SlideShare uma empresa Scribd logo
UNIDADE DE EDUCAÇÃO INFANTIL UNIVERSITÁRIA COMPARTILHANDO
                                SABERES SOBRE A INFÂNCIA


                                                Barbara Fernandes Bersot - PIBIC/CNPq –UERJ
                             Orientadora: Prof. Drª Ligia Maria Leão de Aquino - PROPEd/UERJ

 Resumo

 O presente trabalho tem como objetivo apresentar a história de uma Unidade de Educação
 Infantil Universitária (creche universitária), identificando a organização e estrutura,
 discutindo o desempenho de sua função de escola de educação infantil e de unidade
 universitária, isto é, que atua no ensino, na pesquisa e na extensão. Os dados referentes à
 trajetória histórica são analisados segundo os contextos sociais e políticos brasileiros,
 tomando como referência os estudos de Raupp (2002; 2004), Mello (2010), Cunha (2000). O
 estudo parte de pesquisa em andamento, revela importante papel dessa unidade de educação
 infantil universitária como espaço de desenvolvimento de práticas e conhecimentos sobre a
 infância em sua complexidade, a partir do diálogo entre diversas áreas – educação, psicologia,
 serviço social e outras. Tendo ainda relevante atuação na formação de professores,
 compartilhando saberes sobre a infância.


Palavras-chave: educação infantil universitária; infância; creche universitária; ensino-pesquisa-
extensão.


Introdução

            O estudo produzido, revela um desafio na Unidade de Educação Infantil Universitária
 (UEIU), que além do papel institucional de atuar na primeira etapa da educação básica das
 crianças, deve refletir sobre suas funções como unidade universitária, isto é, as funções
 indissociáveis de ensino, pesquisa e extensão. A pesquisa em andamento identifica a
 organização, estrutura e dados referentes à trajetória histórica da Creche UFF. Essa Unidade
 de Educação Infantil Universitária (creche universitária), apontar alguns elementos na
 produção do conhecimento sobre a infância.
            Um primeiro ponto a abordarmos em nosso trabalho diz respeito ao papel das
 instituições de educação infantil na sociedade contemporânea, estas se constituem como
 espaços importantes na vida das crianças por se caracterizarem como um espaço de encontro
 entre pares e de socialização. Ao interagir com o mundo a criança de 0 a 6 anos necessita de
 cuidados para desenvolver e construir sua identidade pessoal e coletiva. Essa construção
 depende das relações interpessoais e da capacidade de interagir com o outro.Construímos uma
 identidade através da mediação, entre o mundo , a cultura e da relação de troca entre os pares.
O professor na sua prática crítico-reflexiva, cria elementos para ampliar conhecimento sobre
os sujeitos e potencializa a condição de desenvolvimento da criança como sujeito que age no
ambiente social.
       O segundo ponto analisado é o processo de formação de profissionais de diversas
áreas do conhecimento no campo da educação infantil, através da criação, coordenação e
manutenção de estágios, projetos de pesquisa e de extensão. A unidade desenvolve projetos
envolvendo os profissionais, crianças e famílias com a finalidade da ampla atuação de todos
na sociedade.


História da Unidade de Educação Infantil Universitária na UFF.


       Vinculada a universidade pública federal no estado do Rio de Janeiro e a grupos de
pesquisa, a Creche UFF dês de sua criação tem estreita relação com o ambiente universitário
de ensino, pesquisa e extensão.     Foi inaugurada em 1997 onze anos depois da Creche
Carochinha USP-SP que é umas das mais antigas em nosso País. A Creche UFF vai funcionar
numa construção feita para esta finalidade. A construção de uma creche já estava prevista no
projeto arquitetônico de instalação de um campus universitário, no Bairro de São
Domingos/Niterói, com o objetivo de reunir as unidades acadêmicas que até então
funcionavam em diferentes logradouros da cidade de Niterói, seguindo a política
implementada durante o regime militar de instalação de campus universitário congregando
todas as unidades, sob a justificativa de eliminação da duplicação de meios para fins idênticos
ou equivalentes e, consequentemente, a minimização do custo médio da matrícula adicional,
num ensino superior em rápida expansão, mas que do ponto de vista político, visava eliminar
ou atenuar [...] a excessiva politização dos estudantes das universidades brasileiras. (CUNHA,
2000:182-183).
       Duas unidades que tiveram importante papel na criação da Creche UFF, a Faculdade
de Educação e o Instituto de Ciências Humanas e Filosofia - ICHF, onde funcionam os
departamentos de Psicologia, de Antropologia, de Sociologia e outros, se instalaram no novo
Campus no início dos anos 90. Nesse período, além do restaurante universitário e da
biblioteca central, foram instalados dois prédios para o Instituto de Ciências Humanas e
Filosofia, o prédio do Instituto de Letras, o da Faculdade e Educação e o da Escola de Serviço
Social (UFF, 2011 apud AQUINO, 2012).
       A luta pela criação da creche ganhou força com a formação do Núcleo
Multidisciplinar de Pesquisa, Extensão e Estudo da Criança de 0 a 6 anos (NUMPEEC), que
até os dias de hoje desenvolve pesquisa sobre o tema, trabalhando junto aos municípios de
Niterói e região. Após o episódio de uma visita do Reitor à Faculdade de Educação em que
havia uma aluna da pedagogia com uma criança pequena, sua filha, em sala de aula, o
NUMPEEC propõe ocupar o prédio destinado à Creche no campus do Gragoatá. Mesmo com
as instalações parcialmente acabadas, iniciam atividades com grupos de brincadeiras
organizados por professoras e professores de diferentes unidades e estudantes bolsistas de
projetos desses docentes.


