SlideShare uma empresa Scribd logo
Prof. Jonas Araújo
Blog: historiacomfarinha.blogspot.com
Grécia

Nesta aula, iremos             nos
perguntar      como se deu o
nascimento da política e da idéia
de cidadania.
Qual foi o contexto em que
surgiu a primeira experiência
social e a idéia de democracia?
O que significa fazer política?
Como isso pode se relacionar
com o nosso cotidiano?
Estudaremos também o lugar
social      dos jovens e das
mulheres na sociedade grega
antiga.
Análise de Imagens
 Observação inicial de caráter geral.
 Descrição detalhada dos elementos da
  imagem:
       Objetos, pessoas, disposição e o lugar que
        ocupam na imagem.
       Cores, formas, o contraste entre a luz e a
        sombra.
Análise de Imagens
   Estejam atentos aos planos:
     O que predomina na imagem?
     Qual a figura em destaque?
     O que tem caráter de fundo?
   Pergunte-se:
     Qual teria sido a intenção do autor?
     Em que contexto a imagem foi produzida?

APARTIR DE ENTÃO, CRIE UMA HIPÓTESE ACERCA DELA.
A infância no Brasil   A Juventude no Brasil
Contextualizando
   Qual o tema das situações retratadas?

   É possível identificar semelhanças e
    diferenças?

   Quais conceitos ligados a cidadania e
    democracia, podem ser lembrados a
    partir dessas imagens?
A democracia na Grécia antiga
   DEMOKRATÍA - Governo do povo.
     Soberania popular
     Distribuição igualitária do poder
   DEMOS - povo.
     Corresponde aos distritos atenienses da
     região da Ática.

         POVO                 HABITANTES
A democracia na Grécia antiga
   KRATOS = Governo.
     O “Governo do Povo” se baseava na política
        considerada um meio de realização do ser
        humano.
       Debater idéias
                                     Ser político
       Fazer uma escultura
       Participar em olimpíadas
       Estudar Geometria
Os excluídos da cidadania...
A Grécia atualmente é um país
europeu
Concentrou-se ao sul da Península Balcânica, nas ilhas do Mar Egeu
                    e no litoral da Ásia Menor
Fragmentação política
As Cidades Estado (pólis) –          Se
reconheciam pela unidade cultural.
CRONOLOGIA
       XX a.C.               XII a.C               VIII a.C.              VI a.C.                 IV a.C.

 Creto-Micênica           Homérico               Arcaico               Clássico               Helenístico

Sociedades            É chamado de           Período em que se     Período de maior        Período em que a
palacianas em Creta   homérico porque as     formaram as           brilho da civilização   Grécia foi
e Mecenas             principais fontes      cidades-Estado e da   grega.                  conquistada pela
                      escritas sobre este    expansão dos          Atenas e Esparta        Macedônia.
                      período são a Ilíada   gregos pelas          viveram seu apogeu,     As trocas culturais
                      e a Odisséia, obras    regiões próximas.     e os gregos             entre os gregos e os
                      atribuídas ao poeta                          envolveram-se em        orientais deram
                      Homero.                                      guerras prolongadas.    origem à cultura
                      A Ilíada trata da                                                    helenística.
                      Guerra de Tróia; a
                      Odisséia narra a
                      volta do herói grego
                      Ulisses, depois da
                      conquista da cidade
                      de Tróia.
Os cretenses criaram um império marítimo com grande
desenvolvimento do comércio, dominavam a escrita e
várias técnicas de construção e de linguagem artística.
Período creto-micênico


 • Cretenses – Domínio
 da Grécia Continental

 • Mínios – Primeiros a
 falarem o Grego

 • Micênicos – Domínio
 dos cretenses;
 construção de palácios;
 .
Período creto-micênico
   Os cretenses criaram um império
    sofisticado:
     Domínio das técnicas marítimas
     Desenvolvimento do comércio
     Dominavam a escrita.
     Técnicas de construção
     Linguagem artística.
Levas Migratórias
Por volta de 2000 a.C. a penísula do
Peloponeso passou a ser ocupada por
levas migratórias
Aqueus+Cretenses= Micenas
   Por volta de 1400 a.C. a sociedade micênica
    estava organizada, da seguinte forma:
Expansão micênica
   Em 1250 a.C. os reis micênicos
    invadiram a cidade de Tróia.
     Cerco durou 10 anos.


   Sua influência entra em crise com a
    chegada do dórios.
     Dispersão da população.
     Fortalecimento da aristocracia guerreira
Recebeu esse nome por ter sido o poeta Homero um dos
que registrou os acontecimentos dessa época, nos
poemas A Ilíada e A Odisséia.
Período Homérico
   A população dispersa desenvolveu a
    metalurgia do ferro.
     Avanço na agricultura.


