SlideShare uma empresa Scribd logo
Sistemas de Informação
Docente: Luiz Matos
Discentes: Wendreo Matheus, Vitor Sá e
Vinícius Sá
Introdução a Cibernética
2
Dicionário: Ciência que estuda os mecanismos de
comunicação e de controle nas maquinas e seres
vivos.
Em seu conceito original é definido com uma
tripulação de um barco. Com piloto processando
informações, vento e corrente como energia do
processo, e outros fatores como pessoal seria a
tripulação.
Ponto de Partida da Cibernética
3
 Os conceitos desenvolvidos pela Cibernética são
hoje amplamente utilizados na administração de
sistemas empresariais.
 Criada por Norbert Wiener entre 1943 – 1947, no
periodo que:Von Neuman e Morgenstern (1947) criavam a Teoria dos
Jogos
Shannon e Weaver (1949) criavam a Teoria Matemática
da Informação
Ludwig Von Bertalanffy (1947) já definia a Teoria Geral
dos Sistemas.
Principais Conceitos de Cibernética
4
1. Conceito de Cibernética
2. Os Sistemas
3. Classificação Arbitrária dos Sistemas
4. Propriedade dos Sistemas Cibernéticos
5. Os Seus Modelos
6. Caixa Preta
Conceito de Cibernética
5
 Cibernética = Comunicação + Controle;
 Torna os sistemas integrados;
 É uma ciência interdisciplinar;
Sistemas
6
 Conjunto de elementos;
 Estão relacionados;
 Visam atingir um objetivo;
 Opera sobre dados/energia/matéria;
 Fornece informação/energia/matéria;
CLASSIFICAÇÃO ARBITRÁRIA DOS
SISTEMAS
7
 Sistema determinístico interação previsivel,
entre as partes. Utilizando do último estado do
sistema e programa de informação prevendo o
estado seguinte, sem nenhum risco ou erro.
 Sistema probabilístico Sem fornecimento de
uma previsão detalhada. Estudado
intensamente, pode-se prever apenas em
probabilidades.
PROPRIEDADES DOS SISTEMAS
CIBERNÉTICOS
8
 São excessivamente complexos: e devem ser
focalizados através da caixa negra.
 São probabilísticos e indeterminados: devem ser
focalizados através da estatística;
 São auto-regulados: portanto, devem ser
focalizados através da retroação que garante a
homeostase.
OS MODELOS
9
A Cibernética dá muita importância aos modelos,
sejam físicos ou matemáticos, para a compreensão
do funcionamento dos sistemas. Um de seus
problemas é a representação de sistemas originais
através de outros sistemas comparáveis denominados
modelos. O modelo é a representação simplificada de
alguma parte da realidade.
OS MODELOS
10
Na construção de um modelo, devem ser
considerados o isomorfismo e o homomorfismo:
 Isomofirmos: Partes intermutáveis: Linha de
Automóveis
 Homomorfos: Semelhantes nas formas ou formas
reduzidas e simplificadas, mesmo em escala
diferentes: Maquetes e organogramas.
Caixa Negra
11
 Quando o sistema é impenetrável ou inacessível,
por alguma razão (por exemplo, o cérebro humano
ou o corpo humano etc.);
 Quando o sistema é excessivamente complexo, de
difícil explicação ou detalhamento (como um
computador ou a economia de um país).
Caixa Negra
12
 Um sistema onde o interior não pode ser
desvendado;
 Elementos internos desconhecidos;
 Possui entrada, conduzem perturbações, e
emergem uma saída;
 Não se sabe como se dá a interação entre a entrada
e a saída;
Conclusão
13
Conclui-se que Wiener deu um grande passo ao se
aprofundar na manipulação de informações, definiu
cibernética como sendo a regulação e controle dos
sistemas, visando ter um feedback. A cibernética
possui relação com várias ciências e altamente
aplicada em vários tipos de sistemas, sendo a
comunicação que torna os sistemas integrados e
coerentes, enquanto o controle regula o seu
comportamento.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Tecnologias da Informacao E Comunicacao
Tecnologias da Informacao E ComunicacaoTecnologias da Informacao E Comunicacao
Tecnologias da Informacao E Comunicacao
M Fernanda Santos
 