Reflexões sobre a Unidades de Educação Infantil Universitária. (UEIU)


       Analisamos que tipo de demanda influenciou a criação dessa instituição, pelos estudos
de Raupp (2004), que investigou que algumas unidades em funcionamento no país estão
vinculadas a setores da assistência ao trabalhador e/ou ao estudante, outras se vinculam a
centros ou institutos acadêmicos de diferentes áreas, como a educação.
       Ainda de acordo com Raupp (idem), inicialmente, as unidades de educação infantil
universitárias foram criadas para atender aos filhos da comunidade interna, tendo objetivos
relacionados ao atendimento de necessidades trabalhistas (p. 204), entretanto, a convivência
em ambiente acadêmico, fez com que muitas destas se assumissem como unidade
universitária, desempenhando as funções de ensino, pesquisa e extensão. Considerando essa
observação, buscamos investigar que fatores influenciaram a criação da unidade objeto de
nossa pesquisa –localizada no estado do Rio de Janeiro.
       Conforme expresso na Constituição Federal/88 a creche e pré-escola, além de serem
vinculadas aos direitos dos trabalhadores, se configuram, como direito da criança de zero a
cinco anos à educação. O Estatuto da Criança e do Adolescente (1990) reafirma o direito da
criança, vista como sujeito social, central no atendimento e que merece atenção independente
das suas condições de vida e de seus familiares. A legislação e os documentos oficiais atuais,
complementares à Constituição Federal, quando reconhecem a Educação Infantil como um
direito da criança e de sua família, reafirmam a ideia de criança como sujeito de cultura, que
tem direito de educar-se. A criança deixa de ser simples objeto de atenção e cuidado,
passando a ser vista como um sujeito que age e interage em sua cultura. A educação infantil,
ao ser assumida como política educacional pública, visa superar as políticas de atendimento
em caráter assistencial destinadas a camadas populares, seu papel é o de promover o
desenvolvimento integral das crianças, reconhecendo-as como sujeito com direitos a serem
garantidos como prioridade por todos.
É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança e ao
                 adolescente, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à
                 educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à
                 liberdade e à convivência familiar e comunitária, além de colocá-los a salvo de
                 toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência e opressão. (artigo
                 227).


       O percurso da Educação Infantil no Brasil só ganhou força a partir da Constituição
Federal de 1988, ao definir creche e pré-escola como direito da criança, dever do Estado e
escolha da família. O direito à educação desde o nascimento, incorporou a educação infantil
ao sistema educacional como primeira etapa da educação básica. Considerando as intensas
mudanças ocorridas na educação destinada à criança pequena e os novos desafios neste
processo têm intensificado os estudos e pesquisas com foco na pequena infância,
especialmente nos espaços destinados para educação coletiva.
       A instalação e funcionamento da Creche UFF baseia-se na revisão de concepções e
propostas para a educação infantil, com um dos desafios para a formação docente. Em
consideração a identidade acadêmica os estudos produzidos sobre             o desenvolvimento e
educação, vem se constituindo como referência em pesquisa-ensino-extensão nas áreas de
desenvolvimento humano e educação infantil. Pautado por uma proposta de permanente
articulação entre teoria e prática, tem em sua composição técnicos da Creche que colaboram
ativamente na produção de um acervo de material científico-didático. A equipe é formada por
docentes, alunos de graduação, pós-graduação e pós-doutorandos, oriundos da Psicologia,
Pedagogia, Medicina, Biomedicina, Filosofia, Terapia Ocupacional, Fonoaudiologia e outros.
       A vinculação institucional da creche UFF ao ambiente acadêmico favorece os meios
para interlocuções entre diversas áreas do conhecimento. A especificidade do processo
educativo permite que diferentes campos busque a creche, como local investigativo na
produção de conhecimento sobre a infância. Promove a construção de metodologias e
abordagens inovadoras na área de desenvolvimento e educação infantil.
       A instituição desenvolve projetos, dinâmicas e procedimentos, visando estimular uma
participação entre profissionais, crianças e famílias nos mais variados eventos educativos e
culturais da sociedade. E notório como a produção e construção do saber não limita-se ao
acumulo de conhecimento e           informação. Paulo Freire, considerava fundamental a
conectividade entre os agentes do processo educativo e a realidade social. Ensinar vai além de
apenas transmitir conteúdos escolares e o criara forma de formar-se e educar-se para atuar na
sociedade. A creche UFF contribui para uma pratica docente baseada nesse compromisso
 político .
           A participação das universidades acontece nas funções de ensino, pesquisa e extensão
 que contribui para a consolidação de uma formação docente articulada com políticas de
 diferentes esferas (da municipal à federal). A produção acadêmica elaborada a partir da UEIU
 investigada, identifica que desenvolve um farto material relacionado a produção de pesquisas
 – tanto institucional como não institucional (monografias, dissertações e teses), envolvendo
 diferentes unidades e outras instituições que se beneficiam destas unidades como lócus de
 estudo.


 Conclusão


           O estudo ora apresentado busca compreender o papel da UEIU num processo de
intensas mudanças ocorridas na educação destinada à criança, bem como na história política do
país. A infância, tema que vem ganhando importância nos espaços acadêmicos se constrói
como objeto de estudo e campo de pesquisa. O crescente reconhecimento e interesse pela
educação infantil em conjunto com a produção acadêmica, valoriza a importância do
funcionamento das creches universitárias como campo de estágios para diversos cursos,
disponibilizando sua estrutura e funcionamento a profissionais de múltiplas áreas para
formação e para a pesquisa, além do próprio atendimento às crianças. Verificamos como essas
unidades têm desempenhado tanto sua função de instituição de educação infantil como de
unidade universitária, isto é, que atua no ensino, na pesquisa e na extensão (questões não
abordadas nesse trabalho). O relevante papel da UEI investigadas evidencia o desenvolvimento
sobre ações de ensino, pesquisa e extensão e como contribui sobremaneira na produção do
conhecimento sobre a infância, predominando a produção nas áreas de Educação e Psicologia,
mas sendo observados também a presença e o diálogo com outras áreas como Serviço Social,
Medicina, Odontologia, Arquitetura, Enfermagem.

