa  introdução a administraçãoAula 01 impressa  introdução a administração
Aula 01 impressa introdução a administração
 

Mais de jhordana1

sistema cardiovascular aula 1 ...-1.pdf
sistema cardiovascular aula 1  ...-1.pdfsistema cardiovascular aula 1  ...-1.pdf
sistema cardiovascular aula 1 ...-1.pdf
jhordana1
 
Alimentação saudável no idoso.............
Alimentação saudável no idoso.............Alimentação saudável no idoso.............
Alimentação saudável no idoso.............
jhordana1
 
aula acidente vascular cerebral.pdf.......
aula acidente vascular cerebral.pdf.......aula acidente vascular cerebral.pdf.......
aula acidente vascular cerebral.pdf.......
jhordana1
 
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
jhordana1
 
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdfMedicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
jhordana1
 
9. Medicamentos Antimicrobianos.......pdf
9. Medicamentos Antimicrobianos.......pdf9. Medicamentos Antimicrobianos.......pdf
9. Medicamentos Antimicrobianos.......pdf
jhordana1
 
Teoria de enfermagem de Callista Roy.pdf
Teoria de enfermagem de Callista Roy.pdfTeoria de enfermagem de Callista Roy.pdf
Teoria de enfermagem de Callista Roy.pdf
jhordana1
 
aula sistema único de saúde SUS(2).....pdf
aula sistema único de saúde SUS(2).....pdfaula sistema único de saúde SUS(2).....pdf
aula sistema único de saúde SUS(2).....pdf
jhordana1
 
Aula sobre a Vigilância em saúde......pdf
Aula sobre a Vigilância em saúde......pdfAula sobre a Vigilância em saúde......pdf
Aula sobre a Vigilância em saúde......pdf
jhordana1
 
Alimentação saudável na infância, adolescência e gestação-2.pdf
Alimentação saudável na infância, adolescência e gestação-2.pdfAlimentação saudável na infância, adolescência e gestação-2.pdf
Alimentação saudável na infância, adolescência e gestação-2.pdf
jhordana1
 
aula6nutricaonormaledieteticaprofeuridice-190309222614 (1).pdf
aula6nutricaonormaledieteticaprofeuridice-190309222614 (1).pdfaula6nutricaonormaledieteticaprofeuridice-190309222614 (1).pdf
aula6nutricaonormaledieteticaprofeuridice-190309222614 (1).pdf
jhordana1
 
Vigilância em saúde/sanitaria/ambiental.pptx
Vigilância em saúde/sanitaria/ambiental.pptxVigilância em saúde/sanitaria/ambiental.pptx
Vigilância em saúde/sanitaria/ambiental.pptx
jhordana1
 
ORGANIZAÇÃO DO SERVIÇO DE ENFERMAGEM-1.pdf
ORGANIZAÇÃO DO SERVIÇO DE ENFERMAGEM-1.pdfORGANIZAÇÃO DO SERVIÇO DE ENFERMAGEM-1.pdf
ORGANIZAÇÃO DO SERVIÇO DE ENFERMAGEM-1.pdf
jhordana1
 
Vigilância em saúde/ vigilância epidemiológica, sanitária, ambiental-1.pdf
Vigilância em saúde/ vigilância epidemiológica, sanitária, ambiental-1.pdfVigilância em saúde/ vigilância epidemiológica, sanitária, ambiental-1.pdf
Vigilância em saúde/ vigilância epidemiológica, sanitária, ambiental-1.pdf
jhordana1
 
alimentação na lactação e primeira infancia
alimentação na lactação e primeira infanciaalimentação na lactação e primeira infancia
alimentação na lactação e primeira infancia
jhordana1
 
NUTRIÇÃO VITAMINAS DO GRUPO A D E K.pptx
NUTRIÇÃO VITAMINAS  DO GRUPO A D E K.pptxNUTRIÇÃO VITAMINAS  DO GRUPO A D E K.pptx
NUTRIÇÃO VITAMINAS DO GRUPO A D E K.pptx
jhordana1
 