   Hesído (aedo ou rapsodo) deixou
    relatos sobre o pensamento grego.
     Teogonia.
     Os Trabalhos
Representando    Ulisses
amarrado ao mastro de sua
embarcação para evitar a
sedução das sereias. 500-480
a.C.
Vaso grego para
armazenamento (stamnos)
"Aquiles e Ájax a jogar um jogo
de tabuleiro", de Exéquias. Séc.
VI a.C. (c. 540-530 a.C.). Argila.
Ânfora Grega
"Hércules contra duas
Amazonas", séc. VI a.C. (c.
530-525 a.C.). Argila.
Ânfora grega
Período Homérico
   Os centros urbanos eram pequenas
    aglomerações.
     Local da política e do comercio
     Ágora
     Acrópole
     Aumento considerável do número de
     escravos.
Acrópole
Ágora
Organização do espaço
urbano
Período Homérico
   A unidade básica de organização da
    vida social era o OIKOS.
     A produção e o consumo era regulada pelo
     PATRIARCA.
     ○ Chefe de uma grande família, o CLÃ.
   Conflitos pela terra levam a
    desagregação dos clãs.
     Hesíodo interroga-se sobre o caminho da
     justiça e do equilíbrio na sociedade.
“Tu , ó Perses, escuta a justiça e o
excesso não amplies! O excesso é mal ao
homem fraco e nem o poderoso facilmente
pode sustentá-lo e sob o seu peso
desmorona quando em desgraça cai; a
rota a seguir pelo outro lado é preferível:
leva ao justo; justiça sobrepõe-se a
Excesso quando se chega ao final: o
néscio aprende sofrendo”.


 HESÍODO, Os trabalhos e os dias. Tradução: Mary
  de Camargo Neves Lafer. São Paulo: Iluminuras.
                                      1991, p. 39




                                                    Hesíodo, c - 700
EQUILÍBRIO   EXAGERO
Período Homérico
   Concentração das terras nas mãos dos
    familiares mais próximos dos patriarcas.
     Surgimento das CIDADES-ESTADO.


   Os primeiras sinais da idéia de que o
    mundo é movido pela ação humana.

SOCIEDADE HUMANA = SOBERANIA DO VALOR RELIGIOSO
DESPERSONALIZADA.
Houve propriamente o desenvolvimento das cidades-
Estado gregas, politicamente independentes.
Período Arcaico
   As cidades eram governadas pelos
    arcontes.
     ARCHÉ (governo, comando) era renovada
     anualmente.

   A PÓLIS, nesta época, era ainda uma
    comunidade político-religiosa.
Organização do espaço
urbano
Período Arcaico
   As desigualdades e os conflitos
    permaneciam.
     Crise dos pequenos proprietários.


   No século VIII e VI a.C., a população
    rural reivindicava:
     Abolição das dividas
     Distribuição das terras.
Período Arcaico



    ...Em 594 a. C., Sólon (arconte de
        Atenas) empreendeu várias
    reformas que regulamentaram o
           estatuto do cidadão
Reformas de Sólon
Construção da cidadania
Apoikiai
Assim se instaura, na pólis, a democracia como o
sistema social, com um conjunto de regras e
procedimentos. Nele buscava-se a construção da
equidade e da justiça social.
Uma nova figura...
   Apesar das reformas as revoltas sociais
    continuavam, e para responder a essas
    tensões surgem os TIRANOS.

     Aristocratas que tomavam o poder.
     Apoiados por forças militares.
     Com apoio da população pobre.
Em fim a democracia
   Em Atenas o arconte Clístenes
    empreendeu reformas(508-507 a.C.)
     Base da democracia
 Limitar o poder das famílias ricas.
 Ampliação da participação dos
  cidadãos.
 Divisão do território ateniense.
As reformas de Clístenes
DEMOS = Menor divisão territorial




TRÍTIA = 30 Demos                        Ao todo eram 30 as Trítias
    •10 demos no litoral                     •10 no litoral
    •10 demos no campo                       •10 no campo
    •10 demos na cidade                      •10 na cidade




    10 TRIBOS, onde cada uma compreendia todos os
                    tipos de Trítias
As reformas de Clístenes
   No centro da cidade, cada uma das dez
    tribos era representada por 50
    membros.
     Bulé ou Conselho dos Quinhentos.
     Pritania – uma das dez partes do calendário
      anual (35 ou 36 dias).
     Eclesía - Assembléia com cidadãos acima
      de 20 anos.
Principio da política



    ...ISONOMIA, ou seja, a igualdade
       dos cidadãos perante a lei e o
              espaço público.
A escrita e a democracia
   Por volta de 750 a.C. surge o primeiro
    alfabeto grego.
     Baseado no alfabeto fenício (1050 a.C)
Curiosidades
 O escravo liberto tornava-se um
  estrangeiro(Meteco).
 Desenvolvimento máximo da arte e da filosofia
Genericamente, as póleis gregas acompanhavam a
organização das cidades de Atenas e Esparta.
Acrópole de Atenas(ruínas)
Atenas
   A mais poderosa pólis, tinha várias
    colônias no estrangeiro
     Colônias agrárias
     Colônias comerciais.
   A sociedade
     Cidadãos
     Metecos(estrangeiros)
     Escravos.
Atenas
   A mulher
     Era vista como um bem de troca
     Gineceu (espaço da mulher na casa)
   Ilha de Lesbos
     Dirigida pela poetisa Safo(Séc VII a.C.)
     Moças de família rica tinham acesso a uma
     escola para mulheres.
Atenas
O espaço aberto e o público.
Esparta
   Era formada por cinco aldeias e
    originou-se por volta do séc. XI a.C.
     Invasão dos dórios


   Com o aumento da população ocorreu
    sua expansão
     Os conquistados eram reduzidos a hilotas.
      ○ A esse grupo cabia o cultivo do Kleros.
Esparta
   Sociedade
     Os periecos eram homens livres com terras
      pouco férteis
     Os cidadãos eram homens livres com terras
      férteis.
     Os hilotas eram vinculados à terra e de
      propriedade do estado
Esparta
   A organização política da cidade.
     2 Reis (poder hereditário, funções religiosas
      e militares).
     Gerúsia – conselho de 28 cidadãos acima
      de 60 anos.
Helenismo
   Depois de várias guerras entre as
    cidades-Estado, Felipe, da Macedônia,
    conquistou a Grécia.
     Batalha de Queroneia (338 a.C)
   Alexandre Magno.
     Repressão das revoltas
     Expansão territorial.
Alexandre Magno.

