SlideShare uma empresa Scribd logo
COI Centro de Operações Industrias nas
Usinas – Você está fazendo isso correto?
FATO
MAI/24 COI Centro de Operações Industrias nas Usinas – Você está fazendo isso correto? - Márcio Venturelli 2
O principal objetivo do COI é centralizar as
informações e o controle da operação
industrial de forma remota, a fim de
permitir tomada de decisões. Ocorre que a
grande maioria destes centros de operação
não operam o processo, na melhor das
hipóteses, supervisionam o operador que
está no campo, apenas servindo de auxílio
de informação ou condução de uma ação
operacional vinda da gestão centralizada,
com isso, o que seria esperado que o COI
fizesse, controle supervisionado
automático, autônomo e centralizado, não
condiz com a realidade da maioria das
usinas.
POR QUE
MAI/24 COI Centro de Operações Industrias nas Usinas – Você está fazendo isso correto? - Márcio Venturelli 3
A cultura de operar localmente nas usinas,
ainda é em sua maioria, o modelo utilizado,
muito se evoluiu em automação no setor, mas
isso não quer dizer que os processos estão
automáticos, podemos dizer que houve um
grande aumento de informações, mas de fato,
implantar medição e controle automático,
supervisionado em centros de operação, com
malhas automáticas, controle avançado,
sistemas de otimização e gestão de ativos,
ainda não é uma realidade comum, fazendo
com que os COI sejam locais de informação e
não de controle do processo produtivo, uma
vez que o operador ainda está no local do
processo.
IMPACTO
MAI/24 COI Centro de Operações Industrias nas Usinas – Você está fazendo isso correto? - Márcio Venturelli 4
A centralização das informações ajuda
na tomada de decisões, mas se forem
analisar o controle operacional das
usinas ao longo do tempo, verão que
não mudou muito de 20 anos atrás,
quando houve investimentos em PLC e
Sistemas de Controle, pois havia
normalmente dois operadores por
processo e turno, com os COI, um deles
ficou no campo e outro foi para a sala de
operações, interagem de forma
centralizada, mas sem impacto de fato
no controle automático.
DESAFIO
MAI/24 COI Centro de Operações Industrias nas Usinas – Você está fazendo isso correto? - Márcio Venturelli 5
Como transformar de fato o
COI em um centro de
operações, onde o operador
possa supervisionar o
processo, com ferramentas de
controle e análise de dados,
interferindo direto na
produção e de forma remota?
SOLUÇÕES
MAI/24 COI Centro de Operações Industrias nas Usinas – Você está fazendo isso correto? - Márcio Venturelli 6
Precisamos de muito treinamento
operacional , com um novo formato de
pensamento, isto não é algo novo, talvez o
setor precise avançar de forma mais arrojada
na produção automatizada, buscar colocar
processos de fato em malhas automáticas,
usar mais sistemas analíticos na linha de
produção, incluir gestão de ativos em tempo
real, implantar controle avançado e sistemas
de otimização em tempo real, incluir sistemas
analíticos de dados, alarmes e tendencia em
tempo real, capazes de gerar insights para
antecipar eventos, isso na prática simplifica a
operação, aumentando a eficiência industrial,
não esquecendo de fazer a convergência das
áreas, TI Tecnologia da Informação, gestão de
ativos, qualidade e agrícola.
FAZER
MAI/24 COI Centro de Operações Industrias nas Usinas – Você está fazendo isso correto? - Márcio Venturelli 7
Eleve o nível de automação, faça um estudo da
sua situação atual e da digitalização na indústria,
faça um GAP Analysis de conhecimento de sua
equipe de operação e supervisão de operação,
compare com os procedimentos que são usados
no controle operacional, analise como são os
fluxos de partida do processo, produção em
regime, parada programada, parada de
emergência, ações de manutenção, programada
ou não, como é a interação na área de qualidade
durante o processo produtivo, crie um mapa de
mudanças, ações que elevem o nível de
automação e busquem colocar os processo de
fato de forma automática, com operadores e
supervisores que saibam operar uma produção
com sistemas automáticos.
CONCLUSÃO
MAI/24 COI Centro de Operações Industrias nas Usinas – Você está fazendo isso correto? - Márcio Venturelli 8
A mudança da forma de entender o que
é um COI é fundamental para uma
análise do nível de conhecimento da
equipe de produção, responsável pela
safra produtiva, treinamento e
investimento em automação é
fundamental para diminuir as
variabilidades do processo, reduzir
perdas produtivas de toda ordem,
diminuir o tempo de tomada de
decisões e ser mais assertivo, diminui
ações redundantes para agiliza tarefas e
diminuir erros operacionais, isso é a
busca pela excelência operacional que o
setor necessita.
AUTOR
MAI/24 COI Centro de Operações Industrias nas Usinas – Você está fazendo isso correto? - Márcio Venturelli 9
Márcio Venturelli trabalha há 30 anos no mercado de Automação Industrial,
desenvolveu sua carreira ao longo do tempo com foco em Inovação e Novas
Tecnologias, especializou-se em Digitalização e Indústria 4.0, atualmente é
Coordenador Técnico do Instituto SENAI de Tecnologia e Professor de Automação
Industrial, como foco em Transformação Digital.
Trabalhou em diversos projetos e implantação de sistemas de controle e
automação industrial, no Brasil e no exterior, além de ser professor de graduação e
pós-graduação nas áreas de automação e gestão industrial e desenvolve pesquisa
aplicada nas áreas da Indústria 4.0.
Graduado em Ciência da Computação com especialização em Controle e
Automação Industrial, possui pós-graduação Ciência de Dados, Gestão Industrial e
Tecnologia do Petróleo e Gás e MBA em Estratégica de Negócios.
Foi membro do Comitê de Convergência de TO-TI do IBP Instituto Brasileiro do
Petróleo, diretor de tecnologia da PI PROFIBUS International e diretor de
tecnologia da ISA Sociedade Internacional de Automação, coordenador do comitê
setorial do CEISE Br - Centro das Indústrias de Bioenergia.
venturelli.tia@gmail.com