TEORIA DE ENFERMAGEM DO ALCANCE DE METAS..pptx
TEORIA DE ENFERMAGEM DO ALCANCE DE METAS..pptxTEORIA DE ENFERMAGEM DO ALCANCE DE METAS..pptx
TEORIA DE ENFERMAGEM DO ALCANCE DE METAS..pptx
jhordana1
 
TEORIA DE ENFERMAGEM DE IMOGENE M. KING.pptx
TEORIA DE ENFERMAGEM DE IMOGENE M. KING.pptxTEORIA DE ENFERMAGEM DE IMOGENE M. KING.pptx
TEORIA DE ENFERMAGEM DE IMOGENE M. KING.pptx
jhordana1
 
Agua e carboidratos //Aula nutrição.pptx
Agua e carboidratos //Aula nutrição.pptxAgua e carboidratos //Aula nutrição.pptx
Agua e carboidratos //Aula nutrição.pptx
jhordana1
 
TEORIA DAS NECESSIDADES Básicas de enfermagem.pptx
TEORIA DAS NECESSIDADES Básicas de enfermagem.pptxTEORIA DAS NECESSIDADES Básicas de enfermagem.pptx
TEORIA DAS NECESSIDADES Básicas de enfermagem.pptx
jhordana1
 

Mais de jhordana1 (20)

sistema cardiovascular aula 1 ...-1.pdf
sistema cardiovascular aula 1  ...-1.pdfsistema cardiovascular aula 1  ...-1.pdf
sistema cardiovascular aula 1 ...-1.pdf
 
Alimentação saudável no idoso.............
Alimentação saudável no idoso.............Alimentação saudável no idoso.............
Alimentação saudável no idoso.............
 
aula acidente vascular cerebral.pdf.......
aula acidente vascular cerebral.pdf.......aula acidente vascular cerebral.pdf.......
aula acidente vascular cerebral.pdf.......
 
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
 
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdfMedicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
 
9. Medicamentos Antimicrobianos.......pdf
9. Medicamentos Antimicrobianos.......pdf9. Medicamentos Antimicrobianos.......pdf
9. Medicamentos Antimicrobianos.......pdf
 
Teoria de enfermagem de Callista Roy.pdf
Teoria de enfermagem de Callista Roy.pdfTeoria de enfermagem de Callista Roy.pdf
Teoria de enfermagem de Callista Roy.pdf
 
aula sistema único de saúde SUS(2).....pdf
aula sistema único de saúde SUS(2).....pdfaula sistema único de saúde SUS(2).....pdf
aula sistema único de saúde SUS(2).....pdf
 
Aula sobre a Vigilância em saúde......pdf
Aula sobre a Vigilância em saúde......pdfAula sobre a Vigilância em saúde......pdf
Aula sobre a Vigilância em saúde......pdf
 
Alimentação saudável na infância, adolescência e gestação-2.pdf
Alimentação saudável na infância, adolescência e gestação-2.pdfAlimentação saudável na infância, adolescência e gestação-2.pdf
Alimentação saudável na infância, adolescência e gestação-2.pdf
 
aula6nutricaonormaledieteticaprofeuridice-190309222614 (1).pdf
aula6nutricaonormaledieteticaprofeuridice-190309222614 (1).pdfaula6nutricaonormaledieteticaprofeuridice-190309222614 (1).pdf
aula6nutricaonormaledieteticaprofeuridice-190309222614 (1).pdf
 
Vigilância em saúde/sanitaria/ambiental.pptx
Vigilância em saúde/sanitaria/ambiental.pptxVigilância em saúde/sanitaria/ambiental.pptx
Vigilância em saúde/sanitaria/ambiental.pptx
 
ORGANIZAÇÃO DO SERVIÇO DE ENFERMAGEM-1.pdf
ORGANIZAÇÃO DO SERVIÇO DE ENFERMAGEM-1.pdfORGANIZAÇÃO DO SERVIÇO DE ENFERMAGEM-1.pdf
ORGANIZAÇÃO DO SERVIÇO DE ENFERMAGEM-1.pdf
 
