SlideShare uma empresa Scribd logo
COLÉGIO ESTADUAL AGRÍCOLA JOSÉ SOARES JÚNIOR
PLANEJAMENTO E PROJETOS
PROFESSOR ROBSON
CODORNAS SIM, POR QUE NÃO?
ANDRÉA LILIAM SILVA DA PAIXÃO
ITABORAÍ, 27 DE NOVEMBRO DE 2013
CODORNAS SIM, PORQUE NÃO?
ANDRÉA LILIAM SILVA DA PAIXÃO
INTRODUÇÃO
A codorna vem-se destacando, nos últimos tempos, como promissora
criação de aves adaptada às condições de exploração doméstica e
comerciais. Esta preferência é decorrente do crescente aumento do
consumo de ovos de codorna e do excepcional sabor de sua carne,
responsável por iguarias finas e sofisticadas.
Essa pequena ave pode ser uma grande alternativa de lucratividade
pelo seu grande retorno econômico, rusticidade, rápido crescimento, baixo
consumo alimentar e alta produtividade. Quando manejada corretamente
as aves podem chegar a uma produção aproximada de 300 ovos por ano,
necessitando pequenos espaços de alojamento.
JUSTIFICATIVA
O Sítio dos Milagres está localizado na Estrada Rio Frio, 22 –
Monjolos – São Gonçalo – RJ. O Sítio dos Milagres é uma propriedade
voltada para a atividade de fazenda agropecuária. Sendo assim a o Projeto
”Codornas Sim, Por que Não?” vem de encontro com os objetivos e metas
delineados para o Sítio. É importante mencionar a característica de cunho
social que a propriedade possui. Sendo assim parte do que é produzido no
Sítio é revertido em benefício para os mais necessitados da sociedade.
Dessa forma, a atividade de criação de codornas também terá parte do
lucro revertido para o bem estar social.
OBJETIVO
O Projeto “Codornas Sim, Por que Não?” fornecerá ovos de codornas
para a produção de conservas do Sítio dos Milagres: “Conservas e
Compotas Sinhá Galdina”.
META
O Projeto “Codornas Sim, Por Que Não?” tem como meta suprir a
demanda da “Conservas e Compotas Sinhá Galdina” de 1000 ovos por
semana.
CARACTERÍSTICAS DA ÁREA
O município onde o projeto será desenvolvido é São Gonçalo. E pela
classificação de Köppen, o clima na região é do tipo Tropical Com
Chuvas de Verão. Pelo mapa climático do IBGE, o clima é o Tropical
Brasil Central, Quente e Semiúmido, com até 3 meses secos.
No verão, compreendido entre novembro e março, o calor e a
umidade são elevadas e a região é sujeita a alta pluviometria com fortes
chuvas.
No inverno, todos os parâmetros se reduzem (umidade, temperatura e
pluviometria), especialmente nos meses de junho e agosto.
A Pluviometria e os ventos e, portanto, a sensação térmica é
influenciada pela Serra do Mar que segura as massas de ar, ocasionando
a maior pluviometria na região e pela Serra do lagarto (divisa com Maricá),
que segura os ventos e provocando uma região de baixa pressão,
ampliando a sensação térmica no verão.
A temperatura média mensal varia até 7ºC entre o verão e o inverno,
com amplitudes térmicas médias de 10 a 15ºC. O aumento da temperatura
média e das máximas, durante o período de verão, amplifica a demanda
de água.
No entanto o Sítio dos Milagres, onde se desenvolverá o Projeto Viva
O Camarão do Sítio dos Milagres, possui peculiaridades climáticas, pois
qualquer que seja o calor que faça durante as horas do dia, à noite e de
madrugada a temperatura sempre cai de maneira considerável, chegando
a fazer 4ºC durante algumas madrugadas de inverno.
SEMOVENTES
As codornas (Coturnix coturnix sp.) são pequenas aves originárias da
Europa e da Ásia. Os primeiros dados históricos sobre a procedência da
codorna datam o século XII, porém a criação das aves para a produção de
carne e ovos teve início em 1910 no Japão, China e Coréia. Quando se
buscou cruzamentos para obter um animal de alta produção,
principalmente de ovos no caso da variedade japonesa da espécie
(Coturnix coturnix japonica).
SISTEMA DE CRIAÇÃO
Criação em Gaiolas no Sistema escada. É o sistema mais moderno de
criação, consiste no uso de gaiolas de arame galvanizado, idênticas as
utilizadas no sistema de baterias, fixadas de maneira a dar a impressão de
uma escada.
ÍNDICES ZOOTÉCNICOS
Do lado técnico-econômico, torna-se ainda mais atrativa, ao verificar-
se o seu rápido crescimento e atingimento da idade de postura, a sua
elevada prolificidade e o seu pequeno consumo de ração, conforme os
dados zootécnicos que se seguem:
 Peso do pinto ao nascer: 10 gramas
 Peso da ave adulta: fêmea 150 gramas - macho 120 gramas;
 Início de postura: 45 dias;
 Período de produção: 10 meses;
 Percentagem de postura: até 80%;
 Ovos por ave por ciclo produtivo: 250 a 300 ovos;
 Peso médio do ovo: 10 a 12 gramas;
 Período de incubação: 16 dias;
 Idade para abate: 45 dias;
 Peso médio de abate: 120 gramas;
 Consumo de alimento até o abate: 500 gramas;
 A criação racional de codornas segue regras básicas de manejo,
alimentação, sanidade e instalações.
Como a o projeto destina-se a tão somente a produção de ovos, teremos
então:
150 fêmeas – compradas com a idade de 35 dias, em três grupos de
50 aves.
São aves resistentes e se adaptam a diversas condições ambientais,
mas possui um melhor desenvolvimento em clima estável, com
temperatura de aproximadamente 23 ºC e local protegido contra
intempéries.
MANEJO
Os ovos serão colhidos duas vezes ao dia. A primeira coleta realizada
pela manhã e a outra, à tarde. Eles devem ser acondicionados nos pentes
próprios, mantidos sobre refrigeração, para que as suas qualidades
nutritivas sejam conservadas.
A água deverá ser fornecida à vontade. A quantidade de ração por ave
deve ser de 30 a 35 gramas:
Ração contendo 26% de proteína bruta deverá ser oferecida à ave
até a idade de 45 dias;
 A partir de 45 dias, as fêmeas receberão a ração de postura com
cerca de 23% de proteína bruta.
Para um índice elevado de postura, o ambiente da criação das
codornas em produção deve ser iluminado na base de uma lâmpada
incandescente de 15 WATTS para cada 5 metros quadrados de galpão.
Recomenda-se do dia seja prolongado para 17 horas, através da
associação de luz natural com luz artificial, estabelecendo-se um esquema
de acendimento das lâmpadas pela madrugada e à noite. Exemplo:
Ligar às 4 horas e desligar às 6 horas e 30 minutos.
Ligar novamente às 17 horas e 30 minutos e desligar às 21 horas.
INSTALAÇÕES e EQUIPAMENTOS
Galpão Aberto (laterais) por apresentar maior economia, com
instalação de cortinas e telas nas laterais, a fim de evitar a fuga das aves e
impedir a entrada de predadores.
Telhado de telha de barro, com lanternim.
Cinco gaiolas de postura de arame galvanizado para 30 aves cada,
com comedouro.
Bebedouro automático.
Piso de cimento rústico com pequena declividade.
REFERÊNCIAS
________Pecuária. Criação de Codornas. Almanaque do Campo.
http://www.almanaquedocampo.com.br/imagens/files/Cria%C3%A7%C3%
A3o%20de%20codornas%20emater.pdf
PETROLLI, T.G.; MATEUS, K. RODRIGUES, M. (2011). Criação de
codornas: pequenas e lucrativas. SB Rural. Edição 65/jun.
http://www.ceo.udesc.br/arquivos/id_submenu/285/caderno_udesc_065.pdf
https://www.google.com.br/search?hl=pt-
BR&site=imghp&tbm=isch&source=hp&biw=1200&bih=582&q=codornas&o
q=codornas&gs_l=img.12..0l10.3908.6069.0.13147.8.7.0.1.1.0.396.1738.2-
6j1.7.0....0...1ac.1.32.img..0.8.1765.VXWJXKICSjo#facrc=_&imgdii=_&imgr
c=N8vXUrRiE_pGAM%3A%3Buz9Dq7xRUhMX1M%3Bhttp%253A%252F
%252Fimages04.olx.com.br%252Fui%252F6%252F20%252F22%252F12
75607485_98111822_1-Fotos-de--Codornas-vivas-e-abatidas-
1275607485.jpg%3Bhttp%253A%252F%252Fcodornasbf.zip.net%252F%3
B625%3B417
_______ Criar codornas. Inforagro – consultorias.
http://inforagro.wordpress.com/2010/08/20/criar-codornas-parte-1/

