SlideShare uma empresa Scribd logo
AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CASTRO VERDE
Ciências Naturais – 8º ano
by Ana Kastroby Ana Kastro
De que se
“alimentam” as
plantas? ...
De que se
“alimentam” as
plantas? ...
by Ana Kastro
by Ana Kastro
... O segredo está
na !
Processo através do qual as plantas,
algas e algumas bactérias conseguem
produzir
MATÉRIA ORGÂNICA
(podemos considerar que é o seu “alimento”)
by Ana Kastro
Processo através do qual as plantas,
algas e algumas bactérias conseguem
produzir
MATÉRIA ORGÂNICA
(podemos considerar que é o seu “alimento”)
Para que se realize fotossíntese é
necessário:
- ÁGUA e SAIS MINERAIS
- DIÓXIDO DE CARBONO
- LUZ
Para que se realize fotossíntese é
necessário:
- ÁGUA e SAIS MINERAIS
- DIÓXIDO DE CARBONO
- LUZ
Energia luminosa
MATÉRIAMINERAL/INORGÂNICA
Energia química
ESTE É TALVEZ O SLIDE
MAIS IMPORTANTE DO 8º
ANO.
ESTE É TALVEZ O SLIDE
MAIS IMPORTANTE DO 8º
ANO.
Contida nos alimentos
by Ana Kastro
+ sais minerais
Matéria
orgânica
MATÉRIAMINERAL/INORGÂNICA
SERES AUTOTRÓFICOSSERES AUTOTRÓFICOS
SERES CAPAZES DE PRODUZIR MATÉRIA ORGÂNICA
São independentes em termos alimentares e, por isso, encontram-se na base das cadeias alimentares
by Ana Kastro
SERES HETEROTRÓFICOSSERES HETEROTRÓFICOS
SERES INCAPAZES DE PRODUZIR MATÉRIA ORGÂNICA – TÊM DE
A CONSUMIR (para que consigam obter energia e alimento)
http://www.youtube.com/watch?v=6rLtW85Ds6k
by Ana Kastro
http://www.youtu
be.com/watch?v
=xFQ_fO2D7f0
http://www.youtu
be.com/watch?v
=xFQ_fO2D7f0
Conjunto de seres vivos
aquáticos, microscópicos com
capacidade fotossintética
by Ana Kastro
Produtor
Consumidor de 1ª ordem
Consumidor de 2ª ordem
1º NÍVEL
TRÓFICO
2º NÍVEL
TRÓFICO
by Ana Kastro
Consumidor de 2ª ordem
Consumidor de 3ª ordem
(serve de alimento a...)
2º NÍVEL
TRÓFICO
3º NÍVEL
TRÓFICO
4º NÍVEL
TRÓFICOPág. 54 e 55 do manual – estudar!
Numa teia
alimentar o
mesmo ser
vivo (sapo)
pode ocupar
níveis tróficos
diferentes!
Numa teia
alimentar o
mesmo ser
vivo (sapo)
pode ocupar
níveis tróficos
diferentes!
E
G
H
i
J
by Ana Kastro
Numa teia
alimentar o
mesmo ser
vivo (sapo)
pode ocupar
níveis tróficos
diferentes!
Numa teia
alimentar o
mesmo ser
vivo (sapo)
pode ocupar
níveis tróficos
diferentes!
A
B
C
D
F
G
Pág. 57 e 58 do manual – estudar!
by Ana Kastro
A matéria orgânica
faz agora parte das
folhas !!!
by Ana Kastro
É FÁCIL COMPREENDER QUE, ATRAVÉS DE
RELAÇÕES ALIMENTARES, A MATÉRIA
ORGÂNICA VAI SENDO SUCESSIVAMENTE
TRANSFERIDA ATRAVÉS DOS SERES VIVOS!
A MATÉRIA ORGÂNICA VAI SENDO
TRANSFERIDA AO LONGO DOS NÍVEIS
TRÓFICOS.
A MATÉRIA ORGÂNICA VAI SENDO
TRANSFERIDA AO LONGO DOS NÍVEIS
TRÓFICOS.
by Ana Kastro
Provavelmente será
este o “fim” do coelho.
by Ana Kastro
by Ana Kastro
O QUE ACONTECE AOS SERES
VIVOS QUANDO MORREM?
O QUE ACONTECE AOS SERES
VIVOS QUANDO MORREM?
http://www.yout
ube.com/watch
?v=C6sFP_7Ve
zg
by Ana Kastro
http://www.yout
ube.com/watch
?v=C6sFP_7Ve
zg
O QUE ACONTECE AOS SERES
VIVOS QUANDO MORREM?
O QUE ACONTECE AOS SERES
VIVOS QUANDO MORREM?
by Ana Kastro
http://techalive.mtu.edu/meec/module10/Decomposition.htmhttp://techalive.mtu.edu/meec/module10/Decomposition.htm
by Ana Kastro
GRUPO DE SERES VIVOS
(fungos, bactérias, vermes)
CAPAZ DE DECOMPOR A
MATÉRIA ORGÂNICA
DOS RESTOS
MORTAIS/FEZES DE
OUTROS SERES VIVOS,
TRANSFORMANDO-A EM
MATÉRIA INORGÂNICA
(MINERAL)
by Ana Kastro
GRUPO DE SERES VIVOS
(fungos, bactérias, vermes)
CAPAZ DE DECOMPOR A
MATÉRIA ORGÂNICA
DOS RESTOS
MORTAIS/FEZES DE
OUTROS SERES VIVOS,
TRANSFORMANDO-A EM
MATÉRIA INORGÂNICA
(MINERAL)
by Ana Kastro
MATÉRIA
ORGÂNICA
MATÉRIA
INORGÂNICA
by Ana Kastro
MATÉRIA
INORGÂNICA
M.O. M.O. M.O.
M.O.
by Ana Kastro
MATÉRIA INORGÂNICA
Os produtores fabricam matéria orgânica a
partir de matéria inorgânica através do
processo de fotossíntese.
Esta matéria orgânica vai sendo transferida
ao longo dos níveis tróficos já que os seres se
vão alimentando uns dos outros.
Sempre que algum morre ou deixa
excrementos, os decompositores entram em
ação! Eles transformam a matéria orgânica
dos cadáveres e/ou excrementos em matéria
inorgânica.
Assim, esta matéria inorgânica fica
novamente disponível para os produtores, não
se esgotando!
Os produtores fabricam matéria orgânica a
partir de matéria inorgânica através do
processo de fotossíntese.
Esta matéria orgânica vai sendo transferida
ao longo dos níveis tróficos já que os seres se
vão alimentando uns dos outros.
Sempre que algum morre ou deixa
excrementos, os decompositores entram em
ação! Eles transformam a matéria orgânica
dos cadáveres e/ou excrementos em matéria
inorgânica.
Assim, esta matéria inorgânica fica
novamente disponível para os produtores, não
se esgotando!
by Ana Kastro
Os produtores fabricam matéria orgânica a
partir de matéria inorgânica através do
processo de fotossíntese.
Esta matéria orgânica vai sendo transferida
ao longo dos níveis tróficos já que os seres se
vão alimentando uns dos outros.
Sempre que algum morre ou deixa
excrementos, os decompositores entram em