Vigilância em saúde/ vigilância epidemiológica, sanitária, ambiental-1.pdf
Vigilância em saúde/ vigilância epidemiológica, sanitária, ambiental-1.pdfVigilância em saúde/ vigilância epidemiológica, sanitária, ambiental-1.pdf
Vigilância em saúde/ vigilância epidemiológica, sanitária, ambiental-1.pdf
 
alimentação na lactação e primeira infancia
alimentação na lactação e primeira infanciaalimentação na lactação e primeira infancia
alimentação na lactação e primeira infancia
 
NUTRIÇÃO VITAMINAS DO GRUPO A D E K.pptx
NUTRIÇÃO VITAMINAS  DO GRUPO A D E K.pptxNUTRIÇÃO VITAMINAS  DO GRUPO A D E K.pptx
NUTRIÇÃO VITAMINAS DO GRUPO A D E K.pptx
 
TEORIA DE ENFERMAGEM DO ALCANCE DE METAS..pptx
TEORIA DE ENFERMAGEM DO ALCANCE DE METAS..pptxTEORIA DE ENFERMAGEM DO ALCANCE DE METAS..pptx
TEORIA DE ENFERMAGEM DO ALCANCE DE METAS..pptx
 
TEORIA DE ENFERMAGEM DE IMOGENE M. KING.pptx
TEORIA DE ENFERMAGEM DE IMOGENE M. KING.pptxTEORIA DE ENFERMAGEM DE IMOGENE M. KING.pptx
TEORIA DE ENFERMAGEM DE IMOGENE M. KING.pptx
 
Agua e carboidratos //Aula nutrição.pptx
Agua e carboidratos //Aula nutrição.pptxAgua e carboidratos //Aula nutrição.pptx
Agua e carboidratos //Aula nutrição.pptx
 
TEORIA DAS NECESSIDADES Básicas de enfermagem.pptx
TEORIA DAS NECESSIDADES Básicas de enfermagem.pptxTEORIA DAS NECESSIDADES Básicas de enfermagem.pptx
TEORIA DAS NECESSIDADES Básicas de enfermagem.pptx
 

Último

Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LEDPlano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
luggio9854
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
Falcão Brasil
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Falcão Brasil
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Falcão Brasil
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Bibliotecas Escolares AEIDH
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
ProfessoraSilmaraArg
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
Maria das Graças Machado Rodrigues
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Falcão Brasil
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
MariaJooSilva58
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
valdeci17
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
Falcão Brasil
 

Último (20)

Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LEDPlano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
Plano_Aula_01_Introdução_com_Circuito_Piscar_LED
 
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdfO Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
O Ministério da Defesa e a Sociedade no Tema de Defesa Nacional.pdf
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, O Encontro de Rute com Boaz, 3Tr24.pptx
 
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdfEscola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR).pdf
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
Boletim informativo - Contacto - julho de 2024
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
 
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdfgestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
gestão_de_conflitos_no_ambiente_escolar.pdf
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.pptAnálise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
Análise dos resultados do desmatamento obtidos pelo SIAD.ppt
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosasFotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
Fotossíntese e respiração: conceitos e trocas gasosas
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdfIntrodução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
Introdução ao filme Divertida Mente 2 em pdf
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
A Participação do Brasil nas Operações de Manutenção da Paz da ONU Passado, P...
 