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Vitrine Tecnológica DBO - Capítulo 6
Vitrine Tecnológica DBO - Capítulo 6Vitrine Tecnológica DBO - Capítulo 6
Vitrine Tecnológica DBO - Capítulo 6
Tiago de Jesus Costa
 
Sao joaquim 21 03-13 fundamentos pecuaria a base de pasto spies
Sao joaquim 21 03-13 fundamentos pecuaria a base de pasto spiesSao joaquim 21 03-13 fundamentos pecuaria a base de pasto spies
Sao joaquim 21 03-13 fundamentos pecuaria a base de pasto spies
Reprotec
 
Leguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuária
Leguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuáriaLeguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuária
Leguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuária
Daniel Staciarini Corrêa
 
Palestra Podas do Cafeeiro (Como e quando fazer) Alysson Vilela Fagundes – E...
Palestra Podas do Cafeeiro (Como e quando fazer)  Alysson Vilela Fagundes – E...Palestra Podas do Cafeeiro (Como e quando fazer)  Alysson Vilela Fagundes – E...
Palestra Podas do Cafeeiro (Como e quando fazer) Alysson Vilela Fagundes – E...
Revista Cafeicultura
 
Abc da agricultura preservação e uso da caatinga 2
Abc da agricultura preservação e uso da caatinga 2Abc da agricultura preservação e uso da caatinga 2
Abc da agricultura preservação e uso da caatinga 2
Lenildo Araujo
 
Projeto o leite da fazenda sítio dos milagres
Projeto o leite da fazenda sítio dos milagresProjeto o leite da fazenda sítio dos milagres
Projeto o leite da fazenda sítio dos milagres
Liliam Da Paixão
 
Peixes
PeixesPeixes
Abc da agricultura barraginhas agua de chuva para todos
Abc da agricultura barraginhas agua de chuva para todosAbc da agricultura barraginhas agua de chuva para todos
Abc da agricultura barraginhas agua de chuva para todos
Lenildo Araujo
 
Tomazielo - Planejamento e conduçao modificada patrocinio 29 09
Tomazielo - Planejamento e conduçao modificada patrocinio 29 09Tomazielo - Planejamento e conduçao modificada patrocinio 29 09
Tomazielo - Planejamento e conduçao modificada patrocinio 29 09
Revista Cafeicultura
 