ação! Eles transformam a matéria orgânica
dos cadáveres e/ou excrementos em matéria
inorgânica.
Assim, esta matéria inorgânica fica
novamente disponível para os produtores, não
se esgotando!
Os produtores fabricam matéria orgânica a
partir de matéria inorgânica através do
processo de fotossíntese.
Esta matéria orgânica vai sendo transferida
ao longo dos níveis tróficos já que os seres se
vão alimentando uns dos outros.
Sempre que algum morre ou deixa
excrementos, os decompositores entram em
ação! Eles transformam a matéria orgânica
dos cadáveres e/ou excrementos em matéria
inorgânica.
Assim, esta matéria inorgânica fica
novamente disponível para os produtores, não
se esgotando!
by Ana Kastro
by Ana Kastro
O sol é a fonte
primária e
principal de
energia num
ecossistema!
O sol é a fonte
primária e
principal de
energia num
ecossistema!
by Ana Kastro
O sol é a fonte
primária e
principal de
energia num
ecossistema!
O sol é a fonte
primária e
principal de
energia num
ecossistema!
Os seres fotossintéticos não captam toda a
energia proveniente do sol…
Os seres fotossintéticos não captam toda a
energia proveniente do sol…
Em relação à energia
inicialmente captada, vão
existindo gastos de energia
por parte dos seres vivos e,
por isso, a energia que passa
para o nível trófico seguinte
vai diminuindo…
Em relação à energia
inicialmente captada, vão
existindo gastos de energia
por parte dos seres vivos e,
por isso, a energia que passa
para o nível trófico seguinte
vai diminuindo…
by Ana Kastro
by Ana Kastro
by Ana Kastro
EnergiaEnergia
EnergiaEnergia
by Ana Kastro
EnergiaEnergia
EnergiaEnergia
A energia solar é captada pelas plantas,
transformada em energia química e, através da
alimentação, passa para outros organismos, não
voltando ao sol! A energia é transferida numa só
direção: dos produtores para os consmidores –
diz-se por isso que se trata de um fluxo
unidirecional de energia!
Aumentodoníveltrófico
Diminuiçãodaenergiadisponível
by Ana Kastro
Aumentodoníveltrófico
Diminuiçãodaenergiadisponível
by Ana Kastro
Muitas vezes as cadeias alimentares podem
ser representadas numa pirâmide
Muitas vezes as cadeias alimentares podem
ser representadas numa pirâmide
by Ana Kastro
São representações
gráficas das cadeias
alimentares!
2.º nível trófico – Consumidores primários2.º nível trófico – Consumidores primários
3.º nível trófico – Consumidores secundários3.º nível trófico – Consumidores secundários
4.º nível trófico – Consumidores terciários4.º nível trófico – Consumidores terciários
5.º nível trófico – Consumidores quaternários5.º nível trófico – Consumidores quaternários
by Ana Kastro
1.º nível trófico – Produtores1.º nível trófico – Produtores
Cada “degrau” corresponde a um
nível trófico...
... de números... de números
... de biomassa... de biomassa
by Ana Kastro
... de biomassa... de biomassa
... de energia... de energia
Geralmente, os
organismos mais
pequenos são comidos
por outros maiores –
assim, são necessários
muitos organismos
pequenos para
alimentar um maior!
... de números... de números
by Ana Kastro
Geralmente, os
organismos mais
pequenos são comidos
por outros maiores –
assim, são necessários
muitos organismos
pequenos para
alimentar um maior!
Quando o produtor é uma planta de
grande porte, a pirâmide de números
pode estar invertida!
... de números... de números
by Ana Kastro
árvores
... de biomassa... de biomassa
Relacionado com o
peso (seco) de cada
nível trófico que é
necessário para
suportar o seguinte ...
by Ana Kastro
Relacionado com o
peso (seco) de cada
nível trófico que é
necessário para
suportar o seguinte ...
É necessária uma tonelada de produtores para obter 100 kg
de consumidores de 1ª ordem... E assim sucessivamente!
Representa as perdas
de energia que vão
ocorrendo ao longo
dos níveis tróficos!
(ESTE TIPO DE
PIRÂMIDE NUNCA
SURGE NA FORMA
INVERTIDA)
... de energia... de energia
by Ana Kastro
Representa as perdas
de energia que vão
ocorrendo ao longo
dos níveis tróficos!
(ESTE TIPO DE
PIRÂMIDE NUNCA
SURGE NA FORMA
INVERTIDA)
Ciclo da matéria e fluxo energia
2 - O que aconteceria aos ecossistemas
caso não existissem decompositores?
1 - Explica o ciclo da matéria.
by Ana Kastro
2 - O que aconteceria aos ecossistemas
caso não existissem decompositores?
3 - Explica por que motivo se pode
afirmar que num ecossistema a matéria
descreve um ciclo.
4 - Explica por que motivo se pode afirmar
que num ecossistema a energia descreve um
fluxo unidireccional
5 - Explica por que motivo dificilmente
existem cadeias alimentares com mais de 7/8
níveis tróficos…
by Ana Kastro
http://www.sheppardsoftware.com/science.htmhttp://www.sheppardsoftware.com/science.htm
5 - Explica por que motivo dificilmente
existem cadeias alimentares com mais de 7/8
níveis tróficos…
6 - Explica por
que motivo se
representam os
decompositores nas
pirâmides
alimentares com
uma barra vertical.
by Ana Kastro
6 - Explica por
que motivo se
representam os
decompositores nas
pirâmides
alimentares com
uma barra vertical.
Ciclo da matéria e fluxo energia