CONCEITOS E EVOLUÇÃO HISTORICA DA ADMINISTRAÇÃO.pptx

  • 1. Noções de Administração Aplicada à Enfermagem II Professora Jhordana
  • 2. ‘‘Somos assistenciais por essência mais somos gestores por excelência’’
  • 3. Sócrates, filósofo grego que viveu de 470 a.C. a 399 a. C., disse que: “sobre qualquer coisa que um homem possa dirigir, se souber do que precisa e se for capaz de provê-lo, ele será um bom presidente, quer tenha a direção de um coro, de uma família, de uma cidade ou de um exército”. Em uma linguagem mais moderna, pode-se dizer que, para se chegar ao sucesso em qualquer projeto é preciso saber o que se quer alcançar e obter meios para atingir os objetivos.
  • 4. Administração: uma visão geral A administração está presente em toda a história da humanidade. Até mesmo as sociedades mais antigas possuíam formas de administração para distribuir tarefas, decidir sobre os melhores locais para viver, distribuir víveres, etc.
  • 5. Alguns povos deixaram registros da existência de um forte sistema administrativo, como os egípcios, que, 4000 anos a.C., tiveram dirigentes capazes de planejar e guiar os esforços de milhares de trabalhadores na construção de obras monumentais como as pirâmides, que perduram até hoje.
  • 6. Os conhecimentos antigos sobre os princípios administrativos foram traduzidos em normas e princípios de organização pública e utilizados na gestão de importantes cidades de suas épocas. Através dos séculos, de modo lento e gradual, as experiências administrativas dessas cidades foram sendo absorvidos pela Igreja Católica e pelas organizações militares que, dessa forma, obtiveram grande êxito na administração de seus empreendimentos.
  • 7. Em nossa vida pessoal, administramos conflitos, interesses, carreira profissional, educação de filhos, compra de bens e tantas outras ações que exigem planejamento e organização. Empresários administram seus negócios considerando inúmeros fatores, que incluem compra e venda de materiais, contratação de pessoas, decisão sobre investimentos, abertura de capital, diversificação de atividade etc.
  • 8. Na enfermagem, planejam-se os meios para oferecer os melhores cuidados aos pacientes, a distribuição de tarefas entre enfermeiros, técnicos e auxiliares, a escala de plantão etc.
  • 9. Assim, como se vê, as ações inerentes à administração são as mesmas em qualquer âmbito. O que mudou, no decorrer dos séculos, foram as formas de administrar. Na Idade Média, por exemplo, a produção de qualquer bem era feita de modo artesanal, com cada pessoa se responsabilizando por todas as etapas do processo de produção de um objeto, inteiramente feito à mão.
  • 10. A partir do século XVIII, com a invenção da máquina a vapor, uma nova concepção de trabalho modificou completamente o processo de produção. Iniciava-se a Era Industrial, que começou na Inglaterra de 1760 e se estendeu por todo o mundo civilizado. As pequenas oficinas caseiras, geridas por pessoas da mesma família, perderam a vez para as primeiras fábricas.
  • 11. As máquinas começaram a substituir os homens, agilizando e barateando a produção. Ao mesmo tempo, uma grande massa de homens, mulheres e até crianças submetia-se a duras jornadas de até 18 horas de trabalho em fábricas (inicialmente de tecelagem), sem direitos trabalhistas ou qualquer outro benefício. Eram os primeiros operários assalariados, cuja rotina de trabalho consistia em repetir mecanicamente a mesma operação, em um processo decorrente do que se convencionou chamar de divisão de trabalho.
  • 12. No início da Era Industrial, o sistema de produção funcionava empiricamente, sem nenhuma base científica, e isso gerava desperdício, perda de tempo, cansaço e acidentes de trabalho. Era imperativo buscar formas mais eficientes de administrar.
  • 13. Foi o que fizeram os engenheiros Frederick Taylor (1856 – 1915) e Henri Fayol (1841 – 1925), o primeiro inglês e o segundo francês, ao apresentarem as primeiras teorias administrativas. Em 1916, Fayol definiu as funções básicas da administração, que são planejar, organizar, dirigir/coordenar, controlar/avaliar.
  • 14. Conceito de Administração ● ORIGEM: Latim ad= direção, gerência minister = subordinação, obediência ● DEFINIÇÃO: É o ato de trabalhar com e através de pessoas para realizar os objetivos tanto da organização quanto de seus membros. É o ato de gerenciar pessoas e recursos a fim de alcançar objetivos definidos.