Trabalho Gestão ambiental
Trabalho Gestão ambientalTrabalho Gestão ambiental
Trabalho Gestão ambiental
paulosergiok5
 
Aula 2 princípios do manejo de pastagem
Aula 2   princípios do manejo de pastagemAula 2   princípios do manejo de pastagem
Aula 2 princípios do manejo de pastagem
Paulo Adami
 
Orientaçoes sustentabilidade cafeicultura
Orientaçoes sustentabilidade cafeiculturaOrientaçoes sustentabilidade cafeicultura
Orientaçoes sustentabilidade cafeicultura
Vandelino Dias Junior
 
Potencialidad del Campo Natural - Nabinger
Potencialidad del Campo Natural - NabingerPotencialidad del Campo Natural - Nabinger
Potencialidad del Campo Natural - Nabinger
Pastizalesdelconosur
 
Intens.vs.semi2
Intens.vs.semi2Intens.vs.semi2
Intens.vs.semi2
Lucas Cesar
 
Policultivo Lambari x Camarão de Água Doce: Resultados de Pesquisas
Policultivo Lambari x Camarão de Água Doce: Resultados de PesquisasPolicultivo Lambari x Camarão de Água Doce: Resultados de Pesquisas
Policultivo Lambari x Camarão de Água Doce: Resultados de Pesquisas
Agricultura Sao Paulo
 
Palestra_Ulisses
Palestra_UlissesPalestra_Ulisses
Palestra_Ulisses
Reprotec
 
Notíciario Tortuga
Notíciario TortugaNotíciario Tortuga
Notíciario Tortuga
Agricultura Sao Paulo
 
Fenicafé 2014 inovação na poda do cafeeiro roberto tomazielo
Fenicafé 2014 inovação na poda do cafeeiro   roberto tomazieloFenicafé 2014 inovação na poda do cafeeiro   roberto tomazielo
Fenicafé 2014 inovação na poda do cafeeiro roberto tomazielo
Revista Cafeicultura
 
Palestra manejo de pastagens TecnoPasto
Palestra manejo de pastagens TecnoPastoPalestra manejo de pastagens TecnoPasto
Palestra manejo de pastagens TecnoPasto
Josmar Almeida Junior
 
Manejo da nutrição do cafeeiro para podas fenicafé 2015 alysson fagundes
Manejo da nutrição do cafeeiro para podas   fenicafé 2015 alysson fagundesManejo da nutrição do cafeeiro para podas   fenicafé 2015 alysson fagundes
Manejo da nutrição do cafeeiro para podas fenicafé 2015 alysson fagundes
Revista Cafeicultura
 

Mais procurados (20)

Vitrine Tecnológica DBO - Capítulo 6
Vitrine Tecnológica DBO - Capítulo 6Vitrine Tecnológica DBO - Capítulo 6
Vitrine Tecnológica DBO - Capítulo 6
 
Sao joaquim 21 03-13 fundamentos pecuaria a base de pasto spies
Sao joaquim 21 03-13 fundamentos pecuaria a base de pasto spiesSao joaquim 21 03-13 fundamentos pecuaria a base de pasto spies
Sao joaquim 21 03-13 fundamentos pecuaria a base de pasto spies
 
Leguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuária
Leguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuáriaLeguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuária
Leguminosas nativas: o uso da biodiversidade do Cerrado na produção pecuária
 
Palestra Podas do Cafeeiro (Como e quando fazer) Alysson Vilela Fagundes – E...
Palestra Podas do Cafeeiro (Como e quando fazer)  Alysson Vilela Fagundes – E...Palestra Podas do Cafeeiro (Como e quando fazer)  Alysson Vilela Fagundes – E...
Palestra Podas do Cafeeiro (Como e quando fazer) Alysson Vilela Fagundes – E...
 
Abc da agricultura preservação e uso da caatinga 2
Abc da agricultura preservação e uso da caatinga 2Abc da agricultura preservação e uso da caatinga 2
Abc da agricultura preservação e uso da caatinga 2
 
Projeto o leite da fazenda sítio dos milagres
Projeto o leite da fazenda sítio dos milagresProjeto o leite da fazenda sítio dos milagres
Projeto o leite da fazenda sítio dos milagres
 
Peixes
PeixesPeixes
Peixes
 
Abc da agricultura barraginhas agua de chuva para todos
Abc da agricultura barraginhas agua de chuva para todosAbc da agricultura barraginhas agua de chuva para todos
Abc da agricultura barraginhas agua de chuva para todos
 
Tomazielo - Planejamento e conduçao modificada patrocinio 29 09
Tomazielo - Planejamento e conduçao modificada patrocinio 29 09Tomazielo - Planejamento e conduçao modificada patrocinio 29 09
Tomazielo - Planejamento e conduçao modificada patrocinio 29 09
 
Trabalho Gestão ambiental
Trabalho Gestão ambientalTrabalho Gestão ambiental
Trabalho Gestão ambiental
 
Aula 2 princípios do manejo de pastagem
Aula 2   princípios do manejo de pastagemAula 2   princípios do manejo de pastagem
Aula 2 princípios do manejo de pastagem
 
Orientaçoes sustentabilidade cafeicultura
Orientaçoes sustentabilidade cafeiculturaOrientaçoes sustentabilidade cafeicultura
Orientaçoes sustentabilidade cafeicultura
 