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS

Metodologias de softwares no contexto agrícola
Metodologias de softwares no contexto agrícolaMetodologias de softwares no contexto agrícola
Metodologias de softwares no contexto agrícola
Daniel Ramos
 
Comparativo entre conceitos e sistemas de produção
Comparativo entre conceitos e sistemas de produçãoComparativo entre conceitos e sistemas de produção
Comparativo entre conceitos e sistemas de produção
Jose Donizetti Moraes
 
Ebook controle qualidade-industrial_industria_4
Ebook controle qualidade-industrial_industria_4Ebook controle qualidade-industrial_industria_4
Ebook controle qualidade-industrial_industria_4
jcjaneiro
 
Business intelligence
Business intelligenceBusiness intelligence
Business intelligence
Heloisa Gozetto Barbosa
 
Utilização da tecnologia oee como ferramenta para monitorar centros de usinag...
Utilização da tecnologia oee como ferramenta para monitorar centros de usinag...Utilização da tecnologia oee como ferramenta para monitorar centros de usinag...
Utilização da tecnologia oee como ferramenta para monitorar centros de usinag...
Alexandre Bento
 
Mes Sistemas de Execução de Manufatura
Mes Sistemas de Execução de Manufatura Mes Sistemas de Execução de Manufatura
Mes Sistemas de Execução de Manufatura
Consultor SAP MM
 
A Internet das Coisas e suas aplicações na industria.pptx
A Internet das Coisas e suas aplicações na industria.pptxA Internet das Coisas e suas aplicações na industria.pptx
A Internet das Coisas e suas aplicações na industria.pptx
José Luiz Zanirato Maia
 
TDC2017 | São Paulo - Trilha Tranformação Digital How we figured out we had a...
TDC2017 | São Paulo - Trilha Tranformação Digital How we figured out we had a...TDC2017 | São Paulo - Trilha Tranformação Digital How we figured out we had a...
TDC2017 | São Paulo - Trilha Tranformação Digital How we figured out we had a...
tdc-globalcode
 
