SlideShare uma empresa Scribd logo
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],CIÊNCIA E MÉTODOS PARA A INTERDISCIPLINARIDADE Ações em 2008 e planejamento para 2009 8-10/12/2008, Hotel Quinta da Bica d’Água, Florianópolis.  Esta sessão: 10/12, 14-16 h Preparada por: Andrea Steil, Cristiano Cunha, Gertrudes Dandolini, João Artur de Souza, Marina Nakayama, Vinícius Kern ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
1 a  parte Histórico e resultados em 2008 ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Programa de Pós Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento Professores  Paulo Selig, Roberto Pacheco, Vinícius Kern SEMINÁRIOS DE PESQUISA   EGC5005 2008
Visão sistêmica: Referência – Sistema Nacional de Inovação ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],1  OCDE.  National innovation systems . Paris, 1997  e  OCDE.  Managing national innovation systems . Paris, 1999. 2  BUNGE, M. Mechanism and explanation.  Philos of the Social Sciences  27, p. 410-465, 1997  e  Emergence and convergence . UTP, 2003.
Desempenho sistêmico   da formação no EGC (razão de ser dos Seminários) Agências  de fomento Cultura, comunidade brasileira de PG UFSC (instituição), staff Organizações (empresas, inst. de CT&I, ONGs, órgãos de governo, internacionais) Normas, regula- mentos, leis docentes discentes ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Seminários de Pesquisa: Objetivos ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Seminários de Pesquisa: Atividades em 2008 ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Seminários de Pesquisa: Detalhes dos itens da proposta e da revisão A b
Seminários de Pesquisa: Resultados ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Seminários de Pesquisa: Conquistas, melhorias necessárias ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Programa de Pós Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento Professores  Cristiano Cunha e Marina K. Nakayama MÉTODO QUALITATIVO   EGC9002-12 2008
[object Object],[object Object],OBJETIVO
PROGRAMA DA DISCIPLINA O que é ciência? Diferentes concepções da ciência Pesquisa e Metodologia Paradigmas na Pesquisa Qualitativa Design da Pesquisa Qualitativa Coleta de Dados e  Análise de Dados
AVALIAÇÃO ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
RESULTADOS ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Programa de Pós Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento Professores  Andrea Valéria Steil, Gertrudes Dandolini, João Artur de Souza MÉTODOS QUANTITATIVOS   2008
Clamor científico atual Uso de  diferentes métodos  para a construção  de  teorias mais acuradas, generalizáveis e aplicáveis  no contexto organizacional.  CLARK, T.; FLOYD, S.; WRIGHT, M. On the review process and journal development.  Journal of Management Studies , v. 43, p. 655-664, 2006. The Editors. Point-Counterpoint. Research methods in management research.  Journal of Management Studies.  V. 43, n. 8, p. 1799-1800, 2006. Por que artigos em revistas qualificadas são rejeitados? 70% dos artigos rejeitados para publicação no  Journal of Management Studies  o são em função de  problemas no método de pesquisa .
Método científico GAUCH, Hugh.  Scientific Method in Practice . Cambridge University Press: Cambridge, 2003. Dois componentes: 1) Princípios gerais do método científico, compartilhados pela comunidade científica. b) Princípios da racionalidade Ex. lógica c) Elementos derivados do senso comum Ex. pressupostos, axiomas, premissas, visões de mundo. Princípios do método científico Astronomia Psicologia Química Geologia Microbiologia Princípios e técnicas 2) Técnicas específicas (inter) disciplinares (# métodos). Nem os princípios gerais nem as técnicas específicas substituem-se mutuamente. a) Princípios da ciência   Ex. dependência de evidências, modelos e explicações parcimoniosos da realidade, etc. 1) Princípios gerais do método científico
Objetivo da disciplina Objetivo de uma pesquisa quantitativa: Desenvolver generalizações que contribuam para o  desenvolvimento teórico  e que possibilitem uma  melhor explicação ,   compreensão  e  previsão  de um fenômeno humano ou social. Princípios e técnicas Princípios do método científico Engenharias Psicologia Sociologia Economia Administração Apresentar de forma clara e objetiva as técnicas e os métodos utilizados na pesquisa com delineamento quantitativo Pesquisas Interdisciplinares
Tópicos da disciplina 1) Pesquisa quantitativa e paradigma quantitativo 2) Estrutura de um estudo quantitativo 2.1 Introdução:  hiato na literatura, como o estudo preencherá o hiato ou replicar um estudo.   2.2 Revisão de literatura:  variável independente, dependente, relação entre variáveis. 2.3 Método:  delineamento, população, amostra, definição de variáveis,  instrumentos para coleta de dados, delimitação e limitações.   2.4 Apresentação e análise/discussão/modelo 2.5 Conclusão  2.6 Demais elementos: Referências bibliográficas Apêndices Anexos Ontologia   Epistemologia Axiologia Retórica Metodologia
4) Estatística descritiva e probabilidade  (distribuição de freqüências, gráficos, medidas de síntese, probabilidade, distribuição de probabilidade). 5) Inferência estatística  (estimadores, nível de confiança, distribuição t-student, tamanho da amostra). 6) Análise de regressão e multivariada.  3) Definições basilares em pesquisa quantitativa:  construto, variável, hipótese, medida, população, amostra, validade, generalização (validade externa), delimitação,  survey , experimento. Tópicos da disciplina
2. Resolução e interpretação de exercícios estatísticos no pacote SPSS.  1. Análise de um artigo (periódico internacional de qualidade) Atividades da disciplina ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Avaliação da disciplina 1. Compreender os princípios básicos da pesquisa quantitativa.   2 . Entender as técnicas utilizadas em pesquisa quantitativa Ex. Amostragem, teste de hipóteses, análise multivariada, ... Necessária para... 3. Saber que técnicas estatísticas são adequadas para determinado objetivo de pesquisa. 4. Saber interpretar os resultados obtidos e relacioná-los com o problema de pesquisa.
Conclusão - Conteúdo extenso para 1 disciplina. Dividir a disciplina em duas (optativas): 1) Delineamento de pesquisa quantitativa 2) Técnicas analíticas para a pesquisa quantitativa
2 a  parte Proposta para 2009 ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
2 a  parte Proposta para 2009 Introdução à  Pesquisa Científica Introdução à  Pesquisa Qualitativa Introdução à Pesquisa  Quantitativa Técnicas  Analíticas Seminários de Pesquisa
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Programa de Pós Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento Professores proponentes:  Andrea Steil, Cristiano Cunha, Gertrudes Dandolini, João Artur de Souza, Marina K. Nakayama, Vinícius Kern. INTRODUÇÃO À PESQUISA CIENTÍFICA PROPOSTA
Objetivo:  ,[object Object],Introdução à Pesquisa Científica