           A organização, estrutura e dados referentes à trajetória da Creche UFF evidenciam
 como os docentes são fundamentais na ação educacional. Sua origem, vinculada a diferentes
 departamentos permite que seja referencia na formação de docentes em todo o Estado. O
 estudo produzido até o momento evidencia o relevante papel da Creche UFF nas ações em
 sociedade particularmente numa abordagem de trabalhos onde desenvolvimento infantil e
 aprendizagem, na relação teoria-prática.
A história da UEIU indica a produção de conhecimento sobre a infância elaborada a
 partir dela e que são espaços de desenvolvimento, aprendizagem, produção de subjetividades
 e práticas sobre a infância em sua complexidade. Sendo singulares, as condições de
 socialização no ambiente da educação infantil proporcionam oportunidades de ampliação das
 experiências das crianças e dos adultos (professoras e professores e outros) que com ela
 interagem; tais condições se potencializam quando a própria unidade se coloca como campo
 de experimentação, indagação e produção de conhecimentos e práticas.




Bibliografias:

AQUINO, Ligia M. L. de (coord.) (2012). Creche universitária e produção do conhecimento
sobre a infância. Relatório de Pesquisa – Prociência 2009-2012. mimeo.

CUNHA, L, A, (2000). Ensino Superior e Universidade no Brasil. In: Lopes, E.M.T., FARIA
FILHO, L .M. e VEIGA, C. (Org). 500 Anos de Educação no Brasil. Belo Horizonte,
Autêntica. p.151-204.

MELLO, A. M. de A. (2010). O auxílio-creche da USP e suas implicações para a educação
e o cuidado infantil. Tese de Doutorado em Psicologia, Universidade de São Paulo Ribeirão
Preto. São Paulo.

RAUPP, M. D. (2004). Creches nas universidades federais: questões, dilemas e perspectivas. In
Educação e Sociedade. Campinas, vol. 25, n. 86. p. 197-217. Disponível em
<http://www.cedes.unicamp.br>.

RAUPP, M. D.. (2002). A Educação Infantil nas Universidades Federais: questões, dilemas
e perspectivas. Dissertação de Mestrado em Educação. Universidade Federal de Santa Catarina.
Florianópolis. pp. 142.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Adriana cleide erika
Adriana cleide erikaAdriana cleide erika
Adriana cleide erika
Fernando Pissuto
 
Celma alessandra silva erika
Celma alessandra silva erikaCelma alessandra silva erika
Celma alessandra silva erika
Fernando Pissuto
 
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
Rosyane Dutra
 
Passoapasso maiseducacao
Passoapasso maiseducacaoPassoapasso maiseducacao
Passoapasso maiseducacao
Antonio Carneiro
 
Manual Pdde 2010 Educacao Integral
Manual Pdde 2010 Educacao IntegralManual Pdde 2010 Educacao Integral
Manual Pdde 2010 Educacao Integral
Clóvis O Astuto
 
Educacao infantil -_construindo_o_presente_(livro_do_mieib).2010-07-01_17-16-22
Educacao infantil -_construindo_o_presente_(livro_do_mieib).2010-07-01_17-16-22Educacao infantil -_construindo_o_presente_(livro_do_mieib).2010-07-01_17-16-22
Educacao infantil -_construindo_o_presente_(livro_do_mieib).2010-07-01_17-16-22
Marcia Gomes
 
Laura simone
Laura simoneLaura simone
Laura simone
Fernando Pissuto
 
Artigo4
Artigo4Artigo4
Política Nacional da Ed. Infantil
Política Nacional da Ed. InfantilPolítica Nacional da Ed. Infantil
Política Nacional da Ed. Infantil
Lílian Reis
 
Jennifer alyne maria
Jennifer alyne mariaJennifer alyne maria
Jennifer alyne maria
Fernando Pissuto
 
Suelen bruna hagrayzes
Suelen bruna hagrayzesSuelen bruna hagrayzes
Suelen bruna hagrayzes
Fernando Pissuto
 
09h00 mesa 2 ivone garcia políticas e práticas cotidianas na ei
09h00 mesa 2 ivone garcia políticas e práticas cotidianas na ei09h00 mesa 2 ivone garcia políticas e práticas cotidianas na ei
09h00 mesa 2 ivone garcia políticas e práticas cotidianas na ei
Luciana
 
Resolução diretrizes infantil2
Resolução diretrizes infantil2Resolução diretrizes infantil2
Resolução diretrizes infantil2
Erica Destéfani
 
Rubens arguelho
Rubens arguelhoRubens arguelho
Rubens arguelho
Fernando Pissuto
 
Diretrizescurriculares 2012
Diretrizescurriculares 2012Diretrizescurriculares 2012
Diretrizescurriculares 2012
Magno Rodrigues
 
Diretrizescurriculares 2012
Diretrizescurriculares 2012Diretrizescurriculares 2012
Diretrizescurriculares 2012
Maria Marilene Rauber
 

Mais procurados (16)

Adriana cleide erika
Adriana cleide erikaAdriana cleide erika
Adriana cleide erika
 
Celma alessandra silva erika
Celma alessandra silva erikaCelma alessandra silva erika
Celma alessandra silva erika
 
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
 
Passoapasso maiseducacao
Passoapasso maiseducacaoPassoapasso maiseducacao
Passoapasso maiseducacao
 
Manual Pdde 2010 Educacao Integral
Manual Pdde 2010 Educacao IntegralManual Pdde 2010 Educacao Integral
Manual Pdde 2010 Educacao Integral
 
