SlideShare uma empresa Scribd logo
Universidade Federal de Santa Maria - UFSM
                 Educação a Distância da UFSM - EAD
              Projeto Universidade Aberta do Brasil - UAB



      Especialização em Tecnologias da Informação e da Comunicação
                          Aplicadas à Educação
                            PÓLO: Sobradinho
                 DISCIPLINA: Elaboração de Artigo Científico
                   PROFESSOR ORIENTADOR: Elias Burin
                                04/01/2011




    Uso das tecnologias educacionais no trabalho docente dos professores dos
                       Anos Iniciais: estudo de caso

Use of technology in the teaching work of teacher of initial years: a case study



                              SILVA, Clair Batista da

 Especialista em Metodologia de Ensino - Faculdades Integradas de Amparo – São Paulo



       RESUMO:
       Este trabalho busca analisar, através de pesquisa de campo, com professores dos
       Anos Iniciais da Escola Municipal de Ensino Fundamental Seomar Mainardi, o uso das
       tecnologias educacionais, visto que vem sendo trabalhado/utilizado em todo o sistema
       educacional, porém a forma como está sendo utilizada trás questionamentos. Muitas
       vezes, o computador, está sendo utilizado como máquina de “ensinar”, ferramenta
       instrucionista, na busca de informação, raramente é usado como ferramenta
       pedagógica. Professores inseguros, pouco conhecimento do uso da ferramenta
       tecnológica, pouca ou quase nenhuma prática com o computador, os Professores dos
       Anos Iniciais não recebem formação continuada para a realização de um trabalho
       pedagógico mais eficiente envolvendo a tecnologia.


       PALAVRAS-CHAVE: Educadores, tecnologia, ferramenta pedagógica
2

Abstract:

This article search to analyze through field research with teachers of initial years of the
Elementary School Seomar Mainardi, the use of educational technology as it is being used in the
whole educational system, however the way it is being used, brings doubts. Many times the
computer is being used as machine to teach, instructional tool in the information search, rarely it is
used as a teaching tool. Insecure teachers, little knowledge of the use of technological tools, a little
or almost no practice with the computer, the teachers from initial years don´t receive continuous
training to the accomplishment of their pedagogical work more efficient evolving the technology.

Key-words: teachers, technology, pedagogical tool




INTRODUÇÃO

        A   Informática, ciências do tratamento sistemático e eficiente, especialmente por
meio de máquinas automáticas de informação, vistas como meio de conhecimento
humano e servindo à comunicação de contexto técnico, econômico e social iria
transformar a nossa sociedade. Está sendo utilizada de forma mais intensiva em nossas
vidas. O computador já está se tornando acessível a população de todas as classes
sociais. Portanto todas as áreas já estão fazendo uso deste instrumento o que significa
que todos terão que aprender a conviver com a informática tanto na vida social quanto
profissional.
       Na área da educação surge o termo informática que é a junção dos vocábulos
informação + automática formando assim, conforme definição encontrada no LUFT
“conjunto de conhecimentos e técnicas ligadas ao tratamento racional e automático de
informação, o qual se encontra associado a utilização de computadores e respectivos
programas” (LUFT, 2006, p.365).
       Segundo Rocha (2008), estudiosos do assunto definem o computador como
“máquina que possibilita testar idéias ou hipóteses, que levam à criação de um mundo
abstrato e simbólico,...”. O computador está assumindo diversas funções. Como
ferramenta de trabalho está contribuindo para o aumento da produção, diminuindo custos
e melhorando a qualidade dos produtos e serviços. Também usado como ferramenta de
entretenimento com muitas possibilidades.
       O surgimento da internet possibilitou ultrapassar fronteiras físicas, pois é possível
conversar e conhecer pessoas de todos os lugares sem sair de casa, ouvir música,
3

assistir vídeo, pagar contas, ver fotos, digitar textos, participar de bate-papos virtuais,
entre outros.
      O computador é considerado um instrumento com grande capacidade de
armazenamento de dados, com facilidade de manipulação, porém não é uma ferramenta
desenvolvida para fins pedagógicos, por isso deve-se ter um olhar crítico, buscando
através das teorias e práticas pedagógicas o bom uso desse recurso. Esta ferramenta
terá êxito na educação, se for utilizada de forma a propiciar acesso rápido ao
conhecimento e não, somente como meio de entretenimento, armazenamento de dados e
ou como máquina de escrever. É necessário usá-lo como tecnologia para uma educação
dinâmica, auxiliando professores e alunos para que ocorra uma aprendizagem mais
significativa, não esquecendo que o computador deve ser usado de forma adequada e
significativa, pois Informática Educativa não tem relação com aulas de computação.
      Conforme colocações de Rocha (2008), as escolas estão introduzindo em seus
currículos escolares o ensino de informática. Estas estão realizando investimentos em
salas de informática, porém as mesmas estão sendo usadas pelos alunos para aulas de
computação, as quais geralmente são acompanhadas por um monitor. Sendo assim, a
utilização desta tecnologia não está contribuindo para uma aprendizagem significativa e
nem mesmo proporcionando conhecimento. O que ocorre são aulas descontextualizadas
das demais disciplinas e sem nenhuma concepção pedagógica.
      A nível de país cresce o número de escolas de informática que trabalham conceitos
computacionais, noções de hardware. Surgem cursos na modalidade de tecnologias da
Informação e comunicação, porém grande parte deles é voltado a formação tecnicista,
esquecendo-se da educação cidadã.
      Os profissionais que atuam nestas escolas e cursos de informática têm pouco
conhecimento de didática e das teorias pedagógicas, os resultados surgem na sala de
aula quando usam práticas mecanicistas, tradicionais sem se preocuparem com a
preparação, o desenvolvimento cognitivo do aluno. A prática da informática, com esta
visão altera a função social da escola, pois deixa de contribuir para a construção do
conhecimento e a troca entre sujeitos.
      A tecnologia a ser trabalhada na escola deve ter enfoque na informática educativa
que se caracteriza por ser um instrumento a mais na sala de aula, o qual o professor pode
usar como recurso para praticar, simular e vivenciar situações.
      O computador é a ferramenta pedagógica utilizada na Informática Educativa como
auxiliar do processo de construção do conhecimento. Ele é um meio, um suporte à
4

aprendizagem, com várias possibilidades pedagógicas, porém é necessário reformular o
currículo escolar, criando assim, novos modelos didáticos e metodológicos, repensando o
verdadeiro significado da aprendizagem.
      A informática não é apenas um computador colocado em um laboratório da escola,
simplesmente para conexão via internet ou para o uso de editor de texto como a maioria
das vezes acontece.
      A informática deve ser vista pela escola como um meio/instrumento de apoio
utilizado para as atividades realizadas pela sociedade. Ressaltam-se duas grandes áreas
da informática: a técnica e a pedagógica.
      A informática técnica usada com um sistema de controle para algumas tarefas
encontra-se planilhas, editores de texto que serve de apoio ao seu usuário. Já a
informática pedagógica vai estar presente no trabalho de sala de aula, que será utilizada
pelo professor como complemento de suas atividades desenvolvidas nas diferentes áreas
do conhecimento. O uso de ferramentas simples e conhecidas pelo professor traz domínio
e segurança na execução das tarefas. Por isso é importante a construção de projetos
pedagógicos utilizando tecnologias conhecidas.
      Baseado neste contexto o presente artigo que está embasado em fundamentação
teórica e estudo de caso, com professores dos Anos Iniciais, da Escola Municipal de
Ensino Fundamental Seomar Mainardi, no que se refere ao uso da informática na
educação.

      O uso de novas tecnologias no trabalho de sala de aula vem auxiliar as tarefas
diárias que o professor exerce permitindo agir com maior qualidade.

      Os professores dos Anos Iniciais da referida Escola estão preparados para a
utilização do laboratório de informática? A pouca utilização do laboratório de informática
está relacionado com o pouco conhecimento na área da informática? O uso da informática
nos projetos desenvolvidos pelos professores tem como finalidade apenas conexão a
internet, editor de texto, jogos, ou é utilizado para auxiliar nas atividades desenvolvidas
nas diferentes áreas do conhecimento? O uso da “informática na educação” tem recebido
diversos significados conforme a visão educacional e do conhecimento pedagógico do
professor que utiliza o computador?

      A Escola Seomar Mainardi está localizada em um Bairro de classe média-baixa, do
Município de Sobradinho. A Escola recebe 260 alunos de Pré nível A (quatro anos) a
5

oitava séries, são oriundos de comunidades do interior, do próprio bairro e bairros
próximos. Alunos de classe média-baixa, pais agricultores, assalariados, desempregados,
comerciantes, funcionários públicos... A Escola possui Biblioteca, Laboratório de
Informática, salas de aula, cozinha, secretaria, sala dos professores, sala da direção,
quadra coberta, data show, material didático e pedagógico. No turno inverso oferece
oficina de informática, grupo de dança e movimentos circense.




METODOLOGIA

           A metodologia utilizada para este estudo de caso foi à aplicação de um
questionário seguido de análise das respostas das Professoras dos Anos Inicias. A
pesquisa serviu para observar como os mesmos estão utilizando a informática como
ferramenta educacional no seu trabalho pedagógico com os alunos em sala de aula como
a mesma pode auxiliar nas tarefas diárias que exercemos e que nos permite agir com
maior qualidade.

           A pesquisa aplicada com os Professores dos Anos Iniciais da Escola Municipal de
Ensino Fundamental Seomar Mainardi, localizada na Zona Urbana do Município de
Sobradinho, esta representa a realidade da maioria das Escolas do Município com Ensino
Fundamental Anos Iniciais.




INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO

           A informática, no Brasil, foi introduzida na educação há algumas décadas, sendo
que primeiramente nas Universidades. A partir da década de 80 a utilização com maior
envolvimento, através de atividades, a informática adquiriu identidade própria, se tornou
um meio de comunicação, de pesquisa muito utilizada no seu cotidiano, casas, trabalho,
lazer...

           Nas escolas a informática chegou para ficar, cabendo aos professores se
atualizarem para não ficarem para trás.
6

                    Sabemos que, nos dias de hoje, qualquer pessoa deveria, no mínimo, saber
                    manipular um micro; infelizmente essa não é nossa realidade. Os professores
                    atuais estudaram em uma época em que a informática não fazia parte do dia-a-
                    dia, e, dentre os professores que estamos formando para o futuro, poucos estão
                    sendo preparados para mudar essa realidade (LOPES, 2010, p.03).

      A escola precisa de profissionais capacitados e disponíveis a aprender essa nova
tecnologia sem medo de ser substituído por computadores. È necessário haver integração
entre o meio escolar e o professor, desenvolvendo com isso a sociabilidade do aluno e a
familiarização do educador com a tecnologia.