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula Biodiversidade
Aula BiodiversidadeAula Biodiversidade
Aula Biodiversidade
Plínio Gonçalves
 
Fluxo de energia no ecossistema
Fluxo de energia no ecossistemaFluxo de energia no ecossistema
Fluxo de energia no ecossistema
Reinan Santos
 
Aula 6º ano - Estrutura do planeta Terra, rochas e solos
Aula 6º ano - Estrutura do planeta Terra, rochas e solosAula 6º ano - Estrutura do planeta Terra, rochas e solos
Aula 6º ano - Estrutura do planeta Terra, rochas e solos
Leonardo Kaplan
 
Sucessão ecologica
Sucessão ecologicaSucessão ecologica
Sucessão ecologica
Marcia Bantim
 
Cadeia alimentar
Cadeia alimentarCadeia alimentar
Cadeia alimentar
Ivaneide B S
 
7 ano classificação dos seres vivos
7 ano classificação dos seres vivos7 ano classificação dos seres vivos
7 ano classificação dos seres vivos
crisbassanimedeiros
 
Classificação dos Seres Vivos
Classificação dos Seres VivosClassificação dos Seres Vivos
Classificação dos Seres Vivos
Juliana Mendes
 
Cadeia e teias alimentares
Cadeia e teias alimentaresCadeia e teias alimentares
Cadeia e teias alimentares
Gabriela de Lima
 
Reprodução Animal
Reprodução AnimalReprodução Animal
Reprodução Animal
César Milani
 
Ecossistemas brasileiros
Ecossistemas brasileirosEcossistemas brasileiros
Ecossistemas brasileiros
Edna Uliana
 
Aula 7º ano - Os cinco reinos dos seres vivos/ Reino Monera
Aula 7º ano - Os cinco reinos dos seres vivos/ Reino MoneraAula 7º ano - Os cinco reinos dos seres vivos/ Reino Monera
Aula 7º ano - Os cinco reinos dos seres vivos/ Reino Monera
Leonardo Kaplan
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
PIBID Joel Job
 
Fotossíntese
FotossínteseFotossíntese
Fotossíntese
prodeinha
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
Jézili Dias
 
Ecossistemas
EcossistemasEcossistemas
Ecossistemas
Tânia Reis
 
Reprodução nas plantas
Reprodução nas plantasReprodução nas plantas
Reprodução nas plantas
danielpinheiro
 
Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas
Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemasFluxo de matéria e de energia nos ecossistemas
Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas
Alpha Colégio e Vestibulares
 
Seleção natural e adaptação
Seleção natural e adaptaçãoSeleção natural e adaptação
Seleção natural e adaptação
Kamila Joyce
 
Agua 6º ano
Agua 6º anoAgua 6º ano
Agua 6º ano
giovannimusetti
 
Capítulo 2 a adaptação dos seres vivos
Capítulo 2   a adaptação dos seres vivosCapítulo 2   a adaptação dos seres vivos
Capítulo 2 a adaptação dos seres vivos
Daniel de Oliveira
 

Mais procurados (20)

Aula Biodiversidade
Aula BiodiversidadeAula Biodiversidade
Aula Biodiversidade
 
Fluxo de energia no ecossistema
Fluxo de energia no ecossistemaFluxo de energia no ecossistema
Fluxo de energia no ecossistema
 
Aula 6º ano - Estrutura do planeta Terra, rochas e solos
Aula 6º ano - Estrutura do planeta Terra, rochas e solosAula 6º ano - Estrutura do planeta Terra, rochas e solos
Aula 6º ano - Estrutura do planeta Terra, rochas e solos
 
Sucessão ecologica
Sucessão ecologicaSucessão ecologica
Sucessão ecologica
 
Cadeia alimentar
Cadeia alimentarCadeia alimentar
Cadeia alimentar
 
7 ano classificação dos seres vivos
7 ano classificação dos seres vivos7 ano classificação dos seres vivos
7 ano classificação dos seres vivos
 
Classificação dos Seres Vivos
Classificação dos Seres VivosClassificação dos Seres Vivos
Classificação dos Seres Vivos
 
Cadeia e teias alimentares
Cadeia e teias alimentaresCadeia e teias alimentares
Cadeia e teias alimentares
 
Reprodução Animal
Reprodução AnimalReprodução Animal
Reprodução Animal
 
Ecossistemas brasileiros
Ecossistemas brasileirosEcossistemas brasileiros
Ecossistemas brasileiros
 
Aula 7º ano - Os cinco reinos dos seres vivos/ Reino Monera
Aula 7º ano - Os cinco reinos dos seres vivos/ Reino MoneraAula 7º ano - Os cinco reinos dos seres vivos/ Reino Monera
Aula 7º ano - Os cinco reinos dos seres vivos/ Reino Monera
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
 
Fotossíntese
FotossínteseFotossíntese
Fotossíntese
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
 
Ecossistemas
EcossistemasEcossistemas
Ecossistemas
 
Reprodução nas plantas
Reprodução nas plantasReprodução nas plantas
Reprodução nas plantas
 
Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas
Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemasFluxo de matéria e de energia nos ecossistemas
Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas
 
Seleção natural e adaptação
Seleção natural e adaptaçãoSeleção natural e adaptação
Seleção natural e adaptação
 
Agua 6º ano
Agua 6º anoAgua 6º ano
Agua 6º ano
 
Capítulo 2 a adaptação dos seres vivos
Capítulo 2   a adaptação dos seres vivosCapítulo 2   a adaptação dos seres vivos
Capítulo 2 a adaptação dos seres vivos
 

Destaque

3. fluxo de energia e ciclos de matéria
3. fluxo de energia e ciclos de matéria3. fluxo de energia e ciclos de matéria
3. fluxo de energia e ciclos de matéria
Margarida Cardoso
 
Resumo fluxo de energia e ciclo da matéria
Resumo fluxo de energia e ciclo da matériaResumo fluxo de energia e ciclo da matéria
Resumo fluxo de energia e ciclo da matéria
Lucca
 
Fluxo de energia
Fluxo de energiaFluxo de energia
Fluxo de energia
Catir
 
Fluxo de energia e ciclo de matéra
Fluxo de energia e ciclo de matéraFluxo de energia e ciclo de matéra
Fluxo de energia e ciclo de matéra
Carla Brites
 
Fluxos de energia e ciclo de matéria i
Fluxos de energia e ciclo de matéria iFluxos de energia e ciclo de matéria i
Fluxos de energia e ciclo de matéria i
Cristina Vitória
 
Ciclos biogeoquímicos da água, carbono, oxigénio e azoto
Ciclos biogeoquímicos da água, carbono, oxigénio e azotoCiclos biogeoquímicos da água, carbono, oxigénio e azoto
Ciclos biogeoquímicos da água, carbono, oxigénio e azoto
Domingos Oliveira
 
Fluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemas
Fluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemasFluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemas
Fluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemas
isabelalexandrapinto
 
Ecossistemas - fatores abióticos
Ecossistemas - fatores abióticosEcossistemas - fatores abióticos
Ecossistemas - fatores abióticos
mariacarmoteixeira
 
4 ecossistemas
4 ecossistemas4 ecossistemas
4 ecossistemas
Catir
 
Factores Abióticos - Luz
Factores Abióticos - LuzFactores Abióticos - Luz
Factores Abióticos - Luz
Catir
 
Condições da terra que permitem a existência da vida
Condições da terra que permitem a existência da vidaCondições da terra que permitem a existência da vida
Condições da terra que permitem a existência da vida
cn2012
 
Factores Abióticos - Temperatura
Factores Abióticos - TemperaturaFactores Abióticos - Temperatura
Factores Abióticos - Temperatura
Catir
 
Factores Abióticos - Água
Factores Abióticos - ÁguaFactores Abióticos - Água
Factores Abióticos - Água
Catir
 
Factores Bióticos
Factores BióticosFactores Bióticos
Factores Bióticos
Catir
 
A célula
A célulaA célula
A célula
Catir
 
A terra como um sistema
A terra como um sistemaA terra como um sistema
A terra como um sistema
hugo dias
 
A célula
A célulaA célula
A célula
catiacsantos
 
Os Ciclos da Matéria: ciclos biogeoquímicos
Os Ciclos da Matéria: ciclos biogeoquímicosOs Ciclos da Matéria: ciclos biogeoquímicos
Os Ciclos da Matéria: ciclos biogeoquímicos
neivaldolucio
 
Fluxo De Energia E Ciclo De MatéRia
Fluxo De Energia E Ciclo De MatéRiaFluxo De Energia E Ciclo De MatéRia
Fluxo De Energia E Ciclo De MatéRia
8ºC
 
Aula 8º ano fluxo de energia
Aula 8º ano fluxo de energiaAula 8º ano fluxo de energia
Aula 8º ano fluxo de energia
Liliane Morgado
 

Destaque (20)

3. fluxo de energia e ciclos de matéria
3. fluxo de energia e ciclos de matéria3. fluxo de energia e ciclos de matéria
3. fluxo de energia e ciclos de matéria
 
Resumo fluxo de energia e ciclo da matéria
Resumo fluxo de energia e ciclo da matériaResumo fluxo de energia e ciclo da matéria
Resumo fluxo de energia e ciclo da matéria
 
Fluxo de energia
Fluxo de energiaFluxo de energia
Fluxo de energia
 
Fluxo de energia e ciclo de matéra
Fluxo de energia e ciclo de matéraFluxo de energia e ciclo de matéra
Fluxo de energia e ciclo de matéra
 
Fluxos de energia e ciclo de matéria i
Fluxos de energia e ciclo de matéria iFluxos de energia e ciclo de matéria i
Fluxos de energia e ciclo de matéria i
 
Ciclos biogeoquímicos da água, carbono, oxigénio e azoto
Ciclos biogeoquímicos da água, carbono, oxigénio e azotoCiclos biogeoquímicos da água, carbono, oxigénio e azoto
Ciclos biogeoquímicos da água, carbono, oxigénio e azoto
 
Fluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemas
Fluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemasFluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemas
Fluxo de energia e circulação de matéria nos ecossistemas
 
Ecossistemas - fatores abióticos
Ecossistemas - fatores abióticosEcossistemas - fatores abióticos
Ecossistemas - fatores abióticos
 
4 ecossistemas
4 ecossistemas4 ecossistemas
4 ecossistemas
 
Factores Abióticos - Luz
Factores Abióticos - LuzFactores Abióticos - Luz
Factores Abióticos - Luz
 
Condições da terra que permitem a existência da vida
Condições da terra que permitem a existência da vidaCondições da terra que permitem a existência da vida
Condições da terra que permitem a existência da vida
 
Factores Abióticos - Temperatura
Factores Abióticos - TemperaturaFactores Abióticos - Temperatura
Factores Abióticos - Temperatura
 
Factores Abióticos - Água
Factores Abióticos - ÁguaFactores Abióticos - Água
Factores Abióticos - Água
 
Factores Bióticos
Factores BióticosFactores Bióticos
Factores Bióticos
 
A célula
A célulaA célula
A célula
 
A terra como um sistema
A terra como um sistemaA terra como um sistema
A terra como um sistema
 
A célula
A célulaA célula
A célula
 
Os Ciclos da Matéria: ciclos biogeoquímicos
Os Ciclos da Matéria: ciclos biogeoquímicosOs Ciclos da Matéria: ciclos biogeoquímicos
Os Ciclos da Matéria: ciclos biogeoquímicos
 
Fluxo De Energia E Ciclo De MatéRia
Fluxo De Energia E Ciclo De MatéRiaFluxo De Energia E Ciclo De MatéRia
Fluxo De Energia E Ciclo De MatéRia
 
Aula 8º ano fluxo de energia
Aula 8º ano fluxo de energiaAula 8º ano fluxo de energia
Aula 8º ano fluxo de energia
 

Semelhante a Ciclo da matéria e fluxo energia

Apresentação cadeias
Apresentação cadeiasApresentação cadeias
Apresentação cadeias
Angela Boucinha
 
Dinâmica das populações e sustentabilidade
Dinâmica das populações e sustentabilidadeDinâmica das populações e sustentabilidade
Dinâmica das populações e sustentabilidade
Ana Castro
 
Cadeia e teia_alimentar_5_e_6
Cadeia e teia_alimentar_5_e_6Cadeia e teia_alimentar_5_e_6
Cadeia e teia_alimentar_5_e_6
Raffaella Lima
 
Ecologia [biossomos.blogspot.com]
Ecologia [biossomos.blogspot.com]Ecologia [biossomos.blogspot.com]
Ecologia [biossomos.blogspot.com]
Biossomos Aragão
 
www.CentroApoio.com - Vídeo Aulas - Biologia - Cadeias Alimentares
www.CentroApoio.com - Vídeo Aulas - Biologia - Cadeias Alimentareswww.CentroApoio.com - Vídeo Aulas - Biologia - Cadeias Alimentares
www.CentroApoio.com - Vídeo Aulas - Biologia - Cadeias Alimentares
Vídeo Aulas Apoio
 