Comunidades  de pesquisadores Normas e regras Professores Internos Revistas  E Congressos Academia e Programa INTERDISCIPLINAR Temas e Focos de Pesquisa Instituições  reguladoras Mestrandos Contexto: Ambiente Acadêmico Professores  externos Doutorandos
Conjunto sistemático e organizado de conhecimentos que apresentam características próprias nos planos do ensino, da formação, dos métodos e das matérias. Disciplinaridade Multidisciplinaridade Consiste em estudar um objeto sob diferentes ângulos, mas sem que tenha necessariamente havido um acordo prévio sobre os métodos a seguir ou sobre os conceitos a serem utilizados.  (JAPIASSU, 1976) Passamos por graus sucessivos de cooperação e de coordenação crescentes antes de chegarmos ao grau próprio ao interdisciplinar. Este pode ser caracterizado como nível em que a colaboração entre as diversas disciplinas ou entre os setores heterogêneos de uma mesma ciência conduz a  interações propriamente ditas , isto é, a uma certa reciprocidade nos intercâmbios, de tal forma que, no final do processo interativo, cada disciplina saia enriquecida.  Interdisciplinaridade : Convergência na Engenharia e Gestão do Conhecimento
Programa da disciplina: 1. Ciência e pesquisa 1.1 O que é ciência e o que é pesquisa científica 1.2 O conhecimento científico e outros tipos de conhecimento: tecnológico, filosófico, senso comum, etc. 2. Teoria científica 2.1 O que é uma teoria e o que não é uma teoria 2.2 Componentes de uma teoria  2.3 Atributos de uma boa teoria
Programa da disciplina: 3. Degraus no desenvolvimento teórico   3.1 Sistema classificatório 3.2 Taxonomia 3.3 Modelo (em diferentes perspectivas) 3.4 Metodologia 3.5 Método 3.6  Framework  conceitual 3.7 Arquitetura
Programa da disciplina : 4. Dos paradigmas qualitativo e quantitativo aos métodos de pesquisa empírica   Suposições subjacentes aos dois paradigmas:  O ntológicas, epistemológicas, axiológicas, retóricas e metodológicas.  Principais tradições em pesquisa qualitativa:   Etnografias,  grounded theories , fenomenológicas. Principais tradições em pesquisa quantitativa:   Surveys  e experimentos.
Programa da disciplina: 5. Delineamento da pesquisa qualitativa   ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Programa da disciplina: 6. Delineamento da pesquisa quantitativa   6.1 Paradigma quantitativo e objetivos da pesquisa quantitativa. 6.3 Pergunta de pesquisa, objetivo, construtos, variáveis, proposições,  hipóteses, medidas.  6.2 A estrutura (forma) de uma dissertação ou tese quantitativa.  6.4 População e amostra (definição, tipos e cálculo).  6.5 Medidas analíticas (estatísticas) mais utilizadas.  6.6 Validade, confiabilidade e generalização dos resultados.  6.7 Surveys e experimentos.
Programa da disciplina: 7. Combinação de métodos - triangulação   ,[object Object],[object Object],[object Object],8. Fechamento  da disciplina
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Programa de Pós Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento Professores  Marina K. Nakayama e Cristiano Cunha  INTRODUÇÃO À  PESQUISA QUALITATIVA 2009
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],OBJETIVOS
Programa da disciplina: ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Programa de Pós Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento Professores  Andrea Valéria Steil, Gertrudes Dandolini, João Artur de Souza  INTRODUÇÃO À PESQUISA QUANTITATIVA 2009
Pesquisa empírica quantitativa 4. A  codificação do conhecimento  aumenta a  memória organizacional . 1. Quanto maior a  taxa de criação do  conhecimento  de uma organização maior será o seu  desempenho . 2. O uso de  narrativas  aumenta o potencial de  compartilhamento do conhecimento  em grupos e organizações. 3.  Mídias ricas em escopo  diminuem as barreiras hierárquicas e permitem a  participação mais igualitária dos colaboradores de diferentes níveis no compartilhamento do conhecimento. 5. Quanto maior a  experiência profissional , mais positivas são as  atitudes relacionadas ao trabalho .
(b 1 ) (b 2 ) (d) Quanto maior a experiência profissional, mais positivas são as atitudes relacionadas ao trabalho. (c) X’ Y’ (a) Independente Dependente Conceitual Experiência profissional Atitudes no trabalho X Y Operacional N. de anos na organização Questionário preenchido pelos gerentes
Pesquisa empírica quantitativa Generalização dos resultados : População Generalização estatística Generalização externa Amostra X Y X’ Y’ (d) X Y (D) X Y X’ Y’ (a) (c) (b 1 ) (b 2 ) (d) Outras populações Outros períodos Outras medidas Outras condições
Objetivos e resultados esperados 3. Registrar os resultados da pesquisa em um documento com formato padrão (dissertação ou tese). Resultados – desenvolvimento das seguintes capacidades: 1. Apresentar as bases para o delineamento de  pesquisas quantitativas empíricas. 2. Oferecer insumos para o desenvolvimento da competência de pesquisador e para o  consumo inteligente da pesquisas de outros autores. Objetivos da disciplina:   1. Realizar o delineamento de uma pesquisa com bases quantitativas com o rigor necessário para garantir sua validade e a generalização dos seus resultados. 2. Analisar criticamente o delineamento e os resultados de pesquisas quantitativas realizadas por outros autores.
Programa da disciplina 1. Modelo de pesquisa empírica 1.1 Paradigma quantitativo (ontologia, epistemologia, axiologia, retórica, metodologia) 1.1 Variáveis de pesquisa 1.2 Relações conceituais, operacionais e causais (no nível empírico) 2. Projeto de pesquisa empírica quantitativa 2.1 Introdução, pergunta de pesquisa, variáveis, objetivo, delimitação (escopo). 3. Mensuração e suas aplicações  3.1 Validade de construto e confiabilidade 3.2 Construção de questionários 3.3 Alternativas à construção de questionários: uso de dados secundários ou questionários já validados
Programa da disciplina 4. Fundamentos do delineamento da pesquisa 4.1 Estudos de campo (ou surveys) – quando são realizados, população, amostra, técnicas de amostragem. 4.2 Experimentos e quase-experimentos - fundamentos 6. O registro da pesquisa em forma de dissertação ou tese 6.1 Questões de estrutura e forma ( templates  clássicos e alternativos) 5. Generalização dos resultados (validade externa) 5.1 Replicações (ex. triangulação), meta-análise.
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Programa de Pós Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento Professores  Gertrudes Dandolini e João Artur de Souza Técnicas Analíticas para Pesquisa   2009
Trajetória... ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Objetivos ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Resultados esperados ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Programa da disciplina
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Programa da disciplina
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Programa da disciplina
OBRIGADO! ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Projeto dissertação MCMM 2013_10_04
Projeto dissertação MCMM 2013_10_04Projeto dissertação MCMM 2013_10_04
Projeto dissertação MCMM 2013_10_04
Luis Pedro
 