Potencialidad del Campo Natural - Nabinger
Potencialidad del Campo Natural - NabingerPotencialidad del Campo Natural - Nabinger
Potencialidad del Campo Natural - Nabinger
 
Intens.vs.semi2
Intens.vs.semi2Intens.vs.semi2
Intens.vs.semi2
 
Policultivo Lambari x Camarão de Água Doce: Resultados de Pesquisas
Policultivo Lambari x Camarão de Água Doce: Resultados de PesquisasPolicultivo Lambari x Camarão de Água Doce: Resultados de Pesquisas
Policultivo Lambari x Camarão de Água Doce: Resultados de Pesquisas
 
Palestra_Ulisses
Palestra_UlissesPalestra_Ulisses
Palestra_Ulisses
 
Notíciario Tortuga
Notíciario TortugaNotíciario Tortuga
Notíciario Tortuga
 
Fenicafé 2014 inovação na poda do cafeeiro roberto tomazielo
Fenicafé 2014 inovação na poda do cafeeiro   roberto tomazieloFenicafé 2014 inovação na poda do cafeeiro   roberto tomazielo
Fenicafé 2014 inovação na poda do cafeeiro roberto tomazielo
 
Palestra manejo de pastagens TecnoPasto
Palestra manejo de pastagens TecnoPastoPalestra manejo de pastagens TecnoPasto
Palestra manejo de pastagens TecnoPasto
 
Manejo da nutrição do cafeeiro para podas fenicafé 2015 alysson fagundes
Manejo da nutrição do cafeeiro para podas   fenicafé 2015 alysson fagundesManejo da nutrição do cafeeiro para podas   fenicafé 2015 alysson fagundes
Manejo da nutrição do cafeeiro para podas fenicafé 2015 alysson fagundes
 

Semelhante a Codornas sim

Criação de codornas emater
Criação de codornas ematerCriação de codornas emater
Criação de codornas emater
Joyce Muzy
 
Criação de codornas emater
Criação de codornas ematerCriação de codornas emater
Criação de codornas emater
meinteressoporinformatica
 
Criacao e maneio de codornas
Criacao e maneio de codornasCriacao e maneio de codornas
Criacao e maneio de codornas
NDINHO
 
Tudo sobre criação de codornas
Tudo sobre criação de codornasTudo sobre criação de codornas
Tudo sobre criação de codornas
Alexandre Franco de Faria
 
Avicultura
AviculturaAvicultura
Avicultura
matheush
 
CCU UNIVERSIDADE NACIONAL DE CONCEPCION.pdf
CCU UNIVERSIDADE NACIONAL DE CONCEPCION.pdfCCU UNIVERSIDADE NACIONAL DE CONCEPCION.pdf
CCU UNIVERSIDADE NACIONAL DE CONCEPCION.pdf
Ruben Alejandro Ovelar Centurión
 
Produção e reprodução de búfalas leiteiras : um modelo tecnológico de sucesso
Produção e reprodução de búfalas leiteiras : um modelo tecnológico de sucessoProdução e reprodução de búfalas leiteiras : um modelo tecnológico de sucesso
Produção e reprodução de búfalas leiteiras : um modelo tecnológico de sucesso
Rural Pecuária
 
Codornas sim, por que não
Codornas sim, por que nãoCodornas sim, por que não
Codornas sim, por que não
Liliam Da Paixão
 
Afigranja
AfigranjaAfigranja
Coturnicultura
Coturnicultura Coturnicultura
Coturnicultura
Cristina Marino de Souza
 
Avicultura
AviculturaAvicultura
Avicultura
Evaldo Potma
 
Manejo de um rebanho de cria. dr jose galdino 2015
Manejo de um rebanho de cria. dr jose galdino 2015Manejo de um rebanho de cria. dr jose galdino 2015
Manejo de um rebanho de cria. dr jose galdino 2015
Neltton Yglesias
 
Poedeiras
PoedeirasPoedeiras
Poedeiras
MESQUITA D. N.
 
Manual criação galinhas caipiras
Manual criação galinhas caipirasManual criação galinhas caipiras
Manual criação galinhas caipiras
mvezzone
 
AULA ZOOTECNIA BOVINOCULTURA DE CORTE.pptx
AULA ZOOTECNIA BOVINOCULTURA DE CORTE.pptxAULA ZOOTECNIA BOVINOCULTURA DE CORTE.pptx
AULA ZOOTECNIA BOVINOCULTURA DE CORTE.pptx
CarlosAllanPereirado
 
Produção de galinhas poedeiras.pptx
Produção de galinhas poedeiras.pptxProdução de galinhas poedeiras.pptx
Produção de galinhas poedeiras.pptx
AndersonMatheus29
 
Manejo racional de bovinos de leite e corte em confinamento
Manejo racional de bovinos de leite e corte em confinamentoManejo racional de bovinos de leite e corte em confinamento
Manejo racional de bovinos de leite e corte em confinamento
Ingrid Carvalho
 
Uso do milheto como forrageira
Uso do milheto como forrageiraUso do milheto como forrageira
Uso do milheto como forrageira
Patricia Epifanio
 
Produção De Frangos
Produção De FrangosProdução De Frangos
Produção De Frangos
Felipe Tavares
 
A ciência no campo... 1º seminário são joaquim cassiano
A ciência no campo... 1º seminário são joaquim  cassianoA ciência no campo... 1º seminário são joaquim  cassiano
A ciência no campo... 1º seminário são joaquim cassiano
Reprotec
 

Semelhante a Codornas sim (20)

Criação de codornas emater
Criação de codornas ematerCriação de codornas emater
Criação de codornas emater
 