Bases da ecologia
Bases da ecologiaBases da ecologia
Bases da ecologia
Werner Mendoza Blanco
 
Aula - cadeia_e_teia_alimentar.ppt
Aula - cadeia_e_teia_alimentar.pptAula - cadeia_e_teia_alimentar.ppt
Aula - cadeia_e_teia_alimentar.ppt
RodrigoLucas51
 
Fluxo de energia
Fluxo de energia Fluxo de energia
Fluxo de energia
Rita Galrito
 
www.AulasEnsinoMedio.com.br - Biologia - Teia Alimentar e Cadeia Alimentar
www.AulasEnsinoMedio.com.br - Biologia -  Teia Alimentar e Cadeia Alimentarwww.AulasEnsinoMedio.com.br - Biologia -  Teia Alimentar e Cadeia Alimentar
www.AulasEnsinoMedio.com.br - Biologia - Teia Alimentar e Cadeia Alimentar
AulasEnsinoMedio
 
fluxo-de-energia-e-ciclos-de-matc3a9rias.ppt
fluxo-de-energia-e-ciclos-de-matc3a9rias.pptfluxo-de-energia-e-ciclos-de-matc3a9rias.ppt
fluxo-de-energia-e-ciclos-de-matc3a9rias.ppt
IsauraSilva13
 
54d82256-6e10-45c4-982f-f6c273b7908a.pdf
54d82256-6e10-45c4-982f-f6c273b7908a.pdf54d82256-6e10-45c4-982f-f6c273b7908a.pdf
54d82256-6e10-45c4-982f-f6c273b7908a.pdf
RefooOnline
 
Sucessão ecológica
Sucessão ecológicaSucessão ecológica
Sucessão ecológica
Deolinda Silva
 
A terra como um sistema
A terra como um sistemaA terra como um sistema
A terra como um sistema
Ana Castro
 
Por que as abelhas estão morrendo?
Por que as abelhas estão morrendo? Por que as abelhas estão morrendo?
Por que as abelhas estão morrendo?
Blanco agriCultura
 
Ecologia power point
Ecologia   power pointEcologia   power point
Ecologia power point
Suely namaste
 
Fluxo de energia e ciclos e de matéria
Fluxo de energia e ciclos e de matériaFluxo de energia e ciclos e de matéria
Fluxo de energia e ciclos e de matéria
Leonardo Alves
 
Origemdavida
OrigemdavidaOrigemdavida
Origemdavida
Magali Feldmann
 
Origemdavida
OrigemdavidaOrigemdavida
Origemdavida
Magali Feldmann
 
Aula5 2012 ecossistemas
Aula5 2012 ecossistemasAula5 2012 ecossistemas
Aula5 2012 ecossistemas
Rigo Rodrigues
 
Pirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicasPirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicas
URCA
 

Semelhante a Ciclo da matéria e fluxo energia (20)

Apresentação cadeias
Apresentação cadeiasApresentação cadeias
Apresentação cadeias
 
Dinâmica das populações e sustentabilidade
Dinâmica das populações e sustentabilidadeDinâmica das populações e sustentabilidade
Dinâmica das populações e sustentabilidade
 
Cadeia e teia_alimentar_5_e_6
Cadeia e teia_alimentar_5_e_6Cadeia e teia_alimentar_5_e_6
Cadeia e teia_alimentar_5_e_6
 
Ecologia [biossomos.blogspot.com]
Ecologia [biossomos.blogspot.com]Ecologia [biossomos.blogspot.com]
Ecologia [biossomos.blogspot.com]
 
www.CentroApoio.com - Vídeo Aulas - Biologia - Cadeias Alimentares
www.CentroApoio.com - Vídeo Aulas - Biologia - Cadeias Alimentareswww.CentroApoio.com - Vídeo Aulas - Biologia - Cadeias Alimentares
www.CentroApoio.com - Vídeo Aulas - Biologia - Cadeias Alimentares
 
Bases da ecologia
Bases da ecologiaBases da ecologia
Bases da ecologia
 
Aula - cadeia_e_teia_alimentar.ppt
Aula - cadeia_e_teia_alimentar.pptAula - cadeia_e_teia_alimentar.ppt
Aula - cadeia_e_teia_alimentar.ppt
 
Fluxo de energia
Fluxo de energia Fluxo de energia
Fluxo de energia
 
www.AulasEnsinoMedio.com.br - Biologia - Teia Alimentar e Cadeia Alimentar
www.AulasEnsinoMedio.com.br - Biologia -  Teia Alimentar e Cadeia Alimentarwww.AulasEnsinoMedio.com.br - Biologia -  Teia Alimentar e Cadeia Alimentar
www.AulasEnsinoMedio.com.br - Biologia - Teia Alimentar e Cadeia Alimentar
 
fluxo-de-energia-e-ciclos-de-matc3a9rias.ppt
fluxo-de-energia-e-ciclos-de-matc3a9rias.pptfluxo-de-energia-e-ciclos-de-matc3a9rias.ppt
fluxo-de-energia-e-ciclos-de-matc3a9rias.ppt
 
54d82256-6e10-45c4-982f-f6c273b7908a.pdf
54d82256-6e10-45c4-982f-f6c273b7908a.pdf54d82256-6e10-45c4-982f-f6c273b7908a.pdf
54d82256-6e10-45c4-982f-f6c273b7908a.pdf
 
Sucessão ecológica
Sucessão ecológicaSucessão ecológica
Sucessão ecológica
 
A terra como um sistema
A terra como um sistemaA terra como um sistema
A terra como um sistema
 
Por que as abelhas estão morrendo?
Por que as abelhas estão morrendo? Por que as abelhas estão morrendo?
Por que as abelhas estão morrendo?
 