Indústria 4.0 e Inteligência Artificial
Indústria 4.0 e Inteligência ArtificialIndústria 4.0 e Inteligência Artificial
Indústria 4.0 e Inteligência Artificial
JornalCanaProCana
 
Apresentação manufatura (10 06-2015)
Apresentação   manufatura (10 06-2015)Apresentação   manufatura (10 06-2015)
Apresentação manufatura (10 06-2015)
Weverton Abreu
 
Sendys IDC CIO SummitAngola 2013
Sendys IDC CIO SummitAngola 2013Sendys IDC CIO SummitAngola 2013
Sendys IDC CIO SummitAngola 2013
Sendys Portugal
 
ProIndústria 2018 - dia 24 - H201 - A01
ProIndústria 2018 - dia 24 - H201 - A01ProIndústria 2018 - dia 24 - H201 - A01
ProIndústria 2018 - dia 24 - H201 - A01
Evandro Gama (Prof. Dr.)
 
Treinamento road show_12102010
Treinamento road show_12102010Treinamento road show_12102010
Treinamento road show_12102010
Boris Mesel
 
Artigo+6+ indicadores+de+desempenho+empresarial+co
Artigo+6+ indicadores+de+desempenho+empresarial+coArtigo+6+ indicadores+de+desempenho+empresarial+co
Artigo+6+ indicadores+de+desempenho+empresarial+co
Graciele Soares
 
Oee
OeeOee
Utilização da tecnologia mrp como melhoria no planejamento da produção em uma...
Utilização da tecnologia mrp como melhoria no planejamento da produção em uma...Utilização da tecnologia mrp como melhoria no planejamento da produção em uma...
Utilização da tecnologia mrp como melhoria no planejamento da produção em uma...
Alexandre Bento
 
Lean Manufacturing Nova Visão
Lean Manufacturing Nova VisãoLean Manufacturing Nova Visão
Lean Manufacturing Nova Visão
Jose Donizetti Moraes
 
Factory Upgrade - Descubra o software de gestão ideal e enfrente a Indústria 4.0
Factory Upgrade - Descubra o software de gestão ideal e enfrente a Indústria 4.0Factory Upgrade - Descubra o software de gestão ideal e enfrente a Indústria 4.0
Factory Upgrade - Descubra o software de gestão ideal e enfrente a Indústria 4.0
Mafalda Martins
 
SISTEMAS DE SIMULAÇÃO trabalho fatec (1).pptx
SISTEMAS DE SIMULAÇÃO trabalho fatec (1).pptxSISTEMAS DE SIMULAÇÃO trabalho fatec (1).pptx
SISTEMAS DE SIMULAÇÃO trabalho fatec (1).pptx
Luan491
 
Lessons Learned 1 - Equipa 26 - WCore
Lessons Learned 1 - Equipa 26 - WCoreLessons Learned 1 - Equipa 26 - WCore
Lessons Learned 1 - Equipa 26 - WCore
João Cabral
 

Semelhante a COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS (20)

Metodologias de softwares no contexto agrícola
Metodologias de softwares no contexto agrícolaMetodologias de softwares no contexto agrícola
Metodologias de softwares no contexto agrícola
 
Comparativo entre conceitos e sistemas de produção
Comparativo entre conceitos e sistemas de produçãoComparativo entre conceitos e sistemas de produção
Comparativo entre conceitos e sistemas de produção
 
Ebook controle qualidade-industrial_industria_4
Ebook controle qualidade-industrial_industria_4Ebook controle qualidade-industrial_industria_4
Ebook controle qualidade-industrial_industria_4
 
Business intelligence
Business intelligenceBusiness intelligence
Business intelligence
 
Utilização da tecnologia oee como ferramenta para monitorar centros de usinag...
Utilização da tecnologia oee como ferramenta para monitorar centros de usinag...Utilização da tecnologia oee como ferramenta para monitorar centros de usinag...
Utilização da tecnologia oee como ferramenta para monitorar centros de usinag...
 