Propostas de Investigação
Propostas de InvestigaçãoPropostas de Investigação
Propostas de Investigação
José António Calixto
 
Como Elaborar Um Projeto De Pesquisa
Como Elaborar Um Projeto De PesquisaComo Elaborar Um Projeto De Pesquisa
Como Elaborar Um Projeto De Pesquisa
mauricio aquino
 
Diferenças tcc
Diferenças tccDiferenças tcc
Diferenças tcc
alexweb13
 
Projeto de pesquisa
Projeto de pesquisa  Projeto de pesquisa
Projeto de pesquisa
Professor de Química
 
Como elaborar um projeto de pesquisa - profa. Elizabeth Fantauzzi
Como elaborar um projeto de pesquisa - profa. Elizabeth FantauzziComo elaborar um projeto de pesquisa - profa. Elizabeth Fantauzzi
Como elaborar um projeto de pesquisa - profa. Elizabeth Fantauzzi
Elizabeth Fantauzzi
 
Projeto de pesquisa_internet
Projeto de pesquisa_internetProjeto de pesquisa_internet
Projeto de pesquisa_internet
carlinhos02
 
Programa metodologia científica Agenor Florêncio
Programa metodologia científica Agenor FlorêncioPrograma metodologia científica Agenor Florêncio
Programa metodologia científica Agenor Florêncio
agenor costa
 
Fases processo investigacao
Fases processo investigacaoFases processo investigacao
Fases processo investigacao
isa
 
Como elaborar projeto_de_pesquisa_-_antonio_carlos_gil
Como elaborar projeto_de_pesquisa_-_antonio_carlos_gilComo elaborar projeto_de_pesquisa_-_antonio_carlos_gil
Como elaborar projeto_de_pesquisa_-_antonio_carlos_gil
Geísio Lima Vieira
 
Como elaborar-um-projeto-de-pesquisa-de-iniciação-científica
Como elaborar-um-projeto-de-pesquisa-de-iniciação-científicaComo elaborar-um-projeto-de-pesquisa-de-iniciação-científica
Como elaborar-um-projeto-de-pesquisa-de-iniciação-científica
roupanova
 
Como elaborar um projeto de pesquisa: elementos componentes
Como elaborar um projeto de pesquisa: elementos componentesComo elaborar um projeto de pesquisa: elementos componentes
Como elaborar um projeto de pesquisa: elementos componentes
Helena Degreas
 
Modelo planocurso
Modelo planocursoModelo planocurso
Modelo planocurso
Lucy Saldanha
 
Construção de um Projeto de Pesquisa
Construção de um Projeto de PesquisaConstrução de um Projeto de Pesquisa
Construção de um Projeto de Pesquisa
Arare Carvalho Júnior
 
Investigação-ação educacional
Investigação-ação educacionalInvestigação-ação educacional
Investigação-ação educacional
João Alberto
 
O trabalho academico: Projeto de Pesquisa e Monografias
O trabalho academico: Projeto de Pesquisa e MonografiasO trabalho academico: Projeto de Pesquisa e Monografias
O trabalho academico: Projeto de Pesquisa e Monografias
Gilvandenys Leite Sales
 
Planejamento do trabalho de conclusão de curso
Planejamento do trabalho de conclusão de cursoPlanejamento do trabalho de conclusão de curso
Planejamento do trabalho de conclusão de curso
Elisângela X. P. dos Santos
 
MATERIAL_les669_aula_geral.pdf
MATERIAL_les669_aula_geral.pdfMATERIAL_les669_aula_geral.pdf
MATERIAL_les669_aula_geral.pdf
IsaacBruno8
 
Projecto dissertação - plano de investigação
Projecto dissertação - plano de investigaçãoProjecto dissertação - plano de investigação
Projecto dissertação - plano de investigação
Luis Pedro
 

Mais procurados (19)

Projeto dissertação MCMM 2013_10_04
Projeto dissertação MCMM 2013_10_04Projeto dissertação MCMM 2013_10_04
Projeto dissertação MCMM 2013_10_04
 
Propostas de Investigação
Propostas de InvestigaçãoPropostas de Investigação
Propostas de Investigação
 
Como Elaborar Um Projeto De Pesquisa
Como Elaborar Um Projeto De PesquisaComo Elaborar Um Projeto De Pesquisa
Como Elaborar Um Projeto De Pesquisa
 
Diferenças tcc
Diferenças tccDiferenças tcc
Diferenças tcc
 
Projeto de pesquisa
Projeto de pesquisa  Projeto de pesquisa
Projeto de pesquisa
 
Como elaborar um projeto de pesquisa - profa. Elizabeth Fantauzzi
Como elaborar um projeto de pesquisa - profa. Elizabeth FantauzziComo elaborar um projeto de pesquisa - profa. Elizabeth Fantauzzi
Como elaborar um projeto de pesquisa - profa. Elizabeth Fantauzzi
 
Projeto de pesquisa_internet
Projeto de pesquisa_internetProjeto de pesquisa_internet
Projeto de pesquisa_internet
 
Programa metodologia científica Agenor Florêncio
Programa metodologia científica Agenor FlorêncioPrograma metodologia científica Agenor Florêncio
Programa metodologia científica Agenor Florêncio
 
Fases processo investigacao
Fases processo investigacaoFases processo investigacao
Fases processo investigacao
 
Como elaborar projeto_de_pesquisa_-_antonio_carlos_gil
Como elaborar projeto_de_pesquisa_-_antonio_carlos_gilComo elaborar projeto_de_pesquisa_-_antonio_carlos_gil
Como elaborar projeto_de_pesquisa_-_antonio_carlos_gil
 
Como elaborar-um-projeto-de-pesquisa-de-iniciação-científica
Como elaborar-um-projeto-de-pesquisa-de-iniciação-científicaComo elaborar-um-projeto-de-pesquisa-de-iniciação-científica
Como elaborar-um-projeto-de-pesquisa-de-iniciação-científica
 
Como elaborar um projeto de pesquisa: elementos componentes
Como elaborar um projeto de pesquisa: elementos componentesComo elaborar um projeto de pesquisa: elementos componentes
Como elaborar um projeto de pesquisa: elementos componentes
 
Modelo planocurso
Modelo planocursoModelo planocurso
Modelo planocurso
 
Construção de um Projeto de Pesquisa
Construção de um Projeto de PesquisaConstrução de um Projeto de Pesquisa
Construção de um Projeto de Pesquisa
 
Investigação-ação educacional
Investigação-ação educacionalInvestigação-ação educacional
Investigação-ação educacional
 
O trabalho academico: Projeto de Pesquisa e Monografias
O trabalho academico: Projeto de Pesquisa e MonografiasO trabalho academico: Projeto de Pesquisa e Monografias
O trabalho academico: Projeto de Pesquisa e Monografias
 