Educacao infantil -_construindo_o_presente_(livro_do_mieib).2010-07-01_17-16-22
Educacao infantil -_construindo_o_presente_(livro_do_mieib).2010-07-01_17-16-22Educacao infantil -_construindo_o_presente_(livro_do_mieib).2010-07-01_17-16-22
Educacao infantil -_construindo_o_presente_(livro_do_mieib).2010-07-01_17-16-22
 
Laura simone
Laura simoneLaura simone
Laura simone
 
Artigo4
Artigo4Artigo4
Artigo4
 
Política Nacional da Ed. Infantil
Política Nacional da Ed. InfantilPolítica Nacional da Ed. Infantil
Política Nacional da Ed. Infantil
 
Jennifer alyne maria
Jennifer alyne mariaJennifer alyne maria
Jennifer alyne maria
 
Suelen bruna hagrayzes
Suelen bruna hagrayzesSuelen bruna hagrayzes
Suelen bruna hagrayzes
 
09h00 mesa 2 ivone garcia políticas e práticas cotidianas na ei
09h00 mesa 2 ivone garcia políticas e práticas cotidianas na ei09h00 mesa 2 ivone garcia políticas e práticas cotidianas na ei
09h00 mesa 2 ivone garcia políticas e práticas cotidianas na ei
 
Resolução diretrizes infantil2
Resolução diretrizes infantil2Resolução diretrizes infantil2
Resolução diretrizes infantil2
 
Rubens arguelho
Rubens arguelhoRubens arguelho
Rubens arguelho
 
Diretrizescurriculares 2012
Diretrizescurriculares 2012Diretrizescurriculares 2012
Diretrizescurriculares 2012
 
Diretrizescurriculares 2012
Diretrizescurriculares 2012Diretrizescurriculares 2012
Diretrizescurriculares 2012
 

Destaque

Conselhos escolares e qualidade de ensino
Conselhos escolares e qualidade de ensinoConselhos escolares e qualidade de ensino
Conselhos escolares e qualidade de ensino
compartilhamos
 
Conselhos Escolares: uma estratégia de gestão democrática da educação pública.
Conselhos Escolares: uma estratégia de gestão democrática da educação pública. Conselhos Escolares: uma estratégia de gestão democrática da educação pública.
Conselhos Escolares: uma estratégia de gestão democrática da educação pública.
colegiadoescolar
 
Estatuto do Conselho Escolar
Estatuto do Conselho EscolarEstatuto do Conselho Escolar
Estatuto do Conselho Escolar
IEE Wilcam
 
Conselho Escolar e Aprendizagem na Escola
Conselho Escolar e Aprendizagem na EscolaConselho Escolar e Aprendizagem na Escola
Conselho Escolar e Aprendizagem na Escola
UBIRAJARA COUTO LIMA
 
5. Conselho Escolar Ida
5. Conselho Escolar Ida5. Conselho Escolar Ida
5. Conselho Escolar Ida
Sandra Luccas
 
Slides conselho escolar
Slides conselho escolarSlides conselho escolar
Slides conselho escolar
cezarjeri
 

Destaque (6)

Conselhos escolares e qualidade de ensino
Conselhos escolares e qualidade de ensinoConselhos escolares e qualidade de ensino
Conselhos escolares e qualidade de ensino
 
Conselhos Escolares: uma estratégia de gestão democrática da educação pública.
Conselhos Escolares: uma estratégia de gestão democrática da educação pública. Conselhos Escolares: uma estratégia de gestão democrática da educação pública.
Conselhos Escolares: uma estratégia de gestão democrática da educação pública.
 
Estatuto do Conselho Escolar
Estatuto do Conselho EscolarEstatuto do Conselho Escolar
Estatuto do Conselho Escolar
 
Conselho Escolar e Aprendizagem na Escola
Conselho Escolar e Aprendizagem na EscolaConselho Escolar e Aprendizagem na Escola
Conselho Escolar e Aprendizagem na Escola
 
5. Conselho Escolar Ida
5. Conselho Escolar Ida5. Conselho Escolar Ida
5. Conselho Escolar Ida
 
Slides conselho escolar
Slides conselho escolarSlides conselho escolar
Slides conselho escolar
 

Semelhante a Compartilhamos ueiu compartilhando saberes

ANÁLISE DA POLÍTICA CURRICULAR PARA A PRIMEIRA INFANCIA NA AMÉRICA LATINA.pptx
ANÁLISE DA POLÍTICA CURRICULAR PARA A PRIMEIRA INFANCIA NA AMÉRICA LATINA.pptxANÁLISE DA POLÍTICA CURRICULAR PARA A PRIMEIRA INFANCIA NA AMÉRICA LATINA.pptx
ANÁLISE DA POLÍTICA CURRICULAR PARA A PRIMEIRA INFANCIA NA AMÉRICA LATINA.pptx
AyanneVieira1
 
Aula01 org.e metodologia-ed.inf-2013-2
Aula01 org.e metodologia-ed.inf-2013-2Aula01 org.e metodologia-ed.inf-2013-2
Aula01 org.e metodologia-ed.inf-2013-2
Elisa Maria Gomide
 
1 Aprendizagem na infância diálogos entre os referenciais curriculares nacion...
1 Aprendizagem na infância diálogos entre os referenciais curriculares nacion...1 Aprendizagem na infância diálogos entre os referenciais curriculares nacion...
1 Aprendizagem na infância diálogos entre os referenciais curriculares nacion...
ArticuladorPedaggico3
 
ROTINA ESCOLAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL INFÂNCIA E APRENDIZAGEM.pdf
ROTINA ESCOLAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL INFÂNCIA E APRENDIZAGEM.pdfROTINA ESCOLAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL INFÂNCIA E APRENDIZAGEM.pdf
ROTINA ESCOLAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL INFÂNCIA E APRENDIZAGEM.pdf
AndreiaCristinaPonta
 