      As transformações que a sociedade vem sofrendo, neste novo milênio, solicita
mudanças no sistema educacional. O professor por sua vez, precisa deixar de ser mero
transmissor de conhecimento, para ser a fonte de conhecimento, interagindo, desafiando,
investigando e propondo pesquisas com os alunos, que irá desafiá-los, levá-los a
investigar. O computador não mudará a educação, nem mesmo irá substituir a inteligência
e a criatividade que são natos do ser humano, apenas contribui para o desenvolvimento.

      Conforme relato da professora/alfabetizadora a dificuldade em trabalhar e fazer uso
da tecnologia em seu trabalho docente é falta de conhecimento em informática, de tempo
que o projeto de alfabetização impõe e insegurança.

      A entrada da tecnologia na escola provocou mudanças de paradigmas. A
informática oferece vários recursos que se for bem utilizado serve de suporte para
desenvolver diversas atividades com os alunos. No entanto a escola segue padrões
jesuíticos, em que o professor manda e o aluno obedece. Com a chegada da era digital o
professor passa a ser “mediador” do processo de ensino-aprendizagem. Sendo assim, o
educador não pode ter “medo” de deixar o aluno buscar seu próprio conhecimento, ser
autônomo.

      Este trabalho exige uma nova postura da escola quanto à organização curricular,
mas não só da escola, os profissionais da educação também precisam ter uma postura de
busca e aperfeiçoamento para poder se sentir seguro frente ao novo.

      Conforme Rocha (2008), a máquina não irá substituir o profissional, porém
necessita re-significar seu papel, sua identidade a partir do uso das novas abordagens
pedagógicas que as tecnologias propiciam.
7

      O trabalho disciplinar realizado nas escolas precisa ser revisto, o desafio hoje é
concretizar as atividades interdisciplinares, por isso é necessário mudanças no currículo
escolar, na maneira que o professor realiza/planeja seu trabalho pedagógico. Alguns
professores, ainda que, de forma isolada, já estão inovando, propondo atividades que
envolvem novas formas de organização, de planejamento.

      É importante que a escola gradativamente sofra transformações em seu
planejamento curricular, de forma isolada isto já vem ocorrendo através de alguns
professores, porém são rupturas que precisam buscar auto-afirmação por parte dos
professores, pois ainda não dominam com total segurança estas mudanças curriculares.
Para Vygotsky apud Silva (2010 p. 02), o sujeito possui um nível de alcance de suas
possibilidades para isso é importante o papel do professor propiciando ajuda, assistência
no desenvolvimento dos conteúdos. O computador é uma ferramenta importante neste
processo de interação entre objeto de aprendizagem e o processo de ensino, tendo o
professor como mediador. Por isso a importância dos professores dos anos iniciais
trabalharem com informática nas suas aulas. Percebe-se através dos dados levantados
com os cinco professores dos anos iniciais pesquisados, a grande maioria utiliza a
informática como ferramenta pedagógica.

                                  L a b o r a t ó r io d e In f o r m á t ic a



                              20%
                                                             U t iliz am o lab . d e inf .



                                         80%                 N ão ut iliz am o lab . d e inf .



      Figura 1: Utilização do Laboratório de Informática pelos Professores

      A tecnologia tem provocado mudanças significativas na educação, pelas
possibilidades oferecidas na implantação de novas técnicas de ensino. As escolas já
possuem na sua maioria laboratórios com um número significativo de computadores,
acesso a internet, como ocorre na Escola Seomar Mainardi, que possui 18 computadores,
sistema operacional Windows, acesso a internet e um monitor que auxilia no
desenvolvimento das atividades uma vez por semana, proporcionando aos alunos dos
anos iniciais um atendimento mais qualificado.
8

                                     Necessita de auxilio do monitor para
                                     desenvolver as atividades propostas
                                        no laboratório de informática da
                                                      escola:

                                    Não
                                     25%

                                                          Sim
                                                  75%



                          Figura 2: Auxílio do monitor no laboratório de informática

      Conforme pode ser visualizado na Figura 2, dos professores entrevistados, 75%
(setenta e cinco por cento), solicitam o auxilio do monitor, por isso percebe-se que utilizam
a informática na prática com os alunos. As mudanças ocorridas, em um primeiro momento
causaram inseguranças aos educadores da Escola entrevistada, medo de serem
substituídos pela máquina, porém as mudanças ocorrem na área pedagógica, os
profissionais que não se adaptar aos novos paradigmas é que correm o risco de não
permanecerem atuando na área educacional, pois o simples repasse de informações,
transferência de conhecimento para o aluno não é considerado suficiente para o
aprendizado do sujeito.

      Neste sentido o computador assume o papel de ferramenta pedagógica e não o de
máquina de “ensinar”. Se o computador for utilizado somente como informatização, para a
busca de informações, será uma máquina de ensinar. No entanto se o mesmo for usado
num sentido construtivista proporcionará a construção do conhecimento conforme a
capacidade individual de cada aluno.

      Na pesquisa realizada com os professores pesquisados, a grande maioria, utiliza a
internet para pesquisar dados. Isto nos leva a refletir se os alunos estão sendo
informatizados, estão criando ou interagindo.

                     Vivemos em uma sociedade de informação e ensinar utilizando a internet
                     pressupõe um professor diferente, sobrecarregado de informações advindas tanto
                     da sua própria experiência pessoal como dos seus alunos, tendo um perfil
                     animador e coordenador de atividades e integrador. A própria escola deve ser um
                     local de debates, discussões e interpretações críticas de saberes em mutação
                     preocupando-se com a construção do sujeito do saber significativo, constituindo-
                     se em escola ao longo da vida (WISSMANN apud SILVA, 2010, p.04).
9

      O uso da internet é outro ponto importante a ser trabalhado com a orientação do
professor, para que o aluno desenvolva a pesquisa, gere conhecimento, criação,
raciocínio e atitude ativa para a construção do conhecimento, desta maneira o aluno
estará se preparando para o mercado de trabalho. Porém, exige maior atenção do
educador, pois o aluno está diante de muitas possibilidades de busca, sendo mais fácil e
sedutor navegar de um site para outro, encontrando imagens, lugares, do que o trabalho
de interpretação. A fascinação, num primeiro momento, pela possibilidade de acesso,
navegação, descobertas, páginas ilustradas levam os alunos a simplesmente fazerem
copias de artigos, textos... mas sem reflexão, análise, aprofundamento do que se está
pesquisando.O professor como mediador, deve aproveitar a motivação dos alunos para
criar relações de confiança entre os mesmos, demonstrando competência e equilíbrio no
desenvolvimento do seu trabalho, isto irá facilitar o processo ensino-aprendizagem e a
capacidade de comunicação entre ambos.

      A aprendizagem realizada de forma cooperativa, em grupo, com interação obtém
melhores resultados. O ensinar e aprender exige hoje, muito mais flexibilidade de espaço
e tempo tanto pessoal quanto em grupo, menos conteúdos fixos, com estudos mais
abertos para pesquisa e comunicação. Para que ocorra uma aprendizagem significativa
depende também da maturidade do aluno para incorporar a real significação que estas
informações têm para ele, para sua vivência intelectual e emocional. O papel do professor
neste contexto, será cada vez mais o de ajudar o aluno a interpretar esses dados,
relacioná-los, contextualizá-los.

      O reflexo da aproximação entre informática e educação, olhando para uma
sociedade pós-industrial, ou seja, a era da informação e do conhecimento, onde o
trabalho físico é feito pelas máquinas e o mental pelos computadores. Cabe ao homem a
tarefa insubstituível de ser criativo, ter idéias. Porém se deparam com as dificuldades de
formação docente, relação ensino-aprendizagem, questões culturais, tantas outras
dificuldades encontradas para a “inovação tecnológica”.

      O termo “Informática na Educação” vem sendo usado no meio educacional, porém
com significado diferente conforme a visão e a condição pedagógica em que o
computador é empregado/usado.

      Vivemos numa sociedade do conhecimento, na qual a busca pelo conhecimento
tem lugar de destaque, exigindo profissional crítico, reflexivo, tendo capacidade para
10

pensar, aprender, trabalhar coletivamente. A formação desse profissional é papel da
educação, porém esta formação deve ser baseada na construção do conhecimento
realizada pelo aluno e no desenvolvimento de novas competências.

      A introdução do computador na escola é uma tentativa de repensar a educação,
porém o repensar não significa somente à utilização do mesmo a abordagem pedagógica
necessita ser repensada para que a informatização não prepare profissionais obsoleto
como ocorre no ensino tradicional.

      O computador é uma ferramenta importante para auxiliar o processo de mudança
na escola. Criar ambientes de aprendizagem que propicie a construção do conhecimento
e não a instrução.

      Essa ferramenta é uma nova maneira de representar o conhecimento provocando
mudanças nos conceitos básicos, possibilitando novas idéias, valores. Para isso deve ser
feito uma analise no significado do ensinar e aprender, rever a prática e a formação do
fomentando mudanças no currículo e na estrutura escolar.

      O grande impacto causado pelas novas tecnologias na educação desenvolve
novas formas de aprendizado, aumento do conhecimento e principalmente novas relações
entre professor e aluno.

      A busca rápida e a disponibilidade de informações trazidas pela rede mundial são
ganhos valiosos para a humanidade. O reflexo dessa revolução surgiu nas escolas, a
troca das enciclopédias pesadas por informações digitalizadas, consultas a portais
acadêmicos, apresentações de trabalhos com mais vida/coloridos... Sendo importante o
papel do professor como orientador para que o aluno não incorra em erros ou baseie-se
em informações equivocadas.

      Porém sabemos que a internet não é a solução para todos os males da educação.
Ela é uma ferramenta de apoio, não substituindo práticas de ensino e ou relacionamentos
humanos dentro da sala de aula entre professor/aluno/estudantes. Ela depende desta
intermediação, inter-relações para que ocorra um ambiente de aprendizagem. Esse é o
papel do professor, orientar alunos nas consultas, pesquisas, para que seja aproveitada a
agilidade das informações.
11

FORMAÇÃO DO PROFESSOR

      O uso da informática no ambiente de aprendizagem (sala de aula) é muitas vezes
temido pelo professor por ser uma ferramenta nova, ou por achar difícil trabalhar com a
mesma, ou então por que seus alunos podem saber, conhecer melhor que o próprio
educador. A informática, o computador veio para facilitar a realização de atividades, é um
complemento e não para dificultar a vida das pessoas.

      Para que ocorra a utilização da tecnologia de forma satisfatória o professor precisa
estar preparado, para perceber como deve ser a integração dessa nova ferramenta ao
ensino. A maneira como cada educador irá utilizar o computador em sala de aula depende
do seu interesse educacional em conhecer, compreender e escolher como irá usar a
informática a serviço do ensino, pois, como se sabe, não há fórmula pronta.

      O computador é sem dúvida uma ferramenta ágil e confiável para armazenar
informações, no entanto deve ser utilizado de forma adequada e objetiva para que essas
informações se transformem em conhecimento, para isso o professor deve auxiliar o
aluno a desenvolver capacidade de selecionar e avaliar quais informações são úteis para
sua formação.