Mes Sistemas de Execução de Manufatura
Mes Sistemas de Execução de Manufatura Mes Sistemas de Execução de Manufatura
Mes Sistemas de Execução de Manufatura
 
A Internet das Coisas e suas aplicações na industria.pptx
A Internet das Coisas e suas aplicações na industria.pptxA Internet das Coisas e suas aplicações na industria.pptx
A Internet das Coisas e suas aplicações na industria.pptx
 
TDC2017 | São Paulo - Trilha Tranformação Digital How we figured out we had a...
TDC2017 | São Paulo - Trilha Tranformação Digital How we figured out we had a...TDC2017 | São Paulo - Trilha Tranformação Digital How we figured out we had a...
TDC2017 | São Paulo - Trilha Tranformação Digital How we figured out we had a...
 
Indústria 4.0 e Inteligência Artificial
Indústria 4.0 e Inteligência ArtificialIndústria 4.0 e Inteligência Artificial
Indústria 4.0 e Inteligência Artificial
 
Apresentação manufatura (10 06-2015)
Apresentação   manufatura (10 06-2015)Apresentação   manufatura (10 06-2015)
Apresentação manufatura (10 06-2015)
 
Sendys IDC CIO SummitAngola 2013
Sendys IDC CIO SummitAngola 2013Sendys IDC CIO SummitAngola 2013
Sendys IDC CIO SummitAngola 2013
 
ProIndústria 2018 - dia 24 - H201 - A01
ProIndústria 2018 - dia 24 - H201 - A01ProIndústria 2018 - dia 24 - H201 - A01
ProIndústria 2018 - dia 24 - H201 - A01
 
Treinamento road show_12102010
Treinamento road show_12102010Treinamento road show_12102010
Treinamento road show_12102010
 
Artigo+6+ indicadores+de+desempenho+empresarial+co
Artigo+6+ indicadores+de+desempenho+empresarial+coArtigo+6+ indicadores+de+desempenho+empresarial+co
Artigo+6+ indicadores+de+desempenho+empresarial+co
 
Oee
OeeOee
Oee
 
Utilização da tecnologia mrp como melhoria no planejamento da produção em uma...
Utilização da tecnologia mrp como melhoria no planejamento da produção em uma...Utilização da tecnologia mrp como melhoria no planejamento da produção em uma...
Utilização da tecnologia mrp como melhoria no planejamento da produção em uma...
 
Lean Manufacturing Nova Visão
Lean Manufacturing Nova VisãoLean Manufacturing Nova Visão
Lean Manufacturing Nova Visão
 
Factory Upgrade - Descubra o software de gestão ideal e enfrente a Indústria 4.0
Factory Upgrade - Descubra o software de gestão ideal e enfrente a Indústria 4.0Factory Upgrade - Descubra o software de gestão ideal e enfrente a Indústria 4.0
Factory Upgrade - Descubra o software de gestão ideal e enfrente a Indústria 4.0
 
SISTEMAS DE SIMULAÇÃO trabalho fatec (1).pptx
SISTEMAS DE SIMULAÇÃO trabalho fatec (1).pptxSISTEMAS DE SIMULAÇÃO trabalho fatec (1).pptx
SISTEMAS DE SIMULAÇÃO trabalho fatec (1).pptx
 
Lessons Learned 1 - Equipa 26 - WCore
Lessons Learned 1 - Equipa 26 - WCoreLessons Learned 1 - Equipa 26 - WCore
Lessons Learned 1 - Equipa 26 - WCore
 

Mais de Marcio Venturelli

EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIAEAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
Marcio Venturelli
 
USINA 4.0 – A QUARTA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL NO SETOR SUCROENERGÉTICO
USINA 4.0 – A QUARTA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL NO SETOR SUCROENERGÉTICOUSINA 4.0 – A QUARTA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL NO SETOR SUCROENERGÉTICO
USINA 4.0 – A QUARTA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL NO SETOR SUCROENERGÉTICO
Marcio Venturelli
 