Criação de codornas emater
Criação de codornas ematerCriação de codornas emater
Criação de codornas emater
 
Criacao e maneio de codornas
Criacao e maneio de codornasCriacao e maneio de codornas
Criacao e maneio de codornas
 
Tudo sobre criação de codornas
Tudo sobre criação de codornasTudo sobre criação de codornas
Tudo sobre criação de codornas
 
Avicultura
AviculturaAvicultura
Avicultura
 
CCU UNIVERSIDADE NACIONAL DE CONCEPCION.pdf
CCU UNIVERSIDADE NACIONAL DE CONCEPCION.pdfCCU UNIVERSIDADE NACIONAL DE CONCEPCION.pdf
CCU UNIVERSIDADE NACIONAL DE CONCEPCION.pdf
 
Produção e reprodução de búfalas leiteiras : um modelo tecnológico de sucesso
Produção e reprodução de búfalas leiteiras : um modelo tecnológico de sucessoProdução e reprodução de búfalas leiteiras : um modelo tecnológico de sucesso
Produção e reprodução de búfalas leiteiras : um modelo tecnológico de sucesso
 
Codornas sim, por que não
Codornas sim, por que nãoCodornas sim, por que não
Codornas sim, por que não
 
Afigranja
AfigranjaAfigranja
Afigranja
 
Coturnicultura
Coturnicultura Coturnicultura
Coturnicultura
 
Avicultura
AviculturaAvicultura
Avicultura
 
Manejo de um rebanho de cria. dr jose galdino 2015
Manejo de um rebanho de cria. dr jose galdino 2015Manejo de um rebanho de cria. dr jose galdino 2015
Manejo de um rebanho de cria. dr jose galdino 2015
 
Poedeiras
PoedeirasPoedeiras
Poedeiras
 
Manual criação galinhas caipiras
Manual criação galinhas caipirasManual criação galinhas caipiras
Manual criação galinhas caipiras
 
AULA ZOOTECNIA BOVINOCULTURA DE CORTE.pptx
AULA ZOOTECNIA BOVINOCULTURA DE CORTE.pptxAULA ZOOTECNIA BOVINOCULTURA DE CORTE.pptx
AULA ZOOTECNIA BOVINOCULTURA DE CORTE.pptx
 
Produção de galinhas poedeiras.pptx
Produção de galinhas poedeiras.pptxProdução de galinhas poedeiras.pptx
Produção de galinhas poedeiras.pptx
 
Manejo racional de bovinos de leite e corte em confinamento
Manejo racional de bovinos de leite e corte em confinamentoManejo racional de bovinos de leite e corte em confinamento
Manejo racional de bovinos de leite e corte em confinamento
 
Uso do milheto como forrageira
Uso do milheto como forrageiraUso do milheto como forrageira
Uso do milheto como forrageira
 
Produção De Frangos
Produção De FrangosProdução De Frangos
Produção De Frangos
 
A ciência no campo... 1º seminário são joaquim cassiano
A ciência no campo... 1º seminário são joaquim  cassianoA ciência no campo... 1º seminário são joaquim  cassiano
A ciência no campo... 1º seminário são joaquim cassiano
 

Mais de Liliam Da Paixão

Colcha de Retalhos Volume I Versão Corrigida
Colcha de Retalhos Volume I  Versão Corrigida Colcha de Retalhos Volume I  Versão Corrigida
Colcha de Retalhos Volume I Versão Corrigida
Liliam Da Paixão
 
Colcha de Retalhos - Volume I Versão Final
Colcha de Retalhos - Volume I  Versão FinalColcha de Retalhos - Volume I  Versão Final
Colcha de Retalhos - Volume I Versão Final
Liliam Da Paixão
 
Poesias e Canções
Poesias e Canções Poesias e Canções
Poesias e Canções
Liliam Da Paixão
 
Colcha de Retalhos
Colcha de RetalhosColcha de Retalhos
Colcha de Retalhos
Liliam Da Paixão
 
Terapia de família na cozinha - batatas e Carne de sol
Terapia de família na cozinha  - batatas e Carne de solTerapia de família na cozinha  - batatas e Carne de sol
Terapia de família na cozinha - batatas e Carne de sol
Liliam Da Paixão
 
Batatas e carne de sol
Batatas e carne de solBatatas e carne de sol
Batatas e carne de sol
Liliam Da Paixão
 
ACALME-SE
ACALME-SE ACALME-SE
ACALME-SE
Liliam Da Paixão
 
A Continuação do Disfarce
A Continuação do DisfarceA Continuação do Disfarce
A Continuação do Disfarce
Liliam Da Paixão
 
Receita para um arroz gostoso
Receita para um arroz gostosoReceita para um arroz gostoso
Receita para um arroz gostoso
Liliam Da Paixão
 
Terror em dezembro
Terror em dezembroTerror em dezembro
Terror em dezembro
Liliam Da Paixão
 
Psicanalise - Marco Revolucionario do Pensamento Moderno
Psicanalise - Marco Revolucionario do Pensamento ModernoPsicanalise - Marco Revolucionario do Pensamento Moderno
Psicanalise - Marco Revolucionario do Pensamento Moderno
Liliam Da Paixão
 
Freud e a Psicanálise
Freud e a PsicanáliseFreud e a Psicanálise
Freud e a Psicanálise
Liliam Da Paixão
 
Beijo Roubado ?
Beijo Roubado ?Beijo Roubado ?
Beijo Roubado ?
Liliam Da Paixão
 
Pimenta Nos Olhos Dos Outros É Refresco
Pimenta Nos Olhos Dos Outros É RefrescoPimenta Nos Olhos Dos Outros É Refresco
Pimenta Nos Olhos Dos Outros É Refresco
Liliam Da Paixão
 