      O educador na atualidade é visto como agente de mudanças, assim destaca-se
sua importância na formação da personalidade, de atitudes, positivas ou não frente ao
processo    de   ensino-aprendizagem      do   educando.     Despertando      curiosidades,
desenvolvendo a autonomia, criando condições para uma boa formação do sujeito.

      As novas tecnologias não diminuíram o trabalho do professor, elas trouxeram
modificações na maneira de atuar, necessitando assim uma formação contínua que
proporcione conhecimento e domínio dos novos instrumentos. Os educadores precisam
refletir e provavelmente mudar suas práticas pedagógicas.

      As dificuldades encontradas não devem ser usadas como obstáculos para o não
uso das novas tecnologias. O professor precisa estar disposto a aprender a manipular, a
utilizar com naturalidade estes recursos, aprendendo a trabalhar com o computador em
sua prática cotidiana. Os docentes entrevistados deixaram clara a insegurança na hora da
utilização da informática com os alunos, porém esta insegurança só será sanada a partir
do momento que houver apropriação/domínio dos instrumentos tecnológicos.
12

       Trabalhar com informática requer atualização constante. A formação docente deve
propiciar uma visão ampla das funções como educador e não somente aquisição de
técnicas de ensino, os mesmos devem estar preparados para participar no processo
educativo como auxiliar de formação, apoiando as iniciativas e atividades desenvolvidas.

       Para Santos (2010), o educador deve adquirir competências e conhecimentos para
avaliar as capacidades técnicas da tecnologia. A formação do educador deverá estar
voltada ao saber utilizar os instrumentos, mas principalmente saber como e quando
utilizá-los.

       A adaptação da informática a educação depende de como será utilizada a
ferramenta de apoio, o computador, que dará suporte as matérias e conteúdos
preparados, assim como, tem a função de preparar os alunos para uma sociedade
informatizada.

       A introdução de novos projetos, principalmente na educação, inicialmente é
polêmico e muitas vezes problemático, foi o que aconteceu com a informática implantada
sem maiores conhecimentos, simplesmente porque que estava na moda, porém no
momento de colocar em prática quem iria trabalhar? O que fazer com estas aulas ou o
que trabalhar nestas aulas? O trabalho inicial se baseou em apenas estar em contato com
a ferramenta e a formação tecnológica do sujeito para uma vida profissional na sociedade.

       Com o passar do tempo, é que foi percebido pelas escolas o potencial da
ferramenta (computador), então foi introduzida a informática educativa com o objetivo de
servir de apoio às disciplinas e conteúdos lecionados. Entretanto continua a servir como
um elo entre as demais disciplinas, ou seja, é um instrumento de apoio.

       A informática é peça principal nos dias de hoje, porém vê-la como simples
ferramenta é ignorar sua atuação em nossas vidas. Grande parte das escolas ignora as
tendências tecnológicas da qual fazemos parte, quando deveriam levar a tecnologia para
toda a escola, deixam fixa em uma sala, com horários determinados, sob
responsabilidade exclusiva de um professor. Diminuindo assim a qualidade do ensino,
interrompendo o processo de desenvolvimento da escola como um todo, quando a
finalidade é a de fortalecer o processo pedagógico.

        Observa-se que na escola em que os professores entrevistados atuam, a
informática é utilizada como descrito acima, ou seja, em uma sala exclusiva, com um
13

monitor que faz o acompanhamento das atividades proposta pelo professor, responsável
pela turma que está utilizando o laboratório para realizar seus trabalhados. Dos docentes
entrevistados, 75% deles, solicitam o auxílio do monitor durante o desenvolvimento das
atividades de informática, sendo assim a freqüência dos alunos no laboratório é semanal
ou quinzenal, conforme a disponibilidade do monitor que segue um cronograma de
atendimento aos alunos da Escola, ou seja, turmas de Pré nível A, à 8º série.

        A tecnologia trabalhada desta forma interrompe o processo pedagógico e o
desenvolvimento da aprendizagem do aluno, que ocorre de maneira fragmentada,
delimitando o conhecimento da informática como acontece com as demais disciplinas,

                      a organização curricular das disciplinas coloca-as como realidades estanques,
                     sem interconexão alguma, dificultando para os alunos a compreensão do
                     conhecimento como um todo integrado, a construção de uma cosmovisão
                     abrangente que lhes permita uma percepção totalizante da realidade (GALLO
                     apud LOPES, 2010, p.01).


        A tecnologia deveria ser usada como ferramenta de apoio no processo de reflexão
e construção do conhecimento, sobretudo como estratégia cognitiva de aprendizagem e
não como um fim em si mesmo. A informática deve habilitar e oportunizar a busca de
novos    conhecimentos,     facilitando    o    processo      ensino/aprendizagem          para     um
desenvolvimento integral do sujeito. Frente a esta situação, o professor precisará refletir
sua prática e criar novas formas de agir. Para que isto ocorra o professor precisará ir ao
laboratório dar suas aulas e não deixar sob responsabilidade de outros. O educador
precisa se apropriar dessa tecnologia para poder introduzir em sua sala de aula, mas para
que esta apropriação ocorra é preciso:

                     Mobilizar o corpo docente da escola a se preparar para o uso do Laboratório de
                     Informática na sua prática diária de ensino-aprendizagem. Não se trata, portanto,
                     de fazer do professor um especialista em Informática, mas de criar condições para
                     que se aproprie dentro do processo de construção de sua competência, da
                     utilização gradativa dos referidos recursos informatizados: somente tal apropriação
                     da utilização da tecnologia pelos educadores poderá gerar novas possibilidades
                     de sua utilização educacional (FRÖES apud LOPES, 2010, p. 02).

        Se o uso do computador tem como objetivo ser um agente transformador do
ensino, o professor precisa estar capacitado para assumir o papel de facilitador da
construção do conhecimento e não como mero transmissor de informações.
14

CONCLUSÃO

      A informática surgiu provocando mudanças no sistema educacional, assim como na
formação profissional. Com base na pesquisa realizada com os Professores dos Anos
Iniciais podemos perceber que a maioria dos profissionais da Escola pesquisada estão
utilizando a ferramenta tecnológica no seu trabalho docente, porém necessitam do auxílio
do monitor para desenvolver as atividades propostas. A insegurança e a falta de formação
na área levam os educadores pesquisados a utilizar a ferramenta como instrumento para
pesquisa, buscando apenas informações, enquanto deveria ser usada como ferramenta
de interação do sujeito com o objeto de aprendizagem, proporcionando a construção do
conhecimento.
      O professor na sua maioria não tem o domínio da ferramenta tecnológica, também
não estão recebendo formação continuada na área, há certo comodismo ou medo do
novo, porém para aprender a manipular e a vencer os obstáculos, deve-se estar disposto
a se apropriar/dominar a tecnologia. O currículo escolar como se apresenta dificulta o
trabalho integrado entre as disciplinas, assim como, para o aluno, a compreensão do
conhecimento na sua totalidade não acontece, pois o mesmo se apresenta de forma
estanque, sem conexão entre os assuntos trabalhados nas diferentes áreas.




REFERÊNCIAS

GALIAZZI, Maria do C. Aprender em rede na Educação em Ciências. Ijuí: Unijuí, 2008.

SUA PESQISA.COM. Informática na Educação: As aplicações dos recursos de
informática na educação, uso da internet, softwares educacionais. Disponível em:
http://www.suapesquisa.com/educacaoesportes/informatica_educacao.htm>. Acessado em: 05
jul. 2010.

JORNAL Metodista. A evolução das novas tecnologias na Educação. Disponível em:
<http://www.metodista.br/jornal-metodista/78/a-evolucao-das-novas-tecnologias-na-educacao/>.
Acesso em: 15 de jul. 2010.

LOPES, José Junio. A introdução da informática no ambiente escolar. Disponível em:
<http://www.clubedoprofessor.com.br/artigos/artigojunio.htm>. Acesso em: 15 jul. 2010.
 LUFT, Celso Pedro. Pequeno dicionário da Língua Portuguesa. São Paulo: Scipione,
1984.
15

MORAN, José Manuel. Mudar a forma de ensinar e de aprender com tecnologias
Transformar as aulas em pesquisa e comunicação presencial-virtual. Disponível em:
<http://www.eca.usp.br/PROF/MORAN/UBER.HTM>. Acessado em: 15 jul. 2010.

ROCHA, Sinara Socorro Duarte. O uso do computador: a Informática Educativa.
Disponível em: <http://www.espacoacademico.com.br/085/85rocha.htm>. Acesso em: 22
nov, 2010.

SILVA, Francisca Nilde G. da. Informática na educação: a utilização da informática como
recurso pedagógico nas séries iniciais. Disponível em: <http://br.monografias.com/trabalhos3/
informatica-educacao-recurso-pedagogico/informatica-educacao-recurso-pedagogico2.shtml>.
Acesso em: 06 ago. 2010.

SANTOS, Henrique. A atitude do educador face às novas tecnologias. Disponível em:
<http://hen.no.sapo.pt/comunacoes/PDF/atitude_ed.pdf>. Acesso em: 15 jul. 2010.

VALENTE, José A. O computador auxiliando o processo de mudanças na escola.
Disponível em: <http://www.nte-jgs.rct-sc.br/valente.htm>. Acesso em: 05 jul. 2010.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Tecnologias educativas
Tecnologias educativasTecnologias educativas
Tecnologias educativas
a46180
 
A importância da informática na educação para o
A importância da informática na educação para oA importância da informática na educação para o
A importância da informática na educação para o
Alyne Malveira
 
Inf. Pedagógica - Prof. Lis
Inf. Pedagógica - Prof. LisInf. Pedagógica - Prof. Lis
Inf. Pedagógica - Prof. Lis
Carmina Monteiro
 
InformáTica Educativa
InformáTica EducativaInformáTica Educativa
InformáTica Educativa
Freiredg
 
O uso do Computador na Educação a Informatica Educativa
O uso do Computador na Educação a Informatica EducativaO uso do Computador na Educação a Informatica Educativa
O uso do Computador na Educação a Informatica Educativa
Richard Reinaldo
 
Módulo 15 informática aplicada educação
Módulo 15   informática aplicada educaçãoMódulo 15   informática aplicada educação
Módulo 15 informática aplicada educação
Vilma Ferraz Jóta Novaes
 
Informatica educativa
Informatica educativaInformatica educativa
Informatica educativa
vanessavsp
 
O LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA: construção de uma nova prática de aprendizagem
O LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA: construção de uma nova  prática  de aprendizagemO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA: construção de uma nova  prática  de aprendizagem
O LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA: construção de uma nova prática de aprendizagem
Marcelo Cordeiro Souza
 
Apresentação sobre informática e educação
Apresentação sobre informática e educaçãoApresentação sobre informática e educação
Apresentação sobre informática e educação
lais_ribeiro03
 