Planejamento do trabalho de conclusão de curso
Planejamento do trabalho de conclusão de cursoPlanejamento do trabalho de conclusão de curso
Planejamento do trabalho de conclusão de curso
 
MATERIAL_les669_aula_geral.pdf
MATERIAL_les669_aula_geral.pdfMATERIAL_les669_aula_geral.pdf
MATERIAL_les669_aula_geral.pdf
 
Projecto dissertação - plano de investigação
Projecto dissertação - plano de investigaçãoProjecto dissertação - plano de investigação
Projecto dissertação - plano de investigação
 

Semelhante a Ciência e métodos para a interdisciplinaridade (5o Workshop EGC/UFSC)

O Relatório Científico como suporte e instrumento de divulgação e difusão de ...
O Relatório Científico como suporte e instrumento de divulgação e difusão de ...O Relatório Científico como suporte e instrumento de divulgação e difusão de ...
O Relatório Científico como suporte e instrumento de divulgação e difusão de ...
Anabela Mesquita
 
Pre projeto pesquisa (2)
Pre projeto pesquisa (2)Pre projeto pesquisa (2)
Pre projeto pesquisa (2)
waldileia do socorro pereira
 
Apostila ufsc metodologia da pesquisa
Apostila ufsc metodologia da pesquisaApostila ufsc metodologia da pesquisa
Apostila ufsc metodologia da pesquisa
Cassiano Scott Puhl
 
Metodologia da-pesquisa-3a-edicao
Metodologia da-pesquisa-3a-edicaoMetodologia da-pesquisa-3a-edicao
Metodologia da-pesquisa-3a-edicao
Ferreira José
 
Metolodogia daniela cartoni - slides - parte 04 - epistemologia
Metolodogia   daniela cartoni - slides - parte 04 - epistemologiaMetolodogia   daniela cartoni - slides - parte 04 - epistemologia
Metolodogia daniela cartoni - slides - parte 04 - epistemologia
Daniela Cartoni
 
Pesquisa em educação
Pesquisa em educaçãoPesquisa em educação
Pesquisa em educação
sahmaronirodrigues2
 
Aula 1_IE_CEAG_2011
Aula 1_IE_CEAG_2011Aula 1_IE_CEAG_2011
Aula 1_IE_CEAG_2011
zeusi9iuto
 
Aula 2 - Validez e Confiabilidade da Pesquisa Qualitativa
Aula 2 - Validez e Confiabilidade da Pesquisa QualitativaAula 2 - Validez e Confiabilidade da Pesquisa Qualitativa
Aula 2 - Validez e Confiabilidade da Pesquisa Qualitativa
Cleide Magáli dos Santos
 
Metodologia Princípios
Metodologia PrincípiosMetodologia Princípios
Metodologia Princípios
FriFri
 
Artigos Científicos: Análise e Elaboração
Artigos Científicos: Análise e ElaboraçãoArtigos Científicos: Análise e Elaboração
Artigos Científicos: Análise e Elaboração
Carlos Fernando Jung
 
P ensino metodologia2012.2
P ensino metodologia2012.2P ensino metodologia2012.2
Pesquisa-Ação | Disc. Métodos de Pesquisa - PPGDesign
Pesquisa-Ação | Disc. Métodos de Pesquisa - PPGDesignPesquisa-Ação | Disc. Métodos de Pesquisa - PPGDesign
Pesquisa-Ação | Disc. Métodos de Pesquisa - PPGDesign
Cezar de Costa
 
Qualificacao_JoniceOliveira (1).ppt
Qualificacao_JoniceOliveira (1).pptQualificacao_JoniceOliveira (1).ppt
Qualificacao_JoniceOliveira (1).ppt
AdeliceBraga
 
Qualificacao_JoniceOliveira.ppt
Qualificacao_JoniceOliveira.pptQualificacao_JoniceOliveira.ppt
Qualificacao_JoniceOliveira.ppt
JonathanSouza230536
 
O que é um doutoramento?
O que é um doutoramento?O que é um doutoramento?
O que é um doutoramento?
António Granado
 
aula2metodologia.pdf
aula2metodologia.pdfaula2metodologia.pdf
aula2metodologia.pdf
GustavoArouche1
 
Aula - Metodologia, Método e Técnicas (conceitos básicos)
Aula - Metodologia, Método e Técnicas (conceitos básicos)Aula - Metodologia, Método e Técnicas (conceitos básicos)
Aula - Metodologia, Método e Técnicas (conceitos básicos)
Cleide Magáli dos Santos
 
Escrita científica
Escrita científica Escrita científica
Escrita científica
Idalina Jorge
 
Mac Pc
Mac PcMac Pc
Mac Pc
guestc8100ac
 
Mac Pc
Mac PcMac Pc
Mac Pc
guestc8100ac
 

Semelhante a Ciência e métodos para a interdisciplinaridade (5o Workshop EGC/UFSC) (20)

O Relatório Científico como suporte e instrumento de divulgação e difusão de ...
O Relatório Científico como suporte e instrumento de divulgação e difusão de ...O Relatório Científico como suporte e instrumento de divulgação e difusão de ...
O Relatório Científico como suporte e instrumento de divulgação e difusão de ...
 
Pre projeto pesquisa (2)
Pre projeto pesquisa (2)Pre projeto pesquisa (2)
Pre projeto pesquisa (2)
 
Apostila ufsc metodologia da pesquisa
Apostila ufsc metodologia da pesquisaApostila ufsc metodologia da pesquisa
Apostila ufsc metodologia da pesquisa
 
Metodologia da-pesquisa-3a-edicao
Metodologia da-pesquisa-3a-edicaoMetodologia da-pesquisa-3a-edicao
Metodologia da-pesquisa-3a-edicao
 
Metolodogia daniela cartoni - slides - parte 04 - epistemologia
Metolodogia   daniela cartoni - slides - parte 04 - epistemologiaMetolodogia   daniela cartoni - slides - parte 04 - epistemologia
Metolodogia daniela cartoni - slides - parte 04 - epistemologia
 
Pesquisa em educação
Pesquisa em educaçãoPesquisa em educação
Pesquisa em educação
 
Aula 1_IE_CEAG_2011
Aula 1_IE_CEAG_2011Aula 1_IE_CEAG_2011
Aula 1_IE_CEAG_2011
 
Aula 2 - Validez e Confiabilidade da Pesquisa Qualitativa
Aula 2 - Validez e Confiabilidade da Pesquisa QualitativaAula 2 - Validez e Confiabilidade da Pesquisa Qualitativa
Aula 2 - Validez e Confiabilidade da Pesquisa Qualitativa
 
Metodologia Princípios
Metodologia PrincípiosMetodologia Princípios
Metodologia Princípios
 
Artigos Científicos: Análise e Elaboração
Artigos Científicos: Análise e ElaboraçãoArtigos Científicos: Análise e Elaboração
Artigos Científicos: Análise e Elaboração
 