   Conquistou a Ásia Menor, o Egito, a
    Mesopotâmia, a Pérsia e parte da Índia

   Quando morreu, em 323 a.C., seus
    generais começaram a disputar o poder.
Muito obrigado!!!!!

                 Jonas Araújo.
    e-mail: jr-jonas.ufam@hotmail.com
         twitter.com/jonasojuara
    historiacomfarinha.blogspot.com
Referências
 http://umolharsobreomundodasartes.blogspot.com
  .
 http://greciantiga.org/arquivo.asp?num=0070
 http://www.mundoeducacao.com.br/historiageral/
 MACHADO, Ronilde Rocha. História:
  Ensino Médio, 1º Série. Brasília: CIB –
  Cisbrasil, 2005.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Filosofia Política
Filosofia PolíticaFilosofia Política
Filosofia Política
José Ferreira Júnior
 
Estratificação social
Estratificação socialEstratificação social
Estratificação social
Beatriz cerqueira frança
 
O surgimento da filosofia
O surgimento da filosofiaO surgimento da filosofia
O surgimento da filosofia
Alison Nunes
 
Sociologia - Aula Introdutória
Sociologia - Aula IntrodutóriaSociologia - Aula Introdutória
Sociologia - Aula Introdutória
Paula Meyer Piagentini
 
Filosofia Grécia
Filosofia GréciaFilosofia Grécia
Filosofia Grécia
Luci Bonini
 
Introdução à Sociologia
Introdução à SociologiaIntrodução à Sociologia
Introdução à Sociologia
Alison Nunes
 
Filosofia clássica
Filosofia clássicaFilosofia clássica
Filosofia clássica
Helena Morita
 
Filosofia
Filosofia Filosofia
Filosofia
Erica Frau
 
FILOSOFIA GREGA
FILOSOFIA GREGAFILOSOFIA GREGA
FILOSOFIA GREGA
Manu Costa
 
Aula de filosofia antiga, tema: Sofistas
Aula de filosofia antiga, tema: SofistasAula de filosofia antiga, tema: Sofistas
Aula de filosofia antiga, tema: Sofistas
Leandro Nazareth Souto
 
Cap 2 os filosofos da natureza - postar
Cap 2   os filosofos da natureza - postarCap 2   os filosofos da natureza - postar
Cap 2 os filosofos da natureza - postar
José Ferreira Júnior
 
A Filosofia no Período Clássico
A Filosofia no Período ClássicoA Filosofia no Período Clássico
A Filosofia no Período Clássico
poxalivs
 
01 - O que é Sociologia
01 - O que é Sociologia01 - O que é Sociologia
01 - O que é Sociologia
Claudio Henrique Ramos Sales
 
Movimentos Sociais
Movimentos SociaisMovimentos Sociais
Movimentos Sociais
marifonseca
 
SISTEMAS DE GOVERNO 2ª AULA
SISTEMAS DE GOVERNO 2ª AULASISTEMAS DE GOVERNO 2ª AULA
Aulão ENEM filosofia e sociologia
Aulão ENEM filosofia e sociologiaAulão ENEM filosofia e sociologia
Aulão ENEM filosofia e sociologia
Gerson Coppes
 
Movimentos Sociais na Atualidade
Movimentos Sociais na AtualidadeMovimentos Sociais na Atualidade
Movimentos Sociais na Atualidade
Brenda Grazielle
 
Sociologia ii aula 1 - Cultura e Sociedade
Sociologia ii   aula 1 - Cultura e SociedadeSociologia ii   aula 1 - Cultura e Sociedade
Sociologia ii aula 1 - Cultura e Sociedade
Carmem Rocha
 
Atividade diagnostica filosofia e religiao 1 3 serie
Atividade diagnostica filosofia e religiao 1   3 serieAtividade diagnostica filosofia e religiao 1   3 serie
Atividade diagnostica filosofia e religiao 1 3 serie
Escola Estadual de São Paulo
 
Culturas jovens
Culturas jovensCulturas jovens
Culturas jovens
Edenilson Morais
 

Mais procurados (20)

Filosofia Política
Filosofia PolíticaFilosofia Política
Filosofia Política
 
Estratificação social
Estratificação socialEstratificação social
Estratificação social
 
O surgimento da filosofia
O surgimento da filosofiaO surgimento da filosofia
O surgimento da filosofia
 
Sociologia - Aula Introdutória
Sociologia - Aula IntrodutóriaSociologia - Aula Introdutória
Sociologia - Aula Introdutória
 
Filosofia Grécia
Filosofia GréciaFilosofia Grécia
Filosofia Grécia
 
Introdução à Sociologia
Introdução à SociologiaIntrodução à Sociologia
Introdução à Sociologia
 