Grupo Alfadigitação - UERJ - Pedagogia - terceiro período.
Grupo Alfadigitação - UERJ - Pedagogia - terceiro período.Grupo Alfadigitação - UERJ - Pedagogia - terceiro período.
Grupo Alfadigitação - UERJ - Pedagogia - terceiro período.
dupret
 
Plano de aula informática avançada marta magda
Plano de aula informática avançada marta magdaPlano de aula informática avançada marta magda
Plano de aula informática avançada marta magda
Diana Rocha
 
Plano de Ação - Laboratório de Informática - Ensino Fundamental I
Plano de Ação - Laboratório de Informática - Ensino Fundamental IPlano de Ação - Laboratório de Informática - Ensino Fundamental I
Plano de Ação - Laboratório de Informática - Ensino Fundamental I
Moisés Ferreira Barreto
 
Informatica Na Educacao
Informatica Na EducacaoInformatica Na Educacao
Informatica Na Educacao
Carlos Castro
 
Informática aplicada a educação
Informática aplicada a educaçãoInformática aplicada a educação
Informática aplicada a educação
Naysa Taboada
 
18 10 o-uso_da_informatica_na_educacao
18 10 o-uso_da_informatica_na_educacao18 10 o-uso_da_informatica_na_educacao
18 10 o-uso_da_informatica_na_educacao
Rigo Rodrigues
 
Apresentacao final26 07 ok_cecilia
Apresentacao final26 07 ok_ceciliaApresentacao final26 07 ok_cecilia
Apresentacao final26 07 ok_cecilia
introdutecdigital
 
Laboratorio de informatica
Laboratorio de informaticaLaboratorio de informatica
Laboratorio de informatica
Deusirene Magalhaes
 

Mais procurados (17)

Tecnologias educativas
Tecnologias educativasTecnologias educativas
Tecnologias educativas
 
A importância da informática na educação para o
A importância da informática na educação para oA importância da informática na educação para o
A importância da informática na educação para o
 
Inf. Pedagógica - Prof. Lis
Inf. Pedagógica - Prof. LisInf. Pedagógica - Prof. Lis
Inf. Pedagógica - Prof. Lis
 
InformáTica Educativa
InformáTica EducativaInformáTica Educativa
InformáTica Educativa
 
O uso do Computador na Educação a Informatica Educativa
O uso do Computador na Educação a Informatica EducativaO uso do Computador na Educação a Informatica Educativa
O uso do Computador na Educação a Informatica Educativa
 
Módulo 15 informática aplicada educação
Módulo 15   informática aplicada educaçãoMódulo 15   informática aplicada educação
Módulo 15 informática aplicada educação
 
Informatica educativa
Informatica educativaInformatica educativa
Informatica educativa
 
O LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA: construção de uma nova prática de aprendizagem
O LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA: construção de uma nova  prática  de aprendizagemO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA: construção de uma nova  prática  de aprendizagem
O LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA: construção de uma nova prática de aprendizagem
 
Apresentação sobre informática e educação
Apresentação sobre informática e educaçãoApresentação sobre informática e educação
Apresentação sobre informática e educação
 
Grupo Alfadigitação - UERJ - Pedagogia - terceiro período.
Grupo Alfadigitação - UERJ - Pedagogia - terceiro período.Grupo Alfadigitação - UERJ - Pedagogia - terceiro período.
Grupo Alfadigitação - UERJ - Pedagogia - terceiro período.
 
Plano de aula informática avançada marta magda
Plano de aula informática avançada marta magdaPlano de aula informática avançada marta magda
Plano de aula informática avançada marta magda
 
Plano de Ação - Laboratório de Informática - Ensino Fundamental I
Plano de Ação - Laboratório de Informática - Ensino Fundamental IPlano de Ação - Laboratório de Informática - Ensino Fundamental I
Plano de Ação - Laboratório de Informática - Ensino Fundamental I
 
Informatica Na Educacao
Informatica Na EducacaoInformatica Na Educacao
Informatica Na Educacao
 
Informática aplicada a educação
Informática aplicada a educaçãoInformática aplicada a educação
Informática aplicada a educação
 
18 10 o-uso_da_informatica_na_educacao
18 10 o-uso_da_informatica_na_educacao18 10 o-uso_da_informatica_na_educacao
18 10 o-uso_da_informatica_na_educacao
 
Apresentacao final26 07 ok_cecilia
Apresentacao final26 07 ok_ceciliaApresentacao final26 07 ok_cecilia
Apresentacao final26 07 ok_cecilia
 
Laboratorio de informatica
Laboratorio de informaticaLaboratorio de informatica
Laboratorio de informatica
 

Destaque

Studentguideunit2
Studentguideunit2Studentguideunit2
Studentguideunit2
amberanderson
 
Cómo hacer un ensayo
Cómo hacer un ensayoCómo hacer un ensayo
Cómo hacer un ensayo
Uniminuto - San Francisco
 
Capitulo 9 & 10 del pmbok grupo #5
Capitulo 9 & 10 del pmbok grupo #5Capitulo 9 & 10 del pmbok grupo #5
Capitulo 9 & 10 del pmbok grupo #5
Melvin Jáquez
 
Equipos Inalambricos
Equipos InalambricosEquipos Inalambricos
Equipos Inalambricos
dany alexis
 
Description CDMA
Description CDMADescription CDMA
Description CDMA
Max Benana
 
Análisis de textos publicitarios
Análisis de textos publicitariosAnálisis de textos publicitarios
Análisis de textos publicitarios
Daniela Escobar
 
Coevolucion
CoevolucionCoevolucion
Coevolucion
José Miguel Palma
 

Destaque (7)

Studentguideunit2
Studentguideunit2Studentguideunit2
Studentguideunit2
 
Cómo hacer un ensayo
Cómo hacer un ensayoCómo hacer un ensayo
Cómo hacer un ensayo
 
Capitulo 9 & 10 del pmbok grupo #5
Capitulo 9 & 10 del pmbok grupo #5Capitulo 9 & 10 del pmbok grupo #5
Capitulo 9 & 10 del pmbok grupo #5
 
Equipos Inalambricos
Equipos InalambricosEquipos Inalambricos
Equipos Inalambricos
 
Description CDMA
Description CDMADescription CDMA
Description CDMA
 
Análisis de textos publicitarios
Análisis de textos publicitariosAnálisis de textos publicitarios
Análisis de textos publicitarios
 
Coevolucion
CoevolucionCoevolucion
Coevolucion
 

Semelhante a Sobradinho - Clair Batista da Silva

Uso do computador na educacao
Uso do computador na educacaoUso do computador na educacao
Uso do computador na educacao
Ana Rato 46016
 
Uso do computador na educacao
Uso do computador na educacaoUso do computador na educacao
Uso do computador na educacao
1983marlene
 
Uso do computador na Educação
Uso do computador na EducaçãoUso do computador na Educação
Uso do computador na Educação
Ana Paula Campos
 
Projeto LaboratóRio De InformáTica Educacional
Projeto LaboratóRio De InformáTica EducacionalProjeto LaboratóRio De InformáTica Educacional
Projeto LaboratóRio De InformáTica Educacional
norbertoschwantes
 
Informática slides ótimo
Informática  slides ótimoInformática  slides ótimo
Informática slides ótimo
adrianagranzotto
 
O Uso do Computador Nas Escolas Brasileiras Como Recurso ´Pedagógico
O Uso do Computador Nas Escolas Brasileiras Como Recurso ´PedagógicoO Uso do Computador Nas Escolas Brasileiras Como Recurso ´Pedagógico
O Uso do Computador Nas Escolas Brasileiras Como Recurso ´Pedagógico
PROFIGESTÃO - Profissionais em Gestão de Empresas e Pessoas
 
Santana do Livramento - Sabrina Luciana Sonego Farias
Santana do Livramento - Sabrina Luciana Sonego FariasSantana do Livramento - Sabrina Luciana Sonego Farias
Santana do Livramento - Sabrina Luciana Sonego Farias
CursoTICs
 
Santana do Livramento - Maria Francisca Ilha Hardem Neves
Santana do Livramento - Maria Francisca Ilha Hardem NevesSantana do Livramento - Maria Francisca Ilha Hardem Neves
Santana do Livramento - Maria Francisca Ilha Hardem Neves
CursoTICs
 
Informática na educação trabalho revisado- grupo-fátima, cristina, mariana e...
Informática na educação  trabalho revisado- grupo-fátima, cristina, mariana e...Informática na educação  trabalho revisado- grupo-fátima, cristina, mariana e...
Informática na educação trabalho revisado- grupo-fátima, cristina, mariana e...
Cris Amaral
 
Informática na educação trabalho revisado- grupo-fátima, cristina, mariana e...
Informática na educação  trabalho revisado- grupo-fátima, cristina, mariana e...Informática na educação  trabalho revisado- grupo-fátima, cristina, mariana e...
Informática na educação trabalho revisado- grupo-fátima, cristina, mariana e...
Cris Amaral
 
Proposta Pedagógica para o Laboratório de informática educativa
Proposta Pedagógica para o Laboratório de informática educativaProposta Pedagógica para o Laboratório de informática educativa
Proposta Pedagógica para o Laboratório de informática educativa
Jocilaine Moreira
 
Proposta pedagógica para o laboratório de informática educativa
Proposta pedagógica para o laboratório de informática educativaProposta pedagógica para o laboratório de informática educativa
Proposta pedagógica para o laboratório de informática educativa
Jocilaine Moreira
 
Educador digital
Educador digitalEducador digital
Educador digital
Suely Santos
 
Educador digital
Educador digitalEducador digital
Educador digital
Suely Santos
 
Trabalho 4
Trabalho 4Trabalho 4
Trabalho 4
Gustavo Coutinho
 
Trabalho 4
Trabalho 4Trabalho 4
Trabalho 4
Gustavo Coutinho
 
Informatica na Educaçao
Informatica na EducaçaoInformatica na Educaçao
Informatica na Educaçao
Escola Estadual de Conquista
 
A Importância da Capacitação dos Funcionários da Área Educativa e os Seus Papéis
A Importância da Capacitação dos Funcionários da Área Educativa e os Seus PapéisA Importância da Capacitação dos Funcionários da Área Educativa e os Seus Papéis
A Importância da Capacitação dos Funcionários da Área Educativa e os Seus Papéis
PROFIGESTÃO - Profissionais em Gestão de Empresas e Pessoas
 
Informatica entrevista final1
Informatica entrevista final1Informatica entrevista final1
Informatica entrevista final1
Cris Amaral
 
LaboratóRio De InformáTica Educacional Resumo
LaboratóRio De InformáTica Educacional   ResumoLaboratóRio De InformáTica Educacional   Resumo
LaboratóRio De InformáTica Educacional Resumo
norbertoschwantes
 

Semelhante a Sobradinho - Clair Batista da Silva (20)