Global Lighthouse Network - 2023
Global Lighthouse Network - 2023Global Lighthouse Network - 2023
Global Lighthouse Network - 2023
Marcio Venturelli
 
Global Lighthouse Network - 2022
Global Lighthouse Network - 2022Global Lighthouse Network - 2022
Global Lighthouse Network - 2022
Marcio Venturelli
 
Global Lighthouse Network - 2021
Global Lighthouse Network - 2021Global Lighthouse Network - 2021
Global Lighthouse Network - 2021
Marcio Venturelli
 
Global Lighthouse Network - 2020
Global Lighthouse Network - 2020Global Lighthouse Network - 2020
Global Lighthouse Network - 2020
Marcio Venturelli
 
Global Lighthouse Network - 2019
Global Lighthouse Network - 2019Global Lighthouse Network - 2019
Global Lighthouse Network - 2019
Marcio Venturelli
 
CONVERGENGIA DE TO E TI NO SETOR SUCROENERGETICO
CONVERGENGIA DE TO E TI NO SETOR SUCROENERGETICOCONVERGENGIA DE TO E TI NO SETOR SUCROENERGETICO
CONVERGENGIA DE TO E TI NO SETOR SUCROENERGETICO
Marcio Venturelli
 
GAP ANALYSIS DA ISO 50001 NAS USINAS
GAP ANALYSIS DA ISO 50001 NAS USINASGAP ANALYSIS DA ISO 50001 NAS USINAS
GAP ANALYSIS DA ISO 50001 NAS USINAS
Marcio Venturelli
 
APLICAÇÕES DA IA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL NAS USINAS
APLICAÇÕES DA IA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL NAS USINASAPLICAÇÕES DA IA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL NAS USINAS
APLICAÇÕES DA IA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL NAS USINAS
Marcio Venturelli
 
A IMPORTÂNCIA DO CONHECIMENTO DE CIÊNCIA DE DADOS PARA GESTORES DE USINAS
A IMPORTÂNCIA DO CONHECIMENTO DE CIÊNCIA DE DADOS PARA GESTORES DE USINASA IMPORTÂNCIA DO CONHECIMENTO DE CIÊNCIA DE DADOS PARA GESTORES DE USINAS
A IMPORTÂNCIA DO CONHECIMENTO DE CIÊNCIA DE DADOS PARA GESTORES DE USINAS
Marcio Venturelli
 
DAS USINAS SUCROENERGÉTICAS PARA O SETOR DE BIORREFINARIAS - O FUTURO DO SETOR
DAS USINAS SUCROENERGÉTICAS PARA O SETOR DE BIORREFINARIAS - O FUTURO DO SETORDAS USINAS SUCROENERGÉTICAS PARA O SETOR DE BIORREFINARIAS - O FUTURO DO SETOR
DAS USINAS SUCROENERGÉTICAS PARA O SETOR DE BIORREFINARIAS - O FUTURO DO SETOR
Marcio Venturelli
 
COMO FAZER A TRANSFORMAÇÃO DIGITAL NO SETOR SUCROENERGÉTICO
COMO FAZER A TRANSFORMAÇÃO DIGITAL NO SETOR SUCROENERGÉTICOCOMO FAZER A TRANSFORMAÇÃO DIGITAL NO SETOR SUCROENERGÉTICO
COMO FAZER A TRANSFORMAÇÃO DIGITAL NO SETOR SUCROENERGÉTICO
Marcio Venturelli
 
Automação de Biorrefinarias de Etanol de Segunda Geração E2G
Automação de Biorrefinarias de Etanol de Segunda Geração E2GAutomação de Biorrefinarias de Etanol de Segunda Geração E2G
Automação de Biorrefinarias de Etanol de Segunda Geração E2G
Marcio Venturelli
 