Filosofia clássica
Filosofia clássicaFilosofia clássica
Filosofia clássica
 
Filosofia
Filosofia Filosofia
Filosofia
 
FILOSOFIA GREGA
FILOSOFIA GREGAFILOSOFIA GREGA
FILOSOFIA GREGA
 
Aula de filosofia antiga, tema: Sofistas
Aula de filosofia antiga, tema: SofistasAula de filosofia antiga, tema: Sofistas
Aula de filosofia antiga, tema: Sofistas
 
Cap 2 os filosofos da natureza - postar
Cap 2   os filosofos da natureza - postarCap 2   os filosofos da natureza - postar
Cap 2 os filosofos da natureza - postar
 
A Filosofia no Período Clássico
A Filosofia no Período ClássicoA Filosofia no Período Clássico
A Filosofia no Período Clássico
 
01 - O que é Sociologia
01 - O que é Sociologia01 - O que é Sociologia
01 - O que é Sociologia
 
Movimentos Sociais
Movimentos SociaisMovimentos Sociais
Movimentos Sociais
 
SISTEMAS DE GOVERNO 2ª AULA
SISTEMAS DE GOVERNO 2ª AULASISTEMAS DE GOVERNO 2ª AULA
SISTEMAS DE GOVERNO 2ª AULA
 
Aulão ENEM filosofia e sociologia
Aulão ENEM filosofia e sociologiaAulão ENEM filosofia e sociologia
Aulão ENEM filosofia e sociologia
 
Movimentos Sociais na Atualidade
Movimentos Sociais na AtualidadeMovimentos Sociais na Atualidade
Movimentos Sociais na Atualidade
 
Sociologia ii aula 1 - Cultura e Sociedade
Sociologia ii   aula 1 - Cultura e SociedadeSociologia ii   aula 1 - Cultura e Sociedade
Sociologia ii aula 1 - Cultura e Sociedade
 
Atividade diagnostica filosofia e religiao 1 3 serie
Atividade diagnostica filosofia e religiao 1   3 serieAtividade diagnostica filosofia e religiao 1   3 serie
Atividade diagnostica filosofia e religiao 1 3 serie
 
Culturas jovens
Culturas jovensCulturas jovens
Culturas jovens
 

Semelhante a Cidadania e democracia na antiguidade grecia

Roteiro de grécia antiga
Roteiro de grécia antigaRoteiro de grécia antiga
Roteiro de grécia antiga
Jonas Araújo
 
Grécia Antiga
Grécia AntigaGrécia Antiga
Grécia Antiga
Viviane Jordão Moro
 
Civilizações do Mundo
Civilizações do MundoCivilizações do Mundo
Civilizações do Mundo
PanquecasSIAA
 
Modelo grego parte 1
Modelo grego parte 1Modelo grego parte 1
Modelo grego parte 1
cattonia
 
História (Grécia)
História (Grécia)História (Grécia)
História (Grécia)
Giorgia Marrone
 
Grecia Antiga
Grecia AntigaGrecia Antiga
Grecia Antiga
Juliana Souza Ramos
 
Revisão hist. 1º ano
Revisão hist. 1º anoRevisão hist. 1º ano
Revisão hist. 1º ano
eunamahcado
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
2bimestre-161116215357.pdf
2bimestre-161116215357.pdf2bimestre-161116215357.pdf
2bimestre-161116215357.pdf
Elizeu filho
 
Grecia
GreciaGrecia
Grecia
Victor Melo
 
Antiguidade Clássica: Grécia e Roma
Antiguidade Clássica: Grécia e RomaAntiguidade Clássica: Grécia e Roma
Antiguidade Clássica: Grécia e Roma
Marilia Pimentel
 
Antiguidade ocidental completo
Antiguidade ocidental completoAntiguidade ocidental completo
Antiguidade ocidental completo
Carlos Glufke
 
Grecia
GreciaGrecia
Grecia
ISJ
 
ANTIGUIDADE CLÁSSICA - Grécia e Roma Antiga
ANTIGUIDADE CLÁSSICA - Grécia e Roma AntigaANTIGUIDADE CLÁSSICA - Grécia e Roma Antiga
ANTIGUIDADE CLÁSSICA - Grécia e Roma Antiga
Júlio Sandes
 
6 ano 3 trimestre exercicios rev provao
6 ano 3 trimestre exercicios rev provao6 ano 3 trimestre exercicios rev provao
6 ano 3 trimestre exercicios rev provao
Carlos Zaranza
 
Aula 4 grecia 2012
Aula 4 grecia  2012Aula 4 grecia  2012
Aula 4 grecia 2012
De Janks
 
Grecia Antiga: Atenas e Esparta
Grecia Antiga: Atenas e EspartaGrecia Antiga: Atenas e Esparta
Grecia Antiga: Atenas e Esparta
Alexandre Protásio
 
A civilização grega
A civilização gregaA civilização grega
A civilização grega
Darlene Celestina
 
A antiguidade clássica
A antiguidade clássicaA antiguidade clássica
A antiguidade clássica
DealdyPony
 
Primeiras Civilizações - Civilização Grega
Primeiras Civilizações - Civilização GregaPrimeiras Civilizações - Civilização Grega
Primeiras Civilizações - Civilização Grega
Diego Bian Filo Moreira
 