Uso do computador na educacao
Uso do computador na educacaoUso do computador na educacao
Uso do computador na educacao
 
Uso do computador na educacao
Uso do computador na educacaoUso do computador na educacao
Uso do computador na educacao
 
Uso do computador na Educação
Uso do computador na EducaçãoUso do computador na Educação
Uso do computador na Educação
 
Projeto LaboratóRio De InformáTica Educacional
Projeto LaboratóRio De InformáTica EducacionalProjeto LaboratóRio De InformáTica Educacional
Projeto LaboratóRio De InformáTica Educacional
 
Informática slides ótimo
Informática  slides ótimoInformática  slides ótimo
Informática slides ótimo
 
O Uso do Computador Nas Escolas Brasileiras Como Recurso ´Pedagógico
O Uso do Computador Nas Escolas Brasileiras Como Recurso ´PedagógicoO Uso do Computador Nas Escolas Brasileiras Como Recurso ´Pedagógico
O Uso do Computador Nas Escolas Brasileiras Como Recurso ´Pedagógico
 
Santana do Livramento - Sabrina Luciana Sonego Farias
Santana do Livramento - Sabrina Luciana Sonego FariasSantana do Livramento - Sabrina Luciana Sonego Farias
Santana do Livramento - Sabrina Luciana Sonego Farias
 
Santana do Livramento - Maria Francisca Ilha Hardem Neves
Santana do Livramento - Maria Francisca Ilha Hardem NevesSantana do Livramento - Maria Francisca Ilha Hardem Neves
Santana do Livramento - Maria Francisca Ilha Hardem Neves
 
Informática na educação trabalho revisado- grupo-fátima, cristina, mariana e...
Informática na educação  trabalho revisado- grupo-fátima, cristina, mariana e...Informática na educação  trabalho revisado- grupo-fátima, cristina, mariana e...
Informática na educação trabalho revisado- grupo-fátima, cristina, mariana e...
 
Informática na educação trabalho revisado- grupo-fátima, cristina, mariana e...
Informática na educação  trabalho revisado- grupo-fátima, cristina, mariana e...Informática na educação  trabalho revisado- grupo-fátima, cristina, mariana e...
Informática na educação trabalho revisado- grupo-fátima, cristina, mariana e...
 
Proposta Pedagógica para o Laboratório de informática educativa
Proposta Pedagógica para o Laboratório de informática educativaProposta Pedagógica para o Laboratório de informática educativa
Proposta Pedagógica para o Laboratório de informática educativa
 
Proposta pedagógica para o laboratório de informática educativa
Proposta pedagógica para o laboratório de informática educativaProposta pedagógica para o laboratório de informática educativa
Proposta pedagógica para o laboratório de informática educativa
 
Educador digital
Educador digitalEducador digital
Educador digital
 
Educador digital
Educador digitalEducador digital
Educador digital
 
Trabalho 4
Trabalho 4Trabalho 4
Trabalho 4
 
Trabalho 4
Trabalho 4Trabalho 4
Trabalho 4
 
Informatica na Educaçao
Informatica na EducaçaoInformatica na Educaçao
Informatica na Educaçao
 
A Importância da Capacitação dos Funcionários da Área Educativa e os Seus Papéis
A Importância da Capacitação dos Funcionários da Área Educativa e os Seus PapéisA Importância da Capacitação dos Funcionários da Área Educativa e os Seus Papéis
A Importância da Capacitação dos Funcionários da Área Educativa e os Seus Papéis
 
Informatica entrevista final1
Informatica entrevista final1Informatica entrevista final1
Informatica entrevista final1
 
LaboratóRio De InformáTica Educacional Resumo
LaboratóRio De InformáTica Educacional   ResumoLaboratóRio De InformáTica Educacional   Resumo
LaboratóRio De InformáTica Educacional Resumo
 

Mais de CursoTICs

Três de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
Três de Maio - Terezinha Nilza ZawatskiTrês de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
Três de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
CursoTICs
 
Três de Maio - Solange Backes
Três de Maio - Solange BackesTrês de Maio - Solange Backes
Três de Maio - Solange Backes
CursoTICs
 
Três de Maio - Simone Raquel Frank
Três de Maio - Simone Raquel FrankTrês de Maio - Simone Raquel Frank
Três de Maio - Simone Raquel Frank
CursoTICs
 
Três de Maio - Osmar Sipmann
Três de Maio - Osmar SipmannTrês de Maio - Osmar Sipmann
Três de Maio - Osmar Sipmann
CursoTICs
 
Três de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
Três de Maio - Nilda Clair de Souza BinnTrês de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
Três de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
CursoTICs
 
Três de Maio - Mercia Maria Vogel
Três de Maio - Mercia Maria VogelTrês de Maio - Mercia Maria Vogel
Três de Maio - Mercia Maria Vogel
CursoTICs
 
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso TuzzinTrês de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
CursoTICs
 
Três de Maio - Laenir Ana Busanello Sipmann
Três de Maio - Laenir Ana Busanello SipmannTrês de Maio - Laenir Ana Busanello Sipmann
Três de Maio - Laenir Ana Busanello Sipmann
CursoTICs
 
Três de Maio - Kerly Jussana Backes
Três de Maio - Kerly Jussana BackesTrês de Maio - Kerly Jussana Backes
Três de Maio - Kerly Jussana Backes
CursoTICs
 
Três de Maio - Flávia Hitomi Takei de Mattos
Três de Maio - Flávia Hitomi Takei de MattosTrês de Maio - Flávia Hitomi Takei de Mattos
Três de Maio - Flávia Hitomi Takei de Mattos
CursoTICs
 
Três de Maio - Emilene Andréa Eichelberger
Três de Maio - Emilene Andréa EichelbergerTrês de Maio - Emilene Andréa Eichelberger
Três de Maio - Emilene Andréa Eichelberger
CursoTICs
 
Três de Maio - Claudenir Beatriz Grizotti
Três de Maio - Claudenir Beatriz GrizottiTrês de Maio - Claudenir Beatriz Grizotti
Três de Maio - Claudenir Beatriz Grizotti
CursoTICs
 
Três de Maio - Arlete Justina Monegat Hamerski
Três de Maio - Arlete Justina Monegat HamerskiTrês de Maio - Arlete Justina Monegat Hamerski
Três de Maio - Arlete Justina Monegat Hamerski
CursoTICs
 
Três de Maio - Taísa Soares Valdameri
Três de Maio - Taísa Soares ValdameriTrês de Maio - Taísa Soares Valdameri
Três de Maio - Taísa Soares Valdameri
CursoTICs
 
Sobradinho - Simoni Timm Hermes
Sobradinho - Simoni Timm HermesSobradinho - Simoni Timm Hermes
Sobradinho - Simoni Timm Hermes
CursoTICs
 
Sobradinho - Saionara Carlotto da Silva
Sobradinho - Saionara Carlotto da SilvaSobradinho - Saionara Carlotto da Silva
Sobradinho - Saionara Carlotto da Silva
CursoTICs
 
Sobradinho - Rômulo Limberger da Silva
Sobradinho - Rômulo Limberger da SilvaSobradinho - Rômulo Limberger da Silva
Sobradinho - Rômulo Limberger da Silva
CursoTICs
 
Sobradinho - Marcele Lazzari
Sobradinho - Marcele LazzariSobradinho - Marcele Lazzari
Sobradinho - Marcele Lazzari
CursoTICs
 
Sobradinho - Luciano Machado
Sobradinho - Luciano MachadoSobradinho - Luciano Machado
Sobradinho - Luciano Machado
CursoTICs
 
Sobradinho - Larissa Perobelli Rech
Sobradinho - Larissa Perobelli RechSobradinho - Larissa Perobelli Rech
Sobradinho - Larissa Perobelli Rech
CursoTICs
 

Mais de CursoTICs (20)

Três de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
Três de Maio - Terezinha Nilza ZawatskiTrês de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
Três de Maio - Terezinha Nilza Zawatski
 
Três de Maio - Solange Backes
Três de Maio - Solange BackesTrês de Maio - Solange Backes
Três de Maio - Solange Backes
 
Três de Maio - Simone Raquel Frank
Três de Maio - Simone Raquel FrankTrês de Maio - Simone Raquel Frank
Três de Maio - Simone Raquel Frank
 
Três de Maio - Osmar Sipmann
Três de Maio - Osmar SipmannTrês de Maio - Osmar Sipmann
Três de Maio - Osmar Sipmann
 
Três de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
Três de Maio - Nilda Clair de Souza BinnTrês de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
Três de Maio - Nilda Clair de Souza Binn
 
Três de Maio - Mercia Maria Vogel
Três de Maio - Mercia Maria VogelTrês de Maio - Mercia Maria Vogel
Três de Maio - Mercia Maria Vogel
 
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso TuzzinTrês de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
Três de Maio - Maria Iraci Cardoso Tuzzin
 
Três de Maio - Laenir Ana Busanello Sipmann
Três de Maio - Laenir Ana Busanello SipmannTrês de Maio - Laenir Ana Busanello Sipmann
Três de Maio - Laenir Ana Busanello Sipmann
 
Três de Maio - Kerly Jussana Backes
Três de Maio - Kerly Jussana BackesTrês de Maio - Kerly Jussana Backes
Três de Maio - Kerly Jussana Backes
 
Três de Maio - Flávia Hitomi Takei de Mattos
Três de Maio - Flávia Hitomi Takei de MattosTrês de Maio - Flávia Hitomi Takei de Mattos
Três de Maio - Flávia Hitomi Takei de Mattos
 
Três de Maio - Emilene Andréa Eichelberger
Três de Maio - Emilene Andréa EichelbergerTrês de Maio - Emilene Andréa Eichelberger
Três de Maio - Emilene Andréa Eichelberger
 
Três de Maio - Claudenir Beatriz Grizotti
Três de Maio - Claudenir Beatriz GrizottiTrês de Maio - Claudenir Beatriz Grizotti
Três de Maio - Claudenir Beatriz Grizotti
 
Três de Maio - Arlete Justina Monegat Hamerski
Três de Maio - Arlete Justina Monegat HamerskiTrês de Maio - Arlete Justina Monegat Hamerski
Três de Maio - Arlete Justina Monegat Hamerski
 
Três de Maio - Taísa Soares Valdameri
Três de Maio - Taísa Soares ValdameriTrês de Maio - Taísa Soares Valdameri
Três de Maio - Taísa Soares Valdameri
 
Sobradinho - Simoni Timm Hermes
Sobradinho - Simoni Timm HermesSobradinho - Simoni Timm Hermes
Sobradinho - Simoni Timm Hermes
 
Sobradinho - Saionara Carlotto da Silva
Sobradinho - Saionara Carlotto da SilvaSobradinho - Saionara Carlotto da Silva
Sobradinho - Saionara Carlotto da Silva
 
Sobradinho - Rômulo Limberger da Silva
Sobradinho - Rômulo Limberger da SilvaSobradinho - Rômulo Limberger da Silva
Sobradinho - Rômulo Limberger da Silva
 
Sobradinho - Marcele Lazzari
Sobradinho - Marcele LazzariSobradinho - Marcele Lazzari
Sobradinho - Marcele Lazzari
 
Sobradinho - Luciano Machado
Sobradinho - Luciano MachadoSobradinho - Luciano Machado
Sobradinho - Luciano Machado
 
Sobradinho - Larissa Perobelli Rech
Sobradinho - Larissa Perobelli RechSobradinho - Larissa Perobelli Rech
Sobradinho - Larissa Perobelli Rech
 

Último

Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
helenawaya9
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Falcão Brasil
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Falcão Brasil
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
Falcão Brasil
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
Marcelo Botura
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
Ceiça Martins Vital
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Falcão Brasil
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Falcão Brasil
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
Falcão Brasil
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
ProfessoraSilmaraArg
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
portaladministradores
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
Manuais Formação
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Luzia Gabriele
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Falcão Brasil
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Falcão Brasil
 

Último (20)

Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptxAdministração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
Administração Em Enfermagem.pptx caala - Cópia-1.pptx
 
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdfPortfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
Portfólio Estratégico da Força Aérea Brasileira (FAB).pdf
 
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptxSlides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
Slides Lição 3, Betel, A relevância da Igreja no cumprimento de sua Missão.pptx
 
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdfEscola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR).pdf
 
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdfA Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
A Atuação das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem (GLO).pdf
 
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?O que é  o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
O que é o programa nacional de alimentação escolar (PNAE)?
 