Usina 4.0 - A Quarta Revolução Industrial no Setor Sucroenergético
Usina 4.0 - A Quarta Revolução Industrial no Setor SucroenergéticoUsina 4.0 - A Quarta Revolução Industrial no Setor Sucroenergético
Usina 4.0 - A Quarta Revolução Industrial no Setor Sucroenergético
Marcio Venturelli
 
Ficção Científica no Campo e na Indústria
Ficção Científica no Campo e na IndústriaFicção Científica no Campo e na Indústria
Ficção Científica no Campo e na Indústria
Marcio Venturelli
 
Modelos de Processo para Adaptação Indústria 4.0
Modelos de Processo para Adaptação Indústria 4.0Modelos de Processo para Adaptação Indústria 4.0
Modelos de Processo para Adaptação Indústria 4.0
Marcio Venturelli
 
SOLUÇÕES PARA A INDÚSTRIA 4.0
SOLUÇÕES PARA A INDÚSTRIA 4.0SOLUÇÕES PARA A INDÚSTRIA 4.0
SOLUÇÕES PARA A INDÚSTRIA 4.0
Marcio Venturelli
 

Mais de Marcio Venturelli (18)

EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIAEAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
 
USINA 4.0 – A QUARTA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL NO SETOR SUCROENERGÉTICO
USINA 4.0 – A QUARTA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL NO SETOR SUCROENERGÉTICOUSINA 4.0 – A QUARTA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL NO SETOR SUCROENERGÉTICO
USINA 4.0 – A QUARTA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL NO SETOR SUCROENERGÉTICO
 
Global Lighthouse Network - 2023
Global Lighthouse Network - 2023Global Lighthouse Network - 2023
Global Lighthouse Network - 2023
 
Global Lighthouse Network - 2022
Global Lighthouse Network - 2022Global Lighthouse Network - 2022
Global Lighthouse Network - 2022
 
Global Lighthouse Network - 2021
Global Lighthouse Network - 2021Global Lighthouse Network - 2021
Global Lighthouse Network - 2021
 
Global Lighthouse Network - 2020
Global Lighthouse Network - 2020Global Lighthouse Network - 2020
Global Lighthouse Network - 2020
 
Global Lighthouse Network - 2019
Global Lighthouse Network - 2019Global Lighthouse Network - 2019
Global Lighthouse Network - 2019
 
CONVERGENGIA DE TO E TI NO SETOR SUCROENERGETICO
CONVERGENGIA DE TO E TI NO SETOR SUCROENERGETICOCONVERGENGIA DE TO E TI NO SETOR SUCROENERGETICO
CONVERGENGIA DE TO E TI NO SETOR SUCROENERGETICO
 
GAP ANALYSIS DA ISO 50001 NAS USINAS
GAP ANALYSIS DA ISO 50001 NAS USINASGAP ANALYSIS DA ISO 50001 NAS USINAS
GAP ANALYSIS DA ISO 50001 NAS USINAS
 
APLICAÇÕES DA IA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL NAS USINAS
APLICAÇÕES DA IA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL NAS USINASAPLICAÇÕES DA IA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL NAS USINAS
APLICAÇÕES DA IA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL NAS USINAS
 
A IMPORTÂNCIA DO CONHECIMENTO DE CIÊNCIA DE DADOS PARA GESTORES DE USINAS
A IMPORTÂNCIA DO CONHECIMENTO DE CIÊNCIA DE DADOS PARA GESTORES DE USINASA IMPORTÂNCIA DO CONHECIMENTO DE CIÊNCIA DE DADOS PARA GESTORES DE USINAS
A IMPORTÂNCIA DO CONHECIMENTO DE CIÊNCIA DE DADOS PARA GESTORES DE USINAS
 
DAS USINAS SUCROENERGÉTICAS PARA O SETOR DE BIORREFINARIAS - O FUTURO DO SETOR
DAS USINAS SUCROENERGÉTICAS PARA O SETOR DE BIORREFINARIAS - O FUTURO DO SETORDAS USINAS SUCROENERGÉTICAS PARA O SETOR DE BIORREFINARIAS - O FUTURO DO SETOR
DAS USINAS SUCROENERGÉTICAS PARA O SETOR DE BIORREFINARIAS - O FUTURO DO SETOR
 