Semelhante a Cidadania e democracia na antiguidade grecia (20)

Roteiro de grécia antiga
Roteiro de grécia antigaRoteiro de grécia antiga
Roteiro de grécia antiga
 
Grécia Antiga
Grécia AntigaGrécia Antiga
Grécia Antiga
 
Civilizações do Mundo
Civilizações do MundoCivilizações do Mundo
Civilizações do Mundo
 
Modelo grego parte 1
Modelo grego parte 1Modelo grego parte 1
Modelo grego parte 1
 
História (Grécia)
História (Grécia)História (Grécia)
História (Grécia)
 
Grecia Antiga
Grecia AntigaGrecia Antiga
Grecia Antiga
 
Revisão hist. 1º ano
Revisão hist. 1º anoRevisão hist. 1º ano
Revisão hist. 1º ano
 
Trabalho
TrabalhoTrabalho
Trabalho
 
2bimestre-161116215357.pdf
2bimestre-161116215357.pdf2bimestre-161116215357.pdf
2bimestre-161116215357.pdf
 
Grecia
GreciaGrecia
Grecia
 
Antiguidade Clássica: Grécia e Roma
Antiguidade Clássica: Grécia e RomaAntiguidade Clássica: Grécia e Roma
Antiguidade Clássica: Grécia e Roma
 
Antiguidade ocidental completo
Antiguidade ocidental completoAntiguidade ocidental completo
Antiguidade ocidental completo
 
Grecia
GreciaGrecia
Grecia
 
ANTIGUIDADE CLÁSSICA - Grécia e Roma Antiga
ANTIGUIDADE CLÁSSICA - Grécia e Roma AntigaANTIGUIDADE CLÁSSICA - Grécia e Roma Antiga
ANTIGUIDADE CLÁSSICA - Grécia e Roma Antiga
 
6 ano 3 trimestre exercicios rev provao
6 ano 3 trimestre exercicios rev provao6 ano 3 trimestre exercicios rev provao
6 ano 3 trimestre exercicios rev provao
 
Aula 4 grecia 2012
Aula 4 grecia  2012Aula 4 grecia  2012
Aula 4 grecia 2012
 
Grecia Antiga: Atenas e Esparta
Grecia Antiga: Atenas e EspartaGrecia Antiga: Atenas e Esparta
Grecia Antiga: Atenas e Esparta
 
A civilização grega
A civilização gregaA civilização grega
A civilização grega
 
A antiguidade clássica
A antiguidade clássicaA antiguidade clássica
A antiguidade clássica
 
Primeiras Civilizações - Civilização Grega
Primeiras Civilizações - Civilização GregaPrimeiras Civilizações - Civilização Grega
Primeiras Civilizações - Civilização Grega
 

Mais de Jonas Araújo

Documento referencia conae 2022
Documento referencia conae 2022Documento referencia conae 2022
Documento referencia conae 2022
Jonas Araújo
 
Relatório de monitoramento pme
Relatório de monitoramento pmeRelatório de monitoramento pme
Relatório de monitoramento pme
Jonas Araújo
 
Analise de conjuntura social, eclesial e política
Analise de conjuntura social, eclesial e políticaAnalise de conjuntura social, eclesial e política
Analise de conjuntura social, eclesial e política
Jonas Araújo
 
Campanha da-fraternidade-2019
Campanha da-fraternidade-2019Campanha da-fraternidade-2019
Campanha da-fraternidade-2019
Jonas Araújo
 
As contradições do escola sem partido
As contradições do escola sem partidoAs contradições do escola sem partido
As contradições do escola sem partido
Jonas Araújo
 
Análise de conjuntura: Brasil 2017
Análise de conjuntura: Brasil 2017Análise de conjuntura: Brasil 2017
Análise de conjuntura: Brasil 2017
Jonas Araújo
 
A política brasileira novas formas de viver a democracia e república
A política brasileira novas formas de viver a democracia e repúblicaA política brasileira novas formas de viver a democracia e república
A política brasileira novas formas de viver a democracia e república
Jonas Araújo
 
Reajuste salarial SEDUC/AM e SEMED/Manaus
Reajuste salarial SEDUC/AM e SEMED/ManausReajuste salarial SEDUC/AM e SEMED/Manaus
Reajuste salarial SEDUC/AM e SEMED/Manaus
Jonas Araújo
 
Pce 2015 fotoetnografia
Pce 2015 fotoetnografiaPce 2015 fotoetnografia
Pce 2015 fotoetnografia
Jonas Araújo
 
Reforma política aleam
Reforma política aleamReforma política aleam
Reforma política aleam
Jonas Araújo
 
2ª fase... leitura de imagens respostas
2ª fase... leitura de imagens respostas2ª fase... leitura de imagens respostas
2ª fase... leitura de imagens respostas
Jonas Araújo
 
Jogos vorazes de história: II Guerra Mundial
Jogos vorazes de história: II Guerra MundialJogos vorazes de história: II Guerra Mundial
Jogos vorazes de história: II Guerra Mundial
Jonas Araújo
 
Jogos vorazes de história...slideshare
Jogos vorazes de história...slideshareJogos vorazes de história...slideshare
Jogos vorazes de história...slideshare
Jonas Araújo
 