Aula 01 tics - tecnologia da informacao e comunicacao final
Aula 01   tics - tecnologia da informacao e comunicacao finalAula 01   tics - tecnologia da informacao e comunicacao final
Aula 01 tics - tecnologia da informacao e comunicacao final
Gilberto Campos
 
MÉTODOS QUANTITATIVOS E QUALITATIVOS DE PESQUISA
MÉTODOS QUANTITATIVOS E QUALITATIVOS DE PESQUISAMÉTODOS QUANTITATIVOS E QUALITATIVOS DE PESQUISA
MÉTODOS QUANTITATIVOS E QUALITATIVOS DE PESQUISA
Tecoluca Luiz
 
Aula14
Aula14Aula14
Linguagem e pensamento
Linguagem e pensamentoLinguagem e pensamento
Linguagem e pensamento
Carolaine Amaral
 
Teoria da complexidade
Teoria da complexidadeTeoria da complexidade
Teoria da complexidade
Simone Cristina
 
Dados, Informação e Conhecimento
Dados, Informação e ConhecimentoDados, Informação e Conhecimento
Dados, Informação e Conhecimento
Robson Santos
 
Aula 01 - Introdução ao Sistema de Informação
Aula 01 - Introdução ao Sistema de InformaçãoAula 01 - Introdução ao Sistema de Informação
Aula 01 - Introdução ao Sistema de Informação
Daniel Brandão
 
Auguste comte
Auguste comteAuguste comte
Auguste comte
G. Gomes
 
O erp e o seu papel na gestão das empresas
O erp e o seu papel na gestão das empresasO erp e o seu papel na gestão das empresas
O erp e o seu papel na gestão das empresas
Edilberto Souza
 
Filosofia ciencia
Filosofia   cienciaFilosofia   ciencia
Filosofia ciencia
Marcela Marangon Ribeiro
 
Tecnologia e Sociedade
Tecnologia e SociedadeTecnologia e Sociedade
Tecnologia e Sociedade
Luis Borges Gouveia
 
Pensamento computacional
Pensamento computacionalPensamento computacional
Pensamento computacional
Filipe T. Moreira
 
Pensamento Computacional aula 01
Pensamento Computacional aula 01Pensamento Computacional aula 01
Pensamento Computacional aula 01
pensamentocomputacional
 
Conceito de Inovação
Conceito de InovaçãoConceito de Inovação
metodologia científica da pesquisa
 metodologia científica da pesquisa metodologia científica da pesquisa
metodologia científica da pesquisa
Faculdade Metropolitanas Unidas - FMU
 
Imagens Da Organizacao De Gareth Morgan
Imagens Da Organizacao De Gareth MorganImagens Da Organizacao De Gareth Morgan
Imagens Da Organizacao De Gareth Morgan
Future Press, E-Press, Presentations,
 
Interação humano computador (introdução )
Interação humano computador (introdução )Interação humano computador (introdução )
Interação humano computador (introdução )
Jesse Teixeira
 
Aula - Sistemas de Informação Gerencial
Aula - Sistemas de Informação GerencialAula - Sistemas de Informação Gerencial
Aula - Sistemas de Informação Gerencial
Anderson Simão
 
ESCOLA DE FRANKFURT
ESCOLA DE FRANKFURTESCOLA DE FRANKFURT
ESCOLA DE FRANKFURT
Marcioveras
 

Mais procurados (20)

Tecnologias da Informacao E Comunicacao
Tecnologias da Informacao E ComunicacaoTecnologias da Informacao E Comunicacao
Tecnologias da Informacao E Comunicacao
 
Aula 01 tics - tecnologia da informacao e comunicacao final
Aula 01   tics - tecnologia da informacao e comunicacao finalAula 01   tics - tecnologia da informacao e comunicacao final
Aula 01 tics - tecnologia da informacao e comunicacao final
 
MÉTODOS QUANTITATIVOS E QUALITATIVOS DE PESQUISA
MÉTODOS QUANTITATIVOS E QUALITATIVOS DE PESQUISAMÉTODOS QUANTITATIVOS E QUALITATIVOS DE PESQUISA
MÉTODOS QUANTITATIVOS E QUALITATIVOS DE PESQUISA
 
Aula14
Aula14Aula14
Aula14
 
Linguagem e pensamento
Linguagem e pensamentoLinguagem e pensamento
Linguagem e pensamento
 
Teoria da complexidade
Teoria da complexidadeTeoria da complexidade
Teoria da complexidade
 
Dados, Informação e Conhecimento
Dados, Informação e ConhecimentoDados, Informação e Conhecimento
Dados, Informação e Conhecimento
 
Aula 01 - Introdução ao Sistema de Informação
Aula 01 - Introdução ao Sistema de InformaçãoAula 01 - Introdução ao Sistema de Informação
Aula 01 - Introdução ao Sistema de Informação
 
Auguste comte
Auguste comteAuguste comte
Auguste comte
 
O erp e o seu papel na gestão das empresas
O erp e o seu papel na gestão das empresasO erp e o seu papel na gestão das empresas
O erp e o seu papel na gestão das empresas
 
Filosofia ciencia
Filosofia   cienciaFilosofia   ciencia
Filosofia ciencia
 
Tecnologia e Sociedade
Tecnologia e SociedadeTecnologia e Sociedade
Tecnologia e Sociedade
 
Pensamento computacional
Pensamento computacionalPensamento computacional
Pensamento computacional
 
Pensamento Computacional aula 01
Pensamento Computacional aula 01Pensamento Computacional aula 01
Pensamento Computacional aula 01
 
Conceito de Inovação
Conceito de InovaçãoConceito de Inovação
Conceito de Inovação
 
metodologia científica da pesquisa
 metodologia científica da pesquisa metodologia científica da pesquisa
metodologia científica da pesquisa
 
Imagens Da Organizacao De Gareth Morgan
Imagens Da Organizacao De Gareth MorganImagens Da Organizacao De Gareth Morgan
Imagens Da Organizacao De Gareth Morgan
 
Interação humano computador (introdução )
Interação humano computador (introdução )Interação humano computador (introdução )
Interação humano computador (introdução )
 
Aula - Sistemas de Informação Gerencial
Aula - Sistemas de Informação GerencialAula - Sistemas de Informação Gerencial
Aula - Sistemas de Informação Gerencial
 
ESCOLA DE FRANKFURT
ESCOLA DE FRANKFURTESCOLA DE FRANKFURT
ESCOLA DE FRANKFURT
 

Destaque

Aula 2 teoria geral de sistemas
Aula 2   teoria geral de sistemasAula 2   teoria geral de sistemas
Aula 2 teoria geral de sistemas
Maximiliano Barroso Bonfá
 
Parte1 - Fundamentos de Sistema de Informação
Parte1 - Fundamentos de Sistema de InformaçãoParte1 - Fundamentos de Sistema de Informação
Parte1 - Fundamentos de Sistema de Informação
Gabriel Faustino
 
Teinamento moodle
Teinamento moodleTeinamento moodle
Teinamento moodle
Maximiliano Barroso Bonfá
 
Teoria Geral de Sisistemas
Teoria Geral de SisistemasTeoria Geral de Sisistemas
Teoria Geral de Sisistemas
Mario Fernando Castro Fernandez
 
Sistemas
SistemasSistemas
Control cibernético
Control cibernéticoControl cibernético
Control cibernético
Suigintou Lamperouge
 
Cibernetica
CiberneticaCibernetica
Cibernetica
jorgejaramillo1234
 

Destaque (7)

Aula 2 teoria geral de sistemas
Aula 2   teoria geral de sistemasAula 2   teoria geral de sistemas
Aula 2 teoria geral de sistemas
 
Parte1 - Fundamentos de Sistema de Informação
Parte1 - Fundamentos de Sistema de InformaçãoParte1 - Fundamentos de Sistema de Informação
Parte1 - Fundamentos de Sistema de Informação
 
Teinamento moodle
Teinamento moodleTeinamento moodle
Teinamento moodle
 
Teoria Geral de Sisistemas
Teoria Geral de SisistemasTeoria Geral de Sisistemas
Teoria Geral de Sisistemas
 
Sistemas
SistemasSistemas
Sistemas
 
Control cibernético
Control cibernéticoControl cibernético
Control cibernético
 
Cibernetica
CiberneticaCibernetica
Cibernetica
 

Semelhante a Cibernética-Apresentação Grupo1

Administração de sistemas de informação completo
Administração de sistemas de informação   completoAdministração de sistemas de informação   completo
Administração de sistemas de informação completo
Tarciso Ferreira
 
Teoria Geral dos Sistemas TGS
Teoria Geral dos Sistemas TGSTeoria Geral dos Sistemas TGS
Teoria Geral dos Sistemas TGS
Luciana Roncarati
 
SISPLEX - research group
SISPLEX - research groupSISPLEX - research group
SISPLEX - research group
Mauro Faccioni Filho
 
Processamento de Informação em Sistemas Naturais
Processamento de Informação em Sistemas NaturaisProcessamento de Informação em Sistemas Naturais
Processamento de Informação em Sistemas Naturais
LCoN Mackenzie
 
2006: Computação Bioinspirada - Novas Perspectivas para Pesquisa em Biologia
2006: Computação Bioinspirada - Novas Perspectivas para Pesquisa em Biologia2006: Computação Bioinspirada - Novas Perspectivas para Pesquisa em Biologia
2006: Computação Bioinspirada - Novas Perspectivas para Pesquisa em Biologia
Leandro de Castro
 
Apostila fundamentos de sistemas
Apostila  fundamentos de sistemasApostila  fundamentos de sistemas
Apostila fundamentos de sistemas
Davi Kelvys Souza
 
Trabalho de tgs
Trabalho de tgsTrabalho de tgs
Trabalho de tgs
André Luiz
 
Trabalho Sistemas de Informação
Trabalho Sistemas de InformaçãoTrabalho Sistemas de Informação
Trabalho Sistemas de Informação
leospack
 
Aula 4 teoria geral de sistemas
Aula 4   teoria geral de sistemasAula 4   teoria geral de sistemas
Aula 4 teoria geral de sistemas
Maximiliano Barroso Bonfá
 
Modelagem de dados
Modelagem de dadosModelagem de dados
Modelagem de dados
Manuella Veroni
 
Enegep1997 t2212
Enegep1997 t2212Enegep1997 t2212
Enegep1997 t2212
Gian Remundini
 
Abordagem sistêmica
Abordagem sistêmicaAbordagem sistêmica
Abordagem sistêmica
Carol Nóbrega
 
Parte II
Parte IIParte II
Parte II
jullyandry
 
Aula-tga-08-cibernética
Aula-tga-08-cibernéticaAula-tga-08-cibernética
Aula-tga-08-cibernética
Andre Boavista
 
A14 Pesquisa De Inf E Difusao
A14 Pesquisa De Inf E DifusaoA14 Pesquisa De Inf E Difusao
A14 Pesquisa De Inf E Difusao
fontesbibliotraficas2
 
Introdução à Análise de Sistemas
Introdução à Análise de SistemasIntrodução à Análise de Sistemas
Introdução à Análise de Sistemas
Nécio de Lima Veras
 
Mini Curso Cirs 2010
Mini Curso Cirs 2010Mini Curso Cirs 2010
Mini Curso Cirs 2010
ClaraP
 
Mini curso cirs 2010
Mini curso cirs 2010Mini curso cirs 2010
Mini curso cirs 2010
ClaraP
 
Mini curso cirs 2010
Mini curso cirs 2010Mini curso cirs 2010
Mini curso cirs 2010
guest8ce686
 
Mini curso cirs 2010
Mini curso cirs 2010Mini curso cirs 2010
Mini curso cirs 2010
ClaraP
 

Semelhante a Cibernética-Apresentação Grupo1 (20)

Administração de sistemas de informação completo
Administração de sistemas de informação   completoAdministração de sistemas de informação   completo
Administração de sistemas de informação completo
 
Teoria Geral dos Sistemas TGS
Teoria Geral dos Sistemas TGSTeoria Geral dos Sistemas TGS
Teoria Geral dos Sistemas TGS
 
SISPLEX - research group
SISPLEX - research groupSISPLEX - research group
SISPLEX - research group
 
Processamento de Informação em Sistemas Naturais
Processamento de Informação em Sistemas NaturaisProcessamento de Informação em Sistemas Naturais
Processamento de Informação em Sistemas Naturais
 
2006: Computação Bioinspirada - Novas Perspectivas para Pesquisa em Biologia
2006: Computação Bioinspirada - Novas Perspectivas para Pesquisa em Biologia2006: Computação Bioinspirada - Novas Perspectivas para Pesquisa em Biologia
2006: Computação Bioinspirada - Novas Perspectivas para Pesquisa em Biologia
 
Apostila fundamentos de sistemas
Apostila  fundamentos de sistemasApostila  fundamentos de sistemas
Apostila fundamentos de sistemas
 
Trabalho de tgs
Trabalho de tgsTrabalho de tgs
Trabalho de tgs
 
Trabalho Sistemas de Informação
Trabalho Sistemas de InformaçãoTrabalho Sistemas de Informação
Trabalho Sistemas de Informação
 
Aula 4 teoria geral de sistemas
Aula 4   teoria geral de sistemasAula 4   teoria geral de sistemas
Aula 4 teoria geral de sistemas
 
Modelagem de dados
Modelagem de dadosModelagem de dados
Modelagem de dados
 
Enegep1997 t2212
Enegep1997 t2212Enegep1997 t2212
Enegep1997 t2212
 
Abordagem sistêmica
Abordagem sistêmicaAbordagem sistêmica
Abordagem sistêmica
 
Parte II
Parte IIParte II
Parte II
 
Aula-tga-08-cibernética
Aula-tga-08-cibernéticaAula-tga-08-cibernética
Aula-tga-08-cibernética
 
A14 Pesquisa De Inf E Difusao
A14 Pesquisa De Inf E DifusaoA14 Pesquisa De Inf E Difusao
A14 Pesquisa De Inf E Difusao
 
Introdução à Análise de Sistemas
Introdução à Análise de SistemasIntrodução à Análise de Sistemas
Introdução à Análise de Sistemas
 
Mini Curso Cirs 2010
Mini Curso Cirs 2010Mini Curso Cirs 2010
Mini Curso Cirs 2010
 
Mini curso cirs 2010
Mini curso cirs 2010Mini curso cirs 2010
Mini curso cirs 2010
 
Mini curso cirs 2010
Mini curso cirs 2010Mini curso cirs 2010
Mini curso cirs 2010
 
Mini curso cirs 2010
Mini curso cirs 2010Mini curso cirs 2010
Mini curso cirs 2010
 

Último

Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!
Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!
Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!
Annelise Gripp
 
REDE_DE_COMPUTADORES_TECNOLOGIA_TIPOS.pptx
REDE_DE_COMPUTADORES_TECNOLOGIA_TIPOS.pptxREDE_DE_COMPUTADORES_TECNOLOGIA_TIPOS.pptx
REDE_DE_COMPUTADORES_TECNOLOGIA_TIPOS.pptx
IranyGarcia
 
Como fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptx
Como fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptxComo fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptx
Como fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptx
tnrlucas
 
PRATICANDO O SCRUM Scrum team, product owner
PRATICANDO O SCRUM Scrum team, product ownerPRATICANDO O SCRUM Scrum team, product owner
PRATICANDO O SCRUM Scrum team, product owner
anpproferick
 
Teoria de redes de computadores redes .doc
Teoria de redes de computadores redes .docTeoria de redes de computadores redes .doc
Teoria de redes de computadores redes .doc
anpproferick
 
Gestão de dados: sua importância e benefícios
Gestão de dados: sua importância e benefíciosGestão de dados: sua importância e benefícios
Gestão de dados: sua importância e benefícios
Rafael Santos
 

Último (6)

Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!
Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!
Ferramentas e Técnicas para aplicar no seu dia a dia numa Transformação Digital!
 
REDE_DE_COMPUTADORES_TECNOLOGIA_TIPOS.pptx
REDE_DE_COMPUTADORES_TECNOLOGIA_TIPOS.pptxREDE_DE_COMPUTADORES_TECNOLOGIA_TIPOS.pptx
REDE_DE_COMPUTADORES_TECNOLOGIA_TIPOS.pptx
 
Como fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptx
Como fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptxComo fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptx
Como fui de 0 a lead na gringa em 3 anos.pptx
 
PRATICANDO O SCRUM Scrum team, product owner
PRATICANDO O SCRUM Scrum team, product ownerPRATICANDO O SCRUM Scrum team, product owner
PRATICANDO O SCRUM Scrum team, product owner
 
Teoria de redes de computadores redes .doc
Teoria de redes de computadores redes .docTeoria de redes de computadores redes .doc
Teoria de redes de computadores redes .doc
 
Gestão de dados: sua importância e benefícios
Gestão de dados: sua importância e benefíciosGestão de dados: sua importância e benefícios
Gestão de dados: sua importância e benefícios
 

Cibernética-Apresentação Grupo1

  • 1. Sistemas de Informação Docente: Luiz Matos Discentes: Wendreo Matheus, Vitor Sá e Vinícius Sá
  • 2. Introdução a Cibernética 2 Dicionário: Ciência que estuda os mecanismos de comunicação e de controle nas maquinas e seres vivos. Em seu conceito original é definido com uma tripulação de um barco. Com piloto processando informações, vento e corrente como energia do processo, e outros fatores como pessoal seria a tripulação.
  • 3. Ponto de Partida da Cibernética 3  Os conceitos desenvolvidos pela Cibernética são hoje amplamente utilizados na administração de sistemas empresariais.  Criada por Norbert Wiener entre 1943 – 1947, no periodo que:Von Neuman e Morgenstern (1947) criavam a Teoria dos Jogos Shannon e Weaver (1949) criavam a Teoria Matemática da Informação Ludwig Von Bertalanffy (1947) já definia a Teoria Geral dos Sistemas.
  • 4. Principais Conceitos de Cibernética 4 1. Conceito de Cibernética 2. Os Sistemas 3. Classificação Arbitrária dos Sistemas 4. Propriedade dos Sistemas Cibernéticos 5. Os Seus Modelos 6. Caixa Preta
  • 5. Conceito de Cibernética 5  Cibernética = Comunicação + Controle;  Torna os sistemas integrados;  É uma ciência interdisciplinar;
  • 6. Sistemas 6  Conjunto de elementos;  Estão relacionados;  Visam atingir um objetivo;  Opera sobre dados/energia/matéria;  Fornece informação/energia/matéria;
  • 7. CLASSIFICAÇÃO ARBITRÁRIA DOS SISTEMAS 7  Sistema determinístico interação previsivel, entre as partes. Utilizando do último estado do sistema e programa de informação prevendo o estado seguinte, sem nenhum risco ou erro.  Sistema probabilístico Sem fornecimento de uma previsão detalhada. Estudado intensamente, pode-se prever apenas em probabilidades.
  • 8. PROPRIEDADES DOS SISTEMAS CIBERNÉTICOS 8  São excessivamente complexos: e devem ser focalizados através da caixa negra.  São probabilísticos e indeterminados: devem ser focalizados através da estatística;  São auto-regulados: portanto, devem ser focalizados através da retroação que garante a homeostase.
  • 9. OS MODELOS 9 A Cibernética dá muita importância aos modelos, sejam físicos ou matemáticos, para a compreensão do funcionamento dos sistemas. Um de seus problemas é a representação de sistemas originais através de outros sistemas comparáveis denominados modelos. O modelo é a representação simplificada de alguma parte da realidade.
  • 10. OS MODELOS 10 Na construção de um modelo, devem ser considerados o isomorfismo e o homomorfismo:  Isomofirmos: Partes intermutáveis: Linha de Automóveis  Homomorfos: Semelhantes nas formas ou formas reduzidas e simplificadas, mesmo em escala diferentes: Maquetes e organogramas.
  • 11. Caixa Negra 11  Quando o sistema é impenetrável ou inacessível, por alguma razão (por exemplo, o cérebro humano ou o corpo humano etc.);  Quando o sistema é excessivamente complexo, de difícil explicação ou detalhamento (como um computador ou a economia de um país).
  • 12. Caixa Negra 12  Um sistema onde o interior não pode ser desvendado;  Elementos internos desconhecidos;  Possui entrada, conduzem perturbações, e emergem uma saída;  Não se sabe como se dá a interação entre a entrada e a saída;
  • 13. Conclusão 13 Conclui-se que Wiener deu um grande passo ao se aprofundar na manipulação de informações, definiu cibernética como sendo a regulação e controle dos sistemas, visando ter um feedback. A cibernética possui relação com várias ciências e altamente aplicada em vários tipos de sistemas, sendo a comunicação que torna os sistemas integrados e coerentes, enquanto o controle regula o seu comportamento.