Ecologia power point
Ecologia   power pointEcologia   power point
Ecologia power point
 
Fluxo de energia e ciclos e de matéria
Fluxo de energia e ciclos e de matériaFluxo de energia e ciclos e de matéria
Fluxo de energia e ciclos e de matéria
 
Origemdavida
OrigemdavidaOrigemdavida
Origemdavida
 
Origemdavida
OrigemdavidaOrigemdavida
Origemdavida
 
Aula5 2012 ecossistemas
Aula5 2012 ecossistemasAula5 2012 ecossistemas
Aula5 2012 ecossistemas
 
Pirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicasPirâmides ecológicas
Pirâmides ecológicas
 

Mais de Ana Castro

Sistema digestivo - doenças & Microbiota
Sistema digestivo - doenças & MicrobiotaSistema digestivo - doenças & Microbiota
Sistema digestivo - doenças & Microbiota
Ana Castro
 
Caderno de genética I - correção
Caderno de genética I - correçãoCaderno de genética I - correção
Caderno de genética I - correção
Ana Castro
 
Reprodução humana: mulher
Reprodução humana: mulherReprodução humana: mulher
Reprodução humana: mulher
Ana Castro
 
Reprodução humana - homem
Reprodução humana - homemReprodução humana - homem
Reprodução humana - homem
Ana Castro
 
Minerais.ppt
Minerais.pptMinerais.ppt
Minerais.ppt
Ana Castro
 
Deriva e tectónica
Deriva e tectónicaDeriva e tectónica
Deriva e tectónica
Ana Castro
 
Ciclos de vida - exercícios
Ciclos de vida - exercíciosCiclos de vida - exercícios
Ciclos de vida - exercícios
Ana Castro
 
Apoio síntese proteica
Apoio   síntese proteicaApoio   síntese proteica
Apoio síntese proteica
Ana Castro
 
Revisões s. respiratório, s nervoso, catabolismo [modo de compatibilidade]
Revisões s. respiratório, s nervoso, catabolismo [modo de compatibilidade]Revisões s. respiratório, s nervoso, catabolismo [modo de compatibilidade]
Revisões s. respiratório, s nervoso, catabolismo [modo de compatibilidade]
Ana Castro
 
Revisões fotossíntese, sistema digestivo, circulatório e translocação
Revisões fotossíntese, sistema digestivo, circulatório e translocaçãoRevisões fotossíntese, sistema digestivo, circulatório e translocação
Revisões fotossíntese, sistema digestivo, circulatório e translocação
Ana Castro
 
Estados físicos de matéria
Estados físicos de matériaEstados físicos de matéria
Estados físicos de matéria
Ana Castro
 
Revisões - teste global de Geologia (10º ano)
Revisões  - teste global de Geologia (10º ano)Revisões  - teste global de Geologia (10º ano)
Revisões - teste global de Geologia (10º ano)
Ana Castro
 
Sistema digestivo - morfofisiologia
Sistema digestivo - morfofisiologiaSistema digestivo - morfofisiologia
Sistema digestivo - morfofisiologia
Ana Castro
 
Sistema digestivo - nutrientes
Sistema digestivo - nutrientesSistema digestivo - nutrientes
Sistema digestivo - nutrientes
Ana Castro
 
Sistema respiratório
Sistema respiratórioSistema respiratório
Sistema respiratório
Ana Castro
 
Sistema circulatório s linfático
Sistema circulatório   s linfáticoSistema circulatório   s linfático
Sistema circulatório s linfático
Ana Castro
 
Sistema cardioascular: coração
Sistema cardioascular:   coraçãoSistema cardioascular:   coração
Sistema cardioascular: coração
Ana Castro
 
Sistema cardiovascular - vasos sanguíneos
Sistema cardiovascular - vasos sanguíneosSistema cardiovascular - vasos sanguíneos
Sistema cardiovascular - vasos sanguíneos
Ana Castro
 
Sistema cardiovascular: sangue
Sistema cardiovascular:   sangueSistema cardiovascular:   sangue
Sistema cardiovascular: sangue
Ana Castro
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
Ana Castro
 

Mais de Ana Castro (20)

Sistema digestivo - doenças & Microbiota
Sistema digestivo - doenças & MicrobiotaSistema digestivo - doenças & Microbiota
Sistema digestivo - doenças & Microbiota
 
Caderno de genética I - correção
Caderno de genética I - correçãoCaderno de genética I - correção
Caderno de genética I - correção
 
Reprodução humana: mulher
Reprodução humana: mulherReprodução humana: mulher
Reprodução humana: mulher
 
Reprodução humana - homem
Reprodução humana - homemReprodução humana - homem
Reprodução humana - homem
 
Minerais.ppt
Minerais.pptMinerais.ppt
Minerais.ppt
 
Deriva e tectónica
Deriva e tectónicaDeriva e tectónica
Deriva e tectónica
 
Ciclos de vida - exercícios
Ciclos de vida - exercíciosCiclos de vida - exercícios
Ciclos de vida - exercícios
 
Apoio síntese proteica
Apoio   síntese proteicaApoio   síntese proteica
Apoio síntese proteica
 
Revisões s. respiratório, s nervoso, catabolismo [modo de compatibilidade]
Revisões s. respiratório, s nervoso, catabolismo [modo de compatibilidade]Revisões s. respiratório, s nervoso, catabolismo [modo de compatibilidade]
Revisões s. respiratório, s nervoso, catabolismo [modo de compatibilidade]
 
Revisões fotossíntese, sistema digestivo, circulatório e translocação
Revisões fotossíntese, sistema digestivo, circulatório e translocaçãoRevisões fotossíntese, sistema digestivo, circulatório e translocação
Revisões fotossíntese, sistema digestivo, circulatório e translocação
 
Estados físicos de matéria
Estados físicos de matériaEstados físicos de matéria
Estados físicos de matéria
 
Revisões - teste global de Geologia (10º ano)
Revisões  - teste global de Geologia (10º ano)Revisões  - teste global de Geologia (10º ano)
Revisões - teste global de Geologia (10º ano)
 
Sistema digestivo - morfofisiologia
Sistema digestivo - morfofisiologiaSistema digestivo - morfofisiologia
Sistema digestivo - morfofisiologia
 
Sistema digestivo - nutrientes
Sistema digestivo - nutrientesSistema digestivo - nutrientes
Sistema digestivo - nutrientes
 
Sistema respiratório
Sistema respiratórioSistema respiratório
Sistema respiratório
 
Sistema circulatório s linfático
Sistema circulatório   s linfáticoSistema circulatório   s linfático
Sistema circulatório s linfático
 
Sistema cardioascular: coração
Sistema cardioascular:   coraçãoSistema cardioascular:   coração
Sistema cardioascular: coração
 
Sistema cardiovascular - vasos sanguíneos
Sistema cardiovascular - vasos sanguíneosSistema cardiovascular - vasos sanguíneos
Sistema cardiovascular - vasos sanguíneos
 
Sistema cardiovascular: sangue
Sistema cardiovascular:   sangueSistema cardiovascular:   sangue
Sistema cardiovascular: sangue
 