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdfP0107 do aluno da educação municipal.pdf
P0107 do aluno da educação municipal.pdf
 
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdfEscola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).pdf
 
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
Endereços — Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia - ...
 
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdfA Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
A Guerra do Presente - Ministério da Defesa.pdf
 
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdfAula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
Aula 3 CURSO LETRANDO (classes gramaticais).pdf
 
Elogio da Saudade .
Elogio da Saudade                          .Elogio da Saudade                          .
Elogio da Saudade .
 
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdfAPRESENTAÇÃO  CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
APRESENTAÇÃO CURSO FORMAÇÃO EXPERT EM MODERAÇÃO DE FOCUS GROUP.pdf
 
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
UFCD_7224_Prevenção de acidentes em contexto domiciliário e institucional_índ...
 
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsxQue Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
Que Pena Amor! Eugénio de Sá - Soneto.ppsx
 
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptxSlides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Slides Lição 3, CPAD, Rute e Noemi, Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
Aviação de Reconhecimento e Ataque na FAB. A Saga dos Guerreiros Polivalentes...
 
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdfOs Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
Os Setores Estratégicos da END - O Setor Cibernético.pdf
 

Sobradinho - Clair Batista da Silva

  • 1. Universidade Federal de Santa Maria - UFSM Educação a Distância da UFSM - EAD Projeto Universidade Aberta do Brasil - UAB Especialização em Tecnologias da Informação e da Comunicação Aplicadas à Educação PÓLO: Sobradinho DISCIPLINA: Elaboração de Artigo Científico PROFESSOR ORIENTADOR: Elias Burin 04/01/2011 Uso das tecnologias educacionais no trabalho docente dos professores dos Anos Iniciais: estudo de caso Use of technology in the teaching work of teacher of initial years: a case study SILVA, Clair Batista da Especialista em Metodologia de Ensino - Faculdades Integradas de Amparo – São Paulo RESUMO: Este trabalho busca analisar, através de pesquisa de campo, com professores dos Anos Iniciais da Escola Municipal de Ensino Fundamental Seomar Mainardi, o uso das tecnologias educacionais, visto que vem sendo trabalhado/utilizado em todo o sistema educacional, porém a forma como está sendo utilizada trás questionamentos. Muitas vezes, o computador, está sendo utilizado como máquina de “ensinar”, ferramenta instrucionista, na busca de informação, raramente é usado como ferramenta pedagógica. Professores inseguros, pouco conhecimento do uso da ferramenta tecnológica, pouca ou quase nenhuma prática com o computador, os Professores dos Anos Iniciais não recebem formação continuada para a realização de um trabalho pedagógico mais eficiente envolvendo a tecnologia. PALAVRAS-CHAVE: Educadores, tecnologia, ferramenta pedagógica
  • 2. 2 Abstract: This article search to analyze through field research with teachers of initial years of the Elementary School Seomar Mainardi, the use of educational technology as it is being used in the whole educational system, however the way it is being used, brings doubts. Many times the computer is being used as machine to teach, instructional tool in the information search, rarely it is used as a teaching tool. Insecure teachers, little knowledge of the use of technological tools, a little or almost no practice with the computer, the teachers from initial years don´t receive continuous training to the accomplishment of their pedagogical work more efficient evolving the technology. Key-words: teachers, technology, pedagogical tool INTRODUÇÃO A Informática, ciências do tratamento sistemático e eficiente, especialmente por meio de máquinas automáticas de informação, vistas como meio de conhecimento humano e servindo à comunicação de contexto técnico, econômico e social iria transformar a nossa sociedade. Está sendo utilizada de forma mais intensiva em nossas vidas. O computador já está se tornando acessível a população de todas as classes sociais. Portanto todas as áreas já estão fazendo uso deste instrumento o que significa que todos terão que aprender a conviver com a informática tanto na vida social quanto profissional. Na área da educação surge o termo informática que é a junção dos vocábulos informação + automática formando assim, conforme definição encontrada no LUFT “conjunto de conhecimentos e técnicas ligadas ao tratamento racional e automático de informação, o qual se encontra associado a utilização de computadores e respectivos programas” (LUFT, 2006, p.365). Segundo Rocha (2008), estudiosos do assunto definem o computador como “máquina que possibilita testar idéias ou hipóteses, que levam à criação de um mundo abstrato e simbólico,...”. O computador está assumindo diversas funções. Como ferramenta de trabalho está contribuindo para o aumento da produção, diminuindo custos e melhorando a qualidade dos produtos e serviços. Também usado como ferramenta de entretenimento com muitas possibilidades. O surgimento da internet possibilitou ultrapassar fronteiras físicas, pois é possível conversar e conhecer pessoas de todos os lugares sem sair de casa, ouvir música,
  • 3. 3 assistir vídeo, pagar contas, ver fotos, digitar textos, participar de bate-papos virtuais, entre outros. O computador é considerado um instrumento com grande capacidade de armazenamento de dados, com facilidade de manipulação, porém não é uma ferramenta desenvolvida para fins pedagógicos, por isso deve-se ter um olhar crítico, buscando através das teorias e práticas pedagógicas o bom uso desse recurso. Esta ferramenta terá êxito na educação, se for utilizada de forma a propiciar acesso rápido ao conhecimento e não, somente como meio de entretenimento, armazenamento de dados e ou como máquina de escrever. É necessário usá-lo como tecnologia para uma educação dinâmica, auxiliando professores e alunos para que ocorra uma aprendizagem mais significativa, não esquecendo que o computador deve ser usado de forma adequada e significativa, pois Informática Educativa não tem relação com aulas de computação. Conforme colocações de Rocha (2008), as escolas estão introduzindo em seus currículos escolares o ensino de informática. Estas estão realizando investimentos em salas de informática, porém as mesmas estão sendo usadas pelos alunos para aulas de computação, as quais geralmente são acompanhadas por um monitor. Sendo assim, a utilização desta tecnologia não está contribuindo para uma aprendizagem significativa e nem mesmo proporcionando conhecimento. O que ocorre são aulas descontextualizadas das demais disciplinas e sem nenhuma concepção pedagógica. A nível de país cresce o número de escolas de informática que trabalham conceitos computacionais, noções de hardware. Surgem cursos na modalidade de tecnologias da Informação e comunicação, porém grande parte deles é voltado a formação tecnicista, esquecendo-se da educação cidadã. Os profissionais que atuam nestas escolas e cursos de informática têm pouco conhecimento de didática e das teorias pedagógicas, os resultados surgem na sala de aula quando usam práticas mecanicistas, tradicionais sem se preocuparem com a preparação, o desenvolvimento cognitivo do aluno. A prática da informática, com esta visão altera a função social da escola, pois deixa de contribuir para a construção do conhecimento e a troca entre sujeitos. A tecnologia a ser trabalhada na escola deve ter enfoque na informática educativa que se caracteriza por ser um instrumento a mais na sala de aula, o qual o professor pode usar como recurso para praticar, simular e vivenciar situações. O computador é a ferramenta pedagógica utilizada na Informática Educativa como auxiliar do processo de construção do conhecimento. Ele é um meio, um suporte à
  • 4. 4 aprendizagem, com várias possibilidades pedagógicas, porém é necessário reformular o currículo escolar, criando assim, novos modelos didáticos e metodológicos, repensando o verdadeiro significado da aprendizagem. A informática não é apenas um computador colocado em um laboratório da escola, simplesmente para conexão via internet ou para o uso de editor de texto como a maioria das vezes acontece. A informática deve ser vista pela escola como um meio/instrumento de apoio utilizado para as atividades realizadas pela sociedade. Ressaltam-se duas grandes áreas da informática: a técnica e a pedagógica. A informática técnica usada com um sistema de controle para algumas tarefas encontra-se planilhas, editores de texto que serve de apoio ao seu usuário. Já a informática pedagógica vai estar presente no trabalho de sala de aula, que será utilizada pelo professor como complemento de suas atividades desenvolvidas nas diferentes áreas do conhecimento. O uso de ferramentas simples e conhecidas pelo professor traz domínio e segurança na execução das tarefas. Por isso é importante a construção de projetos pedagógicos utilizando tecnologias conhecidas. Baseado neste contexto o presente artigo que está embasado em fundamentação teórica e estudo de caso, com professores dos Anos Iniciais, da Escola Municipal de Ensino Fundamental Seomar Mainardi, no que se refere ao uso da informática na educação. O uso de novas tecnologias no trabalho de sala de aula vem auxiliar as tarefas diárias que o professor exerce permitindo agir com maior qualidade. Os professores dos Anos Iniciais da referida Escola estão preparados para a utilização do laboratório de informática? A pouca utilização do laboratório de informática está relacionado com o pouco conhecimento na área da informática? O uso da informática nos projetos desenvolvidos pelos professores tem como finalidade apenas conexão a internet, editor de texto, jogos, ou é utilizado para auxiliar nas atividades desenvolvidas nas diferentes áreas do conhecimento? O uso da “informática na educação” tem recebido diversos significados conforme a visão educacional e do conhecimento pedagógico do professor que utiliza o computador? A Escola Seomar Mainardi está localizada em um Bairro de classe média-baixa, do Município de Sobradinho. A Escola recebe 260 alunos de Pré nível A (quatro anos) a