RELATÓRIO DE CONCLUSÃO DO ESTÁGIO DE PRÁTICA DE ENSINO DE PSICOLOGIA
RELATÓRIO DE CONCLUSÃO DO ESTÁGIO DE PRÁTICA DE ENSINO DE PSICOLOGIARELATÓRIO DE CONCLUSÃO DO ESTÁGIO DE PRÁTICA DE ENSINO DE PSICOLOGIA
RELATÓRIO DE CONCLUSÃO DO ESTÁGIO DE PRÁTICA DE ENSINO DE PSICOLOGIA
Liliam Da Paixão
 
HTP E PALOGRÁFICO
HTP E PALOGRÁFICOHTP E PALOGRÁFICO
HTP E PALOGRÁFICO
Liliam Da Paixão
 
Projeto De Vida - Uma Família Feliz
Projeto De Vida - Uma Família FelizProjeto De Vida - Uma Família Feliz
Projeto De Vida - Uma Família Feliz
Liliam Da Paixão
 
O Enigna de Kasper Hauser + Guattari x Ciampa
O Enigna de Kasper Hauser + Guattari x CiampaO Enigna de Kasper Hauser + Guattari x Ciampa
O Enigna de Kasper Hauser + Guattari x Ciampa
Liliam Da Paixão
 
Conservação De Alimentos Por Irradiação
Conservação De Alimentos Por  IrradiaçãoConservação De Alimentos Por  Irradiação
Conservação De Alimentos Por Irradiação
Liliam Da Paixão
 
BEHAVIORISMO - LILIAM DA PAIXÃO
BEHAVIORISMO  -  LILIAM DA PAIXÃOBEHAVIORISMO  -  LILIAM DA PAIXÃO
BEHAVIORISMO - LILIAM DA PAIXÃO
Liliam Da Paixão
 

Mais de Liliam Da Paixão (20)

Colcha de Retalhos Volume I Versão Corrigida
Colcha de Retalhos Volume I  Versão Corrigida Colcha de Retalhos Volume I  Versão Corrigida
Colcha de Retalhos Volume I Versão Corrigida
 
Colcha de Retalhos - Volume I Versão Final
Colcha de Retalhos - Volume I  Versão FinalColcha de Retalhos - Volume I  Versão Final
Colcha de Retalhos - Volume I Versão Final
 
Poesias e Canções
Poesias e Canções Poesias e Canções
Poesias e Canções
 
Colcha de Retalhos
Colcha de RetalhosColcha de Retalhos
Colcha de Retalhos
 
Terapia de família na cozinha - batatas e Carne de sol
Terapia de família na cozinha  - batatas e Carne de solTerapia de família na cozinha  - batatas e Carne de sol
Terapia de família na cozinha - batatas e Carne de sol
 
Batatas e carne de sol
Batatas e carne de solBatatas e carne de sol
Batatas e carne de sol
 
ACALME-SE
ACALME-SE ACALME-SE
ACALME-SE
 
A Continuação do Disfarce
A Continuação do DisfarceA Continuação do Disfarce
A Continuação do Disfarce
 
Receita para um arroz gostoso
Receita para um arroz gostosoReceita para um arroz gostoso
Receita para um arroz gostoso
 
Terror em dezembro
Terror em dezembroTerror em dezembro
Terror em dezembro
 
Psicanalise - Marco Revolucionario do Pensamento Moderno
Psicanalise - Marco Revolucionario do Pensamento ModernoPsicanalise - Marco Revolucionario do Pensamento Moderno
Psicanalise - Marco Revolucionario do Pensamento Moderno
 
Freud e a Psicanálise
Freud e a PsicanáliseFreud e a Psicanálise
Freud e a Psicanálise
 
Beijo Roubado ?
Beijo Roubado ?Beijo Roubado ?
Beijo Roubado ?
 
Pimenta Nos Olhos Dos Outros É Refresco
Pimenta Nos Olhos Dos Outros É RefrescoPimenta Nos Olhos Dos Outros É Refresco
Pimenta Nos Olhos Dos Outros É Refresco
 
RELATÓRIO DE CONCLUSÃO DO ESTÁGIO DE PRÁTICA DE ENSINO DE PSICOLOGIA
RELATÓRIO DE CONCLUSÃO DO ESTÁGIO DE PRÁTICA DE ENSINO DE PSICOLOGIARELATÓRIO DE CONCLUSÃO DO ESTÁGIO DE PRÁTICA DE ENSINO DE PSICOLOGIA
RELATÓRIO DE CONCLUSÃO DO ESTÁGIO DE PRÁTICA DE ENSINO DE PSICOLOGIA
 
HTP E PALOGRÁFICO
HTP E PALOGRÁFICOHTP E PALOGRÁFICO
HTP E PALOGRÁFICO
 
Projeto De Vida - Uma Família Feliz
Projeto De Vida - Uma Família FelizProjeto De Vida - Uma Família Feliz
Projeto De Vida - Uma Família Feliz
 
O Enigna de Kasper Hauser + Guattari x Ciampa
O Enigna de Kasper Hauser + Guattari x CiampaO Enigna de Kasper Hauser + Guattari x Ciampa
O Enigna de Kasper Hauser + Guattari x Ciampa
 
Conservação De Alimentos Por Irradiação
Conservação De Alimentos Por  IrradiaçãoConservação De Alimentos Por  Irradiação
Conservação De Alimentos Por Irradiação
 