Colonização da amazonia
Colonização da amazoniaColonização da amazonia
Colonização da amazonia
Jonas Araújo
 
O Estado brasileiro e a juventude
O Estado brasileiro e a juventudeO Estado brasileiro e a juventude
O Estado brasileiro e a juventude
Jonas Araújo
 
Docudrama quando o real se transforma em ficcional
Docudrama  quando o real se transforma em ficcionalDocudrama  quando o real se transforma em ficcional
Docudrama quando o real se transforma em ficcional
Jonas Araújo
 
Projeto político pedagógico dos movimentos sociais
Projeto político pedagógico dos movimentos sociaisProjeto político pedagógico dos movimentos sociais
Projeto político pedagógico dos movimentos sociais
Jonas Araújo
 
Protagonismo juvenil 3
Protagonismo juvenil 3Protagonismo juvenil 3
Protagonismo juvenil 3
Jonas Araújo
 
Enem e a disciplina de história
Enem e a disciplina de históriaEnem e a disciplina de história
Enem e a disciplina de história
Jonas Araújo
 
Juventude e participação política no século xxi
Juventude e participação política no século xxiJuventude e participação política no século xxi
Juventude e participação política no século xxi
Jonas Araújo
 

Mais de Jonas Araújo (20)

Documento referencia conae 2022
Documento referencia conae 2022Documento referencia conae 2022
Documento referencia conae 2022
 
Relatório de monitoramento pme
Relatório de monitoramento pmeRelatório de monitoramento pme
Relatório de monitoramento pme
 
Analise de conjuntura social, eclesial e política
Analise de conjuntura social, eclesial e políticaAnalise de conjuntura social, eclesial e política
Analise de conjuntura social, eclesial e política
 
Campanha da-fraternidade-2019
Campanha da-fraternidade-2019Campanha da-fraternidade-2019
Campanha da-fraternidade-2019
 
As contradições do escola sem partido
As contradições do escola sem partidoAs contradições do escola sem partido
As contradições do escola sem partido
 
Análise de conjuntura: Brasil 2017
Análise de conjuntura: Brasil 2017Análise de conjuntura: Brasil 2017
Análise de conjuntura: Brasil 2017
 
A política brasileira novas formas de viver a democracia e república
A política brasileira novas formas de viver a democracia e repúblicaA política brasileira novas formas de viver a democracia e república
A política brasileira novas formas de viver a democracia e república
 
Reajuste salarial SEDUC/AM e SEMED/Manaus
Reajuste salarial SEDUC/AM e SEMED/ManausReajuste salarial SEDUC/AM e SEMED/Manaus
Reajuste salarial SEDUC/AM e SEMED/Manaus
 
Pce 2015 fotoetnografia
Pce 2015 fotoetnografiaPce 2015 fotoetnografia
Pce 2015 fotoetnografia
 
Reforma política aleam
Reforma política aleamReforma política aleam
Reforma política aleam
 
2ª fase... leitura de imagens respostas
2ª fase... leitura de imagens respostas2ª fase... leitura de imagens respostas
2ª fase... leitura de imagens respostas
 
Jogos vorazes de história: II Guerra Mundial
Jogos vorazes de história: II Guerra MundialJogos vorazes de história: II Guerra Mundial
Jogos vorazes de história: II Guerra Mundial
 
Jogos vorazes de história...slideshare
Jogos vorazes de história...slideshareJogos vorazes de história...slideshare
Jogos vorazes de história...slideshare
 
Colonização da amazonia
Colonização da amazoniaColonização da amazonia
Colonização da amazonia
 
O Estado brasileiro e a juventude
O Estado brasileiro e a juventudeO Estado brasileiro e a juventude
O Estado brasileiro e a juventude
 
Docudrama quando o real se transforma em ficcional
Docudrama  quando o real se transforma em ficcionalDocudrama  quando o real se transforma em ficcional
Docudrama quando o real se transforma em ficcional
 
Projeto político pedagógico dos movimentos sociais
Projeto político pedagógico dos movimentos sociaisProjeto político pedagógico dos movimentos sociais
Projeto político pedagógico dos movimentos sociais
 
Protagonismo juvenil 3
Protagonismo juvenil 3Protagonismo juvenil 3
Protagonismo juvenil 3
 
Enem e a disciplina de história
Enem e a disciplina de históriaEnem e a disciplina de história
Enem e a disciplina de história
 
Juventude e participação política no século xxi
Juventude e participação política no século xxiJuventude e participação política no século xxi
Juventude e participação política no século xxi
 