Sistema nervoso
Sistema nervosoSistema nervoso
Sistema nervoso
 

Último

Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Texto e atividade -  Fontes alternativas de energiaTexto e atividade -  Fontes alternativas de energia
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Mary Alvarenga
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
Faga1939
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redaçãoRedação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
GrazielaTorrezan
 
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
Pr Davi Passos - Estudos Bíblicos
 
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docxPlano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
IsaiasJohaneSimango
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Luzia Gabriele
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Anesio2
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Mary Alvarenga
 

Último (20)

Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
Texto e atividade -  Fontes alternativas de energiaTexto e atividade -  Fontes alternativas de energia
Texto e atividade - Fontes alternativas de energia
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2017 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2019 CENSIPAM.pdf
 
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
A EDUCAÇÃO COM A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E AS DEFICIÊNCIAS DE SUA APLICAÇÃO N...
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
Operações de adição, subtração, multiplicação e divisão.
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redaçãoRedação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
Redação e Leitura - Entenda o texto expositivo na redação
 
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
(45-ESTUDO - LUCAS) A EPIRITUALIDADE DE JESUS
 
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docxPlano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
Plano Analitico de Psicopedagogia -11 Classe- II Trimestre - 2024_014203.docx
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2016 CENSIPAM.pdf
 
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsxSe A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
Se A Música É O Alimento do Amor Não Parem de Tocar Luzia Gabriele.ppsx
 
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdfIdeais do Ministério jovem Adventista pdf
Ideais do Ministério jovem Adventista pdf
 
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.Texto e atividade -  O que fazemos com a água que usamos.
Texto e atividade - O que fazemos com a água que usamos.
 