BEHAVIORISMO - LILIAM DA PAIXÃO
BEHAVIORISMO  -  LILIAM DA PAIXÃOBEHAVIORISMO  -  LILIAM DA PAIXÃO
BEHAVIORISMO - LILIAM DA PAIXÃO
 

Último

Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Centro Jacques Delors
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
KarollayneRodriguesV1
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
HelenStefany
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Demetrio Ccesa Rayme
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
SidneySilva523387
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
geiseortiz1
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
Manuais Formação
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
MARCELARUBIAGAVA
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
Crisnaiara
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
pamellaaraujo10
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
fran0410
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Mauricio Alexandre Silva
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Centro Jacques Delors
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
Manuais Formação
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
AlineOliveira625820
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
ARIADNEMARTINSDACRUZ
 

Último (20)

Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento EuropeuEurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
Eurodeputados Portugueses 2024-2029 | Parlamento Europeu
 
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogiaAVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período  pedagogia
AVALIAÇÃO PRESENCIAL 8º período pedagogia
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf eplanejamento maternal 2 atualizado.pdf e
planejamento maternal 2 atualizado.pdf e
 
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdfRazonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
Razonamiento Matematico 6to Primaria MA6 Ccesa007.pdf
 
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou  co...
filosofia e Direito- É a teoria que explica como a sociedade se organizou co...
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptxO século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
O século XVII e o nascimento da pedagogia.pptx
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdfCD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
CD_B2_C_Criar e Editar Conteúdos Digitais_índice.pdf
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
Atividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docxAtividade Bio evolução e especiação .docx
Atividade Bio evolução e especiação .docx
 
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junhoATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
ATIVIDADES de alfabetização do mês de junho
 
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptxRoteiro para análise do Livro Didático.pptx
Roteiro para análise do Livro Didático.pptx
 
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
Telepsiquismo Utilize seu poder extrassensorial para atrair prosperidade (Jos...
 
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptxVivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
Vivendo a Arquitetura Salesforce - 02.pptx
 
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
Infografia | Resultados das Eleições Europeias 2024-2029
 
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdfUFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
UFCD_10789_Metodologias de desenvolvimento de software_índice.pdf
 
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdfComo montar o mapa conceitual editado.pdf
Como montar o mapa conceitual editado.pdf
 
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇOPALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
PALAVRA SECRETA - ALFABETIZAÇÃO- REFORÇO
 