P ensino metodologia2012.2
P ensino metodologia2012.2P ensino metodologia2012.2
P ensino metodologia2012.2
 
Pesquisa-Ação | Disc. Métodos de Pesquisa - PPGDesign
Pesquisa-Ação | Disc. Métodos de Pesquisa - PPGDesignPesquisa-Ação | Disc. Métodos de Pesquisa - PPGDesign
Pesquisa-Ação | Disc. Métodos de Pesquisa - PPGDesign
 
Qualificacao_JoniceOliveira (1).ppt
Qualificacao_JoniceOliveira (1).pptQualificacao_JoniceOliveira (1).ppt
Qualificacao_JoniceOliveira (1).ppt
 
Qualificacao_JoniceOliveira.ppt
Qualificacao_JoniceOliveira.pptQualificacao_JoniceOliveira.ppt
Qualificacao_JoniceOliveira.ppt
 
O que é um doutoramento?
O que é um doutoramento?O que é um doutoramento?
O que é um doutoramento?
 
aula2metodologia.pdf
aula2metodologia.pdfaula2metodologia.pdf
aula2metodologia.pdf
 
Aula - Metodologia, Método e Técnicas (conceitos básicos)
Aula - Metodologia, Método e Técnicas (conceitos básicos)Aula - Metodologia, Método e Técnicas (conceitos básicos)
Aula - Metodologia, Método e Técnicas (conceitos básicos)
 
Escrita científica
Escrita científica Escrita científica
Escrita científica
 
Mac Pc
Mac PcMac Pc
Mac Pc
 
Mac Pc
Mac PcMac Pc
Mac Pc
 

Mais de Vinícius M. Kern

Curadoria de informação na Wikipédia: Lições para a comunicação científica (I...
Curadoria de informação na Wikipédia: Lições para a comunicação científica (I...Curadoria de informação na Wikipédia: Lições para a comunicação científica (I...
Curadoria de informação na Wikipédia: Lições para a comunicação científica (I...
Vinícius M. Kern
 
Kern & Uriona (2018). Hipercrescimento e colapso: Conjeturando cenários da so...
Kern & Uriona (2018). Hipercrescimento e colapso: Conjeturando cenários da so...Kern & Uriona (2018). Hipercrescimento e colapso: Conjeturando cenários da so...
Kern & Uriona (2018). Hipercrescimento e colapso: Conjeturando cenários da so...
Vinícius M. Kern
 
A redução ao sistema como operação epistêmica: Metodologia e aplicação à ciên...
A redução ao sistema como operação epistêmica: Metodologia e aplicação à ciên...A redução ao sistema como operação epistêmica: Metodologia e aplicação à ciên...
A redução ao sistema como operação epistêmica: Metodologia e aplicação à ciên...
Vinícius M. Kern
 
The editorial peer review system: Towards a comprehensive description with th...
The editorial peer review system: Towards a comprehensive description with th...The editorial peer review system: Towards a comprehensive description with th...
The editorial peer review system: Towards a comprehensive description with th...
Vinícius M. Kern
 
Sistemas-de-informacao-2o-Reducao-Ao-Sistema_Bunge
Sistemas-de-informacao-2o-Reducao-Ao-Sistema_BungeSistemas-de-informacao-2o-Reducao-Ao-Sistema_Bunge
Sistemas-de-informacao-2o-Reducao-Ao-Sistema_Bunge
Vinícius M. Kern
 
Visión Sistémica de la Evaluación Por Pares en Ciencia
Visión Sistémica de la Evaluación Por Pares en Ciencia Visión Sistémica de la Evaluación Por Pares en Ciencia
Visión Sistémica de la Evaluación Por Pares en Ciencia
Vinícius M. Kern
 
Cosmovisión, estrategia y métodos de investigación: opciones teórico-metodoló...
Cosmovisión, estrategia y métodos de investigación: opciones teórico-metodoló...Cosmovisión, estrategia y métodos de investigación: opciones teórico-metodoló...
Cosmovisión, estrategia y métodos de investigación: opciones teórico-metodoló...
Vinícius M. Kern
 
El sistema de revisión por pares
El sistema de revisión por paresEl sistema de revisión por pares
El sistema de revisión por pares
Vinícius M. Kern
 
Revisão por pares na aprendizagem: 17 anos de prática e pesquisa no Projeto Par
Revisão por pares na aprendizagem: 17 anos de prática e pesquisa no Projeto ParRevisão por pares na aprendizagem: 17 anos de prática e pesquisa no Projeto Par
Revisão por pares na aprendizagem: 17 anos de prática e pesquisa no Projeto Par
Vinícius M. Kern
 
Atores, fatores, relações e mecanismos da revisão por pares editorial
Atores, fatores, relações e mecanismos da revisão por pares editorialAtores, fatores, relações e mecanismos da revisão por pares editorial
Atores, fatores, relações e mecanismos da revisão por pares editorial
Vinícius M. Kern
 
Repositório institucional como sistema técnico-social: composição, ambiente e...
Repositório institucional como sistema técnico-social: composição, ambiente e...Repositório institucional como sistema técnico-social: composição, ambiente e...
Repositório institucional como sistema técnico-social: composição, ambiente e...
Vinícius M. Kern
 
Revisão por pares: Como funciona (?) e nossas pesquisas no tema
Revisão por pares: Como funciona (?) e nossas pesquisas no temaRevisão por pares: Como funciona (?) e nossas pesquisas no tema
Revisão por pares: Como funciona (?) e nossas pesquisas no tema
Vinícius M. Kern
 
Confiabilidade da revisão por pares recíproca anônima de propostas de mestrad...
Confiabilidade da revisão por pares recíproca anônima de propostas de mestrad...Confiabilidade da revisão por pares recíproca anônima de propostas de mestrad...
Confiabilidade da revisão por pares recíproca anônima de propostas de mestrad...
Vinícius M. Kern
 
Reunião do grupo de pesquisa Informação Científica - UFSC - 26/04/2012
Reunião do grupo de pesquisa Informação Científica - UFSC - 26/04/2012Reunião do grupo de pesquisa Informação Científica - UFSC - 26/04/2012
Reunião do grupo de pesquisa Informação Científica - UFSC - 26/04/2012
Vinícius M. Kern
 
Painel Científico EGC/UFSC 2012: Abertura
Painel Científico EGC/UFSC 2012: AberturaPainel Científico EGC/UFSC 2012: Abertura
Painel Científico EGC/UFSC 2012: Abertura
Vinícius M. Kern
 
O sistemismo de Bunge: fundamentos, abordagem metodológica e aplicação a sist...
O sistemismo de Bunge: fundamentos, abordagem metodológica e aplicação a sist...O sistemismo de Bunge: fundamentos, abordagem metodológica e aplicação a sist...
O sistemismo de Bunge: fundamentos, abordagem metodológica e aplicação a sist...
Vinícius M. Kern
 