Binomio criar-educar
Binomio criar-educarBinomio criar-educar
Binomio criar-educar
Kelly Sz
 
Jessica jucilene nair
Jessica jucilene nairJessica jucilene nair
Jessica jucilene nair
Fernando Pissuto
 
Monografia Rita Pedagogia 2010
Monografia Rita Pedagogia 2010Monografia Rita Pedagogia 2010
Monografia Rita Pedagogia 2010
Biblioteca Campus VII
 
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
Geuza Livramento
 
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
Pedro Henrique
 
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
Rc Andrade
 
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
Rosyane Dutra
 
Gestao de educacao_infantil_10
Gestao de educacao_infantil_10Gestao de educacao_infantil_10
Gestao de educacao_infantil_10
Liberty Ensino
 
As concepções de criança e infância...
As concepções de criança e infância...As concepções de criança e infância...
As concepções de criança e infância...
Marilia Pires
 
Educação Infantil
Educação  InfantilEducação  Infantil
Educação Infantil
Escola Jovem
 
Educação Infantil
Educação InfantilEducação Infantil
Educação Infantil
Escola Jovem
 
O papel da escola e suas demandas sociais
O papel da escola e suas demandas sociaisO papel da escola e suas demandas sociais
O papel da escola e suas demandas sociais
Loureni Reis
 
0 a 3 anos cuidar%2c acolher
0 a 3 anos cuidar%2c acolher0 a 3 anos cuidar%2c acolher
0 a 3 anos cuidar%2c acolher
Arthur Rodrigues Lourenço
 
Dengue artigo pedagogia bolsa pibid
Dengue artigo   pedagogia bolsa pibidDengue artigo   pedagogia bolsa pibid
Dengue artigo pedagogia bolsa pibid
Lucia Fagundes
 
Alem dos-muros-da-escola-a-educacao-nao-formal-como-espaco-de-atuacao-da-prat...
Alem dos-muros-da-escola-a-educacao-nao-formal-como-espaco-de-atuacao-da-prat...Alem dos-muros-da-escola-a-educacao-nao-formal-como-espaco-de-atuacao-da-prat...
Alem dos-muros-da-escola-a-educacao-nao-formal-como-espaco-de-atuacao-da-prat...
hyedda
 
Formação de professores na escola capitalista
Formação de professores na escola capitalistaFormação de professores na escola capitalista
Formação de professores na escola capitalista
Rosyane Dutra
 

Semelhante a Compartilhamos ueiu compartilhando saberes (20)

ANÁLISE DA POLÍTICA CURRICULAR PARA A PRIMEIRA INFANCIA NA AMÉRICA LATINA.pptx
ANÁLISE DA POLÍTICA CURRICULAR PARA A PRIMEIRA INFANCIA NA AMÉRICA LATINA.pptxANÁLISE DA POLÍTICA CURRICULAR PARA A PRIMEIRA INFANCIA NA AMÉRICA LATINA.pptx
ANÁLISE DA POLÍTICA CURRICULAR PARA A PRIMEIRA INFANCIA NA AMÉRICA LATINA.pptx
 
Aula01 org.e metodologia-ed.inf-2013-2
Aula01 org.e metodologia-ed.inf-2013-2Aula01 org.e metodologia-ed.inf-2013-2
Aula01 org.e metodologia-ed.inf-2013-2
 
1 Aprendizagem na infância diálogos entre os referenciais curriculares nacion...
1 Aprendizagem na infância diálogos entre os referenciais curriculares nacion...1 Aprendizagem na infância diálogos entre os referenciais curriculares nacion...
1 Aprendizagem na infância diálogos entre os referenciais curriculares nacion...
 
ROTINA ESCOLAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL INFÂNCIA E APRENDIZAGEM.pdf
ROTINA ESCOLAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL INFÂNCIA E APRENDIZAGEM.pdfROTINA ESCOLAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL INFÂNCIA E APRENDIZAGEM.pdf
ROTINA ESCOLAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL INFÂNCIA E APRENDIZAGEM.pdf
 
Binomio criar-educar
Binomio criar-educarBinomio criar-educar
Binomio criar-educar
 
Jessica jucilene nair
Jessica jucilene nairJessica jucilene nair
Jessica jucilene nair
 
Monografia Rita Pedagogia 2010
Monografia Rita Pedagogia 2010Monografia Rita Pedagogia 2010
Monografia Rita Pedagogia 2010
 
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
 
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
 
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
 
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
2.1 curriculo educacao_infantil_zilma_moraes
 
Gestao de educacao_infantil_10
Gestao de educacao_infantil_10Gestao de educacao_infantil_10
Gestao de educacao_infantil_10
 
As concepções de criança e infância...
As concepções de criança e infância...As concepções de criança e infância...
As concepções de criança e infância...
 
Educação Infantil
Educação  InfantilEducação  Infantil
Educação Infantil
 
Educação Infantil
Educação InfantilEducação Infantil
Educação Infantil
 
O papel da escola e suas demandas sociais
O papel da escola e suas demandas sociaisO papel da escola e suas demandas sociais
O papel da escola e suas demandas sociais
 
0 a 3 anos cuidar%2c acolher
0 a 3 anos cuidar%2c acolher0 a 3 anos cuidar%2c acolher
0 a 3 anos cuidar%2c acolher
 
Dengue artigo pedagogia bolsa pibid
Dengue artigo   pedagogia bolsa pibidDengue artigo   pedagogia bolsa pibid
Dengue artigo pedagogia bolsa pibid
 
Alem dos-muros-da-escola-a-educacao-nao-formal-como-espaco-de-atuacao-da-prat...
Alem dos-muros-da-escola-a-educacao-nao-formal-como-espaco-de-atuacao-da-prat...Alem dos-muros-da-escola-a-educacao-nao-formal-como-espaco-de-atuacao-da-prat...
Alem dos-muros-da-escola-a-educacao-nao-formal-como-espaco-de-atuacao-da-prat...
 