Codornas sim

  • 1. COLÉGIO ESTADUAL AGRÍCOLA JOSÉ SOARES JÚNIOR PLANEJAMENTO E PROJETOS PROFESSOR ROBSON CODORNAS SIM, POR QUE NÃO? ANDRÉA LILIAM SILVA DA PAIXÃO ITABORAÍ, 27 DE NOVEMBRO DE 2013
  • 2. CODORNAS SIM, PORQUE NÃO? ANDRÉA LILIAM SILVA DA PAIXÃO INTRODUÇÃO A codorna vem-se destacando, nos últimos tempos, como promissora criação de aves adaptada às condições de exploração doméstica e comerciais. Esta preferência é decorrente do crescente aumento do consumo de ovos de codorna e do excepcional sabor de sua carne, responsável por iguarias finas e sofisticadas. Essa pequena ave pode ser uma grande alternativa de lucratividade pelo seu grande retorno econômico, rusticidade, rápido crescimento, baixo consumo alimentar e alta produtividade. Quando manejada corretamente as aves podem chegar a uma produção aproximada de 300 ovos por ano, necessitando pequenos espaços de alojamento. JUSTIFICATIVA O Sítio dos Milagres está localizado na Estrada Rio Frio, 22 – Monjolos – São Gonçalo – RJ. O Sítio dos Milagres é uma propriedade voltada para a atividade de fazenda agropecuária. Sendo assim a o Projeto ”Codornas Sim, Por que Não?” vem de encontro com os objetivos e metas delineados para o Sítio. É importante mencionar a característica de cunho social que a propriedade possui. Sendo assim parte do que é produzido no Sítio é revertido em benefício para os mais necessitados da sociedade. Dessa forma, a atividade de criação de codornas também terá parte do lucro revertido para o bem estar social. OBJETIVO O Projeto “Codornas Sim, Por que Não?” fornecerá ovos de codornas para a produção de conservas do Sítio dos Milagres: “Conservas e Compotas Sinhá Galdina”.
  • 3. META O Projeto “Codornas Sim, Por Que Não?” tem como meta suprir a demanda da “Conservas e Compotas Sinhá Galdina” de 1000 ovos por semana. CARACTERÍSTICAS DA ÁREA O município onde o projeto será desenvolvido é São Gonçalo. E pela classificação de Köppen, o clima na região é do tipo Tropical Com Chuvas de Verão. Pelo mapa climático do IBGE, o clima é o Tropical Brasil Central, Quente e Semiúmido, com até 3 meses secos. No verão, compreendido entre novembro e março, o calor e a umidade são elevadas e a região é sujeita a alta pluviometria com fortes chuvas. No inverno, todos os parâmetros se reduzem (umidade, temperatura e pluviometria), especialmente nos meses de junho e agosto. A Pluviometria e os ventos e, portanto, a sensação térmica é influenciada pela Serra do Mar que segura as massas de ar, ocasionando a maior pluviometria na região e pela Serra do lagarto (divisa com Maricá), que segura os ventos e provocando uma região de baixa pressão, ampliando a sensação térmica no verão. A temperatura média mensal varia até 7ºC entre o verão e o inverno, com amplitudes térmicas médias de 10 a 15ºC. O aumento da temperatura média e das máximas, durante o período de verão, amplifica a demanda de água. No entanto o Sítio dos Milagres, onde se desenvolverá o Projeto Viva O Camarão do Sítio dos Milagres, possui peculiaridades climáticas, pois qualquer que seja o calor que faça durante as horas do dia, à noite e de madrugada a temperatura sempre cai de maneira considerável, chegando a fazer 4ºC durante algumas madrugadas de inverno. SEMOVENTES As codornas (Coturnix coturnix sp.) são pequenas aves originárias da Europa e da Ásia. Os primeiros dados históricos sobre a procedência da codorna datam o século XII, porém a criação das aves para a produção de carne e ovos teve início em 1910 no Japão, China e Coréia. Quando se
  • 4. buscou cruzamentos para obter um animal de alta produção, principalmente de ovos no caso da variedade japonesa da espécie (Coturnix coturnix japonica). SISTEMA DE CRIAÇÃO Criação em Gaiolas no Sistema escada. É o sistema mais moderno de criação, consiste no uso de gaiolas de arame galvanizado, idênticas as utilizadas no sistema de baterias, fixadas de maneira a dar a impressão de uma escada. ÍNDICES ZOOTÉCNICOS Do lado técnico-econômico, torna-se ainda mais atrativa, ao verificar- se o seu rápido crescimento e atingimento da idade de postura, a sua elevada prolificidade e o seu pequeno consumo de ração, conforme os dados zootécnicos que se seguem:  Peso do pinto ao nascer: 10 gramas  Peso da ave adulta: fêmea 150 gramas - macho 120 gramas;  Início de postura: 45 dias;  Período de produção: 10 meses;  Percentagem de postura: até 80%;  Ovos por ave por ciclo produtivo: 250 a 300 ovos;  Peso médio do ovo: 10 a 12 gramas;  Período de incubação: 16 dias;  Idade para abate: 45 dias;  Peso médio de abate: 120 gramas;  Consumo de alimento até o abate: 500 gramas;  A criação racional de codornas segue regras básicas de manejo, alimentação, sanidade e instalações. Como a o projeto destina-se a tão somente a produção de ovos, teremos então: 150 fêmeas – compradas com a idade de 35 dias, em três grupos de 50 aves.
  • 5. São aves resistentes e se adaptam a diversas condições ambientais, mas possui um melhor desenvolvimento em clima estável, com temperatura de aproximadamente 23 ºC e local protegido contra intempéries. MANEJO Os ovos serão colhidos duas vezes ao dia. A primeira coleta realizada pela manhã e a outra, à tarde. Eles devem ser acondicionados nos pentes próprios, mantidos sobre refrigeração, para que as suas qualidades nutritivas sejam conservadas. A água deverá ser fornecida à vontade. A quantidade de ração por ave deve ser de 30 a 35 gramas: Ração contendo 26% de proteína bruta deverá ser oferecida à ave até a idade de 45 dias;  A partir de 45 dias, as fêmeas receberão a ração de postura com cerca de 23% de proteína bruta. Para um índice elevado de postura, o ambiente da criação das codornas em produção deve ser iluminado na base de uma lâmpada incandescente de 15 WATTS para cada 5 metros quadrados de galpão. Recomenda-se do dia seja prolongado para 17 horas, através da associação de luz natural com luz artificial, estabelecendo-se um esquema de acendimento das lâmpadas pela madrugada e à noite. Exemplo: Ligar às 4 horas e desligar às 6 horas e 30 minutos. Ligar novamente às 17 horas e 30 minutos e desligar às 21 horas. INSTALAÇÕES e EQUIPAMENTOS Galpão Aberto (laterais) por apresentar maior economia, com instalação de cortinas e telas nas laterais, a fim de evitar a fuga das aves e impedir a entrada de predadores. Telhado de telha de barro, com lanternim. Cinco gaiolas de postura de arame galvanizado para 30 aves cada, com comedouro. Bebedouro automático. Piso de cimento rústico com pequena declividade.
  • 6. REFERÊNCIAS ________Pecuária. Criação de Codornas. Almanaque do Campo. http://www.almanaquedocampo.com.br/imagens/files/Cria%C3%A7%C3% A3o%20de%20codornas%20emater.pdf PETROLLI, T.G.; MATEUS, K. RODRIGUES, M. (2011). Criação de codornas: pequenas e lucrativas. SB Rural. Edição 65/jun. http://www.ceo.udesc.br/arquivos/id_submenu/285/caderno_udesc_065.pdf https://www.google.com.br/search?hl=pt- BR&site=imghp&tbm=isch&source=hp&biw=1200&bih=582&q=codornas&o q=codornas&gs_l=img.12..0l10.3908.6069.0.13147.8.7.0.1.1.0.396.1738.2- 6j1.7.0....0...1ac.1.32.img..0.8.1765.VXWJXKICSjo#facrc=_&imgdii=_&imgr c=N8vXUrRiE_pGAM%3A%3Buz9Dq7xRUhMX1M%3Bhttp%253A%252F %252Fimages04.olx.com.br%252Fui%252F6%252F20%252F22%252F12 75607485_98111822_1-Fotos-de--Codornas-vivas-e-abatidas- 1275607485.jpg%3Bhttp%253A%252F%252Fcodornasbf.zip.net%252F%3 B625%3B417 _______ Criar codornas. Inforagro – consultorias. http://inforagro.wordpress.com/2010/08/20/criar-codornas-parte-1/