Currículo Lattes como credencial do pesquisador no sistema nacional de inovação
Currículo Lattes como credencial do pesquisador no sistema nacional de inovaçãoCurrículo Lattes como credencial do pesquisador no sistema nacional de inovação
Currículo Lattes como credencial do pesquisador no sistema nacional de inovação
Vinícius M. Kern
 
Plataformas e-gov como sistemas sociotecnológicos
Plataformas e-gov como sistemas sociotecnológicosPlataformas e-gov como sistemas sociotecnológicos
Plataformas e-gov como sistemas sociotecnológicos
Vinícius M. Kern
 
Growing a Peer Review Culture among Graduate Students (WCCE 2009)
Growing a Peer Review Culture among Graduate Students (WCCE 2009)Growing a Peer Review Culture among Graduate Students (WCCE 2009)
Growing a Peer Review Culture among Graduate Students (WCCE 2009)
Vinícius M. Kern
 
Emergo: Academic Performance Assessment and Planning with a Data Mart (WCCE 2...
Emergo: Academic Performance Assessment and Planning with a Data Mart (WCCE 2...Emergo: Academic Performance Assessment and Planning with a Data Mart (WCCE 2...
Emergo: Academic Performance Assessment and Planning with a Data Mart (WCCE 2...
Vinícius M. Kern
 

Mais de Vinícius M. Kern (20)

Curadoria de informação na Wikipédia: Lições para a comunicação científica (I...
Curadoria de informação na Wikipédia: Lições para a comunicação científica (I...Curadoria de informação na Wikipédia: Lições para a comunicação científica (I...
Curadoria de informação na Wikipédia: Lições para a comunicação científica (I...
 
Kern & Uriona (2018). Hipercrescimento e colapso: Conjeturando cenários da so...
Kern & Uriona (2018). Hipercrescimento e colapso: Conjeturando cenários da so...Kern & Uriona (2018). Hipercrescimento e colapso: Conjeturando cenários da so...
Kern & Uriona (2018). Hipercrescimento e colapso: Conjeturando cenários da so...
 
A redução ao sistema como operação epistêmica: Metodologia e aplicação à ciên...
A redução ao sistema como operação epistêmica: Metodologia e aplicação à ciên...A redução ao sistema como operação epistêmica: Metodologia e aplicação à ciên...
A redução ao sistema como operação epistêmica: Metodologia e aplicação à ciên...
 
The editorial peer review system: Towards a comprehensive description with th...
The editorial peer review system: Towards a comprehensive description with th...The editorial peer review system: Towards a comprehensive description with th...
The editorial peer review system: Towards a comprehensive description with th...
 
Sistemas-de-informacao-2o-Reducao-Ao-Sistema_Bunge
Sistemas-de-informacao-2o-Reducao-Ao-Sistema_BungeSistemas-de-informacao-2o-Reducao-Ao-Sistema_Bunge
Sistemas-de-informacao-2o-Reducao-Ao-Sistema_Bunge
 
Visión Sistémica de la Evaluación Por Pares en Ciencia
Visión Sistémica de la Evaluación Por Pares en Ciencia Visión Sistémica de la Evaluación Por Pares en Ciencia
Visión Sistémica de la Evaluación Por Pares en Ciencia
 
Cosmovisión, estrategia y métodos de investigación: opciones teórico-metodoló...
Cosmovisión, estrategia y métodos de investigación: opciones teórico-metodoló...Cosmovisión, estrategia y métodos de investigación: opciones teórico-metodoló...
Cosmovisión, estrategia y métodos de investigación: opciones teórico-metodoló...
 
El sistema de revisión por pares
El sistema de revisión por paresEl sistema de revisión por pares
El sistema de revisión por pares
 
Revisão por pares na aprendizagem: 17 anos de prática e pesquisa no Projeto Par
Revisão por pares na aprendizagem: 17 anos de prática e pesquisa no Projeto ParRevisão por pares na aprendizagem: 17 anos de prática e pesquisa no Projeto Par
Revisão por pares na aprendizagem: 17 anos de prática e pesquisa no Projeto Par
 
Atores, fatores, relações e mecanismos da revisão por pares editorial
Atores, fatores, relações e mecanismos da revisão por pares editorialAtores, fatores, relações e mecanismos da revisão por pares editorial
Atores, fatores, relações e mecanismos da revisão por pares editorial
 
Repositório institucional como sistema técnico-social: composição, ambiente e...
Repositório institucional como sistema técnico-social: composição, ambiente e...Repositório institucional como sistema técnico-social: composição, ambiente e...
Repositório institucional como sistema técnico-social: composição, ambiente e...
 
Revisão por pares: Como funciona (?) e nossas pesquisas no tema
Revisão por pares: Como funciona (?) e nossas pesquisas no temaRevisão por pares: Como funciona (?) e nossas pesquisas no tema
Revisão por pares: Como funciona (?) e nossas pesquisas no tema
 
Confiabilidade da revisão por pares recíproca anônima de propostas de mestrad...
Confiabilidade da revisão por pares recíproca anônima de propostas de mestrad...Confiabilidade da revisão por pares recíproca anônima de propostas de mestrad...
Confiabilidade da revisão por pares recíproca anônima de propostas de mestrad...
 
Reunião do grupo de pesquisa Informação Científica - UFSC - 26/04/2012
Reunião do grupo de pesquisa Informação Científica - UFSC - 26/04/2012Reunião do grupo de pesquisa Informação Científica - UFSC - 26/04/2012
Reunião do grupo de pesquisa Informação Científica - UFSC - 26/04/2012
 
Painel Científico EGC/UFSC 2012: Abertura
Painel Científico EGC/UFSC 2012: AberturaPainel Científico EGC/UFSC 2012: Abertura
Painel Científico EGC/UFSC 2012: Abertura
 
O sistemismo de Bunge: fundamentos, abordagem metodológica e aplicação a sist...
O sistemismo de Bunge: fundamentos, abordagem metodológica e aplicação a sist...O sistemismo de Bunge: fundamentos, abordagem metodológica e aplicação a sist...
O sistemismo de Bunge: fundamentos, abordagem metodológica e aplicação a sist...
 
Currículo Lattes como credencial do pesquisador no sistema nacional de inovação
Currículo Lattes como credencial do pesquisador no sistema nacional de inovaçãoCurrículo Lattes como credencial do pesquisador no sistema nacional de inovação
Currículo Lattes como credencial do pesquisador no sistema nacional de inovação
 
Plataformas e-gov como sistemas sociotecnológicos
Plataformas e-gov como sistemas sociotecnológicosPlataformas e-gov como sistemas sociotecnológicos
Plataformas e-gov como sistemas sociotecnológicos
 
Growing a Peer Review Culture among Graduate Students (WCCE 2009)
Growing a Peer Review Culture among Graduate Students (WCCE 2009)Growing a Peer Review Culture among Graduate Students (WCCE 2009)
Growing a Peer Review Culture among Graduate Students (WCCE 2009)
 
Emergo: Academic Performance Assessment and Planning with a Data Mart (WCCE 2...
Emergo: Academic Performance Assessment and Planning with a Data Mart (WCCE 2...Emergo: Academic Performance Assessment and Planning with a Data Mart (WCCE 2...
Emergo: Academic Performance Assessment and Planning with a Data Mart (WCCE 2...
 