  • 5. 5 oitava séries, são oriundos de comunidades do interior, do próprio bairro e bairros próximos. Alunos de classe média-baixa, pais agricultores, assalariados, desempregados, comerciantes, funcionários públicos... A Escola possui Biblioteca, Laboratório de Informática, salas de aula, cozinha, secretaria, sala dos professores, sala da direção, quadra coberta, data show, material didático e pedagógico. No turno inverso oferece oficina de informática, grupo de dança e movimentos circense. METODOLOGIA A metodologia utilizada para este estudo de caso foi à aplicação de um questionário seguido de análise das respostas das Professoras dos Anos Inicias. A pesquisa serviu para observar como os mesmos estão utilizando a informática como ferramenta educacional no seu trabalho pedagógico com os alunos em sala de aula como a mesma pode auxiliar nas tarefas diárias que exercemos e que nos permite agir com maior qualidade. A pesquisa aplicada com os Professores dos Anos Iniciais da Escola Municipal de Ensino Fundamental Seomar Mainardi, localizada na Zona Urbana do Município de Sobradinho, esta representa a realidade da maioria das Escolas do Município com Ensino Fundamental Anos Iniciais. INFORMÁTICA NA EDUCAÇÃO A informática, no Brasil, foi introduzida na educação há algumas décadas, sendo que primeiramente nas Universidades. A partir da década de 80 a utilização com maior envolvimento, através de atividades, a informática adquiriu identidade própria, se tornou um meio de comunicação, de pesquisa muito utilizada no seu cotidiano, casas, trabalho, lazer... Nas escolas a informática chegou para ficar, cabendo aos professores se atualizarem para não ficarem para trás.
  • 6. 6 Sabemos que, nos dias de hoje, qualquer pessoa deveria, no mínimo, saber manipular um micro; infelizmente essa não é nossa realidade. Os professores atuais estudaram em uma época em que a informática não fazia parte do dia-a- dia, e, dentre os professores que estamos formando para o futuro, poucos estão sendo preparados para mudar essa realidade (LOPES, 2010, p.03). A escola precisa de profissionais capacitados e disponíveis a aprender essa nova tecnologia sem medo de ser substituído por computadores. È necessário haver integração entre o meio escolar e o professor, desenvolvendo com isso a sociabilidade do aluno e a familiarização do educador com a tecnologia. As transformações que a sociedade vem sofrendo, neste novo milênio, solicita mudanças no sistema educacional. O professor por sua vez, precisa deixar de ser mero transmissor de conhecimento, para ser a fonte de conhecimento, interagindo, desafiando, investigando e propondo pesquisas com os alunos, que irá desafiá-los, levá-los a investigar. O computador não mudará a educação, nem mesmo irá substituir a inteligência e a criatividade que são natos do ser humano, apenas contribui para o desenvolvimento. Conforme relato da professora/alfabetizadora a dificuldade em trabalhar e fazer uso da tecnologia em seu trabalho docente é falta de conhecimento em informática, de tempo que o projeto de alfabetização impõe e insegurança. A entrada da tecnologia na escola provocou mudanças de paradigmas. A informática oferece vários recursos que se for bem utilizado serve de suporte para desenvolver diversas atividades com os alunos. No entanto a escola segue padrões jesuíticos, em que o professor manda e o aluno obedece. Com a chegada da era digital o professor passa a ser “mediador” do processo de ensino-aprendizagem. Sendo assim, o educador não pode ter “medo” de deixar o aluno buscar seu próprio conhecimento, ser autônomo. Este trabalho exige uma nova postura da escola quanto à organização curricular, mas não só da escola, os profissionais da educação também precisam ter uma postura de busca e aperfeiçoamento para poder se sentir seguro frente ao novo. Conforme Rocha (2008), a máquina não irá substituir o profissional, porém necessita re-significar seu papel, sua identidade a partir do uso das novas abordagens pedagógicas que as tecnologias propiciam.
  • 7. 7 O trabalho disciplinar realizado nas escolas precisa ser revisto, o desafio hoje é concretizar as atividades interdisciplinares, por isso é necessário mudanças no currículo escolar, na maneira que o professor realiza/planeja seu trabalho pedagógico. Alguns professores, ainda que, de forma isolada, já estão inovando, propondo atividades que envolvem novas formas de organização, de planejamento. É importante que a escola gradativamente sofra transformações em seu planejamento curricular, de forma isolada isto já vem ocorrendo através de alguns professores, porém são rupturas que precisam buscar auto-afirmação por parte dos professores, pois ainda não dominam com total segurança estas mudanças curriculares. Para Vygotsky apud Silva (2010 p. 02), o sujeito possui um nível de alcance de suas possibilidades para isso é importante o papel do professor propiciando ajuda, assistência no desenvolvimento dos conteúdos. O computador é uma ferramenta importante neste processo de interação entre objeto de aprendizagem e o processo de ensino, tendo o professor como mediador. Por isso a importância dos professores dos anos iniciais trabalharem com informática nas suas aulas. Percebe-se através dos dados levantados com os cinco professores dos anos iniciais pesquisados, a grande maioria utiliza a informática como ferramenta pedagógica. L a b o r a t ó r io d e In f o r m á t ic a 20% U t iliz am o lab . d e inf . 80% N ão ut iliz am o lab . d e inf . Figura 1: Utilização do Laboratório de Informática pelos Professores A tecnologia tem provocado mudanças significativas na educação, pelas possibilidades oferecidas na implantação de novas técnicas de ensino. As escolas já possuem na sua maioria laboratórios com um número significativo de computadores, acesso a internet, como ocorre na Escola Seomar Mainardi, que possui 18 computadores, sistema operacional Windows, acesso a internet e um monitor que auxilia no desenvolvimento das atividades uma vez por semana, proporcionando aos alunos dos anos iniciais um atendimento mais qualificado.
  • 8. 8 Necessita de auxilio do monitor para desenvolver as atividades propostas no laboratório de informática da escola: Não 25% Sim 75% Figura 2: Auxílio do monitor no laboratório de informática Conforme pode ser visualizado na Figura 2, dos professores entrevistados, 75% (setenta e cinco por cento), solicitam o auxilio do monitor, por isso percebe-se que utilizam a informática na prática com os alunos. As mudanças ocorridas, em um primeiro momento causaram inseguranças aos educadores da Escola entrevistada, medo de serem substituídos pela máquina, porém as mudanças ocorrem na área pedagógica, os profissionais que não se adaptar aos novos paradigmas é que correm o risco de não permanecerem atuando na área educacional, pois o simples repasse de informações, transferência de conhecimento para o aluno não é considerado suficiente para o aprendizado do sujeito. Neste sentido o computador assume o papel de ferramenta pedagógica e não o de máquina de “ensinar”. Se o computador for utilizado somente como informatização, para a busca de informações, será uma máquina de ensinar. No entanto se o mesmo for usado num sentido construtivista proporcionará a construção do conhecimento conforme a capacidade individual de cada aluno. Na pesquisa realizada com os professores pesquisados, a grande maioria, utiliza a internet para pesquisar dados. Isto nos leva a refletir se os alunos estão sendo informatizados, estão criando ou interagindo. Vivemos em uma sociedade de informação e ensinar utilizando a internet pressupõe um professor diferente, sobrecarregado de informações advindas tanto da sua própria experiência pessoal como dos seus alunos, tendo um perfil animador e coordenador de atividades e integrador. A própria escola deve ser um local de debates, discussões e interpretações críticas de saberes em mutação preocupando-se com a construção do sujeito do saber significativo, constituindo- se em escola ao longo da vida (WISSMANN apud SILVA, 2010, p.04).
  • 9. 9 O uso da internet é outro ponto importante a ser trabalhado com a orientação do professor, para que o aluno desenvolva a pesquisa, gere conhecimento, criação, raciocínio e atitude ativa para a construção do conhecimento, desta maneira o aluno estará se preparando para o mercado de trabalho. Porém, exige maior atenção do educador, pois o aluno está diante de muitas possibilidades de busca, sendo mais fácil e sedutor navegar de um site para outro, encontrando imagens, lugares, do que o trabalho de interpretação. A fascinação, num primeiro momento, pela possibilidade de acesso, navegação, descobertas, páginas ilustradas levam os alunos a simplesmente fazerem copias de artigos, textos... mas sem reflexão, análise, aprofundamento do que se está pesquisando.O professor como mediador, deve aproveitar a motivação dos alunos para criar relações de confiança entre os mesmos, demonstrando competência e equilíbrio no desenvolvimento do seu trabalho, isto irá facilitar o processo ensino-aprendizagem e a capacidade de comunicação entre ambos. A aprendizagem realizada de forma cooperativa, em grupo, com interação obtém melhores resultados. O ensinar e aprender exige hoje, muito mais flexibilidade de espaço e tempo tanto pessoal quanto em grupo, menos conteúdos fixos, com estudos mais abertos para pesquisa e comunicação. Para que ocorra uma aprendizagem significativa depende também da maturidade do aluno para incorporar a real significação que estas informações têm para ele, para sua vivência intelectual e emocional. O papel do professor neste contexto, será cada vez mais o de ajudar o aluno a interpretar esses dados, relacioná-los, contextualizá-los. O reflexo da aproximação entre informática e educação, olhando para uma sociedade pós-industrial, ou seja, a era da informação e do conhecimento, onde o trabalho físico é feito pelas máquinas e o mental pelos computadores. Cabe ao homem a tarefa insubstituível de ser criativo, ter idéias. Porém se deparam com as dificuldades de formação docente, relação ensino-aprendizagem, questões culturais, tantas outras dificuldades encontradas para a “inovação tecnológica”. O termo “Informática na Educação” vem sendo usado no meio educacional, porém com significado diferente conforme a visão e a condição pedagógica em que o computador é empregado/usado. Vivemos numa sociedade do conhecimento, na qual a busca pelo conhecimento tem lugar de destaque, exigindo profissional crítico, reflexivo, tendo capacidade para
  • 10. 10 pensar, aprender, trabalhar coletivamente. A formação desse profissional é papel da educação, porém esta formação deve ser baseada na construção do conhecimento realizada pelo aluno e no desenvolvimento de novas competências. A introdução do computador na escola é uma tentativa de repensar a educação, porém o repensar não significa somente à utilização do mesmo a abordagem pedagógica necessita ser repensada para que a informatização não prepare profissionais obsoleto como ocorre no ensino tradicional. O computador é uma ferramenta importante para auxiliar o processo de mudança na escola. Criar ambientes de aprendizagem que propicie a construção do conhecimento e não a instrução. Essa ferramenta é uma nova maneira de representar o conhecimento provocando mudanças nos conceitos básicos, possibilitando novas idéias, valores. Para isso deve ser feito uma analise no significado do ensinar e aprender, rever a prática e a formação do fomentando mudanças no currículo e na estrutura escolar. O grande impacto causado pelas novas tecnologias na educação desenvolve novas formas de aprendizado, aumento do conhecimento e principalmente novas relações entre professor e aluno. A busca rápida e a disponibilidade de informações trazidas pela rede mundial são ganhos valiosos para a humanidade. O reflexo dessa revolução surgiu nas escolas, a troca das enciclopédias pesadas por informações digitalizadas, consultas a portais acadêmicos, apresentações de trabalhos com mais vida/coloridos... Sendo importante o papel do professor como orientador para que o aluno não incorra em erros ou baseie-se em informações equivocadas. Porém sabemos que a internet não é a solução para todos os males da educação. Ela é uma ferramenta de apoio, não substituindo práticas de ensino e ou relacionamentos humanos dentro da sala de aula entre professor/aluno/estudantes. Ela depende desta intermediação, inter-relações para que ocorra um ambiente de aprendizagem. Esse é o papel do professor, orientar alunos nas consultas, pesquisas, para que seja aproveitada a agilidade das informações.