  • 15. A Administração, com suas concepções, é considerada uma das principais chaves para solução da maioria dos problemas que afligem atualmente o mundo moderno.
  • 16. ● A História nos demonstra que a maioria dos empreendimentos militares, sociais, políticos, econômicos e religiosos, teve uma organização, não muito regular, mas que retrata uma estrutura hierárquica, evidenciando as funções de poder e de decisão, mostrando que sempre houve necessidade de alguém dar ordens, alguém ser chefe, e, portanto sempre houve administração.
  • 17. Administrar significa gerir negócios públicos ou particulares. A administração está relacionada com as formas de fazer o trabalho melhor, mais fácil e mais bem-sucedido. É o estabelecimento de um ambiente eficaz para as pessoas trabalharem em grupos organizacionais formais.
  • 18. A administração é uma ciência é uma arte para se conseguir que todos os elementos ou as partes integrantes de um sistema marchem interdependentes, porém harmoniosamente relacionadas entre si, a fim de permitir que os objetivos propostos sejam alcançados sem desperdícios de esforços humanos e recursos materiais.
  • 19. É uma ciência, na medida em que exige a posse de conhecimentos de ciências exatas (matemática e economia) e humanas (sociologia, psicologia e legislação). É uma arte, pois utiliza conhecimentos organizados em grupos de indivíduos, o que exige criatividade, espírito de iniciativa e, às vezes, qualidades de ator.
  • 20. Trata-se de uma área da atividade humana cuja finalidade principal é estabelecer e manter um ambiente em que pessoas, atuando em grupos organizados, possam trabalhar eficientemente no sentido de alcançar as metas traçadas pelos próprios grupos. Requer ainda, a manutenção de um bom relacionamento dos grupos com os diversos aspectos do ambiente, entre os quais vale citar: o ético, o social, o religioso, o econômico é o técnico.
  • 21. Todo sistema administrativo deve ser eficiente e efetivo. O sistema é eficiente quando consegue, com os mesmos esforços e os mesmos recursos, os melhores resultados; é efetivo quando o produto alcançado corresponde ao planejado e esperado. A Administração pode tornar-se um instrumento valioso para o sucesso dos empreendimentos se estiver afinada o suficiente com todos os princípios, fórmulas, cálculos e técnicas a ela inerentes, e também com a forma mais exata, organizada e hábil de aplicá-los.
  • 22. Uma boa administração pode conduzir uma empresa medíocre e singular em uma organização modelo; Em contrapartida, uma má administração pode levar essa mesma empresa ao fracasso total.
  • 23. ● A escolha das pessoas para ocupar cargos administrativos é vital para uma empresa, e todas elas devem ter em mente um objetivo comum, do qual depende o fato de caminharem no mesmo sentido e de assim colaborarem para o êxito do empreendimento.
  • 24. Podemos dizer que Administração é uma ciência social, porque está relacionada com pessoas, suas atitudes e problemas com grupos que têm direito a dizer não, a duvidar, a discordar. a combater e a sugerir .
  • 26. ● Para ocupar posições nas empresas, executar seus papéis e buscar as melhores maneiras de Administrar, o Administrador deve desenvolver e fazer uso de várias habilidades. Alguns pesquisadores classificou-as em três grandes habilidades: Técnicas, Humanas e Conceituais.
  • 27. Habilidades técnicas ● Consiste em utilizar conhecimentos, métodos, técnicas e equipamentos necessários para a realização de suas tarefas específicas por meio da experiência e educação. É muito importante para o nível operacional”. São as habilidades ligadas à execução do trabalho, e ao domínio do conhecimento específico para executar seu trabalho.
  • 28. Habilidade humana ● Consiste na capacidade e facilidade para trabalhar com o ser humano, comunicar, compreender suas capacidades, limitações, atitudes e liderar grupos de pessoas. São as habilidades necessárias para um bom relacionamento. Administradores com boas habilidades humanas se desenvolvem bem em equipes e atuam de maneira eficiente e eficaz como líderes.
  • 30. Habilidade conceitual ● Habilidade conceitual: Consiste na capacidade de compreender a complexidade da organização com um todo e o ajustamento do comportamento de suas partes. Essa habilidade permite que a pessoa se comporte de acordo com os objetivos da organização total e não apenas de acordo com os objetivos e as necessidades de seu departamento ou grupo imediato.
  • 31. Exercício ● Cinte um motivo do por que você acha que a administração é importante na equipe de enfermagem.