Último

Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
WilianeBarbosa2
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
Manuais Formação
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
LeticiaRochaCupaiol
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
erssstcontato
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
katbrochier1
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
Trabalho de Geografia industrialização.pdf
Trabalho de Geografia industrialização.pdfTrabalho de Geografia industrialização.pdf
Trabalho de Geografia industrialização.pdf
erico paulo rocha guedes
 
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
JohnnyLima16
 

Último (20)

Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....pptA Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
A Núbia e o Reino De Cuxe- 6º ano....ppt
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
1ª LEI DE OHN, CARACTERISTICAS IMPORTANTES.
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 12, Central Gospel, O Milênio, 1Tr24, Pr Henrique.pptx
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
Trabalho de Geografia industrialização.pdf
Trabalho de Geografia industrialização.pdfTrabalho de Geografia industrialização.pdf
Trabalho de Geografia industrialização.pdf
 
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
12072423052012Critica_Literaria_-_Aula_07.pdf
 

Ciência e métodos para a interdisciplinaridade (5o Workshop EGC/UFSC)

  • 1.
  • 2.
  • 3. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Programa de Pós Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento Professores Paulo Selig, Roberto Pacheco, Vinícius Kern SEMINÁRIOS DE PESQUISA EGC5005 2008
  • 4.
  • 5.
  • 6.
  • 7.
  • 8. Seminários de Pesquisa: Detalhes dos itens da proposta e da revisão A b
  • 9.
  • 10.
  • 11. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Programa de Pós Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento Professores Cristiano Cunha e Marina K. Nakayama MÉTODO QUALITATIVO EGC9002-12 2008
  • 12.
  • 13. PROGRAMA DA DISCIPLINA O que é ciência? Diferentes concepções da ciência Pesquisa e Metodologia Paradigmas na Pesquisa Qualitativa Design da Pesquisa Qualitativa Coleta de Dados e Análise de Dados
  • 14.
  • 15.
  • 16. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Programa de Pós Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento Professores Andrea Valéria Steil, Gertrudes Dandolini, João Artur de Souza MÉTODOS QUANTITATIVOS 2008
  • 17. Clamor científico atual Uso de diferentes métodos para a construção de teorias mais acuradas, generalizáveis e aplicáveis no contexto organizacional. CLARK, T.; FLOYD, S.; WRIGHT, M. On the review process and journal development. Journal of Management Studies , v. 43, p. 655-664, 2006. The Editors. Point-Counterpoint. Research methods in management research. Journal of Management Studies. V. 43, n. 8, p. 1799-1800, 2006. Por que artigos em revistas qualificadas são rejeitados? 70% dos artigos rejeitados para publicação no Journal of Management Studies o são em função de problemas no método de pesquisa .
  • 18. Método científico GAUCH, Hugh. Scientific Method in Practice . Cambridge University Press: Cambridge, 2003. Dois componentes: 1) Princípios gerais do método científico, compartilhados pela comunidade científica. b) Princípios da racionalidade Ex. lógica c) Elementos derivados do senso comum Ex. pressupostos, axiomas, premissas, visões de mundo. Princípios do método científico Astronomia Psicologia Química Geologia Microbiologia Princípios e técnicas 2) Técnicas específicas (inter) disciplinares (# métodos). Nem os princípios gerais nem as técnicas específicas substituem-se mutuamente. a) Princípios da ciência Ex. dependência de evidências, modelos e explicações parcimoniosos da realidade, etc. 1) Princípios gerais do método científico
  • 19. Objetivo da disciplina Objetivo de uma pesquisa quantitativa: Desenvolver generalizações que contribuam para o desenvolvimento teórico e que possibilitem uma melhor explicação , compreensão e previsão de um fenômeno humano ou social. Princípios e técnicas Princípios do método científico Engenharias Psicologia Sociologia Economia Administração Apresentar de forma clara e objetiva as técnicas e os métodos utilizados na pesquisa com delineamento quantitativo Pesquisas Interdisciplinares
  • 20. Tópicos da disciplina 1) Pesquisa quantitativa e paradigma quantitativo 2) Estrutura de um estudo quantitativo 2.1 Introdução: hiato na literatura, como o estudo preencherá o hiato ou replicar um estudo. 2.2 Revisão de literatura: variável independente, dependente, relação entre variáveis. 2.3 Método: delineamento, população, amostra, definição de variáveis, instrumentos para coleta de dados, delimitação e limitações. 2.4 Apresentação e análise/discussão/modelo 2.5 Conclusão 2.6 Demais elementos: Referências bibliográficas Apêndices Anexos Ontologia Epistemologia Axiologia Retórica Metodologia
  • 21. 4) Estatística descritiva e probabilidade (distribuição de freqüências, gráficos, medidas de síntese, probabilidade, distribuição de probabilidade). 5) Inferência estatística (estimadores, nível de confiança, distribuição t-student, tamanho da amostra). 6) Análise de regressão e multivariada. 3) Definições basilares em pesquisa quantitativa: construto, variável, hipótese, medida, população, amostra, validade, generalização (validade externa), delimitação, survey , experimento. Tópicos da disciplina
  • 22.
  • 23. Avaliação da disciplina 1. Compreender os princípios básicos da pesquisa quantitativa. 2 . Entender as técnicas utilizadas em pesquisa quantitativa Ex. Amostragem, teste de hipóteses, análise multivariada, ... Necessária para... 3. Saber que técnicas estatísticas são adequadas para determinado objetivo de pesquisa. 4. Saber interpretar os resultados obtidos e relacioná-los com o problema de pesquisa.
  • 24. Conclusão - Conteúdo extenso para 1 disciplina. Dividir a disciplina em duas (optativas): 1) Delineamento de pesquisa quantitativa 2) Técnicas analíticas para a pesquisa quantitativa
  • 25.
  • 26. 2 a parte Proposta para 2009 Introdução à Pesquisa Científica Introdução à Pesquisa Qualitativa Introdução à Pesquisa Quantitativa Técnicas Analíticas Seminários de Pesquisa
  • 27. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Programa de Pós Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento Professores proponentes: Andrea Steil, Cristiano Cunha, Gertrudes Dandolini, João Artur de Souza, Marina K. Nakayama, Vinícius Kern. INTRODUÇÃO À PESQUISA CIENTÍFICA PROPOSTA