Ciclo da matéria e fluxo energia

  • 1. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CASTRO VERDE Ciências Naturais – 8º ano by Ana Kastroby Ana Kastro
  • 2. De que se “alimentam” as plantas? ... De que se “alimentam” as plantas? ... by Ana Kastro
  • 4. ... O segredo está na ! Processo através do qual as plantas, algas e algumas bactérias conseguem produzir MATÉRIA ORGÂNICA (podemos considerar que é o seu “alimento”) by Ana Kastro Processo através do qual as plantas, algas e algumas bactérias conseguem produzir MATÉRIA ORGÂNICA (podemos considerar que é o seu “alimento”) Para que se realize fotossíntese é necessário: - ÁGUA e SAIS MINERAIS - DIÓXIDO DE CARBONO - LUZ Para que se realize fotossíntese é necessário: - ÁGUA e SAIS MINERAIS - DIÓXIDO DE CARBONO - LUZ
  • 5. Energia luminosa MATÉRIAMINERAL/INORGÂNICA Energia química ESTE É TALVEZ O SLIDE MAIS IMPORTANTE DO 8º ANO. ESTE É TALVEZ O SLIDE MAIS IMPORTANTE DO 8º ANO. Contida nos alimentos by Ana Kastro + sais minerais Matéria orgânica MATÉRIAMINERAL/INORGÂNICA
  • 6. SERES AUTOTRÓFICOSSERES AUTOTRÓFICOS SERES CAPAZES DE PRODUZIR MATÉRIA ORGÂNICA São independentes em termos alimentares e, por isso, encontram-se na base das cadeias alimentares by Ana Kastro SERES HETEROTRÓFICOSSERES HETEROTRÓFICOS SERES INCAPAZES DE PRODUZIR MATÉRIA ORGÂNICA – TÊM DE A CONSUMIR (para que consigam obter energia e alimento) http://www.youtube.com/watch?v=6rLtW85Ds6k
  • 7. by Ana Kastro http://www.youtu be.com/watch?v =xFQ_fO2D7f0 http://www.youtu be.com/watch?v =xFQ_fO2D7f0 Conjunto de seres vivos aquáticos, microscópicos com capacidade fotossintética
  • 9. Produtor Consumidor de 1ª ordem Consumidor de 2ª ordem 1º NÍVEL TRÓFICO 2º NÍVEL TRÓFICO by Ana Kastro Consumidor de 2ª ordem Consumidor de 3ª ordem (serve de alimento a...) 2º NÍVEL TRÓFICO 3º NÍVEL TRÓFICO 4º NÍVEL TRÓFICOPág. 54 e 55 do manual – estudar!
  • 10. Numa teia alimentar o mesmo ser vivo (sapo) pode ocupar níveis tróficos diferentes! Numa teia alimentar o mesmo ser vivo (sapo) pode ocupar níveis tróficos diferentes! E G H i J by Ana Kastro Numa teia alimentar o mesmo ser vivo (sapo) pode ocupar níveis tróficos diferentes! Numa teia alimentar o mesmo ser vivo (sapo) pode ocupar níveis tróficos diferentes! A B C D F G Pág. 57 e 58 do manual – estudar!
  • 12. A matéria orgânica faz agora parte das folhas !!! by Ana Kastro É FÁCIL COMPREENDER QUE, ATRAVÉS DE RELAÇÕES ALIMENTARES, A MATÉRIA ORGÂNICA VAI SENDO SUCESSIVAMENTE TRANSFERIDA ATRAVÉS DOS SERES VIVOS!
  • 13. A MATÉRIA ORGÂNICA VAI SENDO TRANSFERIDA AO LONGO DOS NÍVEIS TRÓFICOS. A MATÉRIA ORGÂNICA VAI SENDO TRANSFERIDA AO LONGO DOS NÍVEIS TRÓFICOS. by Ana Kastro
  • 14. Provavelmente será este o “fim” do coelho. by Ana Kastro
  • 16. O QUE ACONTECE AOS SERES VIVOS QUANDO MORREM? O QUE ACONTECE AOS SERES VIVOS QUANDO MORREM? http://www.yout ube.com/watch ?v=C6sFP_7Ve zg by Ana Kastro http://www.yout ube.com/watch ?v=C6sFP_7Ve zg
  • 17. O QUE ACONTECE AOS SERES VIVOS QUANDO MORREM? O QUE ACONTECE AOS SERES VIVOS QUANDO MORREM? by Ana Kastro
  • 19. GRUPO DE SERES VIVOS (fungos, bactérias, vermes) CAPAZ DE DECOMPOR A MATÉRIA ORGÂNICA DOS RESTOS MORTAIS/FEZES DE OUTROS SERES VIVOS, TRANSFORMANDO-A EM MATÉRIA INORGÂNICA (MINERAL) by Ana Kastro GRUPO DE SERES VIVOS (fungos, bactérias, vermes) CAPAZ DE DECOMPOR A MATÉRIA ORGÂNICA DOS RESTOS MORTAIS/FEZES DE OUTROS SERES VIVOS, TRANSFORMANDO-A EM MATÉRIA INORGÂNICA (MINERAL)
  • 22. M.O. M.O. M.O. M.O. by Ana Kastro MATÉRIA INORGÂNICA
  • 23. Os produtores fabricam matéria orgânica a partir de matéria inorgânica através do processo de fotossíntese. Esta matéria orgânica vai sendo transferida ao longo dos níveis tróficos já que os seres se vão alimentando uns dos outros. Sempre que algum morre ou deixa excrementos, os decompositores entram em ação! Eles transformam a matéria orgânica dos cadáveres e/ou excrementos em matéria inorgânica. Assim, esta matéria inorgânica fica novamente disponível para os produtores, não se esgotando! Os produtores fabricam matéria orgânica a partir de matéria inorgânica através do processo de fotossíntese. Esta matéria orgânica vai sendo transferida ao longo dos níveis tróficos já que os seres se vão alimentando uns dos outros. Sempre que algum morre ou deixa excrementos, os decompositores entram em ação! Eles transformam a matéria orgânica dos cadáveres e/ou excrementos em matéria inorgânica. Assim, esta matéria inorgânica fica novamente disponível para os produtores, não se esgotando! by Ana Kastro Os produtores fabricam matéria orgânica a partir de matéria inorgânica através do processo de fotossíntese. Esta matéria orgânica vai sendo transferida ao longo dos níveis tróficos já que os seres se vão alimentando uns dos outros. Sempre que algum morre ou deixa excrementos, os decompositores entram em ação! Eles transformam a matéria orgânica dos cadáveres e/ou excrementos em matéria inorgânica. Assim, esta matéria inorgânica fica novamente disponível para os produtores, não se esgotando! Os produtores fabricam matéria orgânica a partir de matéria inorgânica através do processo de fotossíntese. Esta matéria orgânica vai sendo transferida ao longo dos níveis tróficos já que os seres se vão alimentando uns dos outros. Sempre que algum morre ou deixa excrementos, os decompositores entram em ação! Eles transformam a matéria orgânica dos cadáveres e/ou excrementos em matéria inorgânica. Assim, esta matéria inorgânica fica novamente disponível para os produtores, não se esgotando!
  • 26. O sol é a fonte primária e principal de energia num ecossistema! O sol é a fonte primária e principal de energia num ecossistema! by Ana Kastro O sol é a fonte primária e principal de energia num ecossistema! O sol é a fonte primária e principal de energia num ecossistema!
  • 27. Os seres fotossintéticos não captam toda a energia proveniente do sol… Os seres fotossintéticos não captam toda a energia proveniente do sol… Em relação à energia inicialmente captada, vão existindo gastos de energia por parte dos seres vivos e, por isso, a energia que passa para o nível trófico seguinte vai diminuindo… Em relação à energia inicialmente captada, vão existindo gastos de energia por parte dos seres vivos e, por isso, a energia que passa para o nível trófico seguinte vai diminuindo… by Ana Kastro
  • 30. EnergiaEnergia EnergiaEnergia by Ana Kastro EnergiaEnergia EnergiaEnergia A energia solar é captada pelas plantas, transformada em energia química e, através da alimentação, passa para outros organismos, não voltando ao sol! A energia é transferida numa só direção: dos produtores para os consmidores – diz-se por isso que se trata de um fluxo unidirecional de energia!
  • 33. Muitas vezes as cadeias alimentares podem ser representadas numa pirâmide Muitas vezes as cadeias alimentares podem ser representadas numa pirâmide by Ana Kastro São representações gráficas das cadeias alimentares!
  • 34. 2.º nível trófico – Consumidores primários2.º nível trófico – Consumidores primários 3.º nível trófico – Consumidores secundários3.º nível trófico – Consumidores secundários 4.º nível trófico – Consumidores terciários4.º nível trófico – Consumidores terciários 5.º nível trófico – Consumidores quaternários5.º nível trófico – Consumidores quaternários by Ana Kastro 1.º nível trófico – Produtores1.º nível trófico – Produtores Cada “degrau” corresponde a um nível trófico...
  • 35. ... de números... de números ... de biomassa... de biomassa by Ana Kastro ... de biomassa... de biomassa ... de energia... de energia
  • 36. Geralmente, os organismos mais pequenos são comidos por outros maiores – assim, são necessários muitos organismos pequenos para alimentar um maior! ... de números... de números by Ana Kastro Geralmente, os organismos mais pequenos são comidos por outros maiores – assim, são necessários muitos organismos pequenos para alimentar um maior!
  • 37. Quando o produtor é uma planta de grande porte, a pirâmide de números pode estar invertida! ... de números... de números by Ana Kastro árvores
  • 38. ... de biomassa... de biomassa Relacionado com o peso (seco) de cada nível trófico que é necessário para suportar o seguinte ... by Ana Kastro Relacionado com o peso (seco) de cada nível trófico que é necessário para suportar o seguinte ... É necessária uma tonelada de produtores para obter 100 kg de consumidores de 1ª ordem... E assim sucessivamente!
  • 39. Representa as perdas de energia que vão ocorrendo ao longo dos níveis tróficos! (ESTE TIPO DE PIRÂMIDE NUNCA SURGE NA FORMA INVERTIDA) ... de energia... de energia by Ana Kastro Representa as perdas de energia que vão ocorrendo ao longo dos níveis tróficos! (ESTE TIPO DE PIRÂMIDE NUNCA SURGE NA FORMA INVERTIDA)
  • 41. 2 - O que aconteceria aos ecossistemas caso não existissem decompositores? 1 - Explica o ciclo da matéria. by Ana Kastro 2 - O que aconteceria aos ecossistemas caso não existissem decompositores? 3 - Explica por que motivo se pode afirmar que num ecossistema a matéria descreve um ciclo.
  • 42. 4 - Explica por que motivo se pode afirmar que num ecossistema a energia descreve um fluxo unidireccional 5 - Explica por que motivo dificilmente existem cadeias alimentares com mais de 7/8 níveis tróficos… by Ana Kastro http://www.sheppardsoftware.com/science.htmhttp://www.sheppardsoftware.com/science.htm 5 - Explica por que motivo dificilmente existem cadeias alimentares com mais de 7/8 níveis tróficos…
  • 43. 6 - Explica por que motivo se representam os decompositores nas pirâmides alimentares com uma barra vertical. by Ana Kastro 6 - Explica por que motivo se representam os decompositores nas pirâmides alimentares com uma barra vertical.