Formação de professores na escola capitalista
Formação de professores na escola capitalistaFormação de professores na escola capitalista
Formação de professores na escola capitalista
 

Mais de compartilhamos

Maria candidagomesamostrashistórico geográficas
Maria candidagomesamostrashistórico geográficasMaria candidagomesamostrashistórico geográficas
Maria candidagomesamostrashistórico geográficas
compartilhamos
 
Maria candidagomesamostrashistórico geográficas
Maria candidagomesamostrashistórico geográficasMaria candidagomesamostrashistórico geográficas
Maria candidagomesamostrashistórico geográficas
compartilhamos
 
Amostras histórico geográficas
Amostras histórico geográficasAmostras histórico geográficas
Amostras histórico geográficas
compartilhamos
 
Compartilhamos filosofia com crianças uma possibilidade para o pensamento tra...
Compartilhamos filosofia com crianças uma possibilidade para o pensamento tra...Compartilhamos filosofia com crianças uma possibilidade para o pensamento tra...
Compartilhamos filosofia com crianças uma possibilidade para o pensamento tra...
compartilhamos
 
Culturas infantis, natureza e sociedade
Culturas infantis, natureza e sociedadeCulturas infantis, natureza e sociedade
Culturas infantis, natureza e sociedade
compartilhamos
 
Teatro na educa_o_infantil_camila_paz
Teatro na educa_o_infantil_camila_pazTeatro na educa_o_infantil_camila_paz
Teatro na educa_o_infantil_camila_paz
compartilhamos
 
Inser o na_creche_a_entrada_das_crian_as_e_suas_fam_lias_(completo)
Inser o na_creche_a_entrada_das_crian_as_e_suas_fam_lias_(completo)Inser o na_creche_a_entrada_das_crian_as_e_suas_fam_lias_(completo)
Inser o na_creche_a_entrada_das_crian_as_e_suas_fam_lias_(completo)
compartilhamos
 
Culturas infantis, natureza e sociedade
Culturas infantis, natureza e sociedadeCulturas infantis, natureza e sociedade
Culturas infantis, natureza e sociedade
compartilhamos
 

Mais de compartilhamos (8)

Maria candidagomesamostrashistórico geográficas
Maria candidagomesamostrashistórico geográficasMaria candidagomesamostrashistórico geográficas
Maria candidagomesamostrashistórico geográficas
 
Maria candidagomesamostrashistórico geográficas
Maria candidagomesamostrashistórico geográficasMaria candidagomesamostrashistórico geográficas
Maria candidagomesamostrashistórico geográficas
 
Amostras histórico geográficas
Amostras histórico geográficasAmostras histórico geográficas
Amostras histórico geográficas
 
Compartilhamos filosofia com crianças uma possibilidade para o pensamento tra...
Compartilhamos filosofia com crianças uma possibilidade para o pensamento tra...Compartilhamos filosofia com crianças uma possibilidade para o pensamento tra...
Compartilhamos filosofia com crianças uma possibilidade para o pensamento tra...
 
Culturas infantis, natureza e sociedade
Culturas infantis, natureza e sociedadeCulturas infantis, natureza e sociedade
Culturas infantis, natureza e sociedade
 
Teatro na educa_o_infantil_camila_paz
Teatro na educa_o_infantil_camila_pazTeatro na educa_o_infantil_camila_paz
Teatro na educa_o_infantil_camila_paz
 
Inser o na_creche_a_entrada_das_crian_as_e_suas_fam_lias_(completo)
Inser o na_creche_a_entrada_das_crian_as_e_suas_fam_lias_(completo)Inser o na_creche_a_entrada_das_crian_as_e_suas_fam_lias_(completo)
Inser o na_creche_a_entrada_das_crian_as_e_suas_fam_lias_(completo)
 
Culturas infantis, natureza e sociedade
Culturas infantis, natureza e sociedadeCulturas infantis, natureza e sociedade
Culturas infantis, natureza e sociedade
 