COMO FAZER A TRANSFORMAÇÃO DIGITAL NO SETOR SUCROENERGÉTICO
COMO FAZER A TRANSFORMAÇÃO DIGITAL NO SETOR SUCROENERGÉTICOCOMO FAZER A TRANSFORMAÇÃO DIGITAL NO SETOR SUCROENERGÉTICO
COMO FAZER A TRANSFORMAÇÃO DIGITAL NO SETOR SUCROENERGÉTICO
 
Automação de Biorrefinarias de Etanol de Segunda Geração E2G
Automação de Biorrefinarias de Etanol de Segunda Geração E2GAutomação de Biorrefinarias de Etanol de Segunda Geração E2G
Automação de Biorrefinarias de Etanol de Segunda Geração E2G
 
Usina 4.0 - A Quarta Revolução Industrial no Setor Sucroenergético
Usina 4.0 - A Quarta Revolução Industrial no Setor SucroenergéticoUsina 4.0 - A Quarta Revolução Industrial no Setor Sucroenergético
Usina 4.0 - A Quarta Revolução Industrial no Setor Sucroenergético
 
Ficção Científica no Campo e na Indústria
Ficção Científica no Campo e na IndústriaFicção Científica no Campo e na Indústria
Ficção Científica no Campo e na Indústria
 
Modelos de Processo para Adaptação Indústria 4.0
Modelos de Processo para Adaptação Indústria 4.0Modelos de Processo para Adaptação Indústria 4.0
Modelos de Processo para Adaptação Indústria 4.0
 