Cidadania e democracia na antiguidade grecia

  • 1. Prof. Jonas Araújo Blog: historiacomfarinha.blogspot.com
  • 2. Grécia Nesta aula, iremos nos perguntar como se deu o nascimento da política e da idéia de cidadania. Qual foi o contexto em que surgiu a primeira experiência social e a idéia de democracia? O que significa fazer política? Como isso pode se relacionar com o nosso cotidiano? Estudaremos também o lugar social dos jovens e das mulheres na sociedade grega antiga.
  • 3.
  • 4. Análise de Imagens  Observação inicial de caráter geral.  Descrição detalhada dos elementos da imagem:  Objetos, pessoas, disposição e o lugar que ocupam na imagem.  Cores, formas, o contraste entre a luz e a sombra.
  • 5. Análise de Imagens  Estejam atentos aos planos:  O que predomina na imagem?  Qual a figura em destaque?  O que tem caráter de fundo?  Pergunte-se:  Qual teria sido a intenção do autor?  Em que contexto a imagem foi produzida? APARTIR DE ENTÃO, CRIE UMA HIPÓTESE ACERCA DELA.
  • 6. A infância no Brasil A Juventude no Brasil
  • 7. Contextualizando  Qual o tema das situações retratadas?  É possível identificar semelhanças e diferenças?  Quais conceitos ligados a cidadania e democracia, podem ser lembrados a partir dessas imagens?
  • 8. A democracia na Grécia antiga  DEMOKRATÍA - Governo do povo.  Soberania popular  Distribuição igualitária do poder  DEMOS - povo.  Corresponde aos distritos atenienses da região da Ática. POVO HABITANTES
  • 9. A democracia na Grécia antiga  KRATOS = Governo.  O “Governo do Povo” se baseava na política considerada um meio de realização do ser humano.  Debater idéias Ser político  Fazer uma escultura  Participar em olimpíadas  Estudar Geometria
  • 10. Os excluídos da cidadania...
  • 11. A Grécia atualmente é um país europeu
  • 12. Concentrou-se ao sul da Península Balcânica, nas ilhas do Mar Egeu e no litoral da Ásia Menor
  • 13. Fragmentação política As Cidades Estado (pólis) – Se reconheciam pela unidade cultural.
  • 14. CRONOLOGIA XX a.C. XII a.C VIII a.C. VI a.C. IV a.C. Creto-Micênica Homérico Arcaico Clássico Helenístico Sociedades É chamado de Período em que se Período de maior Período em que a palacianas em Creta homérico porque as formaram as brilho da civilização Grécia foi e Mecenas principais fontes cidades-Estado e da grega. conquistada pela escritas sobre este expansão dos Atenas e Esparta Macedônia. período são a Ilíada gregos pelas viveram seu apogeu, As trocas culturais e a Odisséia, obras regiões próximas. e os gregos entre os gregos e os atribuídas ao poeta envolveram-se em orientais deram Homero. guerras prolongadas. origem à cultura A Ilíada trata da helenística. Guerra de Tróia; a Odisséia narra a volta do herói grego Ulisses, depois da conquista da cidade de Tróia.
  • 15. Os cretenses criaram um império marítimo com grande desenvolvimento do comércio, dominavam a escrita e várias técnicas de construção e de linguagem artística.
  • 16. Período creto-micênico • Cretenses – Domínio da Grécia Continental • Mínios – Primeiros a falarem o Grego • Micênicos – Domínio dos cretenses; construção de palácios; .
  • 17. Período creto-micênico  Os cretenses criaram um império sofisticado:  Domínio das técnicas marítimas  Desenvolvimento do comércio  Dominavam a escrita.  Técnicas de construção  Linguagem artística.
  • 18. Levas Migratórias Por volta de 2000 a.C. a penísula do Peloponeso passou a ser ocupada por levas migratórias
  • 19.
  • 20. Aqueus+Cretenses= Micenas  Por volta de 1400 a.C. a sociedade micênica estava organizada, da seguinte forma:
  • 21. Expansão micênica  Em 1250 a.C. os reis micênicos invadiram a cidade de Tróia.  Cerco durou 10 anos.  Sua influência entra em crise com a chegada do dórios.  Dispersão da população.  Fortalecimento da aristocracia guerreira
  • 22. Recebeu esse nome por ter sido o poeta Homero um dos que registrou os acontecimentos dessa época, nos poemas A Ilíada e A Odisséia.
  • 23. Período Homérico  A população dispersa desenvolveu a metalurgia do ferro.  Avanço na agricultura.  Hesído (aedo ou rapsodo) deixou relatos sobre o pensamento grego.  Teogonia.  Os Trabalhos
  • 24. Representando Ulisses amarrado ao mastro de sua embarcação para evitar a sedução das sereias. 500-480 a.C. Vaso grego para armazenamento (stamnos)
  • 25. "Aquiles e Ájax a jogar um jogo de tabuleiro", de Exéquias. Séc. VI a.C. (c. 540-530 a.C.). Argila. Ânfora Grega
  • 26. "Hércules contra duas Amazonas", séc. VI a.C. (c. 530-525 a.C.). Argila. Ânfora grega
  • 27. Período Homérico  Os centros urbanos eram pequenas aglomerações.  Local da política e do comercio  Ágora  Acrópole  Aumento considerável do número de escravos.
  • 31. Período Homérico  A unidade básica de organização da vida social era o OIKOS.  A produção e o consumo era regulada pelo PATRIARCA. ○ Chefe de uma grande família, o CLÃ.  Conflitos pela terra levam a desagregação dos clãs.  Hesíodo interroga-se sobre o caminho da justiça e do equilíbrio na sociedade.