  • 28.
  • 29. Comunidades de pesquisadores Normas e regras Professores Internos Revistas E Congressos Academia e Programa INTERDISCIPLINAR Temas e Focos de Pesquisa Instituições reguladoras Mestrandos Contexto: Ambiente Acadêmico Professores externos Doutorandos
  • 30. Conjunto sistemático e organizado de conhecimentos que apresentam características próprias nos planos do ensino, da formação, dos métodos e das matérias. Disciplinaridade Multidisciplinaridade Consiste em estudar um objeto sob diferentes ângulos, mas sem que tenha necessariamente havido um acordo prévio sobre os métodos a seguir ou sobre os conceitos a serem utilizados. (JAPIASSU, 1976) Passamos por graus sucessivos de cooperação e de coordenação crescentes antes de chegarmos ao grau próprio ao interdisciplinar. Este pode ser caracterizado como nível em que a colaboração entre as diversas disciplinas ou entre os setores heterogêneos de uma mesma ciência conduz a interações propriamente ditas , isto é, a uma certa reciprocidade nos intercâmbios, de tal forma que, no final do processo interativo, cada disciplina saia enriquecida. Interdisciplinaridade : Convergência na Engenharia e Gestão do Conhecimento
  • 31. Programa da disciplina: 1. Ciência e pesquisa 1.1 O que é ciência e o que é pesquisa científica 1.2 O conhecimento científico e outros tipos de conhecimento: tecnológico, filosófico, senso comum, etc. 2. Teoria científica 2.1 O que é uma teoria e o que não é uma teoria 2.2 Componentes de uma teoria 2.3 Atributos de uma boa teoria
  • 32. Programa da disciplina: 3. Degraus no desenvolvimento teórico 3.1 Sistema classificatório 3.2 Taxonomia 3.3 Modelo (em diferentes perspectivas) 3.4 Metodologia 3.5 Método 3.6 Framework conceitual 3.7 Arquitetura
  • 33. Programa da disciplina : 4. Dos paradigmas qualitativo e quantitativo aos métodos de pesquisa empírica Suposições subjacentes aos dois paradigmas: O ntológicas, epistemológicas, axiológicas, retóricas e metodológicas. Principais tradições em pesquisa qualitativa: Etnografias, grounded theories , fenomenológicas. Principais tradições em pesquisa quantitativa: Surveys e experimentos.
  • 34.
  • 35. Programa da disciplina: 6. Delineamento da pesquisa quantitativa 6.1 Paradigma quantitativo e objetivos da pesquisa quantitativa. 6.3 Pergunta de pesquisa, objetivo, construtos, variáveis, proposições, hipóteses, medidas. 6.2 A estrutura (forma) de uma dissertação ou tese quantitativa. 6.4 População e amostra (definição, tipos e cálculo). 6.5 Medidas analíticas (estatísticas) mais utilizadas. 6.6 Validade, confiabilidade e generalização dos resultados. 6.7 Surveys e experimentos.
  • 36.
  • 37. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Programa de Pós Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento Professores Marina K. Nakayama e Cristiano Cunha INTRODUÇÃO À PESQUISA QUALITATIVA 2009
  • 38.
  • 39.
  • 40. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Programa de Pós Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento Professores Andrea Valéria Steil, Gertrudes Dandolini, João Artur de Souza INTRODUÇÃO À PESQUISA QUANTITATIVA 2009
  • 41. Pesquisa empírica quantitativa 4. A codificação do conhecimento aumenta a memória organizacional . 1. Quanto maior a taxa de criação do conhecimento de uma organização maior será o seu desempenho . 2. O uso de narrativas aumenta o potencial de compartilhamento do conhecimento em grupos e organizações. 3. Mídias ricas em escopo diminuem as barreiras hierárquicas e permitem a participação mais igualitária dos colaboradores de diferentes níveis no compartilhamento do conhecimento. 5. Quanto maior a experiência profissional , mais positivas são as atitudes relacionadas ao trabalho .
  • 42. (b 1 ) (b 2 ) (d) Quanto maior a experiência profissional, mais positivas são as atitudes relacionadas ao trabalho. (c) X’ Y’ (a) Independente Dependente Conceitual Experiência profissional Atitudes no trabalho X Y Operacional N. de anos na organização Questionário preenchido pelos gerentes
  • 43. Pesquisa empírica quantitativa Generalização dos resultados : População Generalização estatística Generalização externa Amostra X Y X’ Y’ (d) X Y (D) X Y X’ Y’ (a) (c) (b 1 ) (b 2 ) (d) Outras populações Outros períodos Outras medidas Outras condições
  • 44. Objetivos e resultados esperados 3. Registrar os resultados da pesquisa em um documento com formato padrão (dissertação ou tese). Resultados – desenvolvimento das seguintes capacidades: 1. Apresentar as bases para o delineamento de pesquisas quantitativas empíricas. 2. Oferecer insumos para o desenvolvimento da competência de pesquisador e para o consumo inteligente da pesquisas de outros autores. Objetivos da disciplina: 1. Realizar o delineamento de uma pesquisa com bases quantitativas com o rigor necessário para garantir sua validade e a generalização dos seus resultados. 2. Analisar criticamente o delineamento e os resultados de pesquisas quantitativas realizadas por outros autores.
  • 45. Programa da disciplina 1. Modelo de pesquisa empírica 1.1 Paradigma quantitativo (ontologia, epistemologia, axiologia, retórica, metodologia) 1.1 Variáveis de pesquisa 1.2 Relações conceituais, operacionais e causais (no nível empírico) 2. Projeto de pesquisa empírica quantitativa 2.1 Introdução, pergunta de pesquisa, variáveis, objetivo, delimitação (escopo). 3. Mensuração e suas aplicações 3.1 Validade de construto e confiabilidade 3.2 Construção de questionários 3.3 Alternativas à construção de questionários: uso de dados secundários ou questionários já validados
  • 46. Programa da disciplina 4. Fundamentos do delineamento da pesquisa 4.1 Estudos de campo (ou surveys) – quando são realizados, população, amostra, técnicas de amostragem. 4.2 Experimentos e quase-experimentos - fundamentos 6. O registro da pesquisa em forma de dissertação ou tese 6.1 Questões de estrutura e forma ( templates clássicos e alternativos) 5. Generalização dos resultados (validade externa) 5.1 Replicações (ex. triangulação), meta-análise.
  • 47. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Programa de Pós Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento Professores Gertrudes Dandolini e João Artur de Souza Técnicas Analíticas para Pesquisa 2009
  • 48.
  • 49.
  • 50.
  • 51.
  • 52.
  • 53.
  • 54.

Notas do Editor

  1. Os professores que estão envolvidos nas disciplinas de métodos estão discutindo juntos os detalhes de uma disciplina introdutória. A idéia central é a construção conjunta e interfacetada com o seminário.