SOLUÇÕES PARA A INDÚSTRIA 4.0
SOLUÇÕES PARA A INDÚSTRIA 4.0SOLUÇÕES PARA A INDÚSTRIA 4.0
SOLUÇÕES PARA A INDÚSTRIA 4.0
 

COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS

  • 1. COI Centro de Operações Industrias nas Usinas – Você está fazendo isso correto?
  • 2. FATO MAI/24 COI Centro de Operações Industrias nas Usinas – Você está fazendo isso correto? - Márcio Venturelli 2 O principal objetivo do COI é centralizar as informações e o controle da operação industrial de forma remota, a fim de permitir tomada de decisões. Ocorre que a grande maioria destes centros de operação não operam o processo, na melhor das hipóteses, supervisionam o operador que está no campo, apenas servindo de auxílio de informação ou condução de uma ação operacional vinda da gestão centralizada, com isso, o que seria esperado que o COI fizesse, controle supervisionado automático, autônomo e centralizado, não condiz com a realidade da maioria das usinas.
  • 3. POR QUE MAI/24 COI Centro de Operações Industrias nas Usinas – Você está fazendo isso correto? - Márcio Venturelli 3 A cultura de operar localmente nas usinas, ainda é em sua maioria, o modelo utilizado, muito se evoluiu em automação no setor, mas isso não quer dizer que os processos estão automáticos, podemos dizer que houve um grande aumento de informações, mas de fato, implantar medição e controle automático, supervisionado em centros de operação, com malhas automáticas, controle avançado, sistemas de otimização e gestão de ativos, ainda não é uma realidade comum, fazendo com que os COI sejam locais de informação e não de controle do processo produtivo, uma vez que o operador ainda está no local do processo.
  • 4. IMPACTO MAI/24 COI Centro de Operações Industrias nas Usinas – Você está fazendo isso correto? - Márcio Venturelli 4 A centralização das informações ajuda na tomada de decisões, mas se forem analisar o controle operacional das usinas ao longo do tempo, verão que não mudou muito de 20 anos atrás, quando houve investimentos em PLC e Sistemas de Controle, pois havia normalmente dois operadores por processo e turno, com os COI, um deles ficou no campo e outro foi para a sala de operações, interagem de forma centralizada, mas sem impacto de fato no controle automático.
  • 5. DESAFIO MAI/24 COI Centro de Operações Industrias nas Usinas – Você está fazendo isso correto? - Márcio Venturelli 5 Como transformar de fato o COI em um centro de operações, onde o operador possa supervisionar o processo, com ferramentas de controle e análise de dados, interferindo direto na produção e de forma remota?
  • 6. SOLUÇÕES MAI/24 COI Centro de Operações Industrias nas Usinas – Você está fazendo isso correto? - Márcio Venturelli 6 Precisamos de muito treinamento operacional , com um novo formato de pensamento, isto não é algo novo, talvez o setor precise avançar de forma mais arrojada na produção automatizada, buscar colocar processos de fato em malhas automáticas, usar mais sistemas analíticos na linha de produção, incluir gestão de ativos em tempo real, implantar controle avançado e sistemas de otimização em tempo real, incluir sistemas analíticos de dados, alarmes e tendencia em tempo real, capazes de gerar insights para antecipar eventos, isso na prática simplifica a operação, aumentando a eficiência industrial, não esquecendo de fazer a convergência das áreas, TI Tecnologia da Informação, gestão de ativos, qualidade e agrícola.
  • 7. FAZER MAI/24 COI Centro de Operações Industrias nas Usinas – Você está fazendo isso correto? - Márcio Venturelli 7 Eleve o nível de automação, faça um estudo da sua situação atual e da digitalização na indústria, faça um GAP Analysis de conhecimento de sua equipe de operação e supervisão de operação, compare com os procedimentos que são usados no controle operacional, analise como são os fluxos de partida do processo, produção em regime, parada programada, parada de emergência, ações de manutenção, programada ou não, como é a interação na área de qualidade durante o processo produtivo, crie um mapa de mudanças, ações que elevem o nível de automação e busquem colocar os processo de fato de forma automática, com operadores e supervisores que saibam operar uma produção com sistemas automáticos.
  • 8. CONCLUSÃO MAI/24 COI Centro de Operações Industrias nas Usinas – Você está fazendo isso correto? - Márcio Venturelli 8 A mudança da forma de entender o que é um COI é fundamental para uma análise do nível de conhecimento da equipe de produção, responsável pela safra produtiva, treinamento e investimento em automação é fundamental para diminuir as variabilidades do processo, reduzir perdas produtivas de toda ordem, diminuir o tempo de tomada de decisões e ser mais assertivo, diminui ações redundantes para agiliza tarefas e diminuir erros operacionais, isso é a busca pela excelência operacional que o setor necessita.
  • 9. AUTOR MAI/24 COI Centro de Operações Industrias nas Usinas – Você está fazendo isso correto? - Márcio Venturelli 9 Márcio Venturelli trabalha há 30 anos no mercado de Automação Industrial, desenvolveu sua carreira ao longo do tempo com foco em Inovação e Novas Tecnologias, especializou-se em Digitalização e Indústria 4.0, atualmente é Coordenador Técnico do Instituto SENAI de Tecnologia e Professor de Automação Industrial, como foco em Transformação Digital. Trabalhou em diversos projetos e implantação de sistemas de controle e automação industrial, no Brasil e no exterior, além de ser professor de graduação e pós-graduação nas áreas de automação e gestão industrial e desenvolve pesquisa aplicada nas áreas da Indústria 4.0. Graduado em Ciência da Computação com especialização em Controle e Automação Industrial, possui pós-graduação Ciência de Dados, Gestão Industrial e Tecnologia do Petróleo e Gás e MBA em Estratégica de Negócios. Foi membro do Comitê de Convergência de TO-TI do IBP Instituto Brasileiro do Petróleo, diretor de tecnologia da PI PROFIBUS International e diretor de tecnologia da ISA Sociedade Internacional de Automação, coordenador do comitê setorial do CEISE Br - Centro das Indústrias de Bioenergia. venturelli.tia@gmail.com