Compartilhamos ueiu compartilhando saberes

  • 1. UNIDADE DE EDUCAÇÃO INFANTIL UNIVERSITÁRIA COMPARTILHANDO SABERES SOBRE A INFÂNCIA Barbara Fernandes Bersot - PIBIC/CNPq –UERJ Orientadora: Prof. Drª Ligia Maria Leão de Aquino - PROPEd/UERJ Resumo O presente trabalho tem como objetivo apresentar a história de uma Unidade de Educação Infantil Universitária (creche universitária), identificando a organização e estrutura, discutindo o desempenho de sua função de escola de educação infantil e de unidade universitária, isto é, que atua no ensino, na pesquisa e na extensão. Os dados referentes à trajetória histórica são analisados segundo os contextos sociais e políticos brasileiros, tomando como referência os estudos de Raupp (2002; 2004), Mello (2010), Cunha (2000). O estudo parte de pesquisa em andamento, revela importante papel dessa unidade de educação infantil universitária como espaço de desenvolvimento de práticas e conhecimentos sobre a infância em sua complexidade, a partir do diálogo entre diversas áreas – educação, psicologia, serviço social e outras. Tendo ainda relevante atuação na formação de professores, compartilhando saberes sobre a infância. Palavras-chave: educação infantil universitária; infância; creche universitária; ensino-pesquisa- extensão. Introdução O estudo produzido, revela um desafio na Unidade de Educação Infantil Universitária (UEIU), que além do papel institucional de atuar na primeira etapa da educação básica das crianças, deve refletir sobre suas funções como unidade universitária, isto é, as funções indissociáveis de ensino, pesquisa e extensão. A pesquisa em andamento identifica a organização, estrutura e dados referentes à trajetória histórica da Creche UFF. Essa Unidade de Educação Infantil Universitária (creche universitária), apontar alguns elementos na produção do conhecimento sobre a infância. Um primeiro ponto a abordarmos em nosso trabalho diz respeito ao papel das instituições de educação infantil na sociedade contemporânea, estas se constituem como espaços importantes na vida das crianças por se caracterizarem como um espaço de encontro entre pares e de socialização. Ao interagir com o mundo a criança de 0 a 6 anos necessita de cuidados para desenvolver e construir sua identidade pessoal e coletiva. Essa construção depende das relações interpessoais e da capacidade de interagir com o outro.Construímos uma identidade através da mediação, entre o mundo , a cultura e da relação de troca entre os pares.
  • 2. O professor na sua prática crítico-reflexiva, cria elementos para ampliar conhecimento sobre os sujeitos e potencializa a condição de desenvolvimento da criança como sujeito que age no ambiente social. O segundo ponto analisado é o processo de formação de profissionais de diversas áreas do conhecimento no campo da educação infantil, através da criação, coordenação e manutenção de estágios, projetos de pesquisa e de extensão. A unidade desenvolve projetos envolvendo os profissionais, crianças e famílias com a finalidade da ampla atuação de todos na sociedade. História da Unidade de Educação Infantil Universitária na UFF. Vinculada a universidade pública federal no estado do Rio de Janeiro e a grupos de pesquisa, a Creche UFF dês de sua criação tem estreita relação com o ambiente universitário de ensino, pesquisa e extensão. Foi inaugurada em 1997 onze anos depois da Creche Carochinha USP-SP que é umas das mais antigas em nosso País. A Creche UFF vai funcionar numa construção feita para esta finalidade. A construção de uma creche já estava prevista no projeto arquitetônico de instalação de um campus universitário, no Bairro de São Domingos/Niterói, com o objetivo de reunir as unidades acadêmicas que até então funcionavam em diferentes logradouros da cidade de Niterói, seguindo a política implementada durante o regime militar de instalação de campus universitário congregando todas as unidades, sob a justificativa de eliminação da duplicação de meios para fins idênticos ou equivalentes e, consequentemente, a minimização do custo médio da matrícula adicional, num ensino superior em rápida expansão, mas que do ponto de vista político, visava eliminar ou atenuar [...] a excessiva politização dos estudantes das universidades brasileiras. (CUNHA, 2000:182-183). Duas unidades que tiveram importante papel na criação da Creche UFF, a Faculdade de Educação e o Instituto de Ciências Humanas e Filosofia - ICHF, onde funcionam os departamentos de Psicologia, de Antropologia, de Sociologia e outros, se instalaram no novo Campus no início dos anos 90. Nesse período, além do restaurante universitário e da biblioteca central, foram instalados dois prédios para o Instituto de Ciências Humanas e Filosofia, o prédio do Instituto de Letras, o da Faculdade e Educação e o da Escola de Serviço Social (UFF, 2011 apud AQUINO, 2012). A luta pela criação da creche ganhou força com a formação do Núcleo Multidisciplinar de Pesquisa, Extensão e Estudo da Criança de 0 a 6 anos (NUMPEEC), que
  • 3. até os dias de hoje desenvolve pesquisa sobre o tema, trabalhando junto aos municípios de Niterói e região. Após o episódio de uma visita do Reitor à Faculdade de Educação em que havia uma aluna da pedagogia com uma criança pequena, sua filha, em sala de aula, o NUMPEEC propõe ocupar o prédio destinado à Creche no campus do Gragoatá. Mesmo com as instalações parcialmente acabadas, iniciam atividades com grupos de brincadeiras organizados por professoras e professores de diferentes unidades e estudantes bolsistas de projetos desses docentes. Reflexões sobre a Unidades de Educação Infantil Universitária. (UEIU) Analisamos que tipo de demanda influenciou a criação dessa instituição, pelos estudos de Raupp (2004), que investigou que algumas unidades em funcionamento no país estão vinculadas a setores da assistência ao trabalhador e/ou ao estudante, outras se vinculam a centros ou institutos acadêmicos de diferentes áreas, como a educação. Ainda de acordo com Raupp (idem), inicialmente, as unidades de educação infantil universitárias foram criadas para atender aos filhos da comunidade interna, tendo objetivos relacionados ao atendimento de necessidades trabalhistas (p. 204), entretanto, a convivência em ambiente acadêmico, fez com que muitas destas se assumissem como unidade universitária, desempenhando as funções de ensino, pesquisa e extensão. Considerando essa observação, buscamos investigar que fatores influenciaram a criação da unidade objeto de nossa pesquisa –localizada no estado do Rio de Janeiro. Conforme expresso na Constituição Federal/88 a creche e pré-escola, além de serem vinculadas aos direitos dos trabalhadores, se configuram, como direito da criança de zero a cinco anos à educação. O Estatuto da Criança e do Adolescente (1990) reafirma o direito da criança, vista como sujeito social, central no atendimento e que merece atenção independente das suas condições de vida e de seus familiares. A legislação e os documentos oficiais atuais, complementares à Constituição Federal, quando reconhecem a Educação Infantil como um direito da criança e de sua família, reafirmam a ideia de criança como sujeito de cultura, que tem direito de educar-se. A criança deixa de ser simples objeto de atenção e cuidado, passando a ser vista como um sujeito que age e interage em sua cultura. A educação infantil, ao ser assumida como política educacional pública, visa superar as políticas de atendimento em caráter assistencial destinadas a camadas populares, seu papel é o de promover o desenvolvimento integral das crianças, reconhecendo-as como sujeito com direitos a serem garantidos como prioridade por todos.
