SlideShare uma empresa Scribd logo
Parte 2

Julgar
Nas Sagradas Escrituras




                               Jovens
                                        Na história da Igreja
2ª parte do Texto Base
   Composta por cinco pontos
                                        Seguidores de Cristo

                                         No coração da Igreja

                                  Protagonismo dos Jovens
Jovens nas Sagradas Escrituras


     A Palavra de Deus e a história da Igreja
     apresentam vários testemunhos de
     jovens que, valorizados e chamados por
     Deus, assumiram sua vocação de
     missionários da vida plena em contextos
     não condizentes ao projeto de Deus.
Jovens nas Sagradas Escrituras
      No Antigo Testamento

  No livro do Gn, Rebeca responde de maneira
  firme e decidida à vontade de Deus;
José do Egito mostra discernimento para interpretar a
vontade Deus, salva da fome o seu país e sua família;
    Samuel coloca-se à disposição do Senhor,
    se torna um importante líder religioso;
    Davi foi escolhido para ser ungido rei de Israel;
Salomão solicita a Deus a sabedoria para poder discernir
e promover a justiça.
Jovens nas Sagradas Escrituras
     No Antigo Testamento

    Os sete jovens do 2º Livro dos Macabeus
    sofrem martírio para serem fiéis à Lei;

    Ester salva a vida de seu povo,
    libertando-o da opressão e da dor;

    Daniel intervém em favor da casta Susana

    Ezequiel revela que a fidelidade de Deus à
    Aliança é maior que a infidelidade do povo
Jovens nas Sagradas Escrituras
        No Novo Testamento

     Jesus instaura o Novo Reino

    Pela Encarnação de seu próprio Filho,
    Deus se revela de forma radical;

 “Rosto humano de Deus e o rosto divino do homem”;

  Nasce pobre, vive pobre e com os pobres, partilha
  suas angústias e esperanças (Lc 4,16-20; 15,2);
Jovens nas Sagradas Escrituras
       No Novo Testamento

     Jesus instaura o Novo Reino




    Faz opção pelos os pobres e marginalizados,
    assumindo um projeto de libertação deles.
    Como consequência , enfrenta os conflitos com
    aqueles que promoviam a exclusão social e
    religiosa.
Jovens nas Sagradas Escrituras
     No Novo Testamento

    Jesus instaura o Novo Reino
           Jesus e o jovens


 Acolhe a jovem mãe excluída da sociedade da época,
 cura sua filhinha (Mc 7,24-30);
 Demonstra compaixão na parábola dos dois filhos (Mt
 21, 28-32) – acredita na regeneração e no perdão dos
 erros da juventude (Lc 15,11-24);
 Convida os jovens a um novo caminho e a viverem seu
 projeto de desapego aos bens (Lc 18,18-23);
Jovens nas Sagradas Escrituras
     No Novo Testamento

         Jesus instaura o Novo Reino
    Jovialidade do Projeto de Jesus Cristo


 A jovialidade, consistia, na apresentação da novidade
 do REINO como renovação radical da relação com
 Deus e com os irmãos; e isto tinha também
 consequências radicais diante do sistema de
 sociedade que vigorava na época. “O cristão não deve
 ser graxa para amaciar as engrenagens do sistema de
 morte, mas areia para travar essas engrenagens”.
Jovens nas Sagradas Escrituras
     No Novo Testamento

        Jesus instaura o Novo Reino
     Jovens que procuram referenciais

 Jesus de Nazaré é modelo a ser seguido, seu modo de
 viver, atitudes a serem assumidas hoje.
 Intimidade com a Trindade (cf Jo 6,38);
 Coerência, autenticidade cf Lc 4,22);
 Sua misericórdia, seu acolhimento (cf Mt 18,21);
 Seu senso de diálogo (cf Lc 9,49-50);
 Sua capacidade de amar (cf Mt 20,28);
Jovens nas Sagradas Escrituras
       No Novo Testamento
    Maria, modelo de seguimento

 Maria de Nazaré é a jovem que contribui com a
 História da Salvação se apresentando com fé,
 obediência, coragem e liderança.
 Maria de Nazaré, perfeita discípula e pedagoga da
 evangelização da juventude;
 Maria de Nazaré, é exemplo de missionária, de amiga,
 de sensibilidade social e pessoal;
 Maria de Nazaré, modelo de seguimento de Jesus
 Cristo;
Jovens nas Sagradas Escrituras NT

                           O mais novo dos Apóstolos – escutou de
Discípulos Jovens


                    Jesus as últimas confidências (cf Jo 13,23);
                      João Acompanhou Jesus até os pés da Cruz,
                    amparou Maria, sua mãe (cf Jo 19,25-27);


                           Não era Apóstolo, mas foi o primeiro
                    Evangelista, escreveu aquilo que viu e ouviu
                    de Jesus, quando era adolescente;
                     Marco
                     s
                    Como jovem viveu uma mudança de época,
                    transição dos tempos do AT para o NT; coragem de
                    assumir a fé, mesmo em tempo de perseguição;
Jovens nas Sagradas Escrituras NT
Discípulos Jovens


                            Apóstolo, ainda jovem foi perseguidor
                            da Igreja nascente (cf At7,58); ainda
                            jovem converteu-se, radicalmente ao
                            Evangelho, após uma forte experiência
                            no Caminho de Damasco (cf A 9,1-9).
                            Exemplo de jovem capaz de mudar de
                            vida, abandonando os caminhos da
                    Paulo
                            morte e aderindo ao Evangelho .
Jovens nas Sagradas Escrituras NT
                  Jovem, por que Jesus é o
                CAMINHO, VERDADE,E A VIDA?



                    O único Caminho para a felicidade plena;
JESUS CR ISTO




                    A Verdade porque é a plena Revelação de Deus;


                    É a Vida porque é o vencedor da morte,
                    do pecado e do mal no mundo;
“ L U G A R T E O L Ó G I C O”
            A Igreja entende que o jovem se
            constitui em um “lugar teológico”
            privilegiado, isto significa acolher a
J O V E M


            voz de Deus que fala por ele.
            Precisamos aprender a ler e a
            desvelar os sinais de Deus através
            da novidade da cultura juvenil.
Encontro do Jovem com a Palavra
            de Deus

     A catequese – iniciação à vida cristã
   atinge milhares de jovens todos os anos.
“no coração da catequese aos jovens está a proposta explícita
do seguimento de Cristo” - Diretório Nac. de Catequese.

                   A Leitura Orante
                das Sagradas Escrituras
       Proporciona aos jovens oportunidade de caminhar
      com as próprias pernas em sua espiritualidade. Crer
       na Palavra de Deus para o crescimento do jovem;
JOVEM, olhando o retrovisor de sua história;
da Igreja, para a sociedade, para o mundo...
             JAC

            J EC
                 J IC
                            O C          C
                        J            U
                                   J
en il
          j uv
       ão a do
     aç rej
A tu
       Ig il
    n a Nor ainício dos anos 60, já sob o
               s
         B
         pontificado de João XXIII, seguindo as
            marchas das ideias provenientes do
            Concílio Vat. II, a Ação Católica contava
            com cinco organizações destinadas aos
            mais jovens;
ve n i l luventude Agrária Católica (JAC)
        ju rasiJ
     ção do B         Formada por jovens do campo;
 tua ja
A re             Juventude Estudantil Católica (JEC)
    g
a I              Formada por jovens do ensino médio;
          Juventude Independente Católica (JIC)
          Formada por jovens que não fossem
          abrangidos pelas demais
          organizações;
                   Juventude Operária Católica (JOC)
                   Jovens que atuavam no meio operário;

             Juventude Universitária Católica (JUC)
             Constituída por estudantes de nível superior;
ve n i l lNa década de 60, um pouco
          j u r a s i antes, Ação Católica;
        ão o B
     aç
  t u j a d Década de 70: movimentos de encontro;
A re
a   Ig            Setor Juventude e Pastoral
                  Orgânica;
                  1992 : CF da JUVENTUDE;

      1996 e 1998, dois Estudos da CNBB: Pastoral da
      Juventude no Brasil e Marco Referencial da Pastoral
      da Juventude do Brasil;

             2011: Comissão Episcopal para a Juventude
             e Jornada Mundial da Juventude;
                 2013: CF da Juventude e JMJ
Con
                                          figu
    ag o n
          ismo                         da I ração
Prot enil                                   grej
                                                 a
    Juv
       Como disse Bento XVI em 2007: “A Igreja
       precisa dos jovens para manifestar ao
       mundo o rosto de Cristo, que se desenha
       na comunidade. Se a comunidade eclesial
       não se abre para o protagonismo juvenil,
       pode apresentar uma Igreja desfigurada”.
Con
                     figu
    ag o n
          ismo    da I ração
Prot enil              grej
                            a
    Juv
Conclama os jovens e com eles, toda a
Igreja, a contagiar com alegria e
criatividade juvenis as estruturas sociais e
eclesiais, a fim de cuidar melhor dos jovens
sofridos, abrindo para eles os braços da
caridade e as portas da inclusão.
Trabalho em Grupos

1 – Quais as principais provocações que o
JULGAR trouxe para nós?


2 – Quais os princípios apresentados no JULGAR
que foram mais marcantes e que devem nortear
a CF 2013?
Campanha da Fraternidade
                    2013




                       Obrigado!


                   Elaborado por:
                   Pe. José Altevir da Silva, CSSp

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Protagonismo dos leigos maristas
Protagonismo dos leigos maristasProtagonismo dos leigos maristas
Protagonismo dos leigos maristas
Afonso Murad (FAJE)
 
Devoção a maria - Ancoragem e perspectivas
Devoção a maria - Ancoragem e perspectivasDevoção a maria - Ancoragem e perspectivas
Devoção a maria - Ancoragem e perspectivas
Afonso Murad (FAJE)
 
O LEIGO: HOMEM DA IGREJA NO MUNDO E HOMEM DO MUNDO NA IGREJA
 O LEIGO: HOMEM DA IGREJA NO MUNDO E HOMEM DO MUNDO NA IGREJA O LEIGO: HOMEM DA IGREJA NO MUNDO E HOMEM DO MUNDO NA IGREJA
O LEIGO: HOMEM DA IGREJA NO MUNDO E HOMEM DO MUNDO NA IGREJA
Pedro Francisco Moraes De
 
Campanha da Fraternidade 2015
Campanha da Fraternidade 2015Campanha da Fraternidade 2015
Campanha da Fraternidade 2015
José Vieira Dos Santos
 
Catequese e Liturgia na Iniciação Cristã
Catequese e Liturgia na Iniciação CristãCatequese e Liturgia na Iniciação Cristã
Catequese e Liturgia na Iniciação Cristã
Sergio Cabral
 
EBD Revista Palavra e Vida 4T2014: Aula 9: Desafios de uma igreja local (pt. 1)
EBD Revista Palavra e Vida 4T2014: Aula 9: Desafios de uma igreja local (pt. 1)EBD Revista Palavra e Vida 4T2014: Aula 9: Desafios de uma igreja local (pt. 1)
EBD Revista Palavra e Vida 4T2014: Aula 9: Desafios de uma igreja local (pt. 1)
Andre Nascimento
 
SINODALIDADE. Sildo Morais
SINODALIDADE. Sildo MoraisSINODALIDADE. Sildo Morais
SINODALIDADE. Sildo Morais
Paulo David
 
Download espírito santo - o deus que vive em nós
Download espírito santo - o deus que vive em nósDownload espírito santo - o deus que vive em nós
Download espírito santo - o deus que vive em nós
Luiza Dayana
 
História da catequese
História da catequeseHistória da catequese
História da catequese
Francisco Rodrigues
 
Mensagem aos jovens
Mensagem aos jovensMensagem aos jovens
Mensagem aos jovens
Oaidson Silva
 
O culto à mãe de Deus na piedade popular
O culto à mãe de Deus na piedade popularO culto à mãe de Deus na piedade popular
O culto à mãe de Deus na piedade popular
Afonso Murad (FAJE)
 
Rica amostra
Rica amostraRica amostra
Rica amostra
Sergio Cabral
 
Finalidade da catequese no DNC cj
Finalidade da catequese no DNC cjFinalidade da catequese no DNC cj
Finalidade da catequese no DNC cj
Catequista Josivaldo
 
Itinerário catecumenal
Itinerário catecumenalItinerário catecumenal
Itinerário catecumenal
Sergio Cabral
 
Diretório Nacional de Catequese (Capítulo 4 CATEQUESE: MENSAGEM E CONTEÚDO)
Diretório Nacional de Catequese (Capítulo 4 CATEQUESE: MENSAGEM E CONTEÚDO)Diretório Nacional de Catequese (Capítulo 4 CATEQUESE: MENSAGEM E CONTEÚDO)
Diretório Nacional de Catequese (Capítulo 4 CATEQUESE: MENSAGEM E CONTEÚDO)
Jossadan Ventura
 
PLANO DE AULA PARA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL - EBD
PLANO DE AULA PARA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL - EBDPLANO DE AULA PARA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL - EBD
PLANO DE AULA PARA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL - EBD
Ednaldo Santos de Jesus
 
Alerta - Iniciação à Vida Cristã com adolescentes e jovens nordeste 3 - Aracaju
Alerta - Iniciação à Vida Cristã com adolescentes e jovens nordeste 3 - AracajuAlerta - Iniciação à Vida Cristã com adolescentes e jovens nordeste 3 - Aracaju
Alerta - Iniciação à Vida Cristã com adolescentes e jovens nordeste 3 - Aracaju
Liana Plentz
 
A importância da Escola Dominical na Atualidade
A importância da Escola Dominical na AtualidadeA importância da Escola Dominical na Atualidade
A importância da Escola Dominical na Atualidade
Amor pela EBD
 
Itinerários do processo da iniciação a vida cristã
Itinerários do processo da iniciação a vida cristãItinerários do processo da iniciação a vida cristã
Itinerários do processo da iniciação a vida cristã
lomes
 

Mais procurados (19)

Protagonismo dos leigos maristas
Protagonismo dos leigos maristasProtagonismo dos leigos maristas
Protagonismo dos leigos maristas
 
Devoção a maria - Ancoragem e perspectivas
Devoção a maria - Ancoragem e perspectivasDevoção a maria - Ancoragem e perspectivas
Devoção a maria - Ancoragem e perspectivas
 
O LEIGO: HOMEM DA IGREJA NO MUNDO E HOMEM DO MUNDO NA IGREJA
 O LEIGO: HOMEM DA IGREJA NO MUNDO E HOMEM DO MUNDO NA IGREJA O LEIGO: HOMEM DA IGREJA NO MUNDO E HOMEM DO MUNDO NA IGREJA
O LEIGO: HOMEM DA IGREJA NO MUNDO E HOMEM DO MUNDO NA IGREJA
 
Campanha da Fraternidade 2015
Campanha da Fraternidade 2015Campanha da Fraternidade 2015
Campanha da Fraternidade 2015
 
Catequese e Liturgia na Iniciação Cristã
Catequese e Liturgia na Iniciação CristãCatequese e Liturgia na Iniciação Cristã
Catequese e Liturgia na Iniciação Cristã
 
EBD Revista Palavra e Vida 4T2014: Aula 9: Desafios de uma igreja local (pt. 1)
EBD Revista Palavra e Vida 4T2014: Aula 9: Desafios de uma igreja local (pt. 1)EBD Revista Palavra e Vida 4T2014: Aula 9: Desafios de uma igreja local (pt. 1)
EBD Revista Palavra e Vida 4T2014: Aula 9: Desafios de uma igreja local (pt. 1)
 
SINODALIDADE. Sildo Morais
SINODALIDADE. Sildo MoraisSINODALIDADE. Sildo Morais
SINODALIDADE. Sildo Morais
 
Download espírito santo - o deus que vive em nós
Download espírito santo - o deus que vive em nósDownload espírito santo - o deus que vive em nós
Download espírito santo - o deus que vive em nós
 
História da catequese
História da catequeseHistória da catequese
História da catequese
 
Mensagem aos jovens
Mensagem aos jovensMensagem aos jovens
Mensagem aos jovens
 
O culto à mãe de Deus na piedade popular
O culto à mãe de Deus na piedade popularO culto à mãe de Deus na piedade popular
O culto à mãe de Deus na piedade popular
 
Rica amostra
Rica amostraRica amostra
Rica amostra
 
Finalidade da catequese no DNC cj
Finalidade da catequese no DNC cjFinalidade da catequese no DNC cj
Finalidade da catequese no DNC cj
 
Itinerário catecumenal
Itinerário catecumenalItinerário catecumenal
Itinerário catecumenal
 
Diretório Nacional de Catequese (Capítulo 4 CATEQUESE: MENSAGEM E CONTEÚDO)
Diretório Nacional de Catequese (Capítulo 4 CATEQUESE: MENSAGEM E CONTEÚDO)Diretório Nacional de Catequese (Capítulo 4 CATEQUESE: MENSAGEM E CONTEÚDO)
Diretório Nacional de Catequese (Capítulo 4 CATEQUESE: MENSAGEM E CONTEÚDO)
 
PLANO DE AULA PARA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL - EBD
PLANO DE AULA PARA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL - EBDPLANO DE AULA PARA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL - EBD
PLANO DE AULA PARA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL - EBD
 
Alerta - Iniciação à Vida Cristã com adolescentes e jovens nordeste 3 - Aracaju
Alerta - Iniciação à Vida Cristã com adolescentes e jovens nordeste 3 - AracajuAlerta - Iniciação à Vida Cristã com adolescentes e jovens nordeste 3 - Aracaju
Alerta - Iniciação à Vida Cristã com adolescentes e jovens nordeste 3 - Aracaju
 
A importância da Escola Dominical na Atualidade
A importância da Escola Dominical na AtualidadeA importância da Escola Dominical na Atualidade
A importância da Escola Dominical na Atualidade
 
Itinerários do processo da iniciação a vida cristã
Itinerários do processo da iniciação a vida cristãItinerários do processo da iniciação a vida cristã
Itinerários do processo da iniciação a vida cristã
 

Semelhante a Campanha da Fraternidade 2013 - apresentação 2ª parte - JULGAR

Documento 85 Da Cnbb - Evangelização da Juventude
Documento 85 Da Cnbb - Evangelização da JuventudeDocumento 85 Da Cnbb - Evangelização da Juventude
Documento 85 Da Cnbb - Evangelização da Juventude
Marciel de Oliveira Rocha
 
Documento 85 - Sintese 3
Documento 85 - Sintese 3Documento 85 - Sintese 3
Documento 85 - Sintese 3
LEANDRO DE SOUZA RAMOS
 
Documento 85 da cnbb
Documento 85 da cnbbDocumento 85 da cnbb
Documento 85 da cnbb
frmarquescj
 
Documento 85 CNBB - Evangelização da Juventude
Documento 85 CNBB - Evangelização da JuventudeDocumento 85 CNBB - Evangelização da Juventude
Documento 85 CNBB - Evangelização da Juventude
Reinaldo Oliveira Do Carmo
 
Apresentação do documento 85 da cnbb
Apresentação do  documento 85 da cnbbApresentação do  documento 85 da cnbb
Apresentação do documento 85 da cnbb
Bernadetecebs .
 
Documento 85-cnbb (1)
Documento 85-cnbb (1)Documento 85-cnbb (1)
Documento 85-cnbb (1)
Pejota2015
 
Plano bienal de evangelizacao das juventudes (pbej)
Plano bienal de evangelizacao das juventudes (pbej)Plano bienal de evangelizacao das juventudes (pbej)
Plano bienal de evangelizacao das juventudes (pbej)
Rafael Barros
 
Subsidio DNJ 2015
Subsidio  DNJ 2015Subsidio  DNJ 2015
Subsidio DNJ 2015
Bernadetecebs .
 
Subsídio DNJ 2015
Subsídio DNJ 2015Subsídio DNJ 2015
Subsídio DNJ 2015
williampr
 
Identidade das pastorais, movimentos e grupos Paróquia S. Luís
Identidade das pastorais, movimentos e grupos Paróquia S. LuísIdentidade das pastorais, movimentos e grupos Paróquia S. Luís
Identidade das pastorais, movimentos e grupos Paróquia S. Luís
monfortinosemfoco
 
Campanha da fraternidade 2013
Campanha da fraternidade 2013Campanha da fraternidade 2013
Campanha da fraternidade 2013
Rinaldo Santos
 
Dgae da igreja no brasil, dom eduardo 2
Dgae da igreja no brasil, dom eduardo 2Dgae da igreja no brasil, dom eduardo 2
Dgae da igreja no brasil, dom eduardo 2
domeduardo
 
Subsidios JMJ Rio 2013 | Adultos
Subsidios JMJ Rio 2013 | AdultosSubsidios JMJ Rio 2013 | Adultos
Subsidios JMJ Rio 2013 | Adultos
Setor Juventude Sergipe
 
Subsídio JMJ Rio2013 | Adulto
Subsídio JMJ Rio2013 | AdultoSubsídio JMJ Rio2013 | Adulto
Subsídio JMJ Rio2013 | Adulto
Lay Kamila
 
Subsidio JMJ 2013 adultos
Subsidio JMJ 2013  adultosSubsidio JMJ 2013  adultos
Subsidio JMJ 2013 adultos
Bernadetecebs .
 
Folder Fórum Famílias Novas
Folder Fórum Famílias NovasFolder Fórum Famílias Novas
Folder Fórum Famílias Novas
Bremen Brasil Petroleo
 
Jornal novos horizontes fev 2013
Jornal novos horizontes fev 2013Jornal novos horizontes fev 2013
Jornal novos horizontes fev 2013
Pascom Paroquia Nssc
 
Como pregar para jovens
Como pregar para jovensComo pregar para jovens
Como pregar para jovens
RCCPBJovem
 
Jornal
Jornal Jornal
Jornal
Cassio Felipe
 
Jornadas Diocesana da Juventude
Jornadas Diocesana da JuventudeJornadas Diocesana da Juventude
Jornadas Diocesana da Juventude
Bernadetecebs .
 

Semelhante a Campanha da Fraternidade 2013 - apresentação 2ª parte - JULGAR (20)

Documento 85 Da Cnbb - Evangelização da Juventude
Documento 85 Da Cnbb - Evangelização da JuventudeDocumento 85 Da Cnbb - Evangelização da Juventude
Documento 85 Da Cnbb - Evangelização da Juventude
 
Documento 85 - Sintese 3
Documento 85 - Sintese 3Documento 85 - Sintese 3
Documento 85 - Sintese 3
 
Documento 85 da cnbb
Documento 85 da cnbbDocumento 85 da cnbb
Documento 85 da cnbb
 
Documento 85 CNBB - Evangelização da Juventude
Documento 85 CNBB - Evangelização da JuventudeDocumento 85 CNBB - Evangelização da Juventude
Documento 85 CNBB - Evangelização da Juventude
 
Apresentação do documento 85 da cnbb
Apresentação do  documento 85 da cnbbApresentação do  documento 85 da cnbb
Apresentação do documento 85 da cnbb
 
Documento 85-cnbb (1)
Documento 85-cnbb (1)Documento 85-cnbb (1)
Documento 85-cnbb (1)
 
Plano bienal de evangelizacao das juventudes (pbej)
Plano bienal de evangelizacao das juventudes (pbej)Plano bienal de evangelizacao das juventudes (pbej)
Plano bienal de evangelizacao das juventudes (pbej)
 
Subsidio DNJ 2015
Subsidio  DNJ 2015Subsidio  DNJ 2015
Subsidio DNJ 2015
 
Subsídio DNJ 2015
Subsídio DNJ 2015Subsídio DNJ 2015
Subsídio DNJ 2015
 
Identidade das pastorais, movimentos e grupos Paróquia S. Luís
Identidade das pastorais, movimentos e grupos Paróquia S. LuísIdentidade das pastorais, movimentos e grupos Paróquia S. Luís
Identidade das pastorais, movimentos e grupos Paróquia S. Luís
 
Campanha da fraternidade 2013
Campanha da fraternidade 2013Campanha da fraternidade 2013
Campanha da fraternidade 2013
 
Dgae da igreja no brasil, dom eduardo 2
Dgae da igreja no brasil, dom eduardo 2Dgae da igreja no brasil, dom eduardo 2
Dgae da igreja no brasil, dom eduardo 2
 
Subsidios JMJ Rio 2013 | Adultos
Subsidios JMJ Rio 2013 | AdultosSubsidios JMJ Rio 2013 | Adultos
Subsidios JMJ Rio 2013 | Adultos
 
Subsídio JMJ Rio2013 | Adulto
Subsídio JMJ Rio2013 | AdultoSubsídio JMJ Rio2013 | Adulto
Subsídio JMJ Rio2013 | Adulto
 
Subsidio JMJ 2013 adultos
Subsidio JMJ 2013  adultosSubsidio JMJ 2013  adultos
Subsidio JMJ 2013 adultos
 
Folder Fórum Famílias Novas
Folder Fórum Famílias NovasFolder Fórum Famílias Novas
Folder Fórum Famílias Novas
 
Jornal novos horizontes fev 2013
Jornal novos horizontes fev 2013Jornal novos horizontes fev 2013
Jornal novos horizontes fev 2013
 
Como pregar para jovens
Como pregar para jovensComo pregar para jovens
Como pregar para jovens
 
Jornal
Jornal Jornal
Jornal
 
Jornadas Diocesana da Juventude
Jornadas Diocesana da JuventudeJornadas Diocesana da Juventude
Jornadas Diocesana da Juventude
 

Mais de Wilmar Santin

Dom Alberto Foerst - sua vida em imagens
Dom Alberto Foerst  - sua vida em imagensDom Alberto Foerst  - sua vida em imagens
Dom Alberto Foerst - sua vida em imagens
Wilmar Santin
 
História da rã
História da rãHistória da rã
História da rã
Wilmar Santin
 
Contradições humanas
Contradições humanasContradições humanas
Contradições humanas
Wilmar Santin
 
30 surpreendentes imagens aéreas
30 surpreendentes imagens aéreas30 surpreendentes imagens aéreas
30 surpreendentes imagens aéreas
Wilmar Santin
 
Sonhar
SonharSonhar
Campanha da fraternidade 2014
Campanha da fraternidade 2014Campanha da fraternidade 2014
Campanha da fraternidade 2014
Wilmar Santin
 
Carta aos gálatas
Carta aos gálatasCarta aos gálatas
Carta aos gálatas
Wilmar Santin
 
Campanha da Fraternidade 2013 apresentação - 3ª parte = AGIR
Campanha da Fraternidade 2013 apresentação - 3ª parte = AGIRCampanha da Fraternidade 2013 apresentação - 3ª parte = AGIR
Campanha da Fraternidade 2013 apresentação - 3ª parte = AGIR
Wilmar Santin
 
Campanha da Fraternidade 2013 apresentação - 1ª parte = VER
Campanha da Fraternidade 2013 apresentação - 1ª parte = VERCampanha da Fraternidade 2013 apresentação - 1ª parte = VER
Campanha da Fraternidade 2013 apresentação - 1ª parte = VER
Wilmar Santin
 
Rally Santarém-Cuiabá
Rally   Santarém-CuiabáRally   Santarém-Cuiabá
Rally Santarém-Cuiabá
Wilmar Santin
 
Festa de Corpus Christi na Italia - tapete de flores
Festa de Corpus Christi na Italia - tapete de floresFesta de Corpus Christi na Italia - tapete de flores
Festa de Corpus Christi na Italia - tapete de flores
Wilmar Santin
 
As mais lindas aves
As mais lindas avesAs mais lindas aves
As mais lindas aves
Wilmar Santin
 
O trofeu de gaio
O trofeu de gaioO trofeu de gaio
O trofeu de gaio
Wilmar Santin
 
Bom dia pra você - Pavarotti
Bom dia pra você - PavarottiBom dia pra você - Pavarotti
Bom dia pra você - Pavarotti
Wilmar Santin
 
Santa Terezinha: Retornar ao Evangelho
Santa Terezinha: Retornar ao EvangelhoSanta Terezinha: Retornar ao Evangelho
Santa Terezinha: Retornar ao Evangelho
Wilmar Santin
 
Realismo Espiritual de Santa Teresinha de Lisieux
Realismo Espiritual de Santa Teresinha de LisieuxRealismo Espiritual de Santa Teresinha de Lisieux
Realismo Espiritual de Santa Teresinha de Lisieux
Wilmar Santin
 
Fotos históricas do Metrô de São Paulo
Fotos históricas do Metrô de São PauloFotos históricas do Metrô de São Paulo
Fotos históricas do Metrô de São Paulo
Wilmar Santin
 
Adeus Crucifixo
Adeus CrucifixoAdeus Crucifixo
Adeus Crucifixo
Wilmar Santin
 
Migração de Arraias
Migração de ArraiasMigração de Arraias
Migração de Arraias
Wilmar Santin
 
Lisboa e arredores
Lisboa e arredoresLisboa e arredores
Lisboa e arredores
Wilmar Santin
 

Mais de Wilmar Santin (20)

Dom Alberto Foerst - sua vida em imagens
Dom Alberto Foerst  - sua vida em imagensDom Alberto Foerst  - sua vida em imagens
Dom Alberto Foerst - sua vida em imagens
 
História da rã
História da rãHistória da rã
História da rã
 
Contradições humanas
Contradições humanasContradições humanas
Contradições humanas
 
30 surpreendentes imagens aéreas
30 surpreendentes imagens aéreas30 surpreendentes imagens aéreas
30 surpreendentes imagens aéreas
 
Sonhar
SonharSonhar
Sonhar
 
Campanha da fraternidade 2014
Campanha da fraternidade 2014Campanha da fraternidade 2014
Campanha da fraternidade 2014
 
Carta aos gálatas
Carta aos gálatasCarta aos gálatas
Carta aos gálatas
 
Campanha da Fraternidade 2013 apresentação - 3ª parte = AGIR
Campanha da Fraternidade 2013 apresentação - 3ª parte = AGIRCampanha da Fraternidade 2013 apresentação - 3ª parte = AGIR
Campanha da Fraternidade 2013 apresentação - 3ª parte = AGIR
 
Campanha da Fraternidade 2013 apresentação - 1ª parte = VER
Campanha da Fraternidade 2013 apresentação - 1ª parte = VERCampanha da Fraternidade 2013 apresentação - 1ª parte = VER
Campanha da Fraternidade 2013 apresentação - 1ª parte = VER
 
Rally Santarém-Cuiabá
Rally   Santarém-CuiabáRally   Santarém-Cuiabá
Rally Santarém-Cuiabá
 
Festa de Corpus Christi na Italia - tapete de flores
Festa de Corpus Christi na Italia - tapete de floresFesta de Corpus Christi na Italia - tapete de flores
Festa de Corpus Christi na Italia - tapete de flores
 
As mais lindas aves
As mais lindas avesAs mais lindas aves
As mais lindas aves
 
O trofeu de gaio
O trofeu de gaioO trofeu de gaio
O trofeu de gaio
 
Bom dia pra você - Pavarotti
Bom dia pra você - PavarottiBom dia pra você - Pavarotti
Bom dia pra você - Pavarotti
 
Santa Terezinha: Retornar ao Evangelho
Santa Terezinha: Retornar ao EvangelhoSanta Terezinha: Retornar ao Evangelho
Santa Terezinha: Retornar ao Evangelho
 
Realismo Espiritual de Santa Teresinha de Lisieux
Realismo Espiritual de Santa Teresinha de LisieuxRealismo Espiritual de Santa Teresinha de Lisieux
Realismo Espiritual de Santa Teresinha de Lisieux
 
Fotos históricas do Metrô de São Paulo
Fotos históricas do Metrô de São PauloFotos históricas do Metrô de São Paulo
Fotos históricas do Metrô de São Paulo
 
Adeus Crucifixo
Adeus CrucifixoAdeus Crucifixo
Adeus Crucifixo
 
Migração de Arraias
Migração de ArraiasMigração de Arraias
Migração de Arraias
 
Lisboa e arredores
Lisboa e arredoresLisboa e arredores
Lisboa e arredores
 

Campanha da Fraternidade 2013 - apresentação 2ª parte - JULGAR

  • 2. Nas Sagradas Escrituras Jovens Na história da Igreja 2ª parte do Texto Base Composta por cinco pontos Seguidores de Cristo No coração da Igreja Protagonismo dos Jovens
  • 3. Jovens nas Sagradas Escrituras A Palavra de Deus e a história da Igreja apresentam vários testemunhos de jovens que, valorizados e chamados por Deus, assumiram sua vocação de missionários da vida plena em contextos não condizentes ao projeto de Deus.
  • 4. Jovens nas Sagradas Escrituras No Antigo Testamento No livro do Gn, Rebeca responde de maneira firme e decidida à vontade de Deus; José do Egito mostra discernimento para interpretar a vontade Deus, salva da fome o seu país e sua família; Samuel coloca-se à disposição do Senhor, se torna um importante líder religioso; Davi foi escolhido para ser ungido rei de Israel; Salomão solicita a Deus a sabedoria para poder discernir e promover a justiça.
  • 5. Jovens nas Sagradas Escrituras No Antigo Testamento Os sete jovens do 2º Livro dos Macabeus sofrem martírio para serem fiéis à Lei; Ester salva a vida de seu povo, libertando-o da opressão e da dor; Daniel intervém em favor da casta Susana Ezequiel revela que a fidelidade de Deus à Aliança é maior que a infidelidade do povo
  • 6. Jovens nas Sagradas Escrituras No Novo Testamento Jesus instaura o Novo Reino Pela Encarnação de seu próprio Filho, Deus se revela de forma radical; “Rosto humano de Deus e o rosto divino do homem”; Nasce pobre, vive pobre e com os pobres, partilha suas angústias e esperanças (Lc 4,16-20; 15,2);
  • 7. Jovens nas Sagradas Escrituras No Novo Testamento Jesus instaura o Novo Reino Faz opção pelos os pobres e marginalizados, assumindo um projeto de libertação deles. Como consequência , enfrenta os conflitos com aqueles que promoviam a exclusão social e religiosa.
  • 8. Jovens nas Sagradas Escrituras No Novo Testamento Jesus instaura o Novo Reino Jesus e o jovens Acolhe a jovem mãe excluída da sociedade da época, cura sua filhinha (Mc 7,24-30); Demonstra compaixão na parábola dos dois filhos (Mt 21, 28-32) – acredita na regeneração e no perdão dos erros da juventude (Lc 15,11-24); Convida os jovens a um novo caminho e a viverem seu projeto de desapego aos bens (Lc 18,18-23);
  • 9. Jovens nas Sagradas Escrituras No Novo Testamento Jesus instaura o Novo Reino Jovialidade do Projeto de Jesus Cristo A jovialidade, consistia, na apresentação da novidade do REINO como renovação radical da relação com Deus e com os irmãos; e isto tinha também consequências radicais diante do sistema de sociedade que vigorava na época. “O cristão não deve ser graxa para amaciar as engrenagens do sistema de morte, mas areia para travar essas engrenagens”.
  • 10. Jovens nas Sagradas Escrituras No Novo Testamento Jesus instaura o Novo Reino Jovens que procuram referenciais Jesus de Nazaré é modelo a ser seguido, seu modo de viver, atitudes a serem assumidas hoje. Intimidade com a Trindade (cf Jo 6,38); Coerência, autenticidade cf Lc 4,22); Sua misericórdia, seu acolhimento (cf Mt 18,21); Seu senso de diálogo (cf Lc 9,49-50); Sua capacidade de amar (cf Mt 20,28);
  • 11. Jovens nas Sagradas Escrituras No Novo Testamento Maria, modelo de seguimento Maria de Nazaré é a jovem que contribui com a História da Salvação se apresentando com fé, obediência, coragem e liderança. Maria de Nazaré, perfeita discípula e pedagoga da evangelização da juventude; Maria de Nazaré, é exemplo de missionária, de amiga, de sensibilidade social e pessoal; Maria de Nazaré, modelo de seguimento de Jesus Cristo;
  • 12. Jovens nas Sagradas Escrituras NT O mais novo dos Apóstolos – escutou de Discípulos Jovens Jesus as últimas confidências (cf Jo 13,23); João Acompanhou Jesus até os pés da Cruz, amparou Maria, sua mãe (cf Jo 19,25-27); Não era Apóstolo, mas foi o primeiro Evangelista, escreveu aquilo que viu e ouviu de Jesus, quando era adolescente; Marco s Como jovem viveu uma mudança de época, transição dos tempos do AT para o NT; coragem de assumir a fé, mesmo em tempo de perseguição;
  • 13. Jovens nas Sagradas Escrituras NT Discípulos Jovens Apóstolo, ainda jovem foi perseguidor da Igreja nascente (cf At7,58); ainda jovem converteu-se, radicalmente ao Evangelho, após uma forte experiência no Caminho de Damasco (cf A 9,1-9). Exemplo de jovem capaz de mudar de vida, abandonando os caminhos da Paulo morte e aderindo ao Evangelho .
  • 14. Jovens nas Sagradas Escrituras NT Jovem, por que Jesus é o CAMINHO, VERDADE,E A VIDA? O único Caminho para a felicidade plena; JESUS CR ISTO A Verdade porque é a plena Revelação de Deus; É a Vida porque é o vencedor da morte, do pecado e do mal no mundo;
  • 15. “ L U G A R T E O L Ó G I C O” A Igreja entende que o jovem se constitui em um “lugar teológico” privilegiado, isto significa acolher a J O V E M voz de Deus que fala por ele. Precisamos aprender a ler e a desvelar os sinais de Deus através da novidade da cultura juvenil.
  • 16. Encontro do Jovem com a Palavra de Deus A catequese – iniciação à vida cristã atinge milhares de jovens todos os anos. “no coração da catequese aos jovens está a proposta explícita do seguimento de Cristo” - Diretório Nac. de Catequese. A Leitura Orante das Sagradas Escrituras Proporciona aos jovens oportunidade de caminhar com as próprias pernas em sua espiritualidade. Crer na Palavra de Deus para o crescimento do jovem;
  • 17. JOVEM, olhando o retrovisor de sua história; da Igreja, para a sociedade, para o mundo... JAC J EC J IC O C C J U J
  • 18. en il j uv ão a do aç rej A tu Ig il n a Nor ainício dos anos 60, já sob o s B pontificado de João XXIII, seguindo as marchas das ideias provenientes do Concílio Vat. II, a Ação Católica contava com cinco organizações destinadas aos mais jovens;
  • 19. ve n i l luventude Agrária Católica (JAC) ju rasiJ ção do B Formada por jovens do campo; tua ja A re Juventude Estudantil Católica (JEC) g a I Formada por jovens do ensino médio; Juventude Independente Católica (JIC) Formada por jovens que não fossem abrangidos pelas demais organizações; Juventude Operária Católica (JOC) Jovens que atuavam no meio operário; Juventude Universitária Católica (JUC) Constituída por estudantes de nível superior;
  • 20. ve n i l lNa década de 60, um pouco j u r a s i antes, Ação Católica; ão o B aç t u j a d Década de 70: movimentos de encontro; A re a Ig Setor Juventude e Pastoral Orgânica; 1992 : CF da JUVENTUDE; 1996 e 1998, dois Estudos da CNBB: Pastoral da Juventude no Brasil e Marco Referencial da Pastoral da Juventude do Brasil; 2011: Comissão Episcopal para a Juventude e Jornada Mundial da Juventude; 2013: CF da Juventude e JMJ
  • 21. Con figu ag o n ismo da I ração Prot enil grej a Juv Como disse Bento XVI em 2007: “A Igreja precisa dos jovens para manifestar ao mundo o rosto de Cristo, que se desenha na comunidade. Se a comunidade eclesial não se abre para o protagonismo juvenil, pode apresentar uma Igreja desfigurada”.
  • 22. Con figu ag o n ismo da I ração Prot enil grej a Juv
  • 23. Conclama os jovens e com eles, toda a Igreja, a contagiar com alegria e criatividade juvenis as estruturas sociais e eclesiais, a fim de cuidar melhor dos jovens sofridos, abrindo para eles os braços da caridade e as portas da inclusão.
  • 24. Trabalho em Grupos 1 – Quais as principais provocações que o JULGAR trouxe para nós? 2 – Quais os princípios apresentados no JULGAR que foram mais marcantes e que devem nortear a CF 2013?
  • 25. Campanha da Fraternidade 2013 Obrigado! Elaborado por: Pe. José Altevir da Silva, CSSp

Notas do Editor

  1. O crescente envolvimento do movimento estudantil na discussão dos problemas nacionais e das chamadas "reformas de base", tais como a  reforma agrária , acabou por engendrar a criação de uma organização política desvinculada da Igreja - a  Ação Popular , constituída por antigos membros da JUC .