  • 32. “Tu , ó Perses, escuta a justiça e o excesso não amplies! O excesso é mal ao homem fraco e nem o poderoso facilmente pode sustentá-lo e sob o seu peso desmorona quando em desgraça cai; a rota a seguir pelo outro lado é preferível: leva ao justo; justiça sobrepõe-se a Excesso quando se chega ao final: o néscio aprende sofrendo”. HESÍODO, Os trabalhos e os dias. Tradução: Mary de Camargo Neves Lafer. São Paulo: Iluminuras. 1991, p. 39 Hesíodo, c - 700
  • 33. EQUILÍBRIO EXAGERO
  • 34. Período Homérico  Concentração das terras nas mãos dos familiares mais próximos dos patriarcas.  Surgimento das CIDADES-ESTADO.  Os primeiras sinais da idéia de que o mundo é movido pela ação humana. SOCIEDADE HUMANA = SOBERANIA DO VALOR RELIGIOSO DESPERSONALIZADA.
  • 35. Houve propriamente o desenvolvimento das cidades- Estado gregas, politicamente independentes.
  • 36. Período Arcaico  As cidades eram governadas pelos arcontes.  ARCHÉ (governo, comando) era renovada anualmente.  A PÓLIS, nesta época, era ainda uma comunidade político-religiosa.
  • 38. Período Arcaico  As desigualdades e os conflitos permaneciam.  Crise dos pequenos proprietários.  No século VIII e VI a.C., a população rural reivindicava:  Abolição das dividas  Distribuição das terras.
  • 39. Período Arcaico ...Em 594 a. C., Sólon (arconte de Atenas) empreendeu várias reformas que regulamentaram o estatuto do cidadão
  • 43. Assim se instaura, na pólis, a democracia como o sistema social, com um conjunto de regras e procedimentos. Nele buscava-se a construção da equidade e da justiça social.
  • 44. Uma nova figura...  Apesar das reformas as revoltas sociais continuavam, e para responder a essas tensões surgem os TIRANOS.  Aristocratas que tomavam o poder.  Apoiados por forças militares.  Com apoio da população pobre.
  • 45. Em fim a democracia  Em Atenas o arconte Clístenes empreendeu reformas(508-507 a.C.)  Base da democracia  Limitar o poder das famílias ricas.  Ampliação da participação dos cidadãos.  Divisão do território ateniense.
  • 46. As reformas de Clístenes
  • 47. DEMOS = Menor divisão territorial TRÍTIA = 30 Demos Ao todo eram 30 as Trítias •10 demos no litoral •10 no litoral •10 demos no campo •10 no campo •10 demos na cidade •10 na cidade 10 TRIBOS, onde cada uma compreendia todos os tipos de Trítias
  • 48. As reformas de Clístenes  No centro da cidade, cada uma das dez tribos era representada por 50 membros.  Bulé ou Conselho dos Quinhentos.  Pritania – uma das dez partes do calendário anual (35 ou 36 dias).  Eclesía - Assembléia com cidadãos acima de 20 anos.
  • 49. Principio da política ...ISONOMIA, ou seja, a igualdade dos cidadãos perante a lei e o espaço público.
  • 50. A escrita e a democracia  Por volta de 750 a.C. surge o primeiro alfabeto grego.  Baseado no alfabeto fenício (1050 a.C)
  • 51. Curiosidades  O escravo liberto tornava-se um estrangeiro(Meteco).  Desenvolvimento máximo da arte e da filosofia
  • 52. Genericamente, as póleis gregas acompanhavam a organização das cidades de Atenas e Esparta.
  • 54. Atenas  A mais poderosa pólis, tinha várias colônias no estrangeiro  Colônias agrárias  Colônias comerciais.  A sociedade  Cidadãos  Metecos(estrangeiros)  Escravos.
  • 55. Atenas  A mulher  Era vista como um bem de troca  Gineceu (espaço da mulher na casa)  Ilha de Lesbos  Dirigida pela poetisa Safo(Séc VII a.C.)  Moças de família rica tinham acesso a uma escola para mulheres.
  • 56. Atenas O espaço aberto e o público.
  • 57. Esparta  Era formada por cinco aldeias e originou-se por volta do séc. XI a.C.  Invasão dos dórios  Com o aumento da população ocorreu sua expansão  Os conquistados eram reduzidos a hilotas. ○ A esse grupo cabia o cultivo do Kleros.
  • 58. Esparta  Sociedade  Os periecos eram homens livres com terras pouco férteis  Os cidadãos eram homens livres com terras férteis.  Os hilotas eram vinculados à terra e de propriedade do estado
  • 59. Esparta  A organização política da cidade.  2 Reis (poder hereditário, funções religiosas e militares).  Gerúsia – conselho de 28 cidadãos acima de 60 anos.
  • 60.
  • 61. Helenismo  Depois de várias guerras entre as cidades-Estado, Felipe, da Macedônia, conquistou a Grécia.  Batalha de Queroneia (338 a.C)  Alexandre Magno.  Repressão das revoltas  Expansão territorial.
  • 62. Alexandre Magno.  Conquistou a Ásia Menor, o Egito, a Mesopotâmia, a Pérsia e parte da Índia  Quando morreu, em 323 a.C., seus generais começaram a disputar o poder.
  • 63. Muito obrigado!!!!! Jonas Araújo. e-mail: jr-jonas.ufam@hotmail.com twitter.com/jonasojuara historiacomfarinha.blogspot.com
  • 64. Referências  http://umolharsobreomundodasartes.blogspot.com .  http://greciantiga.org/arquivo.asp?num=0070  http://www.mundoeducacao.com.br/historiageral/  MACHADO, Ronilde Rocha. História: Ensino Médio, 1º Série. Brasília: CIB – Cisbrasil, 2005.