  • 4. É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança e ao adolescente, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária, além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência e opressão. (artigo 227). O percurso da Educação Infantil no Brasil só ganhou força a partir da Constituição Federal de 1988, ao definir creche e pré-escola como direito da criança, dever do Estado e escolha da família. O direito à educação desde o nascimento, incorporou a educação infantil ao sistema educacional como primeira etapa da educação básica. Considerando as intensas mudanças ocorridas na educação destinada à criança pequena e os novos desafios neste processo têm intensificado os estudos e pesquisas com foco na pequena infância, especialmente nos espaços destinados para educação coletiva. A instalação e funcionamento da Creche UFF baseia-se na revisão de concepções e propostas para a educação infantil, com um dos desafios para a formação docente. Em consideração a identidade acadêmica os estudos produzidos sobre o desenvolvimento e educação, vem se constituindo como referência em pesquisa-ensino-extensão nas áreas de desenvolvimento humano e educação infantil. Pautado por uma proposta de permanente articulação entre teoria e prática, tem em sua composição técnicos da Creche que colaboram ativamente na produção de um acervo de material científico-didático. A equipe é formada por docentes, alunos de graduação, pós-graduação e pós-doutorandos, oriundos da Psicologia, Pedagogia, Medicina, Biomedicina, Filosofia, Terapia Ocupacional, Fonoaudiologia e outros. A vinculação institucional da creche UFF ao ambiente acadêmico favorece os meios para interlocuções entre diversas áreas do conhecimento. A especificidade do processo educativo permite que diferentes campos busque a creche, como local investigativo na produção de conhecimento sobre a infância. Promove a construção de metodologias e abordagens inovadoras na área de desenvolvimento e educação infantil. A instituição desenvolve projetos, dinâmicas e procedimentos, visando estimular uma participação entre profissionais, crianças e famílias nos mais variados eventos educativos e culturais da sociedade. E notório como a produção e construção do saber não limita-se ao acumulo de conhecimento e informação. Paulo Freire, considerava fundamental a conectividade entre os agentes do processo educativo e a realidade social. Ensinar vai além de apenas transmitir conteúdos escolares e o criara forma de formar-se e educar-se para atuar na
  • 5. sociedade. A creche UFF contribui para uma pratica docente baseada nesse compromisso político . A participação das universidades acontece nas funções de ensino, pesquisa e extensão que contribui para a consolidação de uma formação docente articulada com políticas de diferentes esferas (da municipal à federal). A produção acadêmica elaborada a partir da UEIU investigada, identifica que desenvolve um farto material relacionado a produção de pesquisas – tanto institucional como não institucional (monografias, dissertações e teses), envolvendo diferentes unidades e outras instituições que se beneficiam destas unidades como lócus de estudo. Conclusão O estudo ora apresentado busca compreender o papel da UEIU num processo de intensas mudanças ocorridas na educação destinada à criança, bem como na história política do país. A infância, tema que vem ganhando importância nos espaços acadêmicos se constrói como objeto de estudo e campo de pesquisa. O crescente reconhecimento e interesse pela educação infantil em conjunto com a produção acadêmica, valoriza a importância do funcionamento das creches universitárias como campo de estágios para diversos cursos, disponibilizando sua estrutura e funcionamento a profissionais de múltiplas áreas para formação e para a pesquisa, além do próprio atendimento às crianças. Verificamos como essas unidades têm desempenhado tanto sua função de instituição de educação infantil como de unidade universitária, isto é, que atua no ensino, na pesquisa e na extensão (questões não abordadas nesse trabalho). O relevante papel da UEI investigadas evidencia o desenvolvimento sobre ações de ensino, pesquisa e extensão e como contribui sobremaneira na produção do conhecimento sobre a infância, predominando a produção nas áreas de Educação e Psicologia, mas sendo observados também a presença e o diálogo com outras áreas como Serviço Social, Medicina, Odontologia, Arquitetura, Enfermagem. A organização, estrutura e dados referentes à trajetória da Creche UFF evidenciam como os docentes são fundamentais na ação educacional. Sua origem, vinculada a diferentes departamentos permite que seja referencia na formação de docentes em todo o Estado. O estudo produzido até o momento evidencia o relevante papel da Creche UFF nas ações em sociedade particularmente numa abordagem de trabalhos onde desenvolvimento infantil e aprendizagem, na relação teoria-prática.
  • 6. A história da UEIU indica a produção de conhecimento sobre a infância elaborada a partir dela e que são espaços de desenvolvimento, aprendizagem, produção de subjetividades e práticas sobre a infância em sua complexidade. Sendo singulares, as condições de socialização no ambiente da educação infantil proporcionam oportunidades de ampliação das experiências das crianças e dos adultos (professoras e professores e outros) que com ela interagem; tais condições se potencializam quando a própria unidade se coloca como campo de experimentação, indagação e produção de conhecimentos e práticas. Bibliografias: AQUINO, Ligia M. L. de (coord.) (2012). Creche universitária e produção do conhecimento sobre a infância. Relatório de Pesquisa – Prociência 2009-2012. mimeo. CUNHA, L, A, (2000). Ensino Superior e Universidade no Brasil. In: Lopes, E.M.T., FARIA FILHO, L .M. e VEIGA, C. (Org). 500 Anos de Educação no Brasil. Belo Horizonte, Autêntica. p.151-204. MELLO, A. M. de A. (2010). O auxílio-creche da USP e suas implicações para a educação e o cuidado infantil. Tese de Doutorado em Psicologia, Universidade de São Paulo Ribeirão Preto. São Paulo. RAUPP, M. D. (2004). Creches nas universidades federais: questões, dilemas e perspectivas. In Educação e Sociedade. Campinas, vol. 25, n. 86. p. 197-217. Disponível em <http://www.cedes.unicamp.br>. RAUPP, M. D.. (2002). A Educação Infantil nas Universidades Federais: questões, dilemas e perspectivas. Dissertação de Mestrado em Educação. Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis. pp. 142.