  • 11. 11 FORMAÇÃO DO PROFESSOR O uso da informática no ambiente de aprendizagem (sala de aula) é muitas vezes temido pelo professor por ser uma ferramenta nova, ou por achar difícil trabalhar com a mesma, ou então por que seus alunos podem saber, conhecer melhor que o próprio educador. A informática, o computador veio para facilitar a realização de atividades, é um complemento e não para dificultar a vida das pessoas. Para que ocorra a utilização da tecnologia de forma satisfatória o professor precisa estar preparado, para perceber como deve ser a integração dessa nova ferramenta ao ensino. A maneira como cada educador irá utilizar o computador em sala de aula depende do seu interesse educacional em conhecer, compreender e escolher como irá usar a informática a serviço do ensino, pois, como se sabe, não há fórmula pronta. O computador é sem dúvida uma ferramenta ágil e confiável para armazenar informações, no entanto deve ser utilizado de forma adequada e objetiva para que essas informações se transformem em conhecimento, para isso o professor deve auxiliar o aluno a desenvolver capacidade de selecionar e avaliar quais informações são úteis para sua formação. O educador na atualidade é visto como agente de mudanças, assim destaca-se sua importância na formação da personalidade, de atitudes, positivas ou não frente ao processo de ensino-aprendizagem do educando. Despertando curiosidades, desenvolvendo a autonomia, criando condições para uma boa formação do sujeito. As novas tecnologias não diminuíram o trabalho do professor, elas trouxeram modificações na maneira de atuar, necessitando assim uma formação contínua que proporcione conhecimento e domínio dos novos instrumentos. Os educadores precisam refletir e provavelmente mudar suas práticas pedagógicas. As dificuldades encontradas não devem ser usadas como obstáculos para o não uso das novas tecnologias. O professor precisa estar disposto a aprender a manipular, a utilizar com naturalidade estes recursos, aprendendo a trabalhar com o computador em sua prática cotidiana. Os docentes entrevistados deixaram clara a insegurança na hora da utilização da informática com os alunos, porém esta insegurança só será sanada a partir do momento que houver apropriação/domínio dos instrumentos tecnológicos.
  • 12. 12 Trabalhar com informática requer atualização constante. A formação docente deve propiciar uma visão ampla das funções como educador e não somente aquisição de técnicas de ensino, os mesmos devem estar preparados para participar no processo educativo como auxiliar de formação, apoiando as iniciativas e atividades desenvolvidas. Para Santos (2010), o educador deve adquirir competências e conhecimentos para avaliar as capacidades técnicas da tecnologia. A formação do educador deverá estar voltada ao saber utilizar os instrumentos, mas principalmente saber como e quando utilizá-los. A adaptação da informática a educação depende de como será utilizada a ferramenta de apoio, o computador, que dará suporte as matérias e conteúdos preparados, assim como, tem a função de preparar os alunos para uma sociedade informatizada. A introdução de novos projetos, principalmente na educação, inicialmente é polêmico e muitas vezes problemático, foi o que aconteceu com a informática implantada sem maiores conhecimentos, simplesmente porque que estava na moda, porém no momento de colocar em prática quem iria trabalhar? O que fazer com estas aulas ou o que trabalhar nestas aulas? O trabalho inicial se baseou em apenas estar em contato com a ferramenta e a formação tecnológica do sujeito para uma vida profissional na sociedade. Com o passar do tempo, é que foi percebido pelas escolas o potencial da ferramenta (computador), então foi introduzida a informática educativa com o objetivo de servir de apoio às disciplinas e conteúdos lecionados. Entretanto continua a servir como um elo entre as demais disciplinas, ou seja, é um instrumento de apoio. A informática é peça principal nos dias de hoje, porém vê-la como simples ferramenta é ignorar sua atuação em nossas vidas. Grande parte das escolas ignora as tendências tecnológicas da qual fazemos parte, quando deveriam levar a tecnologia para toda a escola, deixam fixa em uma sala, com horários determinados, sob responsabilidade exclusiva de um professor. Diminuindo assim a qualidade do ensino, interrompendo o processo de desenvolvimento da escola como um todo, quando a finalidade é a de fortalecer o processo pedagógico. Observa-se que na escola em que os professores entrevistados atuam, a informática é utilizada como descrito acima, ou seja, em uma sala exclusiva, com um
  • 13. 13 monitor que faz o acompanhamento das atividades proposta pelo professor, responsável pela turma que está utilizando o laboratório para realizar seus trabalhados. Dos docentes entrevistados, 75% deles, solicitam o auxílio do monitor durante o desenvolvimento das atividades de informática, sendo assim a freqüência dos alunos no laboratório é semanal ou quinzenal, conforme a disponibilidade do monitor que segue um cronograma de atendimento aos alunos da Escola, ou seja, turmas de Pré nível A, à 8º série. A tecnologia trabalhada desta forma interrompe o processo pedagógico e o desenvolvimento da aprendizagem do aluno, que ocorre de maneira fragmentada, delimitando o conhecimento da informática como acontece com as demais disciplinas, a organização curricular das disciplinas coloca-as como realidades estanques, sem interconexão alguma, dificultando para os alunos a compreensão do conhecimento como um todo integrado, a construção de uma cosmovisão abrangente que lhes permita uma percepção totalizante da realidade (GALLO apud LOPES, 2010, p.01). A tecnologia deveria ser usada como ferramenta de apoio no processo de reflexão e construção do conhecimento, sobretudo como estratégia cognitiva de aprendizagem e não como um fim em si mesmo. A informática deve habilitar e oportunizar a busca de novos conhecimentos, facilitando o processo ensino/aprendizagem para um desenvolvimento integral do sujeito. Frente a esta situação, o professor precisará refletir sua prática e criar novas formas de agir. Para que isto ocorra o professor precisará ir ao laboratório dar suas aulas e não deixar sob responsabilidade de outros. O educador precisa se apropriar dessa tecnologia para poder introduzir em sua sala de aula, mas para que esta apropriação ocorra é preciso: Mobilizar o corpo docente da escola a se preparar para o uso do Laboratório de Informática na sua prática diária de ensino-aprendizagem. Não se trata, portanto, de fazer do professor um especialista em Informática, mas de criar condições para que se aproprie dentro do processo de construção de sua competência, da utilização gradativa dos referidos recursos informatizados: somente tal apropriação da utilização da tecnologia pelos educadores poderá gerar novas possibilidades de sua utilização educacional (FRÖES apud LOPES, 2010, p. 02). Se o uso do computador tem como objetivo ser um agente transformador do ensino, o professor precisa estar capacitado para assumir o papel de facilitador da construção do conhecimento e não como mero transmissor de informações.
  • 14. 14 CONCLUSÃO A informática surgiu provocando mudanças no sistema educacional, assim como na formação profissional. Com base na pesquisa realizada com os Professores dos Anos Iniciais podemos perceber que a maioria dos profissionais da Escola pesquisada estão utilizando a ferramenta tecnológica no seu trabalho docente, porém necessitam do auxílio do monitor para desenvolver as atividades propostas. A insegurança e a falta de formação na área levam os educadores pesquisados a utilizar a ferramenta como instrumento para pesquisa, buscando apenas informações, enquanto deveria ser usada como ferramenta de interação do sujeito com o objeto de aprendizagem, proporcionando a construção do conhecimento. O professor na sua maioria não tem o domínio da ferramenta tecnológica, também não estão recebendo formação continuada na área, há certo comodismo ou medo do novo, porém para aprender a manipular e a vencer os obstáculos, deve-se estar disposto a se apropriar/dominar a tecnologia. O currículo escolar como se apresenta dificulta o trabalho integrado entre as disciplinas, assim como, para o aluno, a compreensão do conhecimento na sua totalidade não acontece, pois o mesmo se apresenta de forma estanque, sem conexão entre os assuntos trabalhados nas diferentes áreas. REFERÊNCIAS GALIAZZI, Maria do C. Aprender em rede na Educação em Ciências. Ijuí: Unijuí, 2008. SUA PESQISA.COM. Informática na Educação: As aplicações dos recursos de informática na educação, uso da internet, softwares educacionais. Disponível em: http://www.suapesquisa.com/educacaoesportes/informatica_educacao.htm>. Acessado em: 05 jul. 2010. JORNAL Metodista. A evolução das novas tecnologias na Educação. Disponível em: <http://www.metodista.br/jornal-metodista/78/a-evolucao-das-novas-tecnologias-na-educacao/>. Acesso em: 15 de jul. 2010. LOPES, José Junio. A introdução da informática no ambiente escolar. Disponível em: <http://www.clubedoprofessor.com.br/artigos/artigojunio.htm>. Acesso em: 15 jul. 2010. LUFT, Celso Pedro. Pequeno dicionário da Língua Portuguesa. São Paulo: Scipione, 1984.
  • 15. 15 MORAN, José Manuel. Mudar a forma de ensinar e de aprender com tecnologias Transformar as aulas em pesquisa e comunicação presencial-virtual. Disponível em: <http://www.eca.usp.br/PROF/MORAN/UBER.HTM>. Acessado em: 15 jul. 2010. ROCHA, Sinara Socorro Duarte. O uso do computador: a Informática Educativa. Disponível em: <http://www.espacoacademico.com.br/085/85rocha.htm>. Acesso em: 22 nov, 2010. SILVA, Francisca Nilde G. da. Informática na educação: a utilização da informática como recurso pedagógico nas séries iniciais. Disponível em: <http://br.monografias.com/trabalhos3/ informatica-educacao-recurso-pedagogico/informatica-educacao-recurso-pedagogico2.shtml>. Acesso em: 06 ago. 2010. SANTOS, Henrique. A atitude do educador face às novas tecnologias. Disponível em: <http://hen.no.sapo.pt/comunacoes/PDF/atitude_ed.pdf>. Acesso em: 15 jul. 2010. VALENTE, José A. O computador auxiliando o processo de mudanças na escola. Disponível em: <http://www.nte-jgs.rct-sc.br/valente.htm>. Acesso em: 